O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica"

Transcrição

1

2 O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica Este relatório foi produzido para a Fundação SOS Mata Atlântica sob contrato firmado entre as partes em janeiro de 2016, com objeto básico de prestação de serviços de consultoria consistente na pesquisa, redação e edição de relatório técnico e textos sobre os impactos, resultados e avanços da implantação do Novo Código Florestal no Estados da Mata Atlântica.

3 Publicação subdividida em: O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica 1. Resumo Histórico da Legislação Florestal Nacional 2. Linha do Tempo do Código Florestal Brasileiro 3. Mobilização da Sociedade Civil Organizada 4. Novo Código Florestal Brasileiro - Principais Alterações 5. Resistência Organizada 6. Balanços Estaduais de Atendimento ao Novo Código Florestal 7. Sugestões para atuação em Políticas Públicas 8. Referências e Notas de Apoio

4 O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica Resumo Histórico da Legislação Florestal Nacional Evolução de nossa Legislação Florestal desde o Brasil Colônia, comentando sobre a edição das primeiras normativas sobre florestas e água (1934), quanto à publicação do primeiro Código Florestal (1965) e de sua evolução em termos de proteção da vegetação nativa até a edição da Lei , em 2012, o chamado novo Código Florestal Experiências de estados brasileiros no registro eletrônico da situação ambiental de imóveis rurais, o que levou à federalização do CAR, em 2009 Movimentos no Legislativo e Executivo por flexibilização da lei florestal

5 Linha do Tempo do Código Florestal Brasileiro O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica Pontuados momentos relevantes e/ou decisivos na história da legislação florestal brasileira Importante ressaltar que, de 1934 até 2012, nosso arcabouço legal sempre evoluiu em proteção da vegetação nativa em imóveis rurais Um dos momentos mais relevantes aconteceu em 2008, quando o Governo definiu punições mais rígidas a crimes por desmatamento e cresceu a pressão por mudanças no Código Florestal

6 Mobilização da Sociedade Civil Organizada O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica Intensa e histórica mobilização da Sociedade Civil Organizada e parceiros na tentativa de se evitarem os retrocessos legais à proteção florestal Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável, Floresta Faz a Diferença, Mangue Faz a Diferença DataFolha mostrou que 85% dos brasileiros queriam mais proteção a florestas e rios, mesmo com certos prejuízos à agropecuária Petição com 2 milhões de assinaturas pedindo o veto total foi entregue ao Governo #VetaDilma

7 O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica Novo Código Florestal Brasileiro - Principais Alterações Anistiados multas e desmatamentos de Reservas Legais até 22 de julho de 2008 Ficaram consolidados manejo florestal e atividade agrossilvopastoril em encostas, dependendo de sua inclinação Recuperação de RLs com 50% de exóticas, em até 20 anos; não há prazo para a recuperação de Áreas de Preservação Permanente APPs variavam de metros, conforme largura do corpo d água, agora vão de metros, sob a chamada escadinha Nascentes intermitentes estão desprotegidas Ocupações em manguezais foram totalmente anistiadas

8 O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica Resistência Organizada Ações da Sociedade Civil após aprovação da Lei /2012 Adins e Amici Curiae em janeiro de 2013 e em agosto de 2015 Cumpra-se manifesto e campanha nacionais, em maio de 2013 Observatório do Código Florestal também em maio de 2013 Documentário A Lei da Água lançado em maio de 2105 e assistido por quase 30 mil pessoas em cinedebates; itunes e GooglePlay

9 O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica Balanços Estaduais de Atendimento ao Novo Código Florestal Análise sobre os 17 estados com Mata Atlântica, observando capacidade e estrutura para atendimento à lei e ao prazo do CAR, regulamentação da legislação federal, fontes de recursos, integração com outros órgãos e outras políticas públicas, mobilização para cadastro de pequenos produtores Principais fontes de informação foram consultas diretas a Órgãos Estaduais de Meio Ambiente, a Organizações Não Governamentais, aos Grupos de Trabalho Estaduais para Acompanhamento da Implantação do Código Florestal, a consultorias Jurídicas e Ambientais

10 O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica

11 O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica Balanços Estaduais de Atendimento ao Novo Código Florestal Não cumprirão o prazo legal do CAR e a grande maioria admitiu pedir adiamento, inclusive o Rio de Janeiro Não dispõe de recursos orçamentários ou extra orçamentários para aplicação da lei; BNDES (Fundo Amazônia), Banco Mundial (PPCerrado e CAR-Fip Cerrado) Parcerias com órgãos e entidades ligados à produção aumentaram capilaridade, como Emater, Senar, Secretarias e Federações de Agricultura, Incra Grande maioria também não regulamentou Programas de Regularização Ambiental (PRAs)

12 O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica Balanços Estaduais de Atendimento ao Novo Código Florestal Estados já exigem o Cadastro Ambiental Rural (CAR) para o licenciamento de atividades em imóveis rurais, como desmatamentos e queimadas controlados, recuperação de passivos florestais, aprovação de planos de manejo, regularização fundiária, concessão de créditos...

13 Sugestões para atuação em Políticas Públicas (item 4 Potenciais avanços) O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica Cadastro Ambiental Rural deve ser associado a outras políticas para gerar análises sobre a expansão da fronteira produtiva, proporcionar ordenamento territorial, planejamento de bacias hidrográficas, basear Pagamento por Serviços Ambientais e incentivar a redução de emissões de gases de efeito estufa, tudo isso atrelado à estruturação dos órgãos ambientais Mecanismos econômicos falha da legislação anterior; fundamental para fomentar a aplicação da lei, especialmente da manutenção e restauração florestal

14 Sugestões para atuação em Políticas Públicas (item 4 Potenciais avanços) O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica Programas de Regularização Ambiental estimados ~ 25 milhões ha a serem recuperados, metade do estipulado pela lei anterior; direcionar restauração com espécies nativas e em áreas prioritárias para água e biodiversidade, e formando corredores; na Mata Atlântica (oito em cada 10 hectares em imóveis privados), reduzir uso de CRAs pela necessidade de restauração Prazos legais CAR em 5 de maio de 2016 e limitações de créditos e financiamentos em 5 de maio de 2017; apoio à Agricultura Familiar não foi cumprido; necessário amplo loteamento da base do CAR

