Autuação e Contencioso no Simples Nacional Questões Controversas. Satie Kimura Escritório Regional do SN de São Paulo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Autuação e Contencioso no Simples Nacional Questões Controversas. Satie Kimura Escritório Regional do SN de São Paulo"

Transcrição

1 Autuação e Contencioso no Simples Nacional Questões Controversas Satie Kimura Escritório Regional do SN de São Paulo

2 Autuação e Contencioso no SN Questões Controversas SEFISC => NOVOS TEMPOS NO SN CONTROVERSAS EXPOSTAS OBRIGATORIEDADE DA UTILIZAÇÃO DO SEFISC (Art. 2º da Resolução nº 109/2013) : 01/01/2014 -> para PAs até 12/ /01/2015 -> para PAs a partir de 01/2012 2

3 PROGRAMA ORIGEM AUTUAÇÃO: EXCLUSÃO POR PRÁTICA REITERADA LANÇAMENTO CONTENCIOSO 3

4 Autuação e Contencioso no SN Questões Controversas ORIGEM AUTUAÇÃO: EXCLUSÃO POR PRÁTICA REITERADA LANÇAMENTO CONTENCIOSO 4

5 ORIGEM COMPETÊNCIA FISCALIZAÇÃO TIPOS DE FISCALIZAÇÃO INFRAÇÕES PAF 5

6 ORIGEM COMPETÊNCIA FISCALIZAÇÃO: TIPOS DE FISCALIZAÇÃO: INFRAÇÕES PAF 6

7 ORIGEM COMPETÊNCIA FISCALIZAÇÃO: Art. 33 da LC 123/2006. A competência para fiscalizar o cumprimento das obrigações principais e acessórias relativas ao Simples Nacional e para verificar a ocorrência das hipóteses previstas no art. 29 desta Lei Complementar é da Secretaria da Receita Federal e das Secretarias de Fazenda ou de Finanças do Estado ou do Distrito Federal, segundo a localização do estabelecimento, e, tratando-se de prestação de serviços incluídos na competência tributária municipal, a competência será também do respectivo Município 7

8 ORIGEM Art COMPETÊNCIA FISCALIZAÇÃO: 1º As Secretarias de Fazenda ou Finanças dos Estados poderão celebrar convênio com os Municípios de sua jurisdição para atribuir a estes a fiscalização a que se refere o caput deste artigo. 1º-A. Dispensa-se o convênio de que trata o 1º na hipótese de ocorrência de prestação de serviços sujeita ao ISS por estabelecimento localizado no Município 8

9 ORIGEM 9

10 ORIGEM Art COMPETÊNCIA FISCALIZAÇÃO: 1º-B. A fiscalização de que trata o caput, após iniciada, poderá abranger todos os demais estabelecimentos da microempresa ou da empresa de pequeno porte, independentemente da atividade por eles exercida ou de sua localização, na forma e condições estabelecidas pelo CGSN. 1º-C. As autoridades fiscais de que trata o caput têm competência para efetuar o lançamento de todos os tributos previstos nos incisos I a VIII do art. 13, apurados na forma do Simples Nacional, relativamente a todos os estabelecimentos da empresa, independentemente do ente federado instituidor 10

11 ORIGEM COMPETÊNCIA FISCALIZAÇÃO: TIPOS DE FISCALIZAÇÃO: INDIVIDUAL SIMULTÂNEA INTEGRADA INFRAÇÕES PAF 11

12 ORIGEM TIPOS DE FISCALIZAÇÃO: Art. 77 da Resolução CGSN nº 94/2011 6º A competência para fiscalizar de que trata este artigo poderá ser plenamente exercida pelos entes federados, de forma individual ou simultânea, inclusive de forma integrada, mesmo para períodos já fiscalizados. (Lei Complementar nº 123, de 2006, art. 33, 1º-B e 4º) 12

13 ORIGEM Art : 2º Na hipótese de realização, por órgão da administração tributária do Estado, do Distrito Federal ou do Município, de ação fiscal em contribuinte com estabelecimento fora do âmbito de competência do ente federado, este deverá comunicá-la à administração tributária do outro ente federado para que, havendo interesse, se integre à ação fiscal. 3º A comunicação de que trata o 2º dar-se-á por meio do sistema eletrônico de que trata o art.78, no prazo mínimo de 10 (dez) dias antes do início da ação fiscal. 13

14 Fiscalização Integrada: ORIGEM 14

15 ORIGEM COMPETÊNCIA FISCALIZAÇÃO: TIPOS DE FISCALIZAÇÃO: PRESUNÇÕES DE OMISSÃO DE RECEITA PAF 15

16 ORIGEM PRESUNÇÕES DE OMISSÃO DE RECEITA: Art. 34. Aplicam-se à microempresa e à empresa de pequeno porte optantes pelo Simples Nacional todas as presunções de omissão de receita existentes nas legislações de regência dos impostos e contribuições incluídos no Simples Nacional 16

17 ORIGEM COMPETÊNCIA FISCALIZAÇÃO: TIPOS DE FISCALIZAÇÃO: PRESUNÇÕES DE OMISSÃO DE RECEITA PAF 17

18 ORIGEM PAF: Art. 39. O contencioso administrativo relativo ao Simples Nacional será de competência do órgão julgador integrante da estrutura administrativa do ente federativo que efetuar o lançamento, o indeferimento da opção ou a exclusão de ofício, observados os dispositivos legais atinentes aos processos administrativos fiscais desse ente. 1º O Município poderá, mediante convênio, transferir a atribuição de julgamento exclusivamente ao respectivo Estado em que se localiza 18

19 ORIGEM Art PAF: 2º No caso em que o contribuinte do Simples Nacional exerça atividades incluídas no campo de incidência do ICMS e do ISS e seja apurada omissão de receita de que não se consiga identificar a origem, a autuação será feita utilizando a maior alíquota prevista nesta Lei Complementar, e a parcela autuada que não seja correspondente aos tributos e contribuições federais será rateada entre Estados e Municípios ou Distrito Federal. 3º Na hipótese referida no 2º deste artigo, o julgamento caberá ao Estado ou ao Distrito Federal. 19

20 Autuação e Contencioso no SN Questões Controversas ORIGEM AUTUAÇÃO: EXCLUSÃO POR PRÁTICA REITERADA LANÇAMENTO CONTENCIOSO 20

21 Autuação e Contencioso no SN Questões Controversas ORIGEM AUTUAÇÃO: EXCLUSÃO POR PRÁTICA REITERADA LANÇAMENTO DECADÊNCIA INFRAÇÕES PENALIDADE CONTENCIOSO 21

22 AUTUAÇÃO EXCLUSÃO POR PRÁTICA REITERADA: Art. 76 da Resolução nº 94/2011 6º Considera-se prática reiterada, para fins do disposto nas alíneas "d", "j" e "k" do inciso IV do caput: I - a ocorrência, em dois ou mais períodos de apuração, consecutivos ou alternados, de idênticas infrações, inclusive de natureza acessória, verificada em relação aos últimos cinco anos-calendário, formalizadas por intermédio de auto de infração ou notificação de lançamento, em um ou mais procedimentos fiscais; 22

