Mecanica dos solos I. Pedogênese. Princípios físicos da pedogênese. Princípios físicos da pedogênese. Adição. Adição. Transformação.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mecanica dos solos I. Pedogênese. Princípios físicos da pedogênese. Princípios físicos da pedogênese. Adição. Adição. Transformação."

Transcrição

1 Universidade Federal do Reconcavo da Bahia Centro de Ciencias Exatas e Tecnologicas Mecanica dos solos I Pedogênese 1. Intemperismo 1. Físico 2. Químico 3. Zonalidade 2. Mineralogia do solo 1. Classificação mineralógica 2. Minerais primários e secundários Prof. Thomas Vincent Gloaguen 3. Pedogênese 1. Processos pedogeneticos 2. Morfologia do solo 3. Classificação do solo Princípios físicos da pedogênese Princípios físicos da pedogênese Adição Adição Transformação Transformação Translocação Translocação Remoção Remoção 1

2 Podzolização Podzolização Latolização Calcificação 2

3 Hidromorfismo Halomorfismo Características dos solos Características dos solos Cor PB P Cor carta de cores de Munsell B RP BG R Valor G YR GY Y Croma 3

4 Características dos solos Cor Características dos solos Textura Interpretação + matiz: vermelho/amarelo: proporcional a razão Hm/(Hm+Gt) esverdeado/azulado: condições de oxido-redução + valor: quantidade de matéria orgânica + croma: quantidade de óxidos Interpretação + minerais primários + minerais secundários 4

5 Características dos solos Textura Características dos solos Estrutura Características dos solos Estrutura - interpretação Características dos solos Consistência Grânulos (granular) Sem direção preferencial, mesmas dimensões em todos os eixos Fatores Óxidos de Fe e Al MO Sais Ocorrencia Latossolo e Hz A Grumos Id., mais poroso MO Hz A chernozêmico Blocos Faces + planas que grânulos Expansão/contração Deformação plástica dos grânulos Hz B textural Prismas Colunas Laminar Anisotropia, com um eixo alongado Id. Prismas, mas parte superior arredondado, e mais compacto Anisotropia, com dois eixos alongados Compressão por pisoteio Hz B textural Hz B solonétzico (Na+) Hz E, Hz A (antropico) 5

6 Características dos solos Consistência Forca de coesão (atração das partículas entre si) Forca de adesão (atração das partículas por outro corpo) SECO MOLHADO UMIDO macio pouco plástico e pouco pegajoso friável Interpretação: latossolo, MO, Ca, Fe/Al óxidos, caulinita SECO MOLHADO UMIDO duro muito plástico e muito pegajoso firmo Interpretação Compressão por maquina, argilas 2:1, expansão/compressão. Solos desferrificados, cinzentos, pobres em MO, menos intemperizados Características dos solos Cimentação Argipas Fragipa Plintita Laterita, canga, plintita endurecida (petroplintita) Duripa Camada subsuperficial Teor alto de argila por eluviação Estrutura prismática ou em blocos Grande plasticidade Alta densidade aparente Textura intermediaria (ex: francosiltosa) Alta densidade aparente Cimento: sílica Ciclos úmido/seco. Mosqueados vermelhos, acinzentado Cristalização de óxidos de ferro Cimentado por sílica ou por carbonato e ferro Planossolo Natrico Solo com descontinuidade litológica Argissolo acinzentado) Plintossolo Planossolos do RS e NE, com B plânico e Na + Tabuleiros costeiros no Grupo Barreiras Amazonia Mata Atlantica Brasil Setentrional Afloramentos de depósitos ferríferos Regiões mais seca Alguns solos do semi-árido 1 o nível categórico Argissolos Cambissolos Chernossolos Espodossolos Gleissolos Latossolos Luvissolos Neossolos Nitossolos Organossolos Planossolos Plintossolos Vertissolos Latossolos Horizonte B latossólico <4% minerais primários <5% estrutura original da rocha espessura > 50 cm 6

7 Latossolos Latossolos Argissolos Horizonte B textural 50 a 80% a mais de argilas do que no hz A Argissolos Saturação por base baixa 7

8 Argissolos Argissolos Plintossolos Horizonte plintico >15% de plintita espessura mínima15 cm Plintossolos 8

9 Plintossolos Neossolos Horizontes B ausente Solo pouco desenvolvido Neossolos Neossolos 9

10 Neossolos Cambissolos Horizonte B incipiente Solo raso Cascalhento/rochoso Cambissolos Cambissolos 10

11 Planossolos Planossolos Horizonte B planico horizonte B textural teor elevado de argila mudança textura abrupta croma < 4 Planossolos Luvissolos Horizonte B textural Saturação por bases alta 11

12 Luvissolos Luvissolos Gleissolos Horizonte glei presença de ferro reduzido Gleissolos 12

13 Gleissolos Espodossolos Horizonte B espodico acumulação iluvial de matéria orgânica Espodossolos Espodossolos 13

14 Nitossolos Horizonte B nítico textura argilosa relação textural B/A < 1,5 Nitossolos Nitossolos Chernossolos Horizonte chernozêmico estrutura não dura C>6g/kg croma < 3 (úmido) Saturação por bases>65% Solos escuros Rico em carbono e bases 14

15 Chernossolos Chernossolos Vertissolos Horizonte vertico Argilas 2:1 expansivas Vertissolos 15

16 Vertissolos Organossolos Material orgânico Áreas pouco extensas Organossolos 2 o nível categórico 3 o nível categórico 4 o nível categórico Argissolos Cambissolos Chernossolos Espodossolos Gleissolos Latossolo Amarelo Latossolo Amarelo Distrófico Latossolo Amarelo Ácricos Latossolo Amarelo YYYY argissolico plintico humico zzzz Latossolos Latossolo Vermelho Luvissolos Neossolos Nitossolos Latossolo XXX Organossolos Planossolos Plintossolos Vertissolos 16

17 Fonte: Fritsch, E.; Herbillon, A.; Nascimento, N.; Grimaldo, M. & Melfi, A., 2007 From Plinthic Acrisols to Plinthosols and Gleysols: iron and groundwater dynamics in the tertiary sediments of the upper Amazon basin. European Journal of Soil Science, 58,