15 Sugestões para atuação em Políticas Públicas (item 4 Potenciais avanços) Temas associados O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica cenário de perdas de vegetação e de biodiversidade, de escassez de água e de alterações globais do clima manter e recuperar matas naturais deve ser prioridade para governos, Academia, Setor Privado, ONGs e sociedade em geral ampliar área protegida na Mata Atlântica, oficial e privada cumprir metas climáticas depende fortemente da aplicação do CF

16 Aldem Bourscheit

BRASÍLIA/DF, 04 DE SETEMBRO DE NOVO CÓDIGO FLORESTAL 2. CAR

BRASÍLIA/DF, 04 DE SETEMBRO DE NOVO CÓDIGO FLORESTAL 2. CAR BRASÍLIA/DF, 04 DE SETEMBRO DE 2014 RESUMO: 1. NOVO CÓDIGO FLORESTAL 2. CAR 1 NÚMEROS, PROGRAMAS E INSTRUMENTOS 84 artigos 76 EXCEÇÕES - INV. GAS. 36 DECRETOS REGULAMENTARES - DECRETOS A PUBLICAR: CRA

Leia mais

Quais as vantagens em aderir ao PRA? Multas antes de julho de 2008 serão realmente suspensas?

Quais as vantagens em aderir ao PRA? Multas antes de julho de 2008 serão realmente suspensas? Quais as vantagens em aderir ao PRA? Multas antes de julho de 2008 serão realmente suspensas? Quais as vantagens em aderir ao PRA? Continuidade das ATIVIDADES AGROSSILVIPASTORIS, de ecoturismo e de turismo

Leia mais

Implicações do PL 1876/99 nas áreas de Reserva Legal

Implicações do PL 1876/99 nas áreas de Reserva Legal CÓDIGO FLORESTAL Implicações do PL 1876/99 nas áreas de Reserva Legal Pelo PL 1876/99 o que mudaria? Reserva Legal (RL) - Novos Recortes OqueéumMóduloFiscal? MF 1.Exploração 2.Renda obtida com a exploração

Leia mais

Restauração de paisagens e florestas

Restauração de paisagens e florestas Restauração de paisagens e florestas Desenvolvimento de estratégias subnacionais e integração de agendas globais Marco Terranova Um conceito com enfoque na funcionalidade dos ecossistemas A restauração

Leia mais

CÓDIGO FLORESTAL: Avanços e Diretrizes do Sistema Ambiental Paulista. TRÊS ANOS DE CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO - ENCONTRO DE SÃO PAULO Maio/2015

CÓDIGO FLORESTAL: Avanços e Diretrizes do Sistema Ambiental Paulista. TRÊS ANOS DE CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO - ENCONTRO DE SÃO PAULO Maio/2015 CÓDIGO FLORESTAL: Avanços e Diretrizes do Sistema Ambiental Paulista TRÊS ANOS DE CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO - ENCONTRO DE SÃO PAULO Maio/2015 Atualizações sobre o SICAR-SP Sistema instituído em 05/06/2013

Leia mais

Soluções para a sustentabilidade de Cadeias Produtivas da Agropecuária e a Política Estadual de Ordenamento Territorial.

Soluções para a sustentabilidade de Cadeias Produtivas da Agropecuária e a Política Estadual de Ordenamento Territorial. Soluções para a sustentabilidade de Cadeias Produtivas da Agropecuária e a Política Estadual de Ordenamento Territorial Junho de 2009 Assinatura de Termo de Ajuste de Conduta, no qual as partes assumam

Leia mais

50% NO / norte do CO 20% Cerrado 20% Demais 50% NO / norte MT 50% Cerrado NO/norte MT 80% NO e norte MT. 35% Cerrado na Amazônia 80% Amazônia

50% NO / norte do CO 20% Cerrado 20% Demais 50% NO / norte MT 50% Cerrado NO/norte MT 80% NO e norte MT. 35% Cerrado na Amazônia 80% Amazônia 1934 1965 1989 1996 2000 25% 20% NE/SE/S e sul do CO 50% NO / norte do CO 20% Cerrado 20% Demais 50% NO / norte MT 50% Cerrado NO/norte MT 80% NO e norte MT 20% Demais 35% Cerrado na Amazônia 80% Amazônia

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental

Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental Segundo a Lei Federal 12.651/2012, Decretos Federais 7.830/2012 e 8.235/2014 e Instrução Normativa MMA 02/2014 ESALQ Maio de 2014 Caroline

Leia mais

Manual para Elaboração dos Planos Municipais para a Mata Atlântica

Manual para Elaboração dos Planos Municipais para a Mata Atlântica Manual para Elaboração dos Planos Municipais para a Mata Atlântica Rede de ONGs da Mata Atlântica RMA Apoio: Funbio e MMA Papel do Município no meio ambiente Constituição Federal Art 23 Competência Comum,

Leia mais

Propriedades rurais que possuam algum passivo ambiental, em termos de. reserva legal e áreas de preservação permanente, possivelmente terão

Propriedades rurais que possuam algum passivo ambiental, em termos de. reserva legal e áreas de preservação permanente, possivelmente terão Panorama Global Crescente preocupação com relação aos IMPACTOS AMBIENTAIS Panorama Nacional Propriedades rurais que possuam algum passivo ambiental, em termos de reserva legal e áreas de preservação permanente,

Leia mais

Novo Código Florestal: produção agropecuária e a sustentabilidade. Moisés Savian

Novo Código Florestal: produção agropecuária e a sustentabilidade. Moisés Savian Novo Código Florestal: produção agropecuária e a sustentabilidade Moisés Savian Esteio, 31 de agosto de 2012 Código Florestal Política Agroambiental Normativa Estabelece normas gerais com o fundamento

Leia mais

A ECO-92 resultou na elaboração dos seguintes documentos oficiais: A Carta da Terra;

A ECO-92 resultou na elaboração dos seguintes documentos oficiais: A Carta da Terra; A ECO-92 resultou na elaboração dos seguintes documentos oficiais: A Carta da Terra; três convenções Biodiversidade, Desertificação e Mudanças climáticas; uma declaração de princípios sobre florestas;

