Conscientização sociolinguística

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conscientização sociolinguística"

Transcrição

1 L.E. Semana 2 Segunda Feira Conscientização sociolinguística Relação entre a estrutura linguística e os aspectos sociais e culturais da produção linguística

2 o português não é homogêneo

3 Produção linguística X sociedade A variedade de uma língua que um indivíduo usa é determinada por quem ele é. Todo falante aprendeu, tanto a sua língua materna como uma particular variedade da língua de sua comunidade linguística e essa variedade pode ser diferente em algum ou em todos os níveis de outras variedades da mesma língua, aprendidas por outro falante dessa mesma língua.

4 Produção linguística X sociedade A linguagem é uma atividade de interação social, ou seja, é Através dela surge a capacidade de manter a interação social mediante a produção e o entendimento de textos que funcionam comunicativamente.

5 Produção linguística X sociedade Não existe um jeito certo de falar, nem um dialeto superior a outro. Quando se fala do exemplar correto, fala-se de uma forma eleita entre as várias formas de falar que constituem a língua histórica, razão por que o eleito não é nem correto nem incorreto (Bechara).

6 Produção linguística X sociedade A linguagem é um elemento de discriminação social, pois as diversidades linguísticas provocam preconceitos dos falantes de uma variante mais elitizada aos falantes de uma variante menos favorecida, ocasionando inferiorização destes últimos.

7 Exercício Serafim da Silva Neto defendia a tese da unidade da língua portuguesa no Brasil, entrevendo que no Brasil as delimitações dialetais espaciais não eram tão marcadas como as isoglossas1 da România Antiga. Mas Paul Teyssier, na sua História da Língua Portuguesa, reconhece que na diversidade socioletal essa pretensa unidade se desfaz. Diz Teyssier: A realidade, porém, é que as divisões dialetais no Brasil são menos geográficas que socioculturais. As diferenças na maneira de falar são maiores, num determinado lugar, entre um homem culto e o vizinho analfabeto que entre dois brasileiros do mesmo nível cultural originários de duas regiões distantes uma da outra. SILVA, R. V. M. O português brasileiro e o português europeu contemporâneo: alguns aspectos da diferença. Disponível em Acesso em 23 jun isoglossa linha imaginária que, em um mapa, une os pontos de ocorrência de traços e fenômenos linguísticos idênticos. FERREIRA. A. B. H. Novo dicionário Aurélio da língua portuguesa. Rio de Janeiro Nova Fronteira, 1986.

8 Exercício De acordo com as informações presentes no texto, os pontos de vista de Serafim da Silva Neto e de Paul Teyssier convergem em relação A) à influência dos aspectos socioculturais nas diferenças dos falares entre indivíduos, pois ambos consideram que pessoas de mesmo nível sociocultural falam de forma semelhante. B) à delimitação dialetal no Brasil assemelhar-se ao que ocorria na România Antiga, pois ambos consideram a variação linguística no Brasil como decorrente de aspectos geográficos.. C) à variação sociocultural entre brasileiros de diferentes regiões, pois ambos consideram o fator sociocultural de bastante peso na constituição das variedades linguísticas no Brasil. D) à diversidade da língua portuguesa na România Antiga, que até hoje continua a existir, manifestando-se nas variantes linguísticas do português atual no Brasil. E) à existência de delimitações dialetais geográficas pouco marcadas no Brasil, embora cada um enfatize aspectos diferentes da questão. Gabarito E - Os dois autores não identificam diferenças dialetais marcantes entre as regiões brasileiras quando consideram apenas aspectos geográficos. Paul Teyssier, porém, considera a importância dos fatores socioculturais na distinção de estruturas dialetais,

9 Resumo da Aula As variações linguísticas ocasionam o aparecimento de preconceito linguístico; Para a Linguística, não há o certo ou o errado : existem variações consequentes de aspectos sociais, culturais e econômicos; A linguagem é uma forma de interação social.

Variação Linguística. Professora Camilla

Variação Linguística. Professora Camilla Variação Linguística Professora Camilla CONCEITUANDO: Não existe um único jeito de falar a língua portuguesa. VARIEDADES LINGUÍSTICAS: são as variações que uma língua apresenta em razão das condições sociais,

Leia mais

A linguagem no âmbito social

A linguagem no âmbito social A linguagem no âmbito social A linguagem no âmbito social Sócio-linguística e preconceito linguístico A sócio linguística, estuda todas as relações existentes entre dois meios distintos. São eles: sociais

Leia mais

Variações linguísticas: Norma Padrão e Norma culta

Variações linguísticas: Norma Padrão e Norma culta L.E. Semana 2 Segunda Feira Variações linguísticas: Norma Padrão e Norma culta Diferença entre a norma padrão e a norma culta o português não é homogêneo O português, como todas as línguas, é heterogêneo:

Leia mais

VARIAÇÃO LINGUÍSTICA NA SALA DE AULA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIAS NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA

VARIAÇÃO LINGUÍSTICA NA SALA DE AULA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIAS NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA VARIAÇÃO LINGUÍSTICA NA SALA DE AULA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIAS NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA Ana Paula de Souza Fernandes Universidade Estadual da Paraíba. E-mail: Aplins-@hotmail.com Beatriz Viera de

Leia mais

PÔSTER/BANNER - ANÁLISE LINGUÍSTICA: UM NOVO OLHAR, UM OUTRO OBJETO. HÁ PRECONCEITO LINGUÍSTICO EM SEU ENTORNO SOCIAL?

PÔSTER/BANNER - ANÁLISE LINGUÍSTICA: UM NOVO OLHAR, UM OUTRO OBJETO. HÁ PRECONCEITO LINGUÍSTICO EM SEU ENTORNO SOCIAL? PÔSTER/BANNER - ANÁLISE LINGUÍSTICA: UM NOVO OLHAR, UM OUTRO OBJETO. HÁ PRECONCEITO LINGUÍSTICO EM SEU ENTORNO SOCIAL? ELAINE HELENA NASCIMENTO DOS SANTOS O objetivo deste trabalho é discutir sobre o preconceito

Leia mais

Variação social ou diastrática

Variação social ou diastrática L.E. Semana 3 Sábado Variação social ou diastrática Variação linguística a partir da posição social ocupada pelo falante A idade do falante é um importante elemento na produção do discurso oral e escrito.

