corte ampliado / ed. administrativo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "corte ampliado / ed. administrativo"

Transcrição

1

2

3 1 pavimento térreo SE NW e s c. : 1 : e s c. : 1 : 3 0 e s c. : 1 : 3 0 e s c. : 1 : R UA D E SCO B E R T A ESPELO D AGUA 29 RECEPÇÃO CFT 30 PORTARIA / CONTROLE SAGUÃO ELEVADORES ACESS O D E PEDESTRES ACESSO DE AUTOMÓVEIS VAG AS DESCOBER TAS PRAÇA VAGA S D E S COBERT A S corte ampliado / ed. administrativo e s c. : 1 : 5 0 brise fachada NW via L-2 Sul

4 1 subsolo e s c. : 1 : subsolo e s c. : 1 : ACESSO DE SERVIÇO ACESSO DE SERVIÇO BIBLIOTECA AUDITÓRIO 68 RESERVA SALÃO MULTIUSO CAFÉ TERRAÇO RECEPÇÃO FOYER ACESSO AUTORIDADES PRAÇA 68 RESERVA DE ÁREA PARA ESCRITÓRIOS

5 cortes e elevações AUDITÓRIO corte AA corte BB e s c. : 1 : e s c. : 1 : ELEVADOR CFT RECEPÇÃO CFT PISO GRAMA RECEPÇÃO CFT AUDITÓRIO SALA MULTIUSO PRAÇA VIDRO INCOLOR LAMINADO corte CC corte DD e s c. : 1 : e s c. : 1 : PISO GRAMA RECEPÇÃO CFT PISO GRAMA BRISE METÁLICO SALA MULTIUSO AUDITÓRIO VIDRO INCOLOR LAMINADO elevação via L2 Sul elevação lateral - lote 28 e s c. : 1 : e s c. : 1 : RECEPÇÃO CFT ELEVADOR CFT VIDRO INCOLOR LAMINADO VIDRO INCOLOR LAMINADO BRISE METÁLICO PISO GRAMA elevação setor de embaixadas Sul elevação lateral - lote 32 e s c. : 1 : e s c. : 1 : 2 0 0

