ANDEBOL: ESTUDO DO TEMPO DE JOGO E DO TEMPO DE PAUSA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANDEBOL: ESTUDO DO TEMPO DE JOGO E DO TEMPO DE PAUSA"

Transcrição

1 ANDEBOL: ESTUDO DO TEMPO DE JOGO E DO TEMPO DE PAUSA Análise do Tempo de Jogo e Tempo de Pausa, em função da alteração de uma regra de jogo (reinício de jogo após golo) Sequeira, P. & Alves, R. Instituto Superior de Ciências Educativas (Lisboa Portugal) RESUMO O presente artigo consiste em analisar a relação entre o tempo de jogo e o tempo de pausa durante um jogo de Andebol. Foi analisada a influência que a alteração da regra de reinicio do jogo após golo pode ter no aumento do tempo de jogo. Para o efeito foram analisados um total de 5 jogos, dos quais 3 são com a reposição da bola após golo, pelo guarda-redes na linha dos 4 metros e os outros 2 jogos com as regras tradicionais. Verificou-se que a percentagem de tempo de jogo é superior nos jogos com a reposição da bola após golo nos 4 metros. Esta situação faz reduzir os tempos mortos, aumenta a velocidade e o ritmo do jogo. Com analises deste tipo estamos a contribuir para a obtenção de dados de forma objectiva e com rigor científico, que podem ser úteis para a análise do jogo e para a eventual alteração das regras, tornando-a mais atractiva. Palavras-Chave: Andebol, Analise da competição, Tempo de Jogo, Tempo de Pausa. Introdução A observação é o primeiro passo para a compreensão da realidade. Em Desporto, a investigação baseada na observação de aspectos particulares do jogo permite-nos obter dados que podem ser determinantes para a evolução das modalidades desportivas. Uma das questões que nos parecem importantes refere-se à análise do tempo total de jogo e com a relação Tempo de Jogo/Tempo de Pausa. Com esta investigação efectuada no Andebol, pretendemos verificar se, com a alteração da regra de reinício do jogo após golo, podemos aumentar o tempo de jogo, diminuir o tempo de pausa e consequentemente contribuir para tornar o andebol uma modalidade mais rápida e emocionante. Metodologia Para a realização do presente estudo foram observados um total de 5 jogos de Andebol entre Selecções Regionais do escalão de Iniciados Masculinos. A observação foi efectuada por via indirecta, tendo sido utilizados vídeos de encontros de 2 Torneios realizados na época Todos os jogos observados têm uma duração de 4 períodos de 10 minutos, havendo apenas diferença na regra de reposição da bola em jogo após golo. Deste modo, a distribuição dos jogos observados em função das regras foi a seguinte: 2 jogos foram disputados com a regra tradicional, isto é, reposição da bola em jogo na linha de meio campo, após golo. 3 jogos foram disputados com a regra de reposição da bola pelo guarda-redes na linha dos 4 metros, após golo. Os dados obtidos foram retirados da observação dos jogos na sua totalidade. 1

2 Categorização e definição da variável tempo Tal como foi efectuado no estudo elaborado por Merat Garrido (2003), é importante diferenciar os seguintes conceitos: Tempo Total: corresponde ao somatório de tempo contabilizado desde o apito inicial do árbitro para iniciar a partida, até ao toque de final em cada uma das partes do jogo. Tempo de Jogo: corresponde ao somatório de tempo contabilizado enquanto a bola pode ser jogada por qualquer das equipas. Tempo de Pausa: Corresponde ao somatório de tempo que decorre enquanto a bola não pode ser jogada pelos elementos das equipas. A bola não está em jogo quando: O árbitro assinala lançamento de canto, lançamento lateral, validação de golo, lançamento livre, incidências que impliquem a paragem do jogo (admoestação aos jogadores, exclusões, assistência e transporte de atletas lesionados, interferências na partida, incidentes, etc.). A bola sai pela linha final e o jogador sem bola dentro da área (guardaredes) tem que realizar o lançamento de baliza. Análise e discussão dos resultados Jogos de Iniciados com a bola de saída aos 4 metros após golo. Bola a sair aos 4 metros após golo 80,00 70,00 60,00 50,00 40,00 30,00 20,00 10,00 0,00 Jogo 1 Jogo 2 Jogo 3 Gráfico 1 - Jogos de Iniciados com a bola de saída aos 4 metros Nos jogos de iniciados com a bola de saída aos 4 metros após golo, o tempo de jogo foi sempre superior a 60%. Por outro lado, o tempo de pausa manteve-se sempre abaixo dos 40%. Parece que a alteração à regra do lançamento de saída, reposição da marca dos 4 metros, aumenta a intensidade e a velocidade do jogo, diminuindo os tempos mortos. 2

3 Jogos de Iniciados com a bola a sair ao meio campo. Bola a sair ao meio campo após golo 70,00 60,00 50,00 40,00 30,00 20,00 10,00 0,00 Jogo 1 Jogo 2 Gráfico 2 - Jogos de Iniciados com a bola a sair ao meio campo O tempo de jogo dos jogos de iniciados com a bola a sair ao meio campo encontra-se entre os 50 e os 60%. Por sua vez, o tempo de pausa destes jogos está entre os 40 e os 50%. Com a regra tradicional do lançamento de saída, os jogos de iniciados têm quebras de tempo sempre que uma equipa marca um golo. Entre a bola entrar na baliza e ser reposta em jogo pela equipa que sofreu o golo, passa tempo que não pode ser utilizado para o jogo propriamente dito. Comparação entre os Jogos de Iniciados com a bola de saída aos 4 metros e os Jogos de Iniciados com a bola a sair ao meio campo. Comparação entre jogos com a bola a sair aos 4 metros e jogos com a bola a sair ao meio campo Tempo de jogo Tempo de pausa Bola a sair ao meio campo Bola a sair aos 4 metros 0,00 20,00 40,00 60,00 80,00 Gráfico 3 - Comparação entre os Jogos de Iniciados com a bola de saída aos 4 metros e os Jogos de Iniciados com a bola a sair ao meio campo Quando comparamos os jogos de iniciados com a bola de saída aos 4 metros e os jogos de iniciados com a bola a sair ao meio campo facilmente constatamos que com a regra do lançamento de saída aos 4 metros, o tempo de jogo aumenta, diminuindo o tempo de pausa. O guarda-redes, após sofrer golo tem, com esta alteração da regra, a oportunidade de 3

