Profª Ellen R. S. Quadrado. Parte 1

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Profª Ellen R. S. Quadrado. Parte 1"

Transcrição

1 Parte 1

2 Planejamento: Função administrativa que visa aprimorar o processo de tomada de decisão. Foco: Alcance dos objetivos pré-estabelecidos, antecipando oportunidades. Relação: Decisão do Presente e do Futuro de uma Organização. Administrador: auxílio na condução de seus negócios X à sua habilidade de gestão. SOUZA, 2009

3 Na Saúde: - Governamentais; - Legais; - Tecnológicas; - Pesquisas Científicas: Avanços Diagnósticos.

4

5

6 Alta Administração: - Preocupação com o ambiente externo da organização; - Posições de concorrência; - Tendências do mercado; - Ações governamentais; - Define as diretrizes e elabora as estratégias da empresa; Tomada de decisão direcionam o rumo de toda empresa!

7

8 Gerentes, Coordenadores, Líderes: - Percepção externa e interna da organização; - Conhecer o ambiente externo; - Viabiliza estratégias internas; - Implementa diretrizes definidas pela Alta Administração (Técnica de Benchmarking);

9 Supervisores e Executores: -...fazer acontecer... ; - Acompanhar as ações que geram o produto ou o serviço da empresa; - Tomada de decisão determinam maior grau de detalhe de como as operações/rotinas devem ser realizados;

10 Supervisores e Executores: -...fazer acontecer... ; - Acompanhar as ações que geram o produto ou o serviço da empresa; - Tomada de decisão determinam maior grau de detalhe de como as operações/rotinas devem ser realizados;

11 Visão: É a declaração de direção em que a empresa pretende seguir, personalidade e caráter da empresa. - Deve refletir as aspirações da empresa e suas crenças. ATENÇÃO A Visão deve ser estabelecida tendo em vista o cumprimento de um objetivo Imagem negativa.

12 Exemplos de Visão: Hospital Samaritano Ser reconhecido pela sociedade como o hospital que supera as expectativas dos clientes. Hospital Israelita Albert Einstein Ser líder e inovadora na assistência médico-hospitalar, referência na gestão do conhecimento e reconhecida pelo comprometimento com a responsabilidade social.

13 Missão: Essa declaração deve refletir a razão de ser da empresa, o seu propósito e o que ela faz. Geralmente é curta.

14 Deve responder as seguintes questões: - Que clientes sua empresa atende ou pretende atender? - Que produtos ou serviços sua empresa pretende oferecer? - Que necessidades de mercado sua empresa atende? Qual é o mercado que sua empresa compete? - Qual é o diferencial tecnológico dos produtos e serviços da sua empresa em relação à concorrência? - Qual é o comprometimento de sua empresa em relação aos seus objetivos econômicos, crescimento e lucratividade? - Qual é a imagem que sua empresa tem ou pretende ter perante seus clientes e a comunidade em geral? - Qual é a atitude da sua empresa em relação aos seus colaboradores?

15 Exemplos de Missão: Hospital Copa D Or Prestar atendimento médico-hospitalar de alta eficácia, com equipes qualificadas e motivadas, respeitando a ética e o indivíduo em seu contexto social. Sistema de saúde Mãe de Deus Cuidar da saúde, através da assistência física, espiritual e social, fundamentada nos valores da Congregação, no conhecimento e na gestão autossustentável.

16 Valores: São princípios básicos que todas as pessoas envolvidas numa organização devem levar em consideração nas suas atividades cotidianas. - Fundamentam crenças organizacionais; - São adjetivos da organização; - Nortear condutas a serem seguidas na organização no sentido de definir toda estratégia do desenvolvimento das pessoas envolvidas. Deve responder a seguinte questão: - Quais são as crenças e os princípios que devemos integrar no diaa-dia da nossa organização? Exemplos de Valores: Ética, Agilidade, Respeito, Comprometimento, Segurança entre outros.

17 Exemplos de Valores: Hospital Santa Catarina Ética Espiritualidade Tradição e Confiabilidade Desenvolvimento Humano Responsabilidade Social e Ambiental Hospital Moinhos de Vento Respeito ao ser humano Qualidade Preservação da história Espiritualidade Autossustentabilidade Valorização profissional Organização e limpeza Assistência integral Alianças Formação e capacitação Cidadania Preservação da natureza Disciplina

18 Análise do Ambiente Externo (Oportunidades e Ameaças) é um dos pilares do planejamento estratégico. Devem ser considerados: Ramo de Negócios, Ações do Governo, Tecnologia, Conjuntura econômica e sociedade... Quanto mais competitivo, instável e complexo o ambiente, maior a necessidade de analisá-lo.

