REGULAMENTO DE ESTÁGIO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO DE ESTÁGIO"

Transcrição

1 REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Junho

2 SUMÁRIO 1 DIRETRIZES PARA O ESTÁGIO SUPERVISIONADO 2 DISPENSA DE ESTÁGIO 3 ATRIBUIÇÕES DO RESPONSÁVEL PELA ORIENTAÇÃO DE ESTÁGIO 4 PERFIL DE CONCLUSÃO DE CURSO 5 CAPTAÇÃO DE VAGAS 6 ENCAMINHAMENTO DE ALUNOS PARA ESTÁGIO 7 MATRÍCULA PARA ESTÁGIO 8 TRANSFERÊNCIA DE CONCEDENTE 9 DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO DO ESTÁGIO 10 APURAÇÃO DA CARGA HORÁRIA DE ESTÁGIO 11 RESULTADO FINAL DO ESTÁGIO 12 DISPOSIÇÕES GERAIS 13 CONTROLE DE REVISÕES

3 1 Diretrizes para o Estágio Supervisionado 1.1 Somente farão jus ao diploma de tecnólogo o aluno que realizar complementação curricular obrigatória na forma de estágio supervisionado, prevista no Regimento da Faculdade de Tecnologia, na Proposta Pedagógica e no Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em Sistemas Automotivos. 1.2 O estágio deve proporcionar a complementação do ensino e da aprendizagem e ser planejado, executado, acompanhado e avaliado em conformidade com o currículo, programa e calendário escolar a fim de se constituir em instrumento de integração em termos de treinamento prático, de aperfeiçoamento técnico-cultural, científico e de relacionamento humano. 1.3 O estágio somente poderá ser realizado por meio de empresas, órgãos, instituições e profissionais liberais de nível superior (partes concedentes) que tenham condições de proporcionar ao aluno experiência profissional em situação real de trabalho. 1.4 O estágio supervisionado deve ser realizado no prazo limite de seis anos, a contar da data da matrícula inicial. 2 Dispensa de Estágio 2.1 Nos termos do Regimento da Faculdade, o aluno que comprovar haver exercido, por dois ou mais anos, funções de competência de acordo com o perfil de conclusão do curso, na área ou em área afim, poderá ser dispensado da realização do estágio supervisionado, de acordo com a legislação vigente. 2.2 Para dispensa de estágio o aluno deverá apresentar a seguinte documentação: declaração da empresa com cargo/função e descrição de atividades, cópia da Carteira de Trabalho - págs.: foto, qualificação civil e o interessado deve preencher e encaminhar o formulário Solicitação de Dispensa de Estágio à Faculdade, anexando documentos comprobatórios do exercício das funções de contrato de trabalho - e Relatório Técnico. A comissão designada pelo Diretor realizará um exame acurado da documentação apresentada pelo interessado, podendo, quando for o caso, visitar a empresa empregadora para comprovação das informações prestadas. Após a análise dos documentos, a comissão avaliará o aluno por meio de instrumento(s) por ela definida, no sentido de detectar se os objetivos do estágio foram cumpridos. O resultado da avaliação deverá ser comunicado ao responsável pela Coordenação de Estágios que, quando deferido, dará prosseguimento ao processo. Indeferido o pedido, o aluno será orientado a realizar o estágio, de acordo com as normas legais. 3 Atribuições do Responsável pela Coordenação de Estágio Ao responsável pela Orientação de Estágio, indicado pelo Diretor, auxiliado por docentes, caberá:

4 a) Elaborar, considerando as diretrizes estabelecidas pelo Departamento Regional, e submeter ao diretor da Faculdade, para aprovação, do regulamento de estágio supervisionado articulando-se com a equipe escolar e os docentes designados pela direção escolar. b) Planejar e executar as atividades de captação de vagas e orientação, encaminhamento, supervisão e avaliação de estagiários. c) Coordenar a equipe docente para avaliação das condições para concessão de estágio d) Elaborar e manter cadastro de alunos para estágio. e) Coletar informações com empresas e estagiários, sobre reformulações que poderão ser propostas visando às alterações ou adequações na organização curricular do curso. f) Articular-se com a equipe escolar para a divulgação das informações sobre o processo supervisionado. g) Atualizar e divulgar o guia do estagiário. 4 Perfil de Conclusão de Curso Vide Proposta Pedagógica vigente. 5 Captação de Vagas Na captação de vagas, deve haver um esforço para criação de oportunidades de estágio aos alunos. Para tanto, o responsável pela Orientação de Estágios deve executar, no mínimo, as seguintes ações: a) Promover a celebração do Termo de Estágio ou Termo de Acordo de Cooperação para Estágio de Complementação Educacional, se solicitado pela concedente; b) Elaborar e manter cadastro da concedente; c) Promover contatos buscando fidelizar a parceria firmada no Termo de Cooperação com atuais concedentes e na obtenção de novos; d) Elaborar e manter cadastro de vagas; e) Divulgar as vagas existentes. 6 Encaminhamento de Alunos para Estágio O encaminhamento de alunos para estágio obedecerá aos seguintes critérios: a) Sempre que possível, a Faculdade efetivará entendimento junto às partes concedentes visando facilitar o encaminhamento de alunos para o estágio. b) Respeitadas as condições gerais estabelecidas pela Faculdade, o aluno devidamente autorizado, poderá obter vaga de estágio, desde que atendido o disposto no item 1. c) As ofertas de vagas de estágios serão divulgadas, quando autorizadas pelas concedentes, nos respectivos murais da Orientação de Estágios.