6 processo estrutura instalações ar condicionado instalações hidráulicas UNIDADES CONDENSADORAS UNIDADES EVAPORADORAS ( MULTI-SPLIT) Captação de Águas Pluviais idrantes Reservatório Superior de Água Potável Reservatório Superior de Água Potável idrantes Captação de Águas Pluviais Memorial Descritivo do Pré-Dimensionamento da Estrutura O Conjunto O edifício em análise é o edifício sede do SEBRAE a ser executado em Brasília/DF que consiste basicamente em quatro pavimentos (1º andar, térreo e dois subsolos). O seu arranjo estrutural é composto de grelhas (lajes planas e nervuradas em concreto armado), vigas (concreto armado e protendido) e pilares em concreto armado. Esta Sede possui uma área total de m². O concreto adotado no pré-dimensionamento da estrutura tem as seguintes características: - Resistência característica à compressão - fck = 30MPa - fcd = fck / yc = 21,4 MPa - Adensamento do concreto por processo de vibração Para o dimensionamento das peças de concreto é necessário considerar a durabilidade da estrutura. A norma NBR-6118 (ABNT, 2003) relaciona a durabilidade com a agressividade do meio ambiente, cobrimento da armadura, relação água/cimento e classe do concreto. Para a estrutura em questão foi adotada uma classe de agressividade igual a II, onde, de acordo com a Tabela 6.1 da norma NBR-6118 (ABNT, 2003), indica uma região de ambiente urbano com agressividade moderada e pequeno risco de deterioração da estrutura. O cobrimento mínimo da armadura de acordo com a Tabela 7.2 da norma NBR-6118 (ABNT, 2003), considerando a classe de agressividade ambiental adotado e o elemento estrutural, deve ser de 2,5 cm para as lajes e de 3,0 cm para as vigas e pilares. O aço empregado na confecção das armaduras longitudinais e construtivas dos elementos estruturais é o CA-50, com tensão de escoamento fyk = 500 MPa. Considerando-se o ys = 1,15, tem-se fyd = fyk/ys = 434,8 MPa. As armações transversais (estribos) são em aço CA-60 tendo então fyk = 600 MPa. O esquema estrutural de lajes nervuradas (utilizando fôrma ATEX 900, com altura da fôrma de 42,5 cm e 7,5 cm de mesa), apoiadas em vigas faixas maciças coincidentes com as linhas dos pilares consegue resistir aos esforços solicitantes existentes. O peso próprio da estrutura foi calculando considerando-se o volume da mesma e o peso específico de 2500 kgf/m³. Os carregamentos devidos às cargas acidentais são considerados de acordo com a finalidade de uso da estrutura. Para o centro de convenções, a carga vertical a ser considerado é de 400 kgf/m². Como resultado do pré-dimensionamento realizado, a altura dessas vigas faixas deve ser de 50 cm, para que as deformações nos grandes vãos dessas vigas devido à sobrecarga atendam ao limite estabelecido pela norma NBR (ABNT, 2003). Essas vigas necessitam ser protendidas de forma a corrigir as deformações relativas à carga permanente. O pré-dimensionamento mostrou que os pilares do edifício de escritório, com 55 cm de diâmetro são suficientes para resistir aos esforços solicitantes, o mesmo ocorre nos pilares do centro de formação (diâmetro de 35 cm nos eixos G e 6A e de 50 cm no restante) e os pilares do subsolo (diâmetro de 60 cm). Vai para rede pública Vem da rede pública Reservatório Inferior de Água Potável Bombas de recalque BUS-WAY Filtros Bombas de idrante Reservatório Inferior de Água Pluvial O prédio será alimentado com água potável fornecida pela concessionária local - CAESB - Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal. O sistema será dotado de reservatórios inferiores que receberá a água do sistema CARSB e a transferirá para o reservatório superior por meio de bombas centrífugas de recalque. Os reservatórios serão dimensionados para uma reserva equivalente a dois dias de consumo. a distribuição de água potável para os pontos de consumo será por gravidade. Quadros de Distribuição BUS-WAY Bombas de idrante Sistema de Captação e Reserva de Água Potável Sistema de Captação e Reserva de Águas Pluviais Sistema de idrantes As águas pluviais coletadas na cobertura do prédio, após passar por um sistema de filtragem apropriado, serão encaminhadas a um reservatório a ser construído no subsolo do prédio, que será dotado de um sistema de válvulas motorizadas e intertravadas. Esse reservatório terá como finalidade acumular a água do sistema de hidrantes e servir para uso como limpeza e irrigação dos jardins. Caso aconteça um longo período de estiagem, esse reservatório será alimentado pelo sistema da CAESB. instalações elétricas DESCRIÇÃO GERAL DO SISTEMA UNIDADES CONDENSADORAS UNIDADES EVAPORADORAS ( MULTI-SPLIT) Foi elaborado um pré-dimensionamento para o sistema de ar condicionado, visando a menor interferência arquitetônica e economia de energia. A escolha do sistema partiu das seguintes diretrizes: - Gás refrigerante R-410-A, de máxima eficiência ecológica. - Economia no custo operacional e manutenção. - Velocidade de instalação. - Flexibilidade operacional. - Funcionamento econômico com aproveitamento máximo da energia. - Aproveitamento do espaço onde seriam as casas de máquinas. 1º`Pavimento plantas de formas No Break Subestação de Energia Grupos Geradores O prédio deverá ser alimentado de energia elétrica em média tensão pela concessionária local CEB (Companhia Energética de Brasília). Será projetada uma subestação compacta com equipamentos isolados em SF-6. Os transformadores a serem utilizados serão do tipo A seco isolados com resina epóxi. Serão instalados grupos geradores com sistema de atenuação de ruído. Os geradores terão um sistema de transferência de carga que possibilitará que os grupos trabalhem em paralelo, com transferência de carga em rampa, para horário de ponta ou em eventuais problemas de falta de energia da concessionária. Tal sistema irá acarretar uma economia na conta de energia do prédio. A distribuição de energia para o prédio será efetuada por barramentos blindados (bus-duct), desde os QGBT até os quadros de distribuição nos pavimentos e destes aos quadros terminais com cabos elétricos não propagantes de chamas, livres de halogênio e com baixa emissão de fumaça e gases tóxicos. Deverá ser instalado também um sistema de no-break (UPS) que irá alimentar as cargas críticas, que são aquelas que não podem sofrer interrupção de energia, tais como o centro de processamento de dados (cpd), sistemas de segurança e outras. Para atendimento dos ambiente sem grandes intervenções arquitetônicas, propomos a instalação de sistema Multi-Split VRF com fluxo de refrigerante variável. Cada grupo de unidades internas evaporadoras será interligado a um condensador de ar remoto -a gás - (localizado na cobertura) através de tubulação de cobre e cabos de energia e lógica. Desta forma todo o sistema será modular e autônomo permitindo funcionamento parcial, seja para economia de energia seja para manutenção. Cada sistema será composto por evaporadoras (unidades internas) dotadas de ventilador, trocador de calor, microprocessador e válvula de expansão eletrônica responsável pelo controle de capacidade individualizado de cada unidade interna. O grupo de evaporadores emitirá sinais que determinarão o funcionamento do compressor com consumo e rotação proporcional à capacidade requerida naquele instante, sendo para tal utilizado controle de fluxo de refrigerante através de inversor de freqüência (varia rotação do compressor variando a freqüência da alimentação elétrica do compressor). Todos os equipamentos serão conectados a uma Interface Central para controle à distância e programação de funcionamento de cada unidade. Esta interface poderá ser conectada de forma direta a rede Ethernet e acessada pelo Internet Explorer em qualquer computador da rede que tenha seu endereço IP. A interface também permitirá acesso remoto e conexão de software de gerenciamento central, prevendo: - Auto-diagnóstico e emissão de relatórios. - Monitoração de consumo rateada por áreas e controle de demanda. - Emissão de alarme via e acesso remoto através da internet. - Programação horária anual do sistema (liga/desliga, alterações automáticas de temperatura, controle de acesso) cabeamento estruturado Armário de Comunicações de Piso Armário de Comunicações cálculo de elevadores Térreo população CÁLCULO DE TRÁFEGO NOS ELEVADORES (conforme NBR 5665) Composição 4672 m² Relação 1 pessoa / 7 m² População Total 668 Porcentagem mínima a ser transportada em 5 min 15 % 100 Intervalo de tráfego máximo admissível (s) 40 1º Subsolo 2º subsolo - nível º subsolo - nível Sistema de Informática Sistema de Automação Predial Sistema de Informática Posto de Comutação com Integração Sala de Telecomunicações O sistema de cabeamento estruturado será projetado de modo a prover uma infra-estrutura que permita evolução e flexibilidae para os serviços de telecomunicações, sejam de voz, dados, imagens e automação predial. O sistema de cabeamento estruturado será composto de 6 subsistemas, cada qual tendo suas especificações de instalação, desempenho e teste. Os subsistemas estão especificados abaixo: - cabeamento horizontal (horizontal cabling) - áreas de trabalho (work area) - cabeamento vertical em fibra ótica (back bone - armários de telecomunicações (telecommunications closet) - sala de equipamentos (equipament room) - entrada de facilidades (entrance facilities). O sistema de cabeamento estruturado será categoria 6. elevadores 1. Unidades do grupo 4 2. Capacidade (passageiros) 8 3. Paradas 5 4. Paradas prováveis 4,60 5. Percurso (m) 14,40 6. Velocidade (m/s) 1,6 7. Tipo de portas AC 8. Abertura livre (m) 0,90 tempos adotados (s) 9. Aceleração e retardamento 3, Abertura e fechamento de portas 3,9 11. Entrada e saída de passageiros 2,4 Estação do Operador 01 Estação do Operador 02 automação predial tempos totais calculados (s) 12. T1 - Percurso total 18,0 13. T2 - Aceleração e retardamento 8,0 14. T3 - Abertura e fechamento de portas 17,9 15. T4 - Entrada e saída de passageiros 19,2 Soma parcial (T1 + T2 + T3 + T4) 63,1 Adicional 0,1 (T3 + T4) 3,7 Unidade de Supervisão 1 Unidade de Supervisão 2 Unidade de Supervisão T - tempo total de viagem 66,8 17. I - Intervalo de tráfego (s) 16,7 18. C 1 - Capacidade de transporte (passageiros) 35,9 19. C T - Capacidade de tráfego (passageiros) 143,6 Sistema de Elevadores Sistema de Detecção de Incêndio Sistema de Iluminação Valores máximos admitidos para: (conforme NBR 5665) I - Intervalo de tráfego (s) 40,0 Sistema de No Break Valores mínimos admitidos para: (conforme NBR 5665) 2º Subsolo Sistema de Geradores Sistema de Controle de Acesso Sistema de Climatização C T - Capacidade de tráfego em 5 min (passageiros) 100 3º Subsolo térreo - nível º pavimento - nível Subestação e Consumo de Energias Reservatório e Bombas idráulicas Sistema de CFTV O sistema de automação e supervisão predial a ser proposto para o prédio do SEBRAE - DF terá por finalidade a atividade de gestão dos diversos sistemas instalados na edificação. A função do sistema será a de efetuar o gerenciamento centralizado, em tempo real, das atividades dos equipamentos instalados e integrados ao software de automação. O software é uma ferramenta de interface entre o operador e os equipamentos instalados no sistema de automação, permitindo a visualização e a interferência através do computador. Sistemas idráulicos - água fria; - água gelada; - esgotos sanitários; - águas pluviais; - drenagem de subsolo; - fontes, cascatas, espelhos d'àgua; - gestão do uso da água; Sistemas Elétricos - iluminação; - força; - energia estabilizada; - emergência; - sinalização; - no-break; - comandos fotoelétricos; - gerenciamento da demanda; S i s t e m a s Comunicação - telefonia; - internet; - interfonia; - tv; - vídeo; - fax; - central de chamadas; - busca de pessoas; - sonorização ambiental; - cabeamento estruturado d e A finalidade do sistema de automação predial é a de racionalizar a mão de obra de operação, conforto e segurança do usuário e prolongamento da vida útil dos equipamentos instalados na edificação. Os sistemas que farão parte da automação deverão ser: S i s t e m a s d e Segurança Contra Incêndios - hidrantes; - extintores; - detecção e alarme; - sinalização; - exaustão de fumaça; - portas automáticas; - dampers corta-fogo. Sistemas Mecânicos Conforto - ventilação mecânica; - condicionamento de ar; - exaustão. Sistemas Mecânicos Transporte - elevadores; - escadas rolantes; Sistemas de Segurança Predial - controle de acesso; - controle de veículos; - controle de ronda; - controle de portas e janelas; - CFTV - circuito fechado de tv. setor quadro de áreas área (m²) Área Administrativa 5882,00 Centro de Formação e Treinamento 1905,00 Restaurantes e Serviços Gerais 957,00 Áreas Técnicas 386,00 Garagem 5000,00 Reserva de Área para Escritórios 848,00 Total Construído 14978,00 coeficientes QUADRO DE ÁREAS Taxa de Ocupação 35,80% Área permeável 3090,00

