Integridade Familiar na velhice: o caso de ex-emigrantes Portugueses

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Integridade Familiar na velhice: o caso de ex-emigrantes Portugueses"

Transcrição

1 Integridade Familiar na velhice: o caso de ex-emigrantes Portugueses Filipa Marques e Liliana Sousa Secção Autónoma de Ciências da Saúde - Universidade de Aveiro II Congresso Internacional A voz dos avós: Migração e património cultural 6 Julho 010 PERTINÊNCIA DO ESTUDO Escassa investigação sobre famílias envelhecidas. Centrada nos cuidados familiares a idosos dependentes. Necessário uma perspectiva normativa e desenvolvimental das famílias envelhecidas. Perspectivar a velhice como uma fase normal e expectável da vida com desafios específicos, com sentido e propósito. Integridade do Ego (Erick Erikson, 1950) Teoria Psicossocial do Desenvolvimento Desenvolvimento = Nascimento até à morte 8ª idade ( 64 anos): Integridade vs desespero 1

2 MODELO NORMATIVO E DESENVOLVIMENTAL_INTEGRIDADE FAMILIAR (King Wynne, 004) Construção da Integridade Familiar vs Desconexão e Alienação Familiar (King e Wynne, 004). Integridade familiar: sensação de paz e satisfação com as relações familiares. Resultado positivo do esforço de desenvolvimento para o significado, conexão e continuidade dentro da sua família multigeracional. Desconexão familiar: contactos raros com a família, sentindo isolamento e desligamento familiar. Alienação Familiar: situações de falha de valores comuns e ausência de identidade familiar. MODELO NORMATIVO E DESENVOLVIMENTAL_INTEGRIDADE FAMILIAR (King Wynne, 004) Construção da Integridade Familiar vs Desconexão e Alienação Familiar (King e Wynne, 004). 3 competências familiares: transformação das relações resolução ou aceitação de perdas ou conflitos passados ou presentes; criação de significado e legado, pela partilha de histórias, valores e rituais familiares. Necessário estudar o processo em famílias contemporâneas: famílias de ex-emigrantes EMIGRAÇÃO E INTEGRIDADE FAMILIAR_ A INFLUÊNCIA DE ASPECTOS SOCIAIS E CULTURAIS Constitui um desafio para os indivíduos e suas famílias, que enfrentam diferentes normas entre a cultura de origem e de acolhimento (associado a aspectos da identidade) (Carter e McGoldrick, 004). Este estudo centra o processo de emigração em Portugueses (actualmente idosos) que emigraram para outros países e regressaram ao país de origem.

3 OBJECTIVOS Geral: Aprofundar o conhecimento sobre o processo de construção do sentimento de integridade, desconexão e alienação familiar considerando a diversidade de famílias contemporâneas: famílias de ex-emigrantes. Específico: Analisar as trajectórias de emigração de ex-emigrantes Portugueses idosos para compreender que acontecimentos de vida tiveram e/ou têm influência na construção da integridade familiar. IMPLICAÇÕES Contribuir para o conhecimento e intervenção individual, familiar e comunitária, contemplando a emigração. METODOLOGIA Instrumentos Questionário sócio-demográfico Técnica da linha de acontecimentos de vida (baseada em Acquaviva, 009) Entrevista semi-estruturada de King e Wynne (004); Amostra 0 indivíduos > 64 anos (10 sexo feminino); Análise de dados Categorização por dois juízes independentes: autoras PERFIS DE EMIGRAÇÃO Perfil A- África (10) Formas de vida muito distintas Perfil B- Europa e EUA (7) Dificuldades de adaptação à língua Perfil C América Central e do Sul (3) Boa adaptação à língua Patriarca emigra só; segue-se carta de chamada para a família Profissões: funcionário do estado Esposas domésticas Média 0, 6 anos de emigração Média 0,7 visitas Regresso desejado (objectivos atingidos antes da descolonização) ou forçado (descolonização) Projecto de família Profissões: e.g. restauração e comércio Esposas domésticas ou trabalhadoras Média de 15,14 anos de emigração Média 3,8 visitas Regresso desejado (objectivos atingidos) ou forçado (e.g. problemas com a família no país de origem) Emigram sozinhos (opção) Profissões: e.g.padeiro Condições de trabalho precárias (13 h/dia) Solteiros Média 0 anos de emigração Sem visitas (custos elevados) Regresso forçado (e.g. doença) 3

4 Classificação dos participantes Integridade Familiar (8) Desconexão Familiar (9) Alienação Familiar (3) Perfil A 6 4 Perfil B 3 Perfil C 1 Construção da Integridade Familiar, Desconexão e Alienação Familiar: Filosofias de vida e emigração Integridade Familiar (IF) = envolvimento activo com a vida (oportunidade de união familiar) Desconexão Familiar (DF) = passividade na gestão do conflito (conflito familiar) Alienação familiar (AF) = luta solitária (desligamento familiar) Integridade Familiar (Perfil A e B) Decisão: emigrar em família (ou patriarca emigra só; segue-se carta de chamada para a família). Adaptação: em família; a união faz a força Integração: ligação familiar com reciprocidade; convívios e visitas familiares ao país de origem Regresso desejado: objectivos atingidos (antes da descolonização); objectivos de vida centrados na família. Filosofia de vida = envolvimento activo com a vida Luta, coragem e união familiar para enfrentar as adversidades da vida. Quem quer a bolota, trepa ao sobreiro! Emigração = potencia a união familiar 4

