PROGRAMAÇÃO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMAÇÃO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS"

Transcrição

1 CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ Curso: Licenciatura Plena em Ciências Biológicas Projeto de Estágio Supervisionado do curso de Ciências Biológicas Profa.: Angela Martins Baeder 2005 PROGRAMAÇÃO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS Este documento visa orientar o desenvolvimento das atividades vinculadas ao estágio, como parte do curso de Licenciatura Plena em Ciências Biológicas. Ressalta-se que não terá seu curso concluído o aluno que não cumprir essa exigência legal. O projeto pedagógico deverá constar do planejamento da disciplina e do projeto de estágio do curso de Ciências Biológicas. O produto e/ou registro das atividades complementares deverão ser encaminhados para o professor de Prática de Ensino. Segundo a Lei Federal de Diretrizes e Bases 9394 de 20/12/96, artigo 65, a carga horária de Prática de Ensino e estágio supervisionado deve ser de 300 HORAS. De acordo com a resolução 12/97 do Conselho Estadual de Educação, a Prática de Ensino deve ser compreendida de maneira mais ampla, incluindo Noções Teóricas de Prática de Ensino e o Estágio Supervisionado, propriamente dito. Tendo em vista as necessidades específicas das áreas de Biologia e de Ciências, as determinações legais e todo o debate acerca da formação de professores, serão consideradas válidas, para o cumprimento das 300 horas, as atividades realizadas na escola, onde será efetivado o estágio supervisionado propriamente dito, e as atividades de enriquecimento da prática pedagógica, conforme detalhamento ao longo deste documento, desenvolvidas fora do espaço da escola de estágio, com a seguinte distribuição de cargas horárias:

2 A. Prática de Ensino na forma de Estágio Supervisionado - ações desenvolvidas nas escolas 1. Observação, participação e regência: aulas de ciências (Ensino Fundamental ) 2. Observação, participação e regência: aulas de biologia (Ensino Médio) 90 horas 60 horas Total : carga horária MÍNIMA na escola 150 horas 1 B. Atividades de Prática de Ensino, realizadas fora das escolas de opção de estágio enriquecimento pedagógico 1. Relatório final de estágio até 20 horas 2. Participação em congressos e encontros de interesse para o enriquecimento da prática docente, tais como: Semana de Ciências na FSA; Encontros da SBPC, quando forem expostos trabalhos relacionados à prática educativa; participação nos encontros de Perspectivas de Ensino de Biologia e outros encontros e/ou cursos em outras instituições, vinculados à prática pedagógica escolar até 96 horas 3. Carga horária das aulas de prática de ensino, proporcionalmente à freqüência do aluno, como parte das Noções Teóricas de Prática de Ensino. 100 % de frequência até 68 horas 4. Preparação de atividades e materiais didáticos para o estágio supervisionado e para as atividades na graduação - Disciplinas com 2 (duas) h/a semanais até 10 horas - Disciplinas com 4 (quatro) h/a semanais até 20 horas 1 O aluno poderá integralizar a carga total do estágio 300 horas na escola de sua opção, seguindo as orientações detalhadas neste documento, sobre as atividades nesse espaço e sobre o relatório final.

3 5. Desenvolvimento de projetos educativos. - Disciplinas com 2 (duas) h/a semanais até 10 horas - Disciplinas com 4 (quatro) h/a semanais até 20 horas Total: carga horária fora da escola variável OBS.: O Professor da disciplina de Prática de Ensino, deverá contribuir com as demais disciplinas, para que possam atender as peculiaridades do Estágio Supervisionado. A soma dos itens A (na escola) e B (fora da escola) deverá ser de, no mínimo, 300 horas. DETALHAMENTO DAS ATIVIDADES A. ATIVIDADES NA ESCOLA Antes de caracterizar as atividades do Estágio Supervisionado a serem desenvolvidas na escola, merecem destaque os seguintes aspectos: Os contatos iniciais são extremamente importantes para que haja antes de mais nada, uma relação de confiança entre o estagiário, o professor monitor (que vai se responsabilizar pelo estágio, na escola), os alunos, a direção, enfim todos os que fazem parte da vida nesse espaço. No reconhecimento da escola, é interessante manter observações nos vários espaços (lanchonete, pátio, jardim etc.) Na sala de aula, é interessante identificar situações inesperadas que indicam dificuldades de alunos e de professores. Também é possível perceber momentos de enriquecimento do trabalho pedagógico, de maior envolvimento dos alunos, de soluções de conflitos e construção de processos positivos para a classe.