19 Monitorar forças do macroambiente

20 Monitorar forças do microambiente

21 É importante identificar as Oportunidades e Ameaças

22 Análise do Ambiente interno - Forças e Fraquezas ou pontos fortes e pontos a melhorar. Análise da Situação Atual (Matriz SWOT) - Strenghs = Pontos Fortes - Weaknesses = Pontos Fracos - Opportunities = Oportunidades - Treats = Ameaças Traça uma análise da situação atual do negócio e deve ser refeita regularmente, dependendo da velocidade mudança do ambiente.

23 É a ferramenta mais utilizada na Gestão Estratégica Competitiva

24 SETOR: CHECKLIST PARA ANÁLISE DE DESEMPENHO DAS FORÇAS E FRAQUEZAS Resp. DESEMPENHO GRAU DE IMPORTÂNCIA MAPEAMENTO Força Importante Força mediana Neutro Fraqueza Importante Fraqueza Mediana ALTA MÉDIA BAIXA RECURSOS HUMANOS 1. Liderança x x 2. Integração - trabalho em equipe x x 3. Quantidade de Pessoal x x 4. Qualificação de Pessoal x x INFRA-ESTRUTURA - AMBIENTE 3. Espaço físico x x 4. Acessos x x INFRA-ESTUTURA - TECNOLOGIA 5. Sistema Informatizado x x 6. Equipamentos x x 7. Sistema GESTÃO 8. Controle de Custos x x 9. Informações disponibilizadas x x QUALIDADE 10. Normas x x 11. Método de Trabalho x x 12. Rotinas x x OUTROS Hotelaria x x Nutrição x x Eng. Clínica x x Laboratório x x Serviço de Imagem x x Higiene x x Manutenção x x Tecnologia da Informação x x

25 SETOR: CHECKLIST PARA ANÁLISE DE DESEMPENHO DAS OPORTUNIDADES E AMEAÇAS DESEMPENHO MAPEAMENTO Oport. Importante Oport. mediana Neutro Ameaça Importante Ameaça Mediana ALTA MÉDIA BAIXA CONCORRÊNCIA X X Resp. GRAU DE IMPORTÂNCIA TECNOLOGIA X X MÍDIA X X SOCIEDADE X X LEGISLAÇÃO X X ECONOMIA X X MEIO AMBIENTE

26 Forças Fraquezas Oportunidades - Participação da Gerência - Recursos Humanos (Quantidade e Qualificação) - Tecnologia (Equipamentos) - Protocolos e Métodos implantados - Controle de Custos - Gerenciamento de leitos - Implantação de Score de gravidade de pacientes - Referência para a operadora - Nível 3 (série histórica) Ameaças - Concorrência (Talentos e clientes) - Marketing externo - Sistema Informatizado (todos os segmentos e Depto Pessoal) - Sub-utilização da unidade por gravidade

27 Forças Fraquezas Oportunidades - Participação da Gerência - Recursos Humanos (Quantidade e Qualificação) - Tecnologia (Equipamentos) - Protocolos e Métodos implantados - Nível 3 (Acreditação) - Controle de Custos - Referência para operadora (plano diretor) - Estrutura Física (Guarda de equipamentos) - Locação de equipamentos - Implantação de Score de gravidade de pacientes Ameaças - Desconhecimento do cliente interno e externo (Mercado e Unimed Nacional) - Sistema Informatizado - Sub-utilização da Unidade

28 Força Sua estratégia de marketing Um ponto ou serviço novo, inovador Posição de seu negócio frente aos concorrentes Processos e Procedimentos da qualidade Algum outro aspecto de seu negócio que adicione valor ao seu produto ou serviço Fraqueza Falta de perícia de marketing Produtos ou serviços sem diferenciais (em relação aos concorrentes) Posição de seu negócio Bens e serviços com pouca qualidade Reputação ou imagem deteriorada

