1 - Por fato da coisa / animal 2 - Por ato de terceiro A responsabilidade civil por fato da coisa ou do animal.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1 - Por fato da coisa / animal 2 - Por ato de terceiro. 7.1 - A responsabilidade civil por fato da coisa ou do animal."

Transcrição

1 7 RESPONSABILIDADE CIVIL INDIRETA Ocorre em duas situações: 1 - Por fato da coisa / animal 2 - Por ato de terceiro A responsabilidade civil por fato da coisa ou do animal. Será sempre atribuída a uma PESSOA, nunca a uma coisa ou a um animal. Ex.: coisa elevador, alimentos, ruína de edifícios ou construções, objetos lançados e caídos / animal cães. CC, art O responsável pelo fato da coisa ou do animal é o seu proprietário, mas também pode ser o DETENTOR, ou o guardião, aquele que exerce poder de comando sobre a coisa ou o animal Teoria do Guardião. CC, Art O dono, ou detentor, do animal ressarcirá o dano por este causado, se não provar culpa da vítima ou força maior. O proprietário é o guardião presumido, mas pode provar que no momento da ocorrência do dano não o era. Por ex.: animal estava com um adestrador. Essa responsabilidade é objetiva! Diferente do CC de 1916, não se analisará culpa in vigilando ou qualquer outra espécie de culpa, excluindo-se a responsabilidade civil apenas em caso de provada a culpa exclusiva da vítima ou caso fortuito / força maior. Responsabilidade pela ruína de edifícios ou construções: CC, art. 937 Assim como no CC de 1916, a responsabilidade é objetiva e quem responde é o dono do imóvel Mesmo provando que procedeu a reparos, que cuidou bem da coisa, se houve ruína é por que ainda havia necessidade.

2 CC, Art O dono de edifício ou construção responde pelos danos que resultarem de sua ruína, se esta provier de falta de reparos, cuja necessidade fosse manifesta. Responsabilidade por coisas lançadas ou caídas. CC, art. 938 Assim como no CC de 1916, a responsabilidade é objetiva e quem responde é quem HABITAR o local de onde foram lançadas / caídas as coisas. CC, Art Aquele que habitar prédio, ou parte dele, responde pelo dano proveniente das coisas que dele caírem ou forem lançadas em lugar indevido. Se não houver como provar de onde vieram as coisas, a responsabilidade será do condomínio. Exceção: condomínio em blocos/prova de impossibilidade. Reclamação ocorrerá por uma actio de effusis et dejectis. Veículo locado: Súmula 492 STF - Responsabilidade SOLIDÁRIA entre locatário e empresa locadora Teoria do risco Responsabilidade objetiva. Súmula 492 STF - A empresa locadora de veículos responde, civil e solidariamente com o locatário, pelos danos por este causados a terceiro, no uso do carro locado. Veículo alienado e ainda sem transferência no Detran: Súmula 132 STJ - A ausência de registro de transferência não implica a Responsabilidade do antigo proprietário por dano resultante de acidente que envolva veículo alienado. Responsabilidade civil do novo dono, pois o que transfere a propriedade do veículo é a sua TRADIÇÃO, não o registro no Detran. Posição diferente quanto a infrações administrativas, como multas Pode haver responsabilidade solidária (Resp /PR).

3 Veículo Emprestado: STF entende que há solidariedade entre o proprietário e o causador do dano Teoria do risco. Veículo Roubado: No caso acima a pessoa assume o risco, no caso de veículo roubado, proprietário não será responsabilizado, pois não assumiu o risco. 7.2 Responsabilidade por ato de terceiro. A forma de análise da responsabilidade civil por ato de terceiro mudou COMPLETAMENTE do Código Civil de 1916 para o Código civil de No ordenamento antigo trabalhava-se com um sistema de presunção de culpa tendo como base da análise a própria CULPA, que poderia ser in vigilando ou in eligendo. Hoje não se trabalha mais com o sistema de presunção de culpa, mas sim com a RESPONSABILIDADE OBJETIVA. Não há mais análise de culpa in vigilando ou in eligendo. Hoje, todas as situações de responsabilidade civil por ato de terceiro são situações de responsabilidade objetiva! CC, Art As pessoas indicadas nos incisos I a V do artigo antecedente, ainda que não haja culpa de sua parte, responderão pelos atos praticados pelos terceiros ali referidos. São as situações do artigo 932. CC, Art São também responsáveis pela reparação civil: I - os pais, pelos filhos menores que estiverem sob sua autoridade e em sua companhia; II - o tutor e o curador, pelos pupilos e curatelados, que se acharem nas mesmas condições; III - o empregador ou comitente, por seus empregados, serviçais e prepostos, no exercício do trabalho que lhes competir, ou em razão dele; IV - os donos de hotéis, hospedarias, casas ou estabelecimentos onde se albergue por dinheiro, mesmo para fins de educação, pelos seus hóspedes, moradores e educandos; V - os que gratuitamente houverem participado nos produtos do crime, até a concorrente quantia.

4 Para a doutrina predominante, as hipóteses de responsabilidade civil por ato de terceiro enunciadas no art. 932 são TAXATIVAS. O art. 932 diz São também responsáveis, impondo portanto, uma SOLIDARIEDADE PASSIVA*. 932 e 942, parágrafo único X 928. Mas há o direito de regresso!! Art. 934 Exceto no caso de pais para com filhos absoluta ou relativamente incapazes. CC, Art Os bens do responsável pela ofensa ou violação do direito de outrem ficam sujeitos à reparação do dano causado; e, se a ofensa tiver mais de um autor, todos responderão solidariamente pela reparação. Parágrafo único. São solidariamente responsáveis com os autores os co-autores e as pessoas designadas no art CC, Art Aquele que ressarcir o dano causado por outrem pode reaver o que houver pago daquele por quem pagou, salvo se o causador do dano for descendente seu, absoluta ou relativamente incapaz. CC, Art O incapaz responde pelos prejuízos que causar, se as pessoas por ele responsáveis não tiverem obrigação de fazê-lo ou não dispuserem de meios suficientes. Parágrafo único. A indenização prevista neste artigo, que deverá ser eqüitativa, não terá lugar se privar do necessário o incapaz ou as pessoas que dele dependem. O CC-02 mudou o tratamento dado aos pais. O art. 156 do Código de 1916 determinava que os relativamente incapazes seriam equiparados aos maiores nos ilícitos que praticassem reconhecia a eles responsabilidade civil. Um filho de 17 anos responderia solidariamente com o pai. Mas os absolutamente incapazes eram considerados completamente irresponsáveis. Segundo essa regra, um absolutamente incapaz, por exemplo, um alienado mental milionário representado por pessoa sem condições financeiras não poderia usar de sua fortuna para reparar seus ilícitos civis. O Código de 2002 não recepcionou esse artigo e deu responsabilidade civil SUBSIDIÁRIA ao incapaz, seja ele absoluta ou relativamente incapaz Art. 928.

