O laço for é geralmente usado quando queremos repetir algo por um número fixo de vezes

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O laço for é geralmente usado quando queremos repetir algo por um número fixo de vezes"

Transcrição

1 Linguagem C Laços

2 Laços Laços são comandos usados sempre que uma ou mais instruções tiverem de ser repetidas enquanto uma certa condição estiver sendo satisfeita Em C existem três comandos de laços for while do-while

3 O Laço for O laço for é geralmente usado quando queremos repetir algo por um número fixo de vezes Utilizamos quando sabemos de antemão o número de vezes a repetir /* ForDemo.c */ /* Mostra um uso simples do laço for */ int i; for( i=0 ; i < 20 ; i++ ) /* Imprime 20 * */ printf("%c", '*'); printf("\n");

4 O Laço for /* ForDemo.c */ /* Mostra um uso simples do laço for */ int i; for( i=0 ; i < 20 ; i++ ) /* Imprime 20 * */ printf("%c", '*'); printf("\n");

5 Sintaxe do for Ponto-e-vírgula Inicialização Teste Incremento for( i=0 ; i < 20 ; i++ ) printf("%c", '*'); Corpo Não há ponto-e-vírgula aqui

6 Exemplo Tabuada de 6 /* Tabuada6.c */ /* Imprime a tabuada do 6 */ int i; for( i=1 ; i < 10 ; i++ ) printf("\n%4d x 6 = %4d", i,i*6); printf("\n");

7 Exemplo Tabuada de 6

8 Exemplo Modificado Tabuada Invertida /* Tabuada6I.c */ /* Imprime a tabuada do 6 invertida */ int i; for( i=9 ; i > 0 ; i-- ) printf("\n%4d x 6 = %4d", i,i*6); printf("\n");

9 Exemplo Modificado Tabuada Invertida

10 Exemplo Múltiplos de 3 Imprimir os múltiplos de 3 entre 3 e 100 /* Multipl3.c */ /* Imprime os múltiplos de 3 entre 3 e 100 */ int i; for( i=3 ; i <= 100 ; i += 3) printf("%d\t", i ); printf("\n");

11 Exemplo Múltiplos de 3 /* Multipl3.c */ /* Imprime os múltiplos de 3 entre 3 e 100 */ int i; for( i=3 ; i <= 100 ; i += 3) printf("%d\t", i ); printf("\n");

12 O Operador Vírgula Qualquer uma das expressões de um laço for pode conter várias instruções separadas por vírgulas Um par de expressões separadas por vírgula é avaliado da esquerda para a direita /* Virgula.c */ /* Mostra o uso do operador vírgula no laço for */ /* Imprime os números de 0 a 98 de 2 em 2 */ int i,j; for(i=0, j=i; (i+j) < 100 ; i++, j++) printf("%d ", i +j); printf("\n");

13 O Operador Vírgula /* Virgula.c */ /* Mostra o uso do operador vírgula no laço for */ /* Imprime os números de 0 a 98 de 2 em 2 */ int i,j; for(i=0, j=i; (i+j) < 100 ; i++, j++) printf("%d ", i +j); printf("\n");

14 Usando Caracteres A variável do laço pode ser do tipo char /* CharFor.c */ /* Mostra o uso de uma variável do tipo char para controle do laço for * Imprime as letras minúsculas e seus correspondentes valores * em decimal na tabela ASCII */ char ch; for(ch='a'; ch <= 'z'; ch++ ) printf("\no valor ASCII de %c \xdd82 %d", ch, ch); printf("\n");

15 Usando Caracteres

16 Múltiplas Instruções Se um laço for deve executar várias instruções a cada iteração, elas precisam estar entre chaves Sintaxe for(i=0; i<10; i++) instrução; instrução; instrução; Em C, um bloco de código é uma série de instruções entre chaves é tratado como um grupo de instruções numa única unidade

17 Exemplo /* MEDIA.C * Imprime a média aritmética de 10 notas */ float soma = 0.0; const int max = 10; int i; for( i=0; i < max ; i++) float nota; printf("\ndigite a nota %d : ", i+1); scanf("%f", &nota); soma += nota; printf("\nm\xdd82\dia = %.2f\n", soma/max);

18 Exemplo

19 Criando Blocos Dentro de Blocos Em todo lugar onde é possível colocar uma instrução C, é também possível inserir um bloco de código /* Bloco.C */ /* Mostra o uso de um bloco dentro de outro bloco */ int i=5; /* Inicio do bloco */ int i=150; printf("%d\n", i); /* Imprime 150 */ /* Fim do bloco */ printf("%d\n", i); /* Imprime 5 */

20 Criando Blocos Dentro de Blocos /* Bloco.C */ /* Mostra o uso de um bloco dentro de outro bloco */ int i=5; /* Inicio do bloco */ int i=150; printf("%d\n", i); /* Imprime 150 */ /* Fim do bloco */ printf("%d\n", i); /* Imprime 5 */

21 Laços for Aninhados Quando um laço for faz parte de um corpo de outro laço for, dizemos que o laço interno está aninhado

22 Laços for Aninhados /* Tabuada.C */ /* Imprime a tabuada do 2 ao 9 */ int i,j,k; for(k=0; k<=1 ; k++) printf("\n"); for(i=1 ; i <= 4 ; i++) printf("tabuada DO %3d printf("\n"); ", i+4*k+1); for( i = 1; i <= 9 ; i++) for( j=2+4*k; j <= 5+4*k; j++) printf("%3d x%3d = %3d printf("\n"); ", j,i,j*i);

