Gestão de Talentos Tupy RH -Projetos e Processos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gestão de Talentos Tupy RH -Projetos e Processos"

Transcrição

1 Gestão de Talentos Tupy RH -Projetos e Processos Joinville, Fevereiro de 2013 Responsáveis: Equipe Gestão de Talentos 0

2 Guia para criação de metas Este Guia Rápido tem por objetivo ajudá-lo no alinhamento das suas metas e ações individuais às diretrizes e objetivos organizacionais. O guia permitirá compreender os conceitos e as diferenças entre o que é uma estratégia, um objetivo e uma meta, apresentando exemplos práticos que facilitarão na definição e na redação das suas metas. 1

3 Alinhamento Estratégico Importância do alinhamento estratégico em todos os níveis As setas menores indicam os funcionários dentro da organização e os resultados do trabalho individual. A figura representa o que ocorre em uma empresa que não possui alinhamento estratégico. Cada funcionário está trabalhando em sentido diferente. Esta figura representa uma organização que aplicou o alinhamento estratégico. Ocorre quando cada funcionário trabalha sabendo exatamente qual é o seu papel dentro da empresa, e em que direção suas ações devem ser guiadas, para que os objetivos individuais ajudem na conquista dos objetivos organizacionais. 2

4 Desdobrando os objetivos estratégicos em metas organizacionais Era uma vez uma empresa, chamada João & Maria, que tinha como objetivo aumentar os seus lucros. Como não tinha claro por onde começar, foram consultar um renomado consultor que os aconselhou, antes de mais nada, a não focar nos lucros... O quê?, espantaram-se os dois. Isso mesmo, eles deveriam escolher um fator impulsionador para sua meta. Entre as opções consideradas, João decidiu por ampliar a participação de mercado. Mas como?, perguntou Maria. O consultor novamente lhes pediu que apontassem um fator impulsionador. Talvez aumentando o nível de satisfação do cliente, respondeu Maria. Mas como?, foi a vez de João perguntar. Escolha um fator impulsionador da satisfação, disse o consultor mais uma vez. 3

5 E então os sócios concordaram que reduzir o prazo de entrega dos produtos seria um bom impulso. Mas como fazer isso?, disseram os dois ao mesmo tempo. Escolha um fator impulsionador que agilize o processo de produção! Maria e João ainda pensarão um pouco mais e devem chegar à conclusão de que esse fator pode ser treinar os funcionários em processos just-in-time. A história hipotética da empresa João & Maria mostra que vários indicadores de desempenho, como lucro, participação de mercado e satisfação do cliente, formam uma cadeia de relações de causa e efeito e funcionam como fatores impulsionadores uns dos outros, e todos eles levam ao objetivo maior: aumentar os lucros. Trecho de uma entrevista à HSM Management, concedida por Kaplan, sobre o balanced scorecard. 4

6 Diferenciando Objetivos e Metas É a descrição daquilo que se pretende alcançar. Caso o objetivo seja chegar ao peso ideal em um ano (valor e prazo aproximados). É a definição em termos quantitativos, e com prazo determinado. Uma das metas pode ser: perder três quilos até o final do próximo mês (valor e prazos precisos, caminhando para o objetivo). Desta meta Perder três quilos até o final do próximo mês, posso ter outras metas que irão contribuir para o seu atingimento, exemplo: Ingerir 1500 calorias dia. Iniciar 1 atividade física. Partindo deste conceito, podemos definir que Meta, é a ação que irei executar (contribuir), para o alcance dos objetivos. 5

7 Como criar suas metas As suas metas devem estar alinhadas ao objetivos estratégicos da organização, que estão representados pelos objetivos do seu gestor. Por isso, é imprescindível que você negocie e alinhe as suas metas com o seu gestor Se não sabemos qual é o objetivo a alcançar, não podemos encontrar o caminho para atingi-lo

8 Objetivo desdobrado em níveis hierárquico Planejamento Estratégico Objetivos Táticos Gerentes e Coordenadores Metas Operacionais Mensalistas Meta: reduzir custos variáveis em 20% ao ano Meta: reduzir o consumo de ferro gusa em 10% ao ano na produção da peça 22b Meta: reduzir o consumo de energia elétrica em 20% ao ano na linha A Objetivo: Aumentar o lucro e geração de caixa operacional Meta: reduzir custos fixos em 15% ao ano Meta: reduzir os serviços de terceiros em 10% nas atividade de manutenção Meta: reduzir o reparo na máquina de machariaem 10% ao ano Meta: treinar 100% dos operadores no processo de granalhas e perfis Meta: aumentar a produtividade em 5% ao ano Meta: reduzir o tempo de entrega da matéria prima para o início do processo para 2 dias Meta: reduzir paradas para manutenção corretiva em 1 hora 7

9 Objetivo desdobrado na ferramenta Exemplo de um objetivo desdobrado na ferramenta da SuccessFactors Planejamento Estratégico Vice-Presidente Objetivos Táticos Gerentes e Coordenadores Metas Operacionais Mensalistas 8

10 Como criar suas metas Utilizando a metodologia SMART S Específica: suas metas devem mostrar o que realmente você deseja alcançar. M Mensurável: tão importante quanto ter uma meta específica é conseguir medi-la, uma vez que só é possível controlar o que conseguimos medir, ou seja, nada de metas onde não se tem um indicador para acompanhá-las. Específica Mensurável A Alcançável: não adianta sonhar alto e tentar ter uma meta maior que a capacidade de realização, suas metas têm que ser feitas sobre um cenário possível, porém desafiador. R Relevante: suas metas devem ser relevantes ao cenário no qual está inserida sua empresa. Devem estar alinhadas a um objetivo maior, vindo do nível hierárquico superior. Alcançável Relevante Baseadas no Tempo T Baseadas no Tempo: O tempo é o limitador que possibilita correr atrás da meta. 9

