Affordable & Efficient Science Teacher In-service Training

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Affordable & Efficient Science Teacher In-service Training"

Transcrição

1 Affordable & Efficient Science Teacher In-service Training Financed partially by the European Commission under Comenius 2.1 Neither the Commission nor the Contractor nor the Partners may be held responsible for any use of the information provided. Contract CP GR-COMENIUS-C21 Cacilda Moura Dept. de Física Universidade do Minho 1_1 Espectro Electromagnético Espectroscopia e Evolução Estelar Radiação Leis de Kirchhoff para a radiação Radiação do Corpo Negro, Lei de Wien e Lei de Stephan-Boltzman Variação do Espectro com a temperatura Átomos e Radiação Quantificação Espectros de emissão e absorção Séries Espectrais Espectros das Estrelas Linhas espectrais e temperatura Classes espectrais Evolução Estelar Propriedades das estrelas O nascimento e morte das estrelas 1_2 1

2 Como começou.? e como sabemos.? O Universo teve início com o BIG BANG há cerca de ( quinze mil milhões de anos.) Olhando para trás o Agora é. Quando a luz chega à Terra Podemos ver as Galáxias, que se encontram a milhares de milhões de anos luz de distância O que vemos, são como as Galáxias eram há milhares de milhões de anos atrás! Olhar para o Universo é olhar para o passado! 1_3 O Poder da radiação. Analisando a radiação emitida, podemos obter informação sobre sobre a Origem do Universo a temperatura a luminosidade o brilho a composição das estrelas a evolução estelar 1_4 2

3 10 24 m Como o fazer para decifrar o código? A radiação emitida pelas estrelas é produzida pela matéria de que a estrela é formada. Enxame de galáxias Para perceber como a radiação é produzida, devemos estudar a matéria! Para perceber o infinitamente grande m devemos conhecer o infinitamente pequeno! Átomo de Carbono 1_5 De que é Feito o Mundo? Matéria átomo electrão núcleo protão neutrão quarks Na realidade há átomos e espaço Átomo. Protão carga eléctrica positiva Electrão carga eléctrica negativa 1_6 3

4 O que é o calor e a temperatura? Os átomos e as moléculas que formam as substâncias vibram, mas não vibram todos à mesma velocidade Quanto mais quente é uma substância maior é a velocidade de vibração. A temperatura é uma medida da energia média associada às vibrações dos átomos e das moléculas núcleo do sol Há uma temperatura que é tão fria que os átomos e as moléculas se encontram em repouso: superfície do sol P to ebulição da água P to congelação da água Zero absoluto ZERO ABSOLUTO = - 273ºC Lord Kelvin propõem uma escala de temperatura, baseada na escala Celcius, em que o zero corresponde ao zero absoluto. T(K) = T(ºC) _7 O que é a luz? A natureza da luz (radiação) foi um dos grandes desafios científicos durante séculos Newton ( ) luz era composta por partículas, que podiam ser reflectidas pelos corpos e detectadas pelos nosso olhos. Huygens ( ) luz era uma onda, cuja cor estava relacionada com o comprimento de onda. Thomas Young ( ) Augustin Fresnel ( ) Natureza ondulatória da luz. Experiências de interferência. 1_8 4

5 O que é a luz? James Clerk Maxwell ( ) Equações do Electromagnetismo: Interacção entre campo eléctrico e campo magnético; Uma onda electromagnética propaga-se à velocidade da luz (c=3x10 8 m/s) A radiação é uma onda electromagnética. Maxwell (1860) Eqs. onda electromagnética Einstein (1905) Efeito fotoeléctrico Compton (1923) Efeito Compton Dualismo Onda - Corpúsculo 1_9 Dualismo onda - corpúsculo A luz é radiação electromagnética caracterizada por um comprimento de onda (λ) e por uma frequência (ν) Uma onda de luz propaga-se no vazio a uma velocidade de m/s c υ = λ Cada partícula de luz (fotão) transporta uma determinada energia E = hν Constante de Planck: h = Js A propagação da luz é governada pela sua característica de onda (através da frequência), enquanto a troca de energia entre a luz e matéria é governada pela sua característica de partícula (através fotão ) Luz (radiação) transporta informação: A radiação é o Bilhete de Identidade do emissor que nos dá informação sobre o objecto que a emite. 1_10 5

6 Espectro electromagnético A luz, as microondas, os Raios X, as ondas de rádio... são ondas electromagnéticas O espectro electromagnético representa o conjunto das ondas electromagnéticas com diferentes comprimentos de onda (diferentes frequências) que se propagam à velocidade da luz (c m/s). 1_11 1_12 6

7 Os emissores de radiação do Cosmos Fontes Reacções Nucleares no interior das estrelas morte das estrelas Enxames de Galáxias Fragmentos de Super Novas Coroa Solar Radiação Raios Gama Raios X Comprimento onda (nm) < Temperatura (K) > Fragmentos de Super Novas Estrelas muitos quentes Ultravioleta Estrelas Visível Planetas Satélites naturais Nuvens de poeira e gases Infravermelho Electrões em campos magnéticos Rádio > 10 6 < 10 K 1_13 Visível (Telescópios Ópticos): Os detectores de radiação: Região do visível λ: nm ν: 7.9 x x Hz (baixo comprimento de onda alta frequência) A radiação solar é na sua maioria emitida na região do visível, que penetra na atmosfera e é facilmente detectada pelos nossos olhos. 1_14 7

8 Ondas de Rádio Ondas de rádio λ > 10 6 nm, também penetram na atmosfera, podendo por isso ser observadas pelos rádio telescópios 1_15 As outras regiões Infraermelho (IV): λ: 10 3 nm 10 6 nm Absorvidos na atmosfera por H 2 O e CO 2 Ultravioleta (UV): λ : 400 nm - 20 nm Absorvida na atmosfera pelo ozono. Raios X : λ: 0.01 nm 20 nm Absorvidos na atmosfera por átomos de O e N. Raios Gama (γ): λ < 0.01 nm A radiação mais energética. Absorvida por qualquer núcleo atómico, na parte superior da atmosfera. 1_16 8

9 1_17 Em 1814, o alemão J. Fraunhofer ( ), repete a experiência de Newton, da dispersão da radiação por um prisma. O início da análise espectral Amplificando a radiação dispersa, verifica que o espectro solar contém centenas de riscas negras finas. Fraunhofer contabilizou 574 linhas pretas, conhecidas como as linhas de Fraunhofer Espectro Solar Nos dias de hoje, o espectro solar, apresentam cerca de riscas! 1_18 9

