Guia de Estudos Ari Mundi

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Guia de Estudos Ari Mundi"

Transcrição

1 Guia de Estudos Ari Mundi Conselho de Segurança das Nações Unidas - CSNU Lara Lemos Bia Santiago

2 Sumário: 1. Carta de Apresentação 2. Conselho de Segurança das Nações Unidas 2.1 Contexto Histórico 2.2 Composição e Funcionamento 3. Crise na Crimeia 3.1 Histórico do Conflito 3.2 Como o mundo se posiciona em relação à crise na Ucrânia 4. Referências Bibliográficas

3 1. Carta de Apresentação: Queridos Delegados, É com grande prazer que damos as boas-vindas aos senhores Ari Mundi Sentimo-nos privilegiadas em poder compartilhar com os senhores essa experiência tão gratificante que é simular um organismo internacional de tamanha relevância para o âmbito mundial. O Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU) é um órgão da Organização das Nações Unidas cujo mandato é zelar pela manutenção da paz e da segurança internacional. Nele, é possível discutir assuntos de extrema importância para a segurança internacional de maneira prática e tomando medidas cabíveis para manutenção da paz mundial. Sendo o único órgão do sistema internacional capaz de adotar decisões obrigatórias para todos os Estados-membros da ONU, podendo inclusive autorizar intervenção militar para garantir a execução de suas resoluções. Os senhores Delegados irão simular a crise na Crimeia no Conselho de Segurança das Nações unidas, gostaríamos de lembrar aos senhores que a simulação ocorrera no dia 20 de Março de 2014, sendo fatos posteriores a essa data desconsiderados. Portanto, agora vocês terão a oportunidade de fazer a historia acontecer e fazendo a diferença decidindo ao futuro da Crimeia e Ucrânia. É importante salientar que, mesmo com a disponibilização de um guia de estudos que oriente o funcionamento do comitê e sirva de ponto de partida para uma análise sobre o tema em questão, é imprescindível um aprofundamento por parte dos senhores, que não devem se ater apenas às informações contidas neste guia. É de fundamental importância que cada delegado estude com afinco e procure entender o posicionamento do seu país em relação ao tema aqui em pauta. Lembramos ainda que a dinâmica do comitê não depende exclusivamente do nosso papel como diretores, mas principalmente da interação entre os senhores delegados. Esperamos que esse seja não só um momento de aprendizado, mas principalmente de enriquecimento pessoal. Temos a certeza de que o resultado final será o melhor possível. As diretoras, Lara Lemos e Bia Santiago

4 2. Conselho de Segurança das Nações Unidas 2.1 Contexto Histórico: A Organização das Nações Unidas foi criada ao término da II Guerra Mundial com o objetivo de garantir a paz no mundo através do bom relacionamento entre os países. E, embora não tenha atingido seus objetivos em alguns casos, apresenta fundamental importância na tentativa de amenizar as desigualdades sociais e conflitos no mundo. O horror causado pelas duas grandes guerras foi o principal motivo da fundação da ONU em 24 de outubro de O Presidente Norte-Americano Franklin Roosevelt foi quem criou o nome apresentado pela primeira vez em 1942 na Declaração das Nações Unidas pela qual26 países se comprometiam a lutar contra o Eixo (aliança entre Itália, Alemanha e Japão na II Guerra Mundial). Criada na Conferência de San Francisco (Conferência das Nações Unidas sobre a Organização Internacional), a ONU contava a princípio com 51 estados membros. Atualmente ela conta com 192 Estados soberanos e com diversos organismos autônomos, sendo constituída por seis órgãos principais sendo o Conselho de Segurança das Nações Unidas um desse órgãos de acordo com o estabelecimento pela Carta da ONU. O Conselho de Segurança das Nações Unidas tem a responsabilidade principal de manter a paz e a segurança internacional. Ele é organizado de forma a funcionar continuamente, e um representante de cada um dos seus membros tem que estar presente a todo momento na Sede da ONU. Em 31 de janeiro de 1992, a primeira Reunião de Cúpula do Conselho foi convocada na Sede, com a presença de Chefes de Governo e Estado de 13 de seus 15 membros e dos Ministros de Relações Exteriores dos dois restantes. O Conselho pode se reunir em outros lugares que não sejam a Sede da ONU; em 1972, realizou uma sessão em Adis Abeba (Etiópia), e no ano seguinte na Cidade do Panamá (Panamá). 2.2 Composição e Funcionamento: Quando uma informação sobre uma ameaça à paz é levada ao Conselho, sua primeira ação é, normalmente, recomendar as diferentes partes que tentem alcançar a paz por meios pacíficos. Em alguns casos, o próprio Conselho realiza investigações e mediações. O Conselho pode nomear representantes especiais ou solicitar que o Secretário-Geral da ONU o faça, ou usar seus bons ofícios. O Conselho pode também estabelecer princípios para uma solução pacífica. Quando um litígio conduz à luta, a primeira preocupação do Conselho é para trazê-lo para um fim o mais rapidamente possível. Em muitas ocasiões, o Conselho emitiu instruções de cessar-fogo que foram fundamentais na prevenção de maiores

5 hostilidades. O Conselho também envia forças de paz para ajudar a reduzir tensões em áreas problemáticas, manter forças em disputa separadas e criar condições de calma nas quais soluções pacíficas possam ser alcançadas. O Conselho pode tomar medidas como sanções econômicas (ao exemplo dos embargos comerciais) ou ações militares coletivas. Se o Conselho de Segurança toma ações preventivas ou adota sanções contra determinado Estado-Membro da ONU, ele pode também ser suspenso do exercício de seus direitos e privilégios pela Assembleia Geral por recomendação do Conselho. Um Estado-Membro que tenha violado persistentemente os princípios da Carta da ONU pode ser expulso das Nações Unidas pela Assembleia, também por recomendação do Conselho. Um Estado-Membro das Nações Unidas, mas que faça parte do Conselho de Segurança, pode participar, sem direito a voto, das discussões do Conselho, quando este considere que os interesses desse país podem ser afetados. Membros e nãomembros das Nações Unidas que fizerem parte de uma disputa sendo discutida no Conselho são convidados a participar, sem direito a voto, nas discussões do Cons elho; o órgão da ONU estabelece as condições para a participação de um Estado nãomembro. A Presidência do Conselho é rotativa e muda mensalmente, seguindo a ordem alfabética (em inglês) dos nomes dos países.

6 3. A Crise na Crimeia: 3.1 Histórico do conflito: O que é a Crimeia? A Crimeia é uma república autônoma da Ucrânia, localizada em uma península no Mar Negro. A região já pertenceu à Rússia, e foi anexada pela Ucrânia em 1954 o então líder soviético Nikita Khrushchev, que era de origem ucraniana, deu a região como presente. Diferente do resto da Ucrânia, a maioria da população na região é de origem russa. Qual o papel da Rússia na crise? Com a intensificação das tensões separatistas, o Parlamento russo aprovou, a pedido do presidente Vladimir Putin, o envio de tropas à Crimeia para normalizar a situação. Tropas sem identificação, mas claramente russas algumas em veículos com placas registradas na Rússia tomaram a Crimeia, dominando bases militares e aeroportos. A Rússia justificou o movimento dizendo se reservar o direito de proteger seus interesses e os de seus cidadãos em casos de violência na Ucrânia e na região da Crimeia. A escalada militar fez com que diversos oficiais do exército ucraniano se juntassem ao governo local pró-russo. Outros abandonaram seus postos. No dia 4 de março, o novo governo da Crimeia anunciou que assumiu o controle da península, e deu um ultimato para que os últimos oficiais leais à Ucrânia se rendessem. Segundo a Ucrânia, mais de 30 mil soldados russos já foram enviados à região. Os Estados Unidos estimam o efetivo russo na região em 20 mil militares. A Rússia nega ter efetivo militar na região superior ao de seu posto fixo em Sebastopol. Qual a reação do governo da Ucrânia? O novo governo ucraniano, pró-união Europeia, criticou os movimentos separatistas e classificou a aprovação de intervenção militar russa como uma declaração de guerra. Logo em seguida, o governo convocou todas suas reservas militares para reagir a um possível ataque russo. O país também pediu apoio do Conselho de Segurança da ONU para frear a crise na península e defender sua integridade territorial. Para o governo da Ucrânia, o Parlamento da Crimeia é ilegal e não tem legitimidade para declarar independência. Kiev também não reconheceu o resultado

