LABORG. VHDL Máquina de estados finitos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LABORG. VHDL Máquina de estados finitos"

Transcrição

1 LABORG VHDL Máquina de estados finitos

2 Sumário Introdução TRABALHO A FAZER A ENTREGAR 2

3 Na aula anterior vimos: Introdução VHDL pode ser vista não como uma, mas como várias linguagens modelagem/simulação/síntese e dentro de process/fora de process Processos paralelos são naturais em VHDL dentro e fora do comando process Process usado para hardware combinacional ou seqüencial, ou mistura de ambos Variáveis sinais sinais são fios, variáveis podem ou não ser implementadas com fios; sinais têm atribuição retardada até a próxima suspensão do processo, variáveis têm atribuição imediata Expressões com sinais usam o valor do sinal antes da suspensão do processo (valor antigo, se ele foi mudado em comando anterior) Exercícios iniciais de interpretação de comandos process 3

4 Elementos do Modelo Estado Máquina de estados Transição» Relógio Reset Determinismo Modelo determinístico Modelo não determinístico Tipos de Máquina Mealy versus Moore reset Representação de Máquina de Estados Finito Um processo com um único sinal representando o estado Dois processos, um representando a operação combinacional e outro representando o elemento de memorização para troca de estados E0 A A E1 4

5 Máquina de Moore Entrada Saída Circuito Combinacional Memória (FFs) Circuito Combinacional Saída muda somente na transição do relógio 5

6 entity Moore is port ( ck: in std_logic; entrada: in std_logic; saida: out std_logic ); end Moore; Máquina de estados architecture A_Moore of Moore is type STATE_TYPE is (S0, S1, S2, S3); signal estado: STATE_TYPE; begin process(ck, reset) begin if reset = '1' then estado <= S0; elsif ck'event and ck = '1' then end process; end A_Moore; << Máquina de estados >> 6

7 Máquina de estados case estado is when S0 => saida <= '0'; if entrada = '1' then estado <= S2; when S1 => saida <= '1'; if entrada = '0' then estado <= S0; else estado <= S2; when S2 => saida <= '1'; if entrada = '1' then estado <= S3; when S3 => saida <= '0'; if entrada = '1' then estado <= S1; end case; 7

8 Máquina de Mealy Saída muda em função da entrada e do estado corrente Entrada Saída Circuito Combinacional Memória (FFs) Circuito Combinacional 8

9 entity Mealy is port ( ck: in std_logic; entrada: in std_logic; saida: out std_logic ); end Mealy; Máquina de estados architecture A_Mealy of Mealy is type STATE_TYPE is (S0, S1, S2, S3); signal estado: STATE_TYPE; begin <PROCESSO DE CONTROLE DE ESTADO> <PROCESSO DE CONTROLE DE SAÍDA> end A_Mealy; 9

10 Máquina de estados Processo de controle de estado process(ck, reset) begin if reset = '1' then estado <= S0; elsif ck'event and ck = '1' then end process; << Máquina de estados >> case estado is when S0 => if entrada = '1' then estado <= S2; when S1 => if entrada = '0' then estado <= S0; else estado <= S2; when S2 => if entrada = '1' then estado <= S3; Processo de controle da saída when S3 => if entrada = '1' then estado <= S1; end case; Saída <= '1 when entrada = '1 and (estado = S1 or estado = S3) else 0 ; 10

11 Sumário Introdução TRABALHO A FAZER A ENTREGAR 11

12 TRABALHO A FAZER 1. Implemente o hardware para cronômetro de basquete 2. Especificação do cronômetro: Jogos de basquete atuais são compostos de 4 tempos de 15 minutos cada. Assim, o cronômetro deve contar até 15 minutos e saber em que tempo o jogo se encontra O cronômetro deve poder ser parado e reiniciado a qualquer instante, e deve poder ser reinicializado para o instante 00 minutos, 00 segundos e 00 centésimos do tempo 1 Como intuído no item anterior são 4 as saídas do cronômetro: minutos, segundos, centésimos e quarto Em situações excepcionais, tais como erros de arbitragem, o cronômetro deve poder ser inicializado para um instante qualquer de um tempo, com precisão máxima a nível de minutos e segundos inteiros. A seguir apresenta-se um diagrama da interface externa do cronômetro 12

13 TRABALHO A FAZER Cristal de 50MHz clock reset Novo_valor C_Minutos C_Segundos Quarto Minutos Val_Display Anodo Para_continua Novo_quarto Atenção: Todas as ações do sistema devem ser síncronas com o sinal de relógio!!! 13

14 Uma possível FSM de controle Não está no desenho, mas todos os estados tem uma condição default, que é permanecer no mesmo estado 14

15 Sumário Introdução TRABALHO A FAZER A ENTREGAR 15

16 A ENTREGAR T5 O projeto desta aula devidamente simulado, contendo: 1. O cronômetro: fonte VHDL 2. Relatório (PDF) contendo: Relatório descrevendo a implementação Estados implementados + Diagrama de blocos Testbench Formas de onda mostrando a funcionalidade 16

Exercícios de Fixação

Exercícios de Fixação Exercícios de Fixação Para entregar em 07/02/2013 Exercício I Implemente o circuito de seis portas lógicas abaixo em VHDL; Crie um projeto com o simulador Modelsim que contenha o par entidade-arquitetura

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Digitais. Lógica Sequencial. Prof. Dr. Alexandre M. Amory Prof. Dr Edson I. Moreno

Fundamentos de Sistemas Digitais. Lógica Sequencial. Prof. Dr. Alexandre M. Amory Prof. Dr Edson I. Moreno Fundamentos de Sistemas Digitais Lógica Sequencial Prof. Dr. Alexandre M. Amory Prof. Dr Edson I. Moreno 2 Referências Sugiro estudarem nesta ordem de preferência: Floyd, Cap 7 até 7.4, 9, 10. Não tem

Leia mais

12/11/13. Obje%vos do laboratório. SST20707 Síntese de Sistemas de Telecomunicações. Síntese de máquinas de estado (FSM) Finite State Machine (FSM)

12/11/13. Obje%vos do laboratório. SST20707 Síntese de Sistemas de Telecomunicações. Síntese de máquinas de estado (FSM) Finite State Machine (FSM) Instituto Federal de Santa Catarina Área de Telecomunicações SST20707 Síntese de Sistemas de Telecomunicações Prof. Roberto de Matos Aviso de direitos Autorais: Transparências baseadas no trabalho do Prof.

