Mente Sã Corpo São! Abanar o Esqueleto - Os factores que influenciam as doenças osteoarticulares. Workshop 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mente Sã Corpo São! Abanar o Esqueleto - Os factores que influenciam as doenças osteoarticulares. Workshop 1"

Transcrição

1 Abanar o Esqueleto - Os factores que influenciam as doenças osteoarticulares. Workshop 1 Mente Sã Corpo São! Unidade de Cuidados na Comunidade Centro de Saúde de Alfândega da Fé Elaborado por: Rosa Correia

2 Mente Sã Corpo São! Definições Saúde Segundo a OMS, saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doenças. Saúde Mental é um estado de boa adaptação, com uma sensação subjectiva de bem-estar, prazer de viver e uma sensação de que o individuo está a exercer os seus talentos e aptidões.

3 Mente Sã Corpo São! Para reflectir O stress no trabalho, assim como outros acontecimentos de vida stressantes, têm vindo a ser considerados factores causadores de algumas doenças, como, doenças cardiovasculares, disfunções gastrointestinais, desequilíbrios hormonais e doenças do sistema imunitário. (Bretanha, 2009)

4 Ser Saudável? Alimentação: - Função vital que desempenha um papel fundamental no desenvolvimento. -A satisfação da fome produz um sentimento de segurança e bem-estar. Freud: Relação mãe-bebé (amamentação) Pouco satisfatória cólicas abdominais, vómitos, etc. Aparelho gastro-intestinal é dos que melhor reflecte a ligação entre o psíquico e o somático.

5 Ser Saudável? Sono Funções: -Recuperação orgânica Favorece o equilíbrio homeostático do funcionamento de órgãos ou sistemas ( reparação tecidular, resposta imunológica, produção de hormonas e de factores de crescimento com função reparadora, etc.) -Recuperação cognitiva - memória, concentração, atenção, destreza motora - Recuperação emocional - estabilização do humor

6 Ser Saudável? Sono A falta prolongada de sono pode causar: -Aumento da sensibilidade à dor; - Irritabilidade, raiva, comportamento anti-social, mau humor constante; - Apatia e falta de espontaneidade; - Ansiedade; - Depressão; - Alterações da personalidade.

7 Ser Saudável? Exercício Físico movimento corporal planeado, estruturado e repetitivo, executado para melhorar ou manter um ou mais componentes da boa forma física. A Sociedade Internacional de Psicologia do Desporto (ISSP, 1992), salienta que o exercício físico acarreta benefícios ao nível psicológico, parecendo estar correlacionado de forma positiva com a auto-imagem, sensações de bem-estar; auto-confiança, mudanças positivas no humor, no stress, depressão, ansiedade, vigília, clareza de pensamento, aumentos de energia, entre outros. (Everly & Rosenfeld, 1981)

8 Depressão - A depressão é uma doença mental que se caracteriza por tristeza mais marcada ou prolongada, perda de interesse por actividades habitualmente sentidas como agradáveis e perda de energia ou cansaço fácil. - A depressão pode ser episódica, recorrente ou crónica, e conduz à diminuição substancial da capacidade do indivíduo em assegurar as suas responsabilidades do dia-a-dia.

9 Depressão Os sintomas mais comuns são: - Modificação do apetite (falta ou excesso de apetite); - Perturbações do sono (sonolência ou insónia); - Fadiga, cansaço e perda de energia; - Sentimentos de inutilidade, de falta de confiança e de auto-estima, sentimentos de culpa e sentimento de incapacidade;.

10 Depressão Os sintomas mais comuns são: - Falta ou alterações da concentração; - Preocupação com o sentido da vida e com a morte; - Desinteresse, apatia e tristeza; - Alterações do desejo sexual; - Irritabilidade; - Manifestação de sintomas físicos, como dor - muscular, dor abdominal, enjoo.

11 Depressão Segundo dados recentes da OMS, nos próximos 20 anos a depressão vai tornar-se a doença mais comum em todo o mundo, afectando mais pessoas que qualquer outro problema de saúde, incluindo o cancro e doenças cardíacas.

12 Depressão A depressão não é apenas uma patologia de foro psiquiátrico. Sintomas habituais :de tristeza, pessimismo, falta de autoestima, irritabilidade, desinteresse, entre outros, a doença manifesta-se, cada vez mais através de sintomas físicos facilmente confundidos com outras doenças. Dores de cabeça, distúrbios digestivos, dor crónica, muscular e abdominal, enjoos e perturbações de apetite e do sono, provocam um mal-estar generalizado, diminuem a qualidade de vida e são os primeiros sinais de alerta para a depressão.

13 Ansiedade -Mecanismo de origem biológica; -Emoção que se baseia na percepção de ameaça ou perigo (física, psicológica ou social); -Trata-se de um mecanismo de sobrevivência que desencadeia uma estratégia de lidar com a ameaça através de uma reacção involuntária e automática; - Mecanismo adaptativo, na medida em que activa o processo de defesa, seja pela mobilidade (luta-fuga) ou em outras situações pela imobilidade; - A pessoa vê-se a si - própria como ineficaz ou inadequada para lidar com a tarefa.

14 Ansiedade Manifesta-se a nível: -Fisiológico (envolvem a activação do ramo simpático do Sistema Nervoso Autónomo) Aumento da pressão arterial Aumento do metabolismo celular Aumento da tensão muscular Aumento do estado de vigília

15 Ansiedade Sintomas Fisiológicos: -Taquicardia - Aumento do fluxo sanguíneo para os músculos - Sudação - Tensão muscular (tremor e dor) - Hiperventilação e consequente alcalose respiratória - Náuseas - Tonturas - Dores de cabeça - Sensação de nó na garganta/ aperto no estômago - Necessidade de ir à casa de banho - Actividade motora rápida

16 Ansiedade Manifesta-se a nível: -Psicológico Estado de desconforto em que a pessoa sente que algo terrível está para acontecer: - Cognições sobre: o perigo, fuga ou evitamento, relacionadas com a vulnerabilidade e a doença; - Dúvidas sobre a competência; - Preocupação com o valor /imagem corporal; - Baixa auto-estima; - Auto-derrotismo.