10 As Leis de Kirchhoff para a radiação Em 1859, Gustav Kirchhoff ( ), físico alemão, estabeleceu leis empírica para emissão e absorção de radiação, introduzindo ainda, o conceito de corpo negro 1. Um sólido ou um gás denso, quando quentes, emitem luz. A radiação é emitida em todos os comprimentos de onda produzindo um espectro contínuo. 1_19 As Leis de Kirchhoff para a radiação 2. Se a radiação emitida (espectro continuo) passar através de um gás, de baixa densidade, obtém-se um espectro de absorção. A luz excita os electrões dos átomos para um estado energético mais elevado. As frequências correspondentes às transições são absorvidas do espectro contínuo. 1_20 10

11 As Leis de Kirchhoff para a radiação 3. Um gás de baixa densidade, aquecido a alta temperatura, emite luz em comprimentos de ondas específicos, dando origem a um espectro de emissão. A radiação excita os electrões dos átomos para estados energéticos mais elevados Transições energéticas para o estado fundamental emitem luz a determinadas frequências. 1_21 As Leis de Kirchhof para a radiação 1_22 11

12 Objecto conceptual que é: O Corpo Negro - Radiador ideal quando quente - Absorvente perfeito quando frio Modelo de corpo negro: A probabilidade de a radiação que entra pelo orifício sair antes de ser completamente absorvida é extremamente baixa. Os corpos negros emitem radiação, cuja repartição espectral é independente da composição e da sua natureza, depende somente da temperatura à qual se encontram. 1_23 As Leis da Radiação do Corpo Negro Existem duas leis que descrevem a radiação emitida por um corpo negro: Qual a relação entre a quantidade de energia emitida e a temperatura? Lei de Stefan - (lei empírica) Jožef Stefan ( ) Físico Esloveno/Austríaco Qual a relação entre a poder emissivo máximo, o comprimento de onda da radiação e a temperatura? Lei Wein Wilhelm Wien ( ) Físico Prussiano/Alemão 1_24 12

13 Poder Emissivo e quantidade de energia radiada por unidade de área superficial do corpo, por unidade de tempo = σ A Lei de Stefan-Boltzmann T 4 Temperatura absoluta da superfície Constante de Stefan-Boltzmann ( W m - 2 K - 4 ) Forte dependência do poder emissivo (energia radiada) com a temperatura Poder emissivo (J/ s m 2 ) Temperatura (K) _25 Quando a temperatura do corpo negro varia: Lei de Wein o comprimento de onda para o qual o poder emissivo é máximo varia na razão inversa da temperatura absoluta λmáx= T O poder emissivo é tanto maior quanto menor for o comprimento de onda Há um deslocamento espectral, do máximo do poder emissivo do corpo negro, para menores comprimentos de onda. 1_26 13

14 Alguns exemplos de curvas de radiação Astrónomos usam as curvam de radiação do corpo negro como termómetro, na determinação da temperatura dos corpos celestes. As curvas de radiação do corpo negro são também usadas para se estudar como a radiação emitida por um corpo se distribui ao longo do espectro electromagnético. 1_27 A lei de Stefan-Boltzmann e a Lei do Inverso do Quadrado 1_28 14

15 Que mais informação podemos retirar? A luminosidade de uma estrela, o brilho aparente e a distância à terra estão relacionadas com a Lei do Inverso do Quadrado. Luminosidade Brilho Aparente A quantidade de energia radiada por segundo (potência) de um corpo celeste O brilho aparente dos corpos celestes decresce com o aumento da distância à terra L 4 2 = σt 4πR b = L 4π d 2 Se conhecermos a distância à qual a estrela se encontra, a sua luminosidade pode ser determinada a partir do seu brilho aparente. 1_29 A informação que podemos retirar Paralaxe (p) Brilho aparente (b) Espectro Classe Espectral Composição Química d = 1/p Temperatura superficial (T) Distância (d) L = 4 π d 2 b Luminosidade (L) L = σ T 4 4 π R 2 Raio (R) 1_30 15

16 1 d = = p = 2.63pc = 8.58a.l. = km O exemplo de Sirius A que distância da Terra se encontra Sirius, qual a sua Luminosidade e o seu Raio? Ângulo de paralaxe (p) Brilho aparente (b) Temperatura (T) W/m K 1 pc = 3.26 anos-luz = x km 1 d = p 2.63 pc 8.58 a.l km d m L=4πd 2 b L=4π ( ) 2 ( ) L W R = L 4 σ T 4π R = (9400) 4π R m 1_31 16

RADIAÇÃO, ENERGIA E ESPECTROS. Maria do Anjo Albuquerque

RADIAÇÃO, ENERGIA E ESPECTROS. Maria do Anjo Albuquerque RADIAÇÃO, ENERGIA E ESPECTROS Maria do Anjo Albuquerque 19.Outubro.2010 Tínhamos visto que as estrelas são muitas vezes classificadas pela cor e, consequentemente, pelas suas temperaturas, usando uma escala

Leia mais

Caracterização de uma radiação electromagnética

Caracterização de uma radiação electromagnética Caracterização de uma radiação electromagnética Todas as radiações electromagnéticas são caracterizadas pela sua frequência e comprimento de onda. A frequência é o número de vezes que uma onda se repete

Leia mais

Luz & Radiação. Roberto Ortiz EACH USP

Luz & Radiação. Roberto Ortiz EACH USP Luz & Radiação Roberto Ortiz EACH USP A luz é uma onda eletromagnética A figura acima ilustra os campos elétrico (E) e magnético (B) que compõem a luz Eles são perpendiculares entre si e perpendiculares

Leia mais

Para perceber porque é que os corpos quentes radiam energia é necessário perceber o que é o calor.

