1. RESPONSABILIDADE CIVIL AMBIENTAL. 1.1 PRESSUPOSTOS PARA A RESPONSABILIDADE CIVIL AMBIENTAL: Ação ou Omissão Nexo Causal Dano

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1. RESPONSABILIDADE CIVIL AMBIENTAL. 1.1 PRESSUPOSTOS PARA A RESPONSABILIDADE CIVIL AMBIENTAL: Ação ou Omissão Nexo Causal Dano"

Transcrição

1 1 DIREITO AMBIENTAL DIREITO AMBIENTAL PONTO 1: Responsabilidade Civil Ambiental PONTO 2: Teorias do Risco PONTO 3: Responsabilidade Civil do Estado PONTO 4: Responsabilidade Criminal PONTO 5: Responsabilidade Penal da Pessoa Jurídica 1. RESPONSABILIDADE CIVIL AMBIENTAL 1.1 PRESSUPOSTOS PARA A RESPONSABILIDADE CIVIL AMBIENTAL: Ação ou Omissão Nexo Causal Dano 1.2 DIMENSÃO MATERIAL DO DANO AMBIENTAL Perda ou diminuição da qualidade ambiental. Alteração adversa das características do meio ambiente. Lucros cessantes ambientais: não-fruição do bem de uso comum do povo pelo tempo necessário à recuperação. Violação dos padrões de emissão de poluentes. Art. 3º da Lei da Política Nacional do Meio Ambiente (Lei 6.938): Art 3º - Para os fins previstos nesta Lei, entende-se por: I - meio ambiente, o conjunto de condições, leis, influências e interações de ordem física, química e biológica, que permite, abriga e rege a vida em todas as suas formas; II - degradação da qualidade ambiental, a alteração adversa das características do meio ambiente; III - poluição, a degradação da qualidade ambiental resultante de atividades que direta ou indiretamente: a) prejudiquem a saúde, a segurança e o bem-estar da população; b) criem condições adversas às atividades sociais e econômicas; c) afetem desfavoravelmente a biota; d) afetem as condições estéticas ou sanitárias do meio ambiente; e) lancem matérias ou energia em desacordo com os padrões ambientais estabelecidos; IV - poluidor, a pessoa física ou jurídica, de direito público ou privado, responsável, direta ou indiretamente, por atividade causadora de degradação ambiental; V - recursos ambientais: a atmosfera, as águas interiores, superficiais e subterrâneas, os estuários, o mar territorial, o solo, o subsolo, os elementos da biosfera, a fauna e a flora. 1.3 COMPENSAÇÃO ECOLÓGICA Substitui a reparação in situ por uma compensação em outro local, que proporcione funções ecológicas equivalentes. Fundamento: art. 84, 1º do CDC e art. 461, 1º do CPC: obtenção do resultado prático correspondente.

2 Art. 4º, 5º da Lei 4.771/65 Flora: 5º A supressão de vegetação nativa protetora de nascentes, ou de dunas e mangues, de que tratam, respectivamente, as alíneas "c" e "f" do art. 2o deste Código, somente poderá ser autorizada em caso de utilidade pública. Art. 17 da Lei /06 Mata Atlântica: Art. 17. O corte ou a supressão de vegetação primária ou secundária nos estágios médio ou avançado de regeneração do Bioma Mata Atlântica, autorizados por esta Lei, ficam condicionados à compensação ambiental, na forma da destinação de área equivalente à extensão da área desmatada, com as mesmas características ecológicas, na mesma bacia hidrográfica, sempre que possível na mesma microbacia hidrográfica, e, nos casos previstos nos arts. 30 e 31, ambos desta Lei, em áreas localizadas no mesmo Município ou região metropolitana. 1.4 INDENIZAÇÃO DO DANO Cabível diante da impossibilidade da tutela específica ou da obtenção do resultado prático equivalente art. 84, 1º do CDC. Necessidade de arbitrar um preço aos elementos da Natureza. Dec. 4339/02, art. 2º, XIV: XIV - o valor de uso da biodiversidade é determinado pelos valores culturais e inclui valor de uso direto e indireto, de opção de uso futuro e, ainda, valor intrínseco, incluindo os valores ecológico, genético, social, econômico, científico, educacional, cultural, recreativo e estético; 1.5 DIMENSÃO EXTRAPATRIMONIAL DO DANO Lesão à qualidade de vida humana, bem-estar, sossego. Lesão a valores imateriais significativos para a comunidade. Lesão ao valor intrínseco do meio ambiente (valor de existência). Precedentes: TJRJ, Ap. Cível 14586/2001 Corte de árvores. TJRS, Ap. Cível , j. em TJRJ, , j Poluição atmosférica. 1.6 CRITÉRIOS PARA O ARBITRAMENTO DO DANO EXTRAPATRIMONIAL Gravidade do dano, tanto em termos materiais como jurídicos. Irreversibilidade dos bens ambientais e serviçoes lesados. Perda de bem-estar da comunidade. Tempo durante o qual a comunidade ficará privada do bem-estar. Intensidade do risco criado. 2. TEORIAS DO RISCO 2.1 TEORIA DO RISCO INTEGRAL Causa é toda condição sem a qual o dano não se teria produzido (conditio sine qua non). Causa = condição. 2

3 3 Não admite excludentes. DIREITO AMBIENTAL Precedentes: TJRS, AI ; TJMG AC / TEORIA DO RISCO CRIADO Teoria da causalidade adequada: uma condição deve ser considerada causa de um dano quando constituir uma conseqüência. Excludentes: a) Fato externo b) Anormal c) Irrevertível/Inevitável O ônus da prova em relação a estas excludentes é do empreendedor. AGENTES RESPONSÁVEIS a) O POLUIDOR Art. 3º, IV da Lei 6.938/81: IV - poluidor, a pessoa física ou jurídica, de direito público ou privado, responsável, direta ou indiretamente, por atividade causadora de degradação ambiental; Responsabilidade direta e indireta Pessoas físicas ou jurídicas, de direito público ou privado Solidariedade: art. 258, 259 e 942 do CC/02. A responsabilidade é solidária pois o dano ambiental é único e indivisível. Precedentes: STJ, Resp SP, 2ª Turma, Rel. Min. Eliana Calmon, j. em ). TRF 4ª Região, 3ª Turma, AC , Des. Federal Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, j. em STJ, RESP SC. Lei /05, art. 20 (Lei da Biossegurança): Art. 20. Sem prejuízo da aplicação das penas previstas nesta Lei, os responsáveis pelos danos ao meio ambiente e a terceiros responderão, solidariamente, por sua indenização ou reparação integral, independentemente da existência de culpa. b) ADQUIRENTE DE ÁREAS DEGRADADAS Obrigação propter rem decorrente da função social da propriedade. Dever de evitar o agravamento do dano ambiental. Responsabilidade pela situação do bem ambiental. Tem sido possível responsabilizar o atual proprietário pelos danos ambientais da área, pois o passivo ambiental acompanha a coisa. Ex: postos de combustíveis.