7 vista do setor de embaixadas Sul vista da praça vista da rua descoberta

8 vista da via L-2 Sul

SISTEMAS PREDIAIS II. Automação Predial

SISTEMAS PREDIAIS II. Automação Predial PCC-2466 SISTEMAS PREDIAIS II Automação Predial Serviços dos Edifícios HIDRÁULICOS Água Fria; Água Gelada; Água Quente; Sistemas de Aquecimento (solar etc.); Esgotos Sanitários; Águas Pluviais; Drenagem

Leia mais

Ecologicamente correto. Economicamente viável. Socialmente justo. Culturalmente aceito.

Ecologicamente correto. Economicamente viável. Socialmente justo. Culturalmente aceito. Ecologicamente correto Economicamente viável Socialmente justo Culturalmente aceito. ENERGIA SEGURANÇA ETE FIBRA-ÓTICA DADOS TELEFONIA PAVIMENTAÇÃO VIAS PROJETADAS GÁS ETA SINALIZAÇÃO EQUIP. URBANOS ACESSIBILIDADE

Leia mais

Transporte Vertical Normas Brasileiras e Cálculo de Tráfego

Transporte Vertical Normas Brasileiras e Cálculo de Tráfego Transporte Vertical Normas Brasileiras e Cálculo de Tráfego Elevadores de Passageiros Conhecimentos iniciais: Normas da ABNT NORMA NBR - 5666 Elevadores Elétricos - Terminologia NORMA NBR - NM 207 Elevadores

Leia mais

PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA

PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA ECC 1008 ESTRUTURAS DE CONCRETO PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA (Aulas 9-12) Prof. Gerson Moacyr Sisniegas Alva Algumas perguntas para reflexão... É possível obter esforços (dimensionamento) sem conhecer

Leia mais

Memorial Descritivo. Montreal Plaza

Memorial Descritivo. Montreal Plaza Memorial Descritivo Montreal Plaza MEMORIAL DESCRITIVO MONTREAL PLAZA A - INSTALAÇÕES PREDIAIS 1. SISTEMA AUXILIAR DE ENERGIA (GERADOR) Instalação de um grupo de geradores para atender: Área comum: Recepção,

Leia mais

AFFINITY HOME WORK - INOVADOR, INTELIGENTE, INCOMPARÁVEL

AFFINITY HOME WORK - INOVADOR, INTELIGENTE, INCOMPARÁVEL AFFINITY HOME WORK - INOVADOR, INTELIGENTE, INCOMPARÁVEL O AFFINITY HOME WORK visa revolucionar a Enseada do Suá, pois o empreendimento INOVA ao trazer um conceito misto à região. O fato de carregar toda

Leia mais

ANEXO XVII PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS E EDIFICAÇÕES

ANEXO XVII PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS E EDIFICAÇÕES ANEXO XVII PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS E EDIFICAÇÕES Complexo Esportivo de Deodoro Edital 1.10 1. Instalações Hidráulicas e Sanitárias Os serviços de manutenção de instalações hidráulicas e sanitárias,

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES. Disciplina: Projeto de Estruturas. Aula 7

CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES. Disciplina: Projeto de Estruturas. Aula 7 AULA 7 CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES Disciplina: Projeto de Estruturas CLASSIFICAÇÃO DAS ARMADURAS 1 CLASSIFICAÇÃO DAS ARMADURAS ALOJAMENTO DAS ARMADURAS Armadura longitudinal (normal/flexão/torção) Armadura

Leia mais

A concepção estrutural deve levar em conta a finalidade da edificação e atender, tanto quanto possível, às condições impostas pela arquitetura.

A concepção estrutural deve levar em conta a finalidade da edificação e atender, tanto quanto possível, às condições impostas pela arquitetura. ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 4 Libânio M. Pinheiro, Cassiane D. Muzardo, Sandro P. Santos 2 de abril, 2003. CONCEPÇÃO ESTRUTURAL A concepção estrutural, ou simplesmente estruturação, também chamada

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA -2

TERMO DE REFERÊNCIA -2 TERMO DE REFERÊNCIA -2 1. O PROJETO Projeto executivo para construção do prédio das Promotorias da Infância e Juventude. 2. OBJETIVOS O presente Termo de Referência tem como objetivo nortear a contratação

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA -2

TERMO DE REFERÊNCIA -2 TERMO DE REFERÊNCIA -2 1. O PROJETO Título do Projeto: Reforma e Ampliação das Promotorias de Justiça de Direitos Constitucionais e Patrimônio Público e Promotorias de Justiça de Ações Constitucionais

Leia mais

MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense

MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Ao: Pró Reitor de Desenvolvimento Institucional ANTÔNIO A. RAITANI JÚNIOR Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense Assunto:

Leia mais

EDISON DOMINGUES JR. RAYMOND KHOE LUIZ ROBERTO SOARES

EDISON DOMINGUES JR. RAYMOND KHOE LUIZ ROBERTO SOARES PROJETOS DE HOSPITAIS SUSTENTÁVEIS EDISON DOMINGUES JR. RAYMOND KHOE LUIZ ROBERTO SOARES É importante destacar os benefícios de um edifício sustentável. Os green buildings podem ser definidos pelas seguintes

Leia mais

LOCAIS DE TRABALHO COM QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PROJETOS COMPLEMENTARES

LOCAIS DE TRABALHO COM QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PROJETOS COMPLEMENTARES LOCAIS DE TRABALHO COM QUALIDADE E PRODUTIVIDADE 01 NOSSOS SERVIÇOS Após 35 anos de experiência na área de edificações para o mercado imobiliário gaúcho, a BENCKEARQUITETURA, juntamente com a BENCKECONSTRUÇÕES,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PAX-PERDIZES

MEMORIAL DESCRITIVO PAX-PERDIZES MEMORIAL DESCRITIVO PAX-PERDIZES PAX_PERDIZES é composto por 1 torre residencial com 8 pavimentos com 4 unidades cada. As vagas de estacionamento estão distribuídas em 2 subsolos. O acesso ao Empreendimento

Leia mais

FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PROJETO TÉCNICO

FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PROJETO TÉCNICO ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS DAT/1 SEÇÃO DE ANÁLISE DE PROJETOS FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

Leia mais

Proprietário Página 1 de 6

Proprietário Página 1 de 6 MEMORIAL DESCRITIVO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO ACOPIARA PREFEITURA MUNICIPAL DE ACOPIARA(CE) DATA 10/11/2011 MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO DO PROJETO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

Leia mais

SEBRAE Memorial Descritivo. 1. Diretrizes

SEBRAE Memorial Descritivo. 1. Diretrizes SEBRAE Memorial Descritivo 1. Diretrizes A identidade do edifício institucional deve se dar pelo caráter da obra singular ou por um conjunto edificado que reconstitua o lugar como uma referência para a

Leia mais

Linha 17 Ouro. Ligação do Aeroporto de Congonhas à Rede Metroferroviária. Linha 17 Ouro

Linha 17 Ouro. Ligação do Aeroporto de Congonhas à Rede Metroferroviária. Linha 17 Ouro Ligação do Aeroporto de Congonhas à Rede Metroferroviária CARACTERÍSTICAS CARACTERÍSTICA PRINCIPAL Sistema de Monotrilho Trem com tração elétrica e sustentação por pneus, que se desloca sobre uma viga,

Leia mais

Dados do Produto. Ar Condicionado: ponto dreno + carga elétrica (sala e dormitório)

Dados do Produto. Ar Condicionado: ponto dreno + carga elétrica (sala e dormitório) FICHA TÉCNICA Projeto Arquitetônico: Gkalili Arquitetura Design de Fachada: Triptyque Arquitetura Projeto Paisagístico: EKF Arquitetura paisagística Projeto Decoração: Triptyque Arquitetura Dados do Produto

Leia mais

APRESENTAÇÃO PROJETOS DE INSTALAÇÕES PREDIAIS EDIFÍCIOS COMERCIAIS TRIPLE A. SOENG Construção Hidroelétrica Ltda.

APRESENTAÇÃO PROJETOS DE INSTALAÇÕES PREDIAIS EDIFÍCIOS COMERCIAIS TRIPLE A. SOENG Construção Hidroelétrica Ltda. APRESENTAÇÃO PROJETOS DE INSTALAÇÕES PREDIAIS EDIFÍCIOS COMERCIAIS TRIPLE A SOENG Construção Hidroelétrica Ltda. Oscar MORIO Tsuchiya Engenheiro Civil EPUSP (1975) diretor tecnico - SOENG SOENG Construção

Leia mais

MINISTERIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO 23ª REGIÃO RUA E S/N, CENTRO POLÍTICO ADMINISTRATIVO, CUIABÁ - MT

MINISTERIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO 23ª REGIÃO RUA E S/N, CENTRO POLÍTICO ADMINISTRATIVO, CUIABÁ - MT MINISTERIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO 23ª REGIÃO RUA E S/N, CENTRO POLÍTICO ADMINISTRATIVO, CUIABÁ - MT MEMÓRIA DE CÁLCULO ESTRUTURA DE CONCRETO SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 1.1. Hipóteses

Leia mais

Cabeamento Estruturado

Cabeamento Estruturado Cabeamento Estruturado Definição Cabeamento para uso integrado em comunicações de voz, dados e imagem preparado de maneira a atender diversos layouts de instalações, por um longo período de tempo, sem

Leia mais

Administração de CPD Internet Data Center

Administração de CPD Internet Data Center Administração de CPD Internet Data Center Cássio D. B. Pinheiro pinheiro.cassio@ig.com.br cassio.orgfree.com Objetivos Apresentar os principais conceitos e elementos relacionados a um dos principais tipos

Leia mais

Aula 5 : Circulação Vertical Escadas, Rampas e Elevadores

Aula 5 : Circulação Vertical Escadas, Rampas e Elevadores Aula 5 : Circulação Vertical Escadas, Rampas e Elevadores Escadas Escada é o elemento de composição arquitetônica cuja função é proporcionar a possibilidade de circulação vertical entre dois ou mais pisos

Leia mais

REDES. A Evolução do Cabeamento

REDES. A Evolução do Cabeamento REDES A Evolução do Cabeamento Até o final dos anos 80, todos os sistemas de cabeamento serviam apenas a uma aplicação, isto é, eram sistemas dedicados. Estes sistemas eram sempre associados à um grande

Leia mais

ESPAÇO CORPORATIVO SILVA BUENO - CSB 261

ESPAÇO CORPORATIVO SILVA BUENO - CSB 261 ESPAÇO CORPORATIVO SILVA BUENO - CSB 261 RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS PERÍODO MAIO DE 2015 Andamento das obras no período Obras no Ático: Início da instalação de luminárias iniciado; Conclusão das

Leia mais

ISSN 1981-4232. Aquecimento Ventilação Ar Condicionado Automação Refrigeração ea. engenharia arquitetura R$ 6,00 PÁTIO MALZONI BUSCA O LEED GOLD

ISSN 1981-4232. Aquecimento Ventilação Ar Condicionado Automação Refrigeração ea. engenharia arquitetura R$ 6,00 PÁTIO MALZONI BUSCA O LEED GOLD + ISSN 1981-4232 Aquecimento Ventilação Ar Condicionado Automação Refrigeração ea engenharia arquitetura R$ 6,00 C lim atização & Refrigeração Ano XI Nº 140 abril de 2012 PÁTIO MALZONI BUSCA O LEED GOLD

Leia mais

PANTHEON - ROMA. Construído em 118 128 d.c. (1887 anos atrás) Cúpula de 5.000 toneladas Altura e o diâmetro do interior do Óculo é de 43,3 metros.

