built build to FORMAS SISTEMAS TREPANTES CONTRA-TERRA APLICAÇÕES ESPECIAIS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "built build to FORMAS SISTEMAS TREPANTES CONTRA-TERRA APLICAÇÕES ESPECIAIS"

Transcrição

1 uilt build to FORMAS

2

3 FORMAS SISTEMAS TREPANTES CONTRA-TERRA APLICAÇÕES ESPECIAIS

4

5 Empresa Projetos Produtos sistemas trepantes SUPORTES DE PLATAFORMA TREPANTES para concretagem em alturas elevadas, sem o auxilio de andaimes de serviço. Podem ser combinadas com todos os sistemas de forma, Minimag, P300, magnum, Svelt e Maximix. São plataformas de trabalho que podem prosseguir nas etapas de armação e concretagem superiores, apoiando-se no próprio concreto executado na etapa anterior. Desta forma, as etapas de concretagem podem ser executadas em fases consecutivas, de 3 a 4 metros, sem limites de altura total. Por segurança, o sistema contém plataforma inferior de segurança, conforme as normas vigentes. Cada módulo completo (3,0 m de largura) só pode ser desformado, içado e instalado com utilização de grua. A plataforma trepante vem equipada com piso, parapeitos de segurança e roda-pé. Formas verticais Esquema plataforma trepante para muros, Utilizáveis com todas as formas Pilosio. 315

6 Formas_Sistemas trepantes 316

7 Empresa Projetos Produtos Sistema TREPANTE e contra-terra para concretagens de uma só face. Com este sistema, os ciclos de concretagem previstos são de 2 m de altura por etapa. As plataformas trepantes também foram projetadas para estruturas inclinadas. Formas verticais 317

8 3000 Formas_contra-terra kN kN kN 42kN kN kN

9 Empresa Projetos Produtos contra-terra Para a execução de concretagem de uma só face, a Pilosio oferece uma série de suportes contra-terra, ue podem ser combinados com todos os seus sistemas de forma: Minimag, P300, Magnum, Svelt e Maximix. Sua gama permite realizar concretagens de uma só face de 3 até 7,5 m de altura. Para alturas superiores a 7,5 m podem ser empregados suportes de sustentação e contra-terra em etapas de 2 metros por ciclo, até atingir o topo. - TL250 para uma altura máxima de 3,0 m. - TR300 + TS150 para concretagem com altura máxima de 4,5 m. - TIS300 + TR300 para concretagem com altura máxima de 6 m. - TIS300 + TR300 + TS150 para concretagem com altura máxima de 7,5 m. Formas verticais kN kN kN 160kN kN 211kN kN 211kN 160kN kN kN kN kN 332kN kN 332kN 240kN 332kN 319

10 Formas_Aplicações especiais Aplicações especiais formas ESPECIAIS PARA concretagem DE ESTRUTURAS VERTICAIS Para exigências especiais como, por exemplo, pilares com formas específias, os sistemas standard P300, Minimag ou Magnum podem ser combinados com formas especiais projetadas ad hoc. Em casos particulares, podem ser projetadas e realizadas formas totalmente especiais. O departamento técnico elabora a solução mais adequada e os componentes são totalmente realizados no interior do setor de carpintaria Pilosio. Pilares circulares e de quaisquer outros formatos. Pilastras mediante projeto específico. Transições de pontes. 320 Baxcom - Bucharest România Aplicações de formas modulares estruturadas, combinadas com elementos especiais de carpintaria, para a execução de pilares e blocos de fundação para viadutos.

11 Empresa Projetos Produtos 321

12 Formas_Aplicações especiais FORMAS REGULÁVEIS PARA ESCADAS PRÉ-FABRICADAS NO CANTEIRO Em complexos de grande porte, as escadas representam um componente que se repetem identicamente em todos os andares. Antecipandose a concretagem dos lances, algumas semanas em relação à execução das lajes, é possível produzir as escadas à medida que a obra progride. A Pilosio desenvolveu uma fôrma especial para a concretagem de lances de escada, pré-fabricados no canteiro em paralelo com outras fases do trabalho. uma rampa na fase inicial da obra que é lançada durante as outras fases de trabalho. Deste modo, as escadas podem estar imediatamente à disposição no momento de ser instaladas. Forma para lance de escada com espelho e pisada fixos. Concretagem na vertical. Forma regulável para a execução, na horizontal, de lances de escadas com espelho, pisada, quantidade de degraus e largura ajustáveis e com dois patamares. A forma é composta por uma estrutura principal, na qual são dispostos os degraus, complementados com dispositivos para o ajuste das pisadas e espelhos, por meio de parafuso. É possível reduzir a quantidade de degraus e a largura da peça. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Espelho: altura de 14 a 18 cm Pisada: de 27 a 33 cm Quantidade de espelhos: de 4 a 16 Largura da escada: de 90 a 300 cm Espessura concreto: de 10 a 20 cm Patamar: n. 2, comprimento 150 cm, com parafusos para regulagem da inclinação Dimensões da forma: 870x335 cm, altura 150 cm Forma regulável para lances de escadas. 322

13 Empresa Projetos Produtos execução de tubulações de esgotos e drenos Para reduzir custos na execução de sistemas de drenagem de quaisquer perfis, a Pilosio desenvolveu um sistema para a concretagem in situ. O sistema pode ser mecânico ou hidráulico e se baseia num princípio simples. A forma, dotada de dobradiças, apóia-se sobre um carrinho. Feita a concretagem de uma seção, afrouxando-se um parafuso, a forma se contrai e se abaixa simultaneamente permitindo a sua completa translação avante, para a concretagem seguinte. A seção transversal da tubulação pode ser: ovóide, policêntrico, de estilo vigentino, retangular, quadrado, circular. Nas tubulações policêntricas, de estilo vigentino e ovóides, a desforma pode ser diária, já que o seu perfil trabalha em arco. Como forma externa pode-se utilizar o painel vertical de formas para valas DOWN, tendo-se o cuidado de intercalar uma folha de poliestireno e uma de PVC entre o concreto e o painel de contenção, para a fim de facilitar a desforma. Forma especial, dotada de dobradiças, com dimensões 220x200 cm e 6 m de comprimento por módulo, para a concretagem simultânea das paredes verticais e da cobertura da galeria. Na operação de desforma, as dobradiças permitem reduzir a seção interior de formas, aproximando as partes verticais e abaixando a parte superior, para se poder trasladar toda a estrutura para o próximo segmento, por meio de um carrinho sobre rodas. Formas verticais segunda fase do concretagem primeira fase do concretagem detalhe contenção frente e marca sobre o concretagem desmoldagem 323

built build to FORMAS P300

built build to FORMAS P300 uilt build to FORMAS P300 FORMAS P300 Empresa Projetos Produtos P300 Sistema universal de formas modular, para a execução de estruturas verticais de concreto, apto para qualquer tipo de construção. Os