7 do referendo, que aprovou a reintegração a Moscou, nem do tratado assinado entre Crimeia e Rússia confirmando a adesão. Qual a reação dos países ocidentais? Os Estados Unidos e outros países ocidentais exigem que a Rússia recuasse suas tropas na Crimeia. Os EUA também ameaçaram a Rússia com sanções, suspenderam as transações comerciais com o país e cancelaram um acordo de cooperação militar com Moscou. Outros países do ocidente pressionaram a Rússia por uma saída diplomática. A escalada de tensão também levou a uma ruptura entre as grandes potências, com o G7 condenando a ação e cancelando uma reunião com o governo de Moscou. EUA e União Europeia realizaram sanções contra indivíduos russos e ucranianos envolvidos no processo, que tiveram seus bens no exterior congelados e foram impedidos de entrar nos EUA e na UE. A Rússia respondeu com sanções contra integrantes do governo norte-americano. Em meio à crise, a Comissão Europeia divulgou um plano de ajuda de pelo menos 11 bilhões para a Ucrânia. Os EUA também anunciaram um pacote de assistência técnica e econômica ao país em uma demonstração de apoio ao novo governo, no valor de US$ 1 bilhão. A Crise Em novembro de 2013, o então presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovych anunciou em comunicado oficial que havia desistido de assinar um acordo de livrecomércio com a União Europeia, preferindo priorizar suas relações com a Rússia. No dia 21 do mesmo mês, milhares de pessoas foram às ruas protestar contra a decisão, o que resultou em repressão violenta e dezenas de manifestantes mortos. No dia 22 de fevereiro, Yanukovich deixou a capital do país, Kiev, e foi afastado da presidência pelo Parlamento do país. Foram convocadas eleições para maio deste ano e um governo interino foi montado. Na Crimeia, o parlamento local foi tomado por um comando pró-rússia, que nomeou um novo premiê e aprovou sua independência e posterior anexação à Federação Russa. O governo é considerado ilegítimo pela Ucrânia, que pede às forças internacionais que não o reconheçam. Com as tensões, o Parlamento russo aprovou o envio de tropas à Crimeia. Os EUA e outros países ocidentais posicionam-se a favor da Ucrânia e anunciaram pacotes bilionários de ajuda ao país, além de impor sanções e exigir que a Rússia retire imediatamente o contingente militar enviado. O governo da Casa Branca acusa, ainda,

8 a Rússia de violar o Memorando de Budapeste, por interferir diretamente nas fronteiras ucranianas. O movimento russo levou o presidente dos EUA, Barack Obama, a pedir a Putin o recuo das tropas na Crimeia. Para Obama, Putin violou a lei internacional com sua intervenção. Os EUA também ameaçaram a Rússia com sanções, e suspenderam as transações comerciais com o país, além de um acordo de cooperação militar. A Rússia respondeu afirmando que o estabelecimento de sanções também afetaria os EUA. A União europeia também disse que poderia impor sanções, sendo criticada por Moscou, que ameaçou uma retaliação. A Ucrânia convocou todas suas reservas militares para reagir a um possível ataque russo e afirmou que se trata de uma "declaração de guerra". Segundo o país, mais de 30 mil soldados russos já foram enviados à região. Os Estados Unidos estimam o efetivo russo na região em 20 mil militares. Em meio à crise, o Ocidente pressionou a Rússia por uma saída diplomática. A escalada de tensão também levou a uma ruptura entre as grandes potências, com o G7 condenando a ação e cancelando uma reunião com a Rússia. O Referendo No dia 16 de março, mesmo com forte oposição da ONU, foi realizado o referendo popular na Crimeia que decidiria pela separação da península da Ucrânia e anexação ao território russo, opção que acabou por vencer com mais de 95% dos votos. No entanto, uma pesquisa feita antes da invasão revelou que apenas 42% dos habitantes eram favoráveis ao desmembramento, o que levantou suspeitas na comunidade internacional de que o resultado do referendo possa ter sido manipulado. EUA e União Europeia reiteraram que a votação nunca será reconhecida pela comunidade internacional. Após o referendo, o governo de Moscou anunciou que consideraria a Crimeia como parte de seu território a partir de terça-feira. Nesta quarta, por unanimidade, o Tribunal Constitucional da Rússia considerou legal a assinatura do tratado que anexa a Crimeia a seus territórios pelo presidente Vladimir Putin. A Crimeia sempre foi parte da Rússia nos corações e mentes das pessoas, declarou Putin em um pronunciamento em Moscou, após a assinatura.

9 O Novo Presidente Poroshenko é um bilionário proprietário do grupo Roshen Chocolates, de um canal de televisão e de várias fábricas. O novo presidente disse que quer restaurar a paz na região leste do país onde separatistas pró-rússia ainda estão em conflito com as forças do governo interino, mas deixou claro que não vai negociar com os que qualificou como terroristas que querem transformar a Ucrânia em um Estado sem lei."o objetivo deles é transformar o leste da Ucrânia em uma Somália. Eu não vou permitir que ninguém faça isso ao nosso Estado e espero que a Rússia apoie essa minha abordagem, afirmou o novo presidente." O chanceler russo, Sergei Lavrov, disse que seu país está aberto para o diálogo com Poroshenko, mas deixou claro que é necessário que o uso da força contra os separatistas seja suspenso.o novo presidente ucraniano afirmou que espera se reunir com os líderes russos no início do mês que vem, após um viagem para a Polônia onde ele vai se encontrar com o presidente americano, Barack Obama, e líderes europeus. Em sua campanha, Poroshenko também havia prometido fortalecer os laços com a União Europeia.Poroshenko afirmou que vai apoiar a realização de uma eleição parlamentar ainda em O magnata também afirmou que nunca vai reconhecer o que ele chamou de "ocupação da Crimeia" pela Rússia. No total, 18 candidatos disputaram a eleição presidencial,vista como uma votação crucial para unir o país.o presidente americano, Barack Obama, afirmou que a eleição na Ucrânia foi um "passo importante para avançar com os esforços do governo ucraniano para unificar o país".

10 3.2 Como o mundo se posiciona em relação à crise na Ucrânia Ucrânia Um governo temporário foi formado no país depois que o presidente Viktor Yanukovych sofreu um impeachment pelo parlamento sob a acusação de ter sido responsável pela morte de mais de cem manifestantes durante os protestos que ocorreram no país desde novembro de Ao assumir como presidente, Olexandr Turchynov disse estar aberto ao diálogo com a Rússia, que foi acusada pelas autoridades interinas de enviarem tropas à Crimeia, onde teriam assumido o controle dos aeroportos e dos pontos de entrada na península. O novo governo não aceita uma eventual separação da Crimeia e diz que a preocupação manifestada pela Rússia, de que russos que vivem na Ucrânia estão em risco de sofrerem agressões - é um "pretexto para invadir o país". No entanto, Kiev alega que não tem planos de entrar em combate aberto com os russos. A Ucrânia divulgou um comunicado em que pede que observadores internacionais sejam levados ao país para "dissipar qualquer preocupação sobre atividades militares irregulares e o tratamento dado a todos os ucranianos, independentemente do grupo étnico a que pertencem ou o idioma falado por eles". "Queremos manter um bom diálogo e boas relações com o povo russo", disse o ministro interino de Relações Exteriores da Ucrânia, Andriy Deshchytsya, depois de um encontro com o ministro francês Laurent Fabius na quarta-feira. Rússia "Queremos resolver esse conflito pacificamente. Não queremos lutar com a Rússia." O governo russo acredita que o acordo político firmado no dia 21 de fevereiro, com o objetivo de acabar com a violência no país, não foi cumprido. O acordo previa a formação de um governo de união nacional, a adoção da constituição de 2004 (com uma redução dos poderes presidenciais) e a realização de eleições para a presidência no final do ano. Mas, desde então, o presidente Viktor Yanukovych foi afastado pelo Parlamento e as eleições foram marcadas para o próximo dia 25 de março. Segundo o Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, para resolver o problema, o previsto no acordo do dia 21 de fevereiro precisa ser honrado. Os russos ainda consideram Yanukovych o presidente legítimo da Ucrânia. Além disso, Moscou diz que não enviou soldados à Ucrânia alega que as forças pró-rússia vistas na Crimeia são mobilizadas localmente, mas diz que se reserva ao direito em último caso de lançar uma ofensiva se a população de origem russa estiver ameaçada.

