1ª JORNADA I NTERNACI ONAL DA ABI OMAC Associ ação Bi omédi ca de Acupunt ura

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1ª JORNADA I NTERNACI ONAL DA ABI OMAC Associ ação Bi omédi ca de Acupunt ura"

Transcrição

1 1ª JORNADA I NTERNACI ONAL DA ABI OMAC Associ ação Bi omédi ca de Acupunt ura CURSOS Pr é Congr esso e Pr é Pr ova de Tit ul o a serem di sponi bilizado por vi deoconf erênci a - vi de demai s pr ogr a mações e i nf or mações no sit e da ABI OMAC, no li nk Pr ova de Tit ul o Di agnósti co ener géti co e m Medi ci na Tradi ci onal Chi nesa ( MTC) I Pul so Radi al Dr a. Renat a Roseghi ni ( Bi omédi ca) EVENTO GRATUI TO 20/ 10/ 12 19: 30 21: 30hs Oi t o critéri os diagnósti cos Dr. Mar cel o Mil anda ( Bi omédi co) EVENTO GRATUI TO 26/ 10/ 12 09: 30 12: 30hs Di agnósti co ener géti co e m Medi ci na Tradi ci onal Chi nesa ( MTC) II Avali ação da lí ngua Dr a. Enei da Mar a Gonçal ves ( Bi omédi ca) EVENTO GRATUI TO Fi si ol ogi a dos estí mul os, mét odos e especifi ci dades e m Acupunt ura Tr adi ci onal e Moder na Dr a. Enei da Mar a Gonçal ves ( Bi omédi ca) EVENTO GRATUI TO 30/ 10/ 12 19: 30 22: 30hs 07/ 10/ 12 19: 30 22: 30hs

2 15/ 11 8h30 9h30 As exi gênci as da vi gil ânci a sanit ária para abert ura de umconsult óri o de Acupunt ura Bi omédi ca, Dr a. Môni ca Apar eci da Fernandes Gr au - ( CVS - Centr o de Vi gil ânci a de S. Paul o ) 9h40 10h20 Bi oéti ca e Acupunt ura Bi omédi ca, Dr a. Tâni a Vol pe Mi el e MESA REDONDA ( Sal a A): TÉCNI CAS ADI CI ONAI S OTI MI ZADORAS DA ACUPUNTURA 10h40 12h50 - Magnet ot erapi a Médi co, Dr. Wu Tou Kwang - CEATA Centr o de Est udos de Acupunt ur a e Ter api as Alt er nativas - Trat ament o dos 12 ti pos constit uci onai s com o uso dos Fl orai s de Bach Enf er mei r a, Dr a. Sheil a Nosow Sti per Fi si ot er apeut a, Dra. Janet e Mor eno Bi omédi co, Dr. José Robert o Tavares Li ma

3 MESA REDONDA ( Sal a B) ACUPUNTURA E SAÚDE NA FAMÍ LI A 10h40 12h50 - At endi ment o de Acupunt ura na Uni dade de Saúde da Fa míli a do Candeal ( BA) uma ati vi dade de ensi no, pesqui sa e extensão i nt er di sci pli nar. Bi omédi ca, Dr a. Renat a Roseghi ni ) - Escol a Bai ana de Medi ci na e Saúde Públi ca - BA - A escut a ampli ada da acupunt ura para as dores dos i dosos Bi omédi ca, Pr of a. MCs Si mone Spadaf or a - Casa da Terra S. Paul o - Saúde da Mul her: - regul ação da lact ação através da Acupunt ura Bi omédi co, Pr of. MCs. Ant oni o José I pólit o - Ri bei rão Pret o SP 8: 30 12: 30hs CURSO ( Sal a C): Cr ani opunt ura de Ya ma mot o e as Síndr omes Atrófi cas e m MTC Fi si ot er apeut a, Dra. Deni se Har ari - S. Paul o SP 8: 30 12: 30hs CURSO ( Sal a D): - Práti cas Cor por ai s: Li an gong e m18 t erapi as Vit alizando o t erapeut a Bi omédi ca, Pr of a. MCs. Josne Carl a Pat er no -

4 TARDE 14: 30 15: 30hs 15: 30 18: 30h CURSO ( Sal a A): - O Bi omédi co abri ndo front eiras Bi omédi ca Dr a. Marli I nez dos Rei s - Coor denador a do Pr oj et o SAMU de Guar ul hos SP - Pri mei ros socorros, e agora? Hi st óri co do APH, OVACE, PCR, quei madur as, convul sões, dor t oráci ca e politrauma (trauma). Enf er mei r os Dr. Orl ando de Oli veira Jr.- Coor denador de enf er mage m e r esponsável t écni co do SAMU r egi onal de Mogi das Cr uzes e Dr. Fer nando Goi s Coor denador do NEP Núcl eo de educação per manent e do SAMU r egi onal de Mogi das Cruzes. 14h30 15h20 15h30 16h20 17h10 - Bi ossegur ança e m Acupunt ura Fi si ot er apeut a, Dr. Ri car do Massao Maki - Ri o de Janeiro, RJ Mecani s mos fi si ológi cos da el etroacupunt ura emnefrol ogi a Bi omédi ca, Pr of a. MSc. Josne Carl o Pat er no - S. Ber nardo do Ca mpo, SP

5 18h30 A i ndi cação das pl ant as medi ci nai s br asil eiras na abordage m ener géti ca da MTC Médi co no ext eri or, dout or em Medi cina Tr adi ci onal Chi nesa, na Chi na - Dr. Ye Yuri u - S. Paul o 16/ 11/ h30 10h20 10h40 12h30 14h30 15h20 Noções de Cos met ol ogi a Chi nesa Médi ca, Dr a. Kang Qi ao ( Chi na ) Fi si ol ogi a ener géti ca da Obesi dade segundo a MTC Médi ca, Dr a. Kang Qi ao ( Chi na ) TARDE Aspect os práti cos da el etroacupunt ur a no trat ament o do excesso e da defi ci ênci a ener géti ca Médi co e dout or em Acupunt ur a, f ormado no ext eri or, Dr. Sohaku Bast os - Ri o de Janei r o RJ