11 Como criar suas metas Na ferramenta de Gestão de Talentos, siga o caminho abaixo: CAMINHO: No ícone Início buscar opção Objetivos e Clicar em Assistente de Objetivo Este botão ajudará você a definir suas metas através da metodologia SMART. S - Específica M - Mensurável A - Alcançável R - Relevante T Baseada no Tempo * Seções para criação de objetivos (metas). Importante: O mínimo de metas a serem criadas são três, e o máximo dez. O peso total, considerando todas as seções, deverá ser de 100% 10

12 Como criar suas metas Qual é o seu objetivo (meta)? Específica Mensurável Quanto mais específica for a meta (objetivo), menor a possibilidade de interpretações duvidosas e maiores as chances de ser atingida. Algumas perguntas lhe auxiliarão na criação de metas: Alcançável Relevante O que deve ser atingido exatamente? Quem está envolvido? Onde deve ser atingido esta meta? Qual é o período no qual esta meta deve ser atingida? Quais são os requisitos e restrições? Quais propósitos ou benefícios existem em atingir esta meta? Baseadas no Tempo Obter 10% no aumento de vendas nacionais nas áreas de negócios A, B e C pela equipe X, durante o ano 2013, sem redução na margem de lucros e mantendo o nível de satisfação do cliente. 11

13 Como criar suas metas Específica Como irá medir este objetivo / meta? Mensurável É preciso definir claramente a forma de medição para que possa ser acompanhada a evolução e o sucesso da execução. Alcançável Relevante Baseadas no Tempo 12

14 Como criar suas metas Específica Este objetivo é atingível? Mensurável As metas devem ser desafiadoras, mas nunca impossíveis de atingir. Alcançável Relevante Os objetivos/metas, devem estar dentro da sua capacidade de realização mas também devem desafiá-lo a utilizar toda sua competência na execução. Ir além da entrega habitual. Baseadas no Tempo 13

15 Como criar suas metas Específica Este objetivo é relevante? Mensurável Uma meta relevante está em sincronia com os valores da empresa e alinhada aos objetivos estratégicos. Alcançável Relevante Para saber se a meta é relevante, é importante se questionar: Baseadas no Tempo Esta meta está alinhada com a Visão da empresa? Para qual objetivo maior está colaborando? Foi negociada com o gestor imediato? 14

16 Como criar suas metas Específica Qual é o seu cronograma? Mensurável Uma meta deve ser atingida dentro de um período de tempo pré-definido. Alcançável Relevante Esse período não pode ser tão curto a ponto de tornar a meta impossível e nem tão longo a ponto de causar dispersão da iniciativa com o tempo. Baseadas no Tempo 15

17 Cronograma Avaliação Desempenho 2013 Fevereiro e Março Julho Novembro Dezembro Janeiro/14 01/02/13 31/03/13 01/07/13 31/07/13 01/11/13 30/11/13 01/12/13 31/12/13 01/01/14 31/01/14 Treinamento na Ferramenta, Negociação e Criação das Metas Revisão Semestral Metas e Competências Fechamento Anual Metas e Competências Consolidação Feedback De Acordo 16

3) Qual é o foco da Governança de TI?

3) Qual é o foco da Governança de TI? 1) O que é Governança em TI? Governança de TI é um conjunto de práticas, padrões e relacionamentos estruturados, assumidos por executivos, gestores, técnicos e usuários de TI de uma organização, com a

Leia mais

Desafios para manter a iniciativa de BPM alinhada com a estratégia empresarial

Desafios para manter a iniciativa de BPM alinhada com a estratégia empresarial Desafios para manter a iniciativa de BPM alinhada com a estratégia empresarial Marlene Silva YPÊ Curitiba 05/12/12 Quem Somos Marca líder no segmento de higiene e limpeza no Brasil, a Ypê possui uma linha

Leia mais

PPODE - ESTRATÉGICO. Slide 1 BALANCED SCORECARD CRESCIMENTO PRODUTIVIDADE MAIS RESULTADOS. Ms. RICARDO RESENDE DIAS

PPODE - ESTRATÉGICO. Slide 1 BALANCED SCORECARD CRESCIMENTO PRODUTIVIDADE MAIS RESULTADOS. Ms. RICARDO RESENDE DIAS Slide 1 BALANCED SCORECARD PRODUTIVIDADE CRESCIMENTO MAIS RESULTADOS Ms. RICARDO RESENDE DIAS BALANCED SCORECARD Slide 2 BSC CONCEITO FINALIDADE APLICAÇÃO PRÁTICA ESTRATÉGIA - BSC Slide 3 Ativos Tangíveis

Leia mais

Balanced Scorecard. Daciane de Oliveira Silva. Referências: Livro Estratégias de Empresas: Lobato et.al (Cap. 7)

Balanced Scorecard. Daciane de Oliveira Silva. Referências: Livro Estratégias de Empresas: Lobato et.al (Cap. 7) Balanced Scorecard Daciane de Oliveira Silva Referências: Livro Estratégias de Empresas: Lobato et.al (Cap. 7) Ferramenta de implementação e controle das estratégias, com enfoque financeiro e não financeiro.

Leia mais

CARDÁPIO DE CURSOS E PALESTRAS

CARDÁPIO DE CURSOS E PALESTRAS CARDÁPIO DE CURSOS E PALESTRAS RESUMO Aumente a produtividade de seus colaboradores com os cursos e palestras da Purcino Treinamentos, Comunicação e Produções. Todos os cursos disponíveis em versão para

Leia mais

BSC. deve contar a história da estratégia, começando. relacionando-se depois à seqüência de ações que precisam ser tomadas em relação aos

BSC. deve contar a história da estratégia, começando. relacionando-se depois à seqüência de ações que precisam ser tomadas em relação aos BSC Para KAPLAN & NORTON (1997), o Scorecard deve contar a história da estratégia, começando pelos objetivos financeiros a longo prazo e relacionando-se depois à seqüência de ações que precisam ser tomadas

Leia mais

Profa.: Ms. Leila Souza

Profa.: Ms. Leila Souza Profa.: Ms. Leila Souza 1 Origem da APO - 1954 Livro de Peter Druker APO. - Empresas americanas passavam por momentos difíceis : queda nas margens de lucros, intervenções do governo, redução de despesas,

Leia mais

Políticas Organizacionais

Políticas Organizacionais Políticas Organizacionais Versão 1.4 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 11/10/2012 1.0 Revisão das políticas EPG 26/11/2012 1.1 Revisão do Item de customização EPG 24/10/2013 1.2 Revisão

Leia mais

Ementas. Certificate in Business Administration CBA

Ementas. Certificate in Business Administration CBA Ementas Certificate in Business Administration CBA Agosto 2012 Módulo Fundamental Administração Financeira EMENTA: Disciplina desenvolve a capacidade de contribuição para as decisões gerenciais aplicando

Leia mais

BALANCED SCORECARD. PARA MANUTENÇÃO para melhorar a performance do departamento. Elabore, Planeie, Implemente. Curso.