Leia mais

50% NO / norte do CO 20% Cerrado 20% Demais 50% NO / norte MT 50% Cerrado NO/norte MT 80% NO e norte MT. 35% Cerrado na Amazônia 80% Amazônia

50% NO / norte do CO 20% Cerrado 20% Demais 50% NO / norte MT 50% Cerrado NO/norte MT 80% NO e norte MT. 35% Cerrado na Amazônia 80% Amazônia 1934 1965 1989 1996 2000 25% 20% NE/SE/S e sul do CO 50% NO / norte do CO 20% Cerrado 20% Demais 50% NO / norte MT 50% Cerrado NO/norte MT 80% NO e norte MT 20% Demais 35% Cerrado na Amazônia 80% Amazônia

Leia mais

MANEJO FLORESTAL COMUNITÁRIO E FAMILIAR

MANEJO FLORESTAL COMUNITÁRIO E FAMILIAR MISSÃO Promover o conhecimento, o uso sustentável e a ampliação da cobertura florestal, tornando a agenda florestal estratégica para a economia do país. MANEJO FLORESTAL COMUNITÁRIO E FAMILIAR Diretoria

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Dep. de Ciências Florestais

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Dep. de Ciências Florestais Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Dep. de Ciências Florestais LCF1581 RECURSOS FLORESTAIS EM PROPRIEDADES AGRÍCOLAS AULA: CADASTRO AMBIENTAL RURAL Gestor Ambiental

Leia mais

Regulamentação da CRA e PRA 27ª RO DA CÂMARA TEMÁTICA DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL E IRRIGAÇÃO - CTASI Raimundo Deusdará Filho.

Regulamentação da CRA e PRA 27ª RO DA CÂMARA TEMÁTICA DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL E IRRIGAÇÃO - CTASI Raimundo Deusdará Filho. Regulamentação da CRA e PRA 27ª RO DA CÂMARA TEMÁTICA DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL E IRRIGAÇÃO - CTASI Raimundo Deusdará Filho Diretor Geral/SFB O Brasil e as Florestas A cobertura florestal mundial é de

Leia mais

O Código Florestal e o alcance das metas brasileiras da COP 21: oportunidades e desafios

O Código Florestal e o alcance das metas brasileiras da COP 21: oportunidades e desafios CÓDIGO FLORESTAL E O ALCANCE DO DESMATAMENTO ILEGAL ZERO Brasília, 29 e 30 de março 2016 ANDI & Conservação Internacional Brasil O Código Florestal e o alcance das metas brasileiras da COP 21: oportunidades

Leia mais

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR O QUE É CAR O Cadastro Ambiental Rural - CAR, é o registro público eletrônico de âmbito nacional, obrigatório para todos os imóveis rurais, com a finalidade

Leia mais

Café da Manhã da Frente Parlamentar Ambientalista 04/05/2016

Café da Manhã da Frente Parlamentar Ambientalista 04/05/2016 Café da Manhã da Frente Parlamentar Ambientalista 04/05/2016 Extrato Geral do CAR Março 2016 ÁREA PASSÍVEL DE CADASTRO (em hectares) 1 ÁREA TOTAL CADASTRADA (em hectares) 2 ÁREA CADASTRADA (em %) 3 397.836.864

Leia mais

MÓDULO IV PLANO DE AÇÃO

MÓDULO IV PLANO DE AÇÃO MÓDULO IV PLANO DE AÇÃO Etapas do PMMA Organização do processo de elaboração do Plano Municipal da Mata Atlântica MOBILIZAÇÃO QUE CO SO ANÁLISE PRON CO VO Definição da Visão de Futuro DIAGNÓSTICO QUE CO

Leia mais

FAMURS Porto Alegre, 10 de maio de 2013

FAMURS Porto Alegre, 10 de maio de 2013 FAMURS Porto Alegre, 10 de maio de 2013 Marco legal CAR Instituído pela Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012 Art. 29. É criado o Cadastro Ambiental Rural - CAR, no âmbito do Sistema Nacional de Informação

Leia mais

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL PROJETO DE LEI N o 25, DE 2015 Dispõe sobre a conservação e a utilização sustentável da vegetação nativa do Bioma Cerrado. Autor:

Leia mais

Visão de longo prazo e adequação ambiental para o setor agropecuário

Visão de longo prazo e adequação ambiental para o setor agropecuário Grãos, Proteína Animal, Floresta Plantada e Palma Visão de longo prazo e adequação ambiental para o setor agropecuário São Paulo 3/08/2015 Rodrigo C. A. Lima Leila Harfuch Luciane Chiodi Wilson Zambianco

Leia mais

Seminário: Código Florestal e Sustentabilidade para jornalistas

Seminário: Código Florestal e Sustentabilidade para jornalistas Senado Federal Seminário: Código Florestal e Sustentabilidade para jornalistas professor gerd sparovek contato gerd@usp.br DF@181111 by sparovek Tópicos da apresentação Agropecuária/Conservação: situação

Leia mais

Treinamento: Gestão Ambiental da Propriedade Rural Cód. 294

Treinamento: Gestão Ambiental da Propriedade Rural Cód. 294 Código Ambiental Atualizado Santa Catarina Santa Catarina é o primeiro estado brasileiro em aprovar e fazer virar lei um código ambiental independente da legislação federal (é importante salientar que

Leia mais

A TNC está resente em mais de 30 países, com a missão de conservar as terras e águas das quais a vida depende.

