Tamanho de parcela em nabo forrageiro semeado a lanço e em linha

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tamanho de parcela em nabo forrageiro semeado a lanço e em linha"

Transcrição

1 Tamanho de parcela em nabo forrageiro semeado a lanço e em linha Alberto Cargnelutti Filho 1 Cláudia Burin 2 Marcos Toebe 3 André Luis Fick 2 Giovani Facco Introdução O nabo forrageiro (Raphanus sativus L.) é uma planta eficiente em cobrir rapidamente o solo, em produzir alta quantidade de massa verde e, ainda, auxilia a ciclagem de nutrientes [3]. Essa cultura é importante para a implantação do sistema de semeadura direta, com características mais conservacionistas do solo. Ao planejar um experimento, em campo, é importante dimensionar o tamanho ótimo de parcela para que os tratamentos sejam avaliados com precisão desejada. A estimação do tamanho ótimo de parcela pode ser realizada a partir de dados obtidos em ensaios sem tratamentos denominados ensaios de uniformidade ou experimentos em branco [5] e [6]. O método da curvatura máxima do modelo do coeficiente de variação (CMCV), proposto por [4], é utilizado para determinar o tamanho ótimo de parcelas experimentais. Em relação ao método da curvatura máxima modificada [2], que é comumente utilizado para a estimação do tamanho ótimo de parcela, o CMCV apresenta, como principal vantagem, o fato de não ser necessário planejar parcelas de diferentes tamanhos por meio do agrupamento dos dados das unidades experimentais básicas adjacentes. No método CMCV, a partir dos dados das unidades experimentais básicas de um ensaio de uniformidade, são estimadas a autocorrelação espacial de primeira ordem, a variância e a média e, após, é determinado o tamanho ótimo de parcela. Com base na massa verde de nabo forrageiro (Raphanus sativus L.) obtida em unidades experimentais básicas (UEB) de 0,5 m 0,5 m (0,25 m 2 ), [1] utilizaram o método da 1 Departamento de Fitotecnia, Centro de Ciências Rurais (CCR), Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), , Santa Maria, RS, Brasil. 2 Curso de Engenharia Florestal, UFSM, Santa Maria, RS, Brasil. 3 Programa de Pós-graduação em Agronomia, UFSM, Santa Maria, RS, Brasil. 4 Engenheiro Agrônomo 1

2 curvatura máxima do modelo do coeficiente de variação e determinaram o tamanho ótimo de parcela que foi de 4,82 UEB de 0,25 m 2 (1,20 m 2 ). No entanto, para experimentos com nabo forrageiro semeado a lanço e em linha, o tamanho ótimo de parcela determinado a partir de UEB maiores (1,0 m 0,5 m), não é conhecido. Assim, o objetivo deste trabalho foi determinar o tamanho ótimo de parcela, a fim de avaliar a massa verde de nabo forrageiro (Raphanus sativus L.), semeado a lanço e em linha. 2 - Material e Métodos Foram conduzidos dois ensaios de uniformidade (experimentos em branco) com a cultura de nabo forrageiro (Raphanus sativus L.) na área experimental do Departamento de Fitotecnia, da Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Estado do Rio Grande do Sul, a 29º42'S, 53º49'W e a 95 m de altitude. Os dois ensaios, de tamanho 15 m 15 m (225 m 2 ) foram distanciados na área experimental a 5 m. Em ambos, a semeadura de nabo forrageiro foi realizada em 10/06/2010. No primeiro ensaio a semeadura foi realizada a lanço e a densidade foi de 150 plantas por m 2. No segundo ensaio a semeadura foi realizada em linhas com um total de 75 fileiras de 15 m de comprimento, espaçadas de 0,20 m. Nesse ensaio a densidade foi ajustada para 15 plantas por metro linear (75 plantas por m 2 ). Em ambos os ensaios a adubação de base foi de 30 kg ha -1 de N, 150 kg ha -1 de P 2 O 5 e 150 kg ha -1 de K 2 O. Aos 28 dias após a emergência, foram aplicados 100 kg de N ha -1. Em cada ensaio de uniformidade, a área central de tamanho 12 m 12 m (144 m 2 ) foi dividida em 288 unidades experimentais básicas (UEB) de 1,0 m 0,5 m (0,50 m 2 ), formando uma matriz de 12 linhas e 24 colunas. Aos 90 dias após a semeadura, na fase de pleno florescimento do nabo forrageiro, em cada UEB, foram cortadas as plantas, junto à superfície do solo, e pesada a massa verde, em gramas. Em cada ensaio de uniformidade, a partir da massa verde das 288 unidades experimentais básicas, foi estimada a autocorrelação espacial de primeira ordem (p), a variância (s 2 ) e a média (m). A estimativa de p foi obtida no sentido das colunas, conforme metodologia de [4], ou seja, adotou-se a seguinte caminhamento: iniciou-se a sequência na linha 1 coluna 1 até linha 12 coluna 1 e retornou-se a partir da linha 12 coluna 2 até chegar na linha 1 coluna 2, e assim sucessivamente até finalizar a sequência na linha 1 coluna 24. Em seguida, foi determinado o tamanho ótimo de parcela (Xo) por meio do método da curvatura máxima do modelo do coeficiente de variação por meio da expressão 10 Xˆ o (1 p ) s m m 2

3 [4]. Após, foi determinado o coeficiente de variação no tamanho ótimo de parcela (CV), em (1 p ) s /m percentagem, por meio da expressão CV 100 [4]. As análises estatísticas Xˆ o foram realizadas com o aplicativo Office Excel. 3 - Resultados e Discussão A massa verde de nabo forrageiro (Raphanus sativus L.), no pleno florescimento, na área onde foram avaliadas as 288 unidades experimentais básicas (UEB), semeadas a lanço, oscilou entre kg ha -1 e kg ha -1 e a média foi de kg ha -1. O coeficiente de variação entre as 288 UEB foi de 19,67%. Na área onde foram avaliadas as 288 UEB, semeadas em linha, a massa verde variou entre kg ha -1 e kg ha -1, a média foi de kg ha -1 e o coeficiente de variação foi de 13,73%. Esses resultados revelam ampla variabilidade entre as UEB, nos dois ensaios de uniformidade, o que é particularmente importante para o estudo de tamanho ótimo de parcela, pois refletem condições reais de áreas de campo. Aliado a isso, o bom desenvolvimento das plantas oferece credibilidade desses dados para o estudo proposto. Ainda os resultados sugerem que para um mesmo tamanho de parcela, experimentos com semeadura em linha seriam mais precisos (menores coeficientes de variação) que experimentos com semeadura a lanço. No ensaio de uniformidade com semeadura a lanço, as estimativas da autocorrelação espacial de primeira ordem (p), da variância (s 2 ) e da média (m), com base nas 288 UEB, foram, respectivamente, 0,396349; ,84 gramas 2 e 1.559,98 gramas por 0,5 m 2. A partir dessas estimativas, o tamanho ótimo de parcela (Xo) determinado por meio do método da curvatura máxima do modelo do coeficiente de variação [4] foi de 4,03 UEB e o coeficiente de variação no tamanho ótimo de parcela (CV) foi de 9,00%. Já no ensaio de uniformidade com semeadura em linha as estimativas foram as seguintes: p = 0,085621; s 2 = ,83 gramas 2 ; m = 1.531,18 gramas por 0,5 m 2 ; Xo = 3,34 UEB; e CV = 7,48%. Então, pode-se inferir que o tamanho ótimo de parcela (Xo) para avaliar a massa verde de nabo forrageiro, quando semeado a lanço, é de 4,03 UEB de 0,5 m 2 (2,02 m 2 ), e quando semeado em linha é de 3,34 UEB de 0,5 m 2 (1,67 m 2 ). Esses tamanhos de parcela são superiores ao encontrado por [1]. Na prática, esses resultados sugerem que experimentos de nabo forrageiro, semeados em linha, devem ser preferidos, pois são vantajosos em relação aos semeados a lanço devido aos seus menores valores de Xo e CV. Menor tamanho ótimo de parcela permite, em uma 3