11 "Se nós tomarmos tal decisão, será apenas para a proteção de cidadãos ucranianos", disse o presidente, Vladimir Putin. Por fim, o país diz que uma eventual decisão sobre enviar observadores internacionais para a Ucrânia é exclusiva das autoridades ucranianas. União Europeia O bloco concedeu uma ajuda de 11 bilhões de euros à Ucrânia, enquanto vem, ao mesmo tempo, considerando abertamente sanções a indivíduos e empresas russas, mas teme que isso possa prejudicar suas relações com o país, que é seu terceiro maior parceiro comercial. Os europeus são os maiores investidores do mercado russo. Além disso, os países do continente dependem de Moscou para se abastecer de óleo e gás. Em teoria, eles poderiam recorrer à Noruega para compensar uma retaliação russa. No entanto, passar a comprar gás e óleo dos noruegueses sairia mais caro para os europeus. Alemanha Tem sido a principal ponte de diálogo com a Rússia, de onde vem um terço de suas importações de óleo e gás. A chanceler Angela Merkel vem fazendo comentários públicos comedidos sobre a situação, também porque a Alemanha está muito próxima geograficamente da Ucrânia e um conflito armado na região pode lhe custar caro. A impressão de que a Alemanha está tentando proporcionar opções aceitáveis à Rússia antes que sanções possam ser adotadas ficou clara em uma declaração do ministro do exterior alemão, Frank-Walter Steinmeier, após seu encontro com o chanceler russo, Sergei Lavrov, em Genebra. Steinmeier evitou dizer claramente que os russos precisavam recuar. Em vez disso, disse que o país precisava apresentar mais garantias ao Ocidente acerca de suas intenções, ou então enfrentar as consequências. Eu acho que, se não vermos em breve passos decisivos rumo a um acordo internacional ( ) então penso que a discussão entre os líderes da Comissão Europeia será, de fato, na direção de medidas a ser tomadas, disse. França A França em assumindo um posicionamento mais firme, em contraponto à postura alemã. O ministro de Relações Exteriores francês, Laurent Fabius, disse à emissora BFMTV que sanções podem ser divulgadas se a Rússia não mostrar que está disposta a mudar sua posição. Grã-Bretanha

12 Publicamente, o primeiro-ministro David Cameron ameaçou a Rússia com sanções políticas, econômicas e diplomáticas. No entanto, um documento levado por uma autoridade do governo britânico mostra que essa reação tem limites. Registrado por um fotógrafo freelancer, o papel traz menções diretas ao assunto, dizendo que o Reino Unido pode se unir a outros países na proibição de concessão de vistos e de viagens de autoridades russas, mas que "não deve, por agora, apoiar sanções comerciais ou fechar o centro financeiro de Londres aos russos". Estados Unidos É o país que vem sendo mais duro contra a Rússia. O secretário de Estado americano, John Kerry, afirmou que Moscou vem criando pretextos para uma invasão, e o presidente Barack Obama afirmou que a ocupação da Crimeia coloca a Rússia do lado errado da história. O país já suspendeu conversas sobre possíveis acordos comerciais com os russos, mas isso tem pouco impacto porque os Estados Unidos não estão nem entre os dez maiores parceiros comerciais dos russos. Por isso, depende dos europeus para fazer uma pressão econômica. Os Estados Unidos querem instaurar uma missão de observação internacional na Crimeia e, em troca, pedem que as tropas da Rússia voltem às suas bases. O ministro russo Lavrov respondeu que a oferta só pode ser aceita por autoridades da Ucrânia e da Crimeia. China O país, segundo maior parceiro comercial da Rússia, mantém-se distante das polêmicas em torno do conflito. O presidente Xi Jinping classificou a situação como "complicada e sensível" e disse estar preocupado com o impacto global e regional da crise. Mas Jinping também afirmou que confia na capacidade russa de mediar uma saída e que apoia qualquer proposta que leve ao fim do conflito. Brasil No comunicado do governo brasileiro sobre o conflito, o Itamaraty lamentou a deterioração do quadro político no país e as mortes geradas por isso. Ao mesmo tempo, a nota dá indícios de que o Brasil não tem a intenção de se envolver na questão ao dizer que a a crise política na Ucrânia deve ser equacionada pelos próprios ucranianos. Índia Apesar dos apelos da Ucrânia para que o país se manifeste em apoio ao novo governo em Kiev, a Índia não assumiu qualquer posicionamento público sobre o conflito.

13 Apesar de sua relação comercial com os russos não ser tão relevante, o país deve à antiga União Soviética sua vitória sobre o Paquistão no conflito de Síria Em 6 de março, a agência estatal de notícias síria Sana informou que o presidente Bashar al Asad enviou uma mensagem a Putin expressando sua solidariedade. Asad reiterou o "respaldo da Síria ao ponto de vista racional de Putin, que favorece a paz e busca estabelecer um sistema global de apoio à estabilidade e de combate ao extremismo e ao terrorismo", segundo a agência. A Rússia tem em Tartus, na Síria, seu único porto militar no mar Mediterrâneo, um ponto estratégico. Além disso, Moscou é um dos principais fornecedores de armamentos ao governo sírio e, junto com a China, votou contra uma resolução da ONU contra Damasco em Israel Apesar da profunda inimizade com a Síria, um aliado da Rússia, Israel segue como um dos poucos países ocidentais que se negam a criticar publicamente o Kremlin por suas ações na Crimeia. "Temos boas relações com os americanos e os russos", disse há algumas semanas Avidgdor Lieberman, chanceler de Israel em entrevista à emissora israelense Canal 9. "Por isso não vejo motivos para nos metermos nisso." Lieberman cresceu na Moldávia quando ela era parte da União Soviética. Vários membros do governo vêm dessa ou de outras ex-repúblicas soviéticas ou da própria Rússia. E 1 milhão de habitantes de Israel (10% da população) vieram da antiga União Soviética. E Putin foi o primeiro líder russo a visitar Israel. Venezuela Em fevereiro, o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, disse que seu país estava pensando em aumentar sua presença militar em vários países, incluindo Venezuela, Cuba e Nicarágua, segundo a agência de notícias russa RIA Novosti. Em 2008, durante visita a Moscou, o então presidente da Venezuela, Hugo Chávez, manifestou apoio a essa presença das Forças Armadas russas no território venezuelano ao dizer que elas seriam recebidas "calorosamente". A Venezuela também comprou armamento da Rússia, que é o segundo maior exportador de armas do mundo, atrás dos Estados Unidos.

14 4. Referencias Bibliográficas: nto_paises_rb dos_rb

A Crise na Ucrânia. Para muitos a Rússia tenta contrapor a influência ocidental com a criação de uma união euro-asiática

A Crise na Ucrânia. Para muitos a Rússia tenta contrapor a influência ocidental com a criação de uma união euro-asiática A Crise na Ucrânia Em março de 2014, um referendo realizado na Crimeia (uma península ao sul da Ucrânia) resultou em mais de 95% dos eleitores votando pela separação da Ucrânia e consequente anexação à

Leia mais

Rússia e Ucrânia podem entrar em guerra?

Rússia e Ucrânia podem entrar em guerra? Rússia e Ucrânia podem entrar em guerra? Soldados russos cercaram diversas bases ucranianas na Crimeia A situação não poderia ser mais séria. No sábado, o presidente Vladimir Putin conseguiu a autorização

Leia mais

Os vetos de China e Rússia no caso da Síria: Interesses humanitários ou políticos?