Para perceber porque é que os corpos quentes radiam energia é necessário perceber o que é o calor. A informação do BI dos Corpos Celestes Para perceber porque é que os corpos quentes radiam energia é necessário perceber o que é o calor. Para perceber o espectro estelar (que é mais complicado que o do

Leia mais

Graça Meireles. Física -10º ano. Física -10º ano 2

Graça Meireles. Física -10º ano. Física -10º ano 2 Escola Secundária D. Afonso Sanches Energia do Sol para a Terra Graça Meireles Física -10º ano 1 Variação da Temperatura com a Altitude Física -10º ano 2 1 Sistemas Termodinâmicos Propriedades a ter em

Leia mais

INTRODUÇÃO À ASTROFÍSICA

INTRODUÇÃO À ASTROFÍSICA Introdução à Astrofísica Lição 9 O Espectro da Luz INTRODUÇÃO À ASTROFÍSICA LIÇÃO 10 O ESPECTRO CONTÍNUO DA LUZ A medição do brilho das estrelas está diretamente ligada à medida de distância. A medida

Leia mais

Quantidades Básicas da Radiação

Quantidades Básicas da Radiação Quantidades Básicas da Radiação Luminosidade e Brilho Luminosidade = energia emitida por unidade de tempo. Brilho = fluxo de energia(energia por unidade de tempo e por unidade de superfície) Luminosidade

Leia mais

Astrofísica Geral. Tema 04: Luz

Astrofísica Geral. Tema 04: Luz Outline 1 Dualidade onda-partícula 2 Onda eletromagnética 3 Espectro eletromagnético 4 Efeito Doppler 5 Corpo negro 6 Átomo de Bohr e a luz 7 Leis de Kirchhoff para a luz 8 Efeitos da Atmosfera na luz

Leia mais

Introdução à Física Quântica

Introdução à Física Quântica 17/Abr/2015 Aula 14 Introdução à Física Quântica Radiação do corpo negro; níveis discretos de energia. Efeito foto-eléctrico: - descrições clássica e quântica - experimental. Efeito de Compton. 1 Introdução

Leia mais

Capítulo 9: Transferência de calor por radiação térmica

Capítulo 9: Transferência de calor por radiação térmica Capítulo 9: Transferência de calor por radiação térmica Radiação térmica Propriedades básicas da radiação Transferência de calor por radiação entre duas superfícies paralelas infinitas Radiação térmica

Leia mais

Mecânica Quântica. Corpo negro: Espectro de corpo negro, catástrofe do ultravioleta, Leis de Rayleigh e Jeans, Hipótese de Planck

Mecânica Quântica. Corpo negro: Espectro de corpo negro, catástrofe do ultravioleta, Leis de Rayleigh e Jeans, Hipótese de Planck Mecânica Quântica Corpo negro: Espectro de corpo negro, catástrofe do ultravioleta, Leis de Rayleigh e Jeans, Hipótese de Planck...numa reunião em 14/12/1900, Max Planck apresentou seu artigo Sobre a teoria

Leia mais

Sensoriamento remoto 1. Prof. Dr. Jorge Antonio Silva Centeno Universidade Federal do Paraná 2016

Sensoriamento remoto 1. Prof. Dr. Jorge Antonio Silva Centeno Universidade Federal do Paraná 2016 Sensoriamento remoto 1 Prof. Dr. Jorge Antonio Silva Centeno Universidade Federal do Paraná 2016 Súmula princípios e leis da radiação eletromagnética radiação solar conceito de corpo negro REM e sensoriamento

Leia mais

Campos de forças: campos gravítico, magnético e eléctrico... Cargas em movimento e seus efeitos em termos de criação de campos...

Campos de forças: campos gravítico, magnético e eléctrico... Cargas em movimento e seus efeitos em termos de criação de campos... RADIAÇÃO 1 As radiações são ondas electromagnéticas. O que são ondas electromagnéticas? Quais os conceitos fundamentais que os alunos precisam de entender para lhes podermos explicar o que são ondas electromagnéticas?

Leia mais

A radiação do corpo negro

A radiação do corpo negro A radiação do corpo negro Um corpo em qualquer temperatura emite radiações eletromagnéticas. Por estarem relacionadas com a temperatura em que o corpo se encontra, freqüentemente são chamadas radiações

Leia mais

Terceira Aula. Introdução à Astrofísica. Reinaldo R. de Carvalho

Terceira Aula. Introdução à Astrofísica. Reinaldo R. de Carvalho Terceira Aula Introdução à Astrofísica Reinaldo R. de Carvalho (rrdecarvalho2008@gmail.com) pdf das aulas estará em http://cosmobook.com.br/?page_id=440 Capítulo 3!!!! O Espectro Contínuo da Luz! - Paralaxe

Leia mais

Radiação electromagnetica

Radiação electromagnetica Radiação electromagnetica A radiação eletromagnética é uma forma de energia absorvida e emitida por partículas com carga elétrica quando aceleradas por forças. Ao nível subatómico, a radiação eletromagnética

Leia mais

AULA 21 INTRODUÇÃO À RADIAÇÃO TÉRMICA

AULA 21 INTRODUÇÃO À RADIAÇÃO TÉRMICA Notas de aula de PME 3361 Processos de Transferência de Calor 180 AULA 1 INTRODUÇÃO À RADIAÇÃO TÉRMICA A radiação térmica é a terceira e última forma de transferência de calor existente. Das três formas,

Leia mais

Velocidade. v= = t tempo necessário para completar 1 ciclo. d distância necessária para completar 1 ciclo. λ T. Ou seja

Velocidade. v= = t tempo necessário para completar 1 ciclo. d distância necessária para completar 1 ciclo. λ T. Ou seja Velocidade d distância necessária para completar 1 ciclo v= = t tempo necessário para completar 1 ciclo Ou seja f 1 λ v= = λ f = = T k kt No S.I. a velocidade de propagação da onda mede-se em m/s. Exercicios

Leia mais

A LUZ PRECIOSO BEM PARA OS ASTRÔNOMOS

A LUZ PRECIOSO BEM PARA OS ASTRÔNOMOS A LUZ PRECIOSO BEM PARA OS ASTRÔNOMOS A Astronomia vive quase que exclusivamente da luz captada dos objetos celestes. É através da luz por eles emitida, refletida ou absorvida que tiramos informações sobre

Leia mais

Introdução à Astrofísica. Espectroscopia. Rogemar A. Riffel

Introdução à Astrofísica. Espectroscopia. Rogemar A. Riffel Introdução à Astrofísica Espectroscopia Rogemar A. Riffel Radiação de Corpo Negro Corpo negro: corpo que absorve toda a radiação que incide sobre ele, sem refletir nada; - Toda a radiação emitida pelo

Leia mais

RADIAÇÃO. 2. Radiação Eletromagnética. 1. Introdução. Características da Radiação Eletromagnética

RADIAÇÃO. 2. Radiação Eletromagnética. 1. Introdução. Características da Radiação Eletromagnética O AQUECIMENTO DA ATMOSFERA RADIAÇÃO SOLAR E TERRESTRE 1. Introdução RADIAÇÃO Radiação = Modo de transferência de energia por ondas eletromagnéticas única forma de transferência de energia sem a presença

Leia mais

SOLAR E TERRESTRE RADIAÇÃO O O AQUECIMENTO DA ATMOSFERA. 2. Radiação Eletromagnética. 1. Introdução. Características da Radiação Eletromagnética

SOLAR E TERRESTRE RADIAÇÃO O O AQUECIMENTO DA ATMOSFERA. 2. Radiação Eletromagnética. 1. Introdução. Características da Radiação Eletromagnética O O AQUECIMENTO DA ATMOSFERA RADIAÇÃO SOLAR E TERRESTRE 1. Introdução RADIAÇÃO Radiação = Modo de transferência de energia por ondas eletromagnéticas única forma de transferência de energia sem a presença

Leia mais

Contextualização. O aparecimento da Física Atómica teve o contributo de diversas descobertas. Contam-se: 1) Os espectros de absorção e de emissão.

