O PROCESO DE ETIQUETAGEM DE EDIFÍCIOS. Roberto Lamberts

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O PROCESO DE ETIQUETAGEM DE EDIFÍCIOS. Roberto Lamberts"

Transcrição

1 O PROCESO DE ETIQUETAGEM DE EDIFÍCIOS Roberto Lamberts

2 INTRODUÇÃO CONSUMO DE ELETRICIDADE POR SETOR Fonte: BEN- 2007

3 INTRODUÇÃO USOS FINAIS SETOR COMERCIAL

4 INTRODUÇÃO DIVERSIDADE DE USOS FINAIS Fonte: Projeto 6 cidades, Procel

5 INTRODUÇÃO USOS FINAIS SETOR COMERCIAL AT Demais Cargas 31% ; Ar- Condicionado 47% Iluminação 22% Avaliação do Mercado de Eficiência Energética no Brasil: Pesquisa Setor Comercial - AT PROCEL-Eletrobras 2007

6 INTRODUÇÃO USOS FINAIS SETOR PÚBLICOP Equip.Escritório; 15% Outras Cargas; 14% Co Iluminação; 23% Avaliação do Mercado de Eficiência Energética no Brasil: Pesquisa Prédios Públicos AT - PROCEL-Eletrobras 2007

7 REGULAMENTO EDIFÍCIOS COMERCIAIS ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES

8 ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES ETIQUETAGEM DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFICAÇÕES Texto de apresentação contendo: 1.Introdução: apresentação dos 4 volumes; 2. Processo de etiquetagem: descrição da etiqueta, RTQ-C e RAC-C, incluindo etapas de submissão e avaliação; 3. Próximos passos: regulamento residencial, cursos, contatos e maiores informações; 4. Conclusão

9 ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES BONIFICAÇÕES até 1 ponto em economias de: 20% no consumo de água; 10% com uso de energias renováveis; 30% cogeração ou inovações tecnológicas; 60% de fração solar para coletoreas ENVOLTÓRIA Etiqueta parcial PONTUAÇÃO final do edifício, responsável pelo nível de eficiência. Inclui as bonificações. NÍVEL DE EFICIÊNCIA DO EDIFÍCIO OU DE PARTE DESTE CONDICIONAMENTO DE AR Etiqueta parcial ILUMINAÇÃO Etiqueta parcial

10 Portaria no. 53, Inmetro REGULAMENTO TÉCNICO DA QUALIDADE DO NÍVEL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS COMERCIAIS, DE SERVIÇOS E PÚBLICOS RTQ-C Contém os quesitos necessários para classificação do nível de eficiência energética do edifício Descrição geral Métodos de cálculo da eficiência Envoltória Sistema de iluminação Sistema de condicionamento de ar Simulação ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES

11 MÉTODOS DE CÁLCULOC RTQ-C PR E S C R ITIV O Por equações, tabelas e parâmetros limites, é obtida uma pontuação que indica o nível de eficiência parcial dos sistema e total do edífício. S I M ULA Ç Ã O Por simulação, o desempenho do edifício é comparado ao desempenho de edifícios referenciais de acordo com o nível de eficiência.

12 MÉTODO PRESCRITIVO ENV ILUM COND 30% 30% 40% RTQ-C PT= 0,30. AC EqNumEnv. AU + AC APT ANC 1 ( EqNumDPI) + 0,40. EqNumCA EqNumV + APT ANC. 5+. EqNumV + 0,30. b AU AU AU AU AU 0 Envoltória Iluminação Condicionamento de Ar PT Classificação Final 4,5 a 5 A 3,5 a <4,5 B 2,5 a <3,5 C 1,5 a <2,5 D <1,5 E EqNum Equivalente numérico AC área condicionada AU área útil APT área de permanência transitória ANC área de permanência prolongada não condicionada (com conforto comprovado) Nível de Eficiência EqNum A 5 B 4 C 3 D 2 E 1

13 RTQ-C: ENVOLTÓRIA PRÉ-REQUISITOS REQUISITOS Cobertura U max α max ilum. (W/m 2 K) (ZB 2 a 8) zenital Cond Não Cond 1,00 2,00 0,4 até 5% 1,50 2,00 0,4 A B 2,00 2,00 C, D

14 RTQ-C: ENVOLTÓRIA PRÉ-REQUISITOS REQUISITOS U max α max (W/m 2 K) (ZB 2 a 8) Parede ZB 1 a 6 3,70 0,4 A, B ZB 7 e 8 3,70 0,4 2,50 (CT 80kJ/m 2 K)

15 MÉTODO DE CÁLCULOC Aberturas Volumetria RTQ-C: ENVOLTÓRIA A eficiência é estabelecida através de um Indicador de Consumo (IC) usando equações fornecidas para cada zona bioclimática e dimensões da edificação: A IC = 175,30. env A + 266,79. A 212,79. V + 21,86. PAF FS 0,19. AVS + 0,15. AHS [( A A )(. A V )] 0,04. PAF. FS. AVS 0,45. PAF. AHS + 190, 42 pcob tot pcob tot env tot env tot T T T + Equação para edifícios com área de projeção menor que 500 m 2 localizados nas zonas bioclimáticas 2 e 3.

16 MÉTODO DE CÁLCULOC Há equações para as zonas bioclimáticas: ZB 1 Curitiba ZB 2 e ZB 3 Sta Maria, São Paulo e Belo Horizonte ZB 4 e ZB 5 Brasília Zb 6 e ZB 8 Campo Grande, Rio de Janeiro ZB 7 Cuiabá E para edifícios de área de projeção: RTQ-C: ENVOLTÓRIA > 500 m² < 500 m²

17 MÉTODO DE CÁLCULOC RTQ-C: ENVOLTÓRIA Menor IC Maior IC IC min IC maxd + eficiente - eficiente A B C D E

18 EXEMPLO Características do edifício RTQ-C: ENVOLTÓRIA IC env = 115,33 Características de um edifício nível de eficiência D D IC maxd = 122,41 Características de um edifício nível de eficiência A A IC min = 111,85

19 RTQ-C: ENVOLTÓRIA EXEMPLO Exemplo 2/2 IC env = 115,33 IC maxd = 122,41 IC min = 111,85 Cálculo do i = (IC maxd IC min )/4 = 2,64 Eficiência A B C D E Intervalo 114,48 114,49 a 117,12 117,13 a 119,76 119,77 a 122,41 (122,42) Nível de Eficiência EqNum A 5 B 4 C 3 D 2 E 1

20 RTQ-C: ILUMINAÇÃO PRÉ-REQUISITOS REQUISITOS Controle manual para o acionamento independente da iluminação interna do ambiente; Facilmente acessível; Limite de área iluminada por controle. A B C 250 m m m m 2

21 RTQ-C: ILUMINAÇÃO PRÉ-REQUISITOS REQUISITOS Desligamente independe da fileira de luminárias próxima à janela; A B Desligamento automático para grandes áreas: hora, sensor ou alarme. A

22 RTQ-C: ILUMINAÇÃO MÉTODO DE CÁLCULOC Obtida a DPI RF, compara-se com a DPI RL da tabela. Índice de ambiente K Densidade de Potência de Iluminação relativa W/m 2 /100lux (Nível A) Densidade de Potência de Iluminação relativa W/m 2 /100lux (Nível B) 0,60 2,84 4,77 0,80 2,50 3,86 1,00 2,27 3,38 1,25 2,12 3,00 1,50 1,95 2,75 2,00 1,88 2,53 DPI RL DPI RF < DPI RL EqNumDPI 5 A DPI = 8 W/m² E F = 355 lux DPI RF = 8/3,55 DPI RF = 2,25 W/m²/100 lux 22

23 RTQ-C: CONDICIONAMENTO DE AR PRÉ-REQUISITO REQUISITO condicionadores de ar do tipo de janela ou unidades condensadoras de condicionadores do tipo Split, devem estar sombreados permanentemente e com ventilação adequada para não interferir em sua eficiência; A Válido para cada condicionador individualmente.

