Procedimentos Contábeis Patrimoniais e Específicos Adotados e Cronograma de Ações a adotar até 2014, conforme Portaria STN nº 828 de 14/12/2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Procedimentos Contábeis Patrimoniais e Específicos Adotados e Cronograma de Ações a adotar até 2014, conforme Portaria STN nº 828 de 14/12/2011"

Transcrição

1 1 Reconhecimento, mensuração e evidenciação dos direitos, das obrigações e provisões por competência. Elaboração de procedimentos para Metodologia de reconhecimento e mensuração dos direitos e das 1.1 reconhecimento de direitos e 10 obrigações por competência, incluídos os ajustes obrigações por competência e as provisões SIC adequado à metodologia Adequação/Desenvolvimento de sistema para 1.2 de registro de direitos e 10 registro de direitos e obrigações por competência obrigações por competência. As despesas do Legislativo são empenhadas por regime de competência. Também em 2012 iniciou-se o lançamento das provisões mensais de férias e 13º salário por competência. Quando necessário também já se efetuam lançamentos de ativo e passivo de curto e longo prazo. Informado o atingimento de 100% em 2012 em relação aos itens que não dependem da adoção do PCASP, que deverá ocorrer em 2013 pelo TCE/RS.

2 2 Reconhecimento, mensuração e evidenciação dos bens móveis, imóveis e intangíveis. Metodologia de Elaboração de procedimentos para reconhecimento e mensuração reconhecimento e mensuração do ativo de ativos imobilizados e 2.1 imobilizado e do ativo intangível, além de 10% 80% 100% intangíveis e de rotinas para a depreciação, amortização e sistematização da exaustão sistematizadas dos mesmos. depreciação. Metodologia de reavaliação e Elaboração de procedimentos para impairment (redução ao valor 2.2 sistematização da reavaliação e do reajuste ao 0% 80% 100% recuperável) periódicos dos valor recuperável dos ativos. ativos. SIC adequado à metodologia Adequação/Desenvolvimento de sistemas para de registro de imobilizado e 2.3 registro de imobilizado (móveis e imóveis) e intangível, bem como á intangível. depreciação/amortização dos mesmos. O Legislativo dispõe de uma relação de todos os bens que estão em seu poder, é um inventário, com número de tombamento fornecido pelo Executivo. Os bens novos são devidamente incorporados ao patrimônio pelo seu valor de aquisição, isso já ocorre em 2012, porém ainda não é feita a depreciação. Para 2013 estamos prevendo a reavaliação dos bens e reajuste ao valor recuperável. Para 2014 serão definidas as taxas de depreciação, expectativa de vida útil e valor residual, e aplicação dos lançamentos de depreciação.

3 3 Registro de fenômenos econômicos, resultantes ou independentes da execução orçamentária, tais como depreciação, amortização, exaustão. Aquisição/Desenvolvimento de sistema de SIC adequado ao registro do 3.1 0% 80% 100% controle patrimonial. patrimônio. Relatório do SIC com 3.2 Levantamento em nível local do patrimônio detalhamento do patrimônio da entidade e registro no sistema. com base em perícia ou 0% 80% 100% referência de mercado. Metodologia de Desenvolvimento e operacionalização de operacionalização da 3.3 rotina de depreciação, amortização e depreciação, amortização e exaustão do imobilizado. exaustão : Estudo e melhoramento do sistema para atender às novas normas. 2014: Eventuais ajustes no sistema para que fique adequado para o registro do patrimônio : Inventário e avaliação dos bens. 2014: Adequação do SIC para emissão de relatórios : Adoção de procedimentos contábeis para realização de depreciação, amortização e exaustão, definição das taxas de depreciação e vida útil, valor residual e métodos de registro.

4 4 Reconhecimento, mensuração e evidenciação dos ativos de infraestrutura Aquisição/Desenvolvimento de sistema de SIC adequado aos ativos de controle de patrimônio de infraestrutura. infraestrutura. Relatório com detalhamento do 4.2 Levantamento em nível local do patrimônio patrimônio de infraestrutura do de infraestrutura. ente, com base em perícia ou 10 "benchmark". Desenvolvimento e operacionalização de Metodologia de depreciação 4.3 rotina de depreciação dos ativos de doi patrimônio de infraestrutura 10 infraestrutura. à realidade. Desenvolvimento de rotinas de reavaliação e Metodologia de reavaliação e 4.4 redução ao valor recuperável para os ativos "impairment"para os ativos de 10 de infraestrutura. infraestrutura. Adequação do SIC aos procedimentos SIC adequado ao controle do 4.5 anteriormente definidos para ajustes no 10 patrimônio de infraestrutura. patrimônio de infraestrutura. O Poder Legislativo Municipal não possui ativo de infraestrutura, portanto não deixa de atender ao item 4.

5 5 Implementação do sistema de custos Relatório evidenciando que 5.1 Registro de fenômenos por competência fenômenos por competência têm sido periodicamente registrados. Relatório evidenciando que Registro de fenômenos econômicos, fenômenos sem relação com 5.2 independentemente de questões orçamento tem sido orçamentárias. periodicamente registrados. Identificação de programas, serviços, etc., 5.3 Relatório com objetos de custo. que terão os custos levantados. 5.4 Levantamentos de variáveis físicas para Relatório com variáveis físicas estabelecimentos de custos. para levantamento de custos. Levantamento de variáveis financeiras e Relatórios com variáveis 5.5 econômicas para estabelecimento de financeiras para levantamento custos. de custos. 2014: Aquisição e operacionalização de sistema de custos.

6 6 Aplicação do Plano de Contas, detalhado no nível exigido para a consolidação das contas nacionais. PCASP estendido até o nível Extenção do PCASP para nível detalhado 6.1 necessário para registro necessário ao ente. contábil dos fenômenos. Relatório de fenômenos que Levantamento de todos os fenômenos 6.2 devem ser registrados na relacionados à gestão contábil local. contabilidade. Relatório com eventos que Elaboração de eventos para registro registram os fenômenos 6.3 contábil dos fenômenos levantados anteriores com base no PCASP anteriormente. estendido. (6.1) Aquisição/Desenvolvimento de sistema SIC adequado ao PCASP 6.4 para que o PCASP estendido e os eventos estendido e aos eventos. sejam carregados. Metodologia de registro da 6.5 Criar rotinas de integridade e de abertura e abertura e encerramento do encerramento de exercício. exercício, além de verificação de integridade dos dados. Adequação do SIC às rotinas de SIC adequado às rotinas de 6.6 integridade, abertura e encerramento do integridade, abertura e exercício. encerramento do exercício. Atendimento de 100% do item 6 em 2013, a partir da adoção do novo plano de contas PCASP pelo Tribunal de Contas do Estado/TCE.

