Economia. Sumário. Prof.Carlos NEMER 1. Conceito. Elasticidade da Demanda e da Oferta

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Economia. Sumário. Prof.Carlos NEMER 1. Conceito. Elasticidade da Demanda e da Oferta"

Transcrição

1 Economia Carlos Nemer 3ª Ed. Capítulo 6: Elasticidade da Demanda e da Oferta Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Sumário 1. Conceito; 2. ; 3. Elasticidade- Cruzada da Demanda; 4. Elasticidade-Renda da Demanda; 5. Elasticidade- da Oferta; 6. Exercícios; Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Conceito Criado pelo economista inglês Alfred Marshall ( ) em 1890, no clássico Principles of Political Economy ( Relação adimensional entre uma variação percentual na quantidade demandada, ou ofertada, de um bem, e a variação percentual de preço ou de renda que a determinou ceteris paribus. Sinônimo de sensibilidade, resposta, reação de uma variável, em face de mudanças em outras variáveis. Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /

2 (E pd ) Variação percentual na quantidade demandada, dada a variação percentual no preço do bem, c.p.. E pd = Variação da quantidade demandada; % q d % p Variação do preço; Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 (E pd ) E pd = % q d % p = q 1 q 0 q 0 p 1 p 0 p 0 q d q d = p q d = x p q d p p Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 (E pd ) E pd = p q d x q d p >0 <0 Lei Geral da Demanda A é sempre negativa. Expressa em módulo: Ex.: E pd = 1,5 (que equivale a E pd = - 1,5 ) Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /

3 Exemplo: do Bem (R$) P 0 = preço inicial = R$ 20,00; P 1 = preço final = R$ 16,00; Q 0 = quantidade demandada, ao preço p 0 = 30; Q 1 = quantidade demandada, ao preço p 1 = 39; D p 0 p quantidade demandada Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Exemplo: Variação Percentual (%) q q p p q 1 q = 0 = = q 0 p 1 p 0 p 0 = = 0,3 = 30% = - 0,2 = -20% E pd = 30% -20% = -1,5 ou E pd =1,5 Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Exemplo: E pd = 30% -20% = -1,5 ou E pd =1,5 Uma diminuição de 20% no preço de x (de R$20,00 para R$16,00), resultou em um aumento na quantidade demandada de 30% (1,5 vezes os 20%) ou seja (de 30 un. para 39 un.); Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /

4 Algumas Elasticidades- (E pd ) Uma Elasticidade- de 2,22 (Tomates) significa que um aumento (diminuição) no preço de 1% pode resultar em um aumento (diminuição) de 2,22% na quantidade demandada, ceteris paribus. Bem/Serviço E pd Móveis 3,04 Tomates 2,22 Cerveja 0,84 Calçados 0,73 Pneus 0,60 Vinho 0,55 Café 0,16 Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II / Elástica 2.Inelástica 3.Unitária Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II / ) Dada a relação inversa entre P e Q, E pd é negativa. 2) Se E pd > 1, a variação percentual na quantidade é maior do que a variação percentual no preço. Nesse caso, diz-se que a demanda é elástica em relação ao preço. 3) Se E pd < 1, a variação percentual na quantidade é menor do que a variação percentual no preço. Nesse caso, dizemos que a demanda é inelástica em relação ao preço. Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /

5 Demanda Elástica E pd > 1 Ex: E pd = 1,5 Dada uma diminuição percentual de 10% no preço, a quantidade demandada aumenta em 15%, ceteris paribus. Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Demanda Inelástica E pd < 1 Ex: E pd = 0,4 Consumidores pouco sensíveis à variações de preço. Uma variação de, por exemplo, 10% no preço leva à uma variação na quantidade demandada de apenas 4% (em sentido contrário). Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Elasticidade Unitária E pd = 1 Se o preço aumenta em 10%, a quantidade demandada também cai em 10%, ceteris paribus. Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /

6 Exemplo: Sejam as Elasticidades- da Demanda dos bens A e B; E pda = -2 E pdb = -0,8. A apresenta uma demanda mais elástica que B. Um aumento de 10% no preço de ambos levaria a uma queda de 20% na quantidade demandada do bem A, e de apenas 8% na do bem B, ceteris paribus. Os consumidores são, portanto, mais sensíveis à variações de preços do bem A do que do bem B. Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Fatores que afetam a (E pd ) 1.Disponibilidade 2.Essencialidade 3.Importância 4.Prazo Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Disponibilidade de Bens Substitutos A elasticidade-preço da demanda (E pd ) é determinada pela disponibilidade de bens substitutos. Se há muitos substitutos: a demanda é elástica em relação ao preço; Se há poucos substitutos: a demanda é inelástica em relação ao preço; Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /

7 Disponibilidade de Bens Substitutos Quanto mais específico o mercado, maior a elasticidade; Dado um aumento de preços, o consumidor tem mais opções para substituir este produto, provocando uma queda em sua demanda desproporcional à variação do preço. Ex: Elasticidade do Guaraná > Refrigerante. Mais bens substitutos Mais elástica a demanda Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Essencialidade Quanto mais essencial o bem mais inelástica a demanda; Dado um aumento de preços, o consumidor tem menos opções para substituir este produto, o que torna sua demanda inevitável. Ex: sal, açúcar etc. Mais essencial Mais inelástica a demanda Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Importância A importância, ou peso do bem no orçamento, é dada pela proporção de quanto o consumidor gasta com o bem, em relação a sua despesa total. O consumidor é muito afetado, por alterações nos preços, quanto mais gasta com o produto, dentro de sua cesta de consumo. Ex. Elasticidade da Carne > Fósforo. Quanto maior o peso no orçamento Mais elástica a demanda Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /

8 Prazo A elasticidade-preço da demanda varia com o período de tempo de que o consumidor dispõe para reagir às mudanças no preço. Um horizonte temporal maior permite que os consumidores de determinado bem descubram outras formas de substituí-lo, quando o preço dele aumenta. maior o prazo Mais elástica a demanda Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Prazo Para a maioria dos bens e serviços: A elasticidade de curto prazo é menor que a elasticidade de longo prazo (p.ex.: gasolina, médicos); Para outros bens (duráveis): A elasticidade de curto prazo é maior que a elasticidade de longo prazo (p.ex.: automóveis); Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Prazo Gasolina e automóveis: bens complementares. Gasolina As elasticidades em relação a preço e renda são maiores no longo prazo do que no curto prazo. Automóveis As elasticidades em relação a preço e renda são menores no longo prazo do que no curto prazo. Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /

9 Prazo D CP No longo prazo, as pessoas tendem a dirigir automóveis menores e que consumam menos combustível Gasolina D LP Quantidade Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Prazo D LP As compras de carros novos podem ser adiadas, mas no longo prazo os carros mais velhos precisam ser substituídos. Automóveis D CP Quantidade Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 A elasticidadepreço da demanda varia, ao longo de uma mesma curva de demanda. 4 2 Curva de Demanda Linear Q = a - bp Q = 8-2P Quanto maior o preço do bem, maior a elasticidade. E pd b > 1 (elástica) E pd a = 1 (unitária) E pd c < 1 (inelástica) E p = Q Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /

10 (E pd ) E pd = infinita. Perfeitamente Elástica. A variação de p é zero, a elasticidade é infinita. E pd > 1 Demanda Elástica. A variação na q.d. q é maior que a variação em p. E pd = 1 Elasticidade Unitária. A variação de p é seguida da variação idêntica da q.d. q. E pd < 1 Demanda Inelástica. A mudança na q.d. q é inferior à variação do preço p. E pd = 0 Perfeitamente Inelástica. Variando-se p não haverá nenhum efeito na q.d. q. Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Inclinação acentuada: A quantidade demandada varia pouco com o aumento dos preços. (Inelástica); Inclinação pequena: A quantidade demandada varia muito com o aumento dos preços.(elástica); Qtd adquirida de sal Qtd adquirida de CD s Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Perfeitamente Inelástica: Inclinação Infinita: As compras não variam com o aumento dos preços.(ex.: Bens Essenciais). P * EP=- D Perfeitamente Elástica: Inclinação zero: As compras variam muito com o aumento dos preços. (Ex.: Mercados perfeitamente competitivos). Quantidade EP=0 Q * Quantidade Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /

11 e a Receita Total (RT) RT = p. Q Receita Total = RT = preço unitário x quantidade vendida do bem O que acontece com a Receita Total (RT), quando se varia o preço de um bem? Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 e a Receita Total (RT) a) Se E pd for Elástica: RT segue o sentido da quantidade (predomina a variação da quantidade sobre a variação do preço). - se p aumentar, q d cairá, e a RT diminuirá. - se p reduzir, q d aumentará, e a RT aumentará. b) Se E pd for Inelástica: RT segue o sentido do preço (predomina a variação do preço sobre a variação da q d. - se p aumentar, q d cairá, e a RT aumentará. - se p reduzir, q d aumentará, e a RT cairá. Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 e a Receita Total (RT) c) Se E pd for unitária % q d = % preço Tanto faz o preço p aumentar ou cair, a receita total (RT) permanece constante. Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /

12 e a Receita Total (RT) Demanda inelástica Pode ser vantajoso aumentar o preço (ou diminuir a produção) Até onde E pd = -1 Embora a quantidade caia, o aumento de preço compensa a queda na quantidade, e a RT aumenta. Ex.: Produtos agrícolas. (principalmente os essenciais). Se, o aumento do preço for muito elevado pode acabar caindo no ramo elástico da curva de demanda, gerando uma queda na receita total (RT). Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Elasticidade- Cruzada da Demanda A Elasticidade- Cruzada da Demanda mede a variação percentual na quantidade demandada de uma mercadoria que decorre da variação de 1% no preço de outra mercadoria. Como exemplo, considere o caso de dois bens substitutos - manteiga e margarina. Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Elasticidade- Cruzada da Demanda Variação percentual na quantidade demandada, dada a variação percentual no preço de outro bem, ceteris paribus. E pd AB = p B q A x q A p B E pd AB > 0 => A e B são substitutos (o aumento do preço de A aumenta o consumo de B, ceteris paribus). E pd AB < 0 => A e B são complementares (o aumento do preço de A diminui o consumo de B, ceteris paribus). Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /

13 Elasticidade-Renda da Demanda Variação percentual na quantidade demandada, dada uma variação percentual na renda, c.p.. E Rd = R q x q R E Rd > 1 => E Rd > 0 => E Rd = 0 => E Rd < 0 => Bem superior (ou bem de luxo): dada uma variação da renda, o consumo varia mais que proporcionalmente. Bem normal: o consumo aumenta quando a renda aumenta Bem de consumo saciado: variações na renda não alteram o consumo do bem. Bem inferior: a demanda cai quando a renda aumenta. Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Elasticidade-Renda da Demanda Em geral, a elasticidade-renda da demanda de produtos manufaturados é superior à elasticidade-renda de produtos básicos, como alimentos. Mais elevada a renda Maior consumo de manufaturados. (Ex.: automóveis, eletrônicos) Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Elasticidade- da Oferta A elasticidade-preço da oferta mede a variação percentual na quantidade ofertada decorrente da variação de 1% no preço do bem. Podemos falar de elasticidades da oferta em relação a variáveis como taxas de juros, salários e custos de matérias-primas. Em geral, a elasticidade é positiva, dado que o preço e a quantidade ofertada são positivamente relacionados. s mais elevados incentivam os produtores a aumentar a produção; Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /

14 Elasticidade- da Oferta Variação percentual na quantidade ofertada, dada uma variação percentual no preço do bem, ceteris paribus. E po = p q o x q o p E po > 1 => Bem de oferta elástica. E po < 1 => Bem de oferta inelástica. E po = 1 => elasticidade-preço de oferta unitária. Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Elasticidade- da Oferta E po > 1 => Bem de oferta elástica. E po < 1 => Bem de oferta inelástica. E po > 1 E po = 1 E po = 1 => Elasticidade-preço de oferta unitária. E po < 1 Obs.: Corrente estruturalista da inflação: A oferta de produtos agrícolas seria inelástica a estímulos de preços, em Quantidade virtude da baixa produtividade da agricultura, provocada pela estrutura agrária. Não responde ao aumento da demanda de alimentos, aumentando assim os custos de produção e conseqüente repasse aos preços dos produtos. Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /01 05 Resumo Se for possível estimar as curvas de oferta e demanda para um determinado mercado, poderemos calcular o preço de equilíbrio do mercado. O cálculo da elasticidade a partir destas curvas descreve a sensibilidade da demanda e da oferta às variações nos preços, na renda e em outras variáveis. Os valores obtidos para as elasticidades referem-se a determinados intervalos de tempo. Poli-UFRJ Copyright Direitos Autorais reservados ao II /

PRO 2208 Introdução a Economia. Aula 4 - Elasticidade. Prof. Dr. Regina Meyer Branski

PRO 2208 Introdução a Economia. Aula 4 - Elasticidade. Prof. Dr. Regina Meyer Branski PRO 2208 Introdução a Economia Aula 4 - Elasticidade Prof. Dr. Regina Meyer Branski Elasticidade Objetivos Elasticidade-Preço da Demanda Elasticidade-Preço Cruzada da Demanda Elasticidade-Renda da Demanda

Leia mais

MICROECONOMIA AULA 02 Prof. Jorge Junior

MICROECONOMIA AULA 02 Prof. Jorge Junior MICROECONOMIA AULA 02 Prof. Jorge Junior AULA SOBRE ELASTICIDADE a) CONCEITO: Elasticidade se refere à um tipo de sensibilidade, tem a ver com variações co-relacionadas. Por exemplo: Se eu digo que a demanda