24 DETERMINAÇÃO DA EFICIÊNCIA RTQ-C: CONDICIONAMENTO DE AR Os edifícios condicionados artificialmente devem possuir sistemas de condicionamento de ar com eficiência a ser avaliada em: Condicionadores de ar de uso doméstico e Condicionadores de ar, tipo SPLIT: pelo Programa Brasileiro de Etiquetagem - PBE/ INMETRO; EqNumCA 5 ro.gov.br/consumi dor/ pbe/pbe4.pdf

25 DETERMINAÇÃO DA EFICIÊNCIA RTQ-C: CONDICIONAMENTO DE AR Condicionadores de ar não regulamentados pelo PBE/INMETRO: tabelas da regulamentação, baseadas na Standard 90.1 da ASHRAE (American Society of Heating, Refrigeration and Air Conditioning Engineers), com eficiência estabelecida de acordo com as características dos resfriadores de líquido, condensadores e torres de resfriamento.

26 DETERMINAÇÃO DA EFICIÊNCIA RTQ-C: CONDICIONAMENTO DE AR Tabela ASHRAE 90.1, requisitos de projeto A Tabela ASHRAE 90.1, 2004 B Tabela ASHRAE 90.1, 1999 C Tabela ASHRAE 90.1, 1989 D

27 DETERMINAÇÃO DA EFICIÊNCIA nível A Os condicionadores não regulamentados pelo PBE/INMETRO devem ainda atender a especificações de: Cálculo detalhado de carga térmica; Controle de temperatura por zona térmica; Controles e dimensionamento do sistema de ventilação; Controles e dimensionamento dos sistemas hidráulicos; Equipamentos de rejeição de calor Automação; Isolamento de zonas; RTQ-C: CONDICIONAMENTO DE AR

28 MÉTODO DE SIMULAÇÃO Descreve o método de avaliação da eficiência energética de um edifício por meio da simulação computacional. RTQ-C P R O J E T O S PR E S C R ITIV O REAL REFERÊNCIA Modelo do Edifício Real (Proposto) Modelo de Referência (prescrições mínimas de acordo com o nível de eficiência pretendido) CONSUMO ANUAL DE ENERGIA CONSUMO ANUAL DE ENERGIA

29 RTQ-C MÉTODO DE SIMULAÇÃO Edifícios não condicionados: ou áreas de longa permanência não condicionadas, conforto em percentuais de horas para cálculo do EqNumV. Percentual de Horas Ocupadas em Conforto EqNumV Classificação Final POC 80% 5 A 70% POC < 80% 4 B 60% PO C < 70% 3 C 50% POC < 60% 2 D POC < 50% 1 E

30 RTQ-C MÉTODO DE SIMULAÇÃO É possível usar a simulação para as etiquetas parciais: Envoltória Envoltória + iluminação Envoltória + condicionamento de ar Programas Pré-requisitos Programa validado pela ASHRAE 140 BestTest; Modelar as 8760 horas do ano, inércia térmica, multizonas, sistemas de condicionamento da Standard 90.1 da ASHRAE; Modelar estratégias bioclimáticas e ventilação quando necessários; Arquivos climáticos TRY, TMY, TMY2, IWEC...

31 RAC-C LABORATÓRIOS RIOS DE INSPEÇÃO EDIFÍCIOS LABORATÓRIOS

32 Apresenta o processo de avaliação das características do edifício para etiquetagem junto ao Laboratório de Inspeção acreditado pelo Inmetro RAC-C Portaria no. 185, Inmetro REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DO NÍVEL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS COMERCIAIS, DE SERVIÇOS E PÚBLICOS RAC-C

33 ETAPAS Avaliação de Projeto: identifica o nível de eficiência de acordo com os parâmetros do RTQ-C; Avaliação do edifício: no edifício em uso (pós habite-se e com sistemas instalados) é realizada pelo Laboratório de Inspeção para verificar se as características do edifício foram construídas de acordo com o projeto. RAC-C

34 R E F E R Ê N C I A RAC-C AVALIAÇÃO DE PROJETO MÉTODO DE SIMULAÇÃO MÉTODO PRESCRITIVO PR E S C R ITIV O P R O J E T O S LABORATÓRIO R E AL P R E S C R I T I V O 34

35 RAC-C AVALIAÇÃO DO EDIFÍCIO P R O J E T O S PLANILHAS LABORATÓRIO MEDIÇÕES NOTAS DE COMPRA LAUDOS TÉCNICOS 35

36 RAC-C ETIQUETAS A ENCE pode ser parcial ou geral: Etiquetas parciais: Envoltória Envoltória + Sistema de Iluminação Envoltória + Sistema de Condicionamento de ar Etiqueta geral: Edifício completo (envoltória + iluminação + cond. ar + incentivos)

37 ENCE

38 RAC-C O RAC-C contém formulários de preenchimentos, modelos de planilhas com dados técnicos e termos de compromisso em seus anexos.

39 RAC-C Documentos obrigatórios a entregar na avaliação do projeto (Anexo II) e descrição do método de avaliação do edifício (Anexo III) Prazo mínimo de avaliação: 15 a 60 dias após iniciada a avaliação. Validade: ENCE de projeto: 3 anos ENCE do edifício: 5 anos Custos: primeiro ano subsidiado Laboratórios designados pelo Inmetro serão publicados no site do Instituto. Edifícios etiquetados estarão relacionados no site do Inmetro

40 Proprietário Laboratório de Inspeção INMETRO RAC-C Documentação para a avaliação de projeto Verificar documentação complementar não completa? ENCE projeto sim aplicar RTQ expedir ENCE projeto ENCE projeto para registro registra a ENCE projeto documentação para avaliação do edifício construído Verificar documentação complementar não completa? não sim Avaliar edifício construído sim impacto na eficiência? não Conformidade com projeto? ENCE para registro ENCE Expedir ENCE Registra a ENCE

41 Manual ilustrado, contendo exemplos e exercícios, detalha o processo técnico de identificação do nível de eficiência energética dos edifícios comerciais, de serviços e públicos de acordo com o RTQ-C. Apresenta os principais pontos do RAC-C. Possui atualização periódica. MANUAL

42 FONTES www. labeee.ufsc.br/eletrobras/etiquetagem.html

43 EDIFÍCIOS ETIQUETADOS

O programa computacional de simulação termo-energética deve possuir, no mínimo, as seguintes características:

O programa computacional de simulação termo-energética deve possuir, no mínimo, as seguintes características: 6. SIMULAÇÃO 6.1. Pré-requisitos específicos 6.1.1. Programa de simulação O programa computacional de simulação termo-energética deve possuir, no mínimo, as seguintes características: ser um programa para

Leia mais

CONTEÚDO ABORDADO. O Programa. Vertentes. Rede de Eficiência Energética. Regulamentos

