AS CRIANÇAS CANTAM. Primeira Eucaristia e Celebrando com Maria. Pequenos Cantores de Curitiba - PR (Vila Verde CIC)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AS CRIANÇAS CANTAM. Primeira Eucaristia e Celebrando com Maria. Pequenos Cantores de Curitiba - PR (Vila Verde CIC)"

Transcrição

1 S CRINÇS CNTM Primeir ucristi e Ceebrndo com Mri Pequenos Cntores de Curitib PR (Vi Verde CIC) Regênci: Ir. Custódi M. Crdoso, CIIC

2 ÍNIC Primeir ucristi Jesus, meu migo (Ir. isbete T. do Prdo, CIIC) 1. Jesus, meu migo Meu corção ind é pequeno óri eui! Queremos escutr É o gesto d prtih Snto, Snto, Senhor o redor d mes Nov semente (nvio) Ceebrndo com Mri (Ir. isbete T. do Prdo, CIIC) 9. Ceebrndo com Mri Senhor, piedde ih de Sião (smo responsori) eui! O Senhor fez em mim mrvihs Oferend Como posso merecer? Te coromos, tmbém Mgnifict endereços... 24

3 »» Miss de Primeir ucristi 1. Jesus, meu migo L. e M.: Ir. isbete T. do Prdo CIIC & 2 4 Œ. _ { _. _ Ref.: Je sus meu mi go es tou qui, es tou qui & œ œ» p r ce _ e brr, p r gr _ de Œ & œ» m C m. 1. Ce e brr o mor ce e brr vi d, no v &.» Œ. _ { i n ç, cer e & Œ. _. (Útimo ref.) Je sus meu mi go es tou qui, es tou &.. qui, es tou qui, es tou qui. gri e pr ti hr o pão e fé Je R.: Jesus, meu migo, estou qui, estou qui Pr ceebrr, pr grdecer e prtihr o pão e fé. 1. Ceebrr o mor, ceebrr vid, nov inç, ucristi! 2. m comunidde, o redor d mes, nov inç, ucristi! 3. Somos mis irmãos, somos mis Igre, nov inç, ucristi! R.: Jesus, meu migo, estou qui, estou qui stou qui, estou qui. 03

4 »» 2. Meu corção ind é pequeno L. e M.: Ir. isbete T. do Prdo CIIC Soo: Lriss rci Sntos 6 & 8 Œ.. Meu co r ção in d é pe que no, meu co r ção quer ser fi & _. _ e. Je sus eu pe çô _ m... ô seu per dão, de mim Se nhor, tem com pi xão & b m m C m m 3 4 Ó... Je sus per dão, Se nhor per dão, Je m. & b m. _ m C. dão, por não mr meu ir & b m m m.. _ m. dão, Je sus per dão, por to dos pe ço per mão. Je sus per dão, sus Se nhor per dão. per Meu corção ind é pequeno Meu corção quer ser fie Jesus, eu peço o seu perdão e mim Senhor, tem compixão. Jesus perdão, Senhor perdão, Jesus perdão, por não mr meu irmão. Jesus perdão, Senhor perdão, Jesus perdão, por todos peço perdão. 04

5 & 2 C C 4 Ó Œ { R.: ó ri, 3. óri gó L. e M.: Ir. isbete T. do Prdo CIIC C & Ó _ 1. ó ri o Pi, o cri dor. ó ri o i ho C ri Re den tor. & _ pí ri to de mor Sn to fo go br s dor. ó ri! o ine s.c. ine R.: óri, góri! (bis) 1. óri o Pi, o cridor. óri o iho Redentor. o spírito de mor, Snto fogo brsdor. óri! 2. óri por tudo o que eu tenho. óri por tudo o que eu sou. fmíi, meus migos: É presente teu, Senhor! óri! 05

6 & 2 4 e 4. eui! Queremos escutr u i, e u i, L. e M.: Ir. isbete T. do Prdo CIIC & e u i, e u i, e e & Œ. _ Se es cu tr tu P u u vr é nhor que re mos vi d e ter i. i. ine n! R.: eui, eui, eui! (bis) Senhor queremos escutr Tu Pvr é vid etern! 06