4 mesma área experimental, aumentar o número de repetições, e, como consequência, melhorar a precisão experimental. Além disso, o menor coeficiente de variação no tamanho ótimo de parcela determinado quando a semeadura foi em linha (CV = 7,48%) indica que as plantas, nesse ensaio de uniformidade, apresentaram menor variabilidade quando comparadas as plantas do ensaio com semeadura a lanço (CV = 9,00%). 4 - Conclusão O tamanho ótimo de parcela para avaliar a massa verde de nabo forrageiro (Raphanus sativus L.) quando semeado a lanço, é de 4,03 UEB de 0,5 m 2 (2,02 m 2 ), e quando semeado em linha é de 3,34 UEB de 0,5 m 2 (1,67 m 2 ). 5 - Agradecimentos Ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), pela concessão de bolsa aos autores. À Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS) pelo auxílio financeiro. 6 - Referências [1] CARGNELUTTI FILHO, A.; TOEBE, M.; BURIN, C.; FICK, A.L.; CASAROTTO, G. Tamanhos de parcela e de ensaio de uniformidade em nabo forrageiro. Ciência Rural, v.41, p , [2] MEIER, V.D.; LESSMAN, K.J. Estimation of optimum field plot shape and size for testing yield in Crambe abyssinica Hochst. Crop Science, v.11, p , [3] OHLAND, R.A.A.; SOUZA, L.C.F.; HERNANI, L.C.; MARCHETTI, M.E.; GONÇALVES, M.C. Culturas de cobertura do solo e adubação nitrogenada no milho em plantio direto. Ciência e Agrotecnologia, v.29, p , [4] PARANAÍBA, P.F., FERREIRA, D.F.; MORAIS, A.R. Tamanho ótimo de parcelas experimentais: Proposição de métodos de estimação. Revista Brasileira de Biometria, v.27, p , [5] RAMALHO, M.A.P.; FERREIRA, D.F.; OLIVEIRA, A.C. Experimentação em genética e melhoramento de plantas. Lavras: UFLA, p. 4

5 [6] STORCK, L.; GARCIA, D.C.; LOPES, S.J.; ESTEFANEL, V. Experimentação vegetal. 2.ed. Santa Maria: UFSM, 2006b. 198p. 5

DIMENSIONAMENTO DE AMOSTRA PARA CARACTERES DE NABO FORRAGEIRO NO FLORESCIMENTO 1

DIMENSIONAMENTO DE AMOSTRA PARA CARACTERES DE NABO FORRAGEIRO NO FLORESCIMENTO 1 DIMENSIONAMENTO DE AMOSTRA PARA CARACTERES DE NABO FORRAGEIRO NO FLORESCIMENTO 1 FICK, André Luis 2 ; CARGNELUTTI FILHO, Alberto 3 ; TOEBE, Marcos 4 ; BURIN, Cláudia 2 ; CASAROTTO, Gabriele 5 ; FACCO,

Leia mais

Relações lineares entre caracteres de tremoço branco

Relações lineares entre caracteres de tremoço branco Relações lineares entre caracteres de tremoço branco Alberto Cargnelutti Filho 1 Marcos Toebe 2 Cláudia Burin 2 Bruna Mendonça Alves 2 Giovani Facco 2 Gabriele Casarotto 3 1 - Introdução Por apresentar

Leia mais

Tamanho de amostra para estimação de medidas de tendência central de caracteres de tremoço branco

Tamanho de amostra para estimação de medidas de tendência central de caracteres de tremoço branco Tamanho de amostra para estimação de medidas de tendência central de caracteres de tremoço branco Cláudia Burin 1 Alberto Cargnelutti Filho 2 Marcos Toebe 3 Bruna Mendonça Alves 2 André Luis Fick 4 1 Introdução

Leia mais

INFLUÊNCIA DE BORDADURA NAS LATERAIS E NAS EXTREMIDADES DE FILEIRAS DE MILHO NA PRECISÃO EXPERIMENTAL 1

INFLUÊNCIA DE BORDADURA NAS LATERAIS E NAS EXTREMIDADES DE FILEIRAS DE MILHO NA PRECISÃO EXPERIMENTAL 1 INFLUÊNCIA DE BORDADURA NAS LATERAIS E NAS EXTREMIDADES DE FILEIRAS DE MILHO NA PRECISÃO EXPERIMENTAL 1 CASAROTTO, Gabriele 2 ; CARGNELUTTI FILHO, Alberto 3 ; BURIN, Cláudia 4 ; TOEBE, Marcos 5 ; SILVEIRA,

Leia mais

CORRELAÇÕES LINEARES ENTRE CARACTERES E DIFERENCIAÇÃO DE HÍBRIDOS SIMPLES, TRIPLO E DUPLO DE MILHO 1

CORRELAÇÕES LINEARES ENTRE CARACTERES E DIFERENCIAÇÃO DE HÍBRIDOS SIMPLES, TRIPLO E DUPLO DE MILHO 1 CORRELAÇÕES LINEARES ENTRE CARACTERES E DIFERENCIAÇÃO DE HÍBRIDOS SIMPLES, TRIPLO E DUPLO DE MILHO 1 ANTONELLO, Bruno Ioppi 2 ; CARGNELUTTI FILHO, Alberto 3 ; CASAROTTO, Gabriele 2 ; BURIN, Cláudia 4 ;

Leia mais

Tamanho de amostra para caracteres de tremoço-branco

Tamanho de amostra para caracteres de tremoço-branco Tamanho de amostra para caracteres de tremoço-branco Cláudia Burin 1 Alberto Cargnelutti Filho André Luis Fick 1 Marcos Toebe 3 Bruna Mendonça Alves 3 Ismael Mario Márcio Neu 4 1 - Introdução Técnicas

Leia mais

DESEMPENHO DE NOVAS CULTIVARES DE CICLO PRECOCE DE MILHO EM SANTA MARIA 1

DESEMPENHO DE NOVAS CULTIVARES DE CICLO PRECOCE DE MILHO EM SANTA MARIA 1 DESEMPENHO DE NOVAS CULTIVARES DE CICLO PRECOCE DE MILHO EM SANTA MARIA 1 TOEBE, Marcos 2 ; CARGNELUTTI FILHO, Alberto 3 ; SILVEIRA, Tatiani Reis da 2 ; CASAROTTO, Gabriele 4 ; SCHWANTES, Ismael Albino

Leia mais

Tamanhos de unidades experimentais básicas e de parcelas em tremoço branco

Tamanhos de unidades experimentais básicas e de parcelas em tremoço branco Ciência Rural, Santa Maria, Online Tamanhos de unidades experimentais básicas e de parcelas em http://dx.doi.org/10.1590/0103-8478cr20150756 tremoço branco. ISSN 0103-8478 Tamanhos de unidades experimentais

Leia mais

Ciência Rural ISSN: Universidade Federal de Santa Maria Brasil

Ciência Rural ISSN: Universidade Federal de Santa Maria Brasil Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil Cargnelutti Filho, Alberto; Mendonça Alves, Bruna; Toebe, Marcos; Facco, Giovani Tamanhos de unidades

Leia mais

Métodos de estimativa do tamanho ótimo de parcelas experimentais de híbridos de milho simples, triplo e duplo