Leia mais

built build to ANDAIMES MP

built build to ANDAIMES MP uilt build to ANDAIMES ANDAIMES MP Andaime_Multidirecional MP 150 Empresa Projetos Produtos Andaimes e coberturas ANDAIME Multidirecional MP O sistema multidirecional MP é a solução moderna que reflete

Leia mais

ESPETÁCULO. Palcos 462 Torres de áudio/luz e de direção 464 Arquibancadas 472 Tribunas 474 Coberturas 482. Espetáculo

ESPETÁCULO. Palcos 462 Torres de áudio/luz e de direção 464 Arquibancadas 472 Tribunas 474 Coberturas 482. Espetáculo uilt tbuild tbespetáculo ESPETÁCULO Palcos 462 Torres de áudio/luz e de direção 464 Arquibancadas 472 Tribunas 474 Coberturas 482 Espetáculo Espetáculo_PALCOS 460 Empresa Projetos Produtos ESPETÁCULO

Leia mais

built build to LAJES ESTRUTURAS DE SOPORTE

built build to LAJES ESTRUTURAS DE SOPORTE uilt build to LAJES LAJES ESTRUTURAS DE SUPORTE Lajes_estruturas de suporte prumos 390 Empresa Projetos Produtos escoras A Pilosio oferece uma completa gama de escoras de aço e alumínio para atender a

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO GABINETE DO MINISTRO. PORTARIA N.º DE 09 DE DEZEMBRO DE 2013 (DOU de 11/12/2013 Seção I Pág.

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO GABINETE DO MINISTRO. PORTARIA N.º DE 09 DE DEZEMBRO DE 2013 (DOU de 11/12/2013 Seção I Pág. MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA N.º 1.896 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2013 (DOU de 11/12/2013 Seção I Pág. 153) Altera a Norma Regulamentadora n.º 31. O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO

Leia mais

ES013 - Exemplo de um Projeto Completo de Edifício de Concreto Armado. Prof. Túlio Bittencourt. Aula Escadas

ES013 - Exemplo de um Projeto Completo de Edifício de Concreto Armado. Prof. Túlio Bittencourt. Aula Escadas Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Estruturas e Fundações ES013 - Exemplo de um Projeto Completo de Edifício de Concreto Armado Prof. Túlio Bittencourt Aula 11

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO PORTARIA N. 1.893, DE 9 DE DEZEMBRO DE 2013 Altera a Norma Regulamentadora n. 12 O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO,no uso das atribuições que lhe conferem o inciso

Leia mais

As escadas são elementos estruturais que servem para unir, através degraus sucessivos, os diferentes níveis de uma construção.

As escadas são elementos estruturais que servem para unir, através degraus sucessivos, os diferentes níveis de uma construção. 6 Escadas 6.1 Introdução As escadas são elementos estruturais que servem para unir, através degraus sucessivos, os diferentes níveis de uma construção. 6. Terminologia dos Elementos Constituintes A linha

Leia mais

4. DIMENSIONAMENTO DE ESCADAS EM CONCRETO ARMADO

4. DIMENSIONAMENTO DE ESCADAS EM CONCRETO ARMADO 4. DIMENSIONAMENTO DE ESCADAS EM CONCRETO ARMADO 4.1 Escada com vãos paralelos O tipo mais usual de escada em concreto armado tem como elemento resistente uma laje armada em uma só direção (longitudinalmente),

Leia mais

ESCADAS VERTICAIS ACESSO

ESCADAS VERTICAIS ACESSO ESCADAS VERTICAIS ACESSO NORMA: 4 CONFORME AS NORMAS E > 0001 ESCADA DE ACESSO Equipamentos Acesso Profissionais Aplicação em Edifícios (Manutenção) Escadas até 10,0 m - Sem

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS Formas metálicas para produção de pré-fabricados de concreto

CATÁLOGO DE PRODUTOS Formas metálicas para produção de pré-fabricados de concreto CATÁLOGO DE PRODUTOS Formas metálicas para produção de pré-fabricados de concreto EMPRESA 2 EMPRESA POLÍTICA DA QUALIDADE Fundada em 2014, a Formatec Tecnologia em Formas Metálicas está Instalada no município

Leia mais

built build to LAJES SLABFORM

built build to LAJES SLABFORM uilt build to LAJES LAJES SLABFORM Empresa Projetos Produtos SLABFORM Sistema modular de formas de alumínio para a concretagem in loco de lajes de concreto maciço ou leve. O SlabForm é um sistema de

Leia mais

built build to ANDAIMES SE

built build to ANDAIMES SE uilt build to ANDAIMES ANDAIMES SE Andaime_Pré fabricado SE 132 Empresa Projetos Produtos Andaimes e coberturas ANDAIME PRÉ FABRICADO SE ANDAIME PRÉ FABRICADO Siguro O andaime pré fabricado SE foi projetado

Leia mais

AULA 5 DESENHANDO ESCADAS E RAMPAS. Livro Didático - DA2 Pag 71 a 77

AULA 5 DESENHANDO ESCADAS E RAMPAS. Livro Didático - DA2 Pag 71 a 77 AULA 5 DESENHANDO ESCADAS E RAMPAS Livro Didático - DA2 Pag 71 a 77 ESCADA Referência desenho: Material didático - aula escada. Autor desconhecido. Representação de projetos de arquitetura NBR- 6492: REPRESENTAÇÃO

