Ciências Naturais 5º ano

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ciências Naturais 5º ano"

Transcrição

1 Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Escola E.B.,3 Dr. António Chora Barroso Ciências Naturais 5º ano Planificação a Longo Prazo 013/014 Planificação, finalidades e avaliação Grupo Disciplinar 30

2 METAS DE APRENDIZAGEM As metas de aprendizagem de ciências naturais pretendem traduzir e enunciar as aprendizagens que os alunos devem ser capazes de alcançar e de evidenciar, de forma explícita no º ciclo A construção dos enunciados das seguintes metas teve em conta a caracterização das disciplinas curriculares envolvidas, bem como os princípios organizadores do Currículo Nacional do Ensino Básico Competências Essenciais (ME-DEB, 001) e ainda o programa da respetiva área disciplinar. DOMÍNIO TEMAS METAS FINAIS Terra no Espaço Terra no Sistema Solar Estabelecer relações entre diferentes componentes e ambientes do Planeta e explicitar os seus contributos para a vida e o equilíbrio dinâmico da Terra. Terra em Transformação Sustentabilidade na Terra Viver Melhor na Terra O que existe na Terra Dinâmica da Terra Mudança Global Intervenção com Implicação Materiais Reconhecer e interpretar a diversidade de ambientes, seres vivos, materiais e fenómenos existentes na Terra, alguns deles essenciais para a vida. Reconhecer e justificar que a Terra é o planeta do Sistema Solar que exibe uma dinâmica interna que condicionou o aparecimento de vida; reconhecer ainda que a célula é a unidade estrutural e funcional de toda a biodiversidade existente no planeta. Explicar a dinâmica da Terra com base na multiplicidade de transformações que ocorrem no seu interior e exterior, especialmente na litosfera. Relacionar ocorrências e catástrofes naturais com mudanças no estado do tempo. Reconhecer e divulgar medidas e acções tomadas e a tomar na defesa de ecossistemas. Sistematizar propriedades do solo, do ar e da água, verificadas por via experimental e manipular dispositivos em projectos e investigações. FINALIDADE Sensibilizar para a importância da actividade experimental na elaboração das estruturas conceptuais. Desenvolver uma metodologia experimental na abordagem dos problemas que facilite a compreensão do mundo natural e tecnológico em que vivemos. Consciencializar das relações seres vivos ambiente, nomeadamente no que se refere aos importantes processos da vida.

3 Promover a integração na comunidade no sentido da procura da qualidade de vida e da defesa do consumidor. Contribuir para uma tomada de consciência da responsabilidade individual a nível da saúde, como bem comum. Sensibilizar para a relevância dos novos conhecimentos de biologia na melhoria das condições de vida. METODOLOGIAS DE REFERÊNCIA Partindo do entendimento que o conhecimento é o resultado de um processo de construção que implica o sujeito que o constrói como o principal protagonista, pretende-se valorizar, no processo de ensino e aprendizagem, o ato de aprender conferindo uma maior centralidade ao papel do aluno. Procurar-se-á promover a diferenciação pedagógica adequando estratégias ao processo de aprendizagem dos alunos. Por forma a promover o desenvolvimento das competências essenciais à literacia científica em domínios como o conhecimento, o raciocínio, a comunicação e as atitudes, prevê-se o desenvolvimento, ao longo do ano, dum conjunto de estratégias/atividades diversificadas, nomeadamente: - recolha e seleção de informação; - utilização das tecnologias de informação; - de ideias; - exploração de materiais audiovisuais; - atividades de aprendizagem individual; - atividades de aprendizagem em grupo; - atividades de publicitação da informação. A exploração dos temas deverá ser efetuada numa perspetiva interdisciplinar, sendo a unidade. Ao longo do ano, procurar-se-á uma articulação curricular coerente no trabalho a desenvolver com outras disciplinas. AVALIAÇÃO Entender-se-á a avaliação como um processo regulador das aprendizagens, com efeito positivo na aquisição de conhecimentos e no estímulo ao envolvimento dos alunos, assumindo um fim formativo. Prevê-se deste modo que a diversidade de estratégias seja acompanhada pela diversidade de suportes de avaliação: - teste e atividades de diagnóstico; - testes escritos; - elaboração e apresentação de trabalhos em grupo; - relatório das atividades de publicitação da informação. - intervenções na sala de aula; - atitudes evidenciadas. Conta-se ainda com a participação dos alunos no processo de avaliação (auto e hetero-avaliação). De acordo com o definido em grupo disciplinar aos produtos individuais será atribuído: 60% - 70% trabalho individual; 10% - 15% trabalho teórico prático e/ou carácter experimental e 5%-10% participação na sala de aula. As atitudes/comportamentos terão um peso de 15%, sendo obrigatoriamente avaliados os seguintes itens: É pontual; faz-se acompanhar do material necessário; Cumpre com empenho as tarefas propostas; respeita as regras e as normas básicas estabelecidas. Podem no entanto ser utilizados outros indicadores,

4 definidos em Conselho de Turma. A avaliação sumativa terá ainda em conta os progressos realizados pelos alunos, de acordo com normas do Departamento. ORGANIZAÇÃO TEMPORAL Tema/Conteúdos Metodologias Tempos previstos I - Terra, um Ambiente com Vida Onde existe vida? Avaliação / atividades Período - Primeira abordagem ao conceito de biosfera. - O lugar dos seres vivos. 1 - Diversidade dos seres vivos e suas interações com o meio Diversidade nos animais 0 1º - Variedade de formas e revestimento do corpo. - Funções do revestimento - Como se deslocam? - Como se alimentam? 4 - Como se reproduzem? - Variação dos fatores do meio sua influência no comportamento dos animais - Influência da temperatura, da luz e da humidade nos animais. - Influência do Homem nos seres vivos Diversidade nas plantas - Morfologia das plantas com flor. - Alguns aspectos da morfologia das plantas sem flor. 0. Unidade na diversidade dos seres Vivos.1. Célula unidade na constituição dos seres vivos. º.. Classificação dos seres vivos 3. A água, o ar as rochas e o solo materiais terrestres 3.1. Importância da água para os seres vivos - A água, importante componente dos seres vivos.