23 AUTUAÇÃO Art PRÁTICA REITERADA: II - a segunda ocorrência de idênticas infrações, caso seja constatada a utilização de artifício, ardil ou qualquer outro meio fraudulento que induza ou mantenha a fiscalização em erro, com o fim de suprimir ou reduzir o pagamento de tributo. 23

24 Autuação e Contencioso no SN Questões Controversas ORIGEM AUTUAÇÃO: EXCLUSÃO POR PRÁTICA REITERADA LANÇAMENTO DECADÊNCIA INFRAÇÕES AINF EXIGIBILIDADE SUSPENSA CONTENCIOSO 24

25 AUTUAÇÃO LANÇAMENTO - DECADÊNCIA: Palestra: DECADÊNCIA E PRESCRIÇÃO (VI Seminário Nacional do SN) 25

26 DECADÊNCIA E PRESCRIÇÃO QUESTÃO 1- FORMULADA PELA SE/CGSN: Qual o prazo para lançamento de CT apurados na forma do SN, quando a empresa optante: Não apresentar a DASN? Não apresentar o PGDAS-D? Ou apresentá-las com DEFICIÊNCIA? OU EFETUAR PAGAMENTOS sem entrega das declarações? Qual o Termo Inicial do prazo decadencial, em cada situação? 26

27 REGRAS Quanto ao Prazo Decadencial: Qual o Termo Inicial? 27 DECADÊNCIA E PRESCRIÇÃO DEFINIÇÃO: PRAZO DECADENCIAL- PARECER DA PGFN nº 1770/2012 Com Pagamento: - o prazo, de 5 anos, para o lançamento da diferença apurada conta-se a partir da ocorrência do F.G. (art.150, 4º); Sem Pagamento: - o prazo, de 5 anos, para o lançamento dos valores devidos conta-se a partir do 1º dia do exercício seguinte àquele em que o lançto poderia ter sido efetuado (art.173, I).

28 DECADÊNCIA E PRESCRIÇÃO DEFINIÇÃO: PRAZO DECADENCIAL (cont.) PARECER DA PGFN nº 1770/2012 Em qualquer dos casos é irrelevante, no cômputo do prazo decadencial, ter havido ou não declaração do contribuinte. O formato da entrega da declaração seja ele anualmente (PA 07/2007 a 12/2011) ou mensalmente (a partir de 01/2012), não interfere na forma de contagem do prazo decadencial, pois o que importa para esse fim é saber se houve ou não pagamento. 28

29 DECADÊNCIA E PRESCRIÇÃO DEFINIÇÃO (PARECER PGFN)- APLICABILIDADE DA REGRA DO PRAZO DECADENCIAL E PRESCRICIONAL: POR TRIBUTO A Decadência e a Prescrição no âmbito do SN devem ser aferidas em relação a cada tributo, ou seja, considerar isoladamente. Justificativas: 29 A LC 123, nada inovou em relação ao tema; Pelo regime SN, são perfeitamente identificáveis os valores que devem ser repassados a cada um dos fiscos, a todos os títulos. Em suma: é do pagamento de cada tributo que se há de apurar a decadência.

30 Autuação e Contencioso no SN Questões Controversas ORIGEM AUTUAÇÃO: EXCLUSÃO POR PRÁTICA REITERADA LANÇAMENTO DECADÊNCIA PRESUNÇÃO DE OMISSÃO DE RECEITA AINF EXIGIBILIDADE SUSPENSA CONTENCIOSO 30

31 AUTUAÇÃO PRESUNÇÕES DE OMISSÃO DE RECEITA: Receitas não escrituradas; Devolução não comprovada de mercadoria vendida; Cancelamento fictício de documento fiscal; Saldo credor de caixa; Suprimento de caixa; Diferença de estoque; Depósitos ou investimentos em instiruições financeiras com origem não comprovada; Falta de escrituração de pagamentos efetuados; Falta de emissão de documento fiscal; Passivo fictício 31

32 Autuação e Contencioso no SN Questões Controversas ORIGEM AUTUAÇÃO: EXCLUSÃO POR PRÁTICA REITERADA LANÇAMENTO DECADÊNCIA PRESUNÇÃO DE OMISSÃO DE RECEITA AINF EXIGIBILIDADE SUSPENSA CONTENCIOSO 32

33 AUTUAÇÃO ACRÉSCIMOS LEGAIS: Art. 35. Aplicam-se aos impostos e contribuições devidos pela microempresa e pela empresa de pequeno porte, inscritas no Simples Nacional, as normas relativas aos juros e multa de mora e de ofício previstas para o imposto de renda, inclusive, quando for o caso, em relação ao ICMS e ao ISS 33

34 AUTUAÇÃO AINF COM EXIGIBILIDADE SUSPENSA: Súmula CARF n 17: Não cabe a exigência de multa de ofício nos lançamentos efetuados para prevenir a decadência, quando a exigibilidade estiver suspensa na forma dos incisos IV ou V do art. 151 do CTN e a suspensão do débito tenha ocorrido antes do início de qualquer procedimento de ofício a ele relativo. 34

35 Autuação e Contencioso no SN Questões Controversas ORIGEM AUTUAÇÃO: EXCLUSÃO POR PRÁTICA REITERADA LANÇAMENTO DECADÊNCIA INFRAÇÕES CONTENCIOSO 35

36 CONTENCIOSO CONFLITOS DE COMPETÊNCIA: CRITÉRIO MATERIAL DO FG: MERCADORIA (ICMS) x SERVIÇO (ISS) CRITÉRIO ESPACIAL DO FG Município A x Município B UNIFORMIZAÇÃO DO PAF: PRAZOS E INSTÂNCIAS CÂMARAS MISTAS (?) 36

37 As questões controversas na autuação e contencioso no Simples Nacional apresentadas são meros vislumbres ESTAMOS APENAS COMEÇANDO!!! Quaisquer que sejam, enfrentá-las poderá significar uma oportunidade única de contribuirmos para a melhoria de nosso sistema tributário GRATA PELA ATENÇÃO 37

III SEMINÁRIO NACIONAL DO SIMPLES NACIONAL

III SEMINÁRIO NACIONAL DO SIMPLES NACIONAL III SEMINÁRIO NACIONAL DO SIMPLES NACIONAL Fiscalização e Obrigações Acessórias MIRIAM FEUERHARMEL SILVA Florianópolis, 10 e 11 de agosto de 2010 LEGISLAÇÃO APLICADA LC 123/2006 e alterações Resolução

Leia mais

VI ENCONTRO ESTADUAL DO SIMPLES NACIONAL

VI ENCONTRO ESTADUAL DO SIMPLES NACIONAL VI ENCONTRO ESTADUAL DO SIMPLES NACIONAL Assunto: Conceitos Básicos do SEFISC Palestrante: Carlos Alberto Correia da Silva Coordenação da Receita do Estado / Assessoria e Gerência do Simples Nacional -

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 20 DE AGOSTO DE 2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 20 DE AGOSTO DE 2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 20 DE AGOSTO DE 2014 * Publicada no DOE em 27/08/14 Dispõe sobre os procedimentos de fiscalização das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte optantes pelo Regime Especial

Leia mais

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Acórdão: /15/2ª Rito: Sumário PTA/AI: Impugnação: 40.

