Com. quantitativo registradas. Em relação ao. tempo de. junho. Das denúncias. a morosidade: - Análise de processos de registro de. produtos..

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Com. quantitativo registradas. Em relação ao. tempo de. junho. Das denúncias. a morosidade: - Análise de processos de registro de. produtos.."

Transcrição

1 MAIO/ Estatísticas Mensais Com o objetivoo de divulgar informações sucintas e relevantes quee subsidiem as ações da Anvisa, a Ouvidoria apresenta mensalmente, neste Boletim, os dados quantitativo os e qualitativos das demandas recebidas. Em maio de 2013 foram registradas demandas. Dos principais demandantes 46% são empresas e 51% pessoas físicas. Em relação ao tempo de resposta foram finalizadas até a data 06 de junho. Das denúncias e reclamações recebidas, 63% 1 são relativas aos serviçoss da Anvisa e 37% se referem às irregularidadess de produtos e serviços sujeitoss à atuação da Vigilância Sanitária - em sua maioria resolvidas pelas Vigilâncias Sanitárias Municipais, conforme gráfico 2 abaixo: Do percentual de 63% de manifestações que chegaram a Anvisa 50% diz respeito a morosidade: - Análise de processos de autorização de funcionamento de empresas (AFE); - Concessão de registro de produtos Cerca de 5% das demandas são encaminhadas à Anvisaa por engano e não são contabilizadas neste cálculo Quantitativos inferiores a 2% foram agrupados na categoria Outros. 1

2 E essas demandas recebidas estãoo afetas as seguintes áreas, conforme gráfico abaixo: Morosidade Gerências 80% 60% 40% 20% 0% 71% 8% 3% 3% 2% UNIDADE DE AUTORIZAÇÃO DE FUNCIONAMENTO DE EMPRESAS UNAFE/GGIMP 71% GERÊNCIA DE TECNOLOGIA DE MATERIAIS DE USO EM SAÚDE GEMAT/GGTPSS 8% UNIDADE DE GESTÃO DO D ATENDIMENTO E PROTOCOLO UNIAP GGGAF 3% COORDENAÇÃO DE INSPEÇÃO DE PRODUTOS CPROD/GGIMP 3% GERÊNCIA DE GESTÃO DA ARRECADAÇÃO GEGAR GGGAF 2% As demandas encaminham mentos: registradas no mês de maio tiveram os seguintes 25% 25% UNIDADE DE AUTORIZAÇÃO DE FUNCIONAMENTO DE EMPRESA UNAFE/GGIMP 23% DEMAIS ÁREAS QUE TIVERAM PERCENTUAL MENOR QUE (2%) 17% 20% 15% 10% 5% 17% 14% 14% 11% 5% 5% COORDENAÇÃO DE ATENDIMENTO AO PÚBLICO (PEDIDOS DE INFORMAÇÃO) COATE/UNIAP/GGGAF 12% OUVIDORIA (DEMANDAS RESPONDIDASS PELA OUVIDORIA) 14% OUVIDORSUS (DEMANDAS DE COMPETÊNCIA DA VISA LOCAL E DO MS) 12% COORDENAÇÃO DO SISTEMA NACIONALL DE GERENCIAMENTO DE PRODUTOS CONTROLADOS CSGPC/NUVIG 5% GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA GESIS/ GGTIN 3% GERÊNCIA DE MONITORAMENTO DA QUALIDADE, CONTROLE E FISCALIZAÇÃO DE INSUMOS, MEDICAMENTOS E PRODUTOS GFIMP/ /GGIMP 6% GERÊNCIA DE TECNOLOGIA DE MATERIAIS DE USO EM SAÚDE GEMAT/GGTPSS 3% 3% 2%2% % 2% GERÊNCIA DE GESTÃO DA D ARRECADAÇÃO GEGAR GGGAF 2% 0% COORDENAÇÃO DE CADASTRO COCAD/GGTIN 3% 2

3 A seguir, exemplos de manifestações sobre os principais problemas registrados: Morosidade na análise de processos (Anvisa) Foi dada entrada Renovação de funcionamento (AFE) em agosto/12, pois estaria vencendo em outubro/12. Em 24/12/12 foi Indeferido no DOU, pois alegam não apresentação da Licença Sanitária. Em 02/01/13 foi feito um peticionamento de Reconsideração de Indeferimento, enviando a documentação solicitada (protocolo XXX). Gostaria de questionar sobre a demora na análise dessa documentação, pois ainda está em tramitação, e estamos aguardando o Deferimento. Qualidade insatisfatória de ambiente (SNVS) Fiz várias denúncias à vigilância de XXX no ano passado, mas eles não resolveram o problema. O mercadinho é sujo, cheio de ratos andando pelas prateleiras. As embalagens roídas, podendo conter urina dos ratos, carne PODRE em promoção. Por fim, apresentamos abaixo o tema de destaque 3 do mês para reflexão: Segurança do Paciente e Qualidade em Serviços de Saúde A qualidade dos serviços de saúde é um elemento determinante para assegurar a redução e o controle dos riscos a que o paciente está submetido. Assim, ações de controle sanitário e regulamentação, são imprescindíveis para identificar precocemente a ocorrência de eventos que afetam a segurança do paciente, reduzir o dano e evitar riscos futuros. A Anvisa coordena em âmbito nacional, em estreita colaboração e cooperação junto ao demais entes do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS), as ações de vigilância sanitária de serviços de saúde, que são executadas por estados, municípios e pelo Distrito Federal. A Ouvidoria recebe todos os meses várias denúncias sobre irregularidades em Serviços de Saúde. A maioria delas é enviada para apuração das Visas Municipais, através do sistema OuvidorSUS. Os casos mais graves são levados para conhecimento, providências e monitoramento da Gerência de Vigilância e Monitoramento em Serviços de Saúde GVIMS ou da Gerência de Regulação e Controle Sanitário em Serviços de Saúde Grecs. Aconteceu em Brasília nos dias 14 a 16 de maio o Seminário Internacional: Redução do Risco para a Segurança do Paciente e Qualidade em Serviços de Saúde. O 3 - Demandas recebidas pela Ouvidoria da Anvisa entre 01/05/ /05/2013. Busca realizada por palavrachave no sistema palavras grafadas de outras formas ou que representem trechos de outros termos podem não ter sido localizadas. Demandas em duplicidade podem estar contabilizadas mais de uma vez. 3