7 »» 5. É o gesto d prtih L. e M.: Ir. isbete T. do Prdo CIIC & 2 4 Œ.. 1. I gu vi u vi nh, eu vim de po si tr tm bém mi nh o &. J fer _ t C m _ Cm no teu tr, Se nhor. Ó œ» R.: É o ges to & m œœ d mi z de, do co r ção, é en d pr tre g C œ &» m Œ. m ni t: vi d! O tri go, u v, o vi nho e o ti mis pão! h, bo 1. Igu viuvinh, eu vim depositr Tmbém minh ofert no teu tr, Senhor. R.: É o gesto d prtih, d mizde, do corção. É entreg mis bonit: vid! O trigo, uv, o vinho e o pão! 2. Igu viuvinh, eu vim depositr Tmbém minh fmíi no teu tr, Senhor. 3. Igu viuvinh, eu vim depositr Tmbém os meus migos no teu tr, Senhor. 4. Igu viuvinh, eu vim depositr Tmbém os meus estudos no teu tr, Senhor. 0

8 6. Snto, Snto, Senhor L. e M.: Ir. isbete T. do Prdo CIIC 24 &.. m _. _ Sn to, Sn to, Sn to. Se nhor eus do U ni ver so O &. _ m _. ficod.. céu e ter r pro c mm vos s gó ri. Ho % & m. Œ. _ { s n, ho s n, ho s n ns & 1. () 2... Œ. To Cod m { { tu rs. Ho tu rs en di to é que e que _ {.C. Cod vem Œ. &. ine Œ. Œ. _. m no me do Se nhor..s. ine Ho s n ns tu rs! Snto, Snto, Snto. Senhor eus do Universo O céu e terr procmm voss góri /: Hosn, hosn, hosn ns turs:/ Snto, Snto, Snto. Senhor eus do Universo O céu e terr procmm voss góri. /: endito é quee que vem:/ m nome do Senhor! /: Hosn, hosn, hosn ns turs:/ Hosn ns turs! 08

9 . o redor d mes b L. e M.: Ir. isbete T. do Prdo CIIC Soo: n Roger ves Mrtins & bb b b6 8 Œ. _ m. b m _. b. _ 1. o re dor d me s s gr d es t mos, Se nhor. Ce e & bb b b b m. b m _. b m.. b. brn do fé, pr ti h do vi nho do pão. Teu cor po e sn b gue i & bb b b b. b b. b.. n ç b de mor R.: Pe pri mei r vez b pe pri mei r & bb b b b.. _ b. _ b. b.. vez. b Ve nho Je sus co mun gr. Pe pri mei r & bb b b b. b. _ b... Œ. _ pe primei r vez. b Ve nho Je sus co mun gr teu vez, b mor 1. o redor d mes sgrd estmos, Senhor. Ceebrndo fé, prtih do vinho, do pão; Teu corpo e sngue, inç de mor. R.: Pe primeir vez, pe primeir vez Venho Jesus, comungr. Pe primeir vez, pe primeir vez Venho Jesus comungr teu mor. 2. Somos fihos, irmãos; Igre, no Pi, comunhão. Qu os rmos n mesm videir, divino cuidr. o corpo, os membros: um só corção. 3. Comungr é tmbém se envover, é se comprometer. Teus discípuos somos, queremos teus pssos seguir. O teu proeto nuncir e viver. 09

10 »»» 8.Nov Semente (nvio) L. e M.: Ir. isbete T. do Prdo CIIC & _ f ço i n ç com vo cê com su gen te N es & m tr d di _ di eu sus ten to_o & m. & 4 Ó. _ m _ _ 1. Meu r dim g nhou mis vi d meu mor nov se men te ho e bri ho_es tá_em seus o hos e_ mi nh pz no seu n seu dr o hr & Œ. œ œ w Œ. R.: Vi eu en vi o vo cê vi tes te mu nhr Vi eu en & œ Œ _. vi o vo cê por su bo c i rei f r o ine VI meu 1. Meu rdim gnhou mis vid; meu mor, nov semente. Hoe, fço inç com você; com su gente. N estrd didi, eu sustento o seu ndr. O meu briho está em seus ohos e minh pz no seu ohr! Ref.: Vi, eu envio você! Vi testemunhr! Vi, eu envio você! Por su boc, irei fr! 2. Meu rdim gnhou mis vid; meu mor, nov semente. Hoe, fço inç com você; com su gente. Luz d terr; meu tesouro. Povo meu, "meu corção". u serei o seu consoo, egri e svção! Ref.: Vi, eu envio você! Vi testemunhr! Vi, eu envio você! Por su boc, irei fr! Vi! 10