Leia mais

Apoio a Obras de Engenharia

Apoio a Obras de Engenharia ESTRUTURAS DE ENGENHARIA Apoio a Obras de Engenharia AS DIFERENTES SOLUÇÕES PARA OBRAS DE ENGENHARIA COMPLEXAS FORNECIDAS PELAS ESTRUTURAS SHORFLEX, POSSIBILITAM A FLEXIBILIDADE E O PROFISSIONALISMO PARA

Leia mais

Normativas Gerais da NR-18

Normativas Gerais da NR-18 Normativas Gerais da NR-18 18.12 - ESCADAS, RAMPAS E PASSARELAS 2 ESCADAS, RAMPAS E PASSARELAS - A transposição de pisos com diferença de nível superior a 40cm deve ser feita por meio de escadas ou rampas.

Leia mais

built build to ANDAIMES COBERTURAS

built build to ANDAIMES COBERTURAS uilt build to ANDAIMES ANDAIMES COBERTURAS Andaime_coberturas 178 Empresa Projetos Produtos Andaimes e coberturas COBERTURAS T74 Building Sistema de coberturas modulares temporárias de duas águas, feitas

Leia mais

DESENHO DE ARQUITETURA - PROJETO ARQUITETÔNICO

DESENHO DE ARQUITETURA - PROJETO ARQUITETÔNICO DESENHO DE ARQUITETURA - PROJETO ARQUITETÔNICO O projeto arquitetônico faz parte do conjunto de estudos, desenhos e especificações que definem uma edificação. Além da parte de arquitetura, a edificação

Leia mais

PROCESSO Nº. 811/2017 EDITAL FPTI BR Nº. 108/2017

PROCESSO Nº. 811/2017 EDITAL FPTI BR Nº. 108/2017 ESCLARECIMENTO 04 Data do Questionamento: 31/10/2017 01 01 02 02 03 03 04 04 05 No subitem 36.1 do edital está previsto reajuste contratual por meio do IGP- M/FGV, enquanto que na Minuta de Contrato Anexo

Leia mais

E-Book Projetos de Andaimes

E-Book Projetos de Andaimes 2016 E-Book Projetos de Andaimes TIPOS DE ANDAIMES TIPOS DE FIXAÇÃO DE POSTE COM BRAÇADEIRA SOLUÇÕES PARA ESTABILIDADE DO ANDAIME Tipos de Andaimes 1) Andaimes Padrão Torres Simples - (isoladas) São andaimes

Leia mais

TENSÃO NORMAL e TENSÃO DE CISALHAMENTO

TENSÃO NORMAL e TENSÃO DE CISALHAMENTO TENSÃO NORMAL e TENSÃO DE CISALHAMENTO 1) Determinar a tensão normal média de compressão da figura abaixo entre: a) o bloco de madeira de seção 100mm x 120mm e a base de concreto. b) a base de concreto

Leia mais

Escoramento com CIMBRAS

Escoramento com CIMBRAS Escoramento com CIMBRAS Construa um futuro mais limpo! O uso de ESCORAS METÁLICAS substitui a utilização de MADEIRA, evitando o corte de ÁRVORES! Escoramento Rápido O Escoramento Rápido é um novo conceito

Leia mais

SISTEMA DE FÔRMA COM REFIL PARA EXECUÇÃO DE LAJE NERVURADA (SISTEMA PATENTEADO)

SISTEMA DE FÔRMA COM REFIL PARA EXECUÇÃO DE LAJE NERVURADA (SISTEMA PATENTEADO) SISTEMA DE FÔRMA COM REFIL PARA EXECUÇÃO DE LAJE NERVURADA 1. INTRUDUÇÃO (SISTEMA PATENTEADO) A presente invenção é um sistema de fôrma utilizada para execução de laje nervurada montada sobre tablado ou

Leia mais

Universidade Federal de Itajubá Instituto de Recursos Naturais. Cálculo Estrutural EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO. Profa.

Universidade Federal de Itajubá Instituto de Recursos Naturais. Cálculo Estrutural EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO. Profa. Universidade Federal de Itajubá Instituto de Recursos Naturais Cálculo Estrutural EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO Profa. Nívea Pons Objetivo: Projeto e dimensionamento de estruturas estáticas ou dinâmicas

Leia mais

ESCADAS USUAIS DOS EDIFÍCIOS

ESCADAS USUAIS DOS EDIFÍCIOS Volume 4 Capítulo 3 ESCDS USUIS DOS EDIFÍCIOS Prof. José Milton de raújo - FURG 1 3.1- INTRODUÇÃO patamar lance a b c d e Formas usuais das escadas dos edifícios Prof. José Milton de raújo - FURG armada

Leia mais

CIRCULAÇÃO VERTICAL. Escadas e Rampas Fabrícia Mitiko Ikuta e Verônica de Freitas

CIRCULAÇÃO VERTICAL. Escadas e Rampas Fabrícia Mitiko Ikuta e Verônica de Freitas CIRCULAÇÃO VERTICAL Escadas e Rampas Fabrícia Mitiko Ikuta e Verônica de Freitas CIRCULAÇÃO VERTICAL - ORIGENS A concentração de construções nas grandes cidades criou a exigência de um aproveitamento cada

Leia mais

Caderno de Estruturas em Alvenaria e Concreto Simples

Caderno de Estruturas em Alvenaria e Concreto Simples Caderno de Estruturas em Alvenaria e Concreto Simples CONTEÚDO CAPÍTULO 1 - RESISTÊNCIA DO MATERIAL 1.1. Introdução 1.2. Definição: função e importância das argamassas 1.3. Classificação das alvenarias

Leia mais

ROTEIRO BÁSICO PARA VISTORIA

ROTEIRO BÁSICO PARA VISTORIA M I N I S T É R I O P Ú B L I C O F E D E R A L PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DE SÃO PAULO PROCURADORIAS DA REPÚBLICA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Ações implementadas para a obtenção da acessibilidade