17 Ansiedade Complicações físicas relacionadas com a ansiedade: - Artrite Reumatóide - Problemas gastrointestinais (úlceras, síndrome do cólon irritável, etc) - Várias síndromes dolorosas (Dores nas costas)

18 Ansiedade e Depressão contribuem para o agravamento de sintomas. -Encontram-se com frequência associadas a síndromes dolorosas. Certos tipos de dores, como alguns casos de dores nas costas, a síndrome do cólon irritável, podem resultar destes processos, a perturbação emocional de um paciente com dor pode ser, na verdade, o resultado se um sofrimento prolongado. (Diamond e Coniam, 1999)

19 Agora vamos relaxar - Relaxamento Muscular Progressivo - Respiração Diafragmática

20 Prevenção: - Assertividade - Tomada de Decisão - Resolução de problemas - Investimento em actividades de prazer/lazer

21 Caminho procurar o Equilíbrio! Grata pela vossa atenção!

ASSOCIAÇÃO NACIONAL CONTRA A FIBROMIALGIA E SÍNDROME DEFADIGACRÓNICA (MYOS) APIFARMA / ASSOCIAÇÕES DE DOENTES NOTAS DE UMA PARCERIA

ASSOCIAÇÃO NACIONAL CONTRA A FIBROMIALGIA E SÍNDROME DEFADIGACRÓNICA (MYOS) APIFARMA / ASSOCIAÇÕES DE DOENTES NOTAS DE UMA PARCERIA ASSOCIAÇÃO NACIONAL CONTRA A FIBROMIALGIA E SÍNDROME DEFADIGACRÓNICA (MYOS) APIFARMA / ASSOCIAÇÕES DE DOENTES V 4 APIFARMA / ASSOCIAÇÕES DE DOENTES b) Âmbito da Associação A Myos Associação Nacional

Leia mais

Michael Zanchet Psicólogo Kurotel Centro Médico de Longevidade e Spa

Michael Zanchet Psicólogo Kurotel Centro Médico de Longevidade e Spa Entendendo e Gerenciando o Estresse Michael Zanchet Psicólogo Kurotel Centro Médico de Longevidade e Spa ORIGEM 1936 pelo médico Hans Selye na revista científica Nature. MODELO COGNITIVO DO ESTRESSE AMBIENTE

Leia mais

MATERIAL COMPLEMENTAR. Teste Seus Chakras

MATERIAL COMPLEMENTAR. Teste Seus Chakras MATERIAL COMPLEMENTAR Teste Seus Chakras IMPORTANTE: Este teste tem como objetivo a percepção de si mesmo e o autoconhecimento. FUNCIONAMENTO A seguir você verá uma tabela com os principais sintomas de

Leia mais

Estresse: Teu Gênero é Feminino... Dr. Renato M.E. Sabbatini Faculdade de Ciências Médicas UNICAMP

Estresse: Teu Gênero é Feminino... Dr. Renato M.E. Sabbatini Faculdade de Ciências Médicas UNICAMP Estresse: Teu Gênero é Feminino... Dr. Renato M.E. Sabbatini Faculdade de Ciências Médicas UNICAMP O nosso amiguinho do dia a dia: Estresse Você é estressada? 1. Sim, muito estressada, sou ansiosa e reajo

Leia mais

Estresse. Saiba identifi car o excesso de preocupação e nervosismo.

Estresse. Saiba identifi car o excesso de preocupação e nervosismo. Estresse Saiba identifi car o excesso de preocupação e nervosismo. EsTREssE O estresse é uma reação física e mental diante de estímulos que podem ser positivos ou negativos. As pessoas não reagem da mesma

Leia mais

3.15 As psicoses na criança e no adolescente

3.15 As psicoses na criança e no adolescente Páginas para pais: Problemas na criança e no adolescente 3.15 As psicoses na criança e no adolescente Introdução As psicoses são doenças mentais raras que, geralmente, se iniciam no fim da adolescência

Leia mais

Stresse no Trabalho: Risco e Oportunidade

Stresse no Trabalho: Risco e Oportunidade 9.º Congresso Internacional de Segurança e Saúde no Trabalho Porto, 28 de Janeiro de 2010 Stresse no Trabalho: Risco e Oportunidade Marco Ramos (marco.ramos@ua.pt) 1 Uma pessoa em stresse é um acidente

Leia mais

ANSIEDADE: E AGORA? Carlos Marinho. humanas; numa ou outra altura, já todos nos sentimos ou menos ansiosos.

ANSIEDADE: E AGORA? Carlos Marinho. humanas; numa ou outra altura, já todos nos sentimos ou menos ansiosos. ANSIEDADE: E AGORA? Carlos Marinho A Ansiedade faz parte do espectro normal das experiências emocionais humanas; numa ou outra altura, já todos nos sentimos ou menos ansiosos. Dentro de certos limites,

Leia mais

Depressão. Um distúrbio que tem solução.

Depressão. Um distúrbio que tem solução. Depressão Um distúrbio que tem solução. DEPRESSÃO Depressão é um transtorno psiquiátrico sem causa definida. Afeta o humor, levando à perda de interesse e de prazer por quase todas as atividades do dia

Leia mais

1. Benefícios da atividade física

1. Benefícios da atividade física 1. Benefícios da atividade física "ATIVIDADE FÍSICA É UM DIREITO DE TODOS E UMA NECESSIDADE BÁSICA" (UNESCO). O ser humano, na sua preocupação com o corpo, tem de estar alerta para o fato de que saúde

Leia mais

Teorias Motivacionais

Teorias Motivacionais Teorias Motivacionais A perspectiva biológica A perspectiva Biológica da Motivação pode subdividir-se em 3 categorias: As contribuições genéticas para o comportamento motivado A Motivação como estimulação

Leia mais

Qualidade de Vida 02/03/2012

Qualidade de Vida 02/03/2012 Prof. Dr. Carlos Cezar I. S. Ovalle Descreve a qualidade das condições de vida levando em consideração fatores como saúde, educação, expectativa de vida, bem estar físico, psicológico, emocional e mental.