Métodos de estimativa do tamanho ótimo de parcelas experimentais de híbridos de milho simples, triplo e duplo Ciência Métodos Rural, Santa de estimativa Maria, v.41, do tamanho n.9, p.1509-1516, ótimo de parcelas set, 2011experimentais de híbridos de milho simples, triplo e duplo. ISSN 0103-8478 1509 Métodos de

Leia mais

Precisão experimental, na avaliação da produtividade de colmos, em ensaios de genótipos de cana-de-açúcar com colheita manual

Precisão experimental, na avaliação da produtividade de colmos, em ensaios de genótipos de cana-de-açúcar com colheita manual Precisão experimental, na avaliação da produtividade de colmos, em ensaios de genótipos de cana-de-açúcar com colheita manual Letícia Barão Medeiros 1 Alberto Cargnelutti Filho 2 Fernanda Martins Simões

Leia mais

Tamanho de parcela para avaliar a massa de plantas de mucuna cinza

Tamanho de parcela para avaliar a massa de plantas de mucuna cinza Comunicata Scientiae 5(2): 196-204, 2014 Artigo e-issn: 2177-5133 www.ufpi.br/comunicata Tamanho de parcela para avaliar a massa de plantas de mucuna cinza Alberto Cargnelutti Filho*, Marcos Toebe, Bruna

Leia mais

Precisão experimental, na avaliação da produtividade de colmos, em ensaios de genótipos de cana-de-açúcar com colheita mecanizada

Precisão experimental, na avaliação da produtividade de colmos, em ensaios de genótipos de cana-de-açúcar com colheita mecanizada Precisão experimental, na avaliação da produtividade de colmos, em ensaios de genótipos de cana-de-açúcar com colheita mecanizada Fernanda Martins Simões 1 Alberto Cargnelutti Filho 2 Letícia Barão Medeiros

Leia mais

NÚMERO DE FOLHAS E DE PLANTAS PARA ESTIMAÇÃO DA MÉDIA DO ÍNDICE SPAD EM CRAMBE

NÚMERO DE FOLHAS E DE PLANTAS PARA ESTIMAÇÃO DA MÉDIA DO ÍNDICE SPAD EM CRAMBE Original Article 1084 NÚMERO DE FOLHAS E DE PLANTAS PARA ESTIMAÇÃO DA MÉDIA DO ÍNDICE SPAD EM CRAMBE NUMBER OF LEAVES AND PLANTS TO ESTIMATE THE AVERAGE SPAD INDEX IN CRAMBE Alberto CARGNELUTTI FILHO 1

Leia mais

Divergência genética em cultivares superprecoce de milho com relação a caracteres fenológicos e produtivos

Divergência genética em cultivares superprecoce de milho com relação a caracteres fenológicos e produtivos Divergência genética em cultivares superprecoce de milho com relação a caracteres fenológicos e produtivos Bruna Mendonça Alves 1 Alberto Cargnelutti Filho 2 Ismael Mario Márcio Neu 3 Giovani Facco 4 Ronaldo

Leia mais

Análise de agrupamento para cultivares de milho precoce

Análise de agrupamento para cultivares de milho precoce Análise de agrupamento para cultivares de milho precoce Jéssica Andiara Kleinpaul 1 Alberto Cargnelutti Filho 2 Daniela Lixinski Silveira 3 Ismael Mario Márcio Neu 4 Cláudia Burin 5 Bruna Mendonça Alves

Leia mais

Tamanho de parcelas em ensaios com mudas de cafeeiro

Tamanho de parcelas em ensaios com mudas de cafeeiro Tamanho de parcelas em ensaios com mudas de cafeeiro Francieli Ribeiro Pires* 1 ; Franciane Diniz COGO 2 ; Katia Alves CAMPOS 3 ; Sérgio Luiz SANTANA de Almeida 3 ; Augusto Ramalho de MORAIS 4 *fran_rp26@hotmail.com,(1)

Leia mais

Avaliação de Híbridos de Milho do Programa de Melhoramento Genético do DBI/UFLA

Avaliação de Híbridos de Milho do Programa de Melhoramento Genético do DBI/UFLA XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Avaliação de Híbridos de Milho do Programa de Melhoramento Genético do DBI/UFLA Renato Barbosa Camargos 1, Amanda

Leia mais

Avaliação de caracteres fenológicos de cultivares de milho de ciclo precoce em Santa Maria - Rio Grande do Sul

Avaliação de caracteres fenológicos de cultivares de milho de ciclo precoce em Santa Maria - Rio Grande do Sul Avaliação de caracteres fenológicos de cultivares de milho de ciclo precoce em Santa Maria - Rio Grande do Sul Lúcio Silva Kieling Cintra 1 Alberto Cargnelutti Filho 2 André Lavezo 3 Jéssica Andiara Kleinpaul

Leia mais

USO DO MÉTODO DA MÁXIMA CURVATURA MODIFICADA PARA ESTIMAR O TAMANHO ÓTIMO DE PARCELAS NO ESTUDO DO PESO DOS ESTUDANTES

USO DO MÉTODO DA MÁXIMA CURVATURA MODIFICADA PARA ESTIMAR O TAMANHO ÓTIMO DE PARCELAS NO ESTUDO DO PESO DOS ESTUDANTES USO DO MÉTODO DA MÁXIMA CURVATURA MODIFICADA PARA ESTIMAR O TAMANHO ÓTIMO DE PARCELAS NO ESTUDO DO PESO DOS ESTUDANTES Evelyne de Farias SIQUEIRA 1, Moniclaudia Pereira dos SANTOS 2, Tiago Almeida de OLIVEIRA

Leia mais

Tamanho de amostra de caracteres de cultivares de feijão

Tamanho de amostra de caracteres de cultivares de feijão Ciência Rural, Santa Maria, v.38, n.3, Tamanho p.635-642, de amostra mai-jun, de caracteres 2008 de cultivares de feijão. ISSN 0103-8478 635 Tamanho de amostra de caracteres de cultivares de feijão Sample

Leia mais

Dimensões dos ensaios e estimativas do tamanho ótimo de parcela em batata

Dimensões dos ensaios e estimativas do tamanho ótimo de parcela em batata Dimensões dos ensaios e estimativas do tamanho ótimo da parcela 903 Dimensões dos ensaios e estimativas do tamanho ótimo de parcela em batata Lindolfo Storck (1), Dílson Antônio Bisognin (1) e Sérgio José

Leia mais

Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil

Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil Cargnelutti Filho, Alberto; Toebe, Marcos; Burin, Cláudia; Mendonça Alves, Bruna; Facco, Giovani; Bellé

Leia mais

Relação entre caracteres nutricionais e a produtividade de grãos em cultivares de milho transgênico

Relação entre caracteres nutricionais e a produtividade de grãos em cultivares de milho transgênico Relação entre caracteres nutricionais e a produtividade de grãos em cultivares de milho transgênico Bruna Mendonça Alves 1 Alberto Cargnelutti Filho 2 Marcos Toebe 1 Cláudia Burin 3 Leila Picolli da Silva

Leia mais

Índice de heterogeneidade, coeficiente de variação e tamanho ótimo de parcela em batata

Índice de heterogeneidade, coeficiente de variação e tamanho ótimo de parcela em batata Ciência 7 Rural, Santa Maria, v.36, n.6, p.7-76, nov-dez, Oliveira 6 et al. ISSN 3-8478 Índice de heterogeneidade, coeficiente de variação e tamanho ótimo de parcela em batata Heterogeneity index, variation

Leia mais

Leonardo Henrique Duarte de Paula 1 ; Rodrigo de Paula Crisóstomo 1 ; Fábio Pereira Dias 2