Leia mais

Implementação de um Sistema Digital em VHDL Cronômetro para Jogos de Basquete

Implementação de um Sistema Digital em VHDL Cronômetro para Jogos de Basquete - 1 - V 1.0 - De: 02/maio/2012 por Ney Calazans Laboratório de Organização de Computadores-EC V 3.2 - De: 21/abril/2013 por Fernando Gehm Moraes e Ney Calazans Implementação de um Sistema Digital em VHDL

Leia mais

LABORG. Parte 3 - VHDL: Processos, Paralelismo e o Comando process. Fernando Gehm Moraes Ney Laert Vilar Calazans

LABORG. Parte 3 - VHDL: Processos, Paralelismo e o Comando process. Fernando Gehm Moraes Ney Laert Vilar Calazans LABORG Parte 3 - VHDL: Processos, Paralelismo e o Comando process Fernando Gehm Moraes Ney Laert Vilar Calazans 31/março/2014 Sumário Ø Introdução Ø Processos em VHDL Ø TRABALHO A FAZER Ø A ENTREGAR 2

Leia mais

FSM em VHDL e Verificação Funcional. CMP de junho de 2006

FSM em VHDL e Verificação Funcional. CMP de junho de 2006 FSM em VHDL e Verificação Funcional CMP 238 20 de junho de 2006 Máquina de Estados: exemplo Reset= S0 S S3 X= S2 Descrição em VHDL library IEEE; use IEEE.STD_LOGIC_64.ALL; use IEEE.STD_LOGIC_ARITH.ALL;

Leia mais

Funções de Lógica Combinacional

Funções de Lógica Combinacional Fundamentos de Sistemas Digitais Funções de Lógica Combinacional prof. Dr. Alexandre M. Amory prof. Dr. Edson I. Moreno Referências Sugiro estudarem nesta ordem de preferência: Floyd, Cap 6. ppt segue

Leia mais

Projeto de Circuito Combinacional

Projeto de Circuito Combinacional ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES I Projeto de Circuito Combinacional Unidade Lógica e Aritmética (ULA) prof. Dr. César Augusto M. Marcon prof. Dr. Edson Ifarraguirre Moreno 2 / 12 ULA Unidade

Leia mais

Descreva em VHDL, simule no simulador logico e sintetize usando uma ferramenta de CAD para FPGA :

Descreva em VHDL, simule no simulador logico e sintetize usando uma ferramenta de CAD para FPGA : UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMATICA LISTA DE EXERCÍCIOS DE SISTEMAS DIGITAIS Prof. Fernanda Gusmão de Lima Kastensmidt E Marcelo Porto (aluno mestrado PPGC) Descreva em VHDL,

Leia mais

low): Descreve o que o sistema deve fazer utilizando expressões lógicas.

low): Descreve o que o sistema deve fazer utilizando expressões lógicas. Descrição por fluxo de dados (Data Data-Flow low): Descreve o que o sistema deve fazer utilizando expressões lógicas. Descrição estrutural: Descreve como é o hardware em termos de interconexão de componentes.

Leia mais

FPGA & VHDL. Tutorial

FPGA & VHDL. Tutorial FPGA & VHDL Tutorial 2009-2 FPGA FieldProgrammableGateArray Dispositivo lógico contendo uma matriz de: Células lógicas genéricas Configuráveis ( programadas ) para desempenhar uma função simples Chaves

Leia mais

FPGA & VHDL. Tutorial Aula 1. Computação Digital

FPGA & VHDL. Tutorial Aula 1. Computação Digital FPGA & VHDL Tutorial Aula 1 Computação Digital FPGA Field Programmable Gate Array Dispositivo lógico contendo uma matriz de: Células lógicas genéricas Configuráveis ( programáveis ) para desempenhar uma

Leia mais

VHDL - VHSIC Hardware Description Language. Exemplo prático. Raiz Quadrada

VHDL - VHSIC Hardware Description Language. Exemplo prático. Raiz Quadrada VHDL - VHSIC Hardware Description Language Exemplo prático Raiz Quadrada Exemplo de um circuito completo Descrição de um circuito que realiza a raiz quadrada de um número natural; Obtenção de um modelo

Leia mais

Circuitos Seqüenciais

Circuitos Seqüenciais Circuitos Seqüenciais Circuitos Lógicos DCC-IM/UFRJ Prof. Gabriel P. Silva Circuitos Seqüenciais Um circuito seqüencial síncrono consiste de um circuito combinacional e uma rede de memória formada por

Leia mais

Aula 7 SISTEMAS DIGITAIS. Linguagem de Descrição de Hardware VHDL Maquinas de Estados. Prof. Fernanda Gusmão de Lima Kastensmidt

Aula 7 SISTEMAS DIGITAIS. Linguagem de Descrição de Hardware VHDL Maquinas de Estados. Prof. Fernanda Gusmão de Lima Kastensmidt SISTEMAS DIGITAIS Linguagem de Descrição de Hardware VHDL Maquinas de Estados Prof. Fernanda Gusmão de Lima Kastensmidt fglima@inf.ufrgs.br Maquinas de Estado Tipo Melay and Moore Entrada estado f Reset

Leia mais

O diagrama ASM contém dois elementos básicos: o bloco de estado e o bloco de decisão.

