Até que Ponto Seus Dados estão Seguros? Por Kris Land, CTO, diretor de tecnologia da InoStor Corp.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Até que Ponto Seus Dados estão Seguros? Por Kris Land, CTO, diretor de tecnologia da InoStor Corp."

Transcrição

1 Até que Ponto Seus Dados estão Seguros? Por Kris Land, CTO, diretor de tecnologia da InoStor Corp. No mundo de negócios da atualidade, nenhuma questão é mais importante para as grandes centrais de armazenamento do que a preservação e a integridade de seus dados. E os aplicativos utilizados pelo Governo não são diferentes. Uma pequena combinação de problemas físicos ou elétricos pode, num piscar de olhos, causar mais prejuízos econômicos do que um incêndio devastador. Considerando a rotina de utilização, todos os discos eventualmente irão falhar. Sabendo disso, as pessoas que gerenciam sistemas de armazenamento utilizando diversos discos geralmente tentam proteger seus dados com alguma forma de recuperação a partir de falhas. Na maioria dos casos, a principal defesa contra as falhas de discos se refere a dois simples algoritmos RAID que foram desenvolvidos há mais de quinze anos um deles com base no espelhamento e outro com base em paridade. Embora seja verdade que esses algoritmos podem proteger contra a perda de dados, caso ocorra alguma falha de disco em um conjunto de discos, a partir do momento em que ocorre a falha até que o conjunto RAID é completamente reconstruído, uma segunda falha de disco pode ocorrer a qualquer momento. Por várias razões, vale a pena considerar a probabilidade de ocorrerem várias falhas de disco: - Um evento que danifica o disco provavelmente vai danificar mais de um disco tal como um ambiente sujeito à excessiva umidade ou temperatura, um grande impacto no dispositivo de armazenamento ou um pico de voltagem. - Podem ocorrer grandes atrasos. Uma falha pode acontecer quando não é possível fazer uma substituição de disco, em um local remoto ou durante uma mudança de turno. Quanto mais tempo levar para se restaurar um disco que apresentou uma falha, maiores serão os problemas que outro disco causará se falhar durante o intervalo desprotegido. Além disso, continuar em operação com um disco apresentando falha aumenta efetivamente o nível de sobrecarga e estresse nos discos que não apresentaram falhas. - O custo da proteção adicional tem diminuído. Em comparação com os discos SCSI, os discos IDE/ATA têm maior capacidade, mas apresentam uma menor expectativa de duração e levam mais tempo para serem recuperados colocando grandes quantidades de dados em maior risco de sofrerem uma falha de disco. Entretanto, uma vez que o espaço em disco está se tornando cada vez mais barato, o custo da proteção adicional também está ficando cada vez menor.

2 - Quanto mais discos em um conjunto, maior a probabilidade de que mais de um disco apresente problemas a qualquer momento, especialmente se todos os discos no conjunto estiverem prestes a atingir sua expectativa de duração normal. - As pessoas cometem erros. Durante o período vulnerável em que é realizada a substituição de um disco, um funcionário pode remover o disco errado. - A constante necessidade de que os dados estejam disponíveis pode ser demasiadamente importante para se correr riscos. Mesmo tendo um backup em fita, grandes perdas de tempo podem ocorrer se o sistema de armazenamento em rede precisar ser recuperado a partir de uma fita, e a restauração a partir de fita geralmente não permite a recuperação das modificações que foram efetuadas depois do backup mais recente. Os algoritmos de espelhamento mais comumente utilizados são RAID-1 e RAID-10. Freqüentemente, eles são confundidos entre si. RAID-1 utiliza um disco para dados e um ou mais discos para espelhamento, enquanto RAID-10 (algumas vezes, chamado de 0 + 1) utiliza um conjunto de discos-espelho para o backup de um igual número de discos com dados distribuídos (striped) - o armazenamento de dados distribuído é utilizado para aumentar a velocidade em relação ao desempenho de um disco com densidade simples (single-disk). O lado negativo de qualquer tipo de espelhamento, conforme está descrito abaixo, é que, embora esse método proteja contra a perda aleatória de apenas um único disco, a capacidade utilizável é reduzida à metade do número total de discos no conjunto. Outro meio de se considerar esta alternativa é que o espaço em disco necessário para fazer cópias espelhadas custará algumas vezes a quantidade de espaço em disco exigida para a proteção de backup com um sistema RAID 5 que proporciona a mesma capacidade de utilização e o mesmo nível de proteção. RAID 5 exige o equivalente a apenas um disco para paridade, a fim de proteger qualquer número de discos contra uma falha em um único disco. Embora este método seja mais eficiente do que o espelhamento, ainda existe o problema de que todos os dados são perdidos, caso ocorra qualquer falha em um segundo disco antes que o RAID afetado seja recuperado. A importância de proteger contra várias falhas em disco tem gerado muitos experimentos. O RAID do software Linux pode efetuar a recuperação depois da falha de vários discos, organizando em camadas um conjunto RAID em cima de outro, combinando o mix de espelhamento, paridade e armazenamento de dados em trilhas, a fim de aumentar o nível de proteção. As duas combinações mais comumente mencionadas são RAID 5+1 (um par espelhado de conjuntos RAID-5) e RAID 5+5 (um RAID-5, cujos discos componentes são RAID 5). Vários algoritmos complexos de criptografia também têm sido desenvolvidos para proteger contra a perda de mais de um disco.