Leia mais

Plano de ensino: CONTEÚDO, METODOLOGIA E PRÁTICA DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA CONTEÚDO, METODOLOGIA E PRÁTICA DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA

Plano de ensino: CONTEÚDO, METODOLOGIA E PRÁTICA DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA CONTEÚDO, METODOLOGIA E PRÁTICA DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA Plano de ensino: CONTEÚDO, METODOLOGIA E PRÁTICA DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA Título Contextualização Ementa Objetivos gerais CONTEÚDO, METODOLOGIA E PRÁTICA DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA A língua portuguesa,

Leia mais

A ORALIDADE NA CONSTRUÇÃO DA ESCRITA

A ORALIDADE NA CONSTRUÇÃO DA ESCRITA A ORALIDADE NA CONSTRUÇÃO DA ESCRITA Daiane de Abreu Ribeiro Jeane Silva Freire Jucilene Aparecida Ribeiro da Silva Procópio Daiane de Abreu Ribeiro Faculdade Sumaré Ex-aluna de Pós-Graduação Jeane Silva

Leia mais

HÁ PRECONCEITO LINGUÍSTICO EM SEU ENTORNO SOCIAL?

HÁ PRECONCEITO LINGUÍSTICO EM SEU ENTORNO SOCIAL? HÁ PRECONCEITO LINGUÍSTICO EM SEU ENTORNO SOCIAL? Elaine Helena Nascimento dos Santos 1 Luiz Carlos Carvalho de Castro² Instituto Federal de Pernambuco³ Resumo Este trabalho tem a finalidade de abordar

Leia mais

Tarefas 07 e 08 Professora Vanessa

Tarefas 07 e 08 Professora Vanessa 01. (UNIRG TO) Leia a charge a seguir. Tarefas 07 e 08 Professora Vanessa (Disponível em: < http://descomplicandoared.blogspot. com. br/2011/10/variedades-inguisticas.html>. Acesso em: 16 set. 2015.) Com

Leia mais

Simone Maria Rossetto * Dr. Ernani Cesar de Freitas **

Simone Maria Rossetto * Dr. Ernani Cesar de Freitas ** Resenha doi: 10.5212/Uniletras.v.34i2.0011 CESÁRIO, Maria Maura; VOTRE, Sebastião; COSTA, Marcos Antônio. In: MARTELOTTA, Mário Eduardo (Org.). Manual de linguística. São Paulo: Editora Contexto, 2008,

Leia mais

a. A língua possui uma única forma, representa o idioma que não se modifica e por isso devemos considerar o padrão como a representação da língua.

a. A língua possui uma única forma, representa o idioma que não se modifica e por isso devemos considerar o padrão como a representação da língua. 1 de 6 28/3/2013 00:36 A vidade de estudo 1- Nivelamento Português- 2012A Período: 11/03/2013 17:00 à 09/05/2013 23:59 (Horário de Brasília) Status: ABERTO Valor: 1.00 Gabarito: Gabarito não está liberado!

Leia mais

SOCIOLINGUÍSTICA: A VARIAÇÃO E O ENSINO EM SALA DE AULA

SOCIOLINGUÍSTICA: A VARIAÇÃO E O ENSINO EM SALA DE AULA SOCIOLINGUÍSTICA: A VARIAÇÃO E O ENSINO EM SALA DE AULA Laís de Almeida Silva (1); Maria de Fátima de Souza Aquino (1) UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA (UEPB)/ lais_almeida_silva@hotmail.com; UNIVERSIDADE

Leia mais

O TRATAMENTO DA VARIAÇÃO LINGUÍSTICA NOS LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO FUNDAMENTAL DE 5º A 8º SÉRIES

O TRATAMENTO DA VARIAÇÃO LINGUÍSTICA NOS LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO FUNDAMENTAL DE 5º A 8º SÉRIES O TRATAMENTO DA VARIAÇÃO LINGUÍSTICA NOS LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO FUNDAMENTAL DE 5º A 8º SÉRIES Ariany Maldonado Querino Lucélia de Fátima Ribeiro Mônica Tironi Silvana Tangleica Taymara Daiane Ribeiro

Leia mais

Oralidade e Aquisição da Linguagem Escrita

Oralidade e Aquisição da Linguagem Escrita Grupo Temático 02: Pesquisas e Práticas Pedagógicas Oralidade e Aquisição da Linguagem Escrita Malu Alves de Souza 1 UNIFEG - (Centro Universitário da Fundação Educacional Guaxupé) RESUMO A literatura

Leia mais

Prática Profissional: A Fala e as Questões Sociais. Contextualização. Licenciatura em Letras Língua Portuguesa e Literaturas

Prática Profissional: A Fala e as Questões Sociais. Contextualização. Licenciatura em Letras Língua Portuguesa e Literaturas Prática Profissional: A Fala e as Questões Sociais Teleaula 2 Prof.ª Me. Elys Regina Andretta tutorialetras@grupouninter.com.br Contextualização Licenciatura em Letras Língua Portuguesa e Literaturas A

Leia mais

Aula 5 ESTRUTURALISMO

Aula 5 ESTRUTURALISMO Aula 5 ESTRUTURALISMO MARTELOTTA, Mário Eduardo. Manual de Linguística. São Paulo: Contexto, 2012, p. 113-126 Prof. Cecília Toledo- cissa.valle@hotmail.com Sistema, estrutura, estruturalismo SISTEMA: resultado

Leia mais

Revisão para o simulado

Revisão para o simulado Revisão para o simulado LÍNGUA PORTUGUESA Patrícia Lopes São as variações que uma língua apresenta, de acordo com as condições sociais, culturais, regionais e históricas em que é utilizada. Variedade linguística

Leia mais

COMUNICAÇÃO E LINGUAGEM (conceitos)

COMUNICAÇÃO E LINGUAGEM (conceitos) Faculdade de Tecnologia SENAC Pelotas Curso Superior de Tecnologia em Marketing/Processos Gerenciais UC: Comunicação e Expressão COMUNICAÇÃO E LINGUAGEM (conceitos) A comunicação verbal baseia-se na interação

