A Transparência permeia todas as ações realizadas pelo Governo do Estado, inclusive às relacionadas com a Copa 2014.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Transparência permeia todas as ações realizadas pelo Governo do Estado, inclusive às relacionadas com a Copa 2014."

Transcrição

1 Relatório de Atividades Copa do Mundo 2014 Rio de Janeiro Dezembro

2 CONTEÚDO INTRODUÇÃO TRANSPARÊNCIA LEGADO CONSIDERAÇÕES FINAIS 2

3 INTRODUÇÃO O presente Relatório anual da Copa 2014 expõe o empenho e as ações do Governo do Estado do Rio de Janeiro na organização e realização da Copa das Confederações FIFA Brasil 2013 e da Copa do Mundo da FIFA Brasil Repetindo o realizado para a Copa de 1950, o Rio de Janeiro apresenta plenas condições para sediar as competições da Copa das Confederações 2013 e Copa do Mundo Além de oferecer um Maracanã moderno, confortável e sustentável para ser palco da final da Copa, no dia 13 de julho de 2014, a cidade é sede do Comitê Organizador e também receberá o Centro de Mídia, que transmitirá o torneio para o mundo. A Copa 2014 deve representar para o país investimentos privados em infraestrutura, previstos acima de R$ 100 bilhões, recepção de aproximadamente 600 mil visitantes, além de proporcionar a criação de centenas de milhares de empregos, impacto no consumo e na ativação de vários setores da economia e de projetar internacionalmente o país e os estados sede, elevando a autoestima do povo brasileiro. Mobilidade urbana, com novas vias e sistemas e aumento da frota de trens e metrôs, políticas de segurança pública, com a pacificação de comunidades, e a ampliação da capacidade hoteleira, com a construção de novos hotéis e a disponibilização de mais de quartos até 2013, são algumas das melhorias que serão realizadas para atender ao Mundial e que deixarão um legado para toda a população brasileira e os inúmeros visitantes. Sem dúvida é uma chance de garantir que o Brasil projete para o mundo a imagem de eficiência e capacidade de encantar, mobilizar e emocionar o mundo, pois teremos bilhões de olhos voltados para o país. É ainda, a chance de aproveitar este evento para promover a inovação, a criatividade e o empreendedorismo nacional.de acordo com as diretrizes do Ministério do Esporte, há três dimensões de planejamento que conduzem o país a um novo patamar. A primeira é garantir que as obras, empreendimentos e serviços essenciais para a Copa fiquem prontos. Vários desses projetos, como os de mobilidade urbana, infraestrutura, telecomunicações e energia ficam de legado para o país. As outras duas dimensões são a possibilidade de intensificar e acelerar a promoção de políticas públicas e as oportunidades de negócios que se abrem. Para a realização de um evento desta magnitude e complexidade são necessárias estratégia e visão de longo prazo, focadas nos benefícios esperados com a realização deste evento. Dentro deste contexto de oportunidades e grandes desafios, a Casa Civil do Governo do Estado, por meio do Escritório de Gerenciamento de Projetos do Rio de Janeiro, monitora o Projeto da Copa e é responsável pelo planejamento e acompanhamento das intervenções necessárias à realização do Mundial no Rio de Janeiro com o objetivo de assegurar o pleno êxito na realização dos eventos esportivos, por meio da integração entre os setores público e privado. Para o Governo do Estado, a Copa 2014 catalisa legados e contribui para a construção de um Rio de Janeiro economicamente exitoso, socialmente inclusivo e sustentável, assegurando mais e melhor qualidade de vida a sua população. 3

4 Compreender o que representa para o país a condição de anfitrião do maior evento midiático do planeta e entender seu escopo e seu potencial, certamente contribui para dele extrairmos o máximo de benefícios esportivos, econômicos e sociais para a população brasileira. Há que se observar, como condição prioritária, os requisitos e critérios para a aplicação dos recursos públicos nas competições, assegurando a transparência, eficiência e o controle social dos investimentos que serão realizados. Todo o esforço público para o cumprimento das exigências é compensado pela visibilidade internacional que o país e os estados conquistam com a realização da Copa, somada à incorporação da expertise e os ganhos tecnológicos aportados com a realização de um mega evento como esse. As compensações mais relevantes são os legados resultantes da preparação e realização do evento: regiões e bairros remodelados e mais sustentáveis, soluções para problemas metropolitanos de mobilidade, maior eficiência e qualidade na prestação de vários serviços, modernização das redes hoteleiras, reestruturação de aeroportos e portos, requalificação de praças, parques e da infraestrutura turística, revitalização dos centros históricos e fomento à diversidade cultural brasileira são objetivos que devem ser perseguidos e que refletem conquistas além do escopo específico de realização doevento. Outro legado de indiscutível repercussão se refere à compreensão do evento como fruto do diálogo e da colaboração entre os diversos entes públicos. Para que seja executado com eficácia e gere legados positivos para a cidade e para o estado do Rio de Janeiro, um projeto desta complexidade e magnitude exige disciplina, organização e planejamento. Para tal, uma carteira de projetos, monitorada ao longo dos anos, foi elaborada e vários desses projetos já estão sendo executados. 4

5 TRANSPARÊNCIA A Transparência permeia todas as ações realizadas pelo Governo do Estado, inclusive às relacionadas com a Copa Para permitir o controle social das finanças públicas estaduais e atender ao previsto nas Leis Complementares 101/00 e 131/09, o Governo criou um canal oficial dentro da estrutura da administração direta da Secretaria Estadual da Fazenda conforme é possível constatar no link portal, o contribuinte pode acessar as informações sem o uso de senha. O Portal da Transparência Fiscal tem como objetivo ser o ponto de união entre os conteúdos produzidos pelo governo estadual e suas secretarias e é mais um canal à disposição do cidadão para acompanhar as finanças públicas do Estado do Rio de Janeiro, isto é, as receitas arrecadadas e as despesas realizadas pela Administração Pública. Com isso, o Governo do Rio de Janeiro pretende elevar o grau de transparência das informações acerca da gestão pública, permitindo ao cidadão participar e fiscalizar a utilização dos recursos públicos geridos pelo Estado. Estão nele, por exemplo, as informações financeiras a respeito das obras no Estádio Mario Filho (Complexo Maracanã), entre outras que guardam relação com o projeto da Copa do Mundo como: gastos relacionados com infraestrutura, segurança, promoção comercial, turismo, saúde, cultura, educação, transparência e sustentabilidade. Além deste canal, a partir do estímulo dada pela participação do Governo do Estado do Rio de Janeiro nas Reuniões da Câmara Temática de Transparência, o site da Casa Civil promoveu a inclusão de uma nova home page com arquitetura de informação em formato de portal (portlets), vinculada à estrutura do layout da página inicial da Casa Civil, com o devido destaque ao projeto Copa Este canal é específico para o projeto da Copa do Mundo FIFA 2014 no Brasil. Há várias informações nesta página, inclusive o link para o site federal que fornece as informações completas sobre todas as cidades sede para que o internauta interessado se aprofunde em temas específicos e tenha acesso às iniciativas, investimentos e novidades nas obras. O Governo do Estado do Rio de Janeiro está vinculado também ao Portal da Transparência, mantido pela Controladoria Geral da União, que faz o monitoramento da execução orçamentária dos empreendimentos previstos na Matriz de Responsabilidades. As iniciativas acima citadas demonstram o comprometimento dos administradores com a transparência na gestão do Estado e refletem o entendimento de que a realização da Copa do 5

