CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO"

Transcrição

1 viver fazer MÓDULO 1 Conhecimentos / Capacidades Instrumentos de Avaliação Conhecer o funcionamento lógico de um programa, estimulando o raciocínio lógico para a resolução de problemas de programação (algoritmos) complexos; Testes de avaliação Saber conceitos de Algoritmo, de Sequência Lógica, Pseudocódigo, Fluxogramas, diferentes operadores e tipos de dados utilizados num programa; Participação nos trabalhos da aula (actividades práticas de sala de aula) Saber conceito de Entrada e Saída de dados e interacção. Observação direta (participação oral, organização do material, assiduidade, afabilidade, aceitação, etc.,)

2 viver fazer MÓDULO 2 Conhecimentos / Capacidades Instrumentos de Avaliação Saber utilizar as diferentes estruturas de controlo existentes numa linguagem de programação, mecanismos de repetição e as várias combinações existentes; Saber escolher dos diversos métodos aquele que mais se adequa a atingir um determinado objetivo, tendo em conta as vantagens e desvantagens das várias soluções; Resolução de exercícios (na aula)

3 viver fazer MÓDULO 3 Conhecimentos / Capacidades Instrumentos de Avaliação Conhecer regras de declaração e utilização de subprogramas, bem como controlar o ciclo de vida das variáveis; Consciencialização da independência dos subprogramas relativamente aos programas através do uso de parametrização. Resolução de exercícios (na aula) Saber aplicar os conceitos e mecanismos que visam ao encaminhamento para soluções mais eficientes e racionais, promovendo a divisão de problemas em componentes simples, resolvendo progressivamente problemas mais complexos.

4 viver fazer MÓDULO 4 Conhecimentos / Capacidades Instrumentos de Avaliação Saber aplicar os conceitos e mecanismos que visam ao encaminhamento para soluções mais eficientes e racionais, promovendo a divisão de problemas em componentes simples, resolvendo progressivamente problemas mais complexos. Trabalhos práticos de grupo ou individuais Aplicação prática das competências adquiridas (na aula)

5 viver ser fazer MÓDULO 5 Conhecimentos / Capacidades Instrumentos de Avaliação Aplicar as suas competências em programação em contextos diversificados; Saber criar estruturas mais robustas; Testes (formativos, sumativos, aferição) Desenvolver a capacidade de análise de um problema e decidir quais as estruturas de dados que mais se adequam ao problema; (promover a discussão das soluções dos diversos exemplos práticos) práticos (na aula) Aplicação das competências adquiridas (na aula)

6 viver ser fazer MÓDULO 6 Conhecimentos / Capacidades Instrumentos de Avaliação Aquisição dos conceitos de Estrutura de Dados Dinâmicos; Adquirir a capacidade de utilizar estruturas de dados mais flexíveis e robustas, e compreender as vantagens e desvantagens desta mesma utilização; Resolução de exercícios práticos (na aula)

7 viver ser fazer MÓDULO 7 Conhecimentos / Capacidades Instrumentos de Avaliação Saber distinguir as estruturas e os problemas associados ao tratamento de ficheiros de texto, equacionar a problemática do tratamento da informação existente em memória secundária bem como os mecanismos de otimização de forma a tornar os algoritmos mais eficazes. Saber escolher e adequar as soluções tecnológicas aos problemas a resolver; Execução de programas (na aula)

Programação em C e C++ com Lógica. Subtítulo

Programação em C e C++ com Lógica. Subtítulo Programação em C e C++ com Lógica Subtítulo Sobre a APTECH A Aptech é uma instituição global, modelo em capacitação profissional, que dispõe de diversos cursos com objetivo de preparar seus alunos para

Leia mais

Algoritmos Estrutura Condicional

Algoritmos Estrutura Condicional Algoritmos Estrutura Condicional Aula 06 Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa http://www2.ufersa.edu.br/portal/professor/diogopedrosa diogopedrosa@ufersa.edu.br Universidade Federal Rural do Semiárido Bacharelado

Leia mais

Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático 2012/2013

Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático 2012/2013 Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático Língua Portuguesa 2012/2013 ATITUDES Formação para a cidadania. Apresentação dos materiais necessários, cumprimento de tarefas propostas, assiduidade,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÂO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS 2º CICLO ANO LETIVO 2015 / 2016 DOMÍNIOS DE APRENDIZAGEM DOMÍNIOS DE REFERÊNCIA PONDERAÇÃO INSTRUMENTOS DE

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE LÌNGUA PORTUGUESA UNIDADE DE FORMAÇÃO: 14 TEXTOS NARRATIVOS / DESCRITIVOS

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE LÌNGUA PORTUGUESA UNIDADE DE FORMAÇÃO: 14 TEXTOS NARRATIVOS / DESCRITIVOS PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE LÌNGUA PORTUGUESA UNIDADE DE FORMAÇÃO: 14 TEXTOS NARRATIVOS / DESCRITIVOS SUB-UNIDADE/ MÓDULO Textos narrativos / descritivos Literatura de viagens/aventuras CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS

Leia mais

Critérios de Avaliação de Francês 2016 / ºano

Critérios de Avaliação de Francês 2016 / ºano Critérios de Avaliação de Francês 2016 / 2017 7ºano A avaliação certifica as aprendizagens e tem como objetivo a melhoria dessas aprendizagens. Os conteúdos programáticos serão trabalhados, desenvolvendo

Leia mais

ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010 / 2011 Ciências Naturais 8º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período

ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010 / 2011 Ciências Naturais 8º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010 / 2011 Ciências Naturais 8º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período Objectivos / Competências Relembrar quais são os sistemas terrestres Compreender que os

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA. PLANIFICAÇÃO A LONGO/MÉDIO PRAZO - Ano Letivo 2014 / 2015 CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO TIPO 2 2.º ANO

ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA. PLANIFICAÇÃO A LONGO/MÉDIO PRAZO - Ano Letivo 2014 / 2015 CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO TIPO 2 2.º ANO ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA PLANIFICAÇÃO A LONGO/MÉDIO PRAZO - Ano Letivo 2014 / 2015 CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO TIPO 2 2.º ANO MATEMÁTICA APLICADA Para estes estudantes, a disciplina de Matemática terá

Leia mais

Introdução aos Algoritmos

Introdução aos Algoritmos Introdução aos Algoritmos Aula 05 Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa http://www2.ufersa.edu.br/portal/professor/diogopedrosa diogopedrosa@ufersa.edu.br Universidade Federal Rural do Semiárido Bacharelado

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 ALGORITMOS

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 ALGORITMOS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 ALGORITMOS Profª ª Danielle Casillo ALGORITMOS Um algoritmo é uma sequência de instruções

Leia mais

Processamento de Dados aplicado à Geociências. AULA 3: Algoritmos computacionais Representação de Algoritmos Sintaxe Tipos de dados Expressões

Processamento de Dados aplicado à Geociências. AULA 3: Algoritmos computacionais Representação de Algoritmos Sintaxe Tipos de dados Expressões Processamento de Dados aplicado à Geociências 1 AULA 3: Algoritmos computacionais Representação de Algoritmos Sintaxe Tipos de dados Expressões UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Sistemas Digitais e Arquitectura de Computadores

Sistemas Digitais e Arquitectura de Computadores Ano Letivo 2013/2014 Planificação Anual Resumida Sistemas Digitais e Arquitectura de Computadores 12ºAno João Paulo Portela Araújo Elenco Modular e Cronograma Geral Sistemas Digitais e Arquitetura de Computadores

Leia mais

CURSO de NIVELAMENTO INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO

CURSO de NIVELAMENTO INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO CURSO de NIVELAMENTO INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO Lógica de Programação Lógica de programação é a técnica de encadear pensamentos (instruções) para atingir determinado objetivo. Instruções Instruções são regras

Leia mais

ALGORITMOS AULA 1. Profª Amanda Gondim

ALGORITMOS AULA 1. Profª Amanda Gondim ALGORITMOS AULA 1 Profª Amanda Gondim O que é lógica? NOÇÕES DE LÓGICA A lógica trata da correção do pensamento Ensina-nos a usar corretamente as leis do pensamento É a arte de pensar corretamente A forma

Leia mais

Nº horas ESTRATÉGIAS RECURSOS AVALIAÇÃO

Nº horas ESTRATÉGIAS RECURSOS AVALIAÇÃO ANO: 10.º Curso Profissional Técnico de Informática de Gestão Disciplina: Linguagens de Programação ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/13 Módulo 1 Algoritmia 1 - Introdução à Lógica de Programação Lógica Sequência

Leia mais

1º Seminário Topologias. Oradora: Margarida Gonçalves

1º Seminário Topologias. Oradora: Margarida Gonçalves 1º Seminário Topologias Oradora: Margarida Gonçalves 1 Curso Profissional de Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos Modalidade de Ensino Profissional Secundário Ano: Área: 10º Ano Informática Disciplina:

Leia mais

Índice 7º ANO 2009/2010 ESCOLA BÁSICA 1, 2, 3 / JI DE ANGRA DO HEROÍSMO PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO VISUAL

Índice 7º ANO 2009/2010 ESCOLA BÁSICA 1, 2, 3 / JI DE ANGRA DO HEROÍSMO PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO VISUAL Índice COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS da EDUCAÇÃO ARTÍSTICA Competências Gerais e Específicas da Educação Artística Dimensões das Competências Específicas Competências Especificas do 3º ciclo - Visual Competências

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO-EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA 5º ANO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO-EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA 5º ANO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO-EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA 5º ANO Domínios avaliação Parâmetros Percentagem Instrumentos de recolha de informação Nº de Instrumentos Conhecimentos e capacidades 70% -Reconhece o papel