Principais Solos do Brasil. Prof a Adélia Aziz A. Pozza CSO 110 PEDOLOGIA

Principais Solos do Brasil. Prof a Adélia Aziz A. Pozza CSO 110 PEDOLOGIA Principais Solos do Brasil Prof a Adélia Aziz A. Pozza CSO 110 PEDOLOGIA Componentes do Solo A Líquido Sólido inorgânico B Gás C Sólido orgânico Cor do Solo Matéria Orgânica Argila e quartzo Goethita (óxido

Leia mais

Horizontes Diagnósticos

Horizontes Diagnósticos Horizontes Diagnósticos Horizonte Pedogenético X Horizonte Diagnóstico Horizonte pedogenético Cada uma das seções do solo resultantes dos processos pedogenéticos e que guardam relações entre si. Estas

Leia mais

Sistema Brasileiro de Classificação de Solos (SiBCS)

Sistema Brasileiro de Classificação de Solos (SiBCS) ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA Luiz de Queiroz LSO 410 - Gênese, Morfologia e Classificação de Solos Sistema Brasileiro de Classificação de Solos (SiBCS) Prof. Dr. Rafael Otto Prof. Dr. Jairo Antonio Mazza

Leia mais

Hélio do Prado Atalho Pedológico

Hélio do Prado Atalho Pedológico Hélio do Prado Atalho Pedológico Para classificar solos no campo Edição do autor Piracicaba 2013 Autor Hélio do Prado Capa e projeto gráfico João Paulo de Carvalho 2013, Hélio do Prado - Todos os direitos

Leia mais

UNIDADE 4 USO DE INFORMAÇÕES SOBRE SOLOS

UNIDADE 4 USO DE INFORMAÇÕES SOBRE SOLOS Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Rurais Departamento de Solos SOL 1001 Solos e Produção Animal UNIDADE 4 USO DE INFORMAÇÕES SOBRE SOLOS Alessandro Samuel-Rosa Santa Maria, junho de

Leia mais

O SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE SOLOS (SIBCS) Sheila R. Santos 1

O SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE SOLOS (SIBCS) Sheila R. Santos 1 O SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE SOLOS (SIBCS) Sheila R. Santos 1 Os solos devem ser estudados e classificados de acordo com os seus perfis Para que classificar os solos? Sheila R. Santos 2 Manihot

Leia mais

INTRODUÇÃO. Argissolos 16,7%

INTRODUÇÃO. Argissolos 16,7% INTRODUÇÃO A região Nordeste do Brasil, em razão da diversidade de climas, formações vegetais, tipos de rochas e conformações do relevo, apresenta uma grande diversidade de ambientes e, consequentemente,

Leia mais

Perfil do solo e horizontes diagnósticos

Perfil do solo e horizontes diagnósticos Universidade de São Paulo Escola Superior de gricultura Luiz de Queiroz Gênese, Morfologia e Classificação de Solos Perfil do solo e horizontes diagnósticos Prof. Rafael Otto Piracicaba, SP 14 de setembro

Leia mais

NATUREZA E TIPOS DE SOLOS ACH1085

NATUREZA E TIPOS DE SOLOS ACH1085 NATUREZA E TIPOS DE SOLOS ACH1085 SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE SOLOS 1 Introdução O que significa classificar solos? Distribuir os solos em classes e/ou grupos segundo um sistema ou método de

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA Luiz de Queiroz LSO Gênese, Morfologia e Classificação de Solos SOLOS SOLOS POUCO DESENVOLVIDOS RASOS

ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA Luiz de Queiroz LSO Gênese, Morfologia e Classificação de Solos SOLOS SOLOS POUCO DESENVOLVIDOS RASOS ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA Luiz de Queiroz LSO 410 - Gênese, Morfologia e Classificação de Solos SOLOS SOLOS POUCO DESENVOLVIDOS RASOS Prof. Jairo A. Mazza Piracicaba, SP Fonte: Buol et al., 1997.

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS PRINCIPAIS CLASSES DE SOLOS

DESCRIÇÃO DAS PRINCIPAIS CLASSES DE SOLOS MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E DO ABASTECIMENTO - MAPA EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA - EMBRAPA CENTRO NACIONAL DE PESQUISA DE SOLOS - CNPS UNIDADE DE EXECUÇÃO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

Leia mais

MORFOLOGIA DO PERFIL DO SOLO

MORFOLOGIA DO PERFIL DO SOLO MORFOLOGIA DO PERFIL DO SOLO MORFOLOGIA DO PERFIL SOLO Conceito: - Aparência do solo no campo (perfil). - Características visíveis a olho nu ou perceptíveis por manipulação Características morfológicas

Leia mais

Solos tropicais: formação, distribuição e associações Potencialidades e limitações das principais classes de solos tropicais

Solos tropicais: formação, distribuição e associações Potencialidades e limitações das principais classes de solos tropicais Solos tropicais: formação, distribuição e associações Potencialidades e limitações das principais classes de solos tropicais Marcos Koiti Kondo Perfis hipotéticos ilustrando diferentes horizontes e camadas:

Leia mais

Solos e sua importância ambiental

Solos e sua importância ambiental Solos e sua importância ambiental Atributos físicos e químicos do solo -Aula 1- Prof. Alexandre Paiva da Silva INTRODUÇÃO SOLO são produtos da ação combinada dos FATORES DE FORMAÇÃO DE SOLO (FFS) Equação

Leia mais

A NOVA VERSÃO DO SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE SOLOS (SiBCS) Paulo Klinger Tito Jacomine UFRPE Recife E mail: ricardo @ truenet.com.br.

A NOVA VERSÃO DO SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE SOLOS (SiBCS) Paulo Klinger Tito Jacomine UFRPE Recife E mail: ricardo @ truenet.com.br. 1 A NOVA VERSÃO DO SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE SOLOS (SiBCS) Paulo Klinger Tito Jacomine UFRPE Recife E mail: ricardo @ truenet.com.br. Comitê Executivo da Revisão do Sistema Américo Pereira

Leia mais

MINERALOGIA DOS SOLOS COMPOSIÇÃO MINERALÓGICA DOS SOLOS

MINERALOGIA DOS SOLOS COMPOSIÇÃO MINERALÓGICA DOS SOLOS COMPOSIÇÃO MINERALÓGICA DOS SOLOS minerais resistentes ao intemperismo. Ex: quartzo minerais intemperizáveis em diferentes graus de alteração. Exs: feldspatos, micas minerais secundários originados do

