CÂMARA MUNICIPAL DAS CALDAS DA RAINHA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CÂMARA MUNICIPAL DAS CALDAS DA RAINHA"

Transcrição

1 CÂMARA MUNICIPAL DAS CALDAS DA RAINHA Apresentação Pública 05 de Abril 2011

2 PROVERE Programa de Valorização das Estâncias Termais da Região Centro A Candidatura da Estratégia de Eficiência Colectiva surge do aviso da Mais Centro,21 de Outubro 2008 do Eixo 5 Governação e Capitação Institucional A Estratégia té de Eficiênciaiê i Colectiva de Vl Valorização das Estâncias Termais da Região Centro, foi assumida numa lógica de Rede, pretende desenvolver um conjunto de intervenções que visam a valorização económica de um recurso endógeno inimitáveli itá eemblemático Estâncias Termais. Esta estratégia foi enquadrada na área temática recursos naturais para aplicações não convencionais de valor e abrange um conjunto de projectos focalizados nas águas minerais como elemento central. PROVER RE Objectivos Estratégicos : 1. Reforço da competitividade, através da requalificação e sofisticação da oferta; 2. Estruturação de produtos turísticos compósitos; 3. Introdução de uma Rede de Estâncias Termais; 4. Implementação de um Plano de Marketing; 5. Requalificação da envolvente natural e edificada das Estâncias Termais; 6. Aposta na Certificação da Qualidade e aposta na Investigação.

3 PROVERE Programa de Valorização das Estâncias Termais da Região Centro Esta Estratégia de Eficiência Colectiva abrange 16 das 20 Estâncias Termais da Região Centro: Curia, Vale de Mó, Luso, Monfortinho, Sangemil, Alcafache, Fonte Santa, Caldas da Rainha, Cró, São Pedro do Sul, Carvalhal, Salgadas, Manteigas, Felgueiras, Longroiva e Vimieiro. Abrange também 15 Municípios: Anadia, Mealhada, Idanha-a-Nova, Tondela, Viseu, Almeida, Caldas da Rainha, Sabugal, São Pedro do Sul, Castro Daire, Batalha, Manteigas, Nelas, Meda e Torres Vedras. RE PROVER

4 PROVERE Programa de Valorização das Estâncias Termais da Região Centro Projectos do Centro Hospitalar das Caldas da Rainha Recuperação, Modernização e Divulgação do Hospital Termal euros Projectos Municipais inseridos na Estratégia de Eficiência Colectiva Qualificação da Envolvente da Estância Termal ,00 euros Divulgação da Estância Termal e sua Envolvente euros PROVER RE Princípios Orientadores dos Projectos Relevar as memórias, as tradições locais, os costumes, características culturais que possam ter sido perdidas; Significado do Largo na Estratégia de Eficiência Colectiva, nomeadamente com o projecto do Centro Hospitalar das Caldas da Rainha; Relação entre o espaços envolventes e o ambiente construído; Elementos urbanos dissonantes; Hierarquia dos espaços e criação de condições de mobilidade para todos; Articulação e remodelação das infra-estruturas; Criação de metodologias de divulgação e promoção da área.

5 PROVERE

6 PROVERE

7 O 1º Núcleo urbano das Caldas da Rainha era composto por: 1 Nascentes das Águas Termais 3 Terreiro do Espírito Santo (actual largo João de Deus) 5 Ermida se São Silvestre 6 Ermida do Espírito Santos 7 - Albergaria Núcleo Medieval, fonte Dissertação de mestrado Uma vila que gravita em redor de uma instituição assistencial de Miguel Nuno Serieiro Duarte Estrutura Urbana das Caldas da Rainha em Praça Nova (actual Largo Rainha D. Leonor) 2 Rua Nova (actual Rua Rafael Bordallo Pinheiro) 4 Terreiro do Espírito Santo (actual Largo João de Deus) 6 Rua à Volta dos Sinos ( actual Rua Rodrigo Berquó) Estrutura Urbana fonte fonte Dissertação de mestrado Uma vila que gravita em redor de uma instituição assistencial de Miguel Nuno Serieiro Duarte

8 Necessidade de implementar um plano de urbanização da cidade. Hospital Termal passa a ser o centro do desenvolvimento do aglomerado urbano. Triangulo entre Rua Rafael Bordalo Pinheiro, Rua Rodrigo Berquó e Largo João de Deus circunscreviam o primeiro espaço urbanizado da povoação. Paralelamente com a expansão para norte existe uma constante alteração das tipologias da habitação e o primeiro núcleo urbano sofre fortes alterações. O Largo Rainha D. Leonor (na altura praça nova) funcionava como sala de visitas da vila. Servia de articulação de vários arruamentos e das vias regionais principais que cruzavam o centro urbano. Estrutura Urbana fonte fonte Dissertação de mestrado Uma vila que gravita em redor de uma instituição assistencial de Miguel Nuno Serieiro Duarte

9 Com a expansão urbana das Caldas a Praça nova perde importância no panorama urbano e passa a Praça do Hospital (1656), Praça Velha (1742), Largo da Copa (1894) e finalmente Largo Rainha D. Leonor(1898). É definido um novo núcleo urbano sendo aactualpraçadafrutaestenovofoco do desenvolvimento Urbano das Caldas da Rainha Estrutura Urbana fonte fonte Dissertação de mestrado Uma vila que gravita em redor de uma instituição assistencial de Miguel Nuno Serieiro Duarte

