Manual do Procedimento Comum Ordinário Cível da SJPE. BizAgi Process Modeler

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual do Procedimento Comum Ordinário Cível da SJPE. BizAgi Process Modeler"

Transcrição

1 Manual do Procedimento Comum Ordinário Cível da SJPE BizAgi Process Modeler

2 Índice Procedimento Comum Ordinário Cível... 8 Procedimento comum ordinário...9 Elementos do processo Receber inicial Cadastrar inical Verificar a existência de prevenção Tem prevenção? Emitir Despacho Distribuir para Vara Preventa Proceder a livre distribuição Analisar a petição inicial O juízo é competente? Declinar da competência Aguardar prazo de recurso Exerce juízo de retratação Baixar o processo Remeter ao juízo competente A inicial está apta? Pode ser emendada? Determinar a emenda Aguardar prazo para emenda A emenda atende a determinação? Indeferir a inicial É caso do Art. 285-A?

3 27. Existe pedido de tutela antecipada? Proferir o despacho inicial Ouvir a parte contrária? Determinar a manifestação do réu sobre o pedido de tutela Aguardar prazo de resposta Proferir despacho inicial com decisão sobre a tutela antecipada Aguardar prazo para resposta Houve resposta? Certificar decurso de prazo sem resposta Analisar a contestação Foi tempestiva? Houve preliminar, doc. novo ou prejudicial? Abrir vista ao autor para manifestação sobre a defesa (réplica) Aguardar prazo Julgar conforme o estado do processo Há possibilidade de conciliação? Marcar audiência Realizar audiência preliminar Houve acordo? Proferir sentença homologatória (trânsito) Houve execução? Mudar a classe (Execução) Baixar o processo É matéria apenas de direito? Produzir provas Proferir a sentença

4 58. Aguardar prazo de recurso Houve recurso? Há remessa necessária? Remeter os autos ao TRF Certificar trânsito em julgado Houve condenação? Promover execução Foi tempestivo? Negar seguimento à apelação Houve agravo? Exerce juízo de retratação? Decidir acerca do seguimento processual Houve suspensão? Aguardar o trânsito em julgado do A.I Houve reforma da decisão? Preparo realizado ou desnecessário? Determinar o recolhimento de custas Aguardar prazo Atendeu à determinação? Decidir recurso deserto Houve agravo? Exerce juízo de retratação? Decidir acerca do seguimento processual Houve suspensão? Aguardar o trânsito em julgado do A.I Houve reforma da decisão?

5 96. Receber apelação Remeter aos autos ao TRF Produzir provas Receber apelação Produzir provas...31 Produzir provas Elementos do processo Analisar qual tipo de prova Há necessidade de novos documentos? Determinar a apresentação de documentos Aguardar prazo de apresentação Apresentou documentos? Determinar medidas coercitivas ou subrogatórias Aguardar prazo de apresentação Dar vista às partes Aguardar prazo de devolução dos autos Há necessidade de perícia? Nomear perito Aguardar prazo para apresentação do laudo Intimar para falar do laudo Houve pedido de esclarecimento? Solicitar esclarecimento Aguardar prazo para esclarecimento Manifestar sobre esclarecimento Aguardar resposta Decidir sobre a perícia

6 21. Houve satisfação da perícia? Há necessidade de audiência? Marcar audiência de Instrução e Julgamento Realizar Audiência de Instrução e Julgamento Há razões finais? Aguardar prazo para razões finais...39 Receber apelação...40 Receber apelação Elementos do processo Verificar a necessidade de citação/intimação da parte contrária Citar/ Intimar a parte contrária? Ag. prazo contrarrazões e contestação Houve recurso adesivo? Foi tempestivo? Negar seguimento à apelação adesiva Houve agravo? Exerce juízo de retratação? Preparo realizado ou desnecessário? Determinar o recolhimento de custas Aguardar prazo Atende determinação? Decidir recurso adesivo deserto Ag. prazo de concessão ef. suspensivo Houve efeito suspensivo? Receber apelação adesiva Determinar contrarrazões a parte contrária

7 20. Aguardar prazo Houve desistência do recurso principal? Participantes

8 Procedimento Comum Ordinário Cível Versão : 1.1 Autor : SJPE Validadores/executores entrevistados Magistrados e Diretores da 1ª, 2ª, 3ª, 5ª, 6ª, 7ª, 8ª, 9ª, 10ª, 12ª, 16ª, 17ª, 18ª, 20ª, 21ª VF da SJPE. Mapeadores 1 - Juliana Lemos - Escritório Seccional de Processos (SJPE); 2 - Geraldo Alves da Silva Júnior - Escritório Regional de Processos. Data de criação 30/09/2010 Histórico de revisão 07/12/ Inclusão de Unidade Judiciária no campo "Validadores/executores entrevistados". 8

9 Procedimento comum ordinário Elementos do processo 01. Receber inicial Protocolizar e analisar a petição e a documentação essencial ao ajuizamento, atribuindo numeração e capa. Servidor 02. Cadastrar inical Cadastrar em sistema informatizado os dados básicos (classe, competência, assunto, protocolo e valor da causa), partes e complementos. Servidor 03. Verificar a existência de prevenção Verificar se há a possibilidade de conexão, continência ou eventual litispendência em relação a outros feitos. Servidor 04. Tem prevenção? 9

10 Não 05. Emitir Despacho Verificada pelo sistema a existência de eventual prevenção, os autos serão encaminhados para o Distribuidor para decisão. 06. Distribuir para Vara Preventa Reconhecida pelo Distribuidor a hipótese de prevenção, o processo será distribuído para a Vara Preventa. Servidor 07. Proceder a livre distribuição Não reconhecida pelo Distribuidor à hipótese de prevenção o processo será livremente distribuído. Servidor 09. Analisar a petição inicial A análise prévia da petição inicial é feita por servidor designado, que verifica se o processo deve ser enviado ao gabinete ou se será instruído na Secretaria. Referida análise deverá se basear em um checklist. 10

11 Servidor de secretaria Script a) Checklist formal: - Pedido de justiça gratuita; - Prioridade de tramitação; - Defensoria Pública (pedido) - Destaque; - Habilitação; - Recolhimento de custas; - Verificação dados da autuação (partes, classe, objeto, assunto etc...); b) Checklist material - Competência; - Pressupostos processuais; - Condições da ação; - Art. 285-A; - Prescrição; - Pedido de tutela antecipada; - Adequação do valor da causa 10. O juízo é competente? 11. Declinar da competência - Recebendo os autos, o verificará se é competente ou para processar e julgar o feito. Entendendo pela incompetência, declinará em favor do juízo competente. - Nos casos em que o declinar da competência a Secretaria deverá fazer a intimação das partes (se tiver havido contestação ou intimação/notificação da parte promovida) e aguardar na Secretaria da Vara o decurso do prazo. - Verificar após o decurso do prazo se houve ou recurso. Em caso negativo, decorrer o prazo e fazer a remessa dos autos ao Juízo Competente com a devida baixa na Distribuição. - Havendo recurso pendente, antes de promover a baixa e a remessa dos autos, verificar se foi juntada aos autos cópia do recurso no prazo previsto no CPC, e antes de remeter ao Juízo competente com baixa na Distribuição, verificar se foi deferido efeito suspensivo ao recurso através de consulta no site do TRF da 5ª Região. Script CHECKLIST INTIMAÇÃO Envio: - por Diário Oficial: advogados das partes sem prerrogativas - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: perito, partes, autarquias conveniadas - pessoal: ciência nos autos - por AR: testemunhas, partes, peritos Suprimento de intimação: por juntada de petição. 12. Aguardar prazo de recurso 11

12 Prazo em dobro (20 dias) para Fazenda Pública. Ciclo 10 Días 13. Exerce juízo de retratação 15. Baixar o processo Não havendo a interposição de agravo de instrumento ou em havendo sendo emprestado efeito suspensivo, será procedida a baixa. Servidor 16. Remeter ao juízo competente Procedida à baixa, os autos são encaminhados ao juízo competente. Servidor Implementação Servicio Web 18. A inicial está apta? 12

13 19. Pode ser emendada? 20. Determinar a emenda Se da análise da petição inicial o servidor verificar que está ausente algum requisito ou alguns requisitos da Inicial, o servidor deverá elaborar a minuta de despacho indicando especificadamente o que deve ser emendado. O, verificando a existência dos defeitos e irregularidades capazes de dificultar o julgamento do mérito, determinará que o autor a emende ou a complete no prazo de 10 dias. Script CHECKLIST INTIMAÇÃO Envio: - por Diário Oficial: advogados das partes sem prerrogativas - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: perito, partes, autarquias conveniadas - pessoal: ciência nos autos - por AR: testemunhas, partes, peritos Suprimento de intimação: por juntada de petição. 21. Aguardar prazo para emenda Ciclo 10 Días 22. A emenda atende a determinação? 13

14 23. Indeferir a inicial Verificar se o advogado apresentou a emenda da inicial ou apresentou fora do prazo. Nesse caso, o servidor deverá decorrer o prazo ou certificar o descumprimento do despacho anterior e encaminhar o processo para a próxima atividade que é fazer conclusão para sentença para o indeferimento da inicial. Verificando que a petição atende aos requisitos do art. 295 do CPC ou que o autor a emendou ou complementou conforme o determinado, o juiz indeferirá a petição inicial. 25. É caso do Art. 285-A? 27. Existe pedido de tutela antecipada? 28. Proferir o despacho inicial Servidor elabora minuta de despacho, utilizando-se do checklista abaixo. Estando em termos a petição inicial, o juiz despachará a petição inicial ordenando a citação do réu. 14