Leia mais

LSO 410: GÊNESE, MORFOLOGIA E CLASSIFICAÇÃO DOS SOLOS SEMANA 1

LSO 410: GÊNESE, MORFOLOGIA E CLASSIFICAÇÃO DOS SOLOS SEMANA 1 LSO 410: GÊNESE, MORFOLOGIA E CLASSIFICAÇÃO DOS SOLOS SEMANA 1 Introdução à disciplina Programa Sobre as aulas O que vamos estudar? Solos profundos e muito intemperizados Solos Rasos e pouco intemperizados

Leia mais

Classificação dos Solos

Classificação dos Solos Classificação dos Solos SOLOS BRASILEIROS exemplo - solos do RS Lemos e outros,1973- escala 1:750.000 Levantamento semelhante p/ Santa Catarina Levantamentos Brasileiros - EMBRAPA e IBGE - RADAMBRASIL

Leia mais

Capítulo 4 CLASSIFICAÇÃO DOS SOLOS ATÉ O 4 O NÍVEL CATEGÓRICO

Capítulo 4 CLASSIFICAÇÃO DOS SOLOS ATÉ O 4 O NÍVEL CATEGÓRICO Capítulo 4 CLASSIFICAÇÃO DOS SOLOS ATÉ O 4 O NÍVEL CATEGÓRICO CLASSIFICAÇÃO DOS SOLOS ATÉ O 4 O NÍVEL CATEGÓRICO A classificação de um solo é obtida a partir dos dados morfológicos, físicos, químicos e

Leia mais

TEMA MORFOLOGIA DO SOLO:

TEMA MORFOLOGIA DO SOLO: TEMA MORFOLOGIA DO SOLO: Características Morfológicas e Descrição do Perfil do Solo Estrutura da Apresentação 1. Introdução a morfologia do solo 2. Características Morfológicas do Perfil do Solo 3. Descrição

Leia mais

A NOVA CLASSIFICAÇÃO BRASILEIRA DE SOLOS

A NOVA CLASSIFICAÇÃO BRASILEIRA DE SOLOS A NOVA CLASSIFICAÇÃO BRASILEIRA DE SOLOS Paulo Klinger Tito Jacomine Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, Pernambuco. RESUMO A NOVA CLASSIFICAÇÃO BRASILEIRA DE SOLOS A nova Classificação Brasileira

Leia mais

Geodinâmica externa. UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. 3 Intemperismo FUNDAMENTOS DE GEOLOGIA

Geodinâmica externa. UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. 3 Intemperismo FUNDAMENTOS DE GEOLOGIA UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia Centro de Ciências Exatas, Biológicas e Ambientais UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia Centro de Ciências Exatas, Biológicas e Ambientais

Leia mais

Aula do curso a distância tópicos da cultura da cana-de-açúcar Hélio do Prado

Aula do curso a distância tópicos da cultura da cana-de-açúcar Hélio do Prado SOLOS E AMBIENTES DE PRODUÇÃO DE CANA-DE-AÇÚCAR NA REGIÃO CENTRO-SUL DO BRASIL 1. INTRODUÇÃO Hélio do Prado Alceu Linares Pádua Jr Centro de Cana do IAC - 2010 O solo é a massa natural, de constituição

Leia mais

ATRIBUTOS DIAGNÓSTICOS

ATRIBUTOS DIAGNÓSTICOS ATRIBUTOS DIAGNÓSTICOS ATIVIDADE DA FRAÇÃO ARGILA Refere-se à capacidade de troca de cátions 1 correspondente à fração argila, calculada pela expressão: T x 1000/g.kg -1 de argila. Atividade alta (Ta)

Leia mais

Os solos corr espondem ao manto de alter ação das rochas por processos de intemper ismo.

Os solos corr espondem ao manto de alter ação das rochas por processos de intemper ismo. Os solos corr espondem ao manto de alter ação das rochas por processos de intemper ismo. Quanto a or igem os solos podem ser: ELUVIAIS Originado da alter ação da r ocha matriz situada abaixo dele. ALUVIAIS

Leia mais

PCS 502 CONSERVAÇÃO DO SOLO E DA ÁGUA. Aula 5: Levantamento Conservacionista e classes de capacidade. Prof. Marx Leandro Naves Silva

PCS 502 CONSERVAÇÃO DO SOLO E DA ÁGUA. Aula 5: Levantamento Conservacionista e classes de capacidade. Prof. Marx Leandro Naves Silva PCS 502 CONSERVAÇÃO DO SOLO E DA ÁGUA Aula 5: Levantamento Conservacionista e classes de capacidade de uso do solo Prof. Marx Leandro Naves Silva Levantamento Conservacionista e classes de capacidade de

Leia mais

Composição e Morfologia de Solos Prof. Fernando Ximenes T. Salomão. UFMT- Cuiabá 2010

Composição e Morfologia de Solos Prof. Fernando Ximenes T. Salomão. UFMT- Cuiabá 2010 Composição e Morfologia de Solos Prof. Fernando Ximenes T. Salomão UFMT- Cuiabá 2010 1 Solo: Composição do solo Minerais Matéria Orgânica ar Água 2 Distribuição volumétrica dos constituintes de dois solos

Leia mais

FATORES DE FORMAÇÃO DO SOLO

FATORES DE FORMAÇÃO DO SOLO FORMAÇÃO DO SOLO FATORES DE FORMAÇÃO DO SOLO A pedogênese ou formação do solo é estudada pela Pedologia, cujas noções básicas e conceitos fundamentais foram definidos em 1877, pelo cientista russo Dokuchaev.

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DA LEGENDA DO LEVANTAMENTO DE RECONHECIMENTO DE ALTA INTENSIDADE DOS SOLOS DA BORDA OESTE DO PANTANAL: MACIÇO DO URUCUM E ADJACÊNCIAS, MS

ATUALIZAÇÃO DA LEGENDA DO LEVANTAMENTO DE RECONHECIMENTO DE ALTA INTENSIDADE DOS SOLOS DA BORDA OESTE DO PANTANAL: MACIÇO DO URUCUM E ADJACÊNCIAS, MS 1 ATUALIZAÇÃO DA LEGENDA DO LEVANTAMENTO DE RECONHECIMENTO DE ALTA INTENSIDADE DOS SOLOS DA BORDA OESTE DO PANTANAL: MACIÇO DO URUCUM E ADJACÊNCIAS, MS SILVIO TULIO SPERA 1 e EVALDO LUIS CARDOSO 2 RESUMO:

Leia mais

Revisão de geologia e Pedogênese

Revisão de geologia e Pedogênese Revisão de geologia e Pedogênese Ricardo Gonçalves de Castro 1 Minerais Mineral é um sólido homogêneo, com composição química definida, podendo variar dentro de intervalos restritos, formados por processos