5 Desconexão Familiar (Perfil A e B) Decisão: emigrar com família; emigrar só e família depois; descendentes ficam no país de origem (conflito familiar) Adaptação: em família (com tensão e.g. língua do país de acolhimento, confronto de realidades = conflito familiar) Integração: ligação familiar com pouca reciprocidade (visitas não correspondidas = conflito familiar) Regresso: forçado, sem objectivos atingidos. (descolonização ou problemas familiares) Filosofia de vida = passividade na gestão do conflito: desprezo desesperança Emigração = potencia o conflito familiar Perpetuação do conflito = atitude passiva Alienação Familiar (Perfil B e C) Decisão: emigrar sozinho (solteiros; jovens) Adaptação: solitária Integração: sem ligação familiar (custos elevados de viagens impedem visitas) Filosofia de vida = luta solitária: Orgulho: enfrentar tudo sem precisar de ninguém Regresso: forçado, sem objectivos atingidos. (e.g. doença) Emigração = potencia o afastamento/desligamento familiar Perpetuação do afastamento = atitude solitária e orgulho CONCLUSÕES A emigração é um acontecimento de vida stressante associado a circunstâncias que afectam a dinâmica familiar e a identidade. A integridade, desconexão e alienação familiar são processos epigenéticos (construídos ao longo da vida). A emigração pode potenciar a união familiar (integridade familiar), o conflito familiar (desconexão familiar) ou a ausência de identidade familiar (alienação familiar). A construção da integridade familiar, desconexão e alienação familiar em idosos ex-emigrantes depende das trajectórias de emigração e da forma como integram e definem (filosofia de vida) os eventos decorrentes dessa fase da vida. 5

6 6

Integridade familiar na velhice

Integridade familiar na velhice Integridade familiar na velhice Liliana Sousa, Filipa Marques, Ana Raquel Silva, Liliana Santos Secção Autónoma de Ciências da Saúde - Universidade de Aveiro Pertinência do estudo Os estudos sobre o envelhecimento

Leia mais

CONSTRUIR A INTEGRIDADE FAMILIAR NA VELHICE: O CASO DOS HOMENS IDOSOS HOMOSSEXUAIS

CONSTRUIR A INTEGRIDADE FAMILIAR NA VELHICE: O CASO DOS HOMENS IDOSOS HOMOSSEXUAIS XVIII CONGRESSO BRASILEIRO DE GERITARIA E GERONTOLOGIA Envelhecimento: oportunidades, desafios e conquistas CONSTRUIR A INTEGRIDADE FAMILIAR NA VELHICE: O CASO DOS HOMENS IDOSOS HOMOSSEXUAIS Filipa D.

Leia mais

Vivências em serviço o de urgências: os acompanhantes dos utentes

Vivências em serviço o de urgências: os acompanhantes dos utentes Vivências em serviço o de urgências: os acompanhantes dos utentes Liliana Sousa Assunção Almeida Carlos Jorge Simões Universidade de Aveiro Hospital Infante D. Pedro Agradecimentos: Estudantes do 4º ano

Leia mais

CENTRO DE COMPETÊNCIAS DE CIÊNCIAS SOCIAIS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO. ORIENTADORA Professora Doutora Alice Maria Justa Ferreira Mendonça

CENTRO DE COMPETÊNCIAS DE CIÊNCIAS SOCIAIS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO. ORIENTADORA Professora Doutora Alice Maria Justa Ferreira Mendonça CENTRO DE COMPETÊNCIAS DE CIÊNCIAS SOCIAIS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO ORIENTADORA Professora Doutora Alice Maria Justa Ferreira Mendonça 1 - Objeto da investigação O professor sénior: da passagem

Leia mais

Enfrentar a velhice e a doença crónica: um programa de apoio a doentes com AVC e seus familiares

Enfrentar a velhice e a doença crónica: um programa de apoio a doentes com AVC e seus familiares Enfrentar a velhice e a doença crónica: um programa de apoio a doentes com AVC e seus familiares Liliana Sousa Universidade de aveiro Lilianax@cs.ua.pt Elementos da equipa de investigação José Rente, Eunice

Leia mais

Retratos sociais para um futuro humano Envelhecimento Humano

Retratos sociais para um futuro humano Envelhecimento Humano Retratos sociais para um futuro humano Desenvolvimento humano e social regional O idoso e os novos desafios comuns Liliana Sousa Daniela Figueiredo Universidade de Aveiro Envelhecimento Humano Problema

Leia mais

In/sucesso na intervenção social. Analisados com base nos resultados (outcomes)!

In/sucesso na intervenção social. Analisados com base nos resultados (outcomes)! Promover o sucesso na intervenção social com famílias multiproblemáticas pobres Liliana Sousa Sofia Rodrigues Universidade de Aveiro, Portugal Sucesso e insucesso: conceitos intuitivos? O que queremos

Leia mais

ÍNDICE GERAL. Página INTRODUÇÃO 14 CAPÍTULO I TERCEIRA IDADE: UMA CONSTRUÇÃO SOCIAL Problematização do conceito de terceira idade 24

ÍNDICE GERAL. Página INTRODUÇÃO 14 CAPÍTULO I TERCEIRA IDADE: UMA CONSTRUÇÃO SOCIAL Problematização do conceito de terceira idade 24 ÍNDICE GERAL Página INTRODUÇÃO 14 CAPÍTULO I TERCEIRA IDADE: UMA CONSTRUÇÃO SOCIAL 23 1. Problematização do conceito de terceira idade 24 2. Transformações objectivas conducentes à construção social da

Leia mais

Material de divulgação da Editora Moderna

Material de divulgação da Editora Moderna Material de divulgação da Editora Moderna Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

PROGRAMA PSICO-EDUCATIVO PARA FAMÍLIAS EM RISCO GENÉTICO: O CASO DOS CANCROS HEREDITÁRIOS 1. PRESSUPOSTOS

PROGRAMA PSICO-EDUCATIVO PARA FAMÍLIAS EM RISCO GENÉTICO: O CASO DOS CANCROS HEREDITÁRIOS 1. PRESSUPOSTOS PROGRAMA PSICO-EDUCATIVO PARA FAMÍLIAS EM RISCO GENÉTICO: O CASO DOS CANCROS HEREDITÁRIOS Universidade de Aveiro, Portugal Secção Autónoma de Ciências da Saúde, Grupo de Investigação Saúde Familiar e Comunitária

Leia mais

Técnicas de Animação Pedagógica. gica

Técnicas de Animação Pedagógica. gica Técnicas de Animação Pedagógica gica Educação SéniorS 1 A intervenção educativa com idosos deve incluir-se no quadro da educação de adultos. Idoso Adulto Segregação Categoria abrangente Áreas de Intervenção

Leia mais

MIGRAÇÕES E DESENVOLVIMENTO HUMANO

MIGRAÇÕES E DESENVOLVIMENTO HUMANO RESUMO Interpreta-se a defesa do desenvolvimento humano, abordando as naturezas da migração e os seus fatores, bem como os reflexos estatais, desde o planeamento à repulsa cidadã. PALAVRAS-CHAVE desenvolvimento