6 Mundo de 2014 no Rio de Janeiro colabora para o melhor controle social dos investimentos e gastos governamentais. LEGADO A Copa do Mundo é uma oportunidade histórica de acelerar o desenvolvimento econômico e urbano e representa uma chance de catalisar investimentos e consolidar legados concretos para as cidades sede. A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) definine legados como os benefícios e prejuízos econômicos, sociais e ambientais, tangíveis e intangíveis gerados após o evento, respeitando-se as variações observadas em cada uma das suas edições, desde os efeitos locais como o aprimoramento da infraestrutura urbana e dos serviços, até efeitos globais, como fortalecimento da imagem e da reputação da cidade ou país sede. Para extrair o máximo das oportunidades geradas por uma Copa Mundial é preciso aprender lições não apenas a respeito de impactos e oportunidades, mas também sobre como deixar um legado de fato. As experiências anteriores relatadas por países sedes de megaeventos esportivos tais como África do Sul, Alemanha, Reino Unido, Austrália, dentre outros, indicam que construir um legado forte, administrar orçamentos com eficácia e envolver a comunidade requer supervisão ativa e uma abordagem coordenada. Os eventos que foram considerados parte de uma agenda maior de desenvolvimento, e não como um fim em si mesmo, figuram entre os que obtiveram maior sucesso. Nesse contexto, a preparação para uma Copa do Mundo deve estar inserida em uma estratégia mais ampla de modernização e requalificação do plano diretor das cidades sedes, bem como, deve ser utilizada como plataforma de atração e diversificação de investimentos e promoção comercial e turística. As cidades, regiões e países que usaram eventos internacionais como forma de se promover efetivamente obtiveram grandes retornos do investimento. Em todas essas experiências, um programa de legado bem sucedido foi impulsionado por uma liderança robusta e implementado com recursos e habilidades dedicados que não se confundem com os esforços requeridos para sediar o evento, mas são eficazmente coordenados com eles. O Governo do Estado do Rio de Janeiro, ao confirmar o interesse em sediar a Copa do Mundo da FIFA em 2014, trabalha com essa ótica e vislumbra um plano de desenvolvimento estratégico de longo prazo, no qual o evento oferece a oportunidade de acelerar a implementação e a execução de ações prioritárias, ampliando o potencial de resultado dos projetos existentes e angariando financiamento adicional para agilizar os avanços pactuados com a sociedade. Alinhado com as diretrizes nacionais, o Estado do Rio de Janeiro tem envidado todos os esforços e investimentos possíveis para construir um legado sólido e permanente. Os eixos prioritários para o Estado estão listados abaixo e são esclarecidos em linhas gerais, na sequência: 6

7 Segurança Saúde Meio Ambiente e Sustentabilidade Mobilidade Urbana e Infraestrutura Educação e Cultura 7

8 SEGURANÇA

9 Segurança A Copa do Mundo deixará um legado para as instituições de segurança pública do Brasil, com a capacitação e a integração que serão promovidas pelo Ministério da Justiça em parceria com os órgãos estaduais e municipais. Como vivemos num país de dimensões continentais, a segurança pública brasileira necessita de um trabalho conjunto das três esferas de poder. Dentro de uma cidade, os policiais de esferas distintas devem dialogar entre si e elaborar planejamentos conjuntos. O plano de segurança da Copa deixará este legado de melhores práticas a partir da promoção de uma integração inédita entre as forças policiais que será extremamente positiva para alcançarmos os objetivos do Estado em relação à área de segurança pública. A segurança hoje é um ativo positivo e muito importante para o Rio de Janeiro. Desde 2007 foi tomada a decisão política de combater a chaga da insegurança e grandes resultados já foram alcançados e ainda temos um longo caminho a percorrer. Dentre os projetos prioritários podemos destacar a meta de instalação de 40 UPPs na cidade do Rio de Janeiro, abrangendo comunidades da Zona Sul, Zona Oeste, Baixada e outras cidades fluminenses com grande concentração urbana, e a construção do novo Centro Integrado de Comando e Controle (CICC). A Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) é um dos mais importantes programas de Segurança Pública realizado no Brasil nas últimas décadas. Implantado pela Secretaria de Segurança do Rio de Janeiro, no fim de 2008, foi elaborado com os princípios da polícia de proximidade, um conceito que vai além da polícia comunitária e tem sua estratégia fundamentada na parceria entre a população e as instituições da área de Segurança Pública. O Programa engloba parcerias entre os governos municipal, estadual e federal e diferentes atores da sociedade civil organizada e tem como objetivo a retomada permanente de comunidades dominadas pelo tráfico, assim como a garantia da proximidade do estado com a população. Além de levar paz aos moradores da comunidade, a pacificação tem um papel fundamental no desenvolvimento social e econômico das comunidades, pois potencializa a entrada de serviços públicos, infraestrutura, projetos sociais, esportivos e culturais, investimentos privados e oportunidades. O Estado do Rio de Janeiro já recebeu, até o final de 2012, 28 UPPs. A polícia pacificadora conta com um efetivo atual de mais de 8 mil policiais. Esse quantitativo deve chegar a 12,5 mil até

10 A construção do CICC Centro Integrado de Comando e Controle tem por objetivo alocar fisicamente os órgãos de segurança pública e defesa social das esferas municipal, estadual e federal promovendo melhor integração e a atuação preventiva, emergencial, e a resolução mais eficiente dos casos de crises, além de centralizar a coordenação de atuação dessas forças nos em grandes eventos esportivos. 10

11 SAÚDE

12 Saúde A Copa do Mundo de 2014 traz oportunidades e desafios para o sistema de saúde brasileiro. Está previsto que o país receba em torno de 600 mil turistas estrangeiros e que 3 milhões de brasileiros se desloquem entre as 12 cidades-sede e demais polos turísticos do país. Com isso, os serviços de saúde precisarão estar preparados para atender o aumento de demanda por atendimentos e as variações do perfil epidemiológico populacional. Dentre as ações previstas estão o aprimoramento da infraestrutura da rede assistencial de urgência e emergência (PS, UPA, hospitais, SAMU e centrais de regulação), a elaboração de um plano para organização do funcionamento dessas estruturas durante o período do evento, a qualificação dos serviços de saúde para atendimento aos turistas, com produção de materiais bilíngues, e qualificação profissional. Além disso, serão realizadas ações voltadas para aprimoramento do sistema de vigilância em saúde, com intensificação das ações de fiscalização sanitária em serviços e pontos de entrada do país (portos, aeroportos e fronteiras), elaboração de plano de preparação e resposta a possíveis emergências em saúde pública, bem como preparação de ações de comunicação de risco referentes às doenças transmissíveis de relevância epidemiológica nas regiões que receberão jogos e regiões turísticas próximas. O Governo Brasileiro também está criando a Força Nacional do Sistema Único de Saúde que deverá atuar em situações de catástrofe e emergências de grandes proporções em todo país, e que poderá ser acionada para atender à Copa em caso de necessidade. A Copa será, portanto, uma grande oportunidade para que sejam realizados investimentos voltados para acelerar a implementação de melhorias no SUS que fiquem como legado para a população brasileira. Pretende-se ainda deixar como legado, na área de saúde do estado, a reorganização da assistência pré e hospitalar, a ampliação do número de UPAs para 40 até o final de 2013, a ampliação da frota de ambulâncias (SAMU/GSE), a reestruturação e aumento da capacidade do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, construção do Centro de Transplantes (Captação de órgão,cirurgias,recuperação completa), construção de mais três Centros de Trauma, reforma do Hospital Municipal Pedro II e investimento em Centros de Imagem, que são as primeiras unidades públicas de saúde a concentrarem, em um mesmo lugar, recursos de alta tecnologia para exames de diagnóstico por imagem de todos os níveis de complexidade como ressonância magnética, tomografia computadorizada, mamografia, ecocardiografia e ultrassonografia. A expectativa é realizar 800 exames diariamente. 12

13 O Estado definiu como eixos prioritários a Assistência em Saúde, Vigilância em Saúde e Gestão, tendo como objetivos específicos coordenar o planejamento de ações na área da saúde, através do estabelecimento de diretrizes gerais e metas e de ações estratégicas, articulando e apoiando essas ações com os municípios-sedes. Especificamente quanto à organização de eventos de massa, como é o caso da Copa do Mundo, o planejamento foi dividido em etapas como demonstra a figura abaixo: Primeira etapa trata da Assistência Pré-Hospitalar dando apoio aos eventos oficiais de grande porte promovidos pela Prefeitura e Estado do Rio de Janeiro, através da assistência préhospitalar fixa (PHF) local com base na diretriz legal, Resoluções CREMERJ 183/03 e SESDEC 80/07. 13

