Introdução a Sistemas Digitais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Introdução a Sistemas Digitais"

Transcrição

1 Introdução a Sistemas Digitais Definição Sistemas Digitais Projeto Revisão: Circuitos Combinacionais Circuitos Sequênciais Máquinas de Estados

2 Sistemas Digitais Definição Um sistema digital é um sistema no qual os sinais têm um número finito de valores discretos, se contrapondo a sistemas analógicos nos quais os sinais têm valores pertencentes a um conjunto contínuo (infinito). x S (digital) y x S (analógico) y x x y t y t t t

3 Sistema Digitais Definição (cont.) Uma vez que os sinais do mundo físico são analógicos, é necessários convertê-los para sinais digitais e vice-versa sempre que os sinais digitais tenham que interagir com os sinais do meio físico. ADC Processamento de sinal e armazenamento DAC Successive Approximation Register (SAR)

4 Sistemas Digitais Projeto Aboradagem Descendente: decompõe o sistema em subsistemas que são por sua vez decompostos em subsistemas até atingir o níve de abtração desejado. Desafio: obter a decomposição adequada para cada nível para que no final os critérios de projeto (área, desempenho, potência) sejam atingidos. Descrição funcional Linguagens de descrição de hardware Módulos Abordagem Ascendente: conecta módulos disponíveis para formar subsistemas que por sua vez são conectados para formar subsistemas até que a especificação funcional seja satisfeita. Desafio: trabalhar com um conjunto muito grande de subsistemas pequenos para compor um sistema muito complexo. Layout Portas lógicas básicas e flip-flops transistores

5 Sistemas Digitais Projeto: Arbodagem Descendente Projeto de Sistemas Digitais usando fluxogramas, grafos, máquinas de estados e diagrama de blocos Descrição funcional Descrever o projeto em linguagens de descrição de hardware como por exemplo VHDL Usar ferramentas de síntese lógica para bibliotecas de células como o Leonardo da Mentor Usar ferramentas de síntese lógica para plataformas programaveis como FPGAs (Xilinx ISE, Altera uartus, Actel Libero). Módulos Portas lógicas básicas e flip-flops transistores Verificar funcionalmente através de simulação lógica com e sem atraso. Layout

6 Sistemas Digitais Projeto: Arbodagem Ascendente Projeto de somadores, multiplicadores e outros subsistemas combinacionais e sequenciais de alta eficiência em termos de área, desempenho e potência para uso em sistemas digitais complexos. Descrição funcional Módulos Descrever o projeto em linguagens de descrição de hardware como por exemplo VHDL ou em esquemático Portas lógicas básicas e flip-flops Verificar funcionalmente através de simulação lógica com e sem atraso. transistores Verificar elétricamente através de simulação elétrica (SPICE) Layout

7 Sistemas Digitais Projeto: considerações finais Levar em cosideração o projeto na abordagem descendente: ALGORITMO HARDWARE Chip... mas também a abordagem ascendente no momento de otimizar certos blocos e subsistemas no projeto final do sistema digital visando o melhor custo x benefício.

8 O que esperamos de um Sistema Digital? Fatores de evolução densidade de integração, área ocupada waffer consumo de potência freqüência de operação custo de fabricação

9 Wafer of Intel Itanium processors

10

11 Tipos de componentes Circuito de aplicação específica (ASIC): circuito integrado projetado especialmente para uma determinada função e sistema digital. Full-custom semi-custom Standard cell Chip Lógica programável (FPGAs): circuito que pode ser customizado e reprogramado para realizar diversas funções. Compromisso: Custo X tempo de projeto X desempenho

12 000000

13 Revisão: Circuitos Combinacionais Portas Lógicas Básicas S = E E S NOT S = E. E2 E E2 S NAND S = E + E2 E E2 S NOR E E2... En S XNOR E E2... En S XOR

14 Revisão: Circuitos Combinacionais Blocos lógicos Saída depende apenas das entradas A3 B3 A2 B2 A B A0 B0 Comparador de 4 bits (A3A2AA0 e B3B2BB0) comparador Decodificador de 2 bits (AA0) A A0 D3 D2 D D0

15 Revisão: Circuitos Combinacionais Blocos lógicos Saída depende apenas das entradas Multiplexador 4: A0 A 00 0 A3 S S0 A2 A3 0 mux A2 mux S S0 A 0 0 A0

16 Revisão: Circuitos Combinacionais Blocos lógicos Saída depende apenas das entradas S0 S Multiplexador 4: A0 00 A A2 0 0 mux A0 A3 A mux S S0 A2 0 0 A3

17 Revisão: Circuitos Combinacionais Blocos lógicos Somador de bit completo (Full-adder): FA: full adder

18 Revisão: Circuitos Combinacionais Blocos lógicos Somador Ripple-Carry A3 B3 A2 B2 A B A0 B0 Cin C2 C C0 C3 S3 S2 S S0

19 Revisão: Circuitos Combinacionais Blocos lógicos Somador Carry Look Ahead

20 Revisão: Circuitos Combinacionais Blocos lógicos Somador de n bits b3 a3 b2 a2 b a b0 a0 HA HA HA HA A a3 a2 a a0 B b3 b2 b b0 s4(cout) s3 s2 s s0 HA HA HA s0 HA: half adder HA HA s s2 HA s4 s3

21 Revisão: Circuitos Combinacionais Blocos lógicos Unidade Aritmética e Lógica (ULA) bit B0 B0 0 S S0 Função 0 0 soma A+B 0 subtração A-B 0 inversão de A comparação A0 0 C0 FA A0 S0 0 S F0

22 Revisão: Circuitos Combinacionais Blocos lógicos Unidade Aritmética e Lógica (ULA) n bit Bn B B0 Bn 0 S0 B 0 S0 B0 0 An 0 Cn FA An... A 0 C FA A A0 0 C0 FA A0 S0 0 S 0 S 0 S Fn F F0

23 Revisão: Circuitos Combinacionais Blocos lógicos Multiplicador b3 0 b2 0 b 0 b0 0 a0 b j sum in 0 a P0 a i 0 a2 P carry out FA carry in 0 a3 P2 sum out 0 P3 P7 P6 P5 P4

24 Revisão: Circuitos Sequênciais Latches: sensível ao nível do relógio () R S R S set invalido R S R S invalido set R S R S X X set Invalido R S R S X X invalido set