Leia mais

Noções de algoritmos - Aula 1

Noções de algoritmos - Aula 1 Noções de algoritmos - Aula 1 Departamento de Física UFPel Definição de algoritmo Sequência ordenada e finita de operações para a realização de uma tarefa. Tarefa: Experimento de Física I. Passo 1: Reunir

Leia mais

SUBGERÊNCIA DE GESTÃO EDUCACIONAL PLANO DE CURSO

SUBGERÊNCIA DE GESTÃO EDUCACIONAL PLANO DE CURSO PLANO DE CURSO Curso: Eng. Mecânica Componente Curricular: Algoritmos e Estrutura de Dados Turma/turno: EMSM.1.ENGMEC - 2012/1. Professor: Eduardo da Silva Período Letivo: 2012/1 Competência(s) do componente

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 246 aprovado pela portaria Cetec nº 181 de 26/09/2013 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação

Leia mais

ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010/ 2011 Ciências Naturais 9º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL POR PERÍODO 1º Período

ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010/ 2011 Ciências Naturais 9º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL POR PERÍODO 1º Período ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010/ 2011 Ciências Naturais 9º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL POR PERÍODO 1º Período Objectivos / Competências Compreender que a saúde envolve o bem estar físico,

Leia mais

DEPARTAMENTO CURRICULAR: MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS

DEPARTAMENTO CURRICULAR: MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS DEPARTAMENTO CURRICULAR: MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar e certificador dos conhecimentos adquiridos e capacidades

Leia mais

Tecnologias de Informação e Comunicação 8.º Ano

Tecnologias de Informação e Comunicação 8.º Ano Tecnologias de Informação e Comunicação 8.º Ano Planificação Semestral de médio prazo (3 tempos de 5m) Conteúdos e avaliação diagnóstica 2 do programa da disciplina; apresentação das regras e normas da

Leia mais

Fundamentos de Programação

Fundamentos de Programação Fundamentos de Programação CP41F Aula 2 Prof. Daniel Cavalcanti Jeronymo Conceito de algoritmo. Raciocínio lógico na construção de algoritmos. Estrutura de algoritmos. Universidade Tecnológica Federal

Leia mais

Perfil do Aluno Final do 1.º Ciclo Ano letivo 2016/2017

Perfil do Aluno Final do 1.º Ciclo Ano letivo 2016/2017 Perfil do Aluno Final do 1.º Ciclo Ano letivo 2016/2017 Perfil de aprendizagens específicas do aluno à saída 1.º Ciclo do Ensino Básico Tendo em atenção as características estruturais e humanas das Escolas

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA PLANIFICAÇÃO A LONGO/MÉDIO PRAZO

ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA PLANIFICAÇÃO A LONGO/MÉDIO PRAZO ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA PLANIFICAÇÃO A LONGO/MÉDIO PRAZO - Ano Letivo 014/ 015 ENSINO VOCACIONAL 1º Ano MATEMÁTICA Para estes estudantes, a disciplina de Matemática terá de assumir uma forma necessariamente

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 246 aprovado pela portaria Cetec nº 181 de 26/09/2013 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação

Leia mais

Obrigatória X Opcional

Obrigatória X Opcional Grupo de disciplinas: Engenharia da Programação Anual Semestral X Obrigatória X Opcional Regime Diurno Nocturno Horas/semana T Teórica 2 Ano 1 1 T/P Teórico/Prática Semestre 1 1 P- Prática 2 OT- Orientação

Leia mais

Disciplina: Educação Tecnológica

Disciplina: Educação Tecnológica Aprender a viver com os outros Pilar de Aprendizagem Aprender a fazer Aprender a conhecer Departamento do 2 o Ciclo Disciplina: Educação Tecnológica CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 5 o ano Ed. Setembro 2016 Unidades

Leia mais

Aula 4 Estruturas Condicionais

Aula 4 Estruturas Condicionais Departamento de Sistemas de Computação Universidade de São Paulo SSC 600 Introdução a Ciência de Computação I Aula 4 Estruturas Condicionais Seiji Isotani, Rafaela V. Rocha sisotani@icmc.usp.br rafaela.vilela@gmail.com

Leia mais

DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 8º Ano

DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 8º Ano DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 8º Ano 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS Promover o pensamento de uma forma criativa e crítica, relacionando evidências e explicações, confrontando diferentes

Leia mais

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES PÚBLICO-ALVO Quadros médios e superiores com saberes específicos de determinada profissão ou área profissional que se interessem pela atividade formativa, com

Leia mais

1.1 o que é um algoritmo... 6

1.1 o que é um algoritmo... 6 sumário introdução 1 1 fundamentos 5 1.1 o que é um algoritmo... 6 1.1.1 algoritmos executados por um computador...7 1.1.2 comandos básicos executados por um computador...11 1.1.3 da necessidade do desenvolvimento

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. Prof. Welber Ribeiro da Silva