5 d) Cabe aos alunos fazer contato com a empresa para agendar entrevista e testes que se façam necessários. e) A aceitação do estagiário pela parte concedente dependerá do seu próprio processo seletivo. Os critérios de seleção estarão sob escolha e responsabilidade da concedente. 7 Matrícula para estágio 7.1 A matrícula para o estágio deverá ser efetuada junto à Orientação de Estágios. 7.2 São documentos necessários para matrícula: a) Termo de Compromisso para Estágio de Complementação Educacional, devidamente assinado pela parte concedente que oferece o estágio, pelo aluno e por último pela Faculdade. b) Proposta de Adesão Seguro de Acidentes Pessoais do /SP, devidamente assinado. c) Termo de Acordo de Cooperação, é facultativo. SITUAÇÃO Estagiários com intermediação de agente integrador. Estagiário com vínculo empregatício na empresa com área correlata ao curso, inferior a 2 (dois) anos. Estagiário com vínculo empregatício na empresa em área não correlata ao curso. Estagiário na empresa onde o aluno é proprietário. DOCUMENTOS - Termo de compromisso para Estágio. - Plano de estágio. - Proposta de Adesão Seguro de Acidentes Pessoais do SP. - Cópia da carteira profissional (págs.: fotografia, qualificação civil, contrato de trabalho). - Ofício da empresa concedendo o estágio, com período e plano de estágio. - Termo de Compromisso de Estágio. - Plano de Estágio. - Proposta de Adesão - Seguro de Acidentes Pessoais do SP. - Cópia do contrato social da empresa constando nome do aluno. - Relatório de Atividades. - Proposta de Adesão - Seguro de Acidentes Pessoais do SP.

6 8 Transferência de Concedente 8.1 O estagiário que necessitar transferir-se de uma para outra concedente deverá pedir autorização à Orientação de Estágios, justificando os motivos. 8.2 Ao pedido de transferência, quando for o caso, deveremos ser anexadas cópia da solicitação escrita de Rescisão do Termo de Compromisso. 8.3 Havendo deferimento do pedido, o estagiário deverá apresentar comprovante das horas efetivamente estagiadas, o Relatório Técnico, Avaliação de Desempenho do Estagiário pela Empresa, bem como o novo Termo de Compromisso ou Contrato de Trabalho, para dar continuidade ao seu programa de estágio. 8.4 Para períodos estagiados superiores há 6 (seis) meses deverá apresentar também o relatório de atividades. 9 Desenvolvimento e Avaliação do Estágio 9.1 O processo de supervisão de estágio será desenvolvido objetivando: a) Orientar os estagiários quanto à sua adaptação à realidade do mercado de trabalho. b) Aprofundar o relacionamento Faculdade-Concedente. c) Incentivar o estagiário quanto ao espírito de pesquisa e auto desenvolvimento. 9.2 O estagiário será supervisionado por meio de: a) Relatório de visita à concedente preenchida durante visitas ao estagiário, quando em situação real de trabalho. b) Preenchimento do formulário Avaliação de Desempenho do Estagiário pela Empresa, ao menos uma vez por semestre e durante o período de estágio. c) Entrega das partes do relatório conforme datas registradas no documento assinado pelo aluno referente a acompanhamento de estágio supervisionado. 9.3 Serão considerados satisfatórios os relatórios avaliados com nota igual ou superior a 50 (cinqüenta), em escala de 0 (zero) a 100 (cem). Caso esta nota mínima não tenha sido obtida pelo estagiário, será dada oportunidade para que ele refaça o relatório/estágio, sob orientação do Responsável pela Orientação de Estágio. 9.4 A Avaliação de Desempenho do Estagiário preenchida pela parte concedente, será expressa em nota, na escala de 0 (zero) a 100 (cem). 10 Apuração da carga horária de estágio 10.1 Só serão consideradas, no cômputo da carga horária total, as horas efetivamente estagiadas e declaradas pela parte concedente.

7 10.2 O tempo máximo para encerramento do curso superior (fase escolar e a entrega de toda documentação referente ao estágio) é de 6 (seis) anos contados a partir da data de sua primeira matrícula no curso O tempo máximo para encerramento do curso de tecnólogo (fase escolar e a entrega de toda documentação referente ao estágio) é o dobro do estabelecido no quadro de organização curricular, contados a partir da data de sua primeira matrícula no curso. 11 Resultado final do estágio Só será considerado habilitado o estagiário que: a) Comprovar a realização de, no mínimo, 400 (quatrocentas) horas de estágio. b) Obtiver nota final igual ou superior a 50 (cinqüenta) em todos os trabalhos apresentados. c) Apresentar o relatório de atividades e o relatório final de estágio no prazo referente à duração do mesmo. 12 Disposições Gerais Os casos omissos serão resolvidos pelo Diretor da Faculdade, ouvido o Responsável pela Orientação de Estágios e, se necessário, a Gerência de Educação do /SP.

8 SOLICITAÇÃO DE DISPENSA DE ESTÁGIO Nome, RG,aluno (a) regularmente matriculado(a) na turma do curso, vem requerer conforme disposto no Regulamento de estágio, que assegura a possibilidade de dispensa da realização do estágio supervisionado. Anexo a esta: São Paulo / / Declaração de exercício de funções declarada pela empresa em papel timbrado com carimbo do CNPJ. - Cópia do contrato de trabalho ou da carteira profissional. Os documentos devem ser autenticados. - Relatório de dispensa de estágio descrevendo as atividades declaradas pela empresa. (Com assinatura do representante legal da empresa reconhecida em cartório). Assinatura do (a) aluno (a) PARA USO EXCLUSIVO DA FACULDADE Parecer da comissão Deferido Indeferido Coordenação Pedagógica Coordenação Técnica Docente Data / / 113-FR-108 v00

9 13 CONTROLE DE REVISÕES REVISÃO DATA NATUREZA DA ALTERAÇÃO 20 Março / 2012 Primeira emissão 13 Maio / 2014 Revisão. 16 Junho / 2014 Revisão.