BALANCED SCORECARD. PARA MANUTENÇÃO para melhorar a performance do departamento. Elabore, Planeie, Implemente. Curso. Curso Elabore, Planeie, Implemente BALANCED SCORECARD PARA MANUTENÇÃO para melhorar a performance do departamento Balanced Scorecard como ferramenta de gestão estratégica Como elaborar o mapa estratégico

Leia mais

Prof. Fulvio Cristofoli CONCEITOS.

Prof. Fulvio Cristofoli CONCEITOS. CONCEITOS Prof. Fulvio Cristofoli fulviocristofoli@uol.com.br www.fulviocristofoli.com.br O QUE VAMOS APRENDER... Estratégia Administração Estratégica Planejamento Estratégico Decisão Estratégica Eficiência

Leia mais

Desenvolvimento de Negócios. Planejamento Estratégico Legal: da concepção à operacionalização Competências necessárias para o Gestor Legal

Desenvolvimento de Negócios. Planejamento Estratégico Legal: da concepção à operacionalização Competências necessárias para o Gestor Legal Desenvolvimento de Negócios Planejamento Estratégico Legal: da concepção à operacionalização Competências necessárias para o Gestor Legal Gestão Estratégica Para quê? Por Quê? Para fazer acontecer e trazer

Leia mais

João Telles Corrêa Filho Abril de 2011

João Telles Corrêa Filho Abril de 2011 Durante o último mês de março foram publicados dois importantes artigos nas seções de economia / negócios dos jornais Folha de São Paulo e Estado de São Paulo. O primeiro fala sobre o aquecimento do mercado,

Leia mais

Organização da Disciplina. Auditoria em Recursos Humanos. Aula 1. Contextualização

Organização da Disciplina. Auditoria em Recursos Humanos. Aula 1. Contextualização Auditoria em Recursos Humanos Aula 1 Prof. Me. Elizabeth Franco Organização da Disciplina Aula 01 A administração de recursos humanos área em desenvolvimento Aula 02 A origem e a evolução da auditoria

Leia mais

BALANCED SCORECARD. Prof. Dr. Adilson de Oliveira Doutor em Engenharia de Computação Poli USP Mestre em Ciência da Informação PUCCAMP

BALANCED SCORECARD. Prof. Dr. Adilson de Oliveira Doutor em Engenharia de Computação Poli USP Mestre em Ciência da Informação PUCCAMP BALANCED SCORECARD Prof. Dr. Adilson de Oliveira Doutor em Engenharia de Computação Poli USP Mestre em Ciência da Informação PUCCAMP Gestão Estratégica e BSC Balanced Scoredcard GESTÃO ESTRATÉGICA GESTÃO

Leia mais

Gestão de sistemas em energia:

Gestão de sistemas em energia: MESTRADO EM ENERGIA Gestão de sistemas em energia: - Planejamento da Operação - Projeto de sistemas de energia Prof. Manuel Jarufe manueljarufe@ceunes.ufes.br Disciplina: Gestão de sistemas em energia

Leia mais

de tecnologia P A R A EM 2016

de tecnologia P A R A EM 2016 ^ TENDENCIAS de tecnologia P A R A + RH EM 2016 Panto O RH de hoje faz + - MAIS com menos A expansão das plataformas de avaliação nas últimas décadas transformou praticamente toda a gestão de RH das empresas.

Leia mais

Business Case (Caso de Negócio)

Business Case (Caso de Negócio) Terceiro Módulo: Parte 5 Business Case (Caso de Negócio) AN V 3.0 [54] Rildo F Santos (@rildosan) rildo.santos@etecnologia.com.br www.etecnologia.com.br http://etecnologia.ning.com 1 Business Case: Duas

Leia mais

ESTRUTURA DE APRESENTAÇÃO BSC

ESTRUTURA DE APRESENTAÇÃO BSC BALANCED SCORECARD ESTRUTURA DE APRESENTAÇÃO BSC Contexto Histórico Origem do BSC Definição Como funciona? Perspectivas Por quê aplicar? Benefícios/ Contribuições Conclusão Referências BALANCED SCORECARD

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO POR COMPETÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Atualizado em 22/10/2015 GESTÃO POR COMPETÊNCIAS As competências não são estáticas, tendo em vista a necessidade de adquirir agregar novas competências individuais

Leia mais

Remuneração Estratégica a Busca por Resultados e Motivação Interna

Remuneração Estratégica a Busca por Resultados e Motivação Interna Remuneração Estratégica a Busca por Resultados e Motivação Interna Celso Bazzola Ou você tem uma estratégia própria, ou então é parte da estratégia de alguém Alvin Toffler 1 TENDÊNCIAS DE MERCADO O RH

Leia mais

PMO VALUE RING. Americo Pinto. Diretor de Pesquisa PMO TOOLS Technologies

PMO VALUE RING. Americo Pinto. Diretor de Pesquisa PMO TOOLS Technologies PMO VALUE RING Americo Pinto Diretor de Pesquisa PMO TOOLS Technologies O QUE É O PMO VALUE RING? O PMO VALUE RING é uma metodologia para criar ou reestruturar PMOs. Ela foi criada em conjunto com profissionais

Leia mais

Responsabilidade da Direção

Responsabilidade da Direção 5 Responsabilidade da Direção A gestão da qualidade na realização do produto depende da liderança da alta direção para o estabelecimento de uma cultura da qualidade, provisão de recursos e análise crítica

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDIVIDUAL

GUIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDIVIDUAL GUIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDIVIDUAL Chegamos ao momento de construir um plano de desenvolvimento para as necessidades identificadas a partir de seu autodiagnóstico e reflexões iniciais.