Leia mais

Depressão em mulheres

Depressão em mulheres Depressão em mulheres Por que a depressão é maior em mulheres? O que é depressão? A depressão é um distúrbio de alteração do humor sério e por vezes incapacitante. Causa sentimentos de tristeza, desespero,

Leia mais

Page 1 O PAPEL DAS ATIVIDADES MOTORAS NO TRATAMENTO DA ASMA CRIANÇA ATIVIDADES MOTORAS ADAPTADAS IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES MOTORAS

Page 1 O PAPEL DAS ATIVIDADES MOTORAS NO TRATAMENTO DA ASMA CRIANÇA ATIVIDADES MOTORAS ADAPTADAS IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES MOTORAS ATIVIDADES MOTORAS ADAPTADAS O PAPEL DAS ATIVIDADES MOTORAS NO TRATAMENTO DA ASMA OBJETIVOS: Aumentar a mobilidade torácica Melhorar a mecânica respirátoria Reduzir o gasto energético da respiração Prevenir

Leia mais

Ficha Informativa da Área dos Conhecimentos

Ficha Informativa da Área dos Conhecimentos Ficha Informativa da Área dos Conhecimentos 1 Qualidades Físicas As qualidades físicas podem ser definidas como todas as capacidades treináveis de um organismo. As qualidades são: resistência, força, velocidade,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO SONO EDUCAÇÃO FÍSICA PROFESSOR: JOÃO PAULO PEREIRA

A IMPORTÂNCIA DO SONO EDUCAÇÃO FÍSICA PROFESSOR: JOÃO PAULO PEREIRA A IMPORTÂNCIA DO SONO EDUCAÇÃO FÍSICA PROFESSOR: JOÃO PAULO PEREIRA CONCEITO: O sono é um estado transitório e reversível, que se alterna com a vigília (estado desperto). Trata-se de um processo ativo

Leia mais

SIT Mindfulness Ficha de Inscrição Programa de 14/11/2016 a 19/12/2016

SIT Mindfulness Ficha de Inscrição Programa de 14/11/2016 a 19/12/2016 SIT Mindfulness Ficha de Inscrição Programa de 14/11/2016 a 19/12/2016 Nome: Data de Nascimento: NIF: Ocupação / Profissão: Telemóvel: Email: Morada: Nome e tel de pessoa a contactar em caso de urgência:

Leia mais

Análise do Artigo para leitura

Análise do Artigo para leitura Conflitos e gerações Análise do artigo solicitado para leitura; Conflitos geracionais no ambiente de trabalho; Stress e conflitos organizacionais; Stress, conflitos e doenças do trabalho. Prof. Dr. Alexandre

Leia mais

DEPRESSÃO TRATAR É PRECISO

DEPRESSÃO TRATAR É PRECISO DEPRESSÃO TRATAR É PRECISO ESTA FARMÁCIA CUIDA DE SI DEPRESSÃO TRATAR É PRECISO ESTA FARMÁCIA CUIDA DE SI O QUE É A DEPRESSÃO? A depressão é uma perturbação do humor que interfere na capacidade para funcionar

Leia mais

26ª Reunião, Extraordinária Comissão de Assuntos Sociais

26ª Reunião, Extraordinária Comissão de Assuntos Sociais 26ª Reunião, Extraordinária Comissão de Assuntos Sociais Dr. Sandro José Martins Coordenador Geral de Atenção às Pessoas com Doenças Crônicas Diretoria de Atenção Especializada e Temática Secretaria de

Leia mais

a natureza da vida o luto: dimensão geral o luto: tipos e particularidades

a natureza da vida o luto: dimensão geral o luto: tipos e particularidades Curso de Formação curso acreditado sociedade portuguesa de estudo e intervenção n temas da formação a natureza da vida : dimensão geral : tipos e particularidades 1 Tears in the heaven o que é? quais as

Leia mais

PROGRAMA DE MÉTODOS E HÁBITOS DE ESTUDO

PROGRAMA DE MÉTODOS E HÁBITOS DE ESTUDO PROGRAMA DE MÉTODOS E HÁBITOS DE ESTUDO MOTIVAR PARA O SUCESSO PRESSUPÕE INTERESSE, INVESTIMENTO, DISPONIBILIDADE, VONTADE, COMPETÊNCIA E ENVOLVIMENTO DE TODOS OS INTERVENIENTES NO PROCESSO EDUCATIVO!

Leia mais

Modelos explicativos do stresse e a relação com a ocorrência de LMELT. Carlos Fujão Associação Portuguesa de Ergonomia (APERGO)

Modelos explicativos do stresse e a relação com a ocorrência de LMELT. Carlos Fujão Associação Portuguesa de Ergonomia (APERGO) Modelos explicativos do stresse e a relação com a ocorrência de LMELT Estado da arte A compreensão do papel dos factores psicossociais relacionados com o trabalho no desenvolvimento de LMELT ainda é superficial,

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA 1 a Atividade Física 2013.indd 1 09/03/15 16 SEDENTARISMO é a falta de atividade física suficiente e pode afetar a saúde da pessoa. A falta de atividade física

Leia mais

3.8 Tristeza e depressão na criança e no adolescente

3.8 Tristeza e depressão na criança e no adolescente Páginas para pais: Problemas na criança e no adolescente 3.8 Tristeza e depressão na criança e no adolescente Introdução Os sentimentos de tristeza, desapontamento, desvalorização e culpa, surgem pontualmente

Leia mais

Com o apoio científico da Secção Regional do Norte da ORDEM DOS MÉDICOS. Compreender a Enxaqueca. e outras Cefaleias. Anne MacGregor.

Com o apoio científico da Secção Regional do Norte da ORDEM DOS MÉDICOS. Compreender a Enxaqueca. e outras Cefaleias. Anne MacGregor. Com o apoio científico da Secção Regional do Norte da ORDEM DOS MÉDICOS Compreender a Enxaqueca e outras Cefaleias Anne MacGregor Oo Guia de Saúde Introdução às cefaleias comuns Apercentagem da população

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA FUNDAMENTAL PROF.ª FRANCISCA AGUIAR 7 ANO PROF.ª JUCIMARA BRITO

EDUCAÇÃO FÍSICA FUNDAMENTAL PROF.ª FRANCISCA AGUIAR 7 ANO PROF.ª JUCIMARA BRITO EDUCAÇÃO FÍSICA 7 ANO PROF.ª JUCIMARA BRITO FUNDAMENTAL PROF.ª FRANCISCA AGUIAR CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade I Tecnologia: Corpo, Movimento e Linguagem na Era da Informação 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES

Leia mais

Perturbações Afectivas

Perturbações Afectivas Perturbações Afectivas 1 Grupo das Grupo das Depressão endógena Mania endógena Equivalentes afectivos Personalidades afectivas (hipertímica, depressiva, ciclotímica mica) 2 Incidência 1,5% da população

Leia mais

Os Benefícios da Atividade Física no Tratamento da Dependência Química. Benefícios Fisiológicos

Os Benefícios da Atividade Física no Tratamento da Dependência Química. Benefícios Fisiológicos Os Benefícios da Atividade Física no Tratamento da Dependência Química Fisioterapeuta Jussara Lontra Atividade Física expressão genérica que pode ser definida como qualquer movimento corporal, produzido

Leia mais

Vertigens, desmaios e crises convulsivas. Prof. Sabrina Cunha da Fonseca Site:

Vertigens, desmaios e crises convulsivas. Prof. Sabrina Cunha da Fonseca   Site: Vertigens, desmaios e crises convulsivas Prof. Sabrina Cunha da Fonseca E-mail: sabrina.cfonseca@hotmail.com Site: www.profsabrina.comunidades.net Vertigens: Vertigem refere-se a diminuição da força, visão

Leia mais

ESTRESSE E QUALIDADE DE VIDA. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

ESTRESSE E QUALIDADE DE VIDA. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior ESTRESSE E QUALIDADE DE VIDA Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior O QUE É ESTRESSE? Estresse não é um diagnóstico, doença, ou síndrome. Estresse é um conjunto de sintomas emocionais ou físicos, não

Leia mais

A Importância dos Cuidados com o Cuidador. Lívia Kondrat

A Importância dos Cuidados com o Cuidador. Lívia Kondrat A Importância dos Cuidados com o Cuidador Lívia Kondrat ABRALE 22 de Julho de 2011 CÂNCER é uma doença crônica; possui tratamentos com possibilidade de cura; traz consigo estigmas; está cercada por mitos,

Leia mais

Envelhecimento e Doenças Reumáticas

Envelhecimento e Doenças Reumáticas Envelhecimento e Doenças Reumáticas Armando Malcata CHUC XVII Forum de Apoio ao Doente Reumático Envelhecimento e Doenças Reumáticas Variações demográficas e sociais. Impacto crescente; multidimensional.

Leia mais

1 ª sessão. Sessão com o treinador. Participantes. Treinador. Psicólogo. Motivação para o programa

1 ª sessão. Sessão com o treinador. Participantes. Treinador. Psicólogo. Motivação para o programa 1 ª sessão Sessão com o treinador Treinador Motivação para o programa Discussão sobre a importância das competências psicológicas Descrição do programa Importância do reforço Importância da colaboração

Leia mais

Quando o Pânico domina

Quando o Pânico domina Quando o Pânico domina Vera Ramalho Psiquilibrios O ataque de pânico é considerado uma reacção de alerta do organismo, que pode ocorrer em situações externas, percebidas pelo indivíduo como ameaçadoras,

Leia mais

Conheça algumas doenças tipicamente femininas

Conheça algumas doenças tipicamente femininas Uol - SP 03/12/2014-11:51 Conheça algumas doenças tipicamente femininas Da Redação ANSIEDADE: este transtorno mental é caracterizado por preocupações, tensões ou medos exagerados, sensação contínua de

Leia mais

Trabalhando a ansiedade do paciente

Trabalhando a ansiedade do paciente Trabalhando a ansiedade do paciente Juliana Ono Tonaki Psicóloga Hospitalar Título SOFRIMENTO... principal Sofrimento humano como condição à todos; Cada um sente à sua forma e intensidade; Manifestação

Leia mais

SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO

SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO SNA Via motora autônoma neurovegetativa nível subcortical simpática e parassimpática SNA SNA opera por reflexos viscerais sinais sensitivos de partes do corpo enviam impulsos ao

Leia mais

3.5 Medos e ansiedade na criança e no adolescente

3.5 Medos e ansiedade na criança e no adolescente Páginas para pais: Problemas na criança e no adolescente 3.5 Medos e ansiedade na criança e no adolescente Introdução À medida que cresce e descobre o mundo à sua volta, a criança vai-se apercebendo como

Leia mais

A consequência da modernidade

A consequência da modernidade A consequência da modernidade A sociedade pós-moderna tem como uma das suas principais características a pressa generalizada, esteja ela presente nas respostas eletrônicas, na expectativa das respostas

Leia mais

do stress em nível fisiológico, o que inclui técnicas eletrodérmicas, procedimentos eletromiográficos e medidas cadiovasculares.

do stress em nível fisiológico, o que inclui técnicas eletrodérmicas, procedimentos eletromiográficos e medidas cadiovasculares. Avaliação do Stress ISSL INVENTÁRIO DE SINTOMAS DE STRESS LIPP Como o Stress Pode ser Avaliado Holmes E Rahe (1967) Sugeriram que o stress pode ser medido indiretamente por meio da avaliação dos grandes

Leia mais

Qualidade de vida no Trabalho

Qualidade de vida no Trabalho Qualidade de Vida no Trabalho Introdução É quase consenso que as empresas estejam cada vez mais apostando em modelos de gestão voltados para as pessoas, tentando tornar-se as empresas mais humanizadas,

Leia mais

Redes sociais, afectos e pessoas idosas

Redes sociais, afectos e pessoas idosas Redes sociais, afectos e pessoas idosas António M. Fonseca afonseca@porto.ucp.pt CONVERSAS DE FIM DE TARDE VISEU, 29 JUNHO 2012 Uma vida mais longa A esperança média de vida tem aumentado de forma dramática:

Leia mais

Maio, Unidade de Cuidados na Comunidade de Castelo Branco. Hipertensão Arterial

Maio, Unidade de Cuidados na Comunidade de Castelo Branco. Hipertensão Arterial Maio, 2014 Unidade de Cuidados na Comunidade de Castelo Branco Hipertensão Arterial Sumário: O que é a Hipertensão Arterial (HTA)?; Causas da HTA; Fatores de Risco; Como prevenir a HTA; Sintomas; Problemas

Leia mais

QUEDAS NA IDADE SÉNIOR: DO RISCO À PREVENÇÃO!