10 RAINHA D. LEONOR

11 RAINHA D. LEONOR

12 RAINHA D. LEONOR

13 RAINHA D. LEONOR

14 RAINHA D. LEONOR

15 JOÃO DE DEUS

16 JOÃO DE DEUS

17 JOÃO DE DEUS

18 JOÃO DE DEUS

19 JOÃO DE DEUS

20 JOÃO DE DEUS

21 JOÃO DE DEUS

22 JOÃO DE DEUS

23 AREAA TOTAL DO PROVERE

EEC - PROVERE. Valorização Económica das Estâncias Termais da Região Centro. 28 de Outubro de 2009 Trancoso

EEC - PROVERE. Valorização Económica das Estâncias Termais da Região Centro. 28 de Outubro de 2009 Trancoso EEC - PROVERE Valorização Económica das Estâncias Termais da Região Centro 28 de Outubro de 2009 Trancoso Termas do Vimeiro Hospital Termal das Caldas da Rainha Termas das Salgadas (Batalha) Termas de

Leia mais

Plano de Gestão das Bacias Hidrográficas dos rios Vouga, Mondego e Lis OBJECTIVOS DO DESENVOLVIMENTO DE CENÁRIOS PROSPECTIVOS.

Plano de Gestão das Bacias Hidrográficas dos rios Vouga, Mondego e Lis OBJECTIVOS DO DESENVOLVIMENTO DE CENÁRIOS PROSPECTIVOS. Plano de Gestão das Bacias Hidrográficas dos rios Vouga, Mondego e Lis Índice da Apresentação OBJECTIVOS DO DESENVOLVIMENTO DE CENÁRIOS PROSPECTIVOS. RAZÕES SOCIO-ECONÓMICAS, ENTRE OUTRAS, QUE JUSTIFIQUEM

Leia mais

Índice -2- Introdução. Distribuição regional da oferta por NUTS II. Motivação da procura. Sazonalidade dos movimentos

Índice -2- Introdução. Distribuição regional da oferta por NUTS II. Motivação da procura. Sazonalidade dos movimentos Termas em Portugal 2006 Índice Introdução Distribuição regional da oferta por NUTS II Motivação da procura Sazonalidade dos movimentos Distribuição das inscrições por estância termal Permanência média

Leia mais

Programa Operacional Regional do Centro Isabel Damasceno

Programa Operacional Regional do Centro Isabel Damasceno Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020 Isabel Damasceno Vogal Executiva do Programa CENTRO 2020 PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO CENTRO 2014-2020 Dotação financeira: 2.155 M FEDER: 1.751 M FEDER

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO Índice Introdução Distribuição Regional da Oferta Motivação da Procura Sazonalidade dos Movimentos nas Estâncias Termais Conceitos Anexos Movimento nas Estâncias Termais

Leia mais

Nova Rede de Urgências

Nova Rede de Urgências Nova Rede de Urgências Objectivos Reunião da Comissão Técnica com a Comunicação Social O processo de definição da Rede de Urgências A Comissão Técnica de Apoio ao Processo de Requalificação das Urgências

Leia mais

Programa Operacional Regional do Alentejo/Estratégia Regional de Especialização Inteligente. Financiamento de projetos para Cidades Analíticas

Programa Operacional Regional do Alentejo/Estratégia Regional de Especialização Inteligente. Financiamento de projetos para Cidades Analíticas Programa Operacional Regional do Alentejo/Estratégia Regional de Especialização Inteligente Financiamento de projetos para Cidades Analíticas Rio Maior 13 de Março 2015 Estratégia Regional de Especialização

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação

Sistema de Incentivos à Inovação Sistema de Incentivos à Inovação Inovação Produtiva e Empreendedorismo Qualificado até concursos abertos 26 de abril de 2012 sistema de incentivos à inovação Inovação Produtiva e Empreendedorismo Qualificado

Leia mais

Realizado por: Maria Leonor Silva Coordenado por: Teresinha Duarte

Realizado por: Maria Leonor Silva Coordenado por: Teresinha Duarte Realizado por: Maria Leonor Silva Coordenado por: Teresinha Duarte 1. Índice 1. Introdução 2. Inscrições e Receitas nas Estâncias Termais Portuguesas 3. Inscrições de Estrangeiros nas Estâncias Termais

Leia mais

CENTRO 2020 E O INVESTIMENTO NAS CIDADES. Isabel Damasceno, Vogal Executiva do Centro2020 CCDRC,

CENTRO 2020 E O INVESTIMENTO NAS CIDADES. Isabel Damasceno, Vogal Executiva do Centro2020 CCDRC, CENTRO 2020 E O INVESTIMENTO NAS CIDADES Isabel Damasceno, Vogal Executiva do Centro2020 CCDRC, 23.11.2016 ÍNDICE 1- Evolução da visão estratégica para as cidades 2- Evolução das Políticas Urbanas e de

Leia mais

PROJECTOS DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO DA REGIÃO DO NORTE

PROJECTOS DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO DA REGIÃO DO NORTE PROJECTOS DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO O desenvolvimento turístico da Região Norte constitui uma aposta fundamental e distintiva do ON.2 O Novo Norte (Programa Operacional Regional do Norte). Essa aposta

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de Acompanhamento, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de Acompanhamento, sendo composto por duas partes: EIXO 1 COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE APOIO A INFRA-ESTRUTURAS CIENTÍFICAS E TECNOLÓGICAS O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de

Leia mais

Valorização da pedra portuguesa Adding Value to portuguese dimension stone. Vitor Vasques, Associação Valor Pedra

Valorização da pedra portuguesa Adding Value to portuguese dimension stone. Vitor Vasques, Associação Valor Pedra INICIATIVA MATÉRIAS PRIMAS: RUMO AO FORNECIMENTO SEGURO E À GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS MINERAIS EUROPEUS 23 de Fevereiro de 2010 Raw Materials Initiative: towards to mineral resources secure supply

