HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 54 REVOLUÇÃO FRANCESA: IMPÉRIO NAPOLEÔNICO ( )

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 54 REVOLUÇÃO FRANCESA: IMPÉRIO NAPOLEÔNICO ( )"

Transcrição

1 HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 54 REVOLUÇÃO FRANCESA: IMPÉRIO NAPOLEÔNICO ( )

2 Fixação 1) (UERJ) Os acontecimentos do final do século XVIII deram corpo e alma a uma série de mudanças que possibilitaram o nascimento, embora em ritmos diversos, segundo as regiões do mundo contemporâneo. A gestação da Revolução Industrial inglesa, a independência dos Estados Unidos e a Revolução Francesa constituíram-se nos marcos dessa modernidade. As ideias e práticas aba-laram os alicerces do Antigo Regime, ainda que de formas diversas, tanto na maior parte do continente europeu quanto no universo colonial americano. Explique por que a Revolução Francesa é considerada um importante marco da crise do Antigo Regime.

3 Fixação 2) (PUC) Como general, cônsul e, depois, imperador, Napoleão Bonaparte transformou a França de um país sitiado numa potência expansionista com influência em todo o continente europeu. No entanto, a expansão francesa com seus ideais burgueses encontrou muitas resistências principalmente entre as nações dominadas por setores aristocráticos. Assinale a opção que identifica corretamente uma ação implementada pelo governo napoleônico. a) O estabelecimento do catolicismo cristão e romano como religião de estado. b) A descentralização das atividades econômicas, o que permitia que as economias locais prosperassem sem o pagamento de impostos. c) A adoção do Código Civil que garantia a liberdade individual, a igualdade perante a lei e o direito à propriedade privada. d) O estímulo, por parte das leis francesas, à criação de sindicatos de trabalhadores, livres da influência do Estado. e) A estatização de toda a propriedade agrícola, co-mercial e industrial nas regiões dominadas pelo exército napoleônico.

4 ixação ) (UERJ) Para cúmulo da desgraça foram os soberanos da Espanha obrigados a renunciar aos seus direitos, a abdicar de seu trono e a solicitar o seu mesmo Povo a que faltasse à fé e juramento de fidelidade, que havia prestado à Real Família Reinante; a pedir por fim que obedecesse a seus próprios inimigos. Depois disto, quem se atreverá a duvidar da sábia política do Príncipe Regente de Portugal em mudar a sua Corte para o Brasil? (Adaptado de Correio Braziliense, São Paulo: Imprensa Oficial do Estado/Instituto Uniemp, edição fac-similar, 2000.) ) O texto acima remete a um acontecimento, decorrente da política internacional, ocorrido na enínsula Ibérica na primeira década do século XIX. Indique esse acontecimento e seu principal objetivo em relação a Portugal. ) A vinda da Corte Portuguesa para o Brasil pode ser considerada importante para o processo e independência do Brasil. Apresente um argumento que justifique esse ponto de vista.

5 1) (UFMG) A maioria dos historiadores atribui à Revolu-ção Francesa uma contribuição decisiva para a construção de novos valores políticos e sociais do mundo contemporâneo. Esse entendimento está baseado: a) nas formulações políticas dos jacobinos, que permitiram a rápida implantação do sistema capitalista na Europa; b) no simbolismo da Revolução, que representou o rompimento com o absolutismo e a ampliação da noção de cidadania; c) na atuação dos girondinos, que defendiam a revolução como a única forma eficiente de ação política; d) no revigoramento dos laços de solidariedade das corporações de ofício, que preparou terreno para a ação sindical dos trabalhadores.

6 2) (PUC) Discutindo os ideais mobilizadores da ação revolucionária da França, em 1789, o historiador François Furet observa: (...) a época em que ainda só se tem adversários muito fracos e pouco organizados em , a Revolução inventa formidáveis inimigos (...) A desigualdade, o privilégio, a sociedade desintegrada em corporações separadas e rivais, é o universo da classe e da diferença. A nobreza, menos como grupo real que como princípio social, símbolo dessa diferença no mundo antigo, paga o elevado preço dessa reviravolta de valores. Só a sua exclusão expressa da sociedade pode tornar legítimo este novo pacto social. (FURET, François. Pensar a Revolução Francesa - Lisboa, Edições 70, 1988) a) O autor refere-se à construção de uma ideologia integradora e excludente na qual os revolucionários apresentam-se como constituidores e representantes da nação. A aristocracia é aí mostrada como encarnação de antivalores e inimiga da nação. b) O autor justifica a eclosão da Revolução Francesa a partir dos fatores geradores da crise do Antigo Regime, nos seus aspectos políticos, sociais e econômicos. c) O autor reafirma a existência de uma conspiração aristocrática contra o ideário revolucionário, justificando, de certa forma, a declaração de guerra contra a Áustria em d) O autor explicita uma polarização, reconhecendo a superação do Feudalismo quase como uma necessidade histórica e indica as condições objetivas para essa superação. e) O autor identifica o ideário revolucionário com as ideias iluministas, que condenavam o obscurantismo e o atraso relacionados ao Antigo Regime.

7 3) (UNIRIO) A Era Napoleônica ( ) marcou a conjuntura de transição do mundo moderno para o contemporâneo, alterando o equilíbrio de poder construído pelos Estados europeus. Sobre a Era Napoleônica, é correto afirmar que no: a) 18 de Brumário (9/11/1799), o Diretório Nacional, controlado pelosjacobinos revolucionários, iniciou uma série de execuções políticas, o chamado Período do Terror, encerradas pela conquista de Paris pelas forças napoleônicas; b) Consulado ( ), os ideais revolucionários liberais da burguesia francesa tais como a promulgação do Código Civil e a reforma do ensino francês consolidaram-se; c) Império ( ), a aliança política e a coligação militar com a Áustria e a Prússia permitiram o avanço dos exércitos franceses contra a Rússia e a decretação do Bloqueio Continental contra a Inglaterra; d) Governo dos Cem Dias (1815), Napoleão convocou uma Assembleia Nacional Constituinte, que estabilizou politicamente o país, promovendo a paz com a Inglaterra e a destituição da Dinastia dos Bourbons do trono francês; e) Congresso de Viena (1815), os princípios de legi-timidade e equilíbrio, defendidos pelas monarquias europeias, garantiram a fixação das fronteiras francesas, reconhecendo as conquistas territoriais de Napoleão.