25 Revisão: Circuitos Sequênciais Latches: sensível ao nível do relógio () J K J K set D D 0 0 X 0 J K J K X X set D D X 0

26 Revisão: Circuitos Sequênciais Flip-flops: sensível a borda do relógio () R S R S X X X set Invalido D D 0 X X 0 J K J K X X X set D D 0 X X 0

27 Revisão: Circuitos Sequênciais Registradores D D dado X X dado Reset síncrono D enable enable D X X X 0 dado 0 0 X X X X dado Reset assíncrono D enable enable D X X X X 0 dado 0 0 X 0 X X dado

28 Revisão: Circuitos Sequênciais Registradores Deslocamento enable D L/R D enable L/R X X X X 0 dado X 0 0 X 0 0 X X X X X dado i<=i- i<=i+ LFSR: linear feedback shift register Uso de seed (semente)

29 Revisão: Circuitos Sequênciais Contadores D load D load X X X 0 dado 0 0 X X X X dado D enable D u/d enable u/d X X X X X 0 0 dado X 0 X 0 0 X 0 X X X dado + -

30 Revisão: Máquinas de Estados Definição Uma máquina de estados é uma combinação de 5 elementos: (Σ, X, g, x0, F) Onde: Σ é um alfabeto finito X é um conjunto finito de estados g é a função de transição de estado g : X x Σ -> X X0 é o estado inicial, x0 X F é o conjunto de estados finais, F X.

31 Diagrama de Estados O diagrama de estados representa a máquina de estados finito e contem: Circulos: que representam os estados da máquina rotulados com o nome do estado e tambem ou não com sua codificação. Arcos diretos: que representam as transições entre estados rotulados com entradas/saídas para a transição de estados.

32 Máquina de Estados Finitos TIPO MOORE Saída depende apenas do estado atual. S0 A= Entradas A Lógica de próximo estado F= 0 ; A= 0 S estado A= 0 F= ; A= saídas F

33 Maquina de Estados Finitos TIPO MEALY Saída depende da entrada e do estado atual. Entradas A= F= 0 ; A Lógica de próximo Estado e saída F S0 A= 0 F= ; estado A= 0 S F= 0 ; A= F= ;

34 Maquina de Estados Finitos TIPO MEALY Solucionar problemas de estabilização Saída depende apenas do estado atual. A= F= 0 ; Entradas A Lógica de próximo Estado e saída F Saída S0 A= 0 F= ; estado A= 0 S F= 0 ; A= F= ;

35 Considerações sobre Diagramas de Estados Máquinas de estado (FSM) podem estar em apenas um estado por vez no tempo, logo há em apenas um estado ou circulo em um determinado tempo t. Transição de estados são permitidas apenas na transição de subida OU descida do relógio (), dependendo do elemento de armazenamento de estado (se é sensivel a borda de descida ou subida). FSM sincronas!!! A representação de máquinas de Mealy e Moore são diferentes como visto. Máquinas de Mealy, as entradas e saidas são definidas nos arcos (transições entre estados). Máquina de Moore, as entradas são definidas nos arcos (transições entre estados) e a saída é definida no estado (dentro do círculo).

36 Exercício: Projeto de uma máquina de estados até o hardware. Descrição do problema em diagrama de estados 2. Montagem da tabela de proximo estados e saída 3. Descrição do esquemático lógico da FSM Problema: Detector de sequência Sinal A Saida D (detectou D=) Sinal de entrada deve ser amostrado...

Análise de Circuitos Sequënciais Máquinas de Mealy e Moore

Análise de Circuitos Sequënciais Máquinas de Mealy e Moore INF 8 Técnicas Digitais para Computação Análise de Circuitos Sequënciais Máquinas de Mealy e Moore Aula 23 Técnicas Digitais. Introdução circuito seqüencial síncrono reconhecido se contém flip-flops (ou

Leia mais

INF Técnicas Digitais para Computação. Introdução. Aula 1

INF Técnicas Digitais para Computação. Introdução. Aula 1 INF01 118 Técnicas Digitais para Computação Introdução Aula 1 Objetivo Projetar circuitos digitais: Combinacionais Sequências Testar a analisar circuitos digitais Funcionamento Área Desempenho (velocidade)

Leia mais

Circuitos Digitais. Tipos de circuitos digitais: Circuitos combinacionais Circuitos sequenciais

Circuitos Digitais. Tipos de circuitos digitais: Circuitos combinacionais Circuitos sequenciais 1 Tipos de circuitos digitais: Circuitos combinacionais Circuitos sequenciais Circuitos Digitais Circuito combinacional: Circuito não é capaz de armazenar um valor Possui portas lógicas conectadas para

Leia mais

Funcionamento Área Desempenho (velocidade) Potência Aula 1. Circuitos Digitais. Circuitos Digitais

Funcionamento Área Desempenho (velocidade) Potência Aula 1. Circuitos Digitais. Circuitos Digitais INF01058 Objetivo Circuitos igitais Projetar circuitos digitais: Combinacionais Sequências Testar a analisar circuitos digitais Introdução Funcionamento Área esempenho (velocidade) Potência Aula 1 Mundo

Leia mais

Universidade Federal do Pará Instituto de Tecnologia Faculdade de Engenharia Elétrica. Eletrônica Digital. Plano de Ensino 2015_2

Universidade Federal do Pará Instituto de Tecnologia Faculdade de Engenharia Elétrica. Eletrônica Digital. Plano de Ensino 2015_2 Universidade Federal do Pará Instituto de Tecnologia Faculdade de Engenharia Elétrica Eletrônica Digital Plano de Ensino 2015_2 Prof. Ivan Sebastião de Souza e Silva www.ufpa.br/ivan ivan@ufpa.br Eletrônica

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Digitais. Lógica Sequencial. Prof. Dr. Alexandre M. Amory Prof. Dr Edson I. Moreno

Fundamentos de Sistemas Digitais. Lógica Sequencial. Prof. Dr. Alexandre M. Amory Prof. Dr Edson I. Moreno Fundamentos de Sistemas Digitais Lógica Sequencial Prof. Dr. Alexandre M. Amory Prof. Dr Edson I. Moreno 2 Referências Sugiro estudarem nesta ordem de preferência: Floyd, Cap 7 até 7.4, 9, 10. Não tem