PANTHEON - ROMA. Construído em 118 128 d.c. (1887 anos atrás) Cúpula de 5.000 toneladas Altura e o diâmetro do interior do Óculo é de 43,3 metros. EMPREENDIMENTOS PANTHEON - ROMA Construído em 118 128 d.c. (1887 anos atrás) Cúpula de 5.000 toneladas Altura e o diâmetro do interior do Óculo é de 43,3 metros. CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO

Leia mais

11 3159 1970 www.apiacasarquitetos.com.br PETOBRAS VITÓRIA. Vitória - ES - 2005

11 3159 1970 www.apiacasarquitetos.com.br PETOBRAS VITÓRIA. Vitória - ES - 2005 PETOBRAS VITÓRIA Vitória - ES - 2005 MEMORIAL O partido tem como premissa a ocupação do território não considerando-o como perímetro, e sim como volume, ou seja, apreende deste sítio, sua estrutura geomorfológica.

Leia mais

4 SISTEMAS E EQUIPAMENTOS DE CLIMATIZAÇÃO

4 SISTEMAS E EQUIPAMENTOS DE CLIMATIZAÇÃO 35 4 SISTEMAS E EQUIPAMENTOS DE CLIMATIZAÇÃO Em uma instalação de ar condicionado quando o circuito de refrigeração estiver desligado, teremos uma instalação de ventilação simples, onde são controlados

Leia mais

EDIFÍCIO AFONSO PENA 2300

EDIFÍCIO AFONSO PENA 2300 EDIFÍCIO AFONSO PENA 2300 BELO HORIZONTE MG Apresentação: Condomínio Edifício Afonso Pena, 2.300 Endereço: Afonso Pena, 2.300 Bairro: Centro Esquina com Rio Grande do Norte Belo Horizonte BH Localização:

Leia mais

O primeiro CHILLER nacional para área médico hospitalar

O primeiro CHILLER nacional para área médico hospitalar O primeiro CHILLER nacional para área médico hospitalar A América Latina escolheu a REFRISAT Seu processo pede a REFRISAT faz. Desde sua fundação em 1976, a REFRISAT é reconhecida principalmente por sua

Leia mais

Transporte Vertical em Edifícios Como projetar edifícios com elevadores?

Transporte Vertical em Edifícios Como projetar edifícios com elevadores? Transporte Vertical em Edifícios Como projetar edifícios com elevadores? Nós movimentamos 1 bilhão de pessoas a cada dia... Grupo Schindler Grupo Schindler - Fundado por Robert Schindler, em 1874, na Suíça

Leia mais

PROJETISTAS CONTRATADOS Arquitetura Konisgberger &Vanucchi Arquitetura Legal Baggio&Schiavon Paisagismo Benedito Abbud Fundação Consultrix Estrutura

PROJETISTAS CONTRATADOS Arquitetura Konisgberger &Vanucchi Arquitetura Legal Baggio&Schiavon Paisagismo Benedito Abbud Fundação Consultrix Estrutura PROJETISTAS CONTRATADOS Arquitetura Konisgberger &Vanucchi Arquitetura Legal Baggio&Schiavon Paisagismo Benedito Abbud Fundação Consultrix Estrutura França&Associados e A.S. Estruturas Elétrica e Automação

Leia mais

CAPÍTULO 18 ERRATA DE 14/01/2011 RELAÇÃO DE DESENHOS

CAPÍTULO 18 ERRATA DE 14/01/2011 RELAÇÃO DE DESENHOS CAPÍTULO 18 ERRATA DE 14/01/2011 RELAÇÃO DE DESENHOS 18.1 ESTRUTURA - EST... 2 18.2 ARQUITETURA - ARQ... 5 18.3 INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS - ÁGUA IHA... 6 18.4 IRRIGAÇÃO - IRR... 8 18.5 INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS

Leia mais

Edifícios Consolação I e II

Edifícios Consolação I e II Edifícios Consolação I e II Os edifícios Consolação I e II estão localizados na Rua da Consolação, 2.403/2.411/2387, na quadra delimitada Rua Bela Cintra e Antonio Carlos, Bela Vista - São Paulo, SP. Trata-se

Leia mais

End. Rua Gonçalves Dias, 1075 MEMORIAL DO EMPREENDIMENTO

End. Rua Gonçalves Dias, 1075 MEMORIAL DO EMPREENDIMENTO End. Rua Gonçalves Dias, 1075 MEMORIAL DO EMPREENDIMENTO INFORMAÇÕES GERAIS Endereço do Empreendimento Rua Gonçalves Dias, N 1075 Menino Deus - Porto Alegre RS Composição do Apartamento Tipo 03 Dormitórios

Leia mais

Circulação do Ar remove o calor Interno... Ciclo Frigorífico

Circulação do Ar remove o calor Interno... Ciclo Frigorífico Circulação do Ar remove o calor Interno... Ciclo Frigorífico Tipos de Expansão : Ciclo Frigorífico * Expansão Direta: O Refrigerante Troca Calor Diretamente com o Ar a ser condicionado. Expansão Direta

Leia mais

CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO:

CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO: EMPREENDIMENTOS CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO: Localizado em Novo Hamburgo RS; 18000 m² de área construída; 72 Unidades 3 e 2 dormitórios; 26 Pavimentos; Tratamento e reutilização

Leia mais

Condicionamento de Ar

Condicionamento de Ar Condicionamento de Ar Instituto Federal de Brasília Sumário Introdução Tipos de Condicionadores de ar Vantagens e desvantagens Introdução Refrigeração por Compressão de Vapor Introdução Refrigeração por

Leia mais

EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO

EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO Contribuição técnica nº 19 EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO Autor: ROSANE BEVILAQUA Eng. Consultora Gerdau SA São Paulo, 01 de setembro de 2010. PROGRAMA Introdução Vantagens da utilização de Edifícios

Leia mais

BMS - BUILDING MANAGEMENT SYSTEM

BMS - BUILDING MANAGEMENT SYSTEM BMS - BUILDING MANAGEMENT SYSTEM ADKL.ZELLER 18 ANOS DE EXPERIÊNCIA; SOLUÇÕES EM ENGENHARIA ELÉTRICA E AUTOMAÇÃO DE A a Z; DESENVOLVEMOS TODAS AS ETAPAS DE UM PROJETO; DIVERSAS CERTIFICAÇÕES; LONGAS PARCERIAS

Leia mais

23/06/2010. Eficiência Energética: Regulamentação, Classificação e Conformidade Técnica. Roberto Lamberts