4 Precedente: TRF, 3ª Região, AC ( ), 3ª Turma, Rel. Cecília Marcones, j. em ). c) A INSTITUIÇÃO FINANCEIRA Art. 12 da Lei 6.938/81: Art 12 - As entidades e órgãos de financiamento e incentivos governamentais condicionarão a aprovação de projetos habilitados a esses benefícios ao licenciamento, na forma desta Lei, e ao cumprimento das normas, dos critérios e dos padrões expedidos pelo CONAMA. Parágrafo único - As entidades e órgãos referidos no " caput " deste artigo deverão fazer constar dos projetos a realização de obras e aquisição de equipamentos destinados ao controle de degradação ambiental e à melhoria da qualidade do meio ambiente. Obrigação de condicionar a concessão do crédito e dos incentivos ao licenciamento ambiental e à obediência dos padrões do CONAMA. Obrigação de fazer constar dos projetos a realização de obras e aquisição de equipamentos destinados ao controle ambiental. TRF 1ª Região, AI /MG: Obrigação de monitorar o emprego dos recursos alcançados para que não causem danos ambientais. O recurso financeiro é causa adequada para o dano ambiental. DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE JURÍDICA Art. 4º, Lei 9.605/98: Art. 4º Poderá ser desconsiderada a pessoa jurídica sempre que sua personalidade for obstáculo ao ressarcimento de prejuízos causados à qualidade do meio ambiente. Desnecessidade de prova de culpa ou excesso de poder dos dirigentes. Insuficiência patrimonial da pessoa jurídica para a reparação dos danos ambientais. 3. RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO 3.1 AÇÃO Responsabilidade objetiva. Art. 37, 6º da CF/88 e art. 14, 1º da Lei 6.938/81. Concessão de serviço público responsabilidade objetiva e solidária entre Concessionária e Poder Concedente (STJ) Posição do STF: não aceita o risco integral para o poder público. É necessário o risco administrativo, poder público deve ter um vínculo direto com o dano. 3.2 OMISSÃO: duas posições: A) CULPA ADMINISTRATIVA Bandeira de Mello, Jucovski, Mukai, TJRS Teoria da Falta do Serviço. 4

5 5 DIREITO AMBIENTAL Presunção de culpa. Nexo de causalidade entre omissão e resultado. Teoria da falta do serviço: * Inexistência do serviço público; * Funcionamento tardio; * Funcionamento ineficiente. B) RISCO ADMINISTRATIVO Leme Machado, Morato Leite. Responsabilidade indireta: conceito de poluidor art. 3º, IV da Lei 6.938/81. Teoria da causalidade adequada. Admite excludentes. Precedente: STJ, REsp PR, 2ª Turma, Rel. Min. Castro Meira, DJ ). Omissão nas prestações positivas: Prestação de serviço público - Tratamento do lixo - Canalização de esgotos, proteção do patrimônio histórico, etc. Responsabilidade Objetiva Problema da discricionariedade administrativa. CONTROLE JUDICIAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS Custo dos direitos não obsta a existência do direito fundamental. A indeterminação das prestações e abstenções devidas pode ser suprida pelo intérprete à luz do caso concreto. O princípio da separação dos poderes implica na distribuição de funções do Estado. Necessidade de ponderação. CRITÉRIOS DE PONDERAÇÃO Risco para a dignidade da vida humana. Extensão e irreversibilidade do dano. Necessidade de precaução. Urgência. Precedentes: STJ RESP GO STJ RESP MG TRF 5ª AI 7072( ) reconhece o cabimento de multa contra o poder público TJSP AC /0 TJPR AC TJRS AC RESPONSABILIDADE CRIMINAL Lei 9.605/98

6 4.1 SUJEITO ATIVO PESSOA FÍSICA Art. 2º Quem, de qualquer forma, concorre para a prática dos crimes previstos nesta Lei, incide nas penas a estes cominadas, na medida da sua culpabilidade, bem como o diretor, o administrador, o membro de conselho e de órgão técnico, o auditor, o gerente, o preposto ou mandatário de pessoa jurídica, que, sabendo da conduta criminosa de outrem, deixar de impedir a sua prática, quando podia agir para evitá-la. Crime Comissivo por Omissão: Posição de garante. Há outorga de responsabilidade penal a certos sujeitos que poderiam impedir o cometimento de crime por parte da empresa e que, por não agirem, permitem a agressão criminosa de outrem. Precedente: STF, HC /PR, 2ª Turma, Rel. Min. Gilmar Mendes, j. em 16/08/ Requisitos para a responsabilização do garante: Conhecimento real ou potencial sobre a situação do risco Dever jurídico de opor-se ao crime. Poder de agir. Vontade de permanecer inativo. 4.3 Penas aplicáveis às Pessoas Físicas: Multa: art. 18: Art. 18. A multa será calculada segundo os critérios do Código Penal; se revelar-se ineficaz, ainda que aplicada no valor máximo, poderá ser aumentada até três vezes, tendo em vista o valor da vantagem econômica auferida. Restritivas de Direitos: art. 8º: Art. 8º As penas restritivas de direito são: I - prestação de serviços à comunidade; II - interdição temporária de direitos; III - suspensão parcial ou total de atividades; IV - prestação pecuniária; V - recolhimento domiciliar. Pena base: art. 6º, Lei e art. 59 do CP. Art. 6º Para imposição e gradação da penalidade, a autoridade competente observará: I - a gravidade do fato, tendo em vista os motivos da infração e suas conseqüências para a saúde pública e para o meio ambiente; II - os antecedentes do infrator quanto ao cumprimento da legislação de interesse ambiental; III - a situação econômica do infrator, no caso de multa. Atenuantes e agravantes. Arts. 14 e 15. Aplicação subsidiária das atenuantes do Código Penal. Já as agravantes são apenas as elencadas no art. 15. Art. 14. São circunstâncias que atenuam a pena: I - baixo grau de instrução ou escolaridade do agente; 6

7 II - arrependimento do infrator, manifestado pela espontânea reparação do dano, ou limitação significativa da degradação ambiental causada; III - comunicação prévia pelo agente do perigo iminente de degradação ambiental; IV - colaboração com os agentes encarregados da vigilância e do controle ambiental. Art. 15. São circunstâncias que agravam a pena, quando não constituem ou qualificam o crime: I - reincidência nos crimes de natureza ambiental; II - ter o agente cometido a infração: a) para obter vantagem pecuniária; b) coagindo outrem para a execução material da infração; c) afetando ou expondo a perigo, de maneira grave, a saúde pública ou o meio ambiente; d) concorrendo para danos à propriedade alheia; e) atingindo áreas de unidades de conservação ou áreas sujeitas, por ato do Poder Público, a regime especial de uso; f) atingindo áreas urbanas ou quaisquer assentamentos humanos; g) em período de defeso à fauna; h) em domingos ou feriados; i) à noite; j) em épocas de seca ou inundações; l) no interior do espaço territorial especialmente protegido; m) com o emprego de métodos cruéis para abate ou captura de animais; n) mediante fraude ou abuso de confiança; o) mediante abuso do direito de licença, permissão ou autorização ambiental; p) no interesse de pessoa jurídica mantida, total ou parcialmente, por verbas públicas ou beneficiada por incentivos fiscais; q) atingindo espécies ameaçadas, listadas em relatórios oficiais das autoridades competentes; r) facilitada por funcionário público no exercício de suas funções. Majorantes e minorantes, ex: art. 58. Art. 58. Nos crimes dolosos previstos nesta Seção, as penas serão aumentadas: I - de um sexto a um terço, se resulta dano irreversível à flora ou ao meio ambiente em geral; II - de um terço até a metade, se resulta lesão corporal de natureza grave em outrem; III - até o dobro, se resultar a morte de outrem. Parágrafo único. As penalidades previstas neste artigo somente serão aplicadas se do fato não resultar crime mais grave. Art. 7º. Substituição: pena privativa inferior a 4 anos. Art. 7º As penas restritivas de direitos são autônomas e substituem as privativas de liberdade quando: I - tratar-se de crime culposo ou for aplicada a pena privativa de liberdade inferior a quatro anos; 7

