Cursos Profissionais Disciplina: PORTUGUÊS Anos: 10º; 11º e 12º

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cursos Profissionais Disciplina: PORTUGUÊS Anos: 10º; 11º e 12º"

Transcrição

1 PARÂMETROS GERAIS DE AVALIAÇÃO Integração escolar e profissionalizante Intervenções e Atividades na sala de aula: PESOS PARÂMETROS ESPECÍFICOS INSTRUMENTOS Peso 2 Peso 5 Comportamento-assiduidade-pontualidadecumprimento de tarefas-responsabilidade Expressão Oral peso 1 Interação Produção de textos orais Contrato de leitura Compreensão Oral peso 1 Atividades de escuta/visionamento Leitura peso 1 Exploração de textos Escrita - peso 1 Produção de textos escritos Funcionamento da Língua peso 1 Fichas de Trabalho Grelha de observação direta Grelha de observação direta (Participação oral) Apresentações Orais Contrato de leitura Atividades de escuta/visionamento Fichas de compreensão de leitura Produção de textos escritos Fichas de Trabalho Testes de avaliação Peso 3 Integram as competências: leitura, escrita e funcionamento da língua Testes de Avaliação Página 1 de 8

2 n 7 INTEGRAÇÃO ESCOLAR E PROFISSIONALIZANTE Peso 2 Não é assíduo. Não é pontual. Não está atento; Apresenta comportamento inadequado; Não traz o material necessário; Recusa colaborar nas atividades propostas; Rejeita responsabilizar-se pelas atividades que lhe cabem; Não respeita regras de interação social; Recusa assumir diferentes papéis (no par, no grupo, na turma, na escola): apoiar informar, apresentar, promover; Revela incapacidade de adaptação a novas situações e formas de organização; Não partilha conhecimentos/ experiências; Não emite opiniões / juízos de valor; Revela intolerância face a opiniões / juízos de valor diversificados. 8 n 9 Apresenta pontualidade e assiduidade irregulares. Não está atento; Apresenta comportamento irregular; Nem sempre traz o material necessário Nem sempre colabora nas atividades propostas; Não se responsabiliza pelas atividades que lhe cabem; Respeita parcialmente regras de interação social; Assume com dificuldade diferentes papéis (no par, no grupo, na turma, na escola, no contexto profissional): apoiar informar, apresentar, promover; Revela dificuldades de adaptação a novas situações e formas de organização; Partilha de modo muito incompleto conhecimentos e experiências; Expõe opiniões / juízos de valor por vezes inoportunos e desapropriados; Revela alguma tolerância face a opiniões / juízos de valor diversificados. É assíduo. É pontual. Está atento; Apresenta comportamento adequado; Traz o material necessário; Página 2 de 8

3 10 n n n 20 Colabora nas atividades propostas; Coopera com os colegas; Responsabiliza-se de modo satisfatório pelas suas tarefas / atividades Respeita as regras de interação social. Assume razoavelmente diferentes papéis (no par, no grupo, na turma, na escola, no contexto profissional): apoiar informar, apresentar, promover; Adapta-se de modo satisfatório a novas situações e formas de organização; Partilha conhecimentos e experiências. Expõe opiniões / juízos de valor oportunos e apropriados; Revela tolerância face a opiniões / juízos de valor diversificados, Revela alguma capacidade para identificar e analisar problemas. Participa na auto e heteroavaliação; Colabora sempre nas atividades propostas; Respeita integralmente as regras de interação social. Responsabiliza-se de modo bastante satisfatório pelas suas tarefas / atividades Assume diferentes papéis (no par, no grupo, na turma, na escola, no contexto profissional): apoiar informar, apresentar, promover; Adapta-se com relativa facilidade a novas situações e formas de organização; Verbaliza sentimentos e interage com o grupo; Partilha conhecimentos e experiências com ponderação e pertinência; Expressa opiniões de modo sensato; Coopera facilitando a aprendizagem; Revela curiosidade pelos assuntos abordados; Expõe de modo fundamentado opiniões e juízos de valor; Revela tolerância face a opiniões e juízos de valor diversificados; Revela capacidade para identificar e analisar criticamente problemas; Participa de modo fundamentado e pertinente na auto e heteroavaliação. A obtenção deste nível implica a observação do perfil do nível anterior, devendo o aluno, neste caso, revelar um acentuado espírito crítico com fundamentação aprofundada e pertinente; Propor e fundamenta soluções para os problemas identificados. Página 3 de 8

4 INTERVENÇÕES E ATIVIDADES NA SALA DE AULA Peso 5 n 7 COMPREENSÃO peso1 EXPRESSÃO ORAL - peso 1 Não apreende as ideias essenciais e a intencionalidade de textos orais de diferentes tipos e de níveis distintos de formalização Não produz textos orais de diferentes formalização Não participa de forma construtiva em situações de comunicação relacionadas com a atividade escolar (debates, trabalhos de grupo, exposições orais ) Não respeita as normas que regem as situações de comunicação oral ESCRITA (peso 1) Não produz enunciados adequados à situação comunicativa (adequação ao interlocutor, à intencionalidade comunicativa, ao contexto): realização de operações de planificação; cumprimento das propriedades da textualidade continuidade, progressão, coesão e coerência; redação de textos com finalidades diversas e destinatários variados, respeitando a matriz discursiva; expressão de ideias, opiniões, vivências e factos de forma pertinente, estruturada e fundamentada; realização de operações de revisão Produz frequentemente enunciados com erros que revelam um acentuado desconhecimento de um número considerável de regras de funcionamento da língua Evidencia muitas limitações a nível do vocabulário LEITURA (peso 1) Não utiliza estratégias de leitura diversificadas Não capta o sentido nem interpreta textos escritos Não interpreta relações entre a linguagem verbal e códigos não verbais Não manifesta preferências na seleção de leituras nem expressa as suas opiniões e gostos sobre os textos lidos Não respeita as regras estabelecidas no contrato de leitura Não utiliza diferentes recursos e fontes de informação para dar resposta a necessidades concretas de informação e de aprendizagem FUNCIONAMENTO DA LÍNGUA (peso 1) Não identifica marcas linguísticas de distintos usos da língua mediante a observação direta e a comparação de diversas produções Não reflete sobre as regras de identificando os elementos formais básicos nos planos fónico, morfológico, lexical, semântico e pragmático Não utiliza conscientemente os conhecimentos adquiridos sobre o sistema linguístico para uma melhor compreensão dos textos e para a revisão e produções Página 4 de 8

