INTELIGÊNCIA NA TEORIA SOCIO-CULTURAL Vera Lucia Saraiva de Toralles Leite 1 Mara Regina Nieckel da Costa 2

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTELIGÊNCIA NA TEORIA SOCIO-CULTURAL Vera Lucia Saraiva de Toralles Leite 1 Mara Regina Nieckel da Costa 2"

Transcrição

1 INTELIGÊNCIA NA TEORIA SOCIO-CULTURAL Vera Lucia Saraiva de Toralles Leite 1 Mara Regina Nieckel da Costa 2 INTRODUÇÃO O objetivo deste artigo é apresentar uma centelha da obra tão atual do escritor russo morto na década de 30 Lev Seminovich Vygotsky. O tempo foi-lhe exíguo, mas sua mente trabalhou com avidez, produzindo páginas e páginas de conhecimento extraordinário sobre diversos temas, destacando-se filosofia, educação e psicologia. O presente artigo procura mostrar como Vygotsky percebia a inteligência na Teoria Histórico-Cultural. BIOGRAFIA Lev Seminovich Vygotsky, nasceu na cidade de Orsha, Bielorussia, aos cinco dias do mês de novembro de 1896 (PALANGANA, 1994), sendo oriundo de uma família de judeus, culta e estável economicamente. Estas condições somadas ao zelo dos pais pela formação intelectual dos filhos, propiciam o desenvolvimento, (guiado por tutor privado), da capacidade de pensar de forma questionadora e crítica. Segundo Blanck (1996), o contexto histórico russo do início do século, dominado pelo czarismo impunha discriminação aos judeus russos, quanto ao morar, a locomoção, e também limitava o número de vagas nas universidades. Vygotsky vence as discriminações e ingressa no Curso de Medicina, transfere-se logo em seguida para o curso sobre leis. Não encontrando eco para seus anseios intelectuais na Universidade de Moscou, ingressa na Universidade de Schaniaski, nos cursos de História e Filosofia e, em 1917, gradua-se em ambas as Universidades. 1. Acadêmica do Curso de Psicologia ULBRA/Campus de Guaíba. 2. Professora da disciplina Técnicas de Exame Psicológico e orientadora do artigo.

2 Vygotsky, recém formado retorna a Gomel, onde reside sua família, trabalhou como professor, profissão que agora lhe era permitida, graças a abolição da legislação anti-semita, começa a lecionar Literatura, Russo, Lógica, Psicologia, Estética e História da Arte em diversos cursos e graus acadêmicos (PALANGANA, 1994). Lá é fundador do Laboratório de Psicologia da Escola dos Professores de Gomel. O resultado de seu trabalho, desse período, resulta no livro Psicologia Pedagógica editado em 1926 (BLANCK, 1996). Vygotsky contraíra tuberculose em 1919, mas, apesar da doença, continuava a trabalhar com profundo afinco. Este fato também não o impediu de casar-se em 1924 com uma mulher determinada e inteligente (BLANCK, 1996). Tiveram duas filhas. A mais velha iria se graduar em Psicologia Educacional, e, a outra em Biofísica. No mesmo ano de 1924, desloca-se para Leningrado para participar do II Congresso de Psiconeurologia, apresentando o trabalho Metodologia da Investigação Reflexológica e Psicológica, o que marcou decisivamente sua carreira profissional. Nesta ocasião, ao se apresentar falou de improviso. Não tinha nada escrito, mas falou seguro e fluentemente, mesmo sendo a primeira vez que estava frente a uma platéia de especialistas no assunto. Vygotsky assinalou a relação entre reflexos condicionados e comportamentos conscientes, afirmando em sua tese que: a psicologia científica não pode ignorar os fatos da consciência (BLANCK, 1996), o que lhe oportunizara o convite de Kroinilov, diretor do instituto acima referido, para ser pesquisador, e, mais tarde, integraria a equipe de seus colaboradores: Alexander Luria, e Aleksei Leontiev (SANTOS, 2002). Em 1926, Vygotsky, cria o Instituto de Defectologia da Academia de Ciências Pedagógicas, objetivando a pesquisa sobre ensino e programas educativos para crianças portadoras de necessidades especiais (SANTOS, 2002). Neste ínterim, sua saúde oscila, mas não o impede de concluir a Psicologia da Arte, como tese de doutorado. Internado no hospital escreveu o ensaio Significado histórico da crise na Psicologia, um estudo crítico à Psicologia naquele momento histórico (BLANCK, 1996). No trecho grifado, que se segue, Vygotsky, escreve para seus estudantes da 1ª Universidade Estatal da Ásia Central: Um sentido da enormidade das tarefas que a Psicologia contemporânea enfrenta (que estamos vivendo uma época de

3 cataclismo, neste campo) é hoje meu sofrimento mais basilar. Isso faz com que uma responsabilidade infinita a mais séria, quase trágica (no sentido mais preciso e genuíno da palavra) pese sobre os ombros daqueles poucos que estão conduzindo pesquisas em qualquer ramo da ciência e especialmente, na ciência da pessoa. Vocês podem testar em vocês mesmos, milhares de vezes, e suportar incontáveis provações, antes de tomarem uma decisão, porque esse caminho tortuoso demanda devoção total do self (LEVITIN, apud BLANCK, 1999, p.40). O conjunto de sua obra denota a devoção à pesquisa, ensino e a produção literária, e ainda, o estabelecimento de novos projetos. A morte ganhou de Vygotsky a luta contra a doença tuberculose -. Seus manuscritos foram banidos durante 20 anos por uma facção degenerada do stalinismo, mas sua obra ressurge na Rússia em 1956 (BLANCK, 1996). O mundo pode conhecer a genialidade do bielo-russo, que, segundo Reviérè (1985) cruzou a psicologia deste século como um gavião feroz, deixando atrás de si um longo rastro cuja influência ainda não se exauriu. Ou como afirmam Veer e Valsiner (1999): um processo que ainda não foi compreendido inteiramente. TEORIA SÓCIO-CULTURAL Vygotsky precursor da teoria Histórico-Cultural afirma que, ao nascer, a criança apresenta uma única potencialidade, a potencialidade para aprender potencialidades, com uma única aptidão: a aptidão para aprender aptidões; com uma única capacidade: a capacidade ilimitada de aprender (MELLO, 2004, p136). Como conseqüência deste processo ocorre a gênese da inteligência. O homem como ser histórico-cultural desenvolveu suas habilidades, capacidades e aptidões desde a Pré-História até o momento atual, criando coisas materiais como: máquinas, livros e ainda coisas não materiais como: hábitos, costumes, a língua, os conhecimentos, as idéias. A este conjunto de criações, Vygotsky denominou cultura. O resultado é que, o homem apropriase dessa cultura acumulada para constituir-se e modificar suas condições de vida e a si próprio (MELLO, 2004).