Leia mais

LAJES PRÉ-MOLDADAS. GRADUAÇÃO Florestal AULA. Prof. Adriano Wagner Ballarin Prof. Marco Antonio Martin Biaggioni. Construções Rurais

LAJES PRÉ-MOLDADAS. GRADUAÇÃO Florestal AULA. Prof. Adriano Wagner Ballarin Prof. Marco Antonio Martin Biaggioni. Construções Rurais LAJES PRÉ-MOLDADAS Prof. Adriano Wagner Ballarin Prof. Marco Antonio Martin Biaggioni GRADUAÇÃO Florestal AULA 10 Aula 10b Lajes pré-moldadas 1 1. Definições São estruturas de concreto armado ou mistas,

Leia mais

built build to ALUMÍNIO PLA

built build to ALUMÍNIO PLA uilt build to ALUMÍNIO ALUMÍNIO PLA Andaimes para fachadas P.L.A. 186 Empresa Projetos Produtos Andaime para manutenção e restauro O andaime pré fabricado P.L.A. para fachada é o sistema mais adequado

Leia mais

MT DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM. Norma Rodoviária DNER-PRO 176/94 Procedimento Página 1 de 23

MT DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM. Norma Rodoviária DNER-PRO 176/94 Procedimento Página 1 de 23 Procedimento Página 1 de 23 RESUMO Este documento, que é uma norma técnica, fixa as condições que devem ser obedecidas no projeto e na execução de barreiras de segurança. ABSTRACT This document presents

Leia mais

MTB E OUTRAS COMBINAÇÕES

MTB E OUTRAS COMBINAÇÕES MTB E OUTRAS OMBNAÇÕES Andaimes Alumínio Económicos Andaimes Alumínio Telescópicos Andaimes Alumínio Semi-Profis. Andaimes Alumínio Profissionais Bases Modulares Escolha Produtos Normalizados. Os nossos

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Módulo 6 NR 08

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Módulo 6 NR 08 Curso Técnico Segurança do Trabalho Normas Regulamentadoras Normas Regulamentadoras Módulo 6 NR 08 Norma Regulamentadoras 8 (Edificações) Esta Norma Regulamentadora -NR estabelece requisitos técnicos mínimos

Leia mais

DESENHO ARQUITETÔNICO PROFESSORA MATEUS ARRUDA SUMARA QUERINO

DESENHO ARQUITETÔNICO PROFESSORA MATEUS ARRUDA SUMARA QUERINO DESENHO ARQUITETÔNICO PROFESSORA MATEUS ARRUDA SUMARA QUERINO CIRCULAÇÃO VERTICAL A circulação vertical tem função de vencer os desníveis, possibilitando o livre acesso e circulação entre estes. ESCADAS

Leia mais

PARTE 1. 1) Calcule a soma dos catetos do triângulo retângulo da figura, sabendo que AB = 10 e 4 cosx 5

PARTE 1. 1) Calcule a soma dos catetos do triângulo retângulo da figura, sabendo que AB = 10 e 4 cosx 5 ENSINO FUNDAMENTAL 9º ano LISTA DE EXERCÍCIOS PT 3º TRIM PROF. MARCELO DISCIPLINA : MATEMÁTICA PARTE 1 1) Calcule a soma dos catetos do triângulo retângulo da figura, sabendo que AB = 10 e 4 cosx 5 ) Para

Leia mais

TRIÂNGULO RETÂNGULO ENSINO MÉDIO 2ª SÉRIE LISTA DE EXERCÍCIOS PP 1º TRIM

TRIÂNGULO RETÂNGULO ENSINO MÉDIO 2ª SÉRIE LISTA DE EXERCÍCIOS PP 1º TRIM ENSINO MÉDIO 2ª SÉRIE LISTA DE EXERCÍCIOS PP 1º TRIM PROF. MARCELO DISCIPLINA : MATEMÁTICA TRIÂNGULO RETÂNGULO 1. Em parques infantis, é comum encontrar um brinquedo, chamado escorrego, constituído de

Leia mais

APRESENTAÇÃO. crom.ind.br

APRESENTAÇÃO. crom.ind.br APRESENTAÇÃO Presente no mercado de construções de Fôrmas Metálicas para Fabricação de peças em concreto pré-moldado desde 2011, desenvolvendo moldes e equipamentos especiais, isto nos motivou a fundar

Leia mais

Lista de exercícios 02 Aluno (a): Turma: 9º ano (Ensino fundamental) Professor: Flávio. Disciplina: Matemática

Lista de exercícios 02 Aluno (a): Turma: 9º ano (Ensino fundamental) Professor: Flávio. Disciplina: Matemática Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: É fundamental a apresentação de uma lista legível, limpa e organizada. Rasuras podem invalidar a lista. Nas questões que

Leia mais

Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para se resolver e entregar. ii. Ler os enunciados com atenção.

Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para se resolver e entregar. ii. Ler os enunciados com atenção. Lista 12: Rotação de corpos rígidos NOME: Turma: Prof. : Matrícula: Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para se resolver e entregar. ii. Ler os enunciados com atenção. iii. Responder

Leia mais

PROJETO ARQUITETÔNICO

PROJETO ARQUITETÔNICO PROJETO ARQUITETÔNICO CEG218 Desenho arquitetônico I Prof. Márcio Carboni UFPR - DEGRAF - CEG218 DESENHO ARQUITETÔNICO I - Prof. Márcio Carboni 1 ORGANIZAÇÃO DA AULA Etapas de projeto arquitetônico Elementos

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MARABÁ-PMM SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA-SEAGRI

PREFEITURA MUNICIPAL DE MARABÁ-PMM SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA-SEAGRI PREFEITURA MUNICIPAL DE MARABÁ-PMM SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA-SEAGRI PROJETO: CONSTRUÇÃO DE VIVEIRO DE PRODUÇÃO DE MUDAS DA SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA DE MARABÁ Secretaria de Agricultura