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Acórdão: /15/2ª Rito: Sumário PTA/AI: Impugnação: 40. Acórdão: 20.745/15/2ª Rito: Sumário PTA/AI: 16.000728312-23 Impugnação: 40.010137740-85 Impugnante: Proc. S. Passivo: Origem: EMENTA Fábrica de Móveis e Estofados Luciana - Eireli - EPP IE: 322174433.00-40

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA DECRETO Nº 16406, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2011 PUBLICADO NO DOE Nº 1876, DE 15 DE DEZEMBRO 2011

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA DECRETO Nº 16406, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2011 PUBLICADO NO DOE Nº 1876, DE 15 DE DEZEMBRO 2011 DECRETO Nº 16406, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2011 PUBLICADO NO DOE Nº 1876, DE 15 DE DEZEMBRO 2011 CONSOLIDADO ALTERADO PELO DECRETO: 16753 DOE Nº 1977, de 17.05.12 Dispõe sobre a exclusão do Simples Nacional.

Leia mais

SIMPLES NACIONAL ASSUNTOS GERAIS

SIMPLES NACIONAL ASSUNTOS GERAIS SIMPLES NACIONAL ASSUNTOS GERAIS José Luiz Patta Auditor Fiscal do Município de São Paulo Ex-Membro da Secretaria Executiva do Comitê Gestor do Simples Nacional (2007 a 2016) Índice 1. ADMINISTRAÇÃO DO

Leia mais

Convênio dos Municípios com a PGFN/RFB para inscrição e cobrança do Simples Nacional

Convênio dos Municípios com a PGFN/RFB para inscrição e cobrança do Simples Nacional Formação sobre Finanças Públicas e Educação Fiscal para Prefeituras Etapa Goiânia Convênio dos Municípios com a PGFN/RFB para inscrição e cobrança do Simples Nacional Elmo José Duarte de Almeida Júnior

Leia mais

Obrigações Acessórias Hipóteses e limites. Efeitos do descumprimento.

Obrigações Acessórias Hipóteses e limites. Efeitos do descumprimento. Simples Nacional em Debate Obrigações Acessórias Hipóteses e limites. Efeitos do descumprimento. Patrícia Lenz Koinaski Porto Alegre, 1º/10/2007 INSCRIÇÃO, OPÇÃO E CADASTRO Obrigação de inscrição nos entes

Leia mais

ALTERAÇÃO O Anexo 4 passa a vigorar com a seguinte redação: ANEXO 4 SIMPLES NACIONAL

ALTERAÇÃO O Anexo 4 passa a vigorar com a seguinte redação: ANEXO 4 SIMPLES NACIONAL DECRETO ESTADUAL 3483 DE 31 DE AGOSTO DE 2010 Introduz a Alteração 2.435 no RICMS/SC. O GOVERNADOR DO ESTADO DE SANTA CATARINA, no uso da competência privativa que lhe confere a Constituição do Estado,

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 01/2015

NOTA TÉCNICA Nº 01/2015 NOTA TÉCNICA Nº 01/2015 Brasília, 05 de Janeiro de 2015. ÁREA: Finanças TÍTULO: Simples Nacional: Convênio com a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) esclarecimentos sobre as duas formas de convênio,

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre o parcelamento do Simples Nacional

Perguntas e Respostas sobre o parcelamento do Simples Nacional Perguntas e Respostas sobre o parcelamento do Simples Nacional 1. Quem pode parcelar? Todos os contribuintes que tenham débitos de ICMS declarados e apurados (DASN) no período de 07/2007 a 12/2011 no Portal

Leia mais

Escrituração fiscal das escolas no Simples Nacional

Escrituração fiscal das escolas no Simples Nacional Diogo José Mendes Tenório Auditor Fiscal de Tributos Municipais Escrituração fiscal das escolas no Simples Nacional Conforme: Lei Complementar 123/2006; Resolução do CGSN nº 94/2011 O que será abordado?

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ TRADIÇÃO, EXPERIÊNCIA E OUSADIA DE QUEM É PIONEIRO Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO II Professora: ILZA MARIA DA SILVA FACUNDES Turma: 8ºDIV

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 6571 DE 31 DE OUTUBRO DE 2013 Insere dispositivos na lei nº 5.147/07, dispondo sobre a apresentação de denúncia espontânea por microempresa e empresa de pequeno porte optante pelo simples nacional,

Leia mais

O ISS e o SIMPLES NACIONAL Questões Relevantes em Silas Santiago Secretário-Executivo Comitê Gestor do Simples Nacional

O ISS e o SIMPLES NACIONAL Questões Relevantes em Silas Santiago Secretário-Executivo Comitê Gestor do Simples Nacional O ISS e o SIMPLES NACIONAL Questões Relevantes em 2013 Silas Santiago Secretário-Executivo Comitê Gestor do Simples Nacional LC n. 123/2006 Unifica toda a legislação relativa às MPE; Define critérios de

Leia mais

AGENDA TRIBUTÁRIA PAULISTA: FEVEREIRO DE COM. CAT Nº 2, DE 26/01/2017

AGENDA TRIBUTÁRIA PAULISTA: FEVEREIRO DE COM. CAT Nº 2, DE 26/01/2017 AGENDA TRIBUTÁRIA PAULISTA: FEVEREIRO DE 2017 - COM. CAT Nº 2, DE 26/01/2017 Declara as datas fixadas para cumprimento das obrigações principais e acessórias do mês de fevereiro de 2017. O Coordenador

Leia mais

Procuradoria da Dívida Ativa - PG-05

Procuradoria da Dívida Ativa - PG-05 Procuradoria da Dívida Ativa - PG-05 Ano UFIR-RJ* 2006 67.495.595,72 2007 50.486.636,57 2008 65.476.580,85 2009 231.174.347,46 2010 421.467.819,04 2011 144.707.862,62 2012 357.340.649,83 2013 367.528.368,78

Leia mais

A Fecomércio AL analisou item a item da IN SEF nº 10/2017 e das apresenta abaixo todas as alterações na norma regulamentadora.