4 colocar a bola rapidamente em jogo, o que vai trazer maior intensidade ao jogo e, consequentemente, menor perca de tempo inútil. Comparação entre os resultados do nosso estudo com os do estudo de Merat Garrido (2003). Comparação entre os resultados do nosso estudo com os de Merat Garrido (2003) Jogos do Campeonato de Juvenis de Espanha 2003 Jogos do Campeonato do Mundo 2003 Bola a sair ao meio campo Bola a sair aos 4 metros 0,00 20,00 40,00 60,00 80,00 Gráfico 4 - Comparação entre os resultados do nosso estudo com os do estudo de Garrido (2003). Merat Garrido (2003), num estudo semelhante ao nosso, comparou os tempos de pausa e de jogo entre os jogos da meia final e final do campeonato de juvenis de Espanha em 2003 e as meias finais e final do campeonato do mundo Ao compararmos os dados deste estudo com os nossos, reparamos que os nossos jogos com a bola a sair ao meio campo apresentam valores parecidos com os do campeonato de juvenis de Espanha e próximo dos do campeonato do mundo No entanto, quando comparados com os jogos com a bola a sair aos 4 metros, estes continuam a promover um tempo superior de jogo e um tempo inferior de pausa. Mais uma vez, confirma-se que a alteração da regra do lançamento de saída privilegia o tempo útil de jogo. Conclusão Com o nosso estudo podemos concluir que a alteração da regra do lançamento de saída (a partir dos 4 metros em detrimento do meio campo) parece aumentar o tempo útil do jogo e, consequentemente, a sua intensidade. Temos de ter em conta que o nosso estudo foi feito com jogos do escalão de iniciados, onde o jogo ainda não é muito fluído e onde, normalmente, existem ainda muitas falhas técnicas e remates falhados, o que provoca um maior número de interrupções e consequentemente um aumento do tempo de pausa. Assim sendo, seria interessante verificar se, nos jogos de juvenis de Espanha e do campeonato do mundo 2003, onde devido à idade dos praticantes o jogo é mais evoluído e com menos erros, com esta alteração à regra os jogos teriam ainda mais tempo de jogo e valores muito inferiores de tempo de pausa. Merat Garrido (2003) 4

5 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Hernández Moreno, J. (1992). Fundamentos del Deporte. Analisis de las estructuras del juego deportivo. Editorial INDE. Barcelona. Merat Garrido, S. (2003). Balonmano: Estudio del tiempo de juego y pausa. Granada. Espanha, II Congresso Mundial de Deporte. Faculdade de Ciencias de la Actividade Física y el Deporte. 5

Andebol. Andebol. Andebol. Andebol. Andebol Caraterização. O que é o Andebol? O Campo. Os Jogadores

Andebol. Andebol. Andebol. Andebol. Andebol Caraterização. O que é o Andebol? O Campo. Os Jogadores Caraterização Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Francisco Pinto O que é o? O andebol é um jogo desportivo colectivo, praticado por duas equipas, cada uma delas com 7 jogadores em

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL

REGULAMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL REGULAMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL 2013 2017 Índice 1. Introdução 2 2. Escalões etários 2 3. Constituição das Equipas 3 3.1. Infantis (andebol de 5) 3 3.2. Iniciados, Juvenis e Juniores (andebol de 7) 3 4.

Leia mais

COMUNICADO OFICIAL N.º 1

COMUNICADO OFICIAL N.º 1 COMUNICADO OFICIAL N.º 1 Quadros Competitivos 1 BAMBIS / MINIS (misto) 1.1 Calendarização Propõe-se assim a realização de 8 Encontros / Festand s, distribuídos por toda a época desportiva, nas seguintes

Leia mais

TAGUSCUP TORNEIO DE FUTSAL REGRAS DO JOGO. Considerações sobre as Leis de Jogo de Futsal aplicadas na TAGUSCUP

TAGUSCUP TORNEIO DE FUTSAL REGRAS DO JOGO. Considerações sobre as Leis de Jogo de Futsal aplicadas na TAGUSCUP TAGUSCUP TORNEIO DE FUTSAL REGRAS DO JOGO Considerações sobre as Leis de Jogo de Futsal aplicadas na TAGUSCUP 1. Diferenças entre as Leis de Jogo do Futsal e as regras aplicadas na TAGUSCUP Não há faltas

Leia mais

Versão Referenciais de FORMAÇÃO. Andebol. Grau

Versão Referenciais de FORMAÇÃO. Andebol. Grau Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO Andebol Grau I Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO Andebol Grau I Edição: Conteúdos: Data: Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. Federação de Andebol de

Leia mais

REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO

REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE LEÇA DA PALMEIRA/STA. CRUZ DO BISPO Ano Letivo de 20012/2013 O que é o andebol? REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO O Andebol é um desporto coletivo inventado por um alemão, Karl

Leia mais

GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR REGULAMENTO ESPECÍFICO DE ANDEBOL

GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR REGULAMENTO ESPECÍFICO DE ANDEBOL GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR REGULAMENTO ESPECÍFICO DE ANDEBOL 2002/2003 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. ANDEBOL DE 5/7...4 2.1. ESCALÕES ETÁRIOS E VARIANTES DA MODALIDADE...4 2.2 BOLA DE JOGO...4

Leia mais

REGULAMENTO. 3. ESCALÕES 3.1. O Santarém Cup é um torneio de FUTEBOL 11 e abrange os seguintes escalões: Iniciados - atletas nascidos em 2002/2003;

REGULAMENTO. 3. ESCALÕES 3.1. O Santarém Cup é um torneio de FUTEBOL 11 e abrange os seguintes escalões: Iniciados - atletas nascidos em 2002/2003; REGULAMENTO 1. ORGANIZAÇÃO A organização do Santarém Cup é da responsabilidade da Associação Académica de Santarém e conta com o apoio da Câmara Municipal de Santarém. 2. DATA E LOCAL DA REALIZAÇÃO DOS

Leia mais

LEI I A SUPERFÍCIE DE JOGO

LEI I A SUPERFÍCIE DE JOGO LEI I A SUPERFÍCIE DE JOGO ARTº 1º Os jogos de Futsal serão realizados preferencialmente nos recintos de Andebol (aproveitando as suas marcações) ou em um quarto de campo de futebol de 11 (quando possível

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA HORTA Benjamins (Futebol) Época Organização Competitiva e Regulamento Específico

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA HORTA Benjamins (Futebol) Época Organização Competitiva e Regulamento Específico DE Benjamins (Futebol) Época 2015-2016 Organização Competitiva e Regulamento Específico CLUBES PARTICIPANTES ILHA DO FAIAL ANGÚSTIAS ATLÉTICO CLUBE FAYAL SPORT CLUB CLUBE FLAMENGOS GRUPO DESPORTIVO CEDRENSE