CONTEÚDO ABORDADO. O Programa. Vertentes. Rede de Eficiência Energética. Regulamentos 2012 CONTEÚDO ABORDADO O Programa Vertentes Rede de Eficiência Energética Regulamentos Avaliação dos Sistemas Individuais Envoltória, Iluminação e Ar condicionado Processo de Etiquetagem Treinamento e

Leia mais

Eficiência Energética Etiqueta PBE Edifica - Edifícios Públicos

Eficiência Energética Etiqueta PBE Edifica - Edifícios Públicos Eficiência Energética Etiqueta PBE Edifica - Edifícios Públicos Ma. Juliana Al-Alam Pouey LINSE Laboratório de Eficiência Energética em Edificações UFPel Universidade Federal de Pelotas Florianópolis,

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES PÚBLICAS NA UDESC E EM JOINVILLE

AVALIAÇÃO DA ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES PÚBLICAS NA UDESC E EM JOINVILLE AVALIAÇÃO DA ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES PÚBLICAS NA UDESC E EM JOINVILLE Área temática: Meio Ambiente Ana Mirthes Hackenberg Ana Mirthes Hackenberg 1, Bruno Dilmo Palavras chave: etiquetagem, eficiência

Leia mais

APLICAÇÃO DA METODOLOGIA DE ETIQUETAGEM DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFICAÇÕES DE CENTRO ADMINISTRATIVO DE UNIDADE INDUSTRIAL

APLICAÇÃO DA METODOLOGIA DE ETIQUETAGEM DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFICAÇÕES DE CENTRO ADMINISTRATIVO DE UNIDADE INDUSTRIAL VI CONGRESSO NACIONAL DE ENGENHARIA MECÂNICA VI NATIONAL CONGRESS OF MECHANICAL ENGINEERING 18 a 21 de agosto de 2010 Campina Grande Paraíba - Brasil August 18 21, 2010 Campina Grande Paraíba Brazil APLICAÇÃO

Leia mais

Critérios para concessão do Selo Procel de Economia de Energia para Edificações comerciais, de serviços e públicas

Critérios para concessão do Selo Procel de Economia de Energia para Edificações comerciais, de serviços e públicas Critérios para concessão do Selo Procel de Economia de Energia para Edificações comerciais, de serviços e públicas (Documento complementar ao Regulamento para concessão do Selo Procel de Economia de Energia

Leia mais

ETIQUETAGEM DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS

ETIQUETAGEM DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS ETIQUETAGEM DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM RESIDENCIAIS Roberto Lamberts, PhD. Universidade Federal de Santa Catarina Laboratório de Eficiência Energética em Edificações Conselho Brasileiro de Construção

Leia mais

APLICAÇÃO DO CONCEITO DO SELO PROCEL EDIFICA EM EDIFICAÇÃO DO CAMPUS DE PALMAS/UFT

APLICAÇÃO DO CONCEITO DO SELO PROCEL EDIFICA EM EDIFICAÇÃO DO CAMPUS DE PALMAS/UFT APLICAÇÃO DO CONCEITO DO SELO PROCEL EDIFICA EM EDIFICAÇÃO DO CAMPUS DE PALMAS/UFT Nathália Canêdo de Lima Silva 1 ; Mariela Cristina Ayres de Oliveira 2 ; 1 Aluna do Curso de Arquitetura e Urbanismo;

Leia mais

Tabela 3.37: Constantes da Equação

Tabela 3.37: Constantes da Equação C R = [(a) + (b X AU amb ) + (c X CT baixa ) + (d X α par ) + (e X PD/AU amb ) + (f X somb) + (g X CT cob ) + (h X Ab S ) + (i X SomA parext X CT par ) + (j X cob) + (k X U cob X α cob X cob X AU amb )

Leia mais

Nota Técnica referente à etiquetagem de edificações comerciais, de serviços e públicas em blocos.

Nota Técnica referente à etiquetagem de edificações comerciais, de serviços e públicas em blocos. Nota Técnica referente à etiquetagem de edificações comerciais, de serviços e públicas em blocos. Veridiana Atanásio Scalco; Raphaela Walger da Fonseca; Elisa de Oliveira Beck; Gustavo Palladini Florianópolis,

Leia mais

O USO DA SIMULAÇÃO NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS COMERCIAIS

O USO DA SIMULAÇÃO NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS COMERCIAIS Voltar O USO DA SIMULAÇÃO NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS COMERCIAIS Autores: LOPES, M.N.; CARLO, J.C; MELO, A.P.; LAMBERTS, R. Resumo Este artigo apresenta a avaliação

Leia mais

Adriana Lorenzo dos Santos Aluna de graduação FAU bolsista FAPERJ. Orientadores: Claudia Mariz de Lyra Barroso Krause Ingrid Chagas Leite da Fonseca

Adriana Lorenzo dos Santos Aluna de graduação FAU bolsista FAPERJ. Orientadores: Claudia Mariz de Lyra Barroso Krause Ingrid Chagas Leite da Fonseca POTENCIAL DE REDUÇÃO DO CONSUMO ENERGÉTICO DE EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS, FRENTE À REGULAMENTAÇÃO TÉCNICA BRASILEIRA PARA NÍVEIS MÍNIMOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DO SETOR (RTQ-R) Adriana Lorenzo dos Santos

Leia mais

NOTA TÉCNICA REFERENTE À ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES COMERCIAIS, DE SERVIÇOS E PÚBLICAS EM BLOCOS

NOTA TÉCNICA REFERENTE À ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES COMERCIAIS, DE SERVIÇOS E PÚBLICAS EM BLOCOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Campus Universitário Trindade Florianópolis SC CEP 88040-900 Caixa Postal 476 Telefone: (48) 3721-5184 NOTA TÉCNICA

Leia mais

Portaria n.º 372, de 17 de setembro de 2010.

Portaria n.º 372, de 17 de setembro de 2010. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 372, de 17 de setembro de

Leia mais

ETIQUETAGEM: Perspectivas e desafios

ETIQUETAGEM: Perspectivas e desafios ETIQUETAGEM: Perspectivas e desafios Roberto Lamberts LabEEE Universidade Federal de Santa Catarina estrutura breve histórico GERAL breve histórico TÉCNICO perspectivas desafios 2 Convênio Eletrobras UFSC

Leia mais

DIRETRIZES PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL A PARA EDIFICAÇÕES COMERCIAIS, DE SERVIÇOS E PÚBLICAS ZONA BIOCLIMÁTICA 8

DIRETRIZES PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL A PARA EDIFICAÇÕES COMERCIAIS, DE SERVIÇOS E PÚBLICAS ZONA BIOCLIMÁTICA 8 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO - DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Campus Universitário Trindade Florianópolis SC CEP 88040-900 Caixa Postal 476 Fundação de Ensino e Engenharia

Leia mais

Etiquetagem de Eficiência Energética em Edificações

Etiquetagem de Eficiência Energética em Edificações Etiquetagem de Eficiência Energética em Edificações Carolina R. Carvalho Marcio J. Sorgato LabEEE Universidade Federal de Santa Catarina estrutura introdução Edificações comerciais, de serviços e públicos