A Fecomércio AL analisou item a item da IN SEF nº 10/2017 e das apresenta abaixo todas as alterações na norma regulamentadora. Prezados Senhores, Por meio da Instrução Normativa SEF nº 10, de 10 de fevereiro de 2017 foram alterados dispositivos da Instrução Normativa 09/2012, que dispõe sobre o tratamento tributário aplicável

Leia mais

Simples Nacional 1 Hugo Medeiros de Goes

Simples Nacional 1 Hugo Medeiros de Goes Hugo Medeiros de Goes SIMPLES NACIONAL (2ª parte) De acordo com a Lei Complementar nº 123, de 14/12/2006 (arts. 12 e 88), em 1º de julho de 2007, entra em vigor o Regime Especial Unificado de Arrecadação

Leia mais

Sumário Capítulo 1 Direito tributário Capítulo 2 Espécies de tributo Capítulo 3 Empréstimos compulsórios e contribuições especiais

Sumário Capítulo 1 Direito tributário Capítulo 2 Espécies de tributo Capítulo 3 Empréstimos compulsórios e contribuições especiais Sumário Capítulo 1 Direito tributário... 1 1.1. Direito... 1 1.2. Direito público e direito privado... 1 1.3. Direito tributário... 2 1.4. Direito tributário e os demais ramos do Direito... 4 1.5. Estado...

Leia mais

Parcelamento Especial do Simples Nacional. Ministério da Fazenda

Parcelamento Especial do Simples Nacional. Ministério da Fazenda Parcelamento Especial do Simples Nacional LEGISLAÇÃO Lei Complementar nº 55/206 Resolução CGSN nº 32/206 Instrução Normativa RFB nº.677/206 Portaria PGFN nº.0/206 2 ADESÃO Prazo de adesão: de 2/2/206 até

Leia mais

ANÁLISE DA APLICAÇÃO DAS MULTAS POR FALTA DE PAGAMENTO DE ISS NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO NA VIGÊNCIA DE MEDIDA LIMINAR

ANÁLISE DA APLICAÇÃO DAS MULTAS POR FALTA DE PAGAMENTO DE ISS NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO NA VIGÊNCIA DE MEDIDA LIMINAR ANÁLISE DA APLICAÇÃO DAS MULTAS POR FALTA DE PAGAMENTO DE ISS NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO NA VIGÊNCIA DE MEDIDA LIMINAR MARCUS OLIVEIRA Mestre em Direito Tributário Questão problema Pode haver aplicação

Leia mais

Direito Tributário para o Exame de Ordem

Direito Tributário para o Exame de Ordem Direito Tributário para o Exame de Ordem 3 Conceito de Tributo. 4 Legislação Tributária. 5 Obrigação Tributária. 6 Crédito Tributário. (1a. Parte: Conceito, Constituição) Sergio Karkache http://sergiokarkache.blogspot.com

Leia mais

"CAPÍTULO XXXI DO PAGAMENTO DE CRÉDITOS DA FAZENDA PÚBLICA ESTADUAL COM OS BENEFÍCIOS DO DECRETO Nº /17 - "REFAZ 2017"

CAPÍTULO XXXI DO PAGAMENTO DE CRÉDITOS DA FAZENDA PÚBLICA ESTADUAL COM OS BENEFÍCIOS DO DECRETO Nº /17 - REFAZ 2017 Instrução Normativa RE nº 10, de 31.01.2017 - DOE RS de 03.02.2017 Introduz alterações na Instrução Normativa DRP nº 45/1998, de 26.10.1998. O Subsecretário da Receita Estadual, no uso de atribuição que

Leia mais

TRIBUTÁRIO. Destacamos abaixo as informações consideradas por nós como as mais importantes relativas ao PERT: 1. INFORMAÇÕES GERAIS. 1.

TRIBUTÁRIO. Destacamos abaixo as informações consideradas por nós como as mais importantes relativas ao PERT: 1. INFORMAÇÕES GERAIS. 1. TRIBUTÁRIO 1/6/2017 Programa Especial de Regularização Tributária (PERT) Informamos que ontem, dia 31 de maio de 2017, foi publicada na Edição Extra do Diário Oficial da União, a Medida Provisória nº 783

Leia mais

DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO II. SUSPENSÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO ART. 151 a 155, CTN

DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO II. SUSPENSÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO ART. 151 a 155, CTN DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO II SUSPENSÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO ART. 151 a 155, CTN HIPÓTESES DE SUSPENSÃO, EXTINÇÃO E EXCLUSÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO ART. 151 a 182, CTN. notifica do HIPÓTESES DE SUSPENSÃO

Leia mais

CURSO LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA DO DF GUIA PARA SALA DE AULA MÓDULO 6

CURSO LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA DO DF GUIA PARA SALA DE AULA MÓDULO 6 1. SUPER-SIMPLES ou SIMPLES NACIONAL O SIMPLES tem base na CF/1988 artigos 146, III, d ; 170, inciso IX e 179. Art. 146. Cabe à lei complementar: III estabelecer normas gerais em matéria de legislação

Leia mais

Caso não consiga visualizar este , acesse o link: 0231/11

Caso não consiga visualizar este  , acesse o link:  0231/11 Página 1 de 5 Caso não consiga visualizar este e-mail, acesse o link: 0231/11 05/12/2011 SIMPLES NACIONAL - CONSOLIDAÇÃO DAS NORMAS E REGULAMENTAÇÃO DA LC 139/2011 Senhor Presidente, No dia 1º de dezembro

Leia mais

Assunto: Instruções Normativas da RFB nº 1713 e 1714 que tratam do parcelamento de débitos devidos pelo MEI e por optantes do Simples Nacional

Assunto: Instruções Normativas da RFB nº 1713 e 1714 que tratam do parcelamento de débitos devidos pelo MEI e por optantes do Simples Nacional Rio de Janeiro, 30 de junho de 2017 Of. Circ. Nº 131/17 Assunto: Instruções Normativas da RFB nº 1713 e 1714 que tratam do parcelamento de débitos devidos pelo MEI e por optantes do Simples Nacional Senhor(a)

Leia mais

ANO XXV ª SEMANA DE MAIO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 18/2014

ANO XXV ª SEMANA DE MAIO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 18/2014 ANO XXV - 2014-1ª SEMANA DE MAIO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 18/2014 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA DIPJ 2014 - PESSOAS JURÍDICAS E EQUIPARADAS - DISPOSIÇÕES GERAIS... Pág. 276 SIMPLES NACIONAL DASN-SIMEI

Leia mais

INFORME JURÍDICO OUTUBRO/2016 CONVÊNIOS AUTORIZANDO O PARCELAMENTO INCENTIVADO COM A DISPENSA OU REDUÇÃO DE MULTAS E JUROS DOS ESTADOS.

