DROGAS ILÍCITAS: O DEBATE NECESSÁRIO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DROGAS ILÍCITAS: O DEBATE NECESSÁRIO"

Transcrição

1 DROGAS ILÍCITAS: O DEBATE NECESSÁRIO Ricardo Vélez Rodríguez Coordenador do Centro de Pesquisas Estratégicas Paulino Soares de Sousa, da UFJF Assim como a democracia não cai do céu, mas é necessário construí-la, de forma semelhante não há solução válida para a proliferação das drogas ilícitas, senão aquela que pacientemente tiver sido equacionada por uma determinada sociedade que sofre desse flagelo. E todas as sociedades nacionais, no mundo atual, estão submetidas, em maior ou menor grau, à comercialização e ao consumo das drogas ilícitas. Depois do mercado do petróleo e das armas, a produção das drogas ilícitas constitui a terceira grande fonte de riqueza no mundo atual, estimando-se em 500 bilhões de dólares anuais o dinheiro que circula por conta desse comércio da morte. É uma verdadeira companhia transnacional, que toma decisões com base num frio cálculo de ganhos e perdas. Ora, no seio de determinada sociedade, qualquer solução é incompleta se, no terreno do combate às drogas, não for involucrada a população. O grande mal do Brasil a respeito consiste justamente na passividade da sociedade civil em face dessa terrível doença do mundo globalizado. Daí por que o debate acerca do consumo de entorpecentes é essencial para a sobrevivência da nossa sociedade. Recentemente respondi a uma série de questões que, a respeito do consumo de drogas ilícitas pelos jovens em Juiz de Fora, foram formuladas pela jornalista Júlia Pessoa da Tribuna de Minas. Essa enquête serviu de base para extensa matéria que, sobre o particular, publicou o mencionado diário na sua edição de 29 de Abril. Considerando que as respostas por mim dadas constituem pontos de reflexão acerca da mencionada problemática, a fim de estimular o debate, as coloco na sua totalidade. Levo em

2 consideração que a página do jornal aproveitou em parte, apenas, as minhas colocações, em decorrência da extensão da matéria publicada, que focalizou outros aspectos dos tratados por mim e que entrevistou outras pessoas familiarizadas com o tema. Em um de seus artigos, publicado no início deste ano, que fala que o Brasil se tornou uma cracolândia, você diz que a maconha é sim, porta de entrada para o crack. Por que? Quais as consequências disso? Infelizmente, sim, o Brasil virou uma grande cracolândia. É de arrepiar o dado de que mais de 90% dos municípios brasileiros já conhecem essa praga, bem como as conseqüências de desgarramento do tecido social que isso implica. A violência, simplesmente, disparou, pelo Brasil afora, punindo especialmente as pequenas cidades do Interior, menos aparelhadas para o combate à violência ensejada pelo consumo de drogas pesadas. A maconha, em países que já conheceram o flagelo do crack (como é o caso do meu país de origem, a Colômbia), foi a porta natural de entrada para drogas mais pesadas, como a cocaína e o crack, que é a cocaína dos pobres. Isso já foi estudado estatisticamente no país vizinho e, entre nós, não será diferente. A maconha tinha penetrado fundo nos municípios brasileiros, antes de o crack instalar o seu mercado da morte. A principal conseqüência é o acirramento da violência, ali onde a maconha preparou o caminho e onde o crack terminou o serviço. Não é alarmismo, é a cruel realidade. O que pode ser feito para evitar esse processo? A primeira coisa, considero, deve ser o estudo aprofundado do processo causado, nos países vizinhos e em outros países, como os europeus e os Estados Unidos, pelo consumo de drogas pesadas. O segundo paso, o estudo de como a maconha foi a porta de entrada para drogas mais pesadas: a análise rigorosa do que aconteceu na Colômbia é importante, pois se trata de um país bem semelhante ao nosso, com um povo alegre, que aprecia muito a religião e a vida de família. O estrago da maconha causado entre os nossos vizinhos precisa ser conhecido em detalhe. Bem como devem ser conhecidas, também as políticas públicas em andamento no vizinho país, no que tange a diminuir o consumo de drogas e também no que diz relação ao combate aos traficantes. Tanto o Exército quanto a polícia foram aparelhados para fazer frente a esse mal. Em terceiro lugar, deve ser estudado em detalhe o que está acontecendo no terceiro front latino-americano da guerra das drogas (o primeiro foi a Colômbia e o segundo está sendo a América do Sul, com o Brasil como epicentro), no México e na América Central: a produção de maconha antecedeu a entrada das drogas mais pesadas, comercializadas por sanguinários cartéis como os Zetas, por exemplo, que estão semeando o pânico e a morte entre a população. Ciudad Juárez, no México, com um milhão e trezentos mil habitantes, hoje é a cidade mais violenta do mundo, mais violenta que as cidades iraquianas e afegãs. Isso por conta da guerra desatada pelos traficantes.

3 Flagramos diversos adolescentes fumando maconha em ambientes públicos, como a porta de suas escolas, nas ruas etc. O uso deixou de ser velado. O que pode ter causado essa postura mais aberta dos usuários, principalmente os mais jovens, em relação a esta droga? Vários fatores causaram essa epidemia de consumo de droga. O primeiro, a meu ver, foi a irresponsabilidade de alguns dos nossos homens públicos, que não trataram o consumo de drogas como algo sério. A fotografia publicada pela imprensa, há alguns anos, do expresidente Lula, no palanque, ao lado do presidente boliviano Evo Morales, ambos ostentando colares de folhas de coca, falou mais do que mil palavras. A mensagem subliminar foi: coca é carnaval! O segundo fator, a meu ver, é a desinformação da sociedade brasileira em relação ao perigo representado pelo consumo de drogas. Campanhas publicitárias de vez em quando, alertando para esse perigo, não bastam. É necessário uma ação diuturna de reflexão dos vários setores sociais sobre o problema. Aqui a questão correu um pouco por conta da nossa tradicional passividade para tratarmos acerca dos problemas que são de todos (buracos na rua, insegurança, depredação dos espaços públicos, drogas...). Nós brasileiros achamos que esses problemas são questões exclusivas do governo, não preocupação nossa. O terceiro fator, foi a publicidade que os produtores internacionais de drogas decidiram fazer no Brasil, já desde finais dos anos oitenta, quando tomaram a decisão de tornar o nosso país fronteira do narcotráfico e espaço para o consumo de tóxicos, ao ensejo do combate que os traficantes sofriam no eixo andino. Os mafiosos italianos, que tinham interesse no desenvolvimento do mercado brasileiro de drogas, decidiram partir para mostrar que consumo de entorpecentes é coisa chique, aproveitando o pouco policiamento das nossas fronteiras e a índole festiva do nosso povo. O resultado está aí: crack em mais de 90% dos municípios brasileiros! Da maconha, amplamente difundida, passou-se às drogas pesadas. A maconha preocupa mais como problema de saúde ou de segurança pública? Bem, eu acho que a preocupação deve ser em relação aos dois itens. Tanto em relação à maconha como em face do álcool e do tabaco. Os resultados obtidos diante deste último são amplamente positivos no nosso país. As novas gerações entenderam a mensagem. Os problemas decorrentes do álcool estão sendo debatidos hoje, com motivo da violência do trânsito. Mas a divulgação de dados sobre os estragos da maconha e de outras drogas está na esfera do "políticamente correto". Alguém ja parou para pensar quantos acidentes de trânsito são causados pela maconha e pelas drogas mais pesadas? Não se pode falar dos riscos da maconha sem ser alcunhado de careta. Ora, consumo de maconha traz, sim, riscos para a saúde e para a entrada de outras drogas como a cocaína e o crack. Muitas vezes, esse consumo está associado ao consumo de álcool. O adolescente que se