6 15h30 16h40 ABI OMAC At ualizações sobre o exercí ci o da Acupunt ura Co m a pal avr a a ABI OMAC 17h00 18h30 - O uso da Acupunt ura nas doenças aut oi munes: Escl er ose Múlti pl a - Experi ênci a do uso da Acupunt ura, nos paci ent es oncol ógi cos, do HC da UNI CAMP Pr of. Dr. Juan Cabanill as 17/ 11/ h30 10: 00 MESA REDONDA (sal a A) : A CONTRI BUI ÇÃO DA FI TOTERAPI A PARA A SAÚDE PÚBLI CA NORMATI ZAÇÕES Far macêuti co, Dr. Sér gi o Ti noco Pani zza Pr esi dent e da CONBRAFI TO Conf eder ação Br asil eira de Fit ot erapi a ( S. Paul o)

7 - Far macêuti ca, Dr a. Gi sel e Da mi an - ( Fl ori anópoli s, SC) Eng. Agr ôno mo, Dr. Ângel o Gi ovani Rodri gues - ( Br asíli a - DF) MESA REDONDA ( Sal a A): A CONTRI BUI ÇÃO DA FI TOTERAPI A PARA A PRÁTI CA CLÍ NI CA DA ACUPUNTURA 10: 20 Às 12: 30hs - Sugest ão de pl ant as medi ci nai s associ adas a acupunt ura, alternati vas pl ant as de pr escri ção médi ca excl usi va Bi omédi co, Dr. José Robert o Tavar es Li ma ( Sant os, SP) - Fit oacupunt ura Bi omédi co, Dr. Sérgi o Fr anceschi ni Fil ho - Casa da Terr a ( S. Paul o, SP) - O pr ocesso de regul a ment ação das Fór mul as Magi strai s Chi nesas na ANVI SA Far macêuti co e Bi oquí mi co Dr. Paul o César Var anda Me mbr o das Co mi ssões de Pr áti cas I nt egr ati vas e Compl ement ar es do Consel ho Naci onal de Saúde e do Consel ho Feder al de Far máci a. Pr esi dent e da SOBRAFA Soc. Br as. De Acupunt uri st as Far macêuti cos ( S. Paul o SP) MESA REDONDA ( Sal a B) : PROMOVENDO A RESI LI ÊNCI A HUMANA - ACUPUNTURA E AS MEDI CI NAS TRADI CI ONAI S RESGATADAS PELA OMS - A Acupunt ura no exércit o brasil eiro

8 8h30 12h30 Fi si ot er apeut a, Dr. Arli ndo Rossi ( Recif e, PE) - A capaci dade de superação e a comuni cação Enf er mei r a, Pr of a. Dr a. Mari a Juli a Paes da Sil va Escol a de Enf er mage m da USP/ Hospit al Uni ver sit ári o da USP ( S. Paul o, SP) - A di et éti ca chi nesa nutrir para equili brar Pr of. Paul o Américo - Aresili ênci a humana e o si st ema Honno de Saúde Médi co e dout or em Acupunt ur a, f ormado no ext eri or, Dr. Sohaku Bast os - Ri o de Janei r o RJ - Prevenção pel a MTC, f ort al ecendo a resili ênci a humana. Médi co, Dr. Fr anci sco Per eira Ri o de Janei r o RJ. 8h30 12h30 Cur so - ( Sal a C) : Avali ação ener géti ca com el etrodi agnósti co Ryodor aku: - uma possi bili dade t écni ca para o bi omédi co Far macêuti ca, Bi oquí mi ca e Fi si ot er apeut a, MSc Sandr a Sil véri o Lopes - Presi dent e da SOBRAFI SA Soci edade Br asil eira de Fi si ot er apeut as Acupunt uri st as Curiti ba, PR) 8h30 12h30 Cur so ( Sal a D):

9 As novas perspecit vas da El etroacupunt ura de Voll Médi co, Dr. Fr anci sco Vi anna Fil ho - ( Ca mpi nas, SP) MESA REDONDA: OS AVANÇOS DA ACUPUNTURA NA ÁREA BI OMÉDI CA 14h30 16h00 - Perfil ener géti co em Acupunt ura por el etrodi agnóstico através do Ryodor aku e m port adores de t ubercul ose pul monar Far macêuti ca, Bi oquí mi ca e Fi si ot erapeut a, MSc Sandra Sil véri o Lopes - Pr esi dent e da SOBRAFI SA Soci edade Br asil eira de Fi si ot er apeut as Acupunt uri st as Curitiba, PR) - Análi se dos ef eitos da acupunt ura por i mage mt er mogr áfi ca Bi omédi co, Pr of.msc Ant oni o José Ipólit o ( Ri bei rão Pr et o SP) - Ef eit os ri nopr otet ores da el etroacupunt ura e da moxa Bi omédi ca, Pr of. MSC Josne Carl a Pat er no ( São Ber nar do do Ca mpo- SP) - Ef eit os bi ol ógi cos do estí mul o mecâni co causado pel a agul ha de acupunt ura nos pont os de acupunt ura Bi omédi co, Pr of.dr. Juan Cabanill as ( Ar ar as SP) 17h00 18: 30h Di agnósti cos energéti cos e como trat ar a depressão, segundo a MTC Ví deo previ ament e gravado na Califórni a Dr. Gi ovanni Maci oci a Calif ór ni a AUDI TÓRI O GRANDE ( A)

10 Encerra ment o da ABI OMAC

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

Marketing para o transporte coletivo

Marketing para o transporte coletivo Marketing para o transporte coletivo Rejane D. Fernandes Diretora de Relações Estratégicas da EMBARQ Brasil www.embarqbrasil.org SSES IDIOTAS OMASSEM SE ESSES IDIOTAS SE ESSES IDIOTAS IBUS, EU JÁ TOMASSEM

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

NOSSA LI STA DE PRODUT OS PARA COFFEE BREAK

NOSSA LI STA DE PRODUT OS PARA COFFEE BREAK NOSSA LI STA DE PRODUT OS PARA COFFEE BREAK ( Na foto: qui che i ntegr al de alho porró co muva passa branca, torta i ntegr al de goi abada comcastanha de caj u, empada de pal mi to e muffi n de uva) A