14 Segunda Etapa abrange o planejamento na área de Vigilância em Saúde que prevê a utilização de um Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde. Por fim, a terceira etapa contempla o pós evento compreendendo o monitoramento local,o refinamento das análises, avaliação das ações e elaboração de relatório. 14

15 Plano de capacitação da SES Tendo como objetivo a capacitação dos profissionais de saúde e a preparação do sistema de saúde estadual para a Copa do Mundo FIFA 2014 e outros eventos de massa, bem como atender às demandas de atendimento de emergências em saúde pública, foram desenvolvidos projetos, que já estão sendo executados e testados na prática no dia a dia de nosso sistema de saúde estadual, como é o caso do plano de capacitação da Secretaria de Saúde que segue diretrizes considerando como áreas de concentração a Vigilância em Saúde, a Assistência à Saúde e o Comando e Controle em tempo real. 15

16 MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE

17 Meio Ambiente e Sustentabilidade A estruturação da Agenda de Meio Ambiente é uma das prioridades do Governo Brasileiro para 2014 e não é diferente no âmbito do Governo Estadual do Rio de Janeiro. A partir disso, o desafio tem sido traçar ações que deixem um legado para o estado e sensibilizem a sociedade. Temos como objetivo central motivar a adoção de novas práticas e hábitos pautados pelo conceito de sustentabilidade e utilização eficiente de recursos naturais. As diretrizes que orientam todo o planejamento relacionado com o evento, estabelecidas entre os municípios e estados que o sediarão, determinam a realização de uma edição da Copa que compense suas emissões e coopere com o combate ao aquecimento global seguindo metas como: Incentivo e estímulo aos negócios verdes; Incentivo a ações promotoras de eficiência energética; Valorização, promoção e proteção da biodiversidade brasileira; Construção de estádios dentro dos padrões de sustentabilidade; Utilização da água de maneira racional; Incentivo à mobilidade e circulação sustentáveis; Incentivo ao consumo de produtos orgânicos e/ou sustentáveis; Promoção do ecoturismo nos biomas brasileiros. Perseguindo esses objetivos, o Governo do Estado do Rio de Janeiro, dentro de seu planejamento de longo prazo de sustentabilidade e respeitando as diretrizes determinadas pelas órgãos financiadores e de auditoria adotou como premissa obter a Certificação LEED para a reforma do Complexo Maracanã, garantindo um padrão adequado de incorporação de práticas de construção e gestão sustentáveis. Além disso, o novo Maracanã contará com dispositivos economizadores de água, armazenamento e reutilização da água de chuva e do sistema de irrigação do campo, utilização de madeira certificada, materiais beneficiados e manufaturados regionalmente, utilização de lâmpadas e luminárias eficientes, automação predial dentre outras ações. Adicionalmente, o Estado vem conduzindo o desenvolvimento de projetos que visam estimular a coleta de resíduos e reciclagem com destinação adequada e promovendo a integração e a mobilização com a sociedade civil e com organizações não governamentais, além de articular estratégias para neutralização de carbono gerado pelas grandes obras de infraestrutura e pela operação dos megaeventos esportivos. O Estado do Rio de Janeiro pretende desenvolver-se de forma econômica, social e ambientalmente sustentável. Para isso, observa exemplos de boas práticas nacionais e internacionais como referências a serem perseguidas pelos gestores públicos. 17

18 MOBILIDADE URBANA E INFRAESTRUTURA

19 Mobilidade Urbana e Infraestrutura Em termos gerais, o legado de infraestrutura da Copa do Mundo do Brasil deverá: priorizar os projetos de infraestrutura que façam parte de planos mais amplos de desenvolvimento do Estado e que beneficiem uma ampla parcela da população; evitar a construção de elefantes brancos e executar projetos a tempo e sem estouros de orçamento. Serão 32 seleções participantes, 64 jogos em 12 cidades-sede, e expectativa de 600 mil turistas com intenção de ver os jogos. De forma resumida, os desafios para o legado de infraestrutura no Estado podem ser divididos em três categorias: Estádio (com condições de receber os jogos e capacidade para abrigar o público), Transporte (capacidade e qualidade para atender a demanda de mobilidade) Infraestrutura do Estado (incluindo rede hoteleira e telecomunicações) Os investimentos em mobilidade urbana que o Rio está recebendo farão o percentual de pessoas que utilizam o transporte público aumentar de 22% para 65% nos próximos anos. Esse será um dos grandes legados deste megaevento pois, não só a qualidade do transporte público será melhorada, mas também haverá uma contribuição para a mudança na cultura comportamental e de mobilidade dos cidadãos favorecendo o uso do transporte público em substituição ao transporte individual/privado. Para garantir que a Copa ocorra sem problemas, e que o público possa apreciar o evento sem grandes transtornos, é necessária uma atenção especial à mobilidade urbana. É preciso garantir meios de transporte necessários para que os torcedores cheguem ao estádio e saiam dele sem grandes dificuldades. Com esse objetivo o Estado e o Município trabalham de forma integrada na identificação dos fluxos de acesso de pedestres e veículos ao Complexo Maracanã, respeitando-se as necessidades específicas de cada um dos clientes do evento (mídia, força de trabalho, espectadores, convidados, atletas, dentro outros). O plano de mobilidade para a Copa das Confederações 2013 e posteriormente para a Copa 2014, leva em consideração também as rotas protocolares e alternativas de interligação dos hotéis oficiais, centros de treinamento, aeroportos e outros locais operacionais dos eventos de forma a interferir o mínimo possível na rotina da cidade e privilegia o deslocamento dos espectadores por meio do transporte de alta capacidade (metrô e trem). A mudança na infraestrutura da cidade é o que, certamente, causará maior impacto no dia a dia da população após a Copa. Por esta razão, o volume de projetos de construção, expansão e modernização é considerável. Além das novas linhas de BRTs (Bus Rapid Transit) e metrô, em construção, que se integrarão à estrutura de transporte já existente na cidade, tanto o Governo do Estado quanto a Prefeitura do Rio de Janeiro vem investindo em adequações de calçadas e estações para melhoria da acessibilidade. Adicionalmente, o Governo do Estado do Rio de Janeiro está investindo na ampliação e modernização de várias estações de metrô e trem e na aquisição de novo e mais moderno material rodante. 19

20 A necessidade primordial é, sem dúvida, o estádio. Cada cidade-sede deve abrigar um estádio com capacidade e requisitos mínimos para as demandas de um jogo de Copa do Mundo. Nesse quesito a Fifa é bastante clara e rigorosa com as exigências. Sendo assim, foram necessários projetos de reforma e adequação do Estádio Mario Filho-Maracanã e após as modificações, o Rio de Janeiro possuirá um estádio com capacidade para cerca de 80 mil espectadores. O novo Maracanã será mais confortável e acessível para seus frequentadores, terá melhor visibilidade do campo em todos os seus setores e contará com áreas adequadas para imprensa, cobertura televisiva, delegações esportivas e outros. Evitar elefantes brancos é parte da decisão de sediar consecutivamente a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos. Para isso, as melhorias de infraestrutura foram planejadas para atendimento das necessidades operacionais dos dois torneios mas também refletem a remodelação do Complexo visando transformá-lo em espaço multiuso, dedicado prioritariamente ao esporte mas com condições para abrigar eventos culturais e de entretenimento, uma atitude ousada, mas eficiente em termos de custos de manutenção e uso futuro considerando a experiência do Rio de Janeiro e o histórico comprovado de tradição da cidade na esfera esportiva e cultural.somam-se à isso os inúmeros investimentos na rede hoteleira, o que aumentará significativamente a capacidade de hospedagem e a qualidade dos hotéis através de construções modernas e sustentáveis que ficarão como legado, confirmando a capacidade e a competência do Rio de Janeiro para se afirmar na rota de eventos corporativos. Outros benefícios incluem um avanço significativo no setor de telecomunicações, em consonância com os objetivos estratégicos traçados pelo Governo Federal para implantação da rede 4G em todas as cidades sede da Copa de 2014 e, especificamente no Rio de Janeiro, por meio da ampliação da cobertura de fibras óticas e de telefonia móvel no Complexo Maracanã. 20