A TNC está resente em mais de 30 países, com a missão de conservar as terras e águas das quais a vida depende. Quem somos? A TNC está resente em mais de 30 países, com a missão de conservar as terras e águas das quais a vida depende. No Brasil, onde atua há 25 anos, a TNC desenvolve iniciativas nos cinco principais

Leia mais

PARECER Nº, DE Relator: Senador JORGE VIANA I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE Relator: Senador JORGE VIANA I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2016 Da COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE, DEFESA DO CONSUMIDOR E FISCALIZAÇÃO E CONTROLE, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado (PLS) nº 428, de 2015, do Senador Valdir Raupp,

Leia mais

O papel dos viveiros em tempos de CAR

O papel dos viveiros em tempos de CAR O papel dos viveiros em tempos de CAR Mariana Megale Gerência de Gestão de Reserva Legal-DFAU Instituto Estadual de Florestas Histórico-Programas de Regularização de Imóveis Rurais Decreto nº 7.029/2009

Leia mais

Roteiro Executivo. Extrato Geral do CAR. Benefícios do CAR. Capacitação e Formação de Técnicos. Recursos Investidos

Roteiro Executivo. Extrato Geral do CAR. Benefícios do CAR. Capacitação e Formação de Técnicos. Recursos Investidos Roteiro Executivo Extrato Geral do CAR Benefícios do CAR Capacitação e Formação de Técnicos Recursos Investidos Recursos e Projetos Captados pelo MMA para apoio à execução do CAR e PRA Arquitetura do SICAR

Leia mais

Proposta de reestruturação do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos

Proposta de reestruturação do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Proposta de reestruturação do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Secretário Gabinete COPAM e CERH Assessoria Jurídica Auditoria Setorial Assessoria de Comunicação Social Assessoria de

Leia mais

Código Florestal Brasileiro

Código Florestal Brasileiro Direito Ambiental Prof. Dr. Thiago Leite Engenheiro Florestal (UnB-DF) Mestrado em Ciências Ambientais e Florestais com ênfase em Educação Ambiental (UnB-DF) Doutorado em Ciências Florestais com ênfase

Leia mais

Desmatamento anual na Amazônia Legal ( )

Desmatamento anual na Amazônia Legal ( ) Setembro 2016 4.571 7.464 7.000 6.418 5.891 5.012 5.831 11.030 11.651 13.730 13.786 13.227 12.911 14.896 14.896 14.286 16.531 17.770 18.161 17.383 17.259 18.226 18.165 19.014 21.050 21.651 25.396 27.772

Leia mais

Programa Plante Árvore. Instituto Brasileiro de Florestas - IBF

Programa Plante Árvore. Instituto Brasileiro de Florestas - IBF Programa Plante Árvore Instituto Brasileiro de Florestas - IBF O que é? O Programa Plante Árvore é uma ação voluntária do Instituto Brasileiro de Florestas IBF que consiste no cadastro de proprietários

Leia mais

A contribuição da regularização ambiental dos imóveis rurais na dinamização econômica dos municípios brasileiros.

A contribuição da regularização ambiental dos imóveis rurais na dinamização econômica dos municípios brasileiros. A contribuição da regularização ambiental dos imóveis rurais na dinamização econômica dos municípios brasileiros. ENCONTRO NACIONAL COM NOVOS PREFEITOS E PREFEITAS SETOR AGROPECUÁRIO PIB (%) BALANÇA COMERCIAL

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural CAR

Cadastro Ambiental Rural CAR Cadastro Ambiental Rural CAR Histórico Decreto nº 7.029/2009 (Decreto Mais Ambiente) Lei Federal nº 12.651/2012 Decreto nº 7.830/2012 Lei Estadual n.º 20.922/2013 Decreto nº 8.235/2014 Instrução Normativa

Leia mais

Prof. Pedro Brancalion

Prof. Pedro Brancalion Prof. Pedro Brancalion CAR Cadastro Ambiental Rural Art. 29. É criado o Cadastro Ambiental Rural CAR, (...) obrigatório para todos os imóveis rurais, com a finalidade de integrar as informações ambientais

Leia mais

III ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS COM O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

III ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS COM O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL III ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS COM O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Abril/2015 IMÓVEIS A SEREM INSCRITOS EM 2 ANOS Imóveis BR Área (ha) Estabelecimentos Agricultura familiar 4.367.902

Leia mais

Demarest Advogados Seminário Agronegócio: Agenda Regulatória

Demarest Advogados Seminário Agronegócio: Agenda Regulatória Demarest Advogados Seminário Agronegócio: Agenda Regulatória São Paulo, 25 de fevereiro de 2015 1 CADASTRO AMBIENTAL RURAL CAR ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE APP RESERVA LEGAL RL PROGRAMA DE REGULARIZAÇÃO

Leia mais

rio Xingu aproximadamente 2,7 mil quilômetros de extensão Campanha Y Ikatu Xingu

rio Xingu aproximadamente 2,7 mil quilômetros de extensão Campanha Y Ikatu Xingu rio Xingu aproximadamente 2,7 mil quilômetros de extensão Campanha Y Ikatu Xingu Paisagens da Bacia do rio Xingu Localização da Bacia do rio Xingu Total da Bacia (MT/PA): 51 milhões de hectares Ecossistemas

Leia mais

LEI Nº , DE VELHAS NOVIDADES E NOVOS PROBLEMAS. Ricardo Carneiro

LEI Nº , DE VELHAS NOVIDADES E NOVOS PROBLEMAS. Ricardo Carneiro LEI Nº 20.922, DE 16.10.2013 VELHAS NOVIDADES E NOVOS PROBLEMAS Ricardo Carneiro youtu.be/_zmuohub3wo.webloc HISTÓRICO E ESTRUTURA DA LEGISLAÇÃO FLORESTAL BRASILEIRA QUATRO GRANDES NORMATIVAS FLORESTAIS

Leia mais

Regulamentação da Lei n o Lei Federal de Florestas Maio de 2013

Regulamentação da Lei n o Lei Federal de Florestas Maio de 2013 Regulamentação da Lei n o 12.651 Lei Federal de Florestas Maio de 2013 Regulamentação da nova Lei Federal de Florestas 1. Porque regulamentar? 2. Fundamentos da regulamentação pelos estados 3. Competências

Leia mais

Zerar desmatamento no Brasil pode custar R$ 5 bi ao ano até 2030

Zerar desmatamento no Brasil pode custar R$ 5 bi ao ano até 2030 Estadão, 13 de julho de 2016 Zerar desmatamento no Brasil pode custar R$ 5 bi ao ano até 2030 Cálculo considera estratégia de pagamento por serviços ambientais, em que proprietário é compensado por conservar

