PRODUÇÃO E CONSUMO DE PESCADO NO BRASIL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRODUÇÃO E CONSUMO DE PESCADO NO BRASIL"

Transcrição

1 PRODUÇÃO E CONSUMO DE PESCADO NO BRASIL Bianca Schmid SEPAGRO-SP Data 24/01/2014

2 ABORDAGEM DO PESCADO PELO IBGE PESQUISA INDUSTRIAL ANUAL PRODUTO (PIA- PRODUTO) Unidade de investigação: estabelecimento da indústria de transformação Metodologia: Pesquisa amostral: estrato certo (no mínimo 20 empregados) + amostra de estabelecimentos com menos de 20 empregados, coleta por questionário estruturado Pescados: Preservação e processamento de pescados Nível de desagregação: Brasil Periodicidade: anual

3 Quantidade produzida dos produtos e/ou serviços industriais, segundo as classes de atividades e os produtos. Brasil Classes de atividades industriaise produtos Ano Crustáceos congelados(toneladas) Farinhas, póse pellets de peixes, próprios para alimentação humana (Quilogramas) X X X Farinhas, póse pellets de peixes, crustáceos e moluscos, impróprios para alimentação humana (Toneladas) Filés e outras carnes de peixes frescos, refrigerados ou congelados(toneladas) Moluscos ou outros invertebrados aquáticosrefrigerados, congelados, secos ou salgados (Quilogramas) Peixes congelados (Toneladas) Peixes, filése outras carnes de peixes secos, salgados ou defumados(toneladas) X Preparaçõese conservasde crustáceos e moluscos, exceto pratos prontos congelados (Toneladas) Preparaçõese conservasde peixes, exceto pratos prontos congelados (Toneladas) Pratos prontosa base de peixes, crustáceos e moluscos (Quilogramas) - X As informações para os produtos no nível de detalhamento PRODLIST-Indústria com um ou dois informantes são omitidas (x) Fonte: IBGE - Pesquisa Industrial Anual - Produto

4 PESQUISA DE ORÇAMENTOS FAMILIARES (POF) Unidade de investigação: famílias Metodologia: Pesquisa amostral amostra complexa em múltiplos estágios: municípios, setores censitários, domicílios; coleta por entrevistas e acompanhamento dos hábitos familiares Pescados: aquisição de alimentos pela família. Período de referência: últimos sete dias Nível de desagregação: Unidade da Federação Periodicidade: quinquenal

5 AQUISIÇÃO FAMILIAR DE PESCADOS - POF Pescados levantados: Água Salgada: Anchova fresca Bacalhau Bagre fresco Cação fresco Camarão fresco Corvina fresca Meluza em filé congelado Merluza em filé fresco Parati fresco Pescada em filé congelado Pescada em filé fresco Pescada fresca Pescadinha fresca Sardinha em conserva Sardinha fresca Tainha fresca Outros pescados em filé congelado Outros pescados em filé fresco Outros pescados frescos Outros pescados salgados Água doce: Acará fresca Acari fresco Anujá fresco Curimatã fresco Dourada fresca Jaraqui fresco Lambari fresco Mapará fresco Piau fresco Surubim fresco Tambaqui fresco Tilápia fresca Traíra fresca Tucunaré fresco Outros pescados em filé congelado Outros pescados em filé fresco Outros pescados frescos Outros pescados salgados Outros não especificados: Peixe em filé congelado Peixe em filé fresco Peixe fresco Peixe salgado

6 AQUISIÇÃO FAMILIAR DE PESCADOS Aquisição domiciliar per capta anual de pescados (Kg per capta/ano). Brasil, 2002 Fonte: IBGE. Pesquisa de Orçamentos Familiares

7 AQUISIÇÃO FAMILIAR DE PESCADOS Aquisição domiciliar per capta anual de pescados (Kg per capta/ano). Brasil, 2008 Fonte: IBGE. Pesquisa de Orçamentos Familiares

8 AQUISIÇÃO FAMILIAR DE PESCADOS Aquisição domiciliar per capta anual de pescados (Kg per capta/ano). Brasil 2,5 2 Kg per capta/ ano 1,5 1 0,5 0 Pescados de água salgada Pescados de água doce Pescados não especificados Fonte: IBGE. Pesquisa de Orçamentos Familiares

9 AQUISIÇÃO FAMILIAR DE ALIMENTOS Aquisição alimentar domiciliar per capta anual, segundo grupos de produtos. Brasil Grupos de produtos 2002 Ano 2008 Variação % 1. Cereais e leguminosas 48,37 38,97-19,43 2. Hortaliças 29 27,08-6,64 3. Frutas 24,49 28,86 17,87 4. Cocos, castanhas e nozes 1,601 1,256-21,55 5. Farinhas, féculas e massas 22,77 18,09-20,53 6. Panificados 20,3 21,51 5,96 7. Carnes 25,24 25,42 0,72 8. Vísceras 0,869 0,722-16,92 9. Pescados 4,587 4,032-12, Aves e ovos 15,58 16,42 5, Laticínios 49,91 43,71-12, Açúcares, doces e produtos de confeitaria 23,5 20,52-12, Sais e condimentos 5,969 5,437-8, Óleos e gorduras 10,22 8,932-12, Bebidas e infusões 45,3 50,71 11, Alimentos preparados e misturas industriais 2,56 3,506 36, Outros produtos 0,006 0,04 566,67 Fonte: IBGE - Pesquisa de Orçamentos Familiares

10 PESQUISA ANUAL DE SERVIÇOS PAS Unidade de investigação: estabelecimento do setor de serviços não industriais Metodologia: Pesquisa amostral: estrato certo (no mínimo 20 empregados) + amostra de estabelecimentos com menos de 20 empregados, coleta por questionário estruturado Serviços de alimentação: receita operacional líquida Nível de desagregação: Brasil Periodicidade: anual

11 PESQUISA ANUAL DE SERVIÇOS RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO 2002* Variação % 25 *Valor corrigido de acordo com a variação do IPCA no período de 2002 a Valor nominal 2002: R$ mil Fonte: IBGE - Pesquisa Anual de Serviços