4 acostumou a viajar com bebida ou com bagulho para esquecer problemas está na autopista das drogas mais pesadas. Em outros trabalhos,o senhor fala que a descriminzaliação das drogas não resolveria os problemas do tráfico e cita o exemplo da Holanda, onde toda a sociedade passou a sentir os efeitos da violência do tráfico. Como isso aconteceu e o que poderia acontece no Brasil? Sempre pensei que para problemas complexos, como o das drogas, não pode haver soluções simples, mas complexas. Só a descriminalização alicerçada em razões de ordem econômica, não é suficiente. Foi o arrazoado que conduziu, numa primeira etapa, à descriminalização das drogas na Suíça, por exemplo e, depois, na Holanda. Estive, em 1986, na praça vizinha à estação ferroviária central de Zurique, um espaço liberado para o consumo de drogas. Era um lugar perigoso, de delinqüência pesada, e teve de ser fechado. O slogan "viciados do mundo uni-vos" pareceu ser uma voz que percorreu todas as cidades européias, conduzindo jovens dependentes a esse espaço. Algo semelhante ocorreu nas cidades holandesas, ao longo dos anos 90 e início deste milênio. A solução não é liberar o consumo, mas tratar os dependentes. Não se trata, evidentemente, de puni-los. Mas de tratá-los. As políticas tipo "liberou-geral" trazem mais problemas do que soluções. Hoje no Brasil estamos na fase da carnavalização da narco-dependência e do narcotráfico que a alimenta. E já estamos pagando um alto preço por essa atitude irresponsável. Porque descriminalizar as drogas não é solução? No item anterior já expus o meu pensamento a respeito. Não se trata, certamente, de punir aqueles que viraram dependentes das drogas. Mas também não se trata de ver o carnaval passar como se tudo fosse festa. Trata-se, sim, de formular políticas públicas que conduzam as pessoas dependentes a uma terapia que as liberte dessa desgraça. Pode-se falar, então, nesse ponto, de "descriminalização" em relação a esses usuários que viraram vítimas. Mas tomando medidas para que efetivamente se tratem e não voltem a consumir drogas. E confrontando com denodo e com todos os instrumentos do Estado de Direito aqueles que se aproveitam dos que viraram dependentes. O combate aos traficantes que espalham o comércio da morte acho que tem de continuar. Falar em descriminalização em face deles é uma irresponsabilidade. Em um artigo o senhor diz que "(...) restabelecer a credibilidade da Justiça, mediante uma legislação mais dura para com os criminosos" é essencial. Ao falar dos criminosos, o senhor se refere somente aos traficantes ou também aos usuários? Como "endurecer" a legislação? Iso ajudaria a reduzir o consumo?

5 Bem, acho que nas minhas duas respostas anteriores já respondi a esta pergunta. Em outro ponto do artigo, o senhor diz que "Não se trata de criminalizar sumariamente os usuários, mas eles devem ser enquadrados nas suas responsabilidades como dependentes químicos, ajudando-os a superar a dependência." O senhor concorda com a legislação atual, em que os usuários deixaram de ter pena de prisão? Acredita que, pelo fato de usuários não serem presos ou receberem punição mais "severa", o consumo aumentou? Acho que usuário dependente tem de ser tratado. E não deve ser estimulado o consumo de drogas em festas universitárias, por exemplo. E faço referência, aqui, também ao consumo de álcool e drogas, que já virou epidemia entre os estudantes. A imprensa noticiou que, há algumas semanas, uma menina de 17 anos foi estuprada numa festinha de estudantes da UFJF. Pelo teor do relato que foi veiculado pela imprensa, ela estava bêbada e, certamente, os que praticaram o crime deveriam estar bêbados, pelo menos. Festinhas dessa natureza não podem ocorrer numa instituição de ensino. O que pode ser feito, em relação às drogas, em termos de segurança pública e em sua faceta como problema social? A polícia, a meu ver, precisa de uma preparação para fazer frente ao combate aos traficantes e ao mercado da morte. Um trabalho essencial, que foi desenvolvido na Colômbia, é o de inteligência. Forças policiais precisam de uma infraestrutura de inteligência que lhes indique os objetivos das suas intervenções, que devem respeitar os direitos dos cidadãos. Em segundo lugar, as nossas forças policiais têm de estar bem treinadas e com armamento moderno. Faltam ainda aos policiais, em geral, no Brasil, mais completo treinamento e dotação de armamentos adequada. A segurança pública é questão de sobrevivência da sociedade. Portanto o seu equacionamento tem de ser amplamente coberto pelo orçamento da Nação. Ainda muita gente acha que com policiais mal-pagos, mal-treinados e mal-armados pode haver segurança para os cidadãos. Vale a pena ver o que foi realizado nas cidades colombianas para fazer refluir a onda de brutalidade dos narcotraficantes. As cidades, como Bogotá (5 milhões de habitantes) e Medellín (3 milhões) passaram a ser vigiadas vinte e quatro horas por dia, com câmeras ligadas às delegacias de polícia. Isso é caro, certamente menos do que vermos uma geração de jovens mortos ou mutilados pela violência das drogas. As nossas Forças Armadas, notadamente o Exército, tentam cumprir com a sua missão de proteger fronteiras, para que por elas não entrem os insumos para o refino de coca ou armamentos. Temos mais de 16 mil quilômetros de fronteira seca com países da América do Sul, por onde entram drogas e insumos para o seu refino, além de armas ilegais. O Exército solicitou um orçamento de 9 bilhões de Reais, para serem aplicados nos próximos

6 10 anos, com a finalidade de melhor policiar esse espaço enorme, ampliando para 38 o número de pelotões de fronteira, com a infraestrutura necessária. O que fizeram os políticos em Brasília? "Contingenciaram" os dinheiros solicitados pelo nosso Exército, ao passo que a festança com o dinheiro público corre solta pelo Brasil afora. São mais de 70 bilhões de Reais mal-gastos, anualmente, com corrupção e roubalheira de falsas ONGs. Isso é conspirar contra o combate às drogas e agir contra a segurança dos brasileiros. Um dado estarrecedor: a guerra das drogas, na Colômbia (entre 1979 e 2002), matou 450 mil colombianos. Vamos esperar que desgraça semelhante aconteça no Brasil? Violência que, infelizmente, cidades como BH ou Rio de Janeiro já conhecem, com toda a desgraça que isso implica. Lembremos que, há alguns meses, foi noticiado que o Rio é a capital brasileira de consumo de diazepam e outros tranqüilizantes. A violência do narcotráfico cobra o seu preço.