Leia mais

Pedologia. Antonio Soares da Silva

Pedologia. Antonio Soares da Silva Pedologia Antonio Soares da Silva Origem da descrição dos solos Importância: Alimentação Sustentação das florestas Armazenamento da água da chuva Fornecimento de materiais Origem da descrição dos solos

Leia mais

Ciclo das Rochas e Formação dos Solos

Ciclo das Rochas e Formação dos Solos Ciclo das Rochas e Formação dos Solos Conjunto de transformações do material rochoso no qual rochas são geradas, recicladas, destruídas e alteradas devido à dinâmica interna e externa da Terra! CICLO

Leia mais

Fatores de Formação de Solos

Fatores de Formação de Solos Fatores de Formação de Solos De onde vem o solo? O solo resulta da ação simultânea do clima e organismos que atuam sobre um material de origem (rocha), que ocupa determinada paisagem ou relevo, durante

Leia mais

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DO PORTO ORGANIZADO DE ITAITUBA

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DO PORTO ORGANIZADO DE ITAITUBA DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DO PORTO ORGANIZADO DE ITAITUBA Janeiro/2016 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 CARACTERISTICAS AMBIENTAIS DE ITAITUBA... 3 2.1 CLIMA... 3 2.2 RECURSOS HÍDRICOS... 4 2.3 SOLOS... 5 2.4 GEOLOGIA...

Leia mais

Composição dos Solos

Composição dos Solos Composição dos Solos Composição do Solo Fragmentos de rocha Minerais primários Minerais secundários: Argilo-minerias Silicatos não cristalinos Óid Óxidos e hidróxidos hidóid de ferro e alumínio íi Carbonatos

Leia mais

SOLOS E AMBIENTES DE PRODUÇÃO DE CANA-DE-AÇÚCAR NA REGIÃO CENTRO-SUL DI BRASIL. Hélio do Prado-Centro de Cana- IAC

SOLOS E AMBIENTES DE PRODUÇÃO DE CANA-DE-AÇÚCAR NA REGIÃO CENTRO-SUL DI BRASIL. Hélio do Prado-Centro de Cana- IAC 1 SOLOS E AMBIENTES DE PRODUÇÃO DE CANA-DE-AÇÚCAR NA REGIÃO CENTRO-SUL DI BRASIL Hélio do Prado-Centro de Cana- IAC André C.Vitti- Polo Regional Centro-Sul O solo é a massa natural, de constituição de

Leia mais

PRINCIPAIS SOLOS DO LITORAL DO PARANÁ

PRINCIPAIS SOLOS DO LITORAL DO PARANÁ PRINCIPAIS SOLOS DO LITORAL DO PARANÁ Prof. Dr. Marcelo R. de Lima (UFPR-Curitiba) mrlima@ufpr.br Prof. M.Sc. Jaime B. dos Santos Junior (UFPA-Altamira) jaime@ufpa.br Os solos são formados pela interação

Leia mais

Proposta de atualização da segunda edição do Sistema Brasileiro de Classificação de Solos ano 2012

Proposta de atualização da segunda edição do Sistema Brasileiro de Classificação de Solos ano 2012 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Documentos 140 ISSN 1517-2627 Agosto, 2012 Proposta de atualização da segunda edição do Sistema Brasileiro de Classificação de Solos ano 2012 ISSN 1517-2627

Leia mais

Perfil representativo de ARGISSOLO VERMELHO Distrófico típico. Descrição geral

Perfil representativo de ARGISSOLO VERMELHO Distrófico típico. Descrição geral Perfis representativos das unidades taxonômicas de solos, com sua classificação taxonômica (Sistema Brasileiro de Classificação de Solos), descrições morfológicas internas e externas e dados das análises

Leia mais

8/29/2011. J. Miguel Reichert, PhD. (Prof. Ricardo Dalmolin) Fatores e processos de formação do solo. Adição. Remoção. Transformação.

8/29/2011. J. Miguel Reichert, PhD. (Prof. Ricardo Dalmolin) Fatores e processos de formação do solo. Adição. Remoção. Transformação. Processos de formação do solo J. Miguel Reichert, PhD (Prof. Ricardo Dalmolin) 2. olos florestais e desenvolvimento de vegetação solo como corpo natural Fatores e processos de formação do solo Propriedades

Leia mais

BIOENGENHARIA DE SOLOS ENGENHARIA NATURAL AULA 2 PROPRIEDADES FÍSICAS E MECÂNICAS DO SOLO

BIOENGENHARIA DE SOLOS ENGENHARIA NATURAL AULA 2 PROPRIEDADES FÍSICAS E MECÂNICAS DO SOLO BIOENGENHARIA DE SOLOS ENGENHARIA NATURAL AULA 2 PROPRIEDADES FÍSICAS E MECÂNICAS DO SOLO IGOR PINHEIRO DA ROCHA ENGENHEIRO FLORESTAL, M.Sc. AS FASES DO SOLO Fase sólida (Matriz do solo) Material mineral

Leia mais

UMA ANÁLISE DAS CLASSIFICAÇÕES DE SOLO UTILIZADAS NO ENSINO FUNDAMENTAL. Marcelo Ricardo de Lima

UMA ANÁLISE DAS CLASSIFICAÇÕES DE SOLO UTILIZADAS NO ENSINO FUNDAMENTAL. Marcelo Ricardo de Lima Uma análise das classificações de solo utilizadas no ensino fundamental Projeto Solo na Escola - UFPR 1 UMA ANÁLISE DAS CLASSIFICAÇÕES DE SOLO UTILIZADAS NO ENSINO FUNDAMENTAL Marcelo Ricardo de Lima Professor

Leia mais

"Se aprendermos a linguagem do solo, ele falará conosco. Nyle C. Brady

Se aprendermos a linguagem do solo, ele falará conosco. Nyle C. Brady UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE AGRONOMIA APOSTILA DE CLASSIIFIICAÇÃO DE SOLOS Proff.. José de Deus Viiana da Matta Mariingá -- PR 2007 "Se aprendermos a linguagem

Leia mais

Meio trifásico 21/11/2011 SOLO CONCEITO FÍSICO SOLO FISICAMENTE IDEAL

Meio trifásico 21/11/2011 SOLO CONCEITO FÍSICO SOLO FISICAMENTE IDEAL Uniersidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Rurais Departamento de Solos Propriedades físicas do solo SOLO CONCEITO FÍSICO Meio poroso, não rígido, trifásico, formado de partículas que possuem