12 E A PRODUÇÃO DE PESCADO? PPM Pesquisa Pecuária Municipal Principais informações do levantamento Efetivo dos rebanhos em 31/12 galináceos, codornas, suínos, bovinos, equinos, bubalinos, caprinos e ovinos Produção de leite de vaca, ovos de galinha, ovos de codorna, casulos de bicho-da-seda, lã bruta, mel e aquicultura Preço médio pago ao produtor Fonte: IBGE. Pesquisa Pecuária Municipal

13 PPM Pesquisa Pecuária Municipal Para 2014: Convênio IBGE Ministério da Pesca para levantamento da produção aquícola brasileira Não será incluída extração pesqueira, apenas a aquicultura Variáveis investigadas: Alevinos, larvas, girinos e sementes milheiro Produção anual - Kg Preço médio pago ao produtor

14 PPM Pesquisa Pecuária Municipal ESPÉCIES INVESTIGADAS:

15 CONTATOS SEPAGRO/IBGE Supervisão Estadual das Pesquisas Agropecuárias Cláudio Oliveira Ribeiro (Supervisor) : Bianca Schmid: Nicolau Tadeu Arcaro:

ESTUDO TÉCNICO Nº 002/2015

ESTUDO TÉCNICO Nº 002/2015 ESTUDO TÉCNICO ESTUDO TÉCNICO Nº 002/2015 Brasília, 09 de junho de 2015. ÁREA: Agricultura TÍTULO: Analise dos dados da produção da aquicultura municipal REFERÊNCIA: Pesquisa Pecuária Municipal 2013 PALAVRAS-CHAVE:

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS DO ESTADO DE MINAS GERAIS

CARACTERÍSTICAS GERAIS DO ESTADO DE MINAS GERAIS SEMINÁRIO ESTRUTURA E PROCESSO DA NEGOCIAÇÃO COLETIVA CONJUNTURA DO SETOR RURAL E MERCADODETRABALHONOESTADO DE ESTADO CONTAG CARACTERÍSTICAS C C S GERAIS TABELA 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS DO ESTADO DE MINAS

Leia mais

Tabela de produtos esquema de rebate 7 (Janeiro 2013) COD PRODUTO CONSIDERAR RELATORIO

Tabela de produtos esquema de rebate 7 (Janeiro 2013) COD PRODUTO CONSIDERAR RELATORIO Tabela de produtos esquema de rebate 7 (Janeiro 2013) COD PRODUTO CONSIDERAR RELATORIO 90001 AVICULTURA INTEGRADA 0.10 1 90002 SUINOCULTURA INTEGRADA 0.10 1 3500 ALHO 0.30 2 11500 CEBOLA 0.30 2 21219 QUEIJOS

Leia mais

NÚMEROS DA PECUÁRIA PARANAENSE Ano 2017

NÚMEROS DA PECUÁRIA PARANAENSE Ano 2017 GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL Elaboração: SEAB/DERAL/DCA/PECUÁRIA Data: 04/01/2017 NÚMEROS DA PECUÁRIA PARANAENSE Ano

Leia mais

Boletim de preços de produtos agropecuários e florestais do Estado do Acre

Boletim de preços de produtos agropecuários e florestais do Estado do Acre Acre: produção de milho aumenta 11% em relação à safra anterior A safra 2013 de milho no Acre registrou crescimento na quantidade produzida, 11%, e na área plantada, 5% em relação a 2012. No total, foram

Leia mais

Tabela de formulários, taxas, croquis e análises para registro de rótulo/produto de origem animal IS 003/06

Tabela de formulários, taxas, croquis e análises para registro de rótulo/produto de origem animal IS 003/06 Iogurte Iogurte Natural Iogurte com Polpa de Iogurte com Pedaços de Iogurte com Suco de Iogurte com Polpa e Suco de Iogurte... Iogurte Natural Parcialmente Iogurte com Polpa de Parcialmente Iogurte com

Leia mais

PESQUISA DE PREÇOS SEMANA SANTA MARÇO 2013

PESQUISA DE PREÇOS SEMANA SANTA MARÇO 2013 PESQUISA DE S SEMANA SANTA MARÇO 2013 MARCA APRESENTAÇÃO PESO AMERICANAS (1) SÃO LUIZ (2) UNICOMPRA (3) 15 DE (4) (5) ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- DIF. (R$) DIF. (%) Garoto Serenata

Leia mais

Panorama da Aqüicultura Nacional Pesquisador João Donato Scorvo Filho

Panorama da Aqüicultura Nacional Pesquisador João Donato Scorvo Filho Panorama da Aqüicultura Nacional Pesquisador João Donato Scorvo Filho jdscorvo@sp.gov.br A aqüicultura, em franco desenvolvimento, vem se impondo como atividade pecuária, embora ainda seja considerada

Leia mais

% MVA - INTERNA ALIQ. INTERNA

% MVA - INTERNA ALIQ. INTERNA ANEXO AO COMUNICADO: ACORDOS DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA SÃO PAULO E AMAPÁ. Abrangência: operações interestaduais originadas do estado de São Paulo e destinadas ao estado do Amapá. Produto: alimentícios.

Leia mais

ITEM DESCRIÇÃO NCM IVA-ST SP PRESENTE NOS ACORDOS

ITEM DESCRIÇÃO NCM IVA-ST SP PRESENTE NOS ACORDOS ITEM DESCRIÇÃO NCM IVA-ST SP PRESENTE NOS ACORDOS 1.1 Chocolate branco, em embalagens de conteúdo inferior ou igual a 1kg 1704.90.10 40,88% NÃO 1.2 Chocolates contendo cacau, em embalagens de conteúdo

Leia mais

I - CHOCOLATES MVA AJUSTADO % - 12% MVA Original % ITEM DESCRIÇÃO ,29 50,56 52,41 64,24 66,27 1.2

I - CHOCOLATES MVA AJUSTADO % - 12% MVA Original % ITEM DESCRIÇÃO ,29 50,56 52,41 64,24 66,27 1.2 ANEXO AO COMUNICADO: ACORDOS DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA SÃO PAULO E RIO DE JANEIRO - ALTERAÇÃO Abrangência: operações interestaduais realizadas entre os estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Produto:

Leia mais

A QUALIDADE Uma aposta permanente na melhoria contínua do seu serviço, organização e controlo de toda a sua cadeia de atividades, no sentido de preser

A QUALIDADE Uma aposta permanente na melhoria contínua do seu serviço, organização e controlo de toda a sua cadeia de atividades, no sentido de preser SOBRE NÓS A Macro-Frio S.A. fundada em 1992, com sede em Tarouca - Portugal, dedica-se à importação, produção, exportação e distribuição de Produtos Alimentares. É uma empresa dotada das mais modernas

Leia mais

dá por meio de sete itens, conforme a estrutura de pesos apresentada na Tabela 1.

dá por meio de sete itens, conforme a estrutura de pesos apresentada na Tabela 1. z 16 1 Maio 2016 INTRODUÇÃO Os indicadores de inflação a nível nacional se tornaram uma ferramenta crucial para avaliar a estabilidade econômica do país, sobretudo após o lançamento do plano Real, em 1994.