Os vetos de China e Rússia no caso da Síria: Interesses humanitários ou políticos? Os vetos de China e Rússia no caso da Síria: Interesses humanitários ou políticos? Análise Ásia Luciana Leal Resende Paiva Márcia de Paiva Fernandes 31 de Março de 2012 Os vetos de China e Rússia no caso

Leia mais

Steinmeier, MNE da Alemanha: Sabemos que o caminho tem sido difícil

Steinmeier, MNE da Alemanha: Sabemos que o caminho tem sido difícil ESPECIAIS Steinmeier, MNE da Alemanha: Sabemos que o caminho tem sido difícil 27 Maio 2015 Nuno André Martins MNE alemão diz que Portugal "é um exemplo para a Europa", admite que só a negociação deu à

Leia mais

Alta Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança /Vice-Presidente da Comissão Europeia. Federica Mogherini

Alta Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança /Vice-Presidente da Comissão Europeia. Federica Mogherini Alta Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança /Vice-Presidente da Comissão Europeia Federica Mogherini Assembleia da República, 17 fevereiro de 2015 CURRICULUM

Leia mais

A CRISE NA UCRÂNIA: A MUDANÇA ALEMÃ ELEIÇÕES NA ALEMANHA

A CRISE NA UCRÂNIA: A MUDANÇA ALEMÃ ELEIÇÕES NA ALEMANHA OCCASIONAL PAPER N.º 57 A CRISE NA UCRÂNIA: A MUDANÇA ALEMÃ ELEIÇÕES NA ALEMANHA Patrícia Daehnhardt, IPRI-UNL 21 Março 2014 O Ocidente enfrenta hoje um desafio geopolítico, como já não acontecia no espaço

Leia mais

REPÚBLICA ÁRABE SÍRIA MINISTÉRIO DA INFORMAÇÃO. Ministério da Informação

REPÚBLICA ÁRABE SÍRIA MINISTÉRIO DA INFORMAÇÃO. Ministério da Informação REPÚBLICA ÁRABE SÍRIA MINISTÉRIO DA INFORMAÇÃO O Ministério da Informação da República Árabe Síria expressa seus protestos de alta estima e consideração a Vossa Excelência e anexa ao presente texto a Declaração

Leia mais

ATUALIDADES PROFESSOR MARCOS JOSÉ. Top Atualidades semanal. Top Atualidades semanal. Top Atualidades semanal

ATUALIDADES PROFESSOR MARCOS JOSÉ. Top Atualidades semanal. Top Atualidades semanal. Top Atualidades semanal ATUALIDADES PROFESSOR MARCOS JOSÉ 04 a 10 de fevereiro Rombo na balança comercial em janeiro é o pior da história O Brasil voltou a apresentar deficit comercial bilionário no início do ano. No mês passado,

Leia mais

Exercícios sobre Israel e Palestina

Exercícios sobre Israel e Palestina Exercícios sobre Israel e Palestina Material de apoio do Extensivo 1. Observe o mapa a seguir, que representa uma área do Oriente Médio, onde ocorrem grandes tensões geopolíticas. MAGNOLI, Demétrio; ARAÚJO,

Leia mais

PROF PIMENTEL PRÉ-PROVA CENTRAL DE CURSOS. www.profpimentel.com.br PREFEITURA MUNICIPAL DE RIBEIRÃO PRETO

PROF PIMENTEL PRÉ-PROVA CENTRAL DE CURSOS. www.profpimentel.com.br PREFEITURA MUNICIPAL DE RIBEIRÃO PRETO PREFEITURA MUNICIPAL DE RIBEIRÃO PRETO PRÉ-PROVA SUMÁRIO 8h30 - Português - Heliane Miscali...Pág. 03 8h50 - Matemática - Rogério Pizza...Pág. 09 9h10 - Informática - Francis David...Pág. 19 9h30 - Atualidades

Leia mais

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ. EUA acusam Rússia de escalar crise na Síria SEMANA 29 SETEMBRO A 05 DE OUTUBRO

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ. EUA acusam Rússia de escalar crise na Síria SEMANA 29 SETEMBRO A 05 DE OUTUBRO EUA acusam Rússia de escalar crise na Síria Raúl Castro pede que Obama contorne Congresso Guerra síria abre crise entre EUA e Rússia ATUALIDADES PROFESSOR MARCOS JOSÉ Dilma anuncia meta cômoda para clima

Leia mais

5ª Cúpula América Latina, Caribe e União Européia

5ª Cúpula América Latina, Caribe e União Européia 5ª Cúpula América Latina, Caribe e União Européia Resenha Desenvolvimento / Integração Franceline Hellen Fukuda 17 de maio de 2008 5ª Cúpula América Latina, Caribe e União Européia Resenha Desenvolvimento

Leia mais

GABARITO ATIVIDADE DE CLASSE DESVENDANDO A NOTÍCIA. Pastor recua e garante que nunca irá queimar o Alcorão (Folha UOL/ 10/09/2010)

GABARITO ATIVIDADE DE CLASSE DESVENDANDO A NOTÍCIA. Pastor recua e garante que nunca irá queimar o Alcorão (Folha UOL/ 10/09/2010) GABARITO ATIVIDADE DE CLASSE Questão 1 DESVENDANDO A NOTÍCIA Certos acontecimentos que ganham destaque na mídia internacional costumam, como se diz na linguagem corrente, esconder problemas ou polêmicas

Leia mais

Posição dos BRICS diante da questão da Palestina

Posição dos BRICS diante da questão da Palestina BRICS Monitor Posição dos BRICS diante da questão da Palestina Janeiro de 2012 Núcleo de Política Internacional e Agenda Multilateral BRICS Policy Center / Centro de Estudos e Pesquisa BRICS BRICS Monitor

Leia mais

Programa de solidariedade escoteira

Programa de solidariedade escoteira Programa de solidariedade escoteira Distintivo de Solidariedade Escoteira Adesivo para carro Nov/2013: O presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovych, vai a uma reunião de Cúpula do Parlamento Europeu e rejeita

Leia mais

Informativo Mensal nº 10. Agosto/ 2014

Informativo Mensal nº 10. Agosto/ 2014 Informativo Mensal nº 10 Agosto/ 2014 ÁSIA/ LESTE EUROPEU MAIS SANÇÕES E AJUDA HUMANITÁRIA DEIXAM RÚSSIA EM DESTAQUE NO MÊS No mês de agosto mais sanções continuaram sendo aplicadas na Rússia pelos EUA

Leia mais

ERRATA: Na página 5, onde se lê relevar nenhuma das tentações, leiase reavivar nenhuma das tentações.

ERRATA: Na página 5, onde se lê relevar nenhuma das tentações, leiase reavivar nenhuma das tentações. ERRATA: Na página 5, onde se lê relevar nenhuma das tentações, leiase reavivar nenhuma das tentações. Declaração à imprensa da Presidenta da República, Dilma Rousseff, após a VI Reunião de Cúpula Brasil-União

Leia mais

A resolução 1559 e o assassinato do ex- Primeiro Ministro Rafic Al Hariri e seus impactos para o equilíbrio regional de poder no Oriente Médio

A resolução 1559 e o assassinato do ex- Primeiro Ministro Rafic Al Hariri e seus impactos para o equilíbrio regional de poder no Oriente Médio A resolução 1559 e o assassinato do ex- Primeiro Ministro Rafic Al Hariri e seus impactos para o equilíbrio regional de poder no Oriente Médio Análise Segurança Prof. Danny Zahreddine 25 de fevereiro de

Leia mais

Geografia. Questão 1. Questão 2. Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor:

Geografia. Questão 1. Questão 2. Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Geografia Questão 1 Em 1967, por ocasião da Guerra dos Seis Dias, Israel ocupou de seus vizinhos árabes uma série de territórios, entre eles a Península do

Leia mais

VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO

VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO A prova de História é composta por três questões e vale 10 pontos no total, assim distribuídos: Questão 1 3 pontos (sendo 1 ponto para o subitem A, 1,5

Leia mais

CONFLITO ARMADO NA UCRÂNIA: Legalidade da Intervenção na Ucrânia

CONFLITO ARMADO NA UCRÂNIA: Legalidade da Intervenção na Ucrânia CONFLITO ARMADO NA UCRÂNIA: Legalidade da Intervenção na Ucrânia Gabriela Paulino de Paula. E-mail: g.paulinodepaula@gmail.com Orientador: João Irineu de Resende Miranda Universidade Estadual de Ponta

Leia mais

A nova lei anti-secessão e as relações entre a China e Taiwan. Análise Segurança

A nova lei anti-secessão e as relações entre a China e Taiwan. Análise Segurança A nova lei anti-secessão e as relações entre a China e Taiwan Análise Segurança Bernardo Hoffman Versieux 15 de abril de 2005 A nova lei anti-secessão e as relações entre a China e Taiwan Análise Segurança