Leia mais

Formação dos solos. Introdução e conceitos. Formação do solo. Solo residual. Rocha alterada. Rocha intacta. Fatores de formação dos solos

Formação dos solos. Introdução e conceitos. Formação do solo. Solo residual. Rocha alterada. Rocha intacta. Fatores de formação dos solos Introdução e conceitos Formação dos solos Geologia de Engenharia III ENG05103 Solo é a superfície inconsolidada Constituído por camadas que diferem pela natureza física, química, mineralógica e biológica

Leia mais

PROPRIEDADES ESPECTRAIS DOS SOLOS

PROPRIEDADES ESPECTRAIS DOS SOLOS PROPRIEDADES ESPECTRAIS DOS SOLOS Espectroscopia de Reflectância e Caracterização dos Solos; Reflectância e Mineralogia dos Solos; Reflectância e Matéria Orgânica; Reflectância e Óxidos de Ferro; Reflectância

Leia mais

INTEMPERISMO DE ROCHAS MINERALOGIA DE SOLOS

INTEMPERISMO DE ROCHAS MINERALOGIA DE SOLOS INTEMPERISMO DE ROCHAS X MINERALOGIA DE SOLOS INTEMPERISMO DE ROCHAS 1-CONCEITO: conjunto de processos que ocorrem na superfície terrestre envolvendo ação de agentes atmosféricos, água, calor solar, gelo,vento,

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DE SOLOS FERRUGINOSOS ALTOMONTANOS DA SERRA DO GANDARELA

CARACTERIZAÇÃO DE SOLOS FERRUGINOSOS ALTOMONTANOS DA SERRA DO GANDARELA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA JOÃO SANTIAGO REIS CARACTERIZAÇÃO DE SOLOS FERRUGINOSOS ALTOMONTANOS DA SERRA DO GANDARELA VIÇOSA MINAS GERAIS - BRASIL

Leia mais

ATRIBUTOS DIAGNÓSTICOS OUTROS

ATRIBUTOS DIAGNÓSTICOS OUTROS ATRIBUTOS DIAGNÓSTICOS OUTROS ATRIBUTOS DIAGNÓSTICOS MATERIAL ORGÂNICO É aquele constituído por materiais orgânicos, originários de resíduos vegetais em diferentes estágios de decomposição, fragmentos

Leia mais

FONTE DE PLASTICIDADE E FUNDÊNCIA CONTROLADA PARA PORCELANATO OBTIDO POR MOAGEM VIA ÚMIDA

FONTE DE PLASTICIDADE E FUNDÊNCIA CONTROLADA PARA PORCELANATO OBTIDO POR MOAGEM VIA ÚMIDA FONTE DE PLASTICIDADE E FUNDÊNCIA CONTROLADA PARA PORCELANATO OBTIDO POR MOAGEM VIA ÚMIDA Henrique Cislagui da Silva, Nilson Schwartz da Silva e Rui Acácio Lima Neto SUMÁRIO Introdução Tendência da produção

Leia mais

FATORES DE FORMAÇÃO DO SOLO

FATORES DE FORMAÇÃO DO SOLO FATORES DE FORMAÇÃO DO SOLO DEFINIÇÕES DE SOLO Geólogo: Camada de materiais inconsolidados Engenheiro de Minas: material solto sobre o minério que precisa ser removido Engenheiro Civil: matéria-prima para

Leia mais

ISSN Novembro, 2014

ISSN Novembro, 2014 ISSN 1517-2627 Novembro, 2014 ISSN 1517-2627 Novembro, 2014 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Solos Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Documentos 169 Solos para Todos

Leia mais

Evolução dos Solos do Brasil

Evolução dos Solos do Brasil Instituto de Geociências e Ciências Exatas Departamento de Petrologia e Metalogenia Campus de Rio Claro Evolução dos Solos do rasil Prof. Dr. Jairo Roberto Jiménez-Rueda 02/04/2009 jairorjr@rc.unesp.br

Leia mais

CURSO: PPGA DISCIPLINA: MAPEAMENTO E CLASSIFICAÇÃO DO SOLO

CURSO: PPGA DISCIPLINA: MAPEAMENTO E CLASSIFICAÇÃO DO SOLO CURSO: PPGA DISCIPLINA: MAPEAMENTO E CLASSIFICAÇÃO DO SOLO Adaptado de Solos do Brasil (Benjamim Pereira Vilela e Selma Simões de Castro) PROF. RENATA SANTOS MOMOLI Eng. Agrônoma Dra. em Solos e Nutrição

Leia mais

Nitidus, Vertere, Spodos! Palavras mágicas?

Nitidus, Vertere, Spodos! Palavras mágicas? Nitidus, Vertere, Spodos! Palavras mágicas? Aula 6 Nitidus, Vertere, Spodos! Adilson de C. Antônio e-tec Brasil Solos Meta Apresentar as ordens de solos NITOSSOLOS, VERTISSOLOS e ESPODOSSOLOS. Objetivos

Leia mais

GEOTÉCNICA Bibliografia

GEOTÉCNICA Bibliografia GEOTÉCNICA Formação de Solos - Solos Residuais - Solos Transportados Bibliografia: Notas de aula (apostila) de Geotécnica, Prof. Reno Reine Castello (1998) Chiossi, N. J. (1979); Geologia Aplicada à Engenharia

Leia mais

Coeficientes de distribuição de metais pesados em solos de São Paulo. Luís Reynaldo F. Alleoni ESALQ/USP Dep. de Ciência do Solo

Coeficientes de distribuição de metais pesados em solos de São Paulo. Luís Reynaldo F. Alleoni ESALQ/USP Dep. de Ciência do Solo Coeficientes de distribuição de metais pesados em solos de São Paulo Luís Reynaldo F. Alleoni ESALQ/USP Dep. de Ciência do Solo Definição de metais pesados Química - grande grupo de elementos com: densidade

Leia mais

Intemperismo e erosão

Intemperismo e erosão Intemperismo e erosão Intemperismo 1 Conceito 2 Tipos de intemperismo 3 Fatores que controlam o intemperismo (rocha, topografia, clima, vegetação) 4 Os produtos do intemperismo (solos, saprolitos, jazidas)

Leia mais

O que é SOLO. Conceito FÍSICO de solo 21/11/2011. Qual a função de um solo ideal COMO DEVE SER A ESTRUTURA DE UM SOLO PARA PRODUÇÃO AGRÍCOLA?