CRACOLÂNDIA BRASIL. Ricardo Vélez Rodríguez. Coordenador do Centro de Pesquisas Estratégicas Paulino Soares de Sousa, da UFJF. Rive2001@gmail.

CRACOLÂNDIA BRASIL. Ricardo Vélez Rodríguez. Coordenador do Centro de Pesquisas Estratégicas Paulino Soares de Sousa, da UFJF. Rive2001@gmail. CRACOLÂNDIA BRASIL Ricardo Vélez Rodríguez Coordenador do Centro de Pesquisas Estratégicas Paulino Soares de Sousa, da UFJF. Rive2001@gmail.com Viramos uma imensa cracolândia. Temos, hoje, 800 mil consumidores

Leia mais

O CONSUMO DE DROGAS DEVE SER DESCRIMINALIZADO?

O CONSUMO DE DROGAS DEVE SER DESCRIMINALIZADO? O CONSUMO DE DROGAS DEVE SER DESCRIMINALIZADO? (Revista Época nº 897 17/08/2015 pág. 57) Há nítida diferença entre o consumidor de drogas, levado ao vício pelo traficante, e este. O primeiro inicia-se

Leia mais

www.fecomercio-rj.org.br [ 1 ]

www.fecomercio-rj.org.br [ 1 ] www.fecomercio-rj.org.br [ 1 ] A SEGURANÇA PÚBLICA NO BRASIL 16 de abril de 2008 [ 2 ] (1 MENÇÃO) - SG1) Na sua opinião, quem tem mais responsabilidade pelo combate à criminalidade e violência contra as

Leia mais

Senado Federal. Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas SENAD Ministério da Justiça

Senado Federal. Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas SENAD Ministério da Justiça Senado Federal Comissão de Assuntos Sociais i Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas SENAD Ministério da Justiça Contexto mundial: Consumo de drogas ilícitas Estima, entre 149 e 272 milhões, o nº

Leia mais

Como Bogotá conseguiu melhorar sua segurança

Como Bogotá conseguiu melhorar sua segurança Como Bogotá conseguiu melhorar sua segurança Publicado em: http://www.comunidadesegura.org Hugo Acero* 16/11/2006 Quando se analisa o tema da segurança cidadã no âmbito da América Latina, comprova-se que

Leia mais

DROGAS: legalizar ou não? Um grande desafio! RESUMO

DROGAS: legalizar ou não? Um grande desafio! RESUMO 40 DROGAS: legalizar ou não? Um grande desafio! Eduardo Barcaro Carnavali RESUMO O presente artigo tem o intuito de explanar acerca da discussão de um tema cujo debate é extremamente urgente e importante,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº., DE 2015. (Do Sr. Roberto de Lucena)

PROJETO DE LEI Nº., DE 2015. (Do Sr. Roberto de Lucena) PROJETO DE LEI Nº., DE 2015 (Do Sr. Roberto de Lucena) Altera a Lei nº 11.343 de 23 de agosto de 2006, que institui o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas - Sisnad; prescreve medidas para

Leia mais

Respostas não definitivas em uma sabatina sobre drogas

Respostas não definitivas em uma sabatina sobre drogas Respostas não definitivas em uma sabatina sobre drogas Gerivaldo Neiva * - Professor, mas o senhor não acha que um mundo sem drogas seria melhor para todos? - Definitivamente, não! Um mundo sem drogas

Leia mais

O Dep. Pastor Frankembergem pronuncia o seguinte discurso: Drogas. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados,

O Dep. Pastor Frankembergem pronuncia o seguinte discurso: Drogas. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, 1 O Dep. Pastor Frankembergem pronuncia o seguinte discurso: Drogas Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, A atual posição do Brasil no que se refere ao consumo de drogas ilícitas é assustadora.

Leia mais

Especificações Técnicas. Elaboração da Pesquisa

Especificações Técnicas. Elaboração da Pesquisa Especificações Técnicas Período 28 a 31 de julho de 2011 Abrangência Nacional Universo Eleitores com 16 anos e mais Amostra 2.002 entrevistas em 140 municípios Margem de erro 2 pontos percentuais e grau

Leia mais

Apresentação. Soluções para resolv. Legislação penal. Conclusão

Apresentação. Soluções para resolv. Legislação penal. Conclusão SUMÁRIO Apresentação Introdução Soluções para resolv esolver er a violência e a criminalidade Popularidade de possíveis soluções Políticas sociais x políticas de segurança Redução da maioridade penal Legislação

Leia mais

UMA DEMOCRACIA SITIADA BALANÇO E PERSPECTIVAS DO CONFLITO ARMADO COLOMBIANO

UMA DEMOCRACIA SITIADA BALANÇO E PERSPECTIVAS DO CONFLITO ARMADO COLOMBIANO UMA DEMOCRACIA SITIADA BALANÇO E PERSPECTIVAS DO CONFLITO ARMADO COLOMBIANO RICARDO VÉLEZ RODRÍGUEZ, Coordenador do Centro de Pesquisas Estratégicas PAULINO SOARES DE SOUSA da UFJF. rive2001@gmail.com

Leia mais

ABUSO DO CONSUMO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS, UMA QUESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA. Senhor Presidente,

ABUSO DO CONSUMO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS, UMA QUESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA. Senhor Presidente, Discurso proferido pelo deputado GERALDO RESENDE (PMDB/MS), em sessão no dia 04/05/2011. ABUSO DO CONSUMO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS, UMA QUESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados,

Leia mais

O crack em números: Usuários de crack reunidos no centro de São Paulo em. imagem de janeiro (Foto: Yasuyoshi Chiba/AFP)

O crack em números: Usuários de crack reunidos no centro de São Paulo em. imagem de janeiro (Foto: Yasuyoshi Chiba/AFP) Brasil tem 370 mil usuários regulares de crack nas capitais, aponta Fiocruz Estudo indireto com 25 mil pessoas mediu consumo por 6 meses em 2012. Nordeste lidera lista em números absolutos, e 14% do total

Leia mais

Discurso feito no Grande Expediente da Câmara dos Deputados no dia 28 de outubro

Discurso feito no Grande Expediente da Câmara dos Deputados no dia 28 de outubro Discurso feito no Grande Expediente da Câmara dos Deputados no dia 28 de outubro Venho a essa tribuna para discutir o tema da violência e a sua associação com o comercio ilegal das drogas, duas questões

Leia mais

Brasileira percorre 7 mil quilômetros para contar histórias de refugiados africanos

Brasileira percorre 7 mil quilômetros para contar histórias de refugiados africanos Brasileira percorre 7 mil quilômetros para contar histórias de refugiados africanos por Por Dentro da África - quarta-feira, julho 29, 2015 http://www.pordentrodaafrica.com/cultura/brasileira-percorre-7-mil-quilometros-para-contar-historias-derefugiados-africanos

Leia mais

Índice de mortes no Carnaval é o menor em dez anos

Índice de mortes no Carnaval é o menor em dez anos Índice de mortes no Carnaval é o menor em dez anos Brasília, 14 de fevereiro 2013 A Polícia Rodoviária Federal registrou queda nas estatísticas do Carnaval nos 70 mil quilômetros de rodovias federais brasileiras.