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Universidade Federal de Campina Grande Centro de Engenharia Elétrica e Informática Unidade Acadêmica de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Organização e Arquitetura de

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica Federal do Rio de Santa Grande Catarina do Sul

Pontifícia Universidade Católica Federal do Rio de Santa Grande Catarina do Sul DEPARTAMENTO: Engenharia Elétrica CURSO: Engenharia Elétrica DISCIPLINA: Sistemas Digitais CÓDIGO: EEL 7020 CRÉDITOS: 04 (02 Teoria e 02 Prática) CARGA HORÁRIA: 72 horas-aula REQUISITOS: OFERTA: Pré-requisito:

Leia mais

1 REPRESENTAÇÃO DIGITAL DE INFORMAÇÃO Bases de Numeração Representação de Números em Base 2 5

1 REPRESENTAÇÃO DIGITAL DE INFORMAÇÃO Bases de Numeração Representação de Números em Base 2 5 PREFÁCIO 1 REPRESENTAÇÃO DIGITAL DE INFORMAÇÃO 1 1.1 Bases de Numeração 3 1.1.1 Representação de Números Inteiros em Base b 3 1.1.2 Representação de Números em Base 2 5 1.1.3 Representação de Números Fraccionários

Leia mais

Laboratório 6 (Trabalho com Relatório) Semana 25 de Outubro a 29 de Outubro

Laboratório 6 (Trabalho com Relatório) Semana 25 de Outubro a 29 de Outubro Laboratório 6 (Trabalho com Relatório) Semana 25 de Outubro a 29 de Outubro Realização de módulo somador-subtractor. Utilização de ambiente Xilinx WebPack de edição de esquemáticos e simulação. Realização

Leia mais

Circuitos Seqüenciais

Circuitos Seqüenciais ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES I Circuitos Seqüenciais prof. Dr. César Augusto M. Marcon prof. Dr. Edson Ifarraguirre Moreno 2 / 13 Sistemas Digitais Definição funcional: Aparato dotado de conjuntos

Leia mais

Divisão de Engenharia Eletrônica Laboratório de ELE-20

Divisão de Engenharia Eletrônica Laboratório de ELE-20 Versão original: Prof. Duarte Lopes de Oliveira Versão digital : TCel. Fábio Durante Prof. de Laboratório: Prof. Giovanni Fernandes Amaral Sala 183 IEEA gfamaral@ita.br Divisão de Engenharia Eletrônica

Leia mais

Aula 17. Máquina de Estados Parte 1. SEL Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira

Aula 17. Máquina de Estados Parte 1. SEL Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Aula 17 Máquina de Estados Parte 1 SEL 0414 - Sistemas Digitais Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Bibliografia l l l Tocci, R. J.; Widmer, N. S. Sistemas Digitais Princípios e Aplicações. 8ª Ed.,

Leia mais

ENGC40 - Eletrônica Digital

ENGC40 - Eletrônica Digital ENGC40 - Eletrônica Digital 1 a Lista de Exercícios Prof. Paulo Farias 1 de setembro de 2011 1. A Figura 1 mostra um circuito multiplicador que recebe dois números binários x 1 x 0 e y 1 y 0 e gera a saída

Leia mais

SISTEMAS DIGITAIS (SD)

SISTEMAS DIGITAIS (SD) SISTEMAS DIGITAIS (SD) MEEC Acetatos das Aulas Teóricas Versão 4.0 - Português Aula N o 11: Título: Sumário: Circuitos combinatórios: Unidade Lógica e Aritmética Unidade Lógica e Aritmética (ULA). 2015/2016

Leia mais

Projeto Lógico Automatizado de Sistemas Digitais Seqüenciais 1 - Introdução

Projeto Lógico Automatizado de Sistemas Digitais Seqüenciais 1 - Introdução Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Instituto de Informática (II-PUCRS) Grupo de Apoio ao Projeto de Hardware - GAPH Projeto Lógico Automatizado de Sistemas Digitais Seqüenciais - Introdução

Leia mais

Sistemas Digitais. Planificação das aulas teóricas e aulas práticas Ano Lectivo 2005/ 2006

Sistemas Digitais. Planificação das aulas teóricas e aulas práticas Ano Lectivo 2005/ 2006 Sistemas Digitais Planificação das aulas teóricas e aulas práticas Ano Lectivo 2005/ 2006 Aula 1 Semana 26 a 30 de Setembro - Apresentação 1. Apresentação da disciplina aos alunos: a. Programa da disciplina

Leia mais

Eletrônica Digital para Instrumentação. Herman Lima Jr.

Eletrônica Digital para Instrumentação. Herman Lima Jr. G03 Eletrônica Digital para Instrumentação Prof: hlima@cbpf.br Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) Parâmetros de circuitos integrados lógicos Dispositivos

Leia mais

CALCULADORA SIMPLES COM ULA

CALCULADORA SIMPLES COM ULA CALCULADORA SIMPLES COM ULA Versão 2013 RESUMO 1 Esta experiência tem por objetivo a utilização de circuitos integrados de operações lógicas e aritméticas para o desenvolvimento de circuitos que executam

Leia mais

Sistemas Digitais (SD) Contadores

Sistemas Digitais (SD) Contadores Sistemas Digitais (SD) Contadores Aula Anterior Na aula anterior: Registos Registos simples Banco de registos Registos de deslocamento Registos multimodo 2 Planeamento SEMANA TEÓRICA TEÓRICA 2 PROBLEMAS/LABORATÓRIO

Leia mais

CARGA HORÁRIA TOTAL : 108 h/aulas TEORIA: 72 h/aulas PRÁTICA: 36 h/aulas. CURSO(S): Engenharia Elétrica SEMESTRE/ANO : 02/2010

CARGA HORÁRIA TOTAL : 108 h/aulas TEORIA: 72 h/aulas PRÁTICA: 36 h/aulas. CURSO(S): Engenharia Elétrica SEMESTRE/ANO : 02/2010 P L A N O D E E N S I N O DEPARTAMENTO: Engenharia Elétrica DISCIPLINA: Eletrônica Digital SIGLA: ELD PRÉ-REQUISITOS: CARGA HORÁRIA TOTAL : 108 h/aulas TEORIA: 72 h/aulas PRÁTICA: 36 h/aulas CURSO(S):