8 4) (PUC) A ascensão de Napoleão Bonaparte ao poder na França representou: a) a adoção de uma política de reconciliação, assegurando a paz interna e canalizando o furor revolucionário para as campanhas externas; b) o estabelecimento de um governo popular, garantindo a efetiva participação das massas na condução das coisas públicas; c) a busca de um equilíbrio de poder no continente europeu, através da celebração de uma série de alianças com as principais potências; d) o fim da política isolacionista até então mantida pelo governo francês, que passa a interferir diretamente nas questões europeias; e) a reação da sociedade francesa ao avanço das forças capitalistas de produção e a valorização das estruturas produtivas tradicionais.

9 5) (UNIRIO) A Era Napoleônica ( ) caracterizou--se como um período de profundas transformações políticas e sociais que consolidaram a hegemonia burguesa na França. Marque a opção que identifica corretamente uma dessas transformações. a) Abolição da escravidão nas colônias francesas. b) Aprovação da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. c) Promulgação do Código Civil dos franceses. d) Extinção dos laços senhoriais de servidão e vassalagem. e) Instituição do sufrágio censitário.

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 25 PRIMEIRO REINADO: RESISTÊNCIAS E RECONHECIMENTO DA INDEPENDÊNCIA

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 25 PRIMEIRO REINADO: RESISTÊNCIAS E RECONHECIMENTO DA INDEPENDÊNCIA HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 25 PRIMEIRO REINADO: RESISTÊNCIAS E RECONHECIMENTO DA INDEPENDÊNCIA Fixação 1) (UNIRIO) Ao compararmos os processos de formação dos Estados Nacionais no Brasil e na América Hispânica,

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Área de Ciências Humanas Disciplina: História Série: 8ª Ensino Fundamental Professora: Letícia História Atividades para Estudos Autônomos Data: 03 / 10 / 2016 Aluno(a): Nº: Turma:

Leia mais

Era Napoleônica e Independência do Brasil

Era Napoleônica e Independência do Brasil 1. (UNIRIO) A Era Napoleônica (1799-1815) marcou a conjuntura de transição do mundo moderno para o contemporâneo, alterando o equilíbrio de poder construído pelos Estados europeus. Sobre a Era Napoleônica,

Leia mais

QUESTÃO 01 QUESTÃO 02 QUESTÃO 03

QUESTÃO 01 QUESTÃO 02 QUESTÃO 03 QUESTÃO 01 As grandes navegações dos séculos XV e XVI possibilitaram a exploração do Oceano Atlântico, conhecido, à época, como Mar Tenebroso. Como resultado, um novo movimento penetrava nesse mundo de

Leia mais

IDADE CONTEMPORÂNEA A ERA NAPOLEÔNICA

IDADE CONTEMPORÂNEA A ERA NAPOLEÔNICA ERA NAPOLEÔNICA (1799 1815) Prof. João Gabriel da Fonseca joaogabriel_fonseca@hotmail.com 1 - O CONSULADO (1799 1804): Pacificação interna e externa. Acordos de paz com países vizinhos. Acordo com a Igreja

Leia mais

O IMPÉRIO NAPOLEÔNICO E O CONGRESSO DE VIENA COLÉGIO PEDRO II PROFESSOR: ERIC ASSIS

O IMPÉRIO NAPOLEÔNICO E O CONGRESSO DE VIENA COLÉGIO PEDRO II PROFESSOR: ERIC ASSIS O IMPÉRIO NAPOLEÔNICO E O CONGRESSO DE VIENA 1799-1815 COLÉGIO PEDRO II PROFESSOR: ERIC ASSIS OS SIGNIFICADOS DA ASCENSÃO DE NAPOLEÃO O esgotamento político e social após 10 anos de revolução na França.

Leia mais

NAPOLEÃO BONAPARTE. mcc

NAPOLEÃO BONAPARTE. mcc NAPOLEÃO BONAPARTE mcc Golpe do 18 Brumário ( 9 de novembro de 1799) Fim da Revolução Francesa. O Diretório foi substituído por uma nova forma de governo- Consulado. Três cônsules passaram a governar a

Leia mais

Exercícios de Era Napoleônica

Exercícios de Era Napoleônica Exercícios de Era Napoleônica 1. A Era Napoleônica (1799-1815) marcou a conjuntura de transição do mundo moderno para o contemporâneo, alterando o equilíbrio de poder construído pelos Estados europeus.

Leia mais

Século XVIII. Revolução francesa: o fim da Idade Moderna

Século XVIII. Revolução francesa: o fim da Idade Moderna Século XVIII Revolução francesa: o fim da Idade Moderna Marco inicial: tomada da Bastilha Assembleia Nacional Consituinte 1789-1792 Nova Constituição (liberal) para a França; Alta burguesia assume o comando

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA. Professor Marcelo Pitana

REVOLUÇÃO FRANCESA. Professor Marcelo Pitana REVOLUÇÃO FRANCESA Professor Marcelo Pitana REVOLUÇÃO FRANCESA (1789 Queda da Bastilha) Antecedentes: - Ideais iluministas (liberais); - Abuso de poder da nobreza; - Pompa das cortes; - Déficit orçamentário;

Leia mais

Período Napoleônico e Restauração

Período Napoleônico e Restauração Aula 15 Período Napoleônico e Restauração 1 O Consulado (1799 1804) Setor 1606 2 O Império (1804 1815) 3 O Congresso de Viena Aula 15 15 Período Napoleônico e e Restauração 1.1 A Pacificação Acordo com