11 Miss Ceebrndo com Mri 9. Ceebrndo com Mri L e M: Ir. isbete T. do Prdo CIIC & m 4 4 Œ {. w R.: É ce e br ção do mor. Cee brn do com M ri, nos s mãe. & m Œ { {. É ce e br ção do mor. Ce e brn do com M ri, mãe m &. Œ. _ w mãe de Je sus. 1. Vão e f çm tu do o que Je sus m & _ ser, ô ô ô re co men dou. ( ) Œ Œ s sim nos s mãe. dis R.: É ceebrção do mor. (bis) Ceebrndo com Mri, noss mãe. É ceebrção do mor. (bis) Ceebrndo com Mri, mãe, mãe de Jesus. 1. "Vão e fçm tudo o que Jesus disser". Ô, ô, ô. Recomendou ssim noss mãe. 2. isme qui tmbém, com todo meu mor. Ô, ô, ô. Meu corção, em eus se egrou! 3. Igre viv nós somos, em missão. Ô, ô, ô. Que se reúne pr prtihr o pão. 11

12 »»» R.: Se nhor pie d 10. Senhor, piedde == & ficod % 4 4 _ _ _ = Je sus pie d de. Se nhor pie d de. L e M: Ir. isbete T. do Prdo CIIC == &. m.. = Pe ço perdão pe s ve zes que eu er rei, não ou vi, não en xer guei == &.. = mão que pre ci s v. Pe ço per dão pe f t de o de. ir mor, e m == &. _» = gri do ção, que em po bre ce os co r ções..s. Cod Se nhor To Cod pie d de. R.: Senhor, piedde! Jesus, piedde! Senhor, piedde! Peço perdão pes vezes que eu errei, Não ouvi, não enxerguei o irmão que precisv. Peço perdão pe ft de mor, egri, doção Que empobrece os corções. 12

13 & 4 4. m w R.: i h 11. ih de Sião S. Resp. (Is 60, 1ss) de Si ão, tu és fe iz por que_o L e M: Ir. isbete T. do Prdo CIIC Soo: Lriss rci Sntos Se nhor es tá em &. m. i h de Si ão, tu és fe iz por que_o Se nhor es tá em ti. ti. 1. So bre &. ti ções, á n res tu pn de ce to d uz, n d gó ri &. w rão per do Se to de nhor. ti. _s n R.: ih de Sião, tu és feiz porque o Senhor está em ti. (bis) 1. Sobre ti á respndece tod góri do Senhor. s nções, n tu uz, ndrão perto de ti. 2. Tu tmbém serás chmd cidde de Sião, Serás sempre dmird por tods s gerções. 3. O Senhor será teu briho mis que u, mis que o so, em eus terás, enfim, o eterno espendor. 4. O Senhor te honrrá com pz e o ouvor. Pr sempre firmrá ustiç, svção. 13

14 12. eui! O Senhor fez em mim mrvihs L e M: Ir. isbete T. do Prdo CIIC Soo: Lriss rci Sntos & 2 C C 4 1. _ R.: e u i! e u i! e u C 2. C. { { _ i! e i! & C _ O Se nhor fez em mim m r vi hs! m & É sn to_o seu no me mi nh_ m en tão se e gr! C R.: eui! eui! eui! (bis) 1. O Senhor fez em mim mrvihs! É Snto o seu nome. Minh m, então, se egr! 14

15 13. Oferend Lc 2,2540 L e M: Ir. isbete T. do Prdo CIIC Soo: Mrin de átim oinski & b 6 8 _. b C. _. _. R.: go r, Se nhor, con for me tu pro mes s, m m C & b w. { { p r to dos os po vos, che gou s v ção. ção. 1. Nes te b C & b. tem po tão s gr do, no teu tr ó Se nhor, meus m m C & b. o b hos vi rm gr _ ç, grn de uz ds n ções! R.: gor, Senhor, conforme tu promess, /: Pr todos os povos, chegou svção.:/ 1. Neste tempo tão sgrdo, no teu tr, ó Senhor, Meus ohos virm grç, grnde uz ds nções! 2. Neste tempo tão sgrdo, no teu tr, ó Senhor, Minh vid ofereço, como fez n e Simeão! 3. Neste tempo tão sgrdo, no teu tr, ó Senhor, Trgo qui minh fmíi, qu Jesus, Mri e José! 15