O diagrama ASM contém dois elementos básicos: o bloco de estado e o bloco de decisão. 14 3.2 Projeto da Unidade de Controle (VHDL) 3.2.1 Diagrama ASM (Algorithmic State Machine) ASM é um fluxograma através do qual se representa a seqüência de ações que a unidade de controle de um sistema

Leia mais

Introdução à Linguagem VHDL

Introdução à Linguagem VHDL Sistemas Digitais EEL 480 Introdução à Linguagem VHDL Luís Henrique M. K. Costa luish@gta.ufrj.br UFRJ DEL/Poli e PEE/COPPE P.O. Box 68504 - CEP 21941-972 - Rio de Janeiro - RJ Brasil - http://www.gta.ufrj.br

Leia mais

Demonstração de imagens de auxílio didático. VHDL - Descrição e Síntese de Circuitos Digitais Roberto d Amore

Demonstração de imagens de auxílio didático. VHDL - Descrição e Síntese de Circuitos Digitais Roberto d Amore Demonstração de imagens de auxílio didático VHDL - Descrição e Síntese de Circuitos Digitais Roberto d Amore ISBN 85-216-1452-7 Editora LTC www.ltceditora.com.br Para imagens de um curso completo consulte:

Leia mais

Circuitos Seqüenciais

Circuitos Seqüenciais ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES I Circuitos Seqüenciais Contadores prof. Dr. César Augusto M. Marcon prof. Dr. Edson Ifarraguirre Moreno 2 / 8 Introdução Contadores são circuitos de natureza

Leia mais

Eletrônica Digital para Instrumentação. Herman Lima Jr.

Eletrônica Digital para Instrumentação. Herman Lima Jr. G03 Eletrônica Digital para Instrumentação Prof: hlima@cbpf.br Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) Parâmetros de circuitos integrados lógicos Dispositivos

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Organização e Arquitetura de Computadores I Circuitos Lógicos Sequenciais (Parte

Leia mais

Análise de Circuitos Sequënciais Máquinas de Mealy e Moore

Análise de Circuitos Sequënciais Máquinas de Mealy e Moore INF 8 Técnicas Digitais para Computação Análise de Circuitos Sequënciais Máquinas de Mealy e Moore Aula 23 Técnicas Digitais. Introdução circuito seqüencial síncrono reconhecido se contém flip-flops (ou

Leia mais

Registradores. Circuitos Lógicos. DCC-IM/UFRJ Prof. Gabriel P. Silva

Registradores. Circuitos Lógicos. DCC-IM/UFRJ Prof. Gabriel P. Silva Registradores Circuitos Lógicos DCC-IM/UFRJ Prof. Gabriel P. Silva 2 Registradores Conjunto de elementos de memória (flip-flops ou latches) utilizados para armazenar n bits. Utilizam um único sinal de

Leia mais

II Escola Regional de Mato Grosso do Sul - II ERI-MS

II Escola Regional de Mato Grosso do Sul - II ERI-MS II Escola Regional de Mato Grosso do Sul - II ERI-MS Ponta Porã - MS - 24 a 26 de agosto de 2011 Minicurso: Implementação de Circuitos Digitais Utilizando Computação Reconfigurável Ricardo Santos, André

Leia mais

ISE com VHDL estrutural

ISE com VHDL estrutural UFRJ - DEL EEL480-2014 Laboratório - Turmas EL1, EL2 ISE com VHDL estrutural Texto para as aulas de laboratório, a ser complementado pelo Tutorial dos Alunos e manuais da Xilinx UG331, UG334 e UG695. Mário

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Informática e Estatística Curso de Graduação em Ciências da Computação

Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Informática e Estatística Curso de Graduação em Ciências da Computação Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Informática e Estatística Curso de Graduação em Ciências da Computação Sistemas Digitais INE 546 Aula 4-T 4 Máquinas Seqüenciais

Leia mais

Circuitos sequenciais Adaptado dos transparentes das autoras do livro The Essentials of Computer Organization and Architecture

Circuitos sequenciais Adaptado dos transparentes das autoras do livro The Essentials of Computer Organization and Architecture Capítulo 3 Circuitos sequenciais Adaptado dos transparentes das autoras do livro The Essentials of Computer Organization and Architecture Objectivos Conhecer alguns dos principais circuitos digitais sequenciais

Leia mais

Descrição e Projeto de Circuitos Utilizando VHDL

Descrição e Projeto de Circuitos Utilizando VHDL Descrição e Projeto de Circuitos Utilizando VHDL O projeto de circuitos digitais de forma automatizada se tornou prática industrial comum. As principais vantagens são : Portabilidade de tecnologia Melhor

Leia mais

Laboratório sobre Implementação de Sistemas Digitais com VHDL Multiplicação por somas sucessivas

Laboratório sobre Implementação de Sistemas Digitais com VHDL Multiplicação por somas sucessivas Laboratório sobre Implementação de Sistemas Digitais com VHDL - Multiplicação por somas sucessivas 1 Laboratório sobre Implementação de Sistemas Digitais com VHDL Multiplicação por somas sucessivas Prática:

Leia mais

Gustavo G. Parma. Objetivos: O aluno deverá ser capaz de compreender os conceitos básicos de VHDL.