Leia mais

A ERA NAPOLEÔNICA ( ) E O CONGRESSO DE VIENA

A ERA NAPOLEÔNICA ( ) E O CONGRESSO DE VIENA A ERA NAPOLEÔNICA (1799-1815) E O CONGRESSO DE VIENA FIM DA REVOLUÇÃO E EXPANSÃO FRANCESA http://historiaonline.com.br 1. Napoleão de 1769 a 1799: Patente de general com 24 anos. 1.1 Êxitos militares:

Leia mais

A ERA NAPOLEÔNICA ( ) E O CONGRESSO DE VIENA

A ERA NAPOLEÔNICA ( ) E O CONGRESSO DE VIENA A ERA NAPOLEÔNICA (1799-1815) E O CONGRESSO DE VIENA FIM DA REVOLUÇÃO E EXPANSÃO FRANCESA http://historiaonline.com.br 1. Napoleão de 1769 a 1799: Patente de general com 24 anos. 1.1 Êxitos militares:

Leia mais

Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Espanhol

Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Espanhol Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Espanhol 1 Os exercícios deverão ser feitos no livro. Predicado Verbal Leitura: págs. 91 e 92 do livro

Leia mais

Colégio Ser! Sorocaba História 8º ano Profª Marilia C Camillo Coltri

Colégio Ser! Sorocaba História 8º ano Profª Marilia C Camillo Coltri Colégio Ser! Sorocaba História 8º ano Profª Marilia C Camillo Coltri Primeira Fase Campanhas sob o Diretório (1796-1799) Enquanto a França organizava-se sob o regime do Diretório (3ª fase da Revolução

Leia mais

Aula 03 1B REVOLUÇÃO FRANCESA I

Aula 03 1B REVOLUÇÃO FRANCESA I APRESENTAÇÃO Aula 03 1B REVOLUÇÃO FRANCESA I Prof. Alexandre Cardoso REVOLUÇÃO FRANCESA Marco inicial da Idade Contemporânea ( de 1789 até os dias atuais) 1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA

Leia mais

Revisão ª série. Roberson de Oliveira

Revisão ª série. Roberson de Oliveira Revisão 2011 3ª série Roberson de Oliveira Iluminismo - séc. XVIII 1. Definição 2. caracterização: valorização da razão oposição/superioridade em relação à fé promotora do bem-estar, do progresso e da

Leia mais

HISTÓRIA - 3 o ANO MÓDULO 44 ERA NAPOLEÔNICA ( )

HISTÓRIA - 3 o ANO MÓDULO 44 ERA NAPOLEÔNICA ( ) HISTÓRIA - 3 o ANO MÓDULO 44 ERA NAPOLEÔNICA (1799-1815) Como pode cair no enem Por volta de 1811, o Império Napoleônico atingiu o seu apogeu. Direta ou indiretamente, Napoleão dominou mais da metade

Leia mais

EUROPA SÉCULO XIX. Revoluções Liberais e Nacionalismos

EUROPA SÉCULO XIX. Revoluções Liberais e Nacionalismos EUROPA SÉCULO XIX Revoluções Liberais e Nacionalismos Contexto Congresso de Viena (1815) Restauração do Absolutismo Princípio da Legitimidade Santa Aliança Equilíbrio Europeu -> Fim Sacro I. Romano Germânico

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 1º ANO

LISTA DE EXERCÍCIOS 1º ANO GAB LISTA - 22 O Iluminismo, movimento contrário ao Absolutismo e que defendia o direito à liberdade e à igualdade dos povos, influenciou uma série de movimentos mundo afora, incluindo a Independência

Leia mais

França e as Guerras Napoleônicas. Conteúdo cedido, organizado e editado pelos profs. Rodrigo Teixeira e Rafael Ávila

França e as Guerras Napoleônicas. Conteúdo cedido, organizado e editado pelos profs. Rodrigo Teixeira e Rafael Ávila França e as Guerras Napoleônicas Conteúdo cedido, organizado e editado pelos profs. Rodrigo Teixeira e Rafael Ávila A França do Século XVIII 3 a. maior economia europeia; problemas econômicos domésticos

Leia mais

A ERA NAPOLEÔNICA

A ERA NAPOLEÔNICA A ERA NAPOLEÔNICA 1799-1815 O golpe de 18 Brumário teria representado o assassinato da revolução? Durante a década revolucionária, a maior parte dos grupos sociais que compunham o antigo Terceiro Estado

Leia mais

IDADE CONTEMPORÂNEA A REVOLUÇÃO FRANCESA. Prof. Iair. Prof. Jorge Diacópulos

IDADE CONTEMPORÂNEA A REVOLUÇÃO FRANCESA. Prof. Iair. Prof. Jorge Diacópulos Prof. Jorge Diacópulos Revolução burguesa. Antecedentes/causas: IDADE CONTEMPORÂNEA Maior população da Europa Ocidental (25 milhões). 80% rural. Absolutismo parasitário Luís XVI Festas, banquetes, pensões,

Leia mais

Rev. Liberais do Século XIX e Período Regencial

Rev. Liberais do Século XIX e Período Regencial Rev. Liberais do Século XIX e Período 1. (PUC-RJ) O Congresso de Viena, concluído em 1815, após a derrota de Napoleão Bonaparte, baseou-se em três princípios políticos fundamentais. Assinale a opção que

Leia mais

Revolução Francesa

Revolução Francesa Revolução Francesa 1789-1799 Contexto Mundial Circulação de ideias iluministas pela sociedade Crescimento econômico e comercial da Inglaterra graças a revolução industrial. Desde o final das Revoluções

Leia mais

UD II - ASSUNTO 6 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA 02 TEMPOS

UD II - ASSUNTO 6 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA 02 TEMPOS UD II - ASSUNTO 6 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA 02 TEMPOS OBJETIVOS: -IDENTIFICAR OS OBJETIVOS E OS PRINCÍPIOS DO CONGRESSO. - DEFINIR OS OBJETIVOS E A ATUAÇÃO DA SANTA ALIANÇA. SUMÁRIO: 1.CONCEITUAÇÃO.