15 Script CHECKLIST INTIMAÇÃO Envio: - por Diário Oficial: advogados das partes sem prerrogativas - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: perito, partes, autarquias conveniadas - pessoal: ciência nos autos - por AR: testemunhas, partes, peritos Suprimento de intimação: por juntada de petição. CHECKLIST CITAÇÃO Envio: - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: partes, órgãos conveniados - pessoal: comparecimento espontâneo - por AR (mão própria): partes - por edital: parte em lugar incerto e sabido 29. Ouvir a parte contrária? Não 30. Determinar a manifestação do réu sobre o pedido de tutela Despacho intimando o réu, em prazo a ser fixado dependendo da urgência, para falar sobre o pedido de tutela antecipada. Script CHECKLIST INTIMAÇÃO Envio: - por Diário Oficial: advogados das partes sem prerrogativas - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: perito, partes, autarquias conveniadas - pessoal: ciência nos autos - por AR: testemunhas, partes, peritos Suprimento de intimação: por juntada de petição. 31. Aguardar prazo de resposta - Prazo de 10 dias é praxe para a manifestação sobre a tutela. - Havendo prazos tanto para citação (contestação) e intimação (manifestação da tutela) estes prazos podem ser distintos, a critério do magistrado, dependendo da urgência. - Prazo para contestação é de 15 dias ou em quádruplo para Fazendo Pública. - Prazo em dobro (30 dias) no caso de dois ou mais réus com advogados diferentes. 15

16 Ciclo 10 Días 33. Proferir despacho inicial com decisão sobre a tutela antecipada Observar o check-list do 28.Despacho Inicial, inserindo no despacho o que couber, com deferimento ou indeferimento do pedido de tutela. Script CHECKLIST INTIMAÇÃO Envio: - por Diário Oficial: advogados das partes sem prerrogativas - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: perito, partes, autarquias conveniadas - pessoal: ciência nos autos - por AR: testemunhas, partes, peritos Suprimento de intimação: por juntada de petição. 34. Aguardar prazo para resposta - Prazo para contestação é de 15 dias ou em quádruplo para a Fazendo Pública. - Prazo em dobro (30 dias) no caso de dois ou mais réus com advogados diferentes. Ciclo 15 Días 35. Houve resposta? 36. Certificar decurso de prazo sem resposta 16

17 - Verificar a contagem do prazo, atentando para os casos de prazo especial, certificando nos autos. - lavrar certidão informando da apresentação ou de reposta por parte do réu. Servidor de secretaria 37. Analisar a contestação Verificar a tempestividade, a existência de preliminares, documento novo e/ou prejudicial. Observar a existência de reconvenção, exceções, impugnações (valor da causa e gratuidade). 38. Foi tempestiva? 39. Houve preliminar, doc. novo ou prejudicial? 40. Abrir vista ao autor para manifestação sobre a defesa (réplica) Ato Ordinatório ou despacho determinando a intimação do autor para falar, no prazo de 10 dias, sobre a contestação apresentada pelo réu. 17

18 Script CHECKLIST INTIMAÇÃO Envio: - por Diário Oficial: advogados das partes sem prerrogativas - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: perito, partes, autarquias conveniadas - pessoal: ciência nos autos - por AR: testemunhas, partes, peritos Suprimento de intimação: por juntada de petição. 41. Aguardar prazo Ciclo 10 Días 43. Julgar conforme o estado do processo Cumpridas as providências preliminares, ou havendo necessidade delas, o juiz proferirá julgamento conforme o estado do processo, observando o que dispõe nos artigos 329 ao 331 do CPC. 44. Há possibilidade de conciliação? Sim 45. Marcar audiência A secretaria designará dia e hora para realização da audiência, intimando as partes para a ela comparecerem. 18

19 Servidor de secretaria Script CHECKLIST INTIMAÇÃO Envio: - por Diário Oficial: advogados das partes sem prerrogativas - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: perito, partes, autarquias conveniadas - pessoal: ciência nos autos - por AR: testemunhas, partes, peritos Suprimento de intimação: por juntada de petição. 46. Realizar audiência preliminar O juiz, verificando que todas as partes foram devidamente intimadas, realizará a audiência tomando por termo os depoimentos das partes e de suas testemunhas e lavrando ao final termo circunstanciado dos atos nela ocorridos. Script CHECKLIST INTIMAÇÃO Envio: - por Diário Oficial: advogados das partes sem prerrogativas - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: perito, partes, autarquias conveniadas - pessoal: ciência nos autos - por AR: testemunhas, partes, peritos Suprimento de intimação: por juntada de petição. 47. Houve acordo? 48. Proferir sentença homologatória (trânsito) Celebrado acordo em audiência, o magistrado proferirá sentença para homologá-lo. 19

20 49. Houve execução? 50. Mudar a classe (Execução) Proceder, no cadastro do processo em sistema informatizado de dados, a alteração do código relativo à classe processual, de modo que passe a constar classe representativa de processo de execução. Servidor de secretaria 52. Baixar o processo Tarefa referenciada 15. Baixar o processo 54. É matéria apenas de direito? Sim 55. Produzir provas Decisão ordenando que as partes apontem as provas que desejam produzir em juízo, 20

21 especificando suas finalidades. Se houver necessidade de prova pericial, verificar na elaboração do despacho o fluxograma próprio. 57. Proferir a sentença Conclusos os autos para o juiz, estando o feito pronto para julgamento, o magistrado proferirá sentença resolvendo o mérito ou extinguindo o feito sem resolução de mérito, observando os requisitos do art. 458 do CPC. Script CHECKLIST INTIMAÇÃO Envio: - por Diário Oficial: advogados das partes sem prerrogativas - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: perito, partes, autarquias conveniadas - pessoal: ciência nos autos - por AR: testemunhas, partes, peritos Suprimento de intimação: por juntada de petição. 58. Aguardar prazo de recurso - Prazo para apelação é de 15 dias; - Prazo em dobro (30 dias) para a Fazenda Pública e nos casos de dois ou mais apelantes com advogados diferentes. Ciclo 15 Días 59. Houve recurso? Não 21

22 60. Há remessa necessária? Não Sim 61. Remeter os autos ao TRF Analisar todo o processo, verificando, primeiramente, se há realmente remessa obrigatória, se houve antecipação de tutela na sentença e, consequentemente, se houve a determinação do cumprimento da tutela; se há diligências pendentes de cumprimento e se as partes foram intimadas da sentença (verificar caso de substituição de patrono), enfim proceder a uma vista geral de todo o processo. Após isso, realizar o envio dos autos ao TRF. Servidor de secretaria Implementação Servicio Web 64. Certificar trânsito em julgado Após a sentença, quando houver recurso de apelação nem for caso de remessa necessária, e findo o prazo da intimação, certificar o trânsito em julgado. Servidor 65. Houve condenação? Sim 22

23 Não 67. Promover execução Ficará a critério do juiz intimar para que o exequente requeira a execução ou aguarde o cumprimento da execução voluntária. Script CHECKLIST INTIMAÇÃO Envio: - por Diário Oficial: advogados das partes sem prerrogativas - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: perito, partes, autarquias conveniadas - pessoal: ciência nos autos - por AR: testemunhas, partes, peritos Suprimento de intimação: por juntada de petição. 69. Foi tempestivo? 70. Negar seguimento à apelação Em despacho fundamentado, o deve negar seguimento à apelação quando for intempestiva, por ser esta uma das condições de admissibilidade do recurso. Dessa decisão caberá recurso de Agravo de Instrumento. Script CHECKLIST INTIMAÇÃO Envio: - por Diário Oficial: advogados das partes sem prerrogativas - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: perito, partes, autarquias conveniadas - pessoal: ciência nos autos - por AR: testemunhas, partes, peritos Suprimento de intimação: por juntada de petição. 23

24 71. Houve agravo? Não 73. Exerce juízo de retratação? 74. Decidir acerca do seguimento processual delibera acerca da suspensão ou do prosseguimento do trâmite do processo. 75. Houve suspensão? Sim Não 76. Aguardar o trânsito em julgado do A.I. 24

25 Prazo da tramitação do Agravo de Instrumento no TRF. Ciclo 0 Días 79. Houve reforma da decisão? Não 81. Preparo realizado ou desnecessário? 82. Determinar o recolhimento de custas Despacho determinando ao apelante o recolhimento das custas processuais, no prazo de 05 dias, sob pena de deserção, nos termos do art. 14, inciso II, da Lei 9289/96. Script CHECKLIST INTIMAÇÃO Envio: - por Diário Oficial: advogados das partes sem prerrogativas - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: perito, partes, autarquias conveniadas - pessoal: ciência nos autos - por AR: testemunhas, partes, peritos Suprimento de intimação: por juntada de petição. 83. Aguardar prazo Ciclo 5 Días 25

26 84. Atendeu à determinação? 85. Decidir recurso deserto Não havendo o recolhimento das custas recursais, mesmo depois de intimado o recorrente para tanto, o juiz julgará deserto o recurso. Script CHECKLIST INTIMAÇÃO Envio: - por Diário Oficial: advogados das partes sem prerrogativas - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: perito, partes, autarquias conveniadas - pessoal: ciência nos autos - por AR: testemunhas, partes, peritos Suprimento de intimação: por juntada de petição. 86. Houve agravo? 89. Exerce juízo de retratação? 26