Leia mais

Elasticidade. Copyright 2004 South-Western

Elasticidade. Copyright 2004 South-Western Elasticidade 5 Copyright 2004 South-Western Copyright 2004 South-Western/Thomson Learning Elasticidade Permite analisar oferta e demanda com precisão. Mede o quanto compradores e vendedores respondem a

Leia mais

Elasticidades da demanda. Elasticidades da demanda. Elasticidades da demanda

Elasticidades da demanda. Elasticidades da demanda. Elasticidades da demanda Elasticidade Capítulo III Em geral, a elasticidade é uma medida da sensibilidade de uma variável em relação a outra. Ela nos informa a variação percentual em uma variável em decorrência da variação de

Leia mais

MICROECONOMIA OFERTA E DEMANDA

MICROECONOMIA OFERTA E DEMANDA MICROECONOMIA OFERTA E DEMANDA Disciplina: Economia e Mercado Professora: Karina Cabrini Zampronio Micro e Macroeconomia Microeconomia é o ramo da Teoria Econômica que estuda o funcionamento do mercado

Leia mais

ELASTICIDADE E SUAS APLICAÇÕES

ELASTICIDADE E SUAS APLICAÇÕES ELASTICIDADE E SUAS APLICAÇÕES OBJETIVO GERAL Introduzir o conceito de elasticidade e suas aplicações como forma de entender melhor e específica os efeitos de mudanças nos preços sobre a oferta e a demanda.

Leia mais

Introdução à Microeconomia. Elasticidades. Danilo Igliori

Introdução à Microeconomia. Elasticidades. Danilo Igliori Introdução à Microeconomia Elasticidades Danilo Igliori (digliori@usp.br) Elasticidade (sensibilidade de resposta à mudança de uma variavel) Noção de elasticidade: Por exemplo, se a oferta aumentar, o

Leia mais

Elasticidade 2. Trata-se de um conceito de ampla aplicação em Economia. Vejamos alguns exemplos:

Elasticidade 2. Trata-se de um conceito de ampla aplicação em Economia. Vejamos alguns exemplos: Elasticidade 1 Quando aumenta o preço de um bem, a quantidade demandada deve cair, coeteris paribus. Ou seja, conhecemos apenas a direção, o sentido, mas não a magnitude numérica: isto é, se o preço aumenta

Leia mais

TEORIA ECONÔMICA I. Princípios de Microeconomia

TEORIA ECONÔMICA I. Princípios de Microeconomia TEORIA ECONÔMICA I Princípios de Microeconomia INTRODUÇÃO À MICROECONOMIA A MICROECONOMIA é também conhecida como teoria dos preços, pois analisa a formação de preços no mercado. PRESSUPOSTOS BÁSICOS DA

Leia mais

Sistema de preços. Prof. Regis Augusto Ely. Agosto de Revisão Novembro de Oferta e demanda. 1.1 Curva de demanda

Sistema de preços. Prof. Regis Augusto Ely. Agosto de Revisão Novembro de Oferta e demanda. 1.1 Curva de demanda Sistema de preços Prof. Regis Augusto Ely Agosto de 2011 - Revisão Novembro de 2012 1 Oferta e demanda 1.1 Curva de demanda A curva de demanda descreve a relação entre preço e quantidade demandada. Aumentando

Leia mais

Examinemos as duas curvas de demanda dispostas abaixo. Qual a diferença entre uma e outra?

Examinemos as duas curvas de demanda dispostas abaixo. Qual a diferença entre uma e outra? Economia de Mercado Módulo 17 A ELASTICIDADE PREÇO DA DEMANDA Examinemos as duas curvas de demanda dispostas abaixo. Qual a diferença entre uma e outra? A forma e a inclinação de uma curva de demanda constituem

Leia mais

TEORIA ELEMENTAR DE FUNCIONAMENTO DO MERCADO. Teoria da Demanda Teoria da Oferta Equilíbrio de Mercado Elasticidade Aplicações da Teoria de Mercado

TEORIA ELEMENTAR DE FUNCIONAMENTO DO MERCADO. Teoria da Demanda Teoria da Oferta Equilíbrio de Mercado Elasticidade Aplicações da Teoria de Mercado TEORIA ELEMENTAR DE FUNCIONAMENTO DO MERCADO Teoria da Demanda Teoria da Oferta Equilíbrio de Mercado Elasticidade Aplicações da Teoria de Mercado Teoria da Demanda Demanda Individual definição Determinantes

Leia mais

Elasticidade. 5. Elasticidade e Suas Aplicações. Determinantes da Elasticidade- Preço da Demanda. Elasticidade-Preço da Demanda

Elasticidade. 5. Elasticidade e Suas Aplicações. Determinantes da Elasticidade- Preço da Demanda. Elasticidade-Preço da Demanda 5. Elasticidade e Suas Aplicações Elasticidade é uma medida de como compradores e vendedores reajem a uma mudança s preços s permite analisar a oferta e a demanda com muito mais precisão Elasticidade-

Leia mais

Parte 1: Oferta, demanda e equilíbrio de mercado. Parte 2: Elasticidades. O conceito de utilidade marginal. Microeconomia - Prof. Marco A.

Parte 1: Oferta, demanda e equilíbrio de mercado. Parte 2: Elasticidades. O conceito de utilidade marginal. Microeconomia - Prof. Marco A. A lei da oferta e Parte 1: Oferta, e equilíbrio de mercado Parte 2: Elasticidades Prof. Ms. Marco A. Arbex marco.arbex@live.estacio.br BLOG: www.marcoarbex.wordpress.com Dois reais......e noventa centavos

Leia mais

Elasticidade e Suas Aplicações

Elasticidade e Suas Aplicações Elasticidade e Suas Aplicações à Economia Mankiw, N.G. Capítulo 5 Motivação A Embrapa lança um novo híbrido de milho que aumenta em 20% a produtividade (kg/ha). Como reagir a essa notícia? Será que deve

Leia mais

Microeconomia. Prof.: Antonio Carlos Assumpção

Microeconomia. Prof.: Antonio Carlos Assumpção Microeconomia O Básico Sobre a Oferta e a Demanda Prof.: Antonio Carlos Assumpção Tópicos Discutidos Oferta e Demanda O Mecanismo de Mercado Mudanças no Equilíbrio do Mercado Elasticidades da Oferta e

Leia mais

OBS: foram feitos diversos gráficos feitos em sala de aula ELASTICIDADES DA OFERTA E DA DEMANDA