3 O problema com os RAIDs compostos e com os algoritmos de criptografia é que eles perdem tanto espaço de armazenamento para redundância e/ou tanta velocidade de processamento para cálculo, que raramente eles são utilizados ou mesmo oferecidos como opções com produtos NAS forçando os usuários que precisam de proteção a escolher entre a paridade e o espelhamento. Em vez de forçar um padrão de proteção (e vulnerabilidade) para o usuário, com base nas capacidades de espelhamento ou de proteção por paridade de um único disco, uma alternativa mais ideal para a proteção de dados seria ajustar o nível de segurança contra a perda de disco às necessidades dos usuários. Já existe um novo produto com base neste conceito. Denominada RAID n, esta patente avançada em tecnologia RAID permite que o usuário selecione um nível desejado de segurança de disco, nível esse que varia de zero (idêntico ao convencional e não oferecendo nenhuma proteção contra a perda de dados em disco) à proteção contra a perda de qualquer número de discos. Entre essas duas opções extremas, existe a segurança contra a perda de um único disco (muito semelhante a RAID 5, que possibilita que um disco falhe sem causar nenhuma perda de dados) e a segurança contra perda de dois discos (atualmente disponível apenas em sistemas especiais, nos quais são oferecidas combinações de RAIDs, como RAID 1+5 ou 51). Embora seja possível conseguir proteção contra a perda de dois ou mesmo de três discos por meio de combinações convencionais de RAID, RAID n pode efetuar a recuperação a partir de várias falhas simultâneas, sem sacrificar uma grande quantidade de espaço em disco utilizável e sem causar um declínio significativo no desempenho. Em um conjunto de discos de qualquer tamanho, o número de falhas aleatórias a partir das quais um usuário pode efetuar a recuperação com RAID n sempre é igual à quantidade de espaço em disco reservado para a segurança dos dados (paridade). A segurança de dados com RAID n pode ser utilizada, se necessário, para reconstruir os dados a partir de qualquer conjunto aleatório de discos perdidos. Por exemplo, para proteger contra a perda de até duas falhas de discos simultâneas, o usuário reserva o espaço equivalente a dois discos para a segurança de dados com RAID n, que são, na verdade, distribuídos (striped), em todos os discos no conjunto, como mostra a Figura 1. Figura 1: segurança por paridade, com RAID n, com dados armazenados em trilhas

4 A Figura 2 mostra como RAID n utiliza muito menos espaço em disco para segurança por paridade do que o RAID 5+1 utiliza para combinar espelhamento com paridade. A redundância adicional exigida pelos algoritmos compostos, como RAID 5+1, é espaço em disco desperdiçado. RAID n está tornando obsoletos todos os algoritmos RAID compostos. Figura 2: Comparação entre RAID n e RAID Cerca de 80% dos conjuntos RAID-5 utilizados nos atuais aplicativos de dados têm um ou mais Hot Spares (Disco sobressalente). Estes discos são adicionados constantemente, sem oferecer nenhum benefício direto ao conjunto associado ao disco. O resultado é um falso senso de segurança, que é potencialmente perigoso. Se um segundo disco falhar ou se o disco errado for removido acidentalmente enquanto o conjunto é recuperado, todos os dados desse volume serão perdidos! A tecnologia RAID n permite que o usuário defina a segurança para o nível 1 + (número de Hot Spares ), sem a necessidade de adquirir discos adicionais. Como resultado, o conjunto RAID n pode tolerar um maior número total de falhas de discos simultâneas e aleatórias, sem que ocorra perda de dados. Qualquer número de Hot Spares também pode ser utilizado com RAID n, permitindo que um igual número de discos com falhas sejam recuperados automaticamente, sem a necessidade de intervenção humana. Contudo, se o propósito de utilizar Hot Spares for o de recuperar rapidamente a proteção contra discos perdidos para um RAID com problemas, deve-se observar que, com RAID n, a proteção contra perda de discos nunca é interrompida, nem mesmo temporariamente, caso ocorra uma falha de um único disco. Aumentar o nível de segurança com RAID n proporciona melhor proteção do que acrescentar Hot Spares. Quase todo o restante do mercado RAID consiste de sistemas RAID 10 (ou RAID 1+0). Quando o desempenho e a segurança do sistema são as maiores preocupações, os sistemas RAID 10 têm duas sérias desvantagens: o custo do espelhamento (ou capacidade inversa) e o nível geral de segurança garantida.

5 Os espelhamento por si só oferece até mesmo um menor benefício pelo espaço em disco que ele consome, em comparação com os RAIDs compostos. Observe, na Figura 3, como o RAID 10 não somente exige mais discos do que o RAID n para a mesma capacidade de armazenamento, como também proporciona menor proteção. Em qualquer contexto em que valha a pena considerar RAID- 10 ou um RAID composto, RAID n será ainda muito mais econômico. Para a proteção contra a perda de um único disco, RAID 5 será uma opção melhor. Figura 3: Comparação entre RAID n e o espelhamento com RAID 10 Para obter o correspondente à capacidade do RAID-5, qualquer sistema que utilize espelhamento, como o sistema que é mostrado aqui, vai exigir duas vezes o número de discos para proteção, menos um. Por exemplo, considerando o preço atual de US$844,00 por disco com capacidade de 181GB, um sistema RAID-5 com dois Terabytes custaria US$ O equivalente à capacidade de armazenamento desse mesmo sistema com dois Terabytes, utilizando RAID 10, custaria US$18.568, sem obter nenhum beneficio de desempenho com os dez discos extras. A maioria das pessoas pensa que a redundância de discos é muito maior quando cada disco é espelhado. Mas esse não é o caso. É verdade que, se toda a metade superior ou toda a metade inferior dos discos espelhados falhar ao mesmo tempo, os dados poderão ser recuperados; mas o conjunto inteiro será perdido, se qualquer par de discos espalhados vier a falhar. É arriscado demais apostar qual disco vai falhar e qual não vai falhar.

6 Como se pode ver nos exemplos acima, as atuais técnicas de espelhamento e paridade, mesmo quando agregadas em RAIDs compostos, têm grandes desvantagens, que forçam os usuários de RAID a fazerem difíceis escolhas. Algumas vezes, isso é chamado de Triângulo RAID, como mostra a Tabela 1, abaixo. Tipo de RAID Prós Contras Rápida leitura e gravação, maior capacidade Nenhuma segurança, se qualquer disco falhar RAID 3,4,5 Segurança contra perda de 1 disco, capacidade = todos os discos 1 RAID 1+0 (10) Rápida leitura, ½ do desempenho de gravação, garantia contra perda de um disco RAID 1+5 (15) Segurança contra perda de 3 discos Tabela 1: o triângulo RAID Muito mais lento do que Dobro do custo ou metade da capacidade de utilização Dobro do custo ou metade da capacidade de utilização ou baixa performance A Tabela 1 mostra que a opção pelo RAID convencional proporciona um nível de controle muito inferior. E como as versões compostas dos RAIDs convencionais não são nem mesmo oferecidas como opção com a maioria dos produtos NAS, os usuários raramente são protegidos contra a perda de mais de um disco. Também é importante notar que qualquer garantia contra perda de mais de três discos não é possível com as combinações de RAID convencionais. Alguns setores governamentais e algumas instituições bancárias têm RAID 5+1 para informações que precisam permanecer totalmente disponíveis, mas quando RAID 5+1 é comparado com RAID n, as perdas relacionadas a desempenho e o custo em dólares referente à perda de capacidade são muito grandes.