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. Prof. Welber Ribeiro da Silva LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Prof. Welber Ribeiro da Silva POR QUE APRENDER LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO? PARA QUE SERVE? CONCEITOS PRELIMINARES Computador: é uma máquina que processa informações sob o controle de grupos

Leia mais

PROJETO CURRICULAR DO ENSINO SECUNDÁRIO PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO 2015/2016

PROJETO CURRICULAR DO ENSINO SECUNDÁRIO PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO 2015/2016 PROJETO CURRICULAR DO ENSINO SECUNDÁRIO PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO 15/16 DISCIPLINA: GOSCS 12º Ano CURSO: TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE OBJETIVOS TRANSVERSAIS Promoção da educação para a cidadania A língua

Leia mais

Escola Básica e Secundária À Beira Douro. Planificação de Língua Portuguesa 6º ano. Ano lectivo

Escola Básica e Secundária À Beira Douro. Planificação de Língua Portuguesa 6º ano. Ano lectivo Escola Básica e Secundária À Beira Douro Planificação de Língua Portuguesa 6º ano Ano lectivo 2010-2011 COMPETÊNCIAS Alargamento da compreensão a géneros formais e públicos do oral. Criação de autonomia

Leia mais

Algoritmos e Técnicas de Programação

Algoritmos e Técnicas de Programação Algoritmos e Técnicas de Programação Introdução filipe.raulino@ifrn.edu.br Créditos O material utilizado neste curso é composto de adaptações dos Slides do Professor Diego Silveira. Objetivos Fazer uma

Leia mais

Lógica de Programação

Lógica de Programação Lógica de Programação Significa o uso correto das leis do pensamento e de processos de raciocínio para a produção de soluções logicamente válidas v e coerentes,, que resolvam com qualidade os problemas

Leia mais

Disciplina: ECONOMIA 1/7 COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER. Nº horas ESTRATÉGIAS RECURSOS AVALIAÇÃO CONTEÚDOS. Módulo 1 - A Economia e o Problema Económico

Disciplina: ECONOMIA 1/7 COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER. Nº horas ESTRATÉGIAS RECURSOS AVALIAÇÃO CONTEÚDOS. Módulo 1 - A Economia e o Problema Económico Módulo 1 - A Economia e o Problema Económico 1. A Economia no contexto das ciências sociais 2. O objecto de estudo da Economia 2.1. O problema económico e a necessidade de efectuar escolhas 2.2. O custo

Leia mais

Programa de Matemática 1.º ano

Programa de Matemática 1.º ano Programa de Matemática 1.º ano Introdução A Matemática é uma das ciências mais antigas e é igualmente das mais antigas disciplinas escolares, tendo sempre ocupado, ao longo dos tempos, um lugar de relevo

Leia mais

Operação com processadores de texto 1º Período Instalar, configurar e operar com software de escritório.

Operação com processadores de texto 1º Período Instalar, configurar e operar com software de escritório. Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Ano lectivo 2011/2012 Prof. Carla Granadeiro Curso de Educação e Formação (CEF) Tipo 3 Operador de Sistemas Informáticos Planificação Anual da disciplina

Leia mais

Curso Profissional de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Programação e Sistemas de Informação. Módulo 1. 2ª Parte Prof. Sandra Pais Soares

Curso Profissional de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Programação e Sistemas de Informação. Módulo 1. 2ª Parte Prof. Sandra Pais Soares Curso Profissional de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos Programação e Sistemas de Informação Módulo 1 2ª Parte Prof. Sandra Pais Soares Introdução à Lógica de Programação A elaboração de um

Leia mais

Introdução aos Algoritmos. Prof. Paulo Cesar F. de Oliveira, BSc, PhD

Introdução aos Algoritmos. Prof. Paulo Cesar F. de Oliveira, BSc, PhD aos Algoritmos Prof. Paulo Cesar F. de Oliveira, BSc, PhD 1 Seção 1.1 Fundamentos 2 ² Lógica ² Conjunto de estudos, que têm por fim determinar categorias racionais válidas para a apreensão da realidade

Leia mais

AULA 02. OBJETIVO: Desenvolvimento e solução de Algoritmos. LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO

AULA 02. OBJETIVO: Desenvolvimento e solução de Algoritmos. LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO AULA 02 OBJETIVO: Desenvolvimento e solução de Algoritmos. LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO A lógica é a ciência do pensamento correto. Esta declaração não implica, contudo em afirmar que ela seja a ciência da verdade.

Leia mais

Dispositivo de Avaliação - Oficina Gráfica e Design Gráfico Ano letivo 2015/16 Ensino Secundário Curso Profissional de Técnico de Design Gráfico

Dispositivo de Avaliação - Oficina Gráfica e Design Gráfico Ano letivo 2015/16 Ensino Secundário Curso Profissional de Técnico de Design Gráfico Dispositivo de Avaliação - Oficina Gráfica e Design Gráfico Ano letivo 2015/16 Ensino Secundário Curso Profissional de Técnico de Design Gráfico 1. Critérios de avaliação AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS 1.

