TECTÔNICA DE PLACAS. Ajuste Geométrico dos Continentes. eologia e Paleontologia Combinadas em Lados Opostos do Atlantico

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TECTÔNICA DE PLACAS. Ajuste Geométrico dos Continentes. eologia e Paleontologia Combinadas em Lados Opostos do Atlantico"

Transcrição

1

2 TECTÔNICA DE PLACAS Podemos simplificar três hipóteses, que deram origem efetivamente, a Teoria da Tectônica de Placas: Primeira hipótese: Deriva Continental: Em 1915 Wegener ao publicar o livro Origin of Continentes and Oceans, supôs que os continentes migram uns em relação aos outros, baseado em informações como: paleoclima: reconstrução de antigas zonas climáticas; ajuste geométrico das margens dos continentes; correspondência estratigráfica, litológica e estrutural. Ajuste Geométrico dos Continentes eologia e Paleontologia Combinadas em Lados Opostos do Atlantico

3 WEGENER PARTIU DA HIPÓTESE DE QUE EXISTIA UM ÚNICO CONTINENTE, DENOMINADO PANGÉIA. ONDE HÁ 200 MILHÕES DE ANOS, NO INÍCIO DA ERA MESOZÓICA, O PLANETA TERRA COMEÇOU A SE FRAGMENTAR E CONSEQUENTEMENTE FORMAR OS CONTINENTES COM AS DISPOSIÇÕES ATUAIS.

4 A FRAGMENTAÇÃO DO PANGÉIA OCORREU NO INÍCIO DA ERA MESOZÓICA.

5 O PANGÉIA, AO SE FRAGMENTAR, FORMA DOIS SUPER CONTINENTES: GONDWANA, AO SUL E, LAURÁSIA AO NORTE.

6 DO GONDWANA E DA LAURÁSIA SURGIRAM OS CONTINENTES ATUAIS.

7 NO FINAL DO MESOZÓICO SURGEM A FORMAÇÃO DO ATLÂNTICO E A ÍNDIA COMEÇA O SEU DESLOCAMENTO PARA O NORTE.

8 NO INÍCIO DO PERÍODO TERCIÁRIO COMEÇA A FORMAÇÃO DAS ATUAIS CADEIAS MONTANHOSAS.

9 EM MEADOS DO TERCIÁRIO SURGE A AMÉRICA CENTRAL E O MAR MEDITERRÂNEO COMEÇA A SE ESTREITAR.

10 ASSIM É A CONFIGURAÇÃO CONTINENTAL ATUAL, PORÉM INSTÁVEL E EM DERIVA.

11 POSIÇÃO DOS CONTINENTES DAQUI A 150 MILHÕES DE ANOS.

12 POSIÇÃO DOS CONTINENTES DAQUI A 250 MILHÕES DE ANOS.

13 Segunda hipótese: Expansão do Fundo Oceânico e as Anomalias Magnéticas: Batimetria do fundo oceânico realizadas para a 2ª Guerra Mundial revelaram ausência de rochas oceânicas antigas e pouca espessura dos sedimentos no assoalho oceânico. J.Tuzo Wilson (1965), comprovou a hipótese da expansão do assoalho oceânico, e propôs um ciclo denominado de Ciclo de Wilson. F.J. Vine e D.H. Matthews (1963 ) Elaboraram um modelo que explica a alternância de polaridade que fica impressa na crosta oceânica como um gravador conforme ocorre a expansão do fundo oceânico, produzindo anomalias em bandas paralelas ao centro de emissão. Indicação da inversão magnética

14 Idade da Crosta Oceânica

15 Terceira hipótese: Distribuição dos Hipocentros e Zonas de Sismos: As pesquisas sismológicas ao longe do tempo descobriram a concentração dos epicentros e sismos naturais nas placas litosféricas. A distribuição dos epicentros define os limites das placas. Distribuição mundial de epicentros de sismos com magnitude 5,0 na escala Richter no periodo entre 1964 e 1995.

16 TECTÔNICA DE PLACAS É a teoria que estuda Astenosfera e descreve os movimentos Litosfera em grandes escalas que ocorrem na Litosfera terrestre. Litosfera inclui a crosta e a parte mais externa do manto; Astenosfera corresponde a parte mais interior e viscosa do manto. A litosfera encontra-se fragmentada em várias placas tectônicas que se deslocam sobre a astenosfera.

17 PLACAS TECTÔNICAS As Placas Tectônicas podem ser compostas por crosta oceânica e continental ou apenas por um tipo único de crosta;

18 ESTRUTURA INTERNA DA TERRA A crosta terrestre é camada exterior mas fina do planeta, constituída pela crosta continental e oceânica. O manto é a camada que se segue a crosta e é dividido em manto inferior e superior. Núcleo formado por núcleo externo e interno. Estrutura interna da Terra: em camadas concêntricas, obtido a partir das velocidades das ondas sísmicas.

19 LIMITES DE PLACAS TECTÔNICAS Divergentes formação de nova crosta oceânica. Convergentes a placa mais densa mergulha sob a outra. Transformates movimento lateral, sem destruição.

20 Convergente - as placas movem se uma em direção a outra, provocando choques que originam tremores, podem ocorrer zonas de subducção, nas quais uma mergulha sob a outra, gerando a formação de cadeias de montanhas como a Cadeia do Andes e dos Alpes; ou ainda nas colisões continentais, formando grandes sistemas de cadeias de montanhas, como a Cadeia do Himalaia. Divergentes - ocorre a movimentação das placas em direções opostas, nestas regiões há formação de novas rochas litosféricas que empurram as antigas, em processo denominado de expansão do assoalho oceânico, estes locais são chamados Dorsais meso-oceânicas pois também formam cadeias montanhosas no fundo dos oceanos. Transformante - na qual duas porções de uma mesma placa movimentam-se com velocidades diferentes, ocasionando uma falha, como a Falha de San Andreas, na California.

21 ÁREAS INSTÁVEIS COM TERREMOTOS NOS CONTATOS ENTRE PLACAS TECTÔNICAS.

22 Pode-se observar, que as montanhas têm origem como consequência do movimento convergente.

23 A formação da Península do Sinai está ligada ao movimento divergente entre placas.

24 A Falha de Santo André, localizada no contato entre as placas Juan de Fuca e Norte-americana, é o principal exemplo de movimento tangencial ou transformante.

25 AS MAIORES AÇÕES VULCÂNICAS DA TERRA OCORREM NO CINTURÃO DO FOGO DO PACÍFICO.

26 Conforme a placa se afasta da cadeia meso-oceânica ela se torna mas fria e densa, com isso a placa tende a ser puxada para o interior do manto em direção Motor = Convecção do manto; MOTOR DAS PLACAS TECTÔNICAS Energia vem do calor interno da terra; As placas tectônicas são empurradas para os lados pela criação de nova litosfera nas cadeias mesooceânicas;

27 ROCHAS: Corpo sólido, natural, resultante de um processo geológico determinado, formado por agregados de um ou mais minerais, arranjados segundo as condições detemperatura e pressão existentes durante sua formação.

28 Quanto a gênese, as rochas formam três grandes grupos:

29

30 Rochas ígneas ou magmáticas: formam-se pelo resfriamento e conseqüente solidificação de material rochoso fundido (magma = rochas ígneas, sedimentares ou metamórficas fundidas).