4 seminário teve como objetivo discutir a Segurança do Paciente e Qualidade em Serviços de Saúde com entidades governamentais. Estiveram presentes representantes do Ministério da Saúde, da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária assim como representantes da Organização Pan Americana de Saúde (OPAS). Até este mês, os cidadãos puderam também participar da elaboração das consultas públicas sobre Segurança do Paciente e Qualidade em Serviços de Saúde, a colaboração de todos é sempre fundamental para o fortalecimento da Regulação Sanitária e para o exercício da participação social. As consultas públicas foram: Consulta Pública n 9, de 01 de abril de 2013 (D.O.U de 02/04/2013), que institui as ações de vigilância sanitária para segurança do paciente em serviços de saúde e dá outras providências. Consulta Pública n 6, de 01 de abril de 2013, que dispõe sobre protocolos de segurança do paciente: protocolo para a prática de higiene das mãos em serviços de saúde/ protocolo para prevenção de úlceras por pressão/ protocolo para cirurgia segura. A ANVISA disponibiliza um hot site aos pacientes e profissionais de saúde, com um conjunto de orientações organizadas sob a forma de cartaz e folder, produto do projeto intitulado: Pacientes pela Segurança dos Pacientes. Confira: Exemplo de manifestação registrada na Ouvidoria sobre o tema segurança do paciente : O fato de a ANVISA ser um órgão fiscalizador dos serviços da saúde, realizamos, através desse documento, DENÚNCIA sobre os meios procedimentais utilizados nos serviços da endoscopia do Hospital X. Quanto à estrutura física, é uma área totalmente insalubre, não possui ventilação, o exaustor não consegue fazer a troca de ar, fica um odor do glutaraldeído por todo o setor, ficando todos que por ali passam expostos ao produto. Possui apenas um ar condicionado em uma das salas, na sala de exame, o qual sempre se encontra quebrado. Com isso, não conseguimos usar todos os EPIs devido o calor insuportável. Não possui pia pra higienizar as mãos, temos que lavar as mãos na cuba onde lava o aparelho ou no banheiro. Não temos avental impermeável, apenas o descartável. A máscara de carvão ativado é de péssima qualidade; a luva de cano longo devido o calor é de impossível utilização.a sala de recuperação fica isolada da enfermagem, com isso, devido à falta de pessoal não é possível realizar a observação do paciente sedado de forma integral e ao mesmo tempo dar continuidade aos exames marcados. Não tem ponto de oxigênio, nem de aspiração nesta sala de recuperação.o aparelho é lavado manualmente, assim, pelo fato de ocorrer mais exames que o esperado diariamente, faz com que haja uma manipulação contínua do glutaraldeído, exalando-o para quem o lava e para o ambiente.os banheiros dos funcionários e pacientes são usados pelos funcionários da limpeza para lavar o pano utilizado para higienização do ambiente, depósito do carrinho de limpeza, e ainda, os vasos são usados para desprezar águas após limpeza do setor. Não possui um profissional enfermeiro no setor para realizar supervisão e 4

5 auxiliar nos procedimentos, sendo a supervisão realizada pela chefe de ambulatório, a qual não consegue dar o suporte necessário para os problemas que surgem no setor em questão.nós, técnicos de enfermagem, auxiliamos nos procedimentos de endoscopia diagnóstica com a realização de biopsias, ligadura elástica, escleroterapia, passagem de sonda nasoenteral via endoscopia, gastrostomia, endoscopia com anestesia local ou com sedação com o Dormonid (midazolan), e sedação com anestesista, quando necessário. Atendemos pacientes com todo tipo de patologias, entre elas HIV+, Hepatite B e C entre outros. Observa-se então, que é colocada em primeiro plano a estatística do médico quanto à realização de exames, ou seja, marcam um alto número de exames por dia, sem observar os procedimentos de segurança e saúde do profissional técnico de enfermagem, o qual manipula o produto insalubre. Dessa forma, o técnico de enfermagem prejudica-se, podendo vir a ter consequência em sua saúde futuramente. Pelos motivos acima expostos, levamos ao conhecimento desse órgão para que faça jus às nossas reivindicações de melhores condições de trabalho em prol dos pacientes e funcionários. Elogios à Anvisa A Anvisa, através de sua Ouvidoria, recebe também elogios. Isso reforça e estimula, a cada dia, o compromisso de sempre servir bem o público que precisa desta Agência Reguladora. Em maio, foram recebidas 13 manifestações elogiando a atuação da Anvisa e/ou de seus servidores. Apresentamos abaixo o conteúdo de algumas manifestações: Central de Atendimento Desejo elogiar o atendimento da operadora josenalva pelo bom atendimento e a educação e presteza nas informações Desejo elogiar a central de atendimento da ANVISA pelo bom atendimento prestado, sanando as dúvidas dos usuários com precisão nas informações e excelente atendimento. Anvisa Olá, escrevo para agradecer a iniciativa da Anvisa de facilitar o acesso às formulas magistrais chinesas. Sua eficácia seguramente será comprovada e com isso a população será melhor beneficiada nesta conquista. Obrigada Gerência Geral de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados - GGPAF Estive ontem na ANVISA do Aeroporto Internacional de Guarulhos e quero elogiar o atendimento que tive por parte da Sra. Ana, que foi extremamente gentil e ágil, se dispondo 5

6 rapidamente a me atender, demonstrando extremo interesse em fazer com que "as coisas andassem". Acho que essa deveria ser a postura de todos que trabalham no funcionalismo público. Fica aqui meu registro. Deseja elogiar os funcionários da ANVISA do aeroporto de Brasília. Os funcionários são muitos educados e com uma formação e humanização muito boa. Gerência de Tecnologia de Materiais de uso em Saúde - GGTPS Quero elogiar o pessoal da Área de Equipamentos. Há um mês fiz uma consulta sobre classificação de produto na área de equipamentos. Após uma semana de protocolar a minha consulta recebi a resposta. Parabéns pela rapidez e agilidade em nos ajudar a tirar a dúvida sobre o enquadramento de produto para nós. 6

DEZEMBRO/2013 - Estatísticas Mensais

DEZEMBRO/2013 - Estatísticas Mensais DEZEMBRO/2013 - Estatísticas Mensais Com o objetivo de divulgar informações sucintas e relevantes que subsidiem as ações da Anvisa, a Ouvidoria apresenta mensalmente, neste Boletim, os dados quantitativos

Leia mais

Com. quantitativo registradas. Das denúncias. a morosidade: - Análise de processos de registro de. produtos.. abaixo:

Com. quantitativo registradas. Das denúncias. a morosidade: - Análise de processos de registro de. produtos.. abaixo: ABRIL/2013 - Estatísticas Mensais Com o objetivoo de divulgar informações sucintas e relevantes quee subsidiem as ações da Anvisa, a Ouvidoria apresenta mensalmente, neste Boletim, os dados quantitativo