4 Na medida em que o homem criou esse conjunto de objetos, também desenvolveu condições para sua utilização: a criança aprende a utilizar os objetos daquela sociedade e vai acumulando experiências no convívio com as pessoas. Desta forma, a criança forja sua inteligência e sua personalidade (MELLO, 2004). O mesmo autor refere que, para Vygotsky, o processo de desenvolvimento resulta do processo de aprendizagem. O processo de aprendizagem da cultura é um processo socialmente mediado, significando a necessidade de uma pessoa (professor ou não), possuidor de maior experiência, exemplificar verbalmente ou não o uso de determinado objeto. Por exemplo, a criança apropria-se das aptidões cristalizadas no lápis quando ela aprende a exercitar a atividade para a qual ele foi criado, ou seja, desenhar ou escrever... A linguagem é o instrumento basilar do processo de criação como também é produzido social e historicamente. Através dela, o homem dela apropria-se do conhecimento.. A linguagem materializa e dá forma a uma das aptidões humanas que permite de representar a realidade. Juntamente com a atividade, o homem desenvolve o pensamento, através da linguagem o pensamento objetiva-se permitindo a comunicação das significações e o seu desenvolvimento. A linguagem apresenta, para Vygotsky, três características fundamentais: 1º) permite lidar com os objetos do mundo exterior, mesmo quando eles estão ausentes; 2º) fornece conceitos e modos de ordenar o real em categorias conceituais (abstrair e generalizar); e, 3º) garante a preservação, transmissão e assimilação de informações acumuladas pela humanidade ao longo da história. A linguagem é interiorizada, induz a criança a procurar a solução de problemas é a linguagem em sua função intrapessoal (VYGOTSKY, 2003). A história do processo de internalização da linguagem social é também a história da socialização da inteligência prática na criança (VYGOTSKY apud in SANTOS, 2002, p.142). O processo de aprendizagem pode ser espontâneo (observação) ou intencional (o professor). Portanto, é esse processo de apropriação que desencadeia o desenvolvimento histórico da humanidade para gerações seguintes. O homem necessita dos outros homens para aprender a constituir-se em ser humano com inteligência, personalidade e consciência (VYGOTSKY, 2003).

5 O papel do educador seja exercida por professores, pais, pelas gerações mais velhas, pelas crianças mais experientes é importante, porque estes são os mediadores da relação da criança com o mundo que ela irá aprender. Os objetos da cultura só fazem sentidos quando aprendemos o seu uso social. Só pode ensinar quem conhece o uso social do objeto. As funções psíquicas como linguagem oral, o pensamento, a memória, o cálculo ocorrem primeiramente em nível interpsíquico. Num segundo momento, este processo desenvolve-se no interior da criança, em nível intrapsíquico (SANTOS, 2002). A aprendizagem da criança constrói-se mediante a relação da mesma com o ambiente sóciocultural. A Zona de Desenvolvimento Proximal que, segundo Vygotsky (2003), é a distância entre o nível real (da criança) de desenvolvimento determinado pela resolução de problemas independentemente e o nível de desenvolvimento potencial determinado pela resolução de problemas, sob orientação de adultos ou em colaboração com companheiros mais capacitados. A aprendizagem somente acontece quando o ensino incide na Zona de Desenvolvimento Proximal. Então quando a criança incorpora o conhecimento e o manipula de forma independente, ela está no nível de desenvolvimento real, que é aquele que corresponde aos ciclos evolutivos já alcançados e se definem, operacionalmente, pelo conjunto de atividades que a criança é capaz de realizar sozinha, sem a orientação ou ajuda de outros. Infere-se que o processo de aprendizagem é colaborativo, resultante da ação entre o educador e o aprendiz. Este processo é ativo porque o aluno deve reproduzir o uso social do objeto para o fim que o mesmo foi criado, e outras características são os períodos sensitivos. O ensino influencia principalmente aquelas qualidades que estão em processo de formação. Vygotsky percebe que o desenvolvimento da criança dentro de condições adequadas de vida e de educação, assim acontece (MELLO, 2004). Quanto ao desenvolvimento infantil, Vygotsky também deixou contribuições. Nos primeiros meses de vida, a comunicação entre bebê e adulto é mais emocional, não é verbal. A manipulação pelo adulto de objetos para que a criança perceba e o falar do adulto incitará a criação de novas necessidades no bebê, ou seja, as necessidades de comunicação e de manipulação de objetos. Em torno de três anos, a criança passa a imitar os adultos em suas relações sociais e com a cultura. Até os seis anos a criança exercitará o faz-de-conta, também chamado jogo, e então fluirá o pensamento, a linguagem, atenção, a memória, os sentimento morais, os traços de

6 caráter (MELLO, 2004). A criança, portanto, aos poucos, vai assimilando o processo da convivência em grupo e exercerá controle sobre sua conduta. Ao ingressar na Escola Fundamental, o estudo será sua atividade principal, o qual propiciará a ampliação de seu conhecimento levando a maturação e ao reordenamento de sua visão de mundo. Segundo Vygotsky (MELLO, 2004), a criança aprende e se desenvolve naquelas situações que provocam o seu interesse sobre aquilo que está fazendo. O corpo e intelecto concentrados envolvem-se na atividade do momento. Vygotsky propõe a aprendizagem compartilhada, o que significa que o educador precise compartilhar com a criança os passos do processo didático, considerando os objetivos das atividades propostas, estimulando a iniciativa e a execução das mesmas, e também a levando a participar do processo de avaliação. O professor deveria ser um lutador além de um artista (VEER e VALSINER, 1999). CONCLUSÃO Ao final deste artigo, conclui-se que o conceito de inteligência na obra Teoria Histórico- Cultural é de uma clareza singular habilidade para aprender em que a criança vai construindo sua inteligência e personalidade à medida que vai utilizando a cultura no convívio com outras pessoas. A obra de Vygotsky é extremamente atual, suas colocações sobre aprendizagem e como se processa, a importância da linguagem falada ou escrita em muito tem contribuído para a renovação de posturas retrógradas de muitos educadores.

7 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BLANCK, G. Vygotsky: O homem e sua causa. In: MOLL, Luis C. Vygotsky e a Educação. Porto Alegre: Artes Médicas, MELLO, S. A. A Escola de Vygotsky. In: CARRARA, K. Introdução à Psicologia da Educação. São Paulo: Avercamp, PALANGANA, Isilda Campanes, Desenvolvimento e Aprendizagem em Piaget e Vygotsky. São Paulo: Plexus Editora Ltda., SANTOS, B. S. dos. Vygotsky e a teoria histórico-cultural. In: ROSA, J. de la. Psicologia e Educação. O significado de aprender. 5ª ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, VEER, René van der; VALSINER, Jaan. Vygotsky = Uma Síntese. 3a ed. São Paulo: Edições Loyola, VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias EDUCAÇÃO FÍSICA COMO LINGUAGEM: ÍNTIMA RELAÇÃO BIOLÓGICO- SOCIAL

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias EDUCAÇÃO FÍSICA COMO LINGUAGEM: ÍNTIMA RELAÇÃO BIOLÓGICO- SOCIAL 10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias EDUCAÇÃO FÍSICA COMO LINGUAGEM: ÍNTIMA RELAÇÃO BIOLÓGICO- SOCIAL Pâmella Gomes de Brito pamellagomezz@gmail.com Goiânia, Goiás

Leia mais

Lev Semenovich Vygotsky, nasce em 17 de novembro de 1896, na cidade de Orsha, em Bielarus. Morre em 11 de junho de 1934.