7 7 Novos padrões de Demonstrativos Contábeis Aplicados ao Setor Público. Metodologia de levantamento Elaboração de regra/fórmulas para das DCASP por meio do PCASP 7.1 levantamento das DCASP a partir da 5 estendido e das demais contabilidade. informações contábeis. Ajuste das demonstrações contábeis para Template (modelo de 7.2 o novo padrão, com a inclusão das documento) de DCASP 5 fórmulas. adequadas à nova metodologia. SIC adequado à metodologia de 7.3 levantamento das DCASP a Ajuste em sistemas para inclusão do novo partir do PCASP estendido e modelo de DCASP. das demais informações 5 contábeis. 2012: As DCASP já vêm sendo elaboradas a cada encerramento de exercício, porém estarão 100% ajustadas para o novo padrão a partir de 2013, após a adoção do PCASP.

8 8 Demais aspectos patrimoniais previstos no Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público. Registros de participações em outras entidades Template de ajustes de por meio de custo ou equivalência patrimonial. participações. Controle de estoque/almoxarifado independente Metodologia de controle de 8.2 de execução orçamentária e com entrada por 80% 90% 100% estoques/almoxarifado. recebimento e baixa por consumo. SIC ajustado ao controle de 8.3 Ajuste do SIC para as metodologias anteriores. estoques/almoxarifado além de participações em outras 80% 90% 100% entidades O Poder Legislativo não tem participação em outras entidades, portanto não deixa de atender a este item. 8.2 e : O controle de estoque já é realizado registrando-se a entrada pelo recebimento da mercadoria e a baixa é registrada em lançamentos contábeis pelo consumo total do mês. Controle através de tabelas de excel. 2013: Estudo da viabilidade de aquisição de sistema informatizado para controle do estoque no Poder Legislativo.

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ DEMONSTRATIVO DE ATENDIMENTO AO MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO NBCASP ATENDIMENTO A PORTARIA 828/11

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ DEMONSTRATIVO DE ATENDIMENTO AO MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO NBCASP ATENDIMENTO A PORTARIA 828/11 ITEM DESCRIÇÃO PRODUTO Área Responsável Início (mês/ano) Término (mês/ano) I 1.1 1.2 RECONHECIMENTO, MENSURAÇÃO E EVIDENCIAÇÃO DOS CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS OU NÃO, POR COMPETÊNCIA, E A DIVIDA ATIVA, INCLUINDO

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PARAÍSO DO NORTE ESTADO DO PARANÁ

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PARAÍSO DO NORTE ESTADO DO PARANÁ PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PARAÍSO DO NORTE ESTADO DO PARANÁ Av. Tapejara, 88 CEP 87.780-000 Fone: (44) 3431 1132 CNPJ 75.476.556/0001-58 www.paraisodonorte.pr.gov.br DECRETO Nº 58/2012 SÚMULA: Dispõe

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SALINAS Estado de Minas Gerais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SALINAS Estado de Minas Gerais DECRETO N o 5.743, DE 22 DE JUNHO DE 2012. Dispõe sobre adoção procedimentos contábeis patrimoniais obrigatórios até o exercício 2014. O Prefeito Municipal Salinas(MG), no uso suas atribuições legais,

Leia mais

ITEM PRODUTO 2012 1 -IPT-

ITEM PRODUTO 2012 1 -IPT- 1 2012 2 2013 2014 1. Reconhecimento, mensuração e evidenciação dos direitos, das obrigações e provisões por competência: 1.1 Elaboração de procedimentos para reconhecimento e mensuração dos direitos e

Leia mais

ASPECTO I Cronograma de ações dos procedimentos contábeis patrimoniais e específicos adotados e a serem implementados ITEM PRODUTO 2012 -IPT- 1

ASPECTO I Cronograma de ações dos procedimentos contábeis patrimoniais e específicos adotados e a serem implementados ITEM PRODUTO 2012 -IPT- 1 ASPECTO I 1 2012 2 2013 2014 3 1. Reconhecimento, mensuração e evidenciação dos direitos, das obrigações e provisões por competência: 1.1 Elaboração de procedimentos para reconhecimento e mensuração dos

Leia mais

LUIZ CARLOS FRANKLIN DA SILVA

LUIZ CARLOS FRANKLIN DA SILVA DECRETO Nº. 1.181, EM 27 DE MARÇO DE 2012. INSTITUI O CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DAS ATIVIDADES A SEREM PARA O ATENDIMENTO INTEGRAL DOS DISPOSITIVOS CONSTANTES NO MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE RELVADO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DECRETO Nº 19/2013, DE 03 DE MAIO DE 2013.

PREFEITURA MUNICIPAL DE RELVADO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DECRETO Nº 19/2013, DE 03 DE MAIO DE 2013. DECRETO Nº 19/2013, DE 03 DE MAIO DE 2013. Altera o cronograma de execução das atividades a serem implementadas para o atendimento integral dos dispositivos constantes no Manual de Contabilidade Aplicada

Leia mais

DECRETO N 1801/2012 DECRETA:

DECRETO N 1801/2012 DECRETA: DECRETO N 1801/2012 SÚMULA:- Dispõe sobre a divulgação do Cronograma de Procedimentos Contabeis Patrimoniais e Especificos adotados e a adotar até 2014 do Município de Porto Rico. Eu, EVARISTO GHIZONI

Leia mais

DECRETO nº 2.303/2012

DECRETO nº 2.303/2012 Prefeitura Municipal de Fontoura Xavier RS. Município criado em 09.07.1965 Lei Federal nº 4974/65 CNPJ nº 87612768/0001-02 Fone Fax (0xx)54.389.1511 e (0xx)54.389.1122 Av. 25 de Abril, 920 Fontoura Xavier

Leia mais

DECRETO N.º 1317/2012

DECRETO N.º 1317/2012 DECRETO N.º 1317/2012 Institui o cronograma de execução das atividades a serem implementadas para o atendimento integral dos dispositivos constantes no Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público

Leia mais

Decreto Municipal nº 022/2012

Decreto Municipal nº 022/2012 Decreto Municipal nº 022/2012 Institui o cronograma de execução das atividades a serem implementadas para o atendimento integral dos dispositivos constantes no Manual de Contabilidade A- plicada ao Setor

Leia mais

PORTARIA N.º 1.197/2013-TJ, DE 30 DE JULHO DE 2013.