Leia mais

UD II - ASSUNTO 6 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA 02 TEMPOS OBJETIVOS:

UD II - ASSUNTO 6 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA 02 TEMPOS OBJETIVOS: UD II - ASSUNTO 6 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA 02 TEMPOS OBJETIVOS: -IDENTIFICAR OS OBJETIVOS E OS PRINCÍPIOS DO CONGRESSO. - DEFINIR OS OBJETIVOS E A ATUAÇÃO DA SANTA ALIANÇA. SUMÁRIO: 1.CONCEITUAÇÃO.

Leia mais

Revolução Francesa

Revolução Francesa Revolução Francesa 1789-1799 Marco tradicional do início da Idade Contemporânea: A história moderna termina em 1789, com aquilo que a Revolução batizou de Antigo Regime. (...) 1789 é a chave para o antes

Leia mais

Departamento Curricular de Ciências Sociais e Humanas. Grupo de Recrutamento: 400. Planificação Trimestral de História A. 2º Período.

Departamento Curricular de Ciências Sociais e Humanas. Grupo de Recrutamento: 400. Planificação Trimestral de História A. 2º Período. Departamento Curricular de Ciências Sociais e Humanas Grupo de Recrutamento: 400 Coordenadora: Rosa Santos Subcoordenador: Armando Castro Planificação Trimestral de História A 2º Período 11º Ano Professor:

Leia mais

A REVOLUÇÃO FRANCESA

A REVOLUÇÃO FRANCESA A REVOLUÇÃO FRANCESA CAUSAS DA REVOLUÇÃO: SOCIEDADE DIVIDIDA EM 3 ESTAMENTOS (CAMADAS SOCIAIS) 1º ESTADO= CLERO (CAMADA MAIS ALTA) NÃO PAGAVA IMPOSTOS 2º ESTADO= NOBREZA (CAMADA INTERMEDIÁRIA) NÃO PAGAVA

Leia mais

2º ano - História - Ruy

2º ano - História - Ruy 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 A REAÇÃO ARISTOCRÁTICA a) Aristocratas exigem que Luis XVI, convoque votação para aumentar impostos. b) Rei convoca os Estados Gerais

Leia mais

Revolução Francesa e Napoleão

Revolução Francesa e Napoleão Revolução Francesa e Napoleão Revolução Francesa e Napoleão 1. A convocação dos Estados Gerais deu início à Revolução Francesa, ocasionando um conjunto de mudanças que abalaram não só a França, mas também

Leia mais

Atividade de revisão para o Exame final. A Revolução Francesa (14/07/1789)

Atividade de revisão para o Exame final. A Revolução Francesa (14/07/1789) Profª.: Lygia Mânica Costa 7ª série do E. Fundamental Nome: Turma: Data: Atividade de revisão para o Exame final A Revolução Francesa (14/07/1789) A situação social era grave e o nível de insatisfação

Leia mais

Era Napoleônica

Era Napoleônica Era Napoleônica 1799-1815 A COROAÇÃO DE NAPOLEÃO: INTRODUÇÃO: OPOSIÇÕES AO DIRETÓRIO - Medo da insatisfação popular (extinção da Lei do Máximo) - Oposição de representantes dos antigos grupos políticos

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO educação do jeito que deve ser

COLÉGIO XIX DE MARÇO educação do jeito que deve ser COLÉGIO XIX DE MARÇO educação do jeito que deve ser 2016 2 a PROVA PARCIAL DE HISTÓRIA Aluno(a): Nº Ano: 8º Turma: Data: 06/08/2016 Nota: Professor(a): Ivana Cavalcanti Riolino Valor da Prova: 40 pontos

Leia mais

A ERA NAPOLEÔNICA ( )

A ERA NAPOLEÔNICA ( ) Prof. Tácius Fernandes Blog: www.proftaciusfernandes.wordpress.com A ERA NAPOLEÔNICA (1799-1814) SÍNTESE: Coube a Napoleão Bonaparte a difícil tarefa de consolidar a estrutura social burguesa na França

Leia mais

Em meio a uma grave crise econômica e política. Ganha destaque uma figura que terá grande importância para a história

Em meio a uma grave crise econômica e política. Ganha destaque uma figura que terá grande importância para a história Era Napoleônica Em meio a uma grave crise econômica e política. Ganha destaque uma figura que terá grande importância para a história Nasce na ilha de Córsega, em 1769 Vai estudar na Academia Real Militar

Leia mais

Revolução Industrial, Socialismo, Revolução Francesa e Napoleão

Revolução Industrial, Socialismo, Revolução Francesa e Napoleão Revolução Industrial, Socialismo, Revolução Francesa e Napoleão Revolução Industrial, Socialismo, Revolução Francesa e Napoleão 1. História O texto e a imagem apresentada fazem referência a um mesmo processo

Leia mais

Devido ao sucesso do seu governo, em 1802, Napoleão foi proclamado cônsul vitalício, com direito de indicar seu sucessor.

Devido ao sucesso do seu governo, em 1802, Napoleão foi proclamado cônsul vitalício, com direito de indicar seu sucessor. IDADE CONTEMPORÂNEA Era Napoleônica e Congresso de Viena Após derrubar o Diretório, Napoleão Bonaparte tornou-se a figura central da vida política francesa, governando por aproximadamente 15 anos. O governo

Leia mais

INTRODUÇÃO. Fonte: http: //www.buscatematica.net/historia.htm

INTRODUÇÃO. Fonte: http: //www.buscatematica.net/historia.htm 3 INTRODUÇÃO A Formação do Grande Exército Napoleônico, a primeira força militar multinacional deu-se com Napoleão Bonaparte, general e imperador dos Franceses, que após derrubar o governo do Diretório

Leia mais

NAPOLEÃO BONAPARTE. Pode-se dividir seu governo em três partes: Consulado (1799-1804) Império (1804-1815) Governo dos Cem Dias (1815)

NAPOLEÃO BONAPARTE. Pode-se dividir seu governo em três partes: Consulado (1799-1804) Império (1804-1815) Governo dos Cem Dias (1815) NAPOLEÃO BONAPARTE 1 Profª Adriana Moraes Destaca-se política e militarmente no Período Jacobino. DIRETÓRIO Conquistas militares e diplomáticas na Europa defesa do novo governo contra golpes. Golpe 18

Leia mais

A ERA NAPOLEÔNICA

A ERA NAPOLEÔNICA A ERA NAPOLEÔNICA 1799-1815 Era Napoleônica (1799-1815) 1. Introdução Assumindo o poder em 1799 Napoleão Bonaparte instituiu o regime de Consulado. Em seu governo, exerceu uma verdadeira ditadura militar,

Leia mais

Trabalho de Regulação. 2 bimestre. 1 - O esquema abaixo trata do processo de transformação do sistema produtivo.

