Acordo de Nível de Serviço

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Acordo de Nível de Serviço"

Transcrição

1 VERSÃO Acordo de Nível de Serviço Gestão Compartilhada

2 Página. 2 de 13 Sumário PARTE INTRODUÇÃO DEFINIÇÕES GESTÃO COMPARTILHADA PROVEDOR CLIENTE MODALIDADES SOLICITAÇÃO TIPOS DE SOLICITAÇÃO TIPOS DE INTERVENÇÃO TIPOS DE ATENDIMENTO TIPOS DE SOLUÇÃO CALENDÁRIO HORÁRIO TIMEFRAME URGÊNCIA IMPACTO PRIORIDADE PRÉ-ANÁLISE AVALIAÇÃO DA SOLICITAÇÃO INDICADOR DE NÍVEL DE SERVIÇO METAS A CUMPRIR TEMPO DE RESPOSTA TEMPO DE RESOLUÇÃO PARA INCIDENTES SOLICITAÇÕES ATENDIDAS NO PRAZO INCIDENTES RESOLVIDOS NO PRAZO GRAU DE SATISFAÇÃO SISTEMA DE SOLICITAÇÕES RESPONSABILIDADES CLIENTE PROVEDOR EXCEÇÕES... 13

3 Página. 3 de 13 PARTE 1 1 Introdução Este documento é um Acordo de Nível de Serviço, também conhecido como Service Level Agreement (SLA) e é utilizado para balizar os fundamentos operacionais dos serviços Gestão Compartilhada da 3layer Tecnologia, possuindo um ciclo de vida diretamente associado ao Contrato de Negócio e à Proposta Comercial relacionada. Neste documento estão definidos os princípios, métricas e regras que norteiam as atividades desenvolvidas durante a vigência de um contrato de Gestão Compartilhada.

4 Página. 4 de 13 2 Definições Para melhor entendimento deste documento, os seguintes termos são descritos de antemão: 2.1 Gestão Compartilhada É um serviço oferecido pela 3layer Tecnologia e compreende a co-responsabilidade na gestão e operação de serviços de Tecnologia da Informação existentes no ambiente do cliente, o qual tem escopo de atividades definido conforme a Proposta de Negócio associada. 2.2 Provedor É a organização que provê o serviço Gestão Compartilhada, e atende solicitações originadas pelo cliente conforme regras descritas nesse documento em conjunto com as diretrizes da Proposta Comercial e do Contrato de Serviços associado. 2.3 Cliente É a organização que demanda e homologa solicitações para o provedor, e espera ter estas atendidas conforme as regras descritas nesse documento em conjunto com as diretrizes da Proposta Comercial e do Contrato de Serviços associado. 2.4 Modalidades Dentro do âmbito da Gestão Compartilhada, é o nível de comprometimento do provedor de serviços frente ao cliente no atendimento das solicitações, podendo ser: BRONZE (9x5): É a modalidade mais simples, e contempla atendimentos nos dias úteis durante o período comercial, das 09:00h até às 17:59h, ininterruptamente. PRATA (12x5): É a modalidade intermediária, e contempla atendimentos nos dias úteis durante o período comercial estendido, das 09:00h até as 20:59h, ininterruptamente. OURO (24x7): É a modalidade mais completa, contemplando atendimentos todos os dias do ano durante as 24h do dia, ou seja, das 00:00h até as 23:59, ininterruptamente. 2.5 Solicitação Uma solicitação é um pedido formal de atendimento do cliente para o provedor de serviços, e que inclui obrigatoriamente as seguintes informações: RESUMO: Relato condensado da situação a ser tratada; DESCRIÇÃO: Relato completo e detalhado da situação a ser tratada; DEMANDANTE: Pessoa responsável pela criação e homologação da solicitação; TIPO: Qualificação da solicitação (vide Tipos de Solicitação); DATA E HORA DE CRIAÇÃO: Localizador temporal de criação da solicitação; URGÊNCIA: Quantificador da rapidez para o atendimento da solicitação (vide Urgência); IMPACTO: Quantificador do impacto da demanda no negócio do cliente (vide Impacto); PRE-ANÁLISE: Valor lógico (Sim/Não) que informa a obrigatoriedade ou não de uma análise prévia antes do efetivo atendimento da solicitação (vide Pré-Análise).

5 Página. 5 de Tipos de Solicitação Dentro da Gestão Compartilhada, as seguintes solicitações podem ser criadas pelo cliente: CONSULTA: É a situação onde o cliente possui uma dúvida sobre os recursos gerenciados, e deseja a intervenção passiva (vide seção Tipos de Intevenção) do provedor de serviço para obtenção de uma resposta; DEMANDA: É qualquer situação em que o cliente necessite uma intervenção ativa e programada do provedor de serviços na condução de uma solução; INCIDENTE: É qualquer situação reportada pelo cliente ou automaticamente pelos mecanismos de monitoramento (se em uso) do ambiente gerenciado e que necessite uma intervenção não programada e geralmente ativa do provedor de serviços para condução de uma solução. 2.7 Tipos de Intervenção A intervenção do provedor de serviços no atendimento de solicitações pode ser dos seguintes tipos: PASSIVA: O provedor de serviços pode ou não necessitar acesso ao ambiente gerenciado para coleta de informações com o objetivo de solucionar a situação reportada. Porém, mesmo que o acesso seja realizado, nenhuma alteração no ambiente gerenciado é realizada (ex. alterações de configuração, restart de serviços, restore de dados, etc.); ATIVA: O provedor de serviços pode ou não necessitar acesso ao ambiente gerenciado para coleta de informações com o objetivo de solucionar a situação reportada. E, caso esse acesso seja realizado, é possível haver alterações no ambiente gerenciado para a condução da solução (ex. alterações de configuração, restart de serviços, restore de dados, etc.). 2.8 Tipos de Atendimento Os atendimentos de serviços de Gestão Compartilhada podem ser de dois tipos: REMOTO: O atendimento da solicitação é realizado pelo técnico do provedor remotamente, através de meios como Internet, telefone e outros, não existindo o deslocamento físico do profissional até o ambiente do cliente; ONSITE: O atendimento é realizado pelo técnico do provedor diretamente no ambiente do cliente, ou seja, existe o deslocamento físico do profissional até as dependências do cliente. NOTA: Constam na Proposta Comercial e no Contrato de Serviços associado os tipos de atendimento cobertos pelo serviço de Gestão Compartilhada. 2.9 Tipos de Solução Como critério de aprovação das solicitações, os seguintes tipos de solução existem: PALIATIVA: A solução dada pelo provedor de serviços é temporária, visando o restabelecimento rápido da condição de normalidade do ambiente gerenciado com níveis de qualidade mínimos para continuidade dos serviços do cliente. Toda solução paliativa necessita, em algum momento, evoluir para uma solução definitiva tão logo os