7 O pacote RAID n é equivalente aos RAIDs convencionais mais populares, mas ele também oferece várias novas opções. Como podemos ver na Tabela 2, RAID n permite que os usuários aumentem o nível de garantia contra a perda de discos, ao mesmo tempo em que consome menor espaço em disco para proteção do que as combinações de RAID. Alem disso, RAID n possibilita uma precisa escolha da garantia contra perda de discos, exigindo apenas um disco adicional para cada nível de proteção agregado, um recurso que não pode ser comparado com nenhuma alternativa convencional. Níveis RAID n Prós Contras Leitura e gravação mais rápidas, maior capacidade Nenhuma segurança, se qualquer disco falhar RAID 1 Garantia contra perda de 1 Escrita mais lenta que com disco, Capacidade= todos os discos 1, Leitura rápida RAID 2 Garantia contra perda de 2 discos, capacidade = todos os discos 2, Leitura rápida RAID 3 Garantia contra perda de 3 discos, capacidade = todos os discos 3, Leitura rápida RAID 4 Garantia contra perda de 4 discos, capacidade= todos os discos 4, Leitura rápida RAID 5 Garantia contra perda de 5 discos, capacidade = todos os discos 5, Leitura rápida Tabela 2: níveis de segurança e desvantagens do RAID n Escrita mais lenta que com Escrita mais lenta que com Escrita mais lenta que com Escrita mais lenta que com Outra importante modificação que permanece oculta até que se comece a utilizar RAID n é sua habilidade de recuperar vários discos tão rapidamente quanto o RAID 5 pode recuperar um único disco. Além disso, um recurso de conversão brevemente estará disponível para o usuário, com a finalidade de ajustar o nível de segurança com o RAID n à quantidade de espaço em disco não utilizado atualmente disponível. O espaço em disco que é desperdiçado pela falta de uso é convertido para aumentar a proteção de backup. E caso esse espaço em disco posteriormente se torne necessário para o armazenamento de dados, o nível de proteção pode então ser reduzido pelo mesmo processo dinâmico. E a qualquer momento desse processo de conversão, os dados estão totalmente protegidos contra a possibilidade de perda aleatória de disco. Considerando isso, para qualquer nível de proteção que um usuário deseje, a segurança do RAID n corresponde ou excede os benefícios do RAID convencional. Esperamos que o RAID n em breve se torne padrão em relação ao qual novas tecnologias RAID serão comparadas.

8 InoStor a Tandberg Data company Tandberg Data do Brasil São Paulo, SP Tel: FAX:

Auditoria e Segurança de Sistemas Aula 03 Segurança off- line. Felipe S. L. G. Duarte Felipelageduarte+fatece@gmail.com

Auditoria e Segurança de Sistemas Aula 03 Segurança off- line. Felipe S. L. G. Duarte Felipelageduarte+fatece@gmail.com Auditoria e Segurança de Sistemas Aula 03 Segurança off- line Felipe S. L. G. Duarte Felipelageduarte+fatece@gmail.com Cenário off- line (bolha) 2 Roubo de Informação Roubo de Informação - Acesso físico

Leia mais

CURSO EFA 2012 / 2013

CURSO EFA 2012 / 2013 Avaliação CURSO EFA 2012 / 2013 Formando: Data: / / ÁREA/Assunto: Formando Formador / Mediador: Formador FICHA INFORMATIVA E DE TRABALHO MÓDULO: 0774 INSTALAÇÃO DE SOFTWARE BASE CONTEÚDOS Segurança no

Leia mais

Admistração de Redes de Computadores (ARC)

Admistração de Redes de Computadores (ARC) Admistração de Redes de Computadores (ARC) Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina - Campus São José Prof. Glauco Cardozo glauco.cardozo@ifsc.edu.br RAID é a sigla para Redundant

Leia mais

ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES ATIVIDADE 10 RAID /VIA SOFTWARE Gil Eduardo de Andrade

ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES ATIVIDADE 10 RAID /VIA SOFTWARE Gil Eduardo de Andrade ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES ATIVIDADE 10 RAID /VIA SOFTWARE Gil Eduardo de Andrade Esta a tividade deve ser efetuada no sistema operacional Windows XP, os passos efetuados possibilitam verificar

Leia mais

RAID. Redundant Array of Independent Drives. Conjunto Redundante de Discos Independentes

RAID. Redundant Array of Independent Drives. Conjunto Redundante de Discos Independentes RAID Redundant Array of Independent Drives Conjunto Redundante de Discos Independentes Redundância?! Redundância é ter componentes de reserva para substituir o componente principal mantendo disponibilidade

Leia mais

O que é RAID? Tipos de RAID:

O que é RAID? Tipos de RAID: O que é RAID? RAID é a sigla para Redundant Array of Independent Disks. É um conjunto de HD's que funcionam como se fosse um só, isso quer dizer que permite uma tolerância alta contra falhas, pois se um

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais RAID Marcelo Diniz http://marcelovcd.wordpress.com/ O que é RAID? RAID RAID (Redundant Array of Independent Disks ) Matriz Redundante de Discos Independentes Recuperar informação

Leia mais

RAID. Propõe o aumento da confiabilidade e desempenho do armazenamento em disco. RAID (Redundant Array of Independent Disks )

RAID. Propõe o aumento da confiabilidade e desempenho do armazenamento em disco. RAID (Redundant Array of Independent Disks ) RAID O que é um RAID? RAID RAID (Redundant Array of Independent Disks ) Matriz Redundante de Discos Independentes Propõe o aumento da confiabilidade e desempenho do armazenamento em disco. RAID Surgiu

Leia mais

Documentação sobre a Tecnologia RAID

Documentação sobre a Tecnologia RAID Documentação sobre a Tecnologia RAID Enquanto especialista no armazenamento de dados, a LaCie reconhece que quase todos os utilizadores de computadores irão necessitar de uma solução de cópia de segurança

Leia mais

Setores Trilhas. Espaço entre setores Espaço entre trilhas

Setores Trilhas. Espaço entre setores Espaço entre trilhas Memória Externa Disco Magnético O disco magnético é constituído de um prato circular de metal ou plástico, coberto com um material que poder magnetizado. Os dados são gravados e posteriormente lidos do

Leia mais

Sou o professor Danilo Augusto, do TIParaConcursos.net, e lá costumo trabalhar temas relacionados a Redes de Computadores e Sistemas Operacionais.