REGULAMENTO DE ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURSOS TÉCNICOS 1 SUMÁRIO 3 DIRETRIZES PARA O ESTÁGIO SUPERVISIONADO 4 ATRIBUIÇÕES DO RESPONSÁVEL PELA ORIENTAÇÃO DE ESTÁGIO 4 PERFIL DE CONCLUSÃO DE CURSO 4 CAPTAÇÃO DE VAGAS 5

Leia mais

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Faculdade de Tecnologia SENAI Suíço-Brasileira Paulo Ernesto Tolle

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Faculdade de Tecnologia SENAI Suíço-Brasileira Paulo Ernesto Tolle Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Faculdade de Tecnologia SENAI Suíço-Brasileira Paulo Ernesto Tolle Regulamento de Estágio Setembro de 2014 FACULDADE DE TECNOLOGIA

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Escola SENAI Frederico Jacob REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSOS TÉCNICOS Versão 03 1 2 Regulamento de Estágio SENAI-SP, 2009 Trabalho elaborado pela Escola SENAI Frederico Jacob para os Cursos

Leia mais

PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO. Escola SENAI Anchieta

PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO. Escola SENAI Anchieta PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO Escola SENAI Anchieta Sumário Página 01 Prática Profissional / Estágio 03 02 Da carga horária da Prática Profissional / Estágio

Leia mais

Trabalho elaborado pela Escola SENAI Antônio Ermírio de Moraes do Departamento Regional de São Paulo.

Trabalho elaborado pela Escola SENAI Antônio Ermírio de Moraes do Departamento Regional de São Paulo. Regulamento de Estágio SENAI- SP, 2013 Trabalho elaborado pela Escola SENAI Antônio Ermírio de Moraes do Departamento Regional de São Paulo. Coordenação Geral Adriano Ruiz Secco Coordenação Germano Luiz

Leia mais

ESCOLA SENAI CONDE ALEXANDRE SICILIANO

ESCOLA SENAI CONDE ALEXANDRE SICILIANO GUIA DE ESTÁGIO ESCOLA SENAI CONDE ALEXANDRE SICILIANO Área Profissional: INDÚSTRIA Habilitação: Técnico em Plástico Técnico em Eletroeletrônica ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA REALIZAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO. Faculdade de Tecnologia SENAI Anchieta

REGULAMENTO DE ESTÁGIO. Faculdade de Tecnologia SENAI Anchieta REGULAMENTO DE ESTÁGIO Faculdade de Tecnologia SENAI Anchieta Sumário Página 01 Do perfil de conclusão do curso 03 02 Do estágio supervisionado 03 03 Da matrícula no estágio 03 04 Da documentação para

Leia mais

Regulamento de Estágio. Apresentação

Regulamento de Estágio. Apresentação Apresentação Caro aluno, o período de estágio é o seu primeiro contato com a vida profissional. Você encontrará na indústria condições às vezes bem diferentes do que a escola lhe oferece. O ambiente lhe

Leia mais

FATEC-CARAPICUÍBA. Doc. 1 REGIMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

FATEC-CARAPICUÍBA. Doc. 1 REGIMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO FATEC-CARAPICUÍBA Doc. 1 REGIMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO ASTI (Jogos, Segurança, Bacharel, SI) CURSO ADS (Análise e Desenvolvimento de Sistemas) 2 1. DA NATUREZA DO ESTÁGIO 1.1 O estágio curricular

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Praia Grande São Paulo Dezembro de 2008 CAPÍTULO I DA NATUREZA Artigo 1º O presente regulamento tem como objetivo normatizar as atividades relacionadas com o estágio

Leia mais

Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado ENGENHARIA ELÉTRICA - TELECOMUNICAÇÕES

Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado ENGENHARIA ELÉTRICA - TELECOMUNICAÇÕES Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado ENGENHARIA ELÉTRICA - TELECOMUNICAÇÕES CAMPO LIMPO PAULISTA 2014 Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica - Telecomunicações

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE ENGENHARIA DE GUARATINGUETÁ

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE ENGENHARIA DE GUARATINGUETÁ UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE ENGENHARIA DE GUARATINGUETÁ REGULAMENTO DO ESTÁGIO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE ENGENHARIA DO CAMPUS DE GUARATINGUETÁ DA UNESP

Leia mais

REGIMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS CURRICULARES DE CURSOS DE GRADUAÇÃO, E DE ENSINO TÉCNICO TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS CAPÍTULO I DA NATUREZA

REGIMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS CURRICULARES DE CURSOS DE GRADUAÇÃO, E DE ENSINO TÉCNICO TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS CAPÍTULO I DA NATUREZA 1 REGIMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS CURRICULARES DE CURSOS DE GRADUAÇÃO, E DE ENSINO TÉCNICO TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º. Estas normas regulamentam os estágios dos cursos

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente instrumento dispõe sobre as normas e procedimentos a serem observados

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO PROGRAMA DE MONITORIA. CAPÍTULO I Do Conceito de Monitoria

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO PROGRAMA DE MONITORIA. CAPÍTULO I Do Conceito de Monitoria REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO PROGRAMA DE MONITORIA CAPÍTULO I Do Conceito de Monitoria Art. 1º - Entende-se por Monitoria, uma modalidade de ensino e aprendizagem que contribui para a formação integrada

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES DO ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES DO ESTÁGIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Considerando o significado e a importância do Estágio como parte fundamental da formação profissional, define-se

Leia mais

PORTARIA CE Nº 48, de 04 de novembro de 2015.