5 8 n 9 Apreende muito parcialmente e com muita dificuldade as ideias essenciais e a intencionalidade de textos orais de diferentes tipos e de níveis distintos de formalização Produz textos orais de diferentes formalização com bastantes erros Participa raramente de forma construtiva em situações de comunicação relacionadas com a atividade escolar (debates, trabalhos de grupo, exposições orais ) Respeita raramente as normas que regem as situações de comunicação oral Produz com frequência enunciados pouco adequados à situação comunicativa Produz enunciados com erros frequentes que revelam desconhecimento de um número considerável de regras de funcionamento da língua Evidencia bastantes limitações a nível do vocabulário Revela muitas dificuldades na utilização de estratégias de leitura diversificadas Capta o sentido e interpreta textos escritos com muita dificuldade Evidencia muitas dificuldades na interpretação de relações entre a linguagem verbal e códigos não verbais Manifesta muito raramente preferências na seleção de leituras, bem como as suas opiniões e gostos sobre os textos lidos Nem sempre respeita as regras estabelecidas no contrato de leitura Identifica poucas marcas linguísticas de distintos usos da língua mediante a observação direta e a comparação de diversas produções Reflete sobre as regras de identificando muito pontualmente elementos formais básicos nos planos fónico, morfológico, lexical, semântico e pragmático Utiliza conscientemente os conhecimentos adquiridos sobre o sistema linguístico para uma melhor compreensão dos textos e para a revisão e produções, com irregularidade Utiliza poucos recursos e fontes de informação para dar resposta a necessidades concretas de informação e de aprendizagem Página 5 de 8

6 10 n 13 Apreende com alguma dificuldade o essencial das ideias e da intencionalidade de textos orais de diferentes tipos e de níveis distintos de formalização Produz textos orais de diferentes formalização com alguns erros significativos Participa regularmente de forma construtiva em situações de comunicação relacionadas com a atividade escolar (debates, trabalhos de grupo, exposições orais ) Respeita com regularidade as normas que regem as situações de comunicação oral Revela algum espírito crítico Produz enunciados adequados à situação comunicativa, evidenciando alguns erros Produz enunciados com erros que revelam desconhecimento de algumas regras de funcionamento da língua Evidencia algumas limitações a nível do vocabulário Revela algum espírito crítico Revela algumas dificuldades na utilização de estratégias diversificadas de leitura Capta o sentido e interpreta textos escritos, parcialmente, com alguma dificuldade Interpreta relações entre a linguagem verbal e códigos não verbais com alguns erros Manifesta pontualmente preferências na seleção de leituras, bem como as suas opiniões e gostos sobre os textos lidos Respeita regularmente as regras estabelecidas no contrato de leitura Utiliza por vezes diferentes recursos e fontes de informação para dar resposta a necessidades concretas de informação e de aprendizagem Identifica bastantes marcas linguísticas de distintos usos da língua mediante a observação direta e a comparação de diversas produções Reflete sobre as regras de identificando bastantes elementos formais básicos nos planos fónico, morfológico, lexical, semântico e pragmático Utiliza conscientemente os conhecimentos adquiridos sobre o sistema linguístico para uma melhor compreensão dos textos e para a revisão e produções, com bastante frequência Reconhece o valor estético da língua Página 6 de 8

7 14 n 17 Apreende facilmente as ideias essenciais e a intencionalidade de textos orais de diferentes tipos e de níveis distintos de formalização Produz textos orais de diferentes formalização com erros pontuais e pouco significativos Participa quase sempre de forma construtiva em situações de comunicação relacionadas com a atividade escolar (debates, trabalhos de grupo, exposições orais ) Respeita quase sempre as normas que regem as situações de comunicação oral Revela espírito crítico pertinente Produz enunciados adequados à situação comunicativa, evidenciando alguns erros ocasionais Produz enunciados que revelam conhecimento das regras de funcionamento da língua Utiliza vocabulário adequado e diversificado Revela espírito crítico pertinente Utiliza estratégias diversificadas de leitura Capta o sentido e interpreta textos escritos na sua globalidade Interpreta relações entre a linguagem verbal e códigos não verbais com alguns erros Manifesta preferências na seleção de leituras, bem como as suas opiniões e gostos sobre os textos lidos Respeita as regras estabelecidas no contrato de leitura Utiliza diferentes recursos e fontes de informação para dar resposta a necessidades concretas de informação e de aprendizagem Reconhece facilmente o valor estético da língua Identifica um número acentuado de marcas linguísticas de distintos usos da língua mediante a observação direta e a comparação de diversas produções Reflete sobre as regras de identificando um número significativo de elementos formais básicos nos planos fónico, morfológico, lexical, semântico e pragmático Utiliza conscientemente os conhecimentos adquiridos sobre o sistema linguístico para uma melhor compreensão dos textos e para a revisão e produções, com muita frequência Página 7 de 8

8 18 n 20 Apreende com bastante facilidade as ideias essenciais e a intencionalidade de textos orais de diferentes tipos e de níveis distintos de formalização Produz textos orais de diferentes formalização sem nenhum erro significativo Participa sempre de forma construtiva em situações de comunicação relacionadas com a atividade escolar (debates, trabalhos de grupo, exposições orais ) Respeita sempre as normas que regem as situações de comunicação oral Revela espírito crítico com fundamentação aprofundada e pertinente Produz enunciados adequados à situação comunicativa sem nenhum erro significativo Produz enunciados que revelam conhecimento aprofundado das regras de funcionamento da língua Utiliza frequentemente vocabulário adequado e diversificado Revela espírito crítico com fundamentação aprofundada e pertinente Utiliza sempre estratégias de leitura diversificadas e adequadas Capta o sentido e interpreta sempre corretamente textos escritos Interpreta relações entre a linguagem verbal e códigos não verbais, com falhas pouco significativas Manifesta regularmente preferências na seleção de leituras, bem como as suas opiniões e gostos sobre os textos lidos Respeita as regras estabelecidas no contrato de leitura Utiliza com regularidade diferentes recursos e fontes de informação para dar resposta a necessidades concretas de informação e de aprendizagem Identifica as marcas linguísticas de distintos usos da língua mediante a observação direta e a comparação de diversas produções Reflete sobre as regras de identificando os elementos formais básicos nos planos fónico, morfológico, lexical, semântico e pragmático Utiliza conscientemente os conhecimentos adquiridos sobre o sistema linguístico para uma melhor compreensão dos textos e para a revisão e produções, de modo sistemático Reconhece e avalia o valor estético da língua TESTES DE AVALIAÇÃO Peso 3 Página 8 de 8