16 14. Como posso merecer? Lc 1,3945 & b 4. J. { R.: Co mo pos so me re b cer L e M: Ir. isbete T. do Prdo CIIC Soo: n Roger ves Mrtins que_ C 1. C & b 2. Œ _ { nhor ve nh me vi si _ tr? Co mo tr? 1. Ver bo mãe i vi do meu no que se b C & b C cr ne, P vr b que & b _ C (C). di t en tre_s mu he res e se ben fez _ di to é_o _ mor! teu co Tu r és ção! Se fez ben R.: Como posso merecer que mãe do meu Senhor Venh me visitr? (bis) 1. Verbo ivino que se fez crne, Pvr que se fez mor! Tu és bendit entre s muheres e bendito é o teu corção! 2. Tu és feiz, feiz Mri! Com Isbe queremos procmr. vid é grç, é cminhd; é mord onde eus quer estr! 3. Não há mis medo, nem incertez: o Pi cumpriu o que nos prometeu! sudção é inç de um eus que m e se fz comunhão! 16

17 » 15. Te coromos, tmbém L e M: Ir. isbete T. do Prdo CIIC & c œ» J m J w R.: Mn to S gr do de eus és M ri, nos s mãe. Mãe de tn tos &. w. { no mes, mãe ter n de Je 1. sus. 2. sus. 1. Um n o de eus nun &. _. ci : "tu és mu her mis fe iz! O fi ho que ns cer de &.. ti é_o fi ho de eus, o Se tís si mo!" nhor, o R.: Mnto Sgrdo de eus és Mri, noss mãe. Mãe de tntos nomes, mãe tern de Jesus. (bis) 1. Um no de eus nunci: "Tu és muher mis feiz! O fiho que nscer de ti É o fiho de eus, o Senhor, o tíssimo!" 2. Se eus te mou tnto ssim u tmbém se rendeu. Tu és rinh, ó mãe, Que eus coroou. Te coromos! 1

18 16. Mgnifict Lc 1,4655 L e M: Ir. isbete T. do Prdo CIIC Soo: Lriss rci Sntos () 2 & 4 _ R.: " mi nh m cn t_ gó ri do Se nhor Mi nh_ e gri _es tá em m m & Œ Œ { eus meus v dor!" 1. Por que_o hou hu mi d de de su m & Œ tro r me ben di gm ge r ções. Porque grn de_é o ser v e ou Se nhorem seu mor: & Œ Œ _.C. m rn des o brs fez por mim; seu no me_é Sn to. (in) Meu S v dor. R.: " minh m cnt góri do Senhor. Minh egri está em eus, meu Svdor!" (bis) 1. Porque ohou humidde de su serv outror me bendigm gerções. Porque grnde é o Senhor em seu mor: rndes obrs fez por mim; seu nome é Snto. 2. Porque su compixão cheg à todos: os que o temem e têm ret intenção. Reiz mrvihs com poder. rgue o pobre e derrub o orguhoso. 3. Porque ge com direito e ustiç, Scindo os fmintos com seus bens., conforme prometeu os nossos pis, m fvor de brão e su gente. 4. Su grç se estende pr sempre Socorrendo sempre, sempre, o seu povo. Su grç se estende pr sempre Socorrendo sempre, sempre, o seu povo. 18