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP GIS Gertran Integration Suite Guia de T ransferência de Arquivos Entidade x DATAPREV Versão 1.0 HTTPS G I S G ui a de T ra n sf er ên ci a d e Ar qu i vo s 1/ 8 ÍNDICE ANALÍT ICO 1. INTRODU ÇÃO......4

Leia mais

MÃE. M esmo q u e o s eu f ilho j á t enha sido regi strad o procu r e o cartóri o d e R egi stro Civil de

MÃE. M esmo q u e o s eu f ilho j á t enha sido regi strad o procu r e o cartóri o d e R egi stro Civil de APRESENTAÇÃO O T r i b u n a l d e J u st i ç a d e S ã o P a u l o d e s e n v o l ve, d e s d e 2 0 0 7, o P r o j e to P a t e r n i d a d e R e s p o n s á v e l. S u a d i s c i p l i n a e s t á

Leia mais

Pal estra: SI MPLES NACI ONAL: Lei Ger al do Est ado do Ceará SI MPLES NACI ONAL. Lei Geral do Est ado do Ceará. Apr esent ação

Pal estra: SI MPLES NACI ONAL: Lei Ger al do Est ado do Ceará SI MPLES NACI ONAL. Lei Geral do Est ado do Ceará. Apr esent ação Pal estra: SI MPLES NACI ONAL: Lei Ger al do Est ado do Ceará SI MPLES NACI ONAL Lei Geral do Est ado do Ceará Apr esent ação Eduar do Araúj o de Azevedo Out ubr o de 2013 Su mári o: 1. Cont ext uali zação

Leia mais

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

Sar a Oli veira e Sil va

Sar a Oli veira e Sil va Facul dade Set e de Set embr o - FASETE Cur so de Ad mi ni stração Co m Habilit ação em Mar keti ng Or gani zação Set e de Set embr o de Cultur a e Ensi no - LTDA Sar a Oli veira e Sil va COMPETÊNCI AS

Leia mais

FAMAR FUNDAÇÃO DE APOI O A FACULDADE DE MEDI CI NA DE MARÍ LI A CNPJ ( MF) 09. 161. 265/ 0001-46 EDITAL

FAMAR FUNDAÇÃO DE APOI O A FACULDADE DE MEDI CI NA DE MARÍ LI A CNPJ ( MF) 09. 161. 265/ 0001-46 EDITAL EDITAL PREÂMBUL O EDI TAL DE CARTA CONVITE N 001/2008 - M PROCESSO n 150/2008- M DATA DA REALIZAÇÃO: 30/12/2008 HORÁRI O: 8: 30 h LOCAL DA REALIZAÇÃO SESSÃO: Sal a de abert ura de li citações da FUNDAÇÃO

Leia mais

MANUAL DE ESTRUTURA, NORMAS E PROCESSOS DA BIBLIOTECA DA FESVV

MANUAL DE ESTRUTURA, NORMAS E PROCESSOS DA BIBLIOTECA DA FESVV BIBLIOTECA DA FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE VILA VELHA MANUAL DE ESTRUTURA, NORMAS E PROCESSOS DA BIBLIOTECA DA FESVV Bibliotecária Luzia Ribeiro 2010 Juarez Moraes Ramos Júnior Diretor Geral Luiz Cláudio

Leia mais

Confronto com as idéias a respeito de literatura infantil

Confronto com as idéias a respeito de literatura infantil AULA S LI T E R A T U R A IN F A N T I L E J U V E N I L LI N G U A G E M D O IM A G I N Á R I O I Pr o f a. Dr a M a r i a Zil d a d a C u n h a I - Introdução A liter a t u r a inf a n t i l e juv e

Leia mais

PLANO DE ENSI NO. Per í o do / Fase: 1º Semestr e: 1º Ano : 2011

PLANO DE ENSI NO. Per í o do / Fase: 1º Semestr e: 1º Ano : 2011 PLANO DE ENSI NO 1. DADOS DE I DENTI FI CAÇ Ã O I nsti tui ç ã o : Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Cur so : Jornalismo Pr o f esso r : Joel Cezar Bonin joel@uniarp.edu.br Per í o do / Fase: 1º Semestr

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

Programa 1: O Processo Educacional: Saúde ou Alienação

Programa 1: O Processo Educacional: Saúde ou Alienação Programa 1: O Processo Educacional: Saúde ou Alienação DEPA R TAMENTO : Psicologia Social PERÍODO/A NO : 7º/2014 CA RG A HOR Á RIA : 34 PR OFESSOR AS : A na Mercês Bahia Bock A driana Eiko Matsumoto O

Leia mais

NÃO ( ) SI M( ) QUAL? como por exe mpl o: ONGs, pr ogra mas do gover no, pr ogra mas a ní vel muni ci pal e estadual)

NÃO ( ) SI M( ) QUAL? como por exe mpl o: ONGs, pr ogra mas do gover no, pr ogra mas a ní vel muni ci pal e estadual) A. FOR MUL ÁRI O PARA PROJ ETO 1. Títul o do Pr oj eto 2. Pr omot or( es) da ação 3. Modali dade Pr ogra ma ( ) Pr oj et o ( ) Event o ( ) Prestação de Servi ços ( ) Consul tori a ( ) Publi cações e/ou

Leia mais

REGULAMENTO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA UNICRED ALAGOAS

REGULAMENTO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA UNICRED ALAGOAS REGULAMENTO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA UNICRED ALAGOAS Dispõe Sobre o Regulamento de Aplicação de Recursos Destinados Pela Assembleia Geral da Unicred Alagoas em Projetos de Ações Sociais O Conselho

Leia mais

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE CURSO DE BACHARELADO DE SI STEMAS DE I NFORMAÇÃO OLAVO DE JESUS SI MAS

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE CURSO DE BACHARELADO DE SI STEMAS DE I NFORMAÇÃO OLAVO DE JESUS SI MAS FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE CURSO DE BACHARELADO DE SI STEMAS DE I NFORMAÇÃO OLAVO DE JESUS SI MAS ESTUDO DE CASO SOBRE A REDE DO 20º BPM( VI GÉSI MO BATALHÃO DE POLÍ CI A MI LI TAR) PAUL O AFONSO

Leia mais

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades PNV 289 Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades Orides Bernardino São Leopoldo/RS 2012 Centro de Estudos Bíblicos Rua João Batista de Freitas, 558 B. Scharlau Caixa Postal 1051 93121-970