Testes Sumativos Peso 3*

Testes Sumativos Peso 3* I. INTEGRAÇÃO ESCOLAR E PROFISSIONALIZANTE Participação no contexto escolar de forma responsável e cooperativa Assiduidade e pontualidade Material (portefólio, outro material necessário) Sentido de responsabilidade

Leia mais

Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO

Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO ATITUDES E VALORES (5%) CONHECIMENTOS E CAPACIDADES (95%) Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN 2016/2017 Português Leitura/ Educação Literária Componente escrita: Compreensão de textos escritos

Leia mais

Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático 2012/2013

Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático 2012/2013 Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático Língua Portuguesa 2012/2013 ATITUDES Formação para a cidadania. Apresentação dos materiais necessários, cumprimento de tarefas propostas, assiduidade,

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO A lectivo:2016/2017 O trabalho desenvolvido na disciplina de Inglês,, visa propiciar, estimular e desenvolver, ao longo dos cinco as dos dois Ciclos, competências de comunicação s domínios da oralidade

Leia mais

Os conteúdos programáticos serão trabalhados de acordo com os seguintes parâmetros:

Os conteúdos programáticos serão trabalhados de acordo com os seguintes parâmetros: 3º ciclo Oferta Complementar: Apoio ao estudo da disciplina de Português Domínios Ponderação Componente cognitiva (capacidades e conhecimentos) Oralidade Leitura Escrita Gramática 80% Componente socioafetiva

Leia mais

I Competências / Domínios a avaliar

I Competências / Domínios a avaliar O trabalho desenvolvido na disciplina de Português 2º ciclo visa propiciar, estimular e desenvolver, ao longo dos dois as do ciclo, metas linguísticas s domínios do oral e do escrito, competências de leitura

Leia mais

Departamento de 2.º Ciclo Disciplina de Inglês

Departamento de 2.º Ciclo Disciplina de Inglês Aprender a ser / Aprender a viver com os outros Pilar de Aprendizagem Aprender a conhecer / Aprender a fazer CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Departamento de 2.º Ciclo ED. SETEMBRO DE 2016 DOMÍNIOS DE AVALIAÇÃO

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO O trabalho desenvolvido na disciplina de,, visa propiciar, estimular e desenvolver, ao longo dos três as do Ciclo, competências linguística-comunicativas s domínios do oral e do escrito, competências de

Leia mais

Critérios de Avaliação de Francês 2016 / ºano

Critérios de Avaliação de Francês 2016 / ºano Critérios de Avaliação de Francês 2016 / 2017 7ºano A avaliação certifica as aprendizagens e tem como objetivo a melhoria dessas aprendizagens. Os conteúdos programáticos serão trabalhados, desenvolvendo

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO A letivo: 2016/2017 O trabalho desenvolvido na disciplina de Francês, 3º Ciclo, visa propiciar, estimular e desenvolver, ao longo dos três as do Ciclo, competências de comunicação s domínios da oralidade

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE FRANCÊS Componente de Formação Complementar Curso Vocacional de Informática e Multimédia Ano letivo 2015/2016

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE FRANCÊS Componente de Formação Complementar Curso Vocacional de Informática e Multimédia Ano letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL DE FRANCÊS Componente de Formação Complementar Curso Vocacional de Informática e Multimédia Ano letivo 2015/2016 Competências Transversais Promoção da educação para a cidadania A língua

Leia mais

Critérios específicos de avaliação HISTÓRIA 3.º ciclo Ano letivo

Critérios específicos de avaliação HISTÓRIA 3.º ciclo Ano letivo Objeto de avaliação Conhecimentos e Capacidades Específicos Critérios específicos de avaliação HISTÓRIA 3.º ciclo Ano letivo 2016-2017 Itens/Parâmetros Compreensão histórica (Temporalidade Espacialidade

Leia mais

Critérios de Avaliação do Ensino Básico - 2º Ciclo. Língua Portuguesa

Critérios de Avaliação do Ensino Básico - 2º Ciclo. Língua Portuguesa Critérios de Avaliação do Ensino Básico - º Ciclo Língua Portuguesa DOMÍNIOS COMPETÊNCIAS PONDERAÇÃO NA CLASSIFICAÇÃO TIPOLOGIA DOS INSTRUMENTOS DE FINAL AVALIAÇÃO POR PERÍODO Teste(s) de compreensão oral

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo do Ensino Básico de Amora

Escola Secundária com 3º Ciclo do Ensino Básico de Amora COMPETÊNCIAS GERAIS Relacionar as dimensões da aprendizagem e os princípios éticos que regulam o saber e a interação com os outros. Usar corretamente a língua portuguesa para comunicar oralmente e por

Leia mais

1.º Ciclo do Ensino Básico Critérios de Avaliação

1.º Ciclo do Ensino Básico Critérios de Avaliação 1.º Ciclo do Ensino Básico Critérios de Avaliação PORTUGUÊS Domínios/Competências Fatores de ponderação (testes/cotações) Instrumentos de avaliação Avaliação Global (avaliação sumativa) Compreensão oral

Leia mais

A G R U P A M ENTO DE ESC O L A S A N S ELMO D E A N D R A D E

A G R U P A M ENTO DE ESC O L A S A N S ELMO D E A N D R A D E A G R U P A M ENTO DE ESC O L A S A N S ELMO D E A N D R A D E DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS - Grupo de Português Planificação Anual /Critérios de avaliação Disciplina: Português Ensino Profissional 12º. Ano

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja

Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja Psicologia B 12º ano Ano lectivo 2011/2012 Critérios de avaliação Competências: Equacionar a Psicologia no panorama geral das ciências; Capacidades de

Leia mais

Cursos Científico-humanísticos de Ciências e Tecnologias e de Línguas e Humanidades. PORTUGUÊS 11.º Ano Matriz do teste Comum

