I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO"

Transcrição

1 I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO

2 A CONVERGÊNCIA DAS NORMAS INTERNACIONAIS AO SETOR PÚBLICO MARIA DA CONCEIÇAO BARROS DE REZENDE

3 SITUAÇAO DA CONTABILIDADE PÚBLICA NO BRASIL NAS ÚLTIMAS DÉCADAS Lei Federal 4.320/64; Foco no Orçamento; Regime de Caixa para Receitas; Atualização dos bens públicos de forma facultativa; Falta de uniformização dos Planos de Contas; Dificuldade para Consolidação das Contas Nacionais,etc...

4 Estratégia da Contabilidade Lei 4.320/64 Ciência contábil Contabilidade patrimonial Contabilidade orçamentária Contabilidade financeira Conhecimento Fonte: STN

5 EVOLUÇOES LEI RESPONSABILIDADE FISCAL LC 101/2000 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE

6 Contabilidade: Fonte de Informação PLANEJAMENTO CONTROLE C ORÇAMENTO GESTÃO FINANCEIRA C = CONTABILIDADE

7 Orientações Estratégicas do CFC Convergência aos padrões internacionais de contabilidade; Objetivos Implementação de procedimentos e práticas contábeis que permitam o reconhecimento, mensuração, avaliação e evidenciação dos patrimônio público; Implantação do Sistema de Custos no setor público; Fonte: CFC

8 Orientações Estratégicas do CFC Melhoria das informações que integram as Demonstrações Contábeis; Consolidação das Contas Nacionais; Objetivos Permitir a avaliação do impacto das políticas públicas e da gestão, nas dimensões social, econômica e fiscal, segundo aspectos relacionados a variação patrimonial Fonte: CFC

9 NBC T 16 - APLICADA AO SETOR PÚBLICO NBC T 16.1 Conceituação, objeto e campo de aplicação NBC T 16.2 Patrimônio e Sistemas Contábeis NBC T 16.3 Planejamento e seus instrumentos sob o enfoque contábil NBC T 16.4 Transações no Setor Público NBC T 16.5 Registro Contábil NBC T 16.6 Demonstrações Contábeis NBC T 16.7 Consolidação das Demonstrações Contábeis NBC T 16.8 Controle Interno NBC T 16.9 Depreciação, Amortização e Exaustão NBC T Avaliação e Mensuração de Ativos e Passivos em Entidades do Setor Público NBC T Custos na Administração Pública

10 Principais alterações Adoção do Princípio Contábil da Competência para receita e despesa pública; Avaliação, mensuração e reavaliação de ativos e passivos; Depreciação, amortização e exaustão; Implementação de novas demonstrações contábeis; Sistema de Custos na Administração Pública;

11 Principais alterações Avaliação dos Investimentos em outras sociedades Equivalência Patrimonial; Bens de uso comum devem ser incluídos no ativo da entidade responsável pela sua administração ou controle; Controle contábil dos ciclos de planejamento governamental; Registro dos Ativos Intangíveis;

12 Principais Benefícios Padronização dos procedimentos contábeis; Ampliação da transparência na administração pública; Fortalecimento das políticas públicas; Qualificação das informações disponíveis; Maior comparabilidade; Melhor avaliação da eficiência dos serviços públicos; Consolidação das contas públicas;

13 Principais Benefícios Melhoria do planejamento governamental; Identificação de riscos potenciais para a administração pública; Avanços na administração financeira; Aprimoramento da contabilidade gerencial no setor público, com utilização de sistemas de custos e indicadores de acompanhamento dos resultados dos governos; Fortalecimento da Contabilidade Governamental

14 Ações Amplo apoio institucional; Revisão e qualificação dos processos contábeis; Participação acadêmica com divulgação dos procedimentos, capacitação dos profissionais e produção de trabalhos científicos; Promover o intercâmbio de experiências, nacionais e internacionais; Esforços dos governos no estabelecimento de diretrizes e normatizações necessárias para a geração de informações tempestivas com objetivo de registrar e controlar integralmente todos os atos e fatos da administração pública.

15 É necessário... Engajamento de todos os profissionais num processo de construção desse novo cenário. Assim, teremos a Contabilidade Pública à frente dos processos geradores de informações nos governos nos padrões das normas internacionais.

16 NBC TSP APROVADAS EM AUDIÊNCIA PÚBLICA- CFC NBC TSP 1 Apresentação das Demonstrações Contábeis NBC TSP 2 Demonstração dos Fluxos de Caixa NBC TSP 3 Políticas Contábeis, Mudança de Estimativa e Retificação de Erro NBC TSP 4 Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis NBC T SP 5 Custos de Empréstimos NBC TSP 6 Demonstrações Consolidadas e Separadas NBC T SP 7 Investimento em Coligada e Controlada NBC TSP 8 Empreendimento Controlado em Conjunto (Joint Venture) NBC TSP 9 Receita de Transações com Contraprestação NBC TSP 10 Contabilidade e Evidenciação em Economia Altamente Inflacionária NBC TSP 11 Contratos de Construção NBC TSP 12 Estoques Fonte: CFC:

17 NBC TSP APROVADAS EM AUDIÊNCIA PÚBLICA- CFC NBC TSP 13 Operações de Arrendamento Mercantil NBC TSP 14 Evento Subsequente NBC TSP 16 Propriedade para investimento NBC TSP 17 Ativo Imobilizado NBC T SP 18 Informações por Segmento NBC TSP 19 Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes NBC TSP 20 Divulgação sobre Partes Relacionadas NBC TSP 21 Redução ao Valor Recuperável de Ativo Não Gerador de Caixa NBC TSP 22 Divulgação de Informação Financeira Setor do Governo Geral NBC TSP 23 Receita de Transações sem Contraprestações NBC TSP 25 Benefícios a empregados NBC TSP 26 Redução ao Valor Recuperável de Ativo Gerador de Caixa NBC TSP 28 Instrumentos Financeiros Apresentação NBC TSP 29 Instrumentos Financeiros Reconhecimento e Mensuração NBC TSP 30 Instrumentos Financeiros NBC TSP 31 Ativo Intangível Fonte: CFC:

18 Obrigada!

Maria da Conceição B.de Rezende Ladeira

Maria da Conceição B.de Rezende Ladeira Maria da Conceição B.de Rezende Ladeira Junho/2016 ADMINISTRAÇAO PÚBLICA Transparência; Governança; Indicadores de Resultados alinhados a estratégias dos governos; Qualidade do gasto público;... Novo cenário

Leia mais

PLANO DE IMPLANTAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS PATRIMONIAIS: dicas de adoção. Contadora Michele Patricia Roncalio

PLANO DE IMPLANTAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS PATRIMONIAIS: dicas de adoção. Contadora Michele Patricia Roncalio PLANO DE IMPLANTAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS PATRIMONIAIS: dicas de adoção Contadora Michele Patricia Roncalio Orientações Estratégicas para a Contabilidade Aplicada ao Setor Público no Brasil Desenvolvimento

Leia mais

NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE PARA AS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE PARA AS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE PARA AS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Antônio Carlos Palácios Vice Presidente Técnico CRCRS O tema no contexto da CONVERGÊNCIA das Normas Contábeis A CRONOLOGIA DA CONVERGÊNCIA

Leia mais

4 NORMAS DE AUDITORIA

4 NORMAS DE AUDITORIA 4.10 Quadro de normas de contabilidade/auditoria/perícia e profissional A relação abaixo foi extraída do livro eletrônico publicado pelo CFC cujo título é: Princípios Fundamentais e Normas Brasileiras

Leia mais

Os impactos do Processo de Convergência no Controle Interno

Os impactos do Processo de Convergência no Controle Interno Os impactos do Processo de Convergência no Controle Interno Prof. Lino Martins da Silva Prof. Voluntario do Programa de Mestrado em Contabilidade da UERJ Sócio da LIMASI CONSULTORES E AUDITORES ASSOCIADOS

Leia mais

Comparativo das aulas dos demais cursos com os itens o edital do TCE-PE

Comparativo das aulas dos demais cursos com os itens o edital do TCE-PE Comparativo das aulas dos demais cursos com os itens o edital do TCE-PE NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA E ORÇAMENTO PÚBLICO: 1 Orçamento público. 1.1 Conceito 1.2 Técnicas orçamentárias.

Leia mais

Harmonização da Contabilidade Pública às Normas Internacionais

Harmonização da Contabilidade Pública às Normas Internacionais Harmonização da Contabilidade Pública às Normas Internacionais Fortalecimento da Contabilidade Gerencial no Setor Público Tópicos da apresentação: Normativos sobre a Convergência Contábil; Experiência

Leia mais

CURSO DE CONTABILIDADE PÚBLICA PARA CFC. Prof. Msc. Giovanni Pacelli

CURSO DE CONTABILIDADE PÚBLICA PARA CFC. Prof. Msc. Giovanni Pacelli CURSO DE CONTABILIDADE PÚBLICA PARA CFC Prof. Msc. Giovanni Pacelli Prof. Msc. Giovanni Pacelli Doutorando (em andamento) e Mestre em Contabilidade - 2011 (UnB). Especialista em Operações Militares - 2008

Leia mais

CONSELHO CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE ANEXO I

CONSELHO CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE ANEXO I ANEXO I DETALHAMENTO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO APLICÁVEL À PROVA DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA GERAL 9º EXAME DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA 1. LEGISLAÇÃO E ÉTICA PROFISSIONAL. a) A LEGISLAÇÃO SOBRE A ÉTICA PROFISSIONAL

Leia mais

Convergência da Contabilidade Aplicada ao Setor Público aos Padrões Internacionais nos Municípios. Lucy Fátima de Assis Freitas

Convergência da Contabilidade Aplicada ao Setor Público aos Padrões Internacionais nos Municípios. Lucy Fátima de Assis Freitas Convergência da Contabilidade Aplicada ao Setor Público aos Padrões Internacionais nos Municípios. Lucy Fátima de Assis Freitas CONVERGÊNCIA CONTÁBIL NO SETOR PUBLICO Processo de adoção de regras e procedimentos

Leia mais

FRANCISCO GLAUBER LIMA MOTA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO. Aspectos Patrimoniais: Identificação, Reconhecimento, Mensuração e Evidenciação

FRANCISCO GLAUBER LIMA MOTA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO. Aspectos Patrimoniais: Identificação, Reconhecimento, Mensuração e Evidenciação FRANCISCO GLAUBER LIMA MOTA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO Aspectos Patrimoniais: Identificação, Reconhecimento, Mensuração e Evidenciação Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público Normas

Leia mais

Comparativo das aulas dos demais cursos com os itens o edital do TRF 1ª Região

Comparativo das aulas dos demais cursos com os itens o edital do TRF 1ª Região Comparativo das aulas dos demais cursos com os itens o edital do TRF 1ª Região ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: ADMINISTRATIVA ORÇAMENTO PÚBLICO: 1 Conceitos. 2 Princípios orçamentários. 3 Orçamento Programa:

Leia mais

PEPC 2016 CAPACITADORA: 100 % AUDIT (PE-00028) CONTATO: EPC Auditores QTG BCB SUSEP. EPC Responsável Técnico.