Leia mais

PESQUISA IBOPE / INSTITUTO AVON

PESQUISA IBOPE / INSTITUTO AVON PESQUISA IBOPE / INSTITUTO AVON PERCEPÇÕES E REAÇÕES DA SOCIEDADE SOBRE A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER 2009 PARCERIAS INSTITUTO PATRÍCIA GALVÃO Planejamento e supervisão da pesquisa IBOPE INTELIGÊNCIA Campo

Leia mais

JORGE TASSI Diretor de Projetos em Prevenção à Violência Scienco Gestão de Projetos

JORGE TASSI Diretor de Projetos em Prevenção à Violência Scienco Gestão de Projetos JORGE TASSI Diretor de Projetos em Prevenção à Violência Scienco Gestão de Projetos O uso e abuso de drogas são marcas da História do Homem. Há relatos sobre o uso de drogas por seres humanos desde que

Leia mais

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos!

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! Documento final aprovado por adolescentes dos Estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Mato Grosso,

Leia mais

Campanha de combate e prevenção à Violência Contra a Mulher.

Campanha de combate e prevenção à Violência Contra a Mulher. Campanha de combate e prevenção à Violência Contra a Mulher. Vamos juntos trabalhar em prol da vida! BRASIL É CAMPEÃO DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA NUM RANKING DE 54 PAÍSES fonte: Sociedade Mundial de Vitimologia,

Leia mais

Tema: Criminalidade e Cotidiano. Título: A violência na História do Brasil.

Tema: Criminalidade e Cotidiano. Título: A violência na História do Brasil. Arquivo do Estado de SP O Uso dos Documentos de Arquivo na Sala de Aula Tema: Criminalidade e Cotidiano. Título: A violência na História do Brasil. Mariana Ramos Apolinário 2º semestre 2013 São Paulo SP

Leia mais

TJDFT na mídia. Eles defendem a descriminalização das drogas

TJDFT na mídia. Eles defendem a descriminalização das drogas 1 de 7 24/4/2013 15:16 TJDFT na mídia http://tjdft.myclipp.inf.br Segunda-feira, 22 de Abril de 2013 Revista Isto É/SP Comportamento Seg, 22 de Abril de 2013. 08:43:00. REVISTA ISTO É COMPORTAMENTO TJDFT

Leia mais

Crack, é possível vencer

Crack, é possível vencer Crack, é possível vencer Prevenção Educação, Informação e Capacitação Aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários Autoridade Enfrentamento ao tráfico de drogas e às organizações criminosas

Leia mais

Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas investe R$ 400 milhões em ações de saúde, assistência e repressão ao tráfico

Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas investe R$ 400 milhões em ações de saúde, assistência e repressão ao tráfico Presidência da República Secretaria de Imprensa. Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas investe R$ 400 milhões em ações de saúde, assistência e repressão ao tráfico Em resposta aos desafios

Leia mais

CARTA DA TERRA Adaptação Juvenil

CARTA DA TERRA Adaptação Juvenil CARTA DA TERRA Adaptação Juvenil I TRODUÇÃO Vivemos um tempo muito importante e é nossa responsabilidade preservar a Terra. Todos os povos e todas as culturas do mundo formam uma única e grande família.

Leia mais

Prefeito de São Bernardo do Campo: Hoje tem um show no Cedesc, às 18 horas (incompreensível).

Prefeito de São Bernardo do Campo: Hoje tem um show no Cedesc, às 18 horas (incompreensível). , Luiz Inácio Lula da Silva, durante a inauguração da República Terapêutica e do Consultório de Rua para Dependentes Químicos e outras ações relacionadas ao Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack São

Leia mais

coleção Conversas #6 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça.

coleção Conversas #6 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça. coleção Conversas #6 Eu Posso com a s fazer próprias justiça mãos? Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora AfroReggae nasceu com o desejo

Leia mais

ATUDALIDADES - Conflitos na Atualidade

ATUDALIDADES - Conflitos na Atualidade ATUDALIDADES - Conflitos na Atualidade Origem dos povos ORIENTE MÉDIO: Conflitos árabes-israelenses: 1948 Independência de Israel 1949 Guerras da Independência 1956 Crise de Suez 1964 Criação da OLP` 1967

Leia mais

Drogas e democracia: rumo a uma mudança de paradigma. Declaração da Comissão Latino-Americana sobre Drogas e Democracia

Drogas e democracia: rumo a uma mudança de paradigma. Declaração da Comissão Latino-Americana sobre Drogas e Democracia Drogas e democracia: rumo a uma mudança de paradigma Declaração da Comissão Latino-Americana sobre Drogas e Democracia Secretariado da Comissão: Bernardo Sorj Ilona Szabó de Carvalho Miguel Darcy de Oliveira

Leia mais

Coordenadoria Estadual Antidrogas do Paraná A DESCRIMINALIZAÇÃO DO PORTE DE DROGAS PARA USO.

Coordenadoria Estadual Antidrogas do Paraná A DESCRIMINALIZAÇÃO DO PORTE DE DROGAS PARA USO. A DESCRIMINALIZAÇÃO DO PORTE DE DROGAS PARA USO. A quem interessar possa... SORRIA! VOCE ESTÁ SENDO MANIPULADO! A POLITICA DO PÃO E CIRCO Espero que todos entendam que esse é só o meu ponto de vista. Curitiba,

Leia mais

Apeoesp busca diálogo para melhorar a segurança nas escolas

Apeoesp busca diálogo para melhorar a segurança nas escolas Maria Izabel Azevedo Noronha Apeoesp busca diálogo para melhorar a segurança nas escolas SEGUNDO PESQUISA, VIOLÊNCIA EM ESCOLAS DE SP ATINGE 4 EM 10 PROFESSORES E REVELA QUE MAIS DA METADE CONSIDERA SUA

Leia mais

CLIPPING VIVAVOZ. O governo colombiano apresentará ao Congresso um projeto de lei para descriminalizar a

CLIPPING VIVAVOZ. O governo colombiano apresentará ao Congresso um projeto de lei para descriminalizar a CLIPPING 30/01/2013 CLIPPING VIVAVOZ Fonte: Carta Capital Seção: Página: Data: 30/01/2013 Colômbia propõe descriminalizar dose mínima de drogas sintéticas O governo colombiano apresentará ao Congresso