PORTARIA CE Nº 48, de 04 de novembro de 2015. PORTARIA CE Nº 48, de 04 de novembro de 2015. Regulamenta a realização de estágios dos alunos dos Cursos de Graduação do Campus de Itapeva. O Coordenador Executivo no uso de suas atribuições legais, expede

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAIMI/UNIESP

REGULAMENTO INTERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAIMI/UNIESP REGULAMENTO INTERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAIMI/UNIESP Mirassol/SP 2014 REGULAMENTO INTERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAIMI/UNIESP CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO MANTIDA PELA INSTITUIÇÃO PAULISTA DE ENSINO E CULTURA - IPEC REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO: LICENCIATURA EM PEDAGOGIA TUPÃ SP 2016 LEGISLAÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO ESTÁGIO

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

REGULAMENTO GERAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE REGULAMENTO GERAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Seção I Das Modalidades e seu desenvolvimento Art. 1º O Estágio Supervisionado constitui-se em meio para que o aluno,

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DA FACULDADE GUARAPUAVA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DA FACULDADE GUARAPUAVA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DA FACULDADE GUARAPUAVA Art. 1º. O Estágio Supervisionado é matéria constante do Currículo Pleno do Curso de Engenharia Elétrica da

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE ESTUDANTIL DO SISTEMA ACAFE CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE ESTUDANTIL DO SISTEMA ACAFE CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE ESTUDANTIL DO SISTEMA ACAFE CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Programa de Mobilidade Estudantil têm o objetivo de regular a relação de reciprocidade

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL Estágio Curricular

REGULAMENTO INSTITUCIONAL Estágio Curricular REGULAMENTO INSTITUCIONAL Estágio Curricular CAPITULO I DA DEFINIÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR E SUAS FINALIDADES Art. 1º Este regulamento tem por finalidade orientar a operacionalização do Estágio Curricular

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES OBRIGATÓRIOS E NÃO OBRIGATÓRIOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE FAMETRO

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES OBRIGATÓRIOS E NÃO OBRIGATÓRIOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE FAMETRO REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES OBRIGATÓRIOS E NÃO OBRIGATÓRIOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE FAMETRO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º O presente Regulamento fixa diretrizes e normas

Leia mais

EDITAL N. 11 /2013. Este edital entrará em vigor a partir desta data, revogando os dispositivos anteriores. Curitiba, 15 de abril de 2013

EDITAL N. 11 /2013. Este edital entrará em vigor a partir desta data, revogando os dispositivos anteriores. Curitiba, 15 de abril de 2013 GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ Reconhecida pelo Decreto Governamental n.º 70.906 de 01/08/72 e Portaria n.º 1.062

Leia mais

Regulamento de Estágio Supervisionado. Capítulo I DO ESTATUTO E SEUS OBJETIVOS

Regulamento de Estágio Supervisionado. Capítulo I DO ESTATUTO E SEUS OBJETIVOS Regulamento de Estágio Supervisionado Capítulo I DO ESTATUTO E SEUS OBJETIVOS Art 1 o. O presente Estatuto disciplina os aspectos da organização e funcionamento do Estágio Curricular Supervisionado do

Leia mais

REGULAMENTO GERAL PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO EM ADMINISTRAÇÃO NA MODALIDADE A DISTÂNCIA EAD

REGULAMENTO GERAL PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO EM ADMINISTRAÇÃO NA MODALIDADE A DISTÂNCIA EAD REGULAMENTO GERAL PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO EM ADMINISTRAÇÃO NA MODALIDADE A DISTÂNCIA EAD O presente Regulamento tem o intuito de estabelecer normas gerais para cumprimento da Lei nº.

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DELIBERAÇÃO Nº 31 /2012

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DELIBERAÇÃO Nº 31 /2012 DELIBERAÇÃO Nº 31 /2012 Autoriza a criação do Curso de Especialização em Gestão dos Processos Educativos na Escola Administração e Supervisão Escolar. O CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO,

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS DO REGULAMENTO Art. 1º Este Regulamento de Estágio visa definir procedimentos didáticopedagógicos para os

Leia mais

REGULAMENTO DO COMPONENTE: ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO

REGULAMENTO DO COMPONENTE: ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO REGULAMENTO DO COMPONENTE: ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º O componente Estágio Curricular Supervisionado em Biotecnologia éparte integrante do currículo pleno do

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E TECNOLÓGICOS DE NÍVEL SUPERIOR

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E TECNOLÓGICOS DE NÍVEL SUPERIOR REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E TECNOLÓGICOS DE NÍVEL SUPERIOR Canoas, RS 2012 CAPÍTULO I DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º - O Estágio Supervisionado dos alunos

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1 REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas O Diretor Geral Pró Tempore do Instituto Federal Catarinense Campus de Blumenau, no uso de

Leia mais

Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação

Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação da Universidade do Estado de Minas Gerais Campus de Frutal/MG

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO EM BIOTECNOLOGIA CAMPUS DE ARARAS. Normas para o Estágio Supervisionado

CURSO DE BACHARELADO EM BIOTECNOLOGIA CAMPUS DE ARARAS. Normas para o Estágio Supervisionado 1 CURSO DE BACHARELADO EM BIOTECNOLOGIA CAMPUS DE ARARAS Normas para o Estágio Supervisionado 1- Objetivos O objetivo do estágio curricular é oferecer aos alunos a experiência no campo profissional, visando

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO TÍTULO I DO ESTÁGIO E SEUS FINS

ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO TÍTULO I DO ESTÁGIO E SEUS FINS ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO TÍTULO I DO ESTÁGIO E SEUS FINS Art. 1º - O ESTÁGIO SUPERVISIONADO visa complementar a formação acadêmica e efetivar a habilitação profissional, exigida por lei, para

Leia mais

REGULAMENTO DA DISCIPLINA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ECONOMIA DOMÉSTICA/BACHARELADO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO. CAPÍTULO I Dos conceitos

REGULAMENTO DA DISCIPLINA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ECONOMIA DOMÉSTICA/BACHARELADO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO. CAPÍTULO I Dos conceitos REGULAMENTO DA DISCIPLINA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ECONOMIA DOMÉSTICA/BACHARELADO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO CAPÍTULO I Dos conceitos Art. 1º Este Regulamento normatiza o funcionamento da atividade