27 90. Decidir acerca do seguimento processual Tarefa referenciada 74. Decidir acerca do seguimento processual 91. Houve suspensão? Sim Não 92. Aguardar o trânsito em julgado do A.I. Prazo de tramitação do Agravo de Instrumento no TRF. Ciclo 0 Días 93. Houve reforma da decisão? 96. Receber apelação Em despacho fundamentado, o admiti o recurso de apelação, quando satisfeitas condições 27

28 previstas no CPC. locais\temp\bizagiprocessmodeler\ \documentation\attachments\a0fb81e f7-a65c-da67d57 Checklist de intimação e citação D:\Documents and Settings\gasilva\Configurações de intimação e citação.doc 97. Remeter aos autos ao TRF Tarefa referenciada 61. Remeter os autos ao TRF 28

29 55. Produzir provas Decisão ordenando que as partes apontem as provas que desejam produzir em juízo, especificando suas finalidades. Se houver necessidade de prova pericial, verificar na elaboração do despacho o fluxograma próprio. 29

30 96. Receber apelação Em despacho fundamentado, o admiti o recurso de apelação, quando satisfeitas condições previstas no CPC. locais\temp\bizagiprocessmodeler\ \documentation\attachments\a0fb81e f7-a65c-da67d57 Checklist de intimação e citação D:\Documents and Settings\gasilva\Configurações de intimação e citação.doc 30

31 Produzir provas Versão : Autor : 31

32 Produzir provas Elementos do processo 01. Analisar qual tipo de prova 1. Se os elementos de prova apresentados na fase postulatória, sobretudo documentos, foram suficientes para formar a convicção do juiz, urge conceder às partes oportunidade de provarem alegações, ou seja, o fato constitutivo do direito do autor, ou eventual fato impeditivo, modificativo ou extintivo, argüido pelo réu (art. 333,CPC); 2. Toda prova há de ter um objeto, uma finalidade, um destinatário e deverá ser obtida mediante meios e métodos determinados. Os meios legais de prova são os previstos nos artigos 342 a 443 do CPC, mas permite o Código outros meios especificados, desde que moralmente legítimos (art. 332, CPC), como por exemplo, a emprestada; 3. Não dependem de provas os fatos notórios, afirmados por uma parte e confessados pela parte contrária, admitidos no processo como incontroversos, em cujo favor milita presunção legal de existência ou de veracidade (art. 334, CPC). Fatos notórios são os acontecimentos de conhecimento geral, como por exemplo, as datas históricas; 02. Há necessidade de novos documentos? 03. Determinar a apresentação de documentos Entendendo o juiz que se faz necessária à instrução do feito a juntada de documento, ele determinará a exibição deste documento pela parte que o detenha, em 05 (cinco) dias, ou que apresente resposta no mesmo prazo. Tratando-se de documento público, será ele requisitado à 32

33 repartição pública competente. Script CHECKLIST INTIMAÇÃO Envio: - por Diário Oficial: advogados das partes sem prerrogativas - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: perito, partes, autarquias conveniadas - pessoal: ciência nos autos - por AR: testemunhas, partes, peritos Suprimento de intimação: por juntada de petição. 04. Aguardar prazo de apresentação Ciclo 5 Días 05. Apresentou documentos? Não 06. Determinar medidas coercitivas ou subrogatórias - Não havendo a apresentação do documento, conforme a determinação judicial, o juiz apreciará as alegações daquele que estava obrigado a apresentá-lo e, entendendo plausíveis, determinará sua busca e apreensão; - Tratando-se de requisição de documento público apresentado no prazo assinado, o juiz reiterará a ordem, cientificando o requisitado e aplicando-lhe, em caso de novo descumprimento, as penalidades que entender cabíveis (ex: encaminhar cópia autos para MPF para apuração de crime de desobediência etc). Script CHECKLIST INTIMAÇÃO Envio: - por Diário Oficial: advogados das partes sem prerrogativas - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: perito, partes, autarquias conveniadas - 33

34 pessoal: ciência nos autos - por AR: testemunhas, partes, peritos Suprimento de intimação: por juntada de petição. 07. Aguardar prazo de apresentação Prazo determinado pelo juiz. Ciclo 0 Días 09. Dar vista às partes Se o pleito da parte autora está fundamentado em supostos fatos supervenientes, cuja demonstração se pretende através da juntada de documentos novos, o art. 398 do CPC determina a intimação da parte contrária para se manifestar, no prazo de 10 (dez) dias, sobre a pretensão e os documentos novos apresentados pela parte Autora. Script CHECKLIST INTIMAÇÃO Envio: - por Diário Oficial: advogados das partes sem prerrogativas - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: perito, partes, autarquias conveniadas - pessoal: ciência nos autos - por AR: testemunhas, partes, peritos Suprimento de intimação: por juntada de petição. 10. Aguardar prazo de devolução dos autos Ciclo 10 Días 11. Há necessidade de perícia? Sim Não 34

35 12. Nomear perito Designação do perito que atuará nos autos, antentando para as seguintes situações: - Abrir prazo para apresentação de quesitos; - Intimar o perito para formular sua proposta; - Fixar o valor da perícia (avaliar a complexidade e casos de justiça gratuita); - Indicar assistentes técnicos; - Em casos de ausência de fixação de valor de perícia, intimar as partes para falarem sobre a proposta de honorários. Havendo concordância, intimá-la para efetuar o depósito. Havendo discordância encaminhar para apreciação do juiz; - Sempre que possível, agendar pelo telefone/ (certificando nos autos) a data de início dos trabalhos; - Informar ao perito de sua responsabilidade de agendamento com os assistentes técnicos; - Informar ao perito o prazo para conclusão dos trabalhos, cientificando-o de possível renovação do prazo, mediante justificativa por escrito, sem a necessidade de devolução dos autos; - Iniciar a perícia somente após a efetivação do depósito; - Somente liberar a integralidade dos honorários periciais, após os eventuais esclarecimentos prestados pelo perito. Script CHECKLIST INTIMAÇÃO Envio: - por Diário Oficial: advogados das partes sem prerrogativas - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: perito, partes, autarquias conveniadas - pessoal: ciência nos autos - por AR: testemunhas, partes, peritos Suprimento de intimação: por juntada de petição. 13. Aguardar prazo para apresentação do laudo Prazo determinado pelo juiz. Ciclo 0 Días 14. Intimar para falar do laudo Observar o disposto no art. 435 do CPC: A parte, que desejar esclarecimento do perito e do assistente técnico, requererá ao juiz que mande intimá-lo a comparecer à audiência, formulando desde logo as perguntas, sob forma de quesitos. Parágrafo único. O perito e o assistente técnico só estarão obrigados a prestar os esclarecimentos a que se refere este 35

36 artigo, quando intimados 5 (cinco) dias antes da audiência. Script CHECKLIST INTIMAÇÃO Envio: - por Diário Oficial: advogados das partes sem prerrogativas - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: perito, partes, autarquias conveniadas - pessoal: ciência nos autos - por AR: testemunhas, partes, peritos Suprimento de intimação: por juntada de petição. 15. Houve pedido de esclarecimento? Sim Não 16. Solicitar esclarecimento O art. 435 do Código de Ritos estabelece a possibilidade de oitiva do perito, de forma a garantir à parte o direito de serem esclarecidas todas as questões levantadas no laudo pericial. Desejando a parte esclarecimentos do perito, deverá formular seus quesitos na forma estabelecida pelo artigo 435 do C.P.C, ou seja, por escrito e antes da realização da audiência. Caso necessário, o juiz também pode solicitar esclarecimentos ao perito. 17. Aguardar prazo para esclarecimento Prazo determinado pelo juiz. Ciclo 0 Días 36

37 18. Manifestar sobre esclarecimento Dar vista às partes sobre laudo complementar ou esclarecimentos apresentados pelo perito. Script CHECKLIS T INTIMAÇÃO Envio: - por Diário Oficial: advogados das partes sem prerrogativas - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: perito, partes, autarquias conveniadas - pessoal: ciência nos autos - por AR: testemunhas, partes, peritos Suprimento de intimação: por juntada de petição. 19. Aguardar resposta Determinado pelo juiz. Praxe: 05 a 10 dias. Ciclo 0 Días 20. Decidir sobre a perícia Deliberar sobre necessidade de novos esclarecimentos sobre o laudo pericial. 21. Houve satisfação da perícia? Sim Não 37

38 23. Há necessidade de audiência? Sim Não 24. Marcar audiência de Instrução e Julgamento Selecionar dia de acordo com a agenda do juiz, elaborar despacho designando a data e determinando a intimação das partes e testemunhas para a audiência. Servidor de secretaria Script CHECKLIST INTIMAÇÃO Envio: - por Diário Oficial: advogados das partes sem prerrogativas - por remessa: órgãos conveniados - por mandado: perito, partes, autarquias conveniadas - pessoal: ciência nos autos - por AR: testemunhas, partes, peritos Suprimento de intimação: por juntada de petição. 25. Realizar Audiência de Instrução e Julgamento Ouvir as testemunhas e as partes, colhendo seus depoimentos, fazendo as perguntas que julgar necessárias ao esclarecimento da demanda. 26. Há razões finais? Não 38

39 Sim 27. Aguardar prazo para razões finais Prazo de 10 dias sucessivos (iniciando preferencialmente, com o autor). Ciclo 10 Días 39