5 Antes o artigo correspondente ao 932, I dizia sob seu poder e companhia, hoje fala sob sua autoridade e companhia Com essa alteração vincula-se autoridade à GUARDA? 1ª posição STJ - Quem se responsabiliza é quem tem a guarda, pois é quem exerce autoridade e companhia, salvo se o ato gerador do dever de reparação civil ocorrer no período de visitas, quando se encontra sob a autoridade e o poder do outro genitor. Resp RS 2ª posição STJ - Há doutrina com pensamento contrário que se embasa no argumento que o dever de educar é de ambos os genitores (Resp /MA de ) CC, art. 932, III Responsabilidade civil do empregador. O empregador é responsável por ato praticado por seu empregado NO EXERCÍCIO do trabalho, ou EM FUNÇÃO DESTE. Exercício do trabalho horário de trabalho. Em função do trabalho horário de almoço, caminho da ida ou da volta Não se analisa culpa in eligendo, pois agora a responsabilidade empregado-empregador é OBJETIVA. A súmula 341 do STF determinava a culpa presumida do empregador, mas hoje não se usa mais tal súmula, por já ser a responsabilidade OBJETIVA. ATENÇÃO! O que foi objetivado foi a responsabilidade interna! Não a externa! Responsabilidade Interna: Culpa quanto à escolha do empregado. Responsabilidade Externa: Culpa do empregado no evento ocorrido. A culpa pode ser analisada na relação externa ao ato ilícito, se não for caso de teoria do risco Ex.: Culpa exclusiva da vítima.

6 CC, art. 932, IV Donos de hotéis, hospedarias, motéis e escolas. A responsabilidade da escola é por educandos menores. Poder de comando entregue pelos pais à escola. Escola Pública Responsabilidade do Estado. Hotéis, hospedarias - responsabilidade do dono por danos causados por outros hóspedes (Ajuizará o dono e o hóspede causador do dano). Tal responsabilidade, segundo o doutrinador José de Aguiar Dias, provém do DEVER DE SEGURANÇA. Caso de assalto a mão armada em hotéis ou semelhantes STJ entende que se foram tomadas as devidas precauções de segurança, será fortuito externo e o proprietário não será responsabilizado. CC, art. 932, V Produto de crime Participante gratuito. Ex.: Receptação gratuita. Recebe objeto roubado e o guarda Responderá solidariamente pela reparação civil. 8 - Responsabilidade Civil entre empresários CC, art A responsabilidade civil entre empresários antigamente era subjetiva, mas também foi objetivada. Ex: Leite adulterado. Indústria Empresa Consumidor Resp. Objetiva Resp. Objetiva CC, Art Ressalvados outros casos previstos em lei especial, os empresários individuais e as empresas respondem independentemente de culpa pelos danos causados pelos produtos postos em circulação.

7 CDC, Art. 25. É vedada a estipulação contratual de cláusula que impossibilite, exonere ou atenue a obrigação de indenizar prevista nesta e nas seções anteriores. 1 Havendo mais de um responsável pela causação do dano, todos responderão solidariamente pela reparação prevista nesta e nas seções anteriores. 2 Sendo o dano causado por componente ou peça incorporada ao produto ou serviço, são responsáveis solidários seu fabricante, construtor ou importador e o que realizou a incorporação. 9 - Responsabilidade Civil do CONSTRUTOR CC, art Construtor ou empreiteiro responderá civilmente por qualquer evento danoso proveniente de falha da solidez ou da segurança da obra. Responderá por tal pelo prazo de 5 anos e por falhas tanto dos materiais quanto do solo. O prazo de 5 anos não é prazo prescricional, mas sim prazo legal de garantia da obra. Se o fato ocorreu após o 5º ano, mas o que GEROU o fato ocorreu antes Construtor será responsabilizado terá o ônus da prova. CC, Art Nos contratos de empreitada de edifícios ou outras construções consideráveis, o empreiteiro de materiais e execução responderá, durante o prazo irredutível de cinco anos, pela solidez e segurança do trabalho, assim em razão dos materiais, como do solo. Parágrafo único. Decairá do direito assegurado neste artigo o dono da obra que não propuser a ação contra o empreiteiro, nos cento e oitenta dias seguintes ao aparecimento do vício ou defeito. Ocorrendo o fato no prazo de garantia da obra, há o prazo decadencial de 180 dias contados a partir do conhecimento do vício/defeito prazo decadencial para exercer o direito potestativo de reclamar do vício ou defeito. O prazo prescricional para aquele que sofreu o dano, no caso de acidente, por exemplo, dependerá do caso concreto:

8 Vítima consumidora 5 anos (art. 27 CDC) para ação de reparação civil. Vítima não consumidora 3 anos (art. 206, 3º, V, CC) Ex.: Incorporadora Responsabilidade Médica Termo adequado: Responsabilidade civil por DANO MÉDICO, não por erro médico. CC, art. 951 Trata tanto dos médicos quanto das profissões equiparadas. CC, Art O disposto nos arts. 948, 949 e 950 aplica-se ainda no caso de indenização devida por aquele que, no exercício de atividade profissional, por negligência, imprudência ou imperícia, causar a morte do paciente, agravarlhe o mal, causar-lhe lesão, ou inabilitá-lo para o trabalho. CC, Art No caso de homicídio, a indenização consiste, sem excluir outras reparações: I - no pagamento das despesas com o tratamento da vítima, seu funeral e o luto da família; II - na prestação de alimentos às pessoas a quem o morto os devia, levando-se em conta a duração provável da vida da vítima. CC, Art No caso de lesão ou outra ofensa à saúde, o ofensor indenizará o ofendido das despesas do tratamento e dos lucros cessantes até ao fim da convalescença, além de algum outro prejuízo que o ofendido prove haver sofrido. CC, Art Se da ofensa resultar defeito pelo qual o ofendido não possa exercer o seu ofício ou profissão, ou se lhe diminua a capacidade de trabalho, a indenização, além das despesas do tratamento e lucros cessantes até ao fim da convalescença, incluirá pensão correspondente à importância do trabalho para que se inabilitou, ou da depreciação que ele sofreu. Parágrafo único. O prejudicado, se preferir, poderá exigir que a indenização seja arbitrada e paga de uma só vez. REGRA GERAL: Responsabilidade médica é SUBJETIVA e baseada na culpa profissional.

9 A relação médico-paciente é considerada, em regra, como uma relação de consumo, mas o próprio CDC em seu art. 14, parágrafo 4º, abre exceção determinando que os profissionais liberais (toda pessoa física que presta um serviço técnico ou científico de forma autônoma) respondem com base na culpa profissional (negligência, imprudência e imperícia). CDC, Art. 14. O fornecedor de serviços responde, independentemente da existência de culpa, pela reparação dos danos causados aos consumidores por defeitos relativos à prestação dos serviços, bem como por informações insuficientes ou inadequadas sobre sua fruição e riscos. 1 O serviço é defeituoso quando não fornece a segurança que o consumidor dele pode esperar, levando-se em consideração as circunstâncias relevantes, entre as quais: I - o modo de seu fornecimento; II - o resultado e os riscos que razoavelmente dele se esperam; III - a época em que foi fornecido. 2º O serviço não é considerado defeituoso pela adoção de novas técnicas. 3 O fornecedor de serviços só não será responsabilizado quando provar: I - que, tendo prestado o serviço, o defeito inexiste; II - a culpa exclusiva do consumidor ou de terceiro. 4 A responsabilidade pessoal dos profissionais liberais será apurada mediante a verificação de culpa. Há uma especialidade médica que recebe tratamento muito mais rígido: Cirurgião Plástico. Há dois tipos de cirurgia plástica: - Cirurgia Plástica Reparadora - Cirurgia Plástica Estética A cirurgia plástica reparadora é aquela em que o médico luta contra uma patologia ou defeito Gera OBRIGAÇÃO DE MEIO (Não há como garantir o resultado).