29 Oportunidade Um novo mercado, uma nova forma de distribuição (internet ou novo nicho no seu atual mercado) Mudanças no perfil do consumidor (riscos comuns u mudanças estratégicas) Mover-se nos segmentos de mercado novo que oferecem melhores lucros Um mercado internacional novo Um mercado a ser explorado Ameaça Um concorrente novo em seu mercado principal Guerra de preço com os concorrentes Um concorrente tem um produto ou serviço novo ou inovador Os concorrentes têm acesso às cadeias de distribuição Taxação em seu produto ou serviço

30 FATORES INTERNOS: Força Fraqueza FATORES EXTERNOS: Oportunidade Ameaça

31 Meta: São ações específicas e mensuráveis que constituem os passos para se atingir os objetivos. Objetivo: Indicam intenções gerais da empresa e o caminho básico para se chegar ao destino que se deseja.

32 Data: 05/12/07 Revisão: 8 Responsável: Unidades Pediátricas e Neonatais CM - Controle de Metas do Planejamento Estratégico Foco estratégico: Diminuição em 20% dos custos administrativos, redução de 5% do custo assistencial. Aumento de 10% do faturamento Contrapartida: Ação: Tática Indicador Meta Perfil dos clientes das UTIs Neonatais e Pediátrica Formulário específico 100% Evolução do Projeto JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Plano de Implementação das Ações Nº Item Comprovante Contrapartida J F M A M J J A S O N D 1 2 Realizar controle das admissões das Unidades Livro de admissão Enfermeiro Classificar as admissões por acomodação (UTI ou Semi Intensiva) Livro de admissão Enfermeiro 3 Classificar as admissões por faixa de peso (UTI Neonatais) e faixa etária (UTI Pediátrica) Livro de admissão Enfermeiro 4 5 Realizar fechamento mensal Livro de admissão Enfermeiro Identificar perfil dos clientes atendidos pelas Unidades Livro de admissão Enfermeiro 6 Criar série histórica dos perfil dos clientes das UTIs Neonatais e Pediátrica Livro de admissão Enfermeiro 7 PREVISTO REALIZADO ATRASO CANCELADO

33 Data: 05/12/07 Revisão: 8 Responsável: Unidades Pediátricas e Neonatais - CM - Controle de Metas do Planejamento Estratégico Foco estratégico: Diminuição em 20% dos custos administrativos, redução de 5% do custo assistencial. Aumento de 10% do faturamento Contrapartida: Ação: Tática Indicador Meta Implementar a dispensação de Kits de procedimentos e medicamentos emconjunto com a Farmácia e Faturamento Protocolo de materiais/kit 100% Evolução do Projeto JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Plano de Implementação das Ações Nº Item Comprovante Contrapartida J F M A M J J A S O N D 1 2 Levantamento dos Kits de maior utilização Montar os kits de acordo com o levantamento e validar Planilha Censo diário na Unidade Farmácia /Faturamento/Coord. Médica Farmácia e Faturamento 3 4 Implantar a dispensação dos Kits Protocolo validado Farmácia Fazer relatório mensal Protocolo Farmácia PREVISTO REALIZADO ATRASO CANCELADO

34 Data: 05/12/07 Revisão: 8 Responsável: Unidades Pediátricas e Neonatais - CM - Controle de Metas do Planejamento Estratégico Foco estratégico: Diminuição em 20% dos custos administrativos, redução de 5% do custo assistencial. Aumento de 10% do faturamento Contrapartida: Ação: Tática Indicador Meta Realizar o II Simpósio de Enfermagem Neonatal e Obstétrica Programação do Simpósio 100% Evolução do Projeto JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Plano de Implementação das Ações Nº Item Comprovante Contrapartida J F M A M J J A S O N D Elaborar Projeto Projeto CEP/PEC Aprovar Projeto Assinatura CEP/PEC Realizar Simpósio Lista de presença CEP/PEC PREVISTO REALIZADO ATRASO CANCELADO

35 Data: 05/12/07 Revisão: 8 Responsável: Unidades Pediátricas e Neonatais - CM - Controle de Metas do Planejamento Estratégico Foco estratégico: Diminuição em 20% dos custos administrativos, redução de 5% do custo assistencial. Aumento de 10% do faturamento Contrapartida: Ação: Estratégica / Tática / Operacional Indicador Meta Redimensionamento, previsão e provisão de equipamentos Estatística da Unidade 100% Evolução do Projeto JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Plano de Implementação das Ações Nº Item Comprovante Contrapartida J F M A M J J A S O N D 1 Levantamento da necessidade Planilha 2 Aprovação de orçamento RA Diretoria Clínica / Administrativa/ Ger. Enf. 2 Aquisição de equipamentos RA Diretoria Clínica / Administrativa PREVISTO REALIZADO ATRASO CANCELADO