PEPC 2016 CAPACITADORA: 100 % AUDIT (PE-00028) CONTATO: EPC Auditores QTG BCB SUSEP. EPC Responsável Técnico. CAPACITADORA: 100 % AUDIT (PE-00028) CONTATO: 3242-2406 COACH CONTÁBIL PE-01023 40h 40 40 40 0 CAPACITADORA: 4M TREINAMENTOS EMPRESARIAIS E ASESSORIA (PE-00022) CONTATO: 3465.7495 CREDITOS PIS/PASEP E

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO E AS IPSAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO E AS IPSAS

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO E AS IPSAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO E AS IPSAS Livro lançado neste Seminário CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público sob a Ótica das IPSAS: Um Estudo Comparativo Alexandre Costa Quintana Comissão

Leia mais

Sumário. Capítulo 1 Contabilidade Pública Capítulo 2 Receita Pública... 41

Sumário. Capítulo 1 Contabilidade Pública Capítulo 2 Receita Pública... 41 Sumário Capítulo 1 Contabilidade Pública... 1 1.1. Introdução...1 1.2. Conceito...2 1.3. Princípios de Contabilidade x Estrutura Conceitual...3 1.4. Natureza do Registro dos Atos e Fatos na Contabilidade

Leia mais

sumário Apresentação, xvii Introdução, 1

sumário Apresentação, xvii Introdução, 1 sumário Apresentação, xvii Introdução, 1 1 Estrutura conceitual básica e apresentação das demonstrações contábeis, 3 1.1 Introdução, 3 1.2 Finalidade da estrutura conceitual, 5 1.3 Objetivo do relatório

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE INSTITUTO SOCIAL IRIS

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE INSTITUTO SOCIAL IRIS CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE INSTITUTO SOCIAL IRIS I Seminário Potiguar sobre Contabilidade, Custos e Qualidade do Gasto Público GT DAS NBC T SP GT DA CONVERGÊNCIA DA ÁREA PÚBLICA Há mudança no Brasil.

Leia mais

SUMÁRIO RAZÕES PARA A EDIÇÃO E ADOÇÃO DAS NBCASP NORMAS APROVADAS PELO CFC NORMAS INTERNACIONAIS (IPSAS) TRADUZIDAS PELO CFC/IBRACON

SUMÁRIO RAZÕES PARA A EDIÇÃO E ADOÇÃO DAS NBCASP NORMAS APROVADAS PELO CFC NORMAS INTERNACIONAIS (IPSAS) TRADUZIDAS PELO CFC/IBRACON SUMÁRIO RAZÕES PARA A EDIÇÃO E ADOÇÃO DAS NBCASP NORMAS APROVADAS PELO CFC NORMAS INTERNACIONAIS (IPSAS) TRADUZIDAS PELO CFC/IBRACON NORMAS EMITIDAS PELA STN VISANDO A CONSOLIDAÇÃO DAS CONTAS PÚBLICAS

Leia mais

Contabilidade Aplicada ao Setor Público Sistema de Informação Contábil e o Plano de Contas. Profa.: Patrícia Siqueira Varela

Contabilidade Aplicada ao Setor Público Sistema de Informação Contábil e o Plano de Contas. Profa.: Patrícia Siqueira Varela Contabilidade Aplicada ao Setor Público Sistema de Informação Contábil e o Plano de Contas Profa.: Patrícia Siqueira Varela CONTABILIDADE NA LEI Nº 4.320/64 Princípio da Evidenciação Art. 83. Art. 89.

Leia mais

Oficina Técnica. Demonstração de Resultados do Exercício, Demonstração de Resultado Abrangente e Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido

Oficina Técnica. Demonstração de Resultados do Exercício, Demonstração de Resultado Abrangente e Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Capítulo I Dos Pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC

Capítulo I Dos Pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC LIVRO : PLANO CONTÁBIL DAS ENTIDADES ABERTAS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR, SOCIEDADES SEGURADORAS, SOCIEDADES DE CAPITALIZAÇÃO E RESSEGURADORES LOCAIS ANEXO IV: Título IV - Normas Recepcionadas Capítulo

Leia mais

Noções de Direito Aula assistida? Questões Feitas? Revisão

Noções de Direito Aula assistida? Questões Feitas? Revisão Noções de Direito Aula assistida? Questões Feitas? Revisão 1. Direito Constitucional 1.1. A Constituição Federal de 1988 1.1.1. Dos Princípios Fundamentais 1.1.2. Dos Direitos e Garantias Fundamentais

Leia mais

INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO

INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO 1. CONTEXTUALIZAÇÃO A ciência contábil no País vem passando por significativas transformações rumo à convergência aos padrões internacionais. No setor

Leia mais

Comparativo das aulas dos demais cursos com os itens o edital do TRF 5ª Região ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: ADMINISTRATIVA

Comparativo das aulas dos demais cursos com os itens o edital do TRF 5ª Região ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: ADMINISTRATIVA Comparativo das aulas dos demais cursos com os itens o edital do TRF 5ª Região ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: ADMINISTRATIVA Administração Financeira e Orçamentária: Administração Pública: Princípios Constitucionais

Leia mais

UNIDADE GESTORA (2353/SERVIÇO AUTONÔMO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO DE TIMBÓ)

UNIDADE GESTORA (2353/SERVIÇO AUTONÔMO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO DE TIMBÓ) NOTAS EXPLICATIVAS DO COMPARATIVO DA DESPESA AUTORIZADA COM A REALIZADA ANEXO 11 Neste demonstrativo gerado pelo e-sfinge Web, não fora considerado no campo dos Créditos Orçamentários e Suplementares o

Leia mais

Departamento de Desenvolvimento Profissional

Departamento de Desenvolvimento Profissional Departamento de Desenvolvimento Profissional Notas Explicativas Armando Madureira Borely Armando.borely@globo.com Rio de Janeiro Janeiro de 2016 Rua 1º de Março, 33 Centro Rio de Janeiro/RJ Cep: 20.010-000

Leia mais

Procedimentos Contábeis Patrimoniais e Específicos Adotados e Cronograma de Ações a adotar até 2014, conforme Portaria STN nº 828 de 14/12/2011

Procedimentos Contábeis Patrimoniais e Específicos Adotados e Cronograma de Ações a adotar até 2014, conforme Portaria STN nº 828 de 14/12/2011 1 Reconhecimento, mensuração e evidenciação dos direitos, das 2012 2013 2014 obrigações e provisões por competência. Elaboração de procedimentos para Metodologia de reconhecimento e mensuração dos direitos

Leia mais

CONVERGÊNCIA ÀS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE. Prof. Eliseu Martins FEA/USP Fipecafi

CONVERGÊNCIA ÀS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE. Prof. Eliseu Martins FEA/USP Fipecafi CONVERGÊNCIA ÀS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE Prof. Eliseu Martins FEA/USP Fipecafi 1 * Modelos Contábeis A Origem da Contabilidade: PARA FINS GERENCIAIS Do empresário (depois o Contador) para

Leia mais

RFB Auditor - ESAF Análise do Edital - CONTABILIDADE GERAL E AVANÇADA

RFB Auditor - ESAF Análise do Edital - CONTABILIDADE GERAL E AVANÇADA Sumário 1 Estrutura Conceitual... 2 2 Patrimônio... 2 3 Fatos Contábeis... 3 4 Contas... 3 5 Escrituração... 3 6 Provisões... 3 7 Políticas Contábeis, Estimativas e Retificação de Erro.... 4 8 Ativo...