Leia mais

Formação Pedagógica Inicial de Formadores Objetivos Gerais Este Curso, homologado pelo IEFP, visa dotar os participantes das técnicas, conhecimentos e competências necessárias á apresentação com sucesso

Leia mais

MATEMÁTICA PARA A VIDA

MATEMÁTICA PARA A VIDA MATEMÁTICA PARA A VIDA B2 6 Interpretar, organizar, analisar e comunicar informação usando processos e procedimentos matemáticos. Utilizar a moeda única europeia e outra familiar em actividades do dia

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2016 / 2017

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2016 / 2017 PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2016 / 2017 CURSO/CICLO DE FORMAÇÃO DISCIPLINA: Docente Técnico de Turismo Ambiental e Rural Turismo e Técnicas de Gestão António José Borralho Ramalho N.º TOTAL DE MÓDULOS

Leia mais

A disciplina de Matemática A destina-se aos Cursos Científico-Humanísticos de Ciências e Tecnologia e Ciências Socioeconómicas.

A disciplina de Matemática A destina-se aos Cursos Científico-Humanísticos de Ciências e Tecnologia e Ciências Socioeconómicas. APRENDIZAGENS ESSENCIAIS ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS 10.º ANO ENSINO SECUNDÁRIO MATEMÁTICA A INTRODUÇÃO A disciplina de Matemática A destina-se aos Cursos Científico-Humanísticos de Ciências e Tecnologia

Leia mais

A palavra ALGORITMO teve origem com um Matemático Persa, al. Khawarizmi. O seu trabalho mais famoso foi Al-jabr walmuquabalah,

A palavra ALGORITMO teve origem com um Matemático Persa, al. Khawarizmi. O seu trabalho mais famoso foi Al-jabr walmuquabalah, A palavra ALGORITMO teve origem com um Matemático Persa, al Khawarizmi. O seu trabalho mais famoso foi Al-jabr walmuquabalah, ou a ciência das Equações que, em última análise suscitaram o desenvolvimento

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Estruturas de repetição

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Estruturas de repetição Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação Estruturas de repetição Prof. Renato Pimentel 1 Estruturas de repetição Utilização: Trecho de um algoritmo precisa ser executado mais de uma vez:

Leia mais

01 - Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar situações e problemas do quotidiano;

01 - Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar situações e problemas do quotidiano; COLÉGIO TERESIANO DE BRAGA PLANIFICAÇÃO ANUAL - EDUCAÇÃO VISUAL E TECNOLÓGICA COMPETÊNCIAS GERAIS 01 - Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar

Leia mais

Disciplina de Algoritmos e Programação

Disciplina de Algoritmos e Programação Disciplina de Algoritmos e Programação Atividades Plano de ensino Conteúdos da disciplina, definição das datas, critérios de avaliação e bibliografias Início da matéria Conceito e definição de algoritmos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO Sede - Escola Secundária do Restelo

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO Sede - Escola Secundária do Restelo AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO Sede - Escola Secundária do Restelo CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2014/2015 1º CICLO 1. Critérios Gerais Evolução da aquisição das aprendizagens; Utilização correta da língua

Leia mais

Estruturas de controle: Estrutura de DECISÃO

Estruturas de controle: Estrutura de DECISÃO Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia de Computação e Automação Estruturas de controle: Estrutura de DECISÃO DCA0800 - Algoritmos e Lógica de Programação Heitor Medeiros

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO ANO LECTIVO 2009/2010 1 DISCIPLINA: TECNOLOGIAS INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO: 10.º DOMÍNIOS COMPETÊNCIAS PONRAÇÃO Conhecer a folha de cálculo e as suas finalidades funcionais; Usar a folha de cálculo de

Leia mais

Conceitos Básicos ENTRADA PROCESSAMENTO SAÍDA

Conceitos Básicos ENTRADA PROCESSAMENTO SAÍDA Aula 02 - Algoritmos Disciplina: Algoritmos Prof. Allbert Velleniche de Aquino Almeida E-mail: allbert.almeida@fatec.sp.gov.br Site: http://www.allbert.com.br /allbert.almeida Conceitos Básicos Desde o

Leia mais

Critérios Específicos de Avaliação Ano letivo de 2012/2013

Critérios Específicos de Avaliação Ano letivo de 2012/2013 Departamento de Expressões e Representação Ano Letivo 2012/2013 Disciplina de Modelação e Animação 3D - 11º e 12º ano Critérios Específicos de Avaliação Ano letivo de 2012/2013 1. Introdução à disciplina

Leia mais

ATIVIDADES ESTRATÉGIAS. Ler e representar números até ao milhão.