Leia mais

OUTUBRO/2013 - Estatísticas Mensais

OUTUBRO/2013 - Estatísticas Mensais OUTUBRO/2013 - Estatísticas Mensais Com o objetivo de divulgar informações sucintas e relevantes que subsidiem as ações da Anvisa, a Ouvidoria apresenta mensalmente, neste Boletim, os dados quantitativos

Leia mais

Julho/2012 - Estatísticas Mensais

Julho/2012 - Estatísticas Mensais Julho/2012 - Estatísticas Mensais Com o objetivo de divulgar informações sucintas e relevantes que subsidiem as ações da Anvisa, a Ouvidoria apresenta mensalmente, neste Boletim, os dados quantitativos

Leia mais

NOVEMBRO/2013 - Estatísticas Mensais

NOVEMBRO/2013 - Estatísticas Mensais NOVEMBRO/2013 - Estatísticas Mensais Com o objetivo de divulgar informações sucintas e relevantes que subsidiem as ações da Anvisa, a Ouvidoria apresenta mensalmente, neste Boletim, os dados quantitativos

Leia mais

Estatísticas Mensais. fevereiro/2014

Estatísticas Mensais. fevereiro/2014 Estatísticas Mensais fevereiro/2014 Ouvidoria/Anvisa Ano 2014 1 Diretor-Presidente Dirceu Brás Aparecido Barbano Diretores Jaime César de Moura Oliveira Ivo Bucaresky Renato Alencar Porto Ouvidora Eliana

Leia mais

Projeto Ouvidoria Itinerante para a CVSPAF de. Estatísticas Mensais. Janeiro/2015

Projeto Ouvidoria Itinerante para a CVSPAF de. Estatísticas Mensais. Janeiro/2015 Projeto Ouvidoria Itinerante para a CVSPAF de São Estatísticas Paulo - SP. Mensais Janeiro/2015 Ouvidoria/Anvisa Ano 2015 1 Diretor Presidente Interino Jaime César de Moura Oliveira Diretores Ivo Bucaresky

Leia mais

Projeto Ouvidoria Itinerante para a CVSPAF de. Estatísticas Mensais. fevereiro/2015

Projeto Ouvidoria Itinerante para a CVSPAF de. Estatísticas Mensais. fevereiro/2015 Projeto Ouvidoria Itinerante para a CVSPAF de São Estatísticas Paulo - SP. Mensais fevereiro/2015 Ouvidoria/Anvisa Ano 2015 1 Diretor Presidente Interino Jaime César de Moura Oliveira Diretores Ivo Bucaresky

Leia mais

Projeto Ouvidoria Itinerante. Setembro/2014

Projeto Ouvidoria Itinerante. Setembro/2014 Projeto Ouvidoria Itinerante para Estatísticas a CVSPAF de São Mensais Paulo - SP. Setembro/2014 Ouvidoria/Anvisa Ano 2014 1 Diretor-Presidente Dirceu Brás Aparecido Barbano Diretores Jaime César de Moura

Leia mais

Gerência de Produtos Diagnósticos de Uso in vitro

Gerência de Produtos Diagnósticos de Uso in vitro Gerência de Produtos Diagnósticos de Uso in vitro Brasília, 23 de maio de 2012 Augusto Bencke Geyer Valter Pereira de Oliveira Mônica Cristina A. F. Duarte* Coordenação e Redação Marcella Melo Vergne de

Leia mais

XXXIV Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica

XXXIV Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica XXXIV Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica Agência Nacional de Vigilância Sanitária ANVISA: Desafios e Metas para o Próximo Triênio INSTITUÍDA Anvisa Desafios e Metas para o Próximo

Leia mais

Monitoramento e Gestão de Risco Sanitário os desafios do SNVS para o usuário que é sujeito, cidadão e cliente

Monitoramento e Gestão de Risco Sanitário os desafios do SNVS para o usuário que é sujeito, cidadão e cliente Monitoramento e Gestão de Risco Sanitário os desafios do SNVS para o usuário que é sujeito, cidadão e cliente 15 Encontro da Rede Sentinela - Fórum Internacional de Monitoramento e Gestão do Risco Sanitário

Leia mais

Monitoramento de Produtos Saneantes

Monitoramento de Produtos Saneantes Monitoramento de Produtos Saneantes Paulo Roberto Rangearo Peres Gerência-Geral de Saneantes ANVISA - MS Curitiba, junho de 2013. ANVISA - MS Gerência-Geral de Saneantes Registro e Notificação de Saneantes

Leia mais

Perguntas Frequentes sobre liberação de processos ANVISA Pessoa Física

Perguntas Frequentes sobre liberação de processos ANVISA Pessoa Física Perguntas Frequentes sobre liberação de processos ANVISA Pessoa Física Prezado cliente, Este material foi criado com o objetivo de esclarecer todas as dúvidas que podem surgir a respeito da inspeção de

Leia mais

Ministério da Saúde cria o Programa Nacional de Segurança do Paciente para o monitoramento e prevenção de danos na assistência à saúde

Ministério da Saúde cria o Programa Nacional de Segurança do Paciente para o monitoramento e prevenção de danos na assistência à saúde Ministério da Saúde cria o Programa Nacional de Segurança do Paciente para o monitoramento e prevenção de danos na assistência à saúde Rede Sentinela Desde 2011, 192 hospitais da Rede Sentinela monitoram

Leia mais

Nova Estrutura Organizacional da Anvisa

Nova Estrutura Organizacional da Anvisa Nova Estrutura Organizacional da Anvisa Agenda Histórico Planejamento Estratégico Nova Estrutura Agenda Histórico Planejamento Estratégico Nova Estrutura Organograma antigo da agência Orientação das áreas

Leia mais

Consulta Pública n.º 09/2013

Consulta Pública n.º 09/2013 Consulta Pública n.º 09/2013 Diretor Relator: Dirceu Barbano Regime de tramitação: comum Publicação: 02/04/2013 Prazo para contribuição: 30 dias 09/04 à 08/05 Agenda Regulatória: não Área Técnica: GGTES

Leia mais

Manual de Solicitação da Autorização de Importação Específica

Manual de Solicitação da Autorização de Importação Específica 2014 Manual de Solicitação da Autorização de Importação Específica Autorização de Importação Específica destinada a órgãos de repressão a entorpecentes, entidades importadoras de controle de dopagem, laboratórios

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO 2015 OUVIDORIA

RELATÓRIO DE GESTÃO 2015 OUVIDORIA Ministério da Educação Universidade Federal da Grande Dourados Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares Hospital Universitário RELATÓRIO DE GESTÃO 2015 OUVIDORIA Dourados/MS Janeiro de 2016 1. EQUIPE