Contextualização. O aparecimento da Física Atómica teve o contributo de diversas descobertas. Contam-se: 1) Os espectros de absorção e de emissão. Contextualização histórica No século XIX existiam as seguintes áreas da Física bem definidas: Mecânica Clássica Electromagnetismo Termodinâmica Física Estatística (tentava compreender a termodinâmica à

Leia mais

Radiação Eletromagnética

Radiação Eletromagnética Radiação Eletromagnética Informação em Astronomia Exceto por alguns corpos no Sistema Solar, não temos acesso direto aos astros. Informação chega à Terra (observador) via: meteoritos raios cósmicos radiação

Leia mais

CLIMATOLOGIA. Radiação solar. Professor: D. Sc. João Paulo Bestete de Oliveira

CLIMATOLOGIA. Radiação solar. Professor: D. Sc. João Paulo Bestete de Oliveira CLIMATOLOGIA Radiação solar Professor: D. Sc. João Paulo Bestete de Oliveira Sistema Solar Componente Massa (%) Sol 99,85 Júpiter 0,10 Demais planetas 0,04 Sol x Terra massa 332.900 vezes maior volume

Leia mais

Estrutura dos átomos

Estrutura dos átomos Estrutura dos átomos O número quântico principal n define o nível energético de base. Os outros números quânticos especificam o tipo de orbitais mas a relação com a energia pode ser complicada. Exemplos:

Leia mais

Introdução. Carlos Alexandre Wuensche Processos Radiativos I

Introdução. Carlos Alexandre Wuensche Processos Radiativos I Introdução Carlos Alexandre Wuensche Processos Radiativos I 1 1 GERAÇÃO E EMISSÃO DE ENERGIA NAS ESTRELAS CONSIDERAÇÕES DE CARÁTER GERAL: ENERGIA E COMPOSIÇÃO ESPECTRAL determinadas a partir do estudo

Leia mais

O Espectro contínuo de luz

O Espectro contínuo de luz AGA0293 Astrofísica Estelar Profa. Jane Gregorio-Hetem 2 o semestre de 2017 Capítulo 3 O Espectro contínuo de luz 3.1 Paralaxe estelar 3.2 A escala de magnitudes 3.3 A natureza ondulatória da luz 3.4 Radiação

Leia mais

Sumário. Espectros, Radiação e Energia

Sumário. Espectros, Radiação e Energia Sumário Das Estrelas ao átomo Unidade temática 1 Emissão da radiação pelas estrelas. Temperatura das estrelas. Tipos de espectros. Os espectros emitidos pelas estrelas. dos átomos dos elementos. APSA 4.

Leia mais

Aula 25 Radiação. UFJF/Departamento de Engenharia de Produção e Mecânica. Prof. Dr. Washington Orlando Irrazabal Bohorquez

Aula 25 Radiação. UFJF/Departamento de Engenharia de Produção e Mecânica. Prof. Dr. Washington Orlando Irrazabal Bohorquez Aula 25 Radiação UFJF/Departamento de Engenharia de Produção e Mecânica Prof. Dr. Washington Orlando Irrazabal Bohorquez REVISÃO: Representa a transferência de calor devido à energia emitida pela matéria

Leia mais

A fonte Solar de Energia da Terra

A fonte Solar de Energia da Terra A fonte Solar de Energia da Terra A energia solar é criada no núcleo do Sol quando os átomos de hidrogênio sofrem fusão nuclear para hélio. Em cada segundo deste processo nuclear, 700 milhões de toneladas

Leia mais

25/Mar/2015 Aula /Mar/2015 Aula 9

25/Mar/2015 Aula /Mar/2015 Aula 9 20/Mar/2015 Aula 9 Processos Politrópicos Relações politrópicas num gás ideal Trabalho: aplicação aos gases perfeitos Calor: aplicação aos gases perfeitos Calor específico politrópico Variação de entropia

Leia mais

Vitor Oguri Departamento de Física Nuclear e Altas Energias Instituto de Física Armando Dias Tavares Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Vitor Oguri Departamento de Física Nuclear e Altas Energias Instituto de Física Armando Dias Tavares Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) Vitor Oguri Departamento de Física Nuclear e Altas Energias Instituto de Física Armando Dias Tavares Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) Manaus, 27 de julho de 2015 A Óptica Geométrica Fenômenos

Leia mais

RADIAÇÃO, ENERGIA E ESPECTROS

RADIAÇÃO, ENERGIA E ESPECTROS RADIAÇÃO, ENERGIA E ESPECTROS SABEMOS Que a temperatura das estrelas está relacionada com a sua cor As estrelas são muitas vezes classificadas pela cor e, consequentemente, pelas suas temperaturas, usando

Leia mais

Física e Química A 10.º ano

Física e Química A 10.º ano Energia, fenómenos térmicos e radiação I 1. Coloca os sistemas mencionados por ordem, de forma a corresponder à sequência: Sistema isolado, Sistema fechado, sistema aberto A. Piscina. B. Frigorífico fechado.