19 PULUS LIVRRIS PRCI SP Centro de poio os Romeiros, S/N Los 44, 45, 8, 9 Norte CP: one/x: (12) e RCJU S Ru Lrneirs, 319 Centro CP: one/x: (9) e LÉM P Ru 28 de setembro, 61 Cmpin CP: one/x: (91) , e LO HORIZONT M Ru d hi, 1136 difício rcângeo Met Centro CP: one/x: (31) / / / RSÍLI Setor Comerci Su Qd. I boco I difício Centr o 15 s Su CP: one/x: (61) , e CMPINS SP Ru rão de Jgur, 1163 Centro CP: one/x: (19) / / e CMPO RN MS v. Cógers, 2405 Centro CP: one/x: (6) e CXIS O SUL RS v. Júio de Cstiho, 2029 irro Centro CP: one/x: (54) , e CONTM M v. João Césr de Oiveir, 205 Lo 1 irro dordo CP: one/x: (31) CUIÁ MT Ru ntônio Mri Coeho, 180 Centro CP: one/x: (65) / / / CURITI PR Prç Rui rbos, 599 Centro em frente o Coégio S. José CP: one/x: (41) e LORINÓPOLIS SC Ru Jerônimo Coeho, 119 Centro CP: one/x: (48) e ORTLZ C Ru orino Peixoto, 523 Prç do erreir Centro CP: one/x: (85) e OIÂNI O Ru Seis, 201 Centro CP: one/x:: (62) e e JOÃO PSSO P Prç om duto, S/N Junto à Cúri Centro CP: one/x: (83) JUIZ OR M v. rão do Rio rnco, 2590 Centro CP: one/x: (32) e MNUS M Ru Itmrcá, 21 Centro CP: NTL RN Ru Corone Cscudo, 333 Cidde t CP: one/x: (84) e PORTO LR RS Ru r. José Montury, 155 Centro CP: one/x: (51) / / RCI P v. nts rreto, 1000 irro São José CP: one/x: (81) / / RIIRÃO PRTO SP Ru São Sebstião, 621 Centro CP: one/x: (16) e RIO JNIRO RJ Ru México, 111 Csteo CP: one/x: (21) / / / SLVOR v. de Setembro, 80 Reógio de São Pedro CP: one: (1) / e SNTO NRÉ SP Ru Cmpos Ses, 255 Centro CP: one/x: (11) e S.J.O RIO PRTO SP Ru XV de Novembro, 2826 Centro CP: one/x: (1) e (busc utomátic) SÃO LUÍS M Ru d Pz, 121 Centro CP: one/x: (98) e VITÓRI S Ru uque de Cxis, 121 Centro CP: one/x: (2) / / / SÃO PULO: PRÇ SÉ SP Prç d Sé, 180 Centro CP: one/x: (11) / / / RPOSO TVRS Vi Rposo Tvres, Km 18,5 Cix Post CP: SP one: (11) x: (11) VIL MRIN SP Ru r. Pinto errz, 20 Metrô Vi Mrin CP: one/x: (11) e VNS ISTRIUIÇÃO Vi Rposo Tvres, Km 18,5 Cix post 2534 CP: SP one: (11) x: (11) Vends: (11)

P Á S C O A. 1. HOJE É DIA DE FESTA Abertura ========================== j « Vem C ˆ «. ˆ ˆ ˆ«««« res-

P Á S C O A. 1. HOJE É DIA DE FESTA Abertura ========================== j « Vem C ˆ «. ˆ ˆ ˆ«««« res- ix 1 P Á S O 1. HOJ É I ST bertur L.: Mri Pu Rodrigues M.: urivdo S. erreir & b m 4. œ J Ó R.: Ho e é di fes t e e gri! Vem cn tr, & b. vem cn tr: é fes t d res sur rei ção! Vem cn tr, & b. Œ _ vem cn

Leia mais

Hino da CF 2014. œ»» ============================= ˆ ˆ«ˆ««j ˆ ˆ l ˆ ˆ ˆ ˆ«

Hino da CF 2014. œ»» ============================= ˆ ˆ«ˆ««j ˆ ˆ l ˆ ˆ ˆ ˆ« œ œ œ œ Tem: rrnid e tráfico humno Lem: "É pr iberd risto nos ibertou!" ( 5,1) Hino d 2014 L. & M.: Roberto Lim Souz 1 Introdução & # Bm B #c J œ #œ œ. œ J Bm œ. œ j J œ. # dim œj œ # œ œ #œ œ œ œ Bm %

Leia mais

OITO TEMAS PARA DEBATE Violência e segurança pública. Alba Zaluar

OITO TEMAS PARA DEBATE Violência e segurança pública. Alba Zaluar OITO TEMAS PARA DEBATE Violência e segurança pública Alba Zaluar Resumo O texto aborda algumas das idéias mais disseminadas hoje nos meios de comunicação de massa, assim como no acadêmico, para entender

Leia mais

ESTUDAR AS TRANSFORMAÇÕES SOCIAIS. Stephen Castles. Introdução

ESTUDAR AS TRANSFORMAÇÕES SOCIAIS. Stephen Castles. Introdução ESTUDAR AS TRANSFORMAÇÕES SOCIAIS Stephen Castles Resumo As mudanças globais e a crescente importância dos fluxos e das redes transnacionais em todas as áreas da vida social criam novos desafios às ciências