40 Receber apelação Versão : Autor : 40

41 Receber apelação Elementos do processo 01. Verificar a necessidade de citação/intimação da parte contrária Verificar a necessidade de realização de citação/intimação da parte contrária, observando-se: - A ocorrência do Art. 285-A e demais sentenças c/ mérito s/ citação; - A ocorrência dos casos de sentença s/ mérito e s/ triangularização. Servidor de secretaria 02. Citar/ Intimar a parte contrária? Não 03. Ag. prazo contrarrazões e contestação - 15 dias ples no caso de citação (contrarrazões) e em quádruplo para a Fazenda Pública ou em dobro quando houver dois ou mais réus com advogados diferentes; - 15 dias ples para intimação (contrarrazões) para todos. - Contestação para os casos do Art. 285-A e demais sentenças c/ mérito s/ citação. Ciclo 15 Días 04. Houve recurso adesivo? 41

42 05. Foi tempestivo? 06. Negar seguimento à apelação adesiva Em despacho fundamentado, o deve negar seguimento à apelação adesiva quando for intempestiva, por ser esta uma das condições de admissibilidade do recurso. Dessa decisão caberá recurso de Agravo de Instrumento. 07. Houve agravo? Não 08. Exerce juízo de retratação? 42

43 Não 09. Preparo realizado ou desnecessário? Não 10. Determinar o recolhimento de custas Despacho determinando à parte o recolhimento das custas processuais, no prazo de 05 dias, sob pena de deserção, conforme Lei 9289/ Aguardar prazo Ciclo 5 Días 12. Atende determinação? 13. Decidir recurso adesivo deserto 43

Manual do Procedimento Comum Ordinário Cível da SJCE. BizAgi Process Modeler

Manual do Procedimento Comum Ordinário Cível da SJCE. BizAgi Process Modeler Manual do Procedimento Comum Ordinário Cível da SJCE BizAgi Process Modeler Índice Procedimento Comum Ordinário Cível... 6 Procedimento comum ordinário...7 Elementos do processo...7 01.Receber inicial...

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO - JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe 7ª Vara Federal FLUXOGRAMA 28 - AÇÃO MONITÓRIA

PODER JUDICIÁRIO - JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe 7ª Vara Federal FLUXOGRAMA 28 - AÇÃO MONITÓRIA PODER JUDICIÁRIO - JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe 7ª Vara Federal FLUXOGRAMA 28 - AÇÃO MONITÓRIA INÍCIO análise inicial Verificar a existência de demonstrativo de débito e contrato

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO I FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... 19 CAPÍTULO II - DO PROCESSO CIVIL... 39

SUMÁRIO CAPÍTULO I FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... 19 CAPÍTULO II - DO PROCESSO CIVIL... 39 SUMÁRIO Apresentação da Coleção...15 CAPÍTULO I FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... 19 1. Antecedentes históricos da função de advogado...19 2. O advogado na Constituição Federal...20 3. Lei de regência da

Leia mais

Manual de Rotinas do Procedimento Cível Comum Ordinário. Protocolo

Manual de Rotinas do Procedimento Cível Comum Ordinário. Protocolo 29 Protocolo 2. DISTRIBUIÇÃO A previsão legal dos atos de distribuição e registro está no Código de Processo Civil, nos artigos 251 a 257. A distribuição tem a função de dividir os processos entre juízos

Leia mais

PEDIDO DE VISTA NA INDICAÇÃO Nº 022/2012, RELATIVA AO PROJETO DE LEI Nº 2963/11, DE RELATORIA DO DR. IVAN NUNES FERREIRA.

PEDIDO DE VISTA NA INDICAÇÃO Nº 022/2012, RELATIVA AO PROJETO DE LEI Nº 2963/11, DE RELATORIA DO DR. IVAN NUNES FERREIRA. PEDIDO DE VISTA NA INDICAÇÃO Nº 022/2012, RELATIVA AO PROJETO DE LEI Nº 2963/11, DE RELATORIA DO DR. IVAN NUNES FERREIRA. VOTO DE VISTA: FAUZI AMIM SALMEM PELA APROVAÇÃO DO RELATÓRIO, COM AS SEGUINTES

Leia mais

PROVIMENTO CONJUNTO Nº 13, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2014.

PROVIMENTO CONJUNTO Nº 13, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2014. PROVIMENTO CONJUNTO Nº 13, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2014. Regulamenta os procedimentos a serem adotados no âmbito da Justiça do Trabalho da 4ª Região em virtude da implantação do PJe- JT, revoga o Provimento

Leia mais

O PROCESSO JUDICIAL E A PERÍCIA - CONSIDERAÇÕES INICIAIS

O PROCESSO JUDICIAL E A PERÍCIA - CONSIDERAÇÕES INICIAIS Curso de Avaliações Prof. Carlos Aurélio Nadal cnadal@ufpr.br AULA 01 O PROCESSO JUDICIAL E A PERÍCIA - CONSIDERAÇÕES INICIAIS Conflito de interesses - duas pessoas possuem interesse sobre o mesmo bem

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO: Conceito: é o recurso adequado para a impugnação das decisões que denegarem seguimento a outro recurso.

AGRAVO DE INSTRUMENTO: Conceito: é o recurso adequado para a impugnação das decisões que denegarem seguimento a outro recurso. AGRAVO DE INSTRUMENTO: Conceito: é o recurso adequado para a impugnação das decisões que denegarem seguimento a outro recurso. Por que se diz instrumento: a razão pela qual o recurso se chama agravo de

Leia mais

CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO Rafael Carvalho Rezende Oliveira 2ª para 3ª edição

CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO Rafael Carvalho Rezende Oliveira 2ª para 3ª edição A 3ª edição do livro CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO foi atualizada com o texto do PL de novo CPC enviado pelo Congresso Nacional à sanção presidencial em 24.02.2015. Em razão da renumeração dos artigos

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL CÍVEL DESANTOS Praça Barão do Rio Branco nº 30 - Centro Santos (SP) Fone (13) 3228-1000 PORTARIA N.

PODER JUDICIÁRIO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL CÍVEL DESANTOS Praça Barão do Rio Branco nº 30 - Centro Santos (SP) Fone (13) 3228-1000 PORTARIA N. PODER JUDICIÁRIO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL CÍVEL DESANTOS Praça Barão do Rio Branco nº 30 - Centro Santos (SP) Fone (13) 3228-1000 PORTARIA N. 49/2008 A Doutora Luciana de Souza Sanchez, Juíza Federal Titular,

Leia mais

GABINETE DA CORREGEDORIA SETOR DE CORREIÇÃO/2014 3º JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DO RIO DE JANEIRO JUIZ FEDERAL TITULAR DR. MARCO FALCÃO CRITSINELIS

GABINETE DA CORREGEDORIA SETOR DE CORREIÇÃO/2014 3º JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DO RIO DE JANEIRO JUIZ FEDERAL TITULAR DR. MARCO FALCÃO CRITSINELIS GABINETE DA CORREGEDORIA SETOR DE CORREIÇÃO/2014 3º JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DO RIO DE JANEIRO JUIZ FEDERAL TITULAR DR. MARCO FALCÃO CRITSINELIS Partindo de levantamentos realizados no questionário da

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2015 R E S O L V E:

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2015 R E S O L V E: ESTADO DO PARANÁ INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2015 O Desembargador Fernando Wolff Bodziak, 2º Vice-Presidente e Supervisor-Geral dos Juizados Especiais, no uso de suas atribuições legais e CONSIDERANDO o

Leia mais

Instrução Normativa nº 03, de 11 de setembro de 2006.

Instrução Normativa nº 03, de 11 de setembro de 2006. Instrução Normativa nº 03, de 11 de setembro de 2006. Dispõe sobre o Sistema Integrado de Protocolização e Fluxo de Documentos Eletrônicos do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região (e-doc). O Juiz-Presidente

Leia mais

MANUAL DAS AÇÕES ESPECIAIS

MANUAL DAS AÇÕES ESPECIAIS MANUAL DAS AÇÕES ESPECIAIS Vera Lúcia Feil Ponciano Juíza Federal da 9ª Vara da Seção Judiciária do Paraná Elaboração MANUAIS DE PROCEDIMENTOS DA JUSTIÇA FEDERAL, 8 JULHO DE 2001 SUMÁRIO Apresentação PARTE

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 2ª TURMA RECURSAL JUÍZO C

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 2ª TURMA RECURSAL JUÍZO C JUIZADO ESPECIAL (PROCESSO ELETRÔNICO) Nº201070500071489/PR RELATORA : Juíza Ana Carine Busato Daros RECORRENTE : FRANCISCA DE OLIVEIRA RODRIGUES RECORRIDA : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL VOTO DIVERGENTE

Leia mais

1. PRINCÍPIOS DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS art. 62 da Lei 9.009/95 2. OBJETIVOS DO JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL

1. PRINCÍPIOS DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS art. 62 da Lei 9.009/95 2. OBJETIVOS DO JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL 1 PROCESSO PENAL PROCESSO PENAL PONTO 1: Princípios dos Juizados Especiais Criminais PONTO 2: Objetivos PONTO 3: Competência PONTO 4: Fase Policial PONTO 5: Fase Judicial PONTO 6: Recursos PONTO 7: Atos

Leia mais

Agrupadores. GESTÃO DE VARA ELETRÔNICA - PJE Jessiane Carla Siqueira Moreira Assessoria de Apoio à Primeira Instância JUIZ E SEUS ASSISTENTES