Leia mais

INTRODUÇÃO AO NOVO MÉTODO DE AVALIAÇÃO DO PBE EDIFICA

INTRODUÇÃO AO NOVO MÉTODO DE AVALIAÇÃO DO PBE EDIFICA INTRODUÇÃO AO NOVO MÉTODO DE AVALIAÇÃO DO PBE EDIFICA ENERGIA PRIMÁRIA CONCEITO Forma de energia disponível na natureza que não foi submetida a qualquer processo de conversão ou transformação. É a energia

Leia mais

ANÁLISE DA ADEQUAÇÃO DE UM EDIFÍCIO COMERCIAL À ETIQUETA PROCEL EDIFICA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

ANÁLISE DA ADEQUAÇÃO DE UM EDIFÍCIO COMERCIAL À ETIQUETA PROCEL EDIFICA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA ANÁLISE DA ADEQUAÇÃO DE UM EDIFÍCIO COMERCIAL À ETIQUETA PROCEL EDIFICA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Ivna Baquit Campos (1) ; José de Paula Barros Neto (2) (1) Universidade Federal do Ceará,ivnabaquit@gmail.com

Leia mais

Proposta de métodos para avaliação da eficiência energética. Edificações residenciais

Proposta de métodos para avaliação da eficiência energética. Edificações residenciais Proposta de métodos para avaliação da eficiência energética Edificações residenciais MÉTODO PRESCRITIVO Checklist MÉTODO PRESCRITIVO VANTAGENS - Simplificação, agilidade e redução de custos do processo

Leia mais

23/06/2010 ETIQUETAGEM DO PROCEL EDIFICA - ASPECTO DO CONDICIONAMENTO DE AR. Nathan Mendes - PUCPR Fernando Westphal ETIQUETAGEM PROCEL/INMETRO

23/06/2010 ETIQUETAGEM DO PROCEL EDIFICA - ASPECTO DO CONDICIONAMENTO DE AR. Nathan Mendes - PUCPR Fernando Westphal ETIQUETAGEM PROCEL/INMETRO ETIQUETAGEM DO PROCEL EDIFICA - ASPECTO DO CONDICIONAMENTO DE AR Nathan Mendes - PUCPR Fernando Westphal ETIQUETAGEM PROCEL/INMETRO 1 ENCE Etiqueta Nacional de Conservação de Energia Etiqueta Edifício

Leia mais

Palavras-chave: ferramenta computacional, RTQ-C, edificações.

Palavras-chave: ferramenta computacional, RTQ-C, edificações. DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA PARA APLICAÇÃO DO REGULAMENTO PARA ETIQUETAGEM VOLUNTÁRIA DO NÍVEL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS COMERCIAIS DE SERVIÇOS PÚBLICOS. Fernando O. R. Pereira (1) ;

Leia mais

Portaria n.º 53, de 27 de fevereiro de 2009

Portaria n.º 53, de 27 de fevereiro de 2009 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 53, de 27 de fevereiro de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CAMPUS ARARANGUÁ MARIANA DE REZENDE GUERRA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CAMPUS ARARANGUÁ MARIANA DE REZENDE GUERRA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CAMPUS ARARANGUÁ MARIANA DE REZENDE GUERRA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ENERGIA ARARANGUÁ, 2016 1 PROJETO E DESENVOLVIMENTO DE UMA

Leia mais

Painel 2 Certificação ambiental de edificações: lições aprendidas e visão de futuro experiências brasileiras. Palestrante Fernando Perrone

Painel 2 Certificação ambiental de edificações: lições aprendidas e visão de futuro experiências brasileiras. Palestrante Fernando Perrone Painel 2 Certificação ambiental de edificações: lições aprendidas e visão de futuro experiências brasileiras Etiquetagem Eficiência Energética de Edificações Procel Edifica Palestrante Fernando Perrone

Leia mais

Guia de Eficiência. energética. em edificações. Contribuição do Gás LP. Resumo executivo

Guia de Eficiência. energética. em edificações. Contribuição do Gás LP. Resumo executivo A B C D E Guia de Eficiência energética em edificações Contribuição do Gás LP Resumo executivo Guia de Eficiência energética em edificações Contribuição do Gás LP Resumo Executivo Sumário Apresentação...

Leia mais

Portaria n.º 181, de 21 de maio de 2010. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 181, de 21 de maio de 2010. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 181, de 21 de maio de 2010.

Leia mais

APLICAÇÃO DO CONCEITO DO SELO PROCEL EDIFICA EM EDIFICAÇÃO DO CAMPUS DE PALMAS/UFT

APLICAÇÃO DO CONCEITO DO SELO PROCEL EDIFICA EM EDIFICAÇÃO DO CAMPUS DE PALMAS/UFT APLICAÇÃO DO CONCEITO DO SELO PROCEL EDIFICA EM EDIFICAÇÃO DO CAMPUS DE PALMAS/UFT Nome do autor(a): Livia Kálita Barbosa Amorim Nome do Orientador: Mariela Cristina Ayres de Oliveira Aluno do Curso de

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO CAMPUS DE GUARATINGUETÁ PAULA GONÇALVES FERREIRA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO CAMPUS DE GUARATINGUETÁ PAULA GONÇALVES FERREIRA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO CAMPUS DE GUARATINGUETÁ PAULA GONÇALVES FERREIRA SELO PROCEL EDIFICA EDIFÍCIOS COMERCIAIS, DE SERVIÇOS E PÚBLICOS. Guaratinguetá 2012 PAULA GONÇALVES

Leia mais

Certificação de edificações

Certificação de edificações Certificação de edificações O consumo de energia elétrica nas edificações corresponde a cerca de 45% do consumo faturado no país. Potencial estimado de redução em 50% para novas edificações e de 30% para

Leia mais

4.1 MANUAL RTQ-C. Manual para Aplicação do RTQ-C. Versão 3. centro brasileiro de eficiência energética em edificações

4.1 MANUAL RTQ-C. Manual para Aplicação do RTQ-C. Versão 3. centro brasileiro de eficiência energética em edificações 4.1 Manual para Aplicação do RTQ-C MANUAL RTQ-C Versão 3 centro brasileiro de eficiência energética em edificações Com base na Portaria: nº 372/2013 Eletrobrás/Procel José da Costa Carvalho Neto Presidente

Leia mais

PLANILHA ELETRÔNICA PARA A AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFICAÇÕES E MEMORIAL DE CÁLCULO DE ACORDO COM O RTQ-C

PLANILHA ELETRÔNICA PARA A AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFICAÇÕES E MEMORIAL DE CÁLCULO DE ACORDO COM O RTQ-C PLANILHA ELETRÔNICA PARA A AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFICAÇÕES E MEMORIAL DE CÁLCULO DE ACORDO COM O RTQ-C Arthur Santos Silva (1); Michele Giongo (2); Wagner Augusto Andreasi (3) (1) Acadêmico

Leia mais

A nova era das edificações

A nova era das edificações A nova era das edificações Nos dias atuais, chamou atenção a etiqueta do INMETRO fixada em veículos novos comercializados no país, apontando eficiência energética no que se refere ao consumo de combustível.