23/06/2010. Eficiência Energética: Regulamentação, Classificação e Conformidade Técnica. Roberto Lamberts Eficiência Energética: Regulamentação, Classificação e Conformidade Técnica Roberto Lamberts Oficina 09 junho de 2010 1 ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES Publicação: junho de 2009. EDIFÍCIOS ETIQUETADOS CETRAGUA

Leia mais

Disciplina: Construção Civil I Procedimentos para Início da Obra

Disciplina: Construção Civil I Procedimentos para Início da Obra UniSALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil Disciplina: Construção Civil I Procedimentos para Início da Obra André Luís Gamino Professor Área de Construção Civil

Leia mais

UniVap - FEAU CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Prof. Minoru Takatori ESTUDO PRELIMINAR

UniVap - FEAU CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Prof. Minoru Takatori ESTUDO PRELIMINAR 1 ESTUDO PRELIMINAR OBJETIVOS Analise e avaliação de todas as informações recebidas para seleção e recomendação do partido arquitetônico, podendo eventualmente, apresentar soluções alternativas. Tem como

Leia mais

CONDOMÍNIO COMERCIAL EVOLUTION PARAíSO Rua Apeninos 418, Paraiso São Paulo

CONDOMÍNIO COMERCIAL EVOLUTION PARAíSO Rua Apeninos 418, Paraiso São Paulo CONDOMÍNIO COMERCIAL EVOLUTION PARAíSO Rua Apeninos 418, Paraiso São Paulo MEMORIAL DESCRITIVO O Evolution Paraíso é composto por uma torre de salas comerciais distribuídas em 11 pavimentos-tipo e 1 cobertura

Leia mais

AR CONDICIONADO. Componentes

AR CONDICIONADO. Componentes AR CONDICIONADO AR CONDICIONADO Basicamente, a exemplo do que ocorre com um refrigerador (geladeira), a finalidade do ar condicionado é extrair o calor de uma fonte quente, transferindo-o para uma fonte

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15 ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15 CONTROLE DE FUMAÇA PARTE 2 CONCEITOS, DEFINIÇÕES E COMPONENTES DO SISTEMA

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ÁREAS DE LAZER

MEMORIAL DESCRITIVO ÁREAS DE LAZER MEMORIAL DESCRITIVO ÁREAS DE LAZER Ficam na cobertura, 9º andar. Esta composta por Salão de festas, Espaço gourmet, Fitness center, Sala de jogos e web, Piscina borda infinita e Solarium. - Salão Festas:

Leia mais

O conhecimento das dimensões permite determinar os vãos equivalentes e as rigidezes, necessários no cálculo das ligações entre os elementos.

O conhecimento das dimensões permite determinar os vãos equivalentes e as rigidezes, necessários no cálculo das ligações entre os elementos. PRÉ-DIMENSIONAMENTO CAPÍTULO 5 Libânio M. Pinheiro, Cassiane D. Muzardo, Sandro P. Santos 3 abr 2003 PRÉ-DIMENSIONAMENTO O pré-dimensionamento dos elementos estruturais é necessário para que se possa calcular

Leia mais

Paulista Corporate Avenida Paulista, nº 1.636 São Paulo - SP

Paulista Corporate Avenida Paulista, nº 1.636 São Paulo - SP Paulista Corporate Avenida Paulista, nº 1.636 São Paulo - SP Outubro, 2009 Versão Final A. DESCRIÇÃO DO PROJETO Este memorial trata da descrição e especificação básica dos elementos que deverão compor

Leia mais

Desvendando Agências Bancárias

Desvendando Agências Bancárias Desvendando Agências Bancárias Ana Julia Monteiro Sabrina Requião Pinto Agências Bancárias - Detalhes Antes de 2001 Tendência atual Áreas pequenas para autoatendimento e grandes para caixas (glichê) e,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 04/2011

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 04/2011 Instrução Técnica nº 04/2011 - Símbolos gráficos para projeto de segurança contra incêndio 149 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros

Leia mais

Cabeamento Estruturado. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Cabeamento Estruturado. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Cabeamento Estruturado Prof. Marciano dos Santos Dionizio Norma ANSI/EIA/TIA 568B Divide um sistema de cabeamento em subsistemas: 1. Facilidades de Entrada (pela NBR14565: Sala de Entrada de Telecomunicações

Leia mais

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTOS DE ITAPIRA

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTOS DE ITAPIRA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO PARA LOTEAMENTOS URBANOS 1 DO OBJETIVO A presente Norma estabelece os requisitos mínimos a serem obedecidos

Leia mais

Sistemas de Pisos em Estruturas de Aço

Sistemas de Pisos em Estruturas de Aço Sistemas de Pisos em Estruturas de Aço Aplicações para edificações Estruturas de Aço e Madeira Prof Alexandre Landesmann FAU/UFRJ AMA Loft A1 1 Definição do sistema estrutural do pavimento Lajes armadas

Leia mais

CÁLCULO DAS POTÊNCIAS DE BOMBAS E ELEVADORES

CÁLCULO DAS POTÊNCIAS DE BOMBAS E ELEVADORES UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Disciplina: Materiais, Equip. e Instalações Prediais 2010.1 CÁLCULO DAS POTÊNCIAS DE

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BRASÍLIA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO SPDA BRASÍLIA - DF

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BRASÍLIA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO SPDA BRASÍLIA - DF INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BRASÍLIA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO SPDA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BRASÍLIA - DF 1 - MEMORIAL DESCRITIVO 2 MEMORIAL DESCRITIVO

Leia mais

COMPLEXO. Previsão Torres Residenciais. Previsão Torre Comercial Fase 2. Shopping IGUATEMI Previsão Hotel. Torre Comercial Fase 1 BR 153

COMPLEXO. Previsão Torres Residenciais. Previsão Torre Comercial Fase 2. Shopping IGUATEMI Previsão Hotel. Torre Comercial Fase 1 BR 153 CADERNO TÉCNICO COMPLEXO Previsão Torres Residenciais Previsão Torre Comercial Fase 2 Torre Comercial Fase 1 Shopping IGUATEMI Previsão Hotel BR 153 Marginal BR 153 Imagem preliminar do complexo Iguatemi

Leia mais

ANEXO C MEMORIAL DESCRITIVO DO PRÉDIO

ANEXO C MEMORIAL DESCRITIVO DO PRÉDIO ANEXO A Ao Ilmo Sr. Comandante do Corpo de Bombeiros Militar Cidade: SERTÃO - RS Data: 10/03/2014 Encaminhamos a V. S.ª, para ANÁLISE, o Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI). Nome: INSTITUTO