OBS: foram feitos diversos gráficos feitos em sala de aula ELASTICIDADES DA OFERTA E DA DEMANDA Aula 3 31/08/2009 - Microeconomia. PINDYCK (2007) Capítulo 2 pg 27 a 38. OBS: foram feitos diversos gráficos feitos em sala de aula ELASTICIDADES DA OFERTA E DA DEMANDA A elasticidade é uma medida da sensibilidade

Leia mais

Curso de Economia Prof. Ms. Rodrigo Marquez facebook: Rodrigo Marquez

Curso de Economia Prof. Ms. Rodrigo Marquez facebook: Rodrigo Marquez Curso de Economia Prof. Ms. Rodrigo Marquez twitter: @rodrigopmjr facebook: Rodrigo Marquez e-mail: rodrigopmjr@hotmail.com Questões de fixação (UFG, 2014) Suponha que a demanda de um certo produto agrícola

Leia mais

MERCADO: OFERTA X DEMANDA OFERTA - ELASTICIDADE

MERCADO: OFERTA X DEMANDA OFERTA - ELASTICIDADE MERCADO: OFERTA X DEMANDA OFERTA - ELASTICIDADE 2º SEMESTRE 2011 Definição Medida de Sensibilidade da Oferta A elasticidade-preço da oferta é a medida da sensibilidade da quantidade ofertada de um bem

Leia mais

EXERCICIOS SOBRE: TEORIA DO CONSUMIDOR VII Rendimento total, médio e marginal e conceito de elasticidade aplicado á procura e á oferta

EXERCICIOS SOBRE: TEORIA DO CONSUMIDOR VII Rendimento total, médio e marginal e conceito de elasticidade aplicado á procura e á oferta EXERCICIOS SOBRE: TEORIA DO CONSUMIDOR VII Rendimento total, médio e marginal e conceito de elasticidade aplicado á procura e á oferta Exercício Nº 1 Defina e caracterize os seguintes conceitos: a) Receita

Leia mais

Capítulo 5 Elasticidade e sua Aplicação

Capítulo 5 Elasticidade e sua Aplicação Capítulo 5 Elasticidade e sua Aplicação Lista de Exercícios: 1. Quando se estuda como determinado evento ou política afeta o mercado, a elasticidade fornece informações quanto: a. aos efeitos da equidade

Leia mais

Administração AULA- 8. Economia Elasticidade. Prof. Isnard Martins. Bibliografia: Rosseti J. Introdução à Economia. Atlas Isnard Martins Pag - 1

Administração AULA- 8. Economia Elasticidade. Prof. Isnard Martins. Bibliografia: Rosseti J. Introdução à Economia. Atlas Isnard Martins Pag - 1 Administração AULA- 8 1 Economia Prof. Isnard Martins Bibliografia: Rosseti J. Introdução à Economia. Atlas 2006 Robert Heilbroner Micro Economia N.Gregory Mankiw Isnard Martins Pag - 1 As curvas apresentam

Leia mais

Teoria da demanda e oferta

Teoria da demanda e oferta Análise da Demanda de mercado Teoria da demanda e oferta Capítulo III Demanda (ou procura) é a quantidade de determinado bem ou serviço que os consumidores deseja adquirir, num dado período. Representa

Leia mais

preço das matérias primas e dos fatores de

preço das matérias primas e dos fatores de Oferta Individual versus Oferta de Mercado A oferta de determinado bem depende de vários fatores: preço do próprio bem preço das matérias primas e dos fatores de produção tecnologia utilizada Oferta Individual

Leia mais

Introdução à Microeconomia

Introdução à Microeconomia Introdução à Microeconomia Marcelo Pessoa de Matos Aula 9 PARTE I: O MERCADO COMPETITIVO BIBLIOGRAFIA DA PARTE I: Krugman & Wells, apêndice cap. 2 e caps. 3 a 6 Varian, caps. 1, 14,15 BIBLIOGRAFIA DESTA

Leia mais

PRO Introdução à Economia

PRO Introdução à Economia PRO 2208 Introdução à Economia Aulas 2 e 3 Mercados, Oferta e Demanda PRO 2208 Davi Nakano Mercados, Oferta e Demanda Mercado: grupo de compradores e de vendedores de um dado bem ou serviço Oferta e Demanda

Leia mais

P x ( $ )

P x ( $ ) 1 DEMANDA 1) Explique de onde surge a expressão Qd x = f ( P x ), ceteris paribus? 2) Qual é a relação entre a expressão Qd x = f ( P x ), ceteris paribus, e a expressão Qd x = 8 P x, ceteris paribus?

Leia mais

EAE Fundamentos de Microeconomia

EAE Fundamentos de Microeconomia EAE0110 - Fundamentos de Microeconomia Prof. Sergio Almeida Departamento de Economia Março 03, 2017 Plano para hoje 1 Parte 1: O problema do consumidor e a curva de demanda 2 Parte 2: s da demanda e aplicações

Leia mais

ECONOMIA - LISTA DE EXERCÍCIOS 1

ECONOMIA - LISTA DE EXERCÍCIOS 1 1. Constitui um bem de capital: ECONOMIA - LISTA DE EXERCÍCIOS 1 a) os bens e serviços que se destinam ao atendimento direto das necessidades humanas. b) os bens que aumentam a eficiência do trabalho humano.

Leia mais

ELASTICIDADE: UMA MEDIDA DE CAPACIDADE DE RESPOSTA 3-1

ELASTICIDADE: UMA MEDIDA DE CAPACIDADE DE RESPOSTA 3-1 ELASTICIDADE: UMA MEDIDA DE CAPACIDADE DE RESPOSTA 3-1 Conceito de elasticidade Elasticidade é uma medida de sensibilidade de resposta das pessoas a mudanças em variáveis econômicas. 3-2 Conceito de elasticidade

Leia mais

Economia. Poli-UFRJ/ Microeconomia Cap. 04. Prof. Carlos NEMER 1. Economia. Sumário. Macroeconomia.

Economia. Poli-UFRJ/ Microeconomia Cap. 04. Prof. Carlos NEMER 1. Economia. Sumário. Macroeconomia. Economia Carlos Nemer 3ª Ed. Capítulo 4: Microeconomia Poli-UFRJ Copyright 2005. ireitos Autorais reservados ao Prof.Carlos NEMER II-1-1/55 Economia Parte I Parte II Parte III Parte IV Parte V Introdução

Leia mais

UC: Economia da Empresa

UC: Economia da Empresa UC: Economia da Empresa 8ª Sessão Curso: Licenciatura em Gestão de Marketing Docente: Nuno J. Farinha 1 2. 3. Análise da Procura da Procura e da Oferta e da Oferta - Aplicações Elasticidade da Procura

Leia mais

Capítulo 2 -Análise da Oferta e da Procura

Capítulo 2 -Análise da Oferta e da Procura Capítulo 2 -Análise da Oferta e da Procura 1. Motivação O Mercado de Milho nos EUA 2. Definição de Mercados Competitivos 3. A Curva de Demanda de Mercado 4. A Curva de Oferta de Mercado 5. Equilíbrio 6.