Leia mais

CONCORRÊNCIA SRP Nº 21/2016 ATA DA REUNIÃO PARA DIVULGAÇÃO DA ANALISE DAS AMOSTRAS

CONCORRÊNCIA SRP Nº 21/2016 ATA DA REUNIÃO PARA DIVULGAÇÃO DA ANALISE DAS AMOSTRAS CONCORRÊNCIA SRP Nº 21/2016 ATA DA REUNIÃO PARA DIVULGAÇÃO DA ANALISE DAS AMOSTRAS Às dez horas e vinte minutos do dia vinte e sete do mês de setembro de dois mil e dezesseis, foi aberta no SENAC-DF, Administração

Leia mais

Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar

Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar Maio de 2014 AGRICULTURA FAMILIAR LEI Nº 11.326, DE 24 DE JULHO DE 2006 Art. 3º considera-se agricultor familiar e empreendedor familiar rural

Leia mais

Composição de alimentos por 100 gramas Fonte: Tabela nutricional da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas)

Composição de alimentos por 100 gramas Fonte: Tabela nutricional da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) Composição de alimentos por 100 gramas Fonte: Tabela nutricional da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) Cereais e derivados Arroz, integral, cru 12 359 1502 8 2 0 78 5,0 Arroz, tipo 1, cru 13 359

Leia mais

Santa Maria - RS

Santa Maria - RS MERCADO INTERNO E DE EXPORTAÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL XXVI CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOTECNIA ZOOTEC 2016 SIMPÓSIO III: MARKETING E EMPREENDEDORISMO Santa Maria - RS 13-05-2016 POSIÇÃO DO BRASIL

Leia mais

ANEXO 1 AO COMUNICADO: SÃO PAULO E SANTA CATARINA ALTERAÇÃO DE ACORDO DE ST.

ANEXO 1 AO COMUNICADO: SÃO PAULO E SANTA CATARINA ALTERAÇÃO DE ACORDO DE ST. ANEXO 1 AO COMUNICADO: SÃO PAULO E SANTA CATARINA ALTERAÇÃO DE ACORDO DE ST. Abrangência: operações interestaduais originadas do Estado de São Paulo e destinadas ao Estado de Santa Catarina. Produto: alimentícios.

Leia mais

Total de produtos comercializados pelo PAA, nas modalidades CPR-Doação, CPR-Estoque e CDAF, no ano de 2009

Total de produtos comercializados pelo PAA, nas modalidades CPR-Doação, CPR-Estoque e CDAF, no ano de 2009 CONAB - COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO DIPAI DIRETORIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA E INFORMAÇÕES SUPAF SUPERINTENDÊNCIA DE SUPORTE A AGRICULTURA FAMILIAR GECAF - GERENCIA DE ACOMPANHAMENTO E CONTROLE DAS

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI Nº , DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015.

RIO GRANDE DO NORTE LEI Nº , DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015. RIO GRANDE DO NORTE LEI Nº 10.031, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015. Institui Taxa de Defesa e Inspeção Animal e Vegetal (TDIAV), decorrentes da atuação do Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do Estado

Leia mais

Políticas brasileiras de segurança alimentar e nutricional: compras públicas da agricultura familiar

Políticas brasileiras de segurança alimentar e nutricional: compras públicas da agricultura familiar Políticas brasileiras de segurança alimentar e nutricional: compras públicas da agricultura familiar Tópicos de abordagem Políticas públicas para a agricultura familiar Contexto e criação dos instrumentos

Leia mais

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 24 de Junho de 2008 (OR. en) 10556/08 FEROE 8 PECHE 143 UD 95

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 24 de Junho de 2008 (OR. en) 10556/08 FEROE 8 PECHE 143 UD 95 CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 24 de Junho de 2008 (OR. en) 10556/08 FEROE 8 PECHE 143 UD 95 ACTOS LEGISLATIVOS E OUTROS INSTRUMENTOS Assunto: Projecto de Decisão do Comité Misto CE/Dinamarca-Ilhas

Leia mais

Sa- Mono- Poli- Número do Descrição do Alimento Lipídeos turados insaturados insaturados 12:0 14:0 16:0 18:0 20:0 22:0 24:0 Alimento (g) (g) (g) (g)

Sa- Mono- Poli- Número do Descrição do Alimento Lipídeos turados insaturados insaturados 12:0 14:0 16:0 18:0 20:0 22:0 24:0 Alimento (g) (g) (g) (g) Sa- Mono- Poli- Número do Descrição do Alimento Lipídeos turados insaturados insaturados 12:0 14:0 16:0 18:0 20:0 22:0 24:0 Alimento (g) (g) (g) (g) (g) (g) (g) (g) (g) (g) (g) &HUHDLVÃHÃGHULYDGRVÃ 1 Arroz,

Leia mais

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não especificados anteriormente 0116-4/99 Cultivo de outras

Leia mais

Tabela 1. Grupos Peso (%) TOTAL 100,00

Tabela 1. Grupos Peso (%) TOTAL 100,00 15 Abril 2016 1 INTRODUÇÃO Os indicadores de inflação a nível nacional se tornaram uma ferramenta crucial para avaliar a estabilidade econômica do país, sobretudo após o lançamento do plano Real, em 1994.