Leia mais

PDA de Sistemas Digitais em Circuitos Programáveis

PDA de Sistemas Digitais em Circuitos Programáveis 56 PDA de Sistemas Digitais em Circuitos Programáveis Codificador FF LUTs 4 LUTs 3 CLBs If-Then-Else 0 3 0 2 With -Select 0 3 0 2 Case 0 3 0 2 Porta Lógica 0 3 0 2 Tabela 3.9 Recursos utilizados do FPGAs

Leia mais

CIRCUITOS SEQUENCIAIS. Adão de Melo Neto

CIRCUITOS SEQUENCIAIS. Adão de Melo Neto CIRCUITOS SEQUENCIAIS Adão de Melo Neto 1 EMENTA DEFINIÇÃO FLIP-FLOP SR FLIP-FLOP SR COM ENTRADA DE CLOCK FLIP-FLOP D COMPARAÇÃO DOS FLIP-FLOPS FLIP-FLOP X LATCH FLIP FLOP JK FLIP-FLOP D A PARTIR DO JK

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR DE ENSINO MÉDIO E TÉCNICO, Nº 065/11/ PROCESSO Nº 5191/2017.

CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR DE ENSINO MÉDIO E TÉCNICO, Nº 065/11/ PROCESSO Nº 5191/2017. ETEC DE ILHA SOLTEIRA - ILHA SOLTEIRA CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR DE ENSINO MÉDIO E TÉCNICO, Nº 065/11/2017 - PROCESSO Nº 5191/2017. AUTORIZAÇÃO GOVERNAMENTAL CONTIDA NO ARTIGO 11 DA LEI COMPLEMENTAR

Leia mais

Circuitos sequenciais Adaptado dos transparentes das autoras do livro The Essentials of Computer Organization and Architecture

Circuitos sequenciais Adaptado dos transparentes das autoras do livro The Essentials of Computer Organization and Architecture Capítulo 3 Circuitos sequenciais Adaptado dos transparentes das autoras do livro The Essentials of Computer Organization and Architecture Objectivos Conhecer alguns dos principais circuitos digitais sequenciais

Leia mais

3 Circuitos Combinacionais

3 Circuitos Combinacionais 3 Circuitos Combinacionais Os circuitos lógicos dos sistemas digitais podem ser de dois tipos: circuitos combinacionais ou circuitos seqüenciais. Um circuito combinacional é constituído por um conjunto

Leia mais

Sistemas Digitais (SD)

Sistemas Digitais (SD) Sistemas Digitais (SD) Síntese de Circuitos Sequenciais: Minimização do Número de Estados S1 S2 S3 S4 S5 S6 S1-S3 S2-S4 S1-S5 S3-S5 S2-S6 S4-S6 S0 S1 S2 S3 S4 S5 Aula Anterior Na aula anterior: Definição

Leia mais

Aula 18. Máquina de Estados Parte 2. SEL Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira

Aula 18. Máquina de Estados Parte 2. SEL Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Aula 8 Máquina de Estados Parte 2 SEL 44 - Sistemas Digitais Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Eemplo de Projetos Síntese de Circuitos Sequenciais Eemplo de Projeto: l Contador binário síncrono

Leia mais

Escola Politécnica de Pernambuco Departamento de Engenharia Elétrica PROGRAMA EMENTA OBJETIVOS

Escola Politécnica de Pernambuco Departamento de Engenharia Elétrica PROGRAMA EMENTA OBJETIVOS PROGRAMA Disciplina: ELETRÔNICA DIGITAL Código: ELET0037 Carga Horária Semestral: 60 HORAS Obrigatória: sim Eletiva: Número de Créditos: TEÓRICOS: 04; PRÁTICOS: 00; TOTAL: 04 Pré-Requisito: ELET0033 ELETRONICA

Leia mais

Prof. André Rabelo LÓGICA DIGITAL INTRODUÇÃO

Prof. André Rabelo LÓGICA DIGITAL INTRODUÇÃO Prof. André Rabelo LÓGICA DIGITAL INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO Um sistema pode ser definido como sendo um conjunto de elementos que são interligados de alguma maneira para compor um todo e assim realizar funcionalidade

Leia mais

UFMT. Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO

UFMT. Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO UFMT 1) IDENTIFICAÇÃO: Disciplina: Lógica Matemática e Elementos de Lógica Digital Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO Curso:

Leia mais

Eletrônica Digital I TE050. Circuitos Seqüenciais

Eletrônica Digital I TE050. Circuitos Seqüenciais Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Departamento de Engenharia Elétrica Eletrônica Digital I TE050 Circuitos Seqüenciais Prof. Lúcio Mauro M. Tonon 1 Circuitos Seqüenciais A grande maioria

Leia mais

Curso Profissional de Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos 10º ANO

Curso Profissional de Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos 10º ANO Planificação Anual 2016/2017 Curso Profissional de Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos SISTEMAS DIGITAIS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES 10º ANO 1 MÓDULO 1 - Sistemas de Numeração 32 aulas de

Leia mais

Aula 14: Lógica e circuitos digitais

Aula 14: Lógica e circuitos digitais Aula 14: Lógica e circuitos digitais Circuitos combinacionais circuitos sequenciais Rodrigo Hausen hausen@usp.br 29 de setembro de 2011 http://cuco.pro.br/ach2034 Rodrigo Hausen (hausen@usp.br) Aula 14:

Leia mais

Memória SRAM 64x8 bits

Memória SRAM 64x8 bits UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Leonardo H. Menezes André N. Makoski Memória SRAM 64x8 bits Artigo elaborado como parte da avaliação da Disciplina de Circuitos Integrados Digitais, ministrada pelos Profs.:

Leia mais

Representação de Informação. 1. Converta cada um dos seguintes números para o seu equivalente decimal: a)

Representação de Informação. 1. Converta cada um dos seguintes números para o seu equivalente decimal: a) SISTEMAS DIGITAIS Caderno de Exercícios Representação de Informação 1. Converta cada um dos seguintes números para o seu equivalente decimal: a) b) i) 1101110.101 2 ii) 0.00101 2 iii) 1011010.1010 2 i)

Leia mais

Eletrônica Digital Moderna e VHDL Volnei A. Pedroni, Elsevier, Lista de Exemplos e Exercícios (Nomeados) Contidos no Livro