Gustavo G. Parma. Objetivos: O aluno deverá ser capaz de compreender os conceitos básicos de VHDL. Introdução à VHDL Gustavo G. Parma Assunto: Introdução à VHDL. Objetivos: O aluno deverá ser capaz de compreender os conceitos básicos de VHDL. 1 Introdução Teórica VHDL, VHSIC (Very High Speed Integrated

Leia mais

Revisão: Projeto de Processadores em VHDL

Revisão: Projeto de Processadores em VHDL Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia de Computação e Automação Revisão: Projeto de Processadores em VHDL DCA0119 Sistemas Digitais Heitor Medeiros Florencio 1 Sumário

Leia mais

LABORG. Parte 5 Projeto de um circuito digital de média complexidade Parte 2. Fernando Gehm Moraes Matheus Trevisan

LABORG. Parte 5 Projeto de um circuito digital de média complexidade Parte 2. Fernando Gehm Moraes Matheus Trevisan LABORG Parte 5 Projeto de um circuito digital de média complexidade Parte 2 Fernando Gehm Moraes Matheus Trevisan 0/maio/2015 Relógio de Xadrez 1. Em campeonatos, o xadrez é jogado usando um relógio. A

Leia mais

Latches e Flip-Flops. Circuitos Lógicos. DCC-IM/UFRJ Prof. Gabriel P. Silva

Latches e Flip-Flops. Circuitos Lógicos. DCC-IM/UFRJ Prof. Gabriel P. Silva Latches e Flip-Flops Circuitos Lógicos DCC-IM/UFRJ Prof. Gabriel P. Silva Diagrama Geral de um Sistema Digital Latch com Portas NOR Diagrama de Tempos Latch com Portas NOR Gated Latch c/ portas NOR R R

Leia mais

Aula 17. Máquina de Estados Parte 1. SEL Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira

Aula 17. Máquina de Estados Parte 1. SEL Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Aula 17 Máquina de Estados Parte 1 SEL 0414 - Sistemas Digitais Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Bibliografia l l l Tocci, R. J.; Widmer, N. S. Sistemas Digitais Princípios e Aplicações. 8ª Ed.,

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Informática e Estatística Curso de Graduação em Ciências da Computação

Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Informática e Estatística Curso de Graduação em Ciências da Computação Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Informática e Estatística Curso de Graduação em Ciências da Computação Aula 5-T 2. Máquinas Sequencias Síncronas: Codificação de

Leia mais

EPUSP PCS 2355 Laboratório Digital. Contadores em VHDL

EPUSP PCS 2355 Laboratório Digital. Contadores em VHDL Contadores em VHDL Versão 2012 RESUMO Esta experiência consiste no projeto e implementação de circuitos contadores com o uso da linguagem de descrição de hardware VHDL. São apresentados aspectos básicos

Leia mais

Divisão de Engenharia Eletrônica Laboratório de ELE-20

Divisão de Engenharia Eletrônica Laboratório de ELE-20 Versão original: Prof. Duarte Lopes de Oliveira Versão digital : TCel. Fábio Durante Prof. de Laboratório: Prof. Giovanni Fernandes Amaral Sala 183 IEEA gfamaral@ita.br Divisão de Engenharia Eletrônica

Leia mais

Circuitos Seqüenciais

Circuitos Seqüenciais ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES I Circuitos Seqüenciais prof. Dr. César Augusto M. Marcon prof. Dr. Edson Ifarraguirre Moreno 2 / 13 Sistemas Digitais Definição funcional: Aparato dotado de conjuntos

Leia mais

1. Objetivos: Familiarizar o aluno com o uso do ambiente de desenvolvimento da Linguagem Verilog. Familiarizar o aluno com a linguagem Verilog.

1. Objetivos: Familiarizar o aluno com o uso do ambiente de desenvolvimento da Linguagem Verilog. Familiarizar o aluno com a linguagem Verilog. 1. Objetivos: Familiarizar o aluno com o uso do ambiente de desenvolvimento da Linguagem Verilog. Familiarizar o aluno com a linguagem Verilog. 2. Material utilizado: Ambiente Eclipse 3. Introdução: 3.1

Leia mais

Introdução à Linguagem VHDL

Introdução à Linguagem VHDL Fundamentos de Sistemas Digitais Introdução à Linguagem VHDL prof. Dr. Alexandre M. Amory Referências Sugiro estudarem nesta ordem de preferência: Vahid, Cap 9 Ignorar verilog e SystemC Bem didático! um

Leia mais

Disciplina de SSC Elementos de Lógica Digital II (Prática)

Disciplina de SSC Elementos de Lógica Digital II (Prática) USP - ICMC - SSC SSC 0113 (Lab ELD II) - 2o. Semestre 2012 Disciplina de SSC0113 - Elementos de Lógica Digital II (Prática) 1 Prof. Fernando Osório Email: fosorio [at] { icmc. usp. br, gmail. com } Estagiário

Leia mais

Aula 18. Máquina de Estados Parte 2. SEL Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira

Aula 18. Máquina de Estados Parte 2. SEL Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Aula 8 Máquina de Estados Parte 2 SEL 44 - Sistemas Digitais Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Eemplo de Projetos Síntese de Circuitos Sequenciais Eemplo de Projeto: l Contador binário síncrono

Leia mais

2. FLIP FLOP tipo D síncrono borda de descida e com entradas assíncronas preset e clear. PRE Q n F/F CLR

2. FLIP FLOP tipo D síncrono borda de descida e com entradas assíncronas preset e clear. PRE Q n F/F CLR AULA 04 Entradas Assíncronas, preset e clear, borda de subida e descida, set-up e hold, associação de F/Flop tipo T, contador assíncrono crescente e decrescente. Livro Texto pág. 149 a 152 1. Entradas