Leia mais

João Eudes Bezerra Filho

João Eudes Bezerra Filho 9º Congresso Catarinense de Secretários de Finanças, Contadores Públicos e Controladores Internos Municipais FÓRUM DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO E GESTÃO FISCAL RESPONSÁVEL AÇÕES PARA CONSOLIDAÇÃO

Leia mais

Cargo: Técnico Judiciário Área Administrativa

Cargo: Técnico Judiciário Área Administrativa Comparativo das aulas dos cursos regulares e dos cursos para tribunais (Superiores, TRFs, TREs, TRTs e TJs) com os itens o edital do TST Cargo: Técnico Judiciário Área Administrativa Noções de Orçamento

Leia mais

Processo de Convergência. Prof. Msc. Giovanni Pacelli

Processo de Convergência. Prof. Msc. Giovanni Pacelli Processo de Convergência Prof. Msc. Giovanni Pacelli Discussão sobre tema em discursiva: MPU/2010 - Cespe 2 Discussão sobre tema em discursiva: MPU/2010 - Cespe Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli 3 3 Processo

Leia mais

ENCERRAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 17/01/2013 LUCIANO PERRONE

ENCERRAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 17/01/2013 LUCIANO PERRONE ENCERRAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 17/01/2013 LUCIANO PERRONE Introdução Enquadramento conforme as Novas Normas Contábeis IFRS. SOCIEDADES ANÔNIMAS DE CAPITAL ABERTO SOCIEDADES DE GRANDE PORTE

Leia mais

Sumário Capítulo 1 Escrituração contábil

Sumário Capítulo 1 Escrituração contábil Sumário Capítulo 1 Escrituração contábil 01 1.1 Conceito 01 1.2 Métodos de escrituração 01 1.2.1 Método das partidas dobradas 02 1.2.1.1 Funcionamento das contas nas partidas dobradas 04 1.3 Normas legais

Leia mais

Abertura dos Cursos para CLDF: finanças pública, contador e administrador. Prof. Dr. Giovanni Pacelli

Abertura dos Cursos para CLDF: finanças pública, contador e administrador. Prof. Dr. Giovanni Pacelli Abertura dos Cursos para CLDF: finanças pública, contador e administrador Prof. Dr. Giovanni Pacelli Doutor (2016) e Mestre em Contabilidade - 2011 (UnB). Especialista em Operações Militares - 2008 (ESAO).

Leia mais

PEPC 2017 CAPACITADORA: 100 % AUDIT (PE-00028) CONTATO: EPC Auditores QTG BCB SUSEP. EPC Responsável Técnico.

PEPC 2017 CAPACITADORA: 100 % AUDIT (PE-00028) CONTATO: EPC Auditores QTG BCB SUSEP. EPC Responsável Técnico. CAPACITADORA: 100 % AUDIT (PE-00028) CONTATO: 3242-2406 COACH CONTÁBIL PE-01023 40h 40 40 40 0 CAPACITADORA: 4M TREINAMENTOS EMPRESARIAIS E ASESSORIA (PE-00022) CONTATO: 3465.7495 CREDITOS PIS/PASEP E

Leia mais

Sumário. 1. Atos e fatos administrativos Fatos permutativos ou compensativos Fatos modificativos Fatos mistos...

Sumário. 1. Atos e fatos administrativos Fatos permutativos ou compensativos Fatos modificativos Fatos mistos... Sumário Capítulo 1 Conceito de contabilidade e patrimônio... 15 1. CONCEITO... 15 2. TÉCNICAS CONTÁBEIS... 15 2.1. Escrituração... 16 2.2. Demonstrações contábeis... 16 2.3. Análise de balanços... 16 2.4.

Leia mais

CONSELHO CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE ANEXO I

CONSELHO CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE ANEXO I ANEXO I DETALHAMENTO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA A PROVA DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA GERAL 7º EXAME DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA 1. LEGISLAÇÃO E ÉTICA PROFISSIONAL a) A LEGISLAÇÃO SOBRE A ÉTICA PROFISSIONAL RESOLUÇÃO

Leia mais

Sumário. Manual_Completo_Contab_Pub_00.indd 23 21/08/ :54:07

Sumário. Manual_Completo_Contab_Pub_00.indd 23 21/08/ :54:07 Sumário Capítulo 1 Contabilidade Pública... 1 1.1. Introdução...1 1.2. Conceito...2 1.3. Princípios de Contabilidade...3 1.4. Natureza do Registro dos Atos e Fatos na Contabilidade Pública...7 1.5. Objetivo...9

Leia mais

Maria da Conceição B.de Rezende Ladeira

Maria da Conceição B.de Rezende Ladeira Maria da Conceição B.de Rezende Ladeira Junho 2017 LEI FEDERAL 4.320/64 LEI RESPONSABI LIDADE FISCAL LC 101/2000 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE

Leia mais

Adoção das novas NBC TSP pelos entes federados. Câmara Técnica Debate / CRC-SC

Adoção das novas NBC TSP pelos entes federados. Câmara Técnica Debate / CRC-SC Adoção das novas NBC TSP pelos entes federados Câmara Técnica Debate / CRC-SC Contexto histórico O desenho atual do processo de convergência A nova Estrutura Conceitual Por que IPSAS? NBC TSP x NBC T 16