8 II - a culpabilidade, os antecedentes, a conduta social e a personalidade do condenado, bem como os motivos e as circunstâncias do crime indicarem que a substituição seja suficiente para efeitos de reprovação e prevenção do crime. Parágrafo único. As penas restritivas de direitos a que se refere este artigo terão a mesma duração da pena privativa de liberdade substituída. 5. RESPONSABILIDADE PENAL DA PESSOA JURÍDICA Corrente tradicional era contrária à responsabilização, pois a pessoa jurídica é uma ficção jurídica e, conseqüentemente, não é autônoma, não possui potencial consciência de ilicitude, não pratica uma conduta. Só a pessoa humana poderia ser responsabilizada nessa idéia. Precedente: STJ, REsp /SC, 5ª Turma, Rel. Min. Félix Fischer, j. em ). Corrente atual: a pessoa jurídica pode ser responsabilizada. A pessoa jurídica seria uma realidade jurídica (para o direito). Art. 3º As pessoas jurídicas serão responsabilizadas administrativa, civil e penalmente conforme o disposto nesta Lei, nos casos em que a infração seja cometida por decisão de seu representante legal ou contratual, ou de seu órgão colegiado, no interesse ou benefício da sua entidade. Parágrafo único. A responsabilidade das pessoas jurídicas não exclui a das pessoas físicas, autoras, co-autoras ou partícipes do mesmo fato. Em 2005, o STJ proferiu a primeira decisão acerca da possibilidade de responsabilização da pessoa jurídica (REsp , 5ª Turma, Min. Gilson Dipp, j. em ). Não vingou no STJ o posicionamento de que a pessoa jurídica seria autora de crime, mas sim que ela é responsável pelo crime praticado pela pessoa física (autora do crime). Quando é denunciada apenas a pessoa jurídica, a denúncia não tem sido aceita. Precedentes: STJ, RMS PR, Rel. Hamilton Carvalhido, ). STJ, HC 83554/PR, Rel. Min. Gilmar Mendes, j. em Imputação Penal: O objeto da regulação deve ser tanto o ato individual como aquele derivado da Pessoa Jurídica. A decisão do administrador é considerada para imputação de responsabilidade à empresa. Requisitos para responsabilização da Pessoa Jurídica: Deliberação no âmbito da PJ (decisão do dirigente). Interesse ou benefício da PJ. Autor material vinculado à PJ (deve ser identificado na denúncia) Utilização da estrutura (poderio) da PJ. Autuação na esfera das atividades da PJ. Penas aplicáveis à Pessoa Jurídica: 8

9 Multa art. 18 Restritivas de direitos art. 22 Art. 22. As penas restritivas de direitos da pessoa jurídica são: I - suspensão parcial ou total de atividades; II - interdição temporária de estabelecimento, obra ou atividade; III - proibição de contratar com o Poder Público, bem como dele obter subsídios, subvenções ou doações. Essas penas não fixam o prazo. TRF da 4ª Região admite a interpretação analógica com o art. 7º da mesma lei, na aplicação das penas do art. 22. Esse entendimento não é pacífico. Prestação de serviços à comunidade art. 23 Art. 23. A prestação de serviços à comunidade pela pessoa jurídica consistirá em: I - custeio de programas e de projetos ambientais; II - execução de obras de recuperação de áreas degradadas; III - manutenção de espaços públicos; IV - contribuições a entidades ambientais ou culturais públicas. O inciso IV não se trata de prestação pecuniária. PRESCRIÇÃO - Divergências: TRF 4ª Região: entende que deve ser utilizado o tempo das Penas Privativas de Liberdade. TJRS: admite que o prazo é de dois anos, uma vez que não está definido em lei, deve ser utilizado o menor deles (o da multa). Liquidação forçada: Art. 24. A pessoa jurídica constituída ou utilizada, preponderantemente, com o fim de permitir, facilitar ou ocultar a prática de crime definido nesta Lei terá decretada sua liquidação forçada, seu patrimônio será considerado instrumento do crime e como tal perdido em favor do Fundo Penitenciário Nacional. Art. 24. A pessoa jurídica constituída ou utilizada, preponderantemente, com o fim de permitir, facilitar ou ocultar a prática de crime definido nesta Lei terá decretada sua liquidação forçada, seu patrimônio será considerado instrumento do crime e como tal perdido em favor do Fundo Penitenciário Nacional. SURSIS Art. 16. Nos crimes previstos nesta Lei, a suspensão condicional da pena pode ser aplicada nos casos de condenação a pena privativa de liberdade não superior a três anos. Sursis especial: Art. 17. A verificação da reparação a que se refere o 2º do art. 78 do Código Penal será feita mediante laudo de reparação do dano ambiental, e as condições a serem impostas pelo juiz deverão relacionar-se com a proteção ao meio ambiente. TRANSAÇÃO PENAL 9

10 10 DIREITO AMBIENTAL Art. 27: Composição Civil do dano é condição de procedibilidade. Crimes de menor potencial ofensivo: crimes com pena privativa até dois anos (Lei /01). Pessoa Jurídica pode fazer transação através de seu representante legal (art. 12, CPC).

Assim, o bem jurídico tutelado é o meio ambiente natural, cultural, artificial e do trabalho, englobáveis na expressão BEM AMBIENTAL.

Assim, o bem jurídico tutelado é o meio ambiente natural, cultural, artificial e do trabalho, englobáveis na expressão BEM AMBIENTAL. ASPECTOS DA TUTELA PENAL DO AMBIENTE 1. Introdução Como conseqüência da consciência ambiental, o legislador brasileiro não só previu a proteção administrativa do meio ambiente e a denominada tutela civil

Leia mais

Luiz Carlos Aceti Júnior Especialista em Direito Empresarial Ambiental Pós-graduado em Direito das Empresas. www.aceti.com.br

Luiz Carlos Aceti Júnior Especialista em Direito Empresarial Ambiental Pós-graduado em Direito das Empresas. www.aceti.com.br Luiz Carlos Aceti Júnior Especialista em Direito Empresarial Ambiental Pós-graduado em Direito das Empresas A Responsabilidade Ambiental Tutela Administrativa Tutela Criminal Tutela Cível Copyright Proibida

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE CRISES Técnicas e Recomendações Práticas Para Preparação das Organizações para o Enfrentamento de Momentos Críticos

ADMINISTRAÇÃO DE CRISES Técnicas e Recomendações Práticas Para Preparação das Organizações para o Enfrentamento de Momentos Críticos Técnicas e Recomendações Práticas Para Preparação das Organizações para o Enfrentamento de Momentos Críticos C W M C O M U N I C A Ç Ã O WALTEMIR DE MELO ASPECTOS DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL ASPECTOS CRÍTICOS

Leia mais

DEZ ANOS DA LEI DOS CRIMES CONTRA O MEIO AMBIENTE: QUESTÕES CONTROVERTIDAS E A JURISPRUDÊNCIA

DEZ ANOS DA LEI DOS CRIMES CONTRA O MEIO AMBIENTE: QUESTÕES CONTROVERTIDAS E A JURISPRUDÊNCIA DEZ ANOS DA LEI DOS CRIMES CONTRA O MEIO AMBIENTE: QUESTÕES CONTROVERTIDAS E A JURISPRUDÊNCIA Eladio Lecey Diretor-Presidente, Escola Nacional da Magistratura - AMB Diretor, Escola Brasileira de Direito

Leia mais

O MEIO AMBIENTE E A LEI DOS CRIMES AMBIENTAIS. João Batista Machado Barbosa

O MEIO AMBIENTE E A LEI DOS CRIMES AMBIENTAIS. João Batista Machado Barbosa O MEIO AMBIENTE E A LEI DOS CRIMES AMBIENTAIS João Batista Machado Barbosa DIREITO PENAL AMBIENTAL OBJETIVO Fazer com que a audiência compreenda os princípios e normas que constituem o Direito Penal Ambiental