Lev Semenovich Vygotsky, nasce em 17 de novembro de 1896, na cidade de Orsha, em Bielarus. Morre em 11 de junho de 1934. Lev Semenovich Vygotsky, nasce em 17 de novembro de 1896, na cidade de Orsha, em Bielarus. Morre em 11 de junho de 1934. Lev Vygotsky, viveu na mesma época que Piaget (ambos nasceram em 1896 entanto Vygotsky

Leia mais

LEV VIGOTSKY 1. VIDA E OBRA

LEV VIGOTSKY 1. VIDA E OBRA LEV VIGOTSKY 1. VIDA E OBRA Casou-se em 1924. Pesquisou profundamente sobre o comportamento e desenvolvimento humanos. Dizia que o conhecimento é decorrente da interação da história social e pessoal. Escreveu

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO E O APRENDIZADO EM VIGOTSKY

O DESENVOLVIMENTO E O APRENDIZADO EM VIGOTSKY O DESENVOLVIMENTO E O APRENDIZADO EM VIGOTSKY Kassius Otoni Vieira Kassius Otoni@yahoo.com.br Rodrigo Luciano Reis da Silva prrodrigoluciano@yahoo.com.br Harley Juliano Mantovani Faculdade Católica de

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES TEÓRICAS DE LEV VYGOTSKY (1896-1934) 1

CONTRIBUIÇÕES TEÓRICAS DE LEV VYGOTSKY (1896-1934) 1 . PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR Secretaria Municipal de Educação e Cultura SMEC Coordenadoria de Ensino e Apoio Pedagógico CENAP CONTRIBUIÇÕES TEÓRICAS DE LEV VYGOTSKY (1896-1934) 1 Angela Freire 2

Leia mais

Validório, Valéria Cristiane 1

Validório, Valéria Cristiane 1 A INTERAÇÃO NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM: uma perspectiva sociocultural Validório, Valéria Cristiane 1 RESUMO As relações sociais entre o indivíduo e o mundo exterior desenvolvem-se por meio de um processo

Leia mais

APROPRIAÇÃO DAS TEORIAS DE VYGOTSKY POR PROFESSORES DA REDE PÚBLICA DE ENSINO DE CURITIBA

APROPRIAÇÃO DAS TEORIAS DE VYGOTSKY POR PROFESSORES DA REDE PÚBLICA DE ENSINO DE CURITIBA APROPRIAÇÃO DAS TEORIAS DE VYGOTSKY POR PROFESSORES DA REDE PÚBLICA DE ENSINO DE CURITIBA Roberta Ferreira Cavalcanti Solange Regina Silva Almeida Rosangela Alves de Godoy Nilson Fernandes Dinis (Universidade

Leia mais

O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL Josiane Lima Zanata (Seduc) josianezanata@hotmail.com Ivani Souza Mello (UFMT) ivanimello1@hotmail.com

Leia mais

Conceitos de Identidade Relação "eu" e "outro" Para Vygotsky

Conceitos de Identidade Relação eu e outro Para Vygotsky FAMOSP - FACULDADE MOZARTEUM DE SÃO PAULO PEDAGOGIA - 1 o SEMESTRE PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO Conceitos de Identidade Relação "eu" e "outro" Para Vygotsky Deyse Maria Souza Almeida Eliete Pereira Nunes

Leia mais

COMPREENSÃO DA ESCRITA ENTRE CRIANÇAS PEQUENAS. Texto na íntegra

COMPREENSÃO DA ESCRITA ENTRE CRIANÇAS PEQUENAS. Texto na íntegra COMPREENSÃO DA ESCRITA ENTRE CRIANÇAS PEQUENAS TOLEDO, Daniela Maria de (Mestranda) RODRIGUES, Maria Alice de Campos (Orientadora); UNESP FCLAr Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar CAPES Texto

Leia mais

Marta Kohl de Oliveira Algumas Contribuições da Psicologia Cognitiva

Marta Kohl de Oliveira Algumas Contribuições da Psicologia Cognitiva Marta Kohl de Oliveira Algumas Contribuições da Psicologia Cognitiva A criança que chega à escola é um indivíduo que sabe coisas e que opera intelectualmente de acordo com os mecanismos de funcionamento

Leia mais

Lev Vygotsky, o teórico do ensino como processo social

Lev Vygotsky, o teórico do ensino como processo social Page 1 of 9 Lev Vygotsky, o teórico do ensino como processo social A obra do psicólogo ressalta o papel da escola no desenvolvimento mental das crianças e é uma das mais estudadas pela pedagogia contemporânea

Leia mais

O BRINCAR E SUA FUNÇÃO NA INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA EM INSTITUIÇÕES ESCOLARES: O QUE DIZEM OS PSICOPEDAGOGOS? DIOGO SÁ DAS NEVES

O BRINCAR E SUA FUNÇÃO NA INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA EM INSTITUIÇÕES ESCOLARES: O QUE DIZEM OS PSICOPEDAGOGOS? DIOGO SÁ DAS NEVES 1 O BRINCAR E SUA FUNÇÃO NA INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA EM INSTITUIÇÕES ESCOLARES: O QUE DIZEM OS PSICOPEDAGOGOS? Introdução DIOGO SÁ DAS NEVES A Psicopedagogia compromete-se primordialmente com o sistema

Leia mais

Palavras chave: Teatro Criatividade Espontaneidade - Imaginação

Palavras chave: Teatro Criatividade Espontaneidade - Imaginação INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE NA ESCOLA: O MÉTODO DRAMÁTICO E IMAGINAÇÃO CRIATIVA NA ESCOLA Nayara Lopes Botelho Acadêmica de Artes Cênicas do IFTO Campus Gurupi nayara_lb@hotmail.com Resumo. Edna Maria Cruz

Leia mais

Palavras-chave: Educação; Funções Psicológicas Superiores; Consciência

Palavras-chave: Educação; Funções Psicológicas Superiores; Consciência AS CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA PSICOLÓGICA SÓCIO HISTÓRICA PARA A EDUCAÇÃO E A CONSTITUIÇÃO DOS PROCESSOS E FUNÇÕES PSICOLÓGICAS SUPERIORES E DA CONSCIÊNCIA Mara Silvia Cabral de Melo Kato marakatto@yahoo.com.br

Leia mais

DA TAREFA AO PRAZER DE ESTUDAR: A RELEVÂNCIA DA MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA

DA TAREFA AO PRAZER DE ESTUDAR: A RELEVÂNCIA DA MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA DA TAREFA AO PRAZER DE ESTUDAR: A RELEVÂNCIA DA MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA Introdução Elvenice Tatiana Zoia 1 Aparecida Favoreto 2 Danielly da Rosa 3 Os balanços realizados pelo sistema de avaliação da educação

Leia mais

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CURSO DE GRADUAÇAO EM PEDAGOGIA LICENCIAMENTO EAD

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CURSO DE GRADUAÇAO EM PEDAGOGIA LICENCIAMENTO EAD UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CURSO DE GRADUAÇAO EM PEDAGOGIA LICENCIAMENTO EAD Município: Pirassununga Estado: São Paulo Turma: 440 Pólo: Fundação de Ensino de Pirassununga Tutor (a): Inez Nunes Paula

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA PIAGETIANA PARA O PROCESSO DE ENSINO- APRENDIZAGEM.