21 Cabe observar que além dos estádios e seu entorno, com as multidões que comparecem aos jogos, outras festividades relacionadas à Copa do Mundo e atrações turísticas apresentarão oportunidades e desafios. Entre as mais concorridas estão as Fan Fests (festas de fãs), criadas pela Fifa durante a Copa do Mundo de 2006, na Alemanha. Na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, um número enorme de pessoas que não conseguia lugar nos estádios assistiu aos jogos nas ruas de 16 cidades de diferentes partes do país. Este tipo de mecanismo permitirá a milhões de brasileiros participarem da festa e representará uma contribuição significativa ao legado tecnológico deixado pelo evento e à disseminação de conhecimento na preparação e gestão de ações voltadas para grande público, com processos mais adequados de controle de multidão, proteção comercial e de marketing, mobilidade e segurança. 21

22 EDUCAÇÃO E CULTURA

23 Educação e Cultura A realização de megaeventos esportivos no país, contribui decisivamente para a democratização do acesso ao esporte, para o estímulo ao aumento da prática esportiva, para o fortalecimento do esporte nas escolas e para a criação e consolidação de uma cultura esportiva. A Copa de 2014 revela uma grande oportunidade de termos um salto no desenvolvimento social a partir da valorização da educação e da cultura nacional. O objetivo central do Governo do Estado é estimular a aproximação entre educação e esporte para que a atividade esportiva seja uma ferramenta de desenvolvimento educacional. O Mundial permite ainda que o Brasil apresente ao mundo sua agenda cidadã e a preocupação com a construção de um legado de proteção e promoção dos direitos humanos que envolva acessibilidade, população de rua, direitos dos idosos, combate à exploração da criança e do adolescente e inclusão de pessoas com necessidades especiais. Além disso, o Governo do Estado do Rio de Janeiro está atuando em consonância com a iniciativa de promoção do Ministério da Cultura que definirá as políticas públicas que devem ser fortalecidas para o bom desempenho da Cultura na programação da Copa do Mundo.É fato que a divulgação da imagem do Brasil no exterior durante os jogos do mundial será um fator determinante para o sucesso do projeto. A ideia é apoiar as manifestações culturais espontâneas da sociedade brasileira que costumam ocorrer sempre que há eventos como este. De certa maneira, respeitando-se as restrições comerciais e de marketing impostas pelos organizadores e proprietários dos eventos, o estímulo à realização de eventos paralelos, não concorrentes durante a Copa do Mundo, foi fator de grande sucesso aos países e cidades-sede em edições anteriores. Por ocasião desses, o país poderá deixar uma boa lembrança expondo seus principais atributos positivos e os aspectos culturais e turísticos que determinam a identidade de sua nação. Nesse sentido, o Governo do Estado e a Prefeitura do Rio de Janeiro mantém diálogo constante sobre o estímulo à manifestações de torcida controladas e a criação de espaços adequados e seguros para essas celebrações. Dentro da proposta de ação cultural, existe a intenção de transformar a diversidade cultural brasileira em um grande símbolo do país e elaborar uma programação cultural multissetorial para os espaços públicos, além de aproveitar as oportunidades de negócios geradas pelo megaevento esportivo para otimizar o setor de emprego e renda na área da Cultura. Atráves do estímulo ao intercâmbio com órgãos e entidades afins, nacionais ou estrangeiros, a intenção é dar continuidade à política de obtenção de cooperação técnica e/ou financeira para o desenvolvimento dos programas, projetos e atividades relacionados com a área cultural com o objetivo de incentivar a criação artística em todas as suas formas de expressão, bem como a integração cultural, a pesquisa de novas linguagens, a formação e o aprimoramento de profissionais. É uma prática no Estado do Rio de Janeiro incentivar medidas, planos, programas e projetos que visem à preservação, a difusão e o desenvolvimento de ações educativas e culturais em 23

24 todo Estado, além da adoção de medidas que visem o levantamento e à preservação, na esfera estadual, do património imaterial, histórico, artístico e arquitetônico. 24

25 CONSIDERAÇÕES FINAIS O legado de uma Copa do Mundo para o Brasil e para o Rio de Janeiro irá muito além dos ganhos sociais, econômicos e políticos. Sem dúvida, o que se espera é que a população se beneficie com melhores aeroportos, estradas, ferrovias e metrôs, mais habitações, recursos humanos mais qualificados nos setores de hotelaria, turismo, restaurantes, serviços em geral, abertura de novos empregos em diversas áreas da economia e novas oportunidades internacionais para os negócios do país. Com a transmissão em tempo real dos jogos a bilhões de telespectadores e a presença de dezenas de milhares de turistas e jornalistas seremos o centro da atenção mundial. A Copa do Mundo será um momento de grande simbolismo para o Brasil e para o Estado. Como ocorreu em 1950, o Brasil quer demonstrar ao mundo sua grande capacidade de crescimento e seu papel no cenário internacional. A diferença é que o país está de fato atravessando um momento muito especial de sua história e está preparado para criar um legado mais sólido e duradouro, dentro e fora das quatro linhas do campo de futebol. Em algumas áreas os impactos serão mais evidentes e este legado mais significativo: fortalecimento da imagem institucional e promocional do país, dos estados e dos municípios; promoção e diversificação comercial; valorização e ampliação do acesso ao esporte; geração de emprego e renda; ampliação e modernização de infraestrutura urbana e tecnológica; integração dos entes governamentais; estímulo e qualificação do Turismo; fortalecimento econômico por meio da atração de novos investimentos; desenvolvimento humano; segurança; elevação da confiança e autoestima da população. A Copa, entretanto, não será realizada apenas no Rio de Janeiro, sendo fundamental que a experiência em organização desses eventos seja compartilhada e difundida para todas as cidades que receberão jogos e crie o engajamento de lideranças comunitárias, escolas, ONGs e outros setores da sociedade civil com vistas a democratizar e sistematizar o conhecimento adquirido e utilizá-lo em novas oportunidades para a gestão de grandes projetos. Para tal, acredita-se que a transparência é além de uma obrigação legal, um mecanismo indutor para que os gestores públicos possam compartilhar conhecimento, experiências, informações e principalemente agir com responsabilidade permitindo que a sociedade obtenha informações, colabore com o controle das ações de seus governantes e acompanhe todos os processos. 25

Síntese do planejamento do Governo Federal para a Copa do Mundo 2014 Brasília, Setembro de 2012

Síntese do planejamento do Governo Federal para a Copa do Mundo 2014 Brasília, Setembro de 2012 Code-P0 Síntese do planejamento do Governo Federal para a Copa do Mundo 2014 Brasília, Setembro de 2012 Code-P1 O Brasil recebe os grandes eventos esportivos em um contexto favorável COPA OLIMPÍADAS Brasil

Leia mais

Diálogos Governo -Sociedade Civil COPA 2014. O que o Brasil já ganhou com a Copa

Diálogos Governo -Sociedade Civil COPA 2014. O que o Brasil já ganhou com a Copa Diálogos Governo -Sociedade Civil COPA 2014 O que o Brasil já ganhou com a Copa 2 O que o Brasil já ganhou com a Copa Investimentos A Copa do Mundo é um grande investimento para todos brasileiros Os únicos

Leia mais

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos!