23 Laços for Aninhados

24 Cartão de Natal /* Natal.C */ /* Imprime uma árvore de natal */ #include <conio.h> /* para getche() */ char sd, se; int i,k, j; system("cls");/* Limpa a tela */ printf("\nsinal interno direito : "); sd = getche();/* caractere de desenho da árvore */ printf("\nsinal interno esquerdo: "); se = getche();/* caractere de desenho da árvore */ printf("\n\n");/* Pula 2 linhas antes do início do desenho */ */ for(i=0; i < 4; i++) for(k=1; k < 5; k++) for(j=1;j<=40-(2*i+k);j++) printf(" ");/* Imprime brancos printf("/");/* delimitador inicial da linha */ for( j=1 ; j < (2*i+k) ; j++) printf("%c",se); /* até o meio */ for( j=1 ; j < (2*i+k) ; j++) printf("%c",sd);/* meio ao fim */ printf("\\\n"); /* delimitador final da linha */ /* Desenha o pé da árvore */ for(i=0; i < 2; i++) for(j=0;j < 38; j++) printf(" "); printf(" \n"); printf("\n");; /* Imprime mensagem centralizada */ for(j=0; j < 35; j++) printf(" "); printf("feliz NATAL\n"); for(j=0; j < 31; j++) printf(" "); printf("e UM PROSPERO 2007!\n");

25 Cartão de Natal

26 O Laço while Utilizamos o while quando o laço pode ser terminado inesperadamente, por condições desenvolvidas dentro do corpo /* Contachar.C */ /* Conta caracteres de uma frase */ #include <conio.h> /* para getche() */ int cont=0; /* Contador */ while(getche()!= '\r') /* Enquanto não [Enter] */ cont++; /* Corpo do laço */ /* Fora do laço */ printf("\n\no n\xdda3\mero de caracteres \xdd82 %d\n", cont);

27 O Laço while /* Contachar.C */ /* Conta caracteres de uma frase */ #include <conio.h> /* para getche() */ int cont=0; /* Contador */ while(getche()!= '\r') /* Enquanto não [Enter] */ cont++; /* Corpo do laço */ /* Fora do laço */ printf("\n\no n\xdda3\mero de caracteres \xdd82 %d\n", cont);

28 Sintaxe do while Consiste na palavra-chave while seguida de uma expressão de teste entre parênteses Se a expressão de teste for verdadeira, o corpo do laço é executado de uma vez e a expressão de teste é avaliada novamente Esse ciclo de teste e execução é repetido até que a expressão de teste torne falsa Então o laço termina e o controle do programa passa para a linha seguinte Inicialização; while(teste).. Incremento;.

29 Exemplo /* WhileDemo.C */ /* Mostra um uso simples do laço while no lugar de um laço for */ int i=0; /* Inicialização */ while( i < 20 ) /* Teste */ printf("%c", '*'); i++; printf("\n");

30 Exemplo /* WhileDemo.C */ /* Mostra um uso simples do laço while no lugar de um laço for */ int i=0; /* Inicialização */ while( i < 20 ) /* Teste */ printf("%c", '*'); i++; printf("\n");

31 Laços while aninhados Uma das instruções de um bloco de código que compõe o corpo de um laço while pode ser outro laço while Função rand() Necessita da inclusão do arquivo stdlib.h Retorna um número inteiro aleatório (sorteado) rand() % 26 + a ;

32 Exemplo /* Adivinha.C */ /* Testa a sua capacidade de adivinhar uma letra */ /* para system() e rand() */ #include <conio.h> /* para getch() */ char ch='s'; /* s de sim */ char resp; /* resposta do usuário */ char secreto; int tentativas; while(ch=='s') secreto = rand() % 26 + 'a'; tentativas = 1; printf("\n\ndigite uma letra entre 'a' e 'z':\n"); while((resp=getch())!= secreto) printf("%c e incorreto. Tente novamente\n",resp); tentativas++; printf("%c e CORRETO!!\n", resp); printf("voce acertou em %d tentativas\n", tentativas); printf("\nquer jogar novamente? (s/n): "); ch=getche(); printf("\nate logo e boa sorte!\n");

33 O Laço do-while É utilizado em situações em que é necessário executar o corpo do laço uma primeira vez Logo após, avaliar a expressão de teste e criar um ciclo repetido do instrução; instrução; while(teste); Primeiramente, o bloco do código é executado Em seguida, a expressão de teste entre parênteses é avaliada Se verdadeira, o corpo do laço é mais uma vez executado e a expressão de teste é avaliada novamente Repete-se até que a expressão de teste torne falsa

34 Exemplo /* Adivinha1.C */ /* Testa a sua capacidade de adivinhar uma letra */ /* Agora com o laço do-while */ /* para system() e rand() */ #include <conio.h> /* para getch() */ char resp; /* resposta do usuário */ char secreto; int tentativas; do /*inicio do laço */ secreto = rand() % 26 + 'a'; tentativas = 1; printf("\n\ndigite uma letra entre 'a' e 'z':\n"); while((resp=getch())!= secreto) printf("%c e incorreto. Tente novamente\n",resp); tentativas++; printf("%c e CORRETO!!\n", resp); printf("voce acertou em %d tentativas\n", tentativas); printf("\nquer jogar novamente? (s/n): "); while(getche() == 's'); printf("\nate logo e boa sorte!\n");

INFORMÁTICA APLICADA AULA 05 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++

INFORMÁTICA APLICADA AULA 05 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 05 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ Profª ª Danielle Casillo LAÇOS Laços são comandos da linguagem

Leia mais

Estruturas de Repetição. for() while() do-while() break; continue;