31 ROCHAS MAGMÁTICAS OU ÍGNEAS Resultam do arrefecimento e solidificação do magma ROCHAS PLUTÓNICAS OU INTRUSIVAS Consolidação do magma ocorre em profundidade, no interior da Terra ROCHAS VULCÂNICAS OU EXTRUSIVAS Consolidação ocorre à superfície terrestre depois do magma ascender do interior

32 MAGMA -Mistura de material rochoso (silicatos) fundido com uma % variável de gases dissolvidos -Forma-se a elevada temperatura e pressão -Por vezes possui algumas substâncias sólidas o que é explicado pelas diferentes temperaturas de fusão e consolidação dos seus constituintes Aparelho vulcânico vulgar

33 ORIGEM DO MAGMA Fusão das rochas da crosta e manto superior Ascensão devido a menor densidade Formação de câmaras magmáticas a menores profundidades Ascensão do magma Aumento de pressão na câmara magmática Erupção vulcânica LAVA à superfície

34 AMBIENTES TECTÓNICOS DE FORMAÇÃO DE MAGMAS

35

36 FORMAÇÃO DE MAGMAS OCORRE EM: ZONAS DE AFASTAMENTO DE PLACAS (limites divergentes) vulcanismo de vale de rifte ou das dorsais ZONAS DE COLISÃO DE PLACAS (limites convergentes) vulcanismo de subducção ZONAS INTRAPLACAS vulcanismo dos pontos quentes ( hot spots )

37 Classificação dos magmas BASÁLTICO ANDESÍTICO RIOLÍTICO SiO 2 < 52% Pobre em sílica Básico Temperatura alta 1000º ºC Pouco viscoso 52% < SiO 2 < 65% Composição intermédia Temperatura média 800º ºC Viscosidade intermédia SiO 2 > 65% Rico em sílica Ácido Temperatura baixa 600º - 800ºC Alta viscosidade Pobre em gases Intermédio Rico em gases

38 O magma é uma mistura complexa de silicatos e ao solidificar forma diferentes associações de minerais. Como a cristalização destes minerais ocorre a temperaturas diferentes, durante o processo de solidificação formam-se diferentes associações de cristais e um magma residual (cuja composição vai variando) Existe DIFERENCIAÇÃO MAGMÁTICA por CRISTALIZAÇÃO FRACCIONADA (realizada em tempos diferentes)

39 BOWEN investigou a formação de cristais e a ordem pela qual eles cristalizam em magmas em arrefecimento (esses magmas vão variando a sua composição) estabeleceu a sequência de reacções que ocorrem no magma durante a diferenciação SÉRIE REACCIONAL DE BOWEN -Série de reacção descontínua ou dos minerais ferromagnesianos -Série de reacção contínua ou das plagioclases

40

41 SEPARAÇÃO DOS CRISTAIS DO MAGMA Durante a consolidação o líquido pode ser separado dos cristais formados e dar origem a rochas com composição mineralógica diferente

42 MAGMA BASÁLTICO -origina-se a partir da fusão parcial das rochas do manto (astenosfera) PERIDOTITO - a fusão de minerais ferromagnesianos do peridotito, devido à diminuição de P quando ascende, leva à formação de um magma basáltico

43 Derrame basáltico

44 MAGMA BASÁLTICO -Por ser menos denso, ascende à superfície nas zonas de: riftes ascensão de magma basáltico em zonas de divergência de placas litosféricas para formar nova crosta pontos quentes zonas no interior das placas onde ascendem plumas térmicas oriundas do manto profundo. Quando a pluma atinge a litosfera diverge formando bolsas magmáticas que expelem magma

45 BASALTOS E GABROS - Se o magma proveniente do manto se acumular em câmaras magmáticas próximas da superfície e aí consolidar formam-se rochas plutónicas GABROS - Se o velocidade de ascensão for superior à velocidade de arrefecimento, o magma pode chegar à superfície e só aí consolidar formando-se rochas vulcânicas - BASALTOS

46 MAGMA ANDESÍTICO -Formado em zonas de subdução de uma placa oceânica sob uma placa continental - a placa oceânica (mais densa) afunda e transporta com ela água e sedimentos - os sedimentos arrastados contém também geralmente água retida nos poros - a água ao aprofundar vai ser aquecida facilitando a fusão dos materiais, originando-se magma

47 MAGMA ANDESÍTICO

48 ANDESITOS E DIORITOS Se o magma consolidar no interior da Terra forma-se uma rocha plutónica DIORITO Se o magma consolidar à superfície ou perto dela forma-se uma rocha vulcânica - ANDESITO

49 MAGMA RIOLÍTICO -origina-se a partir da fusão parcial de rochas da crosta continental, quando da colisão entre duas placas continentais - quando 2 placas continentais colidem verifica-se o cavalgamento de um sobre outra formando-se cadeias montanhosas - o forte atrito aumenta a P e T provocando fusão parcial das rochas continentais

50 RIOLITO E GRANITO Se a consolidação desse magma ocorrer em profundidade forma-se uma rocha plutónica GRANITO (Os granitos constituem a base das cadeias montanhosas que mais tarde podem ser postas a descoberto pela erosão. Admite-se que a crosta continental é basicamente constituída por granito.) Se a consolidação ocorrer à superfície terrestre forma-se uma rocha vulcânica - RIOLITO

51 FORMAS DE OCORRÊNCIA DAS ROCHAS ÍGNEAS: - As principais formas de ocorrência das rochas ígneas na crosta terrestre são: Batólito = massa ígnea plutônica de grande volume (> 100km² de afloramento); corpo irregular e topo dômico. Stock = massa ígnea plutônica de volume menor (< 100km²). Dique = forma-se preenchendo fraturas, com larguras centimétricas a centenas de metros. Sill = corpo ígneo de forma tabular, preenchendo planos de estratificação de depósitos sedimentares.

52 Rochas ígneas apresentam, em geral, melhor comportamento geomecânico do que as rochas sedimentares ou metamórficas. Rochas plutônias, em geral, tem resistências mecânicas altas devido à relativa homogeneidade dos corpos rochosos, forte coesão dos constituintes minerais (textura) e granulação mais grossa. Rochas vulcânicas compactas apresentam maiores resistências mecânicas que as plutônicas, porém, a presença de vesículas ou amígdalas, bem como de disjunções colunares, tendem a diminuí-las. Rocha com amígdalas Basalto vesicular Disjunção colunar

53 CARACTERÍSTICAS DAS ROCHAS MAGMÁTICAS

54 Classificação das Rochas Ígneas As rochas ígneas são classificadas com base nos volumes modais de seus minerais essenciais, como o quartzo, feldspatos e minerais ferromagnesianos. Olivina: (Mg, Fe)2SiO4 A classificação química utilizada em especial para rochas vulcânicas, está baseada no conteúdo de sílica, incorporado na estrutura dos minerais.

55

56 GRANITOS - Rochas ácidas, plutônicas, de cores rosa e avermelhada quando predomina feldspato potássico, e cinza quando predominam os plagioclásios - Comercialmente a denominação granito é utilizada para qualquer rocha plutônica - Constituição mineralógica: quartzo (20-30%); feldspatos (50-70%); minerais ferromagnesianos, principalmente a biotita e/ou hornblenda (5-25%). Minerais acessórios: magnetita, titanita, zircão, apatita e granada.

57 GRANODIORITO Parentes dos granitos com larga predominância de plagioclásio (65-90%)

58 RIOLITOS - Equivalente extrusivo dos granitos

59 DIORITOS Rocha ígnea, intermediária, composta essencialmente por plagioclásio sódicocálcico e minerias máficos como biotita, hornblenda e/piroxênio

60 SIENITOS - Rochas plutônicas, intermediárias, com alto conteúdo de álcalis (K e Na). São faneríticas, granulares, compostas essencialmente por feldspato potássico e no máximo 10% de quartzo.

61 TEXTURAS Rocha ígnea plutônica (granito) com textura porfirítica (cristais grandes em uma matriz mais fina). Os cristais de coloração branca são feldspatos potássicos. A rocha é composta por megacristais de feldspatos potássicos e matriz composta por plagioclásio, feldspato potássico, quartzo, biotita e anfibólio. Textura inequigranular, porfirítica com megacristais poiquilíticos de microclina

62 ESTRUTURAS E TEXTURAS DAS ROCHAS ÍGNEAS: - Estrutura : feições arquitetônicas do corpo rochoso, melhor observáveis no campo. - Textura: aspectos meso e microscópicos, tais como tamanho de cristais, grau de cristalização e outros. Estrutura maciça: minerais não apresentam orientações preferenciais; apresenta aspecto compacto.