6 Página. 6 de 13 impedimentos existentes para isso sejam removidos, cabendo ao cliente e ao provedor de serviços trabalharem em conjunto para que isso aconteça o mais rápido possível. DEFINITIVA: A solução dada pelo provedor de serviços é completa, representando a melhor abordagem possível para o restabelecimento dos níveis de qualidade esperados para continuidade das operações do ambiente gerenciado. Somente atendimentos com soluções definitivas sofrem avaliação do cliente Calendário Para fins de controle dos dias de trabalho, o calendário nacional brasileiro é utilizado como referência, onde são considerados feriados somente aqueles de âmbito nacional Horário Para fins de controle dos tempos e intervalos de trabalho, é utilizado o horário nacional brasileiro dado pelo Observatório Nacional, incluindo a diferença do Horário de Verão, quando em vigor Timeframe Timeframe é o intervalo de tempo útil para o desenvolvimento das atividades do provedor de serviços dentro do contrato de Gestão Compartilhada e está diretamente associado à modalidade aplicada e ao tempo de resposta de uma solicitação. Os timeframes do serviço de Gestão Compartilhada são mostrados abaixo: Horário x Dia 2a feira 3a feira 4a feira 5a feira 6a feira Sábado Domingo das 00 às 01 O O O O O O O das 01 às 02 O O O O O O O das 02 às 03 O O O O O O O das 03 às 04 O O O O O O O das 04 às 05 O O O O O O O das 05 às 06 O O O O O O O das 06 às 07 O O O O O O O das 07 às 08 O O O O O O O das 08 às 09 O O O O O O O das 09 às 10 O, P, B O, P, B O, P, B O, P, B O, P, B O O das 10 às 11 O, P, B O, P, B O, P, B O, P, B O, P, B O O das 11 às 12 O, P, B O, P, B O, P, B O, P, B O, P, B O O das 12 às 13 O, P, B O, P, B O, P, B O, P, B O, P, B O O das 13 às 14 O, P, B O, P, B O, P, B O, P, B O, P, B O O das 14 às 15 O, P, B O, P, B O, P, B O, P, B O, P, B O O das 15 às 16 O, P, B O, P, B O, P, B O, P, B O, P, B O O das 16 às 17 O, P, B O, P, B O, P, B O, P, B O, P, B O O das 17 às 18 O, P, B O, P, B O, P, B O, P, B O, P, B O O das 18 às 19 O, P O, P O, P O, P O, P O O das 19 às 20 O, P O, P O, P O, P O, P O O

7 Página. 7 de 13 das 20 às 21 O, P O, P O, P O, P O, P O O das 21 às 22 O O O O O O O das 22 às 23 O O O O O O O das 23 às 24 O O O O O O O LEGENDA: O = Timeframe de atendimentos coberto pela modalidade Ouro, total 168h semanais; P = Timeframe de atendimentos coberto pela modalidade Prata, total 60h semanais; B = Timeframe de atendimentos coberto pela modalidade Bronze, total 45h semanais Urgência URGÊNCIA = O QUÊ ESTÁ ACONTECENDO Informado pelo cliente, indica a rapidez com que a demanda deve ser atendida. Também pode ser interpretado como O quê está acontecendo no ambiente de negócio. Os valores válidos para a urgência de uma solicitação são os seguintes: Urgência Equivalência numeral Resumo Balizador operacional Alta 5 Recursos parados Um ou mais dos recursos gerenciados estão inoperantes (ex. sistema fora do ar ). Média 3 Recursos comprometidos Baixa 1 Melhoria operacional 2.14 Impacto Um ou mais dos recursos gerenciados estão comprometidos e/ou podem vir a ficar inoperantes se a demanda não for atendida (ex. sistema mais lento que o normal). Nenhum recurso gerenciado está inoperante, mas se acredita que eles precisam ser evoluídos de alguma forma para a melhoria do ambiente (ex. sistema precisa aumento de memória para melhorar tempo tempos de resposta). IMPACTO = QUANTOS ESTÃO SENDO AFETADOS Informado pelo cliente, indica o impacto da demanda no seu negócio. Também pode ser interpretado como Quantos recursos estão sendo afetado no ambiente de negócio. Os valores válidos para o impacto de uma solicitação são os seguintes: Impacto Equivalência numeral Resumo Alto 8 Afeta a empresa ou mais de uma Balizador operacional A empresa como um todo ou mais de uma área de negócio não consegue desenvolver suas atividades satisfatoriamente até que a demanda

8 Impacto 3layer - gestao compartilhada - sla.docx v Página. 8 de 13 área de negócio Médio 4 Afeta um grupo de usuários ou uma área de negócio Baixo 2 Afeta um único usuário seja solucionada Um grupo de usuários ou uma área de negócio não consegue desenvolver suas atividades satisfatoriamente até que a demanda seja solucionada Um usuário específico não consegue desenvolver suas atividades satisfatoriamente até que a demanda seja solucionada 2.15 Prioridade PRIORIDADE = URGÊNCIA x IMPACTO É nível de prioridade dado pelo provedor de serviço para a demanda do cliente. É uma informação calculada através da multiplicação entre o impacto e a urgência. A prioridade é uma informação de extrema valia para o provedor de serviços, pois é a partir dela que a fila de atendimentos do cliente é gerenciada e priorizada. Em outras palavras, a prioridade é a Importância que o provedor dá para o atendimento da solicitação. Os valores válidos para a prioridade de uma solicitação são os seguintes: Prioridade Urgência Observa-se que enquanto a urgência possui um fator de crescimento linear, o impacto é exponencial. Assim, solicitações que abrangem mais de um usuário tendem a ter progressivamente prioridades maiores de atendimento. Como exemplo, considere as duas solicitações abaixo: Um usuário está parado porque não consegue efetuar logon. o Urgência = 5; Impacto = 2; Prioridade = 10; (segunda a ser atendida) O servidor JBoss de produção está travando porque está com nível crítico de memória. o 2.16 Pré-Análise Urgência = 3; Impacto = 8; Prioridade = 24; (primeira a ser atendida) A pré-análise é uma etapa opcional do fluxo de atendimento e, se desejada, é requisitada pelo cliente no momento de abertura da solicitação. O objetivo da pré-análise é dar ao cliente uma visibilidade macro do cenário (escopo, consequências, custo, tempo, etc.) da solicitação antes que esta seja realmente atendida pela equipe técnica, de forma que o cliente possa optar pela continuidade ou não do atendimento da solicitação.