4 1. Reconhecimento/caracterização da escola a) Identificação das dependências físicas e de seu estado de conservação (áreas externas como jardim, espaço para horta, viveiro etc.; áreas internas: sala ambiente; laboratórios, pátios, salas de aula, biblioteca etc.) Devem ser observadas as marcas de utilização desses espaços, que tipo de intervenção dos alunos estão presentes: eles cuidam dos jardins, de murais, há pichação, desenhos nas paredes etc. b) Relação escola-comunidade: Características físicas do bairro Caracterização econômica da clientela e acesso à cultura (se houver pesquisa já realizada pela escola, relatar as principais conclusões; se não houver, entrevistar diretora, professores ou os próprios alunos.) Quais os espaços específicos para essa interação e participação dos pais na dinâmica da escola (APM, conselho da escola,, reuniões com professores etc.). Indicar a composição do quadro administrativo. c) Do ponto de vista pedagógico, propriamente, ler o Pano Escolar identificando os principais objetivos do projeto político pedagógico, as principais idéias; indicar a freqüência das reuniões pedagógicas; os eventos culturais; como se dá o apoio às atividades extra-classe, tais como excursões ou Estudos do Meio. 2. Reconhecendo o trabalho do professor, na disciplina a) Contato inicial e encontros com o professor monitor (Observação) b) Estratégias/modalidades didáticas usadas pelo professor (Observação) c) Análise geral da relação professor-alunos e do professor com as outras pessoas da escola (Observação) d) Análise do plano anual da disciplina e) Análise do material didático utilizado 3. Participação auxilio ao trabalho do professor, podendo englobar: a) Orientação dos alunos para trabalhos em grupos (exercícios, seminários etc) b) Elaboração de material didático para as aulas

5 c) Monitoria dos alunos, junto com o professor, nos trabalhos de campo d) Monitoria dos alunos, junto com o professor, nos trabalhos em laboratórios e) Orientação para desenvolvimento de projetos 4. Regência qualquer tipo de atuação como regente de classe: a) Aulas expositivas b) Aulas em laboratório c) Aulas em espaços externos e/ou excursões d) Aulas de reforço B. ATIVIDADES FORA DA ESCOLA 1. Relatório final O Relatório Final do estágio é relativo às atividades desenvolvidas dentro da escola do estágio, propriamente dito. Ele deve explicitar as condições de realização do estágio, o contexto da comunidade escolar, as situações nos vários momentos da vida escolar: intervalo das aulas, convívio dentro e fora da classe e outros. O relatório deve conter as seguintes itens. a) Introdução. Situação geral em que ocorreu o estágio: indicação da escola e sua localização, se é pública ou particular, do período em que foi realizado, do total da carga horária efetivada, das classes acompanhadas e outras informações gerais sobre o estágio. Apontar se havia vínculo anterior ao estágio (ex.: o estagiário é ex aluno?) Se possível, incluir ilustrações. b) Desenvolvimento do estágio Fazer uma descrição analítica do desenvolvimento do estágio. Tomar como base as indicações do item acima: DETALHAMENTO DAS ATIVIDADES - Atividades na Escola desde os três aspectos em destaque no início desse item até as atividades desenvolvidas pelo estagiário, durante as aulas Regência. c) Conclusão O estagiário deve fazer uma avaliação geral do estágio, apontando os aspectos mais importantes reconhecidos nos processos de ensino aprendizagem na

6 escola, o que esperava do estágio, o que foi interessante aprender com sua realização o que poderia ter sido melhor desenvolvido. 2. Participação em congressos e encontros, para o enriquecimento da prática docente. A participação nesses eventos será avaliada caso a caso, de acordo com o critério da importância para a futura prática docente do estagiário. a) Sobre a Semana de Ciências: Para a atividade de dramatização, desenvolvida no 1 ano da graduação, não há necessidade de comprovação, computando 24 h/a. Para as outras atividades há necessidade de apresentação de certificados e, no caso de palestras sem vínculo direto com a prática pedagógica, há necessidade de apresentação de breve relato sobre sua importância para a futura prática pedagógica. A participação na organização da Semana de Ciências será computada com no máximo 30 horas, dependendo do tipo de participação. b) Sobre outros eventos: só serão considerados os eventos vinculados à prática educativa. 3. Carga horária das aulas de prática de ensino: haverá desconto de carga horária para os alunos que tiverem mais que 10 % de faltas às aulas. 4. Preparação de atividades e materiais didáticos para o estágio Será considerado o tempo despendido para elaboração de materiais, dependendo de uma análise prévia. 5. Desenvolvimento de projetos educativos, na disciplina de Prática Na disciplina são desenvolvidos projetos pedagógicos, ao longo do curso. No final do ano, haverá o cômputo geral de horas despendidas fora da sala de aula, para seu desenvolvimento.