AS CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA PIAGETIANA PARA O PROCESSO DE ENSINO- APRENDIZAGEM. AS CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA PIAGETIANA PARA O PROCESSO DE ENSINO- APRENDIZAGEM. Maria Rafaela de Oliveira Graduanda FECLESC/UECE Géssica Cryslânia da Silva Graduanda FECLESC/UECE Janete Rodrigues de Lima

Leia mais

Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural

Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural Camila Turati Pessoa (Universidade Federal de Uberlândia) camilatpessoa@gmail.com Ruben de Oliveira

Leia mais

Profa. Dra. Mônica Cintrão França Ribeiro. Unidade III TEORIAS PSICOLÓGICAS

Profa. Dra. Mônica Cintrão França Ribeiro. Unidade III TEORIAS PSICOLÓGICAS Profa. Dra. Mônica Cintrão França Ribeiro Unidade III TEORIAS PSICOLÓGICAS DO DESENVOLVIMENTO Ementa Estudo do desenvolvimento do ciclo vital humano a partir de diferentes teorias psicológicas. Compreender

Leia mais

As diferentes linguagens da criança: o jogo simbólico

As diferentes linguagens da criança: o jogo simbólico As diferentes linguagens da criança: o jogo simbólico Mariana Antoniuk 1 Dêivid Marques 2 Maria Angela Barbato Carneiro ( orientação) 3 Abordando as diferentes linguagens da criança neste ano, dentro do

Leia mais

Principais discussões sobre o ensino-aprendizagem de matemática na educação infantil

Principais discussões sobre o ensino-aprendizagem de matemática na educação infantil 1 Introdução: A matemática é uma disciplina de fundamental importância na vida de todo mundo. Desde tempos antigos o ensino dessa matéria vem fazendo cada vez mais parte da vida dos seres humanos. Basta

Leia mais

O CONCEITO DE TEMPO: DA ABORDAGEM COGNITIVA À PERSPECTIVA SÓCIO-INTERACIONISTA

O CONCEITO DE TEMPO: DA ABORDAGEM COGNITIVA À PERSPECTIVA SÓCIO-INTERACIONISTA Nome: Dilma Célia Mallard Scaldaferri GT do Ensino de História e Educação Área temática: Teoria, historiografia e metodologia - Simpósio 37 O CONCEITO DE TEMPO: DA ABORDAGEM COGNITIVA À PERSPECTIVA SÓCIO-INTERACIONISTA...

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS CONTOS DE FADAS PARA A CONSTRUÇÃO DO IMAGINÁRIO DAS CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTÂNCIA DOS CONTOS DE FADAS PARA A CONSTRUÇÃO DO IMAGINÁRIO DAS CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DOS CONTOS DE FADAS PARA A CONSTRUÇÃO DO IMAGINÁRIO DAS CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Fernanda Maria Sousa Martins; Valdiêgo José Monteiro Tavares; Larissa Mabrine Dias da Silva; Professor

Leia mais

mhtml:file://c:\documents and Settings\Angela Freire\Meus documentos\cenap 2...

mhtml:file://c:\documents and Settings\Angela Freire\Meus documentos\cenap 2... Page 1 of 6 O lúdico na educação infantil Com relação ao jogo, Piaget (1998) acredita que ele é essencial na vida da criança. De início tem-se o jogo de exercício que é aquele em que a criança repete uma

Leia mais

TEORIAS SÓCIO-HISTÓRICAS MODELO HISTÓRICO CULTURAL DE LEV VYGOTSKY

TEORIAS SÓCIO-HISTÓRICAS MODELO HISTÓRICO CULTURAL DE LEV VYGOTSKY TEORIAS SÓCIO-HISTÓRICAS MODELO HISTÓRICO CULTURAL DE LEV VYGOTSKY PLANOS GENÉTICOS FILOGÊNESE ONTOGÊNESE SOCIOGÊNESE MICROGÊNESE PLANOS GENÉTICOS história da espécie humana FILOGÊNESE ONTOGÊNESE SOCIOGÊNESE

Leia mais

A RELEVÂNCIA DA FAMÍLIA NO DESENVOLVIMENTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL

A RELEVÂNCIA DA FAMÍLIA NO DESENVOLVIMENTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL A RELEVÂNCIA DA FAMÍLIA NO DESENVOLVIMENTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL Thiago Bogado Dantas 1 Andreia Nakamura Bondezan 2 RESUMO A pessoa com deficiência intelectual necessita de mediações que

Leia mais

Palavras-chave: Concepção histórico-cultural pedagogia histórico-crítica Vila Princesa Interação social - processos psicológicos superiores.

Palavras-chave: Concepção histórico-cultural pedagogia histórico-crítica Vila Princesa Interação social - processos psicológicos superiores. AS PRINCIPAIS CONTRIBUIÇÕES DE VYGOTSKY DANDO ÊNFASE AOS PROCESSOS PSICOLÓGICOS SUPERIORES NO ASPECTO EDUCACIONAL DE CRIANÇAS DE CINCO E SEIS ANOS: UMA EXPERIÊNCIA NA COMUNIDADE DA VILA PRINCESA Cilene

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO Marcelo Moura 1 Líbia Serpa Aquino 2 Este artigo tem por objetivo abordar a importância das atividades lúdicas como verdadeiras

Leia mais

A EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO: VIVENDO E APRENDENDO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

A EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO: VIVENDO E APRENDENDO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL P á g i n a 123 A EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO: VIVENDO E APRENDENDO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Fábio de Melo BANDEIRA (Esp./UEG) (fabiobandeira@ueg.br) Ludimilla Ribeiro de ALMEIDA (UEG/G) (lu_dimilla22@hotmail.com)

Leia mais

A CONCEPÇÃO DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO EM VIGOTSKI E A AVALIAÇÃO ESCOLAR 1

A CONCEPÇÃO DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO EM VIGOTSKI E A AVALIAÇÃO ESCOLAR 1 A CONCEPÇÃO DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO EM VIGOTSKI E A AVALIAÇÃO ESCOLAR 1 Silvia Pereira Gonzaga de Moraes Universidade Estadual de Maringá - UEM-PR. Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Atividade

Leia mais

DISCURSOS E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DE PROFESSORAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL NA PERSPECTIVA HISTÓRICO-CULTURAL

DISCURSOS E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DE PROFESSORAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL NA PERSPECTIVA HISTÓRICO-CULTURAL DISCURSOS E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DE PROFESSORAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL NA PERSPECTIVA HISTÓRICO-CULTURAL Cíntia Resende Corrêa 1 - UNIUBE Resumo O objeto desta pesquisa são os discursos e as práticas pedagógicas

Leia mais

A LITERATURA INFANTIL COMO UM IMPORTANTE INSTRUMENTO NO PROCESSO DE APROPRIAÇÃO DA LINGUAGEM ESCRITA PELA CRIANÇA.