Leonardo Henrique Duarte de Paula 1 ; Rodrigo de Paula Crisóstomo 1 ; Fábio Pereira Dias 2 Avaliação de diferentes cultivares de milho (Zea mays) para a produção de minimilho na região Bambuí MG Leonardo Henrique Duarte de Paula 1 ; Rodrigo de Paula Crisóstomo 1 ; Fábio Pereira Dias 2 1 Estudante

Leia mais

Tamanho de amostra para avaliar caracteres de maçã após o armazenamento refrigerado

Tamanho de amostra para avaliar caracteres de maçã após o armazenamento refrigerado Tamanho de amostra para avaliar caracteres de maçã após o armazenamento refrigerado Marcos Toebe 1 Alberto Cargnelutti Filho 2 Vanderlei Both 1 Auri Brackmann 2 Lindolfo Storck 2 1 - Introdução A maçã

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Influência de Diferentes Épocas de Corte e Densidade de Plantas no Desempenho Agronômico de Duas Cultivares de Sorgo

Leia mais

Substituindo o uso de bordaduras laterais por repetições em experimentos com milho

Substituindo o uso de bordaduras laterais por repetições em experimentos com milho 10 Ciência Rural, Santa Maria, v.35, n.1, p.10-15, jan-fev, 2005Oliveira et al. ISSN 0103-8478 Substituindo o uso de bordaduras laterais por repetições em experimentos com milho Replacing lateral borders

Leia mais

Dimensionamento amostral para a estimação da média e da mediana de caracteres de tremoço branco (Lupinus albus L.)

Dimensionamento amostral para a estimação da média e da mediana de caracteres de tremoço branco (Lupinus albus L.) Comunicata Scientiae 5(2): 205-212, 2014 Nota Científica e-issn: 2177-5133 www.ufpi.br/comunicata Dimensionamento amostral para a estimação da média e da mediana de caracteres de tremoço branco (Lupinus

Leia mais

Tamanho ótimo de parcela para ensaios com sorgo granífero em duas épocas de semeadura.

Tamanho ótimo de parcela para ensaios com sorgo granífero em duas épocas de semeadura. Ciência Rural, Santa Tamanho Maria, ótimo v.38, de n., parcela p.35-30, para ensaios mar-abr, com 008 sorgo granífero em duas épocas de semeadura. ISSN 003-8478 35 Tamanho ótimo de parcela para ensaios

Leia mais

TAMANHO DE ENSAIO DE UNIFORMIDADE PARA ESTIMAÇÃO DO TAMANHO DE PARCELA EM HORTALIÇAS

TAMANHO DE ENSAIO DE UNIFORMIDADE PARA ESTIMAÇÃO DO TAMANHO DE PARCELA EM HORTALIÇAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS RURAIS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA TAMANHO DE ENSAIO DE UNIFORMIDADE PARA ESTIMAÇÃO DO TAMANHO DE PARCELA EM HORTALIÇAS TESE DE DOUTORADO

Leia mais

Doses e épocas de aplicação do nitrogênio no milho safrinha.

Doses e épocas de aplicação do nitrogênio no milho safrinha. Doses e épocas de aplicação do nitrogênio no milho safrinha. Douglas de Castilho Gitti (1) ; Andre Faleiros Lourenção (2) ; José Fernando Jurca Grigolli (3) ; Alex Marcel Melotto (4) ; Renato Roscoe (5).

Leia mais

Avaliação de variedades sintéticas de milho em três ambientes do Rio Grande do Sul. Introdução

Avaliação de variedades sintéticas de milho em três ambientes do Rio Grande do Sul. Introdução Avaliação de variedades sintéticas de milho em três ambientes do Rio Grande do Sul Machado, J.R. de A. 1 ; Guimarães, L.J.M. 2 ; Guimarães, P.E.O. 2 ; Emygdio, B.M. 3 Introdução As variedades sintéticas

Leia mais

VARIABILIDADE GENÉTICA EM LINHAGENS S 5 DE MILHO

VARIABILIDADE GENÉTICA EM LINHAGENS S 5 DE MILHO 561 VARIABILIDADE GENÉTICA EM LINHAGENS S 5 DE MILHO Luiz Antonio Assis Lima (1), Samuel Silva Souza (1), Murilo Bitencort de Lima (1), Gabriela Aparecida Amorim (1), Joyce Castro Xavier (1), Isabela Neves

Leia mais

Número de plantas para estimação do plastocrono em feijão guandu

Número de plantas para estimação do plastocrono em feijão guandu Número de plantas para estimação do plastocrono em feijão guandu Alberto Cargnelutti Filho 1 Marcos Toebe 2 Giovani Facco 3 Gustavo Oliveira dos Santos 3 Bruna Mendonça Alves 2 Anderson Bolzan 4 1 - Introdução

Leia mais

Tamanho ótimo de parcela para experimentos com rabanetes 1

Tamanho ótimo de parcela para experimentos com rabanetes 1 624 Luiz Fernando de Oliveira da Silva et al. Tamanho ótimo de parcela para experimentos com rabanetes 1 Luiz Fernando de Oliveira da Silva 2, Katia Alves Campos 3, Augusto Ramalho de Morais 4, Franciane

Leia mais

Palavras-chave: Oryza sativa, melhoramento de arroz, número ótimo de ambientes.

Palavras-chave: Oryza sativa, melhoramento de arroz, número ótimo de ambientes. NÚMERO ÓTIMO DE ANOS AGRÍCOLAS PARA AVALIAÇÃO DA PRODUTIVIDADE DE ARROZ IRRIGADO NO ESTADO DE MINAS GERAIS Antônio Carlos da Silva Júnior 1 ; Plínio César Soares 2 ; Iara Gonçalves dos Santos 3 ; Francyse

Leia mais

Precisão experimental na avaliação de cultivares de feijão de diferentes hábitos de crescimento

Precisão experimental na avaliação de cultivares de feijão de diferentes hábitos de crescimento Ciência Rural, Santa Precisão Maria, v.34, experimental n.5, p.1371-1377, na avaliação set-out, de cultivares 2004 de feijão de diferentes hábitos de crescimento 4ISSN 0103-8478 1371 Precisão experimental

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLOGICA DAS SEMENTES NA PRODUTIVIDADE DA CULTURA DA SOJA. Material e Métodos. Sementes (Brasil, 2009.

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLOGICA DAS SEMENTES NA PRODUTIVIDADE DA CULTURA DA SOJA. Material e Métodos. Sementes (Brasil, 2009. 1 02 AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLOGICA DAS SEMENTES NA PRODUTIVIDADE DA CULTURA Objetivo Este trabalho teve como objetivo avaliar o efeito do vigor de sementes de soja na produtividade BOLETIM Material

Leia mais

AVALIAÇÃO DA APLICAÇÃO TARDIA DE COBALTO, NA ABSCISÃO DE FLORES E COMPONENTES DE PRODUTIVIDADE DO FEIJOEIRO COMUM (Vigna unguiculata).