Leia mais

Disputa pela hegemonia mundial entre Estados Unidos e URSS após a II Guerra Mundial. É uma intensa guerra econômica, diplomática e tecnológica pela conquista de zonas de influência. Ela divide o mundo

Leia mais

AMÉRICA: PROJETOS DE INTEGRAÇÃO GEOGRAFIA 8ºANO PRFª BRUNA ANDRADE

AMÉRICA: PROJETOS DE INTEGRAÇÃO GEOGRAFIA 8ºANO PRFª BRUNA ANDRADE AMÉRICA: PROJETOS DE INTEGRAÇÃO GEOGRAFIA 8ºANO PRFª BRUNA ANDRADE A FORMAÇÃO DOS ESTADOS LATINO- AMERICANOS OS PAÍSES DA AMÉRICA LATINA FORMARAM-SE A PARTIR DA INDEPENDÊNCIA DA ESPANHA E PORTUGAL. AMÉRICA

Leia mais

EUA: Expansão Territorial

EUA: Expansão Territorial EUA: Expansão Territorial Atividades: Ler Livro didático págs. 29, 30 e 81 a 86 e em seguida responda: 1) Qual era a abrangência do território dos Estados Unidos no final da guerra de independência? 2)

Leia mais

Resolução de Questões- Tropa de Elite ATUALIDADES Questões- AULA 1-4 NILTON MATOS

Resolução de Questões- Tropa de Elite ATUALIDADES Questões- AULA 1-4 NILTON MATOS Resolução de Questões- Tropa de Elite ATUALIDADES Questões- AULA 1-4 NILTON MATOS 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. OBS: EM NEGRITO OS ENUNCIADOS, EM AZUL AS

Leia mais

ÉTICA E CIDADANIA 1º ano Atividade de classe Beto Candelori 06/04/10. "Insanidade" pede reforma na ONU, diz Lula

ÉTICA E CIDADANIA 1º ano Atividade de classe Beto Candelori 06/04/10. Insanidade pede reforma na ONU, diz Lula ÉTICA E CIDADANIA 1º ano Atividade de classe Beto Candelori 06/04/10 Questão 1 "Insanidade" pede reforma na ONU, diz Lula FABIANO MAISONNAVE / Enviado especial a Caracas /Folha de São Paulo, 17 de janeiro

Leia mais

Guerra Fria e o Mundo Bipolar

Guerra Fria e o Mundo Bipolar Guerra Fria e o Mundo Bipolar A formação do Mundo Bipolar Os Aliados vencem a 2.ª Guerra (1939-1945). Apesar de na guerra lutarem lado a lado, os EUA e a URSS vão afastar-se a partir de 1945. Guerra Fria

Leia mais

As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial

As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial ONU A ONU (Organização das Nações Unidas) foi fundada no dia 24 de outubro de 1945, em São Francisco, Estados Unidos. O encontro

Leia mais

ATUALIDADES. Ano: Crimeia. Ucrânia

ATUALIDADES. Ano: Crimeia. Ucrânia ATUALIDADES Ano: Nos últimos dias tem-se evidenciado através dos meios de comunicação a crise envolvendo a Ucrânia e a Rússia. O assunto requer nossa atenção, pois é muito rico em informações e traz novamente

Leia mais

Ucrânia - "Disparos de alerta"

Ucrânia - Disparos de alerta Ucrânia - "Disparos de alerta" Putin admite ação militar como último recurso. EUA o acusam de buscar pretexto para invasão MOSCOU Pressionado pelo Ocidente, o presidente russo, Vladimir Putin, rompeu o

Leia mais

TRATADO INTERAMERICANO DE ASSISTÊNCIA RECÍPROCA

TRATADO INTERAMERICANO DE ASSISTÊNCIA RECÍPROCA TRATADO INTERAMERICANO DE ASSISTÊNCIA RECÍPROCA Em nome de seus Povos, os Governos representados naconferência Interamericana para a Manutenção da Paz e da Segurança no Continente, animados pelo desejo

Leia mais

A/70/250. Assembleia Geral. Organização da septuagésima sessão regular da Assembleia Geral no ONU Jr, procedimentos e dinâmica do comitê.

A/70/250. Assembleia Geral. Organização da septuagésima sessão regular da Assembleia Geral no ONU Jr, procedimentos e dinâmica do comitê. Nações Unidas ONU Jr Assembleia Geral Distr.: Geral 15 Outubro 2014 Original: Português A/70/250 Septuagésima Sessão Conteúdo Organização da septuagésima sessão regular da Assembleia Geral no ONU Jr, procedimentos

Leia mais

A Irlanda do Norte, ou Ulster, e a República da Irlanda, ou Eire, situam-se na Ilha da Irlanda. Na Irlanda do Norte, que integra o Reino Unido, vivem

A Irlanda do Norte, ou Ulster, e a República da Irlanda, ou Eire, situam-se na Ilha da Irlanda. Na Irlanda do Norte, que integra o Reino Unido, vivem QUESTÃO IRLANDESA A Irlanda do Norte, ou Ulster, e a República da Irlanda, ou Eire, situam-se na Ilha da Irlanda. Na Irlanda do Norte, que integra o Reino Unido, vivem cerca de 1,8 milhão de habitantes,

Leia mais

Os BRICS na Votação do Projeto Europeu de Resolução do Conselho de Segurança Sobre a Síria

Os BRICS na Votação do Projeto Europeu de Resolução do Conselho de Segurança Sobre a Síria BRICS Monitor Os BRICS na Votação do Projeto Europeu de Resolução do Conselho de Segurança Sobre a Síria Novembro de 2011 Núcleo de Política Internacional e Agenda Multilateral BRICS Policy Center / Centro

Leia mais

Analista diz que bases instaladas no território brasileiro tiveram importância fundamental na 2ª Guerra Mundial

Analista diz que bases instaladas no território brasileiro tiveram importância fundamental na 2ª Guerra Mundial 2ª GUERRA MUNDIAL Novos estudos feitos por um historiador norte americano, revelam que os Estados Unidos teriam cogitado que as forças militares brasileiras, então em combate na Italia, ocupassem a Austria

Leia mais

Rússia vende sistema antimíssil para o Irã

Rússia vende sistema antimíssil para o Irã Rússia vende sistema antimíssil para o Irã Resenha Segurança Raphael Rezende Esteves 09 de março de 2007 1 Rússia vende sistema antimíssil para o Irã Resenha Segurança Raphael Rezende Esteves 09 de março

Leia mais

ATUDALIDADES - Conflitos na Atualidade

ATUDALIDADES - Conflitos na Atualidade ATUDALIDADES - Conflitos na Atualidade Origem dos povos ORIENTE MÉDIO: Conflitos árabes-israelenses: 1948 Independência de Israel 1949 Guerras da Independência 1956 Crise de Suez 1964 Criação da OLP` 1967

Leia mais

TEMA 6 O AVANÇO DOS ALIADOS. Os combates decisivos entre as tropas do Eixo e as forças aliadas foram travados em território soviético.