A LITERATURA INFANTIL COMO UM IMPORTANTE INSTRUMENTO NO PROCESSO DE APROPRIAÇÃO DA LINGUAGEM ESCRITA PELA CRIANÇA. A LITERATURA INFANTIL COMO UM IMPORTANTE INSTRUMENTO NO PROCESSO DE APROPRIAÇÃO DA LINGUAGEM ESCRITA PELA CRIANÇA. FABIANO JOSÉ COLOMBO (UNESP - MARÍLIA). Resumo O ensino da língua materna e a formação

Leia mais

FENÔMENOS DA NATUREZA: REPRESENTAÇÕES INFANTIS E MEDIAÇÃO DO PROFESSOR INTRODUÇÃO

FENÔMENOS DA NATUREZA: REPRESENTAÇÕES INFANTIS E MEDIAÇÃO DO PROFESSOR INTRODUÇÃO FENÔMENOS DA NATUREZA: REPRESENTAÇÕES INFANTIS E MEDIAÇÃO DO PROFESSOR Palara-chave: conceitos da criança, pedagogia Nerli Nonato Ribeiro Mori Nara Cristina Miranda Universidade Estadual de Maringá INTRODUÇÃO

Leia mais

Vygotsky e o desenvolvimento humano

Vygotsky e o desenvolvimento humano Vygotsky e o desenvolvimento humano Elaine Rabello José Silveira passos O que é Desenvolvimento Humano? A noção de desenvolvimento está atrelada a um contínuo de evolução, em que nós caminharíamos ao longo

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA 1 A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA INTRODUÇÃO O tema a ser estudado tem como finalidade discutir a contribuição da Educação Física enquanto

Leia mais

ORGANIZACÃO DAS TURMAS NO SISTEMA MONTESSORIANO: uma experiência de agrupamento por idades diferenciadas na educação infantil.

ORGANIZACÃO DAS TURMAS NO SISTEMA MONTESSORIANO: uma experiência de agrupamento por idades diferenciadas na educação infantil. ORGANIZACÃO DAS TURMAS NO SISTEMA MONTESSORIANO: uma experiência de agrupamento por idades diferenciadas na educação infantil. Fabricia Pereira Teles Profª da rede pública e particular de ensino Introdução

Leia mais

Índice. 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3

Índice. 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3 GRUPO 6.1 MÓDULO 4 Índice 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3 1.1. Desenvolvimento e Aprendizagem de Jovens e Adultos... 4 1.1.1. Educar na Diversidade... 5 1.2. Os Efeitos da Escolarização/Alfabetização

Leia mais

A CRIANÇA E O JOGO:UMA RELAÇÃO NECESSÁRIA

A CRIANÇA E O JOGO:UMA RELAÇÃO NECESSÁRIA A CRIANÇA E O JOGO:UMA RELAÇÃO NECESSÁRIA 1 INTRODUÇÃO JOÃO DERLI DE SOUZA SANTOS CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRUSQUE - UNIFEBE-BRUSQUE-SC- BRASIL derli@unifebe.edu.br A relevância deste estudo se justifica

Leia mais

12 Teoria de Vigotsky - Conteúdo

12 Teoria de Vigotsky - Conteúdo Introdução Funções psicológicas superiores Pilares da teoria de Vigotsky Mediação Desenvolvimento e aprendizagem Processo de internalização Níveis de desenvolvimento Esquema da aprendizagem na teoria de

Leia mais

Instituto Educacional Santa Catarina. Faculdade Jangada. Atenas Cursos

Instituto Educacional Santa Catarina. Faculdade Jangada. Atenas Cursos Instituto Educacional Santa Catarina Faculdade Jangada Atenas Cursos Curso de Capacitação em AEE Aluna: Ivete D. Poleto De Cezare Vanini, 01 de Maio de 2015. 1 - Tema: Deficiência Intelectual 2 - Problema:

Leia mais

A VISÃO DOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA QUANTO ÀS ATIVIDADES LÚDICAS COMO MEIO DE ENSINO DE ESPORTES.

A VISÃO DOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA QUANTO ÀS ATIVIDADES LÚDICAS COMO MEIO DE ENSINO DE ESPORTES. A VISÃO DOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA QUANTO ÀS ATIVIDADES LÚDICAS COMO MEIO DE ENSINO DE ESPORTES. FERNANDES, Jaqueline S. da S. & FONSECA, Viviane S. O. 1, Márcia Regina Walter 2. 1- Acadêmico do

Leia mais

TEORIA DA MEDIAÇÃO DE LEV VYGOTSKY

TEORIA DA MEDIAÇÃO DE LEV VYGOTSKY TEORIA DA MEDIAÇÃO DE LEV VYGOTSKY Sérgio Choiti Yamazaki Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul Lev Semenovich Vygotsky (1896-1934) estudou literatura na Universidade de Moscou, interessando-se primeiramente

Leia mais

TCC2036. fevereiro de 2006. Pricila Kohls dos Santos. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUCRS. pricilas.ead@pucrs.

TCC2036. fevereiro de 2006. Pricila Kohls dos Santos. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUCRS. pricilas.ead@pucrs. 1 O PEDAGOGO EM MULTIMEIOS E INFORMÁTICA EDUCATIVA E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A EFICÁCIA DA UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA EDUCAÇÃO TCC2036 fevereiro de 2006 Pricila Kohls dos Santos

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Linguagem oral dominada, Representação escrita, Sistema simbólico.

PALAVRAS-CHAVE: Linguagem oral dominada, Representação escrita, Sistema simbólico. 7.00.00.00-0 - CIÊNCIAS HUMANAS 7.08.00.00-6 Educação A APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA: A LINGUAGEM ORAL DOMINADA E SUA CORRELAÇÃO COM A APRENDIZAGEM DA ESCRITA GIOVANNA GAGGINI RODON Curso de Pedagogia

Leia mais

O ensino de gramática à luz das concepções de Vygotsky

O ensino de gramática à luz das concepções de Vygotsky O ensino de gramática à luz das concepções de Vygotsky Elisabeth Ramos da Silva resumo o texto apresenta breves considerações acerca do ensino da gramática à luz das concepções de L. S. Vygotsky. Os estudos

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE Resumo ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL NICOLITTO, Mayara Cristina UEPG maycris_nic@hotmail.com CAMPOS, Graziela Vaneza de UEPG

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 JOGOS COMPUTACIONAIS E A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: CONTRIBUIÇÕES DAS PESQUISAS E DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS Regina Célia Grando Universidade São Francisco regina.grando@saofrancisco.edu.br Resumo: No presente

Leia mais

RESENHA DO LIVRO - INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS A Teoria na Prática Howard Gardner

RESENHA DO LIVRO - INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS A Teoria na Prática Howard Gardner RESENHA DO LIVRO - INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS A Teoria na Prática Howard Gardner Introdução Histórico Inteligência Múltipla X Educação Avaliação A Pluralidades das Inteligências INTRODUÇÃO A principal idéia

Leia mais

PLANO DE ENSINO DESENVOLVIMENTAL 1

PLANO DE ENSINO DESENVOLVIMENTAL 1 PLANO DE ENSINO DESENVOLVIMENTAL 1 Edslene Dias Pereira Schütz RESUMO: O trabalho pretende apresentar teorias sobre o a didática abordando assunto ressaltando a importância do plano de ensino desenvolvimental

Leia mais

O PEDAGOGO NA DOCÊNCIA E SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO- APRENDIZAGEM