Estruturas de Repetição. for() while() do-while() break; continue; Estruturas de Repetição for() while() do-while() break; continue; 1 Auto-Ajuda (!) Como ajudar a solucionar erros básicos do meu programa? Verificar os ; Verificar se não há comandos em maiúsculas; Verificar

Leia mais

Linguagem C. Comandos de Decisão

Linguagem C. Comandos de Decisão Linguagem C Comandos de Decisão Comandos de Decisão Uma das tarefas fundamentais de qualquer programa é decidir o que deve ser executado a seguir Os comandos de decisão permitem determinar qual é a ação

Leia mais

Técnicas de Programação: Comandos de Controle de DEE UFPB

Técnicas de Programação: Comandos de Controle de DEE UFPB Técnicas de Programação: Comandos de Controle de Programa Prof. Protásio DEE UFPB 1 Comandos de Controle de Programa Comandos que direcionam o fluxo de execução de programa. Em C, tem se 3 categorias:

Leia mais

Estrutura do programa

Estrutura do programa Linguagem C Estrutura do programa Exemplo: #include #include main() { printf( Ola, mundo! ); system( pause ); }

Leia mais

Linguagem C. Prof.ª Márcia Jani Cícero

Linguagem C. Prof.ª Márcia Jani Cícero Linguagem C Prof.ª Márcia Jani Cícero A estrutura Básica de um Programa em C Consiste em uma ou várias funções ou programas. main( ) // primeira função a ser executada // inicia a função // termina a função

Leia mais

Linguagens de programação. Introdução ao C (continuação)

Linguagens de programação. Introdução ao C (continuação) Linguagens de programação Introdução ao C (continuação) M@nso 2003 Sumário Introdução à programação Linguagem C Repetição de instruções Ciclos com controlo inicial ciclo While ciclo For Ciclos com controlo

Leia mais

Métodos Computacionais. Comandos Condicionais e de Repetição em C

Métodos Computacionais. Comandos Condicionais e de Repetição em C Métodos Computacionais Comandos Condicionais e de Repetição em C Tópicos da Aula Hoje vamos acrescentar comportamentos mais complexos a programas em C Comandos Condicionais if-else switch Comandos de Repetição

Leia mais

Introdução à Linguagem C

Introdução à Linguagem C Engenharia de CONTROLE e AUTOMAÇÃO Introdução à Linguagem C Aula 02 DPEE 1038 Estrutura de Dados para Automação Curso de Engenharia de Controle e Automação Universidade Federal de Santa Maria beltrame@mail.ufsm.br

Leia mais

Estruturas de Repetição

Estruturas de Repetição Estruturas de Repetição Introdução As estruturas de repetição, permitem executar mais de uma vez um mesmo trecho de código. Trata-se de uma forma de executar blocos de comandos somente sob determinadas

Leia mais

Linguagem C Controle do Fluxo de Execução. Lógica de Programação

Linguagem C Controle do Fluxo de Execução. Lógica de Programação Linguagem C Controle do Fluxo de Execução Lógica de Programação Caro(a) aluno(a), Aqui começaremos a escrever os nossos primeiros programas em uma Linguagem de Programação. Divirta-se!!! Estrutura Seqüencial

Leia mais

MESMO QUE ESTAS VARIÁVEIS TENHAM NOME IDÊNTICOS

MESMO QUE ESTAS VARIÁVEIS TENHAM NOME IDÊNTICOS Funções As funções são blocos de instruções que facilitam o entendimento do código. Porque usar funções? Para permitir o reaproveitamento de código já construído (por você ou por outros programadores);

Leia mais

Hello World. Linguagem C. Tipos de Dados. Palavras Reservadas. Operadores Aritméticos. Pré e pós incremento e pré e pós decremento

Hello World. Linguagem C. Tipos de Dados. Palavras Reservadas. Operadores Aritméticos. Pré e pós incremento e pré e pós decremento Hello World Linguagem C printf("hello world!\n"); main é a função principal, a execução do programa começa por ela printf é uma função usada para enviar dados para o vídeo Palavras Reservadas auto double

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO Primeiro programa em C #include int main() { int num1, num2, result; scanf("%d",&num1); scanf("%d",&num2); result = num1 + num2; printf("%d",

Leia mais

Capítulo 2 Operadores. A função scanf()

Capítulo 2 Operadores. A função scanf() Capítulo 2 Operadores A função scanf() A função scanf() é outra das funções de E/S implementadas em todos os compiladores e nos permite ler dados formatados da entrada padrão (teclado). Sintaxe: scanf(

Leia mais

Programação Básica. Estrutura de um algoritmo

Programação Básica. Estrutura de um algoritmo Programação Básica Estrutura de um algoritmo Código-fonte Como vimos na aula anterior um algoritmo pode ser representado usando um fluxograma Um algoritmo pode também ser representado usando texto Esse

Leia mais

LP II Estrutura de Dados

LP II Estrutura de Dados LP II Estrutura de Dados Linguagem C Seleção e Repetição Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br Resumo da aula Estruturas de Seleção Simples Composta Aninhada Estruturas de

Leia mais

Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 3 de setembro de 2010

Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 3 de setembro de 2010 Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 3 de setembro de 2010 1 Introdução O objetivo desta aula prática é exercitar o uso de variáveis de vários tipos

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Estruturas de repetição

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Estruturas de repetição Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação Estruturas de repetição Prof. Renato Pimentel 1 Estruturas de repetição Utilização: Trecho de um algoritmo precisa ser executado mais de uma vez:

Leia mais

Introdução à Programação em C (II)