10 A cirurgia plástica estética ou embelezadora tem projeção de resultado, o qual é escolhido pelo paciente STJ entende que nesse caso há OBRIGAÇÃO DE RESULTADO. *Cirurgia de miopia gera obrigação de meio ou de resultado? Jurisprudência majoritária entende ser obrigação de meio, pois o médico enfrenta uma patologia e não há dano no caso da visão não piorar, mas o TJSC entende de forma distinta dando obrigação de resultado por ser o paciente um consumidor. *Responsabilidade civil do anestesiologista: Segundo o doutrinador Jurandir Sebastião, a responsabilidade civil do anestesiologista não pode ser considerada como obrigação de resultado, pois o corpo humano pode desencadear inúmeras reações adversas (Ex: alergias) não previsíveis, o que não poderia ser controlado. Mas, se no caso concreto, houver prova de que não foram tomados os cuidados necessários, o anestesiologista poderá ser responsabilizado. *Responsabilidade civil do hospital: Hospital não é profissional liberal, é pessoa jurídica prestadora de serviço de consumo e por isso tem responsabilidade civil objetiva, mas o STJ vem entendendo (Por ex.: Resp /SP) que também depende da culpa profissional, mesmo não sendo um profissional liberal. STJ entende que para responsabilizar o hospital deve-se provar a culpa do médico, a qual é subjetiva o que tornaria a responsabilidade do hospital também subjetiva. Mas no caso de infecção hospitalar a responsabilidade civil do hospital é objetiva, pois não decorre de atividade médica, mas sim da internação. Há entendimento também do STJ de que a responsabilidade civil do PLANO DE SAÚDE, se for companhia de seguro, também seria objetiva por ser este quem escolhe e cadastra os médicos. Não sendo companhia de seguro, o STJ não se manifestou.

11 *Termo de Consentimento Informado: CC, Art. 15. Ninguém pode ser constrangido a submeter-se, com risco de vida, a tratamento médico ou a intervenção cirúrgica. O termo de consentimento informado é o instrumento que visa manter clara a relação médico paciente. É exercício do dever de informação, mas não exime o médico de suas responsabilidades. *Transfusão de sangue Testemunhas de Jeová: Há duas correntes doutrinárias que analisam tal situação: 1 Pelo princípio constitucional da dignidade da pessoa humana, o adepto da religião possui liberdade de crença e pode recusar a transfusão. 2 Pelo princípio da proporcionalidade, o médico deve atuar para salvar a vida, de acordo com a Res do CFM O médico seria obrigado a fazer a transfusão se for para salvar a vida. Arts. 46 e 56 do Código de Ética Médica. - MAJORITÁRIA *A Perda de uma Chance: Segundo Fernando Gaburri e Sérgio Dias, a perda de uma chance pode gerar indenização por afastar uma legítima expectativa de favorecimento ao lesado. Ocorre nos casos em que é retirado da vítima uma provável oportunidade de melhorar a sua situação atual. Consiste em uma 3ª espécie de dano, não se confundindo com o dano emergente ou o lucro cessante. STJ, RESP BA Caso Show do Milhão Reconhecimento da perda de uma chance - Impossibilidade de prestação por culpa do devedor. Para a responsabilidade médica a perda de uma chance se caracteriza quando o médico deixa de escolher o procedimento mais eficiente, perdendo a chance de curar o paciente. Não atua diretamente, apenas deixa de usar o melhor meio, o procedimento mais recomendável.

12 Nesse caso o médico será responsabilizado de uma forma reduzida, pois mesmo com o procedimento correto não há como garantir que ocorreria a cura Responsabilidade civil do advogado CF, art. 133 considera o advogado como agente essencial à administração da justiça e determina a inviolabilidade por seus atos e manifestações profissionais. Art. 32, Estatuto da OAB De acordo com o art. 14, 4º do CDC, a responsabilidade civil do advogado é SUBJETIVA. Advogado possui obrigação de MEIO não pode garantir o resultado da causa (mesmo se contratado apenas para fazer parecer). Pode ser responsabilizado pela PERDA DE UMA CHANCE (prazos perdidos, recursos não interpostos).

CÓDIGO CIVIL. Livro III. Dos Fatos Jurídicos TÍTULO III. Dos Atos Ilícitos

CÓDIGO CIVIL. Livro III. Dos Fatos Jurídicos TÍTULO III. Dos Atos Ilícitos CÓDIGO CIVIL Livro III Dos Fatos Jurídicos TÍTULO III Dos Atos Ilícitos Art. 186. Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL. Art. 927. Aquele que, por ato ilícito (arts. 186 e 187), causar dano a outrem, fica obrigado a repará-lo.

RESPONSABILIDADE CIVIL. Art. 927. Aquele que, por ato ilícito (arts. 186 e 187), causar dano a outrem, fica obrigado a repará-lo. RESPONSABILIDADE CIVIL I. OBRIGAÇÃO DE INDENIZAR 1.Responsabilidade Subjetiva e Objetiva Art. 927. Aquele que, por ato ilícito (arts. 186 e 187), causar dano a outrem, fica obrigado a repará-lo. Parágrafo

Leia mais

Responsabilidade civil médicohospitalar na jurisprudência do STJ

Responsabilidade civil médicohospitalar na jurisprudência do STJ Responsabilidade civil médicohospitalar na jurisprudência do STJ 4º Congresso Brasileiro de Aspectos Legais para Gestores e Advogados de Saúde São Paulo, 24 de maio de 2013 Ricardo Villas Bôas Cueva Ministro

Leia mais

Mini Curículo: Graduado pela UNIT (2002), pós-graduado em Direito

Mini Curículo: Graduado pela UNIT (2002), pós-graduado em Direito Contatos: Site: www.diogocalasans.com E-mail: contato@diogocalasans.com Facebook: www.facebook.com/ diogocalasans Twitter: http://twitter.com/@diogocalasans 1 Mini Curículo: Graduado pela UNIT (2002),

Leia mais

ATO ILÍCITO E RESPONSABILIDADE CIVIL

ATO ILÍCITO E RESPONSABILIDADE CIVIL ATO ILÍCITO E RESPONSABILIDADE CIVIL Professor Dicler ATO ILÍCITO E RESPONSABILIDADE CIVIL Ato ilícito é o ato praticado em desacordo com a ordem jurídica, violando um direito (art. 186 do CC) ou abusando

Leia mais

7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil. Tópicos Especiais em Direito Civil

7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil. Tópicos Especiais em Direito Civil 7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil Tópicos Especiais em Direito Civil Introdução A Responsabilidade Civil surge em face de um descumprimento obrigacional pela desobediência de uma regra estabelecida

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 06 Prof. Ms Luane Lemos RESPONSABILIDADE POR FATO DA COISA E POR FATO DE OUTREM I. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM

RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 06 Prof. Ms Luane Lemos RESPONSABILIDADE POR FATO DA COISA E POR FATO DE OUTREM I. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 06 Prof. Ms Luane Lemos RESPONSABILIDADE POR FATO DA COISA E POR FATO DE OUTREM 1. ASPECTOS GERAIS I. RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM (CC) ART. 932. SÃO TAMBÉM RESPONSÁVEIS

Leia mais

Responsabilidade Civil

Responsabilidade Civil Responsabilidade Civil Apontamentos por José Roberto Monteiro 4º semestre 2012 02/08 /12 Apresentação e bibliografia 09/08/12 1. Significado 2. Responsabilidade Civil X Moral 3. Diferença entre obrigações

Leia mais

OAB 1ª Fase Direito Civil Responsabilidade Civil Duarte Júnior

OAB 1ª Fase Direito Civil Responsabilidade Civil Duarte Júnior OAB 1ª Fase Direito Civil Responsabilidade Civil Duarte Júnior 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. RESPONSABILIDADE CIVIL É A OBRIGAÇÃO QUE INCUMBE A ALGUÉM DE