Trabalho de Regulação. 2 bimestre. 1 - O esquema abaixo trata do processo de transformação do sistema produtivo. Nome: Ano: 8 ano Disciplina: História Professor: Eder Nº: Trabalho de Regulação 2 bimestre 1 - O esquema abaixo trata do processo de transformação do sistema produtivo. Complete os espaços com as expressões

Leia mais

Revoluções, ideias e transformações econômicas do século XIX. Profª Ms. Ariane Pereira

Revoluções, ideias e transformações econômicas do século XIX. Profª Ms. Ariane Pereira Revoluções, ideias e transformações econômicas do século XIX Profª Ms. Ariane Pereira As transformações na Europa final do século XVIII Ideias Iluministas: liberdade e igualdade; Revolução Francesa estabeleceu

Leia mais

Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. Aula 08 Prof. Thiago

Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. Aula 08 Prof. Thiago Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real Aula 08 Prof. Thiago Movimentos de Pré- Independência Século XVIII e XIX Crise do mercantilismo e do Estado Absolutista Hegemonia de ideias liberais

Leia mais

Foram movimentos que romperam radicalmente com as estruturas do Antigo Regime e marcou a ascensão da burguesia como nova classe economica.

Foram movimentos que romperam radicalmente com as estruturas do Antigo Regime e marcou a ascensão da burguesia como nova classe economica. Foram movimentos que romperam radicalmente com as estruturas do Antigo Regime e marcou a ascensão da burguesia como nova classe economica. O Absolutismo na Inglaterra a presentava uma característica peculiar:

Leia mais

Na estrutura do Estado Absolutista havia três diferentes Estados. O que é correto afirmar sobre estes estados?

Na estrutura do Estado Absolutista havia três diferentes Estados. O que é correto afirmar sobre estes estados? Questão 1 Na estrutura do Estado Absolutista havia três diferentes Estados. O que é correto afirmar sobre estes estados? a. O Primeiro Estado era representado pelos religiosos, o Segundo Estado era representado

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA. Aula 01- Segundo Semestre 2016 Prevest

REVOLUÇÃO FRANCESA. Aula 01- Segundo Semestre 2016 Prevest REVOLUÇÃO FRANCESA Aula 01- Segundo Semestre 2016 Prevest DATAS ACONTECIMENTOS DATAS ACONTECIMENTOS 1788 Convocação dos Estados Gerais 1789 Proclamação da Contituinte; Destruição da Bastilha; Revoltas

Leia mais

O PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DO BRASIL COLÉGIO PEDRO II PROFESSOR: ERIC ASSIS

O PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DO BRASIL COLÉGIO PEDRO II PROFESSOR: ERIC ASSIS O PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DO BRASIL 1820-1822 COLÉGIO PEDRO II PROFESSOR: ERIC ASSIS O 7 DE SETEMBRO: A INDEPENDÊNCIA FOI SOMENTE O GRITO DO IPIRANGA? OS SIGNIFICADOS DA INDEPENDÊNCIA Emancipação ou

Leia mais

Matriz de Referência de HISTÓRIA - SAERJINHO 5 ANO ENSINO FUNDAMENTAL

Matriz de Referência de HISTÓRIA - SAERJINHO 5 ANO ENSINO FUNDAMENTAL 5 ANO ENSINO FUNDAMENTAL H01 Identificar diferentes tipos de modos de trabalho através de imagens. X H02 Identificar diferentes fontes históricas. X H03 Identificar as contribuições de diferentes grupos

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA 1789

REVOLUÇÃO FRANCESA 1789 REVOLUÇÃO FRANCESA 1789 Antecedentes/causas: Considerada um dos marcos da História, a Revolução Francesa alterou profundamente a base do poder político e social da França sob o lema Liberdade, Igualdade

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA (1789)

REVOLUÇÃO FRANCESA (1789) REVOLUÇÃO FRANCESA (1789) Conceituação / Aspectos Gerais: Modelo clássico de revolução democráticoburguesa. Várias revoluções dentro do processo revolucionário. Profundo radicalismo, mais que precedentes

Leia mais

UNIDADE: DATA: 02 / 12 / 2016 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE HISTÓRIA 8.º ANO/EF

UNIDADE: DATA: 02 / 12 / 2016 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE HISTÓRIA 8.º ANO/EF SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE: DATA: 02 / 2 / 206 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE HISTÓRIA 8.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799

REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799 REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799 À procura de solução para a crise: 1787 Luís XVI convocação dos conselheiros para criação de novos impostos Acabar com a isenção fiscal do Primeiro e Segundo Estados CONSEQUÊNCIA

Leia mais

FUNDAMENTOS TEÓRICOS DA HERMENÊUTICA

FUNDAMENTOS TEÓRICOS DA HERMENÊUTICA FUNDAMENTOS TEÓRICOS DA HERMENÊUTICA Hermenêutica faz parte das teorias do conhecimento humano. Interpretar é uma das funções produtoras do conhecimento: pensar é interpretar. O conceito da hermenêutica

Leia mais

O DESPERTAR DE UM NOVO TEMPO

O DESPERTAR DE UM NOVO TEMPO O DESPERTAR DE UM NOVO TEMPO INTRODUÇÃO: Compreendendo as causas da Revolução Francesa DEFINIÇÃO Revolução burguesa; Marca a transição da Idade Moderna para a Idade Contemporânea; Destruiu o chamado Antigo