FACULDADES INTEGRADAS DE RIBEIRÃO PIRES

FACULDADES INTEGRADAS DE RIBEIRÃO PIRES FACULDADES INTEGRADAS DE RIBEIRÃO PIRES CURSO DEMATEMÁTICA - LICENCIATURA Versão 2016.1 Manual de Estágio Supervisionado Ribeirão Pires Prezado acadêmico Este manual destina-se a orientar o aluno de Licenciatura

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS UNICRUZ - UNIVERSIDADE DE CRUZ ALTA CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS UNICRUZ - UNIVERSIDADE DE CRUZ ALTA CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS UNICRUZ - UNIVERSIDADE DE CRUZ ALTA CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES Art. 1º - O presente regulamento estabelece as normas para a efetivação

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA TITULO I DO ESTÁGIO E SEUS OBJETIVOS

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA TITULO I DO ESTÁGIO E SEUS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA TITULO I DO ESTÁGIO E SEUS OBJETIVOS CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO E ABRANGÊNCIA ART. 1º - Denomina-se

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio PLANO DE ENSINO Curso Disciplina/Carga horária Professor Responsável Licenciatura em Matemática ESTG 04- Estágio Supervisionado IV (150h.a) Nome: Marleide Coan Cardoso email:marleide@ifc-sombrio.edu.br

Leia mais

PEDAGOGIA MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO. 2º Semestre de 2012

PEDAGOGIA MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO. 2º Semestre de 2012 PEDAGOGIA MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 2º Semestre de 2012 COORDENAÇÃO GERAL Diretor Geral Prof. Adalberto Miranda Distassi Coordenadoria Geral de Estágios Prof. Ricardo Constante Martins Coordenador

Leia mais

Supervisão de Estágios

Supervisão de Estágios Supervisão de s Orientações ao estagiários A Coordenação de Curso tem como objetivos, orientar, esclarecer e fazer o encaminhamento documental do estágio, de forma a viabilizar a realização do estágio

Leia mais

ANEXO D - REGULAMENTO DE AAC (ATIVIDADE ACADÊMICA COMPLEMENTAR)

ANEXO D - REGULAMENTO DE AAC (ATIVIDADE ACADÊMICA COMPLEMENTAR) ANEXO D - REGULAMENTO DE AAC (ATIVIDADE ACADÊMICA COMPLEMENTAR) REGIMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - SEMESTRAL DA FACULDADE DE APUCARANA-FAP

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUIMICA SECÃO I

INSTRUÇÃO NORMATIVA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUIMICA SECÃO I INSTRUÇÃO NORMATIVA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUIMICA SECÃO I DA DEFINIÇÃO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º - A Coordenação do Curso de Licenciatura em Química da UTFPR Campus

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Programa de Estágio Supervisionado Obrigatório

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Programa de Estágio Supervisionado Obrigatório UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA Programa de Estágio Supervisionado Obrigatório Curso de Licenciatura em Educação Física Ingressantes

Leia mais

REGIMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS-LIBRAS

REGIMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS-LIBRAS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA NÚCLEO DE CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE LIBRAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS LIBRAS REGIMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES

Leia mais

1.1.1 O que é o Estágio?

1.1.1 O que é o Estágio? 1.1 Estágio Curricular supervisionado Todo o Projeto de estágio e suas considerações foram elaborados pela Professora Fabiana Chinaglia. Abaixo segue o projeto, os anexos podem ser vistos no caderno de

Leia mais

Faculdade Processus REGULAMENTO DO PROJETO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE PROCESSUS

Faculdade Processus REGULAMENTO DO PROJETO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE PROCESSUS REGULAMENTO DO PROJETO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE PROCESSUS Dispõe sobre a oferta de atividades de Monitoria no curso de graduação da Faculdade Processus e dá outras providências.

Leia mais

Orientações - Estágio Curricular Obrigatório

Orientações - Estágio Curricular Obrigatório Orientações - Estágio Curricular Obrigatório 1. Apresentação O estágio curricular é obrigatório para as Licenciaturas e está baseado na seguinte Legislação: 1.A - LICENCIATURAS EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS,

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Belo Horizonte 2015 1 Prezado(a) aluno(a): Este é o Manual de Atividades Complementares do Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética do Centro Universitário

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM SECRETARIADO EXECUTIVO. Regulamento de Atividades Complementares

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM SECRETARIADO EXECUTIVO. Regulamento de Atividades Complementares CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM SECRETARIADO EXECUTIVO Regulamento de Atividades Complementares O presente Regulamento disciplina o funcionamento e o registro acadêmico das Atividades Complementares

Leia mais

Projeto de Estágio da Licenciatura em Física do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo campus Itapetininga

Projeto de Estágio da Licenciatura em Física do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo campus Itapetininga Projeto de Estágio da Licenciatura em Física do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo campus Itapetininga Este documento foi elaborado em conjunto pelos professores

Leia mais

CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REGULAMENTO- ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1

CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REGULAMENTO- ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1 CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REGULAMENTO- ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1 As Atividades Complementares constituem parte da Carga Horária do Curso de Relações Internacionais da UNIFESP Osasco, em um total

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Belo Horizonte 2017 1 Prezado(a) aluno(a): Este é o Manual de Atividades Complementares do Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética do Centro Universitário

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA DE ENSINO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA DE ENSINO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA DE ENSINO

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES REGULAMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Art. 1. Os estágios curriculares do Curso de Graduação em Psicologia do Centro Universitário Redentor são considerados como

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM SECRETARIADO EXECUTIVO Regulamento de Atividades Complementares