Leia mais

Centro de Educação Profissional da Universidade Estadual de Campinas

Centro de Educação Profissional da Universidade Estadual de Campinas Professor - Romeu Corradi Júnior Centro de Educação Profissional da Universidade Estadual de Campinas Atividades: Resolução de exercícios com alguns comentários (Lista 01-FSM1) 1. Obter as tabelas de transição

Leia mais

Aula 14: Lógica e circuitos digitais

Aula 14: Lógica e circuitos digitais Aula 14: Lógica e circuitos digitais Circuitos combinacionais circuitos sequenciais Rodrigo Hausen hausen@usp.br 29 de setembro de 2011 http://cuco.pro.br/ach2034 Rodrigo Hausen (hausen@usp.br) Aula 14:

Leia mais

ELT601 Eletrônica Digital II

ELT601 Eletrônica Digital II Graduação em Engenharia Eletrônica Universidadee Federal de Itajubá IESTI Máquinas de Estados Finitos de Paula Rodrigues Contexto Aplicações dos Flip-flops síncronos Armazenamento de dados Q Transferência

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Informática e Estatística Curso de Graduação em Ciências da Computação

Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Informática e Estatística Curso de Graduação em Ciências da Computação Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Informática e Estatística Curso de Graduação em Ciências da Computação Lógica Programável INE 5348 Aula 5 Máquinas Seqüenciais

Leia mais

Introdução ao VHDL. Circuitos Lógicos. DCC-IM/UFRJ Prof. Gabriel P. Silva. Original por Ayman Wahba

Introdução ao VHDL. Circuitos Lógicos. DCC-IM/UFRJ Prof. Gabriel P. Silva. Original por Ayman Wahba Introdução ao VHDL Circuitos Lógicos DCC-IM/UFRJ Prof. Gabriel P. Silva Original por Ayman Wahba VHDL É uma linguaguem de descrição de hardware, ou seja, uma forma estruturada para a descrição de circuitos

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores II

Organização e Arquitetura de Computadores II Organização e Arquitetura de Computadores II Rômulo Calado Pantaleão Camara Romulo.camara@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~romulo.camara 60h/02h Disciplinas Correlacionadas Programação Org. e Arq. de

Leia mais

Prototipação em PLDs

Prototipação em PLDs Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS Prototipação em PLDs Introdução ao VHDL Autor: Prof. Rodrigo Marques de Figueiredo Agenda Introdução; - Histórico; - Características do VHDL; - Aplicações

Leia mais

Circuitos Combinacionais Básicos

Circuitos Combinacionais Básicos ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES I Circuitos Combinacionais Básicos Descrição VHDL prof. Dr. César Augusto M. Marcon prof. Dr. Edson Ifarraguirre Moreno 2 / 17 Circuitos combinacionais básicos

Leia mais

Curso Superior de Sistemas de Telecomunicações Unidade São José. Disciplina: Síntese de Sistemas de Telecomunicações 7º Fase

Curso Superior de Sistemas de Telecomunicações Unidade São José. Disciplina: Síntese de Sistemas de Telecomunicações 7º Fase Curso Superior de Sistemas de Telecomunicações Unidade São José Disciplina: Síntese de Sistemas de Telecomunicações 7º Fase Bases tecnológicas Dispositivos Lógicos Programáveis. Introdução à Tecnologia

Leia mais

ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES I. Introdução ao VHDL. César A. M. Marcon

ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES I. Introdução ao VHDL. César A. M. Marcon ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES I Introdução ao VHDL César A. M. Marcon VHDL Uma Linguagem de Descrição de Hardware 2 Originou como linguagem para descrever hardware, no contexto do programa

Leia mais

DISPOSITIVOS LÓGICOS PROGRAMÁVEIS - DLP. 10/03/2017 Prof. Alexandre - ELP1DLP1 / DEE

DISPOSITIVOS LÓGICOS PROGRAMÁVEIS - DLP. 10/03/2017 Prof. Alexandre - ELP1DLP1 / DEE DISPOSITIVOS LÓGICOS PROGRAMÁVEIS - DLP 1 Objetivos da Aula: Introdução à Linguagem VHDL Plano de Ensino Conteúdo Programático 3. Ferramentas de Desenvolvimento 3.4. Editor de texto (programação VHDL ou

Leia mais

Introdução. VHDL: VHSIC Hardware Description Language. Origem: VHSIC: Very High Speed Integrated Circuits. Departamento de Defesa EUA

Introdução. VHDL: VHSIC Hardware Description Language. Origem: VHSIC: Very High Speed Integrated Circuits. Departamento de Defesa EUA Introdução VHDL: VHSIC Hardware Description Language VHSIC: Very High Speed Integrated Circuits Origem: Departamento de Defesa EUA desenvolvida entre anos 70 e 80 descrever e modelar circuitos complexos

Leia mais

Introdução à Linguagem VHDL

Introdução à Linguagem VHDL ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES I Introdução à Linguagem VHDL prof. Dr. César Augusto M. Marcon prof. Dr. Edson Ifarraguirre Moreno 2 / 16 VHDL Uma Linguagem de Descrição de Hardware Originou

Leia mais

DISPOSITIVOS LÓGICOS PROGRAMÁVEIS - DLP. 18/04/2016 Prof. Alexandre - ELP1DLP1 / DEE

DISPOSITIVOS LÓGICOS PROGRAMÁVEIS - DLP. 18/04/2016 Prof. Alexandre - ELP1DLP1 / DEE DISPOSITIVOS LÓGICOS PROGRAMÁVEIS - DLP 1 Objetivos da Aula: Introdução à Linguagem VHDL Plano de Ensino Conteúdo Programático 3. Ferramentas de Desenvolvimento 3.4. Editor de texto (programação VHDL ou