Leia mais

ENERGIA SOLAR: CONCEITOS BASICOS

ENERGIA SOLAR: CONCEITOS BASICOS ENERGIA SOLAR: CONCEITOS BASICOS Uma introdução objetiva dedicada a estudantes interessados em tecnologias de aproveitamento de fontes renováveis de energia. Prof. M. Sc. Rafael Urbaneja 0 4. LEIS DA EMISSÃO

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Física Departamento de Astronomia. Fundamentos de Astronomia e Astrofísica: FIS2001

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Física Departamento de Astronomia. Fundamentos de Astronomia e Astrofísica: FIS2001 Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Física Departamento de Astronomia Fundamentos de Astronomia e Astrofísica: FIS2001 Prof. Rogério Riffel 1 Extinção Atmosférica A atmosfera é praticamente

Leia mais

Curso de Introdução à Astronomia e Astrofísica ESTRELAS AULA 1. Flavio D Amico estas aulas são de autoria de Hugo Vicente Capelato

Curso de Introdução à Astronomia e Astrofísica ESTRELAS AULA 1. Flavio D Amico estas aulas são de autoria de Hugo Vicente Capelato Curso de Introdução à Astronomia e Astrofísica ESTRELAS AULA 1 Flavio D Amico damico@das.inpe.br estas aulas são de autoria de Hugo Vicente Capelato A Constelação de Orion e as 3 Marias super Betelgeuse:

Leia mais

Arquitetura do Universo Nascimento e Estrutura do Universo

Arquitetura do Universo Nascimento e Estrutura do Universo Unidade 1 Arquitetura do Universo Nascimento e Estrutura do Universo s O Big Bang O Universo tem uma história! Uma história com cerca de 15 mil milhões de anos. Começou com o Big Bang, não tendo parado

Leia mais

Uma aula sobre espectros eletromagnéticos

Uma aula sobre espectros eletromagnéticos Uma aula sobre espectros eletromagnéticos Baseado no texto de Francisco Jablonski (INPE) chico@das.inpe.br http://www.das.inpe.br/~chico 1 O que entendemos por espectro? 2 O que entendemos por espectro?

Leia mais

NOTAS DE AULAS DE FÍSICA MODERNA

NOTAS DE AULAS DE FÍSICA MODERNA NOTAS DE AULAS DE FÍSICA MODERNA Prof. Carlos R. A. Lima CAPÍTULO 2 RADIAÇÃO TÉRMICA E CORPO NEGRO Edição de janeiro de 2009 CAPÍTULO 2 RADIAÇÃO TÉRMICA E CORPO NEGRO ÍNDICE 2.1- Radiação Térmica 2.2-

Leia mais

Escola Secundária de Lagoa. Ficha de Trabalho 4. Física e Química A

Escola Secundária de Lagoa. Ficha de Trabalho 4. Física e Química A Escola Secundária de Lagoa Física e Química A 10º Ano Turmas A e B Paula Melo Silva e Emília Correia Ficha de Trabalho 4 Unidade Zero Materiais: diversidade e constituição Unidade Um Das estrelas ao átomo

Leia mais

Elementos sobre Física Atómica

Elementos sobre Física Atómica Elementos sobre Física Atómica Carla Silva Departamento de Física da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade do Algarve 1 ÍNDICE OS MODELOS ATÓMICOS O modelo de Pudim de Passas de Thomson O

Leia mais

https://sites.google.com/site/estruturabc0102/

https://sites.google.com/site/estruturabc0102/ Estrutura da Matéria Aula 4: Radiações clássicas E-mail da turma: emufabc@gmail.com Senha: ufabcsigma https://sites.google.com/site/estruturabc0102/ Radiações Clássicas 1899-1900: Rutherford e Villard

Leia mais

6 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia

6 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia 6 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia Prova da eliminatória regional 30 de Março de 2011 15:00 Duração máxima 120 minutos Nota: Ler atentamente todas as questões. Existe uma tabela com dados no final

Leia mais

EMISSÃO e ABSORÇÃO de radiação

EMISSÃO e ABSORÇÃO de radiação EMISSÃO e ABSORÇÃO de radiação a EMISSÃO ocorre quando um elétron de um átomo salta de uma órbita superior para uma inferior (fundamentalização): um fóton é emitido (produzido). e - e - + n 2, E 2 n 1,

Leia mais

Ficha de Trabalho n.º 4

Ficha de Trabalho n.º 4 Ficha de Trabalho n.º 4 Disciplina: CFQ Componente de Química Ano/Turma Selecção de Conteúdos de Química 10 ano do exame 715 Data / / Professor: 1. (ENES 1ª Fase 2007) Leia atentamente o seguinte texto.

Leia mais

Sumário. O átomo de H e a estrutura atómica

Sumário. O átomo de H e a estrutura atómica Sumário Das Estrelas ao átomo Unidade temática 1 O átomo de hidrogénio e a estrutura atómica. Quantização de energia. : De Dalton ao modelo quântico. APSA 6 Espectro atómico do átomo de hidrogénio. Porque

Leia mais

FENÓMENOS CORPUSCULARES E ONDULATÓRIOS

FENÓMENOS CORPUSCULARES E ONDULATÓRIOS FENÓMENOS CORPUSCULARES E ONDULATÓRIOS Interferência de ondas Onda resultante Onda 1 Onda 2 Duas ondas em fase Duas ondas desfasadas de λ/2 Figura de Interferência de ondas DIFRACÇÃO Se o comprimento de

Leia mais

Sumário. Espectros, Radiação e Energia

Sumário. Espectros, Radiação e Energia Sumário Das Estrelas ao átomo Unidade temática 1 Radiação ionizante e radiação não ionizante.. E suas aplicações. APSA 5 Espectro eletromagnético.. Radiação não ionizante São radiações não ionizantes as

Leia mais

ENERGIA SOLAR: CONCEITOS BASICOS

ENERGIA SOLAR: CONCEITOS BASICOS ENERGIA SOLAR: CONCEITOS BASICOS Uma introdução objetiva dedicada a estudantes interessados em tecnologias de aproveitamento de fontes renováveis de energia. 1. INTRODUÇÃO: 1.1. O SOL 1.1.1. Noções gerais

Leia mais

A Radiação do Corpo Negro e sua Influência sobre os Estados dos Átomos

A Radiação do Corpo Negro e sua Influência sobre os Estados dos Átomos Universidade de São Paulo Instituto de Física de São Carlos A Radiação do Corpo Negro e sua Influência sobre os Estados dos Átomos Nome: Mirian Denise Stringasci Disciplina: Mecânica Quântica Aplicada

Leia mais

Unidade Arquitectura do Universo. 1.1 Nascimento e Estrutura do Universo. 10º Ano Física e Química A Adaptado de Florbela Rêgo

Unidade Arquitectura do Universo. 1.1 Nascimento e Estrutura do Universo. 10º Ano Física e Química A Adaptado de Florbela Rêgo Unidade 1 1. Arquitectura do Universo 1.1 Nascimento e Estrutura do Universo 10º Ano Física e Química A Adaptado de Florbela Rêgo A coisa mais incompreensível acerca do nosso Universo é que ele pode ser

Leia mais

Radiação: Considerações gerais

Radiação: Considerações gerais Estuda-se radiação térmica, cujas origens estão ligadas à emissão da matéria a uma temperatura absoluta T>0 A emissão é devida oscilações e transições electrónicas dos muitos electrões que constituem a