Leia mais

Homologado pelos fabricantes de equipamentos

Homologado pelos fabricantes de equipamentos Homologado pelos fabricantes de equipamentos Confiabilidade e durabilidade são indispensáveis. A suspensão de uma sessão de radioterapia ou a perda de hélio em uma ressonância magnética precisam ser evitadas

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2014-EMAP

PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2014-EMAP PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2014-EMAP O Pregoeiro da Empresa Maranhense de Administração Portuária - EMAP, designado pela Portaria nº 149/2013-PRE, de 29 de agosto de 2013, em razão de solicitação da empresa

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO - EST 1

DESCRITIVO TÉCNICO - EST 1 DESCRITIVO TÉCNICO - EST 1 1 DESCRITIVO TÉCNICO 1.1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS Todos os cálculos e detalhamentos estão de acordo com o prescrito nas normas NBR 6118:2014 Projeto de Estruturas de Concreto -

Leia mais

Instrução Técnica nº 15/2011 - Controle de fumaça Parte 2 Conceitos, definições e componentes do sistema 323

Instrução Técnica nº 15/2011 - Controle de fumaça Parte 2 Conceitos, definições e componentes do sistema 323 Instrução Técnica nº 15/2011 - Controle de fumaça Parte 2 Conceitos, definições e componentes do sistema 323 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

Leia mais

Infinity Tower características de projeto e tecnologia de sistemas prediais para a sustentabilidade.

Infinity Tower características de projeto e tecnologia de sistemas prediais para a sustentabilidade. Realização: Parceiro: Infinity Tower características de projeto e tecnologia de sistemas prediais para a sustentabilidade. Cesar Ramos - Gerente de projetos da Yuny Incorporadora Daniel Gallo - Gerente

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara MEMORIAL DESCRITIVO REDE CEGONHA - HOSPITAL MUNICIPAL JACIARA/MT O presente memorial descritivo define diretrizes referentes à reforma do espaço destinado a Programa REDE CEGONHA no Hospital Municipal

Leia mais

RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE

RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE 1 Estrutura Acabamento externo: TORRE 5 100% executado 98% executado - Revestimento fachada; 100% concluído - Aplicação de textura; 100% concluído - Execução do telhado; 100%

Leia mais

EM 1991 a EIA (Eletronic Industries Association) publicou um padrão para cabeamento de telecomunicações

EM 1991 a EIA (Eletronic Industries Association) publicou um padrão para cabeamento de telecomunicações Laboratório de Redes. Cabeamento Estruturado Pedroso 4 de março de 2009 1 Introdução EM 1991 a EIA (Eletronic Industries Association) publicou um padrão para cabeamento de telecomunicações de edifícios

Leia mais

EDIFÍCIO INTELIGENTE CONCEITO E COMPONENTES

EDIFÍCIO INTELIGENTE CONCEITO E COMPONENTES 1 EDIFÍCIO INTELIGENTE CONCEITO E COMPONENTES Dr. Paulo Sérgio Marin, Engº. paulo_marin@paulomarinconsultoria.eng.br 1. Conceito de Edifíco Inteligente Um edifício inteligente pode ser definido como aquele

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS EDITAL Nº 073, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2011

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS EDITAL Nº 073, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS EDITAL Nº 073, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2011 RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 068/2011 DO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS

Leia mais

RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE

RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE 1 Estrutura Acabamento externo SUMÁRIO DO PROJETO TORRE 5: 100% executado 95% executado - Revestimento fachada; - 100% concluído - Aplicação de textura; - 95% concluído -

Leia mais

MDV4+W VRF COM CONDENSAÇÃO A ÁGUA. Alta eficiência, com máxima economia e flexibilidade. Um produto

MDV4+W VRF COM CONDENSAÇÃO A ÁGUA. Alta eficiência, com máxima economia e flexibilidade. Um produto MDV4+W VRF COM CONDENSAÇÃO A ÁGUA Alta eficiência, com máxima economia e flexibilidade Um produto COMPRESSOR DC INVERTER Os compressores inverter do MDV4+ água possuem eficiência até 25% superior comparado

Leia mais

Nobreak. 160 e 300 kva. senoidal on-line trifásico PERFIL PROTEÇÕES

Nobreak. 160 e 300 kva. senoidal on-line trifásico PERFIL PROTEÇÕES Nobreak senoidal on-line trifásico dupla convers o 60 a 300 kva 60 kva de 80 a 120 kva 160 e 300 kva PERFIL Os nobreaks on-line de dupla conversão da linha Gran Triphases foram desenvolvidos com o que

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº.

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. 35/2011 Túnel rodoviário SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências

Leia mais

ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100.

ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100. PARECER TÉCNICO DAS ANOMALIAS ENCONTRADAS NA EDIFICAÇÃO DE GARANTIA POR PARTE DA CONSTRUTORA. 1ªPARTE TORRES 1 a 3. CONDOMÍNIO: Brink Condomínio Clube. ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100. CIDADE/UF:

Leia mais

Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto

Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto INTRODUÇÃO O presente trabalho tem como objetivo fornecer aos projetistas e contratantes, recomendações básicas e orientações

Leia mais

CONTROLADOR CONDAR MP3000.

CONTROLADOR CONDAR MP3000. CONTROLADOR CONDAR MP3000. O equipamento CONDAR MP3000 é um Controlador Eletrônico Microprocessado desenvolvido especificamente para automação de até três Condicionadores de Ar instalados em um mesmo ambiente

Leia mais

CLIENTE: CYRELA COMMERCIAL PROPOERTIES

CLIENTE: CYRELA COMMERCIAL PROPOERTIES Automação Predial e Patrimonial - Memorial Descritivo para Lojas CLIENTE: CYRELA COMMERCIAL PROPOERTIES Pasta: cyrella_metropolitano-pro-ec-lojas-1-0-2012.doc DATA: 14/05/2012 0 Emissão de Memorial Descritivo

Leia mais

Apresentação. Quem Somos

Apresentação. Quem Somos Apresentação Quem Somos A F3 Soluções é uma organização de origem brasileira, de negócios diversificados, com atuação e padrão de qualidade globais e certificações de reconhecimento nas áreas especificas

Leia mais

FICHA TÉCNICA ELEVADOR DE CARGA VERTCARGO

FICHA TÉCNICA ELEVADOR DE CARGA VERTCARGO Rua Rishin Matsuda, 562 Vila Santa Catarina CEP 04371-000 São Paulo SP Tel. 11 5563-6477 Fax 11 5563-3107 www.elevadoreszenit.com.br FICHA TÉCNICA ELEVADOR DE CARGA VERTCARGO ORIENTAÇÃO ELEVADORES CARGAS

Leia mais

Este tutorial apresenta os componentes principais e critérios de projeto da infra-estrutura de um Internet Data Center (IDC).