Eletrônica Digital Moderna e VHDL Volnei A. Pedroni, Elsevier, Lista de Exemplos e Exercícios (Nomeados) Contidos no Livro Eletrônica Digital Moderna e VHDL Volnei A. Pedroni, Elsevier, 2010 Tradução (com revisão, atualização e ampliação) de Digital Electronics and Design with VHDL Elsevier / Morgan Kaufmann, USA, 2008 Lista

Leia mais

Descreva em VHDL, simule no simulador logico e sintetize usando uma ferramenta de CAD para FPGA :

Descreva em VHDL, simule no simulador logico e sintetize usando uma ferramenta de CAD para FPGA : UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMATICA LISTA DE EXERCÍCIOS DE SISTEMAS DIGITAIS Prof. Fernanda Gusmão de Lima Kastensmidt E Marcelo Porto (aluno mestrado PPGC) Descreva em VHDL,

Leia mais

Técnicas Digitais para Computação

Técnicas Digitais para Computação INF1 118 Técnicas Digitais para Computação Multiplicador Decodificador e Multiplexador Aula 14 Multiplicador Combinacional Técnicas Digitais A x B 1 B = P 3 P 2 P 1 P A1 A B1 B X 2) Equações em SDP, simplificado

Leia mais

ARITMÉTICA BINÁRIA. Adão de Melo Neto

ARITMÉTICA BINÁRIA. Adão de Melo Neto ARITMÉTICA BINÁRIA Adão de Melo Neto 1 Sumário Adição Multiplicação Subtração Divisão Complemento de 1 Complemento de 2 Representação de um número com sinal Sinal magnitude Complemento de 2 Valor em decimal

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Organização e Arquitetura de Computadores I Circuitos Lógicos Sequenciais (Parte

Leia mais

Flip-Flop. Uma das coisa importantes que se pode fazer com portas booleanas é criar memória.

Flip-Flop. Uma das coisa importantes que se pode fazer com portas booleanas é criar memória. Uma das coisa importantes que se pode fazer com portas booleanas é criar memória. Se as portas forem dispostas corretamente, elas vão se lembrar do valor de entrada. A memória é baseada num conceito de

Leia mais

Capítulo13 Arquiteturas de Dispositivos Lógicos Programáveis Pearson. Todos os direitos reservados.

Capítulo13 Arquiteturas de Dispositivos Lógicos Programáveis Pearson. Todos os direitos reservados. Capítulo13 Arquiteturas de Dispositivos Lógicos Programáveis slide 1 Temas abordados nesse capítulo: - Descrever as diferentes categorias de dispositivos de sistemas digitais. - Descrever os diferentes

Leia mais

Funções de Lógica Combinacional

Funções de Lógica Combinacional Fundamentos de Sistemas Digitais Funções de Lógica Combinacional prof. Dr. Alexandre M. Amory prof. Dr. Edson I. Moreno Referências Sugiro estudarem nesta ordem de preferência: Floyd, Cap 6. ppt segue

Leia mais

Flip-Flop. Uma das coisa importantes que se pode fazer com portas booleanas é criar memória.

Flip-Flop. Uma das coisa importantes que se pode fazer com portas booleanas é criar memória. Uma das coisa importantes que se pode fazer com portas booleanas é criar memória. Se as portas forem dispostas corretamente, elas vão selembrar do valor de entrada. A memória é baseada num conceito de

Leia mais

Trabalho de Circuitos Integrados Digitais Maquina de Estados: Contador Código Gray

Trabalho de Circuitos Integrados Digitais Maquina de Estados: Contador Código Gray UFPR Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Elétrica Trabalho de Circuitos Integrados Digitais Maquina de Estados: Contador Código Gray Daniel Lauer Luciano F. da Rosa Curitiba, junho de 2010

Leia mais

A) A C + A B D + A B C D B) A B + A B D + A B C D C) A C + A C D + A B C D D) A C + A B D + A B C D

A) A C + A B D + A B C D B) A B + A B D + A B C D C) A C + A C D + A B C D D) A C + A B D + A B C D luno nº: Nome: LEI-T, LER, LEE Sistemas igitais 2º Exame - 9 de Fevereiro de 212 uração: 2h3. Identifique todas as folhas. Responda a cada pergunta no quadrado à direita ou deixe em branco. ada resposta

Leia mais

Aula 12. Flip-Flop Parte 1. SEL Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira

Aula 12. Flip-Flop Parte 1. SEL Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Aula 2 Flip-Flop Parte SEL 044 - Sistemas Digitais Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Combinacionais X Sequenciais l Circuitos Combinacionais: o valor da saída no instante t depende apenas da combinação

Leia mais

SISTEMAS DIGITAIS (SD)

SISTEMAS DIGITAIS (SD) SISTEMAS DIGITAIS (SD) MEEC Acetatos das Aulas Teóricas Versão 4.0 - Português Aula N o 23: Título: Sumário: Máquinas de Estado Microprogramadas: Endereçamento Expĺıcito/Impĺıcito Projecto de máquinas

Leia mais

ELD - Eletrônica Digital Aula 6 Circuitos Sequenciais Latches e Flip-Flops. Prof. Antonio Heronaldo de Sousa

ELD - Eletrônica Digital Aula 6 Circuitos Sequenciais Latches e Flip-Flops. Prof. Antonio Heronaldo de Sousa ELD - Eletrônica Digital Aula 6 Circuitos Sequenciais Latches e Flip-Flops Prof. Antonio Heronaldo de Sousa Agenda - Circuitos Sequenciais - Conceitos - Conceito e circuitos de Latch RS - Aplicações do

Leia mais

Eletrônica Digital. Prof. Gilson Yukio Sato sato[at]utfpr[dot]edu[dot]br

Eletrônica Digital. Prof. Gilson Yukio Sato sato[at]utfpr[dot]edu[dot]br Eletrônica Digital Prof. Gilson Yukio Sato sato[at]utfpr[dot]edu[dot]br Flip-Flops Prof. Gilson Yukio Sato sato[at]utfpr[dot]edu[dot]br Circuitos Seqüenciais A saída de um circuito seqüencial depende da

Leia mais

Sistemas Digitais I LESI :: 2º ano. Introdução

Sistemas Digitais I LESI :: 2º ano. Introdução Sistemas Digitais I LESI :: 2º ano Introdução António Joaquim Esteves João Miguel Fernandes www.di.uminho.pt/~aje Bibliografia: capítulo 1, DDPP, Wakerly DEP. DE INFORMÁTICA ESCOLA DE ENGENHARIA UNIVERSIDADE