Leia mais

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ DEMONSTRATIVO DE ATENDIMENTO AO MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO NBCASP ATENDIMENTO A PORTARIA 828/11

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ DEMONSTRATIVO DE ATENDIMENTO AO MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO NBCASP ATENDIMENTO A PORTARIA 828/11 ITEM DESCRIÇÃO PRODUTO Área Responsável Início (mês/ano) Término (mês/ano) I 1.1 1.2 RECONHECIMENTO, MENSURAÇÃO E EVIDENCIAÇÃO DOS CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS OU NÃO, POR COMPETÊNCIA, E A DIVIDA ATIVA, INCLUINDO

Leia mais

Contabilidade ESTRUTURA PATRIMONIAL SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) FLUXO DE RECURSOS. Fluxo dos recursos SÍNTESE DO FUNCIONAMENTO DAS CONTAS

Contabilidade ESTRUTURA PATRIMONIAL SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) FLUXO DE RECURSOS. Fluxo dos recursos SÍNTESE DO FUNCIONAMENTO DAS CONTAS ESTRUTURA PATRIMONIAL Patrimônio = Bens + Direitos ( ) Obrigações SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) Ativo ( ) Passivo = Situação Líquida (Patrimônio Líquido) FLUXO DE RECURSOS ATIVO Aplicação dos Recursos

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL PARA AUDITOR-FISCAL DA RFB. Prof. Marcondes Fortaleza

CONTABILIDADE GERAL PARA AUDITOR-FISCAL DA RFB. Prof. Marcondes Fortaleza CONTABILIDADE GERAL PARA AUDITOR-FISCAL DA RFB Prof. Marcondes Fortaleza Professor Marcondes Fortaleza Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil, tendo exercido anteriormente o cargo de Analista-Tributário

Leia mais

Sumário. Parte II Mensuração do desempenho gerencial 31. Parte I Gestão 1. Gestão rural no século XXI 3

Sumário. Parte II Mensuração do desempenho gerencial 31. Parte I Gestão 1. Gestão rural no século XXI 3 Parte I Gestão 1 CAPÍTULO 1 Gestão rural no século XXI 3 Estrutura do estabelecimento agropecuário 4 Novas tecnologias 7 A era da informação 8 Controle de ativos 9 Recursos humanos 10 Produção para atender

Leia mais

PRIMEIROS IMPACTOS DAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE PARA AS SOCIEDADES COOPERATIVAS

PRIMEIROS IMPACTOS DAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE PARA AS SOCIEDADES COOPERATIVAS PRIMEIROS IMPACTOS DAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE PARA AS SOCIEDADES COOPERATIVAS A Lei 11.638, instituída em 2007, estabeleceu que as práticas contábeis no Brasil devem estar em consonância

Leia mais

CONTABILIDADE GOVERNAMENTAL I

CONTABILIDADE GOVERNAMENTAL I CONTABILIDADE GOVERNAMENTAL I MATERIAL DIDÁTICO Edna de Araújo Andrade UNIDADE I- PROCESSO DE CONVERGÊNCIA DAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO A ciência contábil no Brasil

Leia mais

Palestra. Lei /07: DFC/ DVA - Obrigatoriedade. Elaborado por:

Palestra. Lei /07: DFC/ DVA - Obrigatoriedade. Elaborado por: Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3662-0035 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PARAÍSO DO NORTE ESTADO DO PARANÁ

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PARAÍSO DO NORTE ESTADO DO PARANÁ PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PARAÍSO DO NORTE ESTADO DO PARANÁ Av. Tapejara, 88 CEP 87.780-000 Fone: (44) 3431 1132 CNPJ 75.476.556/0001-58 www.paraisodonorte.pr.gov.br DECRETO Nº 58/2012 SÚMULA: Dispõe

Leia mais

Autora: Brenda Mendes De Sousa Ricarte Co-autoras: Jeanne Marguerite Molina Moreira Allyne Marie Molina Moreira

Autora: Brenda Mendes De Sousa Ricarte Co-autoras: Jeanne Marguerite Molina Moreira Allyne Marie Molina Moreira RECONHECIMENTO E EVIDENCIAÇÃO DO ATIVO IMOBILIZADO CONFORME AS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO MUDANÇAS INTRODUZIDAS PELA PREFEITURA MUNICIPAL DE FORTALEZA NO BALANÇO PATRIMONIAL

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 1 de 5 31/01/2015 15:30 Tamanho do Texto + tamanho do texto - NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS A publicação de Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras está prevista no 4º do artigo

Leia mais

Os candidatos quando da solicitação da pré-inscrição deverão optar pela escolha de pacotes.

Os candidatos quando da solicitação da pré-inscrição deverão optar pela escolha de pacotes. PACOTES OFERTADOS Os candidatos quando da solicitação da pré-inscrição deverão optar pela escolha de pacotes. Pacote I: 07 Procedimentos Contábeis Específicos - PCE 04 Plano de Contas Aplicado ao Setor

Leia mais

Normas Brasileiras de Contabilidade.

Normas Brasileiras de Contabilidade. NORMAS CONTÁBEIS PARA FINS DE AUDITORIA Normas Brasileiras de Contabilidade. Art. 1º As Normas Brasileiras de Contabilidade estabelecem regras de conduta profissional e procedimentos técnicos a serem observados

Leia mais

PEPC 2017 CAPACITADORA: 100 % AUDIT (PE-00028) CONTATO: EPC Auditores Nome Código CH. ProGP Previc Perito QTG BCB SUSEP

PEPC 2017 CAPACITADORA: 100 % AUDIT (PE-00028) CONTATO: EPC Auditores Nome Código CH. ProGP Previc Perito QTG BCB SUSEP CAPACITADORA: 100 % AUDIT (PE-00028) CONTATO: 3242-2406 COACH CONTÁBIL PE-01023 40h 40 40 40 0 0 0 CAPACITADORA: 4M TREINAMENTOS EMPRESARIAIS E ASESSORIA (PE-00022) CONTATO: 3465.7495 CREDITOS PIS/PASEP