PORTARIA N.º 1.197/2013-TJ, DE 30 DE JULHO DE 2013. PORTARIA N.º 1.197/2013-TJ, DE 30 DE JULHO DE 2013. Estabelece para o Por Judiciário do Estado do Rio Gran do Norte o Cronograma Implementação das Novas Regras aplicadas à Contabilida Pública. O PRESIDENTE

Leia mais

PODER LEGISLATIVO CÂMARA MUNICIPAL DE ARIQUEMES ESTADO DE RONDÔNIA

PODER LEGISLATIVO CÂMARA MUNICIPAL DE ARIQUEMES ESTADO DE RONDÔNIA PODER LEGISLATIVO CÂMARA MUNICIPAL DE ARIQUEMES ESTADO DE RONDÔNIA OFICIO Nº 58/GAB PRES/CMA Ariquemes, 30 de outubro de 2012. Ao Ilustríssimo Senhor Edson Espírito Santo Sena Secretario Regional de Controle

Leia mais

Consultoria e Assessoria Pública Ltda

Consultoria e Assessoria Pública Ltda Consultoria e Assessoria Pública Ltda Ofício n.º xxxxxxxx Araçatuba, xx de março de 2012. A Sua Excelência o Senhor Nome do destinatário Cargo do destinatário Assunto: Cronograma de das NBCASP (Portaria

Leia mais

c) atender aos dispositivos da Portaria nº 828, de 14 de dezembro de 2011, da Secretaria do Tesouro Nacional; e

c) atender aos dispositivos da Portaria nº 828, de 14 de dezembro de 2011, da Secretaria do Tesouro Nacional; e DECRETO N. 16/2013 Institui o cronograma execução das atividas a serem implementadas para o atendimento integral dos dispositivos constantes no Manual Contabilida Aplicada ao Setor Público MCASP 1. Consirando

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA ESPERANÇA DO SUL SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA E PLANEJAMENTO

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA ESPERANÇA DO SUL SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA E PLANEJAMENTO ADEQUAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS ADOTADOS E A ADOTAR EM FACE DA PORTARIA STN Nº 828, DE 14/DEZEMBRO/2011 Poder Executivo Municipal de Nova Esperança do Sul - RS ASSUNTO: Adequação dos procedimentos

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O nº 1308/12 R E S O L V E:

R E S O L U Ç Ã O nº 1308/12 R E S O L V E: R E S O L U Ç Ã O nº 1308/12 Dispõe sobre os Procedimentos Contábeis Específicos adotados, sobre o cronograma de ações a adotar até 2014, e dá outras providências. O TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICIPIOS DO

Leia mais

GAZETA DO OESTE ATOS OFICIAIS PORTARIA Nº 05 DE 26 DE JULHO DE 2012

GAZETA DO OESTE ATOS OFICIAIS PORTARIA Nº 05 DE 26 DE JULHO DE 2012 Ano VI Nº 1395 Rua Folk Rocha, Nº103- Sala 01 - Sandra Regina (Centro) - Barreiras/Ba Tel.: 77 3612.7476 26 de julho de 2012 Em cumprimento ao princípio constitucional e a Lei Nº 101/2000, estão publicados

Leia mais

I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO

I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO A CONVERGÊNCIA DAS NORMAS INTERNACIONAIS AO SETOR PÚBLICO MARIA DA CONCEIÇAO BARROS DE REZENDE SITUAÇAO DA CONTABILIDADE PÚBLICA NO BRASIL

Leia mais

Município de Pedro Velho/RN

Município de Pedro Velho/RN Ano 4 Número 164 Pedro Velho/RN, 02 setembro 2013 Segunda-Feira DIÁRIO 1 OFICIAL Município Pedro Velho/RN Ano 4 Número 164 - Pedro Velho/RN, 02 setembro 2013 Segunda-Feira ORIGENS DAS MATÉRIAS PUBLICADAS:

Leia mais

Palestra. Contabilidade Pública (Módulo I): Controle do Patrimônio Público e Lançamentos Contábeis Típicos. Roberto de Oliveira Júnior.

Palestra. Contabilidade Pública (Módulo I): Controle do Patrimônio Público e Lançamentos Contábeis Típicos. Roberto de Oliveira Júnior. Palestra Contabilidade Pública (Módulo I): Controle do Patrimônio Público e Lançamentos Contábeis Típicos A reprodução total ou parcial, bem como a reprodução de apostilas a partir desta obra intelectual,

Leia mais

Site ADEQUAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS ADOTADOS E A ADOTAR EM FACE DA PORTARIA STN N 828, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011.

Site  ADEQUAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS ADOTADOS E A ADOTAR EM FACE DA PORTARIA STN N 828, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. Site www.amaralina.go.gov.br/ E-mail prefamaralina@cultura.com.br ADEQUAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS ADOTADOS E A ADOTAR EM FACE DA PORTARIA STN N 828, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. ASSUNTO: Adequação

Leia mais

ENCERRAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 17/01/2013 LUCIANO PERRONE

ENCERRAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 17/01/2013 LUCIANO PERRONE ENCERRAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 17/01/2013 LUCIANO PERRONE Introdução Enquadramento conforme as Novas Normas Contábeis IFRS. SOCIEDADES ANÔNIMAS DE CAPITAL ABERTO SOCIEDADES DE GRANDE PORTE

Leia mais

DECRETO Nº 044, DE 26 DE JUNHO DE 2012.