O PEDAGOGO NA DOCÊNCIA E SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO- APRENDIZAGEM O PEDAGOGO NA DOCÊNCIA E SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO- APRENDIZAGEM Helena Harumi Maruyama G Pedagogia INESUL LONDRINA PR Orientadora Ms. Maria Eliza Corrêa Pacheco D Pedagogia INESUL LONDRINA PR PAINEL e-mail:

Leia mais

DESENVOLVIMENTO COGNITIVO MUSICAL ATRAVÉS DE JOGOS E BRINCADEIRAS

DESENVOLVIMENTO COGNITIVO MUSICAL ATRAVÉS DE JOGOS E BRINCADEIRAS 175 ANAIS III FÓRUM DE PESQUISA CIENTÍFICA EM ARTE Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Curitiba, 2005 DESENVOLVIMENTO COGNITIVO MUSICAL ATRAVÉS DE JOGOS E BRINCADEIRAS Marta Deckert * RESUMO: Como

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA MOTIVAÇÃO NO ENSINO A DISTÂNCIA (EAD)

A IMPORTÂNCIA DA MOTIVAÇÃO NO ENSINO A DISTÂNCIA (EAD) A IMPORTÂNCIA DA MOTIVAÇÃO NO ENSINO A DISTÂNCIA (EAD) PADILHA, Emanuele Coimbra; SELVERO, Caroline Mitidieri Graduada em Letras-Espanhol pela Universidade Federal de Santa Maria UFSM. E-mail: emanuelecp@hotmail.com

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL. SÍNTESE do PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO 1

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL. SÍNTESE do PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL 1 INTRODUÇAO SÍNTESE do PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO 1 [...] tomar a criança como ponto de partida

Leia mais

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES 1 O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES GUEDES, Shirlei Terezinha Roman 1 SCHELBAUER, Analete Regina 2 A proposta deste texto é compartilhar algumas idéias a título de primeiros

Leia mais

Conteúdos Específicos Professor Ensino Superior - Educação Infantil

Conteúdos Específicos Professor Ensino Superior - Educação Infantil Conteúdos Específicos Professor Ensino Superior - Educação Infantil 31) De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil, a Criança, centro do planejamento curricular, é considerada

Leia mais

VYGOTSKY E O PAPEL DA BRINCADEIRA NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL

VYGOTSKY E O PAPEL DA BRINCADEIRA NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL VYGOTSKY E O PAPEL DA BRINCADEIRA NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL Elisa Nélia da Cunha Brasiliense 1 Resumo: O objetivo deste texto é expor, segundo Vygotsky, a importância das brincadeiras de fazde-conta

Leia mais

pesquisa histórias arte jogos

pesquisa histórias arte jogos O Colégio Trevo oferece quatro anos de ensino na Educação Infantil: Mini Maternal,Maternal, Jardim I e Jardim II. Cada sala de aula possui ambientes exclusivos, onde alunos desenvolvem suas habilidades

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DE JEAN PIAGET E DE LEV. S. VYGOTSKY PARA A PSICOLOGIA EDUCACIONAL E PARA O PROFESSOR

CONTRIBUIÇÕES DE JEAN PIAGET E DE LEV. S. VYGOTSKY PARA A PSICOLOGIA EDUCACIONAL E PARA O PROFESSOR 1 CONTRIBUIÇÕES DE JEAN PIAGET E DE LEV. S. VYGOTSKY PARA A PSICOLOGIA EDUCACIONAL E PARA O PROFESSOR Paulo Gomes Lima Prof. Adjunto da FAED/UFGD MS. Área Fundamentos da Educação A Psicologia Educacional,

Leia mais

O JOGO EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Valéria Cristina Giacometti 1, Rosiclaire Barcelos 1, Carmen Lúcia Dias 2

O JOGO EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Valéria Cristina Giacometti 1, Rosiclaire Barcelos 1, Carmen Lúcia Dias 2 1099 O JOGO EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Valéria Cristina Giacometti 1, Rosiclaire Barcelos 1, Carmen Lúcia Dias 2 1 Discente do Mestrado em Educação da Universidade do Oeste Paulista UNOESTE. 2 Docente

Leia mais

O Jogo e os Processos de Aprendizagem e Desenvolvimento: Aspectos Cognitivos e Afetivos

O Jogo e os Processos de Aprendizagem e Desenvolvimento: Aspectos Cognitivos e Afetivos O Jogo e os Processos de Aprendizagem e Desenvolvimento: Aspectos Cognitivos e Afetivos Autora: Thaís Cristina Rodrigues Tezani Profissionais da área educacional, comprometidos com a qualidade da sua prática

Leia mais

XVI ENDIPE - Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino - UNICAMP - Campinas - 2012 2

XVI ENDIPE - Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino - UNICAMP - Campinas - 2012 2 2 FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES: REFLETINDO SOBRE AS POSSIBILIDADES DE INCLUSÃO SOCIAL E DE DESENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIAS E/OU DIFICULDADES ESCOLARES Profº Dr. Irineu A. Tuim Viotto

Leia mais

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE Sérgio Dal-Ri Moreira Pontifícia Universidade Católica do Paraná Palavras-chave: Educação Física, Educação, Escola,

Leia mais

TEORIA HISTÓRICO-CULTURAL E PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA: O DESAFIO DO MÉTODO DIALÉTICO NA DIDÁTICA

TEORIA HISTÓRICO-CULTURAL E PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA: O DESAFIO DO MÉTODO DIALÉTICO NA DIDÁTICA SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ TEORIA HISTÓRICO-CULTURAL E PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA: O DESAFIO

Leia mais

INTEGRAÇÃO DOS PARADIGMAS CONTEMPORÂNEOS DA EDUCAÇÃO COM OS PILARES DA EDUCAÇÃO PARA O SÉCULO XXI 1 E ABORDAGENS DA ANÁLISE TRANSACIONAL.

INTEGRAÇÃO DOS PARADIGMAS CONTEMPORÂNEOS DA EDUCAÇÃO COM OS PILARES DA EDUCAÇÃO PARA O SÉCULO XXI 1 E ABORDAGENS DA ANÁLISE TRANSACIONAL. 1 INTEGRAÇÃO DOS PARADIGMAS CONTEMPORÂNEOS DA EDUCAÇÃO COM OS PILARES DA EDUCAÇÃO PARA O SÉCULO XXI 1 E ABORDAGENS DA ANÁLISE TRANSACIONAL Paradigmas da educação Competências Paradigmas contemporâneos

Leia mais

DESAFIOS PARA FORMAÇÃO DE UM DOCENTE DE DESENHO INDUSTRIAL Sandra Lúcia de Oliveira Martins

DESAFIOS PARA FORMAÇÃO DE UM DOCENTE DE DESENHO INDUSTRIAL Sandra Lúcia de Oliveira Martins DESAFIOS PARA FORMAÇÃO DE UM DOCENTE DE DESENHO INDUSTRIAL Sandra Lúcia de Oliveira Martins INTRODUÇÃO A permanente a preocupação com a formação docente e a falta de prática em sala de aula, que não conduz

Leia mais

O ESSENCIAL DA DIDÁTICA E O TRABALHO DE PROFESSOR EM BUSCA DE NOVOS CAMINHOS

O ESSENCIAL DA DIDÁTICA E O TRABALHO DE PROFESSOR EM BUSCA DE NOVOS CAMINHOS 1 O ESSENCIAL DA DIDÁTICA E O TRABALHO DE PROFESSOR EM BUSCA DE NOVOS CAMINHOS José Carlos Libâneo Os alunos mais velhos comentam entre si: Gosto dessa professora porque ela tem didática. Os mais novos

Leia mais

POSSIBILIDADES PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO HUMANO

POSSIBILIDADES PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO HUMANO POSSIBILIDADES PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO HUMANO Fábia Almeida Marinêz Alves 1 RESUMO: A construção do conhecimento humano alicerça-se nas experiências cultural e social do homem, a partir de sua

Leia mais

O VERDADEIRO MUNDO DA CRECHE: EDUCAR OU PRESTAR ASSISTÊNCIA? Drielly Adrean Batista, Rita Melissa Lepre, Rodrigo Cesar Costa, Aline kadooka.