Leia mais

No entanto, verificou-se também

No entanto, verificou-se também Apresentação A Associação Técnica Brasileira das Indústrias Automáticas de Vidro (Abividro) apresenta nesta publicação, de maneira resumida, o resultado de seis anos de pesquisas que desenvolveu a fim

Leia mais

XIV ENTAC - Encontro Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído - 29 a 31 Outubro Juiz de Fora

XIV ENTAC - Encontro Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído - 29 a 31 Outubro Juiz de Fora DETERMINAÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DA ENVOLTÓRIA DE PROJETO RESIDENCIAL UNIFAMILIAR COMPARANDO OS RESULTADOS A PARTIR DA APLICAÇÃO DOS MÉTODOS PRESCRITIVO E DE SIMULAÇÃO DO RTQ-R Juliana Al-Alam Pouey

Leia mais

Parâmetros e métodos adotados no regulamento de etiquetagem da eficiência energética de edifícios parte 2: método de simulação

Parâmetros e métodos adotados no regulamento de etiquetagem da eficiência energética de edifícios parte 2: método de simulação Parâmetros e métodos adotados no regulamento de etiquetagem da eficiência energética de edifícios parte 2: método de simulação Parameters and methods adopted in the energy efficiency labelling regulation

Leia mais

Aplicação de métodos para a avaliação do nível de eficiência energética de um edifício exemplo

Aplicação de métodos para a avaliação do nível de eficiência energética de um edifício exemplo Aplicação de métodos para a avaliação do nível de eficiência energética de um edifício exemplo Gustavo Daou Palladini Ana Paula Melo Márcio José Sorgato Rogério Versage Roberto Lamberts Florianópolis,

Leia mais

Titulo: DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA COMPUTACIONAL PARA SIMULAÇÃO DE CONSUMO ENERGÉTICO EM EDIFICAÇÕES

Titulo: DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA COMPUTACIONAL PARA SIMULAÇÃO DE CONSUMO ENERGÉTICO EM EDIFICAÇÕES Titulo: DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA COMPUTACIONAL PARA SIMULAÇÃO DE CONSUMO ENERGÉTICO EM EDIFICAÇÕES Autores: LOPES, M.N.; IWAMOTO, G.; MECABÔ, L.; LAMBERTS, R. Resumo: A participação das edificações

Leia mais

ETIQUETAGEM DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

ETIQUETAGEM DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA ETIQUETAGEM DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM EDIFÍCIOS COMERCIAIS E RESIDENCIAIS Martin Ordenes Mizgier, Dr. Eng. martin@arq.ufsc.br Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico / Dep. Arquitetura

Leia mais

6º Seminário Tecnologia de sistemas prediais

6º Seminário Tecnologia de sistemas prediais 6º Seminário Tecnologia de sistemas prediais Os projetos de sistemas prediais elétricos, de ar condicionado e iluminação com foco para atender requisitos de conservação de energia na etiquetagem do PROCEL/

Leia mais

PROJETO EFICIENTE. Dr. Antônio César Silveira Baptista da Silva Dr. Eduardo Grala da Cunha

PROJETO EFICIENTE. Dr. Antônio César Silveira Baptista da Silva Dr. Eduardo Grala da Cunha Sino-Italian Ecological and Energy Efficient Building - SIEEB PROJETO EFICIETE Dr. Antônio César Silveira Baptista da Silva Dr. Eduardo Grala da Cunha UFPEL/FAUrb/LABCEE Laboratório de Conforto e Eficiência

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA ÊNFASE EM ELETROTÉCNICA

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA ÊNFASE EM ELETROTÉCNICA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA ÊNFASE EM ELETROTÉCNICA ÉLLEN MARA MEDEIROS NOGUEIRA FELIPE SEYFFERTH DE OLIVEIRA

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DE ETIQUETAGEM VOLUNTÁRIA DE NÍVEL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS COMERCIAIS E PÚBLICOS

REGULAMENTAÇÃO DE ETIQUETAGEM VOLUNTÁRIA DE NÍVEL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS COMERCIAIS E PÚBLICOS Proceedings of the 11 th Brazilian Congress of Thermal Sciences and Engineering -- ENCIT 2006 Braz. Soc. of Mechanical Sciences and Engineering -- ABCM, Curitiba, Brazil, Dec. 5-8, 2006 Paper CIT06-0104

Leia mais

02 VOLUME EFICIÊNCIA ENERGÉTICA: GUIA PARA ETIQUETAGEM DE EDIFÍCIOS

02 VOLUME EFICIÊNCIA ENERGÉTICA: GUIA PARA ETIQUETAGEM DE EDIFÍCIOS 02 VOLUME EFICIÊNCIA ENERGÉTICA: GUIA PARA ETIQUETAGEM DE EDIFÍCIOS República Federativa do Brasil Presidente: Dilma Vana Rousseff Vice-presidente: Michel Temer Ministério do Meio Ambiente Ministra: Izabella

Leia mais

Mozart Schimdt Programa Nacional de Racionalização do Uso de Derivados de Petróleo e do Gás Natural - CONPET

Mozart Schimdt Programa Nacional de Racionalização do Uso de Derivados de Petróleo e do Gás Natural - CONPET MME Ministério de Minas e Energia Edison Lobão Ministro de Minas e Energia CGIEE Comitê Gestor de Indicadores e Níveis de Eficiência Energética Paulo Augusto Leonelli Presidente Ministério das Minas e

Leia mais

Desempenho Térmico de edificações Aula 14: Simulação de Consumo de Energia e S3E

Desempenho Térmico de edificações Aula 14: Simulação de Consumo de Energia e S3E Desempenho Térmico de edificações PROFESSOR Roberto Lamberts ECV 5161 UFSC FLORIANÓPOLIS + Definição + Objetivos + Interação dinâmica + Adoção em projeto + Indicadores de desempenho + Mundo + USA + BR

Leia mais

UM ESTUDO DE CASO DE SUSTENTABILIDADE APLICADA À CONSTRUÇÃO CIVIL CONFORME ETIQUETAGEM DO PROGRAMA PBE EDIFICA

UM ESTUDO DE CASO DE SUSTENTABILIDADE APLICADA À CONSTRUÇÃO CIVIL CONFORME ETIQUETAGEM DO PROGRAMA PBE EDIFICA TEMAS LIVRES http://dx.doi.org/10.15202/19811896.2015v20n40p28 UM ESTUDO DE CASO DE SUSTENTABILIDADE APLICADA À CONSTRUÇÃO CIVIL CONFORME ETIQUETAGEM DO PROGRAMA PBE EDIFICA José Luiz Fernandes 1 José

Leia mais

Os gases combustíveis e a eficiência nas edificações

Os gases combustíveis e a eficiência nas edificações Os gases combustíveis e a eficiência nas edificações Apresentação Eficiência energética em edificações Panorama internacional O caso Brasileiro PBE Edificação Custos nas instalações Eficiência energética

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO XIV GRUPO DE ESTUDO DE CONSERVAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO XIV GRUPO DE ESTUDO DE CONSERVAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GCE 01 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO XIV GRUPO DE ESTUDO DE CONSERVAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A REGULAMENTACÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA ANÁLISE DE CERTIFICAÇÃO DE EDIFICAÇÃO PÚBLICA DE ENSINO E PESQUISA VISANDO NÍVEL A PELO RTQ-C ATRAVÉS

Leia mais

Avaliação da Eficiência Energética em Edificações de um Campus Universitário de Acordo com o Processo Analítico do RTQ-C

Avaliação da Eficiência Energética em Edificações de um Campus Universitário de Acordo com o Processo Analítico do RTQ-C Avaliação da Eficiência Energética em Edificações de um Campus Universitário de Acordo com o Processo Analítico do RTQ-C Alcenor S. Filho, Carminda C. M. de M. Carvalho, Lusiane P. Fonseca, Allan R. A.