63 Estrutura colunar: prismas colunares devido contração de resfriamento

64 FEIÇÕES MACROSCÓPICAS DE INTRESSE DA GEOLOGIA DE ENGENHARIA: -Descontinuidades: estruturas geológicas que podem instabilizar um maciço rochoso quando submetido a uma carga. Ex: juntas, falhas, fraturas, fissuras; acamamentos e foliações Acamamento Fraturas ou fendas: as paredes se mostram separadas Falhas: há deslocamento no plano de fratura

65 FEIÇÕES MICROSCÓPICAS DE INTRESSE DA GEOLOGIA DE ENGENHARIA: - Determinação e quantificação dos minerais, suas inter-relações, descrição de padrões de alteração, deformações, etc. Minerais primários da rocha = minerais essenciais + minerais acessórios. Minerais secundários da rocha = gerados a partir de modificações dos minerais primários, principalmente por processos intempéricos argilominerais e hidróxidos de ferro e alumínio. Importância: rocha de enrocamento que será submetido a ciclos de saturação e secagem. Quanto maior a presença de minerais secundários, menos estável física e quimicamente é a rocha. A quantificação de minerais secundários fornece o grau de alteração da rocha.

66 FEIÇÕES MACROSCÓPICAS DE INTRESSE DA GEOLOGIA DE ENGENHARIA: -Descontinuidades: estruturas geológicas que podem instabilizar um maciço rochoso quando submetido a uma carga. Ex: juntas, falhas, fraturas, fissuras; acamamentos e foliações Acamamento Fraturas ou fendas: as paredes se mostram separadas Falhas: há deslocamento no plano de fratura

67 CLASSIFICAÇÃO PETROGRÁFICA: - Obtida com base na sua mineralogia, arranjo textural e granulometria, cada qual com maior importância relativa conforme o tipo de rocha. O conjunto destes parâmetros define o comportamento mecânico das rochas.

68

69

70

71 FEIÇÕES MICROSCÓPICAS DE INTRESSE DA GEOLOGIA DE ENGENHARIA: Minerais deletérios= são minerais que podem provocar efeitos prejudiciais quando da sua aplicação, como em agregado para concreto. Ex: a opala pode reagir com os álcalis do concreto, causando danos às estruturas civis. Textura= é o arranjo microscópico dos minerais. As propriedades mecânicas dependem, em parte, da textura, que reflete o grau de coesão da rocha. Granulometria = refere-se ao tamanho dos grãos. É um dos critérios de classificação das rochas sedimentares. Nas rochas ígneas, a granulação diferencia macroscopicamente as rochas vulcânicas (mais finas) e plutônicas (mais grossas); Microestruturas= são estruturas de dimensões microscópicas (microfraturas, microfalhas, microdobras, etc) que também são determinantes para a maior ou menor resistência mecânica das rochas.

72 Maiores quantidades de quartzo aumentam a resistência mecânica da rocha, mas por outro lado aumentam a sua abrasividade, o que leva a um maior desgaste de equipamentos (britadores, serras diamantadas, etc).

73 Resumindo

74 Questionário O que são placas tectônicas? Explique os limites convergentes, transformantes e divergentes. O que são rochas Ígneas? Diferencie as rochas plutônicas das vulcânicas. Dê exemplos. A que se deve a variação de cores nas rochas Ígneas? Classifique as rochas ígneas utilizando o diagrama QAP Quartzo: 40% K-Feldspato: 35% Plagioclásio: 15% Biotita: 10% Quartzo: 10% K-Feldspato: 55% Plagioclásio: 35% Quartzo: 20% K-Feldspato: 20% Plagioclásio: 50% Biotita: 5% Piroxênio: 5%

ROCHAS ÍGNEAS ENG1202-LABORATÓRIO DE GEOLOGIA. Prof. Patrício Pires 20/03/2012

ROCHAS ÍGNEAS ENG1202-LABORATÓRIO DE GEOLOGIA. Prof. Patrício Pires 20/03/2012 ROCHAS ÍGNEAS ENG1202-LABORATÓRIO DE GEOLOGIA 20/03/2012 Prof. Patrício Pires patricio.pires@gmail.com Rochas Magmáticas O que é uma Rocha Magmática? O que acontece durante o arrefecimento e cristalização

Leia mais

Magmas e formação de rochas ígneas

Magmas e formação de rochas ígneas Magmas e formação de rochas ígneas O que é um magma? Um fundido (geralmente silicatado) + cristais + gases (H 2 O, CO 2 SO 2, Cl, F, etc ), que é gerado no interior da Terra, provido de mobilidade. Quando

Leia mais

AMBIENTES MAGMÁTICOS

AMBIENTES MAGMÁTICOS AMBIENTES MAGMÁTICOS DEFINIÇÃO DE MAGMA É uma mistura de compostos sólidos, líquidos e gasosos. Com o arrefecimento, os elementos químicos associam-se em cristais. A temperatura do magma ronda valores

Leia mais

GEOLOGIA GERAL GEOGRAFIA

GEOLOGIA GERAL GEOGRAFIA GEOLOGIA GERAL GEOGRAFIA Segunda 18 às 20h Quarta 20 às 22h museu IC II Aula 5 Rochas Ígneas Turma: 2016/01 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com Minerais Rochas Rochas são agregados naturais

Leia mais

A cristalização desses minerais ocorre a temperaturas diferentes dados serem diferentes os seus pontos de SOLIDIFICAÇÃO

A cristalização desses minerais ocorre a temperaturas diferentes dados serem diferentes os seus pontos de SOLIDIFICAÇÃO O magma é uma mistura complexa de vários tipos de substâncias minerais A cristalização desses minerais ocorre a temperaturas diferentes dados serem diferentes os seus pontos de SOLIDIFICAÇÃO Com o arrefecimento,

Leia mais

Introdução. Importância - 70 % das rochas da crosta terrestre são formadas a partir de magma

Introdução. Importância - 70 % das rochas da crosta terrestre são formadas a partir de magma MAGMATISMO Introdução Importância - 70 % das rochas da crosta terrestre são formadas a partir de magma Definições Rochas ígneas = rochas formadas através da cristalização de magma Magma rocha fundida termo

Leia mais

Ficha (In)Formativa Nº 2 Biologia e Geologia Módulo 6

Ficha (In)Formativa Nº 2 Biologia e Geologia Módulo 6 Ficha (In)Formativa Nº 2 Biologia e Geologia Módulo 6 Rochas magmáticas ou ígneas As rochas ígneas ou magmáticas formam-se por solidificação e cristalização a partir de um magma. O magma resulta da fusão

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E ENGENHARIAS DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO VEGETAL. DPV 053 Geologia e Pedologia

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E ENGENHARIAS DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO VEGETAL. DPV 053 Geologia e Pedologia UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E ENGENHARIAS DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO VEGETAL DPV 053 Geologia e Pedologia Rochas Ígneas Alegre - ES 2017 ROCHAS ÍGNEAS Etnologia termo

Leia mais

Estrutura da Terra e Tectônica de Placas

Estrutura da Terra e Tectônica de Placas Estrutura da Terra e Tectônica de Placas Terremoto Japão março 2011 Tsunami Japão março 2011 Decifrando a Terra Teixeira, Toledo, Fairchild & Taioli Ed.Oficina de Textos Para Entender a Terra Press, Siever,

Leia mais

AGG00209 INTRODUÇÃO A PETROFÍSICA QUESTIONÁRIO 1 MINERAIS E ROCHAS

AGG00209 INTRODUÇÃO A PETROFÍSICA QUESTIONÁRIO 1 MINERAIS E ROCHAS AGG00209 INTRODUÇÃO A PETROFÍSICA QUESTIONÁRIO 1 MINERAIS E ROCHAS 1) Qual das sentenças abaixo é verdadeira? a) Os minerais originam-se e são destruídos por reações químicas. b) A maior parte dos minerais

Leia mais

LITOSFERA SIMA SIAL. Litosfera (crosta): camada rochosa da Terra (até 70 km de profundidade).