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013

Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013 Cooperação Territorial Europeia 2007/2013 Que oportunidades para Lisboa e Vale do Tejo? Centro Cultural de Belém 31 de Março 2008 Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013 Cooperação territorial

Leia mais

Castelos e Muralhas do Mondego

Castelos e Muralhas do Mondego Castelos e Muralhas do Mondego Pensar o futuro das cidades e dos territórios Uma oportunidade única de construir uma visão de futuro para uma cidade ou território, em torno da qual se agregarão diferentes

Leia mais

Anexo 1. Objectivo Central, Objectivos Estratégicos (OE) e Linhas de Orientação do PEGC OBJECTIVO CENTRAL

Anexo 1. Objectivo Central, Objectivos Estratégicos (OE) e Linhas de Orientação do PEGC OBJECTIVO CENTRAL ANEXOS Anexo 1. Objectivo Central, Objectivos Estratégicos (OE) e Linhas de Orientação do PEGC OBJECTIVO CENTRAL Desenvolver e criar um espaço dinâmico a nível económico, social e cultural, actuando ao

Leia mais

«Reabilitação Urbana como Oportunidade de Negócio»

«Reabilitação Urbana como Oportunidade de Negócio» «Reabilitação Urbana como Oportunidade de Negócio» 12 DE NOVEMBRO DE 2015 FBB_ Coimbra 1 POLÍTICA PÚBLICA DIRIGIDA AOS CENTROS URBANOS «O PASSADO» POLIS XXI QREN Programas Regionais PRU Parcerias para

Leia mais

- Grupo de Acção Local credenciado para a gestão do Sub-Programa 3 do PRODER em Terras de Santa Maria. - Investimento Total aprovado para a

- Grupo de Acção Local credenciado para a gestão do Sub-Programa 3 do PRODER em Terras de Santa Maria. - Investimento Total aprovado para a - Grupo de Acção Local credenciado para a gestão do Sub-Programa 3 do PRODER em Terras de Santa Maria - Investimento Total aprovado para a implementação da Estratégia Local de Desenvolvimento: 13, 5 milhões

Leia mais

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Eixo Prioritário 4 Protecção e Valorização Ambiental ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO E QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL Centro-VQA-2009-13-BM-13 1 Nos termos do Regulamento Específico Acções

Leia mais

Define as orientações fundamentais para a utilização nacional dos fundos comunitários para o período de

Define as orientações fundamentais para a utilização nacional dos fundos comunitários para o período de QREN: Uma oportunidade para potenciar a inovação nas empresas O que é o QREN? Define as orientações fundamentais para a utilização nacional dos fundos comunitários para o período de 2007-2013. As suas

Leia mais

Comunicar. Estamos. a Mudar Cabo Verde. Jornal. Administração Pública.

Comunicar. Estamos. a Mudar Cabo Verde. Jornal. Administração Pública. Jornal Comunicar Administração Pública www.governo.cv Governo de Cabo Verde Edição Gratuita Mensal nº19 Outubro de 2010 Edição Especial www.governo.cv Estamos a Mudar Cabo Verde José Maria Neves, Primeiro

Leia mais

Património e urbanismo sustentável os desafios da cidade compacta

Património e urbanismo sustentável os desafios da cidade compacta Património e urbanismo sustentável os desafios da cidade compacta Eduardo d Bit Brito Henriques Presidente da CCDR LVT Seminário Território A Memória do Futuro DGT, 28 setembro 2012 Fonte: Urban Task Force

Leia mais

Plataformas Supraconcelhias Centro Atualizado em:

Plataformas Supraconcelhias Centro Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL Plataformas Supraconcelhias Centro Atualizado em: 17-11-2014 Plataformas Supraconcelhias As Plataformas Territoriais, como órgão da Rede Social, foram criadas com o objetivo de reforçar

Leia mais

O PEDU é, ainda, o elemento agregador de três instrumentos de planeamento, que suportam cada uma daquelas prioridades de investimento:

O PEDU é, ainda, o elemento agregador de três instrumentos de planeamento, que suportam cada uma daquelas prioridades de investimento: APRESENTAÇÃO ENQUADRAMENTO Do Acordo de Parceria Portugal 2020, adotado entre Portugal e a Comissão Europeia, e dos Programas Operacionais Regionais resultou que os Municípios que correspondessem a centros

Leia mais

CENTRO 2020 E O INVESTIMENTO NAS CIDADES

CENTRO 2020 E O INVESTIMENTO NAS CIDADES CENTRO 2020 E O INVESTIMENTO NAS CIDADES Ana Abrunhosa Presidente da Comissão Diretiva do Centro 2020 ÍNDICE 1- Evolução da visão estratégica para as cidades 2- Evolução das Políticas Urbanas e de Regeneração

Leia mais

A Direcção Regional do Centro do Instituto Nacional de Estatística (INE) apresenta os Resultados Preliminares dos Censos 2001.

A Direcção Regional do Centro do Instituto Nacional de Estatística (INE) apresenta os Resultados Preliminares dos Censos 2001. Informação à Comunicação Social 25 de Junho de 2001 Censos 2001 Resultados Preliminares Região Centro A Direcção Regional do Centro do Instituto Nacional de Estatística (INE) apresenta os Resultados Preliminares

Leia mais

Programa Operacional Regional do Norte ON.2

Programa Operacional Regional do Norte ON.2 Programa Operacional Regional do Norte 2007-2013 ON.2 Eixo Prioritário 2 Valorização Económica de Recursos Específicos Aviso XXX/ X /2009 Turismo Escolas de Hotelaria e Turismo Modelo da Memória Descritiva

Leia mais

Termas em Portugal. A oferta e a procura 2007

Termas em Portugal. A oferta e a procura 2007 A oferta e a procura 2007 2 Introdução O Turismo de Portugal, com base em informação disponibilizada pela Direcção-Geral de Energia e Geologia (DGEG) e Associação das Termas de Portugal (ATP), divulga