Leia mais

Um bre ve ba lan ço da pesquisa sobre violência escolar no Brasil

Um bre ve ba lan ço da pesquisa sobre violência escolar no Brasil Um bre ve ba lan ço da pesquisa sobre violência escolar no Brasil Marilia Pontes Spo si to Uni ver si da de de São Pa u lo Resumo O ar ti go re a li za ba lan ço da pes qui sa so bre as re la ções en tre

Leia mais

MU DAN ÇAS NA IMI GRA ÇÃO Uma aná li se das es ta tís ti cas so bre a po pu la ção es tran ge i ra em Por tu gal, 1998-2001

MU DAN ÇAS NA IMI GRA ÇÃO Uma aná li se das es ta tís ti cas so bre a po pu la ção es tran ge i ra em Por tu gal, 1998-2001 MU DAN ÇAS NA IMI GRA ÇÃO Uma aná li se das es ta tís ti cas so bre a po pu la ção es tran ge i ra em Por tu gal, 1998-2001 Rui Pena Pires Re su mo Os da dos es ta tís ti cos so bre o re cen te cres ci

Leia mais

Parte I Es ta tís ti cas mo ne tá ri as e financeiras

Parte I Es ta tís ti cas mo ne tá ri as e financeiras Parte I Es ta tís ti cas mo ne tá ri as e financeiras Es ta tís ti cas mo ne tá ri as e fi nan cei ras METODOLOGIA UTILIZADA NA RECONSTRUÇÃO DE ESTATÍSTICAS MONETÁRIAS E FINANCEIRAS 1. Introdução 1.1 Objectivo

Leia mais

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Química feita pelo Intergraus. 11.01.2010

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Química feita pelo Intergraus. 11.01.2010 UNICAMP 2010 - QUÍMICA As questões dessa prova exploram matérias da Revista Pesquisa FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), uma publicação men sal disponível gratuitamente na rede

Leia mais

O imaginário é uma re a li da de

O imaginário é uma re a li da de ENTREVISTA O imaginário é uma re a li da de RESUMO Nesta entrevista Michel Maffesoli, pensador francês do co ti di a no e do presente, herdeiro intelectual de Gilbert Durand, faz uma cartografia da noção

Leia mais

Si Mesmo. Logosófica. Carlos Bernardo González Pecotche. Editora RAUMSOL

Si Mesmo. Logosófica. Carlos Bernardo González Pecotche. Editora RAUMSOL Carlos Bernardo González Pecotche RAUMSOL A Herança de Si Mesmo Editora Logosófica A HerAnçA de Si Mesmo Ao publicar o presente tra balho, o autor levou em conta a repercussão que ele pode alcançar no

Leia mais

ASSENTAMENTOS PRECÁRIOS NO BRASIL URBANO ASSENTAMENTOS PRECÁRIOS NO BRASIL URBANO

ASSENTAMENTOS PRECÁRIOS NO BRASIL URBANO ASSENTAMENTOS PRECÁRIOS NO BRASIL URBANO CEMcapa12007ok 14.02.75 14:15 Page 1 ASSENTAMENTOS PRECÁRIOS NO BRASIL URBANO MINISTÉRIO DAS CIDADES SECRETARIA NACIONAL DE HABITAÇÃO ASSENTAMENTOS PRECÁRIOS NO BRASIL URBANO Eduardo Marques (coord.),

Leia mais

O decrescimento como condição de uma sociedade convivial. Ser ge La tou che. ano 4 - nº 56-2006 - 1679-0316

O decrescimento como condição de uma sociedade convivial. Ser ge La tou che. ano 4 - nº 56-2006 - 1679-0316 O decrescimento como condição de uma sociedade convivial Ser ge La tou che ano 4 - nº 56-2006 - 1679-0316 UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNISINOS Re i tor Mar ce lo Fer nan des de Aqui no, SJ Vice-reitor

Leia mais

QUARESMA ANO B (2012)

QUARESMA ANO B (2012) QUARESMA ANO B (2012) 01- MESMO AS TREVAS Bm A D Mesmo as trevas não são trevas. # Bm A D # Para ti, a noite é luminosa como o dia. 02- NADA TE ASSUSTE Dm E NADA TE ASSUSTE, nem te perturbe. A quem tem