9 Página. 9 de Avaliação da Solicitação É a avaliação formal do nível de satisfação atingido para as solicitações atendidas, e é realizada pelo demandante ao final do fluxo de cada atendimento, quando uma solução definitiva for dada pelo provedor. Os valores válidos para essa avaliação são os seguintes: Avaliação Equivalência numeral Resumo Ótimo 16 O atendimento superou largamente as expectativas do cliente Bom 8 O atendimento cumpriu as expectativas do cliente Indiferente 4 O cliente não sabe discernir ou prefere não formalizar opinião sobre o atendimento realizado Ruim 2 O atendimento cumpriu as expectativas do cliente, mas o cliente considera que algo poderia ser melhorado Péssimo 1 O atendimento não cumpriu as expectativas do cliente ou este se sentiu prejudicado de alguma forma pelo atendimento dado 2.18 Indicador de Nível de Serviço Os Indicadores de Nível de Serviço (INS) são balizadores numéricos utilizados para o controle da sanidade do serviço Gestão Compartilhada. Os seguintes indicadores de nível de serviço são definidos: TEMPO DE RESPOSTA: É um valor numérico calculado como a diferença de tempo entre a abertura da solicitação e inicio do atendimento pelo provedor de serviços dentro do fluxo de atendimento de uma solicitação, considerando o timeframe envolvido. TEMPO DE RESOLUÇÃO: É um valor numérico calculado como a diferença de tempo entre o início do atendimento de uma solicitação do tipo Incidente e o momento da resolução paliativa ou definitiva dada pelo provedor de serviço. Esta métrica considera apenas o timeframe envolvido e fica congelada enquanto o fluxo do atendimento estiver sob responsabilidade do solicitante ou o terceiro envolvido. SOLICITAÇÕES ATENDIDAS NO PRAZO: É um valor numérico que indica o percentual de solicitações atendidas dentro do tempo de resposta frente ao valor total de solicitações atendidas, conforme tipo de solicitação associada. GRAU DE SATISFAÇÃO: É um valor numérico percentual, que mede a percepção do cliente quanto à diligência do provedor de serviços no atendimento das solicitações.

10 Página. 10 de 13 3 Metas a Cumprir Este capítulo detalha as metas a serem cumpridas durante a vigência do serviço Gestão Compartilhada para cada Indicador de Nível de Serviço existente. 3.1 Tempo de Resposta Modalidade Meta Medição Ouro <= 1 hora corrida A cada solicitação Prata <= 2 horas úteis A cada solicitação Bronze <= 4 horas úteis A cada solicitação 3.2 Tempo de Resolução para Incidentes Modalidade Meta Medição Ouro <= 4 horas corridas A cada solicitação de Incidente Prata <= 4 horas úteis A cada solicitação de Incidente Bronze <= 4 horas úteis A cada solicitação de Incidente 3.3 Solicitações Atendidas no Prazo Tipo de solicitação Meta Medição Consulta >= 80% Trimestral Demanda >= 95% Trimestral Incidente >= 95% Trimestral 3.4 Incidentes Resolvidos no Prazo Tipo de solicitação Meta Medição Incidente >= 90% Trimestral 3.5 Grau de Satisfação Avaliação Meta Medição Ótimo >= 20% Trimestral Bom >= 60% Trimestral Indiferente <= 10% Trimestral Ruim <= 10% Trimestral Péssimo 0% Trimestral

11 Página. 11 de 13 4 Sistema de Solicitações Todo o ciclo de abertura e acompanhamento de solicitações é balizado pelas seguintes premissas: Um sistema online seguro em formato 24x7, chamado Portal de Projeto, disponível no endereço eletrônico é fornecido ao cliente para abertura e acompanhamento das suas solicitações; Uma única credencial de acesso (usuário e senha) vinculada a um válido é dado ao cliente para fins de acesso ao Portal do Projeto e recebimento de notificações automatizadas de alteração de estado das suas solicitações; É responsabilidade e interesse do cliente manter sigilo e a guarda sobre os dados acesso utilizados para a abertura de acompanhamento das suas solicitações; O cliente poderá criar e acompanhar solicitações durante as 24 horas do dia, todos os dias do ano, embora o envolvimento do provedor estará restrito ao timeframe associado ao seu contrato; Solicitações somente poderão ser abertas e acompanhadas pelo Portal do Projeto; o o Na eventualidade do Portal do Projeto não estar disponível, é facultada ao cliente a abertura e acompanhamento de solicitações pelos meios auxiliares abaixo, na seguinte ordem: Em horário comercial, via telefone: ; Fora de horário comercial, via telefones: Não serão consideradas solicitações nem informações válidas para atendimento quaisquer pedidos ou atualizações trafegados por correio eletrônico ( ), mensagens instantâneas (MSN, GTalk, Skype, etc.) ou comunicados por telefones diferentes dos acima mencionados.

12 Página. 12 de 13 5 Responsabilidades As seguintes responsabilidades são aplicáveis neste SLA: 5.1 Cliente 5.2 Provedor Abertura de solicitações com informações corretas e suficientemente claras para um atendimento satisfatório por parte do provedor; Acompanhamento das solicitações no Portal do Projeto para ciência da evolução do seu pedido; Avaliação da solicitação demandada, para melhoria contínua do serviço; Prestação de maiores informações e esclarecimentos sobre uma solicitação durante o curso do atendimento; Aprovação ou desaprovação de atendimentos para garantir a ciência da solução aplicada; Cessão de um gestor responsável pelo gerenciamento contratual e resolução de quaisquer impedimentos de âmbito comercial, jurídico, financeiro, administrativo ou outro do gênero; Manter atualizadas suas informações de contato; Disponibilidade dos seus recursos (pessoais e de infra-estrutura) durante os horários vigentes (timeframe) da sua modalidade de Gestão Compartilhada. Atendimento, manutenção e suporte de primeiro e segundo níveis sobre as solicitações criadas pelo cliente; Cumprimento e apresentação das métricas acordadas neste SLA; Manter atualizadas suas informações de contato; Cessão de um ou mais profissionais de nível técnico avançado, com amplo embasamento sobre recursos gerenciados e capacidade evidente de resolução de problemas, relacionamento interpessoal e transmissão de conhecimentos. Cessão de um gestor responsável pelo gerenciamento contratual e resolução de quaisquer impedimentos de âmbito comercial, jurídico, financeiro, administrativo ou outro do gênero.

13 Página. 13 de 13 6 Exceções As métricas contidas nesse SLA somente são aplicáveis quando as condições abaixo não estiverem presentes: Falta de conectividade na rede de computadores do cliente; Falha de hardware no lado cliente; Falta de energia elétrica no lado cliente; Desastre natural por ambas as partes; Dependência de terceiros em parte do processo; Restrições de acesso à infra-estrutura e/ou aos serviços gerenciados ou dependências do lado cliente; Solicitações envolvendo processos de backup e restore de informações; Solicitações envolvendo processos de alteração em código-fonte; Informações de contato desatualizadas por parte do cliente.

Acordo de Nível de Serviço

Acordo de Nível de Serviço Acordo de Nível de Serviço Versão Julho 2011 Página. 2 de 12 Sumário PARTE 1... 3 1 INTRODUÇÃO... 3 2 DEFINIÇÕES... 4 2.1 GESTÃO COMPARTILHADA... 4 2.2 PROVEDOR... 4 2.3 CLIENTE... 4 2.4 MODALIDADES...