5 -A água como solvente. - a qualidade da água. - Distribuição da agua na Natureza. - A água e as actividades humanas. 3.. Importância do ar para os seres vivos - Constituintes do ar. - Importância dos gases atmosféricos. - factores que alteram a qualidade do ar As rochas, o solo e os seres vivos - Rochas frequentes na região. Comparação com outras rochas relativamente a algumas propriedades. - Rochas, minerais e actividades humanas. Alteração das rochas pelos agentes atmosféricos e biológicos. Génese dos solos. - Alguns tipos de solos e suas propriedades. - Conservação dos solos a tecnologia e as suas consequências. 10 3º Totais Nota: As avaliações finais de º e 3º Períodos resultarão da aplicação das seguintes fórmulas: º Período: CF= (40% CF1 + 60% C) / 100 3º Período: CF3 = (60% CF + 40% C3) / 100 Em que : CF1 - Classificação final de 1º Período; CF Classificação final de º Período; CF3 Classificação final de 3º Período; C Classificação resultante do trabalho desenvolvido no º Período C3 Classificação resultante do trabalho desenvolvido no 3º Período Manual Adotado: CSI 5 Ciência sob Investigação Areal editores

Ciências Naturais 6º ano

Ciências Naturais 6º ano Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Escola E.B. 2,3 Dr. António Chora Barroso Ciências Naturais 6º ano Planificação a Longo Prazo 2013/2014 Planificação, finalidades e avaliação Grupo Disciplinar

Leia mais

ESCOLA EB 2,3 DR. ANTÓNIO CHORA BARROSO ANO LETIVO 2013/2014. Planificação a Longo Prazo. Matemática 9º ano

ESCOLA EB 2,3 DR. ANTÓNIO CHORA BARROSO ANO LETIVO 2013/2014. Planificação a Longo Prazo. Matemática 9º ano ESCOLA EB 2,3 DR. ANTÓNIO CHORA BARROSO ANO LETIVO 203/204 Planificação a Longo Prazo Matemática 9º ano Finalidades, avaliação e organização temporal Grupo Disciplinar 500 Departamento de Matemática e

Leia mais

Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Escola E.B. 2,3 Dr. António Chora Barroso. Matemática 6º ano. Planificação a Longo Prazo

Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Escola E.B. 2,3 Dr. António Chora Barroso. Matemática 6º ano. Planificação a Longo Prazo Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Escola E.B. 2,3 Dr. António Chora Barroso Matemática 6º ano Planificação a Longo Prazo 2013/2014 Planificação, finalidades e avaliação Grupo Disciplinar

Leia mais

Planificação Anual de Ciências Naturais 5º ano

Planificação Anual de Ciências Naturais 5º ano Planificação Anual de Ciências Naturais 5º ano 1º Período ( 17 semanas) Ano Lectivo 2012/2013 Apresentação. Regras de trabalho na aula. Ficha diagnóstica. 3 Introdução Onde existe vida? Primeira abordagem

Leia mais

A ÁGUA, O AR, AS ROCHAS E O SOLO MATERIAIS TERRESTRES

A ÁGUA, O AR, AS ROCHAS E O SOLO MATERIAIS TERRESTRES 2º ciclo 5º ano Planificação Anual 2016-2017 CIÊNCIAS NATURAIS CONTEÚDOS E METAS CURRICULARES METAS CURRICULARES ANO DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS A importância das rochas e do solo na 5º ANO 1. A ÁGUA, O AR, AS

Leia mais

Planificação Curricular Anual Ano letivo 2014/2015

Planificação Curricular Anual Ano letivo 2014/2015 Terra, um planeta com vida Sistema Terra: da célula à biodiversidade 1. Compreender as condições próprias da Terra que a tornam o único planeta com vida conhecida no Sistema Solar 1.1. Identificar a posição

Leia mais

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 5ºAno Ano letivo:

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 5ºAno Ano letivo: Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 5ºAno Ano letivo: 2015-16 Período Conteúdos INTRODUÇÃO Onde existe vida? Primeira

Leia mais

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos. Ciências Naturais Planificação anual 5ºAno Ano letivo:

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos. Ciências Naturais Planificação anual 5ºAno Ano letivo: Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 5ºAno Ano letivo: 2016-17 / Nº aulas Conteúdos Metas Aulas previstas A importância

Leia mais

Metas Curriculares. Ensino Básico. Ciências Naturais

Metas Curriculares. Ensino Básico. Ciências Naturais Metas Curriculares Ensino Básico Ciências Naturais 2013 8.º ANO TERRA UM PLANETA COM VIDA Sistema Terra: da célula à biodiversidade 1. Compreender as condições próprias da Terra que a tornam o único planeta

Leia mais

ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010 / 2011 Ciências Naturais 7º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período

ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010 / 2011 Ciências Naturais 7º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010 / 2011 Ciências Naturais 7º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período Objectivos / Competências Compreender que a pertence a um sistema planetário dependente

Leia mais

1.º Período 42 aulas. Tempos lectivos previstos. Materiais Recursos. Temas / Conteúdos Competências Específicas Sugestões Metodológicas

1.º Período 42 aulas. Tempos lectivos previstos. Materiais Recursos. Temas / Conteúdos Competências Específicas Sugestões Metodológicas Agrupamento de Escolas À Beira Douro Escola Básica e Secundária À Beira Douro - Medas 1.º Período 42 aulas Unidade 1 - Vida na Terra Introdução - Onde existe Vida? - Primeira abordagem ao conceito de Biosfera.