Leia mais

A LÍNGUA A LEITURA E A ESCRITA COMO UM ELO INTEGRADOR Carmen Elena das Chagas (UFF)

A LÍNGUA A LEITURA E A ESCRITA COMO UM ELO INTEGRADOR Carmen Elena das Chagas (UFF) DEPARTAMENTO DE LETRAS A LÍNGUA A LEITURA E A ESCRITA COMO UM ELO INTEGRADOR Carmen Elena das Chagas (UFF) INTRODUÇÃO A língua, sistema de sons vocais por que se processa numa comunidade humana o uso da

Leia mais

AS MANIFESTAÇÔES LINGUÍSTICAS NA OBRA VIDAS SECAS, DE GRACILIANO RAMOS

AS MANIFESTAÇÔES LINGUÍSTICAS NA OBRA VIDAS SECAS, DE GRACILIANO RAMOS AS MANIFESTAÇÔES LINGUÍSTICAS NA OBRA VIDAS SECAS, DE GRACILIANO RAMOS Jakeline Francisca da Silva (1); Francisca Luana Abrantes de Castro (1) Rosangela Vieira (4) Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

TEORIA DA LINGUAGEM Prof ª Giovana Uggioni Silveira

TEORIA DA LINGUAGEM Prof ª Giovana Uggioni Silveira TEORIA DA LINGUAGEM Prof ª Giovana Uggioni Silveira COMUNICAÇÃO LINGUAGEM LÍNGUA FALA ESCRITA DISCURSO Forma de linguagem escrita (texto) ou falada (conversação no seu contexto social, político ou cultural).

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SEBASTIÃO DA GAMA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SEBASTIÃO DA GAMA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SEBASTIÃO DA GAMA INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FRANCÊS - Prova escrita e oral 2016 Prova 16. 3º Ciclo do Ensino Básico O presente documento divulga informação relativa

Leia mais

ENSINO DE LÍNGUA E ANÁLISE LINGUÍSTICA: PRESCRUTANDO OS DOCUMENTOS OFICIAIS

ENSINO DE LÍNGUA E ANÁLISE LINGUÍSTICA: PRESCRUTANDO OS DOCUMENTOS OFICIAIS ENSINO DE LÍNGUA E ANÁLISE LINGUÍSTICA: PRESCRUTANDO OS DOCUMENTOS OFICIAIS Maria Eliane Gomes Morais (PPGFP-UEPB) lia_morais.jta@hotmail.com Linduarte Pereira Rodrigues (DLA/PPGFP-UEPB) linduarte.rodrigues@bol.com.br

Leia mais

Letras Língua Inglesa

Letras Língua Inglesa Letras Língua Inglesa 1 semestre Núcleo de estudos interdisciplinares I 45h Ementa: Estuda os procedimentos envolvidos na realização de uma pesquisa cientifica. Desenvolve habilidade de produção de fichamento,

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA SOCIOLINGUÍSTICA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE PORTUGUÊS

CONTRIBUIÇÕES DA SOCIOLINGUÍSTICA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE PORTUGUÊS 4191 CONTRIBUIÇÕES DA SOCIOLINGUÍSTICA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE PORTUGUÊS Paula Maria Cobucci Ribeiro Dias ( UnB) Formação durante o exercício profissional, educação continuada e adicional

Leia mais

Discurso e texto. L. PORTUGUESA 1ª série do Ensino Médio Professora Marianna Aguiar

Discurso e texto. L. PORTUGUESA 1ª série do Ensino Médio Professora Marianna Aguiar Discurso e texto L. PORTUGUESA 1ª série do Ensino Médio Professora Marianna Aguiar Discurso e texto: contexto de produção, circulação e recepção de textos. A linguagem é uma prática social humana de interação

Leia mais

SOCIOLINGUÍSTICA E LIVRO DIDÁTICO - AVANÇOS E PROBLEMAS

SOCIOLINGUÍSTICA E LIVRO DIDÁTICO - AVANÇOS E PROBLEMAS SOCIOLINGUÍSTICA E LIVRO DIDÁTICO - AVANÇOS E PROBLEMAS Fernanda Soares da Silva Torres E-mail: fernanda_japeri@yahoo.com.br http://lattes.cnpq.br/8829547665006624 RESUMO O objetivo deste trabalho é discutir

Leia mais

A CRISE BRASILEIRA NO ENSINO DA NORMA CULTA OU ESTILO FORMAL Universidade de Salvador

A CRISE BRASILEIRA NO ENSINO DA NORMA CULTA OU ESTILO FORMAL Universidade de Salvador A CRISE BRASILEIRA NO ENSINO DA NORMA CULTA OU ESTILO FORMAL Universidade de Salvador A aquisição da língua materna é natural aos seres humanos; ela acontece de forma rápida, espontânea e natural, inconscientemente.

Leia mais

DIVERSIDADE LINGUÍSTICA E A PRÁTICA NO ENSINO SUPERIOR: UM DIÁLOGO POSSÍVEL. Marcela Moura Torres Paim

DIVERSIDADE LINGUÍSTICA E A PRÁTICA NO ENSINO SUPERIOR: UM DIÁLOGO POSSÍVEL. Marcela Moura Torres Paim DIVERSIDADE LINGUÍSTICA E A PRÁTICA NO ENSINO SUPERIOR: UM DIÁLOGO POSSÍVEL 40 Marcela Moura Torres Paim marcelamtpaim@yahoo.com.br mmtpaim@ufba.br Doutora em Linguística, Professora Adjunto da Universidade

Leia mais

A variação linguística no ensino de língua materna: o que o professor deve fazer na sala de aula?