TEMA 6 O AVANÇO DOS ALIADOS. Os combates decisivos entre as tropas do Eixo e as forças aliadas foram travados em território soviético. TEMA 6 O AVANÇO DOS ALIADOS Os combates decisivos entre as tropas do Eixo e as forças aliadas foram travados em território soviético. A operação Barbarossa A operação Barbarossa era a invasão da União

Leia mais

Eleições dos EUA: possíveis cenários e impactos mundiais

Eleições dos EUA: possíveis cenários e impactos mundiais Eleições dos EUA: possíveis cenários e impactos mundiais Análise Segurança / Desenvolvimento Vinícius Alvarenga 29 de outubro de 2004 1 Eleições dos EUA: possíveis cenários e impactos mundiais Análise

Leia mais

Conflito do Tibete. Resenha Segurança

Conflito do Tibete. Resenha Segurança Conflito do Tibete Resenha Segurança Ana Caroline Medeiros Maia 1 de abril de 2008 Conflito do Tibete Resenha Segurança Ana Caroline Medeiros Maia 1 de abril de 2008 O Tibete voltou a ser palco de conflitos

Leia mais

RELATÓRIO Nº, DE 2010

RELATÓRIO Nº, DE 2010 RELATÓRIO Nº, DE 2010 Da COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DEFESA NACIONAL, sobre a Mensagem nº 64, de 2010 (Mensagem 69, de 25/2/2010, na origem), do Presidente da República, que submete à apreciação

Leia mais

TEMA I A EUROPA E O MUNDO NO LIMIAR DO SÉC. XX

TEMA I A EUROPA E O MUNDO NO LIMIAR DO SÉC. XX TEMA I A EUROPA E O MUNDO NO LIMIAR DO SÉC. XX A supremacia Europeia sobre o Mundo A Europa assumia-se como 1ª potência Mundial DOMÍNIO POLÍTICO Inglaterra, França, Alemanha, Portugal e outras potências

Leia mais

ISRAEL E A QUESTÃO PALESTINA

ISRAEL E A QUESTÃO PALESTINA ISRAEL E A QUESTÃO PALESTINA Origem do Judaísmo Os relatos bíblicos são a principal fonte de informações para entender as origens dos judeus. Segundo a Bíblia, Abraão recebeu de Deus a missão de levar

Leia mais

RELATÓRIO Nº, DE 2013

RELATÓRIO Nº, DE 2013 RELATÓRIO Nº, DE 2013 Da COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DEFESA NACIONAL, sobre a Mensagem nº 10, de 2013 (nº 28, de 1º de fevereiro de 2013, na origem), da Presidente da República, que submete à apreciação

Leia mais

MNE DGAE. Tratado de Lisboa. A Europa rumo ao século XXI

MNE DGAE. Tratado de Lisboa. A Europa rumo ao século XXI Tratado de Lisboa A Europa rumo ao século XXI O Tratado de Lisboa Índice 1. Contextualização 1.1. Porquê um novo Tratado? 1.2. Como surgiu o Tratado de Lisboa? 2. O que mudará com o Tratado de Lisboa?

Leia mais

EUA e Grã-Bretanha preparam plano de intervenção militar na Líbia 1

EUA e Grã-Bretanha preparam plano de intervenção militar na Líbia 1 EUA e Grã-Bretanha preparam plano de intervenção militar na Líbia 1 Ann Talbot Os Estados Unidos e Grã-Bretanha deram um passo para a intervenção militar direta contra a Líbia, terça-feira (08-03), quando

Leia mais

POLÍTICA EXTERNA, DEMOCRACIA. DESENVOLVIMENTO

POLÍTICA EXTERNA, DEMOCRACIA. DESENVOLVIMENTO POLÍTICA EXTERNA, DEMOCRACIA. DESENVOLVIMENTO GESTÃO do MÍNÍSTRO CEISO AMORÍM NO itamaraty AqosTO 95A DEZEMBRO 94 / FUNDAÇÃO ALEXANDRE DE GUSMÃO Brasília 1995 Tricentenário do nascimento de Alexandre de

Leia mais

Oriente Médio. Geografia Monitor: Renata Carvalho e Eduardo Nogueira 21, 24 e 25/10/2014. Material de Apoio para Monitoria

Oriente Médio. Geografia Monitor: Renata Carvalho e Eduardo Nogueira 21, 24 e 25/10/2014. Material de Apoio para Monitoria Oriente Médio 1.(VEST - RIO) A Guerra do Líbano, o conflito Irã/ Iraque, a questão Palestina, a Guerra do Golfo, são alguns dos conflitos que marcam ou marcaram o Oriente Médio. Das alternativas abaixo,

Leia mais

SIMULAÇÃO NACIONAL DOS ORGANIZADORES DE MODELOS DAS NAÇÕES UNIDAS MODELOS DE DOCUMENTOS

SIMULAÇÃO NACIONAL DOS ORGANIZADORES DE MODELOS DAS NAÇÕES UNIDAS MODELOS DE DOCUMENTOS SIMULAÇÃO NACIONAL DOS ORGANIZADORES DE MODELOS DAS NAÇÕES UNIDAS MODELOS DE DOCUMENTOS Fortaleza/CE, 2015 Senhores Delegados, As simulações de organizações internacionais são, em sua essência, exercícios

Leia mais

Geografia Professor Luiz plantaogeografico@yahoo.com.br. Movimentos Separatistas na Europa. 9ºs A e B

Geografia Professor Luiz plantaogeografico@yahoo.com.br. Movimentos Separatistas na Europa. 9ºs A e B Geografia Professor Luiz plantaogeografico@yahoo.com.br Movimentos Separatistas na Europa 9ºs A e B Separatismos no Espaço da Ex- Iugoslávia As instabilidades que desencadearam os movimentos separatistas

Leia mais

Protestos em Mianmar Nações Unidas

Protestos em Mianmar Nações Unidas Protestos em Mianmar Nações Unidas AnSegurançaCar Resenha Segurança Celeste Cristina Machado Badaró 02 de outubro de 2007 Protestos em Mianmar Resenha Segurança Celeste Cristina Machado Badaró 02 de outubro

Leia mais

VERSÃO PRELIMINAR ACORDO INTERGOVERNAMENTAL SOBRE A REDE TRANSAFRICANA DE AUTOESTRADAS

VERSÃO PRELIMINAR ACORDO INTERGOVERNAMENTAL SOBRE A REDE TRANSAFRICANA DE AUTOESTRADAS VERSÃO PRELIMINAR ACORDO INTERGOVERNAMENTAL SOBRE A REDE TRANSAFRICANA DE AUTOESTRADAS ACORDO INTERGOVERNAMENTAL SOBRE A REDE TRANSAFRICANA DE AUTOESTRADAS PREÂMBULO Considerando o Ato Constitutivo da

Leia mais

Século XXI. Sobre a cultura islâmica após os atentados de 11 de setembro. Palavras amáveis não custam nada e conseguem muito.

Século XXI. Sobre a cultura islâmica após os atentados de 11 de setembro. Palavras amáveis não custam nada e conseguem muito. Século XXI Oficialmente, o século XXI, inicia-se cronologicamente no final do ano 2000. Historicamente podemos destacar que os eventos que aconteceram um ano após a entrada do novo milênio marcam a chegada

Leia mais

Israel e o mundo Árabe

Israel e o mundo Árabe Israel e o mundo Árabe Leonardo Herms Maia¹ Regina Cohen Barros² Para uma compreensão espacial e econômica deste assunto, irei abordar temas principais que nos mostram como Israel se tornou uma grande

Leia mais

A América Central continental Guatemala, Costa Rica, Honduras, Nicarágua e El Salvador já foram parte do

A América Central continental Guatemala, Costa Rica, Honduras, Nicarágua e El Salvador já foram parte do p. 110 A América Central continental Guatemala, Costa Rica, Honduras, Nicarágua e El Salvador já foram parte do México até sua independência a partir de 1823; Em 1839 tornam-se independentes fracasso da

Leia mais

A PAZ ENTRE PALESTINOS E ISRAELENSES CONTINUA DISTANTE

A PAZ ENTRE PALESTINOS E ISRAELENSES CONTINUA DISTANTE Aumentar a fonte Diminuir a fonte MUNDO ÁRABE A PAZ ENTRE PALESTINOS E ISRAELENSES CONTINUA DISTANTE Apesar da vitória diplomática palestina na ONU, a existência de um Estado fica difícil com os novos

Leia mais

implementação do Programa de Ação para a Segunda Década de Combate ao Racismo e à Discriminação Racial,

implementação do Programa de Ação para a Segunda Década de Combate ao Racismo e à Discriminação Racial, 192 Assembleia Geral 39 a Sessão suas políticas internas e exteriores segundo as disposições básicas da Convenção, Tendo em mente o fato de que a Convenção está sendo implementada em diferentes condições

Leia mais

Convenção Internacional sobre a Supressão e Punição do Crime de Apartheid

Convenção Internacional sobre a Supressão e Punição do Crime de Apartheid Convenção Internacional sobre a Supressão e Punição do Crime de Apartheid INTRODUÇÃO A Convenção Apartheid foi aprovado pela Assembléia Geral da ONU em 1973, mas com um grande número de abstenções por