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

Gerência e Segurança d e R ed es W irel es s Claudia Pereira c lp ereir@ c is c o. c o m 1 Aplicaçõ e s I n t e r at iv as X Aplicaçõ e s T r an s acio n ais 1950s-1990s C a r t a s e me mo r a n d o s

Leia mais

6º C O N G R E S S O EX O D U S BR A S I L Goiânia, 5 a 7 de Setembro de 2008 Sexualidade, Verdade e Graça

6º C O N G R E S S O EX O D U S BR A S I L Goiânia, 5 a 7 de Setembro de 2008 Sexualidade, Verdade e Graça 6º C O N G R E S S O EX O D U S BR A S I L Goiânia, 5 a 7 de Setembro de 2008 Sexualidade, Verdade e Graça Vive m o s um mo m e n t o cruci al para a Igreja Cristã, onde mais do que nunca é imp ort a n

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

DIRE ITO EM P RE S A RIA L

DIRE ITO EM P RE S A RIA L DIRE ITO EM P RE S A RIA L Um si n d i cato d e trab al h ad ores SI N F O, cu j a p recí p u a e ef eti va ati vi d ad e é a d e d ef en d er os d i rei tos l ab orai s d e seu s associ ad os resol veu

Leia mais

Mét odo do Valor At ual (VA) ou Valor Pr esent e Líquido (VPL)

Mét odo do Valor At ual (VA) ou Valor Pr esent e Líquido (VPL) Mét odo do Valor At ual () ou Valor r esent e Líquido (VL) O mét odo do Valor At ual () per mit e que conheçamos as nossas necessidades de caixa, ou ganhos de cer t o pr oj et o, em t er mos de dinheir

Leia mais

MANUAL TÉCNI CO. Esse manual é apli cável aos segui nt es pr oj et os de Exti nt ores de I ncêndi o:

MANUAL TÉCNI CO. Esse manual é apli cável aos segui nt es pr oj et os de Exti nt ores de I ncêndi o: Pági na 1 de 18 MANUAL TÉCNI CO Par a Transport e, I nstal ação, Recar ga, Manut enção e Oper ação de Exti nt ores de I ncêndi o Fabri cados pel a Exti nt ores Moceli n com base na Norma ABNT NBR 15808

Leia mais

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI REFORMA POLÍTICA Capítulo VI REFORMA QUE O GOVERNO LULA E O CONGRESSO NACIONAL DEVEM PRIORIZAR [espontânea e única, em %] Pe so 1 0 0 % Re fe rê ncia s a re form a s Re form a Agrá ria 7 Re form a Tra

Leia mais

Anos Dour ados e Revi ver l ocali zados no muni cí pi o de Paul o Af onso- BA passar am a vi ver mel hor?

Anos Dour ados e Revi ver l ocali zados no muni cí pi o de Paul o Af onso- BA passar am a vi ver mel hor? I NTRODUÇÃO O t uri smo é u ma das pri nci pai s ati vi dades econô mi cas par a o desenvol vi ment o l ocal e soci al em u ma r egi ão, vi st o que, pr opi ci a a ger ação de bens e ser vi ços par a a

Leia mais

Des pacho Normativo n.º 37/2003

Des pacho Normativo n.º 37/2003 Des pacho Normativo n.º 37/2003 Cons i der ando que o Decr eto- L ei n.º 125/2003, de 20 de Junho, regulou a f or m a de emis s ão de bi lhetes de ingr esso nos recintos de es pectácul os de nat ur ez

Leia mais

Pl enári a Temát i ca Aposent adori a do Médi co

Pl enári a Temát i ca Aposent adori a do Médi co Pl enári a Temát i ca Aposent adori a do Médi co 18h às 18h30 Abert ura Moment o Ét i co 21 de novembro de 2014, sext a f ei ra. João Ladi sl au Rosa Presidente do Cremesp Cl óvi s Franci sco Const ant

Leia mais

REGULA M E N T O DO PROGRA M A SUPER PONTO S

REGULA M E N T O DO PROGRA M A SUPER PONTO S REGULA M E N T O DO PROGRA M A SUPER PONTO S SORO C R E D 1. DEFINIÇÕE S 1.1. AD M I N I S T R A D O R A S O R O C R E D AD M I N I S T R A D O R A DE CA R T Õ E S DE CR É D I T O LT D A. 1.2. AFILI A

Leia mais

FUNDAÇÃO MUNI CI PAL DE ENSI NO SUPERI OR DE MARÍ LI A

FUNDAÇÃO MUNI CI PAL DE ENSI NO SUPERI OR DE MARÍ LI A EDITAL DE PREGÃO (PRESENCI AL) PREÂMBUL O EDITAL DE PREGÃO (PRESENCI AL) n 4 PROCESSO n 20/2008 DATA DA REALIZAÇÃO: 20/03/2008 HORÁRI O: 08: 30 hs. LOCAL DA REALIZAÇÃO SESSÃO: Sal a de abert ura de li

Leia mais

Seminário Engenh ri & Desenvolvimento. Vi duto do Chá (1892)

Seminário Engenh ri & Desenvolvimento. Vi duto do Chá (1892) Vi duto do Chá (1892) UHE P rn íb (1900) Est ção d Luz (1900) 1.2 Atr ção do C pit l Estr ngeiro Em 1911 Emile Quoni m de S hompré publi ou, em fr n ês, pel C s G rreux o livro L Bourse de São P ulo, om

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009 MATEMÁTICA 1. O transporte de carga ao porto de Santos é feito por meio de rodovias, ferrovias e dutovias. A tabela abaixo for ne ce al guns da dos re la ti vos ao trans por te ao por to no pri me i ro

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. Caderno

PODER JUDICIÁRIO. Caderno PODER JUDICIÁRIO Caderno ass ori csti círt ori ori FÓRUM GUMERSNI DO BESSA uj azí oj es afpaxiãodesanatna-d eri ot ar A.vPer dis enettancerdoneve,s n/s, Cenort Admni artsi vitoaugu ots Farnco FÓRUM

Leia mais

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE CURSO DE LI CENCI ATURA PLENA EM LETRAS HABI LI TAÇÃO EM PORTUGUÊS E I NGLÊS ELI SÂNGELA DE SOUZA GUERRA