O VERDADEIRO MUNDO DA CRECHE: EDUCAR OU PRESTAR ASSISTÊNCIA? Drielly Adrean Batista, Rita Melissa Lepre, Rodrigo Cesar Costa, Aline kadooka. 1175 O VERDADEIRO MUNDO DA CRECHE: EDUCAR OU PRESTAR ASSISTÊNCIA? Drielly Adrean Batista, Rita Melissa Lepre, Rodrigo Cesar Costa, Aline kadooka. Programa de pós-graduação em psicologia da Universidade

Leia mais

PIAGET, VIGOTSKI E A EDUCAÇÃO

PIAGET, VIGOTSKI E A EDUCAÇÃO PIAGET, VIGOTSKI E A EDUCAÇÃO Elisabeth Rossetto 1 Hélio Clemente Fernandes 2 Introdução O objetivo deste texto é apresentar alguns elementos do pensamento de Jean Piaget e Lev S. Vigotski 3, no intuito

Leia mais

Ensino Fundamental II Projeto Eu Com

Ensino Fundamental II Projeto Eu Com Ensino Fundamental II Projeto Eu Com A proposta educacional do Colégio Nacional, consolidada no Projeto Eu Com, leva em consideração o alcance dos objetivos propostos em Lei para o Ensino Fundamental II,

Leia mais

LEITURA E LITERATURA NA FORMAÇÃO DA CRIANÇA

LEITURA E LITERATURA NA FORMAÇÃO DA CRIANÇA LEITURA E LITERATURA NA FORMAÇÃO DA CRIANÇA Suellen Lopes 1 Graduação Universidade Estadual de Londrina su.ellen23@hotmail.com Rovilson José da Silva 2 Universidade Estadual de Londrina rovilson@uel.br

Leia mais

A criança e o brincar: um olhar sobre a importância do brincar no desenvolvimento infantil

A criança e o brincar: um olhar sobre a importância do brincar no desenvolvimento infantil A criança e o brincar: um olhar sobre a importância do brincar no desenvolvimento infantil RESUMO: O presente artigo é resultado da pesquisa realizada na disciplina de Recursos Tecnológicos, Pedagógicos

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Rio de Mouro Padre Alberto Neto CÓDIGO 170318. Sub-departamento de Educação Especial

Agrupamento de Escolas de Rio de Mouro Padre Alberto Neto CÓDIGO 170318. Sub-departamento de Educação Especial Sub-departamento de Educação Especial A deficiência mental interfere directamente no funcionamento intelectual do ser humano, sendo este abaixo da média. O aluno apresenta comprometidos, além das funções

Leia mais

PRINCÍPIOS EPISTEMOLÓGICOS

PRINCÍPIOS EPISTEMOLÓGICOS Piaget PRINCÍPIOS EPISTEMOLÓGICOS Vygotsky Wallon Freire EXPERIÊNCIA BASE COGNITIVA INTERNA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO UM DOS MECANISMOS DA CONSTRUÇÃO DO SABER ESFORÇO DE COMPREENDER E DAR SIGNIFICADO

Leia mais

A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE ENSINO (OU DE UNIDADES DIDÁTICAS) CONFORME A TEORIA DO ENSINO DESENVOLVIMENTAL ( * )

A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE ENSINO (OU DE UNIDADES DIDÁTICAS) CONFORME A TEORIA DO ENSINO DESENVOLVIMENTAL ( * ) A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE ENSINO (OU DE UNIDADES DIDÁTICAS) CONFORME A TEORIA DO ENSINO DESENVOLVIMENTAL ( * ) José Carlos Libâneo Raquel A. M. da Madeira Freitas http://professor.ucg.br/sitedocente/home/disciplina.asp?key=5146&id=3552

Leia mais

PRÁTICAS DIDÁTICAS NO ENSINO DE ESPANHOL PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL 1

PRÁTICAS DIDÁTICAS NO ENSINO DE ESPANHOL PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL 1 PRÁTICAS DIDÁTICAS NO ENSINO DE ESPANHOL PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL 1 Caroline Veloso da Silva Programa de Pós-Graduação em Educação Especial PPGEEs - UFSCar CAPES Eixo Temático: 1-Pesquisa em

Leia mais

O PAPEL DOS JOGOS LÚDICOS NA EDUCAÇÃO CONTEMPORÂNEA

O PAPEL DOS JOGOS LÚDICOS NA EDUCAÇÃO CONTEMPORÂNEA O PAPEL DOS JOGOS LÚDICOS NA EDUCAÇÃO CONTEMPORÂNEA Patrícia Raffin Ancinelo 1 Leia Palma Caldeira 2 Resumo A utilização de jogos lúdicos auxilia o sujeito aprendente durante a construção de novas estruturas

Leia mais

A ELABORAÇÃO DA PROPOSTA CURRICULAR DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL

A ELABORAÇÃO DA PROPOSTA CURRICULAR DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL A ELABORAÇÃO DA PROPOSTA CURRICULAR DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL Resumo OLIVEIRA Luciana de FIGUEIRDEDO Anelice Maria banhara BANHARA Aline fátima BELTRAME Lisaura Maria Eixo Temático: Educação

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR

ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR Luciana Barros Farias Lima e Claudia Regina Pinheiro Machado Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro UNIRIO lucpeda@gmail.com

Leia mais

Palavras Chave: Material Concreto. Aprendizagem e Ensino de Matemática.