Leia mais

Contador Juarez Domingues Carneiro Presidente. Ata CFC n.º 942

Contador Juarez Domingues Carneiro Presidente. Ata CFC n.º 942 NOTA - A Resolução CFC n.º 1.329/11 alterou a sigla e a numeração desta Norma de NBC T 7 para NBC TG 02 e de outras normas citadas: de NBC T 19.20 para NBC TG 16; de NBC T 19.11 para NBC TG 23; de NBC

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 751/93. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

RESOLUÇÃO CFC Nº 751/93. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC Nº 751/93 DISPÕE SOBRE AS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO ser imperativa a uniformização

Leia mais

Sumário EDITAL SISTEMATIZADO CONTABILIDADE APRESENTAÇÃO DO LIVRO... 23

Sumário EDITAL SISTEMATIZADO CONTABILIDADE APRESENTAÇÃO DO LIVRO... 23 EDITAL SISTEMATIZADO CONTABILIDADE... 19 APRESENTAÇÃO DO LIVRO... 23 PARTE I CONTABILIDADE GERAL CAPÍTULO I NOÇÕES DE CONTABILIDADE... 27 1. Noções de Contabilidade... 27 1.1. Conceitos, objetivos, campo

Leia mais

Contabilidade Geral e Avançada

Contabilidade Geral e Avançada Prefácio Durante muitos anos, tive a intenção de escrever um livro sobre a Contabilidade em seus aspectos legais e práticos, com base na Lei nº 6.404/1976 e minhas aulas sobre o assunto. Faz décadas, sempre

Leia mais

"A Lei de Responsabilidade Fiscal Frente às Alterações na Contabilidade Aplicada ao Setor Público".

A Lei de Responsabilidade Fiscal Frente às Alterações na Contabilidade Aplicada ao Setor Público. "A Lei de Responsabilidade Fiscal Frente às Alterações na Contabilidade Aplicada ao Setor Público". Prof. Lino Martins da Silva smartins@uninet.com.br SUMÁRIO PRINCIPAL CRITICA À LEI DE RESPONSABILIDADE

Leia mais

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Ciências Contábeis - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Ciências Contábeis - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE DISCIPLINAS DA SÉRIE ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.2 Ciências Contábeis - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA II DIREITO TRIBUTARIO LEGISLAÇÃO SOCIAL E TRABALHISTA ORÇAMENTO PUBLICO TEORIA

Leia mais

PORTARIA Nº 007/2012

PORTARIA Nº 007/2012 PORTARIA Nº 007/2012 Determina ao Poder Legislativo Municipal de Alto Garças a adoção obrigatória do Plano de Contas, das Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público e dos Procedimentos Contábeis

Leia mais

Ação de Extensão 1ª Olimpíada Interna de Contabilidade da UFMG Faculdade de Ciências Econômicas Departamento de Ciências Contábeis

Ação de Extensão 1ª Olimpíada Interna de Contabilidade da UFMG Faculdade de Ciências Econômicas Departamento de Ciências Contábeis Ação de Extensão 1ª Olimpíada Interna de Contabilidade da UFMG Faculdade de Ciências Econômicas Departamento de Ciências Contábeis 1. Responsabilidade: A Olimpíada Interna de Contabilidade da UFMG é uma

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO UNI/RN

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO UNI/RN 1ª Olimpíada Interna de Contabilidade do UNI/RN 1. Responsabilidade: A Olimpíada Interna de Contabilidade do UNI/RN é uma realização do Curso de Ciências Contábeis. 2. Características: A Olimpíada Interna

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE 1 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE 2 OBJETIVOS Entender as principais alterações contábeis referentes ao processo de convergência das normas brasileiras de contabilidade para as normas internacionais

Leia mais

CONTROLE INTERNO DE ACORDO COM AS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO NBCASP.

CONTROLE INTERNO DE ACORDO COM AS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO NBCASP. XV Convenção de Contabilidade do Rio Grande do Sul - 2015 CONTROLE INTERNO DE ACORDO COM AS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO NBCASP. Palestrante: Prof. Milton Mendes Botelho

Leia mais

SUMÁRIO. Capítulo 1 Conceito de contabilidade e patrimônio... 17

SUMÁRIO. Capítulo 1 Conceito de contabilidade e patrimônio... 17 SUMÁRIO Capítulo 1 Conceito de contabilidade e patrimônio... 17 1. CONCEITO... 17 2. TÉCNICAS CONTÁBEIS... 18 2.1. Escrituração... 18 2.2. Demonstrações contábeis... 18 2.3. Análise de balanços... 18 2.4.

Leia mais

O PROCESSO DE CONVERGÊNCIA ÀS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE. Fabio dos Anjos

O PROCESSO DE CONVERGÊNCIA ÀS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE. Fabio dos Anjos O PROCESSO DE CONVERGÊNCIA ÀS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO IPSAS Fabio dos Anjos Em que perspectiva encontra-se a contabilidade brasileira? No setor público vive uma

Leia mais

Seminário Capital Aberto. Prof. Eliseu Martins FEA/USP Fipecafi

Seminário Capital Aberto. Prof. Eliseu Martins FEA/USP Fipecafi Seminário Capital Aberto Prof. Eliseu Martins FEA/USP Fipecafi 1 * Modelos Contábeis Países de Code Law (cont.) A part da LEI Usuário Principal original O OCredor Referencial Conceitual Conservadorismo

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS em IFRS

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS em IFRS ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS em 27/06/2013 LUCIANO PERRONE Introdução Enquadramento conforme as Novas Normas Contábeis. SOCIEDADES ANÔNIMAS DE CAPITAL ABERTO SOCIEDADES DE GRANDE PORTE INTEGRAL

Leia mais

CONTROLE DE CONTEÚDO - TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SÃO PAULO ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: CONTABILIDADE (TRE-SP AJAC)