Leia mais

Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul

Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul Marcelo De Nardi Porto Alegre, 04 de julho de 2011. CONTEXTUALIZAÇÃO Poder Judiciário no Contexto da Gestão Pública Nacional Processos

Leia mais

Gestão da Qualidade: Gerenciamento das Diretrizes

Gestão da Qualidade: Gerenciamento das Diretrizes Gestão da Qualidade: Gerenciamento das Diretrizes Curso de Especialização em Gestão da Produção Prof. MSc. Artur Henrique Moellmann UNESP Universidade Estadual Paulista FEG Faculdade de Engenharia do Campus

Leia mais

A importância do Profissional. de Excelência Operacional e Melhoria Contínua

A importância do Profissional. de Excelência Operacional e Melhoria Contínua A importância do Profissional de Excelência Operacional e Melhoria Contínua Manoel Escobedo Fernandez Master Black Belt Resp: Excelência Operacional e Logística na Elekeiroz Quando perguntamos a uma pessoa:

Leia mais

Gestão de Desempenho: a experiência do Grupo Águas do Brasil

Gestão de Desempenho: a experiência do Grupo Águas do Brasil Gestão de Desempenho: a experiência do Grupo Águas do Brasil Agenda Objetivos da G. Desempenho Conceitos estruturantes O Modelo concebido para o grupo Águas do Brasil Relato da Experiência e dos Resultados

Leia mais

1ª Jornada Internacional da Gestão Pública. O caso MDIC. BRASÍLIA (DF), 13 de março de 2013

1ª Jornada Internacional da Gestão Pública. O caso MDIC. BRASÍLIA (DF), 13 de março de 2013 1ª Jornada Internacional da Gestão Pública O caso MDIC BRASÍLIA (DF), 13 de março de 2013 ANTECEDENTES INÍCIO DE 2011 Contexto de mudança de Governo; Necessidade de diagnóstico organizacional; Alinhamento

Leia mais

Remuneração estratégica. Entenda as vantagens de investir em políticas de remuneração variável (PLR)

Remuneração estratégica. Entenda as vantagens de investir em políticas de remuneração variável (PLR) Remuneração estratégica Entenda as vantagens de investir em políticas de remuneração variável (PLR) ÍNDICE Divida o seu conteúdo em capítulos e enumere as páginas dessa maneira Introdução Os desafios atuais

Leia mais

Tema 3. Planejamento Estratégico na Administração Pública. Ricardo Naves Rosa

Tema 3. Planejamento Estratégico na Administração Pública. Ricardo Naves Rosa Tema 3 Planejamento Estratégico na Administração Pública Ricardo Naves Rosa Planejamento Estratégico na Administração Pública Balanced Scorecard Ricardo Naves Rosa Gerente de Gestão Estratégica - AGR Engenheiro

Leia mais

MANUAL Avaliação de Indicadores

MANUAL Avaliação de Indicadores MANUAL Avaliação de Indicadores Revisão do Planejamento Estratégico e desdobramentos Sumário Apresentação Etapas de revisão do Planejamento Conceitos e desafios 03 04 Revisão/avaliação de Indicadores Metodologia

Leia mais

Tendências na área de Recursos Humanos

Tendências na área de Recursos Humanos Tendências na área de Recursos Humanos Confira a 6ª edição do maior censo de Recursos Humanos, realizado pelo RH Portal em 2016. Veja o que os profissionais estão falando sobre a realidade do RH no mercado

Leia mais

Workshop ToolsTM. Gazelles International. (Ferramentas para Gazelles International Workshop)

Workshop ToolsTM. Gazelles International. (Ferramentas para Gazelles International Workshop) Workshop ToolsTM Gazelles International (Ferramentas para Gazelles International Workshop) Melhor Educação. Melhores Ferramentas. Melhor Comunidade. Se podemos ajudá-lo com a aplicação do Rockefeller Habits

Leia mais

Gestão de Processos. Tópico 4. Ferramentas de Qualidade: PDCA

Gestão de Processos. Tópico 4. Ferramentas de Qualidade: PDCA Gestão de Processos Tópico 4 Ferramentas de Qualidade: PDCA Sumário 1. O que é o Ciclo PDCA... 3 2. Importância do Ciclo PDCA... 3 3. Etapas do Ciclo PDCA... 3 3.1 Planejar (PLAN)... 3 3.1.1 Qual é o problema/processo

Leia mais

Estabelecimento de Metas e seu Desdobramento

Estabelecimento de Metas e seu Desdobramento Estabelecimento de Metas e seu Desdobramento O que é Meta? É Alvo bem determinados que representam os objetivos de uma estratégia ou de uma das etapas deste estratégia (regalmente, dentro de um período

Leia mais

Disciplina: Processos Organizacionais Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 05 FERRAMENTAS E MÉTODOS PARA A RACIONALIZAÇÃO DOS PROCESSOS

Disciplina: Processos Organizacionais Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 05 FERRAMENTAS E MÉTODOS PARA A RACIONALIZAÇÃO DOS PROCESSOS Disciplina: Processos Organizacionais Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 05 FERRAMENTAS E MÉTODOS PARA A RACIONALIZAÇÃO DOS PROCESSOS 4 Técnicas de Apoio à Melhoria de processo: As Sete Ferramentas

Leia mais

Processos Mapeamento, Análise e Normatização. Métricas de mensuração dos processos. Métricas de Mensuração. Aula 03. Prof.

Processos Mapeamento, Análise e Normatização. Métricas de mensuração dos processos. Métricas de Mensuração. Aula 03. Prof. Processos Mapeamento, Análise e Normatização Métricas de mensuração dos processos Aula 03 Prof. Frank Pizo Métricas de Mensuração Mensurar: 1. Determinar a medida de; medir. 2. Determinar a extensão ou

Leia mais

Capital Humano. Programa de Desenvolvimento em. Um novo Mercer College para você!