DECRETO Nº 044, DE 26 DE JUNHO DE 2012. DECRETO Nº 044, DE 26 DE JUNHO DE 2012. Determina ao Poder Executivo Municipal de Alto Garças a adoção obrigatória do Plano de Contas, das Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público e dos Procedimentos

Leia mais

Maria da Conceição B.de Rezende Ladeira

Maria da Conceição B.de Rezende Ladeira Maria da Conceição B.de Rezende Ladeira Junho/2016 ADMINISTRAÇAO PÚBLICA Transparência; Governança; Indicadores de Resultados alinhados a estratégias dos governos; Qualidade do gasto público;... Novo cenário

Leia mais

Contabilidade ESTRUTURA PATRIMONIAL SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) FLUXO DE RECURSOS. Fluxo dos recursos SÍNTESE DO FUNCIONAMENTO DAS CONTAS

Contabilidade ESTRUTURA PATRIMONIAL SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) FLUXO DE RECURSOS. Fluxo dos recursos SÍNTESE DO FUNCIONAMENTO DAS CONTAS ESTRUTURA PATRIMONIAL Patrimônio = Bens + Direitos ( ) Obrigações SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) Ativo ( ) Passivo = Situação Líquida (Patrimônio Líquido) FLUXO DE RECURSOS ATIVO Aplicação dos Recursos

Leia mais

Sumário Capítulo 1 Escrituração contábil

Sumário Capítulo 1 Escrituração contábil Sumário Capítulo 1 Escrituração contábil 01 1.1 Conceito 01 1.2 Métodos de escrituração 01 1.2.1 Método das partidas dobradas 02 1.2.1.1 Funcionamento das contas nas partidas dobradas 04 1.3 Normas legais

Leia mais

ADEQUAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS ADOTADOS E A ADOTAR EM FACE DAS PORTARIAS STN 828/2011 E 753/2012

ADEQUAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS ADOTADOS E A ADOTAR EM FACE DAS PORTARIAS STN 828/2011 E 753/2012 ADEQUAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS ADOTADOS E A ADOTAR EM FACE DAS PORTARIAS STN 828/2011 E 753/2012 ASSUNTO: Adequação dos procedimentos adotados e a adotar pelo Município, em face da determinação

Leia mais

Nivelamento de Conceitos Contábeis

Nivelamento de Conceitos Contábeis Nivelamento de Conceitos Contábeis Demonstrações Contábeis Balanço Patrimonial - BP Demonstração de Resultado do Exercício - DRE Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Substituiu a Demonstração das Origens

Leia mais

RESUMO DO DIÁRIO PUBLICAMOS NESTA EDIÇÃO OS SEGUINTES DOCUMENTOS:

RESUMO DO DIÁRIO PUBLICAMOS NESTA EDIÇÃO OS SEGUINTES DOCUMENTOS: Diário Oficial do Município de Boquira - Bahia Poder Executivo Ano VIII Nº 1161 12 de Setembro de 2016 RESUMO DO DIÁRIO PUBLICAMOS NESTA EDIÇÃO OS SEGUINTES DOCUMENTOS: DECRETOS DECRETO N.92 DE 26 DE AGOSTO

Leia mais

FRANCISCO GLAUBER LIMA MOTA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO. Aspectos Patrimoniais: Identificação, Reconhecimento, Mensuração e Evidenciação

FRANCISCO GLAUBER LIMA MOTA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO. Aspectos Patrimoniais: Identificação, Reconhecimento, Mensuração e Evidenciação FRANCISCO GLAUBER LIMA MOTA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO Aspectos Patrimoniais: Identificação, Reconhecimento, Mensuração e Evidenciação Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público Normas

Leia mais

Experiência do Município do Salvador

Experiência do Município do Salvador Experiência do Município do Salvador Por que não se registram as despesas incorridas sem autorização orçamentária? Por que não se aplicam regras de depreciação, exaustão e amortização? Por que não se faz

Leia mais

TJ-BA Analista Área Administrativa

TJ-BA Analista Área Administrativa TJ-BA Analista Área Administrativa Pessoal, vou comentar as questões da prova da área administrativa. Conhecimentos Específicos 41 Em um determinado ente da Federação, foi implantado um sistema de controle

Leia mais

Sumário. Capítulo 2. Conceitos Básicos...1. Patrimônio Contabilidade_Geral_Resumida_cap_00.indd 9 14/10/ :44:34

Sumário. Capítulo 2. Conceitos Básicos...1. Patrimônio Contabilidade_Geral_Resumida_cap_00.indd 9 14/10/ :44:34 Sumário Capítulo 1 Conceitos Básicos...1 1. Contabilidade: Conceitos, Objeto, Objetivo, Finalidade e Campo de Aplicação...1 2. Usuários da Informação Contábil...2 3. Principais Tipos de Sociedades Existentes

Leia mais

1.01.x1: Formação do Capital, com $ 400 em dinheiro e uma perua no valor de $ 200

1.01.x1: Formação do Capital, com $ 400 em dinheiro e uma perua no valor de $ 200 CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Disciplina Estrutura e Análise das Demonstrações Contábeis ALUNO(A): Exercício : a. preencha os balancetes: TURMA 6º CCN AULA 04 e 05 Turno/Horário

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL - ANEXO 14

BALANÇO PATRIMONIAL - ANEXO 14 ATIVO Exercício Atual PASSIVO Exercício Atual ATIVO CIRCULANTE 652.201,35 PASSIVO CIRCULANTE 236.288,68 Caixa e Equivalentes de Caixa 652.201,35 Obrigações Trabalhistas, Previdenciárias e Assistenciais

Leia mais

Parte I Conceitos Básicos, Estrutura e Metodologia Operacional, 1 1 Patrimônio, 3

Parte I Conceitos Básicos, Estrutura e Metodologia Operacional, 1 1 Patrimônio, 3 Sumário Prefácio à Décima Edição, xxi Prefácio à Nona Edição, xxiii Prefácio à Oitava Edição, xxv Parte I Conceitos Básicos, Estrutura e Metodologia Operacional, 1 1 Patrimônio, 3 1.1 Objetivo e definição

Leia mais

Os Desafios da Nova Gestão Patrimonial. A Mudança de Paradigmas

Os Desafios da Nova Gestão Patrimonial. A Mudança de Paradigmas Os Desafios da Nova Gestão Patrimonial A Mudança de Paradigmas A EVOLUÇÃO DA GESTÃO PATRIMONIAL NO BRASIL BRASIL IMPÉRIO - O ESTADO PATRIMONIALISTA Os governantes consideravam o Estado como seu patrimônio,

Leia mais

CONTROLE INTERNO DE ACORDO COM AS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO NBCASP.