Introdução à Programação em C (II) Introdução à Programação em C (II) Resumo Streams de Texto Leitura e escrita de caracteres Caracteres como números inteiros Exemplos Cópia de Ficheiros Contagem de Caracteres Contagem de Linhas Contagem

Leia mais

1ª Lista de Exercícios

1ª Lista de Exercícios Universidade Federal do Rio de Janeiro Data: 26/04/05 Disciplina: Computação I 1ª Lista de Exercícios 1) Faça um programa, em pseudo-código, que peça ao usuário que informe n números reais e então calcule

Leia mais

Linguagem C. Operadores

Linguagem C. Operadores Linguagem C Operadores Operadores aritméticos: + - * / % C oferece cinco operadores artiméticos binários Soma (+) Subtração ( - ) Multiplicação ( * ) Divisão ( / ) Módulo (%) um operador unário menos unário

Leia mais

Sintaxe Básica de Java Parte 2

Sintaxe Básica de Java Parte 2 Sintaxe Básica de Java Parte 2 Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marciobueno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Instruções Condicionais A instrução

Leia mais

Linguagem C. Funções

Linguagem C. Funções Linguagem C Funções Funções Uma função é um conjunto de instruções desenhadas para cumprir uma tarefa particular Funções dividem grandes tarefas de computação em tarefas menores Permitem que todos os outros

Leia mais

Matrizes em C. Lucas Ferrari de Oliveira Professor Adjunto. Universidade Federal do Paraná

Matrizes em C. Lucas Ferrari de Oliveira Professor Adjunto. Universidade Federal do Paraná em C Lucas Ferrari de Oliveira Professor Adjunto Universidade Federal do Paraná Uma matriz é uma coleção de variáveis do mesmo tipo que é referenciada por um nome comum; Em C todas as matrizes consistem

Leia mais

Módulo 1. Introdução. AEDS I C++ (Rone Ilídio)

Módulo 1. Introdução. AEDS I C++ (Rone Ilídio) Módulo 1 Introdução AEDS I C++ (Rone Ilídio) Introdução Linguagens de Programação Fonte Compilador Executável SO I Hardware C++ - Características Evolução do C, ou seja, possui a mesma sintaxe É uma linguagem

Leia mais

Faculdade Anglo-Americano Curso de Ciência da Computação Linguagem de Programação. Lista de Exercícios 1

Faculdade Anglo-Americano Curso de Ciência da Computação Linguagem de Programação. Lista de Exercícios 1 Faculdade Anglo-Americano Curso de Ciência da Computação Linguagem de Programação Lista de Exercícios 1 1. O programa seguinte tem vários erros em tempo de compilação. Encontre-os. Main() int a=1; b=2,

Leia mais

MC102 Algoritmos e Programação de Computadores

MC102 Algoritmos e Programação de Computadores MC102 Algoritmos e Programação de Computadores Instituto de Computação UNICAMP Primeiro Semestre de 2014 Roteiro 1 Maior número 2 Soma de n números 3 Fatorial 4 Máximo Divisor Comum (MDC) 5 Números primos

Leia mais

Linguagem C: Introdução

Linguagem C: Introdução Linguagem C: Introdução Linguagem C É uma Linguagem de programação genérica que é utilizada para a criação de programas diversos como: Processadores de texto Planilhas eletrônicas Sistemas operacionais

Leia mais

1) Operadores de auto incremento ++ e auto decremento --

1) Operadores de auto incremento ++ e auto decremento -- Aula 09 - Operadores de auto incremento e auto decremento, atribuição múltipla, atribuição na declaração, atribuição resumida e algumas regras de boa programação. 1) Operadores de auto incremento ++ e

Leia mais

INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C

INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C Aula 01 Programação em Microinformática Prof. Allbert Velleniche de Aquino Almeida E-mail: professor@allbert.com.br Site: http://www.allbert.com.br Histórico O C nasceu na década

Leia mais

INF1005: Programação 1. Repetições. 08/03/10 (c) Paula Rodrigues 1

INF1005: Programação 1. Repetições. 08/03/10 (c) Paula Rodrigues 1 INF1005: Programação 1 Repetições 08/03/10 (c) Paula Rodrigues 1 Tópicos Principais Construção de Laços com while Algoritmos com Repetição Construção de Laços com for Repetição com Teste no Final 08/03/10

Leia mais

MC-102 Aula 09 Comandos Repetitivos

MC-102 Aula 09 Comandos Repetitivos MC-102 Aula 09 Comandos Repetitivos Instituto de Computação Unicamp 15 de Setembro de 2016 Roteiro 1 Laços Encaixados Números Primos Dados Mega-Sena 2 Exercícios (Instituto de Computação Unicamp) MC-102

Leia mais

11 a Aula ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO

11 a Aula ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO FISP 1/12 11 a Aula ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO Estrutura de repetição: Repetir um determinado trecho de um programa um certo número de vezes tipo Laço Contado ("for" em Linguagem C) Fluxograma convencional

Leia mais

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões.

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. 1 Estruturas da linguagem C 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. Identificadores Os identificadores seguem a duas regras: 1. Devem ser começados por letras

Leia mais

Controle de Fluxo. Laços e Desvios incondicionais

Controle de Fluxo. Laços e Desvios incondicionais Controle de Fluxo Laços e Desvios incondicionais Laços Em C, há três comandos de ITERAÇÃO ou LAÇOS: for while do... while Estes permitem que um conjunto de instruções seja executado até que ocorra uma

Leia mais

system("pause"); //Envia comando para o sistema operacional solicitando parada de execução do programa } //limitador do corpo do programa

system(pause); //Envia comando para o sistema operacional solicitando parada de execução do programa } //limitador do corpo do programa Atividade Prática no Ambiente Dev C++ Para as nossas atividades práticas vamos utilizar o ambiente de desenvolvimento da Linguagem C, Dev C++, ele é bastante fácil de utilizar e com muitos recursos. Segue

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Linguagem C: Operadores relacionais e lógicos estruturas condicionais If...