INFORME JURÍDICO OUTUBRO/2016 CONVÊNIOS AUTORIZANDO O PARCELAMENTO INCENTIVADO COM A DISPENSA OU REDUÇÃO DE MULTAS E JUROS DOS ESTADOS. INFORME JURÍDICO OUTUBRO/2016 CONVÊNIOS AUTORIZANDO O PARCELAMENTO INCENTIVADO COM A DISPENSA OU REDUÇÃO DE MULTAS E JUROS DOS ESTADOS. São Paulo, 05 de outubro de 2016. Prezado Associado, Desde o início

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULO AFONSO ESTADO DA BAHIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULO AFONSO ESTADO DA BAHIA Lei n o. 1154 de 22 de maio 2009. Concede Anistia, Remissão e Redução nos pagamentos de Débitos Fiscais nos prazos e condições que menciona. O PREFEITO MUNICIPAL DE PAULO AFONSO aprovou e ou sanciono a

Leia mais

SEMINÁRIO REGIONAL MACEIÓ/AL

SEMINÁRIO REGIONAL MACEIÓ/AL SEMINÁRIO REGIONAL MACEIÓ/AL ISS - OS FATORES QUE ALTERAM A BASE DE CÁLCULO PALESTRANTE: Ricardo Cavalcante Antas Auditor Fiscal SMF Maceió/AL. 07 e 08 de agosto 2012. FATORES QUE ALTERAM A B.C. Imunidade

Leia mais

SIMPLES NACIONAL. Reflexo das alterações da LC nº 155 no âmbito estadual. Roberta Zanatta Martignago

SIMPLES NACIONAL. Reflexo das alterações da LC nº 155 no âmbito estadual. Roberta Zanatta Martignago SIMPLES NACIONAL Reflexo das alterações da LC nº 155 no âmbito estadual Roberta Zanatta Martignago Auditora-Fiscal da Receita Estadual do RS Membro da Secretaria-Executiva do CGSN AGENDA 1 Simples Nacional

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS-SP obrigações acessórias GIA ficha apuração do ICMS- ST11

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS-SP obrigações acessórias GIA ficha apuração do ICMS- ST11 ICMS-SP obrigações acessórias GIA ficha apuração do ICMS- ST11 21/10/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Análise da Consultoria... 3 2.1. ImpostoRetidoSt... 5 (Imposto Retido por ST)...

Leia mais

4º O contribuinte deverá considerar, destacadamente, para fim de pagamento:

4º O contribuinte deverá considerar, destacadamente, para fim de pagamento: Das Alíquotas e Base de Cálculo e dos Créditos Art. 18. O valor devido mensalmente pela microempresa e empresa de pequeno porte, optante do Simples Nacional, será determinado mediante aplicação da tabela

Leia mais

Processo Administrativo Fiscal Federal

Processo Administrativo Fiscal Federal Processo Administrativo Fiscal Federal Prof. Dr. Érico Hack ABDCONST novembro/2013 1 Processo Série de atos visando a um fim Atos praticados voltados ao fim pretendido Encadeamento dos atos individuais

Leia mais

Simples Nacional: noções básicas e alterações trazidas pela LC 155/2016 Silas Santiago

Simples Nacional: noções básicas e alterações trazidas pela LC 155/2016 Silas Santiago Simples Nacional: noções básicas e alterações trazidas pela LC 155/2016 Silas Santiago Secretário-Executivo Comitê Gestor do Simples Nacional Ministério da Fazenda 1 Parte 1: Noções básicas 2 Administração

Leia mais

DECRETO Nº , DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015.

DECRETO Nº , DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015. DECRETO Nº 19.269, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015. Estabelece o Calendário Fiscal de Arrecadação dos Tributos Municipais, o valor da Unidade Financeira Municipal (UFM) e os preços do metro quadrado de terrenos

Leia mais

DECRETO N.º DE 07 DE MAIO DE 2014

DECRETO N.º DE 07 DE MAIO DE 2014 Decreto Publicado no D.O.E. de 08.05.2014, pág. 02 Este texto não substitui o publicado no D.O.E Índice Remissivo: Letra I - ICMS. DECRETO N.º 44.780 DE 07 DE MAIO DE 2014 Dispõe sobre o parcelamento e

Leia mais

Inscrição em Dívida Ativa da União de Créditos do Simples Nacional

Inscrição em Dívida Ativa da União de Créditos do Simples Nacional Inscrição em Dívida Ativa da União de Créditos do Simples Nacional Inscrição em DAU Fundamento Legal: art. 41, 2º, da LC 123/2006. 2º Os créditos tributários oriundos da aplicação desta Lei Complementar

Leia mais

PROGRAMA ESPECIAL DE REGULARIZAÇÃO TRIBUTÁRIA PERT MEDIDA PROVISÓRIA Nº 783/17

PROGRAMA ESPECIAL DE REGULARIZAÇÃO TRIBUTÁRIA PERT MEDIDA PROVISÓRIA Nº 783/17 PROGRAMA ESPECIAL DE REGULARIZAÇÃO TRIBUTÁRIA PERT MEDIDA PROVISÓRIA Nº 783/17 JULHO 2017 PROGRAMA ESPECIAL DE REGULARIZAÇÃO TRIBUTÁRIA - PERT Instituído pela Medida Provisória nº 783/17 Regulamentação:

Leia mais

MARCELO NEESER NOGUEIRA REIS

MARCELO NEESER NOGUEIRA REIS MARCELO NEESER NOGUEIRA REIS reis@nogueirareis.com.br *EVOLUÇÃODOTEMAAOLONGODOSANOS: Pensamento dos empresários Pensamento do FISCO Posicionamento do Poder Judiciário * ATUAÇÃO DO FISCO PARA GARANTIR SEUS

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ TRADIÇÃO, EXPERIÊNCIA E OUSADIA DE QUEM É PIONEIRO Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO II Professora: ILZA MARIA DA SILVA FACUNDES Turma: 8ºDIV

Leia mais

Contabilidade e Legislação Tributária Aula 11 Crédito Tributário e Lançamento

Contabilidade e Legislação Tributária Aula 11 Crédito Tributário e Lançamento Contabilidade e Legislação Tributária Aula 11 Crédito Tributário e Lançamento Prof. Gustavo Gonçalves Vettori + 1. Crédito tributário e lançamento 1 OT vs. CT Art. 139, CTN: O crédito tributário decorre

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR ÂNGELA SARTORI

COMÉRCIO EXTERIOR ÂNGELA SARTORI COMÉRCIO EXTERIOR ÂNGELA SARTORI COMÉRCIO EXTERIOR 1 DRAWBACK 2 - INTERPOSIÇÃO FRAUDULENTA DE TERCEIROS DRAWBACK DRAWBACK - Base Legal: Decreto Lei nº 37/66, artigo78. - Decreto nº 6.759/2009 (RA), artigo

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.199, de 14 de outubro de 2011

Instrução Normativa RFB nº 1.199, de 14 de outubro de 2011 Instrução Normativa RFB nº 1.199, de 14 de outubro de 2011 DOU de 17.10.2011 Dispõe sobre procedimentos fiscais dispensados aos consórcios constituídos nos termos dos arts. 278 e 279 da Lei nº 6.404, de

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO. Simples Nacional JANEIRO Simples Nacional. Simples Nacional

DIREITO TRIBUTÁRIO. Simples Nacional JANEIRO Simples Nacional. Simples Nacional DIREITO TRIBUTÁRIO Simples Nacional JANEIRO 2015 1 Simples Nacional Art. 146, III, d, CF Tratamento diferenciado e favorecido para ME e EPP Regime único de arrecadação opção do contribuinte; Art. 94 do

Leia mais

Efeitos financeiros do Simples

Efeitos financeiros do Simples Efeitos financeiros do Simples Limites de sua utilização frente ao ordenamento jurídico PAULO AYRES BARRETO Simples e Efeitos Financeiros Arrecadação Custo de Conformidade Constituição Federal Lei Complementar