Leia mais

ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO

ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO 1. Introdução 1.1. Descrição do serviço Este documento disciplina a cessão de uso permanente da solução de software para Gestão

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 052/2010 ESCLARECIMENTO 4

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 052/2010 ESCLARECIMENTO 4 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento 4 Referência: Pregão Eletrônico n. 052/2010 Data: 19/11/2010 Objeto: Contratação de serviços técnicos especializados de atendimento remoto e presencial a usuários de tecnologia

Leia mais

É desejável que o Proponente apresente sua proposta para ANS considerando a eficiência e conhecimento do seu produto/serviço.

É desejável que o Proponente apresente sua proposta para ANS considerando a eficiência e conhecimento do seu produto/serviço. 1 Dúvida: PROJETO BÁSICO Item 4.1.1.1.2 a) Entendemos que o Suporte aos usuários finais será realizado pelo PROPONENTE através de um intermédio da CONTRATANTE, que deverá abrir um chamado específico para

Leia mais

Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor]

Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor] Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor] Data Gerador do documento: Gerente de Negociação: Versões Versão Data Revisão Autor Aprovação (Ao assinar abaixo, o cliente concorda com todos os

Leia mais

TERMO DE USO DE SERVIÇO DE VALOR ADICIONADO (SVA)

TERMO DE USO DE SERVIÇO DE VALOR ADICIONADO (SVA) TERMO DE USO DE SERVIÇO DE VALOR ADICIONADO (SVA) Código do Serviço: 3005001 Nome do Serviço: Data de Publicação: 30/04/2013 Entrada em Vigor: SAN AUTENTICAÇÃO 01/06/2013 Versão: 1.0000 Status: Publicado

Leia mais

1º Nível: Contato inicial responsável pelo registro de todas as solici tações e pela finalização do maior número possível de atendimentos.

1º Nível: Contato inicial responsável pelo registro de todas as solici tações e pela finalização do maior número possível de atendimentos. O QUE É? Serviço de atendimento telefônico ao usuário para resolução de problemas de TI ou outras solicitações relativas a assuntos predefinidos. Oferecido em dois níveis: 1º Nível: Contato inicial responsável

Leia mais

Acordo de Nível de Serviço (ANS) Service Level Agreement (SLA)

Acordo de Nível de Serviço (ANS) Service Level Agreement (SLA) Acordo de Nível de Serviço (ANS) Service Level Agreement (SLA) Serviço Abrangência Área de Negócio Cliente Tipo de serviço Interno ou Externo Infraestrutura/Desenvolvimento/Suporte Clientes atendidos Versão

Leia mais

ATO Nº 233/2013. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 233/2013. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 233/2013 Institui a Política de Gerenciamento de Serviços de Tecnologia da Informação (TI) no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO

Leia mais

Aplicação Cliente. Consumo Indevido do Ambiente de Autorização

Aplicação Cliente. Consumo Indevido do Ambiente de Autorização Projeto Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais Aplicação Cliente Consumo Indevido do Ambiente de Autorização Março 2014 Pág. 1 / 9 Prazos de entrada em vigência das orientações e possíveis ações restritivas:

Leia mais

Aplicação Cliente. Consumo Indevido do Ambiente de Autorização

Aplicação Cliente. Consumo Indevido do Ambiente de Autorização Projeto Conhecimento de Transporte Eletrônico Nota Técnica 2012/006 Aplicação Cliente Consumo Indevido do Ambiente de Autorização Setembro 2012 Pág. 1 / 9 Prazos de entrada em vigência das orientações

Leia mais

Hospedagem Virtualizada

Hospedagem Virtualizada Conheça também Desenvolvimento de sistemas Soluções de Segurança Soluções com o DNA da Administração Pública Há 43 anos no mercado, a Prodesp tem um profundo conhecimento da administração pública e também

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA Mailing de imprensa e ferramenta de distribuição de e-mails (e-mail marketing) 1. Da justificativa A Assessoria de

Leia mais

Contrato de Suporte End.: Telefones:

Contrato de Suporte End.: Telefones: Contrato de Suporte Contrato de Suporte Desafios das empresas no que se refere à infraestrutura de TI Possuir uma infraestrutura de TI que atenda as necessidades da empresa Obter disponibilidade dos recursos

Leia mais

Projeto Básico - Prestação de Serviços

Projeto Básico - Prestação de Serviços Diretoria de Tecnologia Gerência de Fornecimento de TI Projeto Básico - Prestação de Serviços 1. Objeto: 1.1 Contratação de empresa para prestação de serviços especializados de escuta de gravações e monitoração

Leia mais

ITIL V3 (aula 6) AGENDA: A VERSÃO 3 ESTRATÉGIA DO SERVIÇO DESENHO DO SERVIÇO TRANSIÇÃO DO SERVIÇO OPERAÇÃO DO SERVIÇO MELHORIA CONTÍNUA

ITIL V3 (aula 6) AGENDA: A VERSÃO 3 ESTRATÉGIA DO SERVIÇO DESENHO DO SERVIÇO TRANSIÇÃO DO SERVIÇO OPERAÇÃO DO SERVIÇO MELHORIA CONTÍNUA ITIL V3 (aula 6) AGENDA: A VERSÃO 3 ESTRATÉGIA DO SERVIÇO DESENHO DO SERVIÇO TRANSIÇÃO DO SERVIÇO OPERAÇÃO DO SERVIÇO MELHORIA CONTÍNUA ITIL - Livros Estratégia de Serviços (Service Strategy): Esse livro

Leia mais

Acordo de Nível de Serviço (SLA) Realizado por: Para: Stock Comercial Hospitalar

Acordo de Nível de Serviço (SLA) Realizado por: Para: Stock Comercial Hospitalar Acordo de Nível de Serviço (SLA) Service Level Agreement Realizado por: Itair Miguel Lázaro Rodrigues Ricardo Andraus Túlio Accioly Fayad Para: Stock Comercial Hospitalar Data de Vigência: 11-06-2014 Proprietário

Leia mais

Descrição de Serviço. IBM Managed Security Services para Web Security. 1. Escopo dos Serviços. 2. Definições. 3. MSS para Web Security

Descrição de Serviço. IBM Managed Security Services para Web Security. 1. Escopo dos Serviços. 2. Definições. 3. MSS para Web Security Descrição de Serviço IBM Managed Security Services para Web Security 1. Escopo dos Serviços O IBM Managed Security Services para Web Security ( MSS para Web Security ) pode incluir: a. Serviços de Antivírus

Leia mais

Software Support. Maintenance and Technical Support

Software Support. Maintenance and Technical Support Software Support Maintenance and Technical Support Estrutura de suporte a software da IBM Os especialistas do suporte a software contam com uma estrutura de suporte global para melhor atender os Clientes

Leia mais

Gerenciamento de Incidente

Gerenciamento de Incidente Apresentação referente à disciplina de Gestão de Processos de TI Professor: Marcelo Fantinato Alunos: Rafael Antonio Silva Priscila Chi Chun Lo Tamiris Tiemi Perestrelo Thamires Magalhães Dias Qual a Diferença

Leia mais

*Os usuários devem possuir um CMA ou um Resource Manager registrado de modo a ativar as capacidades de geração de relatórios.