Leia mais

REGIMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição

REGIMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição REGIMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição Índice Preâmbulo 5 Artigo 1.º Escalões Etários, Dimensões do Campo, Bola, Tempo de Jogo e Variantes

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE ANDEBOL

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE ANDEBOL REGULAMENTO ESPECÍFICO DE ANDEBOL 2009 2013 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ESCALÕES ETÁRIOS, BOLA, TEMPO DE JOGO E VARIANTES DA MODALIDADE... 4 3. CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA... 5 4. ARBITRAGEM... 5 5. CLASSIFICAÇÃO,

Leia mais

II Torneio Matraquilhos aeestsp Regulamento

II Torneio Matraquilhos aeestsp Regulamento Associação de Estudantes da Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto Instituto Politécnico do Porto II Torneio Matraquilhos aeestsp Regulamento Índice 1. LOCAL DO TORNEIO... 2 2. SORTEIO E CALENDÁRIO

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA Carlos Sacadura Outubro de 2011 Possibilitar a todas as crianças do nosso distrito a oportunidade de praticar futebol como um desporto de recreação, tempo livre e formação;

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA HORTA Juvenis/ Iniciados (Futsal) Época Organização Competitiva e Regulamento Específico

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA HORTA Juvenis/ Iniciados (Futsal) Época Organização Competitiva e Regulamento Específico DE (Futsal) Época 2016-2017 Organização Competitiva e Regulamento Específico CLUBES PARTICIPANTES ILHA DO CORVO CLUBE DESPORTIVO ESCOLAR DO CORVO ILHA DAS FLORES GRUPO DESPORTIVO FAZENDENSE (A e B) GRUPO

Leia mais

Associação de Andebol de Viseu. Não sabes as regras??? Nada mais fácil Eu explico!

Associação de Andebol de Viseu. Não sabes as regras??? Nada mais fácil Eu explico! Associação de Andebol de Viseu Não sabes as regras??? Nada mais fácil Eu explico! REGRA 1 Terreno de Jogo Balizas Marcações Zonas de segurança Zona de aquecimento REGRA 2 Tempo de Jogo, Sinal Final e time-out

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA HORTA Infantis (Futebol) Época Organização Competitiva e Regulamento Específico

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA HORTA Infantis (Futebol) Época Organização Competitiva e Regulamento Específico DE Infantis (Futebol) Época 2015-2016 Organização Competitiva e Regulamento Específico CLUBES PARTICIPANTES ILHA DO FAIAL ANGÚSTIAS ATLÉTICO CLUBE FAYAL SPORT CLUB CLUBE FLAMENGOS GRUPO DESPORTIVO CEDRENSE

Leia mais

Regulamento Específico de Andebol

Regulamento Específico de Andebol Regulamento Específico de Andebol Regulamento Andebol 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ESCALÕES ETÁRIOS / BOLA DE JOGO... 4 3. CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA... 4 4. MESA DE JOGO... 4 5. ARBITRAGEM... 5 6. DURAÇÃO

Leia mais

IV Torneio Internacional St. M. Claret 26,27 e 28 de Março IV Torneio Internacional St. M. Claret

IV Torneio Internacional St. M. Claret 26,27 e 28 de Março IV Torneio Internacional St. M. Claret IV Torneio Internacional St. M. Claret 26,27 e 28 Março 2013 Regulamento da Prova Equipas Participantes RK FALK HANDBALL FUTEBOL CLUBE DO PORTO AD ISMAI COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS ACADÉMICO BASKET

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA HORTA. Infantis-Benjamins (Futsal) Época Organização Competitiva e Regulamento Específico

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA HORTA. Infantis-Benjamins (Futsal) Época Organização Competitiva e Regulamento Específico DE Infantis-Benjamins (Futsal) Época 2015-2016 Organização Competitiva e Regulamento Específico CLUBES PARTICIPANTES ILHA DO CORVO CLUBE DESPORTIVO ESCOLAR DO CORVO ILHA DO FAIAL CLUBE FLAMENGOS ILHA DAS

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE BEJA

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE BEJA ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE BEJA Fundada em 30-03-1925 www.afbeja.com FUTEBOL ENCONTRO DE ESCOLAS DE FORMAÇÃO 1. OBJETIVOS GERAIS 1.01. Possibilitar a todas as crianças da nossa Associação praticar futebol

Leia mais

VALORES NO DESPORTO - O QUE É PARA MIM IMPORTANTE NO DESPORTO: A OPINIÃO DOS ATLETAS DA SELECÇÃO PORTUGUESA DE ANDEBOL SUB-20

VALORES NO DESPORTO - O QUE É PARA MIM IMPORTANTE NO DESPORTO: A OPINIÃO DOS ATLETAS DA SELECÇÃO PORTUGUESA DE ANDEBOL SUB-20 VALORES NO DESPORTO - O QUE É PARA MIM IMPORTANTE NO DESPORTO: A OPINIÃO DOS ATLETAS DA SELECÇÃO PORTUGUESA DE ANDEBOL SUB-20 (2009) Susana Isabel Vicente Ramos Professora na Faculdade de Ciências do Desporto

Leia mais

REGULAMENTO ESPECIFICO DOS TORNEIOS ESCOLARES DE CORFEBOL

REGULAMENTO ESPECIFICO DOS TORNEIOS ESCOLARES DE CORFEBOL REGULAMENTO ESPECIFICO DOS TORNEIOS ESCOLARES DE CORFEBOL ÍNDICE INTRODUÇÃO 1. ESCALÕES ETÁRIOS, BOLA, DURAÇÃO DO JOGO E VARIANTES DA MODALIDADE 2. CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA 3. ARBITRAGEM 4. CLASSIFICAÇÃO,

Leia mais

O Treino da Resistência Aeróbia na Escola

O Treino da Resistência Aeróbia na Escola O Treino da Resistência Aeróbia na Escola Leiria, 27 de Janeiro 2006 Análise da Situação Aumento da obesidade juvenil 1 terço das crianças (dos 7 aos 11 anos) é obesa Sedentarismo juvenil Jogam mais computador

Leia mais

Santa Cruz do Bispo, 13 de Junho 2009 I CONGRESSO DE FUTSAL DE FORMAÇÃO. Guarda-redes. Posturas de Prontidão Desportiva.