Leia mais

PROBLEMAS SANITÁRIOS NA PRÁTICA

PROBLEMAS SANITÁRIOS NA PRÁTICA PROBLEMAS SANITÁRIOS NA PRÁTICA Dr. Alessandro Vieira De Martino Farmacêutico Bioquímico CRF 33754 Formado no curso de Farmácia e Bioquímica pela Universidade Bandeirante de São Paulo UNIBAN Pós-Graduado

Leia mais

RELATÓRIO DE SUPERVISÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE

RELATÓRIO DE SUPERVISÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE RELATÓRIO DE SUPERVISÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE AMBULATÓRIO DE ESPECIALIDADES MUNICÍPIO: DATA: / / IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE: Nome: CGC: Endereço: Bairro: Telefone: Responsável pela unidade (formação): TURNO

Leia mais

Manual de Solicitação de Autorização de Importação Específica, AEP, ADA, CNI e 2ª via de documentos

Manual de Solicitação de Autorização de Importação Específica, AEP, ADA, CNI e 2ª via de documentos 2014 Manual de Solicitação de Autorização de Importação Específica, AEP, ADA, CNI e 2ª via de documentos Autorização de Importação Específica: destinada a órgãos de repressão a entorpecentes, entidades

Leia mais

PRINCIPAIS LEGISLAÇÕES SANITÁRIAS REFERENTES A ESTABELECIMENTOS DE SAÙDE PROJETOS UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR

PRINCIPAIS LEGISLAÇÕES SANITÁRIAS REFERENTES A ESTABELECIMENTOS DE SAÙDE PROJETOS UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 1 PRINCIPAIS LEGISLAÇÕES SANITÁRIAS REFERENTES A ESTABELECIMENTOS DE SAÙDE PROJETOS RDC/ANVISA nº 50 de 21 de fevereiro de 2002 RDC/ANVISA nº 307 de 14/11/2002 Dispõe sobre o Regulamento Técnico para planejamento,

Leia mais

Manual de Apoio a Consultas ao Portal da Agência Nacional de Vigilância Sanitária ANVISA

Manual de Apoio a Consultas ao Portal da Agência Nacional de Vigilância Sanitária ANVISA COORDENADORIA DE TECNOLOGIA EM SAÚDE, ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA E APOIO DIAGNÓSTICO COORDENAÇÃO DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA Manual de Apoio a Consultas ao Portal da Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Leia mais

Gerência-Geral de Tecnologia em Serviços de Saúde- GGTES Gerência-Geral de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados- GGPAF

Gerência-Geral de Tecnologia em Serviços de Saúde- GGTES Gerência-Geral de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados- GGPAF PROTOCOLO DE USO DE EPI Orientações sobre a necessidade do uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI s) para os serviços de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados. Gerência-Geral

Leia mais

Competências da SUBVISA

Competências da SUBVISA (Decreto Nº 33.360 de 17 de janeiro de 2011 - Dispõe sobre a Estrutura Organizacional da Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil - SMSDC) Competências da SUBVISA S/SUBVISA Subsecretaria de Vigilância,

Leia mais

Ações do Ministério da Saúde no âmbito da Farmácia Hospitalar

Ações do Ministério da Saúde no âmbito da Farmácia Hospitalar Ações do Ministério da Saúde no âmbito da Farmácia Hospitalar Panorama das ações do Ministério da Saúde no âmbito da Farmácia Hospitalar Portaria N 4.283 de 30 de dezembro de 2010 - Diretrizes para ações

Leia mais

1. Equipamentos para a saúde: Registro, Cadastro, Regularidade e Legislação. 1.1.2. Lista de documentos para Registro e Cadastro

1. Equipamentos para a saúde: Registro, Cadastro, Regularidade e Legislação. 1.1.2. Lista de documentos para Registro e Cadastro Atualizado: 04 / 09 / 2013 FAQ AI 1. Equipamentos para a saúde: Registro, Cadastro, Regularidade e Legislação 1.1. Registrar ou cadastrar 1.1.1. Requisitos 1.1.1.1. Monitores de pressão sanguínea não invasivos

Leia mais

Brasília, 6 de novembro de 2013

Brasília, 6 de novembro de 2013 Brasília, 6 de novembro de 2013 Gerência de Controle Sanitário no Comércio Exterior GCCOE Gerência Geral de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados - GGPAF Alteração na forma de protocolizar

Leia mais

2. Quais os objetivos do Programa Nacional de Segurança do Paciente?

2. Quais os objetivos do Programa Nacional de Segurança do Paciente? O tema Segurança do Paciente vem sendo desenvolvido sistematicamente pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) desde sua criação, cooperando com a missão da Vigilância Sanitária de proteger

Leia mais

SENADO FEDERAL AUDIÊNCIA PÚBLICA TEMA: A QUESTÃO DE SEGURANÇA DOS CONSUMIDORES DE CRUZEIROS MARÍTIMOS NO BRASIL

SENADO FEDERAL AUDIÊNCIA PÚBLICA TEMA: A QUESTÃO DE SEGURANÇA DOS CONSUMIDORES DE CRUZEIROS MARÍTIMOS NO BRASIL SENADO FEDERAL AUDIÊNCIA PÚBLICA TEMA: A QUESTÃO DE SEGURANÇA DOS CONSUMIDORES DE CRUZEIROS MARÍTIMOS NO BRASIL COMPETÊNCIAS DA ANVISA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Paulo Biancardi Coury Gerente

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. www.anvisa.gov.br. Consulta Pública n 44, de 18 de junho de 2014 D.O.U de 20/06/2014

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. www.anvisa.gov.br. Consulta Pública n 44, de 18 de junho de 2014 D.O.U de 20/06/2014 Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública n 44, de 18 de junho de 2014 D.O.U de 20/06/2014 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso das

Leia mais

Programa Nacional de Segurança do Paciente: estado da arte e perspectivas

Programa Nacional de Segurança do Paciente: estado da arte e perspectivas Programa Nacional de Segurança do Paciente: estado da arte e perspectivas Ministério da Saúde cria o Programa Nacional de Segurança do Paciente para o monitoramento e prevenção de danos na assistência

Leia mais

CAPACITAÇÃO SNVS RDC 11 E 12/2012

CAPACITAÇÃO SNVS RDC 11 E 12/2012 CAPACITAÇÃO SNVS RDC 11 E 12/2012 GERÊNCIA GERAL DE LABORATÓRIOS DE SAÚDE PÚBLICA Abril/2013 - Curitiba/PR Por Lais Santana Dantas Gerente Geral/ AGENDA: Regulação de Laboratórios Analíticos Laboratórios