AVALIAÇÃO DA APLICAÇÃO TARDIA DE COBALTO, NA ABSCISÃO DE FLORES E COMPONENTES DE PRODUTIVIDADE DO FEIJOEIRO COMUM (Vigna unguiculata). AVALIAÇÃO DA APLICAÇÃO TARDIA DE COBALTO, NA ABSCISÃO DE FLORES E COMPONENTES DE PRODUTIVIDADE DO FEIJOEIRO COMUM (Vigna unguiculata). Rezanio Martins Carvalho (bolsista do PIBIC/CNPq), Fabiano André Petter

Leia mais

PRODUTIVIDADE DO MILHO SAFRINHA EM DIFERENTES ESPAÇAMENTOS ENTRELINHAS

PRODUTIVIDADE DO MILHO SAFRINHA EM DIFERENTES ESPAÇAMENTOS ENTRELINHAS 410 PRODUTIVIDADE DO MILHO SAFRINHA EM DIFERENTES ESPAÇAMENTOS ENTRELINHAS Anísio da Silva Nunes (1), André Luis Faleiros Lourenção (2) e Luiz Carlos Ferreira de Souza (3) 1. Introdução A escolha do arranjo

Leia mais

AVALIAÇÃO DO FEIJOEIRO SOB TRÊS DENSIDADES DE SEMEADURA

AVALIAÇÃO DO FEIJOEIRO SOB TRÊS DENSIDADES DE SEMEADURA AVALIAÇÃO DO FEIJOEIRO SOB TRÊS DENSIDADES DE SEMEADURA Mariéle Carolina EBERTZ 1 ; Gilmar Silvério da ROCHA 2 1 Aluna do Curso Técnico em Agropecuária, Instituto Federal Catarinense, Campus Rio do Sul,

Leia mais

DE MAMOEIRO EM CASA DE VEGETAÇÃO 1

DE MAMOEIRO EM CASA DE VEGETAÇÃO 1 TAMANHO ÓTIMO Tamanho ótimo DE de PARCELA parcela para experimentos PARA EXPERIMENTOS com plantas de mamoeiro... COM PLANTAS 1411 DE MAMOEIRO EM CASA DE VEGETAÇÃO 1 Optimal size of plots for experiments

Leia mais

DE ABACAXIZEIRO VITÓRIA 1

DE ABACAXIZEIRO VITÓRIA 1 909 http://dx.doi.org/10.1590/0100-2945-396/13 TAMANHO ÓTIMO DA PARCELA EXPERIMENTAL DE ABACAXIZEIRO VITÓRIA 1 Francisco de Assis Pereira Leonardo 2, Walter Esfrain Pereira 3, Silvanda de Melo Silva 4,

Leia mais

Análise de Trilha para os Componentes de Produção de Grãos em Variedades de Milho Tropical

Análise de Trilha para os Componentes de Produção de Grãos em Variedades de Milho Tropical XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Análise de Trilha para os Componentes de Produção de Grãos em Variedades de Milho Tropical Rafael Silva Ramos dos

Leia mais

EFICIÊNCIA AGRONÔMICA E VIABILIDADE TÉCNICA DO PROGRAMA FOLIAR KIMBERLIT EM SOJA

EFICIÊNCIA AGRONÔMICA E VIABILIDADE TÉCNICA DO PROGRAMA FOLIAR KIMBERLIT EM SOJA EFICIÊNCIA AGRONÔMICA E VIABILIDADE TÉCNICA DO PROGRAMA FOLIAR KIMBERLIT EM SOJA BONFADA, Élcio B. 1 ; FIORIN, Jackson E. 2 ; SILVA, Alieze N. da 3 ; WYZYKOWSKI, Tiago 4 Palavras-chave: Nutrição de Plantas.

Leia mais

Índice de clorofila em variedades de cana-de-açúcar tardia, sob condições irrigadas e de sequeiro

Índice de clorofila em variedades de cana-de-açúcar tardia, sob condições irrigadas e de sequeiro Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 7., 2010, Belo Horizonte Índice de clorofila em variedades de cana-de-açúcar tardia, sob condições irrigadas e de sequeiro Thiago Henrique Carvalho de Souza

Leia mais

Tamanho de amostra para estimação do coeficiente de correlação linear de Pearson entre caracteres de milho

Tamanho de amostra para estimação do coeficiente de correlação linear de Pearson entre caracteres de milho Tamanho de amostra para estimação do coeficiente de correlação linear de Pearson entre caracteres de milho Alberto Cargnelutti Filho (1), Marcos Toebe (1), Cláudia Burin (1), Tatiani Reis da Silveira (1)

Leia mais

Magda Lea Bolzan Zanon 1 Lindolfo Storck 2 RESUMO. O objetivo deste trabalho foi estimar o tamanho ótimo de parcelas experimentais de

Magda Lea Bolzan Zanon 1 Lindolfo Storck 2 RESUMO. O objetivo deste trabalho foi estimar o tamanho ótimo de parcelas experimentais de ZANON, Magda Lea Bolzan; STORCK, Lindolfo. Tamanho de parcelas experimentais para Eucapyptus saligna Smith. Ciência Rural, Santa Maria, v. 27, n. 4, p. 589-593, 1997. TAMANHO DE PARCELAS EXPERIMENTAIS

Leia mais

Resposta de Cultivares de Milho à Adubação Nitrogenada em Cobertura

Resposta de Cultivares de Milho à Adubação Nitrogenada em Cobertura Resposta de Cultivares de Milho à Adubação Nitrogenada em Cobertura Previous Top Next JOSÉ C. CRUZ. 1, FRANCISCO T. F. PEREIRA. 1, ISRAEL A. PEREIRA FILHO 1 e ANTONIO M.COELHO 1 1Embrapa Milho e Sorgo,

Leia mais

RENDIMENTO DE FEIJÃO CULTIVADO COM DIFERENTES FONTES DE ADUBOS VERDES NA PRESENÇA E AUSÊNCIA DE COBERTURA NITROGENADA.

RENDIMENTO DE FEIJÃO CULTIVADO COM DIFERENTES FONTES DE ADUBOS VERDES NA PRESENÇA E AUSÊNCIA DE COBERTURA NITROGENADA. RENDIMENTO DE FEIJÃO CULTIVADO COM DIFERENTES FONTES DE ADUBOS VERDES NA PRESENÇA E AUSÊNCIA DE COBERTURA NITROGENADA. Alana Oliveira Silva 1 ; Manoel Mota dos Santos 2 ; 1 Aluno do Curso de Química Ambiental;

Leia mais

Métodos de condução de populações segregantes para teor de fibra em feijoeiro-comum

Métodos de condução de populações segregantes para teor de fibra em feijoeiro-comum Métodos de condução de populações segregantes para teor de fibra em feijoeiro-comum Vilmar de Araújo PONTES JÚNIOR 1 ; Patrícia Guimarães Santos MELO 2 ; Leonardo Cunha MELO 3 ; Helton Santos PEREIRA 3

Leia mais

RENDIMENTO DA CULTURA DO MILHO COM DIFERENTES FONTES NITROGENADAS EM COBERTURA SOB PLANTIO DIRETO

RENDIMENTO DA CULTURA DO MILHO COM DIFERENTES FONTES NITROGENADAS EM COBERTURA SOB PLANTIO DIRETO RENDIMENTO DA CULTURA DO MILHO COM DIFERENTES FONTES NITROGENADAS EM COBERTURA SOB PLANTIO DIRETO 1 LINCK, Isaura L. D.; 2 FIORIN, Jackson E.; 3 LINCK, Júlio Palavras-chave: Volatilização. Perda. Nutrientes.

