Associação das Pioneiras Sociais. Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Associação das Pioneiras Sociais. Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação"

Transcrição

1 Associação das Pioneiras Sociais Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação

2 REDE SARAH DE HOSPITAIS UNIDADE BELO HORIZONTE 13 ANOS DE PRGSS REDE SARAH DE HOSPITAIS DE REABILITAÇÃO SARAH BELO HORIZONTE

3 Dados Gerais do Estabelecimento

4 SARAH Belo Horizonte SARAH BELO HORIZONTE O SARAH Belo Horizonte, inaugurado em maio de 1997, possui capacidade operacional de 125 leitos. Estão implantados os programas de Neurorreabilitação em lesão medular adulto, Reabilitação Neurológica adulto e infantil, genéticas e distúrbios neuromusculares, assim como o programa complementar ortopédico clínico e cirúrgico

5 Em 2012, realizou atendimentos a pacientes. A média diária foi de 968 atendimentos. Realizou procedimentos de assistência médica e reabilitação SARAH BELO HORIZONTE

6 Números de colaboradores 661 Horário de Funcionamento: ininterrupto, 24 horas /dia, 07 dias por semana Endereço: Av. Amazonas, Gameleira CEP: Belo Horizonte MG SARAH BELO HORIZONTE

7 Missão Prestar assistência médica qualificada e gratuita a todos os níveis da população, desenvolver atividades educacionais e de pesquisa no campo da saúde SARAH BELO HORIZONTE

8 Princípios da Rede SARAH Criar uma rede de neurorreabilitação que entenda o ser humano como sujeito da ação e não como objeto sobre o qual se aplicam técnicas Trabalhar para que cada pessoa seja tratada com base no seu potencial e não nas suas dificuldades Vivenciar o trabalho multidisciplinar em saúde como um conjunto de conhecimentos, técnicas e atitudes unificadas, destinadas a gerar um processo de reabilitação humanístico Transformar cada pessoa em agente de sua própria saúde Atuar na sociedade para prevenir a incapacidade, combatendo, ao mesmo tempo, preconceitos quanto às limitações e diferenças, pois o que caracteriza a vida é a infinita variação da forma que, no tempo, muda

9 Princípios da Rede SARAH Valorizar a iniciativa inovadora e a troca de experiências, no ensino e na pesquisa, estimulando a criatividade de pessoas e grupos, gerando conhecimento Melhorar a qualidade dos serviços prestados a um número cada vez maior de cidadãos, por meio da eficiente aplicação dos recursos e da continuada qualificação dos seus recursos humanos Restituir ao cidadão brasileiro, com serviços qualificados de saúde e de reabilitação, os impostos que por ele foram pagos Viver para a saúde e não sobreviver da doença

10 Legislações Aplicáveis Resolução CONAMA nº 05/1993 Instruções do Manual da Comissão Permanente de Apoio ao Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde - COPAGRESS Resolução ANVISA RDC nº 306 /2004 Resolução CONAMA nº 358/2005 Resolução CONANA nº 275/2001 Decreto Municipal nº /2005

11 Histórico do PGRSS Exigência da legislação / Formação da comissão - ano 2000 Elaboração, aprovação e implantação do PGRSS - ano 2000 a 2001 Adequações - ano 2005 nova aprovação SARAH BELO HORIZONTE Reformulação da comissão - ano 2006

12 Reformulação da Comissão - Ano 2006

13 Tipos de Resíduos Gerados A - B - C - D - Comum não reciclável D - Comum reciclável E - ES - Resíduos específicos (entulho, restos de obra, etc.)

14 Tipos de Tratamento dos Resíduos Autoclavação - Interno Termodestruição Externo Reutilização / Reaproveitamento / Reciclagem Interno / Externo Disposição final em aterro sanitário licenciado - Externo

15 Coleta e Transporte Externo Coleta para resíduos do grupo A4, E e D não reciclável Diariamente, exceto domingos e feriados Coleta dos resíduos do Grupo B Mensalmente Coleta de lâmpadas Semestralmente

16 Empresas Prestadoras de Serviços / Parcerias Termodestruição Tratamento de Lâmpadas Reciclagem / Reaproveitamento Controle de pragas

17 Disposição Final dos Resíduos Aterro Sanitário licenciado Aterro Classe I licenciado

18 Ações Desenvolvidas pela Comissão do PGRSS Reuniões ordinárias trimestrais Inventário anual dos resíduos (Classes A, D e E ) Auditoria Interna anual SARAH BELO HORIZONTE Educação continuada (treinamento introdutório e em serviço)

19 SARAH BELO HORIZONTE Elaboração de cartilhas de segregação e Manual de orientações básicas para GRSS Promoção de Eventos Internos (campanhas de conscientização, semana meio ambiente, exposições de trabalhos artísticos com recicláveis, palestras, vídeos, teatros, etc.) Participação em Eventos Externos (Seminários, Palestras, Congressos, etc.)

20 Inventário Anual

21 Auditoria Interna Anual

22 Educação Continuada Todos os profissionais da Instituição são submetidos a treinamentos 1 - Treinamento introdutório na admissão de novos colaboradores 2 - Treinamento em serviço SARAH BELO HORIZONTE

23 Manual de Orientações Básicas para PGRSS

24 Semana do Meio Ambiente

25 Semana do Meio Ambiente

26 Campanha de Conscientização Para Economia de Energia

27

28

29

30 Indicadores Para Avaliação do PGRSS Taxa de Acidentes com resíduos perfurocortantes Variação da proporção dos resíduos e percentual de reciclagem SARAH BELO HORIZONTE

31 Indicadores Para Avaliação do PGRSS Número de acidentes perfurocortantes Setor de Higiene - SARAH/BH / julho 2013 Número de Acidentes