Leia mais

1.1 A paternidade como uma etapa de desenvolvimento para o homem no contexto da família

1.1 A paternidade como uma etapa de desenvolvimento para o homem no contexto da família INDICE pp. INTRODUÇÃO 1 CAPÍTULO I - A TRANSIÇÃO PARA A PATERNIDADE 1. A parentalidade 1.1 A paternidade como uma etapa de desenvolvimento para o homem no contexto da família 10 10 14 1.2 O desejo de paternidade

Leia mais

Auto-Conceito, Ânimo e Qualidade de Vida dos Seniores: primeira análise

Auto-Conceito, Ânimo e Qualidade de Vida dos Seniores: primeira análise Auto-Conceito, Ânimo e Qualidade de Vida dos Seniores: primeira análise Sónia Ferreira, Ana Veloso, Óscar Mealha Universidade de Aveiro, 12 Julho 2012 CONTEXTUALIZAÇÃO DO ESTUDO Integrado no projeto SEDUCE

Leia mais

FORMAÇÃO CONTÍNUA NO MERCADO REGIONAL DE EMPREGO. RUI BAPTISTA * * Assistente do 1º Triénio

FORMAÇÃO CONTÍNUA NO MERCADO REGIONAL DE EMPREGO. RUI BAPTISTA * * Assistente do 1º Triénio FORMAÇÃO CONTÍNUA NO MERCADO REGIONAL DE EMPREGO RUI BAPTISTA * * Assistente do 1º Triénio A criação de valor é apontada como sendo o primeiro objectivo da actividade empresarial. Porém, tal objectivo

Leia mais

MESTRADO EM PSICOLOGIA ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOLOGIA DA SAÚDE

MESTRADO EM PSICOLOGIA ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOLOGIA DA SAÚDE MESTRADO EM PSICOLOGIA ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOLOGIA DA SAÚDE -MOTIVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-PROFISSIONAL- Saul Neves de Jesus Universidade do Algarve PLANIFICAÇÃO DAS AULAS 1ª aula (11 de Novembro):

Leia mais

Atividade Física na Terceira Idade. Prof. Dra. Bruna Oneda 2017

Atividade Física na Terceira Idade. Prof. Dra. Bruna Oneda 2017 Atividade Física na Terceira Idade Prof. Dra. Bruna Oneda 2017 Expectativa de vida no Brasil Em 2015, as mulheres ganharam uma esperança de vida de 3 meses e 4 dias, passando de 78,8 anos, em 2014, para

Leia mais

Igreja da Penha de França, vista da avenida Almirante Reis (c. 1900)

Igreja da Penha de França, vista da avenida Almirante Reis (c. 1900) Igreja da Penha de França, vista da avenida Almirante Reis (c. 1900) Projeto dirigido à população idosa e que tem como objetivo recuperar, preservar e divulgar histórias de vida, testemunhos, relatos e

Leia mais

Teorias do Ciclo de Vida (TCV)

Teorias do Ciclo de Vida (TCV) Psicologia do Adulto e do Idoso EDUCAÇÃO SOCIAL 1º Ano, 2º Semestre 2014/2015 SUMÁRIO: Aspectos teóricos de base Teorias do Ciclo de Vida (TCV) Objectivos e âmbito das TCV ; Teoria de Charlotte Bühler;

Leia mais

Apoio Social, Expectativas e Satisfação com o Parto em Primíparas com e sem Preparação para o Parto

Apoio Social, Expectativas e Satisfação com o Parto em Primíparas com e sem Preparação para o Parto ÍNDICE INTRODUÇÃO 1 CAPÍTULO I ENQUADRAMENTO TEÓRICO 5 1 - O processo de transição à maternidade 5 1.1 - Factores que influenciam a transição para a maternidade 8 1.1.1 - Características Pessoais 8 1.1.2

Leia mais

COMO GERIR OS RISCOS

COMO GERIR OS RISCOS Congresso Nacional de Acidentes de Trabalho da Prevenção à Reabilitação COMO GERIR OS RISCOS EM CONTEXTO DE MUDANÇA DO TRABALHO? Fernando Cabral 1 Contexto da Organização Taylorista do Trabalho Aspectos

Leia mais

O Papel dos Psicólogos no Envelhecimento

O Papel dos Psicólogos no Envelhecimento CATEGORIA AUTORIA JUNHO 15 Revisão de Dados Gabinete de Estudos e Literatura Científica Técnicos O Papel dos Psicólogos no Envelhecimento Sugestão de Citação Ordem dos Psicólogos Portugueses (2015). O

Leia mais

Folha de apresentação do estudo e de dados demográficos

Folha de apresentação do estudo e de dados demográficos ANEXO 1 Folha de apresentação do estudo e de dados demográficos ESTUDO SOBRE O ENVELHECIMENTO nº A população portuguesa está cada vez mais envelhecida. Por isso, torna-se cada vez mais importante estudar

Leia mais

Formanda: Curso: Módulo: Formador(a): Data: Introdução 2 Conceitos de Migração, Imigração, Emigração e Êxodo.

Formanda: Curso: Módulo: Formador(a): Data: Introdução 2 Conceitos de Migração, Imigração, Emigração e Êxodo. Fluxos Migratórios Introdução 2 Conceitos de Migração, Imigração, Emigração e Êxodo. 4 Principais fluxos migratórios portugueses ao longo dos tempos. 4 Vantagens e desvantagens dos fluxos migratórios...