Leia mais

Microeconomia. UNIDADE 1 Aula 3.1

Microeconomia. UNIDADE 1 Aula 3.1 Microeconomia UNIDADE 1 Aula 3.1 Prof - Isnard Martins Rosseti, J, Introdução à Economia, Atlas, 2006 Vasconcelos M.A, Economia Micro e Macro, 4a Edição 1 ELASTICIDADE CONCEITOS Elasticidade O que ocorre

Leia mais

Elasticidade da Oferta e Procura. Aula 6 Isnard Martins

Elasticidade da Oferta e Procura. Aula 6 Isnard Martins Elasticidade da Oferta e Procura 5 Aula 6 Isnard Martins Revisão - A Procura Na Geometria Euclidiana, dados dois pontos P1=(x1,y1) e P2=(x2,y2) X1 X2 No plano cartesiano, existe uma única reta que passa

Leia mais

Economia é a ciência que se preocupa em alocar recursos escassos, orientando a escolha do que, como e para quem produzir com teorias e informação.

Economia é a ciência que se preocupa em alocar recursos escassos, orientando a escolha do que, como e para quem produzir com teorias e informação. Economia é a ciência que se preocupa em alocar recursos escassos, orientando a escolha do que, como e para quem produzir com teorias e informação. Escassez Necessidades Ilimitadas Recursos Limitados 1

Leia mais

LES 101 INTRODUÇÃO À ECONOMIA QUESTÕES ALTERNATIVAS PARA PROVA 2017

LES 101 INTRODUÇÃO À ECONOMIA QUESTÕES ALTERNATIVAS PARA PROVA 2017 LES 101 INTRODUÇÃO À ECONOMIA QUESTÕES ALTERNATIVAS PARA PROVA 2017 Questão 1- A demanda por ingressos para o show do Elton John é dado pela seguinte equação: Qd=350.000-400P. E a oferta de ingressos é

Leia mais

Elasticidade e Suas Aplicações

Elasticidade e Suas Aplicações Elasticidade e Suas Aplicações Um dos conceitos mais importantes em economia Mankiw (cap 5) Qual produto é mais importante/necessário para as famílias? Elasticidade...... é uma medida do quanto que compradores

Leia mais

ECONOMIA E MERCADO MBA EM CONTROLADORIA E FINANÇAS PGCF PROF. JOÃO EVANGELISTA DIAS MONTEIRO

ECONOMIA E MERCADO MBA EM CONTROLADORIA E FINANÇAS PGCF PROF. JOÃO EVANGELISTA DIAS MONTEIRO ECONOMIA E MERCADO MBA EM CONTROLADORIA E FINANÇAS PGCF PROF. JOÃO EVANGELISTA DIAS MONTEIRO 1 OBJETIVOS DA AULA 1 Noções Básicas de Economia e sistemas econômicos Os Problemas Fundamentais da Economia

Leia mais

Elasticidade e Suas Aplicações

Elasticidade e Suas Aplicações Elasticidade e Suas Aplicações Um dos conceitos mais importantes em economia Mankiw (Cap 5) Elasticidade...... é uma medida do quanto que compradores e vendedores respondem a mudanças nas condições de

Leia mais

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta.

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. 1 Prezado(a) candidato(a): Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. Nº de Inscrição Nome PROVA DE CONHECIMENTOS

Leia mais

INTRODUÇÃO À ECONOMIA PARA ENGENHEIROS CAPÍTULO 2 - OS FUNDAMENTOS DA OFERTA E DA DEMANDA - PINDYCK

INTRODUÇÃO À ECONOMIA PARA ENGENHEIROS CAPÍTULO 2 - OS FUNDAMENTOS DA OFERTA E DA DEMANDA - PINDYCK INTROUÇÃO À ECONOMIA ARA ENGENHEIRO CAÍTULO 2 - O FUNAMENTO A OFERTA E A EMANA - INYCK 1 uponhamos que um clima excepcionalmente quente ocasione um deslocamento para a direita na curva da demanda de sorvete

Leia mais

Segundo Período, Prof. Dr. Wilson Luiz Rotatori Corrêa. Lista de Exercícios II GABARITO RESPONDA AS QUESTÕES ABAIXO JUSTIFICANDO A SUA RESPOSTA:

Segundo Período, Prof. Dr. Wilson Luiz Rotatori Corrêa. Lista de Exercícios II GABARITO RESPONDA AS QUESTÕES ABAIXO JUSTIFICANDO A SUA RESPOSTA: Segundo Período, 2017 Prof. Dr. Wilson Luiz Rotatori Corrêa Lista de Exercícios II GABARITO RESPONDA AS QUESTÕES ABAIXO JUSTIFICANDO A SUA RESPOSTA: 1) Suponha que esteja tramitando no Congresso uma emenda

Leia mais

Fundamentos de Microeconomia

Fundamentos de Microeconomia Fundamentos de Microeconomia Prof. Danilo Igliori Lista 1 1. Existem dois conceitos similares muito utilizados em Economia. Eles são a Fronteira de Possibilidade de Produção e a Restrição Orçamentária.

Leia mais

Matemática Aplicada à Economia LES 201

Matemática Aplicada à Economia LES 201 Matemática Aplicada à Economia LES 201 Aula 1 07/08/2017 Luiz Fernando Satolo A natureza da economia matemática Economia matemática não é um ramo especial da economia é uma abordagem à análise econômica

Leia mais

Elasticidade cruzada. Sumário, aula 11. Elasticidade cruzada. Elasticidade cruzada. Elasticidade cruzada. Elasticidade cruzada

Elasticidade cruzada. Sumário, aula 11. Elasticidade cruzada. Elasticidade cruzada. Elasticidade cruzada. Elasticidade cruzada Sumário, aula 11 BS substitutos BS complementares BS inferiores BS normais quanto ao BS de necessidade / BS de Luxo Elasticidade da oferta A quantidade procurada de um BS varia com a alteração do seu preço

Leia mais

FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA MÓDULO 13

FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA MÓDULO 13 FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA MÓDULO 13 Índice 1. A elasticidade da demanda e sua importância na formação de preços de venda...3 2 1. A ELASTICIDADE DA DEMANDA E SUA IMPORTÂNCIA NA FORMAÇÃO DE PREÇOS DE VENDA

Leia mais

UNIVERSIDADE METODISTA DE ANGOLA

UNIVERSIDADE METODISTA DE ANGOLA UNIVERSIDADE METODISTA DE ANGOLA!"#$%&'(&)($*+%&(&,'-./.$*#,0+%&'(&(-1#($,& 23&$(-($*#(&& PROF. MÁRIO DE CARVALHO UMA@WELVITCHIA.COM WWW.WELVITCHIA.COM RESUMO!%/*(4'%&& 25 *(%#.,&(6(-(/*,#&'%&7"/!.%/,-(/*%&'%&-(#!,'%!