32 Quantidade Kg/dia Resíduo A 254,69 107,75 Variação 2013/2000 % -57,69 Variação 2013/2000 Kg -146,94 E 3,63 1,08-70,25-2,55 D (comum não reciclável) 396,40 381,10-3,86-15,30 D (comum reciclável) 52,33 416,32 695,57 363,99 Total 654,72 906,25 38,42 251,53 % A/Total 38,90 11,89-69,44 -

33 Quantidade diária de resíduos gerados, em kg SARAH/BH, 2000/ A E D (comum não reciclável) D (comum reciclável) (início: 2005) Tipo de resíduo

34 Percentuais de geração de resíduo biológico / resíduo total SARAH/BH, 2000/ % 11.9%

35 Quem é Responsável pelo PGRSS?

36 Conclusão A elaboração do PGRSS consiste em um estudo residual local, específico, direcionado, integrado e continuado, não sendo apenas um documento passivo O PGRSS é um plano participativo e integrado de ações. Precisa ser elaborado com consciência e conhecimento, pois gerenciar é analisar, planejar, cuidar e prevenir

37 O gerenciamento responsável dos resíduos gerados em nosso serviço é uma ação fundamental para a formação de uma consciência ecológica e para impedir que os resíduos ofereçam perigo para o empregado, população e meio ambiente SARAH BELO HORIZONTE

38 PGRSS Nenhum de nós é tão bom quanto todos nós

39 Obrigada! Comissão do PGRSS Sarah/BH EnfermeiraTânia Sousa Neves (Responsável técnico do PGRSS)

40 Associação das Pioneiras Sociais Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Marisa Brasil Engenheira de Alimentos MBA em Qualidade, Segurança, Meio Ambiente, Saúde e Responsabilidade Social Especialista em Engenharia Ambiental e Saneamento Básico

Leia mais

Gestão Socioambiental na Administração Pública de Minas Gerais Programa AmbientAÇÃO

Gestão Socioambiental na Administração Pública de Minas Gerais Programa AmbientAÇÃO Gestão Socioambiental na Administração Pública de Minas Gerais Programa AmbientAÇÃO Mirian Cristina Dias Baggio 2016 Programa AmbientAÇÃO O QUE É O AMBIENTAÇÃO? É um programa de comunicação e educação

Leia mais

1. Identificação do Empreendimento Razão Social: Endereço completo: Áreas: Terreno (m²): Construída (m²):

1. Identificação do Empreendimento Razão Social: Endereço completo: Áreas: Terreno (m²): Construída (m²): PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS PGRI Página 1/5 1. Identificação do Empreendimento Razão Social: Endereço completo: Classificação Fiscal: 2. Caracterização do Empreendimento Contato (Fone

Leia mais

COMISSÃO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS RELATÓRIO DE PRODUTIVIDADE

COMISSÃO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS RELATÓRIO DE PRODUTIVIDADE COMISSÃO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS RELATÓRIO DE PRODUTIVIDADE - 2012 Capacitação / Aulas / Cursos / Palestras oferecidas: Realizada capacitação de 2336 pessoas, com intenção de sensibilizar os servidores

Leia mais

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos SISEMA Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos DESAFIOS PARA TRATAMENTO E DISPOSIÇÃO FINAL RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAUDE- MG Cenário resíduos de serviços de saúde em Minas Gerais Regulamentação

Leia mais

Tratamento de Efluentes Fotoquímicos Reciclagem de Filmes Fotossensíveis Manutenção de Processadoras Gerenciamento de Resíduos Licenciamento

Tratamento de Efluentes Fotoquímicos Reciclagem de Filmes Fotossensíveis Manutenção de Processadoras Gerenciamento de Resíduos Licenciamento Tratamento de Efluentes Fotoquímicos Reciclagem de Filmes Fotossensíveis Manutenção de Processadoras Gerenciamento de Resíduos Licenciamento Ambiental Radioproteção Física Médica PGRSS Revelando Ideias,

Leia mais

Dr NEILA CRISTINA FREITAS MAIA HOSPITAL E CLÍNICA VETERINÁRIA ZOOVET

Dr NEILA CRISTINA FREITAS MAIA HOSPITAL E CLÍNICA VETERINÁRIA ZOOVET Dr NEILA CRISTINA FREITAS MAIA HOSPITAL E CLÍNICA VETERINÁRIA ZOOVET Conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE (2000), nos últimos 10 anos a população brasileira cresceu 16,8%, enquanto

Leia mais

Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes

Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes Nossa história Cenário Cenário Nossa história Setores Previsão segundo o Plano de Trabalho Quando

Leia mais

HOSPITAL SUSTENTÁVEL

HOSPITAL SUSTENTÁVEL HOSPITAL SUSTENTÁVEL QUEM SOMOS Ser uma instituição inovadora e resolutiva na assistência e promoção à saúde. Essa é a missão do Hospital Bandeirantes, que completa 70 anos em maio. Possui Centros de Referência

Leia mais

A experiência do Estado de São Paulo e a visão da Câmara dos Deputados. Deputado Federal Arnaldo Jardim

A experiência do Estado de São Paulo e a visão da Câmara dos Deputados. Deputado Federal Arnaldo Jardim ABES Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental 2º Seminário Regional Sudeste sobre Resíduos Sólidos Desafios das Políticas para uma Gestão Integrada de Resíduos Sólidos A experiência do

Leia mais

Políticas de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade

Políticas de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade Políticas de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade A Elétrica Sena Campos, empresa prestadora de serviços no ramo de manutenção elétrica tem como principal valor preservar a integridade física, mental

Leia mais

Qualidade e Acreditação x Proteção Radiológica. Diretor de Qualidade Profissional SBHCI