Leia mais

Agradecimentos. Ao meu orientador, Prof. Doutor José António Espírito Santo, pela confiança que depositou no meu trabalho. e nas minhas capacidades,

Agradecimentos. Ao meu orientador, Prof. Doutor José António Espírito Santo, pela confiança que depositou no meu trabalho. e nas minhas capacidades, Agradecimentos Ao meu orientador, Prof. Doutor José António Espírito Santo, pela confiança que depositou no meu trabalho e nas minhas capacidades, pelo apoio incansável nos momentos mais aflitivos, pelas

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular EXPRESSÃO CORPORAL E ARTÍSTICA Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular EXPRESSÃO CORPORAL E ARTÍSTICA Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular EXPRESSÃO CORPORAL E ARTÍSTICA Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Motricidade Humana 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade

Leia mais

O Impacto Psicossocial do Cancro na Família

O Impacto Psicossocial do Cancro na Família O Impacto Psicossocial do Cancro na Família Maria de Jesus Moura Psicóloga Clínica Unidade de Psicologia IPO Lisboa ATÉ MEADOS DO SEC.XIX Cancro=Morte PROGRESSOS DA MEDICINA CURA ALTERAÇÃO DO DIAGNÓSTICO

Leia mais

Política Europeia de Imigração: Evolução e Perspectivas. Constança Urbano de Sousa

Política Europeia de Imigração: Evolução e Perspectivas. Constança Urbano de Sousa Política Europeia de Imigração: Evolução e Perspectivas Constança Urbano de Sousa Notas preliminares Imigração e Asilo Conceito comunitário de estrangeiro Cidadão comunitário Estrangeiro: nacional de Estado

Leia mais

ENTENDENDO PORQUE OS ASSOCIADOS DEIXAM O CLUBE

ENTENDENDO PORQUE OS ASSOCIADOS DEIXAM O CLUBE ENTENDENDO PORQUE OS ASSOCIADOS DEIXAM O CLUBE Por que você está deixando o clube? Esta é uma pergunta que deve ser feita a todos os associados que decidem se desligar do clube. Seja qual for a resposta,

Leia mais

Prestadores informais de cuidados

Prestadores informais de cuidados Prestadores informais cuidados Um molo intervenção Liliana Sousa e Daniela Figueiredo Secção Autónoma Ciências da Saú da Universida Aveiro Lilianax@cs.ua.pt Contextualização Cuidar Preocupar-se com ( caring

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular METODOLOGIAS ESPECÍFICAS DE INTERVENÇÃO EM GERONTOLOGIA SOCIAL. Ano Lectivo 2013/2014

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular METODOLOGIAS ESPECÍFICAS DE INTERVENÇÃO EM GERONTOLOGIA SOCIAL. Ano Lectivo 2013/2014 1. Unidade Orgânica UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA Programa da Unidade Curricular METODOLOGIAS ESPECÍFICAS DE INTERVENÇÃO EM GERONTOLOGIA SOCIAL Serviço Social (2º Ciclo) Ano Lectivo 2013/2014 2. Curso

Leia mais

Redes sociais, afectos e pessoas idosas

Redes sociais, afectos e pessoas idosas Redes sociais, afectos e pessoas idosas António M. Fonseca afonseca@porto.ucp.pt CONVERSAS DE FIM DE TARDE VISEU, 29 JUNHO 2012 Uma vida mais longa A esperança média de vida tem aumentado de forma dramática:

Leia mais

A relação entre os factores sócio-demográficos e o nível de conforto da mulher com cancro da mama em tratamento com quimioterapia

A relação entre os factores sócio-demográficos e o nível de conforto da mulher com cancro da mama em tratamento com quimioterapia A relação entre os factores sócio-demográficos e o nível de conforto da mulher com cancro da mama em tratamento com quimioterapia Tese de Mestrado em Ciências de Enfermagem Fernanda Dantas - Consulta Externa

Leia mais

RETRATO DA REALIDADE EMIGRATÓRIA EM PORTUGAL

RETRATO DA REALIDADE EMIGRATÓRIA EM PORTUGAL Emigração em Portugal 2002 17 de Junho de 2003 RETRATO DA REALIDADE EMIGRATÓRIA EM PORTUGAL Portugal, à semelhança de outros países do sul da Europa, viu alterada a sua tradição migratória, de uma forma

Leia mais

Engagement, Burnout e Rotatividade: Que relação, fatores e impactos? alexandra marques pinto

Engagement, Burnout e Rotatividade: Que relação, fatores e impactos? alexandra marques pinto Engagement, Burnout e Rotatividade: Que relação, fatores e impactos? alexandra marques pinto Agenda Stress profissional nos enfermeiros e seus impactos Burnout profissional Engagement com o trabalho Preditores

Leia mais

A Parentalidade e os Afectos ao longo da Vida trocas entre os Sub-Sistemas Parental e Filial.

A Parentalidade e os Afectos ao longo da Vida trocas entre os Sub-Sistemas Parental e Filial. A Parentalidade e os Afectos ao longo da Vida trocas entre os Sub-Sistemas Parental e Filial. Quem trabalha com e para a Família, percebe que, inevitavelmente, todas as Famílias passam por uma série de

Leia mais

Plano desenvolvimento social

Plano desenvolvimento social Plano desenvolvimento social 2014-2016 Área Intervenção I FAMÍLIA (HABITAÇÃO/EDUCAÇÃO) - Problemas ao nível do parque habitacional; - Falta de expetativas/ objetivos ao nível educativo; - Défice de competências

Leia mais

Migração, Desenvolvimento e Multiculturalismo: O caso italo-australiano Pedro Martins

Migração, Desenvolvimento e Multiculturalismo: O caso italo-australiano Pedro Martins Conferência Internacional - Aproximando Mundos: Emigração, Imigração e Desenvolvimento em Espaços Insulares Migração, Desenvolvimento e Multiculturalismo: Pedro Martins pscmartins@gmail.com Centro Cultural

Leia mais

MODELO DE OCUPAÇÃO HUMANA TERAPIA CENTRADA NO IDOSO

MODELO DE OCUPAÇÃO HUMANA TERAPIA CENTRADA NO IDOSO MODELO DE OCUPAÇÃO HUMANA TERAPIA CENTRADA NO IDOSO Paula Portugal 15 de Maio de 2004 Algumas pessoas à medida que vão envelhecendo, não perdem a beleza; apenas a transferem para o coração. Martin Buxbaun

Leia mais

T ro de Partida. Cristiana Ribeiro João Serralheiro Sofia Loureiro

T ro de Partida. Cristiana Ribeiro João Serralheiro Sofia Loureiro T ro de Partida Cristiana Ribeiro João Serralheiro Sofia Loureiro :: Objectivo Tiro de Partida :: Conhecer a problemática da disseminação de armas ligeiras nas mãos de civis em Portugal: a dimensão do