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM SECRETARIADO EXECUTIVO Regulamento de Atividades Complementares CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM SECRETARIADO EXECUTIVO Regulamento de Atividades Complementares O presente Regulamento disciplina o funcionamento e o registro acadêmico das Atividades Complementares

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO (PAE) ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

PLANO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO (PAE) ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSOS DE LICENCIATURAS PLANO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO (PAE) ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO 2017.2 5º. PERÍODO Diálogos com a Escola-Campo I / Prática Pedagógica V Observação do Campo de Estágio (com

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AQUICULTURA E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AQUICULTURA E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AQUICULTURA E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Diretrizes para o Estágio em Docência do Programa de Pós-Graduação em Aquicultura e Desenvolvimento Sustentável O Colegiado do Programa

Leia mais

CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E INSCRIÇÃO. Parágrafo Único Somente poderá inscrever-se no Estágio, aluno regularmente matriculado.

CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E INSCRIÇÃO. Parágrafo Único Somente poderá inscrever-se no Estágio, aluno regularmente matriculado. REGULAMENTO GERAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E INSCRIÇÃO Artigo 1º - O Estágio Supervisionado, dos Cursos de Graduação, de caráter de iniciação à prática profissional, nos termos

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO ESTÁGIO DO CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS TITULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO INTERNO DO ESTÁGIO DO CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS TITULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO INTERNO DO ESTÁGIO DO CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS TITULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Este regulamento normatiza o aproveitamento das 120 horas do Estágio do Curso de Graduação

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DE ESTAGIO CURSO DE GRADUAÇÃO EM HISTORIA LICENCIATURA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO

REGIMENTO INTERNO DE ESTAGIO CURSO DE GRADUAÇÃO EM HISTORIA LICENCIATURA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO REGIMENTO INTERNO DE ESTAGIO CURSO DE GRADUAÇÃO EM HISTORIA LICENCIATURA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Dispõe sobre o cumprimento da carga horária de Estágio Supervisionado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS APLICADAS E EDUCAÇÃO COLEGIADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS APLICADAS E EDUCAÇÃO COLEGIADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS APLICADAS E EDUCAÇÃO COLEGIADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA Portaria nº. 01/10 - CCE Regulamenta os conteúdos complementares flexíveis, fixados no

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO CIÊNCIAS DA NATUREZA LICENCIATURA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO CIÊNCIAS DA NATUREZA LICENCIATURA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO O presente regulamento normatiza o estágio curricular supervisionado do Curso Ciências da Natureza Licenciatura da Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA DMAT

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA DMAT UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA DMAT DEPARTAMENTO: Matemática PROFESSORA: Regina Helena Munhoz DISCIPLINA: Estágio Curricular Supervisionado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE QUÍMICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE QUÍMICA PROGRAMA DE ESTÁGIO Estágio é o ato educativo escolar, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo, além de integrar o processo de formação do estudante. A Comissão

Leia mais

FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE LETRAS MANUAL DE ESTÁGIO

FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE LETRAS MANUAL DE ESTÁGIO FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE LETRAS MANUAL DE ESTÁGIO 1. APRESENTAÇÃO Este manual traz as orientações necessárias ao cumprimento das atividades de Estágio Curricular Supervisionado de

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO MANTIDA PELA INSTITUIÇÃO PAULISTA DE ENSINO E CULTURA - IPEC REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO: LICENCIATURA EM PEDAGOGIA TUPÃ SP 2016 LEGISLAÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO ESTÁGIO

Leia mais

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul 13/4/ :50:57 PROGRAD - Pró-Reitoria de Graduação DICE - Divisão de Controle Escolar.

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul 13/4/ :50:57 PROGRAD - Pró-Reitoria de Graduação DICE - Divisão de Controle Escolar. INFI - INSTITUTO DE FÍSICA [2401] FÍSICA - LICENCIATURA Período Letivo: 2017/1 Disciplina: [2401.000196-1] ESTÁGIO OBRIGATÓRIO I C.H.: 136 horas Professor(es): PAULO RICARDO DA SILVA ROSA (T01) 1. Ementa:

Leia mais

Regulamentação do Estágio Supervisionado Curso de Licenciatura em História UFRRJ/Seropédica

Regulamentação do Estágio Supervisionado Curso de Licenciatura em História UFRRJ/Seropédica MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO Regulamentação do Estágio Supervisionado Curso de Licenciatura em História UFRRJ/Seropédica CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO Art. 1º. O Estágio

Leia mais

CURSO SUPERIOR TECNOLÓGICO EM SECRETARIADO Regulamento de Atividades Complementares

CURSO SUPERIOR TECNOLÓGICO EM SECRETARIADO Regulamento de Atividades Complementares CURSO SUPERIOR TECNOLÓGICO EM SECRETARIADO Regulamento de Atividades Complementares O presente Regulamento disciplina o funcionamento e o registro acadêmico das Atividades Complementares no curso superior

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO- ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS CURSO DE PEDAGOGIA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO REGULAMENTO Anápolis, 2 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E ESTUDO DE PORTO FERREIRA