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º, DE 2010. (Do Sr. Vanderlei Macris)

PROJETO DE LEI N.º, DE 2010. (Do Sr. Vanderlei Macris) PROJETO DE LEI N.º, DE 2010. (Do Sr. Vanderlei Macris) Acrescenta parágrafo único ao Art. 932, da Lei 10.406, de 10 de janeiro de 2002 Código Civil, dispondo sobre a responsabilidade dos locatários de

Leia mais

CONTRATUAL Obrigação de meio X Obrigação de Resultado. EXTRACONTRATUAL (ex. direito de vizinhança, passagem, águas, etc)

CONTRATUAL Obrigação de meio X Obrigação de Resultado. EXTRACONTRATUAL (ex. direito de vizinhança, passagem, águas, etc) Artigo 186, do Código Civil: Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito. CONTRATUAL

Leia mais

A p s e p c e t c os o s Ju J r u ídi d co c s o s n a n V n e t n ilaç a ã ç o ã o M ec e â c n â i n ca

A p s e p c e t c os o s Ju J r u ídi d co c s o s n a n V n e t n ilaç a ã ç o ã o M ec e â c n â i n ca Aspectos Jurídicos na Ventilação Mecânica Prof. Dr. Edson Andrade Relação médico-paciente Ventilação mecânica O que é a relação médico-paciente sob a ótica jurídica? Um contrato 1 A ventilação mecânica

Leia mais

RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO

RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO TOMÁS LIMA DE CARVALHO Em julgamento proferido no dia 22 de setembro de 2009, a Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça

Leia mais

Conflitos entre o Processo Penal E o Processo Administrativo sob O ponto de vista do médico. Dr. Eduardo Luiz Bin Conselheiro do CREMESP

Conflitos entre o Processo Penal E o Processo Administrativo sob O ponto de vista do médico. Dr. Eduardo Luiz Bin Conselheiro do CREMESP Conflitos entre o Processo Penal E o Processo Administrativo sob O ponto de vista do médico Dr. Eduardo Luiz Bin Conselheiro do CREMESP PRÁTICA MÉDICA A prática médica se baseia na relação médicopaciente,

Leia mais

1) Pressupostos da responsabilidade civil: Conduta: ação ou omissão, própria ou alheia. Responsabilidade in vigilando e in eligendo.

1) Pressupostos da responsabilidade civil: Conduta: ação ou omissão, própria ou alheia. Responsabilidade in vigilando e in eligendo. 1 PONTO 1: Pressupostos da responsabilidade civil 1) Pressupostos da responsabilidade civil: Conduta: ação ou omissão, própria ou alheia. Responsabilidade in vigilando e in eligendo. Dano: material, moral

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DOS OPERADORES DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS

RESPONSABILIDADE CIVIL DOS OPERADORES DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS RESPONSABILIDADE CIVIL DOS OPERADORES DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS Atividade de intermediação de negócios imobiliários relativos à compra e venda e locação Moira de Toledo Alkessuani Mercado Imobiliário Importância

Leia mais

1) RESPONSABILIDADE CIVIL NO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR

1) RESPONSABILIDADE CIVIL NO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR 1) RESPONSABILIDADE CIVIL NO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR Lei nº 8.078, de 11.09.90 O conceito de consumidor vem estampado no art. 2º e o de fornecedor no art. 3º, ambos do CDC. Consumidor é a pessoa

Leia mais

Site: www.fernandomenezes.adv.br E-mail: advogado@fernandomenezes.adv.br Celular: (71) 9917-5454 e (71) 9173-8855 Telefone: (71) 3341-5454 Av.

Site: www.fernandomenezes.adv.br E-mail: advogado@fernandomenezes.adv.br Celular: (71) 9917-5454 e (71) 9173-8855 Telefone: (71) 3341-5454 Av. Site: www.fernandomenezes.adv.br E-mail: advogado@fernandomenezes.adv.br Celular: (71) 9917-5454 e (71) 9173-8855 Telefone: (71) 3341-5454 Av. Tancredo Neves, nº 939, Sala 907, bairro Caminho das Arvores,

Leia mais

ÍNDICE SISTEMÁTICO. Nota à Segunda Edição... Apresentação à Terceira Edição... Apresentação...

ÍNDICE SISTEMÁTICO. Nota à Segunda Edição... Apresentação à Terceira Edição... Apresentação... Nota à Segunda Edição... Apresentação à Terceira Edição... Apresentação... XVII XIX XXI Introdução Evolução da Responsabilidade Civil... 1 1. Fatores da evolução... 2 2. Fases da evolução... 4 2.1. A flexibilização

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR » Cacildo Baptista Palhares Júnior Advogado em Araçatuba (SP) Questões comentadas de direito do consumidor da prova objetiva do concurso de 2010 para Defensor da Bahia Com referência ao CDC, julgue os

Leia mais

Profilaxia das alegações de erro médico. Paulo Afonso - BA

Profilaxia das alegações de erro médico. Paulo Afonso - BA Profilaxia das alegações de erro médico Paulo Afonso - BA Princípios Fundamentais do CEM I - A Medicina é uma profissão a serviço da saúde do ser humano e da coletividade e será exercida sem discriminação

Leia mais

RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO

RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO TOMÁS LIMA DE CARVALHO 1 Em julgamento proferido no dia 22 de setembro de 2009, a Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça

Leia mais

Fraude contra credores (continuação)

Fraude contra credores (continuação) Turma e Ano: Turma Regular Master A Matéria / Aula: Direito Civil Aula 13 Professor: Rafael da Mota Mendonça Monitora: Fernanda Manso de Carvalho Silva Fraude contra credores (continuação) OBS1: Fraude

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL NO EXAME DA ORDEM

RESPONSABILIDADE CIVIL NO EXAME DA ORDEM RESPONSABILIDADE CIVIL NO EXAME DA ORDEM [001 - CESPE - 2006 - OAB - Exame da Ordem] A respeito da responsabilidade civil, assinale a opção correta. a) A fixação judicial do valor da indenização a título

Leia mais

AULA 07. CONTEÚDO DA AULA: Abuso de Direito Final. Art. 927, Parágrafo único. Art. 931. Responsabilidade pelo fato de terceiro 932 até Inciso III.

AULA 07. CONTEÚDO DA AULA: Abuso de Direito Final. Art. 927, Parágrafo único. Art. 931. Responsabilidade pelo fato de terceiro 932 até Inciso III. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Responsabilidade Civil / Aula 07 Professora: Andréa Amim Monitora: Mariana Simas de Oliveira AULA 07 CONTEÚDO DA AULA: Abuso de Direito Final. Art. 927, Parágrafo

Leia mais

RESPONSABILIDADE TÉCNICA DO NUTRICIONISTA: QUESTÃO ÉTICA, LEGAL E CIVIL

RESPONSABILIDADE TÉCNICA DO NUTRICIONISTA: QUESTÃO ÉTICA, LEGAL E CIVIL RESPONSABILIDADE TÉCNICA DO NUTRICIONISTA: QUESTÃO ÉTICA, LEGAL E CIVIL LEGISLAÇÃO PERTINENTE AO EXERCÍCIO PROFISSIONAL; RESPONSABILIDADE ÉTICA; RESPONSABILIDADE TÉCNICA; REPONSABILIDADE CIVIL; RESPONSABILIDADE

Leia mais

Resumo. Responsabilidade civil (continuação):

Resumo. Responsabilidade civil (continuação): Resumo Responsabilidade civil (continuação): Responsabilidade civil: questões importantes a) Súmula 492, STF: A empresa locadora de veículos responde, civil e solidariamente com o locatário, pelos danos

Leia mais

Aula 5 Pressupostos da responsabilidade civil (Culpa).