Leia mais

Restauração Ecológica

Restauração Ecológica Restauração Ecológica A importância das florestas Seres humanos e sociedade: uso de recursos direta e indiretamente Diretamente: madeira para móveis, lenha, carvão, frutos, sementes e castanhas, óleos,

Leia mais

ESTRATÉGIA NACIONAL E FINANCIAMENTO DE REDD+ DO BRASIL

ESTRATÉGIA NACIONAL E FINANCIAMENTO DE REDD+ DO BRASIL ESTRATÉGIA NACIONAL E FINANCIAMENTO DE REDD+ DO BRASIL Leticia Guimarães Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental Ministério do Meio Ambiente Cuiabá, MT, 23 de agosto de 2012 Estrutura da

Leia mais

Boletim Informativo 2 anos 05 de maio de 2016

Boletim Informativo 2 anos 05 de maio de 2016 Boletim Informativo 2 anos 05 de maio de 2016 BRASIL Extrato Brasil Censo Agropecuário IBGE 2006 Área Passível de Cadastro¹ Área Total Cadastrada² Percentual de Área Cadastrada³ (hectares) (hectares) (%)

Leia mais

Mobilização e Capacitação para Elaboração dos Planos Municipais de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica Região Sudeste

Mobilização e Capacitação para Elaboração dos Planos Municipais de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica Região Sudeste Mobilização e Capacitação para Elaboração dos Planos Municipais de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica Região Sudeste Contexto do Projeto Lei da Mata Atlântica (Lei nº 11.428 de 22/12/2006) e Decreto

Leia mais

MÓDULO IV PLANO DE AÇÃO

MÓDULO IV PLANO DE AÇÃO MÓDULO IV PLANO DE AÇÃO ETAPA I MÓDULO I: Organização do processo de elaboração e Mobilização PT/ MOBILIZAÇÃO quecoso Etapas do PMMA ETAPA II proncovo MÓDULO II: Elaboração do Diagnóstico da Situação Atual

Leia mais

A biodiversidade ameaçada no Brasil: como garantir a sua proteção?

A biodiversidade ameaçada no Brasil: como garantir a sua proteção? A biodiversidade ameaçada no Brasil: como garantir a sua proteção? José Maria Cardoso da Silva & Adriano Paglia Conservação Internacional-Brasil Biodiversidade no Brasil Biodiversidade em vários níveis

Leia mais

170 mil motivos para comemorar. 27 de maio dia da Mata Atlântica.

170 mil motivos para comemorar. 27 de maio dia da Mata Atlântica. 170 mil motivos para comemorar 27 de maio dia da Mata Atlântica. 170.000 mudas plantadas conheça a história Sumário Anterior Próximo No dia da Mata Atlântica, 170 mil motivos para comemorar No dia 27 de

Leia mais

Figura 1 - Distribuição espacial dos quatro módulos fiscais por município.

Figura 1 - Distribuição espacial dos quatro módulos fiscais por município. Anexo metodológico A base de dados utilizada para o cálculo da área de reserva legal foi o Sistema Nacional de Cadastro Rural - SNCR. Essa base, gerenciada pelo INCRA, é a mais adequada para calcular a

Leia mais

PLATAFORMA PARA AS ELEIÇÕES 2.014

PLATAFORMA PARA AS ELEIÇÕES 2.014 PLATAFORMA PARA AS ELEIÇÕES 2014 Considerando que a Bacia do Rio Paraguai abrange a maior planície inundável do planeta, o Pantanal; Considerando que a bacia abriga mais de 8 milhões de habitantes com

Leia mais

AS FLORESTAS NO MUNDO

AS FLORESTAS NO MUNDO AS FLORESTAS NO MUNDO ÁREA - Naturais = 3,682 bilhões ha (95%) - Plantadas = 187 milhões ha (5%) - Total = 3,869 bilhões ha (100%) SUPRIMENTO DE MADEIRA - Naturais = 65% - Plantadas = 35% - Total = 100%

Leia mais

2.1 As ações deste projeto serão desenvolvidas nos seguintes estados: RS, SC, PR, SP, RJ, ES, SE, AL, RN, PB e CE.

2.1 As ações deste projeto serão desenvolvidas nos seguintes estados: RS, SC, PR, SP, RJ, ES, SE, AL, RN, PB e CE. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA DE EXTRATIVISMO E DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL GERÊNCIA DE REGULARIZAÇÃO AMBIENTAL Assunto: Origem: PROJETO

Leia mais

SUMÁRIO 1. NOÇÕES PRELIMINARES

SUMÁRIO 1. NOÇÕES PRELIMINARES SUMÁRIO 1. NOÇÕES PRELIMINARES 1. Direitos de terceira geração 1.1 Introdução 1.2 Direitos difusos 1.3 Direitos coletivos stricto sensu 1.4 Direitos individuais homogêneos 2. Meio ambiente: definição e

Leia mais

Sumário XVII. Índice Sistemático Novo Código Florestal Comentado... 5 Capítulo I Disposições gerais arts. 1 o a 3 o... 5 Art. 1 o A...

Sumário XVII. Índice Sistemático Novo Código Florestal Comentado... 5 Capítulo I Disposições gerais arts. 1 o a 3 o... 5 Art. 1 o A... Sumário Novo Código Florestal Comentado... 1 Índice Sistemático... 3 Novo Código Florestal Comentado... 5 Capítulo I Disposições gerais arts. 1 o a 3 o... 5 Art. 1 o... 5 Art. 1 o A... 6 MP n o 571...