Leia mais

PLANO DE ENSINO Engenharia Mecânica Fundamentos de Eletrônica Analógica e Digital

PLANO DE ENSINO Engenharia Mecânica Fundamentos de Eletrônica Analógica e Digital Curso: Disciplina: Carga Horária Semanal: 06 Carga Horária Total: 120 PLANO DE ENSINO Engenharia Mecânica Fundamentos de Eletrônica Analógica e Digital EMENTA Teoria dos semicondutores. Aplicações do Diodo

Leia mais

X Y Z A B C D

X Y Z A B C D 29) A seguinte tabela verdade corresponde a um circuito combinatório de três entradas e quatro saídas. Obtenha a tabela de programação para o circuito em um PAL e faça um diagrama semelhante ao apresentado

Leia mais

Sistemas Digitais (SD)

Sistemas Digitais (SD) Sistemas Digitais (SD) Máquinas de Estado Microprogramadas: Circuitos de Controlo, Transferência e Processamento de Dados Entradas de controlo Saídas de controlo Unidade de controlo Palavra de controlo

Leia mais

UFJF FABRICIO CAMPOS

UFJF FABRICIO CAMPOS Cap 7 Revisão Teoremas Booleanos Teoremas de De Morgan Portas Lógicas Flip-Flop Mapa de Karnaugh Simbologias Representação Binária Tabela Verdade Cap 7 Revisão Teoremas Booleanos Teoremas de De Morgan

Leia mais

Registradores. Circuitos Lógicos. DCC-IM/UFRJ Prof. Gabriel P. Silva

Registradores. Circuitos Lógicos. DCC-IM/UFRJ Prof. Gabriel P. Silva Registradores Circuitos Lógicos DCC-IM/UFRJ Prof. Gabriel P. Silva 2 Registradores Conjunto de elementos de memória (flip-flops ou latches) utilizados para armazenar n bits. Utilizam um único sinal de

Leia mais

AULA 2 Implementação de Flip-Flops dos tipos JK e RS Livro Texto pág. 113 a 117 e 124 e 146 a 148 e 150 a 152.

AULA 2 Implementação de Flip-Flops dos tipos JK e RS Livro Texto pág. 113 a 117 e 124 e 146 a 148 e 150 a 152. NOTA DE AULA NE7720 ITEMA DIGITAI - II AULA 2 Implementação de Flip-Flops dos tipos JK e R Livro Texto pág. 3 a 7 e 24 e 46 a 48 e 50 a 52..) Estudo do F/F tipo JK. a) Tabela da verdade do F/F tipo JK.

Leia mais

PROJETO DE CIRCUITOS INTEGRADOS DIGITAIS

PROJETO DE CIRCUITOS INTEGRADOS DIGITAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA PROJETO DE CIRCUITOS INTEGRADOS DIGITAIS Somador de 8 bits com carry Orientandos: Allan Christian Krainski Ferrari Eduardo Delinski dos Santos

Leia mais

Dispositivos Lógicos Programáveis (PLDs) Leandro Schwarz

Dispositivos Lógicos Programáveis (PLDs) Leandro Schwarz Dispositivos Lógicos Programáveis (PLDs) Leandro Schwarz Conceito PLD - Programmable Logic Device; Circuito integrado com grande número de portas lógicas configuráveis, flip-flops e registradores; Permite

Leia mais

Circuitos sequenciais

Circuitos sequenciais Circuitos sequenciais Saídas dependem da sequência das entradas não basta uma tabela de verdade! Exemplo: controlo do nível de água num tanque: entrada de água electro-válvula ABRE sistema digital de controlo

Leia mais

EELi02 Circuitos Lógicos

EELi02 Circuitos Lógicos EELi02 Circuitos Lógicos Prof. Vinícius Valamiel vvalamiel@gmail.com https://sites.google.com/site/vvalamiel/ Transparências: Profa. Mara Cristina... Prof. Tiago Ferreira... Avaliações Nota 1: Prova teórica

Leia mais

Biestáveis R S, J K e D

Biestáveis R S, J K e D Circuitos Lógicos Biestáveis R S, J K e D Prof.: Daniel D. Silveira Horário: 4a.f e 6a.f de 10h às 12h 1 Flip Flop Elemento de memória implementado a partir de portas lógicas A maioria das entradas precisa

Leia mais

Introdução a Sistemas Digitais

Introdução a Sistemas Digitais Introdução a Sistemas Digitais Fluxograma ASM Exemplos de fluxogramas ASM Algorithmic State Machine (ASM) Um fluxograma é um modo conveniente de especificar uma sequência de passos procedurais e caminhos

Leia mais

LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DIGITAL Experiência 7: Análise de Circuitos Biestáveis

LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DIGITAL Experiência 7: Análise de Circuitos Biestáveis 33 1. Objetivo Analisar a operação de circuitos biestáveis: latches e flip-flops tipo RS, JK, T e D. 2. Conceito Um latch ou um flip-flop também são conhecidos como dispositivos biestáveis. Os biestáveis

Leia mais

PCS 2304 PROJETO LÓGICO DIGITAL 19/05/2006 Gabarito Preliminar 6 a Lista de Exercícios Contadores

PCS 2304 PROJETO LÓGICO DIGITAL 19/05/2006 Gabarito Preliminar 6 a Lista de Exercícios Contadores PCS 24 PROJETO LÓGICO DIGITAL 9/5/26 Gabarito Preliminar 6 a Lista de Exercícios Contadores ) Contador em anel. A Figura apresenta um contador em anel torcido semelhante aos vistos anteriormente em aula,

Leia mais

Introdução à Computação: Máquinas Multiníveis

Introdução à Computação: Máquinas Multiníveis Introdução à Computação: Máquinas Multiníveis Beatriz F. M. Souza (bfmartins@inf.ufes.br) http://inf.ufes.br/~bfmartins/ Computer Science Department Federal University of Espírito Santo (Ufes), Vitória,

Leia mais

SISTEMAS DIGITAIS. Definição Sistemas Digitais e espaço de projeto. Metodologia de Projeto. Aula