Leia mais

Foto 10: Preenchimento 2. Foto 11: Esteira Etapas de repreenchimento. Foto 12: Acabamento final

Foto 10: Preenchimento 2. Foto 11: Esteira Etapas de repreenchimento. Foto 12: Acabamento final 49 Foto 10: Preenchimento 2 Foto 11: Esteira Etapas de repreenchimento Foto 12: Acabamento final 50 Foto 13: Utilização da esmiriradeira Foto 14: Armazenamento Foto 15: Acabamento final 51 Foto 16: Selo

Leia mais

DEZ ANOS DA LEI 9605/98: BALANÇO E PROPOSTAS CONCRETAS DE APERFEIÇOAMENTO LEGISLATIVO

DEZ ANOS DA LEI 9605/98: BALANÇO E PROPOSTAS CONCRETAS DE APERFEIÇOAMENTO LEGISLATIVO 13 Congresso Brasileiro de Direito Ambiental Mesa Redonda IX DEZ ANOS DA LEI 9605/98: BALANÇO E PROPOSTAS CONCRETAS DE APERFEIÇOAMENTO LEGISLATIVO Presidente: Damásio de Jesus Relator Geral: Eladio Lecey

Leia mais

O PAPEL DO MINISTÉRIO PÚBLICO P NA DEFESA DO MEIO AMBIENTE

O PAPEL DO MINISTÉRIO PÚBLICO P NA DEFESA DO MEIO AMBIENTE O PAPEL DO MINISTÉRIO PÚBLICO P NA DEFESA DO MEIO AMBIENTE DAS DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAIS RELATIVAS ÀS FUNÇÕES DO MINISTÉRIO PÚBLICO Art. 129. São funções institucionais do Ministério Público: I- promover,

Leia mais

CURSO DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES JURÍDICAS Disciplina: Direito Ambiental Prof. Fabiano Melo Data:23/06 Aula nº 02 MATERIAL DE APOIO PROFESSOR

CURSO DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES JURÍDICAS Disciplina: Direito Ambiental Prof. Fabiano Melo Data:23/06 Aula nº 02 MATERIAL DE APOIO PROFESSOR CURSO DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES JURÍDICAS Disciplina: Direito Ambiental Prof. Fabiano Melo Data:23/06 Aula nº 02 MATERIAL DE APOIO PROFESSOR (Promotor de Justiça SP/2010) 01. Na ação de responsabilidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE TECNOLOGIA E RECURSOS NATURAIS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: CIÊNCIAS DO AMBIENTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE TECNOLOGIA E RECURSOS NATURAIS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: CIÊNCIAS DO AMBIENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE TECNOLOGIA E RECURSOS NATURAIS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: CIÊNCIAS DO AMBIENTE Docência assistida: Prof.º Fábio Remy de Assunção Rios

Leia mais

Responsabilidade dos bancos por riscos/danos ambientais Demarest & Almeida Advogados Associados

Responsabilidade dos bancos por riscos/danos ambientais Demarest & Almeida Advogados Associados Responsabilidade dos bancos por riscos/danos ambientais Demarest & Almeida Advogados Associados São Paulo, 17 de maio de 2012 I. Apresentação II. Legislação Federal Básica III. Responsabilidade Ambiental

Leia mais

A RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS

A RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS A RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS AS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS E A PROTEÇÃO AMBIENTAL EVOLUÇÃO NORMATIVA Lei 6.938/81 PNMA CF de 88 Ordem Social e Meio Ambiente Lei 9.605/98

Leia mais

Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu a sanciono a seguinte Lei:

Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu a sanciono a seguinte Lei: Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Faço saber

Leia mais

LEI Nº 6.938, DE 31 DE AGOSTO DE 1981

LEI Nº 6.938, DE 31 DE AGOSTO DE 1981 LEI Nº 6.938, DE 31 DE AGOSTO DE 1981 Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber

Leia mais

Presidência da República Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 6.938, DE 31 DE AGOSTO DE 1981 Texto Atualizado Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação

Leia mais

DIREITO AMBIENTAL NO BRASIL

DIREITO AMBIENTAL NO BRASIL DIREITO NO BRASIL CONTEXTO NACIONAL Ordenamento Jurídico; O meio ambiente na constituição federal; Política Nacional do Meio Ambiente; SISNAMA; Responsabilidades civil; Responsabilidade penal ambiental;

Leia mais

RESPONSABILIDADE DOS BANCOS POR RISCOS/DANOS AMBIENTAIS. Erika Bechara 17.05.2012

RESPONSABILIDADE DOS BANCOS POR RISCOS/DANOS AMBIENTAIS. Erika Bechara 17.05.2012 RESPONSABILIDADE DOS BANCOS POR RISCOS/DANOS AMBIENTAIS Erika Bechara 17.05.2012 POR QUE ULTIMAMENTE SE TEM FALADO TANTO DA RESPONSABILIDADE AMBIENTAL SOLIDÁRIA DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS? 1. Não houve

Leia mais

DISPÕE SOBRE A POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE, SEUS FINS E MECANISMOS DE FORMULAÇÃO E APLICAÇÃO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

DISPÕE SOBRE A POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE, SEUS FINS E MECANISMOS DE FORMULAÇÃO E APLICAÇÃO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI FEDERAL N 6.938, de 02 de setembro de 1981 DISPÕE SOBRE A POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE, SEUS FINS E MECANISMOS DE FORMULAÇÃO E APLICAÇÃO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,

Leia mais

Responsabilidade Criminal Ambiental. Paulo Freitas Ribeiro

Responsabilidade Criminal Ambiental. Paulo Freitas Ribeiro Responsabilidade Criminal Ambiental Paulo Freitas Ribeiro Constituição Federal Artigo 225 - Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade

Leia mais

CRIMES CONTRA O MEIO AMBIENTE

CRIMES CONTRA O MEIO AMBIENTE CRIMES CONTRA O MEIO AMBIENTE CURSO INTENSIVO DE DIREITO AMBIENTAL FMASE/IDPV Eladio Lecey Diretor, Escola Brasileira de Direito e Política Ambiental Presidente, Comité Brasileiro da UICN 1 RESPONSABILIDADE

Leia mais

LEI FEDERAL Nº. 6.938 DE 31 DE AGOSTO DE 1981

LEI FEDERAL Nº. 6.938 DE 31 DE AGOSTO DE 1981 LEI FEDERAL Nº. 6.938 DE 31 DE AGOSTO DE 1981 Já alterada pela Lei nº 7804 de 18 de julho de 1989. O Presidente da Republica. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de

Leia mais

LEI Nº 1532 DE 06 DE JULHO DE 1982

LEI Nº 1532 DE 06 DE JULHO DE 1982 LEI Nº 1532 DE 06 DE JULHO DE 1982 DISCIPLINA a Política Estadual da Prevenção e Controle da Poluição, Melhoria e Recuperação do Meio Ambiente e da Proteção aos Recursos Naturais, e da outras providencias.