Leia mais

RADIAÇÃO SOLAR E TERRESTRE

RADIAÇÃO SOLAR E TERRESTRE RADIAÇÃO SOLAR E TERRESTRE LINHAS DO CAMPO MAGNÉTICO TERR A TEMPESTADE SOLAR SOL 1. INTRODUÇÃO Radiação (energia radiante) - se propaga sem necessidade da presença de um meio material designa processo

Leia mais

Arquitectura do Universo. Espectros, radiações e energia

Arquitectura do Universo. Espectros, radiações e energia Arquitectura do Universo. Espectros, radiações e energia Nascimento e estrutura do Universo A Terra é o terceiro planeta do Sistema Solar (formado pela estrela Sol e planetas à sua volta), que está integrado

Leia mais

INTRODUÇÃO À ASTROFÍSICA LIÇÃO 9 O PROBLEMA DO CORPO NEGRO

INTRODUÇÃO À ASTROFÍSICA LIÇÃO 9 O PROBLEMA DO CORPO NEGRO Introdução à Astrofísica INTRODUÇÃO À ASTROFÍSICA LIÇÃO 9 O PROBLEMA DO CORPO NEGRO Lição 8 O Problema do Corpo Negro A maior parte de toda a física do século XIX estava bem descrita através da mecânica

Leia mais

Departamento de Astronomia - Instituto de Física Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Departamento de Astronomia - Instituto de Física Universidade Federal do Rio Grande do Sul Departamento de Astronomia - Instituto de Física Universidade Federal do Rio Grande do Sul FIS2010 - FUNDAMENTOS DE ASTRONOMIA E ASTROFÍSICA A 2.a PROVA 2012/1 - TURMA C - Profa. Maria de Fátima Saraiva

Leia mais

Fundamentos de Sensoriamento Remoto. Elisabete Caria Moraes

Fundamentos de Sensoriamento Remoto. Elisabete Caria Moraes Fundamentos de Sensoriamento Remoto Elisabete Caria Moraes bete@dsr.inpe.br Login: guestuser Senha: 5554DZ9M Sensoriamento Remoto Adquirir informações a distância Sensoriamento Remoto Sensoriamento

Leia mais

4 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia Prova Final Nacional 5 de Junho de :00

4 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia Prova Final Nacional 5 de Junho de :00 4 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia Prova Final Nacional 5 de Junho de 2009 15:00 Duração máxima 120 minutos Leia atentamente todas as questões. A questão 1 é de escolha múltipla. Nas restantes questões

Leia mais

Ficha formativa 10ªano-Química-unidade1 Nome: Nº Turma:

Ficha formativa 10ªano-Química-unidade1 Nome: Nº Turma: ESCOLA SECUNDÁRIA DE LOUSADA Física Química A 11º Ano Ficha formativa 10ªano-Química-unidade1 Nome: Nº Turma: 1 Os astrónomos identificaram uma nova estrela, cuja luz demora 200 anos, 300 dias e 6 horas

Leia mais

2. Introdução à física quântica

2. Introdução à física quântica 2. Introdução à física quântica Planck e a quantização da energia Lei de Stefan-Boltzmann P = eσ AT 4 4 4 ( T ) P = eσ A T. Figura 3.1: Radiância espectral de um corpo negro em função do comprimento de

Leia mais

Considerações gerais sobre radiação térmica

Considerações gerais sobre radiação térmica CÁLCULO TÉRMICO E FLUIDOMECÂNICO DE GERADORES DE VAPOR Prof. Waldir A. Bizzo Faculdade de Engenharia Mecânica - UNICAMP General Considerations Considerações gerais sobre radiação térmica Radiação térmica

Leia mais

Princípios da Interação da Luz com o tecido: Refração, Absorção e Espalhamento. Prof. Emery Lins Curso Eng. Biomédica

Princípios da Interação da Luz com o tecido: Refração, Absorção e Espalhamento. Prof. Emery Lins Curso Eng. Biomédica Princípios da Interação da Luz com o tecido: Refração, Absorção e Espalhamento Prof. Emery Lins Curso Eng. Biomédica Introdução Breve revisão: Questões... O que é uma radiação? E uma partícula? Como elas

Leia mais

Aula 5 Radiação Eletromagnética. Alex C. Carciofi

Aula 5 Radiação Eletromagnética. Alex C. Carciofi Aula 5 Radiação Eletromagnética Alex C. Carciofi Astrofísica É o ramo da astronomia que estuda os astros usando os conhecimentos científicos disponíveis. Química Matemática Física Astrofísica Quais as

Leia mais

Fundamentos de Astronomia e Astrofísica. Estrelas. Rogério Riffel.

Fundamentos de Astronomia e Astrofísica. Estrelas. Rogério Riffel. Fundamentos de Astronomia e Astrofísica Estrelas Rogério Riffel http://astro.if.ufrgs.br Propriedades Estrelas são esferas autogravitantes de gás ionizado, cuja fonte de energia é a transmutação de elementos

Leia mais

Prof. Eslley Scatena Blumenau, 10 de Outubro de

Prof. Eslley Scatena Blumenau, 10 de Outubro de Grupo de Astronomia e Laboratório de Investigações Ligadas ao Estudo do Universo Prof. Eslley Scatena Blumenau, 10 de Outubro de 2017. e.scatena@ufsc.br http://galileu.blumenau.ufsc.br Determinação de

Leia mais

Radiação e Ionização. Proteção e higiene das Radiações I Profª: Marina de Carvalho CETEA

Radiação e Ionização. Proteção e higiene das Radiações I Profª: Marina de Carvalho CETEA Radiação e Ionização Proteção e higiene das Radiações I Profª: Marina de Carvalho CETEA Introdução O que é onda? Perturbação em um meio que se propaga transportando energia sem que haja transporte de matéria.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. FÍSICA PARA CIÊNCIAS BIOLÓGIAS.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. FÍSICA PARA CIÊNCIAS BIOLÓGIAS. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. FÍSICA PARA CIÊNCIAS BIOLÓGIAS. ASPECTOS FÍSICO-QUÍMICOS DA ABSORÇÃO DE ENERGIA SOLAR NA FOTOSSÍNTESE. Professor: Thomas Braun. Graduando: Carlos Santos Costa.