Leia mais

Dicas aos pais para evitar que seus filhos entrem nas drogas

Dicas aos pais para evitar que seus filhos entrem nas drogas Dicas aos pais para evitar que seus filhos entrem nas drogas Colunista Capitão Marcelo Sançana Comandante da 2ª Companhia da Polícia Militar Segundo estudos científicos, até os dezoito anos de idade, o

Leia mais

O Adolescente e as Drogas

O Adolescente e as Drogas O Adolescente e as Drogas Em Dezembro de 1997 a OMS (Organização Mundial de Saúde), divulgou um relatório sobre as três drogas mais consumidas no mundo: álcool, tabaco e maconha. Esse relatório teve a

Leia mais

CRIMINALIDADE NO BRASIL DIAGNÓSTICO E CUSTOS

CRIMINALIDADE NO BRASIL DIAGNÓSTICO E CUSTOS CRIMINALIDADE NO BRASIL DIAGNÓSTICO E CUSTOS Ministério da Justiça Departamento de Pesquisa, Análise da Informação e Formação de Pessoal em Segurança Pública DIAGNÓSTICO DA CRIMINALIDADE 24 Evolução dos

Leia mais

VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA ou ADOLESCENTE

VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA ou ADOLESCENTE VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA ou ADOLESCENTE Equipe LENAD: Ronaldo Laranjeira Clarice Sandi Madruga IlanaPinsky Maria Carmen Viana Divulgação: Maio de 2014. 1. Porque esse estudo é relevante? Segundo a Subsecretaria

Leia mais

SUBCOMISSÃO PERMANENTE DE SEGURANÇA PÚBLICA Comissão de Constituição e Justiça - SENADO FEDERAL PLANO DE TRABALHO

SUBCOMISSÃO PERMANENTE DE SEGURANÇA PÚBLICA Comissão de Constituição e Justiça - SENADO FEDERAL PLANO DE TRABALHO SUBCOMISSÃO PERMANENTE DE SEGURANÇA PÚBLICA Comissão de Constituição e Justiça - SENADO FEDERAL PLANO DE TRABALHO 1. Contextualização e finalidades A violência, a falta de segurança e o medo da criminalidade

Leia mais

Álcool, Drogas e o Jovem

Álcool, Drogas e o Jovem Álcool, Drogas e o Jovem Sub-Secretaria de Políticas sobre Drogas do Estado de Minas Gerais Amadeu Roselli Cruz Primavera de 2012 1 Jovens e Conflitos com a Família 1. Escola 2. Limpeza do corpo 3. Limpeza

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR SECRETÁRIO DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR SECRETÁRIO DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR SECRETÁRIO DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO FABIANO CONTARATO, brasileiro, solteiro, com 48 anos de idade, Delegado de Polícia Civil e Professor Universitário,

Leia mais

Reforma do Código Penal Pesquisa de opinião pública nacional

Reforma do Código Penal Pesquisa de opinião pública nacional Reforma do Código Penal Pesquisa de opinião pública nacional Outubro / 2012 Pesquisa sobre a reforma do Código Penal O Senado Federal está debatendo o PLS 236/2012, que reforma o Código Penal Brasileiro.

Leia mais

PAPO LEGAL CONVERSANDO COM JOVENS SOBRE PREVENÇÃO AO USO ABUSIVO DE DROGAS

PAPO LEGAL CONVERSANDO COM JOVENS SOBRE PREVENÇÃO AO USO ABUSIVO DE DROGAS PAPO LEGAL CONVERSANDO COM JOVENS SOBRE PREVENÇÃO AO USO ABUSIVO DE DROGAS APRESENTAÇÃO: A Secretaria de Assistência Social e Cidadania (SASC) por meio da Diretoria de Programas sobre Drogas (DPSD) do

Leia mais

Operações Interagências na Faixa de Fronteira e Relações Internacionais

Operações Interagências na Faixa de Fronteira e Relações Internacionais Operações Interagências na Faixa de Fronteira e Relações Internacionais Cláudio Medeiros Leopoldino Coordenador-Geral Adjunto Brasil: 16.886 km de fronteiras terrestres 10 países vizinhos fronteiras plenamente

Leia mais

CLIPPING VIVAVOZ. Fonte: UNIAD Seção: Página: Data: 18/12/2012. Texto fixa regras para a avaliação e acompanhamento da gestão antidrogas

CLIPPING VIVAVOZ. Fonte: UNIAD Seção: Página: Data: 18/12/2012. Texto fixa regras para a avaliação e acompanhamento da gestão antidrogas CLIPPING 18/12/2012 CLIPPING VIVAVOZ Fonte: UNIAD Seção: Página: Data: 18/12/2012 Agência Câmara de Notícias Texto fixa regras para a avaliação e acompanhamento da gestão antidrogas O texto aprovado pela

Leia mais

Clipagem. Sexta-feira, 25 de janeiro de 2013. Veículos clipados: Tribuna do Norte; Tribuna do Norte ; Novo Jornal

Clipagem. Sexta-feira, 25 de janeiro de 2013. Veículos clipados: Tribuna do Norte; Tribuna do Norte ; Novo Jornal Clipagem Veículos clipados: Tribuna do Norte; Tribuna do Norte ; Novo Jornal Sexta-feira, 25 de janeiro de 2013 CADERNO OPINIÃO / COLUNA JORNAL DE WM / PÁG. 02 CADERNO OPINIÃO / COLUNA JORNAL DE WM / PÁG.

Leia mais

João Nerval: Eu sou ladrão, eu não gosto de trabalhar não. Eu sou ladrão.

João Nerval: Eu sou ladrão, eu não gosto de trabalhar não. Eu sou ladrão. Se você pesquisar no site do YouTube, vai encontrar um vídeo incomum, chamado Profissão Ladrão, no qual um repórter entrevista um ladrão confesso de nome João Nerval. O que se percebe de positivo no personagem

Leia mais

Por uma Cultura da Paz Vera Maria Candau

Por uma Cultura da Paz Vera Maria Candau Por uma Cultura da Paz Vera Maria Candau Não é fácil situar-nos diante da questão da paz na atual situação do mundo e do nosso país. Corremos o risco ou de negar a realidade ou de não reconhecer o sentido

Leia mais

SENADO FEDERAL DIGA NÃO ÀS DROGAS SENADOR CLÉSIO ANDRADE

SENADO FEDERAL DIGA NÃO ÀS DROGAS SENADOR CLÉSIO ANDRADE SENADO FEDERAL DIGA NÃO ÀS DROGAS SENADOR CLÉSIO ANDRADE Diga não às drogas apresentação A droga oferece um único caminho: começa pela busca do prazer e da euforia e acaba no inferno para manter o vício.