O que é SOLO. Conceito FÍSICO de solo 21/11/2011. Qual a função de um solo ideal COMO DEVE SER A ESTRUTURA DE UM SOLO PARA PRODUÇÃO AGRÍCOLA? Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Rurais Departamento de Solos O que é SOLO Propriedades físicas do solo Eracilda Fontanela Prof. José Miguel Reichert Santa Maria, junho de 1 2 Conceito

Leia mais

Nome do Sítio Experimental: Cruz Alta. Localização e Mapas do Sítio Experimental: Latitude: Longitude: Altitude: 432 m

Nome do Sítio Experimental: Cruz Alta. Localização e Mapas do Sítio Experimental: Latitude: Longitude: Altitude: 432 m Nome do Sítio Experimental: Cruz Alta Localização e Mapas do Sítio Experimental: Latitude: -28.6036 Longitude: -53.6736 Altitude: 432 m Rio Grande do Sul torre Cruz Alta torre DESCRIÇÃO: Descrição Geral:

Leia mais

UNIDADES ECODINÂMICAS DA PAISAGEM DO MUNICÍPIO DE JEREMOABO- BA.

UNIDADES ECODINÂMICAS DA PAISAGEM DO MUNICÍPIO DE JEREMOABO- BA. UNIDADES ECODINÂMICAS DA PAISAGEM DO MUNICÍPIO DE JEREMOABO- BA. Ivonice Sena de Souza 1, Ana Paula Sena de Souza 2, Danilo da Silva Carneiro 3, Jumara Souza Alves 4, Marcos Roberto Souza Santos 5, Deorgia

Leia mais

Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PEDOLOGIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PEDOLOGIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 8 EDITAL N o 04/2013 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - O candidato recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 8 (oito) questões discursivas, sem

Leia mais

Reclassificação dos perfis descritos no Levantamento Exploratório- Reconhecimento de Solos do Estado da Paraíba (1).

Reclassificação dos perfis descritos no Levantamento Exploratório- Reconhecimento de Solos do Estado da Paraíba (1). REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 Volume 6- Número 1-1º Semestre 2006 RESUMO Reclassificação dos perfis descritos no Levantamento Exploratório- Reconhecimento de Solos do Estado da

Leia mais

3 Aspectos Geológicos e Geotécnicos

3 Aspectos Geológicos e Geotécnicos 3 Aspectos Geológicos e Geotécnicos Nos itens a seguir serão abordados os aspectos geológicos e geotécnicos de maior interesse na área da Barragem de Terra da Margem Esquerda. 3.1. Características Gerais

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 8 PEDOLOGIA

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 8 PEDOLOGIA Questão n o 1 Conhecimentos Específicos O texto deverá apresentar os aspectos abaixo. O tipo de mapeamento de solo que atende à demanda apresentada e que, ao mesmo tempo, tenha o menor custo é o denominado

Leia mais

Material de apoio. Origem e Constituição. Origem e Constituição. Curso básico de mecânica dos solos (Carlos Souza Pinto, Oficina de Textos, 2006);

Material de apoio. Origem e Constituição. Origem e Constituição. Curso básico de mecânica dos solos (Carlos Souza Pinto, Oficina de Textos, 2006); Universidade Paulista Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia Departamento de Engenharia Civil Professora Moema Castro, MSc. Material de apoio 2 Curso básico de mecânica dos solos (Carlos Souza Pinto,

Leia mais

Compacidade das areias e Limites de Atterberg

Compacidade das areias e Limites de Atterberg Conceitos Básicos P.P. (2011) GEOTÉCNIA Compacidade das areias e Limites de Atterberg Introdução (revisão) Mineralogia: argila se caracterizam por seu tamanho muito pequeno e sua atividade elétrica superficial

Leia mais

ANÁLISE GRANULOMÉTRICA

ANÁLISE GRANULOMÉTRICA ANÁLISE GRANULOMÉTRICA Usada para caracterizar o tamanho das partículas de um material Distinguem-se pelo tamanho cinco tipos de sólidos particulados: Pó: partículas de 1 μm até 0,5 mm Sólidos Granulares:

Leia mais

Sistema Brasileiro de Classificação de Solos

Sistema Brasileiro de Classificação de Solos Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Solos Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Sistema Brasileiro de Classificação de Solos 3ª edição revista e ampliada Embrapa Brasília,

Leia mais

Figura 01 - Perfil esquemático de ocorrência de solos em ambiente tropical

Figura 01 - Perfil esquemático de ocorrência de solos em ambiente tropical 3.3 - SOLOS DE EVOLUÇÃO PEDOGÊNICA Complexa série de processos físico-químicos e biológicos que governam a formação dos solos da agricultura. Compreendem a lixiviação do horizonte superficial e concentração

Leia mais

DENSIDADE DO SOLO E DE PARTÍCULAS

DENSIDADE DO SOLO E DE PARTÍCULAS Universidade Estadual Paulista Campus de Dracena Curso de Zootecnia Disciplina : Solos DENSIDADE DO SOLO E DE PARTÍCULAS Prof. Dr. Reges Heinrichs 2010 Densidade de Partícula Dp (densidade real) É a relação

Leia mais

aula Propriedades dos solos características químicas e mineralógicas Geografia Física II Autores Fernando Moreira da Silva Marcelo dos Santos Chaves

aula Propriedades dos solos características químicas e mineralógicas Geografia Física II Autores Fernando Moreira da Silva Marcelo dos Santos Chaves D I S C I P L I N A Geografia Física II Propriedades dos solos características químicas e mineralógicas Autores Fernando Moreira da Silva Marcelo dos Santos Chaves Zuleide Maria C. Lima aula 09 Governo

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL A ORIGEM DOS SOLOS Todos os solos se originam

Leia mais

Aula 3: Prof. Dr. Marx Leandro Naves Silva

Aula 3: Prof. Dr. Marx Leandro Naves Silva PCS 502 CONSERVAÇÃO DO SOLO E DA ÁGUA Aula 3: FATORES DETERMINANTES DA EROSÃO. ERODIBILIDADE DO SOLO. MÉTODOS PARA A ESTIMATIVA DE ERODIBILIDADE. TIPOS DE PRECIPITAÇÃO. EROSIVIDADE DA CHUVA. MÉTODO PARA