Leia mais

Fortalecendo o mercado de seguros para um desenvolvimento sustentável

Fortalecendo o mercado de seguros para um desenvolvimento sustentável Fortalecendo o mercado de seguros para um desenvolvimento sustentável Confederação Nacional de Seguros São Paulo 15 de Setembro Francisco Gaetani Secretário Executivo do Ministério do Meio Ambiente A Nova

Leia mais

Biodiversidade e Mudanças Climáticas na Mata Atlântica. Iniciativa Internacional de Proteção ao Clima (IKI/BMU)

Biodiversidade e Mudanças Climáticas na Mata Atlântica. Iniciativa Internacional de Proteção ao Clima (IKI/BMU) Biodiversidade e Mudanças Climáticas na Mata Atlântica Iniciativa Internacional de Proteção ao Clima (IKI/BMU) Índice da Apresentação Lições aprendidas Projeto Proteção da Mata Atlântica II (2009 a 2012)

Leia mais

Grupo Arbore -

Grupo Arbore - Grupo Arbore - www.arboreflorestas.com.br 1 MÓDULOS FISCAIS Módulo (ha) Nºmunicípios Área 4 Módulos (ha) 5 1 20 10 1 40 12 21 48 14 13 56 16 58 64 18 131 72 20 115 80 22 18 88 24 37 96 30 4 120 94% dos

Leia mais

Desmatamento no Brasil

Desmatamento no Brasil Desmatamento no Brasil Novembro 2016 O The Forest Trust - TFT é uma organização global sem fins lucrativos que ajuda as empresas a compreender e transformar a história dos seus produtos a partir de suas

Leia mais

ANEXO-UNDER 2 ESTADO DE MATO GROSSO

ANEXO-UNDER 2 ESTADO DE MATO GROSSO ANEXO-UNDER 2 ESTADO DE MATO GROSSO CARACTERIZAÇÃO DO ESTADO O estado de Mato Grosso está localizado na região Centro-Oeste do Brasil, fazendo fronteira com os estados do Pará e Amazonas ao norte, Mato

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural CAR. Eng.ª Karine Rosilene Holler - AMVALI

Cadastro Ambiental Rural CAR. Eng.ª Karine Rosilene Holler - AMVALI Cadastro Ambiental Rural CAR Eng.ª Karine Rosilene Holler - AMVALI Legislação Lei Federal n 12.651/2012 - Código Florestal; Decreto Federal n 7.830/2012 - Dispõe sobre o Sistema de Cadastro Ambiental Rural;

Leia mais

Proteção e recuperação de mananciais para abastecimento público de água

Proteção e recuperação de mananciais para abastecimento público de água Proteção e recuperação de mananciais para abastecimento público de água Proteção e recuperação de mananciais para abastecimento público de água Assegurar água bruta em quantidade e qualidade para o SAA

Leia mais

BERNARDO DE A. M. TROVAO BRASILIA, 19/05/2016 CENÁRIO DA EXECUÇÃO

BERNARDO DE A. M. TROVAO BRASILIA, 19/05/2016 CENÁRIO DA EXECUÇÃO BERNARDO DE A. M. TROVAO BRASILIA, 19/05/2016 CENÁRIO DA EXECUÇÃO O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal Cadastro Ambiental Rural CAR: Âmbito Nacional Natureza declaratória Obrigatório para

Leia mais

AÇÕES DE MATO GROSSO PARA A PROTEÇÃO DO CLIMA

AÇÕES DE MATO GROSSO PARA A PROTEÇÃO DO CLIMA AÇÕES DE MATO GROSSO PARA A PROTEÇÃO DO CLIMA Plano de Prevenção e Controle do Desmatamento e Queimadas do Estado de Mato Grosso PPCDQ/MT 14000 12000 10000 8000 6000 4000 6543 6963 6466 5271 11814 10405

Leia mais

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Programa ABC Plano Setorial de Mitigação e de Adaptação às Mudanças Climáticas visando à Consolidação de uma Economia de Baixa Emissão de Carbono na Agricultura

Leia mais

MINAS GERAIS Sistema Estadual de Gerenciamento de Recursos Hídricos SEGRH: Desafios da implementação dos Planos de Bacia e Financiamento de projetos

MINAS GERAIS Sistema Estadual de Gerenciamento de Recursos Hídricos SEGRH: Desafios da implementação dos Planos de Bacia e Financiamento de projetos MINAS GERAIS Sistema Estadual de Gerenciamento de Recursos Hídricos SEGRH: Desafios da implementação dos Planos de Bacia e Financiamento de projetos Novembro de 2016 ESTRUTURA DO SINGREH FORMULAÇÃO DA

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2009 (Dos Srs. Assis do Couto e Anselmo de Jesus)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2009 (Dos Srs. Assis do Couto e Anselmo de Jesus) PROJETO DE LEI Nº, DE 2009 (Dos Srs. Assis do Couto e Anselmo de Jesus) Acrescenta e altera dispositivos da Lei nº 4.771, de 15 de setembro de 1965, altera dispositivo da Lei nº 11.428, de 22 de dezembro

Leia mais

CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO. Vetos publicados em 18/10/12 no D.O.U

CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO. Vetos publicados em 18/10/12 no D.O.U CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO Lei Nº 4.771/65 Lei nº 12.651/12 MP nº 571/12 PLV* 21/2012 Vetos publicados em 18/10/12 no D.O.U * Projeto de Lei de Conversão (PLV): Quando a medida provisória (MP) é alterada

Leia mais

Fórum Internacional de Estudos Estratégicos para o Desenvolvimento Agropecuário e Respeito ao Clima FEED Mudanças

Fórum Internacional de Estudos Estratégicos para o Desenvolvimento Agropecuário e Respeito ao Clima FEED Mudanças Fórum Internacional de Estudos Estratégicos para o Desenvolvimento Agropecuário e Respeito ao Clima FEED 2011 Mudanças Agricultura e Florestas REDD plus após a decisão da COP16: como fomentar projetos

Leia mais

Instituto O Direito Por Um Planeta Verde Projeto "Direito e Mudanças Climáticas nos Países Amazônicos"

Instituto O Direito Por Um Planeta Verde Projeto Direito e Mudanças Climáticas nos Países Amazônicos Instituto O Direito Por Um Planeta Verde Projeto "Direito e Mudanças Climáticas nos Países Amazônicos" Tema: Desmatamento Legislação Federal Lei nº 4.771, de 15.09.1965, que institui o novo Código Florestal

Leia mais

ORÇAMENTO SOCIOAMBIENTAL: programas e ações para as áreas protegidas e o Sistema Nacional de Unidades de Conservação, SNUC

ORÇAMENTO SOCIOAMBIENTAL: programas e ações para as áreas protegidas e o Sistema Nacional de Unidades de Conservação, SNUC ORÇAMENTO SOCIOAMBIENTAL: programas e ações para as áreas protegidas e o Sistema Nacional de Unidades de Conservação, SNUC Identificar quais são os recursos do orçamento federal destinados às Unidades