Qualidade e Acreditação x Proteção Radiológica. Diretor de Qualidade Profissional SBHCI Qualidade e Acreditação x Proteção Radiológica Hélio Castello Diretor de Qualidade Profissional SBHCI I Workshop Nacional sobre Proteção Radiológica em Cardiologia Intervencionista - 2012 Hemodinâmica

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE TRANSIÇÃO PARA PROMOÇÃO DE UM AMBIENTE HOSPITALAR SAUDÁVEL

IMPLANTAÇÃO DE TRANSIÇÃO PARA PROMOÇÃO DE UM AMBIENTE HOSPITALAR SAUDÁVEL IMPLANTAÇÃO DE TRANSIÇÃO PARA PROMOÇÃO DE UM AMBIENTE HOSPITALAR SAUDÁVEL Facilitadora: Morgana Moura Enfermeira do Trabalho / Docente Mestranda em Psicanálise do Ensino Superior RECIFE,2013 HOSPITAL Instituição

Leia mais

Contribuição do Sistema Unimed para a Sustentabilidade do Setor Saúde

Contribuição do Sistema Unimed para a Sustentabilidade do Setor Saúde Contribuição do Sistema Unimed para a Sustentabilidade do Setor Saúde Política Nacional de Sustentabilidade Lançada em 2001 como Política de Responsabilidade Social Comitê Nacional de Sustentabilidade

Leia mais

Coleta Seletiva é o processo de separação e recolhimento dos resíduos conforme sua constituição: orgânico, reciclável e rejeito.

Coleta Seletiva é o processo de separação e recolhimento dos resíduos conforme sua constituição: orgânico, reciclável e rejeito. 1. Definição Coleta Seletiva é o processo de separação e recolhimento dos resíduos conforme sua constituição: orgânico, reciclável e rejeito. Para se adaptar à Coleta Seletiva, é essencial que o material

Leia mais

Decreto de Regulamentação da Lei: DECRETO ESTADUAL n DE 03/12/02.

Decreto de Regulamentação da Lei: DECRETO ESTADUAL n DE 03/12/02. LEGISLAÇÃO VIGENTE PGRS LEI FEDERAL n o 9.795, de 27/04/99. A definição oficial de Educação Ambiental no Brasil. LEI ESTADUAL n o 12.493, de 22/01/99. Estabelece princípios, procedimentos, normas e critérios

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE (PGRSS) ODONTOLOGIA O gerenciamento dos RSS constitui-se em um conjunto de procedimentos de gestão, planejados e implementados a partir de bases

Leia mais

Prof. Eugênio Batista Leite eugeniobl@pucminas.br 031 99735761

Prof. Eugênio Batista Leite eugeniobl@pucminas.br 031 99735761 XI Congresso de Ecologia do Brasil e IV Seminário de Sustentabilidade na Universidade - A incorporação da sustentabilidade socioambiental na gestão e planejamento territorial do campus universitário. PUC

Leia mais

Grupo de Sustentação: Resíduos da Construção Civil e Mineração

Grupo de Sustentação: Resíduos da Construção Civil e Mineração Grupo de Sustentação: Resíduos da Construção Civil e Mineração Coordenadora: Marina Petzen Vieira dos Santos Componentes: Vilmar Pereira, Rosiléa França, Flávia Badalotti, Luciana da Costa, Paulo Pasin

Leia mais

Prof. Jefferson Monteiro

Prof. Jefferson Monteiro Prof. Jefferson Monteiro Histórico O Programa Segundo Tempo é uma política pública de esporte educacional idealizado e criado em 2003 pelo Ministério do Esporte, destinado a democratizar o acesso à prática

Leia mais

AMBIENTE CRF MG RETROCESSOS

AMBIENTE CRF MG RETROCESSOS I SEMINÁRIO DE RESÍDUOS E MEIO AMBIENTE CRF MG PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS AVANÇOS E RETROCESSOS Farm. Nilce da Silva Santana Moura CRF MG 5405 RT GRSS Núcleo Ambiental HAC FHEMIG COPAGRESS - AMF

Leia mais

PROGRAMAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS

PROGRAMAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS PREFEITURA MUNICIPAL DE GUARAPARI SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE PROGRAMAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS Setembro - 2010 OBJETIVOS GERAIS: Criar condições viáveis para a população exercer práticas ambientais corretas.

Leia mais

VI CICLO DE PALESTRAS DA COPAGRESS RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

VI CICLO DE PALESTRAS DA COPAGRESS RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE VI CICLO DE PALESTRAS DA CO LEGISLAÇÃO DE ANTES E DEPOIS DA CRIAÇÃO DA CO Maeli Estrela Borges (ABES-MG) 23/08/2013 C VI CICLO DE PALESTRAS DA CO Antes Criação da CO Depois 1.Lei Municipal 2.968/1978 -

Leia mais

Encontro Internacional sobre Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde. Câmara Multidisciplinar de Qualidade de Vida CMQV

Encontro Internacional sobre Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde. Câmara Multidisciplinar de Qualidade de Vida CMQV Encontro Internacional sobre Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde CMQV Câmara Multidisciplinar de Qualidade de Vida Adequação dos hospitais Públicos e Privados à normativa de segurança. Case

Leia mais

COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO MUNICÍPIO DE POÇO VERDE/SE: DESAFIO PARA O DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL MUNICIPAL

COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO MUNICÍPIO DE POÇO VERDE/SE: DESAFIO PARA O DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL MUNICIPAL COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO MUNICÍPIO DE POÇO VERDE/SE: DESAFIO PARA O DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL MUNICIPAL Alison Araujo Santos Acadêmico da Faculdade AGES. Bacharelado em Engenharia

Leia mais

Escrito por Administrator Seg, 22 de Novembro de :55 - Última atualização Seg, 22 de Novembro de :09

Escrito por Administrator Seg, 22 de Novembro de :55 - Última atualização Seg, 22 de Novembro de :09 MISSÃO O Serviço Social tem como missão dar suporte psico-social e emocional ao colaborador e sua família. Neste sentido, realiza o estudo de casos, orientando e encaminhando aos recursos sociais da comunidade,