CONTROLE DE CONTEÚDO - TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SÃO PAULO ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: CONTABILIDADE (TRE-SP AJAC) CONTROLE DE CONTEÚDO - TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SÃO PAULO ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: CONTABILIDADE (TRE-SP AJAC) 1 Ortografia oficial. GRAMÁTICA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTO DA LÍNGUA PORTUGUESA CONTEÚDO

Leia mais

1ª RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 02, DE 06 DE SETEMBRO DE 2013

1ª RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 02, DE 06 DE SETEMBRO DE 2013 1ª RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 02, DE 06 DE SETEMBRO DE 2013 O Tribunal de Contas do Estado da Bahia, no uso de suas atribuições legais, nos termos estabelecidos no subitem 13.36, torna pública a seguinte

Leia mais

Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 28 Investments in Associates

Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 28 Investments in Associates Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 28 Investments in Associates Situação: PARCIALMENTE DIVERGENTE. 1. Introdução O IAS 28 Investments in Associates é aplçicado ao registro de investimentos

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: Exemplos práticos no setor público. Flávio GEORGE Rocha. Agosto/2016

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: Exemplos práticos no setor público. Flávio GEORGE Rocha. Agosto/2016 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: Exemplos práticos no setor público Flávio GEORGE Rocha Agosto/2016 Graduação em Ciências Contábeis (2000) Especialista em Auditoria e Perícia Contábil Professor

Leia mais

Coordenação Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação STN/CCONF

Coordenação Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação STN/CCONF Contabilidade Aplicada ao Setor Público e o Processo de Converge ncia internacional: Oportunidades, Desafios e Impactos na Sociedade. O Papel da STN na Converge ncia Internacional no Setor Público Coordenação

Leia mais

A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO de transparência

A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO de transparência A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO de transparência Prof. Ms. Valmir Leôncio da Silva Conselheiro do CRCSP Coordenador Técnico da Escola de Contas do TCMSP O livro: A Arte da Guerra A) Desconheça o inimigo

Leia mais

ITG 1000 PME s Giovana Garcia

ITG 1000 PME s Giovana Garcia ITG 1000 PME s Giovana Garcia Você bem preparado para o futuro da profissão. 1 RESOLUÇÃO CFC N.º 1.418/12 Aprova a ITG 1000 Modelo Contábil para Microempresa e Empresa de Pequeno Porte. X RESOLUÇÃO CFC

Leia mais

Ementário das Disciplinas do Currículo do Curso de Bacharelado em Ciências Contábeis do USJ

Ementário das Disciplinas do Currículo do Curso de Bacharelado em Ciências Contábeis do USJ CONTEÚDOS CURRICULARES: Conteúdos curriculares: ementas das disciplinas/componentes curriculares considerando a adequação dos conteúdos à carga horária (em horas/ créditos), a adequação da bibliografia

Leia mais

Lei n /07. Alterações na Lei das S.A. - Aspectos tributários

Lei n /07. Alterações na Lei das S.A. - Aspectos tributários CORPORATE TAX Lei n 11.638/07 Alterações na Lei das S.A. - Aspectos tributários TAX A informação contida nesta apresentação é de natureza geral e não contempla circunstâncias de uma pessoa ou empresa em

Leia mais

ESTUDO DE CASO. Os Novos Ajustes da Lei

ESTUDO DE CASO. Os Novos Ajustes da Lei ESTUDO DE CASO Os Novos Ajustes da Lei 11.638 Os Novos Ajustes da Lei 11.638 As demonstrações financeiras foram elaboradas com base nas práticas contábeis adotadas no Brasil e normas da Comissão de Valores

Leia mais

IAS 1 Apresentação das Demonstrações Contábeis

IAS 1 Apresentação das Demonstrações Contábeis IAS 1 Apresentação das Demonstrações Contábeis CPC 26 / NBC TG 26 Apresentação das Demonstrações Contábeis FAS 205 Histórico Emitida em 1997, já foi revisada em 2003,2004,2005 e 2007 Substituiu: IAS 1

Leia mais

10 anos do CPC: fatos e números que marcam essa história

10 anos do CPC: fatos e números que marcam essa história REVISTA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE 13 REPORTAGEM 10 anos do CPC: fatos e números que marcam essa história Por Maristela Girotto O Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) foi criado em 2005, pela Resolução

Leia mais

RESUMO DO DIÁRIO PUBLICAMOS NESTA EDIÇÃO OS SEGUINTES DOCUMENTOS:

RESUMO DO DIÁRIO PUBLICAMOS NESTA EDIÇÃO OS SEGUINTES DOCUMENTOS: Diário Oficial do Município de Boquira - Bahia Poder Executivo Ano VIII Nº 1161 12 de Setembro de 2016 RESUMO DO DIÁRIO PUBLICAMOS NESTA EDIÇÃO OS SEGUINTES DOCUMENTOS: DECRETOS DECRETO N.92 DE 26 DE AGOSTO

Leia mais

Sumário. Capítulo 1. Estrutura Conceitual Básica da Contabilidade. Princípios de Contabilidade 1. Contábil-Financeiro Útil...11

Sumário. Capítulo 1. Estrutura Conceitual Básica da Contabilidade. Princípios de Contabilidade 1. Contábil-Financeiro Útil...11 Sumário Capítulo 1 Estrutura Conceitual Básica da Contabilidade. Princípios de Contabilidade 1 1.1. Estrutura Conceitual Básica da Contabilidade e Princípios de Contabilidade...1 1.1.1. Conceito e Objetivo...1

Leia mais

Glades Chuery. Auditoria em PMEs - Aspectos Críticos

Glades Chuery. Auditoria em PMEs - Aspectos Críticos Glades Chuery Auditoria em PMEs - Aspectos Críticos Perfil do Palestrante Glades Chuery Ameneiro Ferreira, formada em Administração de Empresas pela UNIP e Ciências Contábeis (FECAP). Atua na BDO RCS Auditores

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2) Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2) Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2) Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade

Leia mais

EDITAL INTERNO 2ª Olimpíadas Internas de Contabilidade da UFES Departamento de Ciências Contábeis