Leia mais

Mapa Pedológico Digital - SIG Atualizado do Distrito Federal Escala 1:100.000 e uma Síntese do Texto Explicativo

Mapa Pedológico Digital - SIG Atualizado do Distrito Federal Escala 1:100.000 e uma Síntese do Texto Explicativo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento ISSN 1517-5111 Junho, 2004 120 Mapa Pedológico Digital - SIG Atualizado do Distrito Federal Escala 1:100.000 e uma Síntese do Texto Explicativo ISSN

Leia mais

ATRIBUTOS DIAGNÓSTICOS DO SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE SOLOS (EMBRAPA, 2006)

ATRIBUTOS DIAGNÓSTICOS DO SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE SOLOS (EMBRAPA, 2006) Disciplina: SOL03405 Classificação e Potencial de Uso das Terras (Pré-requisito: SOL03304 Fertilidade do Solo) Professor: Cláudio Roberto Marciano Laboratório de Solos-CCTA/UENF ATRIBUTOS DIAGNÓSTICOS

Leia mais

NOÇÕES DE SOLO. Rita Moura Fortes

NOÇÕES DE SOLO. Rita Moura Fortes NOÇÕES DE SOLO Rita Moura Fortes rita.fortes@latersolo.com.br Terminologia de solos e rochas TERMINOLOGIA Engenharia Civil Terra: construção civil material natural não consolidado, possível de ser escavado

Leia mais

TRABALHO DE CAMPO: sua metodologia, escala de abrangência, ensino e confronto de dados. Brunno Cesar Pereira Universidade Federal de Minas Gerais

TRABALHO DE CAMPO: sua metodologia, escala de abrangência, ensino e confronto de dados. Brunno Cesar Pereira Universidade Federal de Minas Gerais TRABALHO DE CAMPO: sua metodologia, escala de abrangência, ensino e confronto de dados. Brunno Cesar Pereira Universidade Federal de Minas Gerais brbuc@hotmail.com Eduarda Carolina Moraes de Assis Universidade

Leia mais

ESTRUTURA DO SOLO. Uma das propriedades mais importantes do solo Solos bem estruturados Solos bem agregados

ESTRUTURA DO SOLO. Uma das propriedades mais importantes do solo Solos bem estruturados Solos bem agregados 1 ESTRUTURA DO SOLO PROF. GILSON MOURA FILHO/SER/UFAL CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DISCIPLINA: FÍSICA DE SOLOS 1. INTRODUÇÃO Uma das propriedades mais importantes do solo Solos bem estruturados

Leia mais

Boletim Goiano de Geografia E-ISSN: Universidade Federal de Goiás Brasil

Boletim Goiano de Geografia E-ISSN: Universidade Federal de Goiás Brasil Boletim Goiano de Geografia E-ISSN: 1984-8501 boletimgoianogeo@yahoo.com.br Universidade Federal de Goiás Brasil Fushimi, Melina; Rodrigues Nunes, João Osvaldo PRINCIPAIS CLASSES DE SOLOS DO MUNICÍPIO

Leia mais

Revista Brasileira de Ciência do Solo ISSN: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo Brasil

Revista Brasileira de Ciência do Solo ISSN: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo Brasil Revista Brasileira de Ciência do Solo ISSN: 0100-0683 revista@sbcs.org.br Sociedade Brasileira de Ciência do Solo Brasil Garcia Benedetti, Udine; Vale Júnior, José Frutuoso do; Gonçalves Reynaud Schaefer,

Leia mais

LEVANTAMENTO SEMIDETALHADO DOS SOLOS DA BACIA DO RIO JARDIM-DF, ESCALA 1:

LEVANTAMENTO SEMIDETALHADO DOS SOLOS DA BACIA DO RIO JARDIM-DF, ESCALA 1: LEVANTAMENTO SEMIDETALHADO DOS SOLOS DA BACIA DO RIO JARDIM-DF, ESCALA 1:50.000 1 Adriana Reatto 2 ; João Roberto Correia 3 ; Silvio Túlio Spera 4 ; César da Silva Chagas 5 ; Éder de Souza Martins 6 ;

Leia mais

2.Óxidos!!! Óxidos Modelo Simples 16/08/2012. Óxidos de ferro Modelo Simples Hematita, Goethita

2.Óxidos!!! Óxidos Modelo Simples 16/08/2012. Óxidos de ferro Modelo Simples Hematita, Goethita 2.Óxidos!!! Geralmente são mais abundantes à medida em que o solo fica mais intemperizado (lembrese do índice ki calculado na aula prática); Além de CTC, podem desenvolver cargas positivas (CTA), que quando

Leia mais

MINERAIS SECUNDÁRIOS

MINERAIS SECUNDÁRIOS MINERAIS SECUNDÁRIOS -Aula 27- Alexandre Paiva da Silva Minerais primários: diretamente da rocha Ex.: micas, feldspatos, quartzo, etc Minerais secundários: formados no solo a partir de outros minerais

Leia mais

HORIZONTES DIAGNÓSTICOS SUPERFICIAIS

HORIZONTES DIAGNÓSTICOS SUPERFICIAIS HORIZONTES DIAGNÓSTICOS SUPERFICIAIS HORIZONTES DIAGNÓSTICOS SUBSUPERFICIAIS HORIZONTES DIAGNÓSTICOS SUPERFICIAIS HORIZONTE HÍSTICO É um tipo de horizonte constituído predominantemente de material orgânico,

Leia mais

SOLOS REPRESENTATIVOS DO ESTADO DO TOCANTINS SOB VEGETAÇÃO NATURAL DO CERRADO Helena Maria de Paula Santana 1 e Marilusa Pinto Coelho Lacerda 2, ( 1

SOLOS REPRESENTATIVOS DO ESTADO DO TOCANTINS SOB VEGETAÇÃO NATURAL DO CERRADO Helena Maria de Paula Santana 1 e Marilusa Pinto Coelho Lacerda 2, ( 1 SOLOS REPRESENTATIVOS DO ESTADO DO TOCANTINS SOB VEGETAÇÃO NATURAL DO CERRADO Helena Maria de Paula Santana 1 e Marilusa Pinto Coelho Lacerda 2, ( 1 Mestranda em Ciências Agrárias - Faculdade de Agronomia

Leia mais

Boletim de Pesquisa 66 e Desenvolvimento

Boletim de Pesquisa 66 e Desenvolvimento Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Boletim de Pesquisa 66 e Desenvolvimento ISSN 1678-0892 Dezembro, 2005 Solos ISSN 1678-0892 Dezembro, 2005 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