Leia mais

Apresentação. Aluisio de Andrade Lima Neto

Apresentação. Aluisio de Andrade Lima Neto Apresentação Esta obra objetiva a preparação de candidatos ao cargo de Auditor Fiscal do Tesouro Estadual da Secretaria da Fazenda do Estado de Pernambuco. Procuramos nesta obra abordar os três impostos

Leia mais

Resolução CGSN nº 52 (DOU de 23/12/08) Obs.: Ret. DOU de 26/12/08

Resolução CGSN nº 52 (DOU de 23/12/08) Obs.: Ret. DOU de 26/12/08 Resolução CGSN nº 52 (DOU de 23/12/08) Obs.: Ret. DOU de 26/12/08 Dispõe a concessão de benefícios, na forma de isenção, redução ou estabelecimento de valores fixos do ICMS ou do ISS às Microempresas (ME)

Leia mais

SIMPLES NACIONAL. Alterações trazidas pela LC nº 155/2016 e questões estaduais. Roberta Zanatta Martignago

SIMPLES NACIONAL. Alterações trazidas pela LC nº 155/2016 e questões estaduais. Roberta Zanatta Martignago SIMPLES NACIONAL Alterações trazidas pela LC nº 155/2016 e questões estaduais Roberta Zanatta Martignago Auditora-Fiscal da Receita Estadual do RS Membro da Secretaria-Executiva do CGSN 1 Simples Nacional

Leia mais

IBEF Grupo de Estudos Tributários Maio 2016

IBEF Grupo de Estudos Tributários Maio 2016 www.pwc.com.br IBEF Grupo de Estudos Tributários Maio 2016 Emenda Constitucional 87/2015 Alteração na forma de recolhimento do ICMS e o entendimento da Sefaz SP Alteração no art. 155 da Constituição Federal

Leia mais

DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA 1

DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA 1 DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA 1 Consulta Divergências DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA 2 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA GERÊNCIA DE FISCALIZAÇÃO GEFIS

Leia mais

Medidas de Eficiência no âmbito do Conselho Municipal de Tributos - CMT. Senam 2017 Regina Vitoria Soares Garcia Presidente do CMT

Medidas de Eficiência no âmbito do Conselho Municipal de Tributos - CMT. Senam 2017 Regina Vitoria Soares Garcia Presidente do CMT Medidas de Eficiência no âmbito do Conselho Municipal de Tributos - CMT Senam 2017 Regina Vitoria Soares Garcia Presidente do CMT Controle de Estoque de Processos Administrativos SF - Redução do tamanho

Leia mais

Procedimento. Levantamento de Estoque e recolhimento do imposto. Contribuintes sujeitos ao Regime Periódico de Apuração - RPA

Procedimento. Levantamento de Estoque e recolhimento do imposto. Contribuintes sujeitos ao Regime Periódico de Apuração - RPA Procedimento Levantamento de Estoque e recolhimento do imposto Contribuintes sujeitos ao Regime Periódico de Apuração - RPA O contribuinte substituído, sujeito ao Regime Periódico de Apuração - RPA que,

Leia mais

CURSO JURÍDICO FMB CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DOS MÓDULOS

CURSO JURÍDICO FMB CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DOS MÓDULOS CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DOS MÓDULOS Sumário DIREITO TRIBUTÁRIO... DIREITO TRIBUTÁRIO PROFS. GUILHERME ADOLFO DOS SANTOS MENDES E DIMAS MONTEIRO DE BARROS MÓDULO I Direito Tributário - Conceito; Tributo -

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 04/2016

NOTA TÉCNICA Nº 04/2016 NOTA TÉCNICA Nº 04/2016 Brasília, 13 de Janeiro de 2016. ÁREA: Finanças TÍTULO: Sistema Eletrônico Único de Fiscalização, Lançamento e Contencioso SEFISC: O que os Municípios precisam saber? REFERÊNCIA(S):

Leia mais

CAPÍTULO I DO PAGAMENTO À VISTA OU DO PARCELAMENTO DE DÍVIDAS DE PEQUENO VALOR

CAPÍTULO I DO PAGAMENTO À VISTA OU DO PARCELAMENTO DE DÍVIDAS DE PEQUENO VALOR PORTARIA No. 1 DE 10 /03 /2009 PROCURADORIA GERAL DA FAZENDA NACIONAL SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - PGFN/RFB PUBLICADO NO DOU NA PAG. 00041 EM 13 /03 /2009 Dispõe sobre parcelamento de débitos

Leia mais

Crédito Tributário e Suas Formas de Lançamento art. 139 a 150 CTN

Crédito Tributário e Suas Formas de Lançamento art. 139 a 150 CTN CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO TRIBUTÁRIO. Aula Ministrada pelo Prof. Rubens Kindlmann AULA 23 31/05/17 CRÉDITO TRIBUTÁRIO E SUAS FORMAS DE LANÇAMENTO Crédito Tributário e Suas Formas de Lançamento

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 1106/09, de 29 de dezembro de 2009.

LEI MUNICIPAL Nº 1106/09, de 29 de dezembro de 2009. LEI MUNICIPAL Nº 1106/09, de 29 de dezembro de 2009. Altera a Lei Complementar nº 001/06 de 13 de fevereiro de 2006, Código Tributário Municipal de Camocim e determina outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

Sumário CAPÍTULO 3 EMPRÉSTIMOS COMPULSÓRIOS E CONTRIBUIÇÕES ESPECIAIS

Sumário CAPÍTULO 3 EMPRÉSTIMOS COMPULSÓRIOS E CONTRIBUIÇÕES ESPECIAIS Sumário CAPÍTULO 1 DIREITO TRIBUTÁRIO 1. Direito 2. Direito público e direito privado 3. Direito tributário 4. Direito tributário e os demais ramos do Direito 5. Estado 6. Receitas do Estado 7. Definição

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO. Crédito Tributário Suspensão da Exigibilidade. Prof.ª Luciana Batista

DIREITO TRIBUTÁRIO. Crédito Tributário Suspensão da Exigibilidade. Prof.ª Luciana Batista DIREITO TRIBUTÁRIO Crédito Tributário Suspensão da Exigibilidade Prof.ª Luciana Batista Suspensão da exigibilidade (art.151 do CTN): o Fisco não poderá exigir o crédito tributário. Rol taxativo (art. 141

Leia mais

ARTIGO 65 DA LEI Nº , DE 11 DE JUNHO DE Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial ARTIGO 65

ARTIGO 65 DA LEI Nº , DE 11 DE JUNHO DE Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial ARTIGO 65 ARTIGO 65 LEI Nº 12.249, DE 11 DE JUNHO DE 2010 Art. 65. Poderão ser pagos ou parcelados, em até 180 (cento e oitenta) meses, nas condições desta Lei, os débitos administrados pelas autarquias e fundações

Leia mais

Portaria CAT 53, de

Portaria CAT 53, de Publicado no D.O.E. (SP) de 25/05/2013 Portaria CAT 53, de 24-05-2013 Disciplina a atribuição, por regime especial, da condição de sujeito passivo por substituição tributária, conforme inciso VI do artigo

Leia mais

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL 1 LEI Nº 5.211, DE 6 DE NOVEMBRO DE 2013 (Autoria do Projeto: Poder Executivo) Institui a segunda fase do Programa de Recuperação de Créditos Tributários do Distrito Federal RECUPERA-DF e dá outras providências.