EDITAL INTERNO 2ª Olimpíadas Internas de Contabilidade da UFES Departamento de Ciências Contábeis 1 1. Responsabilidade: EDITAL INTERNO 2ª Olimpíadas Internas de Contabilidade da UFES Departamento de Ciências Contábeis A Olimpíada Internas de Contabilidade da UFES é uma realização do Departamento de

Leia mais

IMPAIRMENT OF ASSETS NBC T REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVOS PRONUNCIAMENTO CPC 01

IMPAIRMENT OF ASSETS NBC T REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVOS PRONUNCIAMENTO CPC 01 IMPAIRMENT OF ASSETS NBC T 19.10 REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVOS PRONUNCIAMENTO CPC 01 1 1. OBJETIVO Assegurar que os ativos não estejam registrados contabilmente por um valor superior àquele passível

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDITAL DA 2ª OLIMPÍADA INTERNA DE CONTABILIDADE DA FCC/UFBA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDITAL DA 2ª OLIMPÍADA INTERNA DE CONTABILIDADE DA FCC/UFBA 1. Da responsabilidade: EDITAL DA 2ª OLIMPÍADA INTERNA DE CONTABILIDADE DA FCC/UFBA A Olimpíada Interna de Contabilidade da FCC/UFBA é uma realização da Faculdade de Ciências Contábeis e se constitui como

Leia mais

AVALIAÇÃO E MENSURAÇÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO A Experiência do Estado de Santa Catarina. Michele Patricia Roncalio GENOC/DCOG/SEF-SC

AVALIAÇÃO E MENSURAÇÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO A Experiência do Estado de Santa Catarina. Michele Patricia Roncalio GENOC/DCOG/SEF-SC AVALIAÇÃO E MENSURAÇÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO Michele Patricia Roncalio GENOC/DCOG/SEF-SC IMOBILIZADO Bens Móveis e Imóveis INTANGÍVEL Softwares ATIVOS DE INFRAESTRUTURA Rodovias IMOBILIZADO Bens Móveis

Leia mais

TEORIA DA CONTABILIDADE QUESTIONÁRIO 6

TEORIA DA CONTABILIDADE QUESTIONÁRIO 6 QUESTIONÁRIO 6 (Questões Exame de Suficiência 1 2013) 2. Relacione os grupos do Ativo descritos, na primeira coluna, com as suas respectivas propriedades, na segunda coluna, e, em seguida, assinale a opção

Leia mais

Elekeiroz S.A. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2013

Elekeiroz S.A. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2013 Elekeiroz S.. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2013 Balanço patrimonial tivo Circulante Nota 31 de dezembro de 2013 31 de

Leia mais

5. Inscrição na Olimpíada Interna de Contabilidade da UnB:

5. Inscrição na Olimpíada Interna de Contabilidade da UnB: 1. Responsabilidade: Ação de Extensão 2ª Olimpíadas Internas de Contabilidade da UnB Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais A Olimpíada Internas de Contabilidade da UnB é uma realização do Departamento

Leia mais

Análise das Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público. Luiz Carlos Wisintainer

Análise das Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público. Luiz Carlos Wisintainer Análise das Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público Luiz Carlos Wisintainer Sistemas da Contabilidade Pública SUBSISTEMAS DE CONTAS ORÇAMENTÁRIO PATRIMONIAL CUSTOS COMPENSAÇÃO Fonte: MCASP Subsistema

Leia mais

Demonstração de Fluxo de Caixa (DFC) Contabilidade Intermediária II Fucamp/2017

Demonstração de Fluxo de Caixa (DFC) Contabilidade Intermediária II Fucamp/2017 Demonstração de Fluxo de Caixa (DFC) Contabilidade Intermediária II Fucamp/2017 Correção Exercícios de Fixação 2- Utilizando os dados apresentados pela Cia ABC no exemplo, na data de 20X0, considere que

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DEPARTAMENTO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: CONTABILIDADE AVANÇADA PROFESSOR: KAMILLE

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO CEARÁ

CAPACITAÇÃO EM CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO CEARÁ Pacote I Área Nº Disciplinas Horas / Aula 03 Procedimentos Contábeis Orçamentários I PCO I Procedimentos Contábeis Orçamentários II PCO II 05 Procedimentos Contábeis Patrimoniais I PCP I Fundamentos 06

Leia mais

II CONGRESSO DE INFORMAÇÃO DE CUSTOS E QUALIDADE DO GASTO PÚBLICO A NORMA DE CUSTOS DO CFC DESAFIOS E OPORTUNIDADES

II CONGRESSO DE INFORMAÇÃO DE CUSTOS E QUALIDADE DO GASTO PÚBLICO A NORMA DE CUSTOS DO CFC DESAFIOS E OPORTUNIDADES II CONGRESSO DE INFORMAÇÃO DE CUSTOS E QUALIDADE DO GASTO PÚBLICO A NORMA DE CUSTOS DO CFC DESAFIOS E OPORTUNIDADES Prof. L.D. Lino Martins da Silva Blog: http://linomartins.wordpress.com/ E-mail: lino.martins@gmail.com

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS BALANÇO GERAL DE 2016

NOTAS EXPLICATIVAS BALANÇO GERAL DE 2016 NOTAS EXPLICATIVAS BALANÇO GERAL DE 2016 CONTEXTO ORGANIZACIONAL Com a divulgação da Portaria MF 184, de 25 de agosto de 2008, estabelecendo novas diretrizes para os procedimentos, práticas, elaboração

Leia mais

DFC DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA

DFC DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA DFC DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA Base Legal CPC 03 e Seção 07 da NBC TG 1.000 O presente auto estudo embasará os conceitos e procedimentos técnicos contemplados no CPC 03 (IFRS Integral) e na Seção 07

Leia mais

Experiência do Município do Salvador

Experiência do Município do Salvador Experiência do Município do Salvador Por que não se registram as despesas incorridas sem autorização orçamentária? Por que não se aplicam regras de depreciação, exaustão e amortização? Por que não se faz

Leia mais