Leia mais

SE SOUBERMOS PERDOAR Ó CARA IRMÃ CLARA, SE SOUBERMOS PERDOAR

SE SOUBERMOS PERDOAR Ó CARA IRMÃ CLARA, SE SOUBERMOS PERDOAR CANTO 1 - LOUVOR DA CRIAÇÃO D Bm G Em A7 D Bm G Em A7 Aleluia! Aleluia! Aleluia! Aleluia! D F#m G Em A7 1. Javé o nosso Deus é poderoso, seu nome é grande em todas as nações D F#m G Em A7 Na boca das crianças

Leia mais

ABRI AS PORTAS A CRISTO (Hino ao Beato João Paulo II)

ABRI AS PORTAS A CRISTO (Hino ao Beato João Paulo II) Órg. 6 11 q = 60 me mf ortas a ris to! Não te mais, não te nhais do: 'scanca rai o vosso cora ção ao mor de Deus. RI POR RIO (Hino ao eato João Paulo II) ortas a ris to! Não te mais não te nhais me do;

Leia mais

Blogs: sentimentos em rede compartilhados na pós-modernidade

Blogs: sentimentos em rede compartilhados na pós-modernidade CIBERCULTURA Blogs: sentimentos em rede compartilhados na pós-modernidade RESUMO Este artigo relaciona o surgimento dos weblogs com aspectos de pós-modernidade que se apresentam na contemporaneidade. ABSTRACT

Leia mais

Car ti lha do Par ti ci pan te

Car ti lha do Par ti ci pan te Editada em Fevereiro/2012 PLANO Car ti lha do Par ti ci pan te A exemplo da fábula "A Cigarra e a Formiga", que ensina a importância de preparar-se para o inverno, guardando provimentos durante o verão,

Leia mais

lh e c o n fe re o in c is o II d o a rt. 4 º d o Re g u la m e n to d o D e p a rta m e n to -G e ra l d o Pe s s o a l (R-1 56 ), a p ro v a d o

lh e c o n fe re o in c is o II d o a rt. 4 º d o Re g u la m e n to d o D e p a rta m e n to -G e ra l d o Pe s s o a l (R-1 56 ), a p ro v a d o PORTARIA Nº 1 6 4 -D G P, D E 4 D E NOV E M B RO D E 2 0 1 1. Alte ra a d is trib u iç ã o d e e fe tiv o d e m ilita re s te m p o rá rio s, p a ra o a n o d e 2 0 1 1. O CHEFE DO DEPARTAMENTO-GERAL DO

Leia mais

O POVO DE DEUS FOLHA SEMANAL DA ARQUIDIOCESE DE BRASÍLIA

O POVO DE DEUS FOLHA SEMANAL DA ARQUIDIOCESE DE BRASÍLIA O POVO DE DEUS FOLHA SEMANAL DA ARQUIDIOCESE DE BRASÍLIA Ano XLVII - Brasília, 26 de agosto de 2012 - Nº 44 VIGÉSIMO PRIMEIRO DO TEMPO COMUM MÊS VOCACIONAL - VOCAÇÃO PARA OS MINISTÉRIOS E OS SERVIÇOS NA

Leia mais

Livro de Cânticos Movimento Encontros de Jovens Shalom 6ª edição, 2004-1500 exemplares

Livro de Cânticos Movimento Encontros de Jovens Shalom 6ª edição, 2004-1500 exemplares Livro de Cânticos Movimento Encontros de Jovens Shalom 6ª edição, 2004-1500 exemplares Rua José Guilherme de Oliveira, 5 Apartado 49, 2781-901 Oeiras Telefone: 21 441 18 24 - Fax: 21 440 99 16 Rua dos

Leia mais

Tip Lewis e Sua Lâmpada

Tip Lewis e Sua Lâmpada Tip Lewis e Sua Lâmpada Tip Lewis and His Lamp 1987 foi publicado originalmente no inglês sob o título Tip Lewis and His Lamp pela Rod & Staff Publishers, Inc. Crockett, Kentucky 41413 EUA e traduzido

Leia mais

A pediatria social e as suas apostas re f o rm i s t a s. Social pediatrics and its re f o rmist pro p o s a l s

A pediatria social e as suas apostas re f o rm i s t a s. Social pediatrics and its re f o rmist pro p o s a l s A RTIGO A RT I C L E 9 7 7 A pediatria social e as suas apostas re f o rm i s t a s Social pediatrics and its re f o rmist pro p o s a l s Maria de Lu rdes Zanolli 1 Emerson Elias Me rhy 2 1 De p a rtamento

Leia mais

Anos Dour ados e Revi ver l ocali zados no muni cí pi o de Paul o Af onso- BA passar am a vi ver mel hor?