QUEDAS NA IDADE SÉNIOR: DO RISCO À PREVENÇÃO! QUEDAS NA IDADE SÉNIOR: DO RISCO À PREVENÇÃO! Janeiro, 2015 Sumário Processo de envelhecimento Incidência das quedas em Portugal Complicações das quedas Do risco à prevenção de quedas Envelhecimento Velhice

Leia mais

AF Aveiro Formação de Treinadores. Fisiologia do Exercício

AF Aveiro Formação de Treinadores. Fisiologia do Exercício Fisiologia do Exercício Fisiologia do Exercício Fisiologia? A fisiologia = natureza, função ou funcionamento, ou seja, é o ramo da biologia que estuda as múltiplas funções mecânicas, físicas e bioquímicas

Leia mais

Capítulo. Alterações da Glicemia 18 e Diabetes Mellittus. Capítulo 18. Alterações da Glicemia e Diabetes Mellitus 1. OBJETIVOS

Capítulo. Alterações da Glicemia 18 e Diabetes Mellittus. Capítulo 18. Alterações da Glicemia e Diabetes Mellitus 1. OBJETIVOS Capítulo Alterações da Glicemia 18 e Diabetes Mellittus 1. OBJETIVOS No final da sessão os formandos deverão ser capazes de: Conhecer os tipos de diabetes mellitus. Descrever os mecanismos de descompensação

Leia mais

Psicopatologia do Uso Abusivo de Álcool e Outras Drogas

Psicopatologia do Uso Abusivo de Álcool e Outras Drogas Universidade Federal do Rio de Janeiro Programa de Estudos e Assistência ao Uso Indevido de Drogas Psicopatologia do Uso Abusivo de Álcool e Outras Drogas Marcelo Santos Cruz, MD, PhD Qual a melhor forma

Leia mais

O meu historial de pânico

O meu historial de pânico O meu historial de pânico Oficina de Psicologia www.oficinadepsicologia.com Anamnese de Pânico Nome: Idade: Data: Duração da perturbação de pânico (anos): Telemóvel: Estado civil: Profissão: Habilitações:

Leia mais

O trabalho mental Fernando Gonçalves Amaral

O trabalho mental Fernando Gonçalves Amaral O trabalho mental Fernando Gonçalves Amaral Assuntos Atividade mental Processamento de informação Captação de informação Cognição IHC/IHM Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção - UFRGS Atividade

Leia mais

Curiosidade. Vídeo. Teste. + Saúde. Porque você deve tomar café da manhã. O que você quer ser quando crescer? Qual o seu nível de ansiedade?

Curiosidade. Vídeo. Teste. + Saúde. Porque você deve tomar café da manhã. O que você quer ser quando crescer? Qual o seu nível de ansiedade? Edicão Novembro 2013 Pág. 03 + Saúde Porque você deve tomar café da manhã Teste Qual o seu nível de ansiedade? Vídeo O que você quer ser quando crescer? Curiosidade Guarde seus exames! Pág. 04 Pág. 06

Leia mais

OS MEDIA E A SAÚDE MENTAL ENTREVISTAS COM JORNALISTAS. Julho 2016

OS MEDIA E A SAÚDE MENTAL ENTREVISTAS COM JORNALISTAS. Julho 2016 OS MEDIA E A SAÚDE MENTAL ENTREVISTAS COM JORNALISTAS Julho 2016 AMOSTRA AMOSTRA Entre os dia 20 e 29 de junho, foram entrevistados 10 jornalistas que escrevem sobre saúde, nos seguintes meios: / CONTEXTO

Leia mais

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA CURSO DE ENFERMAGEM DISCIPLINA: PRATICAS NATURAIS E VIVENCIS EM SAÚDE I Prof.ª DANIELLA KOCH DE CARVALHO

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA CURSO DE ENFERMAGEM DISCIPLINA: PRATICAS NATURAIS E VIVENCIS EM SAÚDE I Prof.ª DANIELLA KOCH DE CARVALHO UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA CURSO DE ENFERMAGEM DISCIPLINA: PRATICAS NATURAIS E VIVENCIS EM SAÚDE I Prof.ª DANIELLA KOCH DE CARVALHO Segundo Barros (2004), Dhyana é a palavra em sânscrito que

Leia mais

Para: Geral AR Âmbito: Outro Nome: Joana Filipa Santos Mensagem: Petição em defesa de todos os doentes portadores de Fibromialgia

Para: Geral AR Âmbito: Outro Nome: Joana Filipa Santos Mensagem: Petição em defesa de todos os doentes portadores de Fibromialgia De: noreply@ar.parlamento.pt [mailto:noreply@ar.parlamento.pt] Enviada: segunda-feira, 21 de Março de 2016 21:11 Para: www Team Assunto: Correio do Cidadão - Petição pública

Leia mais

Gestão e Prevenção de Riscos Psicossociais: Como Preveni-los?

Gestão e Prevenção de Riscos Psicossociais: Como Preveni-los? Gestão e Prevenção de Riscos Psicossociais: Como Preveni-los? António Tavares técnico de SST Auditório da Casa das Histórias da Paula Rego 22 de maio de 2014 A importância da SHST no contexto das relações

Leia mais

Desnutrição na Adolescência

Desnutrição na Adolescência Desnutrição na Adolescência Adolescência CRIANÇA Desnutrição Anorexia/Bulimia Obesidade / Diabetes ADULTO Dietas não convencionais e restritivas Deficiência de ferro Cálcio, vitamina A, zinco, Vitamina

Leia mais

ANEXO Nº 1. Questionário

ANEXO Nº 1. Questionário ANEXOS ANEXO Nº 1 Questionário ANEXO Nº 2 Cronograma de Actividades Cronograma do trabalho de Investigação Mês Fase Fev. Escolha e delimitação do tema Revisão bibliográfica Fase metodológica Pré-teste

Leia mais

Trabalho realizado sob a orientação da Professora Doutora Helena Quaresma. Ana Duarte Marco Correia

Trabalho realizado sob a orientação da Professora Doutora Helena Quaresma. Ana Duarte Marco Correia Trabalho realizado sob a orientação da Professora Doutora Helena Quaresma Ana Duarte Marco Correia CASTELO BRANCO junho, 2016 ESQUIZOFRENIA O QUE A ESQUIZOFRENIA É?......... O QUE A ESQUIZOFRENIA NÃO É?.........