Leia mais

Lúcio Cesar de Oliveira Programa Nacional de Racionalização do Uso de Derivados de Petróleo e do Gás Natural CONPET

Lúcio Cesar de Oliveira Programa Nacional de Racionalização do Uso de Derivados de Petróleo e do Gás Natural CONPET Manual de Aplicação dos Requisitos Técnicos da Qualidade RTQ-C e Regulamento de Avaliação da Conformidade RAC-C MME Ministério de Minas e Energia Márcio Pereira Zimmermann Ministro de Minas e Energia CGIEE

Leia mais

Eficiência Energética em Edificações. Roberto Lamberts

Eficiência Energética em Edificações. Roberto Lamberts Eficiência Energética em Edificações Roberto Lamberts www.labeee.ufsc.br ENERGY EFFICIENCY FIRST FUEL Em 2013 a IEA definiu eficiência energética como o primeiro combustível a ser usado: Nunca acaba!

Leia mais

Eficiência energética de diferentes sistemas construtivos avaliados segundo o método prescritivo do RTQ-R

Eficiência energética de diferentes sistemas construtivos avaliados segundo o método prescritivo do RTQ-R Eficiência energética de diferentes sistemas construtivos avaliados segundo o método prescritivo do RTQ-R Juliana Cruz, Andrea Invidiata, Amadeus de Novas, Cristiano Texeira, Michele Fossati, Roberto Lamberts

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A SISTEMAS E EQUIPAMENTOS PARA AQUECIMENTO SOLAR DE ÁGUA

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A SISTEMAS E EQUIPAMENTOS PARA AQUECIMENTO SOLAR DE ÁGUA CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A SISTEMAS E EQUIPAMENTOS PARA AQUECIMENTO SOLAR DE ÁGUA (DOCUMENTO COMPLEMENTAR AO REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE ATIVIDADES

RELATÓRIO FINAL DE ATIVIDADES RELATÓRIO FINAL DE ATIVIDADES CLIENTE: Ecotelhado AVALIAÇÃO DE TRANSMITÂNCIA TÉRMICA DE COBERTURAS 1. INTRODUÇÃO Este documento apresenta o relatório parcial da Vertes Arquitetura Bioclimática e Eficiência

Leia mais

Roberta Mulazzani Doleys Soares, Camila Marin Lenise, Caroline Herter e Jaqueline Petenon Smaniotto

Roberta Mulazzani Doleys Soares, Camila Marin Lenise, Caroline Herter e Jaqueline Petenon Smaniotto Eixo Temático: Inovação e Sustentabilidade ANÁLISE DE GRAUS-HORA DE RESFRIAMENTO E CONSUMO DE AQUECIMENTO DE AMBIENTES DE PERMANÊNCIA PROLONGADA A PARTIR DA ALTERAÇÃO DA ABSORTÂNCIA SOLAR DOS FECHAMENTOS

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS COM REATOR INTEGRADO

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS COM REATOR INTEGRADO CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS COM REATOR INTEGRADO (DOCUMENTO COMPLEMENTAR AO REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA

Leia mais

Vidros de Controle Solar: Conforto Térmico e Eficiência Energética

Vidros de Controle Solar: Conforto Térmico e Eficiência Energética Vidros de Controle Solar: Conforto Térmico e Eficiência Energética Prof. Dr. Fernando Simon Westphal Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Arquitetura e Urbanismo Laboratório de Conforto

Leia mais

ESTRUTURA DO CURSO 08:00-10:00 RTQ-R

ESTRUTURA DO CURSO 08:00-10:00 RTQ-R Método de Simulação Edifícios residenciais Roberto Lamberts, PhD Veridiana A. Scalco, Dra Gabriel Iwamoto Rogério Versage, MSc Apoio: Márcio Sorgato, Carolina Carvalho e Mariana G. Bottamedi Rio de Janeiro,

Leia mais

Workshop Técnico Eficiência Energética em Edificações: Contribuições do Gás LP

Workshop Técnico Eficiência Energética em Edificações: Contribuições do Gás LP Workshop Técnico Eficiência Energética em Edificações: Contribuições do Gás LP Arthur Cursino IEE/USP Setembro / 2014 Estrutura da Apresentação Regulamento PBE Edifica Introdução: Conceitos Sistema de

Leia mais

APLICAÇÃO DO REGULAMENTO TÉCNICO DA QUALIDADE PARA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS EM UM ESTUDO DE CASO NO CAMPUS DA UFPB

APLICAÇÃO DO REGULAMENTO TÉCNICO DA QUALIDADE PARA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS EM UM ESTUDO DE CASO NO CAMPUS DA UFPB APLICAÇÃO DO REGULAMENTO TÉCNICO DA QUALIDADE PARA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS EM UM ESTUDO DE CASO NO CAMPUS DA UFPB Solange Maria Leder (1); Eliana de F. Costa Lima (2) (1) Departamento de Arquitetura

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO GEORGE MARTINS GOMES ANÁLISE COMPARATIVA DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

Leia mais

REGULAMENTO PARA O NÍVEL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS DO BRASIL

REGULAMENTO PARA O NÍVEL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS DO BRASIL REGULAMENTO PARA O NÍVEL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS DO BRASIL Claudia MORISHITA, Arch 1 Michele FOSSATI, Dr 2 Martin Ordenes MIZGIER, Dr 3 Marcio SORGATO, Msc 4 Rogério VERSAGE,

Leia mais

PROCESSO DE ETIQUETAGEM PROCEL: DIFICULDADES ENCONTRADAS NA APLICAÇÃO DO MÉTODO PRESCRITIVO NA FASE DE PROJETO

PROCESSO DE ETIQUETAGEM PROCEL: DIFICULDADES ENCONTRADAS NA APLICAÇÃO DO MÉTODO PRESCRITIVO NA FASE DE PROJETO PROCESSO DE ETIQUETAGEM PROCEL: DIFICULDADES ENCONTRADAS NA APLICAÇÃO DO MÉTODO PRESCRITIVO NA FASE DE PROJETO Rafael Fernando Giaretta (1) ; Cristiano André Teixeira (2) ; Fernando Simon Westphal (3)

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A REATORES ELETROMAGNÉTICOS PARA LÂMPADAS A VAPOR DE SÓDIO

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A REATORES ELETROMAGNÉTICOS PARA LÂMPADAS A VAPOR DE SÓDIO CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A REATORES ELETROMAGNÉTICOS PARA LÂMPADAS A VAPOR DE SÓDIO (DOCUMENTO COMPLEMENTAR AO REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A TELEVISORES CINESCÓPIO, LCD, LED, PLASMA E PROJEÇÃO

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A TELEVISORES CINESCÓPIO, LCD, LED, PLASMA E PROJEÇÃO CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A TELEVISORES CINESCÓPIO, LCD, LED, PLASMA E PROJEÇÃO (DOCUMENTO COMPLEMENTAR AO REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE

Leia mais

PROCEL EDIFICA. Eficiência Energética em Edificações Ações Desenvolvidas. José Luiz G. Miglievich Leduc Procel EDIFICA ELETROBRÁS

PROCEL EDIFICA. Eficiência Energética em Edificações Ações Desenvolvidas. José Luiz G. Miglievich Leduc Procel EDIFICA ELETROBRÁS PROCEL EDIFICA Eficiência Energética em Edificações Ações Desenvolvidas José Luiz G. Miglievich Leduc Procel EDIFICA ELETROBRÁS junho de 2008 Consumo Faturado de Energia Elétrica 2007 376,90 TWh OUTROS