Sou o professor Danilo Augusto, do TIParaConcursos.net, e lá costumo trabalhar temas relacionados a Redes de Computadores e Sistemas Operacionais. Olá nobre concurseiro e futuro servidor público! Sou o professor Danilo Augusto, do TIParaConcursos.net, e lá costumo trabalhar temas relacionados a Redes de Computadores e Sistemas Operacionais. Essa

Leia mais

Sistemas de Armazenamento

Sistemas de Armazenamento M. Sc. isacfernando@gmail.com Especialização em Administração de Banco de Dados ESTÁCIO FIR Tipo de Não importa quanta memória seu smartphone tenha, ele nunca terá o bastante para guardar todas as suas

Leia mais

AVALIAÇÃO À DISTÂNCIA 1 GABARITO

AVALIAÇÃO À DISTÂNCIA 1 GABARITO Fundação CECIERJ - Vice Presidência de Educação Superior a Distância Curso de Tecnologia em Sistemas de Computação UFF Disciplina INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA... AD1 2 semestre de 2008. Data... AVALIAÇÃO À

Leia mais

Sistemas Operacionais Gerência de Dispositivos

Sistemas Operacionais Gerência de Dispositivos Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul UEMS Curso de Licenciatura em Computação Sistemas Operacionais Gerência de Dispositivos Prof. José Gonçalves Dias Neto profneto_ti@hotmail.com Introdução A gerência

Leia mais

Tecnologia de armazenamento Intel (Intel RST) RAID 0, 1, 5, 10, Matrix RAID, RAID -Pronto

Tecnologia de armazenamento Intel (Intel RST) RAID 0, 1, 5, 10, Matrix RAID, RAID -Pronto Tecnologia de armazenamento Intel (Intel RST) RAID 0, 1, 5, 10, Matrix RAID, RAID -Pronto RAID 0 (striping) RAID 0 utiliza os recursos de leitura/gravação duas ou mais unidades de disco trabalhando em

Leia mais

RAID Redundat Arrays of Inexpensive Disks

RAID Redundat Arrays of Inexpensive Disks RAID Redundat Arrays of Inexpensive Disks Criado em alternativa para os discos grandes e caros. Justificativa: Substituindo discos grandes por muitos discos pequenos, o desempenho melhoraria mais cabeças

Leia mais

Módulo 6: Segurança da TI

Módulo 6: Segurança da TI 1 Módulo 6: Segurança da TI 6.1. Questões de Segurança da TI Discute como se pode promover a qualidade e segurança dos sistemas de informação por uma diversidade de controles, procedimentos e instalações.

Leia mais

Sistemas Tolerantes a Falhas

Sistemas Tolerantes a Falhas Sistemas Tolerantes a Falhas Ténicas de TF para Diversidade de Dados Prof. Jó Ueyama 1 Introdução A diversidade de dados vem complementar as técnicas de diversidade vistas até agora A diversidade de dados

Leia mais

Soluções em Armazenamento

Soluções em Armazenamento Desafios das empresas no que se refere ao armazenamento de dados Aumento constante do volume de dados armazenados pelas empresas, gerando um desafio para manter os documentos armazenados Necessidade de

Leia mais

NEVOA BACKUP SYSTEM. 2009 Nevoa Networks Ltda. All Rights Reserved.

NEVOA BACKUP SYSTEM. 2009 Nevoa Networks Ltda. All Rights Reserved. NEVOA BACKUP SYSTEM Com o Nevoa Backup System você garante não só o mais eficiente sistema de backup para seus dados, mas também a solução mais escalável do mercado, afinal, se sua empresa cresce, seus

Leia mais

Cultura Inglesa São Paulo automatiza backup diário em 18 unidades com arcserve

Cultura Inglesa São Paulo automatiza backup diário em 18 unidades com arcserve CASO DE SUCESSO Julho 2014 Cultura Inglesa São Paulo automatiza backup diário em 18 unidades com arcserve PERFIL DO CLIENTE Setor: Educação Organização: Cultura Inglesa São Paulo EMPRESA DESAFIO SOLUÇÃO

Leia mais

Considerações sobre o Disaster Recovery

Considerações sobre o Disaster Recovery Considerações sobre o Disaster Recovery I M P O R T A N T E O backup completo para Disaster Recovery não dispensa o uso de outros tipos de trabalhos de backup para garantir a integridadedo sistema. No

Leia mais

481040 - Programador/a de Informática

481040 - Programador/a de Informática 481040 - Programador/a de Informática UFCD - 0801 ADMINISTRAÇÃO DE REDES LOCAIS Sessão 9 SUMÁRIO Sistemas redundantes; Modos de Operação RAID Sistemas redundantes 1. Redundância significa ter componentes

Leia mais

Tópicos Especiais em Informática

Tópicos Especiais em Informática Tópicos Especiais em Informática BackUp Prof. Ms.-Eng. Igor Sousa Faculdade Lourenço Filho 29 de setembro de 2014 igorvolt@gmail.com (FLF) Tópicos Especiais em Informática 29 de setembro de 2014 1 / 19

Leia mais

Tópicos Especiais em Informática

Tópicos Especiais em Informática Tópicos Especiais em Informática RAID Prof. Ms.-Eng. Igor Sousa Faculdade Lourenço Filho 1 de outubro de 2014 igorvolt@gmail.com (FLF) Tópicos Especiais em Informática 1 de outubro de 2014 1 / 14 Introdução

Leia mais

BACKUP 101: PLANEJAMENTOS E FERRAMENTAS

BACKUP 101: PLANEJAMENTOS E FERRAMENTAS BACKUP 101: PLANEJAMENTOS E FERRAMENTAS Jerônimo Medina Madruga (UFPel) Resumo: Em um mundo onde quase todo serviço conta informações digitais, a garantia da segurança desses dados muitas vezes é uma das

Leia mais

MÓDULO 11 ELEMENTOS QUE FAZEM PARTE DO PROJETO DO SISTEMA

MÓDULO 11 ELEMENTOS QUE FAZEM PARTE DO PROJETO DO SISTEMA MÓDULO 11 ELEMENTOS QUE FAZEM PARTE DO PROJETO DO SISTEMA Através dos elementos que fazem parte do projeto do sistema é que podemos determinar quais as partes do sistema que serão atribuídas às quais tipos

Leia mais

Leandro Ramos RAID. www.professorramos.com

Leandro Ramos RAID. www.professorramos.com Leandro Ramos RAID www.professorramos.com RAID RAID significa Redundant Array of Independent Disks. Em bom português, significa Matriz Redundante de Discos Independentes. Apesar do nome ser complicado,

Leia mais

ÍNDICE. www.leitejunior.com.br 16/06/2008 17:43 Leite Júnior

ÍNDICE. www.leitejunior.com.br 16/06/2008 17:43 Leite Júnior ÍNDICE BACKUP E RESTAURAÇÃO(RECOVERY)...2 BACKUP...2 PORQUE FAZER BACKUP?...2 DICAS PARA BACKUP...2 BACKUP NO WINDOWS...2 BACKUP FÍSICO E ON-LINE...3 BACKUP FÍSICO...3 BACKUP ON-LINE(VIRTUAL) OU OFF-SITE...3

Leia mais

10 Dicas para uma implantação

10 Dicas para uma implantação 10 Dicas para uma implantação de Cloud Computing bem-sucedida. Um guia simples para quem está avaliando mudar para A Computação em Nuvem. Confira 10 dicas de como adotar a Cloud Computing com sucesso.