Leia mais

Irlanda vota contra o Tratado de Lisboa. Resenha Integração Regional

Irlanda vota contra o Tratado de Lisboa. Resenha Integração Regional Irlanda vota contra o Tratado de Lisboa Resenha Integração Regional Diego Cristóvão Alves de Souza Paes 17 de junho de 2008 Irlanda vota contra o Tratado de Lisboa Resenha Integração Regional Diego Cristóvão

Leia mais

(C) A expressão "princípio olímpico", o princípio de que nenhum discriminação seja permitido por razões de raça, religião ou afiliação política;

(C) A expressão princípio olímpico, o princípio de que nenhum discriminação seja permitido por razões de raça, religião ou afiliação política; Convenção Internacional contra o Apartheid nos Esportes, GA res. 40/64 G, 40 Supp UNGAOR (No. 53) a 37, a ONU A/40/53 Doc (1986), entrou em vigor 03 de abril de 1988 Os Estados Partes da presente Convenção,

Leia mais

Síria: Possível intervenção armada internacional após alegado ataque com armas químicas

Síria: Possível intervenção armada internacional após alegado ataque com armas químicas Síria: Possível intervenção armada internacional após alegado ataque com armas químicas Introdução Nos últimos dias, vários governos assinalaram a intenção de intervir militarmente contra o governo Sírio,

Leia mais

Junto se enviam, à atenção das delegações, as conclusões adotadas pelo Conselho Europeu na reunião em epígrafe.

Junto se enviam, à atenção das delegações, as conclusões adotadas pelo Conselho Europeu na reunião em epígrafe. Conselho Europeu Bruxelas, 18 de dezembro de 2015 (OR. en) EUCO 28/15 CO EUR 13 CONCL 5 NOTA DE ENVIO de: Secretariado-Geral do Conselho para: Delegações Assunto: Reunião do Conselho Europeu (17 e 18 de

Leia mais

COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE)

COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE) COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE) DÉCIMO PERÍODO ORDINÁRIO DE SESSÕES OEA/Ser.L/X.2.10 17 a 19 de março de 2010 CICTE/DEC.1/10 Washington, D.C. 19 março 2010 Original: inglês DECLARAÇÃO

Leia mais

CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS Próximo HISTÓRIA GUERRAS E CRISES: MARCAS DO SÉCULO XX. Caderno 9» Capítulo 1. www.sejaetico.com.

CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS Próximo HISTÓRIA GUERRAS E CRISES: MARCAS DO SÉCULO XX. Caderno 9» Capítulo 1. www.sejaetico.com. CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS HISTÓRIA GUERRAS E CRISES: MARCAS DO SÉCULO XX Caderno 9» Capítulo 1 www.sejaetico.com.br CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS A Primeira Guerra Mundial (1914-1918) Caderno

Leia mais

O conflito interno entre palestinos: Hamas e Fatah. Resenha Segurança

O conflito interno entre palestinos: Hamas e Fatah. Resenha Segurança O conflito interno entre palestinos: Hamas e Fatah Resenha Segurança Lígia Franco Prados Mello 09 de julho de 2007 1 O conflito interno entre palestinos: Hamas e Fatah Resenha Segurança Lígia Franco Prados

Leia mais

Junto se enviam, à atenção das delegações, as conclusões adotadas pelo Conselho Europeu na reunião em epígrafe.

Junto se enviam, à atenção das delegações, as conclusões adotadas pelo Conselho Europeu na reunião em epígrafe. Conselho Europeu Bruxelas, 30 de agosto de 2014 (OR. en) EUCO 163/14 CO EUR 11 CONCL 4 NOTA DE ENVIO de: Secretariado-Geral do Conselho para: Delegações Assunto: Reunião Extraordinária do Conselho Europeu

Leia mais

A formação do Estado de Israel

A formação do Estado de Israel A formação do Estado de Israel 1946: 500 mil judeus na Palestina querem a independência de Israel do domínio britânico Aumento da tensão entre israelenses e ingleses: centenas de ataques de judeus a britânicos

Leia mais

A Defesa Anti-Míssil e a Segurança da Europa

A Defesa Anti-Míssil e a Segurança da Europa A Defesa Anti-Míssil e a Segurança da Europa Marcelo Rech, Editor do InfoRel. inforel@inforel.org O aumento da potência militar próxima da fronteira da Rússia não vai contribuir para o fortalecimento das

Leia mais

Recursos para Estudo / Atividades

Recursos para Estudo / Atividades COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 2ª Etapa 2014 Disciplina: Geografia Série: 1ª Professor : Carlos Alexandre Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

Análise Semanal. Edição nº 23 10/07/15 CONJUNTURA ECONÔMICA. Mais um plano

Análise Semanal. Edição nº 23 10/07/15 CONJUNTURA ECONÔMICA. Mais um plano Mais um plano CONJUNTURA ECONÔMICA A chave da agenda positiva tão perseguida pelo governo federal em tempos de crise política e volta da inflação parece ser a preservação dos empregos. Na última terça-feira

Leia mais

ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA Causas da Hegemonia atual dos EUA Hegemonia dos EUA Influência Cultural: músicas, alimentações, vestuários e língua Poderio Econômico: 20% do PIB global Capacidade Militar sem

Leia mais

DÉCADA DE 70. Eventos marcantes: Guerra do Vietnã Watergate Crise do Petróleo Revolução Iraniana

DÉCADA DE 70. Eventos marcantes: Guerra do Vietnã Watergate Crise do Petróleo Revolução Iraniana Eventos marcantes: Guerra do Vietnã Watergate Crise do Petróleo Revolução Iraniana GUERRA DO VIETNÃ Após o fim da Guerra da Indochina (1954), Vietnã é dividido na altura do paralelo 17: Norte: república

Leia mais

PROJETO DE RELATÓRIO

PROJETO DE RELATÓRIO Assembleia Parlamentar Paritária ACP-UE Comissão dos Assuntos Políticos 31.7.2014 PROJETO DE RELATÓRIO sobre o desafio da reconciliação nacional nos países em situação de pósconflito e de pós-crise Correlatores:

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org TERRA EM TRANSE POVO EM DESESPERO Relatos e reflexões a partir de uma viagem a Jerusalém e territórios

Leia mais

ANÍBAL. Autobiografia Política

ANÍBAL. Autobiografia Política A 376546 ANÍBAL Autobiografia Política VOLUME 2 Os anos de governo em maioria Temas ^ debates INOICE Prefácio 11 l. a PARTE A PRIMEIRA MAIORIA (1987-1991) I O meu segundo Governo 1. A estrutura orgânica

Leia mais

Junto se enviam, à atenção das delegações, as conclusões adotadas pelo Conselho Europeu na reunião em epígrafe.

Junto se enviam, à atenção das delegações, as conclusões adotadas pelo Conselho Europeu na reunião em epígrafe. Conselho Europeu Bruxelas, 20 de março de 2015 (OR. en) EUCO 11/15 CO EUR 1 CONCL 1 NOTA DE ENVIO de: Secretariado-Geral do Conselho para: Delegações Assunto: Reunião do Conselho Europeu (19 e 20 de março

Leia mais

A RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA EM MATÉRIA DE POLÍTICA INTERNACIONAL. Fábio Konder Comparato *

A RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA EM MATÉRIA DE POLÍTICA INTERNACIONAL. Fábio Konder Comparato * A RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA EM MATÉRIA DE POLÍTICA INTERNACIONAL Fábio Konder Comparato * Dispõe a Constituição em vigor, segundo o modelo por nós copiado dos Estados Unidos, competir

Leia mais

CSNU Tema: "A influência russa sobre as ex-repúblicas soviéticas."

CSNU Tema: A influência russa sobre as ex-repúblicas soviéticas. CSNU 1 PoliONU 2015 CSNU Tema: "A influência russa sobre as ex-repúblicas soviéticas." Bruno Arantes Fernanda Marinho Ricardo Bitter Thomaz Sardinha CSNU 2 PoliONU 2015 Sumário Carta aos Delegados... 5

Leia mais

O Complexo Jogo dos Espaços Mundiais

O Complexo Jogo dos Espaços Mundiais O Complexo Jogo dos Espaços Mundiais O Mundo está fragmentado em centenas de países, mas ao mesmo tempo, os países se agrupam a partir de interesses em comum. Esses agrupamentos, embora não deixem de refletir

Leia mais

Junto se enviam, à atenção das delegações, as conclusões adotadas pelo Conselho Europeu na reunião em epígrafe.