ATIVIDADES ESTRATÉGIAS. Ler e representar números até ao milhão. ENSINO BÁSICO Agrupamento de Escolas Nº 1 de Abrantes ESCOLAS do 1.ºCICLO: N.º1 de Abrantes, Alvega, Alvega/Concavada, Bemposta, Carvalhal, Mouriscas, Maria Lucília Moita, Pego e Rossio ao Sul do Tejo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO Ano Semestre letivo 2016 02 1. Identificação Código 1.1 Disciplina: Programação Computacional para a Física

Leia mais

Aula 4B. Lógica e Algoritmos. Profª. Fabiany

Aula 4B. Lógica e Algoritmos. Profª. Fabiany Fundamentos de Programação 1 Aula 4B Lógica e Algoritmos. Profª. Fabiany Lógica A lógica de programação é a técnica de encadear pensamentos para atingir determinado objetivo. Sequência Lógica São passos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO Ano Semestre letivo 2017 02 1. Identificação Código 1.1 Disciplina: Programação Computacional para a Física

Leia mais

Aplicações Informáticas A

Aplicações Informáticas A Curso Tecnológico de Informática/10º e 11º anos Prova: P Nº de anos: 2 Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Duração: 120 minutos 1. Introdução O presente documento visa divulgar as caraterísticas da

Leia mais

Algoritmos - 1. Alexandre Diehl. Departamento de Física - UFPel

Algoritmos - 1. Alexandre Diehl. Departamento de Física - UFPel Algoritmos - 1 Alexandre Diehl Departamento de Física - UFPel Conceitos básicos Computador: conceito clássico (até quando????) HARDWARE (partes físicas) SOFTWARE (programas) PCF2017 2 Conceitos básicos

Leia mais

Planificação Anual GR Disciplina Ciências Naturais (Curso Vocacional 9ºK) 9ºAno

Planificação Anual GR Disciplina Ciências Naturais (Curso Vocacional 9ºK) 9ºAno Planificação Anual GR 520 - Disciplina Ciências Naturais (Curso Vocacional 9ºK) 9ºAno Estratégias / Processos de operacionalização 1º Módulo 6 - Manual virtual A avaliação final da disciplina 18 1. Saúde

Leia mais

Introdução à Programação

Introdução à Programação Introdução à Program João Manuel R. S. Tavares Sumário 1. Ciclo de desenvolvimento de um programa; 2. Descrição de algoritmos; 3. Desenvolvimento modular de programas; 4. Estruturas de controlo de um programa.

Leia mais

Critérios de Avaliação 1º CICLO

Critérios de Avaliação 1º CICLO Critérios de Avaliação 1º CICLO 1. Introdução 1.1. Os critérios de avaliação definidos pelo Departamento Curricular do 1.º ciclo consideram os processos de aprendizagem, o contexto em que a mesma se desenvolve,

Leia mais

Algoritmos e Programação

Algoritmos e Programação Algoritmos e Programação Engenharia de Produção Prof. Carlos Noriega 1 LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO CONCEITOS BÁSICOS ROTEIRO Representação Algorítmica Fases Básicas da Construção de Algoritmos Programação Estruturada

Leia mais

Noções de algoritmos - Aula 1

Noções de algoritmos - Aula 1 Noções de algoritmos - Aula 1 Departamento de Física UFPel Definição de algoritmo Sequência ordenada e finita de operações para a realização de uma tarefa. Tarefa: Experimento de Física I. Passo 1: Reunir

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Curso nº 160 aprovado pela portaria Cetec nº 138 04/10/2012 Etec Sylvio de Mattos Carvalho Código: 103 Município: Matão Eixo Tecnológico: Informação

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE FRANCÊS Componente de Formação Complementar Curso Vocacional de Informática e Multimédia Ano letivo 2015/2016

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE FRANCÊS Componente de Formação Complementar Curso Vocacional de Informática e Multimédia Ano letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL DE FRANCÊS Componente de Formação Complementar Curso Vocacional de Informática e Multimédia Ano letivo 2015/2016 Competências Transversais Promoção da educação para a cidadania A língua

Leia mais

OBJECTIVOS ESPECÍFICOS / COMPETÊNCIAS A ADQUIRIR PELOS FORMANDOS

OBJECTIVOS ESPECÍFICOS / COMPETÊNCIAS A ADQUIRIR PELOS FORMANDOS ESTRUTURA PROGRAMÁTICA DO CURSO MÓDULOS OBJECTIVOS ESPECÍFICOS / COMPETÊNCIAS A ADQUIRIR PELOS FORMANDOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Acolhimento dos formandos e Apresentação do Curso A entidade formadora;

Leia mais

Planificação anual Curso Vocacional de Ensino Secundário Ano letivo 2015 / 2016 CURSO VOCACIONAL DE INFORMÁTICA E TECNOLOGIAS WEB