Leia mais

SINAIS DE PERTURBAÇÕES FUNCIONAIS

SINAIS DE PERTURBAÇÕES FUNCIONAIS SINAIS DE PERTURBAÇÕES FUNCIONAIS FORMAÇÃO, Comunicação profissional 2016 - Porto, Lisboa e Almancil CLINICAL NUTRICION DEVELOPMENT AND APPLICATIONS (CNDA) FUNÇÃO VITALIDADE GERAL Astenia. Sexualidade

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA PRÁTICA REGULAR DE EXERCÍCIO FÍSICO NA PERCEPÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS DO GÉNERO FEMININO

A INFLUÊNCIA DA PRÁTICA REGULAR DE EXERCÍCIO FÍSICO NA PERCEPÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS DO GÉNERO FEMININO Universidade de Coimbra Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física A INFLUÊNCIA DA PRÁTICA REGULAR DE EXERCÍCIO FÍSICO NA PERCEPÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS DO GÉNERO FEMININO Dissertação

Leia mais

Neurose Obsessiva. Neurose Obsessiva Psicopatologia Geral e Especial Carlos Mota Cardoso

Neurose Obsessiva. Neurose Obsessiva Psicopatologia Geral e Especial Carlos Mota Cardoso Neurose Obsessiva 1 Definição Ideias parasitas, as quais, permanecendo intacta a inteligência, e sem que exista um estado emotivo ou passional que o justifique, surgem conscientemente; impõem-se contra

Leia mais

Reacções da Vítima de Crime

Reacções da Vítima de Crime Reacções da Vítima de Crime As pessoas não reagem todas da mesma forma numa situação de vitimação. Podemos, contudo, prever algumas reacções, distribuídas por três fases distintas: durante o crime Quando

Leia mais

Exercite-se com seu diabetes

Exercite-se com seu diabetes Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Exercite-se com seu diabetes Benefícios da atividade física Se você é diabético não tenha medo de

Leia mais

Enfrentamento da Dor. Avaliação de Situação 10/05/2013. Enfrentamento da Dor Crônica. Processo de Avaliação Cognitiva. Profa. Dra. Andréa G.

Enfrentamento da Dor. Avaliação de Situação 10/05/2013. Enfrentamento da Dor Crônica. Processo de Avaliação Cognitiva. Profa. Dra. Andréa G. Enfrentamento da Dor Crônica Enfrentamento da Dor Profa. Dra. Andréa G. Portnoi BIO PSICO SOCIAL Sensação Incapacitação Diagnóstico Medicamentos Procedimentos Tratamentos Emoção Cognição Comportamento

Leia mais

Transtornos podem ser considerados como Psíquicos Psiquiátricos

Transtornos podem ser considerados como Psíquicos Psiquiátricos Transtornos podem ser considerados como Psíquicos Psiquiátricos Alguns autores colocam como alterações de comportamento não acompanhadas de alterações de consciência Conceito de neurose Conceito de psicose

Leia mais

Administração. Higiene, Saúde e Segurança do Trabalho. Professor Rafael Ravazolo.

Administração. Higiene, Saúde e Segurança do Trabalho. Professor Rafael Ravazolo. Administração Higiene, Saúde e Segurança do Trabalho Professor Rafael Ravazolo www.acasadoconcurseiro.com.br Administração Aula XX HIGIENE, SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Higiene do Trabalho pode ser definida

Leia mais

Conteúdo Descritivo. Saúde e qualidade de vida da população

Conteúdo Descritivo. Saúde e qualidade de vida da população Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Disciplina: Ciências Naturais PLANIFICAÇÃO ANUAL DO 9º ANO Conteúdo Descritivo Nº de aulas previstas [5'] 1º PERÍODO 36 Apresentação/ acolhimento / considerações

Leia mais

Fundação Cardeal Cerejeira Depressão na Pessoa Idosa

Fundação Cardeal Cerejeira Depressão na Pessoa Idosa Fundação Cardeal Cerejeira Depressão na Pessoa Idosa Rui Grilo Tristeza VS Depressão A tristeza é a reacção que temos perante as perdas afectivas na nossa vida; A perda de alguém por morte é tristeza e

Leia mais

Ansiedade. Estado de tensão,apreensão ou inquietude,com causa iden4ficável ou não

Ansiedade. Estado de tensão,apreensão ou inquietude,com causa iden4ficável ou não Ansiedade Estado de tensão,apreensão ou inquietude,com causa iden4ficável ou não Manifestações somá4cas freqüentemente associadas:(palpitação torácica,sudorese,tremores Ansiedade Manifestações leves ou

Leia mais

Intoxicação aguda por substâncias psicoativas. J. M. Bertolote Faculdade de Medicina de Botucatu UNESP

Intoxicação aguda por substâncias psicoativas. J. M. Bertolote Faculdade de Medicina de Botucatu UNESP Intoxicação aguda por substâncias psicoativas J. M. Bertolote Faculdade de Medicina de Botucatu UNESP ÁLCOOL Quantidade de álcool existente nas bebidas alcoólicas licas Bebida % de Álcool Cerveja "light"

Leia mais

Princípios Científicos do TREINAMENTO DESPORTIVO AULA 5

Princípios Científicos do TREINAMENTO DESPORTIVO AULA 5 Princípios Científicos do TREINAMENTO DESPORTIVO AULA 5 Princípios do Treinamento: São os aspectos cuja observância irá diferenciar o trabalho feito à base de ensaios e erros, do científico. (DANTAS, 2003)

Leia mais

Distúrbios e doenças ligadas à obesidade. Trabalho realizado por: Álvaro Santos Nº1 9ºA Miguel Oliveira Nº19 9ºA Carlos Azevedo Nº5 9ºA

Distúrbios e doenças ligadas à obesidade. Trabalho realizado por: Álvaro Santos Nº1 9ºA Miguel Oliveira Nº19 9ºA Carlos Azevedo Nº5 9ºA Distúrbios e doenças ligadas à obesidade Trabalho realizado por: Álvaro Santos Nº1 9ºA Miguel Oliveira Nº19 9ºA Carlos Azevedo Nº5 9ºA Índice Introdução O que é a Obesidade? Doenças e distúrbios físicos

Leia mais

Anamnese de Pânico. Olhamos por si! Oficina de Psicologia

Anamnese de Pânico. Olhamos por si! Oficina de Psicologia Olhamos por si! Oficina de Psicologia Anamnese de Pânico Se sofre de perturbação de pânico, é útil preencher este histórico individual e trazê-lo consigo para a primeira consulta na Oficina de Psicologia.