Aula 5 Pressupostos da responsabilidade civil (Culpa). Aula 5 Pressupostos da responsabilidade civil (Culpa). Pressupostos da responsabilidade civil subjetiva: 1) Ato ilícito; 2) Culpa; 3) Nexo causal; 4) Dano. Como já analisado, ato ilícito é a conduta voluntária

Leia mais

Contrato de Prestação de Serviços. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Contrato de Prestação de Serviços. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Contrato de Prestação de Serviços Contrato de Prestação de Serviços Visão Geral dos Contratos: Formação dos Contratos;e Inadimplemento Contratual. Formação dos Contratos Validade do Negócio Jurídico: Agente

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO

DIREITO ADMINISTRATIVO DIREITO ADMINISTRATIVO RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO Atualizado até 13/10/2015 RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO NOÇÕES INTRODUTÓRIAS Quando se fala em responsabilidade, quer-se dizer que alguém deverá

Leia mais

O O CONFLITO ENTRE O PODER DE DIREÇÃO DA EMPRESA E A INTIMIDADE/PRIVACIDADE DO EMPREGADO NO AMBIENTE DE TRABALHO. Adriana Calvo

O O CONFLITO ENTRE O PODER DE DIREÇÃO DA EMPRESA E A INTIMIDADE/PRIVACIDADE DO EMPREGADO NO AMBIENTE DE TRABALHO. Adriana Calvo O O CONFLITO ENTRE O PODER DE DIREÇÃO DA EMPRESA E A INTIMIDADE/PRIVACIDADE DO EMPREGADO NO AMBIENTE DE TRABALHO Adriana Calvo Professora de Direito do Trabalho do Curso Preparatório para carreiras públicas

Leia mais

A Visão do Desembargador Sergio Cavalieri Filho Sobre a Responsabilidade Civil nos 10 Anos do Código Civil na Construção da Doutrina e Jurisprudência

A Visão do Desembargador Sergio Cavalieri Filho Sobre a Responsabilidade Civil nos 10 Anos do Código Civil na Construção da Doutrina e Jurisprudência 222 Série Aperfeiçoamento de Magistrados 13 10 Anos do Código Civil - Aplicação, Acertos, Desacertos e Novos Rumos Volume 2 A Visão do Desembargador Sergio Cavalieri Filho Sobre a Responsabilidade Civil

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR O DANO MORAL

RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR O DANO MORAL Profa. Dra. Débora Vanessa Caús Brandão Doutora e Mestre em Direito Civil pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Professora Titular de Direito Civil da Faculdade de Direito de São Bernardo

Leia mais

Erro Médico sob a Ótica Civil, Penal e Ética. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Erro Médico sob a Ótica Civil, Penal e Ética. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Erro Médico sob a Ótica Civil, Penal e Ética Objetivo Fornecer aos interessados alguns subsídios para um melhor entendimento do que seja a responsabilidade civil, penal e ética dos médicos, do chamado

Leia mais

RETA FINAL AGU Disciplina: Direito Civil Tema: Responsabilidade Civil Prof.: Cristiano Chaves Data: 22/06/2007 RESUMO

RETA FINAL AGU Disciplina: Direito Civil Tema: Responsabilidade Civil Prof.: Cristiano Chaves Data: 22/06/2007 RESUMO RESUMO Direito Civil Responsabilidade Civil 1. Tutela Preventiva da Responsabilidade Civil: Reparação de danos com o intuito preventivo. Art. 12, CC. Art. 461, CPC. Art. 84 CDC: conformam uma nova perspectiva

Leia mais

Introdução ao Estudo da Responsabilidade Civil

Introdução ao Estudo da Responsabilidade Civil Introdução ao Estudo da Responsabilidade Civil Material didático destinado à sistematização do conteúdo da disciplina Direito Civil IVI Publicação no semestre 2014.1 no curso de Direito. Autor: Vital Borba

Leia mais

ERROS NOS PROCEDIMENTOS DE ENFERMAGEM CONTEXTO, CONDIÇÕES DE TRABALHO E RESPONSABILIDADES

ERROS NOS PROCEDIMENTOS DE ENFERMAGEM CONTEXTO, CONDIÇÕES DE TRABALHO E RESPONSABILIDADES ERROS NOS PROCEDIMENTOS DE ENFERMAGEM CONTEXTO, CONDIÇÕES DE TRABALHO E RESPONSABILIDADES Palestrante: Cláudio Márcio de Oliveira Leal Procurador Geral COREN/PI FUNDAMENTOS LEGAIS DO REGISTRO DE ENFERMAGEM.

Leia mais

Ana Carolina da Silveira Notini

Ana Carolina da Silveira Notini Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro A Responsabilidade Civil das Operadoras de Saúde por erro de médico credenciado Ana Carolina da Silveira Notini Rio de Janeiro 2014 ANA CAROLINA DA SILVEIRA

Leia mais

Aspectos da responsabilidade civil no Código de Defesa do Consumidor e excludentes

Aspectos da responsabilidade civil no Código de Defesa do Consumidor e excludentes Aspectos da responsabilidade civil no Código de Defesa do Consumidor e excludentes Michele Oliveira Teixeira advogada e professora do Centro Universitário Franciscano em Santa Maria (RS) Simone Stabel

Leia mais

Responsabilidade Civil de Provedores

Responsabilidade Civil de Provedores Responsabilidade Civil de Provedores Impactos do Marco Civil da Internet (Lei Nº 12.965, de 23 abril de 2014) Fabio Ferreira Kujawski Modalidades de Provedores Provedores de backbone Entidades que transportam

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2014.1

PLANO DE ENSINO 2014.1 FUNDAÇÃO EDSON QUEIROZ UNIVERSIDADE DE FORTALEZA CENTRO DE CIENCIAS JURIDICAS PLANO DE ENSINO 2014.1 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Disciplina/Módulo: Responsabilidade Civil Código/Turma: J774-81 Pré-requisito:J557

Leia mais

CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR. Prof. Alexandre LIPP João PONTO 1: BASE CONSTITUCIONAL DO CDC. b) TEORIAS, INÍCIO DOS PRINCÍPIOS NO CDC

CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR. Prof. Alexandre LIPP João PONTO 1: BASE CONSTITUCIONAL DO CDC. b) TEORIAS, INÍCIO DOS PRINCÍPIOS NO CDC 1 CDC PONTO 1: BASE CONSTITUCIONAL DO CDC PONTO 2: a) DISTINÇÃO CONSUMIDOR E FORNECEDOR b) TEORIAS, INÍCIO DOS PRINCÍPIOS NO CDC 1) A BASE CONSTITUCIONAL DA DEFESA DO CONSUMIDOR: ART. 5º, XXXII 1, CF (Dir.

Leia mais

DOS FATOS JURÍDICOS. FATO JURÍDICO = é todo acontecimento da vida relevante para o direito, mesmo que seja fato ilícito.

DOS FATOS JURÍDICOS. FATO JURÍDICO = é todo acontecimento da vida relevante para o direito, mesmo que seja fato ilícito. DOS FATOS JURÍDICOS CICLO VITAL: O direito nasce, desenvolve-se e extingue-se. Essas fases ou os chamados momentos decorrem de fatos, denominados de fatos jurídicos, exatamente por produzirem efeitos jurídicos.