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL SERVIÇOS

ALVENARIA ESTRUTURAL SERVIÇOS Alvenaria Ministério Estruturalda Educação Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Marcação da Alvenaria: Construção Civil II ( TC-025) Verificação do esquadro e nível do pavimento; Traçado

Leia mais

Rampas. Fabrícia Mitiko Ikuta e Verônica de Freitas

Rampas. Fabrícia Mitiko Ikuta e Verônica de Freitas Rampas Fabrícia Mitiko Ikuta e Verônica de Freitas RAMPAS: conceito De acordo com a Pontifícia Universidade Católica (2009), as rampas, diferentemente das escadas, podem se constituir meios de circulação

Leia mais

Anexo I - Tabela de Tolerâncias Dimensionais e de Montagem de Elementos Pré-Fabricados

Anexo I - Tabela de Tolerâncias Dimensionais e de Montagem de Elementos Pré-Fabricados Identificação: A1.N2 Revisão: 04 Folha: 1 / 5 Função do Elemento Painéis Arquitetônicos (item b1 do requisito Pilares, Vigas, Pórticos, Terças e Escadas (itens b2, b3 e b4 do requisito Lajes Armadas ou

Leia mais

TENSÃO NORMAL e TENSÃO DE CISALHAMENTO

TENSÃO NORMAL e TENSÃO DE CISALHAMENTO TENSÃO NORMAL e TENSÃO DE CISALHAMENTO 1) Determinar a tensão normal média de compressão da figura abaixo entre: a) o bloco de madeira de seção 100mm x 120mm e a base de concreto. b) a base de concreto

Leia mais

CASAS COM PAREDES DE CONCRETO

CASAS COM PAREDES DE CONCRETO PAREDES DE CONCRETO CASAS COM PAREDES DE CONCRETO 2 PRÉDIOS 5 PAVTS. MCMV 3 25 PAVTS. CONCRETANDO 17ª LAJE TIPO 4 SELEÇAO DO PROCESSO CONSTRUTIVO OBJETIVOS: QUALIDADE DA OBRA FLUXO DE CAIXA POSITIVO RESULTADO

Leia mais

ESTRUTURAS DE FUNDAÇÕES RASAS

ESTRUTURAS DE FUNDAÇÕES RASAS Universidade Federal de Ouro Preto - Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil CIV620-Construções de Concreto Armado ESTRUTURAS DE FUNDAÇÕES RASAS Profa. Rovadávia Aline Jesus Ribas Ouro Preto,

Leia mais

Rampas. Fabrícia Mitiko Ikuta e Verônica de Freitas

Rampas. Fabrícia Mitiko Ikuta e Verônica de Freitas Rampas Fabrícia Mitiko Ikuta e Verônica de Freitas RAMPAS: CONCEITO De acordo com a Pontifícia Universidade Católica (2009), as rampas, diferentemente das escadas, podem se constituir meios de circulação

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO CASA DE MADEIRA

MEMORIAL DESCRITIVO CASA DE MADEIRA 1 MEMORIAL DESCRITIVO CASA DE MADEIRA 1 - Base: 1.1 - Fundação: 1.1.1 - Brocas com diâmetro mínimo de 20 cm em concreto estrutural, executadas manualmente, com profundidade média de até 3,00 m. 1.1.2 -

Leia mais

Universidade Católica de Goiás - Departamento de Engenharia Estruturas de Concreto Armado I - Notas de Aula

Universidade Católica de Goiás - Departamento de Engenharia Estruturas de Concreto Armado I - Notas de Aula conteúdo 2 lajes 2.1 Classificação das lajes Como o cálculo das lajes tem por base a Teoria das Grelhas, para melhor entender sua classificação, vamos analisar primeiro como se realiza a transferência

Leia mais

PROJETO DE ESCADAS. As escadas são compostas dos seguintes elementos

PROJETO DE ESCADAS. As escadas são compostas dos seguintes elementos Escadas Cálculo de Escadas! Amigos, o cálculo de escadas gera muitas dúvidas em todos os profissionais. Entretanto, a partir do momento que entende-se o procedimento de cálculo fica muito fácil e você

Leia mais

Instalações Hidráulicas/Sanitárias Água Pluvial

Instalações Hidráulicas/Sanitárias Água Pluvial Instalações Hidráulicas/Sanitárias Água Pluvial INTRODUÇÃO A água da chuva causa danos: à durabilidade das construções; à boa aparência das construções. A água de chuva deve ser coletada e transportada

Leia mais

Projeto Arquitetônico Conceitos e elementos. Curso técnico em Eletroeletrônica

Projeto Arquitetônico Conceitos e elementos. Curso técnico em Eletroeletrônica Projeto Arquitetônico Conceitos e elementos Curso técnico em Eletroeletrônica PROJETO LEGAL PROJETO LEGAL É aquele dirigido à aprovação junto aos órgãos competentes: Projeto arquitetônico na Prefeitura

Leia mais

Catálogo de Equipamentos

Catálogo de Equipamentos Catálogo de Equipamentos para Assessibilidade Aquática Plataformas Cubos Escadas Rampas Acessórios para acesso à piscina CEPP COMÉRCIO E ELABORAÇÃO DE PROTÓTIPOS E PRODUTOS ESPORTIVOS LTDA * ACTUALSPORTS

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 9º ano 4º bim

LISTA DE EXERCÍCIOS 9º ano 4º bim LISTA DE EXERCÍCIOS 9º ano 4º bim Prof. Marcelo, Sandra, Rafael e Tammy PARTE 1 SISTEMAS DO 2º GRAU Resolva os seguintes sistemas RESPOSTAS: 1) {(,4),(4,)} 2) {(-,-2),(-2,-)} ) {(,1),(-2,-/2)} 4) {(2,-1),(-/2,-4/)}

Leia mais

Memorial Descritivo BUEIROS CELULARES DE CONCRETO. 01 BUEIRO triplo na RS715 com 3,00m X 2,50m X 16m, cada célula, no km 0 + 188,5m.