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO Ano letivo 2017-2018 Conteúdos Domínios e subdomínios METAS CURRICULARES Objetivos e descritores Estratégias/Atividades Materiais/recursos Modalidades e critérios

Leia mais

DOMÍNIO/SUBDOMÍNIO OBJETIVOS GERAIS DESCRITORES DE DESEMPENHO CONTEÚDOS. 1.1 Indicar três fatores que permitam considerar

DOMÍNIO/SUBDOMÍNIO OBJETIVOS GERAIS DESCRITORES DE DESEMPENHO CONTEÚDOS. 1.1 Indicar três fatores que permitam considerar DISCIPLINA: Ciências Naturais ANO DE ESCOLARIDADE: 5º Ano 2016/2017 METAS CURRICULARES PROGRAMA DOMÍNIO/SUBDOMÍNIO OBJETIVOS GERAIS DESCRITORES DE DESEMPENHO CONTEÚDOS 1º PERÌODO A ÁGUA, O AR, AS ROCHAS

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO Ano letivo 2016-2017 Conteúdos Domínios e subdomínios METAS CURRICULARES Objetivos e descritores Estratégias/Atividades Materiais/recursos Modalidades e critérios

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 CIÊNCIAS NATURAIS (2º ciclo)

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 CIÊNCIAS NATURAIS (2º ciclo) (2º ciclo) 5º ano Compreender a como um planeta especial. Compreender que o solo é um material terrestre de suporte de vida. Compreender a importância das rochas e dos minerais. Compreender a importância

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. Turma: A, B, C, D ANO: 8º ANO LECTIVO 2010/2011 ACTIVIDADES/ ESTRATÉGIAS. Discussão / Debate.

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. Turma: A, B, C, D ANO: 8º ANO LECTIVO 2010/2011 ACTIVIDADES/ ESTRATÉGIAS. Discussão / Debate. ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES 3º C.E.B. DISCIPLINA: Ciências Naturais Turma: A, B, C, D ANO: 8º ANO LECTIVO 2010/2011 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ACTIVIDADES/ ESTRATÉGIAS AULAS

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 8.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 8.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 8.º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO No domínio da Terra - um planeta com vida, o aluno deve ser capaz de: Compreender as condições próprias da Terra que a tornam o único

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 5.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 5.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 5.º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO No domínio da Diversidade de seres vivos e suas interações com o meio, o aluno deve ser capaz de: Interpretar as características dos

Leia mais

CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO ANO LETIVO 2015/2016 PLANO DE ESTUDOS. O aluno, no final do 8.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados:

CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO ANO LETIVO 2015/2016 PLANO DE ESTUDOS. O aluno, no final do 8.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados: PLANO DE ESTUDOS O aluno, no final do 8.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados: 1.º PERÍODO DOMÍNIO SUBDOMÍNIO / CONTEÚDOS 1. Compreender as condições próprias da Terra que a tornam o

Leia mais

CIÊNCIAS DA NATUREZA 2º CICLO. Calendarização /2011

CIÊNCIAS DA NATUREZA 2º CICLO. Calendarização /2011 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AVEIRO ESCOLA BÁSICA DO 2º E 3º CICLOS JOÃO AFONSO CIÊNCIAS DA NATUREZA 2º CICLO Calendarização - 20/2011 Período Data N.º semanas Número de tempos 8 minutos) por ano de escolaridade

Leia mais

ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010 / 2011 Ciências Naturais 8º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período

ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010 / 2011 Ciências Naturais 8º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010 / 2011 Ciências Naturais 8º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período Objectivos / Competências Relembrar quais são os sistemas terrestres Compreender que os

Leia mais

ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES. PROJETO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 5º Ano

ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES. PROJETO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 5º Ano ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES ANO LETIVO 2014 / 2015 PROJETO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 5º Ano DOMÍNIO: A TERRA UM PLANETA ESPECIAL Onde existe vida? O que é a Biosfera? 1 Compreender

Leia mais

DEPARTAMENTO CURRICULAR DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS

DEPARTAMENTO CURRICULAR DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS PLANO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 5.ºANO DE ESCOLARIDADE Ano Letivo 017-018 DOMÍNIOS/ SUBDOMÍNIOS Aulas Previstas (*) 1 A ÁGUA, O AR, AS ROCHAS E O SOLO MATERIAIS TERRESTRES Subdomínio

Leia mais

Domínio: TERRA UM PLANETA COM VIDA

Domínio: TERRA UM PLANETA COM VIDA SISTEMA TERRA: DA CÉLULA À BIODIVERSIDADE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Planificação