Agrupadores. GESTÃO DE VARA ELETRÔNICA - PJE Jessiane Carla Siqueira Moreira Assessoria de Apoio à Primeira Instância JUIZ E SEUS ASSISTENTES Agrupadores JUIZ E SEUS ASSISTENTES»Processos com pedido liminar ou de antecipação de tutela não apreciado GESTÃO DE VARA ELETRÔNICA - PJE DIRETOR E SEUS ASSISTENTES»Processos com Petições Avulsas»Processos

Leia mais

PROCEDIMENTO. Classificação do procedimento Comum: rito ordinário e rito sumário Especial: de jurisdição contenciosa e de jurisdição voluntária

PROCEDIMENTO. Classificação do procedimento Comum: rito ordinário e rito sumário Especial: de jurisdição contenciosa e de jurisdição voluntária Turma e Ano: Direito Público I (2013) Matéria / Aula: Processo Civil / Aula 20 Professor: Edward Carlyle Monitora: Carolina Meireles PROCEDIMENTO Conceito Corrente clássica: é uma forma material com que

Leia mais

CASTAGNA MAIA ADVOGADOS ASSOCIADOS

CASTAGNA MAIA ADVOGADOS ASSOCIADOS CASTAGNA MAIA ADVOGADOS ASSOCIADOS Luis Antônio Castagna Maia Betânia Hoyos Figueira Vieira Cecília Maria Lapetina Chiaratto Andréia Gomes Ceregatto Janaína Barcellos Anna Carolina Pagano Michel Adam Lima

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO META PRIORITÁRIA 5/2010 TRT da 17ª REGIÃO

MANUAL DE GESTÃO META PRIORITÁRIA 5/2010 TRT da 17ª REGIÃO PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 17ª REGIÃO MANUAL DE GESTÃO META PRIORITÁRIA 5/2010 TRT da 17ª REGIÃO Versão 1 Outubro/2010 1 Sumário 1.Introdução... 1 2.Subprocessos...

Leia mais

Honorários Periciais Judiciais

Honorários Periciais Judiciais Honorários Periciais Judiciais Atualização monetária Juros legais de mora Impugnação aos Cálculos CAROLINE DA CUNHA DINIZ Máster em Medicina Forense pela Universidade de Valência/Espanha Título de especialista

Leia mais

PRESSUPOSTOS SUBJETIVOS DE ADMISSIBILIDADE RECURSAL: - Possui legitimidade para recorrer quem for parte na relação jurídica processual.

PRESSUPOSTOS SUBJETIVOS DE ADMISSIBILIDADE RECURSAL: - Possui legitimidade para recorrer quem for parte na relação jurídica processual. PRESSUPOSTOS SUBJETIVOS DE ADMISSIBILIDADE RECURSAL: - Legitimidade - art. 499 CPC: - Possui legitimidade para recorrer quem for parte na relação jurídica processual. Preposto é parte? Pode recorrer? NÃO.

Leia mais

GABINETE DA CORREGEDORIA SETOR DE CORREIÇÃO/2014

GABINETE DA CORREGEDORIA SETOR DE CORREIÇÃO/2014 GABINETE DA CORREGEDORIA SETOR DE CORREIÇÃO/2014 23ª VARA FEDERAL DO RIO DE JANEIRO JUÍZA FEDERAL TITULAR DRA. MARIA AMELIA ALMEIDA SENOS DE CARVALHO JUÍZA FEDERAL SUBSTITUTA DRA. LUCIANA DA CUNHA VILLAR

Leia mais

DIREÇÃO DO FORO DA COMARCA DE BELO HORIZONTE VARA CÍVEL DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE PORTARIA N 001/2010

DIREÇÃO DO FORO DA COMARCA DE BELO HORIZONTE VARA CÍVEL DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE PORTARIA N 001/2010 DJe de 17/06/2010 (cópia sem assinatura digital) DIREÇÃO DO FORO DA COMARCA DE BELO HORIZONTE VARA CÍVEL DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE PORTARIA N 001/2010 Dispõe quanto ao procedimento de habilitação de pretendentes

Leia mais

4. AÇÃO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS

4. AÇÃO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 4. AÇÃO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 4.1 Conceito - O que é a ação de prestação de contas? 4.2 Ação de dar e ação de exigir contas - A quem compete esta ação? - Trata-se de uma ação dúplice? - Ação de dar contas

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO N.º 13, DE 02 DE OUTUBRO DE 2006. (Alterada pela Res. 111/2014) Regulamenta o art. 8º da Lei Complementar 75/93 e o art. 26 da Lei n.º 8.625/93, disciplinando, no âmbito do Ministério Público,

Leia mais

AUTOR : ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL/OAB SEÇÃO DE PE E OUTRO. Objetos: 01.04.08.07 Telefonia Concessão/Permissão/Autorização Serviços Administrativo

AUTOR : ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL/OAB SEÇÃO DE PE E OUTRO. Objetos: 01.04.08.07 Telefonia Concessão/Permissão/Autorização Serviços Administrativo 0019828 49.2011.4.05.8300 Classe: 1 AÇÃO CIVIL PÚBLICA AUTOR : ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL/OAB SEÇÃO DE PE E OUTRO ADVOGADO: PAULO HENRIQUE LIMEIRA GORDIANO RÉU: TIM NORDESTE TELECOMUNICACOES S.A. E

Leia mais

AÇÃO ORDINÁRIA (PROCEDIMENTO COMUM ORDINÁRIO) Nº 2008.72.01.003023-7/SC AUTOR : REAL PLASTIC LTDA/ ADVOGADO : ROBSON BELLI CAVALLI : ANDRESA AMORIM

AÇÃO ORDINÁRIA (PROCEDIMENTO COMUM ORDINÁRIO) Nº 2008.72.01.003023-7/SC AUTOR : REAL PLASTIC LTDA/ ADVOGADO : ROBSON BELLI CAVALLI : ANDRESA AMORIM AÇÃO ORDINÁRIA (PROCEDIMENTO COMUM ORDINÁRIO) Nº 2008.72.01.003023-7/SC AUTOR : REAL PLASTIC LTDA/ ADVOGADO : ROBSON BELLI CAVALLI : ANDRESA AMORIM RÉU : FORZA IND/ DE PLASTICOS LTDA/ ADVOGADO : SANDRO

Leia mais

LEI Nº 10.259, DE 12 DE JULHO DE 2001.

LEI Nº 10.259, DE 12 DE JULHO DE 2001. LEI Nº 10.259, DE 12 DE JULHO DE 2001. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, Dispõe sobre a instituição dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais no âmbito da Justiça Federal. Faço saber que o Congresso Nacional

Leia mais

Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho

Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho de Orientações do 1º Grau (Incluídas as regras de negócio das informações extraídas do PJe-JT) Versão 1.0 22/07/2015 Revisão e Atualização: Comitê Gestor Nacional

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR NOVO CPC: PERSPECTIVAS PARA A JUSTIÇA BRASILEIRA DO SÉCULO XXI

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR NOVO CPC: PERSPECTIVAS PARA A JUSTIÇA BRASILEIRA DO SÉCULO XXI » Pedro Henrique Meira Figueiredo NOVO CPC: PERSPECTIVAS PARA A JUSTIÇA BRASILEIRA DO SÉCULO XXI O ano de 2010 marcou a comunidade jurídica com a divulgação dos tão esperados anteprojetos do novo Código

Leia mais

A Tutela Provisória no Novo Código de Processo Civil SUMÁRIO

A Tutela Provisória no Novo Código de Processo Civil SUMÁRIO A Tutela Provisória no Novo Código de Processo Civil SUMÁRIO PARTE 1 A TUTELA PROVISÓRIA PREVISTA NO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL A PARTIR DE UMA PERSPECTIVA CRÍTICA... 23 CAPÍTULO I TEORIA GERAL DA TUTELA

Leia mais

O Processo Trabalhista

O Processo Trabalhista Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos Profa. Barbara Mourão O Processo Trabalhista Princípios gerais do processo Constituição Federal de 1988; Código de Processo Civil (CPC). Princípios

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2013.0000250943 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0080413-48.2010.8.26.0002, da Comarca de São Paulo, em que é apelante

Leia mais

Arbitral Foi regulamentada através da lei 9.307/96 e refere-se a perícia realizada no juízo arbitral- instancia criada pela vontade das partes.

Arbitral Foi regulamentada através da lei 9.307/96 e refere-se a perícia realizada no juízo arbitral- instancia criada pela vontade das partes. 1. O que significa a sigla CPC? Código Processo Civil (determina normas da Perícia) 2. Como definir a perícia? A perícia é a prova pericial que demonstra um conjunto de procedimentos técnicos e científicos

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV AULA DIA 25/05/2015 Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA E-mail: tiago_csouza@hotmail.com DIREITO PROCESSUAL PENAL IV Procedimento Sumaríssimo (Lei 9.099/95) - Estabelece a possibilidade de conciliação civil,

Leia mais

MÁXIMA RENDA CORPORATIVA FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII COMUNICAM QUE

MÁXIMA RENDA CORPORATIVA FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII COMUNICAM QUE ATUALIZAÇÃO SOBRE A SITUAÇÃO DAS AÇÕES JUDICIAIS QUE ENVOLVEM OS IMÓVEIS DO FUNDO MÁXIMA RENDA CORPORATIVA FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII CNPJ/MF nº 13.584.584/0001-31 Código ISIN nº BRMXRCCTF005

Leia mais

PORTARIA VT SÃO JOÃO DEL REI N. 1, DE 07 DE MAIO DE 2013

PORTARIA VT SÃO JOÃO DEL REI N. 1, DE 07 DE MAIO DE 2013 TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO PORTARIA VT SÃO JOÃO DEL REI N. 1, DE 07 DE MAIO DE 2013 A Excelentíssima Juíza do Trabalho, Dra. BETZAIDA DA MATTA MACHADO BERSAN, Titular da Vara do Trabalho

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO PROVIMENTO Nº 09, DE 18 NOVEMBRO DE 2010.