Anos Dour ados e Revi ver l ocali zados no muni cí pi o de Paul o Af onso- BA passar am a vi ver mel hor? I NTRODUÇÃO O t uri smo é u ma das pri nci pai s ati vi dades econô mi cas par a o desenvol vi ment o l ocal e soci al em u ma r egi ão, vi st o que, pr opi ci a a ger ação de bens e ser vi ços par a a

Leia mais

As Teorias Pedagógicas Modernas Revisitadas pelo Debate Contemporâneo na Educação

As Teorias Pedagógicas Modernas Revisitadas pelo Debate Contemporâneo na Educação c a p í t u l o : 1 As Teorias Pedagógicas Modernas Revisitadas pelo Debate Contemporâneo na Educação José Carlos Libâneo * A pe da go gia ocu pa-se das ta re fas de for ma ção hu ma na em con tex tos

Leia mais

2. ANTÍFONA (cf. Eclo 36,18-19) Dai a paz, Senhor, àqueles que em vós esperam. Escutai a oração dos vossos servos e guiai-nos no caminho da justiça.

2. ANTÍFONA (cf. Eclo 36,18-19) Dai a paz, Senhor, àqueles que em vós esperam. Escutai a oração dos vossos servos e guiai-nos no caminho da justiça. Diante da convocação do Papa Francisco à oração pela paz na Síria e no mundo, a acontecer no dia 7 de setembro, sábado próximo, a Arquidiocese do Rio de Janeiro oferece os seguintes subsídios, de modo

Leia mais

In form a ti on on medicines in the med i a : a con tri buti on to ra ti onal use?

In form a ti on on medicines in the med i a : a con tri buti on to ra ti onal use? 1 3 3 In formação sobre med i c a m en tos na impren s a : uma con tri buição para o uso ra c i onal? In form a ti on on medicines in the med i a : a con tri buti on to ra ti onal use? Eloína Araújo Lage

Leia mais

capítulos 1-43 capítulos 44-140 capítulos 141-312 capítulos 313-540 capítulos 541-600 capítulos 601-615 capítulos 616-651 capitulo 652

capítulos 1-43 capítulos 44-140 capítulos 141-312 capítulos 313-540 capítulos 541-600 capítulos 601-615 capítulos 616-651 capitulo 652 Maria Valtorta O EVANGELHO COMO ME FOI REVELADO VOLUME PRIMEIRO Capítulos 1-78 CENTRO EDITORIALE VALTORTIANO O EVANGELHO COMO ME FOI REVELADO 7 partes Nascimento e Vida oculta de Maria e Jesus Primeiro

Leia mais

Um Convite à Diferença

Um Convite à Diferença Um Convite à Diferença Ellen G. White 2002 Copyright 2013 Ellen G. White Estate, Inc. Informações sobre este livro Resumo Esta publicação ebook é providenciada como um serviço do Estado de Ellen G. White.

Leia mais

Disciples of Christ Church Ministerio vida com vida Pr Joaquim Costa Junior 1. Sabendo quem somos em Cristo, para refletir a Sua glória.

Disciples of Christ Church Ministerio vida com vida Pr Joaquim Costa Junior 1. Sabendo quem somos em Cristo, para refletir a Sua glória. Disciples of Christ Church Ministerio vida com vida Pr Joaquim Costa Junior 1 Sabendo quem somos em Cristo, para refletir a Sua glória. 1Pe 2:9 Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação

Leia mais

Uma publicação da Igreja Batista da Lagoinha. Gerência de Comunicação. Edição Abril/2008. Transcrição: Else Albuquerque. Copidesque: Jussara Fonseca

Uma publicação da Igreja Batista da Lagoinha. Gerência de Comunicação. Edição Abril/2008. Transcrição: Else Albuquerque. Copidesque: Jussara Fonseca 1 2 3 Uma publicação da Igreja Batista da Lagoinha Gerência de Comunicação Edição Abril/2008. Transcrição: Else Albuquerque Copidesque: Jussara Fonseca Revisão: Adriana Santos Capa e Diagramação: Luciano

Leia mais