A variação linguística no ensino de língua materna: o que o professor deve fazer na sala de aula? A variação linguística no ensino de língua materna: o que o professor deve fazer na sala de aula? Cecília Souza Santos Sobrinha 1 Odilon Pinto de Mesquita Filho 2 Resumo Este artigo pretende discutir como

Leia mais

Naturalidade dos sistemas e conseqüências na aprendizagem Maria Cecília Mollica (UFRJ/CNPq)

Naturalidade dos sistemas e conseqüências na aprendizagem Maria Cecília Mollica (UFRJ/CNPq) Naturalidade dos sistemas e conseqüências na aprendizagem Maria Cecília Mollica (UFRJ/CNPq) Na palestra, tenho o objetivo de demonstrar como os princípios imanentes dos sistemas das línguas podem ser úteis

Leia mais

A MITOLOGIA DO PRECONCEITO LINGUÍSTICO

A MITOLOGIA DO PRECONCEITO LINGUÍSTICO A MITOLOGIA DO PRECONCEITO LINGUÍSTICO Volmir Antonio Silveira 1 Referência: BAGNO, Marcos. Preconceito Linguístico - o que é, como se faz. 49ª ed. São Paulo: Loyola, 1999.185 p. Dados sobre o autor: Marcos

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS - DIURNO (CURRÍCULO EM IMPLANTAÇÃO PROGRESSIVA A PARTIR DE ) PORTARIA DE APROVAÇÃO Nº 240/PREG/2006 DE 7/11/06

CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS - DIURNO (CURRÍCULO EM IMPLANTAÇÃO PROGRESSIVA A PARTIR DE ) PORTARIA DE APROVAÇÃO Nº 240/PREG/2006 DE 7/11/06 CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS - DIURNO (CURRÍCULO EM IMPLANTAÇÃO PROGRESSIVA A PARTIR DE 2007-1) PORTARIA DE APROVAÇÃO Nº 240/PREG/2006 DE 7/11/06 CRIAÇÃO DO CURSO : DECRETO Nº 36658/54 RECONHECIMENTO DO

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL

CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL MATRIZ CURRICULAR NOTURNO Fase Nº. Ordem Código COMPONENTE CURRICULAR Créditos Horas 1. Leitura e produção textual I 4 60 2. Introdução a informática 4

Leia mais

5º ano. Atividade de Estudo de Português - 21/10/2016

5º ano. Atividade de Estudo de Português - 21/10/2016 4 Atividade de Estudo de Português - 21/10/2016 5º ano Leia o texto abaixo, em seguida responda. PECHADA O apelido foi instantâneo. No primeiro dia de aula, o aluno novo já estava sendo chamado de Gaúcho.

Leia mais

TÍTULO: Plano de Aula QUE LÍNGUA VOCÊ FALA? Ensino Fundamental / Anos iniciais. Nível de Ensino: Ano/Semestre de Estudo. 9º ano.

TÍTULO: Plano de Aula QUE LÍNGUA VOCÊ FALA? Ensino Fundamental / Anos iniciais. Nível de Ensino: Ano/Semestre de Estudo. 9º ano. Org.: Claudio André - 1 TÍTULO: QUE LÍNGUA VOCÊ FALA? Nível de Ensino: Ano/Semestre de Estudo Componente Curricular: Tema: Modalidade de Ensino: Duração da Aula: Ensino Fundamental / Anos iniciais 9º ano

Leia mais

própria comunidade científica, o contato foi considerado apenas como fator secundário. Quando nos voltamos para a realidade dos estudos lingüísticos

própria comunidade científica, o contato foi considerado apenas como fator secundário. Quando nos voltamos para a realidade dos estudos lingüísticos 1. Introdução Línguas em contato pressupõem indiscutivelmente pessoas em contato. Nesta perspectiva, ao considerarmos que as necessidades do homem desde o início da história da humanidade levaram os indivíduos

Leia mais

ESPANHOL. Prova ENSINO SECUNDÁRIO. Introdução INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

ESPANHOL. Prova ENSINO SECUNDÁRIO. Introdução INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESPANHOL Prova 375 2013-2014 ENSINO SECUNDÁRIO Introdução O presente documento visa divulgar as informações relativas à prova de exame de equivalência à

Leia mais

EU CHEGUI : NADA NA LÍNGUA É POR ACASO

EU CHEGUI : NADA NA LÍNGUA É POR ACASO EU CHEGUI : NADA NA LÍNGUA É POR ACASO Edna Ranielly do Nascimento CH/UEPB niellyfersou@hotmail.com Jobson Soares Da SILVA CH/UEPB jobsonsoares@live.com Janaína da Costa BARBOSA janne3010@hotmail.com PIBID/CH/UEPB

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA. Professor Romulo Bolivar

LÍNGUA PORTUGUESA. Professor Romulo Bolivar LÍNGUA PORTUGUESA Professor Romulo Bolivar VARIAÇÃO LINGUÍSTICA Temporal (diacrônica) Social (diastrática) Regional (diatópica) Situacional (diafásica) QUESTÃO 1 Quando vou a São Paulo, ando na rua ou

Leia mais

Um bicho de sete cabeças

Um bicho de sete cabeças Um bicho de sete cabeças Meiry Peruchi Mezari Curso de Letras da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Resumo: Neste artigo, discute-se o entendimento de gramática normativa de alunos de Ensino

Leia mais

CENTRO DE HUMANIDADES DEPARTAMENTO DE LETRAS - CAMPUS III CURSO DE LETRAS ELANY PEREIRA DA SILVA PRECONCEITO LINGUÍSTICO E ENSINO DE LÍNGUA

CENTRO DE HUMANIDADES DEPARTAMENTO DE LETRAS - CAMPUS III CURSO DE LETRAS ELANY PEREIRA DA SILVA PRECONCEITO LINGUÍSTICO E ENSINO DE LÍNGUA CENTRO DE HUMANIDADES DEPARTAMENTO DE LETRAS - CAMPUS III CURSO DE LETRAS ELANY PEREIRA DA SILVA PRECONCEITO LINGUÍSTICO E ENSINO DE LÍNGUA GUARABIRA - PB 2014 ELANY PEREIRA DA SILVA PRECONCEITO LINGUÍSTICO

Leia mais

LÍNGUAS E ESPAÇOS DE ENUNCIAÇÃO

LÍNGUAS E ESPAÇOS DE ENUNCIAÇÃO DOSSIÊ LÍNGUAS E ESPAÇOS DE ENUNCIAÇÃO Pensar a enunciação é, como o sabemos desde Benveniste 1, pensar a relação constitutiva estabelecida entre a língua e o sujeito, relação que é, a um só tempo, simbólica