Leia mais

MVA-ST COM DESTINO A SP E RJ (%)

MVA-ST COM DESTINO A SP E RJ (%) Abrangência: operações interestaduais, entre contribuintes dos estados de S.Paulo e Rio de Janeiro. Produto: alimentícios. Conteúdo: exclusão de itens do campo de incidência de ST. Vigência: 30-07-2013.

Leia mais

Boletim de preços de produtos agropecuários e florestais do Estado do Acre

Boletim de preços de produtos agropecuários e florestais do Estado do Acre Laranja: Acre importa cerca de 400 toneladas por ano. Mercado local consome mais laranja do que o Estado produz. Esta edição do boletim de preços traz uma análise sobre a produção de laranja no Acre. Os

Leia mais

Situação da Piscicultura no Brasil

Situação da Piscicultura no Brasil PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA/PR SECRETARIA ESPECIAL DE AQÜICULTURA E PESCA/SEAP Situação da Piscicultura no Brasil Carlos Eduardo Proença Assessor Técnico DIDAQ/SEAP-PR Tópicos da apresentação 1. Panorama

Leia mais

DESPESAS DIÁRIAS DO AGREGADO

DESPESAS DIÁRIAS DO AGREGADO REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTERIO DO PLANEAMENTO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA GABINETE DE MONITORIZAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE VIDA DA POPULAÇÃO INQUÉRITO AOS AGREGADO FAMILIARES SOBRE DESPESAS E RECEITAS

Leia mais

VII ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS DO CONSUMO

VII ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS DO CONSUMO VII ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS DO CONSUMO Mercados Contestados As novas fronteiras da moral, da ética, da religião e da lei 24, 25 e 26 de setembro de 2014 Pontifícia Universidade Católica do Rio de

Leia mais

PROTOCOLO ICMS 216, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009

PROTOCOLO ICMS 216, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009 PROTOCOLO ICMS 216, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009 Altera o Protocolo ICMS 28/09, que dispõe sobre a substituição tributária nas operações com produtos alimentícios Os Estados de Minas Gerais e de São Paulo,

Leia mais

0,02 Mistura para o preparo de bolos, tortas, doces e massas de confeitaria com fermento químico, com ou sem recheio, com ou sem cobertura

0,02 Mistura para o preparo de bolos, tortas, doces e massas de confeitaria com fermento químico, com ou sem recheio, com ou sem cobertura INS 100i CÚRCUMA, CURCUMINA Função: Corante (g/100g IDA: 0-3 mg/ kg peso corpóreo (JECFA, 2006) ou g/100ml) Amargos e aperitivos Queijos (exclusivamente na crosta) Iogurtes aromatizados Leites aromatizados

Leia mais

Boletim de preços de produtos agropecuários e florestais do Estado do Acre

Boletim de preços de produtos agropecuários e florestais do Estado do Acre Preço de farinha de mandioca aumenta 240% Nesta edição, o Boletim de Preços destaca o aumento do preço médio pago pela saca de farinha de mandioca no Vale do Juruá, AC, que variou 240% entre junho/2012

Leia mais

3.1. Preparação e execução do serviço de mesa em cozinha de sala

3.1. Preparação e execução do serviço de mesa em cozinha de sala Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Serviço Especiais de Mesa / CEF Empregado de Mesa Planificação a Longo Prazo

Leia mais

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Julho 2016

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Julho 2016 >> Exportações de produtos industriais Mato Grosso do Sul - Exportação de Produtos Industriais (Receita - US$) Grupos de Produtos Industriais Julho Janeiro a Julho 2015 2016 Var. % 2015 2016 Var. % Celulose

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 31, DE 20 DE AGOSTO DE 2009

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 31, DE 20 DE AGOSTO DE 2009 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 31, DE 20 DE AGOSTO DE 2009 * Publicada no DOE em 01/09/2009. Determina os valores de referência de base de cálculo dos produtos constantes do Anexo Único desta Instrução Normativa,

Leia mais

% MVA - ALIQ. INTERNA INTERNA 40 17% 37 17% 39 17% 44 17% 25 17% 24 17% 54 17% 63 17% 47 17% 60 17%

% MVA - ALIQ. INTERNA INTERNA 40 17% 37 17% 39 17% 44 17% 25 17% 24 17% 54 17% 63 17% 47 17% 60 17% Abrangência: operações interestaduais entre contribuintes situados em São Paulo e contribuintes situados no Amapá. Produto: alimentícios. Conteúdo: relação de Margem de Valor Agregado. Base Legal: Protocolo

Leia mais

O maior Agronegócio do Mundo

O maior Agronegócio do Mundo O maior Agronegócio do Mundo US$ 600 bilhões Responde por 16% da oferta mundial de proteína animal; Soma US$ 55 bilhões em Exportações Anuais; Mercado duas vezes maior do que o complexo soja; Sete vezes

Leia mais

Capítulo 3. Peixes e crustáceos, moluscos e os outros invertebrados aquáticos

Capítulo 3. Peixes e crustáceos, moluscos e os outros invertebrados aquáticos Capítulo 3 Peixes e crustáceos, moluscos e os outros invertebrados aquáticos Notas. 1. O presente Capítulo não compreende: a) os mamíferos marinhos (posição 01.06) e suas carnes (posições 02.08 ou 02.10);

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Nelson Barbosa INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidenta Wasmália Bivar Diretor-Executivo Fernando

Leia mais

Sumário Executivo de Medida Provisória

Sumário Executivo de Medida Provisória Sumário Executivo de Medida Provisória Medida Provisória nº 609/2013. Publicação: DOU de 8 de março de 2013 Edição Extra. Ementa: Reduz a zero as alíquotas da Contribuição para o PIS/PASEP, da COFINS,

Leia mais

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul Comportamento do emprego formal na Indústria em Mato Grosso do Sul Julho registrou o quinto mês consecutivo com redução de postos de trabalho na Indústria sul-matogrossense. No mês, o saldo negativo para

Leia mais

Profa. Angélica Pinho Zootecnista. Fones: Profa. Gladis Ferreira Corrêa

Profa. Angélica Pinho Zootecnista. Fones: Profa. Gladis Ferreira Corrêa Profa. Angélica Pinho Zootecnista Fones: 3243-7300 Email: angelicapinho@unipampa.edu.br Profa. Gladis Ferreira Corrêa Unidade 1. Introdução à tecnologia de alimentos: conceitos fundamentais, definições