Leia mais

A economia é o estudo da organização social através do qual os homens satisfazem suas necessidades de bens e serviços escassos.

A economia é o estudo da organização social através do qual os homens satisfazem suas necessidades de bens e serviços escassos. IMPORTANTE: Tratando-se de uma representação esquematizada das aulas previstas, o material que integra esse Desenvolvimento Programático não é suficiente para o acompanhamento do curso. Sua leitura, sem

Leia mais

Demanda Individual e Demanda de Mercado

Demanda Individual e Demanda de Mercado Demanda Individual e Demanda de Mercado RAD1606 - Introdução à Microeconomia Transparências: Pindyck e Rubinfeld, Microeconomia. Prof. Dr. Jorge Henrique Caldeira de Oliveira Efeitos de variações no preço

Leia mais

IFSC Câmpus Lages Economia Microeconomia Profª. Larisse Kupski

IFSC Câmpus Lages Economia Microeconomia Profª. Larisse Kupski IFSC Câmpus Lages Economia Microeconomia Profª. Larisse Kupski Fundamentos microeconomia A Microeconomia, ou Teoria de Preços, é a parte da teoria econômica que estuda o comportamento das famílias e das

Leia mais

M CR C O R E O C E O C N O O N M O I M A A E

M CR C O R E O C E O C N O O N M O I M A A E MICROECONOMIA Estuda a formação de preços em mercados específicos; Como consumidores e empresas interagem no mercado e como decidem os preços e a quantidade para satisfazer a ambos simultaneamente.; Decidem

Leia mais

Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Produção Poli/USP

Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Produção Poli/USP ddisciplina: PRO 308 Int Economia Prof.: Reinaldo Pacheco da Costa Uso de Calculadora? Sim NOME: Identificação da prova: P1 Micro Data: 31/set/016 Consulta a livros? Não Horário: 07:30 08:50 Consulta apontamentos

Leia mais

PROGRAD / COSEAC Ciências Econômicas Niterói - Gabarito

PROGRAD / COSEAC Ciências Econômicas Niterói - Gabarito Prova de Conhecimentos Específicos 1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Alfredo possui um automóvel bicombustível. Baseado no histórico de consumo do automóvel, Alfredo percebeu que o rendimento da gasolina (quilômetros

Leia mais

ECONOMIA EMPRESARIAL

ECONOMIA EMPRESARIAL Parte 1 ECONOMIA EMPRESARIAL Profa. Ms. Sandra Costa OBJETIVO capacitar executivos capazes de compreender os impactos da política econômica nas organizações e atuar nas decisões estratégicas das empresas;

Leia mais

MUANÇA NA VARIÁVEL A A ROVOCA ECONOMIA EMANA & OFERTA MUANÇA NA VARIÁVEL B B Resposta de B Elasticidade Maior Se a mudança for forte: B é elástico a A Resposta forte Elasticidade Menor Se a mudança for

Leia mais

E la stic id a d es 1 CONCEITO

E la stic id a d es 1 CONCEITO E la stic id a d es 1 CONCEITO Até esta altura, sabemos apenas que, quando aumenta o preço de um bem, a quantidade demandada deve cair, coeteris paribus. Ou seja, conhecemos apenas a direção, o sentido,

Leia mais

Procura, Excedente do Consumidor e Elasticidades

Procura, Excedente do Consumidor e Elasticidades Procura, Excedente do Consumidor e Elasticidades IST, LEGI - Teoria Económica II Margarida Catalão Lopes 1 D de mercado obtém-se por agregação horizontal das procuras individuais (somar quantidades para

Leia mais

MICROECONOMIA Resolução

MICROECONOMIA Resolução INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO DO PORTO EXAME ÉPOCA DE RECURSO 27 DE JULHO DE 2009 Duração: 2 horas Nome Nº informático Turma Professor(a) Preencha o cabeçalho e, para cada uma das

Leia mais

A MICROECONOMIA estuda como os preços podem harmonizar a OFERTA e a DEMANDA, gerando equilíbrio.

A MICROECONOMIA estuda como os preços podem harmonizar a OFERTA e a DEMANDA, gerando equilíbrio. Microeconomia A MICROECONOMIA estuda como os preços podem harmonizar a OFERTA e a DEMANDA, gerando equilíbrio. É responsável pela análise de formação de preços no mercado, ou melhor, como a empresa e o

Leia mais

Microeconomia - Prof. Marco A. Arbex

Microeconomia - Prof. Marco A. Arbex Parte 1: Introdução à Microeconomia Parte 2: Demanda, oferta e equilíbrio de mercado Prof. Ms. Marco A. Arbex marco.arbex@live.estacio.br BLOG: www.marcoarbex.wordpress.com Introdução A microeconomia é

Leia mais

Demanda. Conceito 22/05/2010

Demanda. Conceito 22/05/2010 Demanda 1 Conceito A demanda de um determinado bem (doravante, denominada de bem X) é dada pela quantidade deste bem que os compradores (doravante, denominados de consumidores) desejam adquirir num determinado

Leia mais

demandantes ofertantes

demandantes ofertantes MICROECONOMIA DEMANDA, OFERTA E EQUILIBRIO DE MERCAD0 O funcionamento do sistema de economia de mercado mercado demandantes ofertantes DEMANDA CONCEITO DE DEMANDA FATORES QUE AFETAM A DEMANDA: PREÇO DO

Leia mais

[Ano] Estruturas de Mercado e Decisão. Campus Virtual Cruzeiro do Sul

[Ano] Estruturas de Mercado e Decisão. Campus Virtual Cruzeiro do Sul [Ano] Estruturas de Mercado e Decisão Estruturas de Mercado e Decisão MATERIAL TEÓRICO Responsável pelo Conteúdo: Prof. Ms. Andressa Guimarães Rego Revisão Textual: Profa. Ms. Alessandra Fabiana Cavalcante

Leia mais

ECONOMIA MICRO E MACRO ECONOMIA MICRO E MACRO

ECONOMIA MICRO E MACRO ECONOMIA MICRO E MACRO ECONOMIA MICRO E MACRO 1 MARCO ANTONIO SANDOVAL DE VASCONCELLOS ECONOMIA MICRO E MACRO Respostas das Questões Propostas e Questões Adicionais Livro do Mestre SÃO PAULO EDITORA ATLAS S.A. 2001 3 2000 by