Junto se enviam, à atenção das delegações, as conclusões adotadas pelo Conselho Europeu na reunião em epígrafe. Conselho Europeu Bruxelas, 26 de junho de 2015 (OR. en) EUCO 22/15 CO EUR 8 CONCL 3 NOTA DE ENVIO de: Secretariado-Geral do Conselho para: Delegações Assunto: Reunião do Conselho Europeu (25 e 26 de junho

Leia mais

Decreto nº 77.374, de 01.04.76

Decreto nº 77.374, de 01.04.76 Decreto nº 77.374, de 01.04.76 Promulga a Convenção sobre a Proibição do Desenvolvimento, Produção e Estocagem de Armas Bacteriológicas (Biológicas) e à Base de toxinas e sua Destruição. O PRESIDENTE DA

Leia mais

Oriente Médio Oceania

Oriente Médio Oceania 1 Fonte: Para viver juntos: Geografia, 9º ano: ensino fundamental. São Paulo: Edições SM, 2008, p. 206. O mapa acima nos mostra uma região que tem sido motivo de disputas e conflitos entre os europeus

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Michael Haradom - www.shalomsalampaz.org - ssp@shalomsalampaz.org tel (11) 3031.0944 - fax (11)

Leia mais

A visita de Shimon Peres ao Brasil e a relação brasileira com o Oriente Médio

A visita de Shimon Peres ao Brasil e a relação brasileira com o Oriente Médio A visita de Shimon Peres ao Brasil e a relação brasileira com o Oriente Médio Análise Desenvolvimento Jéssica Silva Fernandes 15 de dezembro de 2009 A visita de Shimon Peres ao Brasil e a relação brasileira

Leia mais

Da coexistência internacional à cooperação multilateral: o papel da ONU e da OMC nas relações internacionais

Da coexistência internacional à cooperação multilateral: o papel da ONU e da OMC nas relações internacionais Da coexistência internacional à cooperação multilateral: o papel da ONU e da OMC nas relações internacionais A Cooperação Internacional tem por objetivo conduzir o conjunto de atores que agem no cenário

Leia mais

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 4 A 10 DE AGOSTO SEMANA 4 A 10 DE AGOSTO. Material: Raquel Basilone

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 4 A 10 DE AGOSTO SEMANA 4 A 10 DE AGOSTO. Material: Raquel Basilone Obama lança plano contra efeito estufa Israel aumenta repressão aos extremistas judeus após críticas ATUALIDADES PROFESSOR MARCOS JOSÉ Material: Raquel Basilone Donald Trump ameaça ser candidato independente

Leia mais

O comércio de armas entre Moscou e Damasco e seus impactos políticos no Oriente Médio. Análise Segurança

O comércio de armas entre Moscou e Damasco e seus impactos políticos no Oriente Médio. Análise Segurança O comércio de armas entre Moscou e Damasco e seus impactos políticos no Oriente Médio Análise Segurança Daniel Ferreira Mendes 11 de abril de 2005 O comércio de armas entre Moscou e Damasco e seus impactos

Leia mais

Projeto de Simulação do Conselho de Segurança das Nações Unidas - SIMULREL

Projeto de Simulação do Conselho de Segurança das Nações Unidas - SIMULREL Projeto de Simulação do Conselho de Segurança das Nações Unidas - SIMULREL Idealizador: Curso de Relações Internacionais Centro Universitário de Brasília UNICEUB Responsável: Fernando Paiva Monitor do

Leia mais

Posição da PERCO - Necessidade de criar vias de acesso legais de protecção internacional dentro da União Europeia

Posição da PERCO - Necessidade de criar vias de acesso legais de protecção internacional dentro da União Europeia Posição da PERCO - Necessidade de criar vias de acesso legais de protecção internacional dentro da União Europeia Aprovado na Assembleia Geral Ordinária PERCO no Chipre - 2012 Em Outubro de 2011, a PERCO,

Leia mais

CARREIRAS DIPLOMÁTICAS Disciplina: Política Internacional Prof. Diego Araujo Campos Tratado Sobre a Não Proliferação de Armas Nucleares

CARREIRAS DIPLOMÁTICAS Disciplina: Política Internacional Prof. Diego Araujo Campos Tratado Sobre a Não Proliferação de Armas Nucleares CARREIRAS DIPLOMÁTICAS Disciplina: Política Internacional Prof. Diego Araujo Campos Tratado Sobre a Não Proliferação de Armas Nucleares MATERIAL DE APOIO MONITORIA Tratado Sobre a Não Proliferação de Armas

Leia mais

Política externa alemã: continuidade, mudança e a sombra do passado

Política externa alemã: continuidade, mudança e a sombra do passado Política externa alemã: continuidade, mudança e a sombra do passado Análise Desenvolvimento Vinícius Tavares de Oliveira 01 de Julho de 2010 Política externa alemã: continuidade, mudança e a sombra do

Leia mais

total pelo ofensiva controlo de Alepo guerra A batalha de Alepo atingiu o

total pelo ofensiva controlo de Alepo guerra A batalha de Alepo atingiu o Exército ofensiva controlo sírio lança total pelo de Alepo guerra A batalha de Alepo atingiu o seu ponto crucial. Com 20 mil homens, tanques e blindados, o regime de Assad quer reconquistar bairro de Salaheddine

Leia mais

COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E DOS ESTADOS ASSOCIADOS DECLARAÇÃO DE OURO PRETO

COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E DOS ESTADOS ASSOCIADOS DECLARAÇÃO DE OURO PRETO COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E DOS ESTADOS ASSOCIADOS DECLARAÇÃO DE OURO PRETO Os Presidentes dos Estados Partes do MERCOSUL e dos Estados Associados, reunidos na

Leia mais

A Guerra dos Seis Dias

A Guerra dos Seis Dias A Guerra dos Seis Dias Desde o fim da Segunda Guerra Mundial e da criação do Estado de Israel em 1948 que o Oriente Médio vive em uma constante tensão bélica por conta das inúmeras discordâncias entre

Leia mais

Guerra da Coreia: 1950-53

Guerra da Coreia: 1950-53 Guerra da Coreia: 1950-53 Esteve dominada pelo Japão durante a segunda guerra e foi dívida entre norteamericanos e soviéticos em 1945, na conferência de Yalta, pelo paralelo 38. Essa divisão era provisória

Leia mais

Professor Thiago Espindula - Geografia. África

Professor Thiago Espindula - Geografia. África África A seguir, representação cartográfica que demonstra a localização da África, em relação ao mundo. (Fonte: www.altona.com.br) Europeus partilham a África A Conferência de Berlim, entre 1884 e 1885,

Leia mais

A ascensão dos subdesenvolvidos. Geografia Professor Daniel Nogueira

A ascensão dos subdesenvolvidos. Geografia Professor Daniel Nogueira GE GRAFIA A ascensão dos subdesenvolvidos Geografia Professor Daniel Nogueira Os grupos econômicos são grupos de países com comportamento econômico específico. Geralmente economias com aspectos semelhantes.

Leia mais

27/02/2015 Fechar embaixadas seria retrocesso impraticável, diz Celso Amorim - 22/02/2015 - Mundo - Folha de S.Paulo

27/02/2015 Fechar embaixadas seria retrocesso impraticável, diz Celso Amorim - 22/02/2015 - Mundo - Folha de S.Paulo Fechar embaixadas seria retrocesso impraticável, diz Celso Amorim PATRÍCIA CAMPOS MELLO DE SÃO PAULO 22/02/2015 02h00 Fechar embaixadas e consulados do Brasil no exterior seria um "retrocesso impraticável",

Leia mais

Entre a Rússia, a União Europeia e os EUA Prof. Alan Carlos Ghedini

Entre a Rússia, a União Europeia e os EUA Prof. Alan Carlos Ghedini A Crise na Ucrânia Entre a Rússia, a União Europeia e os EUA Prof. Alan Carlos Ghedini Em 2004, a Revolução Laranja Em 2004 uma série de protestos tomava conta da Ucrânia, motivados por denúncias de corrupção

Leia mais