Leia mais

Da Responsabilidade Civil do Profissional da Contabilidade

Da Responsabilidade Civil do Profissional da Contabilidade Da Responsabilidade Civil do Profissional da Contabilidade Prof. Roberta Schneider Westphal Prof. Odair Barros www.rsw.adv.br A responsabilização profissional surge juntamente com qualquer manifestação

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO JURISPRUDÊNCIA CIVIL. Ação Regressiva-Jurisprudência do STJ-Especial

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO JURISPRUDÊNCIA CIVIL. Ação Regressiva-Jurisprudência do STJ-Especial VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO JURISPRUDÊNCIA CIVIL Ação Regressiva-Jurisprudência do STJ-Especial Orientador Empresarial A JURISPRUDÊNCIA DO STJ SOBRE AÇÃO REGRESSIVA

Leia mais

Responsabilidade Civil nas Relações de Consumo

Responsabilidade Civil nas Relações de Consumo Responsabilidade Civil nas Relações de Consumo Material didático destinado à sistematização do conteúdo da disciplina Direito Civil III Publicação no semestre 2015.1 Autor: Valberto Alves de Azevedo Filho

Leia mais

PROJETO DE LEI N o, DE 2012 (Do Sr. Romero Rodrigues) O Congresso Nacional decreta:

PROJETO DE LEI N o, DE 2012 (Do Sr. Romero Rodrigues) O Congresso Nacional decreta: PROJETO DE LEI N o, DE 2012 (Do Sr. Romero Rodrigues) Permite ao terceiro prejudicado intentar ação diretamente contra o segurador. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta Lei faculta ao terceiro prejudicado

Leia mais

Módulo 04 Avaliação de Desempenho na Entrega, Uso e Manutenção Alexandre Junqueira Gomide

Módulo 04 Avaliação de Desempenho na Entrega, Uso e Manutenção Alexandre Junqueira Gomide 1º Workshop Avaliação de Desempenho na Prática Módulo 04 Avaliação de Desempenho na Entrega, Uso e Manutenção Alexandre Junqueira Gomide INTRODUÇÃO NORMA DE DESEMPENHO E NOVAS CONSEQUÊNCIAS A norma de

Leia mais

Em nossa visão a prova de Direito Civil para Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil (ESAF AFRFB/2012) não comporta qualquer possibilidade de anulação de questões. Foi bem objetiva, sendo que todas

Leia mais

Anual Especial Diurno Direito Civil Nelson Rosenvald Data: 22/05/2012 Aula 69-70 RESUMO SUMÁRIO

Anual Especial Diurno Direito Civil Nelson Rosenvald Data: 22/05/2012 Aula 69-70 RESUMO SUMÁRIO Anual Especial Diurno Direito Civil Nelson Rosenvald Data: 22/05/2012 Aula 69-70 RESUMO SUMÁRIO 1) Responsabilidade civil 1.1) Ato ilícito 1.2) Culpa 1.3) Abuso de direito 1.4) Eficácia do ilícito 1) Responsabilidade

Leia mais

Defesa do consumidor: responsabilidade do fornecedor por vício e por defeito do produto ou serviço

Defesa do consumidor: responsabilidade do fornecedor por vício e por defeito do produto ou serviço Defesa do consumidor: responsabilidade do fornecedor por vício e por defeito do produto ou serviço Por André Motoharu Yoshino Formado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP).

Leia mais

DIREITO DO CONSUMIDOR II

DIREITO DO CONSUMIDOR II DIREITO DO CONSUMIDOR II RESPONSABILIDADE CIVIL Prof. Thiago Gomes Direito do Consumidor II RESPONSABILIDADE CIVIL DO FORNECEDOR 1. CONTEXTUALIZAÇÃO E agora Doutor? Direito do Consumidor II RESPONSABILIDADE

Leia mais

ESPECÍFICOS * Estudar a teoria geral da responsabilidade civil e das relações de consumo perante o ordenamento jurídico brasileiro;

ESPECÍFICOS * Estudar a teoria geral da responsabilidade civil e das relações de consumo perante o ordenamento jurídico brasileiro; 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: 9 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO CIVIL VII NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 Responsabilidade Civil. Introdução.

Leia mais

Sumário PARTE I TEORIA GERAL DA RESPONSABILIDADE CIVIL

Sumário PARTE I TEORIA GERAL DA RESPONSABILIDADE CIVIL Sumário Palavras Prévias 3ª edição... 23 Prefácio... 29 PARTE I TEORIA GERAL DA RESPONSABILIDADE CIVIL Capítulo I Conceito da Responsabilidade Civil... 33 Capítulo II Princípios da Responsabilidade Civil...

Leia mais

DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA

DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA A responsabilidade civil tem como objetivo a reparação do dano causado ao paciente que

Leia mais

Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro. Responsabilidade Civil do Médico Cirurgião Plástico na Área Estética. Adriana da Silva Rangel

Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro. Responsabilidade Civil do Médico Cirurgião Plástico na Área Estética. Adriana da Silva Rangel Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro Responsabilidade Civil do Médico Cirurgião Plástico na Área Estética Adriana da Silva Rangel Rio de Janeiro 2013 ADRIANA DA SILVA RANGEL Responsabilidade

Leia mais

Responsabilidade Civil nas Atividades Empresariais. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Responsabilidade Civil nas Atividades Empresariais. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Responsabilidade Civil nas Atividades Empresariais Para Reflexão Ao indivíduo é dado agir, em sentido amplo, da forma como melhor lhe indicar o próprio discernimento, em juízo de vontade que extrapola

Leia mais

Responsabilidade Civil Engenheiros e Arquitetos E&O e D&O

Responsabilidade Civil Engenheiros e Arquitetos E&O e D&O Responsabilidade Civil Engenheiros e Arquitetos E&O e D&O AsBEA Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura Encontro Regional AsBEA 2010 Nada a perder, algo a ganhar... Algo a ganhar, pouco a

Leia mais

DANO AMBIENTAL E RESPONSABILIDADE CIVIL

DANO AMBIENTAL E RESPONSABILIDADE CIVIL DANO AMBIENTAL E RESPONSABILIDADE CIVIL DANO AMBIENTAL PODE TRAZER CONSEQUÊNCIAS DE ORDEM CIVIL ADMINISTRATIVA E PENAL DANO É O PREJUÍZO CAUSADO A ALGUÉM PELA DETERIORAÇÃO OU INUTILIZAÇÃO DE BENS SEUS

Leia mais

É aquela em que há multiplicidade de devedores, sendo que cada devedor responde pela dívida toda como se fosse devedor único.

É aquela em que há multiplicidade de devedores, sendo que cada devedor responde pela dívida toda como se fosse devedor único. SOLIDARIEDADE PASSIVA É aquela em que há multiplicidade de devedores, sendo que cada devedor responde pela dívida toda como se fosse devedor único. Decorre da lei (art.154, 828,II) ou da vontade das partes.

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL E PENAL NA ÁREA DA SEGURANÇA DO TRABALHO

RESPONSABILIDADE CIVIL E PENAL NA ÁREA DA SEGURANÇA DO TRABALHO RESPONSABILIDADE CIVIL E PENAL NA ÁREA DA SEGURANÇA DO TRABALHO RESPONSABILIDADE CIVIL E CRIMINAL DECORRENTE DE ACIDENTES DE TRABALHO Constituição Federal/88 Art.1º,III A dignidade da pessoa humana. art.5º,ii

Leia mais

Nasce em razão da violação de um dever jurídico, mas depende da configuração de elementos.