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE CURSO DE LI CENCI ATURA PLENA EM LETRAS HABI LI TAÇÃO EM PORTUGUÊS E I NGLÊS ELI SÂNGELA DE SOUZA GUERRA FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE CURSO DE LI CENCI ATURA PLENA EM LETRAS HABI LI TAÇÃO EM PORTUGUÊS E I NGLÊS ELI SÂNGELA DE SOUZA GUERRA A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS, TEMPO DE APRENDER II, COMO RESGATE

Leia mais

DESENVOLVI MENTO EFI CI ENTE DE SOFT WARE BASEADO EM LI NGUAGEM JAVA NO CONTEXTO DOS MÉTODOS ÁGEI S

DESENVOLVI MENTO EFI CI ENTE DE SOFT WARE BASEADO EM LI NGUAGEM JAVA NO CONTEXTO DOS MÉTODOS ÁGEI S FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE Cur so de Bacharel ado em Si st emas de I nf or mação Br uno Ri car do Costa Nunes DESENVOLVI MENTO EFI CI ENTE DE SOFT WARE BASEADO EM LI NGUAGEM JAVA NO CONTEXTO DOS

Leia mais

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem Quadro de conteúdos Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano Língua Portuguesa Matemática História Geografia Ciências Naturais Arte Inglês ABC da passarinhada O alfabeto Quantidade A ideia de quantidade Eu, criança

Leia mais

POR QUE EMPRESAS PROMI SSORAS FALEM? Um est udo de caso j unt o ao Fl ash Super mer cado no muni cí pi o de Paul o Af onso - BA

POR QUE EMPRESAS PROMI SSORAS FALEM? Um est udo de caso j unt o ao Fl ash Super mer cado no muni cí pi o de Paul o Af onso - BA FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE. Cur so de Bachar el ado de Ad mi ni stração com Habilitação em Mar keti ng. BRÍ GI DA ALI CE GOMES DE SÁ POR QUE EMPRESAS PROMI SSORAS FALEM? Um est udo de caso j unt

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

FACULDADES UNIFICADAS DA. Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE B ARRETOS

FACULDADES UNIFICADAS DA. Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE B ARRETOS FACULDADES UNIFICADAS DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRETOS Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 REGULAMENTO DO NÚ CLEO DE PRÁ TICA JURÍ DICA DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE

Leia mais

Construmat Barcelona

Construmat Barcelona Construmat Barcelona 20 a 24/04/2009 Realização Salvador Benevides Diretor de Rel açõ es Int ernaci onais e Co orden ad or do Pr oj et o de In ov açã o Tecn ológic a da CB IC Coordenação Alexandre Luis

Leia mais

LEI Nº 5.869, DE 11 DE JANEIRO DE 1973. Insti tui o Código de Processo Ci vil.

LEI Nº 5.869, DE 11 DE JANEIRO DE 1973. Insti tui o Código de Processo Ci vil. Outubro de 2003 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Sexta-feira 31 34351 ares, me diante a exibição de ofí cio ou mandado em forma regular. 1º So men te se ex pe di rá pre ca tó ria, quando, por essa for ma, for

Leia mais

Feedback - Cursos do Módulo Risk Manager

Feedback - Cursos do Módulo Risk Manager Feedback - Cursos do Módulo Risk Manager Q1 Nome, Sobrenome Nome Sobrenome 1. T at iana Moreira 2. marcos sat oru okamura 3. sergio manoel 4. Gabriel Bast os 5. Edson Coelho Q2 Qual o seu e-mail? 1. tatiana.sousa@modulo.com

Leia mais

União dos Escoteiros do Brasil Região Escoteira do Rio Grande do Sul Grupo Escoteiro Jacui 033/RS

União dos Escoteiros do Brasil Região Escoteira do Rio Grande do Sul Grupo Escoteiro Jacui 033/RS Guia de Especialidade Especialidade de Pioneiria 1. Fazer e saber a utilidade de pelo menos 15 nós. 2. Fazer as amarras quadrada e diagonal, conhecendo sua aplicação 3. Fazer as amarras: paralela e de

Leia mais

A history of child's rights in Portuguese speaking countries.

A history of child's rights in Portuguese speaking countries. Estudos Históricos (Rio de Janeiro), vol. 25, núm. 50, 2012, pp. 475-478. A history of child's rights in Portuguese speaking countries. Arend, Silvia Maria Favero. Cita: Arend, Silvia Maria Favero (2012).

Leia mais

Feedback - Cursos do Módulo Risk Manager

Feedback - Cursos do Módulo Risk Manager Feedback - Cursos do Módulo Risk Manager Q1 Nome, Sobrenome Nome Sobrenome 1. marcos sat oru okamura 2. sergio manoel Q2 Qual o seu e-mail? 1. mokamura@modulo.com 2. sergio.manoel@modulo.com Q3 Sobre qual

Leia mais

Programa USP Recicla Coordenadoria Executiva de Cooperação Universitária e Atividades Especiais - USP

Programa USP Recicla Coordenadoria Executiva de Cooperação Universitária e Atividades Especiais - USP Programa USP Recicla Coordenadoria Executiva de Cooperação Universitária e Atividades Especiais - USP CEPARA - Centro de Pesquisa para o Aproveitamento de Resíduos Agroindustriais/ESALQ 1. INTRODUÇÃO A

Leia mais

INSTITUTO NATUREZA DO TOCANTINS DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COORDENADORIA DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

INSTITUTO NATUREZA DO TOCANTINS DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COORDENADORIA DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO INSTITUTO NATUREZA DO TOCANTINS DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COORDENADORIA DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Criado at ravés da Lei 1. 203 de 12 de Janeiro de 2001 Município: Mat eiros TO Ext ensão

Leia mais

KEITH CAMERON SMITH. As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média

KEITH CAMERON SMITH. As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média KEITH CAMERON SMITH As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média Prefácio Por que es cre vi es te livro? Três mo ti vos me le va ram a es cre ver es te li vro. O pri - meiro foi a

Leia mais

SIG Acesso Público. Manual do Usuário

SIG Acesso Público. Manual do Usuário SIG Acesso Público Manual do Usuário Brasília Dezembro de 2013 Sumário Apresentação......2 1. O que é o SIG Acesso Público?.........3 2. Para acessa r o Sistema............3 3. Conjuntos de Pesquisa de