*Os usuários devem possuir um CMA ou um Resource Manager registrado de modo a ativar as capacidades de geração de relatórios. DESCRITIVO DE SERVIÇOS Serviço Advantage O Serviço Advantage é uma oferta de suporte que proporciona assistência técnica telefônica prioritária 24x7 para clientes de porte médio e corporativos que tenham

Leia mais

Gerenciamento de Incidentes

Gerenciamento de Incidentes Gerenciamento de Incidentes Os usuários do negócio ou os usuários finais solicitam os serviços de Tecnologia da Informação para melhorar a eficiência dos seus próprios processos de negócio, de forma que

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE ATIVOS DE TI CENTRAL DE SERVIÇOS

ADMINISTRAÇÃO DE ATIVOS DE TI CENTRAL DE SERVIÇOS 1 ADMINISTRAÇÃO DE ATIVOS DE TI CENTRAL DE SERVIÇOS 2 INTRODUÇÃO A Central de Serviços é uma função e não um processo. Principal interface operacional entre a área de TI e os seus usuários de serviços.

Leia mais

Seu dia é mais inteligente

Seu dia é mais inteligente Seu dia é mais inteligente O 2007 Microsoft Office system é uma plataforma de soluções inteligentes para tarefas operacionais, estratégicas e organizacionais. O conjunto de aplicativos e servidores e a

Leia mais

Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network)

Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network) Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network) 1. Objeto: 1.1. Contratação de uma Solução de rede de comunicação local (LAN) para interligar diferentes localidades físicas e os segmentos de

Leia mais

QUESTIONAMENTO(S) ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 22/2015 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece:

QUESTIONAMENTO(S) ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 22/2015 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: QUESTIONAMENTO(S) ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 22/2015 - BNDES Prezado(a) Senhor(a), Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: 1. Sobre o item 18.1. A prestação do serviço

Leia mais

Por que utilizar o modelo ITIL

Por que utilizar o modelo ITIL Por que utilizar o modelo ITIL... O que não é definido não pode ser controlado... O que não é controlado não pode ser medido... O que não é medido não pode ser melhorado Empregado para definir, controlar,

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DATA: 25/01/2016 VERSÃO 2.0 VERSÃO 2 25/01/2016 ÁLVARO BARBOSA SUMÁRIO I. INTRODUÇÃO... 3 II. PAPÉIS E RESPONSABILIDADES... 4 II.1 - COMITÊ EXECUTIVO... 4 II.2 - CONTROLES

Leia mais

CATÁLOGO DE SERVIÇOS DIRETORIA DE SUPORTE COMPUTACIONAL VERSÃO 1.0

CATÁLOGO DE SERVIÇOS DIRETORIA DE SUPORTE COMPUTACIONAL VERSÃO 1.0 CATÁLOGO DE SERVIÇOS DIRETORIA DE SUPORTE COMPUTACIONAL VERSÃO 1.0 2011 1 1. APRESENTAÇÃO No momento de sua concepção não haviam informações detalhadas e organizadas sobre os serviços de Tecnologia da

Leia mais

Soluções em Documentação

Soluções em Documentação Desafios das empresas no que se refere à documentação de infraestrutura de TI Realizar e manter atualizado o inventário de recursos de Hardware e software da empresa, bem como a topologia de rede Possuir

Leia mais

NORMA DE SEGURANÇA PARA A UNIFAPNET

NORMA DE SEGURANÇA PARA A UNIFAPNET NORMA DE SEGURANÇA PARA A UNIFAPNET 1. Objetivo As Normas de Segurança para a UNIFAPnet têm o objetivo de fornecer um conjunto de Regras e Recomendações aos administradores de rede e usuários, visando

Leia mais

Documento de Visão Sistema de Arrecadação de IPTU - SAI

Documento de Visão Sistema de Arrecadação de IPTU - SAI Sistema de Arrecadação de IPTU - SAI Versão 1.1R01 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor (es) 12/08/2008 1.0 Documento inicial Márcio Roehe 26/08/2008 1.1 Revisão Ajustes e complementação Roberto

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO

TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO 1.1. Prestação de serviços de suporte técnico em sistema de colaboração ZIMBRA. 2. DESCRIÇÃO GERAL DOS SERVIÇOS

Leia mais

Gerenciamento de Problemas

Gerenciamento de Problemas Gerenciamento de Problemas O processo de Gerenciamento de Problemas se concentra em encontrar os erros conhecidos da infra-estrutura de TI. Tudo que é realizado neste processo está voltado a: Encontrar

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

4.1 A Parte que recebeu a notificação de anormalidade deverá encaminhá-la imediatamente a um órgão responsável, para resolver a anormalidade.

4.1 A Parte que recebeu a notificação de anormalidade deverá encaminhá-la imediatamente a um órgão responsável, para resolver a anormalidade. ANEXO 8: GERENCIAMENTO DE ANORMALIDADES DA REDE 1 As Partes reconhecem que é de seu mútuo interesse estabelecer um processo eficiente e efetivo para comunicar e resolver as anormalidades de rede que repercutam

Leia mais

Exame de Fundamentos da ITIL

Exame de Fundamentos da ITIL Exame de Fundamentos da ITIL Simulado B, versão 5.1 Múltipla escolha Instruções 1. Todas as 40 perguntas devem ser respondidas. 2. Todas as respostas devem ser assinaladas na grade de respostas fornecida.

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Nº de Páginas: 1 / 5 1. OBJETIVOS Os objetivos desta Política de Segurança da Informação são estabelecer orientações gerais de segurança da informação no âmbito da Braslight, fornecendo o apoio conceitual

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 32/2014 Institui a política de segurança da informação da UFPB, normatiza procedimentos com esta finalidade e

Leia mais

Linha Criativa por Lunzayiladio Hervé Maimona PORTFOLIO

Linha Criativa por Lunzayiladio Hervé Maimona PORTFOLIO PORTFOLIO 2014 A LINHA CRIATIVA é uma solução de TI focada em produtos inteligentes e simples, actuando no sector de empresas de médio e pequeno porte, nas áreas de terceirização, infra-estrutura, suporte,

Leia mais

Manual de Transferência de Arquivos

Manual de Transferência de Arquivos O Manual de Transferência de Arquivos apresenta a ferramenta WebEDI que será utilizada entre FGC/IMS e as Instituições Financeiras para troca de arquivos. Manual de Transferência de Arquivos WebEDI Versão

Leia mais

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart.