Nasce em razão da violação de um dever jurídico, mas depende da configuração de elementos. OAB EXTENSIVO SEMANAL Disciplina: Direito Civil Prof.: Brunno Giancoli Data: 22.09.2009 Aula n 04 TEMAS TRATADOS EM AULA RESPONSABILIDADE CIVIL Nasce em razão da violação de um dever jurídico, mas depende

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são

Leia mais

DANOS MATERIAIS. A indenização material cabível vem prescrita no Art. 950 do CC/2002 e seu parágrafo único:

DANOS MATERIAIS. A indenização material cabível vem prescrita no Art. 950 do CC/2002 e seu parágrafo único: DOENÇA OCUPACIONAL - ARTS. 20 E 118, DA LEI 8.213/91 INDENIZAÇÃO POR DANOS MATERIAIS E MORAIS NOVA COMPETÊNCIA DO ART. 114, DA CF QUANTIFICAÇÃO DO DANO MATERIAL E MORAL Competência da Justiça do Trabalho.

Leia mais

Código de Defesa do Consumidor. Continuação aula anterior Vício e Defeito Teoria da desconsideração da pessoa jurídica

Código de Defesa do Consumidor. Continuação aula anterior Vício e Defeito Teoria da desconsideração da pessoa jurídica Código de Defesa do Consumidor Continuação aula anterior Vício e Defeito Teoria da desconsideração da pessoa jurídica EXCLUSÃO DA RESPONSABILIDADE- Art. 12,parag.3o. CDC Fornecedor prova que não colocou

Leia mais

CAUSAS EXCLUDENTES DA RESPONSABILIDADE CIVIL OU MEIOS DE DEFESA

CAUSAS EXCLUDENTES DA RESPONSABILIDADE CIVIL OU MEIOS DE DEFESA CAUSAS EXCLUDENTES DA RESPONSABILIDADE CIVIL OU MEIOS DE DEFESA Rosana Silva de OLIVEIRA¹ Sumário: Resumo. Palavras - chave. Introdução. Estado de necessidade e legítima defesa. Exercício regular do direito

Leia mais

Prescrição e decadência

Prescrição e decadência DIREITO CIVIL Professor Dicler A prescrição representa a perda da ação e da exceção (defesa) em razão do decurso de tempo. Tem como fundamento a paz social e a segurança jurídica que ficariam comprometidos

Leia mais

Este estudo foi elaborado pelo DEJUR - Departamento Jurídico do CREA-PR

Este estudo foi elaborado pelo DEJUR - Departamento Jurídico do CREA-PR MÓDULO 01 AULA 03 RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL Temos a satisfação de apresentar o módulo de RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL em nosso Programa de Excelência em Projetos. Nele será possível entender as obrigações

Leia mais

Sumário. Apresentação, xix. Prefácio à 4a Edição, xxi. Objetivo do Trabalho, xxv

Sumário. Apresentação, xix. Prefácio à 4a Edição, xxi. Objetivo do Trabalho, xxv Sumário Apresentação, xix Prefácio à 4a Edição, xxi Objetivo do Trabalho, xxv Introdução, 1 Sistema Brasileiro de Responsabilidade Civil, 1 I De um sistema singelo a um sistema complexo, 1 II Fatores da

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO

RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO Introdução. - O Estado é o sujeito responsável. - Na responsabilidade civil do Estado os princípios próprios são mais rigorosos (atuação Estatal é uma imposição, devendo o Estado ser responsabilizado de

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA 1 CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA EMENTA: INDAGAÇÃO ACERCA DA RESPONSABILIDADE CIVIL SOLIDÁRIA DO HOSPITAL EM CASOS DE ERRO MÉDICO PRATICADO POR PROFISSIONAL, QUE NÃO É MEMBRO DO QUADRO CLÍNICO DO NOSOCÔMIO,

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2015

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2015 FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2015 Disciplina: Direito Civil II Departamento II: Direito Privado Docente Responsável: Prof. Dr. Clineu Ferreira Carga Horária Anual: 100 h/a Tipo: Anual 2º Ano Objetivos:

Leia mais

Contrato de Empreitada. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Contrato de Empreitada. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Contrato de Empreitada Contrato de Empreitada Empreiteiro é a designação dada a um indivíduo ou empresa que contrata com outro indivíduo ou organização (o dono da obra) a realização de obras de construção,

Leia mais

www.cebid.com.br iara.ufop@gmail.com

www.cebid.com.br iara.ufop@gmail.com II CONJUVIR 24 de março de 2012 IARA ANTUNES DE SOUZA Doutoranda e Mestre em Direito Privado pela PUC Minas. Especialista em Direito Processual e Direito Civil. Pesquisadora do CEBID - Centro de Estudos

Leia mais

A R E R S E PONS N A S B A ILID I A D D A E D E C I C VIL N O N

A R E R S E PONS N A S B A ILID I A D D A E D E C I C VIL N O N A RESPONSABILIDADE CIVIL NO DIREITO DE FAMÍLIA 06.09.2014 Dimas Messias de Carvalho Mestre em Direito Constitucional Promotor de Justiça aposentado/mg Professor na UNIFENAS e UNILAVRAS Advogado Membro

Leia mais

Evolução da responsabilidade civil: da culpa ao dano. Novos danos indenizáveis.

Evolução da responsabilidade civil: da culpa ao dano. Novos danos indenizáveis. DIREITO CIVIL ESTÁCIO-CERS Evolução da responsabilidade civil: da culpa ao dano. Novos danos indenizáveis. Prof. Rodolfo Pamplona Filho Juiz do Trabalho no Estado da Bahia Doutor em Direito pela PUC/SP

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D-52 PERÍODO: 9 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO CIVIL VII NOME DO CURSO: DIREITO 2.

1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D-52 PERÍODO: 9 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO CIVIL VII NOME DO CURSO: DIREITO 2. 1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D-52 PERÍODO: 9 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO CIVIL VII NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 Responsabilidade

Leia mais

Jornada de Direito Civil aprova 46 enunciados Por Tadeu Rover

Jornada de Direito Civil aprova 46 enunciados Por Tadeu Rover Jornada de Direito Civil aprova 46 enunciados Por Tadeu Rover No ano em que o Código Civil completa 10 anos de vigência, o Conselho da Justiça Federal aprovou 46 novos enunciados que definem as interpretações

Leia mais

3 RESPONSABILIDADE CIVIL

3 RESPONSABILIDADE CIVIL 3 RESPONSABILIDADE CIVIL De acordo com F. Savater, com a instituição social da pessoa nasce o conceito eticamente básico de responsabilidade, que é tanto a vocação de responder ante os outros, quanto ser

Leia mais

O fornecimento de senhas e caracteres de acesso à terceiros, causa negativa em indenização

O fornecimento de senhas e caracteres de acesso à terceiros, causa negativa em indenização O fornecimento de senhas e caracteres de acesso à terceiros, causa negativa em indenização Contribuição de Dr. Rodrigo Vieira 17 de dezembro de 2008 Advocacia Bueno e Costanze O fornecimento de senhas

Leia mais

Conteúdo: Direitos da Personalidade: Características: Irrenunciabilidade; Espécies: Direito ao Corpo.