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E ESTUDO DE PORTO FERREIRA ASSOCIAÇÃO DE ESCOLAS REUNIDAS ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E ESTUDO DE PORTO FERREIRA ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE TECNÓLOGO EM SISTEMAS PARA INTERNET REGULAMENTO 2 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS- CCL Coordenação do Curso de Letras

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS- CCL Coordenação do Curso de Letras REGULAMENTO DE MONITORIA TÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS OBJETIVOS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO Art. 1 o A Monitoria no Centro de Comunicação e Letras (CCL) será regida por este regulamento e corresponderá ao conjunto

Leia mais

ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO I. Educação Física LICENCIATURA Portaria de Reconhecimento nº. 428 de 28 de julho de 2014

ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO I. Educação Física LICENCIATURA Portaria de Reconhecimento nº. 428 de 28 de julho de 2014 ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO I Educação Física LICENCIATURA Portaria de Reconhecimento nº. 428 de 28 de julho de 2014 E N V E L O P E Folha de identificação*; Capa; Folha carga horária

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO (Química Industrial 4/309)

ESTÁGIO SUPERVISIONADO (Química Industrial 4/309) PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE QUÍMICA ESTÁGIO SUPERVISIONADO (Química Industrial 4/309) RESOLUÇÃO NORMATIVA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1. ASPECTOS LEGAIS DO ESTÁGIO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 075, DE 20 DE ABRIL DE 2016.

RESOLUÇÃO Nº. 075, DE 20 DE ABRIL DE 2016. RESOLUÇÃO Nº. 075, DE 20 DE ABRIL DE 2016. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS, no uso de suas atribuições legais e considerando o Parecer nº 44/2016

Leia mais

EDITAL MONITORIA 2017/2

EDITAL MONITORIA 2017/2 EDITAL MONITORIA 2017/2 Edital de Seleção para o Programa de Monitoria Acadêmica do Curso de Serviço Social da Faculdade Metropolitana de Manaus- FAMETRO Nº. 7 de 2017/1. A Direção Geral da Faculdade Metropolitana

Leia mais

PROJETO DE MONITORIA 2014

PROJETO DE MONITORIA 2014 PROJETO DE MONITORIA 2014 Centro Universitário SENAC: Curso: Design de Moda- Habilitação Estilismo Disciplina: Projeto de Moda I Professor responsável: Andrea Canton Período letivo: 1º / noite 1. Justificativa

Leia mais

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES MEDICINA - SÃO CARLOS. Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Medicina - Campus São Carlos

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES MEDICINA - SÃO CARLOS. Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Medicina - Campus São Carlos RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES MEDICINA - SÃO CARLOS Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Medicina - Campus São Carlos INDICADOR CLASSIFICAÇÃO ÍNDICE DE AVALIAÇÃO GERAL SATISFAÇÃO

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PALMAS/2011 SUMÁRIO CAPÍTULO I - DA NATUREZA...03 CAPÍTULO II - DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO...03 Seção I - Da

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 032/07 CONSUNI

RESOLUÇÃO Nº 032/07 CONSUNI RESOLUÇÃO Nº 032/07 CONSUNI APROVA O REGULAMENTO QUE NORMATIZA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS. A Presidente do Conselho Universitário CONSUNI

Leia mais

Resolução 101/REITORIA/UNIVATES Lajeado, 30 de agosto de 2007

Resolução 101/REITORIA/UNIVATES Lajeado, 30 de agosto de 2007 Resolução 101/REITORIA/UNIVATES Lajeado, 30 de agosto de 2007 Reedita a Resolução 058/REITORIA/UNIVATES, de 19/07/2006, que aprova o Regulamento de Atividades Complementares de cursos de graduação do Centro

Leia mais

UniBrasil Centro Universitário

UniBrasil Centro Universitário 1 UniBrasil Centro Universitário REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA CURITIBA MARÇO DE 2014 2 SUMÁRIO CAPÍTULO 1 Do estágio e sua finalidade...3 CAPÍTULO 2 Das condições...3

Leia mais

Centro Universitário Central Paulista

Centro Universitário Central Paulista Centro Universitário Central Paulista EDITAL DE ABERTURA PROCESSO SELETIVO PARA MONITORIA DOS CURSOS EDITAL Nº 02/2016 2º semestre O Núcleo de Apoio Pedagógico (NAP) faz saber, a todos os interessados,

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia e Educação de Rio Claro ASSER

Escola Superior de Tecnologia e Educação de Rio Claro ASSER Escola Superior de Tecnologia e Educação de Rio Claro ASSER Especialização em Psicopedagogia Institucional 430 horas Clínica 610 horas Objetivos do curso: Analisar criticamente a problemática do fracasso

Leia mais

Licenciatura em Ciências Exatas Revisão 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO

Licenciatura em Ciências Exatas Revisão 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO O Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Ciências Exatas do Setor Palotina da UFPR prevê a realização de estágios nas modalidades de estágio obrigatório e

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Biologia Comparada NORMAS PARA ESTÁGIO NA DOCÊNCIA