Leia mais

Fabiano Leoni. William Corbo

Fabiano Leoni. William Corbo Fabiano Leoni William Corbo O CURSO Este é um curso pensado especialmente para líderes inquietos e cheios de vontade de mergulhar fundo em PESSOAS. O curso Cultura & Encantamento pretende fornecer importantes

Leia mais

ANHANGUERA EDUCACI ONAL FACULDADE ANHANGUERA DE PASSO FUNDO - FAPLAN

ANHANGUERA EDUCACI ONAL FACULDADE ANHANGUERA DE PASSO FUNDO - FAPLAN ANHANGUERA EDUCACI ONAL FACULDADE ANHANGUERA DE PASSO FUNDO - FAPLAN GABRI ELA SOUZA DE OLI VEI RA MUDANÇAS MACROAMBI ENTAI S: O I MPACTO DA UTI LI ZAÇÃO DA NOTA FISCAL ELETRÔNI CA/ NFE NAS EMPRESAS DA

Leia mais

andréa del fuego os malaquias

andréa del fuego os malaquias andréa del fuego os malaquias 1 Serra Morena é ín gre me, úmi da e fértil. Aos pés de la vi vem os Malaquias, ja ne la com ta manho de porta, porta com autoridade de madeira escura. Corre, Adolfo! Donana

Leia mais

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS João Pedro Cordeiro Resumo O presente artigo versa sobre as práticas de gestão de recursos humanos pelas empresas, e mais especificamente

Leia mais

Facul dade Set e de Set e mbr o FASETE Depart a ment o de Ad mi ni stração Cur so de Bacharel ado e m Ad mi ni stração/ Mar keti ng

Facul dade Set e de Set e mbr o FASETE Depart a ment o de Ad mi ni stração Cur so de Bacharel ado e m Ad mi ni stração/ Mar keti ng Facul dade Set e de Set e mbr o FASETE Depart a ment o de Ad mi ni stração Cur so de Bacharel ado e m Ad mi ni stração/ Mar keti ng Andr essa Wany Pedr eira de Andr ade AVALI AÇÃO DE DESEMPENHO E ORGANI

Leia mais

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Física feita pelo Intergraus. 12.01.2010

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Física feita pelo Intergraus. 12.01.2010 da Unicamp 010 ª fase - Física 1.01.010 UNICAMP 010 - FÍSICA Esta prova aborda fenômenos físicos em situações do cotidiano, em experimentos científicos e em avanços tecnológicos da humanidade. Em algumas

Leia mais

Feedback - Cursos MRM Versão 9 PT

Feedback - Cursos MRM Versão 9 PT Feedback - Cursos MRM Versão 9 PT Q1 Nome, Sobrenome Nome Sobrenome 1. Edson Coelho 2. marcos okamura 3. Igor Cost a 4. f ernando perrelli 5. Francisco Oliveira 6. Allison Cardoso 7. joao LARA 8. Gilda

Leia mais

Conhecendo o Kit Real

Conhecendo o Kit Real Conhecendo o Kit Real Versão do Kit Botão de Login Botões de Cálculo Pesquisa de Cálculos Botões de Transmissão Manutenção e Relatórios Acompanhamento de propostas transmitidas Versão do Kit: Mostra qual

Leia mais

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Geografia feita pelo Intergraus. 12.01.2010

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Geografia feita pelo Intergraus. 12.01.2010 UNICAMP 2010 - GEOGRAFIA 13. Ob serve o gráfico abaixo e responda às questões: a) Indi que a(s) re gião(ões) do glo bo com ta xa de es pe ran ça de vi da ao nas cer in fe ri or à mé dia mun di al, nos

Leia mais

Cartilha de Machos. Machos para Roscar. Ter i olo ia do Macho. Especi ca o do Macho. Escolha do Macho. Tipos de Aplica o e Tipos de Macho M i a

Cartilha de Machos. Machos para Roscar. Ter i olo ia do Macho. Especi ca o do Macho. Escolha do Macho. Tipos de Aplica o e Tipos de Macho M i a CARTILHA DE MACHOS Cartilha de Machos Machos para Roscar De i o Ter i olo ia do Macho Especi ca o do Macho Escolha do Macho Tipos de Aplica o e Tipos de Macho Ma al Tipos de Aplica o e Tipos de Macho M

Leia mais

API - Módulo Risk Manager

API - Módulo Risk Manager API - Módulo Risk Manager Completed Responses 21 Partial Responses 0 Survey Visits 39 Q1 Data de preenchimento deste feedback: Answered: 0 Skipped: 21 No Response Q2 Nome: Answered: 21 Skipped: 0 1. Anônimo

Leia mais

Uni ver si da de lan ça gri fe com a mar ca PUC Mi nas

Uni ver si da de lan ça gri fe com a mar ca PUC Mi nas Informativo mensal da unidade Contagem da PUC Minas nº 78 Agosto de 2008 Uni ver si da de lan ça gri fe com a mar ca PUC Mi nas Com três li nhas de pro du tos bá si ca, es cri tó rio e es por ti va, a

Leia mais

Feedback - Cursos MRM Versão 9 PT

Feedback - Cursos MRM Versão 9 PT Feedback - Cursos MRM Versão 9 PT Q1 Nome, Sobrenome Nome Sobrenome 1. Pedro Pereira Rangel Sales 2. Edson Coelho 3. f ernando perrelli 4. T aiane Fonseca 5. João Máximo 6. Allison Cardoso da Silva 7.

Leia mais

n o m urd ne Hel e n o mis

n o m urd ne Hel e n o mis Em nosso cotidiano existem infinitas tarefas que uma criança autista não é capaz de realizar sozinha, mas irá torna-se capaz de realizar qualquer atividade, se alguém lhe der instruções, fizer uma demonstração

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619

CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619 CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 CRIADOR TELEFONE GAIOLA ANEL SEXO NOMENCLATURA VALOR OBS ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619 1 IB-105-40-13 FM CN OP AM MF IN 100,00 BANCO: 2 BB-3992-44-11

Leia mais

Vamos Subir Nova Voz

Vamos Subir Nova Voz c c Vamos Subir Nova Voz 2 Letra e Música: Lucas Pimentel Arr: Henoch Thomas 2 5 2 to Eu-pos tem - po te-nho ou vi - do a pro- 2 g g 8 mes - sa de que vi - rás pra res -ga -tar os fi-lhos Teus Nem sem-pre

Leia mais

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR O Sonho de Renato O Sonho de Renato a e i o u A E I O U so nho de Re na to Eu sou Renato Valadares Batista. Tenho 14 anos. Sou filho de Pedro Batista e Luzia Valadares.