CONTROLE INTERNO DE ACORDO COM AS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO NBCASP. XV Convenção de Contabilidade do Rio Grande do Sul - 2015 CONTROLE INTERNO DE ACORDO COM AS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO NBCASP. Palestrante: Prof. Milton Mendes Botelho

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO CEARÁ

CAPACITAÇÃO EM CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO CEARÁ Pacote I Área Nº Disciplinas Horas / Aula 03 Procedimentos Contábeis Orçamentários I PCO I Procedimentos Contábeis Orçamentários II PCO II 05 Procedimentos Contábeis Patrimoniais I PCP I Fundamentos 06

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC T 16 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC T 16 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC T 16 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO NBC T 16.9 DEPRECIAÇÃO, AMORTIZAÇÃO E EXAUSTÃO Conteúdo Item DISPOSIÇÕES GERAIS 1 OBJETIVOS E

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE JURUENA ESTADO DE MATO GROSSO

CÂMARA MUNICIPAL DE JURUENA ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE JURUENA ESTADO DE MATO GROSSO ANEXO I CRONOGRAMA DE AÇÕES E IMPLEMENTAÇÕES DOS PROCEDIMENTOS EXIGIDOS PELAS PORTARIAS Nº. 406/828, DA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL - STN ITEM PRODUTO

Leia mais

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Ciências Contábeis - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Ciências Contábeis - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE DISCIPLINAS DA SÉRIE ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.2 Ciências Contábeis - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA II DIREITO TRIBUTARIO LEGISLAÇÃO SOCIAL E TRABALHISTA ORÇAMENTO PUBLICO TEORIA

Leia mais

Sumário EDITAL SISTEMATIZADO CONTABILIDADE APRESENTAÇÃO DO LIVRO... 23

Sumário EDITAL SISTEMATIZADO CONTABILIDADE APRESENTAÇÃO DO LIVRO... 23 EDITAL SISTEMATIZADO CONTABILIDADE... 19 APRESENTAÇÃO DO LIVRO... 23 PARTE I CONTABILIDADE GERAL CAPÍTULO I NOÇÕES DE CONTABILIDADE... 27 1. Noções de Contabilidade... 27 1.1. Conceitos, objetivos, campo

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS CÂMARA MUNICIPAL DE OURO BRANCO MG EXERCÍCIO DE 2014

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS CÂMARA MUNICIPAL DE OURO BRANCO MG EXERCÍCIO DE 2014 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS CÂMARA MUNICIPAL DE OURO BRANCO MG EXERCÍCIO DE 2014 DIRETRIZES CONTÁBEIS Tendo em vista as inovações da Contabilidade no Setor Público, o Poder Legislativo

Leia mais

DFC DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA

DFC DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA DFC DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA Base Legal CPC 03 e Seção 07 da NBC TG 1.000 O presente auto estudo embasará os conceitos e procedimentos técnicos contemplados no CPC 03 (IFRS Integral) e na Seção 07

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 428, de 19 de novembro de 2012

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 428, de 19 de novembro de 2012 Publicada no D.O.U nº 223, de 20/11/2012 Seção 1 p. 140 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 428, de 19 de novembro de 2012 Cria o Manual de Procedimentos para a Depreciação dos Bens Patrimoniais no âmbito do Sistema

Leia mais

ITG 1000 PME s Giovana Garcia

ITG 1000 PME s Giovana Garcia ITG 1000 PME s Giovana Garcia Você bem preparado para o futuro da profissão. 1 RESOLUÇÃO CFC N.º 1.418/12 Aprova a ITG 1000 Modelo Contábil para Microempresa e Empresa de Pequeno Porte. X RESOLUÇÃO CFC

Leia mais

NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE PARA AS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE PARA AS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE PARA AS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Antônio Carlos Palácios Vice Presidente Técnico CRCRS O tema no contexto da CONVERGÊNCIA das Normas Contábeis A CRONOLOGIA DA CONVERGÊNCIA

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ATIVO E PASSIVO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ATIVO E PASSIVO Art. 183 Critérios de Avaliação do ATIVO Art. 184 Critérios de Avaliação do PASSIVO Princípio do REGISTRO PELO VALOR ORIGINAL 1º As seguintes bases de mensuração devem ser utilizadas em graus distintos

Leia mais

RFB Auditor - ESAF Análise do Edital - CONTABILIDADE GERAL E AVANÇADA

RFB Auditor - ESAF Análise do Edital - CONTABILIDADE GERAL E AVANÇADA Sumário 1 Estrutura Conceitual... 2 2 Patrimônio... 2 3 Fatos Contábeis... 3 4 Contas... 3 5 Escrituração... 3 6 Provisões... 3 7 Políticas Contábeis, Estimativas e Retificação de Erro.... 4 8 Ativo...

Leia mais

PAINEL 3: "Desafios e Perspectivas face a Nova lei de finanças públicas e o processo de Convergência aos padrões internacionais"

PAINEL 3: Desafios e Perspectivas face a Nova lei de finanças públicas e o processo de Convergência aos padrões internacionais PAINEL 3: "Desafios e Perspectivas face a Nova lei de finanças públicas e o processo de Convergência aos padrões internacionais" PLS 229: Inovações, Riscos e oportunidades NATAL - RN 20 de Outubro de 2016

Leia mais

7.7 - Demonstrações contábeis exigidas pela Lei 4.320/64 e notas explicativas

7.7 - Demonstrações contábeis exigidas pela Lei 4.320/64 e notas explicativas 7.7 - Demonstrações contábeis exigidas pela Lei 4.320/64 e notas explicativas MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL TITULO BALANÇO FINANCEIRO - TODOS OS ORÇAMENTOS SUBTITULO 70013 - TRIBUNAL

Leia mais

Câmara Municipal de Retirolândia-BA

Câmara Municipal de Retirolândia-BA Edição Nº 030/2012 007/2012 Terça-Feira Quinta-Feira 3108 de de Julho Março de 2012 de 2012 A CASA DA DEMOCRACIA Rua Joana Angélica, n.º 537 Centro CEP 48.750-000 Retirolândia/BA CNPJ 63.103.808/0001-14

Leia mais

Decreto Municipal n 5.585/2012, de 30 de março de 2012.