Leia mais

Fundação de Apoio e Pesquisa e Desenvolvimento Integrado Rio Verde

Fundação de Apoio e Pesquisa e Desenvolvimento Integrado Rio Verde PARCERIIA FUNDAÇÃO RIIO VERDE - SN CENTRO Lucas do Rio, Outubro de 2007 PLANO DE PARCERIA FUNDAÇÃO RIIO VERDE - SN CENTRO TECNOLOGIAS DE NUTRIÇÃO DE SISTEMAS PRODUTIVOS LINHA DE PESQUISA: Avaliação de

Leia mais

EFICIÊNCIA AGRONÔMICA DE UM POLIFOSFATO SULFORADO (PTC) NO ALGODOEIRO EM SOLO DE GOIÂNIA-GO *

EFICIÊNCIA AGRONÔMICA DE UM POLIFOSFATO SULFORADO (PTC) NO ALGODOEIRO EM SOLO DE GOIÂNIA-GO * EFICIÊNCIA AGRONÔMICA DE UM POLIFOSFATO SULFORADO (PTC) NO ALGODOEIRO EM SOLO DE GOIÂNIA-GO * Wilson Mozena Leandro 1, Juarez Patrício de Oliveira Jr. 1, Marcelo Vieira Rolim 2. Fabio do Vale 2, Adriano

Leia mais

Medidas da precisão experimental em ensaios com genótipos de feijão e de soja

Medidas da precisão experimental em ensaios com genótipos de feijão e de soja Medidas da precisão experimental em ensaios com genótipos de feijão e de soja Alberto Cargnelutti Filho (1), Lindolfo Storck (1) e Nerinéia Dalfollo Ribeiro (1) (1) Universidade Federal de Santa Maria,

Leia mais

MANEJO DE RESTOS CULTURAIS DE MILHO PARA PLANTIO DIRETO DE TRIGO. Resumo

MANEJO DE RESTOS CULTURAIS DE MILHO PARA PLANTIO DIRETO DE TRIGO. Resumo MANEJO DE RESTOS CULTURAIS DE MILHO PARA PLANTIO DIRETO DE TRIGO Denardin, J.E. 1 ; Kochhann, R.A. 1 Resumo Presume-se que semeadoras para plantio direto apresentam problemas operacionais para semear trigo

Leia mais

fontes e doses de nitrogênio em cobertura na qualidade fisiológica de sementes de trigo

fontes e doses de nitrogênio em cobertura na qualidade fisiológica de sementes de trigo fontes e doses de nitrogênio em cobertura na qualidade fisiológica de sementes de trigo PRANDO, A.M. 1 ; ZUCARELI, C. 1 ; FRONZA, V. 2 ; BASSOI, M.C. 2 ; OLIVEIRA, F.A. 2 1 Universidade Estadual de Londrina

Leia mais

Comportamento da Crotalaria juncea em função de adubação com e sem revestimento com polímeros

Comportamento da Crotalaria juncea em função de adubação com e sem revestimento com polímeros Comportamento da Crotalaria juncea em função de adubação com e sem revestimento com polímeros Rafael da Costa Leite 1 ; Hamilton Kikuti 2 ; Ana Lúcia Pereira Kikuti 3 1 Estudante do Curso de Agronomia

Leia mais

TAMANHO ÓTIMO DE PARCELAS EXPERIMENTAIS: Patrícia Ferreira PARANAIBA 1 Daniel Furtado FERREIRA 2 Augusto Ramalho De MORAIS 2

TAMANHO ÓTIMO DE PARCELAS EXPERIMENTAIS: Patrícia Ferreira PARANAIBA 1 Daniel Furtado FERREIRA 2 Augusto Ramalho De MORAIS 2 TAMANHO ÓTIMO DE PARCELAS EXPERIMENTAIS: PROPOSIÇÃO DE MÉTODOS DE ESTIMAÇÃO Patrícia Ferreira PARANAIBA 1 Daniel Furtado FERREIRA 2 Augusto Ramalho De MORAIS 2 RESUMO: Embora a maioria dos métodos para

Leia mais

AVALIAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO LONGITUDINAL DE PLANTAS DE MILHO EM DIFERENTES SISTEMAS DE CULTIVO

AVALIAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO LONGITUDINAL DE PLANTAS DE MILHO EM DIFERENTES SISTEMAS DE CULTIVO AVALIAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO LONGITUDINAL DE PLANTAS DE MILHO EM DIFERENTES SISTEMAS DE CULTIVO Morais Carneiro dos Reis (1) ; Gustavo Ferreira de Sousa (1) ; Maila Adriely Silva (1) ; Júlia Camargos da Costa

Leia mais

Medidas de precisão experimental e número de repetições em ensaios de genótipos de cana de açúcar

Medidas de precisão experimental e número de repetições em ensaios de genótipos de cana de açúcar Medidas de precisão experimental e número de repetições em ensaios de genótipos de cana de açúcar Alberto Cargnelutti Filho (1), Rubens Leite do Canto Braga Junior (2) e Alessandro Dal Col Lúcio (1) (1)

Leia mais

Progresso genético em 22 anos de melhoramento do feijoeiro-comum do grupo carioca no Brasil.

Progresso genético em 22 anos de melhoramento do feijoeiro-comum do grupo carioca no Brasil. Progresso genético em 22 anos de melhoramento do feijoeiro-comum do grupo carioca no Brasil. Luís Cláudio de Faria 1, Patrícia Guimarães Santos Melo 2, Leonardo Cunha Melo 1, 1, 1, Antônio Joaquim Braga

Leia mais

BROTAÇÃO DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR NAS CONDIÇÕES DE CERRADO DO BRASIL-CENTRAL

BROTAÇÃO DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR NAS CONDIÇÕES DE CERRADO DO BRASIL-CENTRAL BROTAÇÃO DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR NAS CONDIÇÕES DE CERRADO DO BRASIL-CENTRAL Adeliano Cargnin 1, João Augusto Müller 1, Fernando Daminelli Araújo Mello 1, Cláudia Martellet Fogaça 1 ( 1 Embrapa

Leia mais

file://e:\arquivos\poster\451.htm

file://e:\arquivos\poster\451.htm Página 1 de 5 LIXIVIAÇÃO DE NITRATO EM MANEJOS DO SOLO PARA A CULTURA DO FUMO (1) KAISER, D.R. (2); BRAGA, F.V.A.(3); REINERT, D.J. (4); REICHERT, J.M.(4) ; AITA, C.(4) 1 Pesquisa executada com recursos

Leia mais

Número de repetições para a comparação de cultivares de milho

Número de repetições para a comparação de cultivares de milho Ciência Rural, Santa Maria, v.40, Número n.5, p.1023-1030, de repetições mai, para 2010 a comparação de cultivares de milho. ISSN 0103-8478 1023 Número de repetições para a comparação de cultivares de

Leia mais

Ciência Rural ISSN: Universidade Federal de Santa Maria Brasil

Ciência Rural ISSN: Universidade Federal de Santa Maria Brasil Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil DalCol Lúcio, Alessandro; Ariovaldo Banzatto, David; Storck, Lindolfo; Newton Martin, Thomas; Homrich

Leia mais

Técnicas experimentais para tomateiro tipo salada sob estufas. plásticas

Técnicas experimentais para tomateiro tipo salada sob estufas. plásticas LOPES, Sidinei José; STORCK, Lindolfo; HELDWEIN, Arno Bernardo; FEIJÓ, Sandra; ROS, César Augusto da. Técnicas experimentais para tomateiro tipo salada sob estufas plásticas. Ciência Rural, Santa Maria,

Leia mais

Resumo. Abstract. Engª Agrª, Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Agronomia da UFSM. 3

Resumo. Abstract. Engª Agrª, Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Agronomia da UFSM.   3 DOI: 10.5433/1679-0359.2012v33n3p953 Tamanho de amostra para a estimação do coeficiente de correlação linear de Pearson entre caracteres de mamoneira Sample size to estimate the Pearson correlation coefficient

Leia mais

Universidade Federal do Pampa - Agronomia - Itaqui (RS), Brasil.