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Linguagem C: Operadores relacionais e lógicos estruturas condicionais If... Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação Linguagem C: Operadores relacionais e lógicos estruturas condicionais If... Else Switch Prof. Renato Pimentel 1 Operações relacionais Operações

Leia mais

Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 29 de agosto de 2008

Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 29 de agosto de 2008 Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 29 de agosto de 2008 Introdução O objetivo desta aula prática é exercitar comandos de entrada e saída simples

Leia mais

MC-102 Aula 09 Comandos Repetitivos

MC-102 Aula 09 Comandos Repetitivos MC-102 Aula 09 Comandos Repetitivos Instituto de Computação Unicamp 25 de Agosto de 2015 Roteiro 1 Laços Encaixados Números Primos Dados Mega-Sena 2 Exercícios (Instituto de Computação Unicamp) MC-102

Leia mais

Variáveis, Tipos de Dados e Operadores

Variáveis, Tipos de Dados e Operadores ! Variáveis, Tipos de Dados e Operadores Engenharias Informática Aplicada 2.o sem/2013 Profa Suely (e-mail: smaoki@yahoo.com) VARIÁVEL VARIÁVEL É um local lógico, ligado a um endereço físico da memória

Leia mais

José Romildo Malaquias 2011-1

José Romildo Malaquias 2011-1 Programação de Computadores I Aula 08 Programação: Estruturas de Repetição José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/58 Motivação Como imprimir os três

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS - ro. 02

LISTA DE EXERCÍCIOS - ro. 02 USP ICMC SSC SSC0100 - Introdução à Ciência da Computação I (Prática) Professor responsável: Fernando Santos Osório Semestre: 2009/1 Horário: Terça 14h20 (Turma A2) E-mail: fosorio.at. icmc.usp.br fosorio.at.

Leia mais

ESTRUTURAS COMPOSTAS. Variáveis Compostas Unidimensionais VETOR. Baseado nos slides de Rosely Sanches e Simone Senger de Souza

ESTRUTURAS COMPOSTAS. Variáveis Compostas Unidimensionais VETOR. Baseado nos slides de Rosely Sanches e Simone Senger de Souza ESTRUTURAS COMPOSTAS Variáveis Compostas Unidimensionais VETOR Baseado nos slides de Rosely Sanches e Simone Senger de Souza 2 ESTRUTURAS COMPOSTAS Pode-se organizar os dados dos tipos simples em tipos

Leia mais

Linguagem C Princípios Básicos (parte 1)

Linguagem C Princípios Básicos (parte 1) Linguagem C Princípios Básicos (parte 1) Objetivos O principal objetivo deste artigo é explicar alguns conceitos fundamentais de programação em C. No final será implementado um programa envolvendo todos

Leia mais

MC-102 Aula 10 Vetores

MC-102 Aula 10 Vetores MC-102 Aula 10 Vetores Instituto de Computação Unicamp 15 de Setembro de 2016 Roteiro 1 Introdução 2 Vetores Definição de Vetores Vetores Como usar Vetores e a Memória Vetores Exemplos 3 Informações Extras:

Leia mais

Módulo 4. Instruções for, while e do/while. Algoritmos e Estruturas de Dados I C++ (Rone Ilídio)

Módulo 4. Instruções for, while e do/while. Algoritmos e Estruturas de Dados I C++ (Rone Ilídio) Módulo 4 Instruções for, while e do/while Algoritmos e Estruturas de Dados I C++ (Rone Ilídio) Estrutura de repetição for Repete uma seqüência de comando O número de vezes que ocorrerá a repetição é controlado

Leia mais

Aula 4. Comandos de Repetição. Prof. Filipe Mutz.

Aula 4. Comandos de Repetição. Prof. Filipe Mutz. Aula 4 Comandos de Repetição Prof. Filipe Mutz. Instrução Instrução Instrução... Instrução Instrução Condicional (seleção) Repetitivo (loops) Comandos de repetição permitem que um conjunto de instruções

Leia mais

Curso de C para Engenharias

Curso de C para Engenharias Aula 1 Cristiano Dalbem Dennis Balreira Gabriel Moreira Miller Biazus Raphael Lupchinski Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Informática Grupo PET Computação Primeiro Programa Hello

Leia mais

Edwar Saliba Júnior. Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C

Edwar Saliba Júnior. Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C Edwar Saliba Júnior Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C Belo Horizonte 2010 Sumário 1 Nota:... 2 2 Comandos e Palavras Reservadas:... 3 3 Dicas... 4 3.1 Strings

Leia mais

Estruturas de repetição. Objetivos: - Compreender diversos tipos de comandos de repetições disponíveis na linguagem C.