Leia mais

SI INOVAÇÃO TURISMO SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO E EMPREENDORISMO QUALIFICADO (AVISO DE CANDIDATURA JANEIRO 2011) INFORMAÇÃO SINTETIZADA

SI INOVAÇÃO TURISMO SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO E EMPREENDORISMO QUALIFICADO (AVISO DE CANDIDATURA JANEIRO 2011) INFORMAÇÃO SINTETIZADA SI INOVAÇÃO SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO E EMPREENDORISMO QUALIFICADO (AVISO DE CANDIDATURA JANEIRO 2011) TURISMO QREN QUADRO DE REFERÊNCIA ESTRATÉGICO NACIONAL 2007-2013 INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1 ÍNDICE

Leia mais

Apresentação do Programa

Apresentação do Programa Apresentação do Programa A Região Lisboa e Vale do Tejo AML A Estratégia do Programa Operacional Afirmar Lisboa como uma região cosmopolita e competitiva no sistema das regiões europeias, contribuindo

Leia mais

Eixo Prioritário 2 Protecção e Qualificação Ambiental. Prevenção e Gestão de Riscos Naturais e Tecnológicos Acções Materiais. Aviso - ALG

Eixo Prioritário 2 Protecção e Qualificação Ambiental. Prevenção e Gestão de Riscos Naturais e Tecnológicos Acções Materiais. Aviso - ALG Eixo Prioritário 2 Protecção e Qualificação Ambiental Prevenção e Gestão de Riscos Naturais e Tecnológicos Acções Materiais Aviso - ALG-36-2010-01 AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Prevenção e Gestão

Leia mais

2. Termos de referência 2.1 Área de Intervenção 2.2 Enquadramento no PDM

2. Termos de referência 2.1 Área de Intervenção 2.2 Enquadramento no PDM Janeiro 2010 Fundamentação para a Elaboração do Plano de Pormenor do Conjunto das Azenhas do Boco Termos de Referência Índice 1. Introdução 2. Termos de referência 2.1 Área de Intervenção 2.2 Enquadramento

Leia mais

Delegações de competências e pelouros na Câmara Municipal

Delegações de competências e pelouros na Câmara Municipal Delegações de competências e pelouros na Câmara Municipal Competências delegadas pela Câmara no Presidente Por deliberação da Câmara Municipal são fixadas as competências delegadas no seu Presidente e

Leia mais

ZA6774. Flash Eurobarometer 436 (Perceived Independence of the National Justice Systems in the EU among Companies) Country Questionnaire Portugal

ZA6774. Flash Eurobarometer 436 (Perceived Independence of the National Justice Systems in the EU among Companies) Country Questionnaire Portugal ZA677 Flash Eurobarometer 6 (Perceived Independence of the National Justice Systems in the EU among Companies) Country Questionnaire Portugal FL6 Independence of Justice BTB PT D Em que região se situa

Leia mais

Fundação Serrão Martins Plano de Actividades Plano de Actividades 2009

Fundação Serrão Martins Plano de Actividades Plano de Actividades 2009 1. A Fundação Serrão Martins é uma instituição de direito privado e utilidade pública com sede na Mina de S. Domingos, concelho de Mértola. Tem como membros fundadores a Câmara Municipal de Mértola e La

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO ALENTEJO

PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO ALENTEJO 2014-2020 ALENTEJO 2014 2020 www.alentejo.portugal2020.pt FICHA TÉCNICA Edição Autoridade de Gestão do Alentejo 2020 Coordenação Editorial Autoridade de Gestão

Leia mais

Anuário. do Turismo 2008

Anuário. do Turismo 2008 Anuário das Estatísticas do Turismo 2008 Anuário das Estatísticas do Turismo 2008 www.turismodeportugal.pt ÍndIce CAPÍTULO I Séries Internacionais e Nacionais 2000 a 2008 5 Fluxos Turísticos Internacionais

Leia mais

Síntese de Legislação Nacional e Comunitária. 04 de Janeiro de 2012

Síntese de Legislação Nacional e Comunitária. 04 de Janeiro de 2012 LEGISLAÇÃO Síntese de Legislação Nacional e Comunitária de 2012 Legislação Nacional Energias Renováveis Portaria n.º 8/2012 I Série n.º 3, de 4/01 Aprova, no âmbito da política de promoção da utilização

Leia mais

DIVISÃO DE PLANEAMENTO E INVESTIMENTO

DIVISÃO DE PLANEAMENTO E INVESTIMENTO DIVISÃO DE PLANEAMENTO E INVESTIMENTO Projecto TEDS 29 Maio 2013 DIVISÃO PLANEAMENTO E INVESTIMENTO TURÍSTICO atribuições Atendimento a investidores de turismo Apoio técnico a municípios Organização de

Leia mais

O valor mínimo de despesas elegíveis por projecto Euros; O valor máximo de despesas elegíveis por projecto Euros.