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM REGIMENTO DO ESTÁGIO TÍTULO I. Do Estágio

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM REGIMENTO DO ESTÁGIO TÍTULO I. Do Estágio UNVERSDADE FEDERAL DE JUZ DE FORA FACULDADE DE ENFERMAGEM Campus Universitário - Martelos - Juiz de Fora - MG - 36036-330 - Fone (032) 3229-3000 Ramais 3820/ 3821/ Tel. Fax: (0XX32) 3229-3822 - Fone (0XX32)

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL COMUNITÁRIA FORMIGUENSE FUOM CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA UNIFOR-MG

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL COMUNITÁRIA FORMIGUENSE FUOM CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA UNIFOR-MG FUNDAÇÃO EDUCACIONAL COMUNITÁRIA FORMIGUENSE FUOM CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA UNIFOR-MG REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (ATO DE APROVAÇÃO: Resolução do Reitor

Leia mais

Estágio Curricular. Profa. Dra. Tatiana Renata Garcia Coordenação de estágios

Estágio Curricular. Profa. Dra. Tatiana Renata Garcia Coordenação de estágios Estágio Curricular Profa. Dra. Tatiana Renata Garcia Coordenação de estágios Normas gerais Estágio obrigatório: é aquele definido como tal no projeto do curso, cuja carga horária é requisito para aprovação

Leia mais

ANEXO 2 NORMAS GERAIS ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECATRÔNICA

ANEXO 2 NORMAS GERAIS ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECATRÔNICA ANEXO 2 NORMAS GERAIS ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECATRÔNICA A2-121 ESTÁGIO OBRIGATÓRIO A atual Resolução CNE/CES n o 11, de 11 de março de 2002, do Conselho Nacional de Educação

Leia mais

Regulamento de Estágio para os cursos: Técnico de Eletroeletrônica Técnico de Fabricação Mecânica Técnico de Mecânica Técnico de Mecatrônica

Regulamento de Estágio para os cursos: Técnico de Eletroeletrônica Técnico de Fabricação Mecânica Técnico de Mecânica Técnico de Mecatrônica REGULAMENTO DE ESTÁGIO - versão 10 Regulamento de Estágio para os cursos: Técnico de Eletroeletrônica Técnico de Fabricação Mecânica Técnico de Mecânica Técnico de Mecatrônica UNIDADE ESCOLAR Escola SENAI

Leia mais

EDITAL Nº 04 / 2016 NPJ

EDITAL Nº 04 / 2016 NPJ EDITAL Nº 04 / 2016 NPJ A Coordenação do Núcleo de Prática Jurídica, no uso de suas atribuições regimentais, torna pública a regulamentação da VALIDAÇÃO do ESTÁGIO SUPERVISIONADO, para o ano letivo de

Leia mais

Universidade de Santo Amaro Curso de Farmácia - Regulamento de Estágios Obrigatórios

Universidade de Santo Amaro Curso de Farmácia - Regulamento de Estágios Obrigatórios Introdução O Estágio Curricular Obrigatório é uma exigência curricular para formação no Curso de Farmácia da Universidade de Santo Amaro (UNISA). As normas aqui descritas estão de acordo com a Lei Federal

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE FONOAUDIOLOGIA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE FONOAUDIOLOGIA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE FONOAUDIOLOGIA Dispõe sobre o Estágio Supervisionado do Curso de Fonoaudiologia do Centro Universitário do Cerrado-Patrocínio - UNICERP. Capítulo I - Das

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 12/2005, DE 26/09/2005.

RESOLUÇÃO Nº 12/2005, DE 26/09/2005. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MEC - CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE UBERABA-MG CONSELHO DIRETOR RESOLUÇÃO Nº 12/2005, DE 26/09/2005. Aprova o Regulamento de Estágio dos Cursos do Centro Federal de

Leia mais

SELEÇÃO. Edital DG nº ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO

SELEÇÃO. Edital DG nº ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO SELEÇÃO Edital DG nº001-2013 ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO FACULDADE INTERNACIONAL SIGNORELLI SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS PARA ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO 1 Do objeto 1.1 O presente Edital tem por objetivo a seleção

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS O Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório está organizado em duas etapas, uma no sétimo e outra

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DA FACULDADE GUARAPUAVA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DA FACULDADE GUARAPUAVA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DA FACULDADE GUARAPUAVA Art. 1º. O Estágio Supervisionado é matéria constante do Currículo Pleno do Curso de Engenharia Elétrica da

Leia mais

EDITAL CRMV-GO Nº 03 DE 28 DE NOVEMBRO DE 2016.

EDITAL CRMV-GO Nº 03 DE 28 DE NOVEMBRO DE 2016. EDITAL CRMV-GO Nº 03 DE 28 DE NOVEMBRO DE 2016. PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE ESTÁGIO DO CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO ESTADO DE GOIÁS ÁREA DE DIREITO E MEDICINA VETERINÁRIA O PRESIDENTE

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 42/2011, DE 26 DE AGOSTO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 42/2011, DE 26 DE AGOSTO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 42/2011, DE 26 DE AGOSTO DE 2011 Aprova o Regulamento de Estágio do Curso de Engenharia de Produção, na forma do Anexo. O Reitor da Fundação Universidade Regional de Blumenau FURB, no uso

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM PROCESSOS GERENCIAIS

REGULAMENTO DO ESTÁGIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM PROCESSOS GERENCIAIS REGULAMENTO DO ESTÁGIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM PROCESSOS GERENCIAIS EMENTA: Estabelece normas para o funcionamento do Estágio do Curso de Graduação Tecnológica em Processos Gerenciais. O Colegiado

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Belo Horizonte 2015 1 Prezado(a) aluno(a): Este é o Manual de Atividades Complementares do Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética do Centro Universitário