Leia mais

Vladimir Mendes Queiroz. Gerente Corporativo de Auditoria Interna. Rede Marista RS DF Amazônia

Vladimir Mendes Queiroz. Gerente Corporativo de Auditoria Interna. Rede Marista RS DF Amazônia 16.05.2014 Implantação do Programa de Compliance da Rede Marista e a sua importância em relação às demandas legais, a exemplo da nova LEI ANTICORRUPÇÃO. Vladimir Mendes Queiroz Gerente Corporativo de Auditoria

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE. Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE. Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde 2008 ANTECEDENTES LEGAIS RES. CONAMA 05/1993 RES. CONAMA 283/2001 RDC ANVISA 306/2004

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos : formulação e diretrizes. Deputado Arnaldo Jardim

Política Nacional de Resíduos Sólidos : formulação e diretrizes. Deputado Arnaldo Jardim SEMINÁRIO POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOSS Política Nacional de Resíduos Sólidos : formulação e diretrizes Deputado Arnaldo Jardim 21.07.11 Política Nacional de Resíduos SólidosS Diretrizes Internalizar

Leia mais

A Rotulagem Ambiental e as Compras Públicas Sustentáveis

A Rotulagem Ambiental e as Compras Públicas Sustentáveis 06/11/12 A Rotulagem Ambiental e as Compras Públicas Sustentáveis A importância desta certificação para as Compras Públicas Sustentáveis Seminário Internacional A Rotulagem Ambiental e as Compras Públicas

Leia mais

PROJETO DAS FACULDADES MAGSUL 2012

PROJETO DAS FACULDADES MAGSUL 2012 Pedagogia: Aut. Dec. nº 93110 de 13/08/86 / Reconhecido Port. Nº 717 de 21/12/89/ Renovação Rec. Port. nº 3.648 de 17/10/2005 Educação Física: Aut. Port. nº 766 de 31/05/00 / Rec. Port. nº 3.755 de 24/10/05

Leia mais

8. Gestão de Resíduos Especiais. Roseane Maria Garcia Lopes de Souza. Há riscos no manejo de resíduos de serviços de saúde?

8. Gestão de Resíduos Especiais. Roseane Maria Garcia Lopes de Souza. Há riscos no manejo de resíduos de serviços de saúde? 8. Gestão de Resíduos Especiais Roseane Maria Garcia Lopes de Souza Há riscos no manejo de resíduos de serviços de saúde? Geradores de Resíduos de Serviços de Saúde Todos os serviços relacionados com o

Leia mais

Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado.

Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado. Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado. Uma maneira diferente de focar a avaliação. Processo interativo,

Leia mais

Parque de Resíduos. FUNFARME Fundação Faculdade Regional de Medicina de São José do Rio Preto SP - HOSPITAL DE BASE

Parque de Resíduos. FUNFARME Fundação Faculdade Regional de Medicina de São José do Rio Preto SP - HOSPITAL DE BASE Parque de Resíduos FUNFARME Fundação Faculdade Regional de Medicina de São José do Rio Preto SP - HOSPITAL DE BASE Vista aérea complexo FUNFARME Hemocentro Hospital H C P. Resíduos Faculdades Ambulatório

Leia mais

BIOCOR HOSPITAL DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES LTDA Endereço: AVENIDA ALAMEDA DA SERRA, VILA DA SERRA - Nova Lima/MG - 34.

BIOCOR HOSPITAL DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES LTDA Endereço: AVENIDA ALAMEDA DA SERRA, VILA DA SERRA - Nova Lima/MG - 34. BIOCOR HOSPITAL DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES LTDA Endereço: AVENIDA ALAMEDA DA SERRA, 217 - VILA DA SERRA - Nova Lima/MG - 34.000-000 Título: ESTAGIÁRIO DE NUTRIÇÃO Área de Atuação: SERVIÇO DE NUTRIÇÃO

Leia mais

Análise SWOT. Resíduos Sólidos Domiciliares e Comerciais

Análise SWOT. Resíduos Sólidos Domiciliares e Comerciais Análise SWOT Resíduos Sólidos Domiciliares e Comerciais Implantação de associação de catadores, melhorando a coleta seletiva. Disponibilização de quantidade maior de lixeiras na cidade. Geração de empregos

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS REFEIÇÃO CONVENIO [ ] CESTA DE ALIMENTOS [ ] 1.1. Nutricionista Entrevistado(a) CRN-7

CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS REFEIÇÃO CONVENIO [ ] CESTA DE ALIMENTOS [ ] 1.1. Nutricionista Entrevistado(a) CRN-7 CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - 7ª ª REGIÃO PA AC AM AP RO - RR ROTEIRO DE VISITA TÉCNICA ALIMENTAÇÃO COLETIVA REFEIÇÃO CONVENIO / CESTA DE ALIMENTOS REFEIÇÃO CONVENIO

Leia mais

REGULAÇÃO NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS. Setembro/2010

REGULAÇÃO NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS. Setembro/2010 MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Regulação, Avaliação e Controle de Sistemas Coordenação Geral de Regulação e Avaliação REGULAÇÃO NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS Setembro/2010

Leia mais

Gestão de Processos. Gestão de Processos na Saúde. Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos

Gestão de Processos. Gestão de Processos na Saúde. Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos Gestão de Processos na Saúde Marcelo.Aidar@fgv.br 1 Gestão de Processos Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos 2 O Ambiente de Negócios e os Stakeholders AMBIENTE DE AÇÃO INDIRETA

Leia mais

Brasil terá que investir R$15,59 bi em tratamento de resíduos

Brasil terá que investir R$15,59 bi em tratamento de resíduos Brasil terá que investir R$15,59 bi em tratamento de resíduos Comunicação Ietec A sustentabilidade ambiental é um desafio mundial e, por isso, a produção, coleta e destinação dos resíduos tornaram-se tema

Leia mais

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR. Análise Crítica da Pré e Pós Certificação

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR. Análise Crítica da Pré e Pós Certificação ACREDITAÇÃO HOSPITALAR Análise Crítica da Pré e Pós Certificação A qualidade não é um conjunto de técnicas, é a maneira de pensar o seu próprio negócio e isso não da pra copiar. Fonte: hsm.com.br Hospital

Leia mais

OBJETIVO ESTRATÉGICO 1: Identificar 80% do quadro de pessoal técnico-administrativo da UERJ em 6 meses.