36 Missão Valores Objetivos Visão Metas Estratégia

37 Segundo Michael Porter Liderança de Custo: Oferecer um serviço ou produto mais barato. - Oferecer preços menores que seus concorrentes e obter mais participação no mercado. Diferenciação: A empresa concentra esforços para alcançar desempenho superior em uma determinada área de benefício para o consumidor, valorizada por grande parte do mercado. - Significa enfatizar uma ou mais vantagens competitivas como qualidade, serviço, prestígio do consumidor, estilo do produto ou aspectos das instalações.

38 Foco: A empresa escolhe um nicho ou segmento no mercado e concentra-se nele. - Conhecer as necessidades desses segmentos e obter lideranças em custos ou encontrar uma forma de se diferenciar no segmento.

39 É um sistema de controle gerencial, que atua como ferramenta de gestão estratégica, associando medidas financeiras de desempenho passado com medidas que estimulem o desempenho futuro que derivam de objetivos, visão e da estratégia da empresa. Mede o desempenho organizacional sobre 4 perspectivas equilibradas: financeira, cliente, processos internos da empresa e aprendizado e crescimento.

40

41

42 Incentiva o diálogo entre os setores, gerentes e diretores em relação a objetivos financeiros e em relação à formulação e a implantação de um estratégia destinada a produzir um desempenho excepcional no futuro. O BSC estimula a mudança, uma vez que o maior impacto está na indução dessa mudança. As metas devem ser estabelecidas entre 3 a 5 anos, e se alcançadas, transformarão a empresa de maneira quase radical.

43 Relações de Causa e Efeito Redução de convênios de baixa rentabilidade/ Redução do sistema financeiro Foco nas especialidades cirúrgicas Estruturação dos centros de custo Finanças Estrutura de Custeio Rentabilidade Capacidade de Nego Cliente Clientes selecionados Imagem de qualidade superior Processos Padronização Alta Tecnologia Pessoas Retenção de Talentos Especialização

44 Processos Estratégicos Redução de convênios de baixa rentabilidade/ Redução do sistema financeiro Foco nas especialidades cirúrgicas Estruturação dos centros de custo Finanças Estrutura de Custeio Rentabilidade Capacidade de Negociar - Business Inteligence - Custo - Preço/ Qualidade/ Rapidez e Inovação Cliente Clientes selecionados Imagem de qualidade superior - Plano de Assistência - Referência no Sistema - Gerenciamento dos Clientes de Risco - Indicadores de Infecção Hospitalar - Estrutura Física / Hotelaria - Desenvolvimento de Pesquisa Processos Padronização Alta Tecnologia - Estabelecer Processos e Fluxos operacionais - Sistemas (TI) / Equipamentos e Materiais Pessoas Retenção de Talentos / Especialização - Programa de Educação Continuada - Capacitação por competência - Recursos Humanos - Benefícios

45 ALVES, Vera L. S. Ferramentas para a Gestão Estratégica. In: Gestão da Qualidade. São Paulo: Martinari, cap 4, p

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR. Análise Crítica da Pré e Pós Certificação

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR. Análise Crítica da Pré e Pós Certificação ACREDITAÇÃO HOSPITALAR Análise Crítica da Pré e Pós Certificação A qualidade não é um conjunto de técnicas, é a maneira de pensar o seu próprio negócio e isso não da pra copiar. Fonte: hsm.com.br Hospital

Leia mais

CURSO PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO DE SAÚDE UNIMED

CURSO PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO DE SAÚDE UNIMED CURSO PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO DE SAÚDE UNIMED PROPOSTA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS FGV CORPORATIVO 12.227/14_v3 QUADRO DE DISCIPLINAS Disciplinas (**) Carga Horária (*) 1. Cooperativismo e Administração de Serviços

Leia mais

PLANEJAMENTO E EXECUÇÃO DA ESTRATÉGIA NO VITÓRIA APART HOSPITAL. Estudo de Caso

PLANEJAMENTO E EXECUÇÃO DA ESTRATÉGIA NO VITÓRIA APART HOSPITAL. Estudo de Caso PLANEJAMENTO E EXECUÇÃO DA ESTRATÉGIA NO VITÓRIA APART HOSPITAL Estudo de Caso Sobre o Vitória Apart Hospital Institucional Desde a sua fundação, em 2001, o Vitória Apart Hospital atua com o objetivo de

Leia mais

Av. Princesa Isabel, Fone (51) CEP Porto Alegre - RS - Brasil.