Conteúdo: Direitos da Personalidade: Características: Irrenunciabilidade; Espécies: Direito ao Corpo. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Civil (Parte Geral) / Aula 07 Professor: Rafael da Motta Mendonça Conteúdo: Direitos da Personalidade: Características: Irrenunciabilidade; Espécies: Direito

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL E AS RELAÇÕES DE CONSUMO

RESPONSABILIDADE CIVIL E AS RELAÇÕES DE CONSUMO RESPONSABILIDADE CIVIL E AS RELAÇÕES DE CONSUMO Material didático destinado à sistematização do conteúdo da disciplina Direito Civil IVI Publicação no semestre 2014.1 no curso de Direito. Autor: Vital

Leia mais

Conceito. Responsabilidade Civil do Estado. Teorias. Risco Integral. Risco Integral. Responsabilidade Objetiva do Estado

Conceito. Responsabilidade Civil do Estado. Teorias. Risco Integral. Risco Integral. Responsabilidade Objetiva do Estado Conceito Responsabilidade Civil do Estado é a obrigação que ele tem de reparar os danos causados a terceiros em face de comportamento imputável aos seus agentes. chama-se também de responsabilidade extracontratual

Leia mais

A responsabilidade pelo fato do produto e do serviço

A responsabilidade pelo fato do produto e do serviço A responsabilidade pelo fato do produto e do serviço 1.Da responsabilidade do fornecedor 1.1. Legislação Art. 3 do CDC Fornecedor é toda pessoa física ou jurídica, pública ou privada, nacional ou estrangeira,

Leia mais

EMPRÉSTIMO. 1. Referência legal do assunto. Arts. 579 a 592 do CC. 2. Conceito de empréstimo

EMPRÉSTIMO. 1. Referência legal do assunto. Arts. 579 a 592 do CC. 2. Conceito de empréstimo 1. Referência legal do assunto Arts. 579 a 592 do CC. 2. Conceito de empréstimo EMPRÉSTIMO Negócio jurídico pelo qual uma pessoa entrega uma coisa a outra, de forma gratuita, obrigando-se esta a devolver

Leia mais

DO REGIME DA RESPONSABILIDADE CIVIL POR DANOS À CARGA NA LEGISLAÇÃO BRASILEIRA

DO REGIME DA RESPONSABILIDADE CIVIL POR DANOS À CARGA NA LEGISLAÇÃO BRASILEIRA XVII CONGRESSO INSTITUTO IBEROAMERICANO DE DIREITO MARÍTIMO 05 A 07 DE NOVEMBRO DE 2012 - RIO DE JANEIRO - BRASIL DO REGIME DA RESPONSABILIDADE CIVIL POR DANOS À CARGA NA LEGISLAÇÃO BRASILEIRA Paulo Campos

Leia mais

Direito do Consumidor: Responsabilidade Civil e o Dever de Indenizar

Direito do Consumidor: Responsabilidade Civil e o Dever de Indenizar Direito do Consumidor: Responsabilidade Civil e o Dever de Indenizar Formação de Servidores do PROCON RJ - 2012 RESUMO Finalidade da Responsabilidade Civil Segurança Jurídica Sistema de Garantias Tutela

Leia mais

www.baviniferreira.com.br

www.baviniferreira.com.br www.baviniferreira.com.br 1. Aspecto Legal e a Responsabilidade Civil O que é a Responsabilidade Civil? A responsabilidade civil nada mais é senão o dever de reparar o dano. Em princípio, surge a responsabilidade

Leia mais

DIREITO DO CONSUMIDOR

DIREITO DO CONSUMIDOR DIREITO DO CONSUMIDOR RETA FINAL - MG RELAÇÃO JURÍDICA DE CONSUMO A relação jurídica de consumo possui três elementos, a saber: o subjetivo, o objetivo e o finalístico. Por elemento subjetivo devemos entender

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DE SHOPPING CENTER EM CASO DE SUICÍDIO

RESPONSABILIDADE CIVIL DE SHOPPING CENTER EM CASO DE SUICÍDIO RESPONSABILIDADE CIVIL DE SHOPPING CENTER EM CASO DE SUICÍDIO ROBERVAL CASEMIRO BELINATI Desembargador do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Membro da 2ª Turma Criminal Professor

Leia mais

EXCLUDENTES DE RESPONSABILIDADE CIVIL

EXCLUDENTES DE RESPONSABILIDADE CIVIL EXCLUDENTES DE RESPONSABILIDADE CIVIL Material didático destinado à sistematização do conteúdo da disciplina Direito Civil IVI Publicação no semestre 2014.1 no curso de Direito. Autor: Vital Borba de Araújo

Leia mais

3. Segundo a legislação partidária, no que se refere à filiação partidária, DIREITO ELEITORAL

3. Segundo a legislação partidária, no que se refere à filiação partidária, DIREITO ELEITORAL DIREITO ELEITORAL 1. Com base na Lei n.º 9.504/1997, que estabelece normas para as eleições, assinale a opção correta. a) Tanto durante a propaganda para eleição proporcional como durante a propaganda

Leia mais

ÉTICA E LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL

ÉTICA E LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL ÉTICA E LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL Centro de Ensino Superior do Amapá-CEAP Curso: Arquitetura e Urbanismo Disciplina: Ética e Legislação Profissional Assunto: Responsabilidades do Profissional Prof. Ederaldo

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR TURMA EXTENSIVA AOS SÁBADOS Disciplina: Direito Civil Professor: Cristiano Chaves Data: 12.12.2009 MATERIAL DE APOIO PROFESSOR CONTRATOS EM ESPÉCIE II Prof. Cristiano Chaves de Farias O CONTRATO DE DOAÇÃO

Leia mais

Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades Administrador Administrador é a pessoa a quem se comete a direção ou gerência de qualquer negócio ou serviço, seja de caráter público ou privado,

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 5.423, DE 2009 Acrescenta dispositivo à Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, estabelecendo

Leia mais

DEPÓSITO. 1. Referência legal do assunto. Arts. 627 a 652 do CC. 2. Conceito de depósito

DEPÓSITO. 1. Referência legal do assunto. Arts. 627 a 652 do CC. 2. Conceito de depósito 1. Referência legal do assunto Arts. 627 a 652 do CC. 2. Conceito de depósito DEPÓSITO O contrato de depósito importa na guarda temporária de um bem móvel pelo depositário até o momento em que o depositante

Leia mais

Responsabilidade Civil do fornecedor em razão da Perda do Tempo Livre com fundamento no Código de Defesa do Consumidor 1

Responsabilidade Civil do fornecedor em razão da Perda do Tempo Livre com fundamento no Código de Defesa do Consumidor 1 Responsabilidade Civil do fornecedor em razão da Perda do Tempo Livre com fundamento no Código de Defesa do Consumidor 1 1. INTRODUÇÃO A responsabilidade civil está vinculada à questão de que todos nós

Leia mais

CORRETOR DE IMÓVEIS REGULAMENTAÇÃO, CONTRATO E RESPONSABILIDADE.

CORRETOR DE IMÓVEIS REGULAMENTAÇÃO, CONTRATO E RESPONSABILIDADE. CORRETOR DE IMÓVEIS REGULAMENTAÇÃO, CONTRATO E RESPONSABILIDADE. Curso de Técnico em Transações Imobiliárias Curso Total CONTRATOS REGULAMENTAÇÃO DOS CORRETORES E DO CONTRATO DE CORRETAGEM DO CORRETOR

Leia mais

Respostas a perguntas de Direito Civil, Direito do Consumidor e Responsabilidade Civil da prova objetiva do concurso de 2007 para Defensor da União

Respostas a perguntas de Direito Civil, Direito do Consumidor e Responsabilidade Civil da prova objetiva do concurso de 2007 para Defensor da União Direito Civil, Consumidor e Resp. Civil 1 Respostas a perguntas de Direito Civil, Direito do Consumidor e Responsabilidade Civil da prova objetiva do concurso de 2007 para Defensor da União Cacildo Baptista

Leia mais