Leia mais

GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC

GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC RESUMO EXECUTIVO O PowerVault DL2000, baseado na tecnologia Symantec Backup Exec, oferece a única solução de backup em

Leia mais

Memeo Instant Backup Guia de Referência Rápida

Memeo Instant Backup Guia de Referência Rápida Introdução O Memeo Instant Backup é uma solução de backup simples para um mundo digital complexo. Fazendo backup automático e contínuo de seus valiosos arquivos na sua unidade C, o Memeo Instant Backup

Leia mais

Cultura Inglesa automatiza backup diário em 18 unidades com CA ARCserve

Cultura Inglesa automatiza backup diário em 18 unidades com CA ARCserve CUSTOMER SUCCESS STORY Cultura Inglesa automatiza backup diário em 18 unidades com CA ARCserve PERFIL DO CLIENTE Setor: Educação Organização: Cultura Inglesa São Paulo EMPRESA Fundada há mais de 75 anos,

Leia mais

seguras para administradores de organizadores do site Cisco WebEx Melhores práticas para reuniões Visão geral da privacidade WebEx

seguras para administradores de organizadores do site Cisco WebEx Melhores práticas para reuniões Visão geral da privacidade WebEx Visão geral da privacidade WebEx As soluções on-line ajudam a permitir que os funcionários globais e as equipes virtuais se reúnam e colaborarem em tempo real como se estivessem trabalhando na mesma sala.

Leia mais

CA ARCserve Backup PERGUNTAS MAIS FREQUENTES: ARCSERVE BACKUP R12.5

CA ARCserve Backup PERGUNTAS MAIS FREQUENTES: ARCSERVE BACKUP R12.5 PERGUNTAS MAIS FREQUENTES: ARCSERVE BACKUP R12.5 CA ARCserve Backup Este documento aborda as perguntas mais freqüentes sobre o CA ARCserve Backup r12.5. Para detalhes adicionais sobre os novos recursos

Leia mais

XDOC. Solução otimizada para armazenamento e recuperação de documentos

XDOC. Solução otimizada para armazenamento e recuperação de documentos XDOC Solução otimizada para armazenamento e recuperação de documentos ObJetivo Principal O Que você ACHA De ter Disponível Online todos OS Documentos emitidos por SUA empresa em UMA intranet OU Mesmo NA

Leia mais

AULA 02 2. USO DE FERRAMENTAS DE SUPORTE DO SISTEMA

AULA 02 2. USO DE FERRAMENTAS DE SUPORTE DO SISTEMA AULA 02 2. USO DE FERRAMENTAS DE SUPORTE DO SISTEMA 2.1 Desfragmentador de Disco (DFRG.MSC): Examina unidades de disco para efetuar a desfragmentação. Quando uma unidade está fragmentada, arquivos grandes

Leia mais

EA960 Redundância e Confiabilidade: RAID

EA960 Redundância e Confiabilidade: RAID EA960 Redundância e Confiabilidade: RAID Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Prof. Levy Boccato 1 Motivação Revisitando a lei de Amdahl:

Leia mais

O RAID foi proposto em 1988 por David A. Patterson, Garth A. Gibson e Randy H. Katz na publicação "Um

O RAID foi proposto em 1988 por David A. Patterson, Garth A. Gibson e Randy H. Katz na publicação Um AID - Wikipédia, a enciclopédia livre de 10 5/10/2009 16:30 Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Redundant Array of Independent Drives, também denominado Redundant Array of Inexpensive Drives ou mais

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Permitir a recuperação de sistemas de arquivo inteiros de uma só vez

Permitir a recuperação de sistemas de arquivo inteiros de uma só vez Backups Os backups tem dois objetivos principais: Permitir a recuperação de arquivos individuais Permitir a recuperação de sistemas de arquivo inteiros de uma só vez O primeiro objetivo é a base do típico

Leia mais

ArcSoft MediaConverter

ArcSoft MediaConverter ArcSoft MediaConverter User Manual Português 1 201004 Índice Índice... 2 1. Índice... 3 1.1 Requisitos do sistema... 4 1.2 Extras... 4 2. Convertendo arquivos... 7 2.1 Passo1: Selecionar mídia... 7 2.1.1

Leia mais

Instalação e Manutenção de Microcomputadores (COI)

Instalação e Manutenção de Microcomputadores (COI) Instalação e Manutenção de Microcomputadores (COI) 4. Montagem do Computador Disco rígido limpeza; Disco rígido verificação de erros (modo gráfico); Disco rígido verificação de erros (linha de comandos;

Leia mais

EAGLE TECNOLOGIA E DESIGN CRIAÇÃO DE SERVIDOR CLONE APCEF/RS

EAGLE TECNOLOGIA E DESIGN CRIAÇÃO DE SERVIDOR CLONE APCEF/RS EAGLE TECNOLOGIA E DESIGN CRIAÇÃO DE SERVIDOR CLONE APCEF/RS Relatório Nº 03/2013 Porto Alegre, 22 de Agosto de 2013. ANÁLISE DE SOLUÇÕES: # RAID 1: O que é: RAID-1 é o nível de RAID que implementa o espelhamento

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Ferramenta de Backup

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Ferramenta de Backup MANUAL DO USUÁRIO Software de Ferramenta de Backup Software Ferramenta de Backup Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. Este manual serve como referência para

Leia mais

EXIN Cloud Computing Fundamentos

EXIN Cloud Computing Fundamentos Exame Simulado EXIN Cloud Computing Fundamentos Edição Maio 2013 Copyright 2013 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada

Leia mais

Fundamentos de Sistemas de Informação Hardware: Dispositivos de Entrada, Processamento e Saída

Fundamentos de Sistemas de Informação Hardware: Dispositivos de Entrada, Processamento e Saída Fundamentos de Sistemas de Informação Hardware: Dispositivos de Entrada, Processamento e Saída Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Introdução O uso apropriado da tecnologia pode garantir

Leia mais

Informática para Concursos 1 leitejuniorbr@yahoo.com.br

Informática para Concursos 1 leitejuniorbr@yahoo.com.br QUESTÕES TRE / TJ FCC 2007 CARGO: TÉCNICO JUDICIÁRIO ÁREA QUESTÃO 11 -. Com relação a hardware, é correto afirmar que: (A) Computadores com placas-mãe alimentadas por fontes ATX suportam o uso do comando

Leia mais

Apostila de Gerenciamento e Administração de Redes

Apostila de Gerenciamento e Administração de Redes Apostila de Gerenciamento e Administração de Redes 1. Necessidades de Gerenciamento Por menor e mais simples que seja uma rede de computadores, precisa ser gerenciada, a fim de garantir, aos seus usuários,

Leia mais

481040 - Programador/a de Informática

481040 - Programador/a de Informática 481040 - Programador/a de Informática UFCD - 0801 ADMINISTRAÇÃO DE REDES LOCAIS Sessão 1 SUMÁRIO Backups eficientes; Armazenar Backups; Restaurar do zero; Testar Backups; Backups eficientes 1. Etiquetar

Leia mais

RESTAURAÇÃO NO WINDOWS 8

RESTAURAÇÃO NO WINDOWS 8 RESTAURAÇÃO NO WINDOWS 8 Este documento se aplica aos computadores HP e Compaq com Windows 8, mas a lógica de funcionamento é a mesma para os demais computadores. Este documento explica como usar e solucionar

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇO DE BACKUP. Professor Carlos Muniz

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇO DE BACKUP. Professor Carlos Muniz ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS O que é o Backup do Windows Server? O recurso Backup do Windows Server no Windows Server 2008 consiste em um snap-in do Console de Gerenciamento Microsoft (MMC) e

Leia mais

ISO/IEC 12207: Gerência de Configuração

ISO/IEC 12207: Gerência de Configuração ISO/IEC 12207: Gerência de Configuração Durante o processo de desenvolvimento de um software, é produzida uma grande quantidade de itens de informação que podem ser alterados durante o processo Para que

Leia mais

Níveis de RAID - RAID 0

Níveis de RAID - RAID 0 RAID RAID é acrônimo para Redundant Array of Inexpensive Disks. Este arranjo é usado como um meio para criar um subsistema de unidade de disco, rápido e confiável, através de discos individuais. RAID é

Leia mais

CoIPe Telefonia com Tecnologia

CoIPe Telefonia com Tecnologia CoIPe Telefonia com Tecnologia A proposta Oferecer sistema de telefonia digital com tecnologia que possibilita inúmeras maneiras de comunicação por voz e dados, integrações, recursos e abertura para customizações.

Leia mais

Como fazer Backup. Previna-se contra acidentes no disco rígido

Como fazer Backup. Previna-se contra acidentes no disco rígido Como fazer Backup Previna-se contra acidentes no disco rígido Vocês já imaginaram se, de uma hora para outra, todo o conteúdo do disco rígido desaparecer? Parece pesadelo? Pois isso não é uma coisa tão

Leia mais

Multiplexador. Permitem que vários equipamentos compartilhem um único canal de comunicação

Multiplexador. Permitem que vários equipamentos compartilhem um único canal de comunicação Multiplexadores Permitem que vários equipamentos compartilhem um único canal de comunicação Transmissor 1 Receptor 1 Transmissor 2 Multiplexador Multiplexador Receptor 2 Transmissor 3 Receptor 3 Economia

Leia mais

Dispositivos de Memória

Dispositivos de Memória Chipset Conjunto de chips que fazem a comunicação entre a e os demais dispositivos do computador. Todas as informações que trafegam pela placa mãe passam necessariamente pelo Chipset, que tem dois chips:

Leia mais

Sistemas Críticos. Resumo do Cap.3 por Rossana M. C. Andrade. 2007 by Pearson Education

Sistemas Críticos. Resumo do Cap.3 por Rossana M. C. Andrade. 2007 by Pearson Education Sistemas Críticos Resumo do Cap.3 por Rossana M. C. Andrade Objetivos Explicar o que significa um sistema crítico, e onde a falha de sistema pode ter conseqüência severa humana ou econômica. Explicar quatro

Leia mais

Documento de Análise e Projeto VideoSystem

Documento de Análise e Projeto VideoSystem Documento de Análise e Projeto VideoSystem Versão Data Versão Descrição Autor 20/10/2009 1.0 21/10/2009 1.0 05/11/2009 1.1 Definição inicial do documento de análise e projeto Revisão do documento

Leia mais

SEGURANÇA E AUDITORIA DE TI

SEGURANÇA E AUDITORIA DE TI 1 SEGURANÇA E AUDITORIA DE TI Objetivos - Identificar diversos tipos de controles de sistemas de informação, controles de procedimentos e controles de instalações e explicar como eles podem ser utilizados

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866 6.7 Operações com as Memórias: Já sabemos, conforme anteriormente citado, que é possível realizar duas operações em uma memória: Escrita (write) armazenar informações na memória; Leitura (read) recuperar

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais SISTEMAS DE ARQUIVOS MACHADO/MAIA: CAPÍTULO 11 Prof. Pedro Luís Antonelli Anhanguera Educacional SISTEMAS DE ARQUIVOS - INTRODUÇÃO O armazenamento e a recuperação de informações é

Leia mais

Soluções em Segurança

Soluções em Segurança Desafios das empresas no que se refere a segurança da infraestrutura de TI Dificuldade de entender os riscos aos quais a empresa está exposta na internet Risco de problemas gerados por ameaças externas

Leia mais

Serviço HP Carregamento de Imagem e Aplicações

Serviço HP Carregamento de Imagem e Aplicações Especificações técnicas Serviço HP Carregamento de Imagem e Aplicações Serviços HP de Configuração Deixe a HP gerenciar sua imagem de PC para que você possa se concentrar nos negócios Visão geral dos serviços