Leia mais

REVOLUÇÕES LIBERAIS DO SÉCULO XIX

REVOLUÇÕES LIBERAIS DO SÉCULO XIX REVOLUÇÕES LIBERAIS DO SÉCULO XIX ANTECEDENTES ILUMINISMO REVOLUÇÃO FRANCESA CONGRESSO DE VIENA LIBERALISMO POLÍTICO E ECONOMICO (LIBERDADE/IGUALDADE) CONTESTAÇÃO DA ORDEM SOCIAL LUTA PELA CIDADANIA RESTAURAÇÃO

Leia mais

Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Espanhol

Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Espanhol Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Espanhol 1 O CAT 2º período / 2017 vale 10,0 (dez) pontos e deverá ser entregue à professora no dia

Leia mais

A REVOLUÇÃO FRANCESA

A REVOLUÇÃO FRANCESA A REVOLUÇÃO FRANCESA CAUSAS DA REVOLUÇÃO: SOCIEDADE DIVIDIDA EM 3 ESTAMENTOS (CAMADAS SOCIAIS) 1º ESTADO= CLERO (CAMADA MAIS ALTA) NÃO PAGAVA IMPOSTOS 2º ESTADO= NOBREZA (CAMADA INTERMEDIÁRIA) NÃO PAGAVA

Leia mais

Aula 08 Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real.

Aula 08 Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. Aula 08 Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. O que foram os movimentos de pré-independência? Séculos XVIII e XIX grandes mudanças afetaram o Brasil... MUNDO... Hegemonia das ideias

Leia mais

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 55 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 55 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 55 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA Fixação 1) Em perfeita sintonia com o espírito restaurador do Congresso de Viena, a criação da Santa Aliança tinha por objetivo: a)

Leia mais

RESOLUÇÃO SIMULADO 3 SÉRIE H6 TARDE 1º DIA 1BIM 2015 TIPO D

RESOLUÇÃO SIMULADO 3 SÉRIE H6 TARDE 1º DIA 1BIM 2015 TIPO D RESOLUÇÃO SIMULADO 3 SÉRIE H6 TARDE 1º DIA 1BIM 2015 TIPO D Resposta da questão 1: Resposta da questão 2: Resposta da questão 3: Resposta da questão 4: Resposta da questão 5: Resposta da questão 6: Resposta

Leia mais

RESOLUÇÃO SIMULADO 3 SÉRIE H5 TARDE 1º DIA 1BIM 2015 TIPO C

RESOLUÇÃO SIMULADO 3 SÉRIE H5 TARDE 1º DIA 1BIM 2015 TIPO C RESOLUÇÃO SIMULADO 3 SÉRIE H5 TARDE 1º DIA 1BIM 2015 TIPO C Resposta da questão 1: Resposta da questão 2: Resposta da questão 3: Resposta da questão 4: Resposta da questão 5: Resposta da questão 6: Resposta

Leia mais

CP/ECEME/2007 2ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0)

CP/ECEME/2007 2ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) CP/ECEME/07 2ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Analisar os fatos históricos, ocorridos durante as crises política, econômica e militar portuguesa/européia

Leia mais

As Revoluções Francesas ( )

As Revoluções Francesas ( ) As Revoluções Francesas (1789 1815) 1. Observe a obra do pintor Delacroix, intitulada A Liberdade guiando o povo (1830), e assinale a alternativa correta. a) Os sujeitos envolvidos na ação política representada

Leia mais

ERA NAPOLEÔNICA. Página 1 de 5

ERA NAPOLEÔNICA. Página 1 de 5 1. (G1 - ifsc 2015) Em 1806, o Imperador francês Napoleão Bonaparte anunciou o Bloqueio Continental à Inglaterra, estabelecendo que nenhum país europeu poderia comercializar com os ingleses. O rei de Portugal,

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA Nome: Nº 2ª Série Data: / 10 / 2016 Professor: Gabriel e Marcelo 3º Bimestre Nota: (Valor 1,0) A Introdução: Neste bimestre, sua média foi inferior a 6,0 e você não assimilou

Leia mais

Curriculum Guide 11 th grade / História

Curriculum Guide 11 th grade / História Curriculum Guide 11 th grade / História Tema Conteúdo Habilidades Essential Questions 1) Era das Revoluções 1.1) Império Napoleônico 1.1a)Compreender o período napoleônico como uma época de consolidação

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA. Prof.: Diego Gomes omonstrodahistoria.blogspot.com.

REVOLUÇÃO FRANCESA. Prof.: Diego Gomes  omonstrodahistoria.blogspot.com. REVOLUÇÃO FRANCESA Prof.: Diego Gomes diegogomes.historia@gmail.com www.facebook.com/profdiegogomes/ omonstrodahistoria.blogspot.com.br/ Objetivos de Ensino/Aprendizagem Conhecer as condições socioeconômicas

Leia mais

Revisão - I Certificação

Revisão - I Certificação Revisão - I Certificação PROF. CRISTIANO CAMPOS CPII - HUMAITÁ II 01) (MACK 2003)O absolutismo e a política mercantilista eram duas partes de um sistema mais amplo, denominado de Antigo Regime. O termo

Leia mais

SE LIGA NESSA HISTÓRIA

SE LIGA NESSA HISTÓRIA SE LIGA NESSA HISTÓRIA Prof. Walter www.seliganessahistoria.com.br IDADE CONTEMPORÂNEA EXERCÍCIO (EMC001) Morada dos Reis (ENEM/2009) O que se entende por Corte do antigo regime é, em primeiro lugar, a

Leia mais

Revisão - I Certificação

Revisão - I Certificação Revisão - I Certificação PROF. CRISTIANO CAMPOS CPII - HUMAITÁ II 01) (MACK 2003)O absolutismo e a política mercantilista eram duas partes de um sistema mais amplo, denominado de Antigo Regime. O termo

Leia mais

PRIMEIRO REINADO ( )

PRIMEIRO REINADO ( ) PRIMEIRO REINADO (1822 1831) 7 de setembro de 1822 Independência ou morte? O grito do Ipiranga. Pedro Américo. 1888. A proclamação da Independência. François- René Moreaux. 1844. Os desafios após a independência