Planificação anual Curso Vocacional de Ensino Secundário Ano letivo 2015 / 2016 CURSO VOCACIONAL DE INFORMÁTICA E TECNOLOGIAS WEB Planificação anual Curso Vocacional de Ensino Secundário Ano letivo 2015 / 2016 CURSO VOCACIONAL DE INFORMÁTICA E TECNOLOGIAS WEB ANO: CVITW1 DISCIPLINA: APLICAÇÕES INFORMÁTICAS DOCENTE: MICAEL ALVES COMPETÊNCIAS

Leia mais

Microcontroladores. Programação: fluxogramas, pseudocódigos e lógica. Prof. Daniel

Microcontroladores. Programação: fluxogramas, pseudocódigos e lógica. Prof. Daniel Microcontroladores Programação: fluxogramas, pseudocódigos e lógica Prof. Daniel 1 Algoritmo Pseudocódigo Também conhecido como Portugol ou Português Estruturado; As instruções são todas padronizadas;

Leia mais

Disciplina de Matemática. Critérios de Avaliação do Ensino Secundário

Disciplina de Matemática. Critérios de Avaliação do Ensino Secundário AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 2 DE BEJA ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I ANO LECTIVO DE 2015-2016 DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS Disciplina de Matemática Critérios de Avaliação

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO CADAVAL

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO CADAVAL AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO CADAVAL DEPARTAMENTO: PLANIFICAÇÃO ANUAL - ANO LETIVO: DISCIPLINA: Matemática A (12.º ano) Matemática e Ciências Experimentais 2015/2016 UNIDADE Tema 1 - Probabilidades e Combinatória

Leia mais

#Conceituação. Algoritmos. Eliezio Soares

#Conceituação. Algoritmos. Eliezio Soares INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS SÃO GONÇALO DO AMARANTE Algoritmos #Conceituação Eliezio Soares Eliezio.soares@ifrn.edu Computadores e Tarefas 1. O computador

Leia mais

OS CURSOS EFA E O PORTEFÓLIO REFLEXIVO DE APRENDIZAGEM

OS CURSOS EFA E O PORTEFÓLIO REFLEXIVO DE APRENDIZAGEM OS CURSOS EFA E O PORTEFÓLIO REFLEXIVO DE APRENDIZAGEM Os Cursos de Educação e Formação de Adultos são uma oferta de educação e formação que pretendam elevar as suas qualificações. Estes cursos desenvolvem-se

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA JERÓNIMO EMILIANO DE ANDRADE DE ANGRA DO HEROÍSMO

ESCOLA SECUNDÁRIA JERÓNIMO EMILIANO DE ANDRADE DE ANGRA DO HEROÍSMO ESCOLA SECUNDÁRIA JERÓNIMO EMILIANO DE ANDRADE DE ANGRA DO HEROÍSMO PLANIFICAÇÃO ANUAL ANO LECTIVO: 008/009 DISCIPLINA: Matemática ANO: 1º Aulas previstas 1º período: 7 (5 ) º período: 7 (5 ) 3º período:

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LETIVO 2011 / 2012

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LETIVO 2011 / 2012 PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LETIVO 2011 / 2012 CURSO/CICLO DE FORMAÇÃO DISCIPLINA: Docente Técnico de Turismo Ambiental e Rural/2011-2014 Área de Integração Pedro Bandeira Simões N.º TOTAL DE MÓDULOS DE 1º/2º/3º

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja

Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja Psicologia B 12º ano Ano lectivo 2011/2012 Critérios de avaliação Competências: Equacionar a Psicologia no panorama geral das ciências; Capacidades de

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TÉCNICO NA ÁREA DE INFORMÁTICA: HABILITAÇÃO TÉCNICO EM INFORMÁTICA NA MODALIDADE A DISTÂNCIA /1

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TÉCNICO NA ÁREA DE INFORMÁTICA: HABILITAÇÃO TÉCNICO EM INFORMÁTICA NA MODALIDADE A DISTÂNCIA /1 ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TÉCNICO NA ÁREA DE INFORMÁTICA: HABILITAÇÃO TÉCNICO EM INFORMÁTICA NA MODALIDADE A DISTÂNCIA - 2008/1 DC 9481 03/10/07 Rev. 00 1. Dados Legais Autorizado pelo Parecer 278 do Conselho

Leia mais

Algoritmos e Programação. Ederson Luiz da Silva Ciência da Computação

Algoritmos e Programação. Ederson Luiz da Silva Ciência da Computação Algoritmos e Programação Ederson Luiz da Silva Ciência da Computação Conteúdo ALGORITMOS Conceitos e características; Formas de representação; Diretrizes para criação de algoritmos; Fluxogramas; Pseudocódigo

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação Edirlei Soares de Lima Introdução a Computação Aula 02 Lógica de Programação Lógica de Programação Lógica de Programação é a técnica de criar sequências lógicas de ações para atingir

Leia mais

Algoritmos e Estrutura de Dados I Conceitos de Algoritmos. Prof. Elyssandro Piffer