Leia mais

PROGRAMA DE NIVELAMENTO

PROGRAMA DE NIVELAMENTO PROGRAMA DE NIVELAMENTO Teófilo Otoni-MG PROGRAMA DE NIVELAMENTO 01. Justificativa Em razão das dificuldades apresentadas pelos alunos ingressantes na graduação, decorrentes de deficiências no Ensino Fundamental

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL - LICENCIATURA

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL - LICENCIATURA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL - LICENCIATURA Campus de Realeza Turno Noturno Fase Nº. Ordem Código COMPONENTE CURRICULAR Créditos Horas Pré Requisito 1. GLA001

Leia mais

Linguagem, Língua, Linguística. Apoio Pedagógico: Estudos Linguísticos I Tutor: Frederico Cavalcante (POSLIN)

Linguagem, Língua, Linguística. Apoio Pedagógico: Estudos Linguísticos I Tutor: Frederico Cavalcante (POSLIN) Linguagem, Língua, Linguística Apoio Pedagógico: Estudos Linguísticos I Tutor: Frederico Cavalcante (POSLIN) e-mail: fredericoa4@gmail.com Encontro 1 Linguagem Linguagem: a capacidade humana de utilizar

Leia mais

ANEXO I. Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s) moderna(s) como instrumento de acesso a informações e a outras culturas e grupos sociais.

ANEXO I. Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s) moderna(s) como instrumento de acesso a informações e a outras culturas e grupos sociais. ANEXO I I. EIXOS COGNITIVOS a) Dominar linguagens: dominar a norma culta da Língua Portuguesa e fazer uso das linguagens matemática, artística e científica e das línguas espanhola e inglesa. b) Compreender

Leia mais

AS CONCEPÇÕES DE LÍNGUA PORTUGUESA/GRAMÁTICA NORMATIVA NO POEMA: AULA DE PORTUGUÊS DE DRUMMOND: UM OLHAR

AS CONCEPÇÕES DE LÍNGUA PORTUGUESA/GRAMÁTICA NORMATIVA NO POEMA: AULA DE PORTUGUÊS DE DRUMMOND: UM OLHAR AS CONCEPÇÕES DE LÍNGUA PORTUGUESA/GRAMÁTICA NORMATIVA NO POEMA: AULA DE PORTUGUÊS DE DRUMMOND: UM OLHAR Aline Cândido Trigo (G-CLCA-UENP/CJ) Rebeca Ferrazzini Paulin (G-CLCA-UENP/CJ) Marilúcia dos Santos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL IV SEAD - SEMINÁRIO DE ESTUDOS EM ANÁLISE DO DISCURSO 1969-2009: Memória e história na/da Análise do Discurso Porto Alegre, de 10 a 13 de novembro de 2009 RELAÇÃO

Leia mais

Usos e funções: código oral e código escrito

Usos e funções: código oral e código escrito 3ª Objeto de estudo A linguagem como espaço de interação. A linguagem como espaço de interação. A linguagem e a formação para a cidadania A linguagem e a formação para a cidadania Língua Portuguesa 1º

Leia mais

LHEÍSMO NO PORTUGÛES BRASILEIRO: EXAMINANDO O PORTUGÛES FALADO EM FEIRA DE SANTANA Deyse Edberg 1 ; Norma Lucia Almeida 2

LHEÍSMO NO PORTUGÛES BRASILEIRO: EXAMINANDO O PORTUGÛES FALADO EM FEIRA DE SANTANA Deyse Edberg 1 ; Norma Lucia Almeida 2 359 LHEÍSMO NO PORTUGÛES BRASILEIRO: EXAMINANDO O PORTUGÛES FALADO EM FEIRA DE SANTANA Deyse Edberg 1 ; Norma Lucia Almeida 2 1. Bolsista FAPESB, Graduanda em Letras Vernáculas pela Universidade Estadual

Leia mais

COMO FALA O NORDESTINO: A VARIAÇÃO FÔNICA NOS DADOS DO PROJETO ATLAS LINGÜÍSTICO DO BRASIL

COMO FALA O NORDESTINO: A VARIAÇÃO FÔNICA NOS DADOS DO PROJETO ATLAS LINGÜÍSTICO DO BRASIL COMO FALA O NORDESTINO: A VARIAÇÃO FÔNICA NOS DADOS DO PROJETO ATLAS LINGÜÍSTICO DO BRASIL Jacyra Andrade MOTA 1 UFBA/CNPq RESUMO O Projeto Atlas Lingüístico do Brasil tem como objetivos a descrição e

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE A LINGUAGEM

REFLEXÕES SOBRE A LINGUAGEM REFLEXÕES SOBRE A LINGUAGEM Olá, «Agora vamos assistir a uma Apresentação para fazermos algumas Reflexões sobre a Linguagem. Ao final desta unidade espera-se que você possa entender alguns aspectos que

Leia mais

EXERCÍCIOS DE MONITORIA 2º PERÍODO AGOSTO GRAMÁTICA

EXERCÍCIOS DE MONITORIA 2º PERÍODO AGOSTO GRAMÁTICA 1. 1ª série Ens. Médio EXERCÍCIOS DE MONITORIA 2º PERÍODO AGOSTO GRAMÁTICA A dança, como manifestação e representação da cultura rítmica, envolve a expressão corporal própria de um povo. Considerando-a

Leia mais

Aula 6 Desenvolvimento da linguagem: percepção categorial

Aula 6 Desenvolvimento da linguagem: percepção categorial Aula 6 Desenvolvimento da linguagem: percepção categorial Pablo Faria HL422A Linguagem e Pensamento: teoria e prática Módulo 1: Aquisição da Linguagem IEL/UNICAMP 19 de setembro de 2016 SUMÁRIO PRELIMINARES

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL - LICENCIATURA

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL - LICENCIATURA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL - LICENCIATURA Campus de Chapecó Turno Noturno Fase Nº. Ordem Código COMPONENTE CURRICULAR Créditos Horas Pré Requisito 1. GLA001

Leia mais

Ter e haver existenciais: gramática versus uso

Ter e haver existenciais: gramática versus uso Ter e haver existenciais: gramática versus uso Elyne Vitório * Resumo: Partindo do pressuposto de que há diferenças linguísticas entra as normas estabelecidas pela gramática normativa e os reais usos da

Leia mais

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 3. ed. Belo Horizonte, Autêntica, 2009.