Programa de Pós-Graduação em Biologia Comparada NORMAS PARA ESTÁGIO NA DOCÊNCIA Programa de Pós-Graduação em Biologia Comparada NORMAS PARA ESTÁGIO NA DOCÊNCIA Aprovada pela Resolução nº 101/11-PGB 1. O Estágio na Docência na Graduação é uma atividade curricular para alunos de pósgraduação

Leia mais

Capítulo I Das Atividades Complementares

Capítulo I Das Atividades Complementares página 1 de 5 FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO REGIMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Capítulo I Das Atividades Complementares Art. 1º O presente Regimento trata das Atividades Complementares

Leia mais

CURRÍCULO DO CURSO. 1º Fase-Sugestão

CURRÍCULO DO CURSO. 1º Fase-Sugestão Documentação: Curso Reconhecido pela Portaria nº 651 de 29/06/2017 e Publicado no DOU em 30/06/2017. Objetivo: Titulação: Diplomado em: Licenciado em Matemática Matemática Período de Conclusão do Curso:

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO

ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO Capítulo I Princípios e Diretrizes Art 1º. O Estágio Supervisionado, disciplina pedagógica do Curso de Pedagogia docência em Educação Infantil, Anos Iniciais do Ensino

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA E BIOQUÍMICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA E BIOQUÍMICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA E BIOQUÍMICA REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA E BIOQUÍMICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES O Curso de Educação Física - Licenciatura - objetiva a formação pedagógica, ao contemplar uma visão geral da educação e dos processos formativos dos educandos. Adequar-se-á

Leia mais

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010.

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. Institui as orientações e as atividades aprovadas para a realização da carga horária de Estágio Supervisionado

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB ANEXO II Edital Pibid n /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REGULAMENTO- ATIVIDADES COMPLEMENTARES

CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REGULAMENTO- ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REGULAMENTO- ATIVIDADES COMPLEMENTARES As Atividades Complementares constituem parte da Carga Horária do Curso de Relações Internacionais da UNIFESP Osasco, em um total

Leia mais

REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL DAS LICENCIATURAS

REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL DAS LICENCIATURAS REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL DAS LICENCIATURAS CONSIDERANDO o Parecer CNE/CP N.º, 28 aprovado em 02 de outubro de 2001, a Resolução CNE/CP N.º 1 de 18 de fevereiro de 2002, a Resolução CNE/CP N.º

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE GUARATINGUETÁ FACULDADE DE ENGENHARIA PORTARIA Nº 051 / 2005 FEG-STA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE GUARATINGUETÁ FACULDADE DE ENGENHARIA PORTARIA Nº 051 / 2005 FEG-STA PORTARIA Nº 051 / 2005 FEG-STA A Diretora da Faculdade de Engenharia do Campus de Guaratinugetá, no uso de suas atribuições legais, considerando o disposto no artigo 4º, da Resolução UNESP n 52/04, de

Leia mais

Manual de Atividades Complementares

Manual de Atividades Complementares CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Manual de Atividades Complementares Belo Horizonte 1 Prezado(a) aluno(a): Este é o Manual de Atividades Complementar

Leia mais

PORTARIA DO DIRETOR DA FACULDADE DE MEDICINA n 236 de 10 de maio de 2010

PORTARIA DO DIRETOR DA FACULDADE DE MEDICINA n 236 de 10 de maio de 2010 PORTARIA DO DIRETOR DA FACULDADE DE MEDICINA n 236 de 10 de maio de 2010 REGULAMENTA A CONCESSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO REMUNERADO A ESTUDANTES DE INSTITUIÇÕES NACIONAIS DE ENSINO NA FACULDADE DE MEDICINA

Leia mais

O Estágio é uma atividade curricular obrigatória desenvolvida a partir da inserção do aluno no espaço

O Estágio é uma atividade curricular obrigatória desenvolvida a partir da inserção do aluno no espaço O Estágio é uma atividade curricular obrigatória desenvolvida a partir da inserção do aluno no espaço socioinstitucional, objetivando oportunizar a experiência do supervisão direta e sistemática. exercício

Leia mais

REGIMENTO PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - BACHARELADO

REGIMENTO PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - BACHARELADO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS SÃO GABRIEL CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS BACHARELADO REGIMENTO PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - BACHARELADO Coordenador de Estágio:

Leia mais

Projeto do Estágio Supervisionado da Licenciatura em Ciências Biológicas (Parte do Projeto Pedagógico do Curso )

Projeto do Estágio Supervisionado da Licenciatura em Ciências Biológicas (Parte do Projeto Pedagógico do Curso ) Projeto do Estágio Supervisionado da Licenciatura em Ciências Biológicas (Parte do Projeto Pedagógico do Curso ) De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de professores - Art

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este Regulamento dispõe sobre as Atividades Complementares na Faculdade do Futuro. CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Leia mais

Prefeitura Municipal da Estância Turística de Batatais Estado de São Paulo

Prefeitura Municipal da Estância Turística de Batatais Estado de São Paulo PROCESSO SELETIVO - EDITAL Nº 01/2016 ANEXO II PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES DAS FUNÇÕES RETIFICAÇÃO Nomenclatura Professor de Educação Básica I - Ensino Fundamental e Educação Infantil Fundamental (Arte) PRINCIPAIS

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO

CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO CAPÍTULO I - DA DEFINIÇÃO DO ESTÁGIO Artigo 01 - O Estágio Supervisionado constitui disciplina obrigatória do Currículo dos Cursos de Licenciatura.