Capital Humano. Programa de Desenvolvimento em. Um novo Mercer College para você! Programa de Desenvolvimento em Capital Humano Um novo College para você! O College mudou para se adequar à sua necessidade e de sua empresa. Muito mais completo e flexível, nosso programa apresenta os

Leia mais

Os Quatro Pilares de uma Carreira de Sucesso

Os Quatro Pilares de uma Carreira de Sucesso Os Quatro Pilares de uma Carreira de Sucesso Fábio Rocha Consultor, Professor, Coach, Especialista em Carreira e Diretor-Executivo da Damicos Consultoria em Liderança e Sustentabilidade fabio@damicos.com.br

Leia mais

Gerência de Projetos de TI

Gerência de Projetos de TI Gerência de de TI Experiência da COPEL SIMPROS 2001 Paulo Henrique Rathunde phr@copel.com Agenda Introdução Gerência de Definição dos Processos Implantação Reflexões 2/33 São Paulo, Brasil 17-20/09/2001

Leia mais

Clientes fidelizados e satisfeitos

Clientes fidelizados e satisfeitos GESTÃO DE PESSOAS NAS EMPRESAS CONTÁBEIS Uma abordagem prática O QUE TODO EMPRESÁRIO SONHA... Pessoas qualificadas, motivadas e produtivas Baixa rotatividade Clientes fidelizados e satisfeitos PLANEJAMENTO

Leia mais

A Empresa Criadora do Conhecimento

A Empresa Criadora do Conhecimento A Empresa Criadora do Conhecimento A Empresa Criadora do Conhecimento 7 DIMENSÕES DA GESTÃO DO CONHECIMENTO (TERRA, 2000) 1.Alta administração: definição dos campos de conhecimento que deverão ter prioridade

Leia mais

Gestão e Empreendedorismo

Gestão e Empreendedorismo Unidade III Gestão e Empreendedorismo Eliomar Borges Furquim Plano de negócios (PN): uma Visão geral. Objetivo específico - Ao concluir este módulo, você vai ser capaz de compreender o que é um Plano de

Leia mais

Política de Recrutamento e Seleção. Estabelecer critérios para o recrutamento e seleção de profissionais para a empresa.

Política de Recrutamento e Seleção. Estabelecer critérios para o recrutamento e seleção de profissionais para a empresa. Política de Recrutamento e Seleção 1. OBJETIVO: Estabelecer critérios para o recrutamento e seleção de profissionais para a empresa. 2. ABRANGÊNCIA: Abrange todas as contratações de profissionais da empresa.

Leia mais

Capítulo 4 Recrutamento: análise e descrição de cargos, gestão de talentos

Capítulo 4 Recrutamento: análise e descrição de cargos, gestão de talentos Capítulo 4 Recrutamento: análise e descrição de cargos, gestão de talentos slide 1 Objetivos de aprendizagem 1. Explicar a importância da gestão de talentos. 2. Explicar a análise de cargos, incluindo

Leia mais

PROSPECÇÃO DE NEGÓCIOS E TECNOLOGIA. Prof. Araken Patusca Linhares

PROSPECÇÃO DE NEGÓCIOS E TECNOLOGIA. Prof. Araken Patusca Linhares PROSPECÇÃO DE NEGÓCIOS E TECNOLOGIA Prof. Araken Patusca Linhares UNIDADE I Surgimento do Empreendedorismo Postura e comportamento do Empreendedor A importância do Empreendedor na sociedade Motivação do

Leia mais

"DESENVOLVIMENTO E RETENÇÃO DE TALENTOS EM TEMPOS DE ALTA DEMANDA POR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL"

DESENVOLVIMENTO E RETENÇÃO DE TALENTOS EM TEMPOS DE ALTA DEMANDA POR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL "DESENVOLVIMENTO E RETENÇÃO DE TALENTOS EM TEMPOS DE ALTA DEMANDA POR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL" Gestão Engajamento e Retenção nas Mãos das Lideranças Pessoas: O ativo mais importante das organizações?!?!

Leia mais

Como aliar sustentabilidade e tecnologia. Como aliar sustentabilidade e tecnologiav facebook.com/bigideiatv

Como aliar sustentabilidade e tecnologia. Como aliar sustentabilidade e tecnologiav facebook.com/bigideiatv Como aliar sustentabilidade e tecnologia 1 Índice 3 Introdução 8 Inspire-se em outras empresas 4 Avalie seus processos 9 Elimine excessos e desperdícios 5 Busque novas soluções 10 Conclusão 6 Pesquise

Leia mais

Perspectivas da Gestão Estratégica de Pessoas para as Organizações Públicas

Perspectivas da Gestão Estratégica de Pessoas para as Organizações Públicas Perspectivas da Gestão Estratégica de Pessoas para as Organizações Públicas Aleksandra Pereira dos Santos Doutora em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações UnB Coordenadora-Geral de RH Previc

Leia mais

Artigo: Planejamento com foco na execução

Artigo: Planejamento com foco na execução Artigo: Planejamento com foco na execução O uso do BSC no BANDES Gilson Domingues Cardoso Planejamento com foco na execução Gilson Domingues Cardoso gilson@ bandes.com.br e gilsondc@gmail.com RESUMO Trata

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL CONCEITOS BÁSICOS

ADMINISTRAÇÃO GERAL CONCEITOS BÁSICOS ADMINISTRAÇÃO GERAL CONCEITOS BÁSICOS Atualizado em 27/10/2015 CONCEITOS BÁSICOS Administração, em seu conceito tradicional, é definida como um conjunto de atividades, princípios, regras, normas que têm

Leia mais

CARVALHO, M. M.; RABECHINI, R. Construindo competências para gerenciar projetos. Atlas:São Paulo, PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. PMI.