Leia mais

Diário Oficial da União Seção 01 DOU 15 de fevereiro de 2007

Diário Oficial da União Seção 01 DOU 15 de fevereiro de 2007 Diário Oficial da União Seção 01 DOU 15 de fevereiro de 2007 RESOLUÇÃO-RDC Nº 8, de 14 de fevereiro de 2007 Dispõe, em caráter excepcional, do parcelamento de débitos originários da taxa de fiscalização

Leia mais

GERÊNCIA GERAL DE INSPEÇÃO E CONTROLE DE INSUMOS, MEDICAMENTOS E PRODUTOS

GERÊNCIA GERAL DE INSPEÇÃO E CONTROLE DE INSUMOS, MEDICAMENTOS E PRODUTOS GERÊNCIA GERAL DE INSPEÇÃO E CONTROLE DE INSUMOS, MEDICAMENTOS E PRODUTOS Marcelo Vogler Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária Farmacêutico Industrial GGIMP Competências Principais - Conceder

Leia mais

1.1. O que é taxa de fiscalização de vigilância sanitária (TFVS)? 1.3.1. Recolhimento de taxas em dias de greve da rede bancária

1.1. O que é taxa de fiscalização de vigilância sanitária (TFVS)? 1.3.1. Recolhimento de taxas em dias de greve da rede bancária Atualizado: 28 / 05 / 2014 - FAQ AI 1. Taxa de fiscalização de vigilância sanitária 1.1. O que é taxa de fiscalização de vigilância sanitária (TFVS)? 1.2. Quem deve pagar a TFVS? 1.3. Qual é a forma de

Leia mais

Perguntas Frequentes sobre processos de liberação ANVISA para Pessoa Jurídica

Perguntas Frequentes sobre processos de liberação ANVISA para Pessoa Jurídica Perguntas Frequentes sobre processos de liberação ANVISA para Pessoa Jurídica Prezado cliente, Este material foi criado com o objetivo esclarecer possíveis dúvidas a respeito da inspeção de remessas importadas

Leia mais

RESOLUÇÃO RDC ANVISA Nº 345, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2002. (D.O.U. de 19/12/02)

RESOLUÇÃO RDC ANVISA Nº 345, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2002. (D.O.U. de 19/12/02) RESOLUÇÃO RDC ANVISA Nº 345, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2002 (D.O.U. de 19/12/02) Dispõe sobre a aprovação do Regulamento Técnico para a Autorização de Funcionamento de empresas interessadas em prestar serviços

Leia mais

Formação e Estrutura do Programa Nacional de Segurança do Paciente

Formação e Estrutura do Programa Nacional de Segurança do Paciente Formação e Estrutura do Programa Nacional de Segurança do Paciente 29 de julho de 2015 Capacitação em segurança do paciente para a vigilância sanitária SESA-PR Rosângela Gomes Benevides Coordenadora de

Leia mais

SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde

SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde Universidade de Cuiabá - UNIC Núcleo de Disciplinas Integradas Disciplina: Formação Integral em Saúde SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde Profª Andressa Menegaz SUS - Conceito Ações e

Leia mais

Implicações Legais Relacionadas ao Processamento de Artigos que RE 2605/2606

Implicações Legais Relacionadas ao Processamento de Artigos que RE 2605/2606 Implicações Legais Relacionadas ao Processamento de Artigos que Constam da Lista de Proibições RE 2605/2606 Luciana Pereira de Andrade Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária Gerência Geral de

Leia mais

NUTRIÇÃO ENTERAL HOSPITAL SÃO MARCOS. Heloisa Portela de Sá Nutricionista Clínica do Hospital São Marcos Especialista em Vigilância Sanitária

NUTRIÇÃO ENTERAL HOSPITAL SÃO MARCOS. Heloisa Portela de Sá Nutricionista Clínica do Hospital São Marcos Especialista em Vigilância Sanitária NUTRIÇÃO ENTERAL HOSPITAL SÃO MARCOS Heloisa Portela de Sá Nutricionista Clínica do Hospital São Marcos Especialista em Vigilância Sanitária Secretária Nutricionista Gerente Nutricionista Planejamento

Leia mais

ROTEIRO DE INSPEÇÃO EM HOTEIS E MOTEIS

ROTEIRO DE INSPEÇÃO EM HOTEIS E MOTEIS SUPERINTEDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERENCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL E SAÚDE DO TRABALHADOR COORDERNAÇÃO DE FISCALIZAÇÃO DE AMBIENTES E SAÚDE DO TRABALHADOR Av. Anhanguera, nº 5.195 Setor Coimbra

Leia mais

LifeSciences no Brasil nº 99

LifeSciences no Brasil nº 99 LifeSciences no Brasil nº 99 Alimentos, Medicamentos, Saúde, Agricultura, Biotecnologia e Biodiversidade Este boletim eletrônico Life Sciences no Brasil traz informações sobre recente legislação na área

Leia mais

1.2.1. Envio de documentos por fax. 1.4. Quais documentos devem ser protocolizados na Anvisa. 1.4.1. Envio indevido de documentação à Anvisa

1.2.1. Envio de documentos por fax. 1.4. Quais documentos devem ser protocolizados na Anvisa. 1.4.1. Envio indevido de documentação à Anvisa Atualizado: 17 / 09 / 2013 - FAQ - AI 1. Protocolização de documentos na Anvisa 1.1. Fim da obrigatoriedade de protocolo de AFE e AE nos estados descentralizados 1.2. Formas de entrada de documentos na

Leia mais

a) sempre que se produza uma mudança nas condições de trabalho, que possa alterar a exposição aos agentes biológicos;

a) sempre que se produza uma mudança nas condições de trabalho, que possa alterar a exposição aos agentes biológicos; Os 32 itens da NR-32 a serem trabalhados nesta primeira etapa do projeto 32 para implantação nos estabelecimentos de saúde até 2009 foram selecionados e estudados pela diretoria do Sinsaúde por serem os

Leia mais

BOAS PRÁTICAS DE DISPENSAÇÃO PARA FARMÁCIA E DROGARIA RESOLUÇÃO Nº 328, DE 22 DE JULHO DE 1999

BOAS PRÁTICAS DE DISPENSAÇÃO PARA FARMÁCIA E DROGARIA RESOLUÇÃO Nº 328, DE 22 DE JULHO DE 1999 RESOLUÇÃO Nº 328, DE 22 DE JULHO DE 1999 Dispõe sobre requisitos exigidos para a dispensação de produtos de interesse à saúde em farmácias e drogarias. BOAS PRÁTICAS DE DISPENSAÇÃO PARA FARMÁCIA E DROGARIA

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA - ANVISA GERÊNCIA GERAL DE PORTOS, AEROPORTOS, FRONTEIRAS E RECINTOS ALFANDEGADOS - GGPAF INFLUENZA A (H1N1)