Leia mais

Programa BB Aqüicultura e Pesca

Programa BB Aqüicultura e Pesca Programa BB Aqüicultura e Pesca O Banco do Brasil é o maior parceiro dos empreendedores brasileiros, sejam grandes ou pequenos produtores. Isso vale, também, para a aqüicultura e pesca. Assim, com o objetivo

Leia mais

FACULDADE HORIZONTINA - FAHOR CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS BOLETIM ECONÔMICO FAHOR N. 2

FACULDADE HORIZONTINA - FAHOR CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS BOLETIM ECONÔMICO FAHOR N. 2 FACULDADE HORIZONTINA - FAHOR CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS BOLETIM ECONÔMICO FAHOR N. 2 COORDENAÇÃO: Cintia Maísa Bender, Cátia Felden, Rodrigo D. Feix PESQUISADORES: Adelise A. Robe Budke, Cândida Bavaresco,

Leia mais

Profa. Angélica Pinho Zootecnista. Fones: Wats: (53)

Profa. Angélica Pinho Zootecnista. Fones: Wats: (53) Profa. Angélica Pinho Zootecnista Fones: 3243-7300 Wats: (53) 999913331 Email: angelicapinho@unipampa.edu.br Profa. Luciane Segabinazzi Prof. Paulo Lopes Unidade 1. Introdução à tecnologia de alimentos:

Leia mais

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul Comportamento do emprego formal na Indústria em Mato Grosso do Sul A indústria voltou a registrar saldo positivo na geração de empregos. Até o momento, em 2016, o saldo das contratações nas atividades

Leia mais

Daniel Yokoyama Sonoda 1 Luciane Conte 2 João Donato Scorvo Filho 3 Ricardo Shirota 4 José Eurico Possebon Cyrino 5

Daniel Yokoyama Sonoda 1 Luciane Conte 2 João Donato Scorvo Filho 3 Ricardo Shirota 4 José Eurico Possebon Cyrino 5 )+*-,+./#132547698;:)@?A/CBD) EF6G1HEI)+ED691HEJ2K4>698;2A=F4L/%)+./'M-)ONQP@6 EJ2R:D2S1T4 ) UWVGXHUIY[ZW\]Y_^+\`X3a;b-Y@XHUJcSZ

Leia mais

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Dezembro 2016

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Dezembro 2016 >> Exportações de produtos industriais Mato Grosso do Sul - Exportação de Produtos Industriais (Receita - US$) Grupos de Produtos Industriais Dezembro Janeiro a Dezembro 2015 2016 Var. % 2015 2016 Var.

Leia mais

Aprimoramentos na captação do Trabalho para o Próprio Consumo, Trabalho Voluntário e Afazeres Domésticos. PNAD Contínua

Aprimoramentos na captação do Trabalho para o Próprio Consumo, Trabalho Voluntário e Afazeres Domésticos. PNAD Contínua Aprimoramentos na captação do Trabalho para o Próprio Consumo, Trabalho Voluntário e Afazeres Domésticos PNAD Contínua 13º Fórum do Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares Rio de Janeiro 07/06/2013

Leia mais

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul Comportamento do emprego formal na Indústria em Mato Grosso do Sul Dezembro 2016 A indústria estadual regularmente apresenta saldos negativos de contratação no último mês do ano. E esse comportamento se

Leia mais

JANEIRO Em janeiro de 2015 IPC de Salvador registra elevação de 1,65%

JANEIRO Em janeiro de 2015 IPC de Salvador registra elevação de 1,65% JANEIRO 2015 Em janeiro de 2015 IPC de Salvador registra elevação de 1,65% O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de Salvador apresentou, em janeiro, incremento de 1,65%, variação superior à apurada no

Leia mais

Tabela de Nutrientes do Centro Vegetariano

Tabela de Nutrientes do Centro Vegetariano Tabela de Nutrientes do Centro Vegetariano Composição média dos alimentos por 100 g de parte edível PRINCÍPIOS ENERGÉTICOS VITAMINAS MINERAIS Nutrientes Parte edível Calorias Proteínas Lípidos Glícidos

Leia mais

Critério Consulta: Proficiência

Critério Consulta: Proficiência Critério Consulta: Proficiência quinta-feira, 15 de outubro de 2009 15:23:24 NCM Nome Descrição CAS Analito IN 40/2008 0409.00.00 Mel Ensaio de Proficiência N/A Pesticidas 0401 LEITE E CREME DE LEITE,

Leia mais

GUINÉ-BISSAU Comércio Exterior

GUINÉ-BISSAU Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC GUINÉ-BISSAU Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

HÁBITOS ALIMENTARES DOS PORTUGUESES ALTERARAM-SE

HÁBITOS ALIMENTARES DOS PORTUGUESES ALTERARAM-SE As expressões sublinhadas encontram-se explicadas no final do texto HÁBITOS ALIMENTARES DOS PORTUGUESES ALTERARAM-SE Os hábitos alimentares da população portuguesa alteraram-se, tendo o consumo alimentar

Leia mais

PROTOCOLO ICMS 02, DE 20 DE JANEIRO DE 2010

PROTOCOLO ICMS 02, DE 20 DE JANEIRO DE 2010 PROTOCOLO ICMS 02, DE 20 DE JANEIRO DE 2010 Altera o Protocolo ICMS 188/09, que dispõe sobre a substituição tributária nas operações com produtos alimentícios. Os Estados de Minas Gerais e de Santa Catarina,

Leia mais

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul Comportamento do emprego formal na Indústria em Mato Grosso do Sul A indústria registrou mais um mês com saldo positivo na geração de empregos. Até o momento, em 2016, o saldo das contratações nas atividades

Leia mais

Boletim de preços de produtos agropecuários e florestais do Estado do Acre

Boletim de preços de produtos agropecuários e florestais do Estado do Acre Madeira beneficiada movimentou 46 milhões de reais no Acre em 2011 Esta edição do Boletim de Preços traz uma análise da produção de madeira beneficiada e da oferta de lenha no Acre. Em 2011, a cadeia produtiva

Leia mais

Inflação em perspec va - IPCA

Inflação em perspec va - IPCA Inflação em perspec va - IPCA BRASIL E CAMPO GRANDE - MS OUTUBRO/6 RESUMO No úl mo mês de Outubro o índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para o Brasil como um todo registrou,6%, variando em -,56

Leia mais

Setembro O IPC no mês de setembro registrou variação positiva de 0,36%.