LITOSFERA SIMA SIAL. Litosfera (crosta): camada rochosa da Terra (até 70 km de profundidade). ESTRUTURA GEOLÓGICA ESTRUTURA DA TERRA LITOSFERA SIMA SIAL Litosfera (crosta): camada rochosa da Terra (até 70 km de profundidade). DESCONTINUIDADE DE MOHOROVICIC Limite entre a Litosfera e o manto MANTO

Leia mais

Resultam da consolidação ou arrefecimento do magma

Resultam da consolidação ou arrefecimento do magma Resultam da consolidação ou arrefecimento do magma Resultam da consolidação ou arrefecimento do magma mistura rochas em fusão com uma % de gases variável Principais elementos: SILICATOS 800 1500ºC O que

Leia mais

DERIVA CONTINENTAL E TECTÔNICA DE PLACAS

DERIVA CONTINENTAL E TECTÔNICA DE PLACAS DERIVA CONTINENTAL E TECTÔNICA DE PLACAS Entende-se como deriva continental os deslocamentos que as placas apresentam. A tectônica de placas consiste na teoria que explica a causa desses deslocamentos.

Leia mais

Geografia. Cartografia DINÂMICA GEOLÓGICA E AS FORMAS DA LITOSFERA. Professora: Diego Moreira Professor: Diego Moreira

Geografia. Cartografia DINÂMICA GEOLÓGICA E AS FORMAS DA LITOSFERA. Professora: Diego Moreira Professor: Diego Moreira Geografia Cartografia DINÂMICA GEOLÓGICA E AS FORMAS DA LITOSFERA Professora: Diego Moreira Professor: Diego Moreira DINÂMICA GEOLÓGICA E AS FORMAS DA LITOSFERA ESCALA GEOLÓGICA ESCALA GEOLÓGICA ESCALA

Leia mais

A ORIGEM DA TERRA CAPÍTULO 1 2º PERÍODO

A ORIGEM DA TERRA CAPÍTULO 1 2º PERÍODO A ORIGEM DA TERRA CAPÍTULO 1 2º PERÍODO CONCEPÇÃO DO INÍCIO DA FORMAÇÃO DA LITOSFERA PANGEIA O INÍCIO DA SEPARAÇÃO DA PANGEA FÓSSEIS ENCONTRADOS POR WEGENER MODELO DO MOVIMENTO PROPOSTO POR WEGENER OS

Leia mais

ESTRUTURA DA TERRA. Descontinuidade de Mohorovicic Maior velocidade das ondas sísmicas abaixo do contato. Astenosfera

ESTRUTURA DA TERRA. Descontinuidade de Mohorovicic Maior velocidade das ondas sísmicas abaixo do contato. Astenosfera ESTRUTURA DA TERRA 5 km 100 km 30 km Espessura 600 km móvel 80 km em média granito Formação do campo magnético basalto 1200 o C 3000 kg/m 2700 kg/m 3350 kg/m3 3 3 Litosfera Astenosfera Descontinuidade

Leia mais

Magmatismo e rochas magmáticas. Hélder Giroto Paiva - Escola Portuguesa do Lubango

Magmatismo e rochas magmáticas. Hélder Giroto Paiva - Escola Portuguesa do Lubango Magmatismo e rochas magmáticas Hélder Giroto Paiva - Escola Portuguesa do Lubango O ciclo litológico Definição de magma Material de origem profunda formado por uma mistura complexa de silicatos fundidos,

Leia mais

Universidade Federal do Paraná Departamento de Construção Civil. Universidade Federal do Paraná Departamento de Construção Civil

Universidade Federal do Paraná Departamento de Construção Civil. Universidade Federal do Paraná Departamento de Construção Civil Rochas Magmáticas 1 Rochas É um agregado natural de um ou mais minerais, ou vidro vulcânico, ou ainda matéria orgânica, e que faz parte importante da crosta sólida da Terra 2 1 Classificação das rochas

Leia mais

Noções de Geologia. Prof. Msc. João Paulo Nardin Tavares

Noções de Geologia. Prof. Msc. João Paulo Nardin Tavares Noções de Geologia Prof. Msc. João Paulo Nardin Tavares Objetivos da aula Conhecer a estrutura da Terra Definir os conceitos e teorias da deriva continental e das placas tectônicas Compreender fenômenos

Leia mais

ESTRUTURA INTERNA DA TERRA CROSTA

ESTRUTURA INTERNA DA TERRA CROSTA Dinâmica da terra ESTRUTURA INTERNA DA TERRA CROSTA MANTO NÚCLEO EXTERNO NÚCLEO INTERNO CROSTA OU LITOSFERA: é a fina camada exterior que envolve o planeta. Tem consistência sólida e flutua sobre um material

Leia mais

A estrutura da Terra. Prof. Eder C. Molina IAGUSP.

A estrutura da Terra. Prof. Eder C. Molina IAGUSP. 1 Prof. Eder C. Molina IAGUSP http://www.iag.usp.br/~eder/deriv.ppt 2 Raio médio: 6.371 km Densidade média: 5,5 g cm -3 Massa: 5,976 x10 24 kg Temperatura superficial média: 15 o C Pressão atmosférica

Leia mais

Apêndice VIII Teste diagnóstico da componente de Geologia. Formação das Rochas Magmáticas

Apêndice VIII Teste diagnóstico da componente de Geologia. Formação das Rochas Magmáticas O TRABALHO LABORATORIAL SEGUNDO A APRENDIZAGEM BASEADA NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS: CONSTRUÇÃO DE ÁRVORES FILOGENÉTICAS E ESTUDO DA FORMAÇÃO E EVOLUÇÃO DOS MAGMAS 1 Apêndice VIII Teste diagnóstico da componente

Leia mais

Rochas. Geologia Geral - Rochas - Alexandre P. Silva -

Rochas. Geologia Geral - Rochas - Alexandre P. Silva - Rochas Natureza das Rochas Formação da Terra: seqüência de eventos Poeira cósmica mantinha correntes de convecção no interior; 3.000 o C liquefação; O Fe formou o núcleo e Si e óxidos metálicos formaram

Leia mais

DECIFRANDO A FORMAÇÃO DA TERRA

DECIFRANDO A FORMAÇÃO DA TERRA DECIFRANDO A FORMAÇÃO DA TERRA QUESTÕES INICIAIS O que vocês já sabem sobre o tema? O que justifica a presença de diversos tipos de relevo na crosta terrestre? Por que estudar esse tema? O que se entende

Leia mais

Agregados de minerais

Agregados de minerais Mineral Substância natural, formada em contextos geológicos (ou biológicos), sólida, com estrutura cristalina, composição química definida e propriedades físicas específicas Definição 1 Hematite (Fe2O3)

Leia mais

FORMAÇÃO E ESTRUTURA DA TERRA

FORMAÇÃO E ESTRUTURA DA TERRA FORMAÇÃO E ESTRUTURA DA TERRA CAMADAS TERRESTRE - NÚCLEO É a porção central da Terra, também denominada NIFE, por ser constituída de compostos de FErro e NÍquel, com algum enxofre e silício dissolvido.