SISTEMAS DIGITAIS. Definição Sistemas Digitais e espaço de projeto. Metodologia de Projeto. Aula SISTEMAS DIGITAIS Definição Sistemas Digitais e espaço de projeto Metodologia de Projeto Sistemas Embarcados -> > Sistemas Digitais Definição Estudo e comparação de projeto ASIC vs. FPGA Projeto de sistema

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Informática e Estatística Curso de Graduação em Ciências da Computação

Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Informática e Estatística Curso de Graduação em Ciências da Computação Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Informática e Estatística Curso de Graduação em Ciências da Computação Aula 5-T 2. Máquinas Sequencias Síncronas: Codificação de

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Universidade Federal de Campina Grande Centro de Engenharia Elétrica e Informática Unidade Acadêmica de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Organização e Arquitetura de

Leia mais

Circuitos sequenciais síncronos

Circuitos sequenciais síncronos Circuitos sequenciais síncronos ESTV-ESI-Sistemas Digitais-Circuitos Sequenciais Síncronos / Os circuitos sequenciais síncronos, também designados por máquinas sequenciais síncronas ou máquinas de estados,

Leia mais

Introdução a eletrônica digital, apresentação do curso, cronograma do curso.

Introdução a eletrônica digital, apresentação do curso, cronograma do curso. EMENTA: Ferramentas para simulação e projeto de sistemas digitais. Equipamentos e componentes para montagem de sistemas digitais. Equipamentos para mensuração e teste na implementação de sistemas digitais.

Leia mais

CMP 238 Projeto e Teste de um Sistema VLSI

CMP 238 Projeto e Teste de um Sistema VLSI CMP 238 Projeto e Teste de um Sistema VLSI Definição Sistemas Digitais e espaço de projeto Metodologia de Projeto Disciplina: CMP238 Profa. Dra. Fernanda Gusmão de Lima Kastensmidt 2008 Sistemas Embarcados

Leia mais

Contadores ( Counters )

Contadores ( Counters ) ontadores ( ounters ) ircuitos sequenciais que : não dependem de entradas externas (para além do relógio); seguem uma sequência de estados pré-definida (ciclo do contador = nº de estados). plicações ontagem

Leia mais

FPGA & VHDL. Tutorial

FPGA & VHDL. Tutorial FPGA & VHDL Tutorial 2009-2 FPGA FieldProgrammableGateArray Dispositivo lógico contendo uma matriz de: Células lógicas genéricas Configuráveis ( programadas ) para desempenhar uma função simples Chaves

Leia mais

Demonstração de imagens de auxílio didático. VHDL - Descrição e Síntese de Circuitos Digitais Roberto d Amore

Demonstração de imagens de auxílio didático. VHDL - Descrição e Síntese de Circuitos Digitais Roberto d Amore Demonstração de imagens de auxílio didático VHDL - Descrição e Síntese de Circuitos Digitais Roberto d Amore ISBN 85-216-1452-7 Editora LTC www.ltceditora.com.br Para imagens de um curso completo consulte:

Leia mais

Parte # 2 - Circuitos Combinatórios

Parte # 2 - Circuitos Combinatórios CEFET Departamento de Engenharia Elétrica - DEPEL GELE 7163 Eletrônica Digital Parte # 2 - Circuitos Combinatórios 1 GELE 7163 Eletrônica Digital 2 Referências : Notas de Aula. Mendonça, Alexandre e Zelenovsky,

Leia mais

Circuitos Integrados. Nível da Lógica Digital (Aula 7) Circuitos Combinacionais. Circuitos Lógicos Digitais Básicos. Multiplexadores (1)

Circuitos Integrados. Nível da Lógica Digital (Aula 7) Circuitos Combinacionais. Circuitos Lógicos Digitais Básicos. Multiplexadores (1) Circuitos Integrados Nível da Lógica Digital (Aula 7) Circuitos Lógicos Digitais Básicos Roberta Lima Gomes - LPRM/DI/UFES Sistemas de Programação I Eng. Elétrica 2007/2 CIs (chips/pastilhas) Agrupa portas

Leia mais

Circuitos Aritméticos. Circuitos Aritméticos. Circuitos Aritméticos. Circuitos Aritméticos. Circuitos Aritméticos. Circuitos Aritméticos

Circuitos Aritméticos. Circuitos Aritméticos. Circuitos Aritméticos. Circuitos Aritméticos. Circuitos Aritméticos. Circuitos Aritméticos 1 - ADIÇÃO BINÁRIA Computadores digitais e calculadoras realizam as várias operações aritméticas sobre os números representados em forma binária. Na adição binária apenas quatro situações podem ocorrer

Leia mais

Revisão: Projeto de Processadores em VHDL

Revisão: Projeto de Processadores em VHDL Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia de Computação e Automação Revisão: Projeto de Processadores em VHDL DCA0119 Sistemas Digitais Heitor Medeiros Florencio 1 Sumário

Leia mais

FIGURA 5-1 Diagrama geral de um sistema digital. Sistemas Digitais: Princípios e Aplicações Ronald J. Tocci e Neal S. Widmer Capítulo 5 Prentice Hall

FIGURA 5-1 Diagrama geral de um sistema digital. Sistemas Digitais: Princípios e Aplicações Ronald J. Tocci e Neal S. Widmer Capítulo 5 Prentice Hall FIGURA 5-1 Diagrama geral de um sistema digital. FIGURA 5-2 Símbolo geral para um flip-flop e definição dos seus dois estados de saída possiveis. FIGURA 5-3 Um latch com portas NDA tem dois estados de

Leia mais

LÓGICA DIGITAL CONCEITOS DE CLOCK RELÓGIOS (CLOCK) Prof. Celso Candido ADS / REDES / ENGENHARIA

LÓGICA DIGITAL CONCEITOS DE CLOCK RELÓGIOS (CLOCK) Prof. Celso Candido ADS / REDES / ENGENHARIA RELÓGIOS (CLOCK) 1 Em muitos circuitos digitais, a ordem em que os eventos ocorrem é crítica. Às vezes um evento deve preceder outro, ou então dois eventos deverão ocorrer simultaneamente, para as relações

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Engenharia Circuitos Digitais - ECA. Prof. Dr. Fabian Vargas.