Decreto Municipal n 5.585/2012, de 30 de março de 2012. Decreto Municipal n 5.585/2012, de 30 de março de 2012. Institui o cronograma de execução das atividades a serem implementadas para o atendimento integral dos dispositivos constantes no Manual de Contabilidade

Leia mais

Cronograma de ações dos procedimentos contábeis patrimoniais e específicos adotados e a serem implementados até 2014

Cronograma de ações dos procedimentos contábeis patrimoniais e específicos adotados e a serem implementados até 2014 e específicos adotados e a serem implementados até 2014 O Município de Passo Fundo institui o cronograma de execução das atividades a serem implementadas para o atendimento integral dos dispositivos constantes

Leia mais

AVALIAÇÃO E MENSURAÇÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO. Michele Patricia Roncalio, Me

AVALIAÇÃO E MENSURAÇÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO. Michele Patricia Roncalio, Me AVALIAÇÃO E MENSURAÇÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO Michele Patricia Roncalio, Me Quais são os desafios ainda? Dar ênfase à Contabilidade Patrimonial. Adotar o Princípio da Evidenciação, que é fazer o registro

Leia mais

Orientações técnicas para padronização contábil das fundações e do terceiro setor

Orientações técnicas para padronização contábil das fundações e do terceiro setor As ORIENTAÇÕES TÉCNICAS CCF/CIP Ns. 001/2009 a 006/2009 foram revogadas em 13/11/2014 pelos Coordenadores do CDH e do CIP. Seus objetos passam a constituir, devidamente atualizados, as ORIENTAÇÕES TÉCNICAS

Leia mais

CIRCULAR N d) contabilização das quotas de depreciação e amortização;

CIRCULAR N d) contabilização das quotas de depreciação e amortização; CIRCULAR N 3017 Altera e consolida procedimentos contábeis a serem observados nos processos de incorporação, fusão e cisão. A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão realizada em 6 de

Leia mais

4 NORMAS DE AUDITORIA

4 NORMAS DE AUDITORIA 4.10 Quadro de normas de contabilidade/auditoria/perícia e profissional A relação abaixo foi extraída do livro eletrônico publicado pelo CFC cujo título é: Princípios Fundamentais e Normas Brasileiras

Leia mais

Índice. Introdução...7. Capítulo Introdução a Contabilidade A Importância da Contabilidade O Patrimônio...

Índice. Introdução...7. Capítulo Introdução a Contabilidade A Importância da Contabilidade O Patrimônio... Contábil - MÓDULO 1 Índice Introdução...7 Capítulo 1...9 1.1 Introdução a Contabilidade...10 1.1.1 A Importância da Contabilidade...11 1.1.2 O Patrimônio...12 1.1.3 Aspecto qualitativo e quantitativo do

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL AÇÃO SOCIAL NOSSA SENHORA APARECIDA DO MANTIQUEIRA CNPJ:

BALANÇO PATRIMONIAL AÇÃO SOCIAL NOSSA SENHORA APARECIDA DO MANTIQUEIRA CNPJ: Folha 59 BALANÇO PATRIMONIAL (Valores expressos em milhares de reais) ATIVO 2009 2008 PASSIVO 2009 2008 CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa 13 2.938 Empréstimos e financiamentos Banco 3.874 6.202 Fornecedores

Leia mais

Dersa Desenvolvimento Rodoviário S.A. Balanços patrimoniais

Dersa Desenvolvimento Rodoviário S.A. Balanços patrimoniais Balanços patrimoniais em 31 de dezembro de 2014 e 2013 Ativo Nota 2014 2013 Passivo Nota 2014 2013 (Ajustado) (Ajustado) Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 5 48.650 835 Fornecedores 10

Leia mais

Auditoria Contábil. Mapeamento e Apontamento na Matriz de Riscos e Oportunidades

Auditoria Contábil. Mapeamento e Apontamento na Matriz de Riscos e Oportunidades Auditoria Contábil Mapeamento e Apontamento na Matriz de Riscos e Oportunidades Financeiro A auditoria desta área tem como objetivo geral verificar se os controles financeiros adotados pela empresa são

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL PARA AUDITOR-FISCAL DA RFB. Prof. Marcondes Fortaleza

CONTABILIDADE GERAL PARA AUDITOR-FISCAL DA RFB. Prof. Marcondes Fortaleza CONTABILIDADE GERAL PARA AUDITOR-FISCAL DA RFB Prof. Marcondes Fortaleza Professor Marcondes Fortaleza Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil, tendo exercido anteriormente o cargo de Analista-Tributário

Leia mais

Balanço Patrimonial e Demonstração das Variações Patrimoniais

Balanço Patrimonial e Demonstração das Variações Patrimoniais Balanço Patrimonial e Demonstração das Variações Patrimoniais Leitura Básica MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO MCASP 6ª EDIÇÃO (Válido a partir do exercício de 2015) PARTE V Demonstrações

Leia mais

Exercício I Calcule a depreciação anual em cada situação abaixo.

Exercício I Calcule a depreciação anual em cada situação abaixo. Exercício I Calcule a depreciação anual em cada situação abaixo. a. Máquina adquirida por $18.000, com vida útil estimada de 15 anos e valor residual $3.000. b. Veículo adquirido por $30.000, com vida

Leia mais

EXERCICIOS SOBRE DFC. As demonstrações contábeis da Empresa Cosmos, sociedade anônima de capital aberto, em X2, eram os seguintes:

EXERCICIOS SOBRE DFC. As demonstrações contábeis da Empresa Cosmos, sociedade anônima de capital aberto, em X2, eram os seguintes: EXERCICIOS SOBRE DFC As demonstrações contábeis da Empresa Cosmos, sociedade anônima de capital aberto, em 31.12.X2, eram os seguintes: ATIVO X1 X2 PASSIVO X1 X2 Disponível 3.000 1.500 Fornecedores 54.000

Leia mais

CONTROLE DE CONTEÚDO - TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SÃO PAULO ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: CONTABILIDADE (TRE-SP AJAC)

CONTROLE DE CONTEÚDO - TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SÃO PAULO ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: CONTABILIDADE (TRE-SP AJAC) CONTROLE DE CONTEÚDO - TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SÃO PAULO ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: CONTABILIDADE (TRE-SP AJAC) 1 Ortografia oficial. GRAMÁTICA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTO DA LÍNGUA PORTUGUESA CONTEÚDO

Leia mais

Ementário das Disciplinas do Currículo do Curso de Bacharelado em Ciências Contábeis do USJ

Ementário das Disciplinas do Currículo do Curso de Bacharelado em Ciências Contábeis do USJ CONTEÚDOS CURRICULARES: Conteúdos curriculares: ementas das disciplinas/componentes curriculares considerando a adequação dos conteúdos à carga horária (em horas/ créditos), a adequação da bibliografia