Universidade Federal do Pampa - Agronomia - Itaqui (RS), Brasil. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1678-4499.653 Dimensionamento amostral e associação linear entre caracteres de Crotalaria spectabilis Sample size and linear relationships between Crotalaria spectabilis

Leia mais

ISSN do Livro de Resumos:

ISSN do Livro de Resumos: PRODUÇÃO DE MATÉRIA SECA DA PARTE AÉREA DE MILHO PIPOCA CRIOULO E BATATA-DOCE EM SISTEMA CONSORCIADO Eduardo Canepelle 1, Emerson Saueressig Finken 2, Natane Thaís Simon 2, Endrio Rodrigo Webers 2, Darlan

Leia mais

Tamanho ótimo de parcela e número de repetições em soja (Glycine max (L.) Merril)

Tamanho ótimo de parcela e número de repetições em soja (Glycine max (L.) Merril) Ciência Rural, Santa Maria, v35, n.2, p.271-276, Tamanho mar-abr, ótimo de 2005 parcela e número de repetições em soja... ISSN 0103-8478 271 Tamanho ótimo de parcela e número de repetições em soja (Glycine

Leia mais

Anais do Seminário de Bolsistas de Pós-Graduação da Embrapa Amazônia Ocidental

Anais do Seminário de Bolsistas de Pós-Graduação da Embrapa Amazônia Ocidental Anais do Seminário de Bolsistas de Pós-Graduação da Embrapa Amazônia Ocidental Anais do Seminário de Bolsistas de Pós-Graduação da Embrapa Amazônia Ocidental Propagação Vegetativa de Piper hispidum Sw.

Leia mais

Medidas de precisão experimental e número de repetições em ensaios de genótipos de arroz irrigado

Medidas de precisão experimental e número de repetições em ensaios de genótipos de arroz irrigado 336 A. Cargnelutti Filho et al. Medidas de precisão experimental e número de repetições em ensaios de genótipos de arroz irrigado Alberto Cargnelutti Filho (1), Enio Marchesan (1), Leandro Souza da Silva

Leia mais

Dimensionamento amostral para avaliação de altura e diâmetro de mudas de Cabralea canjerana

Dimensionamento amostral para avaliação de altura e diâmetro de mudas de Cabralea canjerana Ciência 1204 Rural, Santa Maria, v.42, n.7, p.1204-1211, jul, Cargnelutti 2012 Filho et al. ISSN 0103-8478 Dimensionamento amostral para avaliação de altura e diâmetro de mudas de Cabralea canjerana Sample

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Produção de Milho Verde em Diferentes Épocas de Semeadura em Janaúba - MG. Iran dias borges 1, Renata Santos Pereira

Leia mais

AVALIAÇÃO PRODUTIVA DE LINHAGENS DE FEIJÃO-VAGEM EM CULTURA TUTORADA EM IPAMERI. Bolsista PBIC/UEG, graduanda do curso de Agronomia, UnU Ipameri-UEG.

AVALIAÇÃO PRODUTIVA DE LINHAGENS DE FEIJÃO-VAGEM EM CULTURA TUTORADA EM IPAMERI. Bolsista PBIC/UEG, graduanda do curso de Agronomia, UnU Ipameri-UEG. AVALIAÇÃO PRODUTIVA DE LINHAGENS DE FEIJÃO-VAGEM EM CULTURA TUTORADA EM IPAMERI FERNANDA DE CÁSSIA SILVA 1, NEI PEIXOTO 2, MARIA MARTA ANTÔNIA DA SILVA 3, DIANA CRISTINA DA SILVA 3. 1 Bolsista PBIC/UEG,

Leia mais

08 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA

08 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA 08 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA COM TECNOLOGIA INTACTA RR2 PRO EM DUAS ÉPOCAS DE SEMEADURA O objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial produtivo de cultivares de soja disponíveis comercialmente

Leia mais

DESEMPENHO DE UMA SEMEADORA-ADUBADORA UTILIZANDO UM SISTEMA DE DEPOSIÇÃO DE SEMENTES POR FITA.

DESEMPENHO DE UMA SEMEADORA-ADUBADORA UTILIZANDO UM SISTEMA DE DEPOSIÇÃO DE SEMENTES POR FITA. 6ª Jornada Científica e Tecnológica e 3º Simpósio de Pós-Graduação do IFSULDEMINAS 04 e 05 de novembro de 2014, Pouso Alegre/MG DESEMPENHO DE UMA SEMEADORA-ADUBADORA UTILIZANDO UM SISTEMA DE DEPOSIÇÃO

Leia mais

TÍTULO: PRODUÇÃO DE FORRAGEM DE ESPÉCIES DE "BRACHIARIA" SUBMETIDAS A DIFERENTES ALTURAS DE CORTE

TÍTULO: PRODUÇÃO DE FORRAGEM DE ESPÉCIES DE BRACHIARIA SUBMETIDAS A DIFERENTES ALTURAS DE CORTE Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: PRODUÇÃO DE FORRAGEM DE ESPÉCIES DE "BRACHIARIA" SUBMETIDAS A DIFERENTES ALTURAS DE CORTE CATEGORIA:

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO 2015/16

BOLETIM TÉCNICO 2015/16 1 10 AVALIAÇÃO DE DOSES D CULTURA DO MILHO SE LUCAS DO RIO VERDE M Objetivo Avaliar o efeito do emprego diferentes doses de nitrogênio aplicado via cobertura nos caracteres agronômicos e na produtividade

Leia mais

ESTUDO DO PROGRESSO GENÉTICO NA POPULAÇÃO UFG- SAMAMBAIA, SUBMETIDA A DIFERENTES MÉTODOS DE SELEÇÃO.

ESTUDO DO PROGRESSO GENÉTICO NA POPULAÇÃO UFG- SAMAMBAIA, SUBMETIDA A DIFERENTES MÉTODOS DE SELEÇÃO. ESTUDO DO PROGRESSO GENÉTICO NA POPULAÇÃO UFG- SAMAMBAIA, SUBMETIDA A DIFERENTES MÉTODOS DE SELEÇÃO RAMOS, Michele Ribeiro 1 ; BRASIL, Edward Madureira 2 Palavras-chave: progresso genético, métodos de

Leia mais

UFGD/FCA-Dourados MS, 1

UFGD/FCA-Dourados MS,   1 ESTIMATIVA DE PARÂMETROS GENÉTICOS EM HÍBRIDOS PRÉ- COMERCIAIS DE MILHO Samuel Silva Souza 1 ; Wesley Souza Prado 2 ; Luan Marlon Ribeiro 2 ; Emanoel Sanches Martins 1 ; Gessi Ceccon 3 ; Livia Maria Chamma

Leia mais

Iniciação Científica (PIBIC) - IFMG 2 Professora Orientadora IFMG. 3 Estudante de Agronomia.