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V Informações aos Encarregados de Educação do trabalho a realizar no: 5º Ano Ciências Naturais Ano Letivo 2015/2016 1. Aulas previstas: Aulas (*) 5º1ª 5º2ª 5º3ª 5º4ª 1º Período: 21 de Setembro - 17 de Dezembro

Leia mais

Domínio: TERRA UM PLANETA COM VIDA

Domínio: TERRA UM PLANETA COM VIDA SISTEMA TERRA: DA CÉLULA À BIODIVERSIDADE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Planificação

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO Ano letivo 2014-2015 Conteúdos Domínios e subdomínios TERRA - UM PLANETA COM VIDA SISTEMA TERRA: DA CÉLULA À BIODIVERSIDADE 1. Compreender as condições próprias

Leia mais

Metas de Aprendizagem 1º período (16 de setembro a 17 de dezembro)

Metas de Aprendizagem 1º período (16 de setembro a 17 de dezembro) Pedrógão Grande ESCOLA E B 2,3/S MIGUEL LEITÃO DE ANDRADA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRÓGÃO GRANDE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS e TECNOLOGIAS 2015/2016 PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 5ºANO, 2º

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES ATIVIDADES/ ESTRATÉGIAS

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES ATIVIDADES/ ESTRATÉGIAS ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES 3º C.E.B. DISCIPLINA: Ciências Naturais TURMA: A, B, C, e D ANO: 7º ANO 2011/2012 COMPETÊNCIAS - Identificar o planeta Terra como parte do Universo. - Identificar

Leia mais

1. INTRODUÇÃO. As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e do Programa da disciplina.

1. INTRODUÇÃO. As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e do Programa da disciplina. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PINHEIRO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA MATRIZ EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO 2012 1. INTRODUÇÃO O presente documento visa divulgar as características

Leia mais

Escola Secundária do Padrão da Légua (402412) Disciplina de Biologia do 12º ano de escolaridade

Escola Secundária do Padrão da Légua (402412) Disciplina de Biologia do 12º ano de escolaridade ÁREA DISCIPLINAR DE CTV Disciplina de Biologia do 12º ano de escolaridade Unidade 1 Reprodução Humana e Manipulação da Fertilidade Unidade 2 Património Genético Autoavaliação Unidade 2 Património Genético

Leia mais

Planificação da disciplina de Biologia e Geologia - 10 º Ano Componente de BIOLOGIA

Planificação da disciplina de Biologia e Geologia - 10 º Ano Componente de BIOLOGIA ANO LECTIVO 2011/2012 Departamento Curricular: Matemática e Ciências Experimentais Grupo Disciplinar: Biologia e Geologia Planificação da disciplina de Biologia e Geologia - 10 º Ano Componente de BIOLOGIA

Leia mais

DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 8º Ano

DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 8º Ano DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 8º Ano 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS Promover o pensamento de uma forma criativa e crítica, relacionando evidências e explicações, confrontando diferentes

Leia mais

Escola Secundária de Valongo

Escola Secundária de Valongo Escola Secundária de Valongo PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 7º ANO Ano lectivo 2010/2011 TERRA NO ESPAÇO 1º PERÍODO ESCOLA SECUNDÁRIA DE VALONGO PROPOSTA DE PLANIFICAÇÃO ANO LECTIVO DE 2010/2011 CIÊNCIAS

Leia mais

CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES: CIÊNCIAS NATURAIS - 8º ANO

CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES: CIÊNCIAS NATURAIS - 8º ANO CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES: CIÊNCIAS NATURAIS - 8º ANO Domínios / Subdomínios Objetivos gerais Conteúdos Programáticos Critérios de Avaliação TERRA UM PLANETA COM VIDA. Sistema Terra: da célula

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 8º ANO -Sustentabilidade na Terra-

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 8º ANO -Sustentabilidade na Terra- PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 8º ANO -Sustentabilidade na Terra- Tema / Capítulos Competências/Objectivos Estratégias / Actividades Recursos/ Materiais Avaliação Aulas previstas (45 min) Tema I Ecossistemas

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS ATIVIDADES AVALIAÇÃO

PLANIFICAÇÃO ANUAL COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS ATIVIDADES AVALIAÇÃO PLANIFICAÇÃO ANUAL COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS ATIVIDADES AVALIAÇÃO. Reconhecer e identificar elementos espáciotemporais que se referem a acontecimentos, factos, marcas da história pessoal e familiar, da história

Leia mais

- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA CIÊNCIAS NATURAIS

- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA CIÊNCIAS NATURAIS Informação - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA CIÊNCIAS NATURAIS 2016 Prova 02 Escrita ------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 2.º

Leia mais

Comemoração do Ano do Morcego no 5.º ano

Comemoração do Ano do Morcego no 5.º ano SLIDE 1.1 Comemoração do Ano do Morcego no 5.º ano Comemoração do Ano do Morcego no 5.º ano Atividade que visou: Comemorar o Ano Internacional do Morcego; Conhecer os morcegos e seu habitat; Promover a

Leia mais

Curso Vocacional 2º ciclo Planificação Anual

Curso Vocacional 2º ciclo Planificação Anual Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Curso Vocacional 2º ciclo Planificação Anual 2015-2016 CIÊNCIAS NATURAIS METAS

Leia mais

Planificação da disciplina de Biologia e Geologia - 10 º Ano Componente de GEOLOGIA

Planificação da disciplina de Biologia e Geologia - 10 º Ano Componente de GEOLOGIA ANO LECTIVO 2011/2012 Departamento Curricular: Matemática e Ciências Experimentais Grupo Disciplinar: Biologia e Geologia Planificação da disciplina de Biologia e Geologia - º Ano Componente de GEOLOGIA