Leia mais

ツVivo Feliz Sem Drogas. Capa

ツVivo Feliz Sem Drogas. Capa Capa ツVivo Feliz Sem Drogas Projeto ツVivo Feliz Sem Drogas Prevenindo o uso indevido de drogas Capa fim MUNICIPIO DE ITAPEVA SP Secretaria Municipal de Defesa Social Projeto ツVivo Feliz Sem Drogas Prevenindo

Leia mais

Em nome do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime. UNODC quero agradecer ao coordenador residente, sr. Jorge

Em nome do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime. UNODC quero agradecer ao coordenador residente, sr. Jorge Boa tarde! Em nome do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime UNODC quero agradecer ao coordenador residente, sr. Jorge Chediek, e a toda sua equipe, pela oportunidade em participar desse importante

Leia mais

Entrevista com Ignácio Cano 1

Entrevista com Ignácio Cano 1 Entrevista com Ignácio Cano 1 Fundação Heinrich Böll: Ignacio, quais são os impactos da participação de membros das milícias no legislativo para o avanço da democracia em nosso país? Ignácio Cano: O impacto

Leia mais

Políticas Públicas sobre drogas no Brasil. Luciana Cordeiro Aline Godoy

Políticas Públicas sobre drogas no Brasil. Luciana Cordeiro Aline Godoy Políticas Públicas sobre drogas no Brasil Luciana Cordeiro Aline Godoy O que são políticas públicas? Para que servem? Como são elaboradas? Políticas Públicas para quê? Instrumento na organização da sociedade

Leia mais

ALBERTO MARQUES DOS SANTOS Juiz de Direito

ALBERTO MARQUES DOS SANTOS Juiz de Direito ALBERTO MARQUES DOS SANTOS Juiz de Direito CRIMINALIDADE causas e soluções Juruá Editora Curitiba, 2006 CATALOGAÇÃO NA FONTE S237 Santos, Alberto Marques dos. Criminalidade: causas e soluções./ Alberto

Leia mais

Curso de Direito Atividades de aprofundamento acadêmico nº 04 2S2015

Curso de Direito Atividades de aprofundamento acadêmico nº 04 2S2015 Curso de Direito Atividades de aprofundamento acadêmico nº 04 2S2015 Professor responsável: Ricardo Lorenzi Pupin Aluno: Semestre/turma: Disciplina: Geral Tema da atividade: Arrastões nas praias do Rio

Leia mais

O desenvolvimento de qualquer país passa por uma atuação ativa de sua sociedade.

O desenvolvimento de qualquer país passa por uma atuação ativa de sua sociedade. O desenvolvimento de qualquer país passa por uma atuação ativa de sua sociedade. O Estadão criou uma iniciativa para debater e gerar ideias, propostas e soluções que contribuam com o desenvolvimento do

Leia mais

Inúmeras maneiras de expor, de forma crítica e responsável, o que vai pelas cabeças das pessoas quando o assunto são as drogas...

Inúmeras maneiras de expor, de forma crítica e responsável, o que vai pelas cabeças das pessoas quando o assunto são as drogas... CRIAÇÃO E PRODUÇÃO: O PROGRAMA Drogas, prevenir ou remediar? Livros, filmes, novelas, documentários, peças teatrais,... Difícil imaginar de que forma esta questão ainda não foi abordada, sob os mais diversos

Leia mais

Violência homicida. Diferenças regionais

Violência homicida. Diferenças regionais 1 de 6 31/01/2014 23:35 Aumentar a fonte Diminuir a fonte VIOLÊNCIA CORPO NO CHÃO Morto em outubro de 2012, em Itaquera, Zona Leste paulistana: mais uma entre as mais de 40 mil pessoas assassinadas no

Leia mais

Desarmamento e Segurança Pública: Algumas Considerações. Paulo Augusto Souza Teixeira 1

Desarmamento e Segurança Pública: Algumas Considerações. Paulo Augusto Souza Teixeira 1 Desarmamento e Segurança Pública: Algumas Considerações. Paulo Augusto Souza Teixeira 1 O referendo sobre a proibição da comercialização de armas e munições no Brasil tem recebido destaque no noticiário

Leia mais

Notas sobre experiências de Pacificação em favelas do Rio de Janeiro - Brasil.

Notas sobre experiências de Pacificação em favelas do Rio de Janeiro - Brasil. Conferencia Internacional Violencia en Barrios en America Latina Notas sobre experiências de Pacificação em favelas do Rio de Janeiro - Brasil. Lia de Mattos Rocha Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

O Jovem, o Ócio e a Ocupação:

O Jovem, o Ócio e a Ocupação: O Jovem, o Ócio e a Ocupação: Um dado recente editado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostrou o perfil do jovem estudante no Brasil. Trata-se da Pesquisa Nacional de Saúde Escolar

Leia mais

^=`ljfppíl=jrkaf^i=a^=j^`lke^= = `lk`irpîbp=b=ob`ljbka^ Îbp=

^=`ljfppíl=jrkaf^i=a^=j^`lke^= = `lk`irpîbp=b=ob`ljbka^ Îbp= PORTUGUESE ^`ljfppíljrkaf^ia^j^`lke^ `lk`irpîbpbob`ljbka^ Îbp COMISSÁRIOS: ROBIN ROOM BENEDIKT FISCHER WAYNE HALL SIMON LENTON PETER REUTER AMANDA FEILDING `lmvofdeq«qeb_b`hibvclrka^qflkommu qeb_b`hibvclrka^qflk

Leia mais

Família. Escola. Trabalho e vida econômica. Vida Comunitária e Religião

Família. Escola. Trabalho e vida econômica. Vida Comunitária e Religião Família Qual era a profissão dos seus pais? Como eles conciliavam trabalho e família? Como era a vida de vocês: muito apertada, mais ou menos, ou viviam com folga? Fale mais sobre isso. Seus pais estudaram

Leia mais

O PROBLEMA DAS DROGAS NA SOCIEDADE EM QUE VIVEMOS

O PROBLEMA DAS DROGAS NA SOCIEDADE EM QUE VIVEMOS O PROBLEMA DAS DROGAS NA SOCIEDADE EM QUE VIVEMOS O século XX viveu em guerra. Todas os habitantes da Terra sejam da Europa, da Ásia, das Américas, da pobre África sofreram demais até os anos 70; foram

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE O USO DO CRACK E A VIOLÊNCIA URBANA EM SANTA MARIA

A RELAÇÃO ENTRE O USO DO CRACK E A VIOLÊNCIA URBANA EM SANTA MARIA A RELAÇÃO ENTRE O USO DO CRACK E A VIOLÊNCIA URBANA RESUMO EM SANTA MARIA Raisa Crestani Calegaro 1 Carolina Elisa Suptitz 2 O uso do crack tem aumentado cada vez mais no Brasil, principalmente em grandes

Leia mais

As marchas da maconha. Ou... Teus pais são contra, Você não sabe, mas eles conhecem mais do que você pensa.