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA - ANVISA GERÊNCIA GERAL DE PORTOS, AEROPORTOS, FRONTEIRAS E RECINTOS ALFANDEGADOS - GGPAF INFLUENZA A (H1N1) AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA - ANVISA GERÊNCIA GERAL DE PORTOS, AEROPORTOS, FRONTEIRAS E RECINTOS ALFANDEGADOS - GGPAF INFLUENZA A (H1N1) Providências adotadas pelas autoridades brasileiras

Leia mais

1. Quais os EPIs ( e outros) devem ser utilizados na assistência a pacientes com suspeita de infecção pelo vírus Ebola?

1. Quais os EPIs ( e outros) devem ser utilizados na assistência a pacientes com suspeita de infecção pelo vírus Ebola? Segue abaixo, uma série de perguntas e respostas elaboradas pela GGTES (com base em questionamentos enviados pelos estados), a fim de esclarecer dúvidas e complementar alguns pontos da Nota Técnica nº

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.559, DE 1º DE AGOSTO DE 2008 Institui a Política Nacional

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DIVISÃO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Centro Estadual de Vigilância em Saúde Núcleo de Estabelecimento de Saúde PODOLOGIA

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DIVISÃO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Centro Estadual de Vigilância em Saúde Núcleo de Estabelecimento de Saúde PODOLOGIA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DIVISÃO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Centro Estadual de Vigilância em Saúde Núcleo de Estabelecimento de Saúde PODOLOGIA Ana Carolina Kraemer Enfermeira - Especialista em Saúde Portaria

Leia mais

SELO ABRAIDI Programa de BPADPS

SELO ABRAIDI Programa de BPADPS SELO ABRAIDI Programa de BPADPS Reuniões: Julho a Agosto de 2010 Associação Brasileira de Importadores e Distribuidores de Implantes PAUTA * OBJETIVOS * ASPECTOS FUNDAMENTAIS * HISTÓRICO * SITUAÇÃO ATUAL

Leia mais

A redução do parto cesáreo: o papel do SUS e da saúde suplementar. Agência Nacional de Saúde Suplementar

A redução do parto cesáreo: o papel do SUS e da saúde suplementar. Agência Nacional de Saúde Suplementar A redução do parto cesáreo: o papel do SUS e da saúde suplementar Agência Nacional de Saúde Suplementar Jacqueline Alves Torres CONASEMS Belém, 2008 O Setor Suplementar de Saúde Antes da Regulamentação:

Leia mais

Audiência Pública Senado Federal Comissão de Assuntos Econômicos Subcomissão de Marcos Regulatórios. Brasília, 1º de outubro de 2007

Audiência Pública Senado Federal Comissão de Assuntos Econômicos Subcomissão de Marcos Regulatórios. Brasília, 1º de outubro de 2007 Audiência Pública Senado Federal Comissão de Assuntos Econômicos Subcomissão de Marcos Regulatórios Brasília, 1º de outubro de 2007 A ANVISA Autarquia sob regime especial Independência administrativa e

Leia mais

DROGARIAS REGULARIZAÇÃO DE ESTABELECIMENTO DE INTERESSE À SAÚDE

DROGARIAS REGULARIZAÇÃO DE ESTABELECIMENTO DE INTERESSE À SAÚDE DROGARIAS REGULARIZAÇÃO DE ESTABELECIMENTO DE INTERESSE À SAÚDE Lei 8080/90 Art. 6º, 1º: Entende-se por vigilância sanitária um conjunto de ações capaz de eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde

Leia mais

Importação de Produtos para Saúde

Importação de Produtos para Saúde Importação de Produtos para Saúde Gerência de Inspeção de Produtos e Autorização de Empresas em Portos, Aeroportos Fronteiras e Recintos Alfandegados GIPAF Mônica Cristina A. F. Duarte Organograma - ANVISA

Leia mais

Carta de Serviços da ANVISA

Carta de Serviços da ANVISA Carta de Serviços da ANVISA Política da Excelência Brasília - DF Abril de 2010 Carta de Serviços ao Cidadão Aprofundamento conceitual; Marco normativo; Processo de elaboração da Carta de Serviços/Experiência

Leia mais

PROPOSTA DE PLANO DE AÇÃO E METAS DO CONTRATO DE GESTÃO E DESEMPENHO ENTRE MINISTÉRIO DA SAÚDE E ANVISA

PROPOSTA DE PLANO DE AÇÃO E METAS DO CONTRATO DE GESTÃO E DESEMPENHO ENTRE MINISTÉRIO DA SAÚDE E ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa Assessoria de Planejamento Aplan PROPOSTA DE PLANO DE E S DO CONTRATO DE GESTÃO E DESEMPENHO ENTRE MINISTÉRIO DA SAÚDE E ANVISA Brasília, 31 de outubro de

Leia mais

RECOMENDAÇÃO ADMINISTRATIVA nº 01/2012

RECOMENDAÇÃO ADMINISTRATIVA nº 01/2012 RECOMENDAÇÃO ADMINISTRATIVA nº 01/2012 CONSIDERANDO: 1. A existência do Procedimento Preparatório n. 0089.11.000011-7, cujo objeto é apurar eventual irregularidade em casa de abrigo para idosos na Rua

Leia mais

Número: 00220000037-2008-17 Unidade Examinada: Município de Cerejeiras/RO

Número: 00220000037-2008-17 Unidade Examinada: Município de Cerejeiras/RO Número: 00220000037-2008-17 Unidade Examinada: Município de Cerejeiras/RO Relatório de Demandas Externas n 00220000037-2008-17 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 529, DE 1º DE ABRIL DE 2013

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 529, DE 1º DE ABRIL DE 2013 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 529, DE 1º DE ABRIL DE 2013 Institui o Programa Nacional de Segurança do

Leia mais

OUVIDORIA EM MOVIMENTO:

OUVIDORIA EM MOVIMENTO: OUVIDORIA EM MOVIMENTO: Dando continuidade ao Projeto de divulgação das atividades desenvolvidas na Ouvidoria- Geral do Ministério Público, estamos encaminhando, via e-mail informativo, o resumo dos trabalhos

Leia mais

Tatuagem e Colocação de Adornos

Tatuagem e Colocação de Adornos ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DIVISÃO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Centro Estadual de Vigilância em Saúde Núcleo de Estabelecimento de Saúde Tatuagem e Colocação de Adornos Ana Carolina Kraemer Enfermeira - Especialista

Leia mais

Regulamentação e Implantação da Cosmetovigilância no Brasil

Regulamentação e Implantação da Cosmetovigilância no Brasil Ministério da Saúde Gerência-Geral de Cosméticos Regulamentação e Implantação da Cosmetovigilância no Brasil Brasília, 27 de julho de 2006 Tassiana Fronza Gerência Geral de Cosméticos MISSÃO DA ANVISA

Leia mais

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002.