O valor mínimo de despesas elegíveis por projecto Euros; O valor máximo de despesas elegíveis por projecto Euros. 1. INVESTIMENTOS 1.1 INVESTIMENTOS EM INFRA-ESTRUTURAS Apoio financeiro a iniciativas de investimento em infra-estruturas de natureza colectiva que defendam e preservem actividades culturais e recreativas,

Leia mais

Ciência e Inovação Realizar Portugal

Ciência e Inovação Realizar Portugal Programa Operacional Ciência e Inovação Realizar Portugal União Europeia Fundos Estruturais Programa Operacional Ciência e Inovação 2010 No dia 24 de Dezembro de 2004 foi aprovado, por decisão (5706/2004)

Leia mais

A EDUCAÇÃO EM AÇÃO POR UM FUTURO MELHOR

A EDUCAÇÃO EM AÇÃO POR UM FUTURO MELHOR SPZCENTRO AVEIRO EB2/3 João Afonso, 29/05 ES Homem Cristo, ES José Estêvão, ES Mário Sacramento, EB2/3 S. Bernardo, EB2/3 Aradas EB2/3 de Esgueira, ES Esgueira, 1º CEB Esgueira, AE de Oliveirinha, EBI

Leia mais

Apresentação do GAC. Funcionamento do GAC. Cooperação transnacional. Principais obstáculos

Apresentação do GAC. Funcionamento do GAC. Cooperação transnacional. Principais obstáculos Agenda Apresentação do GAC Funcionamento do GAC Cooperação transnacional Principais obstáculos Apresentação do GAC GACs Nacionais Apresentação do GAC Região abrangida As comunidades piscatórias existentes

Leia mais

JORNAL DA CONSTRUÇÃO. Lisboa, 28 de Maio de 2007

JORNAL DA CONSTRUÇÃO. Lisboa, 28 de Maio de 2007 JORNAL DA CONSTRUÇÃO Lisboa, 28 de Maio de 2007 1. LISBOA OCIDENTAL, SRU (ENQUADRAMENTO) O Município de Lisboa criou a Sociedade de Reabilitação Urbana Lisboa Ocidental, SRU, em Julho de 2004. A Empresa,

Leia mais

REUNIÃO DE TRABALHO PI 10.i 30 de setembro, Coimbra

REUNIÃO DE TRABALHO PI 10.i 30 de setembro, Coimbra REUNIÃO DE TRABALHO PI 10.i 30 de setembro, Coimbra CENTRO 2020 POR EIXOS Eixo 1 Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDEIAS) 7,8% 169 M 2,5% 54 M Eixo 10 Assistência Técnica Eixo 2 Competitividade

Leia mais

GREVE NACIONAL DA FUNÇÃO PÚBLICA 26 Maio 2017

GREVE NACIONAL DA FUNÇÃO PÚBLICA 26 Maio 2017 GREVE NACIONAL DA FUNÇÃO PÚBLICA 26 Maio 2017 Dados Mais Relevantes Apurados até às 12h00 Distrito de Aveiro Centro Hospitalar Baixo Vouga- Unidade Hospital Infante D. Pedro 1º e 2º Turno- Em Serviços

Leia mais

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO N.º CENTRO

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO N.º CENTRO REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS POR CONVITE PI 6.3 PRODUTOS TURÍSTICOS INTEGRADOS DE BASE INTERMUNICIPAL AVISO N.º CENTRO-14-2016-16 O Mérito do Projeto

Leia mais

Programa Polis Vila Real

Programa Polis Vila Real Mestrado em Riscos, Cidades e Ordenamento do território. UC-Cidades e Ordenamento do Território Programa Polis Vila Real Trabalho elaborado por: Bruno Vieira Catarina Pereira Pedro Silveira Docentes: Helena

Leia mais

Implementação da ENM Abordagens Integradas para a Náutica

Implementação da ENM Abordagens Integradas para a Náutica Implementação da ENM 2013-2020 Abordagens Integradas para a Náutica Náutica 2020 Vila Praia de Âncora, 21 de novembro de 2014 João Fonseca Ribeiro Diretor-Geral de Politica do Mar O Mar-Portugal é um desígnio

Leia mais

ecomar GRUPO DE AÇÃO LOCAL

ecomar GRUPO DE AÇÃO LOCAL O DESENVOLVIMENTO LOCAL DE BASE COMUNITÁRIA (DLBC) é um instrumento do Portugal 2020 que visa promover a concertação estratégica e operacional entre parceiros que atuam num território específico (rural,

Leia mais

PROJECTOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS

PROJECTOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 32 / SI / 2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO (SI I&DT) PROJECTOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS Nos termos do Regulamento do

Leia mais

Portugal 2020: Objetivos e Desafios António Dieb

Portugal 2020: Objetivos e Desafios António Dieb Portugal 2020: Objetivos e Desafios 2014-2020 António Dieb Porto, 11 de julho de 2016 Tópicos: 1. Enquadramento Estratégico (EU 2020) 2. Portugal 2020: Objetivos e prioridades 3. Estrutura Operacional

Leia mais

Área de Reabilitação Urbana de Sobreira Formosa

Área de Reabilitação Urbana de Sobreira Formosa Área de Reabilitação Urbana de Sobreira Formosa Agosto 2014 Área de Reabilitação Urbana de Sobreira Formosa Introdução O Município de Proença-a-Nova, identificando a existência de uma área de território

Leia mais

Dados Greve Escola/Agrupamento

Dados Greve Escola/Agrupamento COIMBRA Total Prof. em Escola EB 2/3 Vila Nova de Poiares 34 33 97% Aveiro Agrupamento de Escolas de Oiã 20 18 90% Aveiro Agrupamento de Escolas de Aveiro 99% Aveiro Escola 2/3de Valongo do Vouga 29 19

Leia mais

FINANCIAMENTO DE EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS

FINANCIAMENTO DE EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS FINANCIAMENTO DE EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS Objectivos qualitativos Portugal enquanto destino de maior crescimento na Europa Turismo assente na qualificação da oferta e na excelência do capital humano

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO REGIONAL ALENTEJO 2020

PLANO DE ACÇÃO REGIONAL ALENTEJO 2020 FORUM REGIONAL ALENTEJO 2020 DESAFIOS E OPORTUNIDADES PLANO DE ACÇÃO REGIONAL ALENTEJO 2020 COMISSÃO DE COORDENAÇÃO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DO ALENTEJO Joaquim Fialho joaquim.fialho@ccdr-a.gov.pt Vendas