Leia mais

5. Inscrição na Olimpíada Interna de Contabilidade da UnB:

5. Inscrição na Olimpíada Interna de Contabilidade da UnB: 1. Responsabilidade: Ação de Extensão 2ª Olimpíadas Internas de Contabilidade da UnB Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais A Olimpíada Internas de Contabilidade da UnB é uma realização do Departamento

Leia mais

Contabilidade CRISE. Planejamento Financeiro 25/08/2016. Escreve, oficializa É a ciência que registra os

Contabilidade CRISE. Planejamento Financeiro 25/08/2016. Escreve, oficializa É a ciência que registra os CRISE Contabilidade Escreve, oficializa É a ciência que registra os Possuem denominador financeiro comum acontecimentos verificados no patrimônio de uma entidade Conjunto de bens direitos e obrigações

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL MOVIMENTO COMUNITARIO DA SEARA CNPJ:

BALANÇO PATRIMONIAL MOVIMENTO COMUNITARIO DA SEARA CNPJ: Folha 126 BALANÇO PATRIMONIAL MOVIMENTO COMUNITARIO DA SEARA Demontrações Contabeis em 31 de Dezembro de MOVIMENTO COMUNITARIO DA SEARA Demontrações Contabeis em 31 de Dezembro de (Valores expressos em

Leia mais

31/03/ /12/ /03/ /12/2015 Caixa e Bancos Aplicações financeiras

31/03/ /12/ /03/ /12/2015 Caixa e Bancos Aplicações financeiras NOTAS EXPLICATIVAS DAS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS - ITR (Em milhares de Reais, exceto quando indicado de outra forma) 1 - CONTEXTO OPERACIONAL Bicicletas Monark S.A. ( Companhia ) tem por objetivo a industrialização

Leia mais

DECRETO N 026 de 28 de março de 2012. O Prefeito de Capão do Leão, Estado do Rio Grande do Sul no uso de suas atribuições: DECRETA

DECRETO N 026 de 28 de março de 2012. O Prefeito de Capão do Leão, Estado do Rio Grande do Sul no uso de suas atribuições: DECRETA DECRETO N 026 de 28 de março de 2012 Institui o cronograma de execução das atividades a serem implementadas para o atendimento integral dos dispositivos constantes no Manual de Contabilidade Aplicada ao

Leia mais

Cronograma de Ações para Implantação da Contabilidade Aplicada ao Setor Publica da Câmara Municipal de Pedra Preta - MT

Cronograma de Ações para Implantação da Contabilidade Aplicada ao Setor Publica da Câmara Municipal de Pedra Preta - MT Cronograma de Ações para da Contabilidade Aplicada ao Setor Publica da Câmara Municipal de Pedra Preta - MT - Considerando que a Portaria STN 828/2011 estabeleceu o prazo de até 31 de março de 2012; -

Leia mais

SUMÁRIO RAZÕES PARA A EDIÇÃO E ADOÇÃO DAS NBCASP NORMAS APROVADAS PELO CFC NORMAS INTERNACIONAIS (IPSAS) TRADUZIDAS PELO CFC/IBRACON

SUMÁRIO RAZÕES PARA A EDIÇÃO E ADOÇÃO DAS NBCASP NORMAS APROVADAS PELO CFC NORMAS INTERNACIONAIS (IPSAS) TRADUZIDAS PELO CFC/IBRACON SUMÁRIO RAZÕES PARA A EDIÇÃO E ADOÇÃO DAS NBCASP NORMAS APROVADAS PELO CFC NORMAS INTERNACIONAIS (IPSAS) TRADUZIDAS PELO CFC/IBRACON NORMAS EMITIDAS PELA STN VISANDO A CONSOLIDAÇÃO DAS CONTAS PÚBLICAS

Leia mais

TCU - Aula 03 C. Geral III

TCU - Aula 03 C. Geral III Sumário 1 TC RO Contador CESPE 2013 - Questão 051 Critérios de avaliação de ativos... 2 2 TC RO Contador CESPE 2013 - Questão 052 Critérios de Avaliação de Ativos... 2 3 TC RO Contador CESPE 2013 - Questão

Leia mais

DEPRECIAÇÃO E REAVALIAÇÃO DO ATIVO IMOBILIZADO EM BELÉM/PA

DEPRECIAÇÃO E REAVALIAÇÃO DO ATIVO IMOBILIZADO EM BELÉM/PA DEPRECIAÇÃO E REAVALIAÇÃO DO ATIVO IMOBILIZADO EM BELÉM/PA 16 Horas/Aula Realização: Incluso: LIVRO: MANUAL DE CONTROLE PATRIMONIAL NAS ENTIDADES PÚBLICAS, bolsa ecológica, apostila(manual), caneta, lápis,

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO- DVA FLUXOGRAMA 1 3 (1 2) 5 (3 4) 7 (5+6)

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO- DVA FLUXOGRAMA 1 3 (1 2) 5 (3 4) 7 (5+6) DEMONSTRAÇÃO DO VALOR - DVA FLUXOGRAMA 1 3 (1 2) 5 (3 4) 7 (5+6) VENDAS Vendas Operacionais Vendas não Operacionais PDD- Constituição/Reversão VALOR BRUTO VALOR LIQUIDO VALOR TOTAL A DISTRIBUIR 2 4 6 INSUMOS

Leia mais

Contabilidade Aplicada ao Setor Público e Procedimentos Contábeis Patrimoniais

Contabilidade Aplicada ao Setor Público e Procedimentos Contábeis Patrimoniais Contabilidade Aplicada ao Setor Público e Procedimentos Contábeis Patrimoniais 30 e 31 de Agosto Belém/PA Destaques deste Treinamento Apresentação expositiva dialogada e debates com os pro ssionais, análise

Leia mais

FUCAPE Business School Exercícios de múltipla escolha CPCs

FUCAPE Business School Exercícios de múltipla escolha CPCs FUCAPE Business School Exercícios de múltipla escolha CPCs Instruções: - responda apenas 10 perguntas desta lista. A folha com as respostas entrega deverá ser realizada ao início do próximo encontro (21

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA CURSO: ADMINISTRAÇÃO

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA CURSO: ADMINISTRAÇÃO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA CURSO: ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: EAC0111 NOÇÕES DE CONTABILIDADE PARA ADMINISTRADORES