Estruturas de repetição. Objetivos: - Compreender diversos tipos de comandos de repetições disponíveis na linguagem C. capa Estruturas de repetição Objetivos: - Compreender diversos tipos de comandos de repetições disponíveis na linguagem C. - Aprender a implementar algoritmos em C com laços de repetições. Estruturas de

Leia mais

Aula 12- Variáveis e valores reais

Aula 12- Variáveis e valores reais Aula 12- Variáveis e valores reais Até agora todos os nossos problemas continham apenas valores inteiros e portanto variáveis do tipo int. Para resolver problemas que usam valores com parte fracionária,

Leia mais

Linguagem de Programação

Linguagem de Programação Linguagem de Programação Vetores e Strings int vetor[] / rand() / #define / char string[] / gets() Gil Eduardo de Andrade Vetores Introdução Um vetor pode ser definido como é um conjunto de elementos (variáveis)

Leia mais

INF1007: Programação 2. 0 Revisão. 06/08/2015 (c) Dept. de Informática - PUC-Rio 1

INF1007: Programação 2. 0 Revisão. 06/08/2015 (c) Dept. de Informática - PUC-Rio 1 INF1007: Programação 2 0 Revisão 06/08/2015 (c) Dept. de Informática - PUC-Rio 1 Tópicos Principais Variáveis e Constantes Operadores e Expressões Entrada e Saída Tomada de Decisão Construção com laços

Leia mais

UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS (C6/6) Curso: Informática

UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS (C6/6) Curso: Informática Programação 1 Prof. Osório Aula 05 Pag.: 1 UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS (C6/6) Curso: Informática PROGRAMAÇÃO I AULA 05 Disciplina: Linguagem

Leia mais

Anhanguera Educacional S.A. Centro Universitário Ibero-Americano

Anhanguera Educacional S.A. Centro Universitário Ibero-Americano O C++ foi inicialmente desenvolvido por Bjarne Stroustrup durante a década de 1980 com o objetivo de melhorar a linguagem de programação C, mantendo a compatibilidade com esta linguagem. Exemplos de Aplicações

Leia mais

Aula 4 Estruturas de Controle

Aula 4 Estruturas de Controle UNIP Universidade Paulista Ciência da Computação Aula 4 Estruturas de Controle Prof. Célio Ricardo Castelano 1 Tópicos Abordados 1) Instruções de seleção em Java: 2) Instruções de repetição em Java: 2

Leia mais

Programação: Vetores

Programação: Vetores Programação de Computadores I Aula 09 Programação: Vetores José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/62 Motivação Problema Faça um programa que leia

Leia mais

Linguagens de Programação I

Linguagens de Programação I Linguagens de Programação I Tema # 6 Geração de Números Aleatórios Introdução a Funções Susana M. Iglesias 1 NUMEROS ALEATÓRIOS Uma aplicação divertida e popular da programação é sua utilização, em criar

Leia mais

ITENS FUNDAMENTAIS Programando em C++

ITENS FUNDAMENTAIS Programando em C++ INFORMÁTICA E COMPUTAÇÃO - CMP 1060 AULA 3 ITENS FUNDAMENTAIS Programando em C++ 1. Constantes São valores que são mantidos fixos pelo compilador. Tipo de Dado Exemplos de Constantes char b \n \0 int 2

Leia mais

para / for (com teste numérico) enquanto / while (com teste lógico no início) repita até que / do...while (com teste lógico no fim)

para / for (com teste numérico) enquanto / while (com teste lógico no início) repita até que / do...while (com teste lógico no fim) Algoritmos e Programação de Computadores1 Prof. Eduardo 1 1. ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO Uma estrutura de repetição é utilizada para fazer com que um pedaço (trecho) do programa seja executado n vezes, ou

Leia mais

A Linguagem C. A forma de um programa em C

A Linguagem C. A forma de um programa em C A Linguagem C Criada em 1972 por D. M. Ritchie e K. Thompson. Tornou-se uma das mais importantes e populares, principalmente pela portabilidade e flexibilidade. Foi projetada para o desenvolvimento de

Leia mais

Modulo 9: Você define como éo dado... Struct e typedef

Modulo 9: Você define como éo dado... Struct e typedef PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES V - TCC- 00.323 Modulo 9: Você define como éo dado... Struct e typedef Aura -Erick aconci@ic.uff.br, erickr@id.uff.br Roteiro P1, Trabalho 5 e 6 Struct: Introdução; Criando

Leia mais

Aula 05 Estruturas de controle em PHP. Prof. Pedro Baesse

Aula 05 Estruturas de controle em PHP. Prof. Pedro Baesse Aula 05 Estruturas de controle em PHP Prof. Pedro Baesse pedro.baesse@ifrn.edu.br Comandos Condicionais Comandos de Repetição Comando de Fluxo de Execução Comandos usados para estruturar seus programas

Leia mais

ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO - PARTE 1

ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO - PARTE 1 AULA 15 ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO - PARTE 1 15.1 O comando enquanto-faca- Considere o problema de escrever um algoritmo para ler um número inteiro positivo, n, e escrever todos os números inteiros de 1 a

Leia mais

Comandos em C (cont.)

Comandos em C (cont.) Comandos em C (cont.) Operador ternário:? O operador condicional possui uma opção um pouco estranha. É o único operador C que opera sobre três expressões. Sua sintaxe geral possui a seguinte construção:

Leia mais

Tipos de Dados, Variáveis e Entrada e Saída em C. DCC 120 Laboratório de Programação

Tipos de Dados, Variáveis e Entrada e Saída em C. DCC 120 Laboratório de Programação Tipos de Dados, Variáveis e Entrada e Saída em C DCC 120 Laboratório de Programação Variáveis Uma variável representa um espaço na memória do computador para armazenar um determinado tipo de dado. Em C,

Leia mais

C++ - Funções. Forma geral das funções C++

C++ - Funções. Forma geral das funções C++ C++ - Funções Conjunto de instruções para executar uma tarefa particular, agrupadas numa unidade com um nome para referenciá-las. O código é agregado ao programa uma única vez e pode ser executado muitas