OBJETIVO ESTRATÉGICO 1: Identificar 80% do quadro de pessoal técnico-administrativo da UERJ em 6 meses. SRH - SUPERINTENDÊNCIA DE RECURSOS HUMANOS MISSÃO DA UNIDADE: Promover as políticas de recursos humanos contribuindo para o funcionamento e aprimoramento das atividades desenvolvidas pela Universidade.

Leia mais

GOALS PASSADO PRESENTE FUTURO OBJECTIVO POR ALCANÇAR? CAMINHO DEFINIDO? SEGURANÇA NO TRABALHO ENCONTRO: PASSADO, PRESENTE E FUTURO

GOALS PASSADO PRESENTE FUTURO OBJECTIVO POR ALCANÇAR? CAMINHO DEFINIDO? SEGURANÇA NO TRABALHO ENCONTRO: PASSADO, PRESENTE E FUTURO GOALS OBJECTIVO POR ALCANÇAR? CAMINHO DEFINIDO? OBJECTIVOS - Passado: Evolução Histórica da SHT no SNS - Presente: Modelo de Gestão de SHT(Gestão de Risco) - O Futuro: uma abordagem estratégica INTRODUÇÃO

Leia mais

Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil.

Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil. Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de 2002. Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil. Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. O CONSELHO

Leia mais

CENTRO DE INVESTIGAÇÃO DO CHL MAPA DE REVISÕES REGULAMENTO. Destinatários. Data Palavras-Chave: REGULAMENTO; INVESTIGAÇÃO

CENTRO DE INVESTIGAÇÃO DO CHL MAPA DE REVISÕES REGULAMENTO. Destinatários. Data Palavras-Chave: REGULAMENTO; INVESTIGAÇÃO Palavras-Chave: REGULAMENTO; INVESTIGAÇÃO Destinatários Todos Profissionais do CHL Elaboração Centro de Investigação do CHL Aprovação Conselho de Administração Assinatura (s) Responsável (eis) pela Aprovação

Leia mais

NR-32 SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE

NR-32 SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE Instituto Superior de Tecnologia NR-32 SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira NR-32 Tem por finalidade estabelecer as diretrizes básicas para a implementação

Leia mais

O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social

O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social Securitas Portugal O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social Agosto de 2016 1 O Sistema de Gestão da Responsabilidade Social A SECURITAS desenvolveu e implementou um Sistema de Gestão de aspetos de

Leia mais

OBJETIVOS DO CURSO DE ENFERMAGEM

OBJETIVOS DO CURSO DE ENFERMAGEM FACULDADE DO NORTE GOIANO OBJETIVOS DO CURSO DE ENFERMAGEM Objetivos do curso O Curso de Graduação em Enfermagem tem por objetivo formar bacharel em enfermagem (enfermeiro) capaz de influenciar na construção

Leia mais

Plano de Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos do Consórcio 4 Ambiental: Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Ambiental Sustentável

Plano de Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos do Consórcio 4 Ambiental: Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Ambiental Sustentável para o Desenvolvimento Ambiental Sustentável PLANO DE GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO CONSORCIO INTERMUNICIPAL PARA O DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL SUSTENTAVEL - 4AMBIENTAL, COMPOSTO PELOS MUNICÍPIOS

Leia mais

Descarte de Medicament os. Responsabilidade compartilhada

Descarte de Medicament os. Responsabilidade compartilhada Descarte de Medicament os Responsabilidade compartilhada Descarte de Medicamentos Aspectos gerais Situação atual... No Brasil ainda não se tem uma regulamentação específica no âmbito nacional relacionada

Leia mais

Seminário Construção Sustentável Gestão de Resíduos da Construção. Lilian Sarrouf

Seminário Construção Sustentável Gestão de Resíduos da Construção. Lilian Sarrouf Seminário Construção Sustentável Gestão de Resíduos da Construção Lilian Sarrouf Resíduos da Construção Civil 28 PNRS e a Construção Civil 28 Membro do GT Técnico MMA Política Nacional de Resíduos e a

Leia mais

Engª Quím. Alessandra Pires

Engª Quím. Alessandra Pires Ciclo de palestras ABES - SENGE Resíduos da Construção Civil: Responsabilidades e Alternativas Gerenciamento dos Resíduos da Construção Civil Desafios da Gestão Pública Engª Quím. Alessandra Pires Secretaria

Leia mais

Encontro Nacional Unimed Assistentes Sociais 2013 GERENCIAMENTO PARA O PROCESSO DE DESOSPITALIZAÇÃO: POR QUE, QUANDO E COMO VIABILIZAR?