Santa Cruz do Bispo, 13 de Junho 2009 I CONGRESSO DE FUTSAL DE FORMAÇÃO. Guarda-redes. Posturas de Prontidão Desportiva. Santa Cruz do Bispo, 13 de Junho 2009 I CONGRESSO DE FUTSAL DE FORMAÇÃO Guarda-redes Posturas de Prontidão Desportiva Posturas de Prontidão Desportiva no Guarda-redes de Futsal Posturas de prontidão desportiva

Leia mais

FUTSAL. Trabalho realizado por: Helena Rocha 12ºA Nº17 Ana Lúcia 12ºA Nº3

FUTSAL. Trabalho realizado por: Helena Rocha 12ºA Nº17 Ana Lúcia 12ºA Nº3 FUTSAL Trabalho realizado por: Helena Rocha 12ºA Nº17 Ana Lúcia 12ºA Nº3 ÍNDICE Índice... i FUTSAL... 1 Fundamentos técnicos:... 1 Posições dos Jogadores no Futsal:... 1 Regras:... 2 Campo... 2 Área de

Leia mais

Regulamento Específico Tenis de Mesa.

Regulamento Específico Tenis de Mesa. Regulamento Específico Tenis de Mesa Http://www02.madeira-edu.pt/dre 1. Concentrações 1.1 Competição individual As competições individuais realizar-se-ão em forma de Concentração. O acto da inscrição nas

Leia mais

Ficha Técnica Título Edição Contactos Concepção e Paginação Contactos Impressão Tiragem Data Livro de Regras Federação de Andebol de Portugal

Ficha Técnica Título Edição Contactos Concepção e Paginação Contactos Impressão Tiragem Data Livro de Regras Federação de Andebol de Portugal livro de regras para o Mini Andebol... vamos jogar ANDEBOL! Não sabes as regras? Nada mais fácil... Eu explico! Ficha Técnica Título Edição Contactos Concepção e Paginação Contactos Impressão Tiragem Data

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE O SETOR DA QUADRA E O DESFECHO DO CONTRA-ATAQUE NO FUTSAL FEMININO DE ALTO RENDIMENTO

RELAÇÃO ENTRE O SETOR DA QUADRA E O DESFECHO DO CONTRA-ATAQUE NO FUTSAL FEMININO DE ALTO RENDIMENTO RELAÇÃO ENTRE O SETOR DA QUADRA E O DESFECHO DO CONTRA-ATAQUE NO FUTSAL FEMININO DE ALTO RENDIMENTO Loani Landin Istchuk / UEL Wilton Carlos de Santana / UEL Hélcio Rossi Gonçalves / UEL loaniistchuk@hotmail.com

Leia mais

CAPÍTULO III METODOLOGIA

CAPÍTULO III METODOLOGIA CAPÍTULO III METODOLOGIA 1. Amostra Para a realização deste trabalho foram recolhidos dados de 4 jogos completos de Hóquei em Patins, relativos ao Campeonato Europeu de Juvenis, nos quais havia necessariamente

Leia mais

Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto

Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto ì Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto Caraterização! Futsal! Caraterização O Futsal é uma modalidade praticada por duas equipas, compostas cada uma por cinco elementos

Leia mais

CIRCUITO DE BEACH RUGBY 2005/06

CIRCUITO DE BEACH RUGBY 2005/06 CIRCUITO DE BEACH RUGBY 2005/06 1 ORGANIZAÇÃO DAS PROVAS 2 REGULAMENTO GERAL 3 REGULAMENTO ESPECÍFICO * 4 FICHA DE INSCRIÇÃO DA EQUIPA 5 BOLETIM DE JOGO A Direcção da FPR pretende instituir e coordenar

Leia mais

REGULAMENTO ESPECIFICO. Campeonato de Abertura CORFEBOL

REGULAMENTO ESPECIFICO. Campeonato de Abertura CORFEBOL REGULAMENTO ESPECIFICO Campeonato de Abertura CORFEBOL CAMPEONATO DE ABERTURA ENQUADRAMENTO O Campeonato de Abertura surge como complemento às competições seniores da Federação Portuguesa de Corfebol:

Leia mais

REGULAMENTO ESPECIFICO TORNEIOS JOVENS CORFEBOL

REGULAMENTO ESPECIFICO TORNEIOS JOVENS CORFEBOL REGULAMENTO ESPECIFICO TORNEIOS JOVENS CORFEBOL ÍNDICE INTRODUÇÃO 1. ESCALÕES ETÁRIOS, BOLA, DURAÇÃO DO JOGO E VARIANTES DA MODALIDADE 2. CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA 3. ARBITRAGEM 4. QUADRO COMPETITIVO E CRITÉRIOS

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE XADREZ

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE XADREZ REGULAMENTO ESPECÍFICO DE XADREZ 2009-2013 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. PARTICIPAÇÃO...4 3. ESCALÕES ETÁRIOS...4 4. COMPETIÇÕES/ENCONTROS ESCOLARES...4 4.1. FASE LOCAL...5 4.2. FASE REGIONAL...5 4.3. FASE

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE VISEU. R egula mento Específico Futebol de Sete

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE VISEU. R egula mento Específico Futebol de Sete ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE VISEU R egula mento Específico Futebol de Sete 2016 2 REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTEBOL DE SETE REGULAMENTO DA PROVA NORMAS ORIENTADORAS DOS JOGOS DESPORTIVOS DE TONDELA CAPÍTULO

Leia mais

GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTSAL

GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTSAL GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTSAL 2001/2002 INDICE INTRODUÇÃO... 2 1. CONSTITUIÇÃO / IDENTIFICAÇÃO DAS EQUIPAS... 3 2. DURAÇÃO DOS JOGOS... 3 3. A BOLA... 5 4. CLASSIFICAÇÃO,

Leia mais

Torneio das Habilidades

Torneio das Habilidades Torneio das Habilidades de maio de 2016 10:45 h Regulamento Torneio das Habilidades O torneio das habilidades decorrerá no Complexo Desportivo de Amarante, no dia a partir das 10:15h. Este torneio é destinado

Leia mais

CLUBE DESPORTIVO 1.º MAIO

CLUBE DESPORTIVO 1.º MAIO CLUBE DESPORTIVO 1.º MAIO TORNEIO DE NATAL ESCOLAS DE FUTEBOL 04 de Dezembro de 2010 Campo de Futebol 1.º de Maio Organização: Clube Desportivo 1.º de Maio Palheiro Ferreiro, Dezembro de 2010 ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Nota : O Tempo de jogo pode ser reduzido em todos os escalões sempre que o nº de jogos for elevado em relação ao nº de dia de competição