Leia mais

Eletrônica Digital II

Eletrônica Digital II FACULDADE SANTO AGOSTINHO - FSA ENGENHARIA ELÉTRICA Eletrônica Digital II Prof. Fábio Leite, Esp Tópicos Procedimento de projeto de circuitos sequenciais Projeto com FFs tipo D Projeto com FFs tipo JK

Leia mais

VHDL Lógica Síncrona. Sinais de Saída. Sinais de Entrada. barreira. carg. VHDL -Lógica Síncrona

VHDL Lógica Síncrona. Sinais de Saída. Sinais de Entrada. barreira. carg. VHDL -Lógica Síncrona VHDL Lógica Síncrona Circuitos combinacionais respondem a estímulos com um atraso que depende de sua implementação Para sincronizar subsistemas em lógica combinacional utiliza-se barreiras temporais, que

Leia mais

Introdução a Sistemas Digitais

Introdução a Sistemas Digitais Introdução a Sistemas Digitais Definição Sistemas Digitais Projeto Revisão: Circuitos Combinacionais Circuitos Sequênciais Máquinas de Estados Sistemas Digitais Definição Um sistema digital é um sistema

Leia mais

PDA de Sistemas Digitais em Circuitos Programáveis

PDA de Sistemas Digitais em Circuitos Programáveis 56 PDA de Sistemas Digitais em Circuitos Programáveis Codificador FF LUTs 4 LUTs 3 CLBs If-Then-Else 0 3 0 2 With -Select 0 3 0 2 Case 0 3 0 2 Porta Lógica 0 3 0 2 Tabela 3.9 Recursos utilizados do FPGAs

Leia mais

2 a Lista de Exercícios

2 a Lista de Exercícios Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Informática e Estatística Bacharelado em Ciências da Computação INE 5406 - Sistemas Digitais - semestre 2011/2 Prof. José Luís Güntzel guntzel@inf.ufsc.br

Leia mais

PROJECTO DE UM SISTEMA DE FECHADURA ELECTRÓNICA

PROJECTO DE UM SISTEMA DE FECHADURA ELECTRÓNICA TRABALHO DE LABORATÓRIO V PROJECTO DE UM SISTEMA DE FECHADURA ELECTRÓNICA 1. INTRODUÇÃO Pretende-se com este trabalho que os alunos projectem um sistema de fechadura electrónica. Este trabalho é considerado

Leia mais

Livro texto: VHDL- Descrição e Síntese de Circuitos Digitais Roberto D Amore Editora LTC

Livro texto: VHDL- Descrição e Síntese de Circuitos Digitais Roberto D Amore Editora LTC Livro texto: VHDL- Descrição e Síntese de Circuitos Digitais Roberto D Amore Editora LTC Linguagem para descrever o funcionamento de um sistema (o que e como o sistema faz). O sistema descrito em HDL

Leia mais

ELT601 Eletrônica Digital II Graduação em Engenharia Eletrônica

ELT601 Eletrônica Digital II Graduação em Engenharia Eletrônica ELT6 Eletrônica Digital II Graduação em Engenharia Eletrônica Universidade Federal de Itajubá IESTI Verilog HDL Máquinas de estados finitos Prof. Rodrigo de Paula Rodrigues ircuitos sequenciais Q Q Q Q

Leia mais

VHDL é uma linguagem bastante complexa!

VHDL é uma linguagem bastante complexa! arquitetura de computadores UTFPR DAELN Engenharia de Computação prof. Juliano µprocessador 1 Tutorial de Introdução ao VHDL Uma HDL é uma Hardware Definition Language, ou seja, não é uma linguagem de

Leia mais

Prototipação de Sistemas Digitais. Metodologia de Projetos Cristiano Araújo

Prototipação de Sistemas Digitais. Metodologia de Projetos Cristiano Araújo Prototipação de Sistemas Digitais Metodologia de Projetos Cristiano Araújo Fluxo de projeto Emulação/Implementação do componente de harwdare VHDL/Verilog Simulação FPGAs, CPLDs Síntese p/emulação ASICs

Leia mais

CAPÍTULO 6 CIRCUITOS SEQUENCIAIS IV: PROJETO DE REDES SEQUENCIAIS

CAPÍTULO 6 CIRCUITOS SEQUENCIAIS IV: PROJETO DE REDES SEQUENCIAIS 92 CAPÍTULO 6 CIRCUITOS SEQUENCIAIS IV: PROJETO DE REDES SEQUENCIAIS Sumário 6.. Introdução... 94 6... Máquina de Estados de Moore... 94 6..2. Máquina de Estados de Mealy... 95 6.2. Projeto de Redes Sequenciais...

Leia mais

AULA 8 Máquina de Estados Finitos F.S.M. (pg. 132 a 135).

AULA 8 Máquina de Estados Finitos F.S.M. (pg. 132 a 135). AULA 8 Máquina de Estados Finitos F.S.M. (pg. 32 a 35).. Síntese de sistemas seqüenciais síncronos. Exemplo 3.5: Chave de carro segura. NOTAS DE AULA NE7720 SISTEMAS DIGITAIS - II A chave de automóvel

Leia mais

EPUSP PCS 3335/3635 Laboratório Digital. Circuito em VHDL

EPUSP PCS 3335/3635 Laboratório Digital. Circuito em VHDL Circuito em VHDL Versão 2017 RESUMO Esta experiência tem como objetivo um contato inicial com o desenvolvimento do projeto de um circuito digital simples em VHDL e sintetizado para uma placa de desenvolvimento

Leia mais

Prof. Leonardo Augusto Casillo

Prof. Leonardo Augusto Casillo UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Aula 3 Introdução ao VHDL Prof. Leonardo Augusto Casillo O que significa VHDL? Very High Speed Integrated Circuit Hardware Description

Leia mais

Plano de Aula 26/8/13. VHDL - Visão Geral. Obje%vos: VHDL - Visão Geral. Descrição de circuito digital em VHDL

Plano de Aula 26/8/13. VHDL - Visão Geral. Obje%vos: VHDL - Visão Geral. Descrição de circuito digital em VHDL Instituto Federal de Santa Catarina Área de Telecomunicações SST20707 Síntese de Sistemas de Telecomunicações Prof. Roberto de Matos viso de direitos utorais: Transparências baseadas no trabalho do Prof.