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 866, de 09 de maio de 2002, que cria os mecanismos para organização

Leia mais

Segurança do Paciente e Atendimento de Qualidade no Serviço Público e Privado

Segurança do Paciente e Atendimento de Qualidade no Serviço Público e Privado Simpósio Mineiro de Enfermagem e Farmácia em Oncologia Belo Horizonte - MG, setembro de 2013. Segurança do Paciente e Atendimento de Qualidade no Serviço Público e Privado Patricia Fernanda Toledo Barbosa

Leia mais

DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA EMISSÃO DO ALVARÁ SANITÁRIO. Área de Medicamentos e Produtos de Interesse à Saúde (AMPIS)

DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA EMISSÃO DO ALVARÁ SANITÁRIO. Área de Medicamentos e Produtos de Interesse à Saúde (AMPIS) 1 DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA EMISSÃO DO ALVARÁ SANITÁRIO Área de Medicamentos e Produtos de Interesse à Saúde (AMPIS) DROGARIAS (CONFORME LEI FEDERAL 5991/73, RESOLUÇÃO RDC ANVISA 44/09 E OUTRAS PERTINENTES)

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICÍPIO DE CAXAMBU DO SUL ANEXO I - ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICÍPIO DE CAXAMBU DO SUL ANEXO I - ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ANEXO I - ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS OPERADOR DE MÁQUINAS Providenciar a lavação, o abastecimento e a lubrificação da máquina; efetuar pequenos reparos na máquina sob sua responsabilidade; dirigir máquinas

Leia mais

3. A quem se aplica a RDC 67/2009? A todos os detentores de registro (inclusive cadastro) de produtos para a saúde sediados no Brasil.

3. A quem se aplica a RDC 67/2009? A todos os detentores de registro (inclusive cadastro) de produtos para a saúde sediados no Brasil. PERGUNTAS E RESPOSTAS RDC 67/2009 1. O que é a RDC 67/2009 e do que trata? É uma Resolução da Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) que regulamenta a organização da tecnovigilância

Leia mais

Ambiente físico do Centro de Material Esterilizado

Ambiente físico do Centro de Material Esterilizado Ambiente físico do Centro de Material Esterilizado Gessilene de Sousa Sobecc, julho2011 Agenda Regulamentação Definição: Centro de Material Esterilizado - CME; Estrutura Física: Áreas de composição; Fluxograma

Leia mais

Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências

Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências Decreto Nº 94.406 / 1987 (Regulamentação da Lei nº 7.498 / 1986) Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências O Presidente da

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999

PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999 Dispõe sobre o atendimento obrigatório aos portadores da Doença de Alzheimer no Sistema Único de Saúde - SUS, e dá outras providências.

Leia mais

Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES).

Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO DOU de 05/10/2015 (nº 190, Seção 1, pág. 669) Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

1.3. Em quais casos é possível solicitar o parcelamento? 1.4. Como saberei se minha empresa possui débitos junto à Anvisa?

1.3. Em quais casos é possível solicitar o parcelamento? 1.4. Como saberei se minha empresa possui débitos junto à Anvisa? Atualizado: 07 / 10 / 2011 - FAQ AI 1. Parcelamento de débitos em cobrança administrativa não inscritos em dívida ativa 1.1. Tipos de parcelamento de débito 1.2. Parcelamento de débito de AFE / AE 1.3.

Leia mais

Núcleo de Vigilância em Estabelecimentos de Saúde/Infec

Núcleo de Vigilância em Estabelecimentos de Saúde/Infec Secretaria Estadual de Saúde Centro Estadual de Vigilância em Saúde Divisão de Vigilância Sanitária Núcleo de Vigilância em Estabelecimentos de Saúde/Infec Serviço de Endoscopia Prevenção e Controle de

Leia mais

Programa Nacional de Controle do Tabagismo AMBIENTE LIVRE DO TABACO

Programa Nacional de Controle do Tabagismo AMBIENTE LIVRE DO TABACO Programa Nacional de Controle do Tabagismo AMBIENTE LIVRE DO TABACO Coordenação de Vigilância em Saúde do Trabalhador Gerência de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Superintendência de

Leia mais

Projeto de Ação Conjunta de Inspeções em Distribuidoras de Medicamentos

Projeto de Ação Conjunta de Inspeções em Distribuidoras de Medicamentos Agência Nacional de Vigilância Sanitária Projeto de Ação Conjunta de Inspeções em Distribuidoras de Medicamentos Gerência-Geral de Inspeção e Controle de Medicamentos e Produtos Gerência de Investigação

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. www.anvisa.gov.br. Consulta Pública n 37, de 26 de agosto de 2013. D.O.U de 27/08/2013

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. www.anvisa.gov.br. Consulta Pública n 37, de 26 de agosto de 2013. D.O.U de 27/08/2013 Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública n 37, de 26 de agosto de 2013. D.O.U de 27/08/2013 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE DE PERNAMBUCO SECRETARIA EXECUTIVA DE ATENÇÃO À SAÚDE UPA CARUARU RELATÓRIO DE EXECUÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE DE PERNAMBUCO SECRETARIA EXECUTIVA DE ATENÇÃO À SAÚDE UPA CARUARU RELATÓRIO DE EXECUÇÃO GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE DE PERNAMBUCO UPA CARUARU RELATÓRIO DE EXECUÇÃO 1º TRIMESTRE DO 4º ANO DO CONTRATO DE GESTÃO Período de outubro à dezembro de 2013 fevereiro

Leia mais

O papel da CCIH no Processamento de Roupas de Serviços de Saúde

O papel da CCIH no Processamento de Roupas de Serviços de Saúde O papel da CCIH no Processamento de Roupas de Serviços de Saúde A Portaria MS nº 2616/98 define a Infecção Hospitalar (IH) como sendo aquela adquirida após a admissão do paciente e que se manifesta durante

Leia mais

Ivo Bucaresky CONBRAFARMA. Diretor ANVISA. Agosto de 2015

Ivo Bucaresky CONBRAFARMA. Diretor ANVISA. Agosto de 2015 Ivo Bucaresky Diretor ANVISA CONBRAFARMA Agosto de 2015 1 PROGRAMA DE MELHORIA DO PROCESSO DE REGULAMENTAÇÃO Diretrizes: Fortalecimento da capacidade institucional para gestão em regulação Melhoria da

Leia mais

14/10/2014. Qualidade e Segurança do Paciente na América Latina uma breve avaliação

14/10/2014. Qualidade e Segurança do Paciente na América Latina uma breve avaliação 4/0/04 O SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS) E O SISTEMA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA (SNVS) Qualidade e Segurança do Paciente na América Latina uma breve avaliação Responsabilidade Autonomia federativa Diversidade

Leia mais

Ata da Reunião da Câmara Setorial de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados da Anvisa

Ata da Reunião da Câmara Setorial de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados da Anvisa Ata da Reunião da Câmara Setorial de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados da Anvisa Em reunião realizada aos 12 dias do mês de julho de 2011, no Hotel Mercure Lider, estiveram presentes

Leia mais

Rede de Atenção Psicossocial

Rede de Atenção Psicossocial NOTA TÉCNICA 60 2011 Rede de Atenção Psicossocial Minuta de portaria que aprova as normas de funcionamento e habilitação do Serviço Hospitalar de Referência para atenção às pessoas com sofrimento ou transtorno

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 36, DE 25 DE JULHO DE 2013.