CARVALHO, M. M.; RABECHINI, R. Construindo competências para gerenciar projetos. Atlas:São Paulo, PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. PMI. Gestão de Projetos 4/18/2012 1 CARVALHO, M. M.; RABECHINI, R. Construindo competências para gerenciar projetos. Atlas:São Paulo, 2006. PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. PMI. Um guia do conhecimento em gerenciamento

Leia mais

NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014

NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014 NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014 WORKSHOPS CH DATA HORÁRIO INVESTIMENTO CONTEÚDO 1. Mudança nas relações com clientes em vendas. 2. Vendedor consultor: Gestor de negócio. 3. Planejamento em vendas.

Leia mais

Capítulo 8 Avaliação e Gerenciamento do Desempenho

Capítulo 8 Avaliação e Gerenciamento do Desempenho Capítulo 8 Avaliação e Gerenciamento do Desempenho slide 1 Objetivos de aprendizagem 1. Explicar o propósito da avaliação de desempenho. 2. Responder à pergunta: Quem deve fazer a avaliação?. 3. Discutir

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS

ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS (FCC) ANALISTA TRT s 07 PROVAS 56 QUESTÕES (2012 2009) A apostila contém provas de Administração de Recursos Humanos de concursos da Fundação Carlos

Leia mais

TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO

TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO TGA II TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO Henri Fayol (1841-1925) TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO As Funções Básicas da Empresa Funções técnicas: relacionadas com a produção de bens ou serviços da empresa.

Leia mais

Cursos / Treinamentos

Cursos / Treinamentos Cursos / Treinamentos Carga Horária 1 Estatística Básica em Todos os Níveis. 16 Horas 2 Estatística Avançada. 60 Horas 3 Formação de Auditores Internos da Qualidade. 32 Horas 4 Controle Estatístico de

Leia mais

Workshop de Gestão de Recursos Humanos Objetivos Gerais Dotar os participantes de técnicas, métodos e instrumentos que vão fazer melhorar o planeamento, o acompanhamento e a Gestão dos Recursos Humanos.

Leia mais

AULA 6 MODELAGEM DE PROCESSOS

AULA 6 MODELAGEM DE PROCESSOS AULA 6 MODELAGEM DE PROCESSOS Decompondo processos Para podermos modelar processos, é necessário que entendamos como se aplicam alguns conceitos importantes. Por definição, cada processo possui entradas,

Leia mais

WORKSHOP DE VENDAS CONSULTIVAS. Técnicas Práticas para Vender e se Relacionar

WORKSHOP DE VENDAS CONSULTIVAS. Técnicas Práticas para Vender e se Relacionar WORKSHOP DE VENDAS CONSULTIVAS Técnicas Práticas para Vender e se Relacionar Prospectar Novos Clientes. Apresentar, Argumentar e Negociar. Vender e se Relacionar. Duração Encontro 2 a 8 Encontros 8 ou

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08)

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08) SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08) Oficina 07 Política de Meio Ambiente, Segurança e Saúde no Trabalho Objetivos, Metas e Programas 4.2 Política de SSTMA A Alta Administração

Leia mais

08/08/2013. Plano de Ensino e Aprendizagem (PEA) Atividades Práticas Supervisionadas (ATPS) Apresentação do professor. Apresentação da Disciplina

08/08/2013. Plano de Ensino e Aprendizagem (PEA) Atividades Práticas Supervisionadas (ATPS) Apresentação do professor. Apresentação da Disciplina Apresentação do professor Nome: André Luís Belini de Oliveira Formação: Bacharel em Sistemas de Informação MBA em Gestão Estratégica de Negócios Especialista em Didática e Metodologia do Ensino Superior

Leia mais

Estudo sobre o efeito da Crise Econômica nos Investimentos em Tecnologia de Informação

Estudo sobre o efeito da Crise Econômica nos Investimentos em Tecnologia de Informação A Tecnologia de Informação (TI) é recurso organizacional e como tal recebe investimentos, que são afetados pela situação econômica e da própria organização. O momento atual da economia brasileira afeta

Leia mais

Sem fronteiras para o conhecimento. Treinamento de Green Belt em Lean Seis Sigma

Sem fronteiras para o conhecimento. Treinamento de Green Belt em Lean Seis Sigma 1 Sem fronteiras para o conhecimento Treinamento de Green Belt em Lean Seis Sigma Lean Seis Sigma Definição Estratégia de negócios que busca resultados pela redução drástica da variabilidade dos processos.

Leia mais

Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5

Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5 Sumário Introdução, 1 Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5 1 Direcionadores do Uso de Tecnologia de Informação, 7 1.1 Direcionadores de mercado, 8 1.2 Direcionadores organizacionais,

Leia mais

Liderança e Gestão em ambientes de incerteza

Liderança e Gestão em ambientes de incerteza Liderança e Gestão em ambientes de incerteza As pessoas não gostam de sair da sua zona de conforto e por isso elas resistem e impedem que as mudanças aconteçam. As novas perspectivas para o mercado e para

Leia mais

Projeto Na Medida MICROEMPRESA. Palestra de sensibilização Na Medida PARA MICROEMPRESÁRIOS. Competências Gerais. Modalidade. Formato.

Projeto Na Medida MICROEMPRESA. Palestra de sensibilização Na Medida PARA MICROEMPRESÁRIOS. Competências Gerais. Modalidade. Formato. Projeto Na Medida PARA MICROEMPRESÁRIOS Palestra de sensibilização Na Medida Compreender a relevância do papel dos micro e pequenos empresários na economia brasileira e a necessidade da adoção das melhores

Leia mais

OBJETIVOS. Dar a conhecer a estrutura do Modelo de Excelência de Gestão MEG. Refletir sobre o ciclo PDCL. Planejamento. Verificação Aprendizagem

OBJETIVOS. Dar a conhecer a estrutura do Modelo de Excelência de Gestão MEG. Refletir sobre o ciclo PDCL. Planejamento. Verificação Aprendizagem 1 OBJETIVOS Dar a conhecer a estrutura do Modelo de Excelência de Gestão MEG. Refletir sobre o ciclo PDCL Planejamento Execução Verificação Aprendizagem 2 INTRODUÇÃO Na aula passada, conhecemos os 11 Fundamentos