Cursos Científico-humanísticos de Ciências e Tecnologias e de Línguas e Humanidades. PORTUGUÊS 11.º Ano Matriz do teste Comum Direção de Serviços da Região Norte Cursos Científico-humanísticos de Ciências e Tecnologias e de Línguas e Humanidades PORTUGUÊS 11.º Ano Matriz do teste Comum 1. Informação O presente documento visa

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Competências de Interpretação CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3.º Ciclo do Ensino Básico 7º Ano Departamento de Línguas Disciplina: Inglês Domínios Objeto de avaliação Domínios/ Metas de aprendizagem Instrumentos

Leia mais

CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3ºciclo Geografia 7ºano

CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3ºciclo Geografia 7ºano CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3ºciclo Geografia 7ºano Metas de Aprendizagem Conteúdos Programáticos Critérios de Avaliação Instrumentos de Avaliação Domínio I A TERRA : Estudos

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Agrupamento de Escolas Fernão de Magalhães Departamento Curricular do 1º Ciclo Ano Letivo 2015/2016 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Avaliação das Atitudes/Comportamentos

Leia mais

Critérios Específicos de Avaliação. PORTUGUÊS ENSINO BÁSICO (7.º Ano) 2016/2017

Critérios Específicos de Avaliação. PORTUGUÊS ENSINO BÁSICO (7.º Ano) 2016/2017 Critérios Específicos de Avaliação PORTUGUÊS ENSINO BÁSICO (7.º Ano) 2016/2017 Domínio de Avaliação Saber e Saber Fazer Instrumentos de Avaliação. Atividades de planeamento de produções orais: grelhas

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 3º CICLO LÍNGUA PORTUGUESA CEF - INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 1º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es):

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO Sede - Escola Secundária do Restelo

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO Sede - Escola Secundária do Restelo AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO Sede - Escola Secundária do Restelo CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2014/2015 1º CICLO 1. Critérios Gerais Evolução da aquisição das aprendizagens; Utilização correta da língua

Leia mais

P S I C O L O G I A B 1 2 º A N O

P S I C O L O G I A B 1 2 º A N O DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS GRUPO 10º B FILOSOFIA P S I C O L O G I A B 1 2 º A N O D I S POSITIVO DE AV AL I AÇ Ã O (Versão de 2010-2011) Psicologia B Avaliação / Pág. 1 de 8 1. MATRIZES

Leia mais

Interpretar discursos orais com diferentes graus de formalidade e complexidade. Registar,

Interpretar discursos orais com diferentes graus de formalidade e complexidade. Registar, DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS PORTUGUÊS 8º ANO A Ano Letivo: 2012/2013 Introdução /Metas Consigna-se no Despacho n.º 5306/2012, de 18 de abril de 2012, que o desenvolvimento do ensino será orientado por Metas

Leia mais

Ano letivo

Ano letivo ESCOLA SECUNDÁRIA DE EMÍDIO NAVARRO VISEU (401626) Critérios de avaliação das disciplinas do Curso Profissional de Técnico de Apoio à Infância Ano letivo 2016-2017 DEPARTAMENTO: LÍNGUAS DISCIPLINA: PORTUGUÊS

Leia mais

E S C O L A S E C U N D Á R I A C O M 2 º E 3 º C I C L O S A N S E L M O D E A N D R A D E. Departamento de Línguas Ensino Básico - 3º Ciclo

E S C O L A S E C U N D Á R I A C O M 2 º E 3 º C I C L O S A N S E L M O D E A N D R A D E. Departamento de Línguas Ensino Básico - 3º Ciclo Proposta de Critérios Específicos de Avaliação de Língua Estrangeira Disciplina: Espanhol nível de Iniciação 7º/ 8º e 9º Ano Letivo: 2013/ 2014 Domínios Competências Gerais Competências Específicas Peso

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO DIREÇÃO-GERAL DOS ESTABELECIMENTOS ESCOLARES DIREÇÃO DE SERVIÇOS REGIÃO ALENTEJO Agrupamento de Escolas de Vila Nova de Milfontes, Odemira CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO 2016/2017 1 CRITÉRIOS E INSTRUMENTOS

Leia mais

Critérios de Avaliação 2014/2015. Cursos Profissionalizantes

Critérios de Avaliação 2014/2015. Cursos Profissionalizantes Critérios de Avaliação 2014/2015 Cursos Profissionalizantes Índice Português 2 Comunicar em francês 3 Economia/Área de Integração/Gestão e Controlo/Comercializar e Vender/Comunicar no Ponto de Venda/Organizar

Leia mais

Critérios de Avaliação da Disciplina de Geografia - 3º Ciclo

Critérios de Avaliação da Disciplina de Geografia - 3º Ciclo Critérios de Avaliação da Disciplina de Geografia - 3º Ciclo A função de avaliação corresponde à análise cuidada das aprendizagens conseguidas relativamente às planeadas, devendo traduzir-se numa descrição

Leia mais

PORTUGUÊS CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS. ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO

PORTUGUÊS CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS. ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 4 DE ÉVORA SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA ANDRÉ DE GOUVEIA CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS PORTUGUÊS ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO outubro

Leia mais

HORAS/ AULAS. MÓDULO 1 - Processos de conformação Cerâmica. MÓDULO 2 - Decoração alto fogo/cores a água

HORAS/ AULAS. MÓDULO 1 - Processos de conformação Cerâmica. MÓDULO 2 - Decoração alto fogo/cores a água MÓDULOS CONTEÚDOS HORAS/ AULAS Origem e propriedades da pasta cerâmica Variedades da argila e sua utilização MÓDULO 1 - Processos de conformação Cerâmica Iniciação ao processo cerâmico (homogeneização,

Leia mais

Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo

Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo A avaliação, como parte integrante do processo de ensino/ aprendizagem, deverá ter em conta: Os programas e as metas curriculares em vigor para o 1º ciclo;

Leia mais

ENSINO SECUNDÁRIO CIENTIFICO HUMANÍSTICO

ENSINO SECUNDÁRIO CIENTIFICO HUMANÍSTICO Escola Secundária Dr. Solano de Abreu Abrantes ENSINO SECUNDÁRIO CIENTIFICO HUMANÍSTICO DISCIPLINA: PORTUGUÊS ANO: 11ª ANO LETIVO 2012/2013 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ATIVIDADES ESTRATÉGIAS AULAS PREVISTAS

Leia mais

As Metas Curriculares de Português, para o 3º Ciclo, apresentam cinco características essenciais:

As Metas Curriculares de Português, para o 3º Ciclo, apresentam cinco características essenciais: DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS PORTUGUÊS º ANO A Ano Letivo: 204 / 205. Introdução / Metas Curriculares Na disciplina de Português o desenvolvimento do ensino será orientado por Metas Curriculares cuja definição

Leia mais

PORTUGUÊS LÍNGUA NÃO MATERNA (PLNM) ENSINO SECUNDÁRIO 2016/2017

PORTUGUÊS LÍNGUA NÃO MATERNA (PLNM) ENSINO SECUNDÁRIO 2016/2017 Critérios Específicos de Avaliação PORTUGUÊS LÍNGUA NÃO MATERNA (PLNM) ENSINO SECUNDÁRIO 2016/2017 Domínio de Avaliação Saber e Saber Fazer Instrumentos de Avaliação Domínios a desenvolver Descritores

Leia mais

Grelha de Avaliação Oral (a preencher pelo professor)

Grelha de Avaliação Oral (a preencher pelo professor) 1 Grelha de Avaliação Oral (a preencher pelo professor) Compreende as instruções do professor Compreende enunciados orais simples Compreende enunciados orais complexos Escuta atentamente COMPREENSÃO O

Leia mais

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS NÍVEL 2 NÍVEL 3 NÍVEL 4 NÍVEL 5. * Consegue compreender aquilo que ouve.

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS NÍVEL 2 NÍVEL 3 NÍVEL 4 NÍVEL 5. * Consegue compreender aquilo que ouve. PORTUGUÊS 3º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO COMPREENSÃO DO ORAL Compreensão de formas complexas do oral, exigidas para o prosseguimento de estudos e para a entrada na vida profissional. * Capacidade de extrair

Leia mais

Normas de funcionamento das disciplinas de História e Geografia

Normas de funcionamento das disciplinas de História e Geografia Direcção Regional de Educação do Centro MATERIAL NECESSÁRIO PARA A AULA Manual Escolar Caderno Diário Contrato Pedagógico Plano Individual de Trabalho ( PIT) Fichas de avaliação Caderneta escolar Outro

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2015/2016 DOMÍNIOS DE AVALIAÇÃO. Assiduidade/Pontualidade (2%) Comportamento / Relação com os outros (6%)

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2015/2016 DOMÍNIOS DE AVALIAÇÃO. Assiduidade/Pontualidade (2%) Comportamento / Relação com os outros (6%) PORTUGUÊS DOMÍNIOS DE Leitura / Educação literária (25) Escrita (25) Gramática (15) Oralidade (15) 80 Assiduidade/Pontualidade (2) Comportamento / Relação com os outros (6) Organização do material (2)

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V Ensino Básico 2º Ciclo CIÊNCIAS NATURAIS Peso na Avaliação Final Testes de avaliação e/ou outros trabalhos escritos; Aquisição de conhecimentos; Domínio da Língua Portuguesa ao nível da expressão oral

Leia mais

ESPANHOL 1ª e 2ª fase de 2014

ESPANHOL 1ª e 2ª fase de 2014 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESPANHOL 1ª e 2ª fase de 2014 Prova 15 2014 9ºano de Escolaridade - 3.º Ciclo do Ensino Básico PROVA ESCRITA 50% 1. Objeto de avaliação, características e

Leia mais

Carga Horária Semanal 2 blocos 90m + 1 bloco 45m 1º PERÍODO 1 33h 1º PERÍODO: 62 aulas 2 24h 2º MOD. 18 aulas. 3º PERÍODO: 48 aulas

Carga Horária Semanal 2 blocos 90m + 1 bloco 45m 1º PERÍODO 1 33h 1º PERÍODO: 62 aulas 2 24h 2º MOD. 18 aulas. 3º PERÍODO: 48 aulas ELENCO MODULAR/GESTÃO DE HORAS MÓDULOS DURAÇÃO Carga Horária Semanal 2 blocos 90m + 1 bloco 45m 1º PERÍODO 1 33h 1º MOD. 44 aulas 1º PERÍODO: 62 aulas 2 24h 2º MOD. 18 aulas 3 24h 2º PERÍODO 4 24h 2º PERÍODO:

Leia mais

Escola Básica 2,3 de Miragaia Informação Prova de Equivalência à Frequência

Escola Básica 2,3 de Miragaia Informação Prova de Equivalência à Frequência Escola Básica 2,3 de Miragaia Informação Prova de Equivalência à Frequência Francês - 9. º Ano - Código 1 201 1- Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência

Leia mais

I Atribuições e atividades profissionais relativas à qualificação ou à habilitação profissional, que justificam o desenvolvimento das competências pre

I Atribuições e atividades profissionais relativas à qualificação ou à habilitação profissional, que justificam o desenvolvimento das competências pre Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 69 aprovado pela portaria Cetec nº 733 de 10 / 09 /2015 Etec Tiquatira Código: Município: São Paulo Eixo Tecnológico: CONTROLE E PROCESSOS

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMPAIO 1.º CICLO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMPAIO 1.º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO I- Introdução Os critérios de avaliação são definidos de acordo com o currículo, os programas das disciplinas e as metas curriculares, sendo operacionalizados pelos professores da

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO PORTUGUÊS

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO PORTUGUÊS CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO PORTUGUÊS DIRETRIZES GERAIS A Avaliação no Ensino Básico de 2º e 3º Ciclos: Resulta da ponderação das evidências das competências manifestadas pelo aluno nas diferentes atividades

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo do Ensino Básico de Amora PLANIFICAÇÃO ANUAL /2015 DISCIPLINA: Português CURSO: PROFISSIONAL

Escola Secundária com 3º Ciclo do Ensino Básico de Amora PLANIFICAÇÃO ANUAL /2015 DISCIPLINA: Português CURSO: PROFISSIONAL COMPETÊNCIAS GERAIS Compreensão oral / Leitura o Antecipar significados o Distinguir diferentes tipos de texto o Apreender sentidos explícitos o Inferir sentidos implícitos o Distinguir factos de opiniões

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÂO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS 2º CICLO ANO LETIVO 2015 / 2016 DOMÍNIOS DE APRENDIZAGEM DOMÍNIOS DE REFERÊNCIA PONDERAÇÃO INSTRUMENTOS DE

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO Domínio Cognitivo (Nível dos Conhecimentos) Compreensão oral e escrita; Conhecimento de formas e regras de funcionamento da língua materna; Conhecimento e compreensão de conceitos