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 3. ed. Belo Horizonte, Autêntica, 2009. SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 3. ed. Belo Horizonte, Autêntica, 2009. 1º TEXTO: PRODUZIDO PARA LEITOR- PROFESSOR COM O OBJETIVO DE ESCLARECER O SIGNIFICADO DE LETRAMENTO. Letramento

Leia mais

Instrumento. COSTA, Sérgio Roberto. Dicionário de Gêneros Textuais. Belo Horizonte: Autêntica, Mariângela Maia de Oliveira *

Instrumento. COSTA, Sérgio Roberto. Dicionário de Gêneros Textuais. Belo Horizonte: Autêntica, Mariângela Maia de Oliveira * Resenha Instrumento COSTA, Sérgio Roberto. Dicionário de Gêneros Textuais. Belo Horizonte: Autêntica, 2008. Mariângela Maia de Oliveira * Tomando por base os novos conceitos subjacentes ao processo de

Leia mais

ENSINO DE GRAMÁTICA: A PRÁXIS DO PROFESSOR DE LÍNGUA PORTUGUESA NA EDUCAÇÃO BÁSICA

ENSINO DE GRAMÁTICA: A PRÁXIS DO PROFESSOR DE LÍNGUA PORTUGUESA NA EDUCAÇÃO BÁSICA ENSINO DE GRAMÁTICA: A PRÁXIS DO PROFESSOR DE LÍNGUA PORTUGUESA NA EDUCAÇÃO BÁSICA Sueilton Junior Braz de Lima Graduando da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) Josefa Lidianne de Paiva

Leia mais

O TRATAMENTO DA VARIAÇÃO LINGÜÍSTICA NA ESCOLA: O QUE É PRECISO SABER, O QUE É PRECISO MUDAR?

O TRATAMENTO DA VARIAÇÃO LINGÜÍSTICA NA ESCOLA: O QUE É PRECISO SABER, O QUE É PRECISO MUDAR? O TRATAMENTO DA VARIAÇÃO LINGÜÍSTICA NA ESCOLA: O QUE É PRECISO SABER, O QUE É PRECISO MUDAR? Aula 7 META Apresentar o(s) conceito(s) de variação lingüística, seus tipos e formas mais corriqueiras, destacando

Leia mais

Pernambuquês 1. Marbson Figueiredo ALVES 2 Paula Mendes COSTA 3 Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE

Pernambuquês 1. Marbson Figueiredo ALVES 2 Paula Mendes COSTA 3 Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE Pernambuquês 1 Marbson Figueiredo ALVES 2 Paula Mendes COSTA 3 Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE RESUMO Com o principal intuito de naturalizar as particularidades linguísticas do falar pernambucano

Leia mais

PORTUGUÊS LÍNGUA NÃO MATERNA (PLNM) ENSINO SECUNDÁRIO 2016/2017

PORTUGUÊS LÍNGUA NÃO MATERNA (PLNM) ENSINO SECUNDÁRIO 2016/2017 Critérios Específicos de Avaliação PORTUGUÊS LÍNGUA NÃO MATERNA (PLNM) ENSINO SECUNDÁRIO 2016/2017 Domínio de Avaliação Saber e Saber Fazer Instrumentos de Avaliação Domínios a desenvolver Descritores

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO TURMA: 20 H

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO TURMA: 20 H Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Turismo, Hospitalidade e Lazer CURSO: Técnico em Hospedagem Proeja FORMA/GRAU:( X )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

Crenças linguísticas dos falantes escolarizados de Fortaleza

Crenças linguísticas dos falantes escolarizados de Fortaleza 25 Pedro MENDES LEÃO Crenças linguísticas dos falantes escolarizados de Fortaleza Pedro MENDES LEÃO 1 RESUMO: Este artigo apresenta uma pesquisa a respeito de crenças linguísticas feita com falantes escolarizados

Leia mais

Projeto Testes Intermédios 2011/2012

Projeto Testes Intermédios 2011/2012 Projeto Testes Intermédios 2011/2012 3.º Ciclo INGLÊS INFORMAÇÃO N.º 2 Republicação OBJETO DE AVALIAÇÃO No projeto de construção e aplicação de testes intermédios de Inglês, no 3.º ciclo do ensino básico,

Leia mais

CRONOGRAMA DAS AULAS JUNHO 2013 JULHO Dia/turno. Módulo. Horário do início da aula. CH p/dia

CRONOGRAMA DAS AULAS JUNHO 2013 JULHO Dia/turno. Módulo. Horário do início da aula. CH p/dia CRONOGRAMA DAS AULAS JUNHO 2013 Dia/turno CH p/dia Horário do início da aula Módulo 28 (sexta) 28 (sexta) 1 h AULA INAUGURAL: A língua e o sujeito na história do conhecimento sobre a linguagem (Profa.

Leia mais

ESPANHOL Cont. Ano Letivo 2016/2017 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 11º Ano de Escolaridade

ESPANHOL Cont. Ano Letivo 2016/2017 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 11º Ano de Escolaridade Ano Letivo 2016/2017 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESPANHOL Cont. 11º Ano de Escolaridade Prova 368 2017 Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho 1. Objeto de avaliação A prova a que esta

Leia mais

O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA E A DIVERSIDADE LINGUÍSTICA RESUMO

O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA E A DIVERSIDADE LINGUÍSTICA RESUMO 130 O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA E A DIVERSIDADE LINGUÍSTICA Lasaro José Amaral RESUMO O debate entre a questão da diversidade linguística e o papel assumido pela escola, em referência ao ensino da Língua

Leia mais

Curso: 1ºciclo Disciplina: Inglês Ano(s): 4º

Curso: 1ºciclo Disciplina: Inglês Ano(s): 4º Domínios Objetivos Instrumentos de avaliação Peso Domínio Intercultural Compreensão / Listening Interação Leitura / Reading e Escrita / Writing - Conhecer-se a si e ao outro. - Conhecer o dia a dia na

Leia mais

INFLUÊNCIA DA ORALIDADE NA ESCRITA DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO

INFLUÊNCIA DA ORALIDADE NA ESCRITA DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO INFLUÊNCIA DA ORALIDADE NA ESCRITA DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO Maria de Fátima de Souza Aquino Universidade Estadual da Paraíba/ CH/ PIBID fatimaaquinouepb@yahoo.com.br RESUMO: O uso das várias formas de

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE Informação Prova de Equivalência à Frequência 3º Ciclo do Ensino Básico 2015/2016 Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 julho Decreto -Lei nº 17/2016, de 4 de abril Aprovado

Leia mais

VARIEADES LINGUÍSTICAS: INSTRUMENTOS DE TRABALHO OU DE PRECONCEITO?