Leia mais

Procedimentos de Emergência. Profº Ms. Gil Oliveira

Procedimentos de Emergência. Profº Ms. Gil Oliveira Procedimentos de Emergência Obstrução das Vias Aéreas MANOBRA DE HEIMLICH Obstrução das Vias Aéreas Infarto Agudo do Miocárdio Ataque do Coração Infarto Agudo do Miocárdio Ataque do Coração Infarto Agudo

Leia mais

DISTÚRBIO HIDRO- ELETROLÍTICO E ÁCIDO-BÁSICO. Prof. Fernando Ramos Gonçalves -Msc

DISTÚRBIO HIDRO- ELETROLÍTICO E ÁCIDO-BÁSICO. Prof. Fernando Ramos Gonçalves -Msc DISTÚRBIO HIDRO- ELETROLÍTICO E ÁCIDO-BÁSICO Prof. Fernando Ramos Gonçalves -Msc Distúrbio hidro-eletrolítico e ácido-básico Distúrbios da regulação da água; Disnatremias; Alterações do potássio; Acidoses

Leia mais

Unidade IV Os seres vivos e o meio ambiente.

Unidade IV Os seres vivos e o meio ambiente. CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Unidade IV Os seres vivos e o meio ambiente. CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL

Leia mais

FUNÇÕES HIPOTALÂMICAS

FUNÇÕES HIPOTALÂMICAS Os mecanismos hipotalâmicos agem em conjunto, no sentido de preservar a homeostasia. ANATOMIA FUNCIONAL DO HIPOTÁLAMO O hipotálamo exerce sua influência sobre o meio interno através de três sistemas: Sistema

Leia mais

11/23/2008. Dor leve, moderada - Fuga. Trauma agudo. A na lgesia sedação. C a racterísticas farmacológicas das substâncias usadas

11/23/2008. Dor leve, moderada - Fuga. Trauma agudo. A na lgesia sedação. C a racterísticas farmacológicas das substâncias usadas Introdução - EXPERIÊNCIA INDIVIDUAL AVALIAÇÃO DA DOR - COMPONENTES FISIOLÓGICO EMOCIONAL VERBAL COMPORTAMENTAL - IDENTIFICAÇÃO TRATAMENTO EVOLUÇÃO PONTOS CHAVE Pontos chave A na lgesia sedação C omportamento

Leia mais

Planificação Anual PAFD 10º D Ano Letivo Plano de Turma Curso Profissional de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva

Planificação Anual PAFD 10º D Ano Letivo Plano de Turma Curso Profissional de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva Calendarização Objetivos Conteúdos Avaliação PRÁTICAS DE ATIVIDADES FÍSICAS E DESPORTIVAS Módulo: Fisiologia do Esforço 1º, 2º e 3º períodos 1. Reconhecer o papel da fisiologia do esforço quando aplicada

Leia mais

DOR E CEFALEIA. Profa. Dra. Fabíola Dach. Divisão de Neurologia FMRP-USP

DOR E CEFALEIA. Profa. Dra. Fabíola Dach. Divisão de Neurologia FMRP-USP DOR E CEFALEIA Profa. Dra. Fabíola Dach Divisão de Neurologia FMRP-USP Dor Experiência sensitiva e emocional desagradável associada ou relacionada a lesão real ou potencial dos tecidos. Cada indivíduo

Leia mais

Medo, Fobia, Vergonha e Estresse no Esporte

Medo, Fobia, Vergonha e Estresse no Esporte Medo, Fobia, Vergonha e Estresse no Esporte Curso de Ed. Física Prof. Ana Catarina Correia Mesquita Medo Estado emocional desencadeado no sistema nervoso central ante a um perigo iminente, que gera uma

Leia mais

Psicólogas. Maria Edna Mota Simeão CRP 06/ Adriana Garcia Fiorini CRP 06/75247

Psicólogas. Maria Edna Mota Simeão CRP 06/ Adriana Garcia Fiorini CRP 06/75247 PROJETO QUALIDADE DE VIDA E SAÚDE COM PROFESSORES E GESTORES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE ARARAS Psicólogas Maria Edna Mota Simeão CRP 06/128605 Adriana Garcia Fiorini CRP 06/75247 Araras, julho de 2016

Leia mais

FADIGA E STRESS. Nível 1 Nível Atitudinal; Nível 3 Nível Táctico. Sintomas de fadiga Causas da fadiga Efeitos da fadiga Prevenção de estados de fadiga

FADIGA E STRESS. Nível 1 Nível Atitudinal; Nível 3 Nível Táctico. Sintomas de fadiga Causas da fadiga Efeitos da fadiga Prevenção de estados de fadiga FICHA TÉCNICA FADIGA E STRESS Níveis GDE Temas Transversais Síntese informativa Nível 1 Nível Atitudinal; Nível 3 Nível Táctico Tema 1 - Conhecimento de si próprio como Condutor; Tema 2 - Atitudes e Comportamentos

Leia mais

GUIA PRÁTICO PARA PROFESSORES

GUIA PRÁTICO PARA PROFESSORES GUIA PRÁTICO PARA PROFESSORES Depressão infanto-juvenil Sugestões práticas da: Nota introdutória Até há alguns anos atrás crianças e depressão eram dois termos que pareciam não se poder relacionar. Hoje

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE CIENCIAS BIOLOGICAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE CIENCIAS BIOLOGICAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE CIENCIAS BIOLOGICAS 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Departamento / Setor Departamento de Ciências Fisiológicas Nome da Disciplina FISIOLOGIA HUMANA E

Leia mais

TRANSTORNO AFETIVO BIPOLAR

TRANSTORNO AFETIVO BIPOLAR TRANSTORNO AFETIVO BIPOLAR Até recentemente o Transtorno Bipolar era conhecido como psicose ou doença maníaco-depressiva. É um transtorno no qual ocorrem alternâncias do humor, caracterizando-se por períodos

Leia mais

Males da Alma......são transtornos que causam sofrimento intenso, comprometem a rotina da pessoa afetada, alteram