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Versão 1.6 15/08/2013 Visão Resumida Data Criação 15/08/2013 Versão Documento 1.6 Projeto Responsáveis

Leia mais

Catálogo de Serviços de Tecnologia da Informação. Versão 0.2

Catálogo de Serviços de Tecnologia da Informação. Versão 0.2 Catálogo de Serviços de Tecnologia da Informação Versão 0.2 Apresentação...3 Objetivos... 3 1.Serviço e-mail corporativo...4 Apresentação Este documento visa organizar e documentar os serviços prestados

Leia mais

IBM Managed Security Services for Agent Redeployment and Reactivation

IBM Managed Security Services for Agent Redeployment and Reactivation Descrição de Serviços IBM Managed Security Services for Agent Redeployment and Reactivation EM ADIÇÃO AOS TERMOS E CONDIÇÕES ESPECIFICADOS ABAIXO, ESSA DESCRIÇÃO DE SERVIÇOS INCLUI AS IBM MANAGED SECURITY

Leia mais

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA Service Desk Sumário Apresentação O que é o Service Desk? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial

Leia mais

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica.

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica. Classificação: RESOLUÇÃO Código: RP.2007.077 Data de Emissão: 01/08/2007 O DIRETOR PRESIDENTE da Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia - PRODEB, no uso de suas atribuições e considerando

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE LICENCIAMENTO DE SOFTWARE DE BACKUP ONLINE, E OUTRAS AVENÇAS, NA FORMA ABAIXO

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE LICENCIAMENTO DE SOFTWARE DE BACKUP ONLINE, E OUTRAS AVENÇAS, NA FORMA ABAIXO INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE LICENCIAMENTO DE SOFTWARE DE BACKUP ONLINE, E OUTRAS AVENÇAS, NA FORMA ABAIXO QUADRO RESUMO 1. : NOME DA EMPRESA, com sede na xxxxxxxxxxxxx, nº. xxxx,, inscrita no

Leia mais

LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO

LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO 2015 A LINHA CRIATIVA é uma solução de TI focada em produtos inteligentes e simples, actuando no sector de empresas de médio e pequeno porte, nas áreas

Leia mais

A consolidação de servidores traz uma séria de vantagens, como por exemplo:

A consolidação de servidores traz uma séria de vantagens, como por exemplo: INFRAESTRUTURA Para que as empresas alcancem os seus objetivos de negócio, torna-se cada vez mais preponderante o papel da área de tecnologia da informação (TI). Desempenho e disponibilidade são importantes

Leia mais

ONE Service Desk. O Service Desk ONE fornece uma infraestrutura de serviços de suporte ITIL completa, contendo:

ONE Service Desk. O Service Desk ONE fornece uma infraestrutura de serviços de suporte ITIL completa, contendo: ONE Service Desk O Service Desk ONE fornece uma infraestrutura de serviços de suporte ITIL completa, contendo: Gerenciamento de Incidentes Gerenciamento de Problemas Gerenciamento de Mudanças BDGC (Banco

Leia mais

O Banco do Brasil não exige que o toner seja original, cabe ao fornecedor oferecer a melhor proposta desde que atenda ao item 2.24.2 e 2.26.

O Banco do Brasil não exige que o toner seja original, cabe ao fornecedor oferecer a melhor proposta desde que atenda ao item 2.24.2 e 2.26. 1 Dúvida: Diretoria de Apoio aos Negócios e Operações Referente aos itens: item 1.3.3.3., item 2.24, item 2.24.2. Entendemos que todos os PROPONENTES deveriam ofertar apenas toners originais do fabricante

Leia mais

Acordo de Nível de Serviço (SLA)

Acordo de Nível de Serviço (SLA) Faculdade de Tecnologia Acordo de Nível de Serviço (SLA) Alunos: Anderson Mota, André Luiz Misael Bezerra Rodrigo Damasceno. GTI 5 Noturno Governança de tecnologia da informação Prof. Marcelo Faustino

Leia mais

Descrição do Projeto de Integração Grupo Totvs Microsiga Protheus Versão 11

Descrição do Projeto de Integração Grupo Totvs Microsiga Protheus Versão 11 Template: Lei 12.619 Regulamentação e Disciplina da Jornada de Trabalho e Tempo de Direção dos Motoristas Profissionais Descrição do Projeto de Integração Grupo Totvs Microsiga Protheus Versão 11 Índice

Leia mais

Governança em T.I. GTI-V Noturno - 2015. Alunos: Douglas de Souza Braga Rafael vitor Hugo Bastos Kaysmier Walessa

Governança em T.I. GTI-V Noturno - 2015. Alunos: Douglas de Souza Braga Rafael vitor Hugo Bastos Kaysmier Walessa Governança em T.I GTI-V Noturno - 2015 Alunos: Douglas de Souza Braga Rafael vitor Hugo Bastos Kaysmier Walessa Politica de Segurança Ativos: Computadores: Sistema \ Hardwere \Segurança A infraestrutura

Leia mais

CATÁLOGO DE SERVIÇOS

CATÁLOGO DE SERVIÇOS Partner MASTER RESELLER CATÁLOGO DE SERVIÇOS SUPORTE TÉCNICO in1.com.br Explore Mundo! seu Conteúdo 1 - Objetivo 2 - Serviços prestados por meio do contrato de manutenção e suporte anual 2.1 - Primeira

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviço Telefônico Móvel de Dados, na modalidade Sms (Short Message Service - Serviço de Mensagens Curtas de Texto)

TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviço Telefônico Móvel de Dados, na modalidade Sms (Short Message Service - Serviço de Mensagens Curtas de Texto) TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviço Telefônico Móvel de Dados, na modalidade Sms (Short Message Service - Serviço de Mensagens Curtas de Texto) 1 1 - OBJETO 1.1 Registro de Preços para prestação de

Leia mais

07/IN01/DSIC/GSIPR 00 06/MAI/10 2/8 1. OBJETIVO

07/IN01/DSIC/GSIPR 00 06/MAI/10 2/8 1. OBJETIVO 07/IN01/DSIC/GSIPR 00 06/MAI/10 1/8 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Gabinete de Segurança Institucional Departamento de Segurança da Informação e Comunicações DIRETRIZES PARA IMPLEMENTAÇÃO DE CONTROLES DE ACESSO

Leia mais

SLA - Service Level Agreement (Acordo de Nível de Serviço) Gerenciamento de Estoque

SLA - Service Level Agreement (Acordo de Nível de Serviço) Gerenciamento de Estoque 1 / 7 SLA - Service Level Agreement (Acordo de Nível de Serviço) Gerenciamento de Estoque Código: : Data de Publicação: Cliente: Faculdade de Tecnologia SENAC-GO 2 / 7 Identificação e Histórico do Documento

Leia mais

A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, Institui a Política de Gerenciamento de Serviços de TI no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª. Região. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições

Leia mais

Utilizando o CobiT e o Balanced Scorecard como instrumentos para o. Gerenciamento de Níveis de Serviço

Utilizando o CobiT e o Balanced Scorecard como instrumentos para o. Gerenciamento de Níveis de Serviço Utilizando o CobiT e o Balanced Scorecard como instrumentos para o Gerenciamento de Níveis de Serviço Win Van Grembergen, http://www/isaca.org Tradução de Fátima Pires (fatima@ccuec.unicamp.br) Na economia

Leia mais

Glossário. Treinamento OTRS Help Desk

Glossário. Treinamento OTRS Help Desk Glossário Treinamento OTRS Help Desk Sumário Glossário Help Desk...3 Glossário ITSM...7 Índice Remissivo...9 Página 2 Glossário Help Desk Chamado ou Ticket Um chamado (ou ticket como também é conhecido),

Leia mais

Grupo de Estudos ITIL. Service Support Service Desk Rodrigo Pementa, ITIL Certified Daniel Andrade, ITIL Certified

Grupo de Estudos ITIL. Service Support Service Desk Rodrigo Pementa, ITIL Certified Daniel Andrade, ITIL Certified Grupo de Estudos ITIL Service Support Service Desk Rodrigo Pementa, ITIL Certified Daniel Andrade, ITIL Certified Missão Facilitar a restauração dos Serviços de TI ao seu estado operacional normal com

Leia mais

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4. Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5 Por: Fabio Pozzebon Soares Página 1 de 11 Sistema ProJuris é um conjunto de componentes 100% Web, nativamente integrados, e que possuem interface com vários idiomas,

Leia mais

Glossário Treinamento OTRS Help Desk

Glossário Treinamento OTRS Help Desk Glossário Treinamento OTRS Help Desk Sumário Glossário Help Desk... 3 Chamado ou Ticket...3 Artigos...3 Estado do chamado, estado ou status...3 Novo...3 Aberto...3 Agrupado (merged)...3 Fechado com solução

Leia mais

Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A

Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A Esperança_TI S.A S/A Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A 25/11/2014 Gerador do documento: Gerente de Negociação: Marcos Alves de Oliveira Marcos Antônio de Morais Aprovação

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 Institui a Política de Integração e Segurança da Informação do Sistema de Cadastro Ambiental Rural e dá outras providências. A MINISTRA DE ESTADO DO

Leia mais

Contrato de Suporte de Servidor e Segurança de Dados. Entenda os tipos de servidores (serviços instalados e configurados):

Contrato de Suporte de Servidor e Segurança de Dados. Entenda os tipos de servidores (serviços instalados e configurados): Contrato de Suporte de Servidor e Segurança de Dados O contrato de suporte, administração e monitoramento de servidores é a forma mais eficiente e consolidada de manter e evoluir a infra-estrutura de servidores

Leia mais

Termos de Uso Sistema Diário de Obras Online

Termos de Uso Sistema Diário de Obras Online Termos de Uso Sistema Diário de Obras Online Estes são os termos que determinarão o nosso relacionamento Este contrato refere-se ao sistema Diário de Obras Online, abrangendo qualquer uma de suas versões

Leia mais

Serviço de mensageria SMS

Serviço de mensageria SMS Termo de Referência Serviço de mensageria SMS Agosto/2014 1 1 OBJETO 1.1 Prestação de serviços de envio de até 1.680.000 (Um milhão seiscentos e oitenta mil) Mensagens de Texto SMS (Short Message Service)

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Cap. 2: Políticas de Segurança e Respostas Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 Introdução Estar derrotado é sempre uma condição temporária. Desistir é o que o torna

Leia mais

Serviço Público Federal Conselho Regional de Corretores de Imóveis Estado de São Paulo

Serviço Público Federal Conselho Regional de Corretores de Imóveis Estado de São Paulo 1. OBJETO ANEXO VII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 047/2013 TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de empresa para a prestação de serviço de gerenciamento de campanhas de comunicação e marketing via correio eletrônico,

Leia mais

MONITORAMENTO DO AMBIENTE TECNOLÓGICO FoccoMONITOR

MONITORAMENTO DO AMBIENTE TECNOLÓGICO FoccoMONITOR MONITORAMENTO DO AMBIENTE TECNOLÓGICO FoccoMONITOR Fevereiro/2012 Índice APRESENTAÇÃO... 3 O QUE É ESSE SERVIÇO?... 3 POR QUE MONITORAR?... 3 QUAL A ABRANGÊNCIA?... 4 MÉTRICAS... 4 PERÍODO DO MONITORAMENTO...

Leia mais

Serviços Gerenciados de Segurança de perímetro Firewall Dell SonicWALL

Serviços Gerenciados de Segurança de perímetro Firewall Dell SonicWALL 1/8 Serviços Gerenciados de Segurança de perímetro Firewall Dell SonicWALL www.alertasecurity.com.br +55 11 3105.8655 2/8 SUMÁRIO Visão Geral: Porque contratar os Serviços Gerenciados da Alerta Security

Leia mais

Administração pela Web Para MDaemon 6.0

Administração pela Web Para MDaemon 6.0 Administração pela Web Para MDaemon 6.0 Alt-N Technologies, Ltd 1179 Corporate Drive West, #103 Arlington, TX 76006 Tel: (817) 652-0204 2002 Alt-N Technologies. Todos os Direitos Reservados. Os nomes de

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Coordenadoria do Campus de Ribeirão Preto Seção Técnica de Informática. Política de Informática CCRP

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Coordenadoria do Campus de Ribeirão Preto Seção Técnica de Informática. Política de Informática CCRP Política de Informática CCRP Índice 1. DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 2. ESPECIFICAÇÃO E AQUISIÇÃO DE NOVOS EQUIPAMENTOS... 2 3. INSTALAÇÃO DE SOFTWARES... 2 4. DESENVOLVIMENTO, MANUTENÇÃO E BACKUP DE SISTEMAS

Leia mais

ATO Nº 195/2011. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 195/2011. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 195/2011 Institui a Norma de Segurança dos Recursos de Tecnologia da Informação - NSRTI, do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO,

Leia mais

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA Coordenação-Geral de Administração e Tecnologia da Informação Coordenação

Leia mais

GUIA DO USUÁRIO PARA SERVICE DESK SISTEMA GALGO

GUIA DO USUÁRIO PARA SERVICE DESK SISTEMA GALGO GUIA DO USUÁRIO PARA SERVICE DESK SISTEMA GALGO PROJETO SISTEMA GALGO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIA DE INFORMAÇÕES VERSÃO 1.6 Copyright 2009 Sistema Galgo - Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste

Leia mais

ITIL V3 (aula 2) AGENDA: GERENCIAMENTO DE INCIDENTE GERENCIAMENTO DE PROBLEMA

ITIL V3 (aula 2) AGENDA: GERENCIAMENTO DE INCIDENTE GERENCIAMENTO DE PROBLEMA ITIL V3 (aula 2) AGENDA: GERENCIAMENTO DE INCIDENTE GERENCIAMENTO DE PROBLEMA Padronizando Conceitos Risco: é a medida para um fator de incerteza Avaliação: considera a pior situação, no pior momento,