Leia mais

Roteiros Turísticos do Património Mundial. Alcobaça~Batalha ~Tomar

Roteiros Turísticos do Património Mundial. Alcobaça~Batalha ~Tomar Roteiros Turísticos do Património Mundial Alcobaça~Batalha ~Tomar O Turismo Cultural hoje 44 milhões de turistas procuram turismo cultural na Europa O património cultural aproxima civilizações e motiva

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO

SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS n.º 15/SI/2011 INOVAÇÃO PRODUTIVA - PROVERE Elisabete Félix Turismo de Portugal, I.P. - Direção de Investimento PRIORIDADE Fomento

Leia mais

ACÇÃO DIVERSIFICAÇÃO DE ACTIVIDADES NA EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA

ACÇÃO DIVERSIFICAÇÃO DE ACTIVIDADES NA EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA ACÇÃO 3.1.1 DIVERSIFICAÇÃO DE ACTIVIDADES NA EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA OBJECTIVO: Estimular o desenvolvimento de actividades não agrícolas, na exploração agrícola, criando novas fontes de rendimento e de emprego,

Leia mais

Centro Histórico do Porto Património Mundial

Centro Histórico do Porto Património Mundial Centro Histórico do Porto Património Mundial Plano de Gestão Centro Histórico do Porto Património Mundial Plano de Gestão é um documento estratégico para a construção de uma parceria que deve proporcionar

Leia mais

Lisboa, 25 de novembro de 2011

Lisboa, 25 de novembro de 2011 Lisboa, 25 de novembro de 2011 A reabilitação urbana constitui um fator essencial no desenvolvimento do setor do turismo, enquanto elemento integrante da nossa oferta turística A regeneração urbana estabelece

Leia mais

Alteração Regulamentar ao PDM de Sintra. Direção Municipal de Ambiente, Planeamento e Gestão do Território

Alteração Regulamentar ao PDM de Sintra. Direção Municipal de Ambiente, Planeamento e Gestão do Território Alteração Regulamentar ao PDM de Sintra Direção Municipal de Ambiente, Planeamento e Gestão do Território 24 março 2015 Enquadramento Participação pública preventiva Procedimentos Projetos de Relevante

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DA ÁREA DE EQUIPAMENTOS DA FRENTE MARÍTIMA DA COSTA NOVA - ÍLHAVO

PLANO DE PORMENOR DA ÁREA DE EQUIPAMENTOS DA FRENTE MARÍTIMA DA COSTA NOVA - ÍLHAVO PLANO DE PORMENOR DA ÁREA DE EQUIPAMENTOS DA FRENTE MARÍTIMA DA COSTA NOVA - ÍLHAVO PROGRAMA DE EXECUÇÃO E PLANO DE FINANCIAMENTO janeiro de 2012 ÍNDICE 1 PROGRAMA DE EXECUÇÃO... 3 1.1 IMPLEMENTAÇÃO DO

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral Baixo Alentejo Planeamento Estratégico Regional

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO

PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO 2007-201 Apresentação da Proposta ÍNDICE 1 O PROBLEMA 2 A ESTRATÉGIA 4 PLANO DE FINANCIAMENTO 1 1 O PROBLEMA Taxa de emprego Emprego em média e alta tecnologia

Leia mais

Plano Intermunicipal de Transportes da Região de Aveiro (PIMTRA)

Plano Intermunicipal de Transportes da Região de Aveiro (PIMTRA) Seminário Mobilidade Urbana Sustentável: Experiências e novos desafios Plano Intermunicipal de Transportes da Região de Aveiro (PIMTRA) Susana Castelo TIS.pt Região de Aveiro O processo do PIMT-RA Em 2011,

Leia mais

Área Metropolitana do. Porto Programa Territorial de Desenvolvimento

Área Metropolitana do. Porto Programa Territorial de Desenvolvimento Área Metropolitana do Porto 2007-2013 Programa Territorial de Desenvolvimento Promoção da Mobilidade Urbana: Variantes a centros urbanos; Planos de Mobilidade Urbana Sustentável Aviso de Abertura de Concurso

Leia mais

Existência de equipas de Sapadores Florestais. Existência de investigação das causas de incêndios.

Existência de equipas de Sapadores Florestais. Existência de investigação das causas de incêndios. CADERNO FICHA 8. PREVENÇÃO 8.4. OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS O presente documento constitui uma Ficha que é parte integrante de um Caderno temático, de âmbito mais alargado, não podendo, por isso, ser interpretado

Leia mais

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES INVESTIMENTO E DESENVOLVIMENTO PARA Fundo do Baixo Sabor

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES INVESTIMENTO E DESENVOLVIMENTO PARA Fundo do Baixo Sabor PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES INVESTIMENTO E DESENVOLVIMENTO PARA 2011 Fundo do Baixo Sabor I - INTRODUÇÃO O Plano Anual de Actividades constitui-se como o documento orientador da actividade do Fundo Baixo

Leia mais

EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL

EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL Desenvolver as condições facilitadoras da criação de emprego, combate ao desemprego e incentivo à iniciativa local referente ao empreendedorismo

Leia mais

QREN EXECUÇÃO INVESTIMENTO TOTAL ELEGÍVEL APRESENTADO EXECUÇÃO FEDER FCOES FSE INVESTIMENTO ELEGÍVEL

QREN EXECUÇÃO INVESTIMENTO TOTAL ELEGÍVEL APRESENTADO EXECUÇÃO FEDER FCOES FSE INVESTIMENTO ELEGÍVEL QREN 07 13 QREN O Quadro de Referência Estratégico Nacional assume como grande desígnio estratégico a qualificação dos portugueses e das portuguesas, valorizando o conhecimento, a ciência, a tecnologia