Leia mais

2

2 REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DA UNIVERSIDADE IBIRAPUERA 2 REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DA UNIVERSIDADE IBIRAPUERA CAPÍTULO I DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DELIBERAÇÃO Nº. 025/08

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DELIBERAÇÃO Nº. 025/08 DELIBERAÇÃO Nº. 025/08 Autoriza a reformulação do Curso de Especialização em Endodontia. O CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, no uso da competência que lhe atribui o parágrafo único do artigo

Leia mais

ESTÁGIO OBRIGATÓRIO:

ESTÁGIO OBRIGATÓRIO: O QUE É ESTÁGIO? Estágio é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de educando, ele faz parte do projeto pedagógico do

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI EDITAL DEF Nº 01/2017 SELEÇÃO DE MONITOR REMUNERADO DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA FLORESTAL, DA FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS, DA UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI, CAMPUS JK O

Leia mais

Estágios curriculares obrigatórios de curta duração Disciplina: Atividade Acadêmico-Profissional versão: maio 2009

Estágios curriculares obrigatórios de curta duração Disciplina: Atividade Acadêmico-Profissional versão: maio 2009 Informações Gerais Estágios curriculares obrigatórios de curta duração Disciplina: Atividade Acadêmico-Profissional versão: maio 2009 A realização de estágios curriculares (obrigatórios) e extracurriculares

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 065/2014, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 065/2014, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2014 RESOLUÇÃO Nº 065/2014, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2014 Aprova o Regulamento do Estágio Obrigatório do Curso de Engenharia Civil, da Fundação Universidade Regional de Blumenau - FURB. O Reitor da Fundação Educacional

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FARMÁCIA

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FARMÁCIA MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FARMÁCIA Belo Horizonte 2016 Presidente do Grupo Splice Antônio Roberto Beldi Reitor João Paulo Barros Beldi Secretária-Geral Jacqueline Guimarães Ribeiro

Leia mais

TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS

TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CAMPUS DE RIO PARANAÍBA COORDENAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Campus Universitário - Caixa Postal 22 - Rio Paranaíba - MG - 38810-000 REGULAMENTO N. 1, DE 8 DE AGOSTO

Leia mais

PORTARIA D.FCF/CAr. 12/2015

PORTARIA D.FCF/CAr. 12/2015 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC PORTARIA D.FCF/CAr. 12/2015 Dispõe sobre o Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso - TCC do Curso de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia da Faculdade de

Leia mais

CURSO DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO REGIMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

CURSO DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO REGIMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO REGIMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Patrocínio, junho de 2013 SUMÁRIO Título I - Disposições Preliminares... 02 Título II - Da Caracterização... 02 Capítulo I Dos

Leia mais

REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º As Atividades Complementares (AC) atendem ao Parecer n 776/97 da CES, que trata das Diretrizes Curriculares dos Cursos

Leia mais

REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º As Complementares (AC) atendem ao Parecer n 776/97 da CES, que trata das Diretrizes Curriculares dos cursos de graduação,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA ELÉTRICA, MECÂNICA E DE COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO N 02/2012

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA ELÉTRICA, MECÂNICA E DE COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO N 02/2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA ELÉTRICA, MECÂNICA E DE COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO N 02/2012 Regulamenta as atividades de Estágios Supervisionados Obrigatório e Não

Leia mais

EDITAL Nº 09, DE 28 DE MAIO DE 2013

EDITAL Nº 09, DE 28 DE MAIO DE 2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CAMPUS UNIVERSITÁRIO MINISTRO REIS VELLOSO CURSO DE FISIOTERAPIA EDITAL Nº 09, DE 28 DE MAIO DE 2013 Por delegação de competência do Magnífico Reitor

Leia mais

CENTRO DE ENSINO NOSSA SENHORA DE FÁTIMA CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE AUTÔNOMA DE DIREITO CREDENCIADA PELA PORTARIA MEC Nº. 1.

CENTRO DE ENSINO NOSSA SENHORA DE FÁTIMA CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE AUTÔNOMA DE DIREITO CREDENCIADA PELA PORTARIA MEC Nº. 1. CENTRO DE ENSINO NOSSA SENHORA DE FÁTIMA CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE AUTÔNOMA DE DIREITO CREDENCIADA PELA PORTARIA MEC Nº. 1.358 DE 04/07/2001 RESOLUÇÃO nº 003/2016, de 31 de maio de 2016. Define e

Leia mais

Manual do Estágio Supervisionado

Manual do Estágio Supervisionado IBB Ano 2015 1. APRESENTAÇÃO: A partir do 1º Semestre Letivo de 2016, os alunos em fase de conclusão do Curso de (Currículo 2013) deverão realizar o Estágio Curricular Supervisionado. O presente manual

Leia mais

Coordenação do Curso de Geografia - PCO

Coordenação do Curso de Geografia - PCO RESOLUÇÃO DO COLEGIADO DE COORDENAÇÃO DIDÁTICA DO CURSO DE GEOGRAFIA PUC MINAS EM CONTAGEM N. 01/2007 Regulamenta os estágios curriculares obrigatórios e não obrigatórios, no âmbito do Curso de Geografia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AGROALIMENTAR CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AGROALIMENTAR CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AGROALIMENTAR CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS RESOLUÇÃO CCEAL Nº 01/2010 Regulamenta o Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE SÃO PAULO CAMPUS CAPIVARI EDITAL Nº 020/2014

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE SÃO PAULO CAMPUS CAPIVARI EDITAL Nº 020/2014 EDITAL Nº 020/2014 PROCESSO SELETIVO PARA TRANSFERÊNCIA INTERNA, TRANSFERÊNCIA EXTERNA, REOPÇÃO DE CURSO E PORTADORES DE DIPLOMA DE GRADUAÇÃO PARA INGRESSO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO PARA O 2º SEMESTRE LETIVO

Leia mais

Regulamento de Estágio ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL

Regulamento de Estágio ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL Regulamento de Estágio ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL Coronel Fabriciano/ 2008 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. OBJETIVOS... 1 3. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL... 2 4. ATRIBUIÇÕES... 2 5. LOCAIS DE ESTÁGIO E

Leia mais

EDITAL PROCESSO SIMPLIFICADO DE SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIO DE NÍVEL SUPERIOR

EDITAL PROCESSO SIMPLIFICADO DE SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIO DE NÍVEL SUPERIOR EDITAL PROCESSO SIMPLIFICADO DE SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIO DE NÍVEL SUPERIOR A Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional e Infraestrutura PRODIN, do Instituto Federal da Bahia - IFBA, em atendimento ao

Leia mais

EDITAL Nº 40, DE 09 DE AGOSTO DE 2013.