Leia mais

AMBIENTES DE PERMANÊNCIA PROLONGADA COM PISCINA SOBRE COBERTURA

AMBIENTES DE PERMANÊNCIA PROLONGADA COM PISCINA SOBRE COBERTURA AMBIENTES DE PERMANÊNCIA PROLONGADA COM PISCINA SOBRE COBERTURA Introdução Piscinas sobre coberturas são elementos arquitetônicos que, apesar de pouco frequente, aparecem em algumas edificações residenciais

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO PARA O PROCESSO DE RETROFIT DE EDIFÍCIO DE ESCRITÓRIOS: EFICIÊNCIA DE SISTEMA DE PROTEÇÃO SOLAR 1

CONTRIBUIÇÃO PARA O PROCESSO DE RETROFIT DE EDIFÍCIO DE ESCRITÓRIOS: EFICIÊNCIA DE SISTEMA DE PROTEÇÃO SOLAR 1 XVI ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO Desafios e Perspectivas da Internacionalização da Construção São Paulo, 21 a 23 de Setembro de 2016 CONTRIBUIÇÃO PARA O PROCESSO DE RETROFIT DE

Leia mais

Nota técnica referente à avaliação para a norma de NBR em consulta pública

Nota técnica referente à avaliação para a norma de NBR em consulta pública UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Laboratório de Eficiência Energética em Edificações http://www.labeee.ufsc.br e-mail: contato@labeee.ufsc.br Telefones:

Leia mais

QUANTIFICAÇÃO, SIMULAÇÃO E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA. Claudia Barroso-Krause Claudio Morgado Alice Brasileiro Ingrid Fonseca

QUANTIFICAÇÃO, SIMULAÇÃO E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA. Claudia Barroso-Krause Claudio Morgado Alice Brasileiro Ingrid Fonseca QUANTIFICAÇÃO, SIMULAÇÃO E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Claudia Barroso-Krause Claudio Morgado Alice Brasileiro Ingrid Fonseca INTEGRAÇÃO E ESCOLHA Simulação e Decisão? Ou Decisão e Simulação? Ou Decisão com

Leia mais

Desempenho Térmico. Sinduscon 27/06/13

Desempenho Térmico. Sinduscon 27/06/13 15.575 Desempenho Térmico O Que a Norma exige? 15575-1 Item 11 Desempenho Térmico 11.1 Generalidades: atender às exigências de desempenho térmico (ZB) a) Procedimento 1 simplificado b) Procedimento 2 medição

Leia mais

Fundação de Ensino e Engenharia em Santa Catarina

Fundação de Ensino e Engenharia em Santa Catarina UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO - DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Campus Universitário Trindade Florianópolis SC CEP 88040-900 Caixa Postal 476 Fundação de Ensino e Engenharia

Leia mais

ANÁLISE DO DESEMPENHO TERMO ENERGÉTICO DE HABITAÇÕES UNIFAMILIARES DE INTERESSE SOCIAL ATRAVÉS DO MÉTODO DE SIMULAÇÃO DO REGULAMENTO BRASILEIRO 1

ANÁLISE DO DESEMPENHO TERMO ENERGÉTICO DE HABITAÇÕES UNIFAMILIARES DE INTERESSE SOCIAL ATRAVÉS DO MÉTODO DE SIMULAÇÃO DO REGULAMENTO BRASILEIRO 1 XVI ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO Desafios e Perspectivas da Internacionalização da Construção São Paulo, 21 a 23 de Setembro de 2016 ANÁLISE DO DESEMPENHO TERMO ENERGÉTICO DE

Leia mais

Manual Eficiência Energética em Edificações. Eng J. Jorge Chaguri Jr

Manual Eficiência Energética em Edificações. Eng J. Jorge Chaguri Jr Manual Eficiência Energética em Edificações Eng J. Jorge haguri Jr Estrutura da presentação valiação da eficiência do aquecimento de agua a gás Estudo de caso e exemplos Sistema de aquecimento de água

Leia mais

4.1 MANUAL RTQ-C. Manual para Aplicação do RTQ-C. Versão 4 Junho de Com base na Portaria nº 372 e. complementares nº 17, 299 e 126

4.1 MANUAL RTQ-C. Manual para Aplicação do RTQ-C. Versão 4 Junho de Com base na Portaria nº 372 e. complementares nº 17, 299 e 126 4.1 Manual para Aplicação do RTQ-C MANUAL RTQ-C Versão 4 Junho de 2016 centro brasileiro de eficiência energética em edificações Com base na Portaria nº 372 e complementares nº 17, 299 e 126 Eletrobrás/Procel

Leia mais

Fundação de Ensino e Engenharia em Santa Catarina

Fundação de Ensino e Engenharia em Santa Catarina UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO - DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Campus Universitário Trindade Florianópolis SC CEP 88040-900 Caixa Postal 476 Fundação de Ensino e Engenharia

Leia mais

Portaria n.º 372, de 17 de setembro de 2010.

Portaria n.º 372, de 17 de setembro de 2010. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 372, de 17 de setembro de

Leia mais

2.1 RTQ-C. Regulamento Técnico da Qualidade para o Nível de Eficiência Energética de Edificações Comerciais, de Serviços e Públicas

2.1 RTQ-C. Regulamento Técnico da Qualidade para o Nível de Eficiência Energética de Edificações Comerciais, de Serviços e Públicas 2.1 Regulamento Técnico da Qualidade para o Nível de Eficiência Energética de Edificações Comerciais, de Serviços e Públicas RTQ-C Com alterações das portarias: nº17 de 2012 e nº299 de 2013 centro brasileiro

Leia mais

Portaria n.º 126, de 19 de março de 2014.

Portaria n.º 126, de 19 de março de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Portaria n.º 126, de 19 de março de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

Elaborado pelo Centro Brasileiro de Eficiência Energética em Edificações - CB3E

Elaborado pelo Centro Brasileiro de Eficiência Energética em Edificações - CB3E Elaborado pelo Centro Brasileiro de Eficiência Energética em Edificações - CB3E Coordenação: Roberto Lamberts, PhD Núcleo de Edificações Residenciais Pós-doutorandos: Michele Fossati, Dra. Eng. Civil Doutorandos:

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A MOTORES ELÉTRICOS

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A MOTORES ELÉTRICOS CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A MOTORES ELÉTRICOS DOCUMENTO COMPLEMENTAR AO REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA) 25/08/2010 PROCEL / ELETROBRAS

Leia mais

Fundação de Ensino e Engenharia em Santa Catarina

Fundação de Ensino e Engenharia em Santa Catarina UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO - DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Campus Universitário Trindade Florianópolis SC CEP 88040-900 Caixa Postal 476 Fundação de Ensino e Engenharia

Leia mais

Desempenho Térmico de edificações Aula 12: Diretrizes Construtivas para Habitações no Brasil NBR15220

Desempenho Térmico de edificações Aula 12: Diretrizes Construtivas para Habitações no Brasil NBR15220 Desempenho Térmico de edificações NBR15220 PROFESSOR Roberto Lamberts ECV 5161 UFSC FLORIANÓPOLIS + objetivos + requisitos usuários + NBR 15220 + NBR 15220-3 + parâmetros e condições de contorno + estratégias