Leia mais

A EMPRESA E O MEIO AMBIENTE LEGISLAÇÃO AMBIENTAL LEGISLAÇÃO AMBIENTAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL

A EMPRESA E O MEIO AMBIENTE LEGISLAÇÃO AMBIENTAL LEGISLAÇÃO AMBIENTAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL A EMPRESA E O MEIO AMBIENTE PORQUE PRECISO ME PREOCUPAR COM O MEIO AMBIENTE? 1 LEGISLAÇÃO AMBIENTAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL UNIÃO ESTADOS MUNICÍPIOS DISTRITO FEDERAL, D.F. COMPETÊNCIA COMUM PARA PROTEGER

Leia mais

Sustentabilidade Ambiental na Extração de Rochas Ornamentais

Sustentabilidade Ambiental na Extração de Rochas Ornamentais Sustentabilidade Ambiental na Extração de Rochas Ornamentais Edimundo Almeida da Cruz Geógrafo, Analista Ambiental (GCA-SLM-IEMA) Contato: edimundo-cruz@hotmail.com IEMA-CLM: (27) 3636-2580, 3636-2583

Leia mais

CAPÍTULO I Da Política Municipal do Meio Ambiente

CAPÍTULO I Da Política Municipal do Meio Ambiente LEI Nº 4366 DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE PROTEÇÃO, CONTROLE E CONSERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE E DE MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM-ES. A Câmara Municipal de Cachoeiro de

Leia mais

Luiz Carlos Aceti Júnior Especialista em Direito Empresarial Ambiental Pós-graduado em Direito das Empresas. www.aceti.com.br

Luiz Carlos Aceti Júnior Especialista em Direito Empresarial Ambiental Pós-graduado em Direito das Empresas. www.aceti.com.br Luiz Carlos Aceti Júnior Especialista em Direito Empresarial Ambiental Pós-graduado em Direito das Empresas A Responsabilidade Ambiental Tutela Administrativa Tutela Criminal Tutela Cível Copyright Proibida

Leia mais

Legislação Ambiental PNMA - POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. Disciplina: Ciências do Ambiente Professora: Andréa Carla Lima Rodrigues

Legislação Ambiental PNMA - POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. Disciplina: Ciências do Ambiente Professora: Andréa Carla Lima Rodrigues Legislação Ambiental PNMA - POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE Disciplina: Ciências do Ambiente Professora: Andréa Carla Lima Rodrigues O QUE É GESTÃO AMBIENTAL? "O controle apropriado do meio ambiente

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução.

Copyright Proibida Reprodução. RESPONSABILDADE CIVIL DO DANO AMBIENTAL Prof. Éder Responsabilidade Clementino dos civil Santos INTRODUÇÃO Evolução da sociedade: séc. XX (novas tecnologias x modelo de vida); Inércia do Estado: auto-tutela;

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 6.938, DE 31 DE AGOSTO DE 1981 Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e Regulamento mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,

Leia mais

Responsabilidade Socioambiental

Responsabilidade Socioambiental Fernando Tabet Responsabilidade Socioambiental Resíduos Sólidos Classificação (NBR 10.004:2004) Classe I - Perigosos Resíduos Classe II Não Perigosos Classe II-A - Não Inertes Classe II-B - Inertes Gerenciamento

Leia mais

OAB 1ª Fase Direito Civil Responsabilidade Civil Duarte Júnior

OAB 1ª Fase Direito Civil Responsabilidade Civil Duarte Júnior OAB 1ª Fase Direito Civil Responsabilidade Civil Duarte Júnior 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. RESPONSABILIDADE CIVIL É A OBRIGAÇÃO QUE INCUMBE A ALGUÉM DE

Leia mais

OAB 138º - 1ª Fase Módulo I - Noite Disciplina: Direito Ambiental Professora Juliana Lettiere Data: 29/04/2009

OAB 138º - 1ª Fase Módulo I - Noite Disciplina: Direito Ambiental Professora Juliana Lettiere Data: 29/04/2009 TEMAS ABORDADOS EM AULA OAB 138º - 1ª Fase Módulo I - Noite Disciplina: Direito Ambiental Professora Juliana Lettiere Data: 29/04/2009 2ª Aula: Competência em Matéria Ambiental, Princípios, Política Nacional

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE Lei No. 6.938/81

POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE Lei No. 6.938/81 POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE Lei No. 6.938/81 ANTECEDENTES HISTÓRICOS CONCEITOS PRINCÍPIOS OBJETIVOS DIRETRIZES INSTRUMENTOS SISNAMA CONAMA PENALIDADES GENERALIDADES ANTECEDENTES HISTÓRICOS Liga

Leia mais

Responsabilidade penal ambiental. A importância da reparação do dano ambiental

Responsabilidade penal ambiental. A importância da reparação do dano ambiental Responsabilidade penal ambiental A importância da reparação do dano ambiental Ideal: Meio ambiente sadio, preservado e equilibrado ecologicamente Realidade: Busca de solução jurídica diante de uma situação

Leia mais

Responsabilidade Civil nas Atividades Empresariais. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Responsabilidade Civil nas Atividades Empresariais. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Responsabilidade Civil nas Atividades Empresariais Para Reflexão Ao indivíduo é dado agir, em sentido amplo, da forma como melhor lhe indicar o próprio discernimento, em juízo de vontade que extrapola

Leia mais

JOÃO DOMINGOS RODRIGUES DA SILVA, Prefeito Municipal de Almirante Tamandaré do Sul, Estado do Rio Grande do Sul.

JOÃO DOMINGOS RODRIGUES DA SILVA, Prefeito Municipal de Almirante Tamandaré do Sul, Estado do Rio Grande do Sul. JOÃO DOMINGOS RODRIGUES DA SILVA, Prefeito Municipal de Almirante Tamandaré do Sul, Estado do Rio Grande do Sul. Faço saber que o Legislativo aprovou e eu sanciono e promulgo a seguinte lei: LEI MUNICIPAL

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS

RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS Instituto Estadual do Ambiente - INEA Diretoria de Biodiversidade e Áreas Protegidas - DIBAP Gerência do Serviço Florestal - GESEF ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO Conceitos /

Leia mais

No Brasil temos a Lei 6.938/81de Política Nacional do Meio Ambiente, trata de modo genérico do Meio Ambiente

No Brasil temos a Lei 6.938/81de Política Nacional do Meio Ambiente, trata de modo genérico do Meio Ambiente 1. Introdução O primeiro grande marco dessa preocupação foi a - Conferência de Estocolmo (em 1972), na qual foi feita a - "Declaração sobre o Meio Ambiente". Foi aqui nessa conferencia que se falou pela

Leia mais

A EFETIVIDADE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA PROTEÇÃO AMBIENTAL

A EFETIVIDADE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA PROTEÇÃO AMBIENTAL A EFETIVIDADE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA PROTEÇÃO AMBIENTAL FERNANDO REVERENDO VIDAL AKAOUI XIV Congresso Brasileiro do Ministério Público de Meio Ambiente - ABRAMPA RESPONSABILIDADE DO ESTADO PELA PROTEÇÃO

Leia mais

Legislação Pesqueira e Ambiental. Prof.: Thiago Pereira Alves

Legislação Pesqueira e Ambiental. Prof.: Thiago Pereira Alves Técnico em Aquicultura Legislação Pesqueira e Ambiental Prof.: Thiago Pereira Alves DIREITO AMBIENTAL NO BRASIL Política Nacional do Meio Ambiente Direito Ambiental Constitucional Direito Ambiental Constitucional

Leia mais

O MINISTÉRIO PÚBLICO NA DEFESA DO MEIO AMBIENTE. Ministério Público do Estado de Minas Gerais

O MINISTÉRIO PÚBLICO NA DEFESA DO MEIO AMBIENTE. Ministério Público do Estado de Minas Gerais O MINISTÉRIO PÚBLICO NA DEFESA DO MEIO AMBIENTE Ministério Público do Estado de Minas Gerais Fechamento de barragens Aspectos institucionais; Fechamento de mina X fechamento de barragem. Teoria da responsabilidade

Leia mais

LEI ANTICORRUPÇÃO E PRÁTICAS DE COMPLIANCE PARA PESSOAS JURÍDICAS

LEI ANTICORRUPÇÃO E PRÁTICAS DE COMPLIANCE PARA PESSOAS JURÍDICAS LEI ANTICORRUPÇÃO E PRÁTICAS DE COMPLIANCE PARA PESSOAS JURÍDICAS Objeto da Lei n.º12.846, de 2013 A Lei Anticorrupção dispõe sobre: a responsabilização administrativa e civil de pessoas jurídicas. pela

Leia mais

Ladir & Franco. RESPONSABILIDADE CRIMINAL DOS CONTABILISTAS O contabilista pode ser preso por atos praticados no exercício profissional?