Leia mais

18/Maio/2016 Aula 21. Introdução à Física Nuclear. Estrutura e propriedades do núcleo. 20/Maio/2016 Aula 22

18/Maio/2016 Aula 21. Introdução à Física Nuclear. Estrutura e propriedades do núcleo. 20/Maio/2016 Aula 22 18/Maio/2016 Aula 21 Introdução à Física Nuclear Estrutura e propriedades do núcleo 20/Maio/2016 Aula 22 Radioactividade: Poder de penetração. Regras de conservação. Actividade radioactiva. Tempo de meia

Leia mais

O CLIMA DA TERRA: Processos, Mudanças e Impactos

O CLIMA DA TERRA: Processos, Mudanças e Impactos O CLIMA DA TERRA: Processos, Mudanças e Impactos Prof. TÉRCIO AMBRIZZI Professor Titular ambrizzi@model.iag.usp.br E Profa. Dra. MARCIA A. YAMASOE Professora Associada akemi@model.iag.usp.br Departamento

Leia mais

Astronomia. O nosso Universo

Astronomia. O nosso Universo Astronomia O nosso Universo O sistema solar Distância entre a Lua e a Terra: 384.000 Km (aprox. 1 seg-luz Velocidade da luz (c) : 300.000 Km/s Distância média entre a Terra e o Sol: 146 milhões Km (aprox.

Leia mais

ELÉTRONS EM ÁTOMOS. Depois do modelo de Rutherford: Como é o comportamento dos elétrons nos átomos? Rutherford: estrutura planetária, com o

ELÉTRONS EM ÁTOMOS. Depois do modelo de Rutherford: Como é o comportamento dos elétrons nos átomos? Rutherford: estrutura planetária, com o ELÉTRONS EM ÁTOMOS Depois do modelo de Rutherford: Como é o comportamento dos elétrons nos átomos? Rutherford: estrutura planetária, com o núcleo correspondendo ao sol no nosso sistema solar e os elétrons

Leia mais

Ótica O que é a luz? Os antigos gregos descobriram que a luz se propaga em linha recta. Heron de Alexandria descobriu em experiências feitas com espelhos, que um feixe de luz reflectida volta ao meio

Leia mais

Óptica Geométrica. Programa de Óptica e Electromagnetismo. OpE - MIB 2007/2008. Análise Vectorial (revisão) 2 aulas

Óptica Geométrica. Programa de Óptica e Electromagnetismo. OpE - MIB 2007/2008. Análise Vectorial (revisão) 2 aulas Óptica Geométrica OpE - MIB 2007/2008 Programa de Óptica e Electromagnetismo Análise Vectorial (revisão) 2 aulas Electrostática e Magnetostática 7 aulas Campos e Ondas Electromagnéticas 7 aulas Óptica

Leia mais

FSC1057: Introdução à Astrofísica. Estrelas. Rogemar A. Riffel

FSC1057: Introdução à Astrofísica. Estrelas. Rogemar A. Riffel FSC1057: Introdução à Astrofísica Estrelas Rogemar A. Riffel Propriedades Estrelas são esferas autogravitantes de gás ionizado, cuja fonte de energia é a transformação de elementos através de reações nucleares,

Leia mais

Departamento de Zoologia da Universidade de Coimbra

Departamento de Zoologia da Universidade de Coimbra Departamento de Zoologia da Universidade de Coimbra Armando Cristóvão Adaptado de "The Tools of Biochemistry" de Terrance G. Cooper Espectrofotometria de Absorção Uma das primeiras características químicas

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE BRAGANÇA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E DE GESTÃO FÍSICA III. Exercícios teórico-práticos FILIPE SANTOS MOREIRA

INSTITUTO POLITÉCNICO DE BRAGANÇA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E DE GESTÃO FÍSICA III. Exercícios teórico-práticos FILIPE SANTOS MOREIRA INSTITUTO POLITÉCNICO DE BRAGANÇA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E DE GESTÃO FÍSICA III Eercícios teórico-práticos FILIPE SANTOS MOREIRA Física 3 (EQ) Eercícios TP Índice Índice i Derivadas e integrais

Leia mais

Prof. MSc. David Roza José 1/23

Prof. MSc. David Roza José 1/23 1/23 Radiação de Corpo Negro Para se avaliar a potência emissiva, irradiação, radiosidade ou o fluxo radiativo líquido de uma superfície real opaca, deve-se quantificar as seguintes intensidades espectrais

Leia mais

TRANSFERÊNCIA DE CALOR POR RADIAÇÃO

TRANSFERÊNCIA DE CALOR POR RADIAÇÃO TRANSFERÊNCIA DE CALOR POR RADIAÇÃO 1 Tema 3: Energia Térmica Tópicos / Habilidades 7 Transferência de calor por radiação 7.1 Aplicar o conceito de energia e suas propriedades para compreender situações

Leia mais

MEIO INTERESTELAR. O espaço interestelar é o local onde estrelas nascem e onde elas retornam quando morrem.

MEIO INTERESTELAR. O espaço interestelar é o local onde estrelas nascem e onde elas retornam quando morrem. MEIO INTERESTELAR O espaço interestelar é o local onde estrelas nascem e onde elas retornam quando morrem. Rica em gás e poeira e distribuída de modo tênue através das regiões escuras entre as estrelas,

Leia mais

ENERGIA SOLAR: CONCEITOS BASICOS

ENERGIA SOLAR: CONCEITOS BASICOS ENERGIA SOLAR: CONCEITOS BASICOS Uma introdução objetiva dedicada a estudantes interessados em tecnologias de aproveitamento de fontes renováveis de energia. 1. INTRODUÇÃO: 1.1. Um rápido olhar na relação

Leia mais

Fenómenos ondulatórios

Fenómenos ondulatórios Sumário UNIDADE TEMÁTICA 2. 2- Comunicação de informação a longas distâncias. 2.2- Propriedades das ondas. - Reflexão e refração de ondas. - Leis da reflexão e da refração. - Índice de refração de um meio.

Leia mais

Imagens de galáxias estrelas. estrela. Algumas são espirais como a nossa Galáxia e Andrômeda, outras não.