Leia mais

Informação Prova de equivalência à frequência

Informação Prova de equivalência à frequência Informação Prova de equivalência à frequência 2.º Ciclo do Ensino Básico 1ª e 2ª fases Ano Letivo 2013/2014 Disciplina: Ciências Naturais Duração: 90 minutos Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho 1-

Leia mais

Critérios gerais de avaliação

Critérios gerais de avaliação Critérios gerais de avaliação ÍNDICE Introdução 3 A A avaliação na educação pré-escolar 3 1 Intervenientes 3 2 Modalidades da avaliação 3 3 Critérios de avaliação 3 4 Ponderação 4 B A avaliação no ensino

Leia mais

Critérios Específicos de Avaliação Ano letivo de 2012/2013

Critérios Específicos de Avaliação Ano letivo de 2012/2013 Departamento de Expressões e Representação Ano Letivo 2012/2013 Disciplina de Modelação e Animação 3D - 11º e 12º ano Critérios Específicos de Avaliação Ano letivo de 2012/2013 1. Introdução à disciplina

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 2016/2017 A AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 1 INTRODUÇÃO Enquadramento Normativo Avaliar o processo e os efeitos, implica

Leia mais

GRUPO DISICPLINAR 520 CIÊNCIAS NATURAIS PLANIFICAÇÃO ANO: 8º ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/10. Nº horas (45`)

GRUPO DISICPLINAR 520 CIÊNCIAS NATURAIS PLANIFICAÇÃO ANO: 8º ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/10. Nº horas (45`) ANO: 8º ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/10 TERRA EM TRANSFORMAÇÃO DINÂMICA INTERNA DA TERRA - Ocorrência de falhas e dobras CONSEQUÊNCIAS DA DINÂMICA INTERNA DA TERRA - Actividade vulcânica; riscos e benefícios

Leia mais

Domínios Conteúdos Objetivos Cotação

Domínios Conteúdos Objetivos Cotação Agrupamento de Escolas de Samora Correia INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA CIÊNCIAS NATURAIS 2016 Prova 02 2ºCiclo do Ensino Básico - 6º ano (Decreto-Lei n.º 17/2016 de 4 de abril e Despacho

Leia mais

DEPARTAMENTO CURRICULAR: MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS

DEPARTAMENTO CURRICULAR: MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS DEPARTAMENTO CURRICULAR: MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar e certificador dos conhecimentos adquiridos e capacidades

Leia mais

CESAR Serviço Educativo Municipal de Paredes

CESAR Serviço Educativo Municipal de Paredes CESAR Serviço Educativo Municipal de Paredes Centro de Educação e Sensibilização Ambiental e Rural Percurso pela história e pela natureza Planificação Guia da Atividade 1.º ciclo Duração: 1 dia Descrição:»

Leia mais

Rota de Aprendizagem 2015/16 8.º Ano

Rota de Aprendizagem 2015/16 8.º Ano Projeto 1 Condições que permitem a vida na Terra Ciências Naturais Compreender o ambiente! Tempo Previsto: 1 quinzena 1.ª Fase: Posição da Terra no Sistema Solar 2.ª Fase: Condições da Terra que permitem

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO ANO LETIVO 2017-2018 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO Agrupamento de Escolas José Maria dos Santos Departamento do 1º ciclo CRITÉRIOS de AVALIAÇÃO 1º CICLO Enquadramento A avaliação interna das aprendizagens

Leia mais

Novo Descobrir a Terra 7 Terra no espaço Terra em transformação - Areal Editores

Novo Descobrir a Terra 7 Terra no espaço Terra em transformação - Areal Editores Agrupamento de Escolas Guilherme Stephens - Marinha Grande Ano Lectivo 2010-2011 1- Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente 1.1-Ciência Produto da actividade humana 1.2-A Ciência e Conhecimento do Universo

Leia mais

C R I T É R I O S E C O M P E T Ê N C I A S

C R I T É R I O S E C O M P E T Ê N C I A S D E P A R T A M E N T O DE C I Ê N C I A S F Í S I C A S E N A T U R A I S EB 1, 2, 3 / J I D E A N G R A D O H E R O Í S M O DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS C R I T É R I O S E C O M P E T Ê N C I A S

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 7.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 7.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS 7.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No domínio da Terra em transformação o aluno deve ser capaz de: Compreender a diversidade das paisagens geológicas (meta 1); Compreender

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO (Aprovados em Conselho Pedagógico, 21 outubro de 2014) CIÊNCIAS NATURAIS 7º ano de escolaridade

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO (Aprovados em Conselho Pedagógico, 21 outubro de 2014) CIÊNCIAS NATURAIS 7º ano de escolaridade CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO (Aprovados em Conselho Pedagógico, 21 outubro de 2014) CIÊNCIAS NATURAIS 7º ano de escolaridade A TERRA EM TRANSFORMAÇÃO Dinâmica Externa da Terra Paisagens geológicas

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 7.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 7.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 7.º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO No domínio da Terra em transformação o aluno deve ser capaz de: Compreender a diversidade das paisagens geológicas (meta 1); Compreender

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação para o Ensino Secundário

Critérios Gerais de Avaliação para o Ensino Secundário Escola Secundária de Felgueiras 2014/2015 Critérios Gerais de Avaliação para o Ensino Secundário (Decreto-Lei 139/2012, de 5 de julho, e Portaria 243/2012, de 10 de agosto) O processo de avaliação de alunos

Leia mais

Dispositivo de Avaliação - Oficina Gráfica e Design Gráfico Ano letivo 2015/16 Ensino Secundário Curso Profissional de Técnico de Design Gráfico

Dispositivo de Avaliação - Oficina Gráfica e Design Gráfico Ano letivo 2015/16 Ensino Secundário Curso Profissional de Técnico de Design Gráfico Dispositivo de Avaliação - Oficina Gráfica e Design Gráfico Ano letivo 2015/16 Ensino Secundário Curso Profissional de Técnico de Design Gráfico 1. Critérios de avaliação AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS 1.