Setembro O IPC no mês de setembro registrou variação positiva de 0,36%. Setembro 2015 O IPC no mês de setembro registrou variação positiva de 0,36%. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de Salvador apresentou, em agosto, variação positiva de 0,36%, superior à apurada em

Leia mais

QUANTO CUSTA PARA AS FAMÍLIAS DE BAIXA RENDA OBTEREM UMA DIETA SAUDÁVEL NO BRASIL?

QUANTO CUSTA PARA AS FAMÍLIAS DE BAIXA RENDA OBTEREM UMA DIETA SAUDÁVEL NO BRASIL? XIV Encontro Nacional da Rede de Alimentação e Nutrição do SUS Reunião do Programa Bolsa Família na Saúde QUANTO CUSTA PARA AS FAMÍLIAS DE BAIXA RENDA OBTEREM UMA DIETA SAUDÁVEL NO BRASIL? Camila Borges

Leia mais

DIAGNÓSTICO DAS PISCICULTURAS EM MATO GROSSO DO SUL. Resumo. Introdução

DIAGNÓSTICO DAS PISCICULTURAS EM MATO GROSSO DO SUL. Resumo. Introdução DIAGNÓSTICO DAS PISCICULTURAS EM MATO GROSSO DO SUL Emiko Kawakami de Resende*; João Sotoya Takagi 1 e Walter Loeschner 2 *Embrapa Pantanal, Rua 21 de Setembro, 1880, 79320-900 Corumbá, MS. E-mail: emiko@cpap.embrapa.br

Leia mais

LANÇAMENTOS RECEITUÁRIO CULINÁRIOS BASES PARA MOLHOS MAGGI

LANÇAMENTOS RECEITUÁRIO CULINÁRIOS BASES PARA MOLHOS MAGGI LANÇAMENTOS RECEITUÁRIO CULINÁRIOS BASES PARA MOLHOS MAGGI Base Para Molho Branco Base Para Molho Branco ARGUMENTOS DE VENDAS: Base para diversas receitas; Permite o toque do chef; Garante a mesma qualidade

Leia mais

Comum do Mercosul (NCM), que classifica os produtos somente a oito dígitos.

Comum do Mercosul (NCM), que classifica os produtos somente a oito dígitos. n. 3 - Nov/2014 Picos tarifários na União Europeia são entraves às exportações agrícolas brasileiras As tarifas de importação são a forma mais direta de proteção dos mercados internos em relação à entrada

Leia mais

AGRONEGÓCIO RIO DE JANEIRO. Coordenação Cepea: Ph.D Geraldo Barros Dr. Arlei Luiz Fachinello Dra. Adriana Ferreira Silva

AGRONEGÓCIO RIO DE JANEIRO. Coordenação Cepea: Ph.D Geraldo Barros Dr. Arlei Luiz Fachinello Dra. Adriana Ferreira Silva AGRONEGÓCIO RIO DE JANEIRO Coordenação Cepea: Ph.D Geraldo Barros Dr. Arlei Luiz Fachinello Dra. Adriana Ferreira Silva PIB AGRONEGÓCIO RJ em 28 R$ 12,2 BILHÕES 6. 4.5 5.616 4.589 3. 1.5 1.688-261 Insumos

Leia mais

NOTA TÉCNICA: REGIME DE ESTIMATIVA TRIBUTÁRIO DE FORNECIMENTO DE ALIMENTAÇÃO

NOTA TÉCNICA: REGIME DE ESTIMATIVA TRIBUTÁRIO DE FORNECIMENTO DE ALIMENTAÇÃO CHOCOLATES, BALAS E GULOSEIMAS SEMELHANTES 1704.90.10 Chocolate branco, em embalagens de conteúdo inferior ou igual a 1 kg 1806.31.10 1806.31.20 Chocolates contendo cacau, em embalagens de conteúdo inferior

Leia mais

Agricultura: Convencional. Produto Min. Max Mais Freq. Max Freq. Freq. Freq. Freq. Freq. Pag.: 1 / 6. UNI= /kg

Agricultura: Convencional. Produto Min. Max Mais Freq. Max Freq. Freq. Freq. Freq. Freq. Pag.: 1 / 6. UNI= /kg Produto Min. Mais AVES FRANGO (+ 1.300 Kg.) AVES FRANGO (1.100-1.300 Kg.) AVES FRANGO (600-700 g.) AVES FRANGO (700-900 g.) AVES FRANGO (900 g. - 1.100 Kg.) BOVINO BOVINO BOVINO PESO BOVINO BOVINO BOVINO

Leia mais

Introdução. Neste livro o tema abordado será a economia de Mato Grosso do Sul, o qual, com dedicação dos autores, será explicado.

Introdução. Neste livro o tema abordado será a economia de Mato Grosso do Sul, o qual, com dedicação dos autores, será explicado. Economia- MS Introdução Neste livro o tema abordado será a economia de Mato Grosso do Sul, o qual, com dedicação dos autores, será explicado. Sumário Introdução...01 Quais são as elas?...03 Quais são elas?