Imagens de galáxias estrelas. estrela. Algumas são espirais como a nossa Galáxia e Andrômeda, outras não. estrela Imagens de galáxias estrelas imagens das galáxias são mais difusas Algumas são espirais como a nossa Galáxia e Andrômeda, outras não. Aglomerado de Coma ( 100 Mpc de distância da Terra) MORFOLOGIA:

Leia mais

Tópicos em Métodos Espectroquímicos. Aula 2 Revisão Conceitos Fundamentais

Tópicos em Métodos Espectroquímicos. Aula 2 Revisão Conceitos Fundamentais Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) Instituto de Ciências Exatas Depto. de Química Tópicos em Métodos Espectroquímicos Aula 2 Revisão Conceitos Fundamentais Julio C. J. Silva Juiz de For a, 2015

Leia mais

Tópicos em Métodos Espectroquímicos. Aula 2 Revisão Conceitos Fundamentais

Tópicos em Métodos Espectroquímicos. Aula 2 Revisão Conceitos Fundamentais Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) Instituto de Ciências Exatas Depto. de Química Tópicos em Métodos Espectroquímicos Aula 2 Revisão Conceitos Fundamentais Julio C. J. Silva Juiz de For a, 2013

Leia mais

Alex C. Carciofi. Aula 8. A Escada Cósmica: escalas de distância em astronomia

Alex C. Carciofi. Aula 8. A Escada Cósmica: escalas de distância em astronomia Alex C. Carciofi Aula 8 A Escada Cósmica: escalas de distância em astronomia Revisão Propriedades Fundamentais de uma Estrela: determinação Temperatura: - cores ou tipo espectral Composição química - Análise

Leia mais

O espaço interestelar é o local onde estrelas nascem e onde partes delas retornam quando morrem.

O espaço interestelar é o local onde estrelas nascem e onde partes delas retornam quando morrem. O espaço interestelar é o local onde estrelas nascem e onde partes delas retornam quando morrem. Meio interestelar: gás e poeira, distribuído de modo extremamente tênue através das regiões escuras entre

Leia mais

QUÍMICA I. Teoria atômica Capítulo 6. Aula 2

QUÍMICA I. Teoria atômica Capítulo 6. Aula 2 QUÍMICA I Teoria atômica Capítulo 6 Aula 2 Natureza ondulatória da luz A teoria atômica moderna surgiu a partir de estudos sobre a interação da radiação com a matéria. A radiação eletromagnética se movimenta

Leia mais

III Série de Problemas. Prof. Orfeu Bertolami. Instituto Superior Técnico, Departamento de Física

III Série de Problemas. Prof. Orfeu Bertolami. Instituto Superior Técnico, Departamento de Física TERMODINÂMICA III Série de Problemas Prof. Orfeu Bertolami Instituto Superior Técnico, Departamento de Física Assunto: Calor específico dos gases. Transições de fase: equação de Clayperon. Condutividade

Leia mais

Universidade Federal de Campina Grande Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar Unidade Acadêmica de Agronomia

Universidade Federal de Campina Grande Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar Unidade Acadêmica de Agronomia Universidade Federal de Campina Grande Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar Unidade Acadêmica de Agronomia NOTAS DE AULA PRINCÍPIOS DE RADIAÇÃO ELETROMAGNÉTICA 1. Introdução A radiação eletromagnética

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO ESTELAR:

CLASSIFICAÇÃO ESTELAR: CLASSIFICAÇÃO ESTELAR: TÓPICO 2 AS ESTRELAS NÃO SÃO IGUAIS Jane C. Gregório Hetem 2.1 Espectros Estelares 2.2 A ordem dos tipos espectrais 2.3 Comparando as diversas categorias de estrelas 2.4 O tamanho

Leia mais

Instituto de Física USP. Física V - Aula 09. Professora: Mazé Bechara

Instituto de Física USP. Física V - Aula 09. Professora: Mazé Bechara Instituto de Física USP Física V - Aula 09 Professora: Mazé Bechara Material para leitura complementar ao Tópico II na Xerox do IF 1. Produção e Transformação de Luz; Albert Einstein (1905); Artigo 5 do

Leia mais

Uma breve história do mundo dos quanta. Érica Polycarpo Equipe de Física Coordenação: Prof. Marta Barroso

Uma breve história do mundo dos quanta. Érica Polycarpo Equipe de Física Coordenação: Prof. Marta Barroso Uma breve história do mundo dos Érica Polycarpo Equipe de Física Coordenação: Prof. Marta Barroso Tópicos da Segunda Aula Abordagem histórica Radiação de corpo negro Efeito fotoelétrico Espalhamento Compton

Leia mais

Escola Secundária de Casquilhos Teste 2 de Física e Química A 10º ANO 10/12/ minutos

Escola Secundária de Casquilhos Teste 2 de Física e Química A 10º ANO 10/12/ minutos Escola Secundária de Casquilhos Teste 2 de Física e Química A 10º ANO 10/12/2013 90 minutos NOME Nº Turma Informação Professor Enc. de Educação TABELA DE CONSTANTES Velocidade de propagação da luz no vácuo

Leia mais

Escola Básica e Secundária Gonçalves Zarco Física e Química A, 10º ano Ano lectivo 2007 / 2008

Escola Básica e Secundária Gonçalves Zarco Física e Química A, 10º ano Ano lectivo 2007 / 2008 Escola Básica e Secundária Gonçalves Zarco Física e Química A, 0º ano Ano lectivo 007 / 008 Correcção do teste de avaliação sumativa Nome: N.º aluno: Turma: Classificação : Professor: GRUPO I. Texto I

Leia mais

EXERCÍCIOS. Química 10. e problemas Exames Testes intermédios Professor Luís Gonçalves

EXERCÍCIOS. Química 10. e problemas Exames Testes intermédios Professor Luís Gonçalves Química 10 EXERCÍCIOS e problemas Exames 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Testes intermédios 2008 2009 2010 2011 Escola Técnica Liceal Salesiana do Estoril Professor Luís Gonçalves 2 3 4 UNIDADE 1 Das estrelas

Leia mais

Relação da intensidade com poder emissivo, irradiação e radiosidade

Relação da intensidade com poder emissivo, irradiação e radiosidade Relação da intensidade com poder emissivo, irradiação e radiosidade O poder emissivo espectral (W/m 2.μm) corresponde à emissão espectral em todas as direcções possíveis: 2π π 2 ( ) /, (,, ) cos sin E

Leia mais

Os princípios da espectroscopia: Teoria DESENVOLVENDO UMA CIÊNCIAMELHOR AGILENT E VOCÊ

Os princípios da espectroscopia: Teoria DESENVOLVENDO UMA CIÊNCIAMELHOR AGILENT E VOCÊ Os princípios da espectroscopia: Teoria DESENVOLVENDO UMA CIÊNCIAMELHOR AGILENT E VOCÊ 1 A Agilent tem um compromisso com a comunidade educacional e está disposta a conceder acesso ao material de propriedade

Leia mais

= AT Lei de Stefan-Boltzmann

= AT Lei de Stefan-Boltzmann Radiação transporte de energia sob a forma de ondas electromagnéticas. No vazio, a propagação dá-se à velocidade da luz. A radiação térmica, emitida por um sólido ou líquido em virtude da sua temperatura

Leia mais