Leia mais

COMPARAÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DA ENVOLTÓRIA DE HABITAÇÕES DE INTERESSE SOCIAL PELOS MÉTODOS PRESCRITIVO E SIMULAÇÃO DO RTQ-R

COMPARAÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DA ENVOLTÓRIA DE HABITAÇÕES DE INTERESSE SOCIAL PELOS MÉTODOS PRESCRITIVO E SIMULAÇÃO DO RTQ-R COMPARAÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DA ENVOLTÓRIA DE HABITAÇÕES DE INTERESSE SOCIAL PELOS MÉTODOS PRESCRITIVO E SIMULAÇÃO DO RTQ-R Arthur Santos Silva (), Laiane Susan Silva Almeida (), Enedir Ghisi ()

Leia mais

ESPLANADA SUSTENTÁVEL 1ªoficina

ESPLANADA SUSTENTÁVEL 1ªoficina ESPLANADA SUSTENTÁVEL 1ªoficina Mobilização / Sensibilização Módulo Eficiência Energética Fevereiro 2012 Fonte: Plano Nacional de Energia 2030 MME, colaboração Empresa de Pesquisa Energética EPE, 2007

Leia mais

ANÁLISE, CLASSIFICAÇÃO E SIMULAÇÃO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE TIPOLOGIAS COMERCIAIS DA ZONA CENTRAL DA CIDADE DE PELOTAS-RS

ANÁLISE, CLASSIFICAÇÃO E SIMULAÇÃO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE TIPOLOGIAS COMERCIAIS DA ZONA CENTRAL DA CIDADE DE PELOTAS-RS ANÁLISE, CLASSIFICAÇÃO E SIMULAÇÃO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE TIPOLOGIAS COMERCIAIS DA ZONA CENTRAL DA CIDADE DE PELOTAS-RS PEGLOW,Jaqueline da Silva¹;CUNHA,Eduardo Grala da²; BERALDI, Gabriela³; QUINTANA,

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NOS SISTEMAS DE ILUMINAÇÃO DO TRIBUNAL DE CONTAS DO PARANÁ

AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NOS SISTEMAS DE ILUMINAÇÃO DO TRIBUNAL DE CONTAS DO PARANÁ PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Gerência de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil PPGEC

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNIDADE ACADÊMICA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNIDADE ACADÊMICA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNIDADE ACADÊMICA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA ANÁLISE DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DA ENVOLTÓRIA E DE DIFERENTES TIPOS

Leia mais

APLICAÇÃO DO CONCEITO DO SELO PROCEL EDIFICA EM EDIFICAÇÕES DO CAMPUS DE PALMAS/UFT

APLICAÇÃO DO CONCEITO DO SELO PROCEL EDIFICA EM EDIFICAÇÕES DO CAMPUS DE PALMAS/UFT APLICAÇÃO DO CONCEITO DO SELO PROCEL EDIFICA EM EDIFICAÇÕES DO CAMPUS DE PALMAS/UFT APPLICATION CONCEPT STAMP PROCEL EDIFICA IN CAMPUS BUILDINGS OF PALMAS/UFT Mariela Cristina Ayres de Oliveira, Nathalia

Leia mais

Carga Térmica. Definições. Métodos de Cálculo. Ferramentas de simulação. Normas. Condições externas e internas

Carga Térmica. Definições. Métodos de Cálculo. Ferramentas de simulação. Normas. Condições externas e internas Carga Térmica Definições Métodos de Cálculo Ferramentas de simulação Normas Condições externas e internas PME 2515 - Ar Condicionado e Ventilação Alberto Hernandez Neto -Direitos autorais reservados -

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FATECS CURSO: ENGENHARIA CIVIL ELIAS YUSUF NETO MATRÍCULA:

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FATECS CURSO: ENGENHARIA CIVIL ELIAS YUSUF NETO MATRÍCULA: FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FATECS CURSO: ENGENHARIA CIVIL ELIAS YUSUF NETO MATRÍCULA: 21016131 Eficiência Energética em Edificações: aplicação do RTQ-C Requisitos Técnicos da

Leia mais

Estudos de Eficiência Energética em Aparelhos Condicionadores de Ar e Técnicas para Redução da Carga Térmica nas Edificações

Estudos de Eficiência Energética em Aparelhos Condicionadores de Ar e Técnicas para Redução da Carga Térmica nas Edificações Universidade Estadual de Londrina Centro de Tecnologia e Urbanismo Departamento de Engenharia Elétrica Lucas Felipe de Lima Estudos de Eficiência Energética em Aparelhos Condicionadores de Ar e Técnicas

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO TÉRMICO EM EDIFÍCIOS DE ESCRITÓRIO NA REGIÃO CENTRAL DO RIO GRANDE DO SUL

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO TÉRMICO EM EDIFÍCIOS DE ESCRITÓRIO NA REGIÃO CENTRAL DO RIO GRANDE DO SUL AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO TÉRMICO EM EDIFÍCIOS DE ESCRITÓRIO NA REGIÃO CENTRAL DO RIO GRANDE DO SUL Francéli Ferreira (1); Joaquim C. Pizzutti dos Santos (2); Egon Vettorazzi (3) (1) Programa de Pós-Graduação

Leia mais

Sistemas de Energia Solar e Eólica Professor: Jorge Andrés Cormane Angarita

Sistemas de Energia Solar e Eólica Professor: Jorge Andrés Cormane Angarita Sistemas de Energia Solar e Eólica Professor: Jorge Andrés Cormane Angarita Especificações dos Módulos Fotovoltaicos Comerciais Sistemas de Energia Solar e Eólica Identificação e informações gerais Módulo

Leia mais

Quem somos e no que acreditamos

Quem somos e no que acreditamos Quem somos Quem somos e no que acreditamos NOSSA ATUAÇÃO Somos uma empresa que propõe soluções em projetos e construções de edificações a partir de diretrizes de eficiência energética e sustentabilidade.

Leia mais

Eficiência Energética em Edificações

Eficiência Energética em Edificações Eficiência Energética em Edificações CONTEÚDO ABORDADO ORGANOGRAMA CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA Consumo Faturado de Energia Elétrica 2011 430 TWh (Fonte: EPE Janeiro 2012) PROCEL EDIFICA O PROGRAMA O Programa

Leia mais

DOMINGO SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA SÁBADO Inscrição Inscrição Inscrição Inscrição Inscrição

DOMINGO SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA SÁBADO Inscrição Inscrição Inscrição Inscrição Inscrição junho 2017 28 29 30 31 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 Divulgação do Edital 18 19 20 21 22 23 24 Inscrição Inscrição Inscrição Inscrição Inscrição 25 26 27 28 29 30 1 Inscrição Inscrição Inscrição

Leia mais

ANÁLISE DE ALTERNATIVAS PARA A REDUÇÃO DO CONSUMO ENERGÉTICO EM EDIFICAÇÕES CLIMATIZADAS

ANÁLISE DE ALTERNATIVAS PARA A REDUÇÃO DO CONSUMO ENERGÉTICO EM EDIFICAÇÕES CLIMATIZADAS ANÁLISE DE ALTERNATIVAS PARA A REDUÇÃO DO CONSUMO ENERGÉTICO EM EDIFICAÇÕES CLIMATIZADAS Markus Kirst Hahm markus.hahm@gmail.com Resumo. Este trabalho tem como objetivo a análise de diferentes soluções

Leia mais