Leia mais

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 61 A UNIFICAÇÃO ALEMÃ

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 61 A UNIFICAÇÃO ALEMÃ HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 61 A UNIFICAÇÃO ALEMÃ Fixação 1) (UERJ) A União Europeia dá continuidade ao seu processo de ampliação. Com o ingresso da Bulgária e da Romênia em 2007, o bloco passa a contar

Leia mais

As formas de controle e disciplina do trabalho no Brasil pós-escravidão

As formas de controle e disciplina do trabalho no Brasil pós-escravidão Atividade extra As formas de controle e disciplina do trabalho no Brasil pós-escravidão Questão 1 Golpe do 18 Brumário O Golpe do 18 Brumário foi um golpe de estado ocorrido na França, e que representou

Leia mais

A REVOLUÇAO FRANCESA (1789 A 1799) TEMA DA REVOLUÇÃO: IGUALDADE, LIBERDADE E FRATERNIDADE

A REVOLUÇAO FRANCESA (1789 A 1799) TEMA DA REVOLUÇÃO: IGUALDADE, LIBERDADE E FRATERNIDADE A REVOLUÇAO FRANCESA (1789 A 1799) TEMA DA REVOLUÇÃO: IGUALDADE, LIBERDADE E FRATERNIDADE QUADRO SOCIAL 1º ESTADO CLERO 2º ESTADO NOBREZA Viviam às custas do Rei 3º ESTADO Alta Burguesia, Pequena Burguesia

Leia mais

Unidade II Poder, Estudo e Instituições Aula 10

Unidade II Poder, Estudo e Instituições Aula 10 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade II Poder, Estudo e Instituições Aula 10 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Conteúdo O Consulado: Economia, Educação

Leia mais

Paulo Tumasz Junior. I e II Revolução Industrial

Paulo Tumasz Junior. I e II Revolução Industrial Paulo Tumasz Junior I e II Revolução Industrial APRESENTAÇÕES Slides - Artesanato, Manufatura e Industria: APRESENTAÇÕES Slides - Período e ocorrência - Características: - Resumo: - II Revolução Industrial:

Leia mais

TRABALHO DE RECUPERAÇÃO 1 TRIMESTRE 2016

TRABALHO DE RECUPERAÇÃO 1 TRIMESTRE 2016 TRABALHO DE RECUPERAÇÃO 1 TRIMESTRE 2016 ALUNO (A): TURMA: VALOR: 12,0 Nota: INSTRUÇÕES: Todas as questões devem ser respondidas a CANETA. 01- Explique por que o século XVIII acabou sendo conhecido como

Leia mais

7. Revolução francesa A PARTIR DA PÁGINA 38 ATÉ PÁGINA 47.

7. Revolução francesa A PARTIR DA PÁGINA 38 ATÉ PÁGINA 47. 7. Revolução francesa A PARTIR DA PÁGINA 38 ATÉ PÁGINA 47. Ideias iluministas aliadas a uma grave crise social, deram origem à Revolução Francesa. A partir de 1789, a população francesa se voltou contra

Leia mais

ILUMINISMO. Prof.ª Maria Auxiliadora

ILUMINISMO. Prof.ª Maria Auxiliadora ILUMINISMO Prof.ª Maria Auxiliadora A CRISE DO ANTIGO REGIME O ILUMINISMO O Antigo Regime vigorou entre os séculos XVI a XVIII na maioria dos países europeus. Este período caracterizou-se pelo: poder absoluto

Leia mais

MONARQUIA FRANCESA SÉC. XV-XVIII AUGE DO ABSOLUTISMO E ANTECEDENTES DA REVOLUÇÃO FRANCESA.

MONARQUIA FRANCESA SÉC. XV-XVIII AUGE DO ABSOLUTISMO E ANTECEDENTES DA REVOLUÇÃO FRANCESA. MONARQUIA FRANCESA SÉC. XV-XVIII AUGE DO ABSOLUTISMO E ANTECEDENTES DA REVOLUÇÃO FRANCESA SÉC. XVI: OS VALOIS NO PODER Guerras de religião: católicos X protestantes; Obstáculo para a centralização; Absolutistas

Leia mais

Ano Lectivo 2012/ ºCiclo 8 ºAno. 8.º Ano 1º Período. Unidade Didáctica Conteúdos Competências Específicas Avaliação.

Ano Lectivo 2012/ ºCiclo 8 ºAno. 8.º Ano 1º Período. Unidade Didáctica Conteúdos Competências Específicas Avaliação. AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Planificação HISTÓRIA Ano Lectivo 2012/2013 3 ºCiclo 8 ºAno 8.º Ano 1º Período Panorâmica geral dos séculos XII e XIII. Observação directa Diálogo

Leia mais

EMENTÁRIO HISTÓRIA LICENCIATURA EAD

EMENTÁRIO HISTÓRIA LICENCIATURA EAD EMENTÁRIO HISTÓRIA LICENCIATURA EAD CANOAS, JULHO DE 2015 DISCIPLINA PRÉ-HISTÓRIA Código: 103500 EMENTA: Estudo da trajetória e do comportamento do Homem desde a sua origem até o surgimento do Estado.