Leia mais

Introdução. 3 º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro)

Introdução. 3 º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro) INFORMAÇÃO PROVA LÍNGUA ESTRANGEIRA I INGLÊS Escrita e Oral 2016 Prova 21 3 º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro) Introdução O presente documento divulga informação relativa

Leia mais

Departamento de Matemática Ano letivo 2016/17 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA O ENSINO BÁSICO Grupo 230 Matemática (2ºciclo)

Departamento de Matemática Ano letivo 2016/17 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA O ENSINO BÁSICO Grupo 230 Matemática (2ºciclo) Departamento de Matemática Ano letivo 2016/17 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA O ENSINO BÁSICO Grupo 230 Matemática (2ºciclo) Objeto de avaliação Itens/Parâmetros Instrumentos Ponderação Conteúdos da Testes

Leia mais

Informação - Prova de Equivalência à Frequência de. Inglês

Informação - Prova de Equivalência à Frequência de. Inglês Informação - Prova de Equivalência à Frequência de Inglês Ano Letivo 2016 / 2017 Código da Prova: 367 Ensino Secundário Tipo de Prova: Escrita e Oral 1. Objeto de avaliação A prova de exame tem por referência

Leia mais

Prova 21 3º Ciclo do Ensino Básico

Prova 21 3º Ciclo do Ensino Básico INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS - Prova escrita e oral 2016 Prova 21 3º Ciclo do Ensino ásico O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência à frequência

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência - 15 Ano Letivo 2012/2013

Informação Prova de Equivalência à Frequência - 15 Ano Letivo 2012/2013 Ensino Básico Informação Prova de Equivalência à Frequência - 15 Disciplina: Espanhol Ano Letivo 2012/2013 9º Ano de escolaridade 1. Objeto de avaliação A prova tem por referência o Programa de Espanhol

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 294 aprovado pela portaria Cetec nº 774 de 24 / 09 / 2015. ETEC de Tiquatira Código: 208 Município: São Paulo Eixo Tecnológico: Controle

Leia mais

ENSINO SECUNDÁRIO CURSO PROFISSIONAL

ENSINO SECUNDÁRIO CURSO PROFISSIONAL Escola Secundária Dr. Solano de Abreu Abrantes ENSINO SECUNDÁRIO CURSO PROFISSIONAL DISCIPLINA: PORTUGUÊS ANO: 11º ANO LETIVO 2012/2013 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ATIVIDADES ESTRATÉGIAS AULAS PREVISTAS INSTRUMENTOS

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL ATIVIDADES ESTRATÉGIAS. Resolução do teste diagnóstico

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL ATIVIDADES ESTRATÉGIAS. Resolução do teste diagnóstico ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL Ensino Secundário Profissional DISCIPLINA: Português ANO: 12º ANO LETIVO 2011/2012 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ATIVIDADES ESTRATÉGIAS

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS CAPACIDADES INDICADORES INSTRUMENTOS Domínio Cognitivo (Saber) Componentes do Currículo Conceitos Identifica/Reconhece/Adquire conceitos; Domina

Leia mais

CRITÉRIOS DE CORREÇÃO DA PROVA DE REDAÇÃO PARA O CURSO LETRAS LIBRAS. I ADEQUAÇÃO Adequação ao tema

CRITÉRIOS DE CORREÇÃO DA PROVA DE REDAÇÃO PARA O CURSO LETRAS LIBRAS. I ADEQUAÇÃO Adequação ao tema UFG/CS PS/011-1 RESPOSTAS ESPERADAS OFICIAIS CRITÉRIOS DE CORREÇÃO DA PROVA DE REDAÇÃO PARA O CURSO LETRAS LIBRAS I ADEQUAÇÃO (SERÁ CONSIDERADO O USO DE LÍNGUA PORTUGUESA COMO SEGUNDA LÍNGUA) A- ao tema

Leia mais

Curso: 3.º Ciclo do Ensino Básico Disciplina: Português Ano: 7º, 8.º e 9.º

Curso: 3.º Ciclo do Ensino Básico Disciplina: Português Ano: 7º, 8.º e 9.º DOMÍNIOS A AVALIAR INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO Tipo 1 Leitura, Educação Literária, Gramática e Escrita. Testes de avaliação (leitura, educação literária, gramática e escrita) DOMÍNIO COGNITIVO (COMPETÊNCIAS

Leia mais

1º Ciclo. Competências Gerais do Ensino Básico

1º Ciclo. Competências Gerais do Ensino Básico 1º Ciclo Ao longo do 1º ciclo do Ensino Básico, todos os alunos devem desenvolver as competências gerais do Ensino Básico. Competências Gerais do Ensino Básico 1. Mobilizar saberes culturais, científicos

Leia mais

GRUPO 1 GRUPO 2 GRUPOS 3e4

GRUPO 1 GRUPO 2 GRUPOS 3e4 GRUPO 1 GRUPO GRUPOS 3e UFG/CS RESPOSTAS ESPERADAS OFICIAIS GRUPO I ADEQUAÇÃO A-ao tema = 0 a pontos B-à leitura da coletânea = 0 a pontos C-ao gênero textual = 0 a pontos D-à modalidade = 0 a pontos CRITÉRIOS

Leia mais

ESPANHOL INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. Prova º Ciclo do Ensino Básico AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VERGÍLIO FERREIRA

ESPANHOL INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. Prova º Ciclo do Ensino Básico AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VERGÍLIO FERREIRA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VERGÍLIO FERREIRA INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESPANHOL Prova 15 2014 Tipo de prova: Escrita / Oral 1ª e 2ª Fases 3º Ciclo do Ensino Básico O presente documento

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS PORTUGUÊS 1.º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS PORTUGUÊS 1.º CICLO Leitura e escrita Aprendizagem cognitiva (80%) Oralidade CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS PORTUGUÊS 1.º CICLO ANO LETIVO 2016 / 2017 Domínio Insuficiente Suficiente Bom Muito

Leia mais

A França e os Franceses. - Diagnose da Turma.

A França e os Franceses. - Diagnose da Turma. ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL 3º C.E.B. DISCIPLINA: Francês ANO: 8º ANO LETIVO: 2011/2012 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ATIVIDADES ESTRATÉGIAS AULAS PREVISTAS

Leia mais

1ª/2ª Fase. As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e do programa da disciplina.