Encontro Nacional Unimed Assistentes Sociais 2013 GERENCIAMENTO PARA O PROCESSO DE DESOSPITALIZAÇÃO: POR QUE, QUANDO E COMO VIABILIZAR? Encontro Nacional Unimed Assistentes Sociais 2013 GERENCIAMENTO PARA O PROCESSO DE DESOSPITALIZAÇÃO: POR QUE, QUANDO E COMO VIABILIZAR? NOVOTEL / SP ABRIL 2013 DR. LUÍS CLÁUDIO MARROCHI Diretor Técnico

Leia mais

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO E DESCRITIVO

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO E DESCRITIVO RELATÓRIO FOTOGRÁFICO E DESCRITIVO AÇÕES COMPROBATÓRIAS DAS ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PERÍODO DE 2011/ 2014 2011 13/06/2011 13/06/2011 SEMANA DE MEIO AMBIENTE, EXPOSIÇÃO DE BRINQUEDOS COM MATERIAIS

Leia mais

Escola SENAI Alfried Krupp CFP 568

Escola SENAI Alfried Krupp CFP 568 Escola SENAI Alfried Krupp CFP 568 Projeto Coleta Seletiva Sumário 1. Objetivo: Descrição completa do objeto a ser executado --------------------------------- 3 2. Meta desejada: Descrição das Metas desejadas

Leia mais

INICIATIVA NOVAS OPORTUNIDADES. Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Educação

INICIATIVA NOVAS OPORTUNIDADES. Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Educação INICIATIVA NOVAS OPORTUNIDADES Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Educação INDICE 1. OBJECTIVO 2. PORQUÊ A INICIATIVA? 3. PARA OS JOVENS: UMA OPORTUNIDADE NOVA 4. PARA OS ADULTOS:

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010 Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI 12.305 / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010 Cenário brasileiro de resíduos sólidos Aumento da: População nas cidades 50% mundial 85% Brasil (IBGE, 2010).

Leia mais

Certificação ISO

Certificação ISO Sistema de Gestão Ambiental SGA Certificação ISO 14.000 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento das Boas Práticas, das Normas e da Legislação

Leia mais

ENGENH A R IA E MEIO A MBI ENT E

ENGENH A R IA E MEIO A MBI ENT E ENGENH A R IA E MEIO A MBI ENT E A FLORAM ENGENHARIA E MEIO AMBIENTE é uma empresa de engenharia e gestão ambiental que desenvolve estudos e serviços com a abrangência e profundidade de análise necessária

Leia mais

PORTFÓLIO DE SERVIÇOS

PORTFÓLIO DE SERVIÇOS PORTFÓLIO DE SERVIÇOS GRUPO KMED EUROPA 1. Apresentação do Grupo Nos mercados competitivos dos nossos dias, as organizações de sucesso são aquelas que se adaptam às suas regras e que são capazes de evoluir

Leia mais

A extensão e ação comunitária é o canal aberto para a interação do ensino e da pesquisa com a sociedade, estimulando a formação profissional cidadã.

A extensão e ação comunitária é o canal aberto para a interação do ensino e da pesquisa com a sociedade, estimulando a formação profissional cidadã. EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS DE ATIVIDADES DE EXTENSÃO E DE AÇÃO COMUNITÁRIA PARA 2010 A UNIVERSIDADE POTIGUAR, mantida pela APEC - Sociedade Potiguar de Educação e Cultura S.A., com sede em Natal/RN,

Leia mais

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA 2012 PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA POLÍTICAS DE PROTEÇÃO POLÍTICA PÚBLICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL/ PROTEÇÃO ESPECIAL META: COMBATE AO TRABALHO INFANTIL

Leia mais

Hospital Geral de São Mateus

Hospital Geral de São Mateus Hospital Geral de São Mateus Projeto Referência Hospital Amigo do Idoso Perfil Instituição Hospital Geral, de caráter público, subordinado a Secretaria de Estado da Saúde, da administração direta, com

Leia mais

TEMA ESTRATÉGICO 3: Garantir apoio técnico necessário ao funcionamento pleno das atividades, tanto de graduação quanto de pesquisa.

TEMA ESTRATÉGICO 3: Garantir apoio técnico necessário ao funcionamento pleno das atividades, tanto de graduação quanto de pesquisa. CTC - CENTRO DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS MISSÃO DA UNIDADE: O Centro de Tecnologia e Ciências tem seu objetivo maior consubstanciado nos objetivos gerais de Ensino, Pesquisa e Extensão. No que tange ao objetivo

Leia mais

Cooperativismo Social no Brasil: Conceitos, Desafios e Propostas

Cooperativismo Social no Brasil: Conceitos, Desafios e Propostas Cooperativismo Social no Brasil: Conceitos, Desafios e Propostas LEONARDO PINHO COORDENADOR COOPERATIVISMO SOCIAL UNISOL BRASIL DIRETOR DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE SAÚDE MENTAL (ABRASME) EXECUTIVA DA REDE

Leia mais

Processo de Participação Popular de Projeto:

Processo de Participação Popular de Projeto: Processo de Participação Popular de 2005 Projeto: Aproveitamento dos resíduos sólidos com vistas à identificação de Oportunidades de Micro e Pequenos Negócios no Vale do Rio dos Sinos Informações SECRETARIA

Leia mais

DISTRITOS SANITÁRIOS

DISTRITOS SANITÁRIOS DISTRITOS SANITÁRIOS CONCEITO: É unidade mais periférica de administração sanitária, que detém responsabilidades e poder decisório ante a política local de saúde, tendo como objetivo chegar a uma integração

Leia mais

O GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS PERFURO CORTANTES NOS HOSPITAIS PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO - RO

O GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS PERFURO CORTANTES NOS HOSPITAIS PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO - RO I ENCONTRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA O GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS PERFURO CORTANTES NOS HOSPITAIS PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO - RO INTRODUÇÃO RAFAEL DIAS DE SOUZA 1, SÂMIA DE OLIVEIRA BRITO 2 A

Leia mais

SETE LAGOAS DESTINO INDUTOR ESTUDO DE COMPETITIVIDADE TURÍSTICA

SETE LAGOAS DESTINO INDUTOR ESTUDO DE COMPETITIVIDADE TURÍSTICA SETE LAGOAS DESTINO INDUTOR ESTUDO DE COMPETITIVIDADE TURÍSTICA Destinos Indutores São aqueles que possuem infraestrutura básica e turística além de atrativos qualificados e são capazes de atrair e/ou