Palavras Chave: Material Concreto. Aprendizagem e Ensino de Matemática. O USO DO MATERIAL CONCRETO NO ENSINO DA MATEMÁTICA Francisca Marlene da Silva Bolsista da PRAE-FECLESC/UECE Déborah Almeida Cunha Bolsista da PRAE-FECLESC/UECE Aline Araújo da Silva Graduanda-FECLESC/UECE

Leia mais

Leitura na Educação Infantil: Implicações da Teoria Histórico Cultural

Leitura na Educação Infantil: Implicações da Teoria Histórico Cultural Leitura na Educação Infantil: Implicações da Teoria Histórico Cultural EIXO 7 Pesquisa, Leitura, Escrita e Educação Ana Laura Ribeiro da Silva (Doutoranda) Cyntia Graziella Guizelim Simões Girotto (Orientadora)

Leia mais

UPP do São João, Matriz e Quieto: Algumas considerações acerca do trabalho dos policiais com as crianças dessas comunidades

UPP do São João, Matriz e Quieto: Algumas considerações acerca do trabalho dos policiais com as crianças dessas comunidades UPP do São João, Matriz e Quieto: Algumas considerações acerca do trabalho dos policiais com as crianças dessas comunidades Alessandro Luís Corrêa 1 RESUMO Este artigo foi baseado na prática profissional

Leia mais

Unidade I. Estrutura e Organização. Infantil. Profa. Ana Lúcia M. Gasbarro

Unidade I. Estrutura e Organização. Infantil. Profa. Ana Lúcia M. Gasbarro Unidade I Estrutura e Organização da Escola de Educação Infantil Profa. Ana Lúcia M. Gasbarro Introdução A disciplina Estrutura e Organização da Escola de Educação Infantil tem o objetivo de provocar reflexões

Leia mais

A ARTE DE BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Estudante de Pedagogia pela FECLESC / UECE Resumo

A ARTE DE BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Estudante de Pedagogia pela FECLESC / UECE Resumo A ARTE DE BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Maria Elany Nogueira da Silva Estudante de Pedagogia pela FECLESC / UECE Resumo Este presente artigo pretende refletir idéias sobre o brincar na Educação Infantil,

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL

AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL Sheila Valéria Pereira da Silva (UFPB Campus-IV) sheilavaleria88@yahoo.com.br

Leia mais

História. ADAV: Associação para o Desenvolvimento e a Assistência de Talentos e Vocações

História. ADAV: Associação para o Desenvolvimento e a Assistência de Talentos e Vocações História ADAV: Associação para o Desenvolvimento e a Assistência de Talentos e Vocações Em 1929, convidada a dirigir um dos primeiros laboratórios de psicologia de Minas Gerais, ligado à Escola de Aperfeiçoamento

Leia mais

3 a 5. 6 a 10. 11 a 14. Faixa Etária Prevista. Etapa de Ensino. Duração. Educação Infantil. anos. Ensino Fundamental: Anos Iniciais. 5 anos.

3 a 5. 6 a 10. 11 a 14. Faixa Etária Prevista. Etapa de Ensino. Duração. Educação Infantil. anos. Ensino Fundamental: Anos Iniciais. 5 anos. Etapa de Ensino Faixa Etária Prevista Duração Educação Infantil 3 a 5 anos Ensino Fundamental: Anos Iniciais 6 a 10 anos 5 anos Ensino Fundamental: Anos Finais 11 a 14 anos 4 anos EDUCAÇÃO INFANTIL EDUCAÇÃO

Leia mais

A MOTIVAÇÃO É A ESSÊNCIA PARA APRENDER MATEMÁTICA

A MOTIVAÇÃO É A ESSÊNCIA PARA APRENDER MATEMÁTICA A MOTIVAÇÃO É A ESSÊNCIA PARA APRENDER MATEMÁTICA Sandro Onofre Cavalcante sandro-professor@hotmal.com José Carlos Lourenço FIP Faculdade Integrada de Patos JCLS956@hotmail.com Adriano Alves da Silveira

Leia mais

Jogos de faz-de-conta: contribuições para a aquisição da linguagem escrita na infância

Jogos de faz-de-conta: contribuições para a aquisição da linguagem escrita na infância 11 Jogos de faz-de-conta: contribuições para a aquisição da linguagem escrita na infância Thais Batista de MELO Curso de Pedagogia FACED UFU (thaisdmelo@hotmail.com) Elieuza Aparecida de LIMA Departamento

Leia mais

Câmpus Alfenas SUMÁRIO. Cláudio Novaes... 2. Eliane Souza dos Santos... 3. Elizabeth Aparecida Santos de Oliveira... 4. Fernanda Alice de Santana...

Câmpus Alfenas SUMÁRIO. Cláudio Novaes... 2. Eliane Souza dos Santos... 3. Elizabeth Aparecida Santos de Oliveira... 4. Fernanda Alice de Santana... Câmpus Alfenas 14 de agosto de 2010 SUMÁRIO Cláudio Novaes... 2 Eliane Souza dos Santos... 3 Elizabeth Aparecida Santos de Oliveira... 4 Fernanda Alice de Santana...5 Mary Silva Faria... 6 Valéria de Oliveira

Leia mais

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar Colégio La Salle São João Professora Kelen Costa Educação Infantil Educação Infantil- Brincar também é Educar A importância do lúdico na formação docente e nas práticas de sala de aula. A educação lúdica

Leia mais

Palavras-Chave: Educação Infantil. Portfólios Avaliativos. Teoria Histórico-Cultural.

Palavras-Chave: Educação Infantil. Portfólios Avaliativos. Teoria Histórico-Cultural. IMPLANTAÇÃO DOS PORTFÓLIOS AVALIATIVOS NOS CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL CAMPUS - UEL E HU Eixo 4: Práticas Pedagógicas, Culturas Infantis e Produção Cultural para crianças pequenas Cassiana Magalhães Raizer

Leia mais

JOGOS ENQUANTO RECURSOS METODOLÓGICOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA

JOGOS ENQUANTO RECURSOS METODOLÓGICOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA JOGOS ENQUANTO RECURSOS METODOLÓGICOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA Joyciane Oliveira Saraiva Graduanda de Licenciatura em Pedagogia da Universidade Federal do Piauí (UFPI) Juvena de Freitas Brito- Graduanda

Leia mais

HORA DO CONTO: NA EDUCAÇÃO INFANTIL... 1019

HORA DO CONTO: NA EDUCAÇÃO INFANTIL... 1019 HORA DO CONTO: NA EDUCAÇÃO INFANTIL... 1019 HORA DO CONTO: NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Evelise Raquel de Pontes Mariane Soares Sana Orientadora: Renata Junqueira de Souza. Instituição: Universidade Estadual

Leia mais

DEFICIÊNCIA MENTAL: O PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DE CONTEÚDOS MATEMÁTICOS

DEFICIÊNCIA MENTAL: O PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DE CONTEÚDOS MATEMÁTICOS 1 DEFICIÊNCIA MENTAL: O PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DE CONTEÚDOS MATEMÁTICOS BONDEZAN, Andreia Nakamura GOULART Áurea Maria Paes Leme A matemática tem sido considerada uma disciplina de difícil compreensão

Leia mais

Isaias Holowate (isaiasholowate@gmail.com) Silvana Maura Batista de Carvalho. 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1

Isaias Holowate (isaiasholowate@gmail.com) Silvana Maura Batista de Carvalho. 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA

Leia mais

RECURSOS E TECNOLOGIAS PARA O ENSINO DO ALUNO COM DEFICIÊNCIA VISUAL

RECURSOS E TECNOLOGIAS PARA O ENSINO DO ALUNO COM DEFICIÊNCIA VISUAL RECURSOS E TECNOLOGIAS PARA O ENSINO DO ALUNO COM DEFICIÊNCIA VISUAL HILDA TEIXEIRA GOMES VILMA GOMES SAMPAIO ctbiha@rioeduca.net INSTITUTO MUNICIPAL HELENA ANTIPOFF 1 INTRODUÇÃO Pensando em uma escola

Leia mais