Leia mais

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições,

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições, RESOLUÇÃO Nº 04/2017 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO Aprova a estrutura curricular do Curso de Física, modalidade Licenciatura,

Leia mais

Manual de Atividades Complementares (1º semestre letivo de 2017) Administração Geral e Comércio Exterior

Manual de Atividades Complementares (1º semestre letivo de 2017) Administração Geral e Comércio Exterior Manual de Atividades Complementares (1º semestre letivo de 2017) Administração Geral e Comércio Exterior 4º ao 8ºperíodo. EGD Escola de Gestão e Direito Sumário: 1. Ementa... 3 2. Objetivo... 3 3. Definições...

Leia mais

FACULDADE SANTA MARIA - FSM

FACULDADE SANTA MARIA - FSM FACULDADE SANTA MARIA - FSM BR 230, Km 504 CX. POSTAL 30 CEP: 58900-000 Fone: (83) 3531-1349 Fax: (83) 3531-1365 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA EDITAL Nº 02/2017 EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO

Leia mais

Licenciatura em Matemática MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Licenciatura em Matemática MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura em Matemática MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 2012 APRESENTAÇÃO Este manual tem como objetivo principal auxiliar você a cumprir o estágio supervisionado obrigatório e as Atividades Complementares

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA ANEXO E - REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSOS DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA UTFPR-DV

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSOS DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA UTFPR-DV Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSOS DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA UTFPR-DV APROVADO EM REUNIÃO ORDINÁRIA DO COLEGIADO

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE MONITORIA

REGULAMENTO GERAL DE MONITORIA CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ REGULAMENTO GERAL DE MONITORIA FAFIL/FAECO/FAENG Índice Capítulo I Das Finalidades 3 Capítulo II - Das Inscrições dos Alunos 3 Capítulo III - Dos critérios de

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA VOLUNTÁRIA

PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA VOLUNTÁRIA PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA VOLUNTÁRIA A Faculdade Metropolitana de Manaus FAMETRO, através da Unidade de Saúde, torna público que no período de 28/08/17 a 01/09/17, estarão abertas as inscrições para

Leia mais

PORTARIA GD Nº 06, DE 23/04/2010

PORTARIA GD Nº 06, DE 23/04/2010 PORTARIA GD Nº 06, DE 23/04/2010 Aprova o Regulamento do Programa de Estágios da Faculdade de Engenharia da UNESP - Campus de Ilha Solteira. O Diretor da Faculdade de Engenharia do Campus de Ilha Solteira,

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO CAMPUS DE COXIM DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO CAMPUS DE COXIM DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL RESOLUÇÃO Nº 5, DE 5 DE FEVEREIRO DE 2015. O COLEGIADO DE CURSO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO CÂMPUS DE COXIM da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso Do Sul, no uso de suas atribuições

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA QUÍMICA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2013/DEQ

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA QUÍMICA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2013/DEQ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA QUÍMICA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2013/DEQ Distribuição da carga horária de atividade docente no Departamento

Leia mais

DIREITO EDITAL PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA E BOLSISTA

DIREITO EDITAL PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA E BOLSISTA DIREITO EDITAL PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA E BOLSISTA A Coordenação do Curso de Direito da Faculdade da Cidade do Salvador no uso de suas atribuições e de acordo com o que dispõe o Regulamento 005/05,

Leia mais

PROCEDIMENTOS GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS PORTUGUÊS E INGLÊS DA UTFPR CAMPUS PATO BRANCO

PROCEDIMENTOS GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS PORTUGUÊS E INGLÊS DA UTFPR CAMPUS PATO BRANCO PROCEDIMENTOS GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS PORTUGUÊS E INGLÊS DA UTFPR CAMPUS PATO BRANCO Aqui apresentar-se-ão os procedimentos gerais para

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente instrumento dispõe sobre as normas e procedimentos a serem observados

Leia mais

Anexo 2 Regulamento das Atividades Complementares (Extra-classe) do Curso de Ciências Sociais Bacharelado e Licenciatura - Versão 2006

Anexo 2 Regulamento das Atividades Complementares (Extra-classe) do Curso de Ciências Sociais Bacharelado e Licenciatura - Versão 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E NATURAIS COLEGIADO DE CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS Anexo 2 Regulamento das Atividas Complementares (Extra-classe) do Curso Ciências Sociais

Leia mais

RESOLUÇÃO. Bragança Paulista, 11 de abril de Gilberto Gonçalves Garcia, OFM Presidente