Leia mais

1 INTRODUÇÃO Internet Engineering Task Force (IETF) Mobile IP

1 INTRODUÇÃO Internet Engineering Task Force (IETF) Mobile IP 1 INTRODUÇÃO Devido ao crescimento da Internet, tanto do ponto de vista do número de usuários como o de serviços oferecidos, e o rápido progresso da tecnologia de comunicação sem fio (wireless), tem se

Leia mais

1) Botão "Ler Versão": apresenta a versão do firmware do leitor de cartões acoplado;

1) Botão Ler Versão: apresenta a versão do firmware do leitor de cartões acoplado; O utilitário de Configuração do Leitor de Cartões Magnéticos MagPass, foi desenvolvido para facilitar a re-configuração do mesmo* para necessidades específicas dos clientes ou de aplicativos utilizados

Leia mais

Perguntas frequentes do Samsung Drive Manager

Perguntas frequentes do Samsung Drive Manager Perguntas frequentes do Samsung Drive Manager Instalação P: Meu Disco Rígido Externo Samsung está conectado, mas nada está acontecendo. R: Verifique a conexão a cabo USB. Se seu Disco Rígido Externo Samsung

Leia mais

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4. Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5 Por: Fabio Pozzebon Soares Página 1 de 11 Sistema ProJuris é um conjunto de componentes 100% Web, nativamente integrados, e que possuem interface com vários idiomas,

Leia mais

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I. Unidade IV Gerência de Memória Secundária. Prof. Valeria M. Bastos 18/06/2012 Prof. Antonio Carlos Gay Thomé

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I. Unidade IV Gerência de Memória Secundária. Prof. Valeria M. Bastos 18/06/2012 Prof. Antonio Carlos Gay Thomé UFRJ IM - DCC Sistemas Operacionais I Unidade IV Gerência de Memória Secundária Prof. Valeria M. Bastos 18/06/2012 Prof. Antonio Carlos Gay Thomé 1 ORGANIZAÇÃO DA UNIDADE Gerência de Entrada e Saída Gerência

Leia mais

Organização de Computadores 1

Organização de Computadores 1 Organização de Computadores 1 4 SUPORTE AO SISTEMA OPERACIONAL Prof. Luiz Gustavo A. Martins Sistema Operacional (S.O.) Programa responsável por: Gerenciar os recursos do computador. Controlar a execução

Leia mais

Atualização, backup e recuperação de software

Atualização, backup e recuperação de software Atualização, backup e recuperação de software Guia do Usuário Copyright 2006 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft e Windows são marcas registradas da Microsoft Corporation nos EUA. As informações

Leia mais

Um cluster de servidores de email pode ser usado para servir os emails de uma empresa.

Um cluster de servidores de email pode ser usado para servir os emails de uma empresa. CLUSTERS Pode-se pegar uma certa quantidade de servidores e juntá-los para formar um cluster. O serviço então é distribuído entre esses servidores como se eles fossem uma máquina só. Um cluster de servidores

Leia mais

Veritas Storage Foundation da Symantec

Veritas Storage Foundation da Symantec Veritas Storage Foundation da Symantec Gerenciamento de armazenamento heterogêneo on-line O Veritas Storage Foundation oferece uma solução completa para o gerenciamento de armazenamento heterogêneo on-line.

Leia mais

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 1-13

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 1-13 1-13 INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A

Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A EDITAL - PREGÃO PRESENCIAL N. 2011/123 OBJETO: AQUISIÇÃO DE UNIDADE DE ARMAZENAMENTO DE DADOS. ESCLARECIMENTOS TÉCNICOS 1) Referente a terceira exigência da seção CONECTIVIDADE : É obrigatório que as portas

Leia mais

Sistema de Arquivos EXT3

Sistema de Arquivos EXT3 Sistema de Arquivos EXT3 Introdução Ext3 é uma nova versão do Ext2. Possui as mesmas estruturas do ext2, além de adicionar as propriedades do Journal. O uso do Ext3 melhora na recuperação do sistema(dados),

Leia mais

Programas Maliciosos. 2001 / 1 Segurança de Redes/Márcio d Ávila 182. Vírus de Computador

Programas Maliciosos. 2001 / 1 Segurança de Redes/Márcio d Ávila 182. Vírus de Computador Programas Maliciosos 2001 / 1 Segurança de Redes/Márcio d Ávila 182 Vírus de Computador Vírus de computador Código intruso que se anexa a outro programa Ações básicas: propagação e atividade A solução

Leia mais

Os requisitos de SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO dentro de uma organização passaram por duas mudanças importantes nas últimas décadas:

Os requisitos de SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO dentro de uma organização passaram por duas mudanças importantes nas últimas décadas: $XWDUTXLD(GXFDFLRQDOGR9DOHGR6mR)UDQFLVFR± $(96) )DFXOGDGHGH&LrQFLDV6RFLDLVH$SOLFDGDVGH3HWUROLQD± )$&$3( &XUVRGH&LrQFLDVGD&RPSXWDomR 6(*85$1d$($8',725,$'(6,67(0$6 ³6HJXUDQoDGH,QIRUPDo}HV &\QDUD&DUYDOKR

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS CAPÍTULO 3 CONCORRÊNCIA

SISTEMAS OPERACIONAIS CAPÍTULO 3 CONCORRÊNCIA SISTEMAS OPERACIONAIS CAPÍTULO 3 CONCORRÊNCIA 1. INTRODUÇÃO O conceito de concorrência é o princípio básico para o projeto e a implementação dos sistemas operacionais multiprogramáveis. O sistemas multiprogramáveis

Leia mais

Problema. Controle de Acesso Lógico e Físico. Controle de Acesso Físico. Definição. Localização do CPD. Localização do CPD

Problema. Controle de Acesso Lógico e Físico. Controle de Acesso Físico. Definição. Localização do CPD. Localização do CPD Problema Controle de Acesso Lógico e Físico Prof. Alexandre Beletti Ferreira Com as informações armazenadas em computadores interligados com outros computadores no mundo todo surgi a necessidade de uma

Leia mais

Documento técnico de negócios

Documento técnico de negócios Documento técnico de negócios Manual de proteção de dados para armazenamento totalmente em flash Principais considerações para o comprador de armazenamento com experiência em tecnologia Documento técnico

Leia mais

Appliance Dell PowerVault DL Backup to Disk e Symantec Backup Exec Storage Provisioning Option

Appliance Dell PowerVault DL Backup to Disk e Symantec Backup Exec Storage Provisioning Option Appliance Dell PowerVault DL Backup to Disk e Symantec Backup Exec Storage Provisioning Option O software descrito neste livro é fornecido sob um contrato de licença e pode ser usado somente de acordo