Leia mais

Financiamento de Paisagens Sustentáveis: Acre, Brasil RESUMO EXECUTIVO

Financiamento de Paisagens Sustentáveis: Acre, Brasil RESUMO EXECUTIVO Financiamento de Paisagens Sustentáveis: Acre, Brasil RESUMO EXECUTIVO A parceria do UFF inclui ONGs, institutos de setores de salvaguarda ambiental e social, peritos do sector financeiro e consultores

Leia mais

O agronegócio e o meio ambiente

O agronegócio e o meio ambiente O agronegócio e o meio ambiente Francisco de Godoy Bueno Advogado, formado pela Faculdade de Direito da USP (2006) Sócio do Bueno, Mesquita e Advogados. Mestrando em Direito Civil pela Faculdade de Direito

Leia mais

Osvaldo Antonio R. dos Santos Gerente de Recursos Florestais - GRF. Instituto de Meio Ambiente de MS - IMASUL

Osvaldo Antonio R. dos Santos Gerente de Recursos Florestais - GRF. Instituto de Meio Ambiente de MS - IMASUL Osvaldo Antonio R. dos Santos Gerente de Recursos Florestais - GRF Instituto de Meio Ambiente de MS - IMASUL Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico - SEMADE Presidência da República Casa

Leia mais

Limites e potencialidades da legislação florestal Leonardo Papp

Limites e potencialidades da legislação florestal Leonardo Papp Limites e potencialidades da legislação florestal Leonardo Papp Doutorando em Direito Socioambiental (PUCPR) Mestre em Direito Ambiental (UFSC) Especialista em Direito Imobiliário (PUCPR) Professor de

Leia mais

S UMÁRIO. Capítulo 1 Meio Ambiente Doutrina e Legislação...1. Questões...6 Gabaritos comentados...8

S UMÁRIO. Capítulo 1 Meio Ambiente Doutrina e Legislação...1. Questões...6 Gabaritos comentados...8 S UMÁRIO Capítulo 1 Meio Ambiente...1 1. Doutrina e Legislação...1 1.1. Conceito de meio ambiente... 1 1.2. Classi icação didática do meio ambiente... 3 1.3. O meio ambiente no art. 225 da CF/88... 4 Questões...6

Leia mais

NOVO CÓDIGO FLORESTAL DO ESTADO DE GOIÁS. Jordana Gabriel Sara Girardello Engenheira Agrônoma Consultora técnica SENAR

NOVO CÓDIGO FLORESTAL DO ESTADO DE GOIÁS. Jordana Gabriel Sara Girardello Engenheira Agrônoma Consultora técnica SENAR NOVO CÓDIGO FLORESTAL DO ESTADO DE GOIÁS Jordana Gabriel Sara Girardello Engenheira Agrônoma Consultora técnica SENAR NOVO CÓDIGO FLORETAL BRASILEIRO Lei 12.651 / 2012 Dispõe sobre a proteção da vegetação

Leia mais

Responsabilidade ambiental na produção agropecuária

Responsabilidade ambiental na produção agropecuária Responsabilidade ambiental na produção agropecuária Sumário Análise de conjuntura; Impactos das atividades agropecuárias sobre o meio ambiente; Responsabilidade ambiental; Boas práticas produtivas. Organograma

Leia mais

Figura 1 Corredor de Biodiversidade Miranda Serra da Bodoquena e suas unidades de conservação

Figura 1 Corredor de Biodiversidade Miranda Serra da Bodoquena e suas unidades de conservação Apresentação Os Corredores de Biodiversidade são grandes unidades de planejamento que têm como principal objetivo compatibilizar a conservação da natureza com um desenvolvimento econômico ambientalmente

Leia mais

Semana da Mata Atlântica

Semana da Mata Atlântica Mobilização e Capacitação para Elaboração dos Planos Municipais de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica Região Sudeste Semana da Mata Atlântica Conservar e recuperar a Mata Atlântica é questão de

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO OBJETIVO DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO Definir diretrizes para implantação do Sistema de Manutenção, Recuperação e Proteção da Reserva Florestal Legal e Áreas de Preservação Permanente SISLEG nos imóveis,

Leia mais

IBAMA SINAFLOR. Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais

IBAMA SINAFLOR. Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais IBAMA SINAFLOR Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais Lei de Proteção da Vegetação Nativa (Lei 12.651/2012) Art. 35. O controle da origem da madeira, do carvão e de outros produtos

Leia mais

O planejamento das áreas protegidas integradas à paisagem

O planejamento das áreas protegidas integradas à paisagem O planejamento das áreas protegidas integradas à paisagem Stanley Arguedas Mora, Coordenador Tecnico ELAP Márcia Regina Lederman, especialista Áreas Protegidas GIZ Marcos Roberto Pinheiro, consultor Áreas

Leia mais

Implicações do PL 1876/99 nas áreas. Presidente do IPEA

Implicações do PL 1876/99 nas áreas. Presidente do IPEA CÓDIGO FLORESTAL Implicações do PL 1876/99 nas áreas de Reserva Legal Marcio Pochmann Presidente do IPEA Pelo PL 1876/99 o que mudaria? Reserva Legal (RL) - Novos Recortes MF p O que é um Módulo Fiscal?