VARIEADES LINGUÍSTICAS: INSTRUMENTOS DE TRABALHO OU DE PRECONCEITO? 1 VARIEADES LINGUÍSTICAS: INSTRUMENTOS DE TRABALHO OU DE PRECONCEITO? Almir Antonio PIOVESAN Escola Est. de Edu. Básica Viadutos - SEE/RS RESUMO: As variedades da língua portuguesa refletidas em sala de

Leia mais

Géneros textuais e tipos textuais Armando Jorge Lopes

Géneros textuais e tipos textuais Armando Jorge Lopes Géneros textuais e tipos textuais [texto de apoio para o curso de doutoramento em ciências da linguagem aplicadas ao ensino de línguas/universidade Pedagógica, Maputo, Outubro de 2015] Armando Jorge Lopes

Leia mais

VARIAÇÃO LINGUÍSTICA: UM ESTUDO SOBRE O NÍVEL DE CONSCIENTIZAÇÃO DOS ALUNOS

VARIAÇÃO LINGUÍSTICA: UM ESTUDO SOBRE O NÍVEL DE CONSCIENTIZAÇÃO DOS ALUNOS VARIAÇÃO LINGUÍSTICA: UM ESTUDO SOBRE O NÍVEL DE CONSCIENTIZAÇÃO DOS ALUNOS Terezinha Toledo Melquíades de Melo (UFJF) temelquiades@gmail.com Lucia Furtado de Mendonça Cyranka (UFJF) Maria Diomara da Silva

Leia mais

O PASSADO DAS LÍNGUAS E AS LÍNGUAS DO PASSADO: DADOS DIACRÔNICOS NA REVISTA O CRUZEIRO.

O PASSADO DAS LÍNGUAS E AS LÍNGUAS DO PASSADO: DADOS DIACRÔNICOS NA REVISTA O CRUZEIRO. O PASSADO DAS LÍNGUAS E AS LÍNGUAS DO PASSADO: DADOS DIACRÔNICOS NA REVISTA O CRUZEIRO. Patricia Pinto da Fonseca 1 Orientadora: Profª. Drª. Mariângela Peccioli Galli Joanilho 2 RESUMO A presente pesquisa

Leia mais

ENSINO DE LÍNGUA MATERNA: ABORDAGENS DA PROBLEMÁTICA ATUAL

ENSINO DE LÍNGUA MATERNA: ABORDAGENS DA PROBLEMÁTICA ATUAL ENSINO DE LÍNGUA MATERNA: ABORDAGENS DA PROBLEMÁTICA ATUAL Autora: DINIZ, Ana Maria C. Almeida Universidade Estadual da Paraíba UEPB e-mail: ana_diniz_4@hotmail.com 1 RESUMO O presente artigo objetiva

Leia mais

Palavras-chave Sociolinguística Educacional; Ensino da língua Portuguesa; Crenças e atitudes linguísticas; Preconceito linguístico.

Palavras-chave Sociolinguística Educacional; Ensino da língua Portuguesa; Crenças e atitudes linguísticas; Preconceito linguístico. A SOCIOLINGUÍSTICA E O ENSINO DA LÍNGUA PORTUGUESA: Um retrato do estudante do PPGEL da UEL RESUMO Cláudia Gomes de Albuquerque Hauly 1 Lívia Sprizão de Oliveira 2 Reinaldo César Zanardi 3 A união da Sociolinguística

Leia mais

Da fala para a escrita: atividades de retextualização

Da fala para a escrita: atividades de retextualização Da fala para a escrita: atividades de retextualização Luiz Antônio Marcuschi, professor titular da Universidade Federal do Pernambuco, pós-doutor pela Universitat Freiburg na Alemanha e Doutor em Letras

Leia mais

ENSINO E ORALIDADE: ENCONTROS E DESENCONTROS NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA

ENSINO E ORALIDADE: ENCONTROS E DESENCONTROS NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA ENSINO E ORALIDADE: ENCONTROS E DESENCONTROS NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA Anderson Rany Cardoso da Silva (UEPB) 1 Professor (a) orientador (a): Francicleide Liberato Instiuição: Universidade Estadual

Leia mais

LIVROS DIDÁTICOS DE LÍNGUA PORTUGUESA E PNLD: análise e seleção V SIEL UEMS SETEMBRO/2014

LIVROS DIDÁTICOS DE LÍNGUA PORTUGUESA E PNLD: análise e seleção V SIEL UEMS SETEMBRO/2014 LIVROS DIDÁTICOS DE LÍNGUA PORTUGUESA E PNLD: análise e seleção MARIANA DARÉ VARGAS (DOUTORADO/ FCLAR-UNESP/FAPESP) V SIEL UEMS SETEMBRO/2014 ROTEIRO DO MINICURSO 1ª PARTE: reflexões sobre análise de livro

Leia mais

ENTREVISTA COM LÚCIA FURTADO DE MENDONÇA CYRANKA: contribuição das investigações da Sociolinguística Educacional para o ensino da Língua Portuguesa

ENTREVISTA COM LÚCIA FURTADO DE MENDONÇA CYRANKA: contribuição das investigações da Sociolinguística Educacional para o ensino da Língua Portuguesa Cadernos de Letras da UFF Dossiê: Variação linguística e práticas pedagógicas nº 51, p. 15-22 15 ENTREVISTA COM LÚCIA FURTADO DE MENDONÇA CYRANKA: contribuição das investigações da Sociolinguística Educacional