Leia mais

Introdução à economia: microeconomia

Introdução à economia: microeconomia Introdução à economia: microeconomia Prof. Salomão Neves 1 2 Quem é o Prof. Salomão Neves? Titulação Área Local Bacharel Especialização Mestrado Doutorado Ciências Econômicas Administração de Empresas

Leia mais

CURSO ON-LINE TEORIA E EXERCÍCIOS MICROECONOMIA CURSO REGULAR PROFESSOR HEBER CARVALHO AULA 01

CURSO ON-LINE TEORIA E EXERCÍCIOS MICROECONOMIA CURSO REGULAR PROFESSOR HEBER CARVALHO AULA 01 AULA 01 Olá caros(as) amigos(as), Iniciamos hoje nosso curso regular de microeconomia. Veremos o mesmo da aula demonstrativa acrescido do assunto elasticidades, temas bastante cobrados em provas, qualquer

Leia mais

Teoria da Elasticidade

Teoria da Elasticidade Profa. Celina Martins Ramalho O que é elasticidade? Objetivo Introduzir o conceito de elasticidade, aplicando-o tanto à demanda como à oferta. Entender os determinantes da elasticidade preço da demanda

Leia mais

2 Funcionamento de Mercados em concorrência perfeita

2 Funcionamento de Mercados em concorrência perfeita 2 Funcionamento de Mercados em concorrência perfeita 2.1 Oferta e Demanda o funcionamento dos mercados concorrenciais Roberto Guena USP 9 de abril de 2013 Roberto Guena (USP) Funcionamento de mercado 9

Leia mais

Oferta e Demanda. 4. Oferta e Demanda. Mercado. O Que São os Mercados? Preços. Mercado

Oferta e Demanda. 4. Oferta e Demanda. Mercado. O Que São os Mercados? Preços. Mercado Oferta e Demanda 4. Oferta e Demanda São as duas palavras mais usadas por economistas São as forças que fazem os mercados funcionarem A microeconomia moderna lida com a oferta, demanda e o equilíbrio do

Leia mais

Elasticidade e Análise Marginal

Elasticidade e Análise Marginal GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO CÂMPUS JUAZEIRO/BA COLEG. DE ENG. ELÉTRICA PROF. PEDRO MACÁRIO DE MOURA MATEMÁTICA APLICADA A ADM 2015.2 Discentes CPF

Leia mais

Introdução à Microeconomia. As forças de mercado: oferta e demanda. Danilo Igliori

Introdução à Microeconomia. As forças de mercado: oferta e demanda. Danilo Igliori Introdução à Microeconomia As forças de mercado: oferta e demanda Danilo Igliori (digliori@usp.br) As Forças de Mercado de Oferta e Demanda Oferta e demanda estão entre as palavras que os economistas utilizam

Leia mais

MICROECONOMIA II. Competição Perfeita CAP. 9 Nicholson CAP. 8 e 9 Pindyck CAP. 22, 23 Varian

MICROECONOMIA II. Competição Perfeita CAP. 9 Nicholson CAP. 8 e 9 Pindyck CAP. 22, 23 Varian MICROECONOMIA II Competição Perfeita CAP. 9 Nicholson CAP. 8 e 9 Pindyck CAP. 22, 23 Varian 1. Competição Perfeita Como os preços são determinados em um mercado competitivo? Restrições tecnológicas: Representadas

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 1ª PARTE: Concorrência Perfeita, Concorrência Monopolística, Monopólio e Oligopólio.

LISTA DE EXERCÍCIOS 1ª PARTE: Concorrência Perfeita, Concorrência Monopolística, Monopólio e Oligopólio. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL - UFRGS FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DISCIPLINA: TEORIA MICROECONÔMICA II ESTÁGIO DOCÊNCIA: VÍVIAN DOS SANTOS QUEIROZ PROFESSOR:

Leia mais

Monopólio. Varian cap. 24

Monopólio. Varian cap. 24 Monopólio Varian cap. 24 Introdução Definição: Uma empresa produz uma mercadoria sem substitutos próximos. Monopolista pode obter lucro econômico puro, mesmo no longo prazo. Mas, e novas empresas não são

Leia mais

Demanda. Conceito. Expressa a relação entre as quantidades de um determinado bem ou serviço e seus preços alternativos.

Demanda. Conceito. Expressa a relação entre as quantidades de um determinado bem ou serviço e seus preços alternativos. Demanda Conceito Expressa o desejo que as pessoas têm de consumir bens e serviços aos preços de mercado por unidade de tempo, mantendo-se os outros fatores constantes (ceteris paribus). Expressa a relação

Leia mais

Introdução à Microeconomia

Introdução à Microeconomia Fundamentos de economia: introdução à microeconomia e macroeconomia Prof. Ms. Marco A. Arbex marco.arbex@live.estacio.br Introdução à Microeconomia Blog: www.marcoarbex.wordpress.com Introdução à Microeconomia

Leia mais

LES 456 TEORIA MICROECONÔMICA I GABARITO LISTA DE EXERCÍCIOS 1

LES 456 TEORIA MICROECONÔMICA I GABARITO LISTA DE EXERCÍCIOS 1 LES 456 TEORIA MICROECONÔMICA I GABARITO LISTA DE EXERCÍCIOS 1 Questão 1) a) e b). Com o aumento da demanda, os motoristas aumentarão o preço, pois devido a necessidade, haverá pessoas dispostas a pagar

Leia mais

Capítulo 1: Introdução à Economia

Capítulo 1: Introdução à Economia 1 2 3 Capítulo 1: Introdução à Economia Conceito de Economia Problemas Econômicos Fundamentais Sistemas Econômicos Curva (Fronteira de Possibilidades de Produção. Conceito de Custos de Oportunidade Análise

Leia mais

Lista de Exercícios # 2 - Questões

Lista de Exercícios # 2 - Questões EAE0110 - Fundamentos de Microeconomia Professor: Sergio Almeida Lista de Exercícios # 2 - Questões Níveis de Dificuldade: D1 (Básico), D2 (Intermediário) e D3 (Avançado) Questão 1 (D1): Escreva a fórmula

Leia mais

Finanças Públicas Curso Gabarito

Finanças Públicas Curso Gabarito Finanças úblicas Curso Gabarito arte 1 O Básico Sobre a Oferta e a Demanda e a Eficiência do Sistema de Mercado rof.: Antonio Carlos Assumpção Introdução Aplicações da Análise da Oferta e da Demanda Compreensão

Leia mais

Notas de Aula 5: MONOPÓLIO (Varian cap.23) Uma firma em uma indústria Não há substitutos próximos para o bem que a firma produz Barreiras à entrada

Notas de Aula 5: MONOPÓLIO (Varian cap.23) Uma firma em uma indústria Não há substitutos próximos para o bem que a firma produz Barreiras à entrada TEORIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS DEPARTAMENTO DE ECONOMIA CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DISCIPLINA: TEORIA MICROECONÔMICA II Primeiro Semestre/2001 Professor: Sabino da Silva Porto