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Engenharia Circuitos Digitais - ECA. Prof. Dr. Fabian Vargas. Prof. Dr. Fabian Vargas Índice 1. Portas Lógicas 1.1 Introdução 1.2 Diagramas de Tempo 1.3 Análise Booleana de Circuitos Lógicos Básicos 2. Circuitos Combinacionais 2.1. Introdução aos Circuitos Combinacionais

Leia mais

Aula 7 SISTEMAS DIGITAIS. Linguagem de Descrição de Hardware VHDL Maquinas de Estados. Prof. Fernanda Gusmão de Lima Kastensmidt

Aula 7 SISTEMAS DIGITAIS. Linguagem de Descrição de Hardware VHDL Maquinas de Estados. Prof. Fernanda Gusmão de Lima Kastensmidt SISTEMAS DIGITAIS Linguagem de Descrição de Hardware VHDL Maquinas de Estados Prof. Fernanda Gusmão de Lima Kastensmidt fglima@inf.ufrgs.br Maquinas de Estado Tipo Melay and Moore Entrada estado f Reset

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA PLANO DE ENSINO

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA PLANO DE ENSINO DISCIPLINA ELETRÔNICA DIGITAL I Validade: A partir de 0/0. Departamento Acadêmico de Engenharia Elétrica Código SELD101 Carga Horária total: 90h Teórica: 0h Laboratório: 30h Exercício: 00h Créditos: 0

Leia mais

Capítulo 5 - Flip-Flops e Dispositivos Correlatos

Capítulo 5 - Flip-Flops e Dispositivos Correlatos Capítulo 5 - Flip-Flops e Dispositivos Correlatos Introdução: Os circuitos considerados até o momento eram todos circuitos combinacionais, onde a saída é determinada pelos valores presentes nas entradas,

Leia mais

Nível da Lógica Digital

Nível da Lógica Digital Nível da Lógica Digital (Aula 7) Circuitos Lógicos Digitais Básicos Circuitos Integrados CIs (chips/pastilhas) Agrupa portas lógicas Pastilhas de silício DIP (Dual Inline Package) Invóculo c/ 2 linhas

Leia mais

Circuitos Combinacionais

Circuitos Combinacionais ! Circuitos Combinacionais x Sequenciais Combinacional - saídas dependem unicamente das entradas Entradas Circuito Combinacional Saídas Sequencial -háuma realimentação da saída para a entrada, denominada

Leia mais

Introdução aos Trabalhos de Laboratório (Hardware/Software) Grupo:

Introdução aos Trabalhos de Laboratório (Hardware/Software) Grupo: Trabalho TP Trabalho Prático Introdução aos Trabalhos de Laboratório (Hardware/Software) Turma: Grupo: I Considere um circuito com o seguinte diagrama lógico: A B G C F a) Com o auxílio do software Xilinx

Leia mais

Eletrônica Digital para Instrumentação

Eletrônica Digital para Instrumentação G4 Eletrônica Digital para Instrumentação Prof. Márcio Portes de Albuquerque (mpa@cbpf.br) Prof. Herman P. Lima Jr (hlima@cbpf.br) Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas Ministério da Ciência e Tecnologia

Leia mais

Eletrônica Digital II

Eletrônica Digital II FACULDADE SANTO AGOSTINHO - FSA ENGENHARIA ELÉTRICA Eletrônica Digital II Prof. Fábio Leite, Esp Tópicos Procedimento de projeto de circuitos sequenciais Projeto com FFs tipo D Projeto com FFs tipo JK

Leia mais

Eletrônica Digital. Circuitos Combinacionais FACULDADE FUCAPI

Eletrônica Digital. Circuitos Combinacionais FACULDADE FUCAPI FACULDADE FUCAPI Eletrônica Digital Circuitos Combinacionais, M.Sc. Doutorando em Informática (UFAM) Mestre em Engenharia Elétrica (UFAM) Engenheiro de Telecomunicações (FUCAPI) Famílias Lógicas 2 Famílias

Leia mais

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital SOMADORES DECIMAIS

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital SOMADORES DECIMAIS SOMADORES DECIMAIS Versão 2012 RESUMO Nesta experiência será estudado um circuito aritmético de soma decimal a partir dos somadores binários de 4 bits (por exemplo, o circuito integrado 74283). A parte

Leia mais

3 Realização e Caracterização do Módulo Transmissor

3 Realização e Caracterização do Módulo Transmissor 38 3 Realização e Caracterização do Módulo Transmissor Este capítulo tem como objetivo estudar e caracterizar o módulo a ser desenvolvido na transmissão através da introdução de uma ferramenta computacional

Leia mais

FPGA - Field Programmable Gate Array

FPGA - Field Programmable Gate Array FPGA - Field Programmable Gate Array 1985/86: Xilinx introduz nova família de PLDs FPGA - Field Programmable Gate Array agregados regulares de blocos lógicos configuráveis (CLB para XILINX) ligações programáveis

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DE SANTA CATARINA Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - UDESC/CCT

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DE SANTA CATARINA Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - UDESC/CCT Curso: ELE-ELE - Bacharelado em Engenharia Elétrica Departamento: DEE - Engenharia Elétrica Disciplina: ELETRÔNICA DIGITAL Código: ELD0001 Carga horária: 108 Período letivo: 2017/1 Professor: Antonio Heronaldo

Leia mais

Contadores. Contador assíncrono

Contadores. Contador assíncrono V. 9523 ontadores Um contador é um circuito sequencial que conta... em binário, decimal ou segundo outras sequências podem ser assíncronos ou síncronos (máquinas de estados) plicações contar coisas...

Leia mais

Hardware Reconfigurável

Hardware Reconfigurável Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia de Computação e Automação Hardware Reconfigurável DCA0119 Sistemas Digitais Heitor Medeiros Florencio Tópicos Alternativas de projeto

Leia mais

Capítulo 3 Circuitos lógicos seqüenciais: flip-flops, latches, contadores e registradores

Capítulo 3 Circuitos lógicos seqüenciais: flip-flops, latches, contadores e registradores Capítulo 3 Circuitos lógicos seqüenciais: flip-flops, latches, contadores e registradores Introdução Circuitos combinacionais x sequenciais Elemento básico: FLIP-FLOP (FF) Armazena informação (reter estado)

Leia mais

Projeto com Linguagens de Descrição de Hardware

Projeto com Linguagens de Descrição de Hardware Projeto com Linguagens de Descrição de Hardware Versão 2012 RESUMO Esta experiência consiste no projeto e implementação de um circuito digital simples com o uso de uma linguagem de descrição de hardware.

Leia mais