EDITAL Nº 40, DE 09 DE AGOSTO DE 2013. EDITAL Nº 40, DE 09 DE AGOSTO DE 2013. ABRE PROCESSO PARA INGRESSO DIPLOMADO NOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA E NOS CURSOS TÉCNICOS NA MODALIDADE SUBSEQUENTE DO CÂMPUS RESTINGA DO IFRS O do Instituto

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA FACULDADE GUARAPUAVA. Das Disposições Preliminares

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA FACULDADE GUARAPUAVA. Das Disposições Preliminares REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA FACULDADE GUARAPUAVA Das Disposições Preliminares Art. 1º. O Estágio Supervisionado é matéria constante do Currículo Pleno do Curso

Leia mais

ANEXO V REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DO CURSO LICENCIATURA EM PEDAGOGIA À DISTÂNCIA CAPÍTULO I DA REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

ANEXO V REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DO CURSO LICENCIATURA EM PEDAGOGIA À DISTÂNCIA CAPÍTULO I DA REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS ANEXO V REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DO CURSO LICENCIATURA EM PEDAGOGIA À DISTÂNCIA CAPÍTULO I DA REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO

Leia mais

EDITAL N.º 06/2017- PROG/UEMA

EDITAL N.º 06/2017- PROG/UEMA EDITAL N.º 06/2017- PROG/UEMA A UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO UEMA, por meio da Pró-Reitoria de Graduação PROG, considerando a Lei n.º 9.608/1998, que dispõe sobre serviço voluntário e dá outras providências,

Leia mais

Leia com atenção o conteúdo deste Edital, pois a inscrição realizada implica na aceitação de todas as normas e procedimentos aqui descritos.

Leia com atenção o conteúdo deste Edital, pois a inscrição realizada implica na aceitação de todas as normas e procedimentos aqui descritos. PROCESSO DE SELEÇÃO PARA MATRÍCULA ESPECIAL DA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI CIMATEC DESTINADO A: PORTADORES DE DIPLOMAS, TRANSFERÊNCIA INTERNA E TRANSFERÊNCIA EXTERNA. O Diretor de Tecnologia e Inovação

Leia mais

CAPÍTULO I DO CURSO TÉCNICO

CAPÍTULO I DO CURSO TÉCNICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PESQUISAS HIDRÁULICAS CURSO TÉCNICO DE HIDROLOGIA REGIMENTO 1 DO CURSO TÉCNICO DE HIDROLOGIA Aprovado pelo Conselho da Unidade do Instituto de Pesquisas

Leia mais

EDITAL N 001/2015 ENFERMAGEM PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO

EDITAL N 001/2015 ENFERMAGEM PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS CÂMPUS DE PALMAS CURSO DE ENFERMAGEM Av. NS 15, ALCNO 14, Bloco IV, 109 Norte Palmas/TO (63) 3232-8318 www.uft.edu.br enfermagem@uft.edu.br EDITAL N 001/2015 ENFERMAGEM

Leia mais

PORTARIA DO DIRETOR DA FACULDADE DE MEDICINA n 236 de 10 de maio de 2010

PORTARIA DO DIRETOR DA FACULDADE DE MEDICINA n 236 de 10 de maio de 2010 PORTARIA DO DIRETOR DA FACULDADE DE MEDICINA n 236 de 10 de maio de 2010 REGULAMENTA A CONCESSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO REMUNERADO A ESTUDANTES DE INSTITUIÇÕES NACIONAIS DE ENSINO NA FACULDADE DE MEDICINA

Leia mais

RESOLUÇÃO CEPE Nº 021, DE 19 DE JULHO DE 2016.

RESOLUÇÃO CEPE Nº 021, DE 19 DE JULHO DE 2016. RESOLUÇÃO CEPE Nº 021, DE 19 DE JULHO DE 2016. APROVA REGULAMENTO DO ESTÁGIO DE DOCÊNCIA DE DISCENTES DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU, DA UEPG. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, no uso

Leia mais

Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação FACULDADE DE MEDICINA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO DIRETORIA GERAL

Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação FACULDADE DE MEDICINA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO DIRETORIA GERAL Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação FACULDADE DE MEDICINA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO DIRETORIA GERAL Portaria Famerp 002, de 05-01-2015 O Diretor Geral em Exercício da Faculdade de

Leia mais

Resolução nº. 002, de 06 de agosto de 2012.