As marchas da maconha. Ou... Teus pais são contra, Você não sabe, mas eles conhecem mais do que você pensa. As marchas da maconha. Ou... Teus pais são contra, Você não sabe, mas eles conhecem mais do que você pensa. O que mais me espanta nessas marchas para liberação do uso de maconha é o fato de que os seguidores

Leia mais

PANOPTISMO: SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, A CIDADE VIGIADA, NA ÓTICA OFICAL

PANOPTISMO: SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, A CIDADE VIGIADA, NA ÓTICA OFICAL PANOPTISMO: SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, A CIDADE VIGIADA, NA ÓTICA OFICAL MACEDO¹, Diego; ANDRADE¹, Daniel; DÓRIA¹, Vinícius; GASPARETO¹, Darci. Orientador Prof. MSc RIBEIRO¹, Gilson. ¹Universidade do Vale do

Leia mais

RELATÓRIO MUNDIAL SOBRE DROGAS WDR 2010 Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC)

RELATÓRIO MUNDIAL SOBRE DROGAS WDR 2010 Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) RELATÓRIO MUNDIAL SOBRE DROGAS WDR 2010 Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) Referências ao Brasil e ao Cone Sul 1 Cocaína Produção de cocaína A área global de cultivo de coca diminuiu

Leia mais

Mestrado em Comportamentos Desviantes e Ciências Criminais INQUÉRITO AOS COMERCIANTES DA CIDADE DE ELVAS (comércio tradicional)

Mestrado em Comportamentos Desviantes e Ciências Criminais INQUÉRITO AOS COMERCIANTES DA CIDADE DE ELVAS (comércio tradicional) ANEXO 1 INQUÉRITO 1 2 Mestrado em Comportamentos Desviantes e Ciências Criminais INQUÉRITO AOS COMERCIANTES DA CIDADE DE ELVAS (comércio tradicional) 1. Sexo: 3.Habilitações literárias: 1.1 Masc 1.2 Fem

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: SEGURANÇA PÚBLICA OUTUBRO/2011

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: SEGURANÇA PÚBLICA OUTUBRO/2011 RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: SEGURANÇA PÚBLICA OUTUBRO/2011 PESQUISA CNI-IBOPE CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA - CNI Robson Braga de Andrade Presidente Diretoria Executiva - DIREX José Augusto

Leia mais

Segurança de Dados. Relatório de Segurança de Dados, Inteligência de Mercado

Segurança de Dados. Relatório de Segurança de Dados, Inteligência de Mercado Segurança de Dados Segurança de dados e sigilo de informações ainda é um tema longe de ser solucionado no Brasil e no Mundo. A cada novo dispositivo lançado, cada nova transação bancária ou a cada novo

Leia mais

PACOTÃO DE IMPACTO NA MUDANÇA DA CULTURA BRASILEIRA

PACOTÃO DE IMPACTO NA MUDANÇA DA CULTURA BRASILEIRA Ao Exmo. Senador da República CRISTOVAM BUARQUE Brasília, 05 de março de 2007 PACOTÃO DE IMPACTO NA MUDANÇA DA CULTURA BRASILEIRA Quando falamos de planejamento deliberado da cultura, queremos indicar

Leia mais

Guia de Discussão. Como acabar com a. Corrupção? Projeto Democracia Deliberativa e o Papel das Universidades Públicas

Guia de Discussão. Como acabar com a. Corrupção? Projeto Democracia Deliberativa e o Papel das Universidades Públicas Guia de Discussão Como acabar com a Corrupção? Projeto Democracia Deliberativa e o Papel das Universidades Públicas :: Introdução :: Ela está aqui, em toda parte, nos jornais, TV, rádios e tem um efeito

Leia mais

Dez anos após estatuto, mortes por armas param de crescer

Dez anos após estatuto, mortes por armas param de crescer Zero Hora Solução? 14/12/2013 17h01 Dez anos após estatuto, mortes por armas param de crescer Lei que dificulta a compra, o porte e o registro de armamento entrou em vigor em dezembro de 2003 Carlos Ferreira

Leia mais

Eduardo Stranz Mariana Boff Barreto Rosângela Ribeiro Virna Limongi

Eduardo Stranz Mariana Boff Barreto Rosângela Ribeiro Virna Limongi O Crack na Fronteira Brasileira Eduardo Stranz Mariana Boff Barreto Rosângela Ribeiro Virna Limongi Resumo: O Observatório do Crack, projeto elaborado e mantido pela Confederação Nacional de Municípios

Leia mais

Proposta. Projeto Brasileiro. Brasília, outubro de 2012

Proposta. Projeto Brasileiro. Brasília, outubro de 2012 Proposta Projeto Brasileiro Brasília, outubro de 2012 1 - Existe, em seu país, política pública, programa ou estratégia de acesso ao Direito, para a população em condição de vulnerabilidade (grupos vulneráveis)?

Leia mais

Benefício libera 10 mil presos

Benefício libera 10 mil presos Clipping produzido pelo Instituto de Políticas Públicas de Segurança da Fundação Santo André INSEFUSA 10/04/2006 Benefício libera 10 mil presos Jornal da Tarde, 10 de abril de 2006 - As portas das penitenciárias

Leia mais

AVALIAÇÃO DO GOVERNO DESEMPENHO PESSOAL DA PRESIDENTE

AVALIAÇÃO DO GOVERNO DESEMPENHO PESSOAL DA PRESIDENTE Resultados da 128ª Pesquisa CNT/MDA Brasília, 21/07/2015 A 128ª Pesquisa CNT/MDA, realizada de 12 a 16 de julho de 2015 e divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), mostra a avaliação dos

Leia mais

Brasil e América do Sul

Brasil e América do Sul Brasil e América do Sul Brasil Linha do equador Tropico de Capricórnio O Brasil é o quinto país mais extenso e populoso do mundo. É a sétima maior economia mundial. É um país capitalista à apresenta propriedade

Leia mais

Análise do discurso do jornal Brasil de Fato e revista Época sobre os movimentos sociais na Colômbia e no México

Análise do discurso do jornal Brasil de Fato e revista Época sobre os movimentos sociais na Colômbia e no México Análise do discurso do jornal Brasil de Fato e revista Época sobre os movimentos sociais na Colômbia e no México Juliana VALENTINI (Graduanda História) Universidade Estadual do Oeste do Paraná UNIOESTE/

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 20 Discurso na cerimónia "Jovens

Leia mais

MÍDIA E VIOLÊNCIA COMO OS JORNAIS RETRATAM A VIOLÊNCIA E A SEGURANÇA PÚBLICA NA BAIXADA FLUMINENSE. Silvia Ramos

MÍDIA E VIOLÊNCIA COMO OS JORNAIS RETRATAM A VIOLÊNCIA E A SEGURANÇA PÚBLICA NA BAIXADA FLUMINENSE. Silvia Ramos MÍDIA E VIOLÊNCIA COMO OS JORNAIS RETRATAM A VIOLÊNCIA E A SEGURANÇA PÚBLICA NA BAIXADA FLUMINENSE Silvia Ramos A pesquisa mídia e violência O Centro de Estudos de Segurança e Cidadania da Universidade

Leia mais

Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência?

Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência? Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência? Dados preliminares do sistema de informações de mortalidade do Ministério da Saúde de

Leia mais

Objetivo 1. Reduzir a Criminalidade Proposta Responsável/Sugestões Indicador

Objetivo 1. Reduzir a Criminalidade Proposta Responsável/Sugestões Indicador Coordenador: SEGURANÇA Visão: Que Santa Maria tenha os melhores indicadores de Segurança Pública, entre os municípios do Rio Grande do Sul com mais de 100 mil habitantes, garantindo a prevenção e o controle

Leia mais

Jaime Wright por Dom Paulo Evaristo Arns

Jaime Wright por Dom Paulo Evaristo Arns Jaime Wright por Dom Paulo Evaristo Arns "Éramos dois contratados de Deus" JOSÉ MARIA MAYRINK (Jornal do Brasil - 13/6/99) SÃO PAULO - Campeão da defesa dos direitos humanos durante os anos da ditadura

Leia mais

Anais do! V Seminário Nacional Sociologia & Política!

Anais do! V Seminário Nacional Sociologia & Política! Anais do V Seminário Nacional Sociologia & Política 14, 15 e 16 de maio de 2014, Curitiba - PR ISSN: 2175-6880 América Latina: A nova rota do tráfico no século XXI Caroline Cordeiro Viana e Silva 1 Resumo:

Leia mais

Brasil. I. Sumário. II. Situação do país

Brasil. I. Sumário. II. Situação do país Brasil I. Sumário O Brasil é um importante país de trânsito para drogas ilícitas destinadas à Europa e, em extensão muito menor, os Estados Unidos. Um efeito do volume de drogas que transita pelo país

Leia mais

"Uma das coisas que me chocaram foi o fato de ter descoberto que de 80% a 90% das pessoas que usam drogas como o crack ou a heroína não são viciadas"

Uma das coisas que me chocaram foi o fato de ter descoberto que de 80% a 90% das pessoas que usam drogas como o crack ou a heroína não são viciadas Home > Direitos Humanos > "As drogas não são o problema": entrevista com o neurocientista Carl Hart. 15/01/2014 - Copyleft "As drogas não são o problema": entrevista com o neurocientista Carl Hart. "Uma

Leia mais

USUÁRIO CONTA SUA HISTÓRIA

USUÁRIO CONTA SUA HISTÓRIA NOME ESTADO MUNICÍPIO INSTITUIÇÃO GUILHERME SÃO PAULO (SP) GUARUJÁ CENTRO DE DETENÇÃO PROVISÓRIA DE SÃO VICENTE NOME SEXO GUILHERME MASCULINO IDADE 22 25 COR GRAU DE INSTRUÇÃO RELIGIÃO RENDA ESTADO CIVIL

Leia mais

Avaliação da Política sobre Drogas dos Estados Unidos

Avaliação da Política sobre Drogas dos Estados Unidos Avaliação da Política sobre Drogas dos Estados Unidos Peter Reuter University of Maryland Texto de apoio para a Primeira Reunião da Comissão Latinoamericana sobre Drogas e Democracia Rio de Janeiro, 30

Leia mais

Gostaria de ressaltar o papel da mulher como figura estabilizadora da família e, em decorrência, da própria vida social.

Gostaria de ressaltar o papel da mulher como figura estabilizadora da família e, em decorrência, da própria vida social. O deputado Ivo José (PT-MG) profere o seguinte discurso: Senhor Presidente, nobres colegas deputados, demais presentes, ouvintes e telespectadores da Rádio Câmara e da TV Câmara, nesta data especial, em

Leia mais

Viva em paz. com a natureza. Um breve estudo sobre a legislação 29ª SUBSEÇÃO PALHOÇA/SC NÚCLEO PALHOÇA S IL

Viva em paz. com a natureza. Um breve estudo sobre a legislação 29ª SUBSEÇÃO PALHOÇA/SC NÚCLEO PALHOÇA S IL ORDEM DOS ADVOGADO S DO BRA S IL Viva em paz com a natureza Um breve estudo sobre a legislação Realização Apoio 29ª SUBSEÇÃO PALHOÇA/SC NÚCLEO PALHOÇA Breve estudo sobre a legislação A Ordem dos Advogados

Leia mais

CRIMES PRATICADOS PELA INTERNET

CRIMES PRATICADOS PELA INTERNET ESTUDO CRIMES PRATICADOS PELA INTERNET Ribamar Soares Consultor Legislativo da Área II Direito Civil e Processual Civil, Direito Penal e Processual Penal, de Família, do Autor, de Sucessões, Internacional

Leia mais

Como utilizar este caderno

Como utilizar este caderno INTRODUÇÃO O objetivo deste livreto é de ajudar os grupos da Pastoral de Jovens do Meio Popular da cidade e do campo a definir a sua identidade. A consciência de classe, ou seja, a consciência de "quem

Leia mais

COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE)

COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE) COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE) DÉCIMO SEGUNDO PERÍODO ORDINÁRIO DE SESSÕES OEA/Ser.L/X.2.12 7 de março de 2012 CICTE/INF.1/12 Washington, D.C. 7 março 2012 Original: inglês DISCURSO

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL Relatório Analítico PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL PESQUISA SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER DATASENADO SECS PESQUISA SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER Há dois anos, o DataSenado

Leia mais

PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA

PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA 1. Criar o Fórum Metropolitano de Segurança Pública Reunir periodicamente os prefeitos dos 39 municípios da Região Metropolitana de São Paulo para discutir, propor,

Leia mais

PESQUISA MAIORIDADE PENAL

PESQUISA MAIORIDADE PENAL PESQUISA MAIORIDADE PENAL OBJETIVOS Entender o pensamento da população do Rio sobre a redução da maioridade penal; Saber se ela é favorável a mudança das penalidades aplicadas ao menor infrator; Buscar

Leia mais

CONHECIMENTOS BÁSICOS

CONHECIMENTOS BÁSICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens a seguir se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com o

Leia mais

Construção das Políticas Públicas processos, atores e papéis

Construção das Políticas Públicas processos, atores e papéis Construção das Políticas Públicas processos, atores e papéis Agnaldo dos Santos Pesquisador do Observatório dos Direitos do Cidadão/Equipe de Participação Cidadã Apresentação O Observatório dos Direitos

Leia mais

Jornalista: Eu queria que o senhor comentasse (incompreensível)?

Jornalista: Eu queria que o senhor comentasse (incompreensível)? Entrevista concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após cerimônia de apresentação dos resultados das ações governamentais para o setor sucroenergético no período 2003-2010 Ribeirão

Leia mais