Av. Princesa Isabel, Fone (51) CEP Porto Alegre - RS - Brasil. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO - 2016/2018 Apresentação da Técnica de Planejamento Estratégico Adotada O Cremers estará em 2016 dando segmento na implantação de seu Planejamento Estratégico segundo a filosofia

Leia mais

Gestão Estratégica Prof. Charles Pantoja Esteves

Gestão Estratégica Prof. Charles Pantoja Esteves Prof. Charles Pantoja Esteves Administrador de Empresas Analista de Sistemas Msc. PNL e Inteligência Emocional Desenvolvimento 1. Gestão Estratégia: O que é? 2. Direcionamento Estratégico: Conectando o

Leia mais

Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96

Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96 Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96 leitos 19 leitos de UTI 5 Salas Cirúrgicas 300 Cirurgias/mês

Leia mais

Palestra Virtual Como Fazer um Planejamento Estratégico. Maicon Putti Consultor Empresarial CRA/PR 19270

Palestra Virtual Como Fazer um Planejamento Estratégico. Maicon Putti Consultor Empresarial CRA/PR 19270 Palestra Virtual Como Fazer um Planejamento Estratégico Maicon Putti Consultor Empresarial CRA/PR 19270 Definição Planejamento Estratégico Podemos definir planejamento estratégico como o método pelo qual

Leia mais

O que é planejamento estratégico?

O que é planejamento estratégico? O que é planejamento estratégico? Um dos fatores de sucesso das empresas é possuir um bom planejamento. Mas o que é planejamento? Nós planejamos diariamente, planejamos nossas atividades, nossas finanças,

Leia mais

Impacto da Acreditação da Joint Commission International na Gestão Hospitalar

Impacto da Acreditação da Joint Commission International na Gestão Hospitalar Seminários de Gestão Tendências e Inovações em Saúde Tendências em Saúde e Impactos na Gestão Hospitalar FEHOSUL Impacto da Acreditação da Joint Commission International na Gestão Hospitalar Helena Barreto

Leia mais

Gestão Estratégica de Pessoas

Gestão Estratégica de Pessoas Gestão de Pessoas Gestão Estratégica de Pessoas Responsável pelo Conteúdo: Profa. Ms. Gisele de Lima Fernandes Revisão Textual: Profa. Esp. Alessandra Fabiana Cavalcante Unidade Gestão Estratégica de

Leia mais

Ensinando Estratégia utilizando um Estudo de Caso

Ensinando Estratégia utilizando um Estudo de Caso MÓDULO 1 Ensinando Estratégia utilizando um Estudo de Caso Unidade de Ensino: Análise da Estratégia O Modelo de Porter Análise Estratégica Declaração de Visão e Missão do Negócio Análise do Ambiente Externo

Leia mais

Advocacia Lucrativa com o Planejamento Certo.

Advocacia Lucrativa com o Planejamento Certo. Advocacia Lucrativa com o Planejamento Certo www.iapajus.com.br Qual é o ponto em comum entre escritórios que geram resultados lucrativos? Advocacia = Negócio Forma como o escritório cria, entrega e captura

Leia mais

Planejamento e Controle da Produção I

Planejamento e Controle da Produção I Planejamento e Controle da Produção I Prof. M.Sc. Gustavo Meireles 2012 Gustavo S. C. Meireles 1 Introdução Planejamento Agregado: Maximizar os resultados das operações e minimizar os riscos de tomadas

Leia mais

Gestão da Produção. Análise SWOT Balanced Scorecard Mapa Estratégico. Prof. Dr. Marco Antonio Pereira Empresas Classe Mundial

Gestão da Produção. Análise SWOT Balanced Scorecard Mapa Estratégico. Prof. Dr. Marco Antonio Pereira Empresas Classe Mundial Gestão da Produção Análise SWOT Balanced Scorecard Mapa Estratégico Prof. Dr. Marco Antonio Pereira marcopereira@usp.br Empresas Classe Mundial ESTRATÉGIA PRODUTIVIDADE QUALIDADE Balanced ScoreCard Lean