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 36, DE 25 DE JULHO DE 2013. ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 36, DE 25 DE JULHO DE

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO PROCEDIMENTO DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE

SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO PROCEDIMENTO DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE Sistema de Gestão da Qualidade SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO PROCEDIMENTO DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE Responsável: Henrique Hideaki Matsutani Cópia Controlada - Revisão 20 de

Leia mais

Divisão de Enfermagem CME Página 1 de 6 Título do Procedimento: Limpeza concorrente e terminal da CME

Divisão de Enfermagem CME Página 1 de 6 Título do Procedimento: Limpeza concorrente e terminal da CME Divisão de Enfermagem CME Página 1 de 6 Freqüência em que é realizado: Diário/semanal/quinzenal/mensal Profissional que realiza: Auxiliar ou Técnico de Enfermagem e servidor da empresa terceirizada de

Leia mais

Documentos Obrigatórios em UANs

Documentos Obrigatórios em UANs Documentos Obrigatórios em UANs Profa. Ms Kelly Ribeiro Amichi DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Para o funcionamento de uma UAN, existe a documentação obrigatória exigida pela legislação. Essa documentação deve

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde Promoção da Saúde do Trabalhador da Saúde: conscientização acerca do uso de luvas e higienização das mãos pelos

Leia mais

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA (PRM) CIRURGIA GERAL

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA (PRM) CIRURGIA GERAL INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA (PRM) CIRURGIA GERAL Introdução Caro (a) médico residente O Programa de Residência Médica em Cirurgia Geral, do Hospital Regional de Ponta Grossa

Leia mais

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A PRODUTOS ALIMENTARES GOURMET

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A PRODUTOS ALIMENTARES GOURMET INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A PRODUTOS ALIMENTARES GOURMET BRASIL ABRIL de 2015 Matriz Cultural do Mercado O Brasil é grande consumidor de produtos gourmet, porém existe logicamente um processo seletivo destes

Leia mais

1.1. Quais são as normas da Anvisa e onde são publicadas no DOU? 1.2. Como consultar a publicação de uma resolução da Anvisa no DOU?

1.1. Quais são as normas da Anvisa e onde são publicadas no DOU? 1.2. Como consultar a publicação de uma resolução da Anvisa no DOU? Atualizado: 17 / 09 / 2013 - FAQ - AI 1. Diário Oficial da União (DOU) 1.1. Quais são as normas da Anvisa e onde são publicadas no DOU? 1.2. Como consultar a publicação de uma resolução da Anvisa no DOU?

Leia mais

GGTIN Gerência-Geral de Tecnologia da Informação Área de Cadastro

GGTIN Gerência-Geral de Tecnologia da Informação Área de Cadastro Anvisa Agência Nacional de Vigilância Sanitária Cadastro de Instituições Agosto 2011 GGTIN Gerência-Geral de Tecnologia da Informação Área de Cadastro O Cadastro O sistema 2 Permite que as instituições

Leia mais

INSPEÇÃO EM CLINICAS E CONSULTÓRIOS MÉDICOS I- DADOS CADASTRAIS

INSPEÇÃO EM CLINICAS E CONSULTÓRIOS MÉDICOS I- DADOS CADASTRAIS Prefeitura Municipal do Salvador Secretaria Municipal da Saúde Coordenadoria de Saúde Ambiental Subcoordenadoria de Vigilância Sanitária INSPEÇÃO EM CLINICAS E CONSULTÓRIOS MÉDICOS Razão Social: CGC/CNPJ/CPF:

Leia mais

Reunião com Associações de Empresas de Produtos para Saúde

Reunião com Associações de Empresas de Produtos para Saúde Reunião com Associações de Empresas de Produtos para Saúde Atualização de Requisitos para Regularização de Produtos REGULAMENTO TÉCNICO DE PRODUTOS PARA CADASTRO DE PRODUTOS PARA SAÚDE RDC 40/2015 GEMAT

Leia mais

Influenza A (H1N1): Perguntas e Respostas

Influenza A (H1N1): Perguntas e Respostas Influenza A (H1N1): Perguntas e Respostas Para entender a influenza: perguntas e respostas A comunicação tem espaço fundamental na luta contra qualquer doença. Um exemplo é o caso do enfrentamento da influenza

Leia mais

Circular 059/2012 São Paulo, 01 de Fevereiro de 2012.

Circular 059/2012 São Paulo, 01 de Fevereiro de 2012. Circular 059/2012 São Paulo, 01 de Fevereiro de 2012. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) NORMAS DE FUNCIONAMENTO E HABILITAÇÃO DO SERVIÇO HOSPITALAR DE REFERÊNCIA ATENÇÃO PSICOSSOCIAL Diário Oficial da União

Leia mais

Sistema Único de Saúde (SUS)

Sistema Único de Saúde (SUS) LEIS ORGÂNICAS DA SAÚDE Lei nº 8.080 de 19 de setembro de 1990 Lei nº 8.142 de 28 de dezembro de 1990 Criadas para dar cumprimento ao mandamento constitucional Sistema Único de Saúde (SUS) 1 Lei n o 8.080

Leia mais

INSTITUIÇÃO: DATA: RESPONSÁVEL PELA INSPEÇÃO: NOME DO RESP. PELO SERVIÇO;

INSTITUIÇÃO: DATA: RESPONSÁVEL PELA INSPEÇÃO: NOME DO RESP. PELO SERVIÇO; INSTITUIÇÃO: DATA: RESPONSÁVEL PELA INSPEÇÃO: NOME DO RESP. PELO SERVIÇO; Tipo do Serviço: ( ) Próprio ( )terceirizado Nome; Possui Licença sanitária? ( ) SIM ( ) NÃO N /ANO: Há um encarregado do setor

Leia mais