Leia mais

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO BÁSICO

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO BÁSICO 1. INTRODUÇÃO CIÊNCIAS DA NATUREZA - 2º CICLO (PROVA 02) O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência à frequência do ensino básico, a realizar em 2015 pelos alunos que

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Moura Escola Básica nº 1 de Moura (EB23) Ano letivo 2014/2015

Agrupamento de Escolas de Moura Escola Básica nº 1 de Moura (EB23) Ano letivo 2014/2015 CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO Turmas A e B PLANIFICAÇÃO 1º PERÍODO CONTEÚDOS OBJECTIVOS/METASCURRICULARES CONCEITOS TERRA UM PLANETA COM - Compreender as condições próprias da Terra que a tornam o único planeta

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO JOÃO DO ESTORIL Departamento 1º Ciclo

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO JOÃO DO ESTORIL Departamento 1º Ciclo AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO JOÃO DO ESTORIL Departamento 1º Ciclo ELEMENTOS DE AVALIAÇÃO Serão tidos em consideração os elementos de avaliação a seguir enumerados, essenciais para o desenvolvimento do

Leia mais

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Ciências Naturais / CEF COZINHA -2º ano Planificação a Longo Prazo 2012-2013

Leia mais

Educar para a Cidadania Contributo da Geografia Escolar

Educar para a Cidadania Contributo da Geografia Escolar Iª JORNADAS IGOT DOS PROFESSORES DE GEOGRAFIA Educar para a Cidadania Contributo da Geografia Escolar Maria Helena Esteves 7 de Setembro de 2013 Apresentação O que é a Educação para a Cidadania Educação

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO Direção de Serviços da Região Norte AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES ANO LETIVO 2014 / 2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO CRITÉRIOS GERAIS Na avaliação dos alunos intervêm todos os professores envolvidos,

Leia mais

Programa de Estudo do Meio / Ciências da Natureza 3º ano

Programa de Estudo do Meio / Ciências da Natureza 3º ano Programa de Estudo do Meio / Ciências da Natureza 3º ano Introdução: Todas as crianças possuem um conjunto de experiências e saberes que foram acumulando ao longo da sua vida, no contacto com o meio que

Leia mais

Escola Básica Integrada de Angra do Heroísmo. 1º Ciclo do Ensino Básico

Escola Básica Integrada de Angra do Heroísmo. 1º Ciclo do Ensino Básico Escola Básica Integrada de Angra do Heroísmo 1º Ciclo do Ensino Básico Ano lectivo 2009/2010 1 I. Introdução De acordo com a legislação em vigor (Portaria 72/2006 de 24 de Agosto), a avaliação deverá incidir

Leia mais

Critérios gerais de avaliação

Critérios gerais de avaliação Critérios gerais de avaliação Ano letivo 204-205 ESCOLA LUÍS MADUREIRA PRÍNCIPIOS QUE REGULAM A AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS A avaliação tem uma vertente contínua e sistemática e fornece ao professor, ao

Leia mais

Planificação Anual GR Disciplina Ciências Naturais 7ºAno

Planificação Anual GR Disciplina Ciências Naturais 7ºAno Período letivo 1º Competências Definir paleontologia. Apresentar uma definição de fóssil. Explicar os diversos processos de fossilização, recorrendo a actividades práticas. Relacionar a formação de fósseis

Leia mais

Critérios de avaliação. Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*)

Critérios de avaliação. Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*) Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*) Componentes do currículo Áreas disciplinares de frequência obrigatória: Português Matemática Estudo do Meio Expressões: Artísticas e Físico-Motoras. Apoio

Leia mais

Ensino básico-3ºciclo

Ensino básico-3ºciclo Ensino básico-3ºciclo Objectivos pedagógicos Compreensão de que a dinâmica dos ecossistemas resulta de uma interdependência entre seres vivos, materiais e processos. Compreensão de que o funcionamento

Leia mais

Ano Lectivo 2006/2007 3º Ciclo 7º Ano

Ano Lectivo 2006/2007 3º Ciclo 7º Ano AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Planificação DISCIPLINA DE GEOGRAFIA Ano Lectivo 2006/2007 3º Ciclo 7º Ano Unidade Didáctica Conteúdos Competências Específicas Avaliação A TERRA

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ANADIA Critérios Gerais de Avaliação 1º Ciclo do Ensino Básico 2011/2012. Critérios Gerais de Avaliação 1º CEB

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ANADIA Critérios Gerais de Avaliação 1º Ciclo do Ensino Básico 2011/2012. Critérios Gerais de Avaliação 1º CEB Critérios Gerais de Avaliação 1º CEB 0 Introdução No Ensino Básico A avaliação constitui um processo regulador das aprendizagens, orientador do percurso escolar e certificador das diversas aquisições realizadas

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS BE e a MUDANÇA A ORGANIZACIONAL: Papel do CREM/BE no desenvolvimento curricular.