Leia mais

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação 25 de maio de 2016 EIXO 1: PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e avaliação Fragilidades Melhorar as reuniões da CPA e reestruturar

Leia mais

Ações ambientais desenvolvidas para os colaboradores e a comunidade 2014

Ações ambientais desenvolvidas para os colaboradores e a comunidade 2014 Ações ambientais desenvolvidas para os colaboradores e a comunidade 2014 Órgão: Ambulatório Médico de Especialidades Maria Zélia Responsável: Gildinha Biazoto Gomes Gestão Ambiental Telefone: (11) 3583-1864

Leia mais

EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA

EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA EIXO III EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA SUGESTÃO Desde os anos 1980, observam-se transformações significativas

Leia mais

22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária

22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária GERAÇÃO E DISPOSIÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE OBRA METROVIÁRIA Katia Harue Kamimura Fabíola Pagliarani Lucas Campaner Alves Flavia Rodrigues 22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária

Leia mais

Ações da Anvisa na segurança dos serviços de saúde"

Ações da Anvisa na segurança dos serviços de saúde Ações da Anvisa na segurança dos serviços de saúde" QUALIHOSP São Paulo 18/04/2011 Maria Angela da Paz Gerência Geral de Tecnologia em Serviço de Saúde - GGTES - ANVISA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

Leia mais

menu NISAM20 04 menu inic ial próxima

menu NISAM20 04 menu inic ial próxima menu NISAM20 04 menu inic ial Gerenciamento de resíduos químicos de laboratório Leny Borghesan Albertini Alberguini Maria Olímpia de O. Rezende próxima Gerenciamento de Resíduos Químicos de Laboratório

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: TURISMO NOVA IGUAÇU Missão Formar profissionais humanistas, críticos, reflexivos, capacitados para planejar, empreender e gerir empresas turísticas, adaptando-se ao mercado,

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES

RELATÓRIO DE ATIVIDADES Util. Públ. Municipal:.686/1998 Util. Públ. Estadual: 14.37/010 PABX: (55) 13 3383 166 RELATÓRIO DE ATIVIDADES Exercício 015 1 Util. Públ. Municipal:.686/1998 Util. Públ. Estadual: 14.37/010 PABX: (55)

Leia mais

Programa de Residência Médica CANCEROLOGIA PEDIÁTRICA. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Residência Médica CANCEROLOGIA PEDIÁTRICA. Comissão de Residência Médica COREME Programa de Residência Médica CANCEROLOGIA PEDIÁTRICA Comissão de Residência Médica COREME Programa de Residência Médica CANCEROLOGIA PEDIÁTRICA Instituída pelo Decreto nº 80.281, de 5 de setembro de 1977,

Leia mais

Seminário A reciclagem na sociedade durável: importância e implantação

Seminário A reciclagem na sociedade durável: importância e implantação Seminário A reciclagem na sociedade durável: importância e implantação 29 de agosto 2012 «Rien ne se perd, rien ne se crée, tout se transforme» A. Lavoisier Page 1 Sumário 1.A reciclagem hoje 2.Método

Leia mais

NOVIDADES E PARCERIAS

NOVIDADES E PARCERIAS ......... Rua Professor Jones, 1513 - Centro - Linhares / ES - CEP. 29.900-131 - Telefone: (27) 3371-1712 / 3371-2265 / 98837-0282 Site: www.escolafazendinhafeliz.com.br / Email: contato@escolafazendinhafeliz.com.br

Leia mais

processamento de amostras biológicas e a transferência da unidade administrativa central.

processamento de amostras biológicas e a transferência da unidade administrativa central. UNIMED LITORAL Com 23 anos existência a UNIMED Litoral, tem sua área de atuação em 13 municípios - Itajaí, Balneário Camboriú, I t a p e m a, P o r t o B e l o, B o m b i n h a s, C a m b o r i ú, Navegantes,

Leia mais

III SEMINÁRIO ESTADUAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL

III SEMINÁRIO ESTADUAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL III SEMINÁRIO ESTADUAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL Painel II: Resíduos Sólidos Urbanos Política Nacional, Gestão e Gerenciamento de Resíduos Sólidos. José Valverde Machado Filho 20.04.2012 Cenários e Evolução

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS RUI BARBOSA P R O J E T O

FACULDADES INTEGRADAS RUI BARBOSA P R O J E T O FACULDADES INTEGRADAS RUI BARBOSA P R O J E T O 2007 1 SUMÁRIO 1. IDENTIFICAÇÃO:...3 2. OBJETIVOS:...4 3. JUSTIFICATIVA:...5 4. ATIVIDADES:...7 5. CRONOGRAMA DE AÇÃO:...8 6. AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS...9

Leia mais

Superintendência de Gestão, Planejamento e Finanças Gerência de Contratos e Convênios ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO

Superintendência de Gestão, Planejamento e Finanças Gerência de Contratos e Convênios ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO 1. ATIVIDADES MÍNIMAS A REALIZAR 1.1. ASSISTÊNCIA HOSPITALAR Produção. 1.1.1. Realizar, no mínimo, 90% da meta estabelecida no Plano de Metas de 1.1.2. O indicador de aferição

Leia mais

Boas Práticas em Serviços de

Boas Práticas em Serviços de FEIRA+FÓRUM FÓRUM HOSPITALAR 2011 24 de Maio de 2011 São Paulo SP Boas Práticas em Serviços de Saúde Maria Angela da Paz Gerência Geral de Tecnologia em Serviço de Saúde - GGTES - ANVISA Noção Matemática