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAMPUS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAMPUS 20 Outubro 1 2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAMPUS DE GOVERNADOR VALADARES DEPARTAMENTO DE ECONOMIA Equipe: Prof. Dr. Thiago Costa Soares Coordenador geral Prof. Dr. Luckas

Leia mais

ISENÇÃO E DIFERIMENTO

ISENÇÃO E DIFERIMENTO ISENÇÃO E DIFERIMENTO No Estado do Paraná a um incentivo fiscal para as empresas onde, toda venda efetuada para uma outra empresa revendedora, a o diferimento na alíquota do ICMS conforme os Art. Nº96

Leia mais

Questionário. A prevalência da obesidade nos alunos do 3.º e 4.º ano do 1.º ciclo das escolas do agrupamento D. Carlos I em Sintra

Questionário. A prevalência da obesidade nos alunos do 3.º e 4.º ano do 1.º ciclo das escolas do agrupamento D. Carlos I em Sintra 1 Questionário A prevalência da obesidade nos alunos do.º e 4.º ano do 1.º ciclo das escolas do agrupamento D. Carlos I em Sintra Código escola Código turma Código aluno(a) A1 Sexo Feminino Masculino A

Leia mais

Alimentos Artesanais de Origem Vegetal e seus Estabelecimentos Fabricantes

Alimentos Artesanais de Origem Vegetal e seus Estabelecimentos Fabricantes Alimentos Artesanais de Origem Vegetal e seus Estabelecimentos Fabricantes Regulamentação Sanitária da Saúde para alimentos artesanais de origem rural ou urbana William Cesar Latorre Centro de Vigilância

Leia mais

Aspectos metodológicos de pesquisas domiciliares por amostra

Aspectos metodológicos de pesquisas domiciliares por amostra DPE DIRETORIA DE PESQUISAS COREN COORDENAÇÃO DE TRABALHO E RENDIMENTO Aspectos metodológicos de pesquisas domiciliares por amostra 06/05/11 Censo x pesquisas por amostra Censo: investiga todos os elementos

Leia mais

Comercialização e Consumo do Pescado em São Luís de Montes Belos - GO

Comercialização e Consumo do Pescado em São Luís de Montes Belos - GO Anais do VIII Seminário de Iniciação Científica e V Jornada de Pesquisa e Pós-Graduação UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS 10 a 12 de novembro de 2010 Comercialização e Consumo do Pescado em São Luís de Montes

Leia mais

O PAPEL DA ANVISA NA ALIMENTOS NO BRASIL

O PAPEL DA ANVISA NA ALIMENTOS NO BRASIL AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA O PAPEL DA ANVISA NA FISCALIZAÇÃO DA SEGURANÇA A DOS ALIMENTOS NO BRASIL III SEMINÁRIO PRO TESTE DE DEFESA DO CONSUMIDOR Alimentos: o consumidor está seguro? Gerência

Leia mais

IPES Índice de Preços ao Consumidor

IPES Índice de Preços ao Consumidor IPES Índice de Preços ao Consumidor Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais IPC-IPES Índice de Preços ao Consumidor de Caxias do Sul Março de 2014 Março de 2014 2 UNIVERSIDADE

Leia mais

PORTARIA Nº 1, DE 21 DE FEVEREIRO DE

PORTARIA Nº 1, DE 21 DE FEVEREIRO DE PORTARIA Nº 1, DE 21 DE FEVEREIRO DE 1990 ANEXO: NORMAS GERAIS DE INSPEÇÃO DE OVOS E DERIVADOS Capítulo I Definições 1. "OVO" pela designação "ovo" entende se o ovo de galinha em casca, sendo os demais

Leia mais

A Mulher e a Participação no Mercado de Trabalho de Mato Grosso do Sul

A Mulher e a Participação no Mercado de Trabalho de Mato Grosso do Sul A Mulher e a Participação no Mercado de Trabalho de Mato Grosso do Sul O Sebrae/MS realizou um estudo sobre a Mulher e o Mercado de trabalho no MS, utilizando as seguintes fontes: Ministério do Trabalho

Leia mais

CURSO DE GASTRONOMIA Disciplina : matérias primas Conceito e Tipo de Matéria Prima

CURSO DE GASTRONOMIA Disciplina : matérias primas Conceito e Tipo de Matéria Prima CURSO DE GASTRONOMIA Disciplina : matérias primas Conceito e Tipo de Matéria Prima Profª. Nensmorena Preza ALIMENTO Toda substância ou mistura de substâncias, no estado sólido, líquido, pastoso ou qualquer

Leia mais

"AVANÇOS EM TECNOLOGIA DE PROCESSAMENTO DE PESCADO PARA PEQUENAS INDÚSTRIAS QUE DESENVOLVEM PRODUTOS DE VALOR AGREGADO"

AVANÇOS EM TECNOLOGIA DE PROCESSAMENTO DE PESCADO PARA PEQUENAS INDÚSTRIAS QUE DESENVOLVEM PRODUTOS DE VALOR AGREGADO "AVANÇOS EM TECNOLOGIA DE PROCESSAMENTO DE PESCADO PARA PEQUENAS INDÚSTRIAS QUE DESENVOLVEM PRODUTOS DE VALOR AGREGADO" ANTONIO DIOGO LUSTOSA NETO Engenheiro de Pesca CREA-CE REG. NACIONAL # 060088346-9

Leia mais

anuário 2015 PESCADOS

anuário 2015 PESCADOS O MERCADO BRASILEIRO DE É VARIADO, DECORRENTE DA DIVERSIDADE SÓCIO-CULTURAL, DA MULTIPLICIDADE ÉTNICA E DE ASPECTOS ECONÔMICOS QUE INFLUENCIAM NOS HÁBITOS ALIMENTARES E NO PADRÃO DE CONSUMO O consumo de

Leia mais

Cana-de-açúcar Cultivada desde a época da colonização inicialmente no Nordeste, aproveitava o solo de massapé, o clima tropical e a proximidade do litoral e os elevados valores no mercado europeu. Os maiores

Leia mais

Suspensão da COFINS e do PIS e crédito presumido de COFINS e PIS: Base legal: Lei / art. 54 a 57 - alterada pela Lei 12.