Leia mais

Princípios de programação em Linguagem C Cesar Tadeu Pozzer UFSM 16/08/2010

Princípios de programação em Linguagem C Cesar Tadeu Pozzer UFSM 16/08/2010 Princípios de programação em Linguagem C Cesar Tadeu Pozzer UFSM 16/08/2010 Introdução a Programação em Linguagem C Antes de um algoritmo ser executado no computador, ele deve ser traduzido em uma linguagem

Leia mais

Estruturas de Controle de Fluxo Estruturas de Repetição. Givanaldo Rocha

Estruturas de Controle de Fluxo Estruturas de Repetição. Givanaldo Rocha Estruturas de Controle de Fluxo Estruturas de Repetição Givanaldo Rocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha Conceito Em muitos algoritmos, ocorrerá a necessidade de executar

Leia mais

Estrutura de Programas e Tipos de Dados Simples

Estrutura de Programas e Tipos de Dados Simples SSC0101 - ICC1 Teórica Introdução à Ciência da Computação I Estrutura de Programas e Tipos de Dados Simples Prof. Vanderlei Bonato: vbonato@icmc.usp.br Prof. Claudio Fabiano Motta Toledo: claudio@icmc.usp.br

Leia mais

Métodos Computacionais. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados

Métodos Computacionais. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Métodos Computacionais Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Tópicos da Aula Hoje aprenderemos a escrever um programa em C que pode realizar cálculos Conceito de expressão Tipos de

Leia mais

NOME DO ALUNO: AVALIAÇÃO SIMULADA

NOME DO ALUNO: AVALIAÇÃO SIMULADA CURSO: ECA ECV EEL EPR - EMC SÉRIE: 1 a. e 2 a. DISCIPLINA: Algoritmos e Programação PROFESSOR: Paulo Cesar F. De Oliveira, BSc, PhD* RA: DATA: 21/11/2016 NOTA: NOME DO ALUNO:, AVALIAÇÃO SIMULADA 1ª Questão

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2011 / 2012

PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2011 / 2012 Departamento de Engenharia Electrotécnica PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2011 / 2012 Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e Computadores 1º ano 1º semestre Trabalho nº 5 Funções http://tele1.dee.fct.unl.pt/pm

Leia mais

Lição 4 Fundamentos da programação

Lição 4 Fundamentos da programação Lição 4 Fundamentos da programação Introdução à Programação I 1 Objetivos Ao final desta lição, o estudante será capaz de: Identificar as partes básicas de um programa em Java Reconhecer as diferenças

Leia mais

C Operadores e Expressões

C Operadores e Expressões C Operadores e Expressões Adriano Cruz adriano@nce.ufrj.br Instituto de Matemática Departamento de Ciência da Computação UFRJ 15 de agosto de 2013 Adriano Cruz adriano@nce.ufrj.br (IM-DCC-UFRJ)C Operadores

Leia mais

Introdução à Algoritmos INF 1005 e INF Programação I

Introdução à Algoritmos INF 1005 e INF Programação I Introdução à Algoritmos INF 1005 e INF1004 - Programação I Pontifícia Universidade Católica Departamento de Informática 1 Algoritmo: Conceito Sequência finita e não ambígua de passos para a solução de

Leia mais

Exercícios em C 1 Saulo O. D. Luiz

Exercícios em C 1 Saulo O. D. Luiz Exercícios em C 1 Saulo O. D. Luiz Exercícios 1. Faça um programa em C para receber três notas e seus respectivos pesos, calcule e mostre a média ponderada dessas notas. 2 Saulo O. D. Luiz #include

Leia mais

Mini apostila de Python - Oficina de Vestibulandos. PET Computação - UFPR September 2016

Mini apostila de Python - Oficina de Vestibulandos. PET Computação - UFPR September 2016 Mini apostila de Python - Oficina de Vestibulandos PET Computação - UFPR September 2016 1 Sumário 1 Introdução 3 2 Obtenção e Instalação 3 3 Variáveis 3 4 Operações Matemáticas 5 5 Entrada de Dados 6 6

Leia mais

Estrutura básica de um programa Instruções do Programa Sintaxe das instruções Diretivas apenas o contexto Variáveis e Constantes Tipos e modificadores

Estrutura básica de um programa Instruções do Programa Sintaxe das instruções Diretivas apenas o contexto Variáveis e Constantes Tipos e modificadores Objetivo: Estruturar uma sequencia de comandos em Linguagem C Estrutura básica de um programa Instruções do Programa Sintaxe das instruções Diretivas apenas o contexto Variáveis e Constantes Tipos e modificadores

Leia mais

Programação modular. Função

Programação modular. Função X 214 Função Definição matemá>ca Uma relação entre elementos de um conjunto (entrada) e elementos de outro conjunto (saída), com a propriedade que cada elemento da entrada relaciona-se com exatamente um

Leia mais

Sumário. Introdução à Ciência da Computação. Ponteiros em C. Introdução. Definição. Por quê ponteiros são importantes?