Leia mais

Sistemas de Incentivos do QREN

Sistemas de Incentivos do QREN Sistemas de Incentivos do QREN Sistemas de Incentivos do QREN 1. Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME 2. Sistema de Incentivos à Inovação 3. Sistema de Incentivos à Investigação

Leia mais

OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO PÚBLICO À CRIAÇÃO DE EMPRESAS

OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO PÚBLICO À CRIAÇÃO DE EMPRESAS OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO PÚBLICO À CRIAÇÃO DE EMPRESAS CONTEÚDOS: PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO PREPARAR UMA CANDIDATURA EXECUTAR UM PROJETO COMPETE 2020 (CRESC ALGARVE 2020) COMPETE 2020 (CRESC ALGARVE

Leia mais

Portugal 2020 Apresentação

Portugal 2020 Apresentação Portugal 2020 Apresentação Porto Largo Luís de Camões, Edifício Rainha, 9º Andar, Sala 1 3720-232 Oliveira de Azeméis - Portugal Lisboa Rua Fradesso da Silveira, n. 4, Piso 3B, 1300-609 Lisboa T. +351

Leia mais

POSIÇÃO DA UGT SOBRE O QUESTIONÁRIO FUNDOS EUROPEUS ESTRUTURAIS E DE INVESTIMENTO

POSIÇÃO DA UGT SOBRE O QUESTIONÁRIO FUNDOS EUROPEUS ESTRUTURAIS E DE INVESTIMENTO POSIÇÃO DA UGT SOBRE O QUESTIONÁRIO FUNDOS EUROPEUS ESTRUTURAIS E DE INVESTIMENTO 2014-2020 A UGT deve, antes de mais, assinalar que o questionário apresentado se torna de difícil resposta num contexto

Leia mais

PORTUGAL POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI

PORTUGAL POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI PORTUGAL POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI 2007-2013 Política de Cidades POLIS XXI Ambição Tornar as cidades portuguesas: _ territórios rios de inovação e competitividade _ territórios rios de cidadania e

Leia mais

Sistema de incentivos Portugal 2020 Calendário de aberturas 2016

Sistema de incentivos Portugal 2020 Calendário de aberturas 2016 www.finaccount.com Sistema de incentivos Portugal aberturas Prestação de Serviços de Consultoria Empresarial e Formação Tipologia de Intervenção/ Identificação do Aviso I&D Empresarial I&D Empresarial

Leia mais

Dados Greve Escola/Agrupamento

Dados Greve Escola/Agrupamento Total Prof. em Escola EB 2/3 Vila Nova de Poiares 34 33 97% Aveiro Agrupamento de Escolas de Oiã 20 18 90% Aveiro Agrupamento de Escolas da Mealhada 93% Aveiro Agrupamento de Escolas de Aveiro 99% Aveiro

Leia mais

E S C L A R E C I M E N T O. Aviso de Concurso nº CENTRO Património Natural

E S C L A R E C I M E N T O. Aviso de Concurso nº CENTRO Património Natural E S C L A R E C I M E N T O Aviso de Concurso nº CENTRO-14-2016-05 - Património Natural Face a algumas questões colocadas por parte de potenciais concorrentes ao Aviso de Concurso nº CENTRO-14-2016-05

Leia mais

P L A N O E S T R A T É G I C O D E D E S E N V O L V I M E N T O U R B A N O

P L A N O E S T R A T É G I C O D E D E S E N V O L V I M E N T O U R B A N O Promoção da regeneração urbana no Centro Histórico de Santarém Processo assente nos recursos endógenos; Historicamente ligados à origem e franco desenvolvimento da cidade Profundamente identificados com

Leia mais

Urbanização da Bela Vista, nº 12 A, Cód. Postal: Av. Joaquim Vieira Natividade, nº 13 A, Cód. Postal:

Urbanização da Bela Vista, nº 12 A, Cód. Postal: Av. Joaquim Vieira Natividade, nº 13 A, Cód. Postal: Albufeira Loja de Albufeira Urbanização da Bela Vista, nº 12 A, Cód. Postal: 8200-127 Alcobaça Alcobaça Av. Joaquim Vieira Natividade, nº 13 A, Cód. Postal: 2460-071 Algés Algés Av. Bombeiros Voluntários

Leia mais

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo

Leia mais

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO PRIORIDADE DE INVESTIMENTO: INVESTIMENTO NA SAÚDE E NAS INFRAESTRUTURAS SOCIAIS QUE CONTRIBUAM PARA O DESENVOLVIMENTO NACIONAL, REGIONAL E LOCAL, PARA A REDUÇÃO

Leia mais

Urbanismo e Infra-estruturas

Urbanismo e Infra-estruturas Urbanismo e Infra-estruturas Urbanismo 1./ Plano de Urbanização e projecto de Infra-estruturas da Reserva Fundiária do Sumbe, Província do Kwanza Sul Projecto - 1533a - Ano: 2009 Valor: $1.000.000,00 2./

Leia mais

Consulta de Vagas disponíveis para o concurso IM A Formação Específica

Consulta de Vagas disponíveis para o concurso IM A Formação Específica ANATOMIA PATOLÓGICA Centro Hospitalar Coimbra, E.P.E. Normal 1 ANATOMIA PATOLÓGICA Centro Hospitalar do Porto, E.P.E. Normal 1 ANATOMIA PATOLÓGICA Hospitais Universidade de Coimbra - E.P.E. Normal 1 ANATOMIA