Leia mais

Promoção de Experiências Positivas Crianças e Jovens PEP-CJ

Promoção de Experiências Positivas Crianças e Jovens PEP-CJ Positivas Crianças e Jovens PEP-CJ Universidade do Minho Escola de Psicologia rgomes@psi.uminho.pt www.psi.uminho.pt/ www.ardh-gi.com/ O que são? 2 Competências de vida Definição Potencialidades pessoais

Leia mais

Crescimento Populacional da Terceira Idade. Juliana Aquino

Crescimento Populacional da Terceira Idade. Juliana Aquino Crescimento Populacional da Terceira Idade Juliana Aquino País Jovem de Cabelos Brancos Somos um país jovem, temos grande população de jovens e crianças, mas estamos envelhecendo rapidamente.os países

Leia mais

9.º CONGRESSO NACIONAL DE BIBLIOTECÁRIOS, ARQUIVISTAS E DOCUMENTALISTAS CONCLUSÕES

9.º CONGRESSO NACIONAL DE BIBLIOTECÁRIOS, ARQUIVISTAS E DOCUMENTALISTAS CONCLUSÕES 9.º CONGRESSO NACIONAL DE BIBLIOTECÁRIOS, ARQUIVISTAS E DOCUMENTALISTAS CONCLUSÕES 9º CONGRESSO NACIONAL DE BIBLIOTECÁRIOS, ARQUIVISTAS E DOCUMENTALISTAS CONCLUSÕES O 9º Congresso Nacional de Bibliotecários,

Leia mais

QUESTIONÁRIO "A EMIGRAÇÃO PORTUGUESA E O EMIGRANTE EM PORTUGAL" D ADOS DO INQUIRIDO

QUESTIONÁRIO A EMIGRAÇÃO PORTUGUESA E O EMIGRANTE EM PORTUGAL D ADOS DO INQUIRIDO QUESTIONÁRIO "A EMIGRAÇÃO PORTUGUESA E O EMIGRANTE EM PORTUGAL" O presente questionário faz parte dum estudo sobre a emigração portuguesa para os outros países europeus - como Alemanha, França, Suiça ou

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA SANTIAGO DO CACÉM

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA SANTIAGO DO CACÉM Módulo A1: Empregabilidade I: Comunicação e Relações Interpessoais 1º Período Estratégias de autoconhecimento e de promoção da auto-estima. A Comunicação nas relações interpessoais. Tipos de comunicação

Leia mais

MOVIMENTO DA ESCOLA MODERNA

MOVIMENTO DA ESCOLA MODERNA e-mail: mem@mail.telepac.pt Índice ordinal (2005-2011) (2005) Niza, S. (2005). Editorial. Escola Moderna, 23 (5), 3-4. Mata Pereira, M. (2005). O Currículo por Competências: A construção de um instrumento

Leia mais

CONTRIBUTOS DA TUTORIA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE BOLONHA

CONTRIBUTOS DA TUTORIA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE BOLONHA INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Universidade Técnica de Lisboa Workshop: As Competências Transversais do MEEC no Modelo de Bolonha CONTRIBUTOS DA TUTORIA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE BOLONHA Gabinete de Estudos

Leia mais

AULA 2 - Assíncrona Conteúdo:

AULA 2 - Assíncrona Conteúdo: 2 - Assíncrona Conteúdo: Crescimento da População Mundial Distribuição Geográfica 1.1 Habilidades: Compreender a estrutura atual da população mundial por faixa etária e por sexo, utilizando as pirâmides

Leia mais

ACOMPANHAMENTO PSICOSSOCIAL DE CRIANÇAS E JOVENS DIABÉTICOS

ACOMPANHAMENTO PSICOSSOCIAL DE CRIANÇAS E JOVENS DIABÉTICOS ACOMPANHAMENTO PSICOSSOCIAL DE CRIANÇAS E JOVENS DIABÉTICOS ACES Porto Oriental / Centro de Saúde de Campanhã Emília Aparício, Assistente Social Cristina Campos, Psicóloga INTRODUÇÃO Desde 2007, o Serviço

Leia mais

Segurança Social e Economia. Palestrante: João de Almeida Neto

Segurança Social e Economia. Palestrante: João de Almeida Neto Segurança Social e Economia Palestrante: João de Almeida Neto Definições Genéricas Segurança Social Segurança Social é um sistema de protecção social propiciada pelo Estado aos cidadãos, mediante medidas

Leia mais

A RECUPERAÇÃO DA AUTORIDADE NO TRABALHO COM AS FAMÍLIAS

A RECUPERAÇÃO DA AUTORIDADE NO TRABALHO COM AS FAMÍLIAS DANIEL SAMPAIO A RECUPERAÇÃO DA AUTORIDADE NO TRABALHO COM AS FAMÍLIAS Programa Crianças e Jovens em Risco Fundação Calouste Gulbenkian 29-9-2011 Programa 2008/2011 FORMAÇÃO PARENTAL 8 Projectos de 8 organizações:

Leia mais

TESE DE MESTRADO O Papel dos Mecânicos Locais na Gestão Comunitária das fontes dispersas O caso do Município do Dondo

TESE DE MESTRADO O Papel dos Mecânicos Locais na Gestão Comunitária das fontes dispersas O caso do Município do Dondo TESE DE MESTRADO O Papel dos Mecânicos Locais na Gestão Comunitária das fontes dispersas ------------ O caso do Município do Dondo Estudante: Luís Macário Ramo: Desenvolvimento Rural Orientador externo:

Leia mais

EMIGRAÇÃO EM PORTUGAL (2003): MAIORITARIAMENTE TEMPORÁRIA

EMIGRAÇÃO EM PORTUGAL (2003): MAIORITARIAMENTE TEMPORÁRIA Estatísticas Migratórias - Emigração 2003 11 de Junho de 2004 EMIGRAÇÃO EM PORTUGAL (2003): MAIORITARIAMENTE TEMPORÁRIA Não tendo as características e o volume de outros tempos, a emigração portuguesa

Leia mais

1.1. Creche Objectivos gerais

1.1. Creche Objectivos gerais 1.1. Creche 1.1.1. Objectivos gerais Os processos de ensino e aprendizagem deverão contribuir nesta primeira etapa da Educação para a Infância, para que as crianças alcancem os seguintes objectivos: -