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Transferência ICMS em MG

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Transferência ICMS em MG Nota 07/10/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas Pelo Cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 6 5. Informações Complementares... 6 6. Referências...

Leia mais

REDAÇÃO FINAL DO SUBSTITUTIVO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS AO PROJETO DE LEI Nº A DE 2016 DO SENADO FEDERAL (PLS Nº 405/16 NA CASA DE ORIGEM)

REDAÇÃO FINAL DO SUBSTITUTIVO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS AO PROJETO DE LEI Nº A DE 2016 DO SENADO FEDERAL (PLS Nº 405/16 NA CASA DE ORIGEM) C Â M A R A D O S D E P U T A D O S REDAÇÃO FINAL DO SUBSTITUTIVO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS AO PROJETO DE LEI Nº 6.568-A DE 2016 DO SENADO FEDERAL (PLS Nº 405/16 NA CASA DE ORIGEM) Substitutivo da Câmara

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fl. 22 Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta Interna nº 6 - Data 3 de abril de 2017 Origem DRF/ PELOTAS Assunto: Processo Administrativo Fiscal Ementa: SIMPLES NACIONAL. EXCLUSÃO MEDIANTE

Leia mais

Parecer 1770/2012 da Procuradoria da Fazenda Nacional, apresentado pelo Memorando PGFN 4363 Sobre a Decadência e Prescrição no Simples Nacional

Parecer 1770/2012 da Procuradoria da Fazenda Nacional, apresentado pelo Memorando PGFN 4363 Sobre a Decadência e Prescrição no Simples Nacional Parecer 1770/2012 da Procuradoria da Fazenda Nacional, apresentado pelo Memorando PGFN 4363 Sobre a Decadência e Prescrição no Simples Nacional Consulta da Secretaria Executiva do Comitê Gestor do Simples

Leia mais

ORGANIZAÇÃO. APET Associação Paulista de Estudos Tributários

ORGANIZAÇÃO. APET Associação Paulista de Estudos Tributários XIV Simpósio de Direito Tributário ORGANIZAÇÃO APET Associação Paulista de Estudos Tributários 18/Novembro/2016 1 XIV Simpósio de Direito Tributário PALESTRA O ICMS e a Consulta Tributária PALESTRANTE

Leia mais

Presunções no Processo Administrativo Fiscal

Presunções no Processo Administrativo Fiscal I Encontro sobre Julgamento Administrativo Municipal Tributário Presunções no Processo Administrativo Fiscal Fabiana Del Padre Tomé Mestre e Doutora pela PUC/SP Professora da PUC/SP e do IBET Indícios

Leia mais

III VIDEOCONFERÊNCIA DO SIMPLES NACIONAL NO ESTADO DA BAHIA

III VIDEOCONFERÊNCIA DO SIMPLES NACIONAL NO ESTADO DA BAHIA III VIDEOCONFERÊNCIA DO SIMPLES NACIONAL NO ESTADO DA BAHIA 07/10/2011 Facilitadora : Dilza Ramos Rodrigues Auditora Fiscal do Estado da Bahia Assessora Especial do Secretário da Fazenda Representante

Leia mais

PRÁTICA JURÍDICA TRIBUTÁRIA. Denis Domingues Hermida

PRÁTICA JURÍDICA TRIBUTÁRIA. Denis Domingues Hermida PRÁTICA JURÍDICA TRIBUTÁRIA Denis Domingues Hermida - Locadora Carro Bom Ltda. foi autuada pela Receita Federal por ter deixado de recolher a Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (COFINS)

Leia mais

Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais SEF/MG. Subsecretaria da Receita Estadual - SRE. Superintendência de Tributação - SUTRI

Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais SEF/MG. Subsecretaria da Receita Estadual - SRE. Superintendência de Tributação - SUTRI Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais SEF/MG Subsecretaria da Receita Estadual - SRE Superintendência de Tributação - SUTRI ALTERAÇÕES NO SIMPLES NACIONAL E AS IMPLICAÇÕES NO ÂMBITO ESTADUAL

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA Consolidado, alterado pelo Decreto: 18829, de 05.05.14 DOE nº 2450, de 05.05.14 GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA DECRETO N. 18426, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2013. PUBLICADO NO DOE Nº 2358, DE 10.12.13 Institui

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XX EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XX EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Em 1º de janeiro de 2014, a União publicou lei ordinária instituindo Contribuição de Intervenção do Domínio Econômico (CIDE) incidente sobre as receitas decorrentes

Leia mais

SIMPLES NACIONAL. Histórico e Fundamentos Legais. Maio/2008

SIMPLES NACIONAL. Histórico e Fundamentos Legais. Maio/2008 SIMPLES NACIONAL Histórico e Fundamentos Legais Maio/2008 1 FUNDAMENTOS LEGAIS Dispositivos Constitucionais: Art. 179 Art. 146, III, d e único (redação da EC 42/2003) Art. 94 do ADCT LC 123/2006 - Estatuto

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE VARGINHA

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE VARGINHA 1 DECRETO Nº 4.396/2007 APROVA A REGULAMENTAÇÃO DO ISS ELETRÔNICO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito do Município de Varginha, Estado de Minas Gerais, no uso das atribuições conferidas por Lei, D E C

Leia mais

DECRETO N 6003, de 02 de fevereiro de 2017.

DECRETO N 6003, de 02 de fevereiro de 2017. DECRETO N 6003, de 02 de fevereiro de 2017. REGULAMENTA O ARTIGO 303 DA LEI COMPLEMENTAR Nº110, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2003, QUE ESTABELECEU O CÓDIGO TRIBUTÁRIO MUNICIPAL. O Prefeito do Município de Rio

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 13

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 13 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 13 CAPÍTULO I A PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL... 15 1. Breve reconstrução histórica... 15 1.1. Do Procurador dos Feitos da Coroa, da Fazenda e do Fisco ao Procurador

Leia mais

Referência: Decreto Estadual-RJ nº /14 - ICM e ICMS - Parcelamento - Redução de multas e acréscimos legais Disposições.