Ladir & Franco. RESPONSABILIDADE CRIMINAL DOS CONTABILISTAS O contabilista pode ser preso por atos praticados no exercício profissional? L F Ladir & Franco A D V O G A D O S RESPONSABILIDADE CRIMINAL DOS CONTABILISTAS O contabilista pode ser preso por atos praticados no exercício profissional? Túlio Arantes Bozola Advogado - Ladir & Franco

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Tutela penal do meio ambiente (Lei Federal nº 9.605/98) Daniele Pereira Corrêa ÍNDICE CONSIDERAÇÕES GERAIS RESPONSABILIDADE PENAL AMBIENTAL DOS CRIMES AMBIENTAIS SANÇÕES PENAIS PESSOAS

Leia mais

Capítulo I Disposições Gerais

Capítulo I Disposições Gerais MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS Lei de Crimes Ambientais Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998* Dispõe sobre as sansões penais e

Leia mais

Um programa de compliance eficiente para atender a lei anticorrupção Lei 12.846/2013

Um programa de compliance eficiente para atender a lei anticorrupção Lei 12.846/2013 Um programa de compliance eficiente para atender a lei anticorrupção Lei 12.846/2013 FEBRABAN Arthur Lemos Jr Promotor de Justiça Lavagem de Dinheiro e de Recuperação de Ativos Compliance A LEI PROVOCA

Leia mais

LEIS PENAIS ESPECIAIS

LEIS PENAIS ESPECIAIS LEIS PENAIS ESPECIAIS Prof. Marcel Figueiredo Gonçalves Especialista em Direito Penal e Direito Processual Penal (PUC-SP) Mestre em Ciências Jurídico-Criminais (Universidade de Lisboa) www.cienciacriminal.com

Leia mais

Da Responsabilidade Civil do Profissional da Contabilidade

Da Responsabilidade Civil do Profissional da Contabilidade Da Responsabilidade Civil do Profissional da Contabilidade Prof. Roberta Schneider Westphal Prof. Odair Barros www.rsw.adv.br A responsabilização profissional surge juntamente com qualquer manifestação

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO DA SEGURANÇA AMBIENTAL EM ATIVIDADES ESPACIAIS

REGULAMENTO TÉCNICO DA SEGURANÇA AMBIENTAL EM ATIVIDADES ESPACIAIS REGULAMENTO TÉCNICO DA SEGURANÇA AMBIENTAL EM ATIVIDADES ESPACIAIS 1 SUMÁRIO RESUMO......2 1 INTRODUÇÃO......3 1.1 OBJETIVO......3 1.2 APLICABILIDADE...3 1.3 TERMOS E DEFINIÇÕES...3 2 LICENCIAMENTO AMBIENTAL......3

Leia mais

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Legislação Federal LEI N 7.804, de 18 de julho de 1989 Altera a Lei n 6.938 de 31 de agosto de 1981, que dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação

Leia mais

Acesso aos Tribunais Superiores. Habeas Corpus. Thiago Bottino. Conferência Nacional dos Advogados

Acesso aos Tribunais Superiores. Habeas Corpus. Thiago Bottino. Conferência Nacional dos Advogados Acesso aos Tribunais Superiores Habeas Corpus Thiago Bottino Conferência Nacional dos Advogados Rio de Janeiro, 21 de outubro de 2014 problema pesquisa propostas 2 problema 3 HC 109.956, 1ª Turma, STF

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL NO DIREITO AMBIENTAL

RESPONSABILIDADE CIVIL NO DIREITO AMBIENTAL RESPONSABILIDADE CIVIL NO DIREITO AMBIENTAL O ordenamento jurídico pátrio, em matéria ambiental, adota a teoria da responsabilidade civil objetiva, prevista tanto no art. 14, parágrafo 1º da Lei 6.938/81

Leia mais

Belo Horizonte, 18 de novembro de 2015

Belo Horizonte, 18 de novembro de 2015 Belo Horizonte, 18 de novembro de 2015 1 Elaboração: Assessoria Jurídica Ambiental Em parceria com: Comissão de Meio Ambiente 2 NOVO CONTEXTO AMBIENTAL : Paradigma do Desenvolvimento Sustentável; Exigência

Leia mais

II) Conceito de meio ambiente. Art. 3º, I da Lei da Política Nacional de Meio Ambiente (Lei 6.938/81).

II) Conceito de meio ambiente. Art. 3º, I da Lei da Política Nacional de Meio Ambiente (Lei 6.938/81). I) Princípios do Direito Ambiental 1.1 Princípio do Desenvolvimento Sustentável (Art. 170, CF, e Art. 41º, I, da Lei 6.938/81). 1.2 Princípio da Função-Sócio Ambiental da Propriedade (Art. 6º, da Lei 11.428/06).

Leia mais

NOVA LEI ANTICORRUPÇÃO

NOVA LEI ANTICORRUPÇÃO NOVA LEI ANTICORRUPÇÃO O que muda na responsabilização dos indivíduos? Código Penal e a Lei 12.850/2013. MARCELO LEONARDO Advogado Criminalista 1 Regras Gerais do Código Penal sobre responsabilidade penal:

Leia mais

São Paulo - SP Av. Nove de Julho, 5.109 3º Andar (55 11) 3254 0050 www.porto.adv.br

São Paulo - SP Av. Nove de Julho, 5.109 3º Andar (55 11) 3254 0050 www.porto.adv.br São Paulo - SP Av. Nove de Julho, 5.109 3º Andar (55 11) 3254 0050 www.porto.adv.br 86º ENIC: 2014 Comissão de Obras Públicas - COP Lei Anticorrupção Lei nº 12.846, de 01/08/2013 PORTO ADVOGADOS www.porto.adv.br

Leia mais

RESPONSABILIDADE DO EMPREENDEDOR E DA EQUIPE

RESPONSABILIDADE DO EMPREENDEDOR E DA EQUIPE RESPONSABILIDADE DO EMPREENDEDOR E DA EQUIPE Diz a Resolução 237/97 do Conama que o empreendedor e os profissionais que subscreverem os estudos necessários ao processo de licenciamento serão responsáveis

Leia mais

Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades Administrador Administrador é a pessoa a quem se comete a direção ou gerência de qualquer negócio ou serviço, seja de caráter público ou privado,

Leia mais

PONTO 1: Responsabilização Ambiental 1. RESPONSABILIZAÇÃO AMBIENTAL. Art. 225 da CF Tríplice responsabilização.