Leia mais

GEOLOGIA E GEOMORFOLOGIA:ESTRUTURA GEOLÓGICA, TIPOS DE ROCHAS E RECURSOS MINERAIS. MÓDULO 04 GEOGRAFIA I

GEOLOGIA E GEOMORFOLOGIA:ESTRUTURA GEOLÓGICA, TIPOS DE ROCHAS E RECURSOS MINERAIS. MÓDULO 04 GEOGRAFIA I GEOLOGIA E GEOMORFOLOGIA:ESTRUTURA GEOLÓGICA, TIPOS DE ROCHAS E RECURSOS MINERAIS. MÓDULO 04 GEOGRAFIA I COMPOSIÇÃO INTERNA DO PLANETA COMPOSIÇÃO INTERNA DO PLANETA NÚCLEO temperaturas que ultrapassam

Leia mais

GEOLOGIA GERAL CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

GEOLOGIA GERAL CIÊNCIAS BIOLÓGICAS GEOLOGIA GERAL CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Quarta 14 às 18h museu IC II Aula 2 Deriva continental e Tectônica de placas Turma: 2016/01 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com Dinâmica da Terra Deriva continental

Leia mais

Paulo Tumasz Junior. Geologia

Paulo Tumasz Junior. Geologia Paulo Tumasz Junior Geologia - Geologia: Ciência que estuda a estrutura interna da terra, história a partir dos processos rochosos e processos que as modificam; - Distância da superfície terrestre ao centro

Leia mais

A GEOLOGIA, OS GEÓLOGOS E OS SEUS MÉTODOS

A GEOLOGIA, OS GEÓLOGOS E OS SEUS MÉTODOS Escola Portuguesa do Lubango Biologia Geologia (10º ano) A GEOLOGIA, OS GEÓLOGOS E OS SEUS MÉTODOS As rochas, arquivos que relatam a história da Terra Ciclo das rochas Hélder Giroto Paiva As rochas - arquivos

Leia mais

Magmas e formação de rochas ígneas

Magmas e formação de rochas ígneas Magmas e formação de rochas ígneas Consultar também a apresentação prática Relatório Petrografia (ígneas) e os temas da Estrutura da Terra e da Tectónica de Placas para ficar com uma boa ideia de conjunto,

Leia mais

Diferenciação magmática

Diferenciação magmática Diferenciação magmática Um só tipo de magma pode originar diferentes tipos de rochas, porque: > O magma é uma mistura complexa de substâncias minerais; > A cristalização desses minerais ocorre a temperaturas

Leia mais

GEOLOGIA GERAL PROF. ROCHA

GEOLOGIA GERAL PROF. ROCHA GEOLOGIA GERAL PROF. ROCHA CAMADAS DA TERRA CAMADAS DA TERRA A crosta e as rochas A crosta é formada por rochas e minerais. As rochas são agrupamentos de minerais: Minerais são elementos ou compostos

Leia mais

Magmatismo rochas magmáticas

Magmatismo rochas magmáticas Magmatismo rochas magmáticas Magma Uma definição de magma: Material de origem profunda, formado por uma mistura complexa de silicatos em fusão, entre 800 e 1500ºC, com uma percentagem variável de gases

Leia mais

Texto complementar: Litosfera evolução Disciplina: Geografia. As esferas da Terra

Texto complementar: Litosfera evolução Disciplina: Geografia. As esferas da Terra MODALIDADE: EJA Ensino Médio PERÍODO 1º Período Texto complementar: Litosfera evolução Disciplina: Geografia geológica da Terra Professor (a): Kátia Silene Data: 09/03/2016 Nome do Aluno: As esferas da

Leia mais

Tectónica de Placas e Grandes Estruturas Geológicas. Fábio Cruz Nº10 12ºA

Tectónica de Placas e Grandes Estruturas Geológicas. Fábio Cruz Nº10 12ºA Tectónica de Placas e Grandes Estruturas Geológicas Fábio Cruz Nº10 12ºA Teoria da Deriva Continental Criada por Alfred Wegener, é a teoria mobilista pioneira; Baseada na semelhança verificada entre as

Leia mais

Frank Press Raymond Siever John Grotzinger Thomas H. Jordan. Entendendo a Terra. 4a Edição. Cap 2: Placas Tectônicas: A Teoria Unificada

Frank Press Raymond Siever John Grotzinger Thomas H. Jordan. Entendendo a Terra. 4a Edição. Cap 2: Placas Tectônicas: A Teoria Unificada Frank Press Raymond Siever John Grotzinger Thomas H. Jordan Entendendo a Terra 4a Edição Cap 2: Placas Tectônicas: A Teoria Unificada Lecture Slides prepared by Peter Copeland Bill Dupré Copyright 2004

Leia mais

PROVAS ESPECIALMENTE ADEQUADAS DESTINADAS A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS GEOLOGIA.

PROVAS ESPECIALMENTE ADEQUADAS DESTINADAS A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS GEOLOGIA. PROVAS ESPECIALMENTE ADEQUADAS DESTINADAS A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS GEOLOGIA Nome: BI: Classificação: CHAMADA DE ATENÇÃO: Esta prova é constituída

Leia mais

Unidade 3. Geologia, problemas e materiais do quotidiano. Capitulo 2. Processos e materiais geológicos importantes em ambientes terrestres.

Unidade 3. Geologia, problemas e materiais do quotidiano. Capitulo 2. Processos e materiais geológicos importantes em ambientes terrestres. Unidade 3 Geologia, problemas e materiais do quotidiano Capitulo 2 Processos e materiais geológicos importantes em ambientes terrestres. Aula Nº 74 24 Abr 09 Prof: Ana Capelo O QUE É O CICLO DAS ROCHAS?

Leia mais

GRANDES ESTRUTURAS GEOLÓGICAS

GRANDES ESTRUTURAS GEOLÓGICAS Enquadramento Tectónico GRANDES ESTRUTURAS GEOLÓGICAS Trabalho realizado por: Ana Taborda nº2 12º A TEORIA DA TECTÓNICA DE PLACAS Em 1965, o geólogo J. Tuzo Wilson, propôs um modelo tectónico à escala

Leia mais

Magmas e formação de rochas ígneas

Magmas e formação de rochas ígneas Magmas e formação de rochas ígneas Consultar também a apresentação prática sobre rochas ígneas (relatório) e os temas da Estrutura da Terra e da Tectónica de Placas para ficar com uma boa ideia de conjunto,

Leia mais

GEOMORFOLOGIA E AS FORÇAS ATUANTES NA DINÂMICA DA TERRA MÓDULO 26 LIVRO 2 PÁGINAS 132 A 138

GEOMORFOLOGIA E AS FORÇAS ATUANTES NA DINÂMICA DA TERRA MÓDULO 26 LIVRO 2 PÁGINAS 132 A 138 GEOMORFOLOGIA E AS FORÇAS ATUANTES NA DINÂMICA DA TERRA MÓDULO 26 LIVRO 2 PÁGINAS 132 A 138 GEOMORFOLOGIA DO RELEVO Pode ser definido como as formas da superfície do planeta. O relevo origina-se e transforma-se

Leia mais

Ø As rochas sedimentares quimiogénicas resultam da precipitação de substâncias que se encontram dissolvidas na água.

Ø As rochas sedimentares quimiogénicas resultam da precipitação de substâncias que se encontram dissolvidas na água. Ø As rochas sedimentares quimiogénicas resultam da precipitação de substâncias que se encontram dissolvidas na água. Calcário Salgema Ä A precipitação é essencialmente desencadeada por variação da temperatura

Leia mais

Processos Geológicos Internos -Aula 5-

Processos Geológicos Internos -Aula 5- Processos Geológicos Internos -Aula 5- Prof. Alexandre Paiva da Silva UACTA/CCTA/UFCG TECTÔNICA DE PLACAS INTRODUÇÃO Terra Planeta dinâmico Planeta azul se contorcendo Fragmentação da crosta PLACAS TECTÔNICAS

Leia mais

Apostila de Geografia 07 Noções de Geologia

Apostila de Geografia 07 Noções de Geologia 1.0 Geosfera Apostila de Geografia 07 Noções de Geologia Meios de estudo da estrutura interna da Terra: Diretos: Afloramentos rochosos à superfície. Vulcanismo. Sondagens. Geotermia. Indiretos: Magnetismo.

Leia mais

Estrutura Interna da Terra

Estrutura Interna da Terra Estrutura Interna da Terra Rochas Ígneas As rochas ígneas são um tipo rochoso formado pela pressão e calor intenso que ocorre dentro do nosso planeta. Elas derretem devido às temperaturas muito altas

Leia mais

CIÊNCIAS O CICLO DAS ROCHAS

CIÊNCIAS O CICLO DAS ROCHAS Texto para estudo CIÊNCIAS O CICLO DAS ROCHAS A Terra é um planeta vivo e seus continentes estão em constante movimento, devido à dissipação de calor do interior do planeta. A geologia é a ciência que

Leia mais

A grande incidência da actividade sísmica em determinados locais.