Nota : O Tempo de jogo pode ser reduzido em todos os escalões sempre que o nº de jogos for elevado em relação ao nº de dia de competição REGULAMENTO TÉCNICO-PEDAGÓGICO / BAMBIS (MINI ANDEBOL) 1. O escalão de Bambis é constituído por jogadores nascidos em 1996, 1997 e 1998; 2. Neste escalão, a competição decorre num contexto específico os

Leia mais

2012 / Arbitrar o Tag-Rugby. Programa Nestum Rugby nas Escolas

2012 / Arbitrar o Tag-Rugby. Programa Nestum Rugby nas Escolas 2012 / 2013 Arbitrar o Tag-Rugby Programa Nestum Rugby nas Escolas AS LEIS DE JOGO DO TAG RUGBY Tamanho da Bola Escalão Infantis (A e B) a bola a utilizar deverá ser a nº3 Escalão Iniciados e Juvenis a

Leia mais

CIRCUITO DE BEACH POLO ANNP E T A P A S

CIRCUITO DE BEACH POLO ANNP E T A P A S CIRCUITO DE BEACH POLO ANNP E T A P A S I - CALDAS DE AREGOS Resende 24 de Agosto 2008 II - MONDIM DE BASTO - Mondim Basto 30 de Agosto 2008 III BARRAGEM DA QUEIMADELA Fafe 06 de Setembro 2008 Data Limite

Leia mais

História APRESENTAÇÃO DOCUMENTO ORIENTADOR DE KIN-BALL 2

História APRESENTAÇÃO DOCUMENTO ORIENTADOR DE KIN-BALL 2 DOCUMENTO ORIENTADOR DE KIN-BALL 2 História APRESENTAÇÃO O desporto KIN-BALL foi criado no Quebec (Canadá), em 1986, por Mario Demers, bacharel em educação física. É um professor reconhecido e experiente

Leia mais

SORTEIO DA TAÇA DA MADEIRA DE JUVENIS E INICIADOS DE FUTEBOL DE 11 (MASCULINO)

SORTEIO DA TAÇA DA MADEIRA DE JUVENIS E INICIADOS DE FUTEBOL DE 11 (MASCULINO) ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA MADEIRA COMUNICADO OFICIAL Nº 155 DATA: 27.02.2017 SORTEIO DA TAÇA DA MADEIRA DE JUVENIS E INICIADOS DE FUTEBOL DE 11 (MASCULINO) ÉPOCA 2016/2017 Para conhecimento de todos os

Leia mais

CONSELHO DE ARBITRAGEM

CONSELHO DE ARBITRAGEM CONSELHO DE ARBITRAGEM Época 2016/2017 Setúbal, 10 de setembro de 2016 Árbitros C3 Grupo D, C4 Grupos B e C, C5 Grupo B, CJ2 e CJ1 Avaliação TESTE ESCRITO 1. Antes do início do jogo o Delegado do clube

Leia mais

Associação de Futebol de Vila Real

Associação de Futebol de Vila Real Época 2009/2010 Associação de Futebol de Vila Real Prova de Futsal Prova Geral (Árbitros de 1ª e 2ª Categorias) 1ª Chamada Vila Real, 19 de Setembro de 2009 Duração de 60 minutos ão Responder apenas Sim

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO - VOLEIBOL -

REGULAMENTO ESPECÍFICO - VOLEIBOL - REGULAMENTO ESPECÍFICO - VOLEIBOL - INTRODUÇÃO Este Regulamento aplica-se a todas as competições de Voleibol realizadas no âmbito dos XXIV Jogos Nacionais Salesianos, em conformidade com o estipulado no

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO XADREZ. (Revisto em janeiro de 2015)

REGULAMENTO ESPECÍFICO XADREZ. (Revisto em janeiro de 2015) REGULAMENTO ESPECÍFICO XADREZ 2013 2017 (Revisto em janeiro de 2015) ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO P.2 2. ESCALÕES ETÁRIOS P.3 3. CONSTITUIÇÃO DAS EQUIPAS P.3 4. REGULAMENTO TÉCNICO-PEDAGÓGICO P.3 4.1. FASE LOCAL

Leia mais

ÍNDICE GERAL ÍNDICE DE TABELAS.. INDICE DE QUADROS.. ÍNDICE DE FIGURAS.. ÍNDICE DE ANEXOS ABREVIATURAS.. CAPÍTULO I:. 1 INTRODUÇÃO..

ÍNDICE GERAL ÍNDICE DE TABELAS.. INDICE DE QUADROS.. ÍNDICE DE FIGURAS.. ÍNDICE DE ANEXOS ABREVIATURAS.. CAPÍTULO I:. 1 INTRODUÇÃO.. ÍNDICE GERAL ÍNDICE DE TABELAS.. INDICE DE QUADROS.. ÍNDICE DE FIGURAS.. ÍNDICE DE ANEXOS ABREVIATURAS.. CAPÍTULO I:. 1 INTRODUÇÃO.. 2 1.1. Apresentação do problema.. 2 1.2. Pertinência do estudo. 3 1.3.

Leia mais

Torneio Masculino de Fut3 REGULAMENTO

Torneio Masculino de Fut3 REGULAMENTO REGULAMENTO CAPÍTULO I 1. Generalidades 1.1. Todos os jogos serão realizados no Salão da Associação Cultural e Recreativa de Maceirinha; 1.2. Não são permitidas alterações de horários ou adiamento de jogos;

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO XADREZ. (Revisto em novembro de 2015)

REGULAMENTO ESPECÍFICO XADREZ. (Revisto em novembro de 2015) REGULAMENTO ESPECÍFICO XADREZ 2013 2017 (Revisto em novembro de 2015) ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO P.2 2. ESCALÕES ETÁRIOS P.3 3. CONSTITUIÇÃO DAS EQUIPAS P.3 4. REGULAMENTO TÉCNICO-PEDAGÓGICO P.4 4.1. FASE LOCAL

Leia mais

Andebol Boletim nº

Andebol Boletim nº Andebol Boletim nº 2 23-06-2016 O grande entusiasmo entre todos os participantes foi o marco do primeiro dia de competição de andebol masculino. Todas as equipas, apesar da enorme vontade de vencer, demonstraram

Leia mais

Documentos de Apoio - Disciplina de Educação Física 2010-11 ANDEBOL. Caracterização

Documentos de Apoio - Disciplina de Educação Física 2010-11 ANDEBOL. Caracterização ANDEBOL Caracterização O Andebol é um jogo desportivo colectivo, disputado entre duas equipas de sete jogadores efectivos (6 jogadores de campo e um guarda-redes) e cinco suplentes e jogado num campo rectangular.