PONTO 1: Responsabilização Ambiental 1. RESPONSABILIZAÇÃO AMBIENTAL. Art. 225 da CF Tríplice responsabilização. 1 DIREITO AMBIENTAL DIREITO AMBIENTAL PONTO 1: Responsabilização Ambiental 1. RESPONSABILIZAÇÃO AMBIENTAL Art. 225 da CF Tríplice responsabilização. 3º - As condutas e atividades consideradas lesivas ao

Leia mais

TÍTULO: A INDENIZAÇÃO NA LEI DOS CRIMES AMBIENTAIS LEI Nº 9.605/98

TÍTULO: A INDENIZAÇÃO NA LEI DOS CRIMES AMBIENTAIS LEI Nº 9.605/98 TÍTULO: A INDENIZAÇÃO NA LEI DOS CRIMES AMBIENTAIS LEI Nº 9.605/98 Adriana Jesus Guilhen 1 SUMÁRIO: I- O DIREITO AMBIENTAL; II- RESPONSABILIDADE CIVIL AMBIENTAL; III- RESPONSABILIDADE PENAL AMBIENTAL;

Leia mais

Inovações do Advento da Lei de Crimes Ambientais

Inovações do Advento da Lei de Crimes Ambientais Dr. Luiz Carlos Aceti Júnior Especialista em Direito Empresarial Ambiental Pós-graduado em Direito das Empresas Inovações do Advento da Lei de Crimes Ambientais 1. Leis esparsas, de difícil aplicação.

Leia mais

LEI N 0 2.181 DE 12 DE OUTUBRO DE 1978 O GOVERNO DO ESTADO DE SERGIPE,

LEI N 0 2.181 DE 12 DE OUTUBRO DE 1978 O GOVERNO DO ESTADO DE SERGIPE, LEI N 0 2.181 DE 12 DE OUTUBRO DE 1978 Autoriza o Poder Executivo a criar a Administração Estadual do Meio Ambiente, sob a forma de autarquia estadual, e dá outras providências. O GOVERNO DO ESTADO DE

Leia mais

Trade Compliance na Lei Brasileira Anticorrupção

Trade Compliance na Lei Brasileira Anticorrupção Trade Compliance na Lei Brasileira Anticorrupção Ibrac Agosto/2014 Barretto Barretto Ferreira Ferreira, e Brancher Kujawski e Brancher Sociedade Sociedade de Advogados de Advogados R. Dr. R. Eduardo Dr.

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br A responsabilidade administrativa no Direito Ambiental por Carolina Yassim Saddi * Uma data que merece reflexão foi comemorada no dia 5 de junho do corrente ano: Dia Mundial do Meio

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV AULA DIA 25/05/2015 Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA E-mail: tiago_csouza@hotmail.com DIREITO PROCESSUAL PENAL IV Procedimento Sumaríssimo (Lei 9.099/95) - Estabelece a possibilidade de conciliação civil,

Leia mais

RESPONSABILIDADE ADMINISTRATIVA, CIVIL E PENAL NA SUPERVISÃO DOS FUNDOS DE PENSÃO. Rio de Janeiro, 11 de agosto de 2015

RESPONSABILIDADE ADMINISTRATIVA, CIVIL E PENAL NA SUPERVISÃO DOS FUNDOS DE PENSÃO. Rio de Janeiro, 11 de agosto de 2015 RESPONSABILIDADE ADMINISTRATIVA, CIVIL E PENAL NA SUPERVISÃO DOS FUNDOS DE PENSÃO Rio de Janeiro, 11 de agosto de 2015 1 RESPONSABILIDADES TRIPARTITES RESPONSABILIDADE ADMINISTRATIVA RESPONSABILIDADE CIVIL

Leia mais

Conflitos entre o Processo Penal E o Processo Administrativo sob O ponto de vista do médico. Dr. Eduardo Luiz Bin Conselheiro do CREMESP

Conflitos entre o Processo Penal E o Processo Administrativo sob O ponto de vista do médico. Dr. Eduardo Luiz Bin Conselheiro do CREMESP Conflitos entre o Processo Penal E o Processo Administrativo sob O ponto de vista do médico Dr. Eduardo Luiz Bin Conselheiro do CREMESP PRÁTICA MÉDICA A prática médica se baseia na relação médicopaciente,

Leia mais

DISCIPLINA: DIREITO PENAL

DISCIPLINA: DIREITO PENAL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO DISCIPLINA: DIREITO PENAL QUESTÃO Nº 109 Protocolo: 11913003657-0 Não existe qualquer erro material na questão. Nada a ser alterado. O recorrente

Leia mais

COMENTÁRIOS DA PROVA DE DIREITO PENAL ANALISTA PROCESUAL MPU 2004

COMENTÁRIOS DA PROVA DE DIREITO PENAL ANALISTA PROCESUAL MPU 2004 COMENTÁRIOS DA PROVA DE DIREITO PENAL ANALISTA PROCESUAL MPU 2004 01- Podemos afirmar que a culpabilidade é excluída quando a) o crime é praticado em obediência à ordem, manifestamente legal, de superior

Leia mais

1. Objetivo geral da política nacional do meio ambiente

1. Objetivo geral da política nacional do meio ambiente Romeu Thomé e Leonardo de Medeiros Garcia entes da federação é justificada pela sobreposição de interesses acerca do tema. Cabe, portanto, à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios implementar

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR. Questões comentadas de Direito Penal da prova objetiva do concurso de 2009 para Defensor do Pará

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR. Questões comentadas de Direito Penal da prova objetiva do concurso de 2009 para Defensor do Pará Cacildo Baptista Palhares Júnior: advogado em Araçatuba (SP) Questões comentadas de Direito Penal da prova objetiva do concurso de 2009 para Defensor do Pará 21. Para formação do nexo de causalidade, no

Leia mais

Direito do Consumidor: Responsabilidade Civil e o Dever de Indenizar

Direito do Consumidor: Responsabilidade Civil e o Dever de Indenizar Direito do Consumidor: Responsabilidade Civil e o Dever de Indenizar Formação de Servidores do PROCON RJ - 2012 RESUMO Finalidade da Responsabilidade Civil Segurança Jurídica Sistema de Garantias Tutela

Leia mais

Dispõe sobre a utilização e proteção da vegetação nativa do Bioma Cerrado no Estado, e dá providências correlatas

Dispõe sobre a utilização e proteção da vegetação nativa do Bioma Cerrado no Estado, e dá providências correlatas LEI Nº 13.550, DE 02 DE JUNHO DE 2009 Dispõe sobre a utilização e proteção da vegetação nativa do Bioma Cerrado no Estado, e dá providências correlatas O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que

Leia mais

RESPONSABILIDADE CRIMINAL DA PESSOA JÚRÍDICA

RESPONSABILIDADE CRIMINAL DA PESSOA JÚRÍDICA RESPONSABILIDADE CRIMINAL DA PESSOA JÚRÍDICA QUESTÕES CONTROVERTIDAS E A JURISPRUDÊNCIA Eladio Lecey Diretor, Escola Brasileira de Direito e Política Ambiental Instituto O Direito por um Planeta Verde

Leia mais

L E I N.º 162/2002, de 28 de janeiro de 2003.

L E I N.º 162/2002, de 28 de janeiro de 2003. 1 L E I N.º 162/2002, de 28 de janeiro de 2003. Dispõe sobre a Organização do Sistema Municipal de Proteção Ambiental, a elaboração, implementação e controle da Política Ambiental do Município de Coqueiro

Leia mais

Mini Curículo: Graduado pela UNIT (2002), pós-graduado em Direito

Mini Curículo: Graduado pela UNIT (2002), pós-graduado em Direito Contatos: Site: www.diogocalasans.com E-mail: contato@diogocalasans.com Facebook: www.facebook.com/ diogocalasans Twitter: http://twitter.com/@diogocalasans 1 Mini Curículo: Graduado pela UNIT (2002),

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 9.605, DE 12 DE FEVEREIRO DE 1998. Mensagem de veto Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e

Leia mais

A RESPONSABILIDADE CIVIL PELO DANO AMBIENTAL NO DIREITO BRASILEIRO E A QUESTÃO DA REPARAÇÃO MATERIAL E MORAL

A RESPONSABILIDADE CIVIL PELO DANO AMBIENTAL NO DIREITO BRASILEIRO E A QUESTÃO DA REPARAÇÃO MATERIAL E MORAL A RESPONSABILIDADE CIVIL PELO DANO AMBIENTAL NO DIREITO BRASILEIRO E A QUESTÃO DA REPARAÇÃO MATERIAL E MORAL I CONGRESSO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL Mariza Giacomin Lozer Patrício Advogada (FESV).