Leia mais

Gestão da Produção. Análise SWOT Balanced Scorecard Mapa Estratégico. Prof. Dr. Marco Antonio Pereira Empresas Classe Mundial

Gestão da Produção. Análise SWOT Balanced Scorecard Mapa Estratégico. Prof. Dr. Marco Antonio Pereira Empresas Classe Mundial Gestão da Produção Análise SWOT Balanced Scorecard Mapa Estratégico Prof. Dr. Marco Antonio Pereira marcopereira@usp.br Empresas Classe Mundial ESTRATÉGIA PRODUTIVIDADE QUALIDADE Balanced ScoreCard Lean

Leia mais

Exemplos de Grandes Líderes

Exemplos de Grandes Líderes Módulo 10. Práticas de Gestão A definição de liderança parece ser um pouco complexa. Existem dezenas de definições e muitas são conflitantes. Entretanto, quando se trata de apontar líderes, a convergência

Leia mais

SAP ROADSHOW. O case Success Factors no Grupo Fallgatter. Gabriella Kellermann. Analista de Recursos Humanos Grupo Fallgatter

SAP ROADSHOW. O case Success Factors no Grupo Fallgatter. Gabriella Kellermann. Analista de Recursos Humanos Grupo Fallgatter SAP ROADSHOW O case Success Factors no Grupo Fallgatter Gabriella Kellermann Analista de Recursos Humanos Grupo Fallgatter O Grupo Fallgatter, fabricante e distribuidor de componentes e equipamentos metalmecânicos

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Disciplina do curso de Especialização em Gestão Pública (48horas) Período: Quintas feiras 28/08 a 04/12/2014 28/08 Ok Não tivemos aulas nos dias: 04/09 e 11/09 - Ok Aulas de reposição:

Leia mais

Entre das grandes conclusões do estudo destacamos:

Entre das grandes conclusões do estudo destacamos: A meritocracia avança nas empresas em operação no Brasil Pesquisa da Pricewaterhousecoopers indica a gestão de desempenho como prática cada vez mais utilizada em grandes empresas no Brasil A importância

Leia mais

Prospecção Tecnológica. 30 de agosto de 2012.

Prospecção Tecnológica. 30 de agosto de 2012. Prospecção Tecnológica 30 de agosto de 2012. A ação será executada por: A Equipe O Projeto Prospecção Tecnológica Objetivo Possibilitar a implantação de novas tecnologias que permitam redução de custos,

Leia mais

OBJETIVOS DETERMINAM OS ALVOS QUE A EMPRESA PRETENDE ATINGIR E SÃO DEFINIDOS EM TERMOS QUANTITATIVOS. OBJETIVOS:

OBJETIVOS DETERMINAM OS ALVOS QUE A EMPRESA PRETENDE ATINGIR E SÃO DEFINIDOS EM TERMOS QUANTITATIVOS. OBJETIVOS: Por: Dorival Paula Trindade, Prof. Ms. GESTÃO versus OBJETIVOS e METAS OBJETIVOS DETERMINAM OS ALVOS QUE A EMPRESA PRETENDE ATINGIR E SÃO DEFINIDOS EM TERMOS QUANTITATIVOS. OBJETIVOS: Exemplos de uma empresa

Leia mais

O Papel da Controladoria sob o Enfoque da Gestão Econômica

O Papel da Controladoria sob o Enfoque da Gestão Econômica O Papel da sob o Enfoque da Gestão Econômica Prof. Carlos Alberto Pereira : necessidade ou modismo??? Foco: para se alcançar os objetivos é preciso clarificá-los Sinergia: a otimização isolada das partes

Leia mais

A empresa quantifica aspectos socioambientais nas projeções financeiras de:

A empresa quantifica aspectos socioambientais nas projeções financeiras de: Os trechos em destaque encontram-se no Glossário. Dimensão Econômica Critério I - Estratégia Indicador 1 - Planejamento Estratégico 1. Assinale os objetivos que estão formalmente contemplados no planejamento

Leia mais

Tema 05 Treinamento e Desenvolvimento Autoria: Irma Macário

Tema 05 Treinamento e Desenvolvimento Autoria: Irma Macário Administração de Recursos Humanos Autoria: Irma Macário 6 o semestre Tema 05 Treinamento e Desenvolvimento Tema 05 Treinamento e Desenvolvimento Autoria: Irma Macário Como citar esse documento: MACÁRIO,

Leia mais

19/07/2016. Aula 9. Gestão do Desempenho. Prof. Lucia B. Oliveira. Prof. Lucia B. Oliveira. Agenda. Seminário. Prof. Lucia B.

19/07/2016. Aula 9. Gestão do Desempenho. Prof. Lucia B. Oliveira. Prof. Lucia B. Oliveira. Agenda. Seminário. Prof. Lucia B. Aula 9 Gestão do Desempenho Agenda 1 Seminário 2 Gestão do Desempenho 1 Seminário 4 Getting 360-Degree Feedback Right Maury A. Peiperl Harvard Business Review, 2001. Gestão do Desempenho 2 Gestão Estratégica

Leia mais

O que é planejamento estratégico?

O que é planejamento estratégico? O que é planejamento estratégico? Um dos fatores de sucesso das empresas é possuir um bom planejamento. Mas o que é planejamento? Nós planejamos diariamente, planejamos nossas atividades, nossas finanças,

Leia mais

QUADRO DE DISCIPLINAS

QUADRO DE DISCIPLINAS QUADRO DE DISCIPLINAS Disciplinas 1 Horas- Aula 2 1. Fundamentos do Gerenciamento de Projetos 24 2. Gerenciamento do Escopo em Projetos 24 3. Gerenciamento da Qualidade em Projetos 12 4. Gerenciamento

Leia mais

SISTEMAS DE RECOMPENSA FINANCEIROS

SISTEMAS DE RECOMPENSA FINANCEIROS AMAD Consultoria e Treinamento SISTEMAS DE RECOMPENSA FINANCEIROS 16 de dezembro de 2014 ESTRATÉGIAS DE SISTEMAS DE RECOMPENSA Salário fixo../70 80/90 2000... Benefícios Remuneração Variável CURTO PRAZO