Leia mais

RAID 1. RAID 0 2. RAID 1

RAID 1. RAID 0 2. RAID 1 EJAV - ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA E PROFISSIONAL JOSÉ APRÍGIO BRANDÃO VILELA Curso Técnico de Informática Professor Jonathas José de Magalhães AULA 08 - RAID RAID O desempenho das memórias secundárias

Leia mais

Introdução. Pense em toda a informação pessoal que você tem armazenada no. seu computador, informação irrecuperável como fotos, documentos,

Introdução. Pense em toda a informação pessoal que você tem armazenada no. seu computador, informação irrecuperável como fotos, documentos, Guia de Backup Introdução Pense em toda a informação pessoal que você tem armazenada no seu computador, informação irrecuperável como fotos, documentos, apresentações, entre outras. Imagine que quando

Leia mais

Hardware (Nível 0) Organização. Interface de Máquina (IM) Interface Interna de Microprogramação (IIMP)

Hardware (Nível 0) Organização. Interface de Máquina (IM) Interface Interna de Microprogramação (IIMP) Hardware (Nível 0) Organização O AS/400 isola os usuários das características do hardware através de uma arquitetura de camadas. Vários modelos da família AS/400 de computadores de médio porte estão disponíveis,

Leia mais

Guia do usuário do Seagate Dashboard

Guia do usuário do Seagate Dashboard Guia do usuário do Seagate Dashboard Guia do usuário do Seagate Dashboard 2013 Seagate Technology LLC. Todos os direitos reservados. Seagate, Seagate Technology, o logotipo Wave e FreeAgent são marcas

Leia mais

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais 4º Período

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais 4º Período Sistemas de Informação Sistemas Operacionais 4º Período SISTEMA DE ARQUIVOS SUMÁRIO 7. SISTEMA DE ARQUIVOS: 7.1 Introdução; 7.2 s; 7.3 Diretórios; 7.4 Gerência de Espaço Livre em Disco; 7.5 Gerência de

Leia mais

BC 1518 - Sistemas Operacionais Sistema de Arquivos (aula 10 Parte 2) Prof. Marcelo Z. do Nascimento

BC 1518 - Sistemas Operacionais Sistema de Arquivos (aula 10 Parte 2) Prof. Marcelo Z. do Nascimento BC 1518 - Sistemas Operacionais Sistema de Arquivos (aula 10 Parte 2) Prof. Marcelo Z. do Nascimento 1 Gerência de espaço em disco Cópia de segurança do sistema de arquivo Roteiro Confiabilidade Desempenho

Leia mais

MEMÓRIA. A memória do computador pode ser dividida em duas categorias:

MEMÓRIA. A memória do computador pode ser dividida em duas categorias: Aula 11 Arquitetura de Computadores - 20/10/2008 Universidade do Contestado UnC/Mafra Sistemas de Informação Prof. Carlos Guerber MEMÓRIA Memória é um termo genérico usado para designar as partes do computador

Leia mais

Desenvolvimento de Sistemas Tolerantes a Falhas

Desenvolvimento de Sistemas Tolerantes a Falhas Confiança de software Desenvolvimento de Sistemas Tolerantes a Falhas Em geral, os usuários de um sistema de software esperam ele seja confiável Para aplicações não-críticas, podem estar dispostos a aceitar

Leia mais

Objetivos. Engenharia de Software. O Estudo de Viabilidade. Fase do Estudo de Viabilidade. Idéias chave. O que Estudar? O que concluir?

Objetivos. Engenharia de Software. O Estudo de Viabilidade. Fase do Estudo de Viabilidade. Idéias chave. O que Estudar? O que concluir? Engenharia de Software O Estudo de Viabilidade Objetivos O que é um estudo de viabilidade? O que estudar e concluir? Benefícios e custos Análise de Custo/Benefício Alternativas de comparação 1 2 Idéias

Leia mais

Avaliação do sistema de armazenamento EMC CLARiiON AX4

Avaliação do sistema de armazenamento EMC CLARiiON AX4 Avaliação do sistema de armazenamento EMC CLARiiON AX4 Relatório elaborado sob contrato com a EMC Corporation Introdução A EMC Corporation contratou a Demartek para realizar uma avaliação prática do novo

Leia mais

Leia antes de utilizar. Sistema de Software de Desenho de Bordados Personalizados. Guia de Instalação

Leia antes de utilizar. Sistema de Software de Desenho de Bordados Personalizados. Guia de Instalação Leia antes de utilizar Sistema de Software de Desenho de Bordados Personalizados Guia de Instalação Leia este guia antes de abrir o pacote do CD-ROM Obrigado por adquirir este software. Antes de abrir

Leia mais

as qualidades do banco de dados SQL Server 2000 a documentação é constantemente atualizada e de fácil acesso.

as qualidades do banco de dados SQL Server 2000 a documentação é constantemente atualizada e de fácil acesso. Índice Resumo de suportes com problemas em base de dados...2 Recomendações de banco de dados...2 Uso de servidores dedicados com excelente desempenho...3 Banco de dados corrompidos em Interbase e Firebird...4

Leia mais

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com.

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com. Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com.br 1-15 INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior,

Leia mais

Optiview Dermatologia Software Sistema Especialista para Dermatologistas

Optiview Dermatologia Software Sistema Especialista para Dermatologistas Optiview, software médico, sistema para dermatologia, captura de imagens médicas, sistema médico, gerenciamento de clínicas médicas, laudo médico, imagem médica, dermatologia, congresso médico, duosistem,

Leia mais

Engenharia de Software II

Engenharia de Software II Engenharia de Software II Aula 8 http://www.ic.uff.br/~bianca/engsoft2/ Aula 8-17/05/2006 1 Ementa Processos de desenvolvimento de software Estratégias e técnicas de teste de software (Caps. 13 e 14 do

Leia mais

2 de maio de 2014. Remote Scan

2 de maio de 2014. Remote Scan 2 de maio de 2014 Remote Scan 2014 Electronics For Imaging. As informações nesta publicação estão cobertas pelos termos dos Avisos de caráter legal deste produto. Conteúdo 3 Conteúdo...5 Acesso ao...5

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 10

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 10 ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 10 Índice 1. A Organização do Computador - Continuação...3 1.1. Memória Primária - II... 3 1.1.1. Memória cache... 3 1.2. Memória Secundária... 3 1.2.1. Hierarquias de

Leia mais