Leia mais

Desenvolvimento de Negócios. Planejamento Estratégico Legal: da concepção à operacionalização Competências necessárias para o Gestor Legal

Desenvolvimento de Negócios. Planejamento Estratégico Legal: da concepção à operacionalização Competências necessárias para o Gestor Legal Desenvolvimento de Negócios Planejamento Estratégico Legal: da concepção à operacionalização Competências necessárias para o Gestor Legal Gestão Estratégica Para quê? Por Quê? Para fazer acontecer e trazer

Leia mais

Santa Casa Fundada. Inaugurada em 1826

Santa Casa Fundada. Inaugurada em 1826 Santa Casa Fundada em 1803 Inaugurada em 1826 PERFIL Organização Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre Instituição de direito privado, filantrópica, de ensino e assistência social, reconhecida

Leia mais

MELHORES PRÁTICAS NO ATENDIMENTO DE PACIENTES NA EMERGÊNCIA

MELHORES PRÁTICAS NO ATENDIMENTO DE PACIENTES NA EMERGÊNCIA MELHORES PRÁTICAS NO ATENDIMENTO DE PACIENTES NA EMERGÊNCIA Dr. José Carlos Teixeira Junior Sociedade Beneficente Israelita Albert Einstein Gerente Médico Executivo Unidades de Pronto Atendimento Centro

Leia mais

CENTRO DE PROCEDIMENTO E APOIO

CENTRO DE PROCEDIMENTO E APOIO CENTRO DE PROCEDIMENTO E APOIO Zona Norte Zona Leste Av. Água Fria, 135- Santana Av. Celso Garcia, 4974 -Tatuapé Para atender as necessidades de mercado e se tornar ainda mais competitiva, a Unimed adotou

Leia mais

Santa Casa de Franca

Santa Casa de Franca Santa Casa de Franca o Graduação: Contabilidade - UNIFAFIBE o Pós Graduação: Gestão Financeira - FGV o Mestrando: Gestão Hospitalar FEA-RP o Ernst & Young Big Four o Unimed e Uniodonto o Hospital São Francisco

Leia mais

Indicadores de Desempenho

Indicadores de Desempenho Indicadores de Desempenho 1 Conceito Características mensuráveis de processos, produtos ou serviços, utilizadas pela organização para acompanhar, avaliar e melhorar o seu desempenho. OS INDICADORES NECESSITAM

Leia mais

Tema 3. Planejamento Estratégico na Administração Pública. Ricardo Naves Rosa

Tema 3. Planejamento Estratégico na Administração Pública. Ricardo Naves Rosa Tema 3 Planejamento Estratégico na Administração Pública Ricardo Naves Rosa Planejamento Estratégico na Administração Pública Balanced Scorecard Ricardo Naves Rosa Gerente de Gestão Estratégica - AGR Engenheiro

Leia mais

AULA 2. Analise do ambiente. Planejamento estratégico

AULA 2. Analise do ambiente. Planejamento estratégico Analise do ambiente AULA 2 ASSUNTO: Análise do ambiente é o processo de monitoramento do ambiente organizacional para identificar as oportunidades e os riscos atuais e futuros que podem vir a influenciar

Leia mais

UNIMED PAULISTANA SEDIMENTAÇÃO DA CULTURA DE NOTIFICAÇÃO DE EVENTO SENTINELA HOSPITAL UNIMED SANTA HELENA

UNIMED PAULISTANA SEDIMENTAÇÃO DA CULTURA DE NOTIFICAÇÃO DE EVENTO SENTINELA HOSPITAL UNIMED SANTA HELENA UNIMED PAULISTANA SEDIMENTAÇÃO DA CULTURA DE NOTIFICAÇÃO DE EVENTO SENTINELA HOSPITAL UNIMED SANTA HELENA Lidiana Oliveira Mendes Vanessa Esperidião da Silva Tatiane Silva Vieira UNIMED PAULISTANA 252

Leia mais

Paciente Certo no Lugar Certo Gestão de Fluxo no Hospital. Mara Lílian Soares Nasrala

Paciente Certo no Lugar Certo Gestão de Fluxo no Hospital. Mara Lílian Soares Nasrala Paciente Certo no Lugar Certo Gestão de Fluxo no Hospital Mara Lílian Soares Nasrala HOSPITAL SANTA ROSA Indicadores - 2016 Leitos Instalados 180 Leitos UTI 61 Cirurgias 11.722 PA 75.034 Fundado em 1997-19