A grande incidência da actividade sísmica em determinados locais. A grande incidência da actividade sísmica em determinados locais. A grande incidência da actividade vulcânica em determinados locais. Como resultado destas novas evidências, Robert Palmer e Donald Mackenzie,

Leia mais

Teste de avaliação Teste de avaliação Teste de avaliação Teste de avaliação Teste de avaliação Teste de avaliação 6 50

Teste de avaliação Teste de avaliação Teste de avaliação Teste de avaliação Teste de avaliação Teste de avaliação 6 50 Índice Ficha 1 Paisagens geológicas: paisagens magmáticas 4 Ficha 2 Paisagens geológicas: paisagens metamórficas e paisagens sedimentares 6 Ficha 3 Minerais: as unidades básicas das rochas 8 Teste de avaliação

Leia mais

As camadas da Terra são divididas de acordo com certos critérios químicos e físicos.

As camadas da Terra são divididas de acordo com certos critérios químicos e físicos. Capítulo 6 As camadas da Terra são divididas de acordo com certos critérios químicos e físicos. Núcleo Interno Crosta terrestre Núcleo externo Manto Uma forma de representar a estrutura interna da Terra

Leia mais

Conteúdo: Aula 1: Rochas e minerais: o que são? Tipos de rocha. Aula 2: O solo. FORTALECENDO SABERES APRENDER A APRENDER CONTEÚDO E HABILIDADES

Conteúdo: Aula 1: Rochas e minerais: o que são? Tipos de rocha. Aula 2: O solo. FORTALECENDO SABERES APRENDER A APRENDER CONTEÚDO E HABILIDADES A Conteúdo: Aula 1: Rochas e minerais: o que são? Tipos de rocha. Aula 2: O solo. 2 A Habilidades: Aula 1: Entender o que são rochas e como elas se formam. Saber diferenciar as rochas de acordo com os

Leia mais

João Paulo Nardin Tavares

João Paulo Nardin Tavares João Paulo Nardin Tavares Histórico Nos séculos XVII e XVIII elaborou-se uma noção mais clara sobre as escalas temporais da história do planeta (idade geológica). Mesmo assim, os estudiosos não ousavam

Leia mais

Composição química: 74,2% de SiO 2 (rocha ácida) e mais de de Al 2 O 3, K 2 O e Na 2 O.

Composição química: 74,2% de SiO 2 (rocha ácida) e mais de de Al 2 O 3, K 2 O e Na 2 O. 1. Identificação da Equipa Escola: Equipa: Localização [Vila/cidade/distrito e país] Escola Secundária de Maximinos Gregorianos (alunos do 11º 2 e prof. Adelaide Sousa) Braga/ Braga/ Portugal 2. Caracterização

Leia mais

GEOLOGIA. Professor: Adilson Soares E- mail: Site:

GEOLOGIA. Professor: Adilson Soares E- mail: Site: GEOLOGIA Professor: Adilson Soares E- mail: adilson.soares@unifesp.br Site: www.geologia.tk ROCHAS METAMÓRFICAS Introdução As rochas metamórficas são o resultado de uma ação de fatores como a pressão e

Leia mais

DECIFRANDO A FORMAÇÃO DA TERRA

DECIFRANDO A FORMAÇÃO DA TERRA DECIFRANDO A FORMAÇÃO DA TERRA QUESTÕES INICIAIS O que vocês já sabem sobre o tema? O que justifica a presença de diversos tipos de relevo na crosta terrestre? Por que estudar esse tema? O que se entende

Leia mais

Estrutura geológica e formas de relevo. Professora: Jordana Costa

Estrutura geológica e formas de relevo. Professora: Jordana Costa Estrutura geológica e formas de relevo Professora: Jordana Costa Estrutura Geológica O tipo de terreno de um lugar (sua origem e as rochas que o compõem) constitui a sua estrutura geológica. Sua importância

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO UNIVASF CAMPUS SERRA DA CAPIVARA COLEGIADO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA CCINAT.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO UNIVASF CAMPUS SERRA DA CAPIVARA COLEGIADO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA CCINAT. UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO UNIVASF CAMPUS SERRA DA CAPIVARA COLEGIADO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA CCINAT Rochas Ígneas Referências Cap. 16 - Decifrando a Terra Cap. 4 Para entender a Terra

Leia mais

Geologia Geral. Discussão I. user 02/03/05. 1 Dimensões, composição e estrutura interna da Terra. Título aqui 1

Geologia Geral. Discussão I. user 02/03/05. 1 Dimensões, composição e estrutura interna da Terra. Título aqui 1 Geologia Geral Investigando o Interior de Terra. 1 Dimensões, composição e estrutura interna da Terra; 2 - Terremotos; 3 - Magnetismo terrestre. 1 Dimensões, composição e estrutura interna da Terra A maior

Leia mais

TECTÔNICA DE PLACAS HISTÓRICO

TECTÔNICA DE PLACAS HISTÓRICO TECTÔNICA DE PLACAS Francis Bacon 1620 paralelismo da costa sulamericana e africana Sec. XIX Biogeografia e Paleontologia Fins do sec.xix teorias da contração e expansão da Terra HISTÓRICO Form Pleople

Leia mais

Vulcanismo. Como se caracteriza o vulcanismo açoriano? Qual a importância do vulcanismo para o conhecimento da estrutura da Geosfera?

Vulcanismo. Como se caracteriza o vulcanismo açoriano? Qual a importância do vulcanismo para o conhecimento da estrutura da Geosfera? Vulcanismo Como se caracteriza o vulcanismo açoriano? Qual a importância do vulcanismo para o conhecimento da estrutura da Geosfera? Quais são os principais tipos eruptivos e quais os impactes que provocam?

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA PROVA ESPECÍFICA DE INGRESSO PARA O ESTUDANTE INTERNACIONAL PROVA MODELO DE BIOLOGIA E GEOLOGIA 2015

INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA PROVA ESPECÍFICA DE INGRESSO PARA O ESTUDANTE INTERNACIONAL PROVA MODELO DE BIOLOGIA E GEOLOGIA 2015 INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA PROVA ESPECÍFICA DE INGRESSO PARA O ESTUDANTE INTERNACIONAL PROVA MODELO DE BIOLOGIA E GEOLOGIA 2015 A prova é constituída por 20 a 30 questões de escola múltipla, selecção

Leia mais

Geoquímica do Manto 15/10/2012. Geoquímica de Rochas Características

Geoquímica do Manto 15/10/2012. Geoquímica de Rochas Características Características Geoquímica do Manto Dados sísmicos: camada sólida, de composição silicática, Corresponde a 83% do volume da Terra e 67% de sua massa, Dividido em duas grandes regiões: superior e inferior.

Leia mais

GEOGRAFIA SÉRIE: 1º ano DERIVA CONTINENTAL Profº Luiz Gustavo Silveira

GEOGRAFIA SÉRIE: 1º ano DERIVA CONTINENTAL Profº Luiz Gustavo Silveira GEOGRAFIA SÉRIE: 1º ano DERIVA CONTINENTAL Profº Luiz Gustavo Silveira GEOGRAFIA FÍSICA Prof. Luiz Gustavo Silveira DERIVA CONTINENTAL PANGÉIA GRANDE MASSA CONTINENTAL PANTALASSA OCEANO CONTÍNUO PROCESSO

Leia mais

GEOLOGIA PROF. LIONEL BRIZOLA

GEOLOGIA PROF. LIONEL BRIZOLA GEOLOGIA PROF. LIONEL BRIZOLA A Estrutura Richat é um local no deserto do Saara (Mauritânia), semelhante a um gigantesco alvo, com um diâmetro de aproximadamente 50 km. É também conhecido como O Olho

Leia mais

Revisão sobre Rochas e Minerais. Sheila R. Santos 1

Revisão sobre Rochas e Minerais. Sheila R. Santos 1 Revisão sobre Rochas e Minerais 1 Definição de rocha: Corpos sólidos naturais que contém um ou mais minerais. Uma determinada rocha é sempre composta de um agregado de minerais com padrão definido, formados