Leia mais

A EMIGRAÇÃO E OS JOVENS

A EMIGRAÇÃO E OS JOVENS Universidade do Algarve Escola Superior de Educação e Comunicação Ciências da Comunicação Projeto Multimédia Prº Fernando Carrapiço 2011/2012 PROPOSTA DE PROJETO A EMIGRAÇÃO E OS JOVENS Discentes: Carolina

Leia mais

Representações e atitudes dos lisboetas face à homossexualidade Programa de Ocupação Cientifica de Jovens nas Férias

Representações e atitudes dos lisboetas face à homossexualidade Programa de Ocupação Cientifica de Jovens nas Férias Representações e atitudes dos lisboetas face à homossexualidade Programa de Ocupação Cientifica de Jovens nas Férias Investigadores responsáveis: André Afonso Catarina Delgado Inês Tavares Helena Figueiredo

Leia mais

CONTROLE DE CONTEÚDO - TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SÃO PAULO ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: PSICOLOGIA (TRE-SP AJAP)

CONTROLE DE CONTEÚDO - TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SÃO PAULO ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: PSICOLOGIA (TRE-SP AJAP) CONTROLE DE CONTEÚDO - TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SÃO PAULO ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: PSICOLOGIA (TRE-SP AJAP) 1 Ortografia oficial. GRAMÁTICA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTO DA LÍNGUA PORTUGUESA CONTEÚDO

Leia mais

PROJETO CRIAR SABERES 2018

PROJETO CRIAR SABERES 2018 1 PROJETO CRIAR SABERES 2018 O ISG Instituto Superior de Gestão (Business & Economics School), integrado no Grupo ENSINUS, com o objetivo de reforçar o conhecimento dos alunos e professores das escolas

Leia mais

A relação interpessoal: -Actuando Relações: Estratégias e Padrões Comunicativos

A relação interpessoal: -Actuando Relações: Estratégias e Padrões Comunicativos A relação interpessoal: -Actuando Relações: Estratégias e Padrões Comunicativos Características básicas A qualidade da relação Negociação da relações interpessoais Questões de base COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL

Leia mais

ANEXO F ÁRVORE DE CATEGORIAS DAS ENTREVISTAS APRECIATIVAS

ANEXO F ÁRVORE DE CATEGORIAS DAS ENTREVISTAS APRECIATIVAS ANEXO F ÁRVORE DE CATEGORIAS DAS ENTREVISTAS APRECIATIVAS Categorias Número de Referências Projecto Intervir A Técnicos no O Estruturação do Reconhecimento do Actividades Enquadramento da intervenção Trabalho

Leia mais

VIVÊNCIAS DA AMAMENTAÇÃO NUM GRUPO DE MÃES ADOLESCENTES. Ana Flores Goreti Pereira Isabel Teixeira

VIVÊNCIAS DA AMAMENTAÇÃO NUM GRUPO DE MÃES ADOLESCENTES. Ana Flores Goreti Pereira Isabel Teixeira VIVÊNCIAS DA AMAMENTAÇÃO NUM GRUPO DE MÃES ADOLESCENTES Ana Flores Goreti Pereira Isabel Teixeira Fundamentação Teórica A amamentação. A adolescente e a amamentação. Promoção da amamentação na adolescência.

Leia mais

O SENTIDO DA VIDA SOB A ÓTICA DE UM GRUPO DE IDOSOS

O SENTIDO DA VIDA SOB A ÓTICA DE UM GRUPO DE IDOSOS O SENTIDO DA VIDA SOB A ÓTICA DE UM GRUPO DE IDOSOS Mahyne Cleia Albino Guedes; Ednardo Serafim de Sousa; Viviane Santos Soares Mariz; Kay Francis Leal Vieira INTRODUÇÃO Centro Universitário de João Pessoa-

Leia mais

A representação cinematográfica da solidão na velhice: seleção de filmes

A representação cinematográfica da solidão na velhice: seleção de filmes A representação cinematográfica da solidão na velhice: seleção de filmes Mônica Bellegarde e Dra. Sacramento Pinazo (Universidad de Valencia) Dra. Trinidad Nuñez (Universidad de Sevilla) ÍNDICE Introdução

Leia mais

CAPÍTULO V DISCUSSÃO DOS RESULTADOS

CAPÍTULO V DISCUSSÃO DOS RESULTADOS CAPÍTULO V DISCUSSÃO DOS RESULTADOS Neste capítulo será efectuada a discussão dos resultados apresentados anteriormente. A discussão visa compreender os resultados obtidos, mediante a comparação com estudos

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE FERREIRA DO ZÊZERE CAPÍTULO I

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE FERREIRA DO ZÊZERE CAPÍTULO I CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Âmbito de aplicação O Centro de Convívio, é uma das Respostas Sociais da Santa Casa da Misericórdia de Ferreira do Zêzere, Instituição Privada de Direito Canónico com sede

Leia mais

Cidades Competitivas. Vice-Reitor da Universidade do Minho. 2013

Cidades Competitivas. Vice-Reitor da Universidade do Minho. 2013 s Competitivas Vice-Reitor da Universidade do Minho jmendes@reitoria.uminho.pt 2013 Megatendências e desafios de futuro A visão para a 5 dimensões do sucesso Exemplos para cidades portuguesas O desafio

Leia mais

Memórias do trabalho

Memórias do trabalho Universidade Popular do Porto Candidatura de projecto à Porto 2001 SA, Capital da Cultura Memórias do trabalho testemunhos do Porto laboral no sé culo XX Agosto de 1999 (reformulação em Setembro de 2000)

Leia mais

Reassentamento e Modos de Vida Perspectivas de Angola MPUMALANGA, ÁFRICA DO SUL OUTUBRO 2014

Reassentamento e Modos de Vida Perspectivas de Angola MPUMALANGA, ÁFRICA DO SUL OUTUBRO 2014 Reassentamento e Modos de Vida Perspectivas de Angola MPUMALANGA, ÁFRICA DO SUL OUTUBRO 2014 ÍNDICE 03 04 05 07 Objectivos e Metodologia Linha do tempo Normativos e Estratégia Nacional Estudo de projectos