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA Executivo em Saúde

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA Executivo em Saúde CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA Executivo em Saúde Coordenação Acadêmica: Prof. Jamil Moysés Filho, Msc. Código SIGA: TMBAES*06_38 1 OBJETIVO: Ao final do Curso, o aluno será capaz

Leia mais

w w w. g e s s a u d e. c o m. b r

w w w. g e s s a u d e. c o m. b r www.gessaude.com.br Roberto Gordilho Índice Diretor da GesSaúde Com a experiência de quem, entre 2011 a Ao visar uma constante atualização dos seus Ao fundar a GesSaúde, o seu 2016, coordenou a implantação

Leia mais

Núcleo de Inteligência Competitiva do Setor de Farmácias de Manipulação do Rio de Janeiro. Sandro Albuquerque

Núcleo de Inteligência Competitiva do Setor de Farmácias de Manipulação do Rio de Janeiro. Sandro Albuquerque Núcleo de Inteligência Competitiva do Setor de Farmácias de Manipulação do Rio de Janeiro Sandro Albuquerque Cenário Farmacêutico Magistral Movimenta US$ 1,3 bilhão por ano no Brasil, cerca de 9% do mercado

Leia mais

Índice CONCEITOS E FUNDAMENTOS. Parte I. Capítulo 1 A natureza do problema estratégico 21

Índice CONCEITOS E FUNDAMENTOS. Parte I. Capítulo 1 A natureza do problema estratégico 21 Índice Introdução 15 Parte I CONCEITOS E FUNDAMENTOS Capítulo 1 A natureza do problema estratégico 21 1. Introdução 21 2. A estratégia deve assegurar a satisfação equilibrada das diversas legitimidades

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico MBA: Gestão Empresarial IESI Planejamento Estratégico Planejamento estratégico: Visão integrada Alcance de objetivos Criar valor, diferencial e identidade Pensamento estratégico Planejamento Estratégico

Leia mais

CURSO GESTÃO DA QUALIDADE. Disciplina Indicadores de Desempenho

CURSO GESTÃO DA QUALIDADE. Disciplina Indicadores de Desempenho 1 CURSO GESTÃO DA QUALIDADE Disciplina Indicadores de Desempenho 2 Visão estratégica, Missão, Visão, Valores e Fatores Críticos de Sucesso. (Aula 6) 3 Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que

Leia mais

DA INDUSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais,

DA INDUSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais, RESOLU ÇÃO N 0212005 NOVA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO DEPARTAMENTO NACIONAL 1)0 SESI - APROVA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS - O PRESIDENTE DO DO SERVIÇO SOCIAL DA INDUSTRIA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Prof. Alessandra Miranda

Prof. Alessandra Miranda Prof. Alessandra Miranda Gestão Estratégica Processo de ação gerencial sistemática e contínua que visa assegurar à Instituição, simultaneamente: (1) senso de direção e continuidade a longo prazo; (2) flexibilidade

Leia mais

MODELOS DE LIDERANÇA QUE IMPACTAM NOS RESULTADOS. Nadine Clausell Presidente do Hospital de Clínicas de Porto Alegre

MODELOS DE LIDERANÇA QUE IMPACTAM NOS RESULTADOS. Nadine Clausell Presidente do Hospital de Clínicas de Porto Alegre MODELOS DE LIDERANÇA QUE IMPACTAM NOS RESULTADOS Nadine Clausell Presidente do Hospital de Clínicas de Porto Alegre História do Hospital 17 de Junho de 1943: lançada pedra fundamental História do Hospital

Leia mais

Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes

Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes Nossa história Cenário Cenário Nossa história Setores Previsão segundo o Plano de Trabalho Quando

Leia mais

Desafios para o Investimento Hospitalar no Sistema Unimed. Fábio Leite Gastal, MD, PhD

Desafios para o Investimento Hospitalar no Sistema Unimed. Fábio Leite Gastal, MD, PhD Desafios para o Investimento Hospitalar no Sistema Unimed Fábio Leite Gastal, MD, PhD Desafios para o Investimento Hospitalar no Sistema Unimed Fábio Leite Gastal, MD, PhD Superintendente Médico Assistencial

Leia mais

PES 34- Estratégias. Profª Enfª Bruna Carla Voltolini

PES 34- Estratégias. Profª Enfª Bruna Carla Voltolini PES 34- Estratégias Profª Enfª Bruna Carla Voltolini Framework do Planejamento Estratégico CONCEITOS BÁSICOS Conceitos básicos sobre sistema, funções dos gestores e planejamento OBJETIVOS Conceituação

Leia mais

Unimed 2ª Opinião ACREDITE: ESTÁ SURGINDO UMA NOVA UNIMED!