Leia mais

Sistemas Digitais (SD) Lógica Programável

Sistemas Digitais (SD) Lógica Programável Sistemas Digitais (SD) Lógica Programável Aula Anterior n Na aula anterior: u Circuitos de controlo, transferência e processamento de dados u Exemplo de uma arquitectura simples de um processador 2 Planeamento

Leia mais

Computador Cleópatra

Computador Cleópatra ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES Computador Cleópatra Interface Hardware e Software Alexandre Amory Edson Moreno 2 / 9 Nas Aulas Anteriores Vimos como descrever e implementar circuitos combinacionais

Leia mais

Projeto de Somador com e sem Sinal. Qualificadores

Projeto de Somador com e sem Sinal. Qualificadores ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES I Projeto de Somador com e sem Sinal Qualificadores César A. M. Marcon Planejando a Descrição de um Somador 2 Como descrever uma soma? S

Leia mais

Projecto de Sistemas Digitais

Projecto de Sistemas Digitais Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores Duração máxima: 60 minutos, sem consulta. Projecto de Sistemas Digitais 4º ano - 1º semestre 2º miniteste 17 de Dezembro 2007 NOME: [5 valores]

Leia mais

Aula 12. Flip-Flop Parte 1. SEL Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira

Aula 12. Flip-Flop Parte 1. SEL Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Aula 2 Flip-Flop Parte SEL 044 - Sistemas Digitais Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Combinacionais X Sequenciais l Circuitos Combinacionais: o valor da saída no instante t depende apenas da combinação

Leia mais

Eletrônica Digital para Instrumentação

Eletrônica Digital para Instrumentação G4 Eletrônica Digital para Instrumentação Prof. Márcio Portes de Albuquerque (mpa@cbpf.br) Prof. Herman P. Lima Jr (hlima@cbpf.br) Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas Ministério da Ciência e Tecnologia

Leia mais

Introdução à Computação

Introdução à Computação Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Introdução à Computação Conceitos Básicos de Eletrônica Digital (Parte IV) Prof. a Joseana Macêdo Fechine Régis de Araújo joseana@computacao.ufcg.edu.br

Leia mais

FLIP-FLOPS: RS e D (teoria)

FLIP-FLOPS: RS e D (teoria) FLIP-FLOPS: RS e D (teoria) A eletrônica digital divide-se basicamente em duas áreas: a) lógica combinacional: que é caracterizada por circuitos cujas saídas dependem das entradas presentes no instante

Leia mais

VHDL é uma linguagem bastante complexa!

VHDL é uma linguagem bastante complexa! arquitetura de computadores UTFPR DAELN Engenharia de Computação prof. Juliano µprocessador 1 Tutorial de Introdução ao VHDL Uma HDL é uma Hardware Definition Language, ou seja, não é uma linguagem de

Leia mais

Índice. Modelos e Procedimentos

Índice. Modelos e Procedimentos Sumário Introdução ao projecto de lógica sequencial. Índice Modelos e Procedimentos Abstracção de elementos com estado Formas de lógica sequencial Representação de Máquinas de Estados Finitas Parte da

Leia mais

Circuitos sequenciais síncronos

Circuitos sequenciais síncronos Circuitos sequenciais síncronos ESTV-ESI-Sistemas Digitais-Circuitos Sequenciais Síncronos / Os circuitos sequenciais síncronos, também designados por máquinas sequenciais síncronas ou máquinas de estados,

Leia mais

Sistemas Digitais (SD)

Sistemas Digitais (SD) Sistemas Digitais (SD) Síntese de Circuitos Sequenciais: Minimização do Número de Estados S1 S2 S3 S4 S5 S6 S1-S3 S2-S4 S1-S5 S3-S5 S2-S6 S4-S6 S0 S1 S2 S3 S4 S5 Aula Anterior Na aula anterior: Definição

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Organização e Arquitetura de Computadores I Circuitos Lógicos Sequenciais (Parte

Leia mais

SISTEMAS DIGITAIS II Enunciados de Laboratório

SISTEMAS DIGITAIS II Enunciados de Laboratório SISTEMAS DIGITAIS II Enunciados de Laboratório Prof. José Sousa 2003/2004 JS/04 0 Sumário Trabalho - Memórias RAM... 2 Trabalho 2 - Memórias EPROM... 3 Trabalho 3 - Circuitos Sequenciais Síncronos Realização

Leia mais

Circuitos Digitais. Tipos de circuitos digitais: Circuitos combinacionais Circuitos sequenciais

Circuitos Digitais. Tipos de circuitos digitais: Circuitos combinacionais Circuitos sequenciais 1 Tipos de circuitos digitais: Circuitos combinacionais Circuitos sequenciais Circuitos Digitais Circuito combinacional: Circuito não é capaz de armazenar um valor Possui portas lógicas conectadas para