FORMAÇÃO DO SOLO. *Vieira, M. A. RESUMO

FORMAÇÃO DO SOLO. *Vieira, M. A. RESUMO FORMAÇÃO DO SOLO *Vieira, M. A. RESUMO O solo é a superfície inconsolidada, constituído por camadas que diferem pela natureza física, química, biológica e mineralógica. Com a ação de quatro agentes formadores

Leia mais

UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ - UNOCHAPECÓ INTEMPERISMO

UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ - UNOCHAPECÓ INTEMPERISMO UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ - UNOCHAPECÓ INTEMPERISMO Prof. Carolina R. Duarte Maluche Baretta Chapecó (SC), Abril de 2013. Intemperismo? Definição: Intemperismo: alterações físicas e

Leia mais

Solos da paisagem do Pantanal brasileiro adequação para o atual sistema de classificação

Solos da paisagem do Pantanal brasileiro adequação para o atual sistema de classificação Solos da paisagem do Pantanal brasileiro adequação para o atual sistema de classificação Amarindo Fausto Soares 1 João dos Santos Vila da Silva 1 Diego Luis Ferrari 2 1 Embrapa Informática Agropecuária

Leia mais

Fatores de Formação dos Solos Prof. Pablo Miguel Departamento de Solos/UFSM

Fatores de Formação dos Solos Prof. Pablo Miguel Departamento de Solos/UFSM Fatores de Formação dos Solos Prof. Pablo Miguel Departamento de Solos/UFSM Disciplina: Solos e Produção Animal Zootecnia Organização da aula Introdução Teorias dos fatores de formação Fatores de formação

Leia mais

Agronomia/Agronomy 17 CLASSIFICAÇÃO DOS NEOSSOLOS E NITOSSOLOS QUANTO A NATUREZA FÍSICA, QUÍMICAS E MORFOLÓGICAS. CARMO, D.A.B.¹ e VAL, B.H.P.

Agronomia/Agronomy 17 CLASSIFICAÇÃO DOS NEOSSOLOS E NITOSSOLOS QUANTO A NATUREZA FÍSICA, QUÍMICAS E MORFOLÓGICAS. CARMO, D.A.B.¹ e VAL, B.H.P. Agronomia/Agronomy 17 CLASSIFICAÇÃO DOS NEOSSOLOS E NITOSSOLOS QUANTO A NATUREZA FÍSICA, QUÍMICAS E MORFOLÓGICAS. CARMO, D.A.B.¹ e VAL, B.H.P. ¹ Engenheiro Agrônomo, Mestrando em agronomia (Ciência do

Leia mais

J. Miguel Reichert, PhD

J. Miguel Reichert, PhD Morfologia do solo J. Miguel Reichert, PhD (Prof. Ricardo Dalmolin) MORFOLOGI DO SOLO 2.1 Conceitos 2.2 - Horizontes pedogênicos 2.3 - Simbologia usada na identificação dos horizontes 2.4 - Características

Leia mais

APTIDÃO PEDOLÓGICA DO TERRITÓRIO DE IDENTIDADE DO VALE DO JIQUIRIÇÁ-BA PARA PRODUÇÃO AGRÍCOLA CACAUEIRA

APTIDÃO PEDOLÓGICA DO TERRITÓRIO DE IDENTIDADE DO VALE DO JIQUIRIÇÁ-BA PARA PRODUÇÃO AGRÍCOLA CACAUEIRA APTIDÃO PEDOLÓGICA DO TERRITÓRIO DE IDENTIDADE DO VALE DO JIQUIRIÇÁ-BA PARA PRODUÇÃO AGRÍCOLA CACAUEIRA Diêgo Pereira Costa Universidade Estadual de Feira de Santana diego-costa1993@hotmail.com Tiago Santos

Leia mais

Noções sobre tipos de estrutura do solo e sua importância para o manejo conservacionista

Noções sobre tipos de estrutura do solo e sua importância para o manejo conservacionista Comunicado Técnico Dezembro, 51 ISSN 1517-5685 Rio de Janeiro, RJ 2008 Noções sobre tipos de estrutura do solo e sua importância para o manejo conservacionista Cláudio Lucas Capeche 1 1. Introdução No

Leia mais

Tipos e classificação FORMAÇÃO DOS SOLOS

Tipos e classificação FORMAÇÃO DOS SOLOS Tipos e classificação FORMAÇÃO DOS SOLOS PRIMEIRA CLASSIFICAÇÃO Baseia-se principalmente nos fatores de clima, tempo e relevo em que se encontram os solos. solos zonais são aqueles em relevos estáveis,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIËNCIA RURAIS DEPARTAMENTO DE SOLOS SOLOS FLORESTAIS. Prof. José Miguel Reichert e colaboradores

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIËNCIA RURAIS DEPARTAMENTO DE SOLOS SOLOS FLORESTAIS. Prof. José Miguel Reichert e colaboradores UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIËNCIA RURAIS DEPARTAMENTO DE SOLOS SOLOS FLORESTAIS Prof. José Miguel Reichert e colaboradores SANTA MARIA, 2009 SUMÁRIO UNIDADE 1: O SOLO NOS ECOSSISTEMAS

Leia mais

Vamos começar pelas ordens: argissolos, cambissolos e chernossolos

Vamos começar pelas ordens: argissolos, cambissolos e chernossolos Vamos começar pelas ordens: argissolos, cambissolos e chernossolos Aula 5 Adilson de C. Antônio e-tec Brasil Solos Meta Apresentar as ordens de solos: argissolos, cambissolos e chernossolos. Objetivos

Leia mais

Introdução ao Estudo de Solos. DOCENTE: Dr. Ribamar Silva

Introdução ao Estudo de Solos. DOCENTE: Dr. Ribamar Silva DOCENTE: Dr. Ribamar Silva ❶ Pedologia Introdução ao ALGUNS CONCEITOS DE SOLO. Corpos naturais organizados, com características próprias adquiridas Ação dos Fatores e Processos de Formação e que evoluem

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II. 2. Características tecnológicas: forma; massa específica; absorção; umidade superficial; massa unitária.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II. 2. Características tecnológicas: forma; massa específica; absorção; umidade superficial; massa unitária. MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II AGREGADOS 2. Características tecnológicas: forma; massa específica; absorção; umidade superficial; massa unitária. Especificações e ensaios. Características dos Agregados O conhecimento

Leia mais