1ª/2ª Fase. As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e do programa da disciplina. Agrupamento de Escolas de Barrancos INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO BÁSICO INGLÊS maio de 2016 Prova 21 2016 1ª/2ª Fase 3.º Ciclo do Ensino Básico Tipo de Prova: Escrita + Oral

Leia mais

EBI/JI FIALHO DE ALMEIDA, CUBA

EBI/JI FIALHO DE ALMEIDA, CUBA EBI/JI FIALHO DE ALMEIDA, CUBA DEPARTAMENTO DAS CIÊNCIAS EXACTAS E DA NATUREZA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO ANO LECTIVO 2007/2008 INTRODUÇÃO A avaliação é um processo contínuo que implica uma recolha sistemática

Leia mais

Planificação anual de Português 12º ano

Planificação anual de Português 12º ano Planificação anual de Português 12º ano 1 OBJETIVOS Desenvolver os processos linguísticos, cognitivos e metacognitivos necessários à operacionalização de cada uma das competências de compreensão e produção

Leia mais

Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo. Ano letivo 2016/17. Domínios Indicadores VALOR

Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo. Ano letivo 2016/17. Domínios Indicadores VALOR Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo Ano letivo 2016/17 Os critérios de avaliação constituem referenciais comuns, no Agrupamento, sendo operacionalizados pelos professores da turma 1. Áreas

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CURSOS PROFISSIONAIS

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CURSOS PROFISSIONAIS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CIDADE DO ENTRONCAMENTO 170586 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CURSOS PROFISSIONAIS 2016-2019 Índice 1. CURSOS PROFISSIONAIS MATRIZES CURRICULARES... 5 1.1. Matriz Curricular dos Cursos Profissionais

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O

P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O DISCIPLINA: Cidadania e Mundo Atual ANO: 7º TURMA: A ANO LECTIVO: 2011/2012 P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O UNIDADE DIDÁTICA 1: Empregabilidade: comunicação e relações pessoais AULAS PREVISTAS:

Leia mais

Grelha de Avaliação Contínua Qualitativa - Aulas Clínicas Ano letivo XXXX-XXXX, X.º semestre

Grelha de Avaliação Contínua Qualitativa - Aulas Clínicas Ano letivo XXXX-XXXX, X.º semestre Grelha de Avaliação Contínua Qualitativa - Aulas Clínicas Área Disciplinar: Número de aluno: 1. Assiduidade e pontualidade 2. Participação e integração no conteto clínico 3. Relação com doentes e familiares

Leia mais

GRUPO DISCIPLINAR DE HISTÓRIA - Ano Letivo 2016/ º ciclo do Ensino Básico

GRUPO DISCIPLINAR DE HISTÓRIA - Ano Letivo 2016/ º ciclo do Ensino Básico DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS GRUPO DISCIPLINAR DE HISTÓRIA - Ano Letivo 2016/2017 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 1. A avaliação é contínua e sistemática.

Leia mais

DISCIPLINA: INGLÊS CÓDIGO DA PROVA: 367. Ensino Secundário ANO DE ESCOLARIDADE: 11.º

DISCIPLINA: INGLÊS CÓDIGO DA PROVA: 367. Ensino Secundário ANO DE ESCOLARIDADE: 11.º DISCIPLINA: INGLÊS CÓDIGO DA PROVA: 367 Ensino Secundário ANO DE ESCOLARIDADE: 11.º O presente documento divulga informação relativa à prova de equivalência à frequência do ensino secundário da disciplina

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: FRANCÊS

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: FRANCÊS Interação Produção Interação CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: FRANCÊS Ensino Básico Ano letivo: 2016/2017 7º ANO Perfil de Aprendizagens Específicas O aluno é capaz: O aluno identifica

Leia mais

Ponderação dos domínios por disciplina

Ponderação dos domínios por disciplina Critérios de Avaliação - 1º ciclo Domínio Instrumentos de avaliação Peso % Cognitivo Trabalhos individuais e de grupo 15% Participação e intervenção 15% Fichas de avaliação 50 % Socioafetivo Registos 20%

Leia mais

Contrato de Leitura / Exercício de Expressão Oral Critérios de Avaliação. 1. Domínio da leitura e da escrita (organização e prefácio de uma antologia)

Contrato de Leitura / Exercício de Expressão Oral Critérios de Avaliação. 1. Domínio da leitura e da escrita (organização e prefácio de uma antologia) Contrato de Leitura / Exercício de Expressão Oral Critérios de Avaliação. Domínio da leitura e da escrita (organização e prefácio de uma antologia) Constrói uma antologia, respeitando os pormenores técnicos

Leia mais

Escola Básica 2,3 com Ensino Secundário de Alvide

Escola Básica 2,3 com Ensino Secundário de Alvide Informação da prova de equivalência à frequência de Francês Prova 16 2016 3.º Ciclo do Ensino Básico Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho 1. Objeto de avaliação A prova tem por referência o Programa

Leia mais

Critérios de Avaliação de Matemática

Critérios de Avaliação de Matemática COLÉGIO DA RAINHA SANTA ISABEL MATEMÁTICA Critérios de Avaliação de Matemática º e 3º Ciclo do Ensino Básico 01/013 A avaliação consiste no processo regulador das aprendizagens, orientador do percurso

Leia mais

Informação - Prova de Equivalência à Frequência. Espanhol Prova 15 / Ciclo do Ensino Básico

Informação - Prova de Equivalência à Frequência. Espanhol Prova 15 / Ciclo do Ensino Básico AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VIEIRA DE ARAÚJO ESCOLA EB/S VIEIRA DE ARAÚJO VIEIRA DO MINHO Espanhol Prova 15 / 2015 3 Ciclo do Ensino Básico INTRODUÇÃO O presente documento dá a conhecer os seguintes aspetos

Leia mais

COMPETÊNCIAS DA DISCIPLINA

COMPETÊNCIAS DA DISCIPLINA ESCOLA ALEMÃ CORCOVADO DEUTSCHE SCHULE ASSOCIAÇÃO ESCOLAR E BENEFICENTE CORCOVADO PLANEJAMENTO CURRICULAR 2016 Área: Linguagens Disciplina: Língua Portuguesa/Literatura Ciclo: 11º / 12º anos COMPETÊNCIAS