Leia mais

OBJECTIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS DA EDUCAÇÃO AFECTIVO- SEXUAL

OBJECTIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS DA EDUCAÇÃO AFECTIVO- SEXUAL OBJECTIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS DA EDUCAÇÃO AFECTIVO- SEXUAL Numa perspectiva global pretende-se que no 2º ciclo os alunos Adquiram e aumentem conhecimentos: Sobre o conceito de sexualidade e as suas diferentes

Leia mais

Photovoice: uma nova metodologia de intervenção com famílias pobres

Photovoice: uma nova metodologia de intervenção com famílias pobres Photovoice: uma nova metodologia de intervenção com famílias pobres Sofia Rodrigues Universidade de Aveiro 24 Setembro 2010 Os sistemas formais de apoio atravessam um momento de transição! Modelo tradicional

Leia mais

EB1/PE DE ÁGUA DE PENA

EB1/PE DE ÁGUA DE PENA EB1/PE DE ÁGUA DE PENA 2010 2014 1.Introdução 2.Enquadramento legal 3.Diagnóstico avaliação do projecto anterior 4.Identificação de prioridades de intervenção 5.Disposições finais 6.Avaliação 1.Introdução

Leia mais

Afetos ao cair da noite

Afetos ao cair da noite Afetos ao cair da noite cinco questões sobre a perda e o luto Oficinas de Formação Plano formativo Espaço do Luto email.: geral@espacodoluto. pt telef.: 234 047 507/ 929 078 828; 917 052 052 ACN Afetos

Leia mais

Acção n.º 42 A Gestão e resolução de conflitos/promover ambientes de aprendizagem e cidadania

Acção n.º 42 A Gestão e resolução de conflitos/promover ambientes de aprendizagem e cidadania Acção n.º 42 A Gestão e resolução de conflitos/promover ambientes de aprendizagem e cidadania Modalidade: Oficina de Formação; Destinatários: Docentes dos grupos 110, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260,

Leia mais

O impacto da tecnologia no seguro automóvel: Espécie em vias de extinção? Ou Transformação?

O impacto da tecnologia no seguro automóvel: Espécie em vias de extinção? Ou Transformação? O impacto da tecnologia no seguro automóvel: Espécie em vias de extinção? Ou Transformação? Apresentação à Associação de Supervisores de Seguros Lusófonos Julho de 2017 Duas tendências estão a convergir

Leia mais

Estratégias para a Saúde

Estratégias para a Saúde Estratégias para a Saúde V.1) Cadernos do PNS Acções e Recomendações Promoção da Cidadania em Saúde (Versão Discussão) ESTRATÉGIAS PARA A SAÚDE V.1) CADERNOS DO PNS - ACÇÕES E RECOMENDAÇÕES PROMOÇÃO DA

Leia mais

ANEXO II. Guião de Entrevista de Episódio em Profundidade: Relatos de Vida

ANEXO II. Guião de Entrevista de Episódio em Profundidade: Relatos de Vida ANEXO II Guião de Entrevista de Episódio em Profundidade: Relatos de Vida CONSENTIMENTO INFORMADO A presente entrevista narrativa integra uma investigação a desenvolver no concelho de Lagoa, com o intuito

Leia mais

Forum AMP Empreendedorismo Social 2020

Forum AMP Empreendedorismo Social 2020 Forum AMP Empreendedorismo Social 2020 Porto 29 junho 2016 www.akdn.org 1 AGA KHAN DEVELOPMENT NETWORK AKDN geographic presence: 30 countries in 7 regions Fundação Aga Khan - Portugal A misão em Portugal

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ÉTICA E DEONTOLOGIA Ano Lectivo 2010/2011

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ÉTICA E DEONTOLOGIA Ano Lectivo 2010/2011 Programa da Unidade Curricular ÉTICA E DEONTOLOGIA Ano Lectivo 2010/2011 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Psicologia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular ÉTICA

Leia mais

Diplomados da Universidade Aberta em 2012 Resultados do Inquérito

Diplomados da Universidade Aberta em 2012 Resultados do Inquérito Diplomados da Universidade Aberta em 202 Resultados do Inquérito GDERI abril de 203 A Universidade Aberta (UAb), Universidade pública de ensino a distância, disponibiliza, em qualquer lugar do mundo, formação

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE COM ESTIMULAÇÃO COGNITIVA PARA SÉNIORES

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE COM ESTIMULAÇÃO COGNITIVA PARA SÉNIORES PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE COM ESTIMULAÇÃO COGNITIVA PARA SÉNIORES Sílvia Tavares da Silva silviauccoaz@gmail.com Maria Teresa Barata Tavares coord.enfermagem@csoazemeis.min-saude.pt 1 Pirâmide

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GEOGRAFIA HUMANA Ano Lectivo 2016/2017

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GEOGRAFIA HUMANA Ano Lectivo 2016/2017 Programa da Unidade Curricular GEOGRAFIA HUMANA Ano Lectivo 2016/2017 1. Unidade Orgânica Arquitectura e Artes (1º Ciclo) 2. Curso Arquitectura 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade Curricular GEOGRAFIA HUMANA

Leia mais

Ciência e sociedade: o movimento social pela cultura científica

Ciência e sociedade: o movimento social pela cultura científica Ciência 2008 Encontro com a Ciência em Portugal Ciência Viva: Promover a Cultura Científica e Tecnológica Ciência e sociedade: o movimento social pela cultura científica António Firmino da Costa Centro

Leia mais

III SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO

III SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO III SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO EDUCAR PARA O FUTURO (RE)PENSAR O ENSINO WORKSHOP KIT EMOCIONAL DO DOCENTE Câmara de Lobos, 6 e 7 de Maio de 2016 Anabela Pereira e Jacinto Jardim KIT EMOCIONAL DOCENTE AS EMOÇÕES

Leia mais

ADULTOS COM DIFICULDADES DE EXPRESSÃO ESCRITA

ADULTOS COM DIFICULDADES DE EXPRESSÃO ESCRITA ADULTOS COM DIFICULDADES DE EXPRESSÃO ESCRITA I. INTRODUÇÃO: Dado que a equipa se tem deparado com formandos que evidenciam dificuldades a nível de escrita, tais como: LÉXICO Vocabulário reduzido Vocabulário

Leia mais

Tempos Modernos, Tempos de Sociologia Material desenvolvido pela Editora do Brasil, não avaliado pelo MEC.