Males da Alma......são transtornos que causam sofrimento intenso, comprometem a rotina da pessoa afetada, alteram Males da Alma......são transtornos que causam sofrimento intenso, comprometem a rotina da pessoa afetada, alteram seu comportamento e trazem prejuízos em todas as áreas da vida de quem está doente. Ansiedade,

Leia mais

Insônia é a percepção ou queixa de sono inadequado, ou de baixa qualidade, por causa das seguintes razões:

Insônia é a percepção ou queixa de sono inadequado, ou de baixa qualidade, por causa das seguintes razões: O que é Insônia? Insônia é a percepção ou queixa de sono inadequado, ou de baixa qualidade, por causa das seguintes razões: Dificuldade em cair no sono Levantar freqüentemente durante a noite com dificuldade

Leia mais

Doença de Addison DOENÇA DE ADDISON

Doença de Addison DOENÇA DE ADDISON Enfermagem em Clínica Médica Doença de Addison Enfermeiro: Elton Chaves email: eltonchaves76@hotmail.com DOENÇA DE ADDISON A insuficiência adrenal (IA) primária, também denominada doença de Addison, geralmente

Leia mais

Engagement, Burnout e Rotatividade: Que relação, fatores e impactos? alexandra marques pinto

Engagement, Burnout e Rotatividade: Que relação, fatores e impactos? alexandra marques pinto Engagement, Burnout e Rotatividade: Que relação, fatores e impactos? alexandra marques pinto Agenda Stress profissional nos enfermeiros e seus impactos Burnout profissional Engagement com o trabalho Preditores

Leia mais

GAMA 1xDIA. Maio 2016

GAMA 1xDIA. Maio 2016 GAMA 1xDIA Maio 2016 GAMA 1xDIA MULTI Fórmula tudo-em-um. Contém nutrientes que contribuem para a redução do cansaço e da fadiga. Contém 40 nutrientes essenciais. Sem glúten. Adequado para vegetarianos.

Leia mais

Associação entre síndrome pré-menstrual e transtornos mentais Celene Maria Longo da Silva Gicele Costa Minten Rosângela de Leon Veleda de Souza

Associação entre síndrome pré-menstrual e transtornos mentais Celene Maria Longo da Silva Gicele Costa Minten Rosângela de Leon Veleda de Souza Associação entre síndrome pré-menstrual e transtornos mentais Celene Maria Longo da Silva Gicele Costa Minten Rosângela de Leon Veleda de Souza Denise Petrucci Gigante 1 Síndrome pré-menstrual (SPM) Conjunto

Leia mais

ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010/ 2011 Ciências Naturais 9º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL POR PERÍODO 1º Período

ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010/ 2011 Ciências Naturais 9º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL POR PERÍODO 1º Período ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010/ 2011 Ciências Naturais 9º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL POR PERÍODO 1º Período Objectivos / Competências Compreender que a saúde envolve o bem estar físico,

Leia mais

Como acabar com Dor no estômago. O que pode ser?

Como acabar com Dor no estômago. O que pode ser? Como acabar com Dor no estômago. O que pode ser? Se tratando de dor no estômago, é preciso ter seriedade, encontrar a causa é mais complicado do que se pensa. É preciso fazer uma avaliação com um especialista,

Leia mais

Qualidade de vida. Sustentabilidade. Tecnologia. Trabalhando a favor do bem-estar. Conforto acústico é saúde para todos.

Qualidade de vida. Sustentabilidade. Tecnologia. Trabalhando a favor do bem-estar. Conforto acústico é saúde para todos. Tecnologia Trabalhando a favor do bem-estar. Qualidade de vida Conforto acústico é saúde para todos. Sustentabilidade Respeito à vida, ao ser humano e ao planeta. Palestra Acústica Arquitetônica OFFICE

Leia mais

Nível I SHODEN POSIÇÕES BÁSICAS PARA APLICAÇÃO

Nível I SHODEN POSIÇÕES BÁSICAS PARA APLICAÇÃO Nível I SHODEN POSIÇÕES BÁSICAS PARA APLICAÇÃO Sumário POSIÇÕES BÁSICAS PARA TRABALHO EM REIKI... 4 POSIÇÃO 1... 5 MÃOS SOBRE OS OLHOS E A TESTA... 5 POSIÇÃO 2... 6 MÃOS SOBRE AS LATERAIS DO ROSTO COBRINDO

Leia mais

Patologias psiquiátricas mais prevalentes na atenção básica: Alguns sintomas físicos ocorrem sem nenhuma causa física e nesses casos,

Patologias psiquiátricas mais prevalentes na atenção básica: Alguns sintomas físicos ocorrem sem nenhuma causa física e nesses casos, Diretrizes Gerais de Abordagem das Somatizações, Síndromes ansiosas e depressivas Alexandre de Araújo Pereira Patologias psiquiátricas mais prevalentes na atenção básica: Somatizações Transtornos Depressivos

Leia mais

Faculdade de Motricidade Humana Unidade Orgânica de Ciências do Desporto TREINO DA RESISTÊNCIA

Faculdade de Motricidade Humana Unidade Orgânica de Ciências do Desporto TREINO DA RESISTÊNCIA Faculdade de Motricidade Humana Unidade Orgânica de Ciências do Desporto TREINO DA RESISTÊNCIA A capacidade do organismo de resistir à fadiga numa actividade motora prolongada. Entende-se por fadiga a

Leia mais

Drogas do Sistema Nervoso Central

Drogas do Sistema Nervoso Central Drogas do Sistema Nervoso Central Depressão Conceito: Transtorno do humor(abaixamento persistente de humor) que influencia profundamente o comportamento e o pensamento, uma síndrome com sintomas e sinais

Leia mais

DOENÇAS MENTAIS E OS RISCOS PSICOSSOCIAIS NO TRABALHO

DOENÇAS MENTAIS E OS RISCOS PSICOSSOCIAIS NO TRABALHO DOENÇAS MENTAIS E OS RISCOS PSICOSSOCIAIS NO TRABALHO Prof. Duílio Antero de Camargo Psiquiatra clínico e forense Médico do Trabalho Instituto de Psiquiatria HC FM USP Núcleo de Psiquiatria Forense (NUFOR)

Leia mais