Leia mais

Manual do sistema SMARam. Módulo Patrimônio - Básico

Manual do sistema SMARam. Módulo Patrimônio - Básico Manual do sistema SMARam Módulo Patrimônio - Básico LISTA DE FIGURAS Figura 1-Acesso ao Cadastro de Fatores de Influência... 4 Figura 2- Cadastro de Fatores de Influência... 4 Figura 3-Acesso ao Cadastro

Leia mais

CONSÓRCIOS PÚBLICOS REGULAMENTAÇÃO CONTÁBIL. Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação CCONF

CONSÓRCIOS PÚBLICOS REGULAMENTAÇÃO CONTÁBIL. Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação CCONF CONSÓRCIOS PÚBLICOS REGULAMENTAÇÃO CONTÁBIL Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação CCONF 1 Consórcios Públicos Legislação Aplicável Lei 11.107/05 Regras de direito financeiro

Leia mais

Capítulo Planejamento Orçamentário DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE ORÇAMENTO. Aspectos preliminares importantes. Planejamento orçamentário

Capítulo Planejamento Orçamentário DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE ORÇAMENTO. Aspectos preliminares importantes. Planejamento orçamentário Capítulo 16 DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE ORÇAMENTO 16.1 Planejamento Orçamentário 16.1 Planejamento orçamentário 16.2 Elaboração de quadros orçamentários 16.3 Projeções de resultados Administração Financeira:

Leia mais

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO SUBCONTROLADORIA DE INTEGRAÇÃO DE CONTROLES AUDITORIA GERAL

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO SUBCONTROLADORIA DE INTEGRAÇÃO DE CONTROLES AUDITORIA GERAL PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO SUBCONTROLADORIA DE INTEGRAÇÃO DE CONTROLES AUDITORIA GERAL ÓRGÃO/ENTIDADE: TÍTULO DO TRABALHO: Análise contábil das operações, saldos

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Município de Palmares do Sul DECRETO N.º 4643, DE 28 DE MARÇO DE 2012.

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Município de Palmares do Sul DECRETO N.º 4643, DE 28 DE MARÇO DE 2012. DECRETO N.º 4643, DE 28 DE MARÇO DE 2012. Institui o cronograma de execução das atividades a serem implementadas para o atendimento integral dos dispositivos constantes no Manual de Contabilidade Aplicada

Leia mais

PRIMEIROS IMPACTOS DAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE PARA AS SOCIEDADES COOPERATIVAS

PRIMEIROS IMPACTOS DAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE PARA AS SOCIEDADES COOPERATIVAS PRIMEIROS IMPACTOS DAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE PARA AS SOCIEDADES COOPERATIVAS A Lei 11.638, instituída em 2007, estabeleceu que as práticas contábeis no Brasil devem estar em consonância

Leia mais

CADERNO DE QUESTÕES Contas.cnt

CADERNO DE QUESTÕES Contas.cnt Contas.cnt 01. Com relação à situação patrimonial, assinale a opção INCORRETA. a) A compra de matéria-prima a prazo provoca aumento no Ativo e no Passivo. b) A integralização de capital em dinheiro provoca

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL FUNDAÇÃO GARUDA CNPJ:

BALANÇO PATRIMONIAL FUNDAÇÃO GARUDA CNPJ: Folha 28 BALANÇO PATRIMONIAL FUNDAÇÃO GARUDA Demontrações Contabeis em 31 de Dezembro de 2009 2008 FUNDAÇÃO GARUDA Demontrações Contabeis em 31 de Dezembro de (Valores expressos em milhares de reais) 2009

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil) CNPJ 47.902.648/0001-17 CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Bancos 46 Fornecedores 41.785 Aplicações Financeiras 5.541 Provisão

Leia mais

EXERCÍCIOS TEORIA DA CONTABILIDADE Prof. Valbertone Fonte CFC. RESPONDA AS QUESTÕES ABAIXO: 1 - Podemos considerar como fato permutativo a transação:

EXERCÍCIOS TEORIA DA CONTABILIDADE Prof. Valbertone Fonte CFC. RESPONDA AS QUESTÕES ABAIXO: 1 - Podemos considerar como fato permutativo a transação: RESPONDA AS QUESTÕES ABAIXO: 1 - Podemos considerar como fato permutativo a transação: a) compra de galpão para a fábrica. b) venda de mercadoria a prazo. c) pagamento de salários administrativos. d) pagamento

Leia mais

Comentários da prova SEFAZ-PE Disciplina: Contabilidade Geral Professor: Feliphe Araújo

Comentários da prova SEFAZ-PE Disciplina: Contabilidade Geral Professor: Feliphe Araújo Disciplina: Professor: Feliphe Araújo Olá amigos, Comentários da prova SEFAZ-PE ANÁLISE DA PROVA DE CONTABILIDADE GERAL - SEFAZ-PE Trago para vocês os comentários da prova da SEFAZ-PE realizado no último

Leia mais

Características. P A S S I V O Origem dos recursos aplicados no Ativo

Características. P A S S I V O Origem dos recursos aplicados no Ativo Balanço Patrimonial conteúdo - características aplicação de recursos - Ativo origem de recursos - Passivo estrutura geral estrutura do Ativo estrutura do Passivo Características Principal demonstrativo

Leia mais

Plano de Transição para Implantação da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público

Plano de Transição para Implantação da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público Plano de Transição para Implantação da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público 10º Congresso Catarinense de Secretários de Finanças, Contadores Públicos e Controladores Internos Municipais Coordenação-Geral

Leia mais

Demonstrações Contábeis Obrigatórias

Demonstrações Contábeis Obrigatórias ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NO BRASIL Demonstrações Contábeis Obrigatórias Balanço Patrimonial (BP) Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido

Leia mais

4. Apure o valor da depreciação acumulada em 31/12/20015, sendo dados:

4. Apure o valor da depreciação acumulada em 31/12/20015, sendo dados: 1. Classifique os itens abaixo em: bens, direitos ou obrigações item bens direito obrigação Empréstimos a receber Dinheiro em caixa Dinheiro depositado no banco veículos biblioteca Salários a pagar estoques

Leia mais

CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA Profª Dilci Oliveira

CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA Profª Dilci Oliveira CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA Profª Dilci Oliveira Contabilidade é a ciência que estuda, registra, controla e interpreta os fatos ocorridos no patrimônio das entidades com fins lucrativos ou não. Objetivos

Leia mais