Este tutorial apresenta os componentes principais e critérios de projeto da infra-estrutura de um Internet Data Center (IDC). Infra-estrutura de Internet Data Center (IDC) Este tutorial apresenta os componentes principais e critérios de projeto da infra-estrutura de um Internet Data Center (IDC). Pollette Brancato Diretora de

Leia mais

SUSTENTABILIDADE E CERTIFICAÇÃO AQUA EM EMPREENDIMENTO COMERCIAL

SUSTENTABILIDADE E CERTIFICAÇÃO AQUA EM EMPREENDIMENTO COMERCIAL FICHA TÉCNICA Empresa: Syene Empreendimentos Projeto: Syene Corporate Área Construída: 77.725,45 m² Data de implementação: 01/09/2010 Responsável: Jealva Fonseca Contato: jealva@syene.com.br INTRODUÇÃO

Leia mais

SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA REDE DE ÁGUA CASAS DE BOMBAS RESERVATÓRIOS

SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA REDE DE ÁGUA CASAS DE BOMBAS RESERVATÓRIOS SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA REDE DE ÁGUA CASAS DE BOMBAS RESERVATÓRIOS NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO HIDRÁULICO E EXECUÇÃO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA POTÁVEL Deverão ser obedecidas as normas

Leia mais

LINHA VOLT/X-POWER. Catalogo Produto 600 700 1200 1400VA. Engetron Engenharia Eletrônica Ind. e Com. Ltda

LINHA VOLT/X-POWER. Catalogo Produto 600 700 1200 1400VA. Engetron Engenharia Eletrônica Ind. e Com. Ltda Catalogo Produto LINHA VOLT/X-POWER 600 700 1200 1400VA Engetron Engenharia Eletrônica Ind. e Com. Ltda Atendimento ao consumidor: (31) 3359-5800 Web: www.engetron.com.br As informações contidas neste

Leia mais

Chiller Industrial Quando confiabilidade faz a diferença

Chiller Industrial Quando confiabilidade faz a diferença Chiller Industrial Quando confiabilidade faz a diferença Produzidos com os melhores componentes disponíveis no mundo e projetados com foco em economia de energia e facilidade de operação e manutenção,

Leia mais

REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC

REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC MEMORIAL DESCRITIVO SISTEMA DE CLIMATIZAÇÃO 1 ÍNDICE 1 Informativos gerais 2 Apresentação 3 Tabelas e especificações

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico EIXO TECNOLÓGICO: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico EIXO TECNOLÓGICO: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS Padronização do tipo e quantidade necessária de instalações e equipamentos dos laboratórios das habilitações profissionais EIXO TECNOLÓGICO: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS HABILITAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICO

Leia mais

Sistema laje-viga-pilar

Sistema laje-viga-pilar Sistema laje-viga-pilar Pré-dimensionamento das lajes de concreto, vigas e pilares de aço Taipe-101 (004) Taipe/Taiwan 509m (448m) aço Prof. Valdir Pignatta e Silva AÇÕES tudo aquilo que pode produzir

Leia mais

CONDOMÍNIO LINK RESIDENCIAL MORUMBI MEMORIAL DESCRITIVO I ESPECIFICAÇÕES

CONDOMÍNIO LINK RESIDENCIAL MORUMBI MEMORIAL DESCRITIVO I ESPECIFICAÇÕES CONDOMÍNIO LINK RESIDENCIAL MORUMBI MEMORIAL DESCRITIVO I ESPECIFICAÇÕES 1. SEGURANÇA PATRIMONIAL E EMERGÊNCIA CONTROLE DE ACESSO DE VEÍCULOS E PEDESTRES Portão automatizado de acesso para veículos e pedestres

Leia mais

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Infraestrutura de Redes de Computadores

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Infraestrutura de Redes de Computadores Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Infraestrutura de Redes de Computadores Euber Chaia Cotta e Silva euberchaia@yahoo.com.br Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Introdução ao cabeamento

Leia mais

guia de instalação cisterna vertical

guia de instalação cisterna vertical guia de instalação cisterna vertical FORTLEV CARACTERÍSTICAS FUNÇÃO Armazenar água pluvial ou água potável à temperatura ambiente. APLICAÇÃO Residências, instalações comerciais, fazendas, escolas ou qualquer

Leia mais

Deliberação da Indicação de Administração Condominial da Mérito Consultoria de Imóveis S.C. Ltda

Deliberação da Indicação de Administração Condominial da Mérito Consultoria de Imóveis S.C. Ltda Apresentação Institucional da Construtora Tarjab e da Incorporadora Meritor; Apresentação Geral do Empreendimento; Informações sobre o status do Processo de Vistoria das Unidades e Área Comum; Deliberação

Leia mais

Ar Condicionado Central VRF Ar de Confiança

Ar Condicionado Central VRF Ar de Confiança Impression TM Ar Condicionado Central VRF Ar de Confiança Impression Ar condicionado Central VRF Perfil do Produto A linha de produtos Impression é um novo conceito de condicionador de ar inteligente VRF

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores - 1º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 01 Conceitos

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 017/DAT/CBMSC) SISTEMA DE ÁGUA NEBULIZADA (MULSIFYRE)

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 017/DAT/CBMSC) SISTEMA DE ÁGUA NEBULIZADA (MULSIFYRE) ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 017/DAT/CBMSC)

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

APRESENTAÇÃO DE PROJETOS Este informativo foi elaborado visando a padronização para a Apresentação de Projetos junto ao da Associação, para que a análise e a aprovação de projetos transcorram de forma mais rápida e eficiente.

Leia mais

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Centro de Ensino Superior do Amapá-CEAP Curso: Arquitetura e Urbanismo Assunto: Cálculo de Pilares Prof. Ederaldo Azevedo Aula 4 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Centro de Ensino Superior do Amapá-CEAP

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO ORIENTATIVO PARA REVITALIZAÇÃO DOS CENTOS DE SAÚDE. Julho 2011 Revisão 02

RELATÓRIO TÉCNICO ORIENTATIVO PARA REVITALIZAÇÃO DOS CENTOS DE SAÚDE. Julho 2011 Revisão 02 RELATÓRIO TÉCNICO ORIENTATIVO PARA REVITALIZAÇÃO DOS CENTOS DE SAÚDE Julho 2011 Revisão 02 2 INTRODUÇÃO Os Centros de Saúde incluídos nesta categoria são unidades que foram construídas recentemente e que

Leia mais

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS CAPÍTULO 4: CAIXAS DE SAÍDA CONDIÇÕES As caixas de saída devem ser projetadas nas tubulações secundárias nas seguintes condições: a) Nas entradas e saídas de fios telefônicos nos eletrodutos; b) Para diminuir

Leia mais