Leia mais

50 Anos Jogos Juvenis do Barreiro TORNEIO BASQUETEBOL 3 X 3

50 Anos Jogos Juvenis do Barreiro TORNEIO BASQUETEBOL 3 X 3 REGULAMENTO 1 Introdução 50 Anos Jogos Juvenis do Barreiro TORNEIO BASQUETEBOL 3 X 3 2014 O 3x3 (pronunciado 3 por 3), e anteriormente conhecido como FIBA 33, é uma versão formalizada do basquetebol de

Leia mais

Leis do Jogo 2016/17 Resumo das Alterações às Leis para Jogadores, Treinadores e

Leis do Jogo 2016/17 Resumo das Alterações às Leis para Jogadores, Treinadores e Leis do Jogo 2016/17 Resumo das Alterações às Leis para Jogadores, Treinadores e Introdução A 130ª Assembleia Geral Anual do International FA Board (o IFAB) realizada em Cardiff a 5 de março de 2016 aprovou

Leia mais

Índice. Caparica Futsal Summer Cup 2015 Regulamento - 2

Índice. Caparica Futsal Summer Cup 2015 Regulamento - 2 Índice 1. Introdução... 3 2. Disposições Iniciais... 3 3. Inscrições... 3 4. Equipas Participantes... 4 5. Sorteio... 5 Organização dos s por Escalão... 5 6. Calendário... 5 Fase de s enjamins, e Iniciados...

Leia mais

CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO

CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO Técnico/táctica individual ofensiva com e sem bola (procedimentos gerais) a) Os aspectos da técnica e táctica ofensiva prevalecem sobre os defensivos

Leia mais

O TREINO DOS GUARDA- REDES

O TREINO DOS GUARDA- REDES O TREINO DOS GUARDA- REDES Antes de mais deve ter-se em conta que os guarda-redes (GR) têm uma influência decisiva no jogo. No entanto, a maioria dos treinadores acaba por dedicar uma pequena percentagem

Leia mais

Projecto: "Manifestação da competência do árbitro de andebol. em situação de competição"

Projecto: Manifestação da competência do árbitro de andebol. em situação de competição Projecto: "Manifestação da competência do árbitro de andebol em situação de competição" Luísa Estriga, Fadeup, CIFID Paula Batista, Fadeup, CIFID Alexandre Monteiro, aluno FadeUP Jorge Costa, aluno FadeUP

Leia mais

Secretaria Regional da Educação Direcção Regional da Educação

Secretaria Regional da Educação Direcção Regional da Educação Secretaria Regional da Educação Direcção Regional da Educação Gabinete Coordenador do Desporto Escolar Regulamento Específico Ténis de Mesa 2011/2012 Índice 1. Concentrações... 2 1.1 Competição individual...

Leia mais

Associação de Futebol de Vila Real

Associação de Futebol de Vila Real Época 2007/08 Teste Escrito n.º 16 Candidatos aos Quadros acionais (Grupo C) Vila Real, 26 de Janeiro de 2008 Duração de 60 minutos ão Responder apenas Sim ou ão Cotação (Certa 5; parcial/ certa sem falha

Leia mais

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE SETÚBAL, ASSOCIAÇÕES e ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 REGULAMENTO

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE SETÚBAL, ASSOCIAÇÕES e ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 REGULAMENTO JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 FUTEBOL DE PRAIA REGULAMENTO 1. Organização A organização da competição de Futebol de Praia, nos Jogos do Futuro da Região de Setúbal 2017 é da responsabilidade

Leia mais

Andebol 2012/2013. Plano de Atividades

Andebol 2012/2013. Plano de Atividades Andebol 2012/2013 Plano de Atividades * 15-09-2012 INTRODUÇÃO 3 OBJECTIVOS 4 ACTIVIDADE COMPETITIVA 7 ACTIVIDADE LAZER E RECREAÇÃO 54 FORMAÇÃO AGENTES DESPORTIVOS 55 EVENTOS 58 ANEXOS 59 2 1- INTRODUÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE VOLEIBOL

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE VOLEIBOL REGULAMENTO ESPECÍFICO DE VOLEIBOL 2009-2013 (Reformulado) INDÍCE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ESCALÕES ETÁRIOS, DIMENSÕES DO CAMPO E ALTURA DA REDE... 4 3. CONSTITUIÇÃO DAS EQUIPAS... 5 4. REGULAMENTOS... 4

Leia mais

REGULAMENTO. 3. O MT será constituído por 8 (oito) provas, bem como pelo Campeonato Regional por Equipas de Sub10 (Interclubes).

REGULAMENTO. 3. O MT será constituído por 8 (oito) provas, bem como pelo Campeonato Regional por Equipas de Sub10 (Interclubes). REGULAMENTO 1. O ATL MINI TOUR 2014 (MT) é um circuito de provas para os escalões de Sub8 e Sub10, promovido pela Associação de Ténis de Lisboa (ATL), havendo uma calendarização das provas através de um

Leia mais

VELOCIDADE E ESTAFETAS III

VELOCIDADE E ESTAFETAS III VELOCIDADE E ESTAFETAS III 1. O Treino da Velocidade com Jovens Quando falamos de Velocidade é importante em primeiro lugar conhecer o conceito de movimento ciclíco, que correcponde a um movimento que

Leia mais

REGULAMENTO CONCENTRAÇÕES MINIBASQUETE

REGULAMENTO CONCENTRAÇÕES MINIBASQUETE REGULAMENTO CONCENTRAÇÕES 2015 / 2016 1 Concentrações de Minibasquete da ABB Regulamento Nota: Os intervenientes, não devem esquecer que estamos a promover uma actividade para jovens praticantes, a qual

Leia mais

Conhecer factores importantes do jogo. Conhecer os elementos diferenciadores de Futebol de 11 e de Futsal. disciplinares

Conhecer factores importantes do jogo. Conhecer os elementos diferenciadores de Futebol de 11 e de Futsal. disciplinares Objectivos Conhecer factores importantes do jogo Conhecer os elementos diferenciadores de Futebol de 11 e de Futsal Conhecer elementos de sanções técnicas e Conhecer elementos de sanções técnicas e disciplinares

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE PATINAGEM DE COIMBRA. Mini-HP. Regulamento dos torneios de Mini-HP (1º Torneio Regional do Centro) Época 2015/2016

ASSOCIAÇÃO DE PATINAGEM DE COIMBRA. Mini-HP. Regulamento dos torneios de Mini-HP (1º Torneio Regional do Centro) Época 2015/2016 ASSOCIAÇÃO DE PATINAGEM DE COIMBRA Mini-HP Regulamento dos torneios de Mini-HP (1º Torneio Regional do Centro) Época 2015/2016 Novembro 2015 AS REGRAS BÁSICAS PARA JOGAR O MINI-HP 1.1. PISTA E NÚMERO DE