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL

PROCEDIMENTO OPERACIONAL POP-1 1/9 1 INTRODUÇÃO Participaram da elaboração ste padrão: D Avila/INDG, Camone,... 2 OBJETIVO Orientar a elaboração e atualização do gráfico acompanhamento do item controle, visando obter a padronização

Leia mais

ASSESSORIA DE IMPRENSA ESPECIALIZADA

ASSESSORIA DE IMPRENSA ESPECIALIZADA Seja bem-vindo ASSESSORIA DE IMPRENSA ESPECIALIZADA 1 - Para que serve a assessoria de imprensa? Basicamente para fortalecer a imagem e divulgar o nome de empresas, associações, nomes, marcas, produtos,

Leia mais

Definição / Abordagem de Processos

Definição / Abordagem de Processos Definição / Abordagem de Processos Ao longo da história dos processos produtivos e administrativos, as organizações têm crescido em tamanho, complexidade e requisitos. Para assegurar a qualidade, a eficácia

Leia mais

Balanced Scorecard (BSC)

Balanced Scorecard (BSC) O que não é medido não é gerenciado Introdução Balanced Scorecard (BSC) Chiavenato, 1999, descreve as etapas das organizações no decorrer do século XX, identificando três eras: a primeira, industrialização

Leia mais

A importância da liderança como diferencial competitivo. Leonardo Siqueira Borges 29 de Setembro de 2015

A importância da liderança como diferencial competitivo. Leonardo Siqueira Borges 29 de Setembro de 2015 A importância da liderança como diferencial competitivo Leonardo Siqueira Borges 29 de Setembro de 2015 Ellebe Treinamento em Gestão Organizacional A Ellebe atua em empresas públicas e privadas nas áreas

Leia mais

Arezzo&Co s Investor Day

Arezzo&Co s Investor Day Arezzo&Co s Investor Day Tecnologia da informação aplicada ao varejo Kurt Richter Diretor de TI 1 Plano estratégico O plano estratégico de TI está bastante alinhado com a visão de longo prazo da Companhia

Leia mais

COMO AUMENTAR A PRODUTIVIDADE DA SUA EMPRESA E A QUALIDADE DOS SEUS PRODUTOS POR MEIO DO CONTROLE DOS PROCESSOS DE NEGÓCIOS. Tadeu Cruz, Prof. M.Sc.

COMO AUMENTAR A PRODUTIVIDADE DA SUA EMPRESA E A QUALIDADE DOS SEUS PRODUTOS POR MEIO DO CONTROLE DOS PROCESSOS DE NEGÓCIOS. Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. COMO AUMENTAR A PRODUTIVIDADE DA SUA EMPRESA E A QUALIDADE DOS SEUS PRODUTOS POR MEIO DO CONTROLE DOS PROCESSOS DE NEGÓCIOS Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS É proibido a reprodução

Leia mais

DICAS DE PLANEJAMENTO

DICAS DE PLANEJAMENTO DICAS DE PLANEJAMENTO 9/9/2014 www.sescoopsp.coop.br PROGRAMAS E PROJETOS SESCOOP/SP FORMATOS DE ATENDIMENTO Ações descentralizadas São ações solicitadas pelas Cooperativas em seu Planejamento e Replanejamento

Leia mais

Fórum de Empresas Estatais Federais Plano de Cargos, Salários e Remuneração Capacitação de RH para Inovação

Fórum de Empresas Estatais Federais Plano de Cargos, Salários e Remuneração Capacitação de RH para Inovação Fórum de Empresas Estatais Federais Plano de Cargos, Salários e Remuneração Capacitação de RH para Inovação A prática de remuneração variável e gestão por competências no setor público brasileiro Agenda

Leia mais

III Fórum de Governança de TI. Governança de TI nos Correios

III Fórum de Governança de TI. Governança de TI nos Correios III Fórum de Governança de TI Governança de TI nos Correios Outubro / 2016 COBIT 5: Governança e Gestão de TI Governança Corporativa Governança de TI Gestão de TI Vice-Presidência Corporativa - Áreas Composição

Leia mais

Planejamento Estratégico Aula 1

Planejamento Estratégico Aula 1 ORGANIZAÇÃO Estratégico Aula 1 Prof. Dr. James Luiz Venturi Administração UNIFEBE 2008/II MODERNA TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES Organização éum Sistema Aberto ORGANIZAÇÃO MEIO AMBIENTE 2 ORGANIZAÇÃO Conceito

Leia mais

CELEBRE SEU SONHO. Aula baseada no Discurso de Barbara Sunden Diretora Nacional executiva Elite de Vendas independentes

CELEBRE SEU SONHO. Aula baseada no Discurso de Barbara Sunden Diretora Nacional executiva Elite de Vendas independentes CELEBRE SEU SONHO Aula baseada no Discurso de Barbara Sunden Diretora Nacional executiva Elite de Vendas independentes COMPARTILHANDO O SONHO Mary Kay disse: Se você quer apenas o que já possui, continue

Leia mais

Prof. Linduarte Vieira da Silva Filho

Prof. Linduarte Vieira da Silva Filho Unidade II SISTEMA DE QUALIDADE Prof. Linduarte Vieira da Silva Filho Sistemas e Ferramentas de Gestão da Qualidade Estudaremos neste módulo técnicas e metodologias trabalhadas na área da administração

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PROCESSOS ADMINISTRATIVOS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO O que é e para que serve? Para quem serve? Quem deve participar? Onde vem sendo utilizado? ETAPAS DO PLANEJAMENTO Avaliação da

Leia mais

Benefício do Coaching para Escritórios de Advocacia

Benefício do Coaching para Escritórios de Advocacia Benefício do Coaching para Escritórios de Advocacia Por que Coaching para Escritórios de Advocacia? Os escritórios são, nos dias de hoje, uma empresa e isso não tem mais volta. Assim, não dá para o advogado

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. OBJETO DE CONTRATAÇÃO A presente especificação tem por objeto a contratação de empresa Especializada de Consultoria para Planejamento da Estrutura Funcional e Organizacional

Leia mais