Sumário. Introdução à Ciência da Computação. Ponteiros em C. Introdução. Definição. Por quê ponteiros são importantes? Introdução à Ciência da Computação Ponteiros em C Prof. Ricardo J. G. B. Campello Sumário Introdução Definição de Ponteiros Declaração de Ponteiros em C Manipulação de Ponteiros em C Operações Ponteiros

Leia mais

Estruturas de Repetição em Java

Estruturas de Repetição em Java 1 Linguagem de Programação Estruturas de Repetição em Java A realização da repetição controlada por contador requer: 1. Uma variável de controle (ou contador de loop). 2. O valor inicial da variável de

Leia mais

Introdução a Programação de Jogos

Introdução a Programação de Jogos Introdução a Programação de Jogos Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição

Leia mais

Amanda Gondim de Oliveira

Amanda Gondim de Oliveira ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO Amanda Gondim de Oliveira ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO É comum a repetição de procedimentos para se realizar tarefas. Esse procedimentos não são repetidos eternamente, mas se encerram

Leia mais

Fundamentos de Programação. Linguagem C++ aula II - Variáveis e constantes. Prof.: Bruno Gomes

Fundamentos de Programação. Linguagem C++ aula II - Variáveis e constantes. Prof.: Bruno Gomes Fundamentos de Programação Linguagem C++ aula II - Variáveis e constantes Prof.: Bruno Gomes 1 Variáveis Representa uma porção da memória que pode ser utilizada pelo programa para armazenar informações

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1. Estruturas Básicas. Aula Tópico 4

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1. Estruturas Básicas. Aula Tópico 4 Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1 Estruturas Básicas Aula Tópico 4 1 Problema 3 Exibir o maior número inteiro que pode ser representado no computador. 2 Qual o maior número inteiro? Para

Leia mais

Controlo de Execução. K&R: Capitulo 3

Controlo de Execução. K&R: Capitulo 3 Controlo de Execução K&R: Capitulo 3 IAED, 2009/2010 Controlo de Execução Instruções e Blocos if else-if switch Ciclos: Instruçõeswhile e for Instruçãodo-while break e continue goto e labels 2 IAED, 2009/2010

Leia mais

Introdução à Linguagem C

Introdução à Linguagem C Introdução à Linguagem C 1 Histórico da Linguagem C Criada por Denis Ritchie, na década de 1970, para uso em um computador DEC PDP-11 em Unix C++ é uma extensão da linguagem C O sistema Unix é escrito

Leia mais

17 - Funções e Procedimentos em C Programação Modular

17 - Funções e Procedimentos em C Programação Modular 17 - Funções e Procedimentos em C Programação Modular Unesp Campus de Guaratinguetá Curso de Programação Computadores Prof. Aníbal Tavares Profa. Cassilda Ribeiro Ministrado por: Prof. André Amarante 17

Leia mais

Matrizes. DCC 119 Algoritmos

Matrizes. DCC 119 Algoritmos Matrizes DCC 119 Algoritmos Matrizes: vetores multidimensionais Assim como os vetores, as matrizes são estruturas de dados homogêneas. Podem ser construídas dos diversos tipos básicos primitivos (real,

Leia mais

A linguagem C oferece quatro estruturas de decisão: if, if-else, switch e o operador condicional.

A linguagem C oferece quatro estruturas de decisão: if, if-else, switch e o operador condicional. Capítulo 3 Comandos de Decisão A linguagem C oferece quatro estruturas de decisão: if, if-, switch e o operador condicional. O comando if O comando if instrui o computador a tomar uma decisão simples.

Leia mais

Introdução à Programação. Introdução a Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes

Introdução à Programação. Introdução a Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes Introdução à Programação Introdução a Linguagem C Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br Resumo da aula Introdução Variáveis Tipos de dados Operadores e Expressões: Operadores

Leia mais

Introdução à Linguagem C

Introdução à Linguagem C Introdução à Linguagem C Simone Ceolin UNIFRA Adaptado de slides das Profas. Patrícia Jaques, Mônica Py e Deise Saccol 1 Histórico da Linguagem C Criada por Denis Ritchie, na década de 1970, para uso em

Leia mais

Computação L2. Linguagem C++ Observação: Material Baseado na Disciplina Computação Eletrônica.

Computação L2. Linguagem C++ Observação: Material Baseado na Disciplina Computação Eletrônica. Computação L2 Linguagem C++ ovsj@cin.ufpe.br Observação: Material Baseado na Disciplina Computação Eletrônica. Alfabeto São os símbolos ( caracteres ) permitidos na linguagem: Letras (maiúsculas e minúsculas);

Leia mais

Lógica e Linguagem de Programação Convertendo um algoritmo em pseudocódigo para a linguagem C Professor: Danilo Giacobo

Lógica e Linguagem de Programação Convertendo um algoritmo em pseudocódigo para a linguagem C Professor: Danilo Giacobo Lógica e Linguagem de Programação Convertendo um algoritmo em pseudocódigo para a linguagem C Professor: Danilo Giacobo Este documento explica como transformar um algoritmo escrito na forma pseudocódigo

Leia mais

2º Roteiro de Laboratório Estruturas condicionais

2º Roteiro de Laboratório Estruturas condicionais 2º Roteiro de Laboratório Estruturas condicionais Tópicos abordados 1. Estruturas if e if/ 1.1. Sintaxe 1.2. Exemplo: par_impar.c 2. Aplicação 2.1. Problema resolvido: [PR 1] 2.2. Problemas propostos:

Leia mais

ESTRUTURAS DE CONTROLE ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO

ESTRUTURAS DE CONTROLE ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO ESTRUTURAS DE CONTROLE ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO Baseado nos slides de autoria de Rosely Sanches Estruturas de Controle ESTRUTURA SEQUENCIAL ESTRUTURAS CONDICIONAIS Estrutura Condicional Simples Estrutura

Leia mais

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S PROGRAMAÇÃO I VA R I Á V E I S, C O N S TA N T E S, O P E R A D O R E S E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S Variáveis 2 Variáveis são locais onde são armazenados os valores na memória. Toda variável é

Leia mais