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO XADREZ 2013-2017

REGULAMENTO ESPECÍFICO XADREZ 2013-2017 REGULAMENTO ESPECÍFICO XADREZ 2013-2017 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO P.2 2. ESCALÕES ETÁRIOS P.3 3. CONSTITUIÇÃO DAS EQUIPAS P.3 4. REGULAMENTO TÉCNICO-PEDAGÓGICO P.3 4.1. FASE LOCAL P.4 4.2. FASE REGIONAL P.5

Leia mais

Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias

Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias Modelo Dep-01 Agrupamento de Escolas do Castêlo da Maia Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias Ano: 5º ano Ano letivo: 201.201 Disciplina: Educação Física Turmas: A, B, C, D, E, F, G,

Leia mais

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA QUESTIONÁRIO AOS TREINADORES DE FUTEBOL Este questionário faz parte de um estudo sobre a Análise do perfil de competências e das necessidades

Leia mais

1ª Jornada 12 Março, Estádio Arsénio Catuna. 16h00m Guia FC vs Associação Academia Alto Colina 16h00m FC Ferreiras vs Imortal DC

1ª Jornada 12 Março, Estádio Arsénio Catuna. 16h00m Guia FC vs Associação Academia Alto Colina 16h00m FC Ferreiras vs Imortal DC GOLFINHOS A 4 EQUIPAS Associação Academia Alto Colina FC Ferreiras 1ª Jornada 12 Março, Estádio Arsénio Catuna Hora 16h00m vs Associação Academia Alto Colina 16h00m FC Ferreiras vs 2ª Jornada 26 de Março

Leia mais

REGRAS DE JOGO SPEEDBALL E CLASSIC ITSF ITSF SPEEDBALL AND CLASSIC RULES OF THE GAME

REGRAS DE JOGO SPEEDBALL E CLASSIC ITSF ITSF SPEEDBALL AND CLASSIC RULES OF THE GAME FEDERAÇÃO PORTUGUESA MATRAQUILHOS E FUTEBOL DE MESA FUNDADA EM 07 DE FEVEREIRO DE 2007 FILIADA NA ITSF - INTERNATIONAL TABLE SOCCER FEDERATION SEDE OFICIAL AV. ENG.º ARMANDO MAGALHAES, 371 0-0 VALONGO

Leia mais

Futebol de Mesa é um jogo emocionante para 2 jogadores combinando intrincada habilidade, tácticas, e pensamento rápido.

Futebol de Mesa é um jogo emocionante para 2 jogadores combinando intrincada habilidade, tácticas, e pensamento rápido. www.barcodetablefootball.com Como jogar Futebol de Mesa é um jogo emocionante para 2 jogadores combinando intrincada habilidade, tácticas, e pensamento rápido. É o melhor e mais realista de todos os jogos

Leia mais

Objetivos Gerais do plano de desenvolvimento técnico desportivo

Objetivos Gerais do plano de desenvolvimento técnico desportivo Introdução Promover, divulgar, ensinar, treinar e competir no desporto em geral e no andebol em particular obriga a uma determinada organização e objetivos diferenciados em cada um dos escalões. Assim,

Leia mais

LIGA DE MATRAQUILHOS JOGOS T

LIGA DE MATRAQUILHOS JOGOS T LIGA DE MATRAQUILHOS JOGOS T REGRAS DE JOGO EQUIPAS 1. ELEMENTOS INTERVENIENTES 1.1. Duas equipas compostas por quatro atletas equipados de acordo com o estipulado pela Liga. Uma mesa de matraquilhos com

Leia mais

O GUARDA-REDES DE ANDEBOL

O GUARDA-REDES DE ANDEBOL O GUARDA-REDES DE ANDEBOL O GUARDA-REDES DE ANDEBOL EMANUEL CASIMIRO, N.º 16043 - O guarda-redes redes de ANDEBOL é o membro mais importante da equipa. - Em muitas equipas de classe mundial estes têm um

Leia mais

Convívio de Futebol Infantil Um Dia Pela Vida

Convívio de Futebol Infantil Um Dia Pela Vida Regulamento geral Equipamento a) As equipas devem trazer, obrigatoriamente, o equipamento em uso no seu clube, com a respetiva numeração e uma braçadeira de capitão; sendo o equipamento do Guarda-Redes

Leia mais

Comunicado Oficial n.º 1 Época: 2011/2012

Comunicado Oficial n.º 1 Época: 2011/2012 Comunicado Oficial n.º 1 Época: 2011/2012 1. ABERTURA DE ÉPOCA 2011/2012 - TÍTULO 11 - ARTº 2º Para efeitos regulamentares considera-se "ÉPOCA DESPORTIVA OFICIAL" o período compreendido entre a data do

Leia mais

CAPÍTULO VI CONCLUSÕES

CAPÍTULO VI CONCLUSÕES CAPÍTULO VI CONCLUSÕES Da análise e discussão dos resultados obtidos através da observação dos jogos da I Liga Portuguesa de Futebol, na qual buscamos identificar e caracterizar as situações de jogo de

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2014/2015

PLANO DE ATIVIDADES 2014/2015 PLANO DE ATIVIDADES 2014/2015 MENSAGEM DA DIREÇÃO Mais e melhor Andebol, constitui um dos nossos principais objetivos programáticos para a presente época desportiva 2014/2015. Estamos convictos que estes

Leia mais

Para conhecimento dos Clubes filiados e demais entidades interessadas, se comunica: 8º ENCONTRO DISTRITAL TRAQUINAS FUTSAL 2015/2016

Para conhecimento dos Clubes filiados e demais entidades interessadas, se comunica: 8º ENCONTRO DISTRITAL TRAQUINAS FUTSAL 2015/2016 ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE LEIRIA COMUNICADO OFICIAL N.º 317 Data: 08-04-2016 Para conhecimento dos Clubes filiados e demais entidades interessadas, se comunica: 8º ENCONTRO DISTRITAL TRAQUINAS FUTSAL 2015/2016

Leia mais

4 Torneio de Andebol Cidade de Castelo Branco-Páscoa REGULAMENTO

4 Torneio de Andebol Cidade de Castelo Branco-Páscoa REGULAMENTO REGULAMENTO. ORGANIZAÇÃO. Associação Desportiva Albicastrense. Associação de Andebol de Castelo Branco. Federação Portuguesa de Andebol.Câmara Municipal de Castelo Branco. PARTICIPANTES. As equipas participantes