Leia mais

Responsabilidade Criminal Ambiental - Lei 9.605/98

Responsabilidade Criminal Ambiental - Lei 9.605/98 Responsabilidade Criminal Ambiental - Lei 9.605/98 29 Clara Maria Martins Jaguaribe 1 BREVE INTRODUÇÃO Antes da sistematização da responsabilidade penal em termos de meio ambiente, todos os tipos penais

Leia mais

Controle Social e Controle do Estado

Controle Social e Controle do Estado Controle Social e Controle do Estado A regulação do Estado surge quando se torna insuficiente a regulação social Regulação do Estado: - Normas Administrativas - Normas Legais Normas Administrativas Normas

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO

RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO Introdução. - O Estado é o sujeito responsável. - Na responsabilidade civil do Estado os princípios próprios são mais rigorosos (atuação Estatal é uma imposição, devendo o Estado ser responsabilizado de

Leia mais

Legislação Ambiental

Legislação Ambiental Legislação Ambiental Ação Civil Pública Agrotóxicos Poluição Mineração Crimes Ambientais Desapropriação Educação Ambiental Estações Ecológicas e Áreas de Proteção Ambiental Florestas Temas Infrações Adm.

Leia mais

18º Encontro Nacional da ANAMMA

18º Encontro Nacional da ANAMMA 18º Encontro Nacional da ANAMMA Os efeitos do PL de parcelamento do solo no meio ambiente e a gestão de APPs urbanas Cynthia Cardoso Goiânia, agosto/2008 Planejamento? Na perspectiva de planejamento qual

Leia mais

A RESPONSABILIDADE CIVIL DECORRENTE DO DANO AMBIENTAL

A RESPONSABILIDADE CIVIL DECORRENTE DO DANO AMBIENTAL RESUMO A RESPONSABILIDADE CIVIL DECORRENTE DO DANO AMBIENTAL FUJIBAYASHI, Gerson 1 SONNI, Indianara Pavesi Pini 2 Desde os meados do século XIX, com a revolução industrial, o meio ambiente sofre impactos

Leia mais

Atribuições estaduais e municipais na fiscalização ambiental

Atribuições estaduais e municipais na fiscalização ambiental Atribuições estaduais e municipais na fiscalização ambiental Rodolfo Torres Advogado Assessor Jurídico do INEA Especialista em Direito Ambiental pela PUC/RJ Fiscalização: noções gerais Manifestação do

Leia mais

A Responsabilidade Penal da Pessoa Jurídica nos Crimes Ambientais

A Responsabilidade Penal da Pessoa Jurídica nos Crimes Ambientais A Responsabilidade Penal da Pessoa Jurídica nos Crimes Ambientais Vânia Maria Bemfica Guimarães Pinto Coelho * Igor Oliveira Borges RESUMO: Este texto trata a respeito da Lei 9.605 de 1998, lei esta que

Leia mais

Doutrina - Omissão de Notificação da Doença

Doutrina - Omissão de Notificação da Doença Doutrina - Omissão de Notificação da Doença Omissão de Notificação da Doença DIREITO PENAL - Omissão de Notificação de Doença CP. Art. 269. Deixar o médico de denunciar à autoridade pública doença cuja

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1988, CAPÍTULO VI - DO MEIO AMBIENTE

CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1988, CAPÍTULO VI - DO MEIO AMBIENTE CONSTITUIÇÃO FEDERAL Constituição Federal de 1988, CAPÍTULO VI - DO MEIO AMBIENTE Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros

Leia mais

Responsabilidade civil ambiental: tendências

Responsabilidade civil ambiental: tendências Responsabilidade civil ambiental: tendências Consuelo Yatsuda Moromizato Yoshida cyoshida@trf3.jus.br 1 AMBIENTALISMO CONTEMPORÂNEO (Prof. André Geraldes) Período 1945-1972: Ambientalismo dos Limites ao

Leia mais

Responsabilidade Civil e a Gestão de Áreas Contaminadas. Annelise Monteiro Steigleder

Responsabilidade Civil e a Gestão de Áreas Contaminadas. Annelise Monteiro Steigleder Responsabilidade Civil e a Gestão de Áreas Contaminadas Annelise Monteiro Steigleder Áreas Contaminadas Local onde há poluição ou contaminação, potencial ou efetiva, causada pela introdução de substâncias

Leia mais

CONTADOR JOSE LUIZ VAILATTI. Lei 12. 846/2013 LEI ANTI CORRUPÇÃO EMPRESARIAL

CONTADOR JOSE LUIZ VAILATTI. Lei 12. 846/2013 LEI ANTI CORRUPÇÃO EMPRESARIAL CONTADOR JOSE LUIZ VAILATTI Lei 12. 846/2013 LEI ANTI CORRUPÇÃO EMPRESARIAL Atender às exigências internacionais de combate a corrupção Estimular a prática do compliance. Ética corporativa na administração.

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº DE 2011

PROJETO DE LEI Nº DE 2011 PROJETO DE LEI Nº DE 2011 Altera a Lei nº 8.137, de 27 de dezembro de 1990, a Lei 8.666, de 21 de junho de 1993 e a Lei nº 8.884, de 11 de junho de 1994. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º O art. 4º

Leia mais

A R E R S E PONS N A S B A ILID I A D D A E D E C I C VIL N O N

A R E R S E PONS N A S B A ILID I A D D A E D E C I C VIL N O N A RESPONSABILIDADE CIVIL NO DIREITO DE FAMÍLIA 06.09.2014 Dimas Messias de Carvalho Mestre em Direito Constitucional Promotor de Justiça aposentado/mg Professor na UNIFENAS e UNILAVRAS Advogado Membro

Leia mais

Tendo em vista o artigo da Promotora de Justiça no Estado do Paraná, Dra. Suzane Maria Carvalho do Prado, disponibilizado por esse CAO-Crim, e as decisões proferidas pela Turma Recursal (Acórdão 71001890557)

Leia mais

PONTO 1: Teoria da Tipicidade PONTO 2: Espécies de Tipo PONTO 3: Elementos do Tipo PONTO 4: Dolo PONTO 5: Culpa 1. TEORIA DA TIPICIDADE

PONTO 1: Teoria da Tipicidade PONTO 2: Espécies de Tipo PONTO 3: Elementos do Tipo PONTO 4: Dolo PONTO 5: Culpa 1. TEORIA DA TIPICIDADE 1 DIREITO PENAL PONTO 1: Teoria da Tipicidade PONTO 2: Espécies de Tipo PONTO 3: Elementos do Tipo PONTO 4: Dolo PONTO 5: Culpa 1.1 FUNÇÕES DO TIPO: a) Função garantidora : 1. TEORIA DA TIPICIDADE b) Função

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO DE PENAS PRIVATIVAS DE LIBERDADE EM PENAS RESTRITIVAS DE DIREITOS

SUBSTITUIÇÃO DE PENAS PRIVATIVAS DE LIBERDADE EM PENAS RESTRITIVAS DE DIREITOS SUBSTITUIÇÃO DE PENAS PRIVATIVAS DE LIBERDADE EM PENAS RESTRITIVAS DE DIREITOS BARBOSA, Lenires Terezinha de Oliveira Toledo1 JARDIM, Edeveraldo Alessandro da Silva2 NASCIMENTO, Rogerio3 SILVA, Cristiane

Leia mais