Leia mais

Uma Introdução às Linguagens de Descrição de Hardware

Uma Introdução às Linguagens de Descrição de Hardware Uma Introdução às Linguagens de Descrição de Hardware Edson T. Midorikawa (2001) revisado em 03/2007 Este texto tem como objetivo apresentar de forma bem sucinta as Linguagens de Descrição de Hardware,

Leia mais

Circuitos sequenciais

Circuitos sequenciais Circuitos sequenciais Saídas dependem da sequência das entradas não basta uma tabela de verdade! Exemplo: controlo do nível de água num tanque: entrada de água electro-válvula ABRE sistema digital de controlo

Leia mais

Implementação Multi-Ciclo

Implementação Multi-Ciclo Implementação Multi-Ciclo Fernando Moraes 09/10/2006 Última alteração - Ney Calazans, 05/06/2012 Reg1 Reg2 Reg n-1 Reg n IMPLEMENTAÇÃO MULTI-CICLO Cada estágio realiza uma parte do trabalho Registradores

Leia mais

Flip-Flop. Uma das coisa importantes que se pode fazer com portas booleanas é criar memória.

Flip-Flop. Uma das coisa importantes que se pode fazer com portas booleanas é criar memória. Uma das coisa importantes que se pode fazer com portas booleanas é criar memória. Se as portas forem dispostas corretamente, elas vão se lembrar do valor de entrada. A memória é baseada num conceito de

Leia mais

Capítulo 3 Circuitos lógicos seqüenciais: flip-flops, latches, contadores e registradores

Capítulo 3 Circuitos lógicos seqüenciais: flip-flops, latches, contadores e registradores Capítulo 3 Circuitos lógicos seqüenciais: flip-flops, latches, contadores e registradores Introdução Circuitos combinacionais x sequenciais Elemento básico: FLIP-FLOP (FF) Armazena informação (reter estado)

Leia mais

Flip-Flop. Uma das coisa importantes que se pode fazer com portas booleanas é criar memória.

Flip-Flop. Uma das coisa importantes que se pode fazer com portas booleanas é criar memória. Uma das coisa importantes que se pode fazer com portas booleanas é criar memória. Se as portas forem dispostas corretamente, elas vão selembrar do valor de entrada. A memória é baseada num conceito de

Leia mais

Circuitos Digitais. Conteúdo. Circuitos Sequenciais. Combinacionais x Sequenciais. Circuitos Sequenciais. Circuitos Sequenciais

Circuitos Digitais. Conteúdo. Circuitos Sequenciais. Combinacionais x Sequenciais. Circuitos Sequenciais. Circuitos Sequenciais Ciência da Computação Conteúdo Circuitos Combinacionais Sequenciais Flip-Flops e Dispositivos Sequenciais Flip-Flop RS com Entrada de Clock com Entradas Preset e Clear Prof. Sergio Ribeiro Exercício Material

Leia mais

PRÁTICAS PARA DESENVOLVIMENTO DE PROTÓTIPOS DE CIRCUITOS DIGITAIS COM O KIT EDUCACIONAL DE2

PRÁTICAS PARA DESENVOLVIMENTO DE PROTÓTIPOS DE CIRCUITOS DIGITAIS COM O KIT EDUCACIONAL DE2 UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PRÁTICAS PARA DESENVOLVIMENTO DE PROTÓTIPOS DE CIRCUITOS DIGITAIS COM O KIT EDUCACIONAL DE2 P R O F. S Í L V I O F E R N A N D E S CRONOGRAMA DO CURSO ATIVIDADE

Leia mais

GABRIELA SILVA RIBEIRO

GABRIELA SILVA RIBEIRO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA GABRIELA SILVA RIBEIRO ORANGECAD WEB UMA FERRAMENTA DE APOIO À SÍNTESE DE CIRCUITOS LÓGICOS SEQUENCIAIS VITÓRIA 2011

Leia mais

LABORG. Parte 1 Introdução à Simulação em VHDL. Fernando Moraes e Ney Laert Vilar Calazans

LABORG. Parte 1 Introdução à Simulação em VHDL. Fernando Moraes e Ney Laert Vilar Calazans LABORG Parte 1 Introdução à Simulação em VHDL Fernando Moraes e Ney Laert Vilar Calazans atualização - 05/agosto/2013 Mais informações sobre VHDL Web sites sobre VHDL e assuntos relacionados http://www.asic-world.com/vhdl/links.html

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA EM TELEINFORMÁTICA DISCIPLINA: PROJETO LÓGICO DIGITAL PROFESSOR: ALEXANDRE COELHO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA EM TELEINFORMÁTICA DISCIPLINA: PROJETO LÓGICO DIGITAL PROFESSOR: ALEXANDRE COELHO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA EM TELEINFORMÁTICA DISCIPLINA: PROJETO LÓGICO DIGITAL PROFESSOR: ALEXANDRE COELHO PRÁTICA 13 FLIP FLOPS D e JK 1. Objetivos: Familiarização com

Leia mais

Biestáveis R S, J K e D

Biestáveis R S, J K e D Circuitos Lógicos Biestáveis R S, J K e D Prof.: Daniel D. Silveira Horário: 4a.f e 6a.f de 10h às 12h 1 Flip Flop Elemento de memória implementado a partir de portas lógicas A maioria das entradas precisa

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica Federal do Rio de Santa Grande Catarina do Sul

Pontifícia Universidade Católica Federal do Rio de Santa Grande Catarina do Sul DEPARTAMENTO: Engenharia Elétrica CURSO: Engenharia Elétrica DISCIPLINA: Sistemas Digitais CÓDIGO: EEL 7020 CRÉDITOS: 04 (02 Teoria e 02 Prática) CARGA HORÁRIA: 72 horas-aula REQUISITOS: OFERTA: Pré-requisito:

Leia mais