Leia mais

1. Introdução Escalões Etários, formato do jogo e variantes da modalidade Constituição das Equipas e Equipamento...

1. Introdução Escalões Etários, formato do jogo e variantes da modalidade Constituição das Equipas e Equipamento... REGULAMENTO ESPECÍFICO VOLEIBOL DE PRAIA 2015-2017 INDÍCE 1. Introdução... 2 2. Escalões Etários, formato do jogo e variantes da modalidade... 3 3. Constituição das Equipas e Equipamento... 4 4. Regulamento

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE VOLEIBOL

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE VOLEIBOL REGULAMENTO ESPECÍFICO DE VOLEIBOL 1. INTRODUÇÃO Este Regulamento aplica-se a todas as competições de Voleibol realizadas no âmbito dos XXIII Jogos Nacionais Salesianos, em conformidade com o estipulado

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASTRO VERDE Projecto Curricular de Turma 8º A e 8º B Planificação - Educação Física (2010/2011) - 1

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASTRO VERDE Projecto Curricular de Turma 8º A e 8º B Planificação - Educação Física (2010/2011) - 1 1º Período Projecto Curricular de Turma 8º A e 8º B Planificação - Educação Física (2010/2011) - 1 - Melhora a aptidão física elevando as capacidades motoras de modo harmonioso e adequado às suas necessidades

Leia mais

Voleib l. Os jogos de Voleibol 4X4 incluídos no Campeonato Escolar estão sujeitos ao seguinte Regulamento:

Voleib l. Os jogos de Voleibol 4X4 incluídos no Campeonato Escolar estão sujeitos ao seguinte Regulamento: l Os jogos de Voleibo incluídos no Campeonato Escolar estão sujeitos ao seguinte Regulamento: 1. Constituição das Equipas 1.1 As equipas são formadas por 4 (quatro) alunos, podendo ser de ambos os géneros,

Leia mais

UNIVERSIDADE DE COIMBRA. Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física

UNIVERSIDADE DE COIMBRA. Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física UNIVERSIDADE DE COIMBRA Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física Parametrização das Estruturas Tácticas em Jogos Desportivos Colectivos Investigação Aplicada à Equipa Campeã Nacional no Escalão

Leia mais

A partida sera jogada por duas equipas, compreendendo cada uma o ma ximo de sete jogadores em campo, um dos quais sera o guarda-redes.

A partida sera jogada por duas equipas, compreendendo cada uma o ma ximo de sete jogadores em campo, um dos quais sera o guarda-redes. Torneio de Futebol Hernâni Gonçalves Regras do jogo NU MERO DE JOGADORES A partida sera jogada por duas equipas, compreendendo cada uma o ma ximo de sete jogadores em campo, um dos quais sera o guarda-redes.

Leia mais

Escola de Ensino Médio Francisca Moreira de Souza Extensão Parajuru Rua: Carmozita Ferreira Cassiano, s/n. Sucatinga Beberibe - CE

Escola de Ensino Médio Francisca Moreira de Souza Extensão Parajuru Rua: Carmozita Ferreira Cassiano, s/n. Sucatinga Beberibe - CE Escola de Ensino Médio Francisca Moreira de Souza Extensão Parajuru Rua: Carmozita Ferreira Cassiano, s/n. Sucatinga Beberibe - CE REGULAMENTO DOS JOGOS FM DO FUTSAL O Regulamento Específico de Futsal

Leia mais

REGULAMENTO DE PROVA OFICIAL

REGULAMENTO DE PROVA OFICIAL REGULAMENTO DE PROVA OFICIAL Época 2010/11 de 11 Página 1 de 8 ÍNDICE I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito II. ORGANIZAÇÃO DE PROVAS Artigo 2º - Modelo Competitivo Artigo 3º - Sistema Competitivo

Leia mais

Associação de Futebol do Porto

Associação de Futebol do Porto RUA ANTÓNIO PINTO MACHADO, 96/100 4100.068 PORTO COMUNICADO OFICIAL Circular n.º 112 = 2015/2016= Para o conhecimento e orientação dos Clubes Filiados, SAD s, SDUQ s, Árbitros, Órgãos de Comunicação Social

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE VOLEIBOL

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE VOLEIBOL REGULAMENTO ESPECÍFICO DE VOLEIBOL Índice 1. Introdução 3 2. Escalões Etários/Bola de Jogo/Duração de Jogo 3 3. Constituição da Equipa 4 4. Classificação/Pontuação 4 5. Arbitragem 5 6. Mesa de Secretariado

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA (3.º ciclo) 1. Introdução

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA (3.º ciclo) 1. Introdução Departamento do Ensino Básico AGRUPAMENTO de ESCOLAS de MOURA Escola do Ensino Básico dos 2º e 3º Ciclos de Moura Ano letivo 2015/2016 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA (3.º

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA PLANO DE ATIVIDADES 2012 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA DESENVOLVIMENTO DA PRÁTICA DESPORTIVA ALTO RENDIMENTO E SELEÇÕES NACIONAIS FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS MARKETING, COMUNICAÇÃO & IMAGEM 1.-

Leia mais

DGEstE - Direção de Serviços da Região Norte AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N.º 1 DE MARCO DE CANAVESES (150745) NIPC

DGEstE - Direção de Serviços da Região Norte AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N.º 1 DE MARCO DE CANAVESES (150745) NIPC Prova código 311 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Educação Física 2016 12.º ano de Escolaridade O presente documento divulga informação relativa à prova de equivalência à frequência da disciplina

Leia mais

Para conhecimento de todos os nossos filiados, Conselho de Arbitragem, Órgãos de Comunicação Social e demais interessados, comunicamos o seguinte:

Para conhecimento de todos os nossos filiados, Conselho de Arbitragem, Órgãos de Comunicação Social e demais interessados, comunicamos o seguinte: Para conhecimento de todos os nossos filiados, Conselho de Arbitragem, Órgãos de Comunicação Social e demais interessados, comunicamos o seguinte: ALTERAÇÃO REGULAMENTO PROVAS OFICIAIS (Art.º 102.05, Art.º

Leia mais

Unidades de Formação e Cargas Horárias Andebol - Grau III

Unidades de Formação e Cargas Horárias Andebol - Grau III Unidades de Formação e Cargas Horárias Andebol - Grau III UNIDADES DE FORMAÇÃO HORAS 1. CARACTERIZAÇÃO DO JOGO 6 2. REGRAS DO JOGO E REGULAMENTOS ESPECÍFICOS 4 3. MEIOS DE ENSINO DO JOGO 20 4. COMPONENTES

Leia mais