Leia mais

COASTAL TOURISM, ENVIRONMENT, AND SUSTAINABLE LOCAL DEVELOPMENT

COASTAL TOURISM, ENVIRONMENT, AND SUSTAINABLE LOCAL DEVELOPMENT RECENSÃO COASTAL TOURISM, ENVIRONMENT, AND SUSTAINABLE LOCAL DEVELOPMENT [Lígia Noronha, Nelson Lourenço, João Paulo Lobo-Ferreira, Anna Lleopart, Enrico Feoli, Kalidas Sawkar, e A. G. Chachadi (2003),

Leia mais

WEDS ON CUNHA SANTOS. Caruaru 2012

WEDS ON CUNHA SANTOS. Caruaru 2012 1 SOCI EDADE DE EDUCAÇÃO DO VALE DO IPOJ UCA FACULDADE DO VALE DOIPOJ UCA - FAVI P DEPARTAMENTO DE CI ÊNCI AS CONTÁBEI S - DCC BACHARELADO EMCI ÊNCI AS CONTÁBEIS WEDS ON CUNHA SANTOS UMESTUDO SOBRE A LI

Leia mais

4.1 - Informações Específicas sobre o Curso

4.1 - Informações Específicas sobre o Curso 1 4 - Seu Curso 4.1 - Informações Específicas sobre o Curso 4.1.1 - Histórico A Universidade Federal de Uberlândia UFU é sucessora da Fundação Universidade de Uberlândia, criada pelo Decreto-Lei 762, de

Leia mais

Feedback - Cursos do Módulo Risk Manager

Feedback - Cursos do Módulo Risk Manager Feedback - Cursos do Módulo Risk Manager Q1 Nome, Sobrenome Nome Sobrenome 1. Marcos Peralt a 2. Luiz Buonanat o 3. SERGIO MANOEL 4. Gabriel Bast os 5. Daniel Mat os 6. f ernando perrelli 7. marcelo CREAZZO

Leia mais

REVISÃO DO PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL PCH PIEDADE JUNHO/2007

REVISÃO DO PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL PCH PIEDADE JUNHO/2007 REVISÃO DO PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL JUNHO/27 VOLUME II ANEXOS ANEXO I DESENHOS... 1 Revisão do Plano de Controle Ambiental PCH Piedade Junho/27 ANEXO I DESENHOS Sigla PIE-CAN-2 PIE-ACE-2 PIE-RESG-1

Leia mais

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário Capítulo 10 Controle Orçamentário Essa etapa acon te ce após a exe cu ção das tran sa ções dos even tos eco nô mi cos pre vis - tos no plano orça men tá rio. Não se con ce be um plano orça men tá rio sem

Leia mais

RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro

RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro João Ferrão Resumo As visões recentes sobre o mundo rural revelam grande permeabilidade à ideia de património

Leia mais

FACULDADE SETE DE SETE MBRO FASETE CURS O DE ADMI NI STRAÇÃO COM HABI LI TAÇÃO EM MARKETI NG PETRÔNI O J OSÉ LIMA NOGUEI RA

FACULDADE SETE DE SETE MBRO FASETE CURS O DE ADMI NI STRAÇÃO COM HABI LI TAÇÃO EM MARKETI NG PETRÔNI O J OSÉ LIMA NOGUEI RA FACULDADE SETE DE SETE MBRO FASETE CURS O DE ADMI NI STRAÇÃO COM HABI LI TAÇÃO EM MARKETI NG PETRÔNI O J OSÉ LIMA NOGUEI RA ANÁLI SE DA QUALI DADE NO ATENDI MENTO COMO ESTRATÉGI A DE FI DELI ZAÇÃO DE CLI

Leia mais

Capít ul o I CONSI DERAÇÕES I NI CIAI S

Capít ul o I CONSI DERAÇÕES I NI CIAI S 10 Capít ul o I CONSI DERAÇÕES I NI CIAI S 11 CAPÍ TULO I CONSI DERAÇÕES I NI CI AI S 1. 1 I NTRODUÇÃO Ao l ongo destas últi mas décadas, o ser hu mano independent e da i dade, sexo, cult ura ou grau de

Leia mais

ACTA Nº 44 '1 REUNIÃO ORDINÁRIA DE 28-11-1980

ACTA Nº 44 '1 REUNIÃO ORDINÁRIA DE 28-11-1980 ACTA Nº 44 '1 REUNIÃO ORDINÁRIA DE 28-11-1980 J{t~~ -C ~-U Aos vinte e oito di as do mês de Novembr o do ano de mi l novecen t os e oi tenta, nesta Cidade de Avei ro, Edi fício dos Paços do Concelho e

Leia mais

A SEGMENTAÇÃO DO ESPAÇO DE INOVAÇÃO NA INDÚSTRIA PORTUGUESA

A SEGMENTAÇÃO DO ESPAÇO DE INOVAÇÃO NA INDÚSTRIA PORTUGUESA A SEGMENTAÇÃO DO ESPAÇO DE INOVAÇÃO NA INDÚSTRIA PORTUGUESA Luísa Oliveira e Helena Carvalho Resumo A inovação tecnológica como força motriz de um novo padrão de competitividade coloca, como questão central,

Leia mais

Mediação e tecnologia

Mediação e tecnologia NOVAS TECNOLOGIAS Mediação e tecnologia RESUMO Neste trabalho o autor discute o atual momento pelo qual passa o sujeito da comunicação no ciberspaço, analisando as diferentes formas de mediação que ela