Memorial Descritivo BUEIROS CELULARES DE CONCRETO. 01 BUEIRO triplo na RS715 com 3,00m X 2,50m X 16m, cada célula, no km 0 + 188,5m. Memorial Descritivo BUEIROS CELULARES DE CONCRETO OBRAS / LOCALIZAÇÃO 01 BUEIRO triplo na RS715 com 3,00m X 2,50m X 16m, cada célula, no km 0 + 188,5m. 01 BUEIRO triplo na RS 715 com 3,00m X 2,00m X 19m,

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM EM MURO MISTO DE SOLO REFORÇADO E SOLO GRAMPEADO NA BASE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS SP

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM EM MURO MISTO DE SOLO REFORÇADO E SOLO GRAMPEADO NA BASE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS SP UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM EM MURO MISTO DE SOLO REFORÇADO E SOLO GRAMPEADO NA BASE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS SP Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim PERÍODO 2005 Revisado ABRIL 2011 - Departamento

Leia mais

NR 18. Segurança na Construção Civil

NR 18. Segurança na Construção Civil NR 18 Segurança na Construção Civil Tópicos da NR 18 Objetivo e Campo de Aplicação Comunicação Prévia Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção - PCMAT Áreas de Vivência

Leia mais

Augusto Guimarães Pedreira de Freitas. Pedreira Engenharia. Residencial Luzes do Farol

Augusto Guimarães Pedreira de Freitas. Pedreira Engenharia. Residencial Luzes do Farol Projetista: Empresa: Obra: Gustavo Braceiro Barlati Augusto Guimarães Pedreira de Freitas Pedreira Engenharia Residencial Luzes do Farol Residencial Luzes do Farol Projeto Estrutural de edifício residencial

Leia mais

Fichas Técnicas de Produto. Linha Duraline

Fichas Técnicas de Produto. Linha Duraline Fichas Técnicas de Produto Estante Dupla Face Base Aberta 10 prateleiras 2M Imagem de Referência Descritivo Técnico Completo Estante face dupla totalmente confeccionada em chapas de aço de baixo teor de

Leia mais

ARRUMAÇÃO CARROS ...8 MODULOS ACESSÓRIOS BAÚS

ARRUMAÇÃO CARROS ...8 MODULOS ACESSÓRIOS BAÚS ...8 CARROS MODULOS...2...3 MÓVEIS OFICINA ACESSÓRIOS...4...6 CARRINHOS DE OFICINA BAÚS...7...7 CAIXAS DE FERRAMENTAS...9 COMPOSIÇÃO MULTI-FERRAMENTAS 7 CARROS CARRO DE 6 GAVETAS - 3 MÓDULOS POR GAVETA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO - DEMAT 3 a Lista de Exercícios

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO - DEMAT 3 a Lista de Exercícios UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO - DEMAT 3 a Lista de Exercícios 1. Um triângulo isósceles tem base medindo 8cm e lados iguais com medidas de 5cm. Qual é a área do triângulo? 2. Em um triângulo retângulo,

Leia mais

Pré-dimensionamento das fôrmas dos elementos de concreto

Pré-dimensionamento das fôrmas dos elementos de concreto Pré-dimensionamento das fôrmas dos elementos de concreto China International Trust&Investment Plaza CITIC - Sky Central Plaza - 1997 Guangzhou/China (391m/322m) Referência: Introdução à concepção estrutural

Leia mais

Lista de exercícios 04

Lista de exercícios 04 Lista de exercícios 04 Aluno (a) : Série: 9º ano (Ensino fundamental) Professor: Flávio Disciplina: Matemática No Anhanguera você é + Enem Observações: Data da entrega: 29/05/2015. A lista deverá apresentar

Leia mais

Extrusora evo Máquinas Produtos

Extrusora evo Máquinas Produtos NORDIMPIANTI P R O D U C T S APPLICATIONS T U R N K E Y S E R V I C E G L O B A L Extrusora evo Máquinas Produtos Tecnologia para a indústria de concreto pré-fabricado e protendido MÁQUINAS EXTRUSORA evo

Leia mais

Fig. 2.1 Dimensões de um bloco

Fig. 2.1 Dimensões de um bloco CAPÍTULO 2 PRINCIPAIS ASPECTOS QUANTO À MODULAÇÃO 2.1. Conceitos Básicos Chama-se de bloco, ou unidade, o componente básico da alvenaria. Um bloco será sempre definido por três dimensões principais: comprimento,

Leia mais

Soluções Construtivas

Soluções Construtivas Soluções Construtivas A Pashal Líder em seu segmento há mais de anos, a PASHAL oferece soluções para os maiores desafios em andaimes, formas e escoramentos em edificações, infraestruturas, indústrias,

Leia mais

built build to CONTENÇÕES DOWN COM GUIAS DUPLAS

built build to CONTENÇÕES DOWN COM GUIAS DUPLAS uilt build to CONTENÇÕES CONTENÇÕES DOWN COM GUIAS DUPLAS Contenções_DOWN com guia duplas 452 CARACTERÍSTICAS DOWN com GUIAS DUPLAS Painel básico 315x230 cm (739 kg), 415x230 cm (942 kg). Painéis complemento

Leia mais

Sistema vertical de transporte Tecnologia das construções Profª Bárbara Silvéria

Sistema vertical de transporte Tecnologia das construções Profª Bárbara Silvéria Sistema vertical de transporte Tecnologia das construções Profª Bárbara Silvéria As escadas servem para unir, por degraus sucessivos, os diferentes níveis de uma construção. Para isso deveremos seguir

Leia mais

MUNICÍPIO DE PALOTINA Rua Aldir Pedron, 898 Centro, Palotina Estado do Paraná CNPJ: / CEP:

MUNICÍPIO DE PALOTINA Rua Aldir Pedron, 898 Centro, Palotina Estado do Paraná CNPJ: / CEP: MUNICÍPIO DE PALOTINA Rua Aldir Pedron, 898 Centro, Palotina Estado do Paraná CNPJ: 76.208.487/0001-64 CEP: 85950-000 RETIFICAÇÃO NO EDITAL REFERENTE AO PREGÃO 169/2014 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA

Leia mais

Elementos Componentes da Mesoestrutura

Elementos Componentes da Mesoestrutura UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIENCIAS EXATAS E TECNOLOGICAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: ESTRUTURAS DE PONTES Elementos Componentes da Mesoestrutura

Leia mais

built build to LAJES ST100

built build to LAJES ST100 uilt build to LAJES LAJES ST100 Lajes_mesa st110 382 Empresa Projetos Produtos mesa ST110 Mesa para lajes de grande superfície, ideal para a execução em fases repetidas, de lajes de grandes dimensões

Leia mais

ENG1200 Mecânica Geral Semestre Lista de Exercícios 6 Corpos Submersos

ENG1200 Mecânica Geral Semestre Lista de Exercícios 6 Corpos Submersos ENG1200 Mecânica Geral Semestre 2013.2 Lista de Exercícios 6 Corpos Submersos 1 Prova P3 2013.1 - O corpo submerso da figura abaixo tem 1m de comprimento perpendicularmente ao plano do papel e é formado

Leia mais

Prof. Dr. Claudius Barbosa

Prof. Dr. Claudius Barbosa Prof. Dr. Claudius Barbosa 1 2 3 LAJE NERVURADA COGUMELO VIGA CURVA (VIGA BALCÃO) LAJE EM BALANÇO LAJE MACIÇA 4 COBERTURA PAVIMENTO TIPO 5 COBERTURA PAVIMENTO TIPO 6 7 ESCADAS RESERVATÓRIO 8 FUNDAÇÕES

Leia mais

Elementos de Engenharia Civil 2009/2010. Enunciados dos problemas *

Elementos de Engenharia Civil 2009/2010. Enunciados dos problemas * DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL E ARQUITECTURA SECÇÁO DE HIDRÁULICA E RECURSOS HÍDRICOS E AMBIENTAIS Elementos de Engenharia Civil 2009/2010 2 SEMESTRE Enunciados dos problemas * (módulo de Hidráulica)

Leia mais

elementos estruturais

elementos estruturais conteúdo 1 elementos estruturais 1.1 Definição As estruturas podem ser idealizadas como a composição de elementos estruturais básicos, classificados e definidos de acordo com a sua forma geométrica e a

Leia mais

Disciplina: Matemática Data da entrega: 31/03/2015.

Disciplina: Matemática Data da entrega: 31/03/2015. Lista de Exercícios - 02 Aluno (a): Nº. Professor: Flávio Série: 9º ano. Disciplina: Matemática Data da entrega: 31/03/2015. Observação: A lista deverá apresentar capa, enunciados e as respectivas resoluções

Leia mais

Módulo (Entre eixos de montantes) = 900, 1000, 1200 (ou conforme projeto)

Módulo (Entre eixos de montantes) = 900, 1000, 1200 (ou conforme projeto) DIVISORIA PISO-TECHO Características Técnicas: Espessura nominal = 90mm Pé Direito máximo = 3000mm (ou conforme projeto) Módulo (Entre eixos de montantes) = 900, 1000, 1200 (ou conforme projeto) Medidas

Leia mais

Escadas. Profa Dra Sandra Martins

Escadas. Profa Dra Sandra Martins Escadas Profa Dra Sandra Martins Circulação Vertical A circulação vertical faz-se por meio de ESCADAS, RAMPAS e de EQUIPAMENTOS MECÂNICOS (elevador, monta carga e escada rolante). ESCADAS Para representação

Leia mais

MUNICÍPIO DE BOM SUCESSO DO SUL ESTADO DO PARANÁ

MUNICÍPIO DE BOM SUCESSO DO SUL ESTADO DO PARANÁ MUNICÍPIO DE PREFEITURA MUNICIPAL DE PR. HOMOLOGAÇÃO E ADJUDICAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 03/2016 REGISTRO DE PREÇOS 01/2016 Expirado o prazo recursal e em concordância com as Atas datadas de 29/03/2016

Leia mais

CNPJ: / INSC. ESTADUAL:

CNPJ: / INSC. ESTADUAL: ANEXO V Padrões Técnicos a serem obedecidos quando da elaboração do Projeto Hidráulico que permita a Medição Individualizada nas Unidades Usuárias de Condomínios Horizontais ou Verticais I Instalação do

Leia mais

Importante: i. As cinco páginas seguintes contém

Importante: i. As cinco páginas seguintes contém Lista 2: Cinemática Bi e Tridimensional NOME: Matrícula: Turma: Prof. : Importante: i. As cinco páginas seguintes contém problemas para serem resolvidos e entregues. ii. Ler os enunciados com atenção.

Leia mais

ESCORAMENTO

ESCORAMENTO ESCORAMENTO Portátil Andaimes e Escoramentos Ltda Rua Clóvis Beviláqua, 590 Pinhais Paraná CEP 83.321-110 Tel.: (41) 3668-0101 portatil@portatilandaimes.com.br www.portatilandaimes.com.br ESCORAS METÁLICAS

Leia mais

UNIDADE MÓVEL SOBRE A PLATAFORMA DE UM ÔNIBUS BIARTICULADO. Módulo 2

UNIDADE MÓVEL SOBRE A PLATAFORMA DE UM ÔNIBUS BIARTICULADO. Módulo 2 UNIDADE MÓVEL SOBRE A PLATAFORMA DE UM ÔNIBUS BIARTICULADO Módulo 3 Módulo FRENTE MEDIDAS: Comprimento Total 2,0 m Comprimento módulo, m Comprimento módulo 2,00 m Comprimento módulo 3,0 m Largura 2,3 m

Leia mais

DESENHO TÉCNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA

DESENHO TÉCNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA DESENHO TÉCNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado Santos PROJETOS ARQUITETÔNICOS

Leia mais

Unidade: Instalações prediais de coleta e condução de águas. Unidade I: pluviais

Unidade: Instalações prediais de coleta e condução de águas. Unidade I: pluviais Unidade: Instalações prediais de coleta e condução de águas Unidade I: pluviais 0 Unidade: Instalações prediais de coleta e condução de águas pluviais 1.1 Terminologia Área de contribuição: é a área somada