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO PROVIMENTO Nº 09, DE 18 NOVEMBRO DE 2010. PROVIMENTO Nº 09, DE 18 NOVEMBRO DE 2010. Disciplina, no âmbito da Justiça do Trabalho da 4ª Região, a digitalização e a remessa de processos através de sistema eletrônico ao Tribunal Superior do Trabalho,

Leia mais

RESOLUÇÃO N 427, DE 20 DE ABRIL DE 2010

RESOLUÇÃO N 427, DE 20 DE ABRIL DE 2010 Publicada no DJE/STF, n. 72, p. 1-2 em 26/4/2010 RESOLUÇÃO N 427, DE 20 DE ABRIL DE 2010 Regulamenta o processo eletrônico no âmbito do Supremo Tribunal Federal e dá outras providências. O PRESIDENTE DO

Leia mais

SISTEMÁTICA DA PERÍCIA NO PROCESSO CIVIL

SISTEMÁTICA DA PERÍCIA NO PROCESSO CIVIL SISTEMÁTICA DA PERÍCIA NO PROCESSO CIVIL SISTEMÁTICA DA PERÍCIA NO PROCESSO CIVIL FASE INICIAL DA PERÍCIA FASE INICIAL DA PERÍCIA DEFERIMENTO DA PROVA PERICIAL N Ã O NOMEAÇÃO DO PERITO SIM A C E I T A

Leia mais

Lei nº 5/99 LEI SOBRE PROCEDIMENTOS NO TRIBUNAL DE CONTAS. Preâmbulo

Lei nº 5/99 LEI SOBRE PROCEDIMENTOS NO TRIBUNAL DE CONTAS. Preâmbulo Lei nº 5/99 LEI SOBRE PROCEDIMENTOS NO TRIBUNAL DE CONTAS Preâmbulo Na sequência da adopção da Lei Orgânica do Tribunal de Contas, tem o presente diploma como escopo fundamental definir o processo atinente

Leia mais

DO PROCEDIMENTO SUMÁRIO. Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO

DO PROCEDIMENTO SUMÁRIO. Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO DO PROCEDIMENTO SUMÁRIO Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO PROCESSO E PROCEDIMENTO PROCEDIMENTO COMUM Art. 271. Aplica-se a todas as causas o procedimento comum, salvo disposição em contrário deste Código

Leia mais

Art. 22 NCPC. Compete, ainda, à autoridade judiciária brasileira processar e julgar as ações:

Art. 22 NCPC. Compete, ainda, à autoridade judiciária brasileira processar e julgar as ações: 1. Jurisdição internacional concorrente Art. 22 NCPC. Compete, ainda, à autoridade judiciária brasileira processar e julgar as ações: I de alimentos, quando: a) o credor tiver domicílio ou residência no

Leia mais

SENTENÇA. Morais Donnangelo Toshiyuki e Gonçalves Advogados Associados Requerido: Ciclame Incorporadora Ltda. e outros

SENTENÇA. Morais Donnangelo Toshiyuki e Gonçalves Advogados Associados Requerido: Ciclame Incorporadora Ltda. e outros fls. 1 SENTENÇA Processo nº: 0128134-22.2012.8.26.0100 Classe - Assunto Procedimento Ordinário - Compromisso Requerente: Morais Donnangelo Toshiyuki e Gonçalves Advogados Associados Requerido: Ciclame

Leia mais

REGULAMENTO Nº 001 Rev.04-A PROCEDIMENTO ARBITRAL NA ÁREA TRABALHISTA

REGULAMENTO Nº 001 Rev.04-A PROCEDIMENTO ARBITRAL NA ÁREA TRABALHISTA TAESP Arbitragem & O Mediação, com sede nesta Capital do Estado de São Paulo, na Rua Santa Isabel, 160 cj.43, nos termos dos Artigos 5º, 13, 3º e 21 da Lei 9.307/96, edita o presente REGULAMENTO PARA PROCEDIMENTOS

Leia mais

EXERCÍCIOS ATO INFRACIONAL.

EXERCÍCIOS ATO INFRACIONAL. EXERCÍCIOS ATO INFRACIONAL. 1.José foi inserido em medida sócio-educativa de internação, com prazo indeterminado. Durante o cumprimento da medida sócio-educativa, já tendo completado dezoito anos, praticou

Leia mais

ALEKSANDER MENDES ZAKIMI Advogado militante; Mestrando em Direito Difusos e Coletivos pela UNIMES; Especialista em Direito Processual Civil

ALEKSANDER MENDES ZAKIMI Advogado militante; Mestrando em Direito Difusos e Coletivos pela UNIMES; Especialista em Direito Processual Civil Curso: Recurso de Embargos de Declaração e Agravo no Processo Civil Sistemática do CPC Vigente e do Novo CPC ALEKSANDER MENDES ZAKIMI Advogado militante; Mestrando em Direito Difusos e Coletivos pela UNIMES;

Leia mais

Petição Inicial. OBS: todas as petições iniciais obedecem aos mesmos requisitos, seja ela de rito ordinário, sumário, cautelar procedimento especial.

Petição Inicial. OBS: todas as petições iniciais obedecem aos mesmos requisitos, seja ela de rito ordinário, sumário, cautelar procedimento especial. Petição Inicial A Petição inicial é a peça por meio da qual o autor provoca a atuação jurisdicional do Estado. A sua redação deverá obedecer a determinados requisitos estabelecidos no artigo 282 do CPC.

Leia mais

Aula VII de Processo Civil II Provas continuação. Prova pericial e inspeção judicial.

Aula VII de Processo Civil II Provas continuação. Prova pericial e inspeção judicial. Aula VII de Processo Civil II Provas continuação. Prova pericial e inspeção judicial. Perícia: na falta do conhecimento especializado ao juiz, este indica um técnico que possa fazer o exame dos fatos objeto

Leia mais

ROTEIRO PARA AUDIÊNCIA DE CONCILIAÇÃO ORIENTAÇÕES PARA CONCILIADORES

ROTEIRO PARA AUDIÊNCIA DE CONCILIAÇÃO ORIENTAÇÕES PARA CONCILIADORES ROTEIRO PARA AUDIÊNCIA DE CONCILIAÇÃO ORIENTAÇÕES PARA CONCILIADORES Juizado Especial Cível Lei 9099/95 Organização: Gladis de Fátima Canelles Piccini Micheline Pinto Bonatto Audiência 1. Pregão Uma vez

Leia mais

autoridade consular brasileira competente, quando homologação de sentença estrangeira: (...) IV - estar autenticada pelo cônsul brasileiro e

autoridade consular brasileira competente, quando homologação de sentença estrangeira: (...) IV - estar autenticada pelo cônsul brasileiro e COMPARATIVO ENTRE A RESOLUÇÃO N. 9 E A EMENDA REGIMENTAL N. 18 DO STJ EMENDA REGIMENTAL N. 18 (2014) RESOLUÇÃO N. 9 (2005) Art. 1º O Regimento Interno do Superior Tribunal de Justiça passa a vigorar acrescido

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS FACULDADE DE DIREITO Direito Processual do Trabalho Profª. Ms. Tatiana Riemann DAS PROVAS

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS FACULDADE DE DIREITO Direito Processual do Trabalho Profª. Ms. Tatiana Riemann DAS PROVAS DAS PROVAS Comprovação das alegações - art. 848, CLT Princípios: a) Princípio do contraditório e ampla defesa direito fundamental de se manifestar reciprocamente sobre as provas apresentadas, bem como,

Leia mais

2 FASE DIREITO CIVIL ESTUDO DIRIGIDO DE PROCESSO CIVIL 2. Prof. Darlan Barroso - GABARITO

2 FASE DIREITO CIVIL ESTUDO DIRIGIDO DE PROCESSO CIVIL 2. Prof. Darlan Barroso - GABARITO Citação 2 FASE DIREITO CIVIL ESTUDO DIRIGIDO DE PROCESSO CIVIL 2 Prof. Darlan Barroso - GABARITO 1) Quais as diferenças na elaboração da petição inicial do rito sumário e do rito ordinário? Ordinário Réu

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Coordenadoria Estadual dos Juizados Especiais

ESTADO DE SANTA CATARINA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Coordenadoria Estadual dos Juizados Especiais ESTADO DE SANTA CATARINA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Coordenadoria Estadual dos Juizados Especiais ENUNCIADOS DO FEJESC Fórum Estadual dos Juizados Especiais E Encontro de Turmas Recursais ENUNCIADOS CÍVEIS Nº

Leia mais

Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.419, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2006. Mensagem de veto Dispõe sobre a informatização do processo judicial; altera a Lei n o 5.869, de 11 de janeiro de 1973

Leia mais

MANUAL DOS PRAZOS PROCESSUAIS: A CONTAGEM DOS PRAZOS NO NOVO CPC 1. MUDANÇAS GERAIS APLICÁVEIS A TODOS OS PRAZOS PROCESSUAIS:

MANUAL DOS PRAZOS PROCESSUAIS: A CONTAGEM DOS PRAZOS NO NOVO CPC 1. MUDANÇAS GERAIS APLICÁVEIS A TODOS OS PRAZOS PROCESSUAIS: MANUAL DOS PRAZOS PROCESSUAIS: A CONTAGEM DOS PRAZOS NO NOVO CPC 1. MUDANÇAS GERAIS APLICÁVEIS A TODOS OS PRAZOS PROCESSUAIS: Mudança no modo de contagem dos prazos: A partir do novo CPC, os prazos processuais

Leia mais

O Procedimento Comum Ordinário

O Procedimento Comum Ordinário PROCESSO CIVIL 07 O Procedimento Comum Ordinário Introdução Noções Gerais Noções Iniciais: No processo de conhecimento o procedimento pode ser comum ou especial. É comum quando não houver disposição especial.