Leia mais

Diretoria de Agronegócios. BB e o Agronegócio

Diretoria de Agronegócios. BB e o Agronegócio Diretoria de Agronegócios BB e o Agronegócio Importância do Agronegócio no Brasil + 35% nas exportações do país 197,9 40,9% 41,1% 37,4% 55,1 58,2 60,4 20,6 23,8 24,8 41,9% 73,1 30,6 160,6 40,4% 137,5 118,3

Leia mais

DESFLORESTAMENTO DA MATA ATLÂNTICA

DESFLORESTAMENTO DA MATA ATLÂNTICA IFRJ- CAMPUS NILO PEÇANHA PINHEIRAL DESFLORESTAMENTO DA MATA ATLÂNTICA Profa. Cristiana do Couto Miranda Ecossistema em equilíbrio funções Serviços ambientais Interações meio biótico (organismos vegetais,

Leia mais

Informa. Questões fundiárias e o desmatamento na Amazônia. Analista Socioambiental e Coordenador de Capacitação em Gestão Ambiental - PQGA

Informa. Questões fundiárias e o desmatamento na Amazônia. Analista Socioambiental e Coordenador de Capacitação em Gestão Ambiental - PQGA Informa Outubro 15 nº 2 Questões fundiárias e o desmatamento na Amazônia Hélio Beiroz, Analista Socioambiental e Coordenador de Capacitação em Gestão Ambiental - PQGA As questões fundiárias estão no cerne

Leia mais

AVANÇOS NA IMPLEMENTAÇÃO DO SNUC E DESAFIOS PARA O FUTURO

AVANÇOS NA IMPLEMENTAÇÃO DO SNUC E DESAFIOS PARA O FUTURO AVANÇOS NA IMPLEMENTAÇÃO DO SNUC E DESAFIOS PARA O FUTURO Maurício Mercadante Diretoria de Áreas Protegidas Secretaria de Biodiversidade e Florestas Ministério do Meio Ambiente - Brasil Em 1985 as Unidades

Leia mais

Seminário Certificação e Fomento Florestal

Seminário Certificação e Fomento Florestal Programa Klabin Fomento Florestal Seminário Certificação e Fomento Florestal Diálogo Florestal Canoinhas SC Out 2012 Fomento Florestal Fomento Florestal tem o objetivo formar florestas produtivas em áreas

Leia mais

A diferença entre o remédio e o veneno é a dose! Luís Carlos Silva de Moraes

A diferença entre o remédio e o veneno é a dose! Luís Carlos Silva de Moraes A diferença entre o remédio e o veneno é a dose! Luís Carlos Silva de Moraes moraes.luis@terra.com.br Entendendo o problema 38%: prop. rurais 4%: urbano 58%: qual destinaçã ção? 58%: ponto de partida do

Leia mais

Serviços Técnicos e Gestão Ambiental no Agronegócio Diretoria de Agronegócios

Serviços Técnicos e Gestão Ambiental no Agronegócio Diretoria de Agronegócios 47º Café com Sustentabilidade - Febraban Pecuária Sustentável: Agentes financeiros como indutores de boas práticas Modelos de financiamento e investimento: incentivos à adoção de boas práticas socioambientais

Leia mais

Tópicos da apresentação

Tópicos da apresentação Tópicos da apresentação Metodologia utilizada; Resultados de Vulnerabilidade e Potencialidade; Classificação final das Zonas; Classificação das bacias do perímetro urbano de Campo Grande; Carta de gestão

Leia mais

Histórico do Licenciamento Ambiental

Histórico do Licenciamento Ambiental Cuiabá-MT, Maio - 2013 Histórico do Licenciamento Ambiental PNMA 1981 CONAMA nº 01 1986 CONAMA nº 237 1997 CONAMA nº 289 2001 (revogada) CONAMA nº 387 2006 Portaria Conjunta nº01/2008 SEMA INCRA - INTERMAT

Leia mais

Diretoria de Meio Ambiente Atividades e ações desenvolvidas pela estrutura municipal

Diretoria de Meio Ambiente Atividades e ações desenvolvidas pela estrutura municipal Diretoria de Meio Ambiente Atividades e ações desenvolvidas pela estrutura municipal Luiz Carlos Seidenfus Gerente de Licenciamento Ambiental LEI COMPLEMENTAR N 140, DE 8 DE DEZEMBRO DE 2011 Fixa normas

Leia mais

Seminário de Lançamento do Guia de Financiamento da Agricultura de Baixa Emissão de Carbono

Seminário de Lançamento do Guia de Financiamento da Agricultura de Baixa Emissão de Carbono SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO E COOPERATIVISMO SDC DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO E SUSTENTABILIDADE DEPROS COORDENAÇÃO DE MANEJO SUSTENTÁVEL DOS SISTEMAS PRODUTIVOS - CMSP Seminário

Leia mais

Organização da Aula. Recuperação de Áreas Degradas. Aula 2. Matas Ciliares: Nomenclatura e Conceito. Contextualização

Organização da Aula. Recuperação de Áreas Degradas. Aula 2. Matas Ciliares: Nomenclatura e Conceito. Contextualização Recuperação de Áreas Degradas Aula 2 Prof. Prof. Francisco W. von Hartenthal Organização da Aula Conceito, Importância e Recuperação da Mata Ciliar 1.Conceitos e funções da mata ciliar 2.Cenário de degradação

Leia mais

Disposições do Código Florestal Parte 2

Disposições do Código Florestal Parte 2 Instrumentos da legislação ambiental aplicáveis aos sistemas de infraestrutura Disposições do Código Florestal Parte 2 AUT 192 novembro de 2015 Principais determinações gerais do CF Florestas e demais

Leia mais

Aula 05. O objetivo desse código é criar limitações administrativas leis para proteção das florestas.

Aula 05. O objetivo desse código é criar limitações administrativas leis para proteção das florestas. Turma e Ano: MASTER A 2015 Matéria / Aula: Direito Ambiental Código Florestal e concessão de florestas Professor: Luiz Jungstedt Monitora: Kathleen Feitosa Aula 05 NOVO CÓDIGO FLORESTAL Lei 12.651/12 O

Leia mais

A Ocupação do Cerrado e Subsídios para a Elaboração de Projeto de Lei de Proteção Ambiental do Bioma.

A Ocupação do Cerrado e Subsídios para a Elaboração de Projeto de Lei de Proteção Ambiental do Bioma. A Ocupação do Cerrado e Subsídios para a Elaboração de Projeto de Lei de Proteção Ambiental do Bioma. Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle CMA Senado Federal Audiência

Leia mais

2 Áreas de Preservação Permanente APPs. ATENÇÃO! A vegetação da APP deverá ser mantida!

2 Áreas de Preservação Permanente APPs. ATENÇÃO! A vegetação da APP deverá ser mantida! 2 Áreas de Preservação Permanente APPs CONCEITO: Considera-se APP a área, coberta ou não por vegetação nativa, com a função ambiental de preservar os recursos hídricos, a paisagem, a estabilidade geológica

Leia mais