RESOLUÇÃO. Bragança Paulista, 11 de abril de Gilberto Gonçalves Garcia, OFM Presidente RESOLUÇÃO CONSEPE 3/2007 APROVA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE FARMÁCIA, DO CÂMPUS DE CAMPINAS DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão

Leia mais

Questionário fechado, a ser aplicado aos discentes regulamente matriculado no curso. (Modelo CPA)

Questionário fechado, a ser aplicado aos discentes regulamente matriculado no curso. (Modelo CPA) Questionário fechado, a ser aplicado aos discentes regulamente matriculado no curso. (Modelo CPA) 1. A UFSCar definiu um perfil para o profissional/cidadão a ser formado em todos os seus cursos. A seguir

Leia mais

IDEIAS SOBRE PLANO DE AULA

IDEIAS SOBRE PLANO DE AULA IDEIAS SOBRE PLANO DE AULA Ideias sobre projeto Vez por outra alguns educadores e estudantes solicitam modelos de plano de aula ou orientações para construí-los. Nos cursos de Pedagogia ou nas Licenciaturas,

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO Art. 1º Com base no disposto no Art. 79 do Regulamento Geral dos Cursos de Graduação da Universidade Federal

Leia mais

CAPACITAÇÃO COORDENADORES DE CURSO 26/04/2010

CAPACITAÇÃO COORDENADORES DE CURSO 26/04/2010 CAPACITAÇÃO COORDENADORES DE CURSO 26/04/2010 Conteúdo Atribuições do Coordenador Funcionamento do Curso Articulação Acadêmica Projeto Pedagógico e Currículo Componentes Curriculares Reestruturação Curricular

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Plano de Trabalho Docente

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Plano de Trabalho Docente - 2015 ETEC MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Código: 011 Município: Garça Eixo Tecnológico: Controle de Processos Industriais Habilitação

Leia mais

DECLARAÇÃO DE ACEITAÇÃO DO ESTAGIÁRIO

DECLARAÇÃO DE ACEITAÇÃO DO ESTAGIÁRIO Associação de Ensino e Cultura Pio Décimo Faculdade Pio Décimo Licenciatura em Química Disciplina: Estágio Supervisionado III Professores: MSc. Carlos Alberto Vieira Mendonça MSc. Vera Lúcia Luz Marques

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES TRATAMENTO ESTATÍSTICO DOS DADOS COLETADOS JUNTO AOS EGRESSOS DO PERÍODO DE

RELATÓRIO DE ATIVIDADES TRATAMENTO ESTATÍSTICO DOS DADOS COLETADOS JUNTO AOS EGRESSOS DO PERÍODO DE APRESENTAÇÃO RELATÓRIO DE ATIVIDADES TRATAMENTO ESTATÍSTICO DOS DADOS COLETADOS JUNTO AOS EGRESSOS DO PERÍODO DE 1995-2001 Benedito S. Lima Neto Coordenador do Projeto Juliana Milanez Estagiária outubro,

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE FARMÁCIA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades complementares são prática acadêmicas obrigatórias

Leia mais

10 anos. Análise e Desenvolvimento de Sistemas BOAS VINDAS. Prof. Me. Rebecca Bignardi Arambasic. São Paulo, 01 de Agosto de 2016

10 anos. Análise e Desenvolvimento de Sistemas BOAS VINDAS. Prof. Me. Rebecca Bignardi Arambasic. São Paulo, 01 de Agosto de 2016 10 anos Análise e Desenvolvimento de Sistemas BOAS VINDAS Prof. Me. Rebecca Bignardi Arambasic São Paulo, 01 de Agosto de 2016 AGENDA PROGRAMÁTICA Segundo Semestre de 2016 Calendário e Horário de Aulas

Leia mais

Aula 3 ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO ENSINO DE BIOLOGIA I E II. Claudiene Santos Guilherme Guimarães JR

Aula 3 ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO ENSINO DE BIOLOGIA I E II. Claudiene Santos Guilherme Guimarães JR Aula 3 ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO ENSINO DE BIOLOGIA I E II META Analisar os aspectos legais e o objetivo global da prática de ensino de Biologia; elaborar atividades e confeccionar materiais didáticos

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA OS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS EM ENSINO DE GEOGRAFIA I, II, III E IV

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA OS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS EM ENSINO DE GEOGRAFIA I, II, III E IV ORIENTAÇÕES GERAIS PARA OS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS EM ENSINO DE GEOGRAFIA I, II, III E IV META Apresentar ao estudante de Licenciatura em Geografi a as normas e procedimentos para a realização dos estágios

Leia mais

NORMAS GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA

NORMAS GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA NORMAS GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA As presentes normas têm por objetivo disciplinar e orientar os alunos do curso de Educação Física da Universidade

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2013 Reformulada em abril º ANO

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2013 Reformulada em abril º ANO MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2013 Reformulada em abril 2015 1º ANO 1º Semestre Produção de Texto 02 40 Didática:Fundamentos da Educação 04 80 História e Filosofia da

Leia mais