AVALIAÇÃO DAS BE e a MUDANÇA A ORGANIZACIONAL: Papel do CREM/BE no desenvolvimento curricular. O MODELO DE AUTO-AVALIA AVALIAÇÃO DAS BE e a MUDANÇA A ORGANIZACIONAL: Papel do CREM/BE no desenvolvimento curricular. ESRDL/CREM CREM/Carlos Carlos Carvalho 1 Interacção Sociedade-Escola Escola-NTI Vivemos

Leia mais

2- Competências a Desenvolver

2- Competências a Desenvolver ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE TURISMO 1º ANO - ANO LETIVO 2014/15 PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA: TURISMO-INFORMAÇÃO E ANIMAÇÃO TURÍSTICA Componente de Formação Técnica 1- Elenco

Leia mais

Programa de Oportunidade II de Ciências da Natureza 2011/2012

Programa de Oportunidade II de Ciências da Natureza 2011/2012 1º Período 0. Introdução ao novo ano lectivo: - As regras de trabalho na disciplina; - Como deve comportar-se e agir na sala de aula; - A que grupo de trabalho pertence e qual será o seu representante;

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. JOSÉ DOMINGUES DOS SANTOS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. JOSÉ DOMINGUES DOS SANTOS CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO A avaliação enquanto elemento integrante da prática letiva deve basear-se na seleção de objetivos e competências definidas por disciplina e ano curricular que, orientarão

Leia mais

Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo

Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo A avaliação, como parte integrante do processo de ensino/ aprendizagem, deverá ter em conta: Os programas e as metas curriculares em vigor para o 1º ciclo;

Leia mais

Domínios/Subdomínio de aulas. de aulas. Terra em Transformação

Domínios/Subdomínio de aulas. de aulas. Terra em Transformação Código 4039 750-90 - Sines Ano letivo: 06/07 Departamento:Matemática e Ciências Experimentais Grupo disciplinar: 50 Disciplina: Ciências Naturais Docentes: Abílio Ferreira, Ana Diniz e Irene Serrão Manual

Leia mais

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Cursos Científico-Humanísticos Ano Letivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL SOCIOLOGIA (12º ano) Página 1 de 6 Competências Gerais Desenvolver a consciência dos direitos e

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O ( A d a p t a d a ) 5º Ano

P L A N I F I C A Ç Ã O ( A d a p t a d a ) 5º Ano D E P A R T A M E N T O DE C I Ê N C I A S F Í S I C A S E N A T U R A I S EB 1, 2, 3 / J I D E A N G R A D O H E R O Í S M O P L A N I F I C A Ç Ã O ( A d a p t a d a ) º Ano A N O L E C T I V O D E 2

Leia mais

Informação-Exame de Equivalência à disciplina de: Ciências da Natureza

Informação-Exame de Equivalência à disciplina de: Ciências da Natureza Informação-Exame de Equivalência à disciplina de: Ciências da Natureza 2º Ciclo do Ensino Básico Ano letivo de 2011/12 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame

Leia mais

Ano lectivo 2010 / 2011 Conteúdos programáticos essenciais

Ano lectivo 2010 / 2011 Conteúdos programáticos essenciais Ano de escolaridade: 7º ano Área curricular disciplinar de Ciências Naturais A Terra no Espaço Terra - Um Planeta com Vida. - Condições que permitem a existência de vida. - A Terra como um Sistema. Ciência,

Leia mais

ANEXO II RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS DOCENTES DO IPS

ANEXO II RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS DOCENTES DO IPS ANEXO II RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS DOCENTES DO IPS Identificação do avaliado Nome Categoria profissional actual Anos de serviço no ensino superior Anos de serviço na Unidade Orgânica

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS JOSÉ MARIA DOS SANTOS DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO /2016

ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS JOSÉ MARIA DOS SANTOS DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO /2016 MATEMÁTICA 2º CICLO Domínios / Capacidades transversais Descritores Instrumentos de avaliação Exprime-se oralmente com correção e clareza, usando termos da Testes de avaliação 45 % Números e Operações

Leia mais

ESCOLA EB2,3 PADRE ANTÓNIO LUÍS MOREIRA

ESCOLA EB2,3 PADRE ANTÓNIO LUÍS MOREIRA ESCOLA EB2,3 PADRE ANTÓNIO LUÍS MOREIRA METAS CURRICULARES DE CIÊNCIAS NATURAIS 5º ANO DOMÍNIO: A ÁGUA, O AR, AS ROCHAS E O SOLO MATERIAIS TERRESTRES Subdomínio:A importância das rochas e do solo na manutenção

Leia mais

Departamento Matemática e Ciências Experimentais. Ano 10º Ano letivo Disciplina Biologia e Geologia Professores: Célia Fernandes

Departamento Matemática e Ciências Experimentais. Ano 10º Ano letivo Disciplina Biologia e Geologia Professores: Célia Fernandes Modelo Dep-01 Planificação Anual Agrupamento de Escolas do Castêlo da Maia Departamento Matemática e Ciências Experimentais Ano 10º Ano letivo 2013.2014 Disciplina Biologia e Geologia Turmas A e B Professores:

Leia mais

A contextualização curricular e os exames nacionais de Matemática

A contextualização curricular e os exames nacionais de Matemática Seminário Internacional Projeto Contextualizar o Saber para a Melhoria dos Resultados dos Alunos (PTDC/CPE-CED/113768/2009 ) A contextualização curricular e os exames nacionais de Matemática L U R D E