Leia mais

GT1: EDUCAÇÃO I NCLUSI VA: A DEMANDA POR PRÁTI CAS EDUCATI VAS CONTRA A EXCLUSÃO SOCI AL

GT1: EDUCAÇÃO I NCLUSI VA: A DEMANDA POR PRÁTI CAS EDUCATI VAS CONTRA A EXCLUSÃO SOCI AL 1 GT1: EDUCAÇÃO I NCLUSI VA: A DEMANDA POR PRÁTI CAS EDUCATI VAS CONTRA A EXCLUSÃO SOCI AL Laís de Sant ana Araúj o* Mi l don Carl os Cali xt o dos Sant os** Paul a Tauana Sant os*** GT1 - ESPAÇOS EDUCATI

Leia mais

UNICAMP 2012 (2ª Fase)

UNICAMP 2012 (2ª Fase) 1. Re so lu ção (se rá con si de ra do ape nas o que es ti ver den tro des te es pa ço). a)...in te res se do pú bli co (L1): Tra ta-se de um subs tan ti vo pos to que de ter mi na do pe lo ar ti go o,

Leia mais

HABERMAS E A ESFERA PÚBLICA: RECONSTRUINDO A HISTÓRIA DE UMA IDEIA

HABERMAS E A ESFERA PÚBLICA: RECONSTRUINDO A HISTÓRIA DE UMA IDEIA HABERMAS E A ESFERA PÚBLICA: RECONSTRUINDO A HISTÓRIA DE UMA IDEIA Filipe Carreira da Silva Resumo Este artigo tem por objectivo discutir a noção de esfera pública proposta por Jürgen Habermas. Para tanto,

Leia mais

CONCEI TOS BÁSI COS I. Qualquer conceito sobre rede de computadores é arbitrário e depende do

CONCEI TOS BÁSI COS I. Qualquer conceito sobre rede de computadores é arbitrário e depende do APOSTILA DE REDES CONCEI TOS BÁSI COS I Qualquer conceito sobre rede de computadores é arbitrário e depende do cr it ér io que ser á ut ilizado par a def ini-lo. Assim, t emos vár ios conceit os: É um

Leia mais

jornal abrapa_120:jornal abrapa_120.qxd 12/2/2010 17:04 Page 1

jornal abrapa_120:jornal abrapa_120.qxd 12/2/2010 17:04 Page 1 jornal abrapa_120:jornal abrapa_120.qxd 12/2/2010 17:04 Page 1 jornal abrapa_120:jornal abrapa_120.qxd 12/2/2010 17:04 Page 2 EDI TO RI AL ABRAPA EM AÇÃO De tem pos em tem pos, so mos sur pre en di dos

Leia mais

A Gonçalves no México I N F O R M A

A Gonçalves no México I N F O R M A I N F O R M A Novembro de 2007 Depois de atuar por quase três anos no México com um escritório comercial, a Gonçalves investe em uma unidade industrial no país, que entrará em operação no início de 2008.

Leia mais

PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Prezdos Discentes, Informmos que s inscrições pr relizção projetos inicição científic estrão berts entre os dis 15 e 30 mio 2010. Os projetos serem relizdos encontrm-se

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Física e Química A Prova Escrita

Leia mais

Ma nual Ouro Negro. Manual Operaci onal RI GNER. [ Di gite seu endereço] [Di gite seu tel efone] [ Di gite seu endereço de e mail]

Ma nual Ouro Negro. Manual Operaci onal RI GNER. [ Di gite seu endereço] [Di gite seu tel efone] [ Di gite seu endereço de e mail] RI GNER Manual Operaci onal Gensys Geni us System Manual Ouro Negro- Versão 2. 1 E- mail: docu ment acao@geni usnt. co m- Tel efone: (71) 3503-1999 Ma nual Ouro Negro [ Di gite seu endereço] [Di gite seu

Leia mais

UM MODELO DE ANÁLISE DA DRAMATIZAÇÃO NA IMPRENSA ESCRITA

UM MODELO DE ANÁLISE DA DRAMATIZAÇÃO NA IMPRENSA ESCRITA UM MODELO DE ANÁLISE DA DRAMATIZAÇÃO NA IMPRENSA ESCRITA Pedro Diniz de Sousa Resumo Parte-se de uma definição do conceito de dramatização e da identificação das funções que o discurso dramático pode desempenhar

Leia mais

Serviços de Entrega de Compras ao Domicilio

Serviços de Entrega de Compras ao Domicilio Serviços de Entrega de Compras ao Domicilio Express Delivery: Torna a vida mais fácil Ana Almeida e Kumba Almeida Quem Somos EXPRESS DELIVERY é uma empresa certificada de distribuição e entrega de compras

Leia mais

17:45 h Escola Polo par a ent r ada do Cor r ego das Pedr as / Ent r ada do Cor r ego das Pedr as

17:45 h Escola Polo par a ent r ada do Cor r ego das Pedr as / Ent r ada do Cor r ego das Pedr as Transporte Escolar Linhas Disponíveis LINHA 01 06:00 h Pinhalzinho par a Escola Pólo / Escola Pólo par a ent r ada Cór r ego das Pedr as / Ent r ada Cór r ego das Pedr as par a ent r ada do Ser t ãozinho

Leia mais

botika búfalo Bufalo v7.indd 3 17/09/10 17:22

botika búfalo Bufalo v7.indd 3 17/09/10 17:22 botika búfalo Bufalo v7.indd 3 17/09/10 17:22 sumário Introdução... 17 Gua ra ná Porrada... 25 Muletas... 39 Exó ti cas gan gues... 47 Um mons tro e um pinguim... 55 Si ga o cão... 61 Dia de campeão...

Leia mais

DICAS DA VOLVO CONDUÇÃO ECONÔMICA VOLVO DO BRASIL OLÁ! NESTA EDI ÇÃO, VEREMOS COMO FAZER A CONDUÇÃO MAI S ECONÔMICA E EFICIENTE.

DICAS DA VOLVO CONDUÇÃO ECONÔMICA VOLVO DO BRASIL OLÁ! NESTA EDI ÇÃO, VEREMOS COMO FAZER A CONDUÇÃO MAI S ECONÔMICA E EFICIENTE. ALAGOAS Maceió Tel.: (82) 324-5407 AMAZONAS Manaus Tel.: (92) 663-4040 BAHIA Feira de Santana Tel.: (75) 624-2014 Salvador Tel.: (71) 394-1311 Teixeira de Freitas Luvep Tel.: (73) 292-6688 Vitória da Conquista

Leia mais