Leia mais

ITIL. Conteúdo. 1. Introdução. 2. Suporte de Serviços. 3. Entrega de Serviços. 4. CobIT X ITIL. 5. Considerações Finais

ITIL. Conteúdo. 1. Introdução. 2. Suporte de Serviços. 3. Entrega de Serviços. 4. CobIT X ITIL. 5. Considerações Finais ITIL Conteúdo 1. Introdução 2. Suporte de Serviços 3. Entrega de Serviços 4. CobIT X ITIL 5. Considerações Finais Introdução Introdução Information Technology Infrastructure Library O ITIL foi desenvolvido,

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO. HELP SUPORTE e HELP - REMOTO (Versão de usuário: 2.0)

MANUAL DE UTILIZAÇÃO. HELP SUPORTE e HELP - REMOTO (Versão de usuário: 2.0) MANUAL DE UTILIZAÇÃO HELP SUPORTE e HELP - REMOTO (Versão de usuário: 2.0) 1 Sumário 1 Introdução...3 2 O que é o HELP Suporte?...3 3 Cadastro no Help Suporte...3 4 Como Acessar e Utilizar o HELP SUPORTE...3

Leia mais

Suporte Remoto / Sustentação

Suporte Remoto / Sustentação Suporte Remoto / Sustentação 1 Suporte Remoto / Sustentação A IntegrationSys é uma empresa especializada na prestação de serviços de suporte remoto / sustentação Nivel I. II e III. Soluções eficazes e

Leia mais

Conhecimento em Tecnologia da Informação. Catálogo de Serviços. Conceitos, Maturidade Atual e Desafios. 2012 Bridge Consulting All rights reserved

Conhecimento em Tecnologia da Informação. Catálogo de Serviços. Conceitos, Maturidade Atual e Desafios. 2012 Bridge Consulting All rights reserved Conhecimento em Tecnologia da Informação Catálogo de Serviços Conceitos, Maturidade Atual e Desafios 2012 Bridge Consulting All rights reserved Apresentação Esta publicação tem por objetivo apresentar

Leia mais

SIORP Sistema de Informação de Órgão Publico 2012

SIORP Sistema de Informação de Órgão Publico 2012 Portfólio 2012. O que é? SIORP Sistema de Informação de Órgão Público é um sistema cujo elemento principal é a informação. Seu objetivo é armazenar, tratar e fornecer informações de tal modo a apoiar as

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Information Technology Infrastructure Library ou Biblioteca de Infraestrutura da Tecnologia da Informação A TI de antes (ou simplesmente informática ),

Leia mais

CONTRATO DE LICENCIAMENTO TEMPORÁRIO DE SOFTWARE E OUTRAS AVENÇAS

CONTRATO DE LICENCIAMENTO TEMPORÁRIO DE SOFTWARE E OUTRAS AVENÇAS CONTRATO DE LICENCIAMENTO TEMPORÁRIO DE SOFTWARE E OUTRAS AVENÇAS, inscrita sob CNPJ nº 21.961.563/0001 16, com sede, na Rua Gonçalves Dias, 206, BL B, Bairro Residencial Coqueiral, Vila Velha, ES/Brasil.

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE REDES E DATA CENTER 1º PERÍODO DE TECNOLOGIA DE REDES

ADMINISTRAÇÃO DE REDES E DATA CENTER 1º PERÍODO DE TECNOLOGIA DE REDES DESENHO DE SERVIÇO Este estágio do ciclo de vida tem como foco o desenho e a criação de serviços de TI cujo propósito será realizar a estratégia concebida anteriormente. Através do uso das práticas, processos

Leia mais

Sistema de Controle de Solicitação de Desenvolvimento

Sistema de Controle de Solicitação de Desenvolvimento Sistema de Controle de Solicitação de Desenvolvimento Introdução O presente documento descreverá de forma objetiva as principais operações para abertura e consulta de uma solicitação ao Setor de Desenvolvimento

Leia mais

Manual do Sistema de Demandas da FUNDEPAG

Manual do Sistema de Demandas da FUNDEPAG 2015 Manual do Sistema de Demandas da FUNDEPAG Manual do Sistema de Demandas da FUNDEPAG Cliente Institucional e Atualizado em: 11 de setembro de 2015 Sumário 1. Conceito do software... 1 2. Abertura de

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 016/2008

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 016/2008 CENTRO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 016/2008 Anexo II 1 DO OBJETO 1.1 - Prestação de serviços de suporte técnico assistido

Leia mais

Dell Infrastructure Consulting Services

Dell Infrastructure Consulting Services Proposta de Serviços Profissionais Implementação do Dell OpenManage 1. Apresentação da proposta Esta proposta foi elaborada pela Dell com o objetivo de fornecer os serviços profissionais de implementação

Leia mais

Política de uso: Serviço de Conferência Web

Política de uso: Serviço de Conferência Web Política de uso: Serviço de Conferência Web DAGSer Diretoria Adjunta de Gestão de Serviços outubro de 2011 Este documento descreve a política de uso do serviço de Conferência Web. Sumário 1. Apresentação...

Leia mais

Quando se fala em ponto eletrônico, a primeira coisa que vem à sua cabeça ainda é dor?

Quando se fala em ponto eletrônico, a primeira coisa que vem à sua cabeça ainda é dor? Quando se fala em ponto eletrônico, a primeira coisa que vem à sua cabeça ainda é dor? Interagir com sistemas que ainda dependem de agendamentos manuais e de coletas presenciais em vários equipamentos

Leia mais

Acordos de Nível de Serviço (SLA)

Acordos de Nível de Serviço (SLA) Poder Judiciário Justiça do Trabalho TRT - 11ª Região (AM/RR) Acordo de Nível de Serviço Acordos de Nível de Serviço (SLA) Serviço Abrangência Área de Negócio Relógio de Ponto Interna (Sede do Tribunal)

Leia mais

A oferta será realizada pela VIVO nas seguintes condições:

A oferta será realizada pela VIVO nas seguintes condições: REGULAMENTO Duo Negócios A oferta será realizada pela VIVO nas seguintes condições: 1. Das Definições Para esta, aplicam-se as seguintes definições: 1.1. : Oferta especial para a aquisição dos produtos

Leia mais

CEP 2 100 99010-640 0 (XX) 54 3316 4500 0 (XX)

CEP 2 100 99010-640 0 (XX) 54 3316 4500 0 (XX) ANEXO 2 INFORMAÇÕES GERAIS VISTORIA 1. É obrigatória a visita ao hospital, para que a empresa faça uma vistoria prévia das condições, instalações, capacidade dos equipamentos, migração do software e da

Leia mais