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES FACELI CURSO DE DIREITO

FACULDADES INTEGRADAS DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES FACELI CURSO DE DIREITO FACULDADES INTEGRADAS DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES FACELI CURSO DE DIREITO PRATICA JURIDICA II : FASE DE POSTULAÇÃO AILTON SILVA ANTUNES NILSON DE OLIVEIRA JUNIOR TITO MARÇAL DE OLIVEIRA PEREIRA LINHARES-ES

Leia mais

CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA PROVIMENTO Nº 13/2009.

CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA PROVIMENTO Nº 13/2009. CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA PROVIMENTO Nº 13/2009. DISPÕE SOBRE ATOS DO JUIZ E ATOS ORDINATÓRIOS QUE DEVEM SER PRATICADOS PELO ESCRIVÃO, CHEFE DE SECRETARIA OU SERVIDOR DEVIDAMENTE AUTORIZADO, INDEPENDENTE

Leia mais

ALTERAÇÕES À LEI DE LOCAÇÃO Lei nº. 12.112/2009

ALTERAÇÕES À LEI DE LOCAÇÃO Lei nº. 12.112/2009 ALTERAÇÕES À LEI DE LOCAÇÃO Lei nº. 12.112/2009 SWISSCAM - Câmara de Comércio Suíço-Brasileira - São Paulo, Brasil - 13 de agosto de 2010 MULTA CONTRATUAL Lei nº. 8.245/91 O locatário poderia devolver

Leia mais

PRINCIPAIS PRAZOS NA LEI Nº 6.015, DE 21-12-1973 (Lei dos Registros Públicos)

PRINCIPAIS PRAZOS NA LEI Nº 6.015, DE 21-12-1973 (Lei dos Registros Públicos) PRINCIPAIS PRAZOS NA LEI Nº 6.015, DE 21-12-1973 (Lei dos Registros Públicos) Anotações Art. 106. Sempre que o oficial fizer algum registro ou averbação, deverá, no prazo de cinco dias, anotá-lo nos atos

Leia mais

DA RESPOSTA DO RÉU. Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO

DA RESPOSTA DO RÉU. Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO DA RESPOSTA DO RÉU Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO RESPOSTA DO RÉU CITADO, o réu pode oferecer contestação, exceções processuais e reconvenção, no prazo de 15 dias ( artigo 297, do CPC). Pode, ainda,

Leia mais

ROTEIRO DA LEI DO PROCESSO ELETRÔNICO Ana Amelia Menna Barreto

ROTEIRO DA LEI DO PROCESSO ELETRÔNICO Ana Amelia Menna Barreto ROTEIRO DA LEI DO PROCESSO ELETRÔNICO Ana Amelia Menna Barreto A Lei que instituiu o processo judicial informatizado, em vigor desde março de 2007, aplica-se indistintamente aos processos civil, penal,

Leia mais

PARECER APROVADO PELO PLENO DO CFESS EM 09/09/2010

PARECER APROVADO PELO PLENO DO CFESS EM 09/09/2010 ASSUNTO: Relação do Assistente Social com autoridades do Sistema Judiciário/ Determinações ou exigências emanadas, que não se coadunam com o Código de Ética do Assistente Social e com as normas previstas

Leia mais

DIREÇÃO DO FORO DA COMARCA DE BELO HORIZONTE PORTARIA N 001/2011

DIREÇÃO DO FORO DA COMARCA DE BELO HORIZONTE PORTARIA N 001/2011 DJe de 29/09/2011 (cópia sem assinatura digital) DIREÇÃO DO FORO DA COMARCA DE BELO HORIZONTE PORTARIA N 001/2011 Esclarece quanto ao procedimento de ajuizamento da ação de adoção, diretamente pelos requerentes

Leia mais

RESOLUÇÃO CFN N.º 178/96

RESOLUÇÃO CFN N.º 178/96 RESOLUÇÃO CFN N.º 178/96 INSTITUI O CÓDIGO DE PROCESSAMENTO DISCIPLINAR PARA O NUTRICIONISTA HABILITADO (INSCRITO NO CONSELHO) O Conselho Federal de Nutricionistas (CFN) no uso das atribuições que lhe

Leia mais

Curso Preparatório para o Concurso Público do TRT 12. Noções de Direito Processual Civil Aula 1 Prof. Esp Daniel Teske Corrêa

Curso Preparatório para o Concurso Público do TRT 12. Noções de Direito Processual Civil Aula 1 Prof. Esp Daniel Teske Corrêa Curso Preparatório para o Concurso Público do TRT 12 Noções de Direito Processual Civil Aula 1 Prof. Esp Daniel Teske Corrêa Sumário Jurisdição Competência Ação Partes, Ministério Público e Intervenção

Leia mais

PROVIMENTO N.º CGJ- 03/2010

PROVIMENTO N.º CGJ- 03/2010 PROVIMENTO N.º CGJ- 03/2010 Disciplina a implantação e estabelece normas para o funcionamento do processo judicial eletrônico nas unidades jurisdicionais do Poder Judiciário do Estado do Bahia. A DESEMBARGADORA

Leia mais

A propositura da ação vincula apenas o autor e o juiz, pois somente com a citação é que o réu passa a integrar a relação jurídica processual.

A propositura da ação vincula apenas o autor e o juiz, pois somente com a citação é que o réu passa a integrar a relação jurídica processual. PROCESSO FORMAÇÃO, SUSPENSÃO E EXTINÇÃO DO FORMAÇÃO DO PROCESSO- ocorre com a propositura da ação. Se houver uma só vara, considera-se proposta a ação quando o juiz despacha a petição inicial; se houver

Leia mais

Nova regulamentação do PJe na Justiça Trabalhista. O quê mudou?

Nova regulamentação do PJe na Justiça Trabalhista. O quê mudou? Nova regulamentação do PJe na Justiça Trabalhista. O quê mudou? O Conselho Superior da Justiça do Trabalho editou a nova Resolução 136/2014, revogando a Resolução 94/2012 que regulamenta o sistema PJe-JT

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.259, DE 12 DE JULHO DE 2001. Vigência Regulamento Dispõe sobre a instituição dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais no

Leia mais

PROCESSO DE CONHECIMENTO DO TRABALHO. 6) Processo de Conhecimento. 6.5 Classificação do Pedido

PROCESSO DE CONHECIMENTO DO TRABALHO. 6) Processo de Conhecimento. 6.5 Classificação do Pedido 6.5 Classificação do Pedido o Principal e acessório Pagamento do salário do último mês e juros de mora o Implícito Não expresso: divergência quanto a validade - Exemplo: pedido de recebimento de verbas

Leia mais

COMUNICAÇÃO/CARGA POSTAL

COMUNICAÇÃO/CARGA POSTAL ANEXO I COMUNICAÇÃO/CARGA POSTAL Manual explicativo voltado à realização da carga postal, nos termos da Resolução 9/212/TJSE, e do Convênio nº 5/212, junto à Procuradoria Federal e Procuradoria Federal

Leia mais

Art. 2º Recebidos os ofícios requisitórios (precatórios) da Autarquia, estes serão remetidos, de imediato, à Procuradoria Jurídica.

Art. 2º Recebidos os ofícios requisitórios (precatórios) da Autarquia, estes serão remetidos, de imediato, à Procuradoria Jurídica. NORMA DE EXECUÇÃO/INCRA/Nº 14, DE 31 DE MAIO DE 2001 (Publicação: Diário Oficial n 110-E, de 7/6/2001, seção 1, pág. 123 e Boletim de Serviço n 24, de 11/6/2001) Estabelece procedimentos técnicos e administrativos

Leia mais

As Principais Modificações no Processo Civil. Pedro Henrique Pedrosa Nogueira

As Principais Modificações no Processo Civil. Pedro Henrique Pedrosa Nogueira As Principais Modificações no Processo Civil Pedro Henrique Pedrosa Nogueira PARTE GERAL E PROCEDIMENTO COMUM Valorização do contraditório Distribuição dinâmica do ônus da prova Gestão do procedimento

Leia mais

DECISÃO MONOCRÁTICA CONTRATO DE SEGURO DE VIDA E INVALIDEZ PERMANENTE EM GRUPO. PRESCRIÇÃO. INOCORRÊNCIA. SEGURADO COM LESÃO NEUROLÓGICA QUE

DECISÃO MONOCRÁTICA CONTRATO DE SEGURO DE VIDA E INVALIDEZ PERMANENTE EM GRUPO. PRESCRIÇÃO. INOCORRÊNCIA. SEGURADO COM LESÃO NEUROLÓGICA QUE DÉCIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO N.º 0402603-95.2008.8.19.0001 APELANTE: SULAMÉRICA SEGUROS DE VIDA E PREVIDENCIA APELADO: FRANCISCO DE SOUZA COELHO JUNIOR RELATOR: DES. LINDOLPHO MORAIS MARINHO DECISÃO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO RESOLUÇÃO Nº 221/2011 Regulamenta as atividades da Central de Atendimento, a forma de assinatura eletrônica e a utilização do meio eletrônico para a prática de atos processuais e dá outras providências.