Iniciação Científica (PIBIC) - IFMG 2 Professora Orientadora IFMG. 3 Estudante de Agronomia. Crescimento de plantas de café em função de diferentes adubos nitrogenados aplicados na adubação de cobertura Paulo Otávio Resende Ramalho 1 ; Sheila Isabel do Carmo Pinto²; Luciano Eduardo de Carvalho

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE PASTAGEM DEGRADADA ATRAVÉS DO CONSÓRCIO COM FEIJÃO GUANDU

RECUPERAÇÃO DE PASTAGEM DEGRADADA ATRAVÉS DO CONSÓRCIO COM FEIJÃO GUANDU RECUPERAÇÃO DE PASTAGEM DEGRADADA ATRAVÉS DO CONSÓRCIO COM FEIJÃO GUANDU Josiane da Silva Costa¹, Ana Carolina Alves² ¹Acadêmica do Curso de Agronomia da UEMS, Unidade Universitária de Cassilândia; E-mail:

Leia mais

EFEITO DE ADUBAÇÃO NITROGENADA EM MILHO SAFRINHA CULTIVADO EM ESPAÇAMENTO REDUZIDO, EM DOURADOS, MS

EFEITO DE ADUBAÇÃO NITROGENADA EM MILHO SAFRINHA CULTIVADO EM ESPAÇAMENTO REDUZIDO, EM DOURADOS, MS EFEITO DE ADUBAÇÃO NITROGENADA EM MILHO SAFRINHA CULTIVADO EM ESPAÇAMENTO REDUZIDO, EM DOURADOS, MS Carlos Hissao Kurihara (1), Bruno Patrício Tsujigushi (2) Introdução A adubação da cultura do milho safrinha

Leia mais

AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS DE PEPINO EM IPAMERI-GO

AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS DE PEPINO EM IPAMERI-GO AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS DE PEPINO EM IPAMERI-GO Érica Fernandes Leão¹, Valdivina Lúcia Vidal²; Emersom Rodrigues de Moraes³; José Antônio de Paula Oliveira³ Odilon Peixoto de Morais Junior³ ¹Bolsista PBIC/UEG

Leia mais

Avaliação de Híbridos Simples, Triplo e Duplos e Suas Respectivas Gerações Endogâmicas.

Avaliação de Híbridos Simples, Triplo e Duplos e Suas Respectivas Gerações Endogâmicas. Avaliação de Híbridos Simples, Triplo e Duplos e Suas Respectivas Gerações Endogâmicas. XXIV Congresso Nacional de Milho e Sorgo - 01 a 05 de setembro de 2002 - Florianópolis - SC João Cândido de Souza1;

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Estudo da Interação Espaçamento e População de Plantas em Diferentes Híbridos de Milho, em Guarapuava, PR, nas Safras

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES E ÉPOCAS DE SEMEADURA DE MILHO SAFRINHA NA REGIÃO DE RIO VERDE (GO)

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES E ÉPOCAS DE SEMEADURA DE MILHO SAFRINHA NA REGIÃO DE RIO VERDE (GO) AVALIAÇÃO DE CULTIVARES E ÉPOCAS DE SEMEADURA DE MILHO SAFRINHA NA REGIÃO DE RIO VERDE (GO) Miguel Marques Gontijo Neto (1), André May (1), Álisson Vanin (2), Alexandre Ferreira da Silva (1), Eduardo de

Leia mais

ESPAÇAMENTO ENTRE LINHAS E DENSIDADES DE SEMEADURA DE MILHO EM CONDIÇÕES DE SAFRINHA

ESPAÇAMENTO ENTRE LINHAS E DENSIDADES DE SEMEADURA DE MILHO EM CONDIÇÕES DE SAFRINHA ESPAÇAMENTO ENTRE LINHAS E DENSIDADES DE SEMEADURA DE MILHO EM CONDIÇÕES DE SAFRINHA Miguel Marques Gontijo Neto¹, Álisson Vanin², Alexandre Ferreira da Silva¹, Eduardo de Paula Simão³ Emerson Borghi¹,

Leia mais

Ciência Rural, vol. 45, núm. 5, mayo, 2015, pp Universidade Federal de Santa Maria Santa Maria, Brasil

Ciência Rural, vol. 45, núm. 5, mayo, 2015, pp Universidade Federal de Santa Maria Santa Maria, Brasil Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil Cargnelutti Filho, Alberto; Poletto, Tales; Brião Muniz, Marlove Fátima; Baggiotto, Carine; Poletto, Igor

Leia mais

Modelos de regressão com platô na estimativa do tamanho de parcelas em experimento de conservação in vitro de maracujazeiro

Modelos de regressão com platô na estimativa do tamanho de parcelas em experimento de conservação in vitro de maracujazeiro Ciência Rural, Modelos Santa de Maria, regressão v.41, com n.11, platô p.1907-1913, na estimativa nov, do 011 tamanho de parcelas em experimento de conservação... ISSN 0103-8478 1907 Modelos de regressão

Leia mais

ADUBAÇÃO DE MANUTENÇÃO COM NITROGÊNIO E FÓSFORO PARA A PRODUÇÃO DE FENO COM O CAPIM MASSAI (Panicum maximum CV. Massai)

ADUBAÇÃO DE MANUTENÇÃO COM NITROGÊNIO E FÓSFORO PARA A PRODUÇÃO DE FENO COM O CAPIM MASSAI (Panicum maximum CV. Massai) ADUBAÇÃO DE MANUTENÇÃO COM NITROGÊNIO E FÓSFORO PARA A PRODUÇÃO DE FENO COM O CAPIM MASSAI (Panicum maximum CV. Massai) Renata Freires Lima¹; José Antonio Maior Bono² ¹Acadêmica do Curso de Agronomia da

Leia mais

11 EFEITO DA APLICAÇÃO DE FONTES DE POTÁSSIO NO

11 EFEITO DA APLICAÇÃO DE FONTES DE POTÁSSIO NO 11 EFEITO DA APLICAÇÃO DE FONTES DE POTÁSSIO NO ESTÁDIO R3 DA SOJA EM LUCAS DO RIO VERDE, MT O objetivo neste trabalho foi avaliar o efeito da aplicação de diferentes fontes de potássio aplicados no estádio

Leia mais

Consistência de agrupamentos de acessos de alho via análise discriminante

Consistência de agrupamentos de acessos de alho via análise discriminante Consistência de agrupamentos de acessos de alho via análise discriminante 1 Introdução 1 Anderson Rodrigo da Silva 1 Paulo Roberto Cecon 1 Mário Puiatti 2 Moysés Nascimento 1 Fabyano Fonseca e Silva 1

Leia mais

COMPETIÇÃO DE GENÓTIPOS DE MAMONEIRA NO PERÍODO OUTONO-INVERNO EM ITAOCARA, RJ*

COMPETIÇÃO DE GENÓTIPOS DE MAMONEIRA NO PERÍODO OUTONO-INVERNO EM ITAOCARA, RJ* COMPETIÇÃO DE GENÓTIPOS DE MAMONEIRA NO PERÍODO OUTONO-INVERNO EM ITAOCARA, RJ* Guilherme Eugênio Machado Lopes 1 ; Luiz Antônio Antunes de Oliveira 1 ; Aldo Shimoya 2 ; Wander Eustáquio de Bastos Andrade

Leia mais

TEORES DE AMIDO EM GENÓTIPOS DE BATATA-DOCE EM FUNÇÃO DA ADUBAÇÃO POTÁSSICA

TEORES DE AMIDO EM GENÓTIPOS DE BATATA-DOCE EM FUNÇÃO DA ADUBAÇÃO POTÁSSICA TEORES DE AMIDO EM GENÓTIPOS DE BATATA-DOCE EM FUNÇÃO DA ADUBAÇÃO POTÁSSICA Flávio Coelho Mendes 1 ; Priscila Fonseca Costa 1 ; Tânia Irres Lima de Sousa 1 ; Rodrigo de Castro Tavares 2 1 Aluno (a) do

Leia mais

NUTRIÇÃO DA MAMONEIRA CONSORCIADA COM FEIJÃO COMUM EM FUNÇÃO DO PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA

NUTRIÇÃO DA MAMONEIRA CONSORCIADA COM FEIJÃO COMUM EM FUNÇÃO DO PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA NUTRIÇÃO DA MAMONEIRA CONSORCIADA COM FEIJÃO COMUM EM FUNÇÃO DO PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA Rafael Batista Ferreira 1 (PG)*, Ananda Helena Nunes Cunha 2 (PQ), Itamar Rosa Teixeira 3 (PQ) 1* Eng.

Leia mais