Suspensão da COFINS e do PIS e crédito presumido de COFINS e PIS: Base legal: Lei / art. 54 a 57 - alterada pela Lei 12. Suspensão da COFINS e do PIS e crédito presumido de COFINS e PIS: Base legal: Lei 12.350/2010 - art. 54 a 57 - alterada pela Lei 12.431/2011 Lei 12.058/2009 art. 32 -- alterada pela Lei 12.431/2011 Lista

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS UNIDADE VALENÇA 3 0 PERÍODO CARGA HORÁRIA SEMESTRAL

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS UNIDADE VALENÇA 3 0 PERÍODO CARGA HORÁRIA SEMESTRAL ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS UNIDADE VALENÇA 1 0 PERÍODO GEAL 1101 Cálculo Diferencial e Integral I - - GEAL 1102 Biologia Geral 2 0 0 2 36 - - GEAL 1103 Química Experimental

Leia mais

Tipos de dietas hospitalares

Tipos de dietas hospitalares Tipos de dietas hospitalares Dieta livre ou geral Manter o estado nutricional de pacientes com ausência de alterações metabólicas significativas ao risco nutricional. Para pacientes que não necessitam

Leia mais

BOVINO CARNES RESF TRASEIRO MARCA PESO CONTRA FILÉ COXÃO DURO FRIGOL ~=25

BOVINO CARNES RESF TRASEIRO MARCA PESO CONTRA FILÉ COXÃO DURO FRIGOL ~=25 BOVINO MÍUDOS MARCA PESO BAÇO PERDIGÃO ~=25 BOFE BOI DO CERRADO ~=20 BOFE FRIBRASIL ~= 20 BOFE FRISA ~=29 BOFE XINGUARA ~= 20 BUCHO SÃO GREGORIO ~= 15 CORAÇÃO BOI DO CERRADO ~= 23 CORAÇÃO FRISA ~= 20 FIGADO

Leia mais

Pesquisa de Orçamentos Familiar

Pesquisa de Orçamentos Familiar Pesquisa de Orçamentos Familiar IBGE Daniel Lourenço Silva Lélio Lima Prado Lívia Duarte Laboratório de economia da UFJF Introdução A pesquisa de Orçamentos Familiares é uma pesquisa domiciliar que tem

Leia mais

PROVA DE GEOGRAFIA 1 o TRIMESTRE DE 2015

PROVA DE GEOGRAFIA 1 o TRIMESTRE DE 2015 PROVA DE GEOGRAFIA 1 o TRIMESTRE DE 2015 PROF. MÁRCIO NOME Nº 7º ANO A prova deve ser feita com caneta azul ou preta. É terminantemente proibido o uso de corretor. Respostas com corretor serão anuladas.

Leia mais

Panorama da Industrialização do Pescado. Arno Soares Seerig Gerente de Produção

Panorama da Industrialização do Pescado. Arno Soares Seerig Gerente de Produção Panorama da Industrialização do Pescado Arno Soares Seerig Gerente de Produção Cuiabá, 18 de outubro de 2014 Introdução O Brasil é um país que reúne excelentes condições para o desenvolvimento da Piscicultura;

Leia mais

Gabriela Assis; Clara Cruz; Marina Martins

Gabriela Assis; Clara Cruz; Marina Martins Gabriela Assis; Clara Cruz; Marina Martins LIVRO BRANCO SOBRE A SEGURANÇA DOS ALIMENTOS Produção Animal Alimentação Animal Planos nacionais de controlo (Regulamento (CE) n.º 882/2004) Controlo Oficial

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE NUTRIÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE NUTRIÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE NUTRIÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO: Bacharelado em Nutrição DEPARTAMENTO: Tecnologia dos Alimentos

Leia mais

A introdução da alimentação infantil

A introdução da alimentação infantil A introdução da alimentação infantil Turma do Giz de Cera O leite materno deve alimentar exclusivamente a criança até o 6 mês de vida, depois disso as necessidades nutricionais são outras e devemos introduzir

Leia mais

DECRETO Nº , DE 10 DE NOVEMBRO DE 2004

DECRETO Nº , DE 10 DE NOVEMBRO DE 2004 DECRETO Nº 49.113, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2004 Introduz alterações no Regulamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestações de Serviços - RICMS GERALDO ALCKMIN, Governador do Estado de São

Leia mais

Com este documento, o Instituto de Desenvolvimento da Pesca de Pequena Escala (IDPPE) pretende divulgar aos

Com este documento, o Instituto de Desenvolvimento da Pesca de Pequena Escala (IDPPE) pretende divulgar aos Introdução Informação Referente ao Mês de ABRIL de 2013 Com este documento, o Instituto de Desenvolvimento da Pesca de Pequena Escala (IDPPE) pretende divulgar aos vários interessados, a informação mensal

Leia mais

A Energia que vem do campo Linha de Produtos

A Energia que vem do campo Linha de Produtos A Energia que vem do campo Linha de Produtos CASTELHANO Santa Cecília 10 anos Visão Estar entre os três maiores produtores de biodiesel no Brasil Missão Participar do desenvolvimento sustentável do planeta

Leia mais

Cuidados preventivos As próximas perguntas são sobre cuidados preventivos, como vacinas e testes do pezinho, orelhinha, e olhinho.

Cuidados preventivos As próximas perguntas são sobre cuidados preventivos, como vacinas e testes do pezinho, orelhinha, e olhinho. Módulo L - Crianças com Menos de 2 Anos As perguntas deste módulo são dirigidas às crianças do domicílio que ainda não completaram 2 anos de idade. No caso de mais de uma criança, escolher a mais nova.

Leia mais

MINAS GERAIS CHINA OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS

MINAS GERAIS CHINA OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS MINAS GERAIS CHINA OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS RELAÇÕES COMERCIAIS MINAS GERAIS - CHINA 15% TOTAL RELAÇÃO COMERCIAL Participação MG nas Exportações Brasileiras MINAS GERAIS - CHINA EXPORTAÇÃO (2016) US$

Leia mais

METODOLOGIA DE PESQUISA DAS CESTAS ALIMENTARES FUCAPE

METODOLOGIA DE PESQUISA DAS CESTAS ALIMENTARES FUCAPE CENTRO DE ESTUDOS E ANÁLISES ECONÔMCIAS DA FUCAPE BUSINESS SCHOOL (CEAE) METODOLOGIA DE PESQUISA DAS CESTAS ALIMENTARES FUCAPE FUCAPE BUSINESS SCHOOL - 2015 Av. Fernando Ferrari, 1358, Boa Vista, Vitória-ES,

Leia mais

5 maiores Problemas da Humanidade até 2050

5 maiores Problemas da Humanidade até 2050 5 maiores Problemas da Humanidade até 2050 Água Energia Evolução da População Mundial 1950 2011 2050 2,5 bi 7,5 bi 9,3 bi Evolução dos Famintos 1950 2011 2050 0,5 bi 0,9 bi 1,3 bi Alimentos Lixo Pobreza

Leia mais