Leia mais

Oferta e Procura. Aula 5 Isnard Martins

Oferta e Procura. Aula 5 Isnard Martins Oferta e Procura 5 Aula 5 Isnard Martins Análise da Demanda de Mercado Demanda (ou procura) é a quantidade de determinado bem ou serviço que os consumidores desejam adquirir, num dado período. A Demanda

Leia mais

Noções de Microeconomia

Noções de Microeconomia Noções de Microeconomia Demanda, Oferta e Equilíbrio de Mercado: A Demanda e a Lei da Demanda; A Curva da Demanda; A Oferta e a Lei da Oferta; A Curva da Oferta; Equilíbrio de Mercado; Elasticidades. Introdução

Leia mais

MICROECONOMIA

MICROECONOMIA MICROECONOMIA 01. (Fiscal ISS-SP/98) Se a quantidade demandada de um bem permanece inalterada quando o seu preço aumenta, pode-se concluir que a elasticidade preço deste bem é: a) Menor do que a unidade.

Leia mais

Demanda Muito Elástica

Demanda Muito Elástica A Sensibilidade da Demanda a Preços Um preço P mais baixo tende a aumentar a quantidade demandada Q0 A elasticidade Preço da demanda mede a sensibilidade da quantidade em relação ao preço, ou seja: Elasticidade

Leia mais

Economia Alimentar. Agentes e Circuito Económico

Economia Alimentar. Agentes e Circuito Económico Economia Alimentar Agentes e Circuito Económico Agentes Económicos numa economia simplificada Famílias Empresas Engloba as famílias enquanto unidades de consumo e de fornecimento de trabalho e capital

Leia mais

Economia dos Recursos Naturais. Agentes e Circuito Económico

Economia dos Recursos Naturais. Agentes e Circuito Económico Economia dos Recursos Naturais Agentes e Circuito Económico Agentes Económicos numa economia simplificada Famílias Empresas Engloba as famílias enquanto unidades de consumo e de fornecimento de trabalho

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 3

LISTA DE EXERCÍCIOS 3 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL - UFRGS FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DISCIPLINA: TEORIA MICROECONÔMICA I PROF: Prof. Dr.Giácomo Balbinotto Neto Estágio Docência: Mestranda do PPGE/Economia

Leia mais

CAPTAÇÃO DE VALOR Estratégias de Preço

CAPTAÇÃO DE VALOR Estratégias de Preço CAPTAÇÃO DE VALOR Estratégias de Preço Quem gera receita e despesa no mix? Necessidades Percepção do consumidor Benefícios Captação de Valor Estratégias de Preço Conceito de preço Quantidade de $ que um

Leia mais

FORÇAS DE OFERTA E DEMANDA DOS MERCADOS

FORÇAS DE OFERTA E DEMANDA DOS MERCADOS FORÇAS DE OFERTA E DEMANDA DOS MERCADOS OBJETIVO GERAL Apresentar os movimentos de mercado como resultado das forças de oferta e demanda, e o papel dos preços nesta dinâmica. OBJETIVOS ESECÍFICOS Apresentar

Leia mais

O conceito de elasticidade é usado para medir a reação das pessoas frente a mudanças em variáveis econômicas.

O conceito de elasticidade é usado para medir a reação das pessoas frente a mudanças em variáveis econômicas. Elasticidades O conceito de elasticidade é usado para medir a reação das pessoas frente a mudanças em variáveis econômicas. Por exemplo: para alguns bens os consumidores reagem bastante quando o preço

Leia mais

FORÇAS DE OFERTA E DEMANDA DOS MERCADOS

FORÇAS DE OFERTA E DEMANDA DOS MERCADOS FORÇAS DE OFERTA E DEMANDA DOS MERCADOS OBJETIVO GERAL Apresentar os movimentos de mercado como resultado das forças de oferta e demanda, e o papel dos preços nesta dinâmica. OBJETIVOS ESECÍFICOS Apresentar

Leia mais

ão: Custos da Tributação

ão: Custos da Tributação Aplicação ão: Custos da Tributação Introdução à Economia Mankiw, N.G. Capítulo 8 Copyright 2001 by Harcourt, Inc. All rights reserved. Requests for permission to make copies of any part of the work should

Leia mais

Microeconomia. 2. Procura, Excedente do Consumidor e Elasticidades. Francisco Lima

Microeconomia. 2. Procura, Excedente do Consumidor e Elasticidades. Francisco Lima Microeconomia 2. Procura, Excedente do Consumidor e Elasticidades Francisco Lima 1º ano 2º semestre 2013/2014 Licenciatura em Engenharia e Gestão Industrial Objetivos Conhecer os principais determinantes

Leia mais

Aula 00 Aula Demonstrativa

Aula 00 Aula Demonstrativa Aula 00 Aula Demonstrativa Olá! Apresento a você o curso de Noções de Economia, versão 2015, voltado exclusivamente para a prova de Agente da Polícia Federal. Antes de elucidar de forma pormenorizada a

Leia mais

Noções de Economia Agente da PF Aula 00 - Aula Demonstrativa

Noções de Economia Agente da PF Aula 00 - Aula Demonstrativa www.pontodosconcursos.com.br 1 Aula 00 Aula Demonstrativa Olá! Apresento a você o novo curso de Noções de Economia, preparatório para a prova de Agente da Polícia Federal. Com as recentes notícias veiculadas

Leia mais

Variáveis que afetam a demanda 1

Variáveis que afetam a demanda 1 Variáveis que afetam a demanda 1 A demanda de um bem ou serviço pode ser afetada por muitos fatores, tais como: Riqueza (e sua distribuição); Renda (e sua distribuição); Preço dos outros bens; Fatores

Leia mais

Microeconomia I. Bibliografia. Mercado. Arilton Teixeira Mankiw, cap 4. Pindyck and Rubenfeld, caps. 2 e 4

Microeconomia I. Bibliografia. Mercado. Arilton Teixeira Mankiw, cap 4. Pindyck and Rubenfeld, caps. 2 e 4 Microeconomia I Arilton Teixeira arilton@fucape.br 2012 1 Bibliografia Mankiw, cap 4. Pindyck and Rubenfeld, caps. 2 e 4 2 Mercado Definição: É o conjunto de agentes, compradores e vendedores, que negociam

Leia mais

NOME: NÚMERO: GRUPO I (8 valores)

NOME: NÚMERO: GRUPO I (8 valores) Universidade do Minho Curso de Comunicação Social Disciplina de Economia 3 de Junho de 2002 PROVA DE AVALIAÇÃO NOME: NÚMERO: Observações obrigatórias - antes de começar a responder, siga as seguintes instruções:

Leia mais