Tempos Modernos, Tempos de Sociologia Material desenvolvido pela Editora do Brasil, não avaliado pelo MEC. Matrizes Curriculares Enem Tempos Modernos, Tempos de Sociologia Material desenvolvido pela Editora do Brasil, não avaliado pelo MEC. H1 Interpretar historicamente e/ou geograficamente fontes documentais

Leia mais

República de Angola MINISTÉRIO DO AMBIENTE Gabinete de Alterações Climáticas TERMO DE REFERÊNCIA

República de Angola MINISTÉRIO DO AMBIENTE Gabinete de Alterações Climáticas TERMO DE REFERÊNCIA República de Angola MINISTÉRIO DO AMBIENTE Gabinete de Alterações Climáticas TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIALISTA EM GÉNERO PARA CRIAÇÃO DE UMA ESTRATÉGIA E PLANO DE MONITORIA E AVALIAÇÃO PARA O PROJECTO CARVÃO

Leia mais

Questionário para caracterização da População Idosa do concelho de Bombarral

Questionário para caracterização da População Idosa do concelho de Bombarral Questionário para caracterização da População Idosa do concelho de Bombarral Uma sociedade envelhecida exige definição de medidas de politicas específicas, no contexto de uma politica socialmente global,

Leia mais

A Perspectiva Ecológica do Desenvolvimento Humano de

A Perspectiva Ecológica do Desenvolvimento Humano de A Perspectiva Ecológica do Desenvolvimento Humano de Urie Bronfenbrenner A Ecologia do Desenvolvimento Humano O Microsistema O Mesosistema O Exosistema O Macrosistema Copyright, 2008 José Farinha, Prof.

Leia mais

Estilos Parentais e Auto-Estima: Pais Resilientes ou em Crise?

Estilos Parentais e Auto-Estima: Pais Resilientes ou em Crise? Mónica Taveira Pires Rute Brites Estilos Parentais e Auto-Estima: Pais Resilientes ou em Crise? Desenvolvimento, Família & Crise Sistema Socio-antropoanalítico Carlos Caldeira (citado por Hipólito, 2010)

Leia mais

Os desafios da História da Enfermagem

Os desafios da História da Enfermagem Os desafios da História da Enfermagem Da guerra da Crimeia à Saúde Global Pedro Pereira Leite e Lorena Sancho Querol Roteiro Balizas da história da enfermagem O uso da História e da Memória Para uma memória

Leia mais

Risco psicossocial, psicopatologia e recursos protectores em menores abrangidos pela LTE

Risco psicossocial, psicopatologia e recursos protectores em menores abrangidos pela LTE Risco psicossocial, psicopatologia e recursos protectores em menores abrangidos pela LTE Workshop Internacional sobre Boas Práticas na Intervenção Tutelar Educativa, D.G.R.S. Faro, 29 de Maio de 2009 Ida

Leia mais

Uma Visão Transversal - FS

Uma Visão Transversal - FS Uma Visão Transversal - FS Equipas PMUS Distribuição de temas - abordagem transversal à Região Intermodalidade e informação ao público Rede rodoviária, tráfego e estacionamento Dinâmicas demográficas e

Leia mais

Sociologia Aplicada. Trabalho de Pesquisa

Sociologia Aplicada. Trabalho de Pesquisa Definir o problema Rever a bibliografia Formular uma hipótese Selecionar um plano de investigação Realizar a investigação Interpretar os resultados Elaborar o relatório final Registar as descobertas e

Leia mais

ELEIÇÕES / PROGRAMA ELEITORAL LISTA B

ELEIÇÕES / PROGRAMA ELEITORAL LISTA B ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE DOENTES DE PARKINSON ELEIÇÕES / 2012-2014 PROGRAMA ELEITORAL LISTA B Todos juntos somos fortes Não há nada a temer Ao meu lado há um amigo Que é preciso proteger Chico Buarque

Leia mais

ESTRUTURA FAMILIAR E DINÂMICA SOCIAL

ESTRUTURA FAMILIAR E DINÂMICA SOCIAL O QUE É A FAMÍLIA? Família surgiu em Roma para identificar um novo grupo social que surgiu entre tribos latinas, ao serem introduzidas à agricultura e também escravidão legalizada. A família caracteriza

Leia mais

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Cursos Científico-Humanísticos Ano Letivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL SOCIOLOGIA (12º ano) Página 1 de 6 Competências Gerais Desenvolver a consciência dos direitos e

Leia mais

INFORMAÇÃO- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

INFORMAÇÃO- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA PROVA 344 INFORMAÇÃO- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 12º Ano de Escolaridade CURSOS CIENTÍFICO-HUMANÍSTICOS SOCIOLOGIA ANO LECTIVO 2011/2012 Tipo de prova: Escrita Duração (em minutos): 90 TEMAS CONTEÚDOS

Leia mais

Unidade 01. Prof.ª Fernanda Mendizabal Instituto de Educação Superior de Brasília

Unidade 01. Prof.ª Fernanda Mendizabal Instituto de Educação Superior de Brasília Unidade 01 Prof.ª Fernanda Mendizabal Instituto de Educação Superior de Brasília Afirmar a importância do estudo da história para a compreensão da Psicologia contemporânea. Destacar a relevância das forças

Leia mais

CANADA UM PROJETO DE VIDA

CANADA UM PROJETO DE VIDA CANADA UM PROJETO DE VIDA INFORMAÇÃO SOBRE O CANADÁ O Canadá é composto por 10 províncias e 3 territórios Sistema polí:co : Monarquia cons:tucional O Canadá é enquadrado por 3 oceanos : O oceano Pacífico

Leia mais

MATRIZ DE REFERÊNCIA PARA O ENEM 2009

MATRIZ DE REFERÊNCIA PARA O ENEM 2009 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA MATRIZ DE REFERÊNCIA PARA O ENEM 2009 EIXOS COGNITIVOS (comuns a todas as áreas de conhecimento) I. Dominar

Leia mais