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! Documento final aprovado por adolescentes dos Estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Mato Grosso,

Leia mais

Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014

Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014 Code-P0 Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014 Encontro Nacional - Abracen Eventos Esportivos e os Impactos para o país São Paulo, 7 de março de 2012 Code-P1 O Brasil

Leia mais

Programa Porto Alegre Copa 2014 Legados para a Cidade

Programa Porto Alegre Copa 2014 Legados para a Cidade Programa Porto Alegre Copa 2014 Legados para a Cidade Visão: Ser considerada a melhor cidade-sede da Copa 2014 quanto a participação popular e promoção de ações de desenvolvimento econômico, social e ambiental,

Leia mais

Conhecendo a Fundação Vale

Conhecendo a Fundação Vale Conhecendo a Fundação Vale 1 Conhecendo a Fundação Vale 2 1 Apresentação Missão Contribuir para o desenvolvimento integrado econômico, ambiental e social dos territórios onde a Vale atua, articulando e

Leia mais

Caio Luiz de Carvalho Presidente

Caio Luiz de Carvalho Presidente Caio Luiz de Carvalho Presidente Os desafios do Brasil Deixar de ser espectador e se tornar ator do processo. Todos os brasileiros. Profissionais ou espectadores, envolvidos diretamente ou não. Muitas

Leia mais

O que o Brasil já ganhou com a Copa. Secretaria-Geral da Presidência da República

O que o Brasil já ganhou com a Copa. Secretaria-Geral da Presidência da República O que o Brasil já ganhou com a Copa COPA DO MUNDO NO BRASIL um momento histórico e de oportunidades A Copa do Mundo é um momento histórico para o Brasil, que vai sediar, em conjunto com as Olimpíadas em

Leia mais

As lições de Vancouver

As lições de Vancouver As lições de Vancouver O sucesso das Olimpíadas de Inverno realizadas na cidade canadense ensina diversas lições sobre como organizar eventos desse porte Com a proximidade das duas grandes competições

Leia mais

Projeções dos Impactos Econômicos da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos no Brasil. Marcelo Weishaupt Proni Unicamp

Projeções dos Impactos Econômicos da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos no Brasil. Marcelo Weishaupt Proni Unicamp Projeções dos Impactos Econômicos da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos no Brasil Marcelo Weishaupt Proni Unicamp A discussão sobre os megaeventos ainda é feita com base em informações precárias Sem dúvida,

Leia mais

AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE COPA 2014

AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE COPA 2014 Code-P0 AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE COPA 2014 Agenda de Trabalho Junho 2011 Claudio Langone Code-P1 OPORTUNIDADE PARA O BRASIL 2011 - Jogos Militares Mundiais 2012 - RIO + 20 - Cúpula das

Leia mais

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS 2014 1 Índice 1. Contexto... 3 2. O Programa Cidades Sustentáveis (PCS)... 3 3. Iniciativas para 2014... 5 4. Recursos Financeiros... 9 5. Contrapartidas... 9 2 1. Contexto

Leia mais

Oportunidade: efeitos socioeconômicos 2006-2014. Preparativos: sorteio final e venda de ingressos

Oportunidade: efeitos socioeconômicos 2006-2014. Preparativos: sorteio final e venda de ingressos Introdução: função do COL Oportunidade: efeitos socioeconômicos 2006-2014 Preparativos: sorteio final e venda de ingressos O legado já começou Conclusão Introdução: função do COL Oportunidade: efeitos

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

GREEN BUILDING COUNCIL BRASIL Building a Sustainable Future

GREEN BUILDING COUNCIL BRASIL Building a Sustainable Future GREEN BUILDING COUNCIL BRASIL Building a Sustainable Future "Desenvolver a indústria da construção sustentável no país, utilizando as forças Visão de mercado do GBC para conduzir Brasil a adoção (Sonho

Leia mais

COPA DO MUNDO FIFA 2014 Belo Horizonte Brasil. Ações do Governo de Minas Gerais

COPA DO MUNDO FIFA 2014 Belo Horizonte Brasil. Ações do Governo de Minas Gerais COPA DO MUNDO FIFA 2014 Belo Horizonte Brasil Ações do Governo de Minas Gerais 27 de Outubro de 2009 Roteiro Estratégia de Execução Modernização do Mineirão Reforma dos Estádios Alternativos Mobilidade

Leia mais

COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL. Oportunidades e Desafios

COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL. Oportunidades e Desafios COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL Oportunidades e Desafios COPA DO MUNDO - OPORTUNIDADES Um evento esportivo do porte de uma Copa do Mundo é como uma grande vitrine do país no exterior e corresponde a um

Leia mais

A Copa do Brasil. Secretaria de Políticas para as Mulheres. Governo Federal

A Copa do Brasil. Secretaria de Políticas para as Mulheres. Governo Federal A Copa do Brasil Secretaria de Políticas para as Mulheres Governo Federal Apresentação A Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR) publicou em seu sítio eletrônico,

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

Projeto PERNAMBUCO NA COPA 2014

Projeto PERNAMBUCO NA COPA 2014 Projeto PERNAMBUCO NA COPA 2014 4º Fórum de Direito do Turismo 20 de Maio de 2011 ARRANJO INSTITUCIONAL - GOVERNO DE PERNAMBUCO SECOPA-PE Atribuições Planejar, coordenar e gerir as iniciativas dos órgãos

Leia mais

Agosto. São Paulo Brasil. connectedsmartcities.com.br

Agosto. São Paulo Brasil. connectedsmartcities.com.br 03 a 05 Agosto 2015 São Paulo Brasil connectedsmartcities.com.br Por que Connected Smart Cities? As grandes e modernas cidades são, talvez, as mais importantes realizações do homem, por serem responsáveis,

Leia mais

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas.

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas. Extensão ETENSÃO A implementação da politica de Extensão, no Instituto Federal do Amazonas reafirma a missão deste Instituto e seu comprometimento com o desenvolvimento local e regional promovendo a integração

Leia mais

PLANO DE GOVERNO TULIO BANDEIRA PTC 36

PLANO DE GOVERNO TULIO BANDEIRA PTC 36 PLANO DE GOVERNO TULIO BANDEIRA PTC 36 GESTÃO PÚBLICA Garantir ampla participação popular na formulação e acompanhamento das políticas públicas; Criação do SOS Oprimidos, onde atenda desde pessoas carentes

Leia mais

O que são as diretrizes para Discussão Temática?

O que são as diretrizes para Discussão Temática? O que são as diretrizes para Discussão Temática? As diretrizes para Discussão Temática apresentam conteúdos exclusivos desenvolvidos por meio de pesquisas para a Fundação 1º de Maio. As informações aqui

Leia mais

Copa do Mundo no Brasil: oportunidades, desafios e atuação do Governo Federal

Copa do Mundo no Brasil: oportunidades, desafios e atuação do Governo Federal BRA-MEB001-091126-1 Copa do Mundo no Brasil: oportunidades, desafios e atuação do Governo Federal Brasília, 26 novembro de 2009 BRA-MEB001-091126-2 Conteúdo do documento O que é a Copa do Mundo Atuação

Leia mais

REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO

REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO PROGRAMA NACIONAL DE ESTRUTURAÇÃO DE DESTINOS TURÍSTICOS (Documento base Câmara Temática de Regionalização) Brasília, 08.02.2013 SUMÁRIO 1. CONTEXTUALIZAÇÃO... 2 2. DIRETRIZES...

Leia mais

Copa 2014 Desafios e Oportunidades

Copa 2014 Desafios e Oportunidades Copa 2014 Desafios e Oportunidades A Copa 2014 tem dono... A Copa é da FIFA Exigências atribuladas no caderno de encargos Com a Copa de 2010, o único continente que ainda não sediou o evento foi a Oceania

Leia mais

ANEXO IX - DEMONSTRATIVO VII METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZAÇÃO DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL

ANEXO IX - DEMONSTRATIVO VII METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZAÇÃO DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZ DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL TÍTULO PRODUTO TIPO DE META 2013 2001 Administração Legislativa Serviços Realizados ORÇAMENTÁRIA 95% 0001 GESTÃO

Leia mais

ESPELHO DE EMENDA INICIATIVA

ESPELHO DE EMENDA INICIATIVA SISTEMA DE ELABORAÇÃO DE S ÀS LEIS ORÇAMENTÁRIAS ESPELHO DE Inclusão de Iniciativa no Ministério da Educação Página: 1563 de 2301 AUTOR DA Otavio Leite 25100001 2030 - Educação Básica 0598 - Apoiar o educando,

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

Oportunidades de Negócios com a Copa do Mundo 2014. Salvador 04/11/10

Oportunidades de Negócios com a Copa do Mundo 2014. Salvador 04/11/10 Oportunidades de Negócios com a Copa do Mundo 2014 Salvador 04/11/10 É a vez do Brasil! Linha do Tempo Eventos Esportivos Copa das Confederações 2013 Copa do Mundo FIFA 2014 Olimpíadas e Paraolimpíadas

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO

DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO POR UM CEARÁ MELHOR PRA TODOS A COLIGAÇÃO POR UM CEARA MELHOR PRA TODOS, com o objetivo de atender à Legislação Eleitoral e de expressar os compromissos

Leia mais

Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus

Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus APRESENTAÇÃO Ao se propor a sistematização de uma política pública voltada para os museus brasileiros, a preocupação inicial do Ministério

Leia mais

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR...o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff Julho/2014 0 APRESENTAÇÃO Se fôssemos traduzir o Plano de Governo 2015-2018

Leia mais

Pontapé inicial: Planejamento Integrado Governo de Minas e PBH. escolha das cidades-sede. Copa

Pontapé inicial: Planejamento Integrado Governo de Minas e PBH. escolha das cidades-sede. Copa Minas Gerais na Copa do Mundo de 2014 Copa em Minas já começou Pontapé inicial: Planejamento Integrado Governo de Minas e PBH 31 de maio de 2011 dois anos de escolha das cidades-sede 2014 BH/MG modelo

Leia mais

Gabinete de Secretário de Estado Extraordinário da Copa do Mundo/SECOPA

Gabinete de Secretário de Estado Extraordinário da Copa do Mundo/SECOPA Gabinete de Secretário de Estado Extraordinário da Copa do Mundo/SECOPA RELATÓRIO DE EXECUÇÃO 2ª ETAPA DO ACORDO DE RESULTADOS PERÍODO DE REFERÊNCIA: 2011 Belo Horizonte, maio de 2012 SUMÁRIO ITEM PÁGINA

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

TÉCNICO EM HOSPEDAGEM

TÉCNICO EM HOSPEDAGEM Imagens para explicar que às vezes o turista quer um lugar simples, no meio da natureza para descansar, basta estar limpo, asseado e arejado, nem todos querem luxo, existe vários perfis de clientes.(grifo

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009 03/08/2010 Pág.01 POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009 1. INTRODUÇÃO 1.1 A Política de Comunicação da CEMIG com a Comunidade explicita as diretrizes que

Leia mais

APO AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA

APO AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA RIO + 20 Estratégias e Ações sobre Resíduos para Cidades Sustentáveis Rio de Janeiro, 22 de junho de 2012 Rio: Oportunidades e Desafios para o Desenvolvimento Sustentável DESENVOLVIMENTO ALIADO À CONSERVAÇÃO

Leia mais

PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO PROGRAMA DE METAS Gestão 2013/2016 APRESENTAÇÃO... 2 I - VISÃO DO MUNICÍPIO... 3 II COMPROMISSO... 3 III PRINCÍPIOS DE GESTÃO... 3 IV DIRETRIZES ESTRATÉGIAS... 4 PROGRAMA DE METAS DESENVOLVIMENTO URBANO...

Leia mais

Norma Permanente 4.1. GOVERNANÇA E GESTÃO 4.2. PRINCÍPIOS 4.3. INVESTIMENTO SOCIAL PRIVADO E INCENTIVADO

Norma Permanente 4.1. GOVERNANÇA E GESTÃO 4.2. PRINCÍPIOS 4.3. INVESTIMENTO SOCIAL PRIVADO E INCENTIVADO Resumo: Reafirma o comportamento socialmente responsável da Duratex. Índice 1. OBJETIVO 2. ABRANGÊNCIA 3. DEFINIÇÕES 3.1. PARTE INTERESSADA 3.2. ENGAJAMENTO DE PARTES INTERESSADAS 3.3. IMPACTO 3.4. TEMAS

Leia mais

White Paper - Impacto Econômico da Copa de 2014 no Brasil 1

White Paper - Impacto Econômico da Copa de 2014 no Brasil 1 White Paper - Impacto Econômico da Copa de 2014 no Brasil 1 A Casual Auditores Independentes, empresa de auditoria especializada em entidades desportivas estuda as informações financeiras dos clubes de

Leia mais

PLANO DIRETOR 2014 2019

PLANO DIRETOR 2014 2019 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISA E INOVAÇÃO INDUSTRIAL EMBRAPII PLANO DIRETOR 2014 2019 1 Índice 1. INTRODUÇÃO... 4 2. MISSÃO... 8 3. VISÃO... 8 4. VALORES... 8 5. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS... 8 6. DIFERENCIAIS

Leia mais

ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima. Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável

ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima. Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável Projeto: Geração de eletricidade a partir de fontes

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS 2016 TRANSFORMANDO PESSOAS E IDEIAS.

CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS 2016 TRANSFORMANDO PESSOAS E IDEIAS. CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS 2016 TRANSFORMANDO PESSOAS E IDEIAS. CHAMADA PÚBLICA 2016 A Política de Responsabilidade Social da AngloGold Ashanti define como um de seus princípios que a presença de nossa

Leia mais

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA RELAÇÕES ENTRE A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O SETOR DE HOSPITALIDADE: um estudo de caso aplicável ao curso Técnico de Hospedagem Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco Autores: ANNARA

Leia mais

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Maio de 2010 Paulo Moreira da Fonseca Agenda Introdução Arenas Hotéis Mobilidade Urbana Demais Investimentos Agenda Introdução Arenas Hotéis Mobilidade

Leia mais

IMPACTO DOS MEGA EVENTOS NA INDuSTrIA hoteleira brasileira JUNHO 2013

IMPACTO DOS MEGA EVENTOS NA INDuSTrIA hoteleira brasileira JUNHO 2013 IMPACTO DOS MEGA EVENTOS NA Industria hoteleira brasileira JUNHO 2013 ENTIDADE ABIH NACIONAL Fundada em 09/11/1936 3.500 associados 35 escritórios 26 capitais + DF 08 regionais ENTIDADE 25.500 meios de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA O PLANO DIRETOR: REGIONAL PORTÃO 25/03/2014 CURITIBA MARÇO/2014 Propostas do dia 25

Leia mais

Reunião da Qualidade RS - 48a Edição. Inovação e Cidades Inteligentes. Planeta Mais Inteligente: www.ibm.com/smarterplanet/br/pt/

Reunião da Qualidade RS - 48a Edição. Inovação e Cidades Inteligentes. Planeta Mais Inteligente: www.ibm.com/smarterplanet/br/pt/ Planeta Mais Inteligente: www.ibm.com/smarterplanet/br/pt/ Siga a IBM no Twitter: YouTube Canal IBM: www.twitter.com/ibmbrasil www.youtube.com/ibmbrasil Reunião da Qualidade RS - 48a Edição Inovação e

Leia mais

PODER EXECUTIVO - PROGRAMAS ESTRUTURADORES PLANO PLURIANUAL - 2010/2013 - Lei 6.716, de 22 de dezembro de 2010.

PODER EXECUTIVO - PROGRAMAS ESTRUTURADORES PLANO PLURIANUAL - 2010/2013 - Lei 6.716, de 22 de dezembro de 2010. 2001 Administração Legislativa Serviços Realizados Percentual 95% 0001 GESTÃO LEGISLATIVA E CIDADANIA 2002 Processamento Legislativo Ações Realizadas Percentual 95% 2003 Modernização Administrativa Gestão

Leia mais

O movimento de modernização da gestão pública no Brasil e seus desafios

O movimento de modernização da gestão pública no Brasil e seus desafios O movimento de modernização da gestão pública no Brasil e seus desafios 10 de Novembro de 2011 2º Congresso de Gestão do Ministério Público Informação confidencial e de propriedade da Macroplan Prospectiva

Leia mais

Programa Copa 2014 na Bahia Planejamento, Realizações e Legados do Mundial na Bahia. SINAENCO 18 de Maio de 2012

Programa Copa 2014 na Bahia Planejamento, Realizações e Legados do Mundial na Bahia. SINAENCO 18 de Maio de 2012 Programa Copa 2014 na Bahia Planejamento, Realizações e Legados do Mundial na Bahia SINAENCO 18 de Maio de 2012 AGENDA 1. Linha do Tempo 2. A Copa em números 3. Programa Copa 2014 na Bahia 4. Plano Diretor

Leia mais

Código Especificação Fiscal Seg.Social Investimentos Total

Código Especificação Fiscal Seg.Social Investimentos Total 100 Fortalecimento da Atuação Legislativa 8.475.000 8.475.000 101 Fortalecimento do Controle Externo Estadual 80.649.880 80.649.880 102 Fortalecimento do Controle Externo Municipal 3.245.000 3.245.000

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA O PLANO DIRETOR: REGIONAL BOQUEIRÃO 18/03/2014 CURITIBA MARÇO/2014 Realizações no dia

Leia mais

SÃO BERNARDO DO CAMPO

SÃO BERNARDO DO CAMPO 1 PPA Participativo 2014-2017 Prestação de Contas O PPA Participativo 2014-2017 em números 21 plenárias 13.471 participantes 200 grupos de trabalho 400 diretrizes 55 programas e ações R$ 18,6 bilhões 3

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 514, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 514, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 RESOLUÇÃO Nº 514, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 Dispõe sobre a Política Nacional de Trânsito, seus fins e aplicação, e dá outras providências. O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO CONTRAN, usando da competência

Leia mais

6. PLANO DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL

6. PLANO DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL 6. PLANO DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL O processo de implantação do Plano de Articulação Institucional (PAI) foi objeto de releitura, a partir da emissão do Ofício 02001.009795/2013-60 GABIN/PRESI/IBAMA,

Leia mais

Copa do Mundo 2014: ações da Prefeitura de São Paulo. 12ª Câmara Temática de Transparência Copa 2014

Copa do Mundo 2014: ações da Prefeitura de São Paulo. 12ª Câmara Temática de Transparência Copa 2014 : ações da Prefeitura de São Paulo 12ª Câmara Temática de Transparência Copa 2014 Copa em São Paulo: a gestão municipal SPCOPA: Comitê Integrado de Gestão Governamental Especial para a Copa do Mundo de

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO AGENDA ESTRATÉGIA PERSPECTIVAS ECONÔMICAS MATRIZ DE RESPONSABILIDADES PORTO AEROPORTO ARENA MONOTRILHO MATRIZ ENERGÉTICA COMUNICAÇÃO MANAUS CIDADE-SEDE ESTRATÉGIA Concepção Planejamento Manaus x Belém

Leia mais

MINUTA DE LEI DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE CARIACICA

MINUTA DE LEI DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE CARIACICA MINUTA DE LEI DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE CARIACICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Fica instituída a Política Municipal de Educação Ambiental, seus objetivos, princípios

Leia mais

ESPORTE. Foto: Fabio Arantes/ Secom/ PMSP

ESPORTE. Foto: Fabio Arantes/ Secom/ PMSP ESPORTE O partido Solidariedade está atento à necessidade do esporte na vida da população. Entendemos que ele é uma importante ferramenta para retirar crianças das ruas e assim, reduzir a violência e o

Leia mais

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS APRESENTAÇÃO Em Dezembro de 2004 por iniciativa da Federação das Indústrias do Estado do Paraná o CPCE Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial nasceu como uma organização

Leia mais

Anexo 1 - Resolução 016/2011 - CONSUN. Plano de Desenvolvimento Institucional PDI

Anexo 1 - Resolução 016/2011 - CONSUN. Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Plano de Desenvolvimento Institucional PDI 13 I ENSINO DE GRADUAÇÃO Objetivo 1 - Buscar continuamente a excelência nos cursos de graduação 1. Avaliar continuamente o processo educativo, em consonância

Leia mais

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE EDUCACAO INFANTIL INCLUSIVA EM CURITIBA VEJA COMO SUA EMPRESA PODE TRANSFORMAR ESTA IDEIA EM REALIDADE { Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

Somando forças até o fim da pobreza. CARE Brasil Relatório Anual

Somando forças até o fim da pobreza. CARE Brasil Relatório Anual Somando forças até o fim da pobreza CARE Brasil Relatório Anual 2012 CARE Internacional Em 2012, a CARE apoiou 997 projetos de combate à pobreza em 84 países, beneficiando estimadamente 84 milhões de pessoas.

Leia mais

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial.

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. visão, missão e valores corporativos visão Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma Organização empresarial focada em siderurgia, com a missão de satisfazer

Leia mais

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Gustavo Guerrante. 30 de novembro de 2015

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Gustavo Guerrante. 30 de novembro de 2015 Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro Gustavo Guerrante 30 de novembro de 2015 Prefeitura do Rio de Janeiro Secretaria Especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas Em 2009, institucionalizou-se

Leia mais

Plano de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte - PlanMob-BH. Marcelo Cintra do Amaral. 20 de novembro de 2012

Plano de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte - PlanMob-BH. Marcelo Cintra do Amaral. 20 de novembro de 2012 Plano de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte - PlanMob-BH Marcelo Cintra do Amaral 20 de novembro de 2012 Roteiro da apresentação: Contexto do PlanMob-BH: prognóstico, caráter de plano diretor, etapas

Leia mais

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA!

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! NOSSA VISÃO Um mundo mais justo, onde todas as crianças e todos os adolescentes brincam, praticam esportes e se divertem de forma segura e inclusiva. NOSSO

Leia mais

Valor das marcas dos 17 clubes mais valiosos do Brasil

Valor das marcas dos 17 clubes mais valiosos do Brasil Valor das marcas dos 17 clubes mais valiosos do Brasil Edição de 2012 Valor das marcas dos 12 clubes mais valiosos do Brasil Pelo quarto ano consecutivo a BDO publica seu estudo avaliando as marcas dos

Leia mais

ANEXO XXII POLÍTICA MUNICIPAL DE TURISMO DE FOZ DO IGUAÇU LEI Nº 4.291, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014.

ANEXO XXII POLÍTICA MUNICIPAL DE TURISMO DE FOZ DO IGUAÇU LEI Nº 4.291, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014. ANEXO XXII POLÍTICA MUNICIPAL DE TURISMO DE FOZ DO IGUAÇU LEI Nº 4.291, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014. DISPÕE SOBRE A POLÍTICA MUNICIPAL DE TURISMO, PREVISTA NO CAPÍTULO X, DO TÍTULO V, DA LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO,

Leia mais

PROJETO SEMANA CULTURA VIVA 10 ANOS DE CIDADANIA E DIVERSIDADE CULTURAL

PROJETO SEMANA CULTURA VIVA 10 ANOS DE CIDADANIA E DIVERSIDADE CULTURAL MINISTÉRIO DA CULTURA SECRETARIA DA CIDADANIA E DA DIVERSIDADE CULTURAL PROJETO SEMANA CULTURA VIVA 10 ANOS DE CIDADANIA E DIVERSIDADE CULTURAL Brasília, Novembro de 2014. APRESENTAÇÃO A primeira Semana

Leia mais

Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas

Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas 1. Apresentação do Problema Epitácio José Paes Brunet É cada vez mais expressiva, hoje, nas cidades brasileiras, uma nova cultura que passa

Leia mais

Programa. orientações. Portal do Ministério da Cultura www.cultura.gov.br. Cultura Viva www.cultura.gov.br/culturaviva

Programa. orientações. Portal do Ministério da Cultura www.cultura.gov.br. Cultura Viva www.cultura.gov.br/culturaviva Programa Portal do Ministério da Cultura www.cultura.gov.br Cultura Viva www.cultura.gov.br/culturaviva orientações @DiversidadeMinC e @CulturaViva cidadaniaediversidade Secretaria da Cidadania e da Diversidade

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014

CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014 CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014 PALAVRA DA DIRETORIA Apresentamos, com muito prazer, o do Grupo Galvão, que foi elaborado de maneira participativa com representantes dos colaboradores

Leia mais

IV Congresso Latino Americano de Opinião Pública WAPOR 2011. Belo Horizonte - Brasil

IV Congresso Latino Americano de Opinião Pública WAPOR 2011. Belo Horizonte - Brasil IV Congresso Latino Americano de Opinião Pública WAPOR 2011 Belo Horizonte - Brasil Os brasileiros e a Copa de 2014: Movimentos de opinião pública e de mercado 2 Introdução Metodologia Além do levantamento

Leia mais

A SECRETARIA NACIONAL DE TRANSPORTE E DA MOBILIDADE URBANA (SEMOB)

A SECRETARIA NACIONAL DE TRANSPORTE E DA MOBILIDADE URBANA (SEMOB) A SECRETARIA NACIONAL DE TRANSPORTE E DA MOBILIDADE URBANA (SEMOB) ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO 1. SEMOB 2. POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA 3. PPA DA UNIÃO 2012-2015 4. PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO

Leia mais

Preparação do país para a Copa do Mundo 2014 e a herança para

Preparação do país para a Copa do Mundo 2014 e a herança para Code-P0 Preparação do país para a Copa do Mundo 2014 e a herança para a engenharia brasileira O Mundial e o Desenvolvimento Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) Manaus, 30 de março de 2012 Code-P1

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Esta publicação tem por objetivo apresentar o Programa Cultura Viva, de responsabilidade da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do

Esta publicação tem por objetivo apresentar o Programa Cultura Viva, de responsabilidade da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do Esta publicação tem por objetivo apresentar o Programa Cultura Viva, de responsabilidade da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura, de modo a facilitar sua compreensão

Leia mais

Como se Tornar um Município Amigo do Idoso. Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso

Como se Tornar um Município Amigo do Idoso. Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso Como se Tornar um Município Amigo do Idoso Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso 2 3 GERALDO ALCKMIN Governador do Estado de São Paulo ROGERIO HAMAM Secretário de Estado de Desenvolvimento

Leia mais

Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 - Cidade de Manaus

Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 - Cidade de Manaus Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 - Cidade de Manaus Projeto 1 Estádio PROJETO 1 - ESTÁDIO VIVALDO LIMA (VIVALDÃO) OBJETIVO: Atender os requerimentos estabelecidos pela FIFA (Fédération Internationale

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

Rede de Áreas Protegidas, Turismo e Inclusão Social: de uma perspectiva da América do Sul para uma perspectiva global

Rede de Áreas Protegidas, Turismo e Inclusão Social: de uma perspectiva da América do Sul para uma perspectiva global Rede de Áreas Protegidas, Turismo e Inclusão Social: de uma perspectiva da América do Sul para uma perspectiva global (texto extraído da publicação IRVING, M.A.; BOTELHO, E.S.; SANCHO, A.; MORAES, E &

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE A COPA FIFA 2014

INFORMAÇÕES SOBRE A COPA FIFA 2014 INFORMAÇÕES SOBRE A COPA FIFA 2014 Por Milton Karam 06.outubro.2010 COPA FIFA 2014 CRONOLOGIA 2003 03 de junho - a Confederação Sul-Americana de Futebol CONMEBOL anuncia Argentina, Brasil e Colômbia 2006

Leia mais

A letra Q, símbolo do programa de qualidade no serviço público Gespública, pelo qual a Seplan é certificada, figura em todos os seus documentos.

A letra Q, símbolo do programa de qualidade no serviço público Gespública, pelo qual a Seplan é certificada, figura em todos os seus documentos. Q A letra Q, símbolo do programa de qualidade no serviço público Gespública, pelo qual a Seplan é certificada, figura em todos os seus documentos. É uma alusão à essência e ao compromisso da Secretaria

Leia mais

Política Ambiental das Empresas Eletrobras

Política Ambiental das Empresas Eletrobras Política Ambiental das Empresas Eletrobras Versão 2.0 16/05/2013 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Princípios... 3 3 Diretrizes... 3 3.1 Diretrizes Gerais... 3 3.1.1 Articulação Interna... 3 3.1.2 Articulação

Leia mais

O QUE É O SITE MUNÍCIPIOS?

O QUE É O SITE MUNÍCIPIOS? O QUE É O SITE MUNÍCIPIOS? Apresentação Histórico Estratégia de comunicação e políticas para promoção do municipalismo forte e atuante A atuação da Confederação Nacional de Municípios na comunicação pública

Leia mais

O Grupo Telefônica no Brasil e no Mundo

O Grupo Telefônica no Brasil e no Mundo Atualizado em: julho, 2011 O Grupo Telefônica no Brasil e no Mundo Dados financeiros (2010) Indicadores Mundo Brasil %BR/mundo Receita Líquida (1) 60,7 bilhões (1) Considera Telesp + 50% da Vivo até 3T2010

Leia mais

Fan Fest da FIFA. Perguntas frequentes

Fan Fest da FIFA. Perguntas frequentes Fan Fest da FIFA Perguntas frequentes Fan Fest da Copa do Mundo da FIFA África do Sul 2010 Perguntas frequentes 1. Como membros da imprensa, podemos ter acesso e fazer transmissões da Fan Fest da FIFA?

Leia mais

Projeto Fênix - Reciclando o futuro com Cidadania

Projeto Fênix - Reciclando o futuro com Cidadania Projeto Fênix - Reciclando o futuro com Cidadania A prática consiste em democratizar o acesso à justiça aos catadores de materiais recicláveis dos lixões do Distrito Federal. O problema envolvendo a produção

Leia mais

BRASIL 2015: O VERDADEIRO RESULTADO DA COPA

BRASIL 2015: O VERDADEIRO RESULTADO DA COPA BRASIL 2015: O VERDADEIRO RESULTADO DA COPA Brasil, 2007 PIB R$ 1,8 trilhão Alfabetização 88,6% Expec. de Vida 71,7 anos PIB per capita US$ 8.402 Fonte: ONU e IBGE Brasil, 2015 PIB R$ 2,1 trilhões Alfabetização

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE Prioritária 1: Manter o incentivo aos Programas do Núcleo Apoio da Saúde da Família

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA DADOS DA CONSULTORIA

TERMO DE REFERÊNCIA DADOS DA CONSULTORIA TERMO DE REFERÊNCIA DADOS DA CONSULTORIA Função no Projeto: Contratação de consultoria especializada para desenvolver e implementar estratégias de impacto e sustentabilidade da Campanha Coração Azul no

Leia mais

Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012

Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012 Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012 1. Patrocínios 1.1 Patrocínio a Eventos e Publicações Data limite: 60 dias de antecedência da data de início do evento

Leia mais

INTERVENÇÕES URBANÍSTICAS COMO AGENTES DE REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA

INTERVENÇÕES URBANÍSTICAS COMO AGENTES DE REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA INTERVENÇÕES URBANÍSTICAS COMO AGENTES DE REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA HUMBERTO COSTA Secretário das Cidades Governo de Pernambuco 17 de setembro Recife / PE Prevenção da violência x ESPAÇO URBANO AS ESTATÍSTICAS

Leia mais