Referência: Decreto Estadual-RJ nº /14 - ICM e ICMS - Parcelamento - Redução de multas e acréscimos legais Disposições. Rio de Janeiro, 08 de maio de 2014 Of. Circ. Nº 134/14 Referência: Decreto Estadual-RJ nº 44.780/14 - ICM e ICMS - Parcelamento - Redução de multas e acréscimos legais Disposições. Senhor Presidente, Fazendo

Leia mais

DECRETO Nº 9.893, DE 17 DE DEZEMBRO DE (Processo administrativo nº /2012)

DECRETO Nº 9.893, DE 17 DE DEZEMBRO DE (Processo administrativo nº /2012) DECRETO Nº 9.893, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2012. (Processo administrativo nº 49.754/2012) Regulamenta no âmbito do Município de Franca o Programa de Parcelamento de ISS e multas fiscais devidos pelas microempresas,

Leia mais

Tributos e Contribuições Federais Previdenciária - PGFN regulamenta o Programa Especial de Regularização Tributária Pert

Tributos e Contribuições Federais Previdenciária - PGFN regulamenta o Programa Especial de Regularização Tributária Pert Publicada em 30.06.2017-09:21 Tributos e Contribuições Federais Previdenciária - PGFN regulamenta o Programa Especial de Regularização Tributária Pert O Programa Especial de Regularização Tributária (Pert),

Leia mais

SIMPLES NACIONAL: Lei Complementar nº 123/06. Porto Alegre (RS), 01 de outubro de 2007.

SIMPLES NACIONAL: Lei Complementar nº 123/06. Porto Alegre (RS), 01 de outubro de 2007. SIMPLES NACIONAL: Lei Complementar nº 123/06 Porto Alegre (RS), 01 de outubro de 2007. Art. 146. Cabe à lei complementar: (...) III - estabelecer normas gerais em matéria de legislação tributária, especialmente

Leia mais

Maiores informações pelo fone Alcidinir Vanderlinde Fiscal de Tributos

Maiores informações pelo fone Alcidinir Vanderlinde Fiscal de Tributos Rio do Oeste Contribuintes já podem regularizar dívidas pelo Revigoramento Econômico A Administração Municipal de Rio do Oeste informa a todos os contribuintes com débitos junto ao município, que está

Leia mais

Operação Concorrência Leal Simples Nacional

Operação Concorrência Leal Simples Nacional Operação Concorrência Leal Simples Nacional O que é? Cruzamento da DASN de 2010 e 2011 dos 130 mil contribuintes optantes pelo Simples Nacional com informações : Vendas a Entes Estaduais e Municipais (2010

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIOECONÔMICAS E HUMANAS CIÊNCIAS CONTÁBEIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIOECONÔMICAS E HUMANAS CIÊNCIAS CONTÁBEIS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIOECONÔMICAS E HUMANAS CIÊNCIAS CONTÁBEIS ELAINE FERREIRA NOLAÇO ANÁPOLIS 2012 Lucro arbitrado ou presumido Lucro arbitrado é uma forma

Leia mais

Página 1 de 6 Instrução Normativa RFB nº 1.027, de 22 de abril de 2010 DOU de 23.4.2010 Altera a Instrução Normativa RFB nº 971, de 13 de novembro de 2009, que dispõe sobre normas gerais de tributação

Leia mais

BÔNUS DE ADIMPLÊNCIA FISCAL

BÔNUS DE ADIMPLÊNCIA FISCAL BÔNUS DE ADIMPLÊNCIA FISCAL Instituído pela Lei nº 10.637, de 2002 1) CONTRIBUIÇÃO SOCIAL SOBRE O LUCRO LÍQUIDO (CSLL) * Silvério das Neves * Adherbal Corrêa Bernardes 1.1) Alíquotas O art. 6º da Medida

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Conjugada Rio Grande do Sul

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Conjugada Rio Grande do Sul Nota Fiscal Conjugada Rio Grande do Sul 02/12/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 5 3.1. Definição... 7 3.2. Previsão

Leia mais

SIMPLES NACIONAL. Questões estaduais. Roberta Zanatta Martignago. Auditora-Fiscal da Receita Estadual do RS Membro da Secretaria-Executiva do CGSN

SIMPLES NACIONAL. Questões estaduais. Roberta Zanatta Martignago. Auditora-Fiscal da Receita Estadual do RS Membro da Secretaria-Executiva do CGSN SIMPLES NACIONAL Questões estaduais Roberta Zanatta Martignago Auditora-Fiscal da Receita Estadual do RS Membro da Secretaria-Executiva do CGSN 1 Simples Nacional no RS 2 3 4 Obrigações acessórias Exclusão

Leia mais

um dos temas mais e :

um dos temas mais e : um dos temas mais e : decorre do! e tem marcantes! Muitas incertezas! Confusões! decadência e prescrição - tratadas como se sinônimas fossem. foi nítida a evolução e modernização: - da ; - dos de fiscalização

Leia mais

OS ASPECTOS MATERIAIS DO DIREITO TRIBUTÁRIO

OS ASPECTOS MATERIAIS DO DIREITO TRIBUTÁRIO OS ASPECTOS MATERIAIS DO DIREITO TRIBUTÁRIO Aula 01 Camila Campos Vergueiro VOCÊ JÁ PENSOU SOBRE: a regra jurídica? a obrigação tributária? o crédito tributário? O CICLO DE VIDA DA OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA?

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 87, DE 16 DE ABRIL DE 2015

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 87, DE 16 DE ABRIL DE 2015 EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 87, DE 16 DE ABRIL DE 2015 CONVÊNIO ICMS 93 DE 17/09/2015 AJUSTE SINIEF 5 DE 02/10/2015 AJUSTE SINIEF 6 DE 02/10/2015 2 Alterações advindas da Emenda Constitucional nº 87/2015

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 5

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 5 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 5 CAPÍTULO 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS... 19 1. Breves considerações sobre o direito financeiro... 19 2. Direito tributário. Noção conceptual... 22 2.1. Autonomia do Direito Tributário...

Leia mais

SANEAMENTO DE INCORREÇÕES EM AUTOS DE INFRAÇÃO E VALIDADE DAS RETIFICAÇÕES PARA INCIDÊNCIAS DECAÍDAS

SANEAMENTO DE INCORREÇÕES EM AUTOS DE INFRAÇÃO E VALIDADE DAS RETIFICAÇÕES PARA INCIDÊNCIAS DECAÍDAS SANEAMENTO DE INCORREÇÕES EM AUTOS DE INFRAÇÃO E VALIDADE DAS RETIFICAÇÕES PARA INCIDÊNCIAS DECAÍDAS Moisés Mario Chehter Bacharel em Direito e Engenheiro pela USP Assistente técnico do Departamento de

Leia mais

Posicionamento Consultoria de Segmentos Obrigações Acessórias para o AMPARA-RS

Posicionamento Consultoria de Segmentos Obrigações Acessórias para o AMPARA-RS Posicionamento Consultoria de Segmentos Obrigações Acessórias para o AMPARA-RS 09/11/2016 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 2.1. Procedimento SEFAZ -

Leia mais

ICMS. Arbitramento. A fiscalização deve apurar o montante devido no lançamento tributário com o abatimento dos

ICMS. Arbitramento. A fiscalização deve apurar o montante devido no lançamento tributário com o abatimento dos ICMS. Arbitramento. A fiscalização deve apurar o montante devido no lançamento tributário com o abatimento dos créditos ainda que não declarados em GIA? Paulo Campilongo Mestre e doutor PUC/SP ALTERNATIVAS

Leia mais