Leia mais

Os atos do juiz podem caracterizar-se como sentença, decisão interlocutória ou despacho. A nossa primeira questão trata da sentença.

Os atos do juiz podem caracterizar-se como sentença, decisão interlocutória ou despacho. A nossa primeira questão trata da sentença. CURSO DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE PROCESSO CIVIL PONTO A PONTO PARA TRIBUNAIS MÓDULO 6 ATOS DAS PARTES E ATOS DO JUIZ. SENTENÇA E COISA JULGADA. Professora: Janaína Noleto Curso Agora Eu Passo () Olá,

Leia mais

Responsabilidade em saúde

Responsabilidade em saúde Responsabilidade em saúde Cível:obrigação de indenização indene de prejuízo Constituição Federal/Código civil/cdc Elementos de responsabilidade Autor Ato Culpa Dano Nexo causal CÓDIGO CIVIL Art. 186 Aquele

Leia mais

RELATÓRIO DAS AÇÕES ANPAF

RELATÓRIO DAS AÇÕES ANPAF RELATÓRIO DAS AÇÕES ANPAF Mandado de Segurança Objeto: evitar descontos dos dias não trabalhados em razão de greve Processo nº: MS 2006.34.00.016937-4 Impetrante: ANPAF, ANAJUR E ANAUNI Impetrado: Procurador-Geral

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XV EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XV EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Tramita perante a 89ª Vara do Trabalho de Curitiba a RT nº 000153-80.2012.5.09.0089, ajuizada em 06/05/2012 por Sérgio Camargo de Oliveira, assistido por advogado

Leia mais

ENUNCIADOS. Suspensão Condicional do Processo. Lei Maria da Penha e Contravenções Penais

ENUNCIADOS. Suspensão Condicional do Processo. Lei Maria da Penha e Contravenções Penais ENUNCIADOS Suspensão Condicional do Processo Enunciado nº 01 (001/2011): Nos casos de crimes de violência doméstica e familiar contra a mulher não se aplica a suspensão condicional do processo. (Aprovado

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 4ª CÂMARA CÍVEL Relator: Desembargador SIDNEY HARTUNG

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 4ª CÂMARA CÍVEL Relator: Desembargador SIDNEY HARTUNG 1 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 4ª CÂMARA CÍVEL Relator: Desembargador SIDNEY HARTUNG APELAÇÃO Nº 0013668-60.2005.8.19.0001 Apelante (réu): EDMUNDO DOS SANTOS SILVA. Apelados (autor):

Leia mais

BENNER MARQUES Material para Estudo

BENNER MARQUES Material para Estudo PRAZOS NO PROCESSO CIVIL Antes de adentrarmos ao prazos processuais necessário saber a regra de contagem e quando começa-se a contar o prazo: CONTANDO O PRAZO PROCESSUAL: Exclui-se o dia da publicação

Leia mais

André Luís Monteiro. Fernanda Medina Pantoja

André Luís Monteiro. Fernanda Medina Pantoja OAB/RJ Comissão de Arbitragem Impactos do Novo Código de Processo Civil na Arbitragem André Luís Monteiro Advogado de Andrade & Fichtner Advogados. Mestrando em Direito Processual Civil pela PUC-SP SP.

Leia mais

Propriedade Industrial e o Papel do Poder Judiciário

Propriedade Industrial e o Papel do Poder Judiciário 196 Propriedade Industrial e o Papel do Poder Judiciário Luiz Alberto Carvalho Alves 1 O direito de propriedade consiste nos atributos concedidos a qualquer sujeito de direito, de usar, gozar, fruir e

Leia mais

TEORIA GERAL DOS PROCEDIMENTOS ESPECIAIS

TEORIA GERAL DOS PROCEDIMENTOS ESPECIAIS Programa de Pós-Graduação em Direito Processual Civil Tema: TEORIA GERAL DOS PROCEDIMENTOS ESPECIAIS 1 I - CONCEITO a) Espécie de procedimento (de conhecimento) Processo de Conhecimento Procedimento Comum

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. Imprimir Nr. do Processo 0517812-51.2014.4.05.8400S Autor ADELMO RIBEIRO DE LIMA

PODER JUDICIÁRIO. Imprimir Nr. do Processo 0517812-51.2014.4.05.8400S Autor ADELMO RIBEIRO DE LIMA 1 de 5 17/03/2015 11:04 PODER JUDICIÁRIO INFORMACÕES SOBRE ESTE DOCUMENTO NUM. 27 Imprimir Nr. do Processo 0517812-51.2014.4.05.8400S Autor ADELMO RIBEIRO DE LIMA Data da Inclusão 12/03/201518:44:13 Réu

Leia mais

PROCESSO: 0000108-40.2010.5.01.0482 - RTOrd A C Ó R D Ã O 4ª Turma

PROCESSO: 0000108-40.2010.5.01.0482 - RTOrd A C Ó R D Ã O 4ª Turma Multa de 40% do FGTS A multa em questão apenas é devida, nos termos da Constituição e da Lei nº 8.036/90, no caso de dispensa imotivada, e não em qualquer outro caso de extinção do contrato de trabalho,

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA o. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOÃO ALVES DA SILVA DECISÃO MONOCRÁTICA AGRAVO DE INSTRUMENTO NQ 001.2010.006903-6/001 RELATOR : Desembargador João Alves da Silva AGRAVANTE

Leia mais

SENTENÇA. Juiz(a) de Direito: Dr(a). Ariane de Fátima Alves Dias Paukoski Simoni

SENTENÇA. Juiz(a) de Direito: Dr(a). Ariane de Fátima Alves Dias Paukoski Simoni fls. 380 SENTENÇA Processo Digital nº: 1018632-69.2014.8.26.0001 Classe - Assunto Procedimento Ordinário - Planos de Saúde Requerente: Edelurdes Teixeira da Costa Requerido: Unimed de Guarulhos - Cooperativa

Leia mais

PROCEDIMENTO SUMÁRIO e SUMARÍSSIMO

PROCEDIMENTO SUMÁRIO e SUMARÍSSIMO PROCEDIMENTO SUMÁRIO e SUMARÍSSIMO 1. Procedimento Sumário e Sumaríssimo 1.1 Generalidades I. Processo de Conhecimento (artigo 272 Livro I): b) Comum: a.1) Ordinário (regra geral) a.2) Sumário (275) b)especiais

Leia mais

PETIÇÃO INICIAL AASP / IBDP - 2015. Daniel Brajal Veiga

PETIÇÃO INICIAL AASP / IBDP - 2015. Daniel Brajal Veiga PETIÇÃO INICIAL AASP / IBDP - 2015 Daniel Brajal Veiga Introdução Algumas novidades que devem ser mencionadas antes do tema: Princípio da Cooperação: Todos os sujeitos do processo devem cooperar entre

Leia mais

FACULDADE ZUMBI DOS PALMARES CURSO DE DIREITO PRÁTICA JURÍDICA

FACULDADE ZUMBI DOS PALMARES CURSO DE DIREITO PRÁTICA JURÍDICA FACULDADE ZUMBI DOS PALMARES CURSO DE DIREITO PRÁTICA JURÍDICA Regras Básicas para as Atividades de Prática Jurídica a partir do ano letivo de 2013 Visitas Orientadas 72 Horas Obrigatórias Visitas Justiça

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0024.12.273016-1/001 Númeração 2730161- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Marcos Lincoln Des.(a) Marcos Lincoln 11/02/2015 23/02/2015 EMENTA: APELAÇÃO

Leia mais

Seção 20 Da Gravação de Audiências

Seção 20 Da Gravação de Audiências Seção 20 Da Gravação de Audiências 2.20.1 Nas audiências criminais, salvo impossibilidade material momentânea, devidamente anotada em ata, o registro dos depoimentos do investigado, do indiciado, do ofendido

Leia mais

Nesses termos, pede deferimento. Uberaba/MG,

Nesses termos, pede deferimento. Uberaba/MG, MERITÍSSIMA JUÍZA DE DIREITO DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA COMARCA DE UBERABA/ MINAS GERAIS. Autos n. 701. Secretaria cível BANCO xxxx., já qualificado nos autos epigrafados da AÇÃO DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da 5ª Região Gabinete do Desembargador Federal Rogério Fialho Moreira

Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da 5ª Região Gabinete do Desembargador Federal Rogério Fialho Moreira RELATOR: DESEMBARGADOR FEDERAL ROGÉRIO FIALHO MOREIRA RELATÓRIO Trata-se de apelação interposta pelo INSS (fls. 83/90), em face da sentença (fls. 79/80), que julgou procedente o pedido de aposentadoria

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 149/2010. O Tribunal de Justiça do Estado do Acre, no uso das atribuições legais,

RESOLUÇÃO Nº 149/2010. O Tribunal de Justiça do Estado do Acre, no uso das atribuições legais, RESOLUÇÃO Nº 149/2010 Autoriza a implantação do Processo Eletrônico no âmbito do Tribunal de Justiça do Estado do Acre e dá outras providências. O Tribunal de Justiça do Estado do Acre, no uso das atribuições

Leia mais