Algoritmos e Estrutura de Dados I Conceitos de Algoritmos. Prof. Elyssandro Piffer Algoritmos e Estrutura de Dados I Conceitos de Algoritmos Prof. Elyssandro Piffer CONCEITO DE ALGORITMO O computador pode auxiliar em muitas tarefas, contudo ele não possui independência, não é inteligente,

Leia mais

Métodos para a construção de algoritmo

Métodos para a construção de algoritmo Métodos para a construção de algoritmo Compreender o problema Identificar os dados de entrada e objetos desse cenário-problema Definir o processamento Identificar/definir os dados de saída Construir o

Leia mais

Ano Lectivo 2006/2007 3º Ciclo 7º Ano

Ano Lectivo 2006/2007 3º Ciclo 7º Ano AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Planificação DISCIPLINA DE GEOGRAFIA Ano Lectivo 2006/2007 3º Ciclo 7º Ano Unidade Didáctica Conteúdos Competências Específicas Avaliação A TERRA

Leia mais

Aula 02. Algoritmos e Pseudocódigo

Aula 02. Algoritmos e Pseudocódigo Aula 02 Algoritmos e Pseudocódigo Tópicos Principais Definição de Algoritmo Formas de representação Condicionais Repetições Definição de Algoritmo Um algoritmo é uma sequência de ações que resolve um problema.

Leia mais

Conceitos básicos de algoritmos

Conceitos básicos de algoritmos Conceitos básicos de algoritmos Operadores Aritméticos Unários: +, - Exemplos: +1-5.9... var a: inteiro... a

Leia mais

GUIA DO FORMANDO. 1. Objetivos Gerais. 2. Objectivos Específicos e Conteúdos Programáticos

GUIA DO FORMANDO. 1. Objetivos Gerais. 2. Objectivos Específicos e Conteúdos Programáticos GUIA DO FORMANDO Curso: FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES Duração: 90h. Coordenação da Formação: Conceição Nobre Rodrigues. Equipa de Formadores: Cláudia A. Senra, Margarida M. Guimarães, Paulo

Leia mais

Lógica dos Conjuntos Difusos (Fuzzy Sets)

Lógica dos Conjuntos Difusos (Fuzzy Sets) Lógica dos Conjuntos Difusos (Fuzzy Sets) Uma aula dada por: Francisco Andrade (ei05013@fe.up.pt) José Santos (ei05038@fe.up.pt) Luís Carneiro (ei05045@fe.up.pt) Ricardo Paulo (ei05067@fe.up.pt) Conteúdos

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Forte da Casa Ano Letivo de

Agrupamento de Escolas de Forte da Casa Ano Letivo de Agrupamento de Escolas de Forte da Casa Ano Letivo de 2016-2017 Critérios de Avaliação de História A e História da Cultura e das Artes 10º, 11º e 12 Anos O Departamento de História em conformidade com

Leia mais

Ciência da Computação. Prof. Dr. Leandro Alves Neves Prof. Dr. Adriano Cansian

Ciência da Computação. Prof. Dr. Leandro Alves Neves Prof. Dr. Adriano Cansian Algoritmos e Programação Informática II Ciência da Computação Prof. Dr. Leandro Alves Neves Prof. Dr. Adriano Cansian 1 Sumário Noções de lógica Representação do Conhecimento Lógica na Programação Lógica

Leia mais

Programação de Computadores III

Programação de Computadores III Programação de Computadores III Pseudocódigo e Estruturas Básicas de Controle Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2013.1/tcc-00.157

Leia mais

EPHTL. Critérios Gerais de Avaliação

EPHTL. Critérios Gerais de Avaliação EPHTL Critérios Gerais de Avaliação 2016/2017 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2016/2017 Introdução A avaliação é um processo regulador do ensino, que orienta o percurso escolar, certifica os conhecimentos

Leia mais

Algoritmos Fundamento e Prática

Algoritmos Fundamento e Prática Everton Coimbra de Araújo Algoritmos Fundamento e Prática 3 a Edição Ampliada e Atualizada Visual Books Sumário Prefácio... 15 Introdução... 17 Capítulo 1 - Os Cursos de Informática e Computação... 23

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. www.vantagem.com PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. www.vantagem.com PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MEM MARTINS Sede: ES de Mem Martins EB23 Maria Alberta Menéres; EB1 de Mem Martins n.º 2; EB1 com JI da Serra das Minas n.º 1 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2015-2016

Leia mais

TÉCNICO DE PROTEÇÃO CIVIL 10º TPC CICLO DE FORMAÇÃO 2016/2018

TÉCNICO DE PROTEÇÃO CIVIL 10º TPC CICLO DE FORMAÇÃO 2016/2018 Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares Direção de Serviços da Região Centro Núcleo de Ofertas Formativas CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CURSOS VOCACIONAIS ANO LETIVO DE 2016/2017 COMPONENTE DE FORMAÇÃO GERAL

Leia mais