Resolução nº. 002, de 06 de agosto de 2012. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI - UFSJ NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NEAD DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS E CONTÁBEIS DECAC COORDENAÇÃO DO CURSO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Resolução nº. 002,

Leia mais

EDITAL n.º 01 de 03/07/2014

EDITAL n.º 01 de 03/07/2014 EDITAL n.º 01 de 03/07/2014 A Escola Técnica Estadual de Francisco Morato, município de Francisco Morato, atendendo o disposto no 2.º do Artigo 61 do Regimento Comum das Escolas Técnicas Estaduais do Centro

Leia mais

EDITAL Nº 475, DE 03 DE AGOSTO DE 2016

EDITAL Nº 475, DE 03 DE AGOSTO DE 2016 EDITAL Nº 475, DE 03 DE AGOSTO DE 2016 O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), por meio de sua Pró-reitoria de Extensão (PRX), tendo em vista o estabelecido na Portaria

Leia mais

RESOLUÇÃO TGT Nº 04/2015

RESOLUÇÃO TGT Nº 04/2015 ANO XLV N. 078 26/05/2015 SEÇÃO II PÁG. 028 RESOLUÇÃO TGT Nº 04/2015 Niterói, 06 de maio de 2015 O Colegiado do Curso de Graduação em Engenharia de Telecomunicações, em reunião ordinária de 06/05/2015,

Leia mais

UNIABEU CENTRO UNIVERSITÁRIO EDITAL DE 28 DE MARÇO DE 2013 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO POR TRANSFERÊNCIA EXTERNA

UNIABEU CENTRO UNIVERSITÁRIO EDITAL DE 28 DE MARÇO DE 2013 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO POR TRANSFERÊNCIA EXTERNA UNIABEU CENTRO UNIVERSITÁRIO EDITAL DE 28 DE MARÇO DE 2013 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO POR TRANSFERÊNCIA EXTERNA 2013-2 O Reitor do UNIABEU Centro Universitário, no uso de suas atribuições

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA MANUAL DE ESTÁGIOS

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA MANUAL DE ESTÁGIOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA MANUAL DE ESTÁGIOS Ilha Solteira SP 2015 APRESENTAÇÃO O presente manual foi elaborado pela Comissão de Estágios do Curso de Engenharia Elétrica (CECEE) e aprovado

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO (cursos presenciais e à distância)

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO (cursos presenciais e à distância) FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DE CACOAL DIREÇÃO ACADÊMICA REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO (cursos presenciais e à distância) CACOAL 2015 CAPÍTULO I DO CONCEITO, FINALIDADE

Leia mais

PRÓ-REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE ESTÁGIOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - BACHARELADOS DO UNILASALLE NORMAS DE FUNCIONAMENTO

PRÓ-REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE ESTÁGIOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - BACHARELADOS DO UNILASALLE NORMAS DE FUNCIONAMENTO PRÓ-REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE ESTÁGIOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - BACHARELADOS DO UNILASALLE NORMAS DE FUNCIONAMENTO Disciplinas de Estágio Supervisionado Art. 1º De acordo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL- REI DIVISÃO DE ENSINO COORDENADORIA DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Resolução nº. 001, de 24 de janeiro de 2005.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL- REI DIVISÃO DE ENSINO COORDENADORIA DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Resolução nº. 001, de 24 de janeiro de 2005. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL- REI DIVISÃO DE ENSINO COORDENADORIA DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Resolução nº. 001, de 24 de janeiro de 2005. Estabelece Equivalência para a Disciplina Estágio Curricular

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE TRANSFERÊNCIAS

CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE TRANSFERÊNCIAS 1 - Para a inscrição no processo seletivo transferência é cobrada alguma taxa? Resposta: Sim. Atualmente o valor da taxa de inscrição para o processo seletivo de transferência é de R$ 20,00 (vinte Reais).

Leia mais

1. CARACTERÍSTICAS GERAIS E OBJETIVOS:

1. CARACTERÍSTICAS GERAIS E OBJETIVOS: Regulamento para inscrição e execução do Trabalho Final de Curso (TF) a ser desenvolvido no ano de 2017, do curso de Licenciatura em Ciências da Natureza da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ROBERTO MANGE

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ROBERTO MANGE FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ROBERTO MANGE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO DO OBJETIVO Art. 1.º Os cursos de pós-graduação lato sensu do SENAI de São Paulo, obedecem o que dispõe a Resolução CNE/CES

Leia mais

Art. 1º Aprovar a nova política do Estágio Curricular Supervisionado na UNIVILLE, estabelecendo as diretrizes para sua regulamentação.

Art. 1º Aprovar a nova política do Estágio Curricular Supervisionado na UNIVILLE, estabelecendo as diretrizes para sua regulamentação. UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE - UNIVILLE CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 11/01 Aprova diretrizes para regulamentação dos Estágios Curriculares Supervisionados. A Presidente do

Leia mais

EDITAL Nº 01/2017. II. ter currículo atualizado na Plataforma Lattes do CNPq ou, se estrangeiro, currículo com histórico de trabalhos científicos;

EDITAL Nº 01/2017. II. ter currículo atualizado na Plataforma Lattes do CNPq ou, se estrangeiro, currículo com histórico de trabalhos científicos; EDITAL Nº 01/2017 PROCESSO DE SELEÇÃO DE BENEFICIÁRIO DE BOLSA PNPD/CAPES DE PÓS- DOUTORADO NO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA DA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Faço saber aos

Leia mais

EDITAL FATEC SÃO ROQUE Nº 01/2014 DE 12 DE MAIO DE 2014

EDITAL FATEC SÃO ROQUE Nº 01/2014 DE 12 DE MAIO DE 2014 EDITAL FATEC SÃO ROQUE Nº 01/2014 DE 12 DE MAIO DE 2014 O Diretor da Faculdade de Tecnologia de São Roque no uso de suas atribuições legais torna público que estão abertas as inscrições para participação

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE ESTÁGIOS CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

REGULAMENTO INTERNO DE ESTÁGIOS CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO SÓCIOECONÔMICO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS COORDENADORIA DE ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS REGULAMENTO INTERNO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Escola de Engenharia Civil RESOLUÇÃO N 01/2008

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Escola de Engenharia Civil RESOLUÇÃO N 01/2008 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Escola de Engenharia Civil RESOLUÇÃO N 01/2008 Regulamenta as atividades de Estágio Curricular Obrigatório e Não-obrigatório do Curso de Graduação da Escola de Engenharia

Leia mais