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 7º ANO

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 7º ANO PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 7º ANO Ano letivo 2017-2018 Conteúdos Domínios e subdomínios METAS CURRICULARES Objetivos e descritores Estratégias/Atividades Materiais/recursos Modalidades e critérios

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 7º ANO

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 7º ANO PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 7º ANO Ano letivo 2016-2017 Conteúdos Domínios e subdomínios METAS CURRICULARES Objetivos e descritores Estratégias/Atividades Materiais/recursos Modalidades e critérios

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL. Documento(s) Orientador(es): Programa de Geografia A

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL. Documento(s) Orientador(es): Programa de Geografia A AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa de Geografia A ENSINO SECUNDÁRIO GEOGRAFIA 10ºANO TEMAS/DOMÍNIOS CONTEÚDOS OBJETIVOS

Leia mais

Critérios de Avaliação Jardim de Infância

Critérios de Avaliação Jardim de Infância CASA DE INFÂNCIA DE SANTO ANTÓNIO Departamento Curricular de Creche e Jardim de Infância Critérios de Avaliação Jardim de Infância Horta 2016/2017 2 Critérios de Avaliação Jardim de Infância A avaliação

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA/3 DA RAINHA SANTA ISABEL

ESCOLA SECUNDÁRIA/3 DA RAINHA SANTA ISABEL ESCOLA SECUNDÁRIA/3 DA RAINHA SANTA ISABEL 402643 Planificação Anual de Ciências Naturais 7º ano 2016-2017 Professoras : Catarina Coimbra /Manuela Pomar DOMÍNIOS/SUBDOMÍNIOS CONTEÚDOS OBJETIVOS/DESCRITORES

Leia mais

Amizade, Verdade e Exigência.

Amizade, Verdade e Exigência. COLÉGIO de SÃO MIGUEL - FÁTIMA Amizade, Verdade e Exigência. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - 2º Ciclo 2010/2011 ( ) Não me prendas as mãos não faças delas instrumento dócil de inspirações que ainda não vivi Deixa-me

Leia mais

CENFORMAZ. Centro de Formação da Associação de Escolas do Mar ao Zêzere. (2.ª Proposta de Trabalho 3.ª e 4.ª Sessões: 21 de Novembro e 5 de Dezembro)

CENFORMAZ. Centro de Formação da Associação de Escolas do Mar ao Zêzere. (2.ª Proposta de Trabalho 3.ª e 4.ª Sessões: 21 de Novembro e 5 de Dezembro) CENFORMAZ Centro de Formação da Associação de Escolas do Mar ao Zêzere (2.ª Proposta de Trabalho 3.ª e 4.ª Sessões: 21 de Novembro e 5 de Dezembro) Formandos: Carla Franco Nuno Santos Raquel Ferreira Ricardo

Leia mais

José Augusto Ferreira Araújo

José Augusto Ferreira Araújo CONSELHO PEDAGÓGICO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DO APROVEITAMENTO ESCOLAR DOS ALUNOS DO ENSINO REGULAR E PROFISSIONAL 2012/13 I ENSINO SECUNDÁRIO Os critérios gerais da avaliação sumativa, aos quais

Leia mais

2.º Ciclo do Ensino Básico (Despacho normativo n.º 1-G/2016, de 6 de abril)

2.º Ciclo do Ensino Básico (Despacho normativo n.º 1-G/2016, de 6 de abril) INFORMAÇÃO-PROVA CIÊNCIAS NATURAIS 2ºciclo 2016 Prova: Código 02 2.º Ciclo do Ensino Básico (Despacho normativo n.º 1-G/2016, de 6 de abril) O presente documento divulga informação relativa à prova de

Leia mais

CURSO CIENTÍFICO HUMANÍSTICO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS Planificação anual de Biologia e Geologia - 10ºano 2016/2017

CURSO CIENTÍFICO HUMANÍSTICO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS Planificação anual de Biologia e Geologia - 10ºano 2016/2017 Agrupamento de Escolas Júlio Dantas 1515 2016/2017 Turmas B e C. Professor (es): Fernando Ribeiro e Maria Nazaré Quitéria. 1 - Estrutura e Finalidades da disciplina A disciplina de Biologia e Geologia

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ANEXO II AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO. Identificação do avaliado

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ANEXO II AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO. Identificação do avaliado ANEXO II AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO Identificação do avaliado Nome Categoria profissional actual Anos de serviço no ensino superior Anos de serviço na Unidade

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência Agrupamento de Escolas de ANTÓNIO NOBRE. DISCIPLINA: Ciências Naturais CÓDIGO DA PROVA: 02

Informação Prova de Equivalência à Frequência Agrupamento de Escolas de ANTÓNIO NOBRE. DISCIPLINA: Ciências Naturais CÓDIGO DA PROVA: 02 DISCIPLINA: Ciências Naturais CÓDIGO DA PROVA: 02 CICLO: 2º ANO DE ESCOLARIDADE: 6º 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame de equivalência à frequência da

Leia mais

Avaliação de Desempenho Docente

Avaliação de Desempenho Docente Dicas para a elaboração de um Portefólio Avaliação de Desempenho Docente O PORTEFÓLIO deve conter um registo das reflexões e das práticas e deve estar devidamente documentado. 13-04-2008 1 Deve conter:

Leia mais