Leia mais

UNIP - Universidade Paulista SISTEMAS ESTRUTURAIS CONCRETO SEC

UNIP - Universidade Paulista SISTEMAS ESTRUTURAIS CONCRETO SEC - 1 - UNIP - Universidade Paulista CONCRETO SEC NOTAS DE AULA - 01 PRÉ-DIMENSIONAMENTO DE ESTRUTURAS CONCRETO (SEC) NOTAS DE AULA - PARTE 1 PRÉ-DIMENSIONAMENTO DE ESTRUTURAS - 2 - NA_01/2014 1. CARGAS

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO

ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO BUEIROS CELULARES DE CONCRETO Grupo de Serviço DRENAGEM Código DERBA-ES-D-010/01 1. OBJETIVO Esta especificação de serviço tem por objetivo definir e orientar a execução de bueiros

Leia mais

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO 5ª MEDIÇÃO

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO 5ª MEDIÇÃO RELATÓRIO FOTOGRÁFICO 5ª MEDIÇÃO OBRA: EXECUÇÃO DE OBRA DE CONSTRUÇÃO DO IMÓVEL PARA A VARA DO TRABALHO DE PALMAS. CONTRATADA: BC CONSTRUTORA LTDA - EPP Considerando a instituição da Comissão de Recebimento

Leia mais

Catalogo resumido de produtos. v

Catalogo resumido de produtos. v Catalogo resumido de produtos v2.1-2016 - 1 - Truss quadrado / retangular normal ou reforçado Truss quadrado / retangular normal ou reforçado Truss Q15 com flange Tubos de 3/4" x 1/8" de liga estrutural

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULO DE ACESSIBILIDADE- MAC- 01 ERG. Especificação Técnica revisada conforme FSET nº 175/2011 acordado com o DERAT.

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULO DE ACESSIBILIDADE- MAC- 01 ERG. Especificação Técnica revisada conforme FSET nº 175/2011 acordado com o DERAT. EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULO DE ACESSIBILIDADE- MAC- 01 ERG NÚMERO: 132008 DESENHO: DT- 494/7 EMISSÃO: MARÇO/2013 VALIDADE: MARÇO/2015 REVOGA: 082104 REVOGA

Leia mais

Aula 2 - Tensão Normal e de Cisalhamento.

Aula 2 - Tensão Normal e de Cisalhamento. Aula 2 - Tensão Normal e de Cisalhamento. A - TENSÃO NORMAL MÉDIA 1. Exemplo 1.17 - A luminária de 80 kg é sustentada por duas hastes, AB e BC, como mostra a figura 1.17a. Se AB tiver diâmetro de 10 mm

Leia mais

Instruções de instalação da sinalização PVC de 2mm de espessura e acessórios

Instruções de instalação da sinalização PVC de 2mm de espessura e acessórios Instalação O sistema de sinalização Everlux () pode ser instalado diretamente em vários tipos de superfícies, dependendo do modo de fixação, por colagem ou por meio de parafusos. Se a instalação for por

Leia mais

III CONSTRUÇÃO DOS SUPORTES DAS BOBINAS

III CONSTRUÇÃO DOS SUPORTES DAS BOBINAS III CONSTRUÇÃO DOS SUPORTES DAS BOBINAS Serão construídos dois suportes, um para a bobina transmissora, o qual será fixado na barra do detector de metal em posição vertical e outro, para a bobina receptora

Leia mais

Com a gente, sua obra rende mais

Com a gente, sua obra rende mais Linha de Vida Minigrua Carrinho de Bloco Proteção Periférica Plataforma de Descarga Sistemas para Escoramento Plataforma Cremalheira Torre Multiuso Com a gente, sua obra rende mais Com a gente, sua obra

Leia mais

MEMORIAL DE CÁLCULO / 1-0. PLATAFORMA PARA ANDAIME SUSPENSO 0,60 m X 3,00 m MODELO RG PFM 3.1

MEMORIAL DE CÁLCULO / 1-0. PLATAFORMA PARA ANDAIME SUSPENSO 0,60 m X 3,00 m MODELO RG PFM 3.1 MEMORIAL DE CÁLCULO 071211 / 1-0 PLATAFORMA PARA ANDAIME SUSPENSO 0,60 m X 3,00 m MODELO RG PFM 3.1 FABRICANTE: Metalúrgica Rodolfo Glaus Ltda ENDEREÇO: Av. Torquato Severo, 262 Bairro Anchieta 90200 210

Leia mais

- A sinalização com piso tátil não seguia o Projeto de Padronização de Calçadas da Prefeitura de Belo Horizonte, o que deve ser regularizado;

- A sinalização com piso tátil não seguia o Projeto de Padronização de Calçadas da Prefeitura de Belo Horizonte, o que deve ser regularizado; LAUDO DE 3 DE JULHO DE 2013 1. CALÇADAS Não havia sinalização com piso tátil de alerta junto às entradas de alguns dos estacionamentos, em desacordo com a NBR 9050, bem como não havia sinalização sonora

Leia mais

built build t b LAJES

built build t b LAJES uilt tbuild tb LAJES LAJES Liteform 338 Slabform 352 Linear 366 Simplex Table 374 Mesa ST50 378 Mesa ST110 382 Escoramentos para lajes Escoras 390 Torres T28 398 Torres T40 404 Estruturas de escoramento

Leia mais

MEMORIAL REFERENTE AO PROJETO AO SISTEMA DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO NA PROMOTORIA DO ESTADO - MT EM PRIMAVERA DO LESTE.

MEMORIAL REFERENTE AO PROJETO AO SISTEMA DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO NA PROMOTORIA DO ESTADO - MT EM PRIMAVERA DO LESTE. MEMORIAL REFERENTE AO PROJETO AO SISTEMA DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO NA PROMOTORIA DO ESTADO - MT EM PRIMAVERA DO LESTE. PRIMAVERA DO LESTE-MT ABRIL DE 2014. 1 SUMÁRIO 1. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDIMENTO...

Leia mais