Unimed 2ª Opinião ACREDITE: ESTÁ SURGINDO UMA NOVA UNIMED! ACREDITE: ESTÁ SURGINDO UMA NOVA UNIMED! CONCEITO O Inova Unimed é um movimento de renovação que visa a modernização estrutural, operacional e administrativa da Unimed Vale do Aço. OBJETIVOS SATISFAZER

Leia mais

As Estratégias de Competição consistem nas intenções de uma empresa, divisão ou unidade estratégica de negócios (UEN) para competir nos domínios de

As Estratégias de Competição consistem nas intenções de uma empresa, divisão ou unidade estratégica de negócios (UEN) para competir nos domínios de As Estratégias de Competição consistem nas intenções de uma empresa, divisão ou unidade estratégica de negócios (UEN) para competir nos domínios de seus produtos ou serviços. A Intenção Estratégica consiste

Leia mais

COMISSÃO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE. (85)

COMISSÃO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE. (85) COMISSÃO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE nucit@saude.ce.gov.br (85) 3101-5234 SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE E SAÚDE BASEADA EM EVIDÊNCIAS 5 e 6 de Maio de 2009 Fortaleza / CE Comissão

Leia mais

A enfermagem deve privilegiar suas ações específicas/próprias junto ao cliente e atuar como parceira dos demais profissionais, NÃO APENAS como

A enfermagem deve privilegiar suas ações específicas/próprias junto ao cliente e atuar como parceira dos demais profissionais, NÃO APENAS como Prof. Roberto Albuquerque VI JONAFES/2010 A enfermagem deve privilegiar suas ações específicas/próprias junto ao cliente e atuar como parceira dos demais profissionais, NÃO APENAS como suporte de ações

Leia mais

Encontro Nacional Unimed de Recursos e Serviços Próprios 2010 QUALIFICARE Programa de Qualificação de Recursos Próprios Fesp

Encontro Nacional Unimed de Recursos e Serviços Próprios 2010 QUALIFICARE Programa de Qualificação de Recursos Próprios Fesp Encontro Nacional Unimed de Recursos e Serviços Próprios 2010 12/5/2010 QUALIFICARE Programa de Qualificação de Recursos Próprios Unimed no Estado de São Paulo Singulares - 73 Intrafederativas - 6 Federação

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PROCESSOS ADMINISTRATIVOS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO O que é e para que serve? Para quem serve? Quem deve participar? Onde vem sendo utilizado? ETAPAS DO PLANEJAMENTO Avaliação da

Leia mais

Debate em foco Tendências e Inovação no Segmento Hospitalar. Inovação na Farmácia Hospitalar

Debate em foco Tendências e Inovação no Segmento Hospitalar. Inovação na Farmácia Hospitalar Debate em foco Tendências e Inovação no Segmento Hospitalar Inovação na Farmácia Hospitalar Nossa instituição hoje 439 Leitos Operacionais UTI com 57 leitos Unidades Críticas 62 leitos 19 Salas Cirúrgicas

Leia mais

Gestão da Qualidade na diálise como Ferramenta Gerencial

Gestão da Qualidade na diálise como Ferramenta Gerencial Gestão da Qualidade na diálise como Ferramenta Gerencial A busca da equipe Nefron pela Excelência Adm. Cristina Ferreira A EMPRESA NEFRON Ltda Sede: Rua PAULO D ASSUNÇÃO, 88 - JARDIM INDUSTRIAL - CONTAGEM

Leia mais

Gestão de Processos. Gestão de Processos na Saúde. Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos

Gestão de Processos. Gestão de Processos na Saúde. Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos Gestão de Processos na Saúde Marcelo.Aidar@fgv.br 1 Gestão de Processos Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos 2 O Ambiente de Negócios e os Stakeholders AMBIENTE DE AÇÃO INDIRETA

Leia mais

Ambiente externo e interno. Prof. Doutora Maria José Sousa

Ambiente externo e interno. Prof. Doutora Maria José