Leia mais

Deveres do empregador no que respeita à Formação Profissional

Deveres do empregador no que respeita à Formação Profissional Formação Profissional O QUE DIZ A LEI Deveres do empregador no que respeita à Formação Profissional Contribuir para a elevação da produtividade e empregabilidade do trabalhador, nomeadamente proporcionando-lhe

Leia mais

Ferramentas colaborativas para profissionais da saúde

Ferramentas colaborativas para profissionais da saúde UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CCBS ESCOLA DE MEDICINA E CIRURGIA Ferramentas colaborativas para profissionais da saúde INTRODUCÃO O Núcleo

Leia mais

PROCEDIMENTOS CO-PROCESSAMENTO DE RESÍDUOS NO ESTADO DO PARANÁ. São Paulo, 04 de novembro de 2004

PROCEDIMENTOS CO-PROCESSAMENTO DE RESÍDUOS NO ESTADO DO PARANÁ. São Paulo, 04 de novembro de 2004 PROCEDIMENTOS CO-PROCESSAMENTO DE RESÍDUOS NO ESTADO DO PARANÁ São Paulo, 04 de novembro de 2004 LEGISLAÇÃO APLICÁVEL Resolução CONAMA Nº 264/99, dispõe sobre o co-processamento de resíduos sólidos; Resolução

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 494, DE 2009

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 494, DE 2009 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 494, DE 2009 Dispõe sobre a utilização do potencial de geração de energia elétrica dos aterros sanitários pelos municípios com mais de 200 mil habitantes. O CONGRESSO

Leia mais

CRISTIANO FELIX GERENTE DE MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO - FCA LATAM

CRISTIANO FELIX GERENTE DE MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO - FCA LATAM CRISTIANO FELIX GERENTE DE MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO - FCA LATAM Grupo FCA MARCAS AUTOMOTIVAS MARCAS DE LUXO COMPONENTES FCA LATAM 2 Grupo FCA no Mundo 165 Plantas 150 Mercados 228.690

Leia mais

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 1 ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE E REDUÇÃO DO CONSUMO DE ÁGUA PROGRAMA Nº 02/2014 SENAI-SP. Projeto desenvolvido pelo CFP 5.12 Escola SENAI Celso Charuri. 4ª edição, revisão e

Leia mais

DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS

DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS GLOSSÁRIO Danilo José P. da Silva Série Sistema de Gestão Ambiental Viçosa-MG/Janeiro/2011 Glossário

Leia mais

A Certificação de Sistemas Integrados Caso LIPOR

A Certificação de Sistemas Integrados Caso LIPOR A Certificação de Sistemas Integrados Caso LIPOR Ciclo de Seminários Técnicos T Eficiência na Gestão de Resíduos duos Constituída por oito Municípios pertencentes à Área Metropolitana do Porto População

Leia mais

2º ENCONTRO CAIXA/FORNECEDORES

2º ENCONTRO CAIXA/FORNECEDORES 2º ENCONTRO CAIXA/FORNECEDORES PIB Sustentabilidade na Prática Empresarial Jean Rodrigues Benevides GN de Meio Ambiente SN de Assistência Técnica e Desenvolvimento Sustentável Situação Atual Estratégia

Leia mais

RELATÓRIO DETALHADO DO QUADRIMESTRE ANTERIOR 1º E 2º QUADRIMESTRE

RELATÓRIO DETALHADO DO QUADRIMESTRE ANTERIOR 1º E 2º QUADRIMESTRE RELATÓRIO DETALHADO DO QUADRIMESTRE ANTERIOR 1º E 2º QUADRIMESTRE ANO 2013 Conforme previsto no art. 36 da Lei Complementar N.º 141/2012, o Relatório Detalhado do Quadrimestral Anterior contém informações

Leia mais

CENÁRIO ATUAL DE SSO NA MINERAÇÃO Elevadas Taxas de Mortalidade FONTE: MTE - ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA RAIS MPS - ANUÁRIO ESTATÍSTICO

CENÁRIO ATUAL DE SSO NA MINERAÇÃO Elevadas Taxas de Mortalidade FONTE: MTE - ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA RAIS MPS - ANUÁRIO ESTATÍSTICO CENÁRIO ATUAL DE SSO NA MINERAÇÃO Elevadas Taxas de Mortalidade FONTE: MTE - ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA RAIS MPS - ANUÁRIO ESTATÍSTICO CENÁRIO ATUAL DE SSO NA MINERAÇÃO Carência de informações sobre riscos

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Etec Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã Eixo tecnológico: AMBIENTE e SAÚDE Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 108

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 108 PROGRAMA Nº- 108 AMPLIAÇÃO DO PROJETO VOLTA REDONDA CIDADE DA MÚSICA SUB-FUNÇÃO: 361 ENSINO FUNDAMENTAL Proporcionar aos alunos da Rede Pública Municipal de Volta Redonda atividades musicais diversas nos

Leia mais

INVESTIMENTOS SOCIAIS

INVESTIMENTOS SOCIAIS NOVA LIMA 2015 INVESTIMENTOS SOCIAIS Fotos: arquivo AGA Artesão da Associação dos Artesãos de Nova Lima, Artes da Terra, iniciativa apoiada pelo Chamada Pública de Projetos Artesã da Associação dos Artesãos

Leia mais

COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO - INSTITUTO ESTADUAL DO CÉREBRO PAULO NIEMEYER E HOSPITAL ESTADUAL ANCHIETA AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE

COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO - INSTITUTO ESTADUAL DO CÉREBRO PAULO NIEMEYER E HOSPITAL ESTADUAL ANCHIETA AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO - INSTITUTO ESTADUAL DO CÉREBRO PAULO NIEMEYER E HOSPITAL ESTADUAL ANCHIETA AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE Nome: Natalia Rente Nunes Telefone: (21) 2277-9417 / (21) 98738-0349 E-mail:

Leia mais