Leia mais

1) Com relação ao período colonial, tanto na América Portuguesa quanto na América Espanhola, considere as seguintes afirmações:

1) Com relação ao período colonial, tanto na América Portuguesa quanto na América Espanhola, considere as seguintes afirmações: 1) Com relação ao período colonial, tanto na América Portuguesa quanto na América Espanhola, considere as seguintes afirmações: 1. a mão-de-obra escrava africana, empregada nas atividades econômicas, era

Leia mais

História História Contemporânea Revolução Industrial/Técnico- Científica Fácil [20 Questões]

História História Contemporânea Revolução Industrial/Técnico- Científica Fácil [20 Questões] História História Contemporânea Revolução Industrial/Técnico- Científica Fácil [20 Questões] 01 - (PUC SP) As Revoluções Inglesas do século XVII e a Revolução Francesa são, muitas vezes, comparadas. Sobre

Leia mais

(Uepg 2010) O liberalismo é uma corrente de pensamento econômico e político que se originou no século XVIII. A seu respeito, assinale o que for

(Uepg 2010) O liberalismo é uma corrente de pensamento econômico e político que se originou no século XVIII. A seu respeito, assinale o que for (Uepg 2010) O liberalismo é uma corrente de pensamento econômico e político que se originou no século XVIII. A seu respeito, assinale o que for correto. 01) A Riqueza das Nações, livro escrito pelo inglês

Leia mais

Universidade Federal do Ceará Coordenadoria de Concursos - CCV 2ª ETAPA PROVA ESPECÍFICA DE HISTÓRIA PROVA ESPECÍFICA DE HISTÓRIA

Universidade Federal do Ceará Coordenadoria de Concursos - CCV 2ª ETAPA PROVA ESPECÍFICA DE HISTÓRIA PROVA ESPECÍFICA DE HISTÓRIA 1ª AVALIAÇÃO CORRETOR 1 01 02 03 04 05 06 07 08 Reservado à CCV AVALIAÇÃO FINAL Universidade Federal do Ceará Coordenadoria de Concursos - CCV Comissão do Vestibular Reservado à CCV 2ª ETAPA PROVA ESPECÍFICA

Leia mais

IDADE CONTEMPORÂNEA A REVOLUÇÃO FRANCESA. A Revolução Francesa

IDADE CONTEMPORÂNEA A REVOLUÇÃO FRANCESA. A Revolução Francesa A Revolução Francesa Revolução burguesa Antecedentes/causas: Maior população da Europa Ocidental (25 milhões). 80% rural. Restrições mercantilistas: taxações, proibições, monopólios. Sociedade estamental

Leia mais

. a d iza r to u a ia p ó C II

. a d iza r to u a ia p ó C II II Sugestões de avaliação História 8 o ano Unidade 5 5 Unidade 5 Nome: Data: 1. Leia o trecho a seguir e faça o que se pede. Admirado como um dos maiores estrategistas militares dos tempos modernos, Napoleão

Leia mais

HISTÓRIA 8 ANO PROF. ARTÊMISON MONTANHO DA SILVA PROF.ª ISABEL SARAIVA ENSINO FUNDAMENTAL

HISTÓRIA 8 ANO PROF. ARTÊMISON MONTANHO DA SILVA PROF.ª ISABEL SARAIVA ENSINO FUNDAMENTAL HISTÓRIA 8 ANO PROF.ª ISABEL SARAIVA ENSINO FUNDAMENTAL PROF. ARTÊMISON MONTANHO DA SILVA CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade II Poder, Estado e Instituições 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 10 Conteúdos A República

Leia mais

PLANO DE ENSINO OBJETIVOS

PLANO DE ENSINO OBJETIVOS PLANO DE ENSINO DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR Nome do COMPONENTE CURRICULAR: História II Curso: Técnico do Nível Médio Integrado em Mineração Série/Período: 2ª série Carga Horária: 2 a/s - 80h/a 67h/r

Leia mais

1º bimestre 2010_3ª série Contemporânea Unificações tardias (Alemanha e Itália). Cap39, p. 374 até 378. Roberson de Oliveira

1º bimestre 2010_3ª série Contemporânea Unificações tardias (Alemanha e Itália). Cap39, p. 374 até 378. Roberson de Oliveira 1º bimestre 2010_3ª série Contemporânea Unificações tardias (Alemanha e Itália). Cap39, p. 374 até 378. Roberson de Oliveira Expansão capitalista e nacionalismo As transições tardias: Alemanha e Itália

Leia mais

O Nacionalismo e as Unificações Conceituação

O Nacionalismo e as Unificações Conceituação O Nacionalismo e as Unificações Conceituação O indivíduo deve lealdade e devoção ao Estado nacional compreendido como um conjunto de pessoas unidas num mesmo território por tradições, língua, cultura,

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade.

REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade. REVOLUÇÃO FRANCESA REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. 1789 Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade. Influência: Iluminista. DIVISÃO SOCIAL 1º

Leia mais

Planejamento das Aulas de História º ano (Prof. Leandro)

Planejamento das Aulas de História º ano (Prof. Leandro) Planejamento das Aulas de História 2016 7º ano (Prof. Leandro) Fevereiro Aula Programada (As Monarquias Absolutistas) Páginas Tarefa 1 A Formação do Estado Moderno 10 e 11 Mapa Mental 3 Teorias em defesa

Leia mais

Plano de Recuperação Semestral 1º Semestre 2017

Plano de Recuperação Semestral 1º Semestre 2017 Disciplina: HISTÓRIA Série/Ano: 8º ANO Professores: Flávio, Maurício e Silvio Objetivo: Proporcionar ao aluno a oportunidade de resgatar os conteúdos trabalhados durante o 1º semestre nos quais apresentou

Leia mais

Ano Lectivo 2015 / ºCiclo 8 ºAno. 8.º Ano 1º Período. Domínios / Subdomínios Objetivos Gerais Competências Específicas Avaliação.

Ano Lectivo 2015 / ºCiclo 8 ºAno. 8.º Ano 1º Período. Domínios / Subdomínios Objetivos Gerais Competências Específicas Avaliação. ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DR. VIEIRA DE CARVALHO Planificação HISTÓRIA Ano Lectivo 2015 / 2016 3 ºCiclo 8 ºAno 8.º Ano 1º Período DOMÌNIO / TEMA D O contexto europeu dos séculos XII a XIV (recuperação

Leia mais

7. (Unesp 2002) Leia os dois artigos seguintes, extraídos da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, de 26 de agosto de 1789.

7. (Unesp 2002) Leia os dois artigos seguintes, extraídos da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, de 26 de agosto de 1789. 1. (Unesp 95) Durante a Revolução Francesa, na fase da Convenção Nacional, destacou-se, como líder revolucionário, Robespierre. Este assumiu a defesa do ideal democrático e se manifestou nestes termos:

Leia mais