Leia mais

Duarte Rodrigues. Sintra, 21 de Setembro 2009

Duarte Rodrigues. Sintra, 21 de Setembro 2009 Duarte Rodrigues Coordenador adjunto do Observatório do QREN Sintra, 21 de Setembro 2009 O desafio da cooperação institucional As respostas Clusterização (EEC) Os factores críticos de sucesso Parcerias

Leia mais

PROAMARE: Apresentação dos Resultados e Perspetivas de Novembro 2014, Centro de Remo de Viana do Castelo

PROAMARE: Apresentação dos Resultados e Perspetivas de Novembro 2014, Centro de Remo de Viana do Castelo PROAMARE: Apresentação dos Resultados 2007-2013 e Perspetivas 2014-2020 20 de Novembro 2014, Centro de Remo de Viana do Castelo Promotor PROAMARE: Apresentação dos Resultados 2017-2013 e Perspetivas 2014-2020

Leia mais

A. PROJETOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS

A. PROJETOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO CENTRO EIXO 1 COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO (SI I&DT) PARTE II - CRITÉRIOS DE

Leia mais

III Encontro - Agenda 21 Local

III Encontro - Agenda 21 Local III Encontro - Agenda 21 Local Montemor-o-Novo 20 de Novembro Enquadramento Metodologia proposta pela Agência Portuguesa do Ambiente Guia AGENDA 21 Local Um desafio para todos Sistema de Sustentabilidade

Leia mais

Rede de consultas de apoio intensivo à cessação tabágica em estabelecimentos de saúde do SNS Administração Regional de Saúde do Centro

Rede de consultas de apoio intensivo à cessação tabágica em estabelecimentos de saúde do SNS Administração Regional de Saúde do Centro Rede de consultas de apoio intensivo à cessação tabágica em estabelecimentos de saúde do SNS Administração Regional de Saúde do (Dezembro de 2016) ACES/ULS/CH Unidade funcional Equipa Horário Morada Contatos

Leia mais

Consulta de Vagas disponíveis para o concurso IM A Formação Específica

Consulta de Vagas disponíveis para o concurso IM A Formação Específica ANATOMIA PATOLÓGICA IMUNOHEMOTERAPIA IMUNOHEMOTERAPIA Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio, E.P.E. Centro Hospitalar de Lisboa Norte (Santa Maria, E.P.E. e Pulido Valente, E.P.E.) Centro Hospitalar

Leia mais

POLÍTICA DAS CIDADES REDES URBANAS PARA A COMPETITIVIDADE E INOVAÇÃO

POLÍTICA DAS CIDADES REDES URBANAS PARA A COMPETITIVIDADE E INOVAÇÃO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO EIXO 2 DESENVOLVIMENTO DAS CIDADES E DOS SISTEMAS URBANOS POLÍTICA DAS CIDADES REDES URBANAS PARA A COMPETITIVIDADE E INOVAÇÃO [Apresentação de Candidaturas de Programas Estratégicos]

Leia mais

Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano PEDU versão de trabalho. 7 de Setembro de 2015

Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano PEDU versão de trabalho. 7 de Setembro de 2015 Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano PEDU versão de trabalho 7 de Setembro de 2015 Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano PEDU = Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável PAMUS nível intermunicipal

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EIXO PRIORITÁRIO III PREVENÇÃO, GESTÃO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS NATURAIS E TECNOLÓGICOS PREVENÇÃO E GESTÃO DE RISCOS CÓDIGO DO AVISO: POVT- 35-2010-35 14 de Junho

Leia mais

Local/Região Totais por Região Totais por Produto Totais por Revista

Local/Região Totais por Região Totais por Produto Totais por Revista Nº da Revista Produto/Serviço Turístico Local/Região Totais por Região Totais por Produto Totais por Revista Serra de Aires e Candeeiros Rural Alferce Pico Lousã Montalegre São Mamede Évora Nº Janeiro

Leia mais

Convite Público Apresentação de candidaturas

Convite Público Apresentação de candidaturas Convite Público Apresentação de candidaturas Eixo Prioritário V Governação e Capacitação Institucional PROMOÇÃO E CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL Aviso n.º: Centro-PCI-2010-07 As informações que constam do presente

Leia mais

Centro Cívico em S. Martinho de Mouros

Centro Cívico em S. Martinho de Mouros Centro Cívico em S. Martinho de Mouros A antiga "Casa da Câmara" de S. Martinho de Mouros vai ser reabilitada para Centro Cívico. Revista de Imprensa 10-02-2010 1. (PT) - Diário As Beiras, 10-02-2010,

Leia mais

eficiência energética estratégia iniciativa inovação mat

eficiência energética estratégia iniciativa inovação mat ambiente competência competitividade construção s eficiência energética estratégia iniciativa inovação sinergias sustentabilidade tecnologias transformação sustentável desenvolvimento diferenciação dinamism

Leia mais

QREN A Nova Europa dos 27. um espaço territorial de milhares de Km2 (+34%); apenas + 4,5% do PIB;

QREN A Nova Europa dos 27. um espaço territorial de milhares de Km2 (+34%); apenas + 4,5% do PIB; Programa Operacional de Lisboa QREN 2007-2013 2013 Um desafio acrescido para a Europa A Nova Europa dos 27 com cerca de 480 milhões de habitantes; um espaço territorial de 4 280 milhares de Km2 (+34%);

Leia mais

O Mar nos Programas Temáticos Regionais João Fonseca Ribeiro Diretor Geral de Politica do Mar

O Mar nos Programas Temáticos Regionais João Fonseca Ribeiro Diretor Geral de Politica do Mar O Mar nos Programas Temáticos Regionais 2014-2020 João Fonseca Ribeiro Diretor Geral de Politica do Mar O Panorama Nacional e Internacional Oceano Atlântico Norte Oceano Atlântico Sul Reafirmar Portugal

Leia mais