Leia mais

VARIAÇÃO LINGUÍSTICA EM UM LIVRO DIDÁTICO E OS PCN

VARIAÇÃO LINGUÍSTICA EM UM LIVRO DIDÁTICO E OS PCN ISSN: 1981-3031 VARIAÇÃO LINGUÍSTICA EM UM LIVRO DIDÁTICO E OS PCN Maria Luédna Ferreira de Melo luedyna@hotmail.com RESUMO: O objetivo deste trabalho é descrever os resultados de uma pesquisa realizada

Leia mais

Letras Língua Portuguesa SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DE PESQUISA I LE0007, 45H ESTUDOS FILOSÓFICOS GRUPO DE ESTUDOS CI0001, 30H

Letras Língua Portuguesa SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DE PESQUISA I LE0007, 45H ESTUDOS FILOSÓFICOS GRUPO DE ESTUDOS CI0001, 30H Letras Língua Portuguesa 1º SEMESTRE SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DE PESQUISA I LE0007, 45H ESTUDOS FILOSÓFICOS GRUPO DE ESTUDOS CI0001, 30H EMENTA: Reflete sobre o desenvolvimento das correntes filosóficas

Leia mais

LINGUAGEM E ENSINO NA ESCOLA PÚBLICA: UM ESTUDO

LINGUAGEM E ENSINO NA ESCOLA PÚBLICA: UM ESTUDO LINGUAGEM E ENSINO NA ESCOLA PÚBLICA: UM ESTUDO SOUZA, Antonio Escandiel de²; AVRELLA, Lisandra Hoffmann¹ Resumo Este artigo tem por finalidade divulgar os resultados alcançados com o projeto linguagem

Leia mais

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E A DIVERSIDADE LINGÜÍSTICA: AS RELAÇÕES ENTRE A FALA E A ESCRITA

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E A DIVERSIDADE LINGÜÍSTICA: AS RELAÇÕES ENTRE A FALA E A ESCRITA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E A DIVERSIDADE LINGÜÍSTICA: AS RELAÇÕES ENTRE A FALA E A ESCRITA Malu Alves de Souza 1 UNIFEG (Centro Universitário da Fundação Educacional Guaxupé) RESUMO Este artigo aborda

Leia mais

3º Ciclo do Ensino Básico

3º Ciclo do Ensino Básico INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FRANCÊS - Prova escrita e oral 2016 Prova 2016 16 3º Ciclo do Ensino Básico O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência

Leia mais

Língua Inglesa e Formação Cidadã

Língua Inglesa e Formação Cidadã Língua Inglesa e Formação Cidadã Selma Moura selma.a.moura@gmail.com IEL-Unicamp / CNPq www.educacaobilingue.com II Simpósio de Práticas Pedagógicas do programa Linguagens e Educação, PUC-Campinas, 06/10/2011

Leia mais

Variação prosódica no Português Europeu: um falar, uma identidade

Variação prosódica no Português Europeu: um falar, uma identidade Marisa Cruz Laboratório de Fonética (CLUL/FLUL) Universidade de Lisboa Compreensão e Produção do Português Oral Professora Doutora Sónia Frota 4 de Dezembro de 2012 Variação prosódica no Português Europeu:

Leia mais

PORTUGUÊS CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS. ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO

PORTUGUÊS CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS. ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 4 DE ÉVORA SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA ANDRÉ DE GOUVEIA CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS PORTUGUÊS ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO outubro

Leia mais

Prova 21 3º Ciclo do Ensino Básico

Prova 21 3º Ciclo do Ensino Básico INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS - Prova escrita e oral 2016 Prova 21 3º Ciclo do Ensino ásico O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência à frequência

Leia mais

ANAIS 2010 ISSN GRAMÁTICA NO LIVRO DIDÁTICO: TRADICIONALISMO OU INTERAÇÃO? RESUMO

ANAIS 2010 ISSN GRAMÁTICA NO LIVRO DIDÁTICO: TRADICIONALISMO OU INTERAÇÃO? RESUMO GRAMÁTICA NO LIVRO DIDÁTICO: TRADICIONALISMO OU INTERAÇÃO? Flávia Barbosa Ilídio Luma de Fátima Sanches (Gdas-CLCA-UENP/CJ.) Marilúcia dos Santos Domingos Striquer (Orientadora CLCA-UENP/CJ) RESUMO Uma

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE World English. Ensino de Inglês. PIBID. Multiletramento.

PALAVRAS-CHAVE World English. Ensino de Inglês. PIBID. Multiletramento. 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

ENEM 2012 Questões 108, 109, 110, 111, 112 e 113

ENEM 2012 Questões 108, 109, 110, 111, 112 e 113 Questões 108, 109, 110, 111, 112 e 113 108. Na leitura do fragmento do texto Antigamente constata-se, pelo emprego de palavras obsoletas, que itens lexicais outrora produtivos não mais o são no português

Leia mais

tradições discursivas conceito, história e aquisição

tradições discursivas conceito, história e aquisição LEITURAS INTRODUTÓRIAS EM LINGUAGEM tradições discursivas conceito, história e aquisição Sanderléia Roberta Longhin 5 Sumário Apresentação da Coleção... 7 Introduzindo o tema... 9 Capítulo 1. Definição

Leia mais

Rio de Janeiro: CiFEFiL,

Rio de Janeiro: CiFEFiL, ENSINO DE REGÊNCIA: GRAMÁTICA NORMATIVA X VARIAÇÃO Aline Aurora Guida (CEFET-RJ/UFF) aurora.guida@gmail.com RESUMO No âmbito educacional, ainda é presente uma pedagogia, no ensino de língua portuguesa,

Leia mais

NÃO EXISTE CERTO E ERRADO EM LÍNGUA

NÃO EXISTE CERTO E ERRADO EM LÍNGUA NÃO EXISTE CERTO E ERRADO EM LÍNGUA Esse é um julgamento social, e não linguístico. VÍDEO DA PROPAGANDA DA RENAULT O QUE É LINGUA? Do ponto de vista material, língua é uma materialização da capacidade

Leia mais

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA LATIM B MAIO 2017 Prova - 332

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA LATIM B MAIO 2017 Prova - 332 INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA LATIM B MAIO 2017 Prova - 332 Escrita 12º Ano de Escolaridade (Portaria n.º 243/2012, de 10 de agosto - C. Humanísticos) Línguas e Humanidades O presente documento

Leia mais