Leia mais

WEGENER (1912) Os continentes, agora afastados, já estiveram juntos formando um único supercontinente a Pangeia rodeado por um único oceano a

WEGENER (1912) Os continentes, agora afastados, já estiveram juntos formando um único supercontinente a Pangeia rodeado por um único oceano a WEGENER (1912) Os continentes, agora afastados, já estiveram juntos formando um único supercontinente a Pangeia rodeado por um único oceano a Pantalassa. Posteriormente, a Pangeia fracturou-se e os continentes

Leia mais

ESTRUTURA GEOLÓGICA E AS FORMAS DE RELEVO

ESTRUTURA GEOLÓGICA E AS FORMAS DE RELEVO ESTRUTURA GEOLÓGICA E AS FORMAS DE RELEVO ROCHAS: Aglomerado de um ou mais minerais ÍGNEAS OU MAGMÁTICAS (cristalinas) - intrusivas ou plutônicas - extrusivas ou vulcânicas SEDIMENTARES - detríticas -

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Sertã

Agrupamento de Escolas da Sertã Agrupamento de Escolas da Sertã Direcção Regional de Educação do Centro Ficha de trabalho - Ciências Naturais Ano Lectivo: 2010/11 Ano de Escolaridade: 7 º Ano Aluno: N.º: Turma: Data: / / 1. Estabelece

Leia mais

Magma. Recorda: O Magma é um material que se encontra no interior da Terra e que resulta da fusão dos materiais que o constituem.

Magma. Recorda: O Magma é um material que se encontra no interior da Terra e que resulta da fusão dos materiais que o constituem. Magma Recorda: O Magma é um material que se encontra no interior da Terra e que resulta da fusão dos materiais que o constituem. A sua composição varia com a profundidade e vai influenciar o tipo de rocha

Leia mais

Evolução Geológica da Terra

Evolução Geológica da Terra Evolução Geológica da Terra Estúdio Arena Observe a ilustração. Ela apresenta alguns elementos que fazem parte do planeta Terra. No Caderno Bio significa vida. O que é biosfera? Que elementos estão presentes

Leia mais

A EVOLUÇÃO DOS CONTINENTES: TEORIAS DE MOVIMENTAÇÃO DE CROSTA E TECTÔNICA DE PLACAS

A EVOLUÇÃO DOS CONTINENTES: TEORIAS DE MOVIMENTAÇÃO DE CROSTA E TECTÔNICA DE PLACAS CURSO PRÉ-VESTIBULAR TRIU A EVOLUÇÃO DOS CONTINENTES: TEORIAS DE MOVIMENTAÇÃO DE CROSTA E TECTÔNICA DE PLACAS Geografia IU Professor: Thiago Manhães Tiago Pires DERIVA CONTINENTAL O conceito de deriva

Leia mais

Universidade Privada de Angola Faculdade de Engenharia Departamento de Construção Civil

Universidade Privada de Angola Faculdade de Engenharia Departamento de Construção Civil Universidade Privada de Angola Faculdade de Engenharia Departamento de Construção Civil Curso de Construção Civil Disciplina: Geologia de Engenharia Ano: 3ro Professor: Dr. Silva Pereira Ginga (PhD) Ano

Leia mais

Magmas e formação de rochas ígneas

Magmas e formação de rochas ígneas Magmas e formação de rochas ígneas Consultar também a apresentação prática sobre rochas ígneas e os temas da Estrutura da Terra e da Tectónica de Placas para ficar com um boa ideia de conjunto, da escala

Leia mais

Ficha de trabalho Biologia e Geologia - 10º Ano Rochas e a sua génese

Ficha de trabalho Biologia e Geologia - 10º Ano Rochas e a sua génese Ficha de trabalho Biologia e Geologia - 10º Ano Rochas e a sua génese Nome: N º: Turma: Data: Professor: Encarregado(a) de Educação: Lê toda a informação com atenção e responde de forma objectiva. Grupo

Leia mais

METAMORFISMO: AGENTES DE METAMORFISMO E PRINCIPAIS ROCHAS METAMÓRFICAS

METAMORFISMO: AGENTES DE METAMORFISMO E PRINCIPAIS ROCHAS METAMÓRFICAS METAMORFISMO: AGENTES DE METAMORFISMO E PRINCIPAIS ROCHAS METAMÓRFICAS METAMORFISMO: Processo que ocorre em rochas da crusta terrestre, em resultado de variações de temperatura e pressão (sem ocorrer a

Leia mais

WEGENER (1912) Os continentes, agora afastados, já estiveram juntos formando um único supercontinente a Pangeia rodeado por um único oceano a

WEGENER (1912) Os continentes, agora afastados, já estiveram juntos formando um único supercontinente a Pangeia rodeado por um único oceano a WEGENER (1912) Os continentes, agora afastados, já estiveram juntos formando um único supercontinente a Pangeia rodeado por um único oceano a Pantalassa. Posteriormente, a Pangeia fracturou-se e os continentes

Leia mais

GEOMORFOLOGIA I. Professor: Diego Alves de Oliveira 2017

GEOMORFOLOGIA I. Professor: Diego Alves de Oliveira 2017 GEOMORFOLOGIA I Professor: Diego Alves de Oliveira 2017 Somente no século XX foram feitas as grandes descobertas sobre a estrutura da Terra e sua dinâmica da crosta Terra Superfície moldada por agentes

Leia mais

ELEMENTOS DA GEOLOGIA (II)

ELEMENTOS DA GEOLOGIA (II) ELEMENTOS DA GEOLOGIA (II) AS ROCHAS São agregados minerais ou de um mineral apenas, formados naturalmente na crosta terrestre. As rochas podem ser classificadas em ígneas, sedimentares e metamórficas.

Leia mais

Leila Marques. Marcia Ernesto

Leila Marques. Marcia Ernesto Leila Marques Marcia Ernesto Alta Temperatura no Interior da Terra No passado a Terra sofreu aquecimento: separação de um manto rochoso e um núcleo denso de composição metálica (Fe-Ni). Diápiros de Fe-Ni

Leia mais

Aula 3 - Petrologia das rochas ígneas ou magmáticas

Aula 3 - Petrologia das rochas ígneas ou magmáticas Aula 3 - Petrologia das rochas ígneas ou magmáticas Tipos de Magmas Tipos de Magmas Tipo de Magma Viscosidade Teor de Sílica Ocorrência Basáltico Baixa (muito fluido) 50% 80% Andesítico Média 60% 10% Riolítico

Leia mais

Acesso ao Ensino Superior a maiores de 23 anos EXAME DE GEOLOGIA 23 de Maio de 2011

Acesso ao Ensino Superior a maiores de 23 anos EXAME DE GEOLOGIA 23 de Maio de 2011 Nome: NOTAS 1. Duração do exame: 1 hora e 30 minutos 2. Todas as respostas deverão ser dadas no próprio enunciado 3. Não serão consideradas respostas sem justificação quando esta seja solicitada COTAÇÃO

Leia mais

O metamorfismo é caracterizado por: mudanças mineralógicas crescimento de novos minerais sem adição de novo material (processo isoquímico);

O metamorfismo é caracterizado por: mudanças mineralógicas crescimento de novos minerais sem adição de novo material (processo isoquímico); Rochas metamórficas Metamorfismo - processo geológico que consiste num conjunto de transformações mineralógicas, químicas e estruturais que ocorrem no estado sólido, em rochas sujeitas a estados de tensão,

Leia mais

Paulo Tumasz Junior. Rochas (continuação)/ Geologia II

Paulo Tumasz Junior. Rochas (continuação)/ Geologia II Paulo Tumasz Junior Rochas (continuação)/ Geologia II APRESENTAÇÕES Slides - Rochas Metamórficas: Originam-se das transformações de rochas magmáticas sedimentares ou outras metamórficas; - As condições

Leia mais

GE GRAFIA Estrutura Interna

GE GRAFIA Estrutura Interna GE GRAFIA Estrutura Interna Formação do Planeta Um dos diversos modelos científicos que tentam explicar como o universo se formou é a Teoria do Big Bang. Big Bang: o Big Bang é visto como o momento no