Leia mais

TEMPO DE DURAÇÃO: 1h. Obrigatória entrega no final da aula. PROPOSTA DE REDAÇÃO

TEMPO DE DURAÇÃO: 1h. Obrigatória entrega no final da aula. PROPOSTA DE REDAÇÃO SIMULADO PRESENCIAL ENEM 2010 TEMPO DE DURAÇÃO: 1h. Obrigatória entrega no final da aula. PROPOSTA DE REDAÇÃO Com base na leitura dos textos motivadores e nos conhecimentos construídos ao longo de sua

Leia mais

FRANCÊS 9ºano ABRIL 2015

FRANCÊS 9ºano ABRIL 2015 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FRANCÊS 9ºano ABRIL 2015 Prova 16 2015 3.º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei nº 139/2012, de 05 de julho) 1. Introdução O presente documento dá a conhecer

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE Informação Prova de Equivalência à Frequência 3º Ciclo do Ensino Básico 2015/2016 Alunos com Necessidades Educativas Especiais Inglês Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5

Leia mais

Agrupamento de Escolas de São Pedro do Sul Escola sede Escola Secundária de S. Pedro do Sul

Agrupamento de Escolas de São Pedro do Sul Escola sede Escola Secundária de S. Pedro do Sul Agrupamento de Escolas de São Pedro do Sul Escola sede Escola Secundária de S. Pedro do Sul CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO: PORTUGUÊS LÍNGUA NÃO MATERNA 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO 1. Enquadramento legal da avaliação

Leia mais

ESCOLA EB 2,3 DR. ANTÓNIO CHORA BARROSO ANO LETIVO 2013/2014. Planificação a Longo Prazo. Matemática 9º ano

ESCOLA EB 2,3 DR. ANTÓNIO CHORA BARROSO ANO LETIVO 2013/2014. Planificação a Longo Prazo. Matemática 9º ano ESCOLA EB 2,3 DR. ANTÓNIO CHORA BARROSO ANO LETIVO 203/204 Planificação a Longo Prazo Matemática 9º ano Finalidades, avaliação e organização temporal Grupo Disciplinar 500 Departamento de Matemática e

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Cabeceiras de Basto

Agrupamento de Escolas de Cabeceiras de Basto Agrupamento de Escolas de Cabeceiras de Basto Escola Básica e Secundária de Cabeceiras de Basto Telefone 253 662 338 * Fax 253 662 826 Informação de Exame de Recuperação de Módulo em Atraso Curso Profissional

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Agrupamento de Escolas Dr. José Leite de Vasconcelos Av. Dr. Francisco Sá Carneiro - 3610 134 Tarouca CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO 1º ANO Ano letivo 2016/2017 AEDJLV - Tarouca (Código

Leia mais

1. Introdução INFORMAÇÃO - EXAME EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FRANCÊS 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO 2012

1. Introdução INFORMAÇÃO - EXAME EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FRANCÊS 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO 2012 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PINHEIRO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA INFORMAÇÃO - EXAME EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FRANCÊS 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO 2012 1. Introdução O presente documento visa divulgar

Leia mais

Os programas das disciplinas em causa preconizam atividades linguísticas, estratégias e tarefas reportadas a usos comunicativos da língua.

Os programas das disciplinas em causa preconizam atividades linguísticas, estratégias e tarefas reportadas a usos comunicativos da língua. INFORMACÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS (cód. 358) 2016 Prova de Equivalência à Frequência - 2016 12º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) O presente documento divulga

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Prova de Equivalência à Frequência FRANCÊS L.E II Prova 16 2013 Prova escrita 3.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência à frequência

Leia mais

Escola EB1/PE da Nazaré

Escola EB1/PE da Nazaré Escola EB1/PE da Nazaré Projeto Clube da Matemática Atividade de Enriquecimento Curricular Docentes: Adelaide Dória Carla Sofia Oliveira Ano lectivo 2011/2012 A escola pode e deve proporcionar aos alunos

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO - ENSINO BÁSICO 2º E 3º CICLOS (2ª revisão)

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO - ENSINO BÁSICO 2º E 3º CICLOS (2ª revisão) CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO - ENSINO BÁSICO 2º E 3º CICLOS (2ª revisão) Nos termos da alínea e) do art.º 33.º do Regime de Autonomia, Administração e Gestão, constante do Decreto-Lei nº 75/2008 de 22

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação por Área Disciplinar e Anos de Escolaridade. Critérios de Avaliação 1º ano Língua Portuguesa

Critérios Gerais de Avaliação por Área Disciplinar e Anos de Escolaridade. Critérios de Avaliação 1º ano Língua Portuguesa Critérios Gerais de Avaliação por Área Disciplinar e Anos de Escolaridade Critérios de Avaliação 1º ano Língua Portuguesa nterpreta Não identifica imagens, mensagens, bandas desenhadas, pequenas frases,

Leia mais

CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS º PERÍODO

CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS º PERÍODO CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO Estudo da história geral da Educação e da Pedagogia, enfatizando a educação brasileira. Políticas ao longo da história engendradas

Leia mais

Informação sobre Exame de Equivalência à Frequência. Prova de Inglês 367 Ensino Secundário) Duração da Prova: 90 minutos (escrita) 25 minutos (oral)

Informação sobre Exame de Equivalência à Frequência. Prova de Inglês 367 Ensino Secundário) Duração da Prova: 90 minutos (escrita) 25 minutos (oral) Informação sobre Exame de Equivalência à Frequência Prova de Inglês 367 Ensino Secundário) Duração da Prova: 90 minutos (escrita) 25 minutos (oral) 1. Objeto de avaliação A prova a que esta informação

Leia mais

CONTEÚDOS: Os conteúdos abordados serão os mesmos da prova escrita.

CONTEÚDOS: Os conteúdos abordados serão os mesmos da prova escrita. MATRIZ DA PROVA ESCRITA OBJECTIVOS ESPECÍFICOS: O aluno. compreende globalmente um texto autêntico; selecciona informação relevante; aplica vocabulário pertinente e variado; usa correctamente estruturas

Leia mais

Curso Vocacional de Turismo e Restauração Higiene e Nutrição / 3º Ciclo Planificação a Longo Prazo

Curso Vocacional de Turismo e Restauração Higiene e Nutrição / 3º Ciclo Planificação a Longo Prazo Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Curso Vocacional de Turismo e Restauração Higiene e Nutrição / 3º Ciclo Planificação

Leia mais