Leia mais

GEOMORFOLOGIA I. Professor: Diego Alves de Oliveira 2017

GEOMORFOLOGIA I. Professor: Diego Alves de Oliveira 2017 GEOMORFOLOGIA I Professor: Diego Alves de Oliveira 2017 RELEVO TERRESTRE PROCESSOS ENDÓGENOS DE ELABORAÇÃO RELEVO TERRESTRE Áreas continentais (29% da Terra): dominam planaltos, colinas e planícies com

Leia mais

Esta região azul mais clara é a plataforma continental brasileira. Oceano Atlântico. Belo Horizonte. Salvador. Rio de Janeiro Grande São Paulo

Esta região azul mais clara é a plataforma continental brasileira. Oceano Atlântico. Belo Horizonte. Salvador. Rio de Janeiro Grande São Paulo A TERRA POR DENTRO E POR FORA PLANETA TERRA VISTA POR MEIO DE UM SATÉLITE Esta região azul mais clara é a plataforma continental brasileira. Belo Horizonte Oceano Atlântico Salvador Rio de Janeiro Grande

Leia mais

Metamorfismo. Roches metamórficas

Metamorfismo. Roches metamórficas METAMORFISMO Introdução - Definição Metamorfismo Processo que leva a uma modificação de mineralogia ou de textura das rochas, no estado sólido, sob o efeito da temperatura, da pressão e dos flúidos Roches

Leia mais

GEOLOGIA GERAL GEOGRAFIA

GEOLOGIA GERAL GEOGRAFIA GEOLOGIA GERAL GEOGRAFIA Segunda 18 às 20h Quarta 20 às 22h museu IC II Aula 8 Rochas Metamórficas Turma: 2016/01 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com Metamorfismo Conjunto de processos pelos

Leia mais

A GÊNESE DO RELEVO. GEOMORFOLOGIA (estudo do relevo) FORMAÇÃO DA TERRA (1) FORMAÇÃO DA TERRA (3) FORMAÇÃO DA TERRA (2) ORIGEM DO UNIVERSO

A GÊNESE DO RELEVO. GEOMORFOLOGIA (estudo do relevo) FORMAÇÃO DA TERRA (1) FORMAÇÃO DA TERRA (3) FORMAÇÃO DA TERRA (2) ORIGEM DO UNIVERSO GEOMORFOLOGIA (estudo do relevo) A GÊNESE DO RELEVO ORIGEM DO UNIVERSO Teoria do Big Bang. FORMAÇÃO DA TERRA (1) Resfriamento - de massa gasosa para líquido-pastosa. FORMAÇÃO DA TERRA (2) Formação da litosfera.

Leia mais

GEOGRAFIA. Prof. Daniel San.

GEOGRAFIA. Prof. Daniel San. GEOGRAFIA Prof. Daniel San daniel.san@lasalle.edu.br Ver filme sobre a Formação da Terra Discovery Channel Os fósseis são os principais vestígios das antigas eras na Terra, pois passaram por diversos processos,

Leia mais

Ficha de Trabalho de Biologia e Geologia (ano 2)

Ficha de Trabalho de Biologia e Geologia (ano 2) Ficha de Trabalho de Biologia e Geologia (ano 2) Ano Lectivo: 2007/2008 Nome: Nº Turma: CT Curso: CH-CT Data: / /2008 Docente: Catarina Reis 1- A figura seguinte representa uma região imaginária, onde

Leia mais

27/08/ CICLO DAS ROCHAS 3. CLASSIFICAÇÃO DE ROCHAS MAGMÁTICAS 2. MAGMA: CARACTERÍSTICAS E PROCESSOS DE CONSOLIDAÇÃO

27/08/ CICLO DAS ROCHAS 3. CLASSIFICAÇÃO DE ROCHAS MAGMÁTICAS 2. MAGMA: CARACTERÍSTICAS E PROCESSOS DE CONSOLIDAÇÃO MÓDULO 02: Litologia e Relevo 2.1 Relevo Associado à Rocha Magmática 2.2 Relevo Associado à Rocha Sedimentar 2.3 Relevo Associado à Rocha Metamórfica 2.4 Papel das Estruturas Geológicas no Relevo 1. CICLO

Leia mais

1 ROCHAS Assembléia de minerais Rocha = mineral essencial (principal) + minerais assessórios

1 ROCHAS Assembléia de minerais Rocha = mineral essencial (principal) + minerais assessórios ROCHAS 1 ROCHAS Assembléia de minerais Rocha = mineral essencial (principal) + minerais assessórios Mineral essencial: sempre aparecem na rocha Minerais acessórios: aparecem ou não na rocha 2 CLASSIFICAÇÃO

Leia mais

ATIVIDADE DE GEOGRAFIA PARA 8ºS ANOS - SALESIANO. Site padogeo.com Atividade Nº 16: Dinâmica interna da Terra

ATIVIDADE DE GEOGRAFIA PARA 8ºS ANOS - SALESIANO. Site padogeo.com Atividade Nº 16: Dinâmica interna da Terra ATIVIDADE DE GEOGRAFIA PARA 8ºS ANOS - SALESIANO Site padogeo.com Atividade Nº 16: Dinâmica interna da Terra 1. Os três esquemas acima, embora feitos por autores diferentes identificam, praticamente, as

Leia mais

Ficha Formativa 10º ano - Vulcanologia 2006

Ficha Formativa 10º ano - Vulcanologia 2006 Ficha Formativa 10º ano - Vulcanologia 2006 I. Preenche as lacunas das frases seguintes, utilizando as palavras ou expressões que melhor as completam. Os vulcões são aberturas naturais na crosta terrestre

Leia mais

EVOLUÇÃO DA TERRA E FENÔMENOS GEOLÓGICOS PROF. CLAUDIO F GALDIN GEOGRAFIA

EVOLUÇÃO DA TERRA E FENÔMENOS GEOLÓGICOS PROF. CLAUDIO F GALDIN GEOGRAFIA EVOLUÇÃO DA TERRA E FENÔMENOS GEOLÓGICOS PROF. CLAUDIO F GALDIN GEOGRAFIA A TERRA SURGIU HÁ APROXIMADAMENTE 4,5 BILHÕES DE ANOS. RESULTANDO DA AGREGAÇÃO DE POEIRA CÓSMICA E DO BOMBARDEAMENTO DE MATERIAL

Leia mais

RELEVO CONTINENTAL: AGENTES INTERNOS. PROFº Me- CLAUDIO F. GALDINO - GEOGRAFIA

RELEVO CONTINENTAL: AGENTES INTERNOS. PROFº Me- CLAUDIO F. GALDINO - GEOGRAFIA RELEVO CONTINENTAL: AGENTES INTERNOS PROFº Me- CLAUDIO F. GALDINO - GEOGRAFIA Oferecimento Fábrica de Camisas Grande Negão RELEVO É toda forma assumida pelo terreno (montanhas, serras, depressões, etc.)

Leia mais

Exame de seleção mestrado em Geofísica 2017 Prova de Geofísica e Geologia

Exame de seleção mestrado em Geofísica 2017 Prova de Geofísica e Geologia Exame de seleção mestrado em Geofísica 2017 Prova de Geofísica e Geologia 1 - Com relação aos minerais e rochas, analise as afirmações abaixo e assinale a alternativa correta: I. Os minerais são classificados

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação Ciências 6 o ano Unidade 2 5 Unidade 2 Nome: Data: 1. Cite quais são os agentes externos e internos de formação do relevo, sem incluir a ação humana. Explique, de forma resumida,

Leia mais

Agentes Internos ou Endógenos

Agentes Internos ou Endógenos RELEVO Relevo Terrestre Agentes Internos Agentes Externos Tectonismo Vulcanismo Abalos Sísmicos Intemperismo Erosão Agentes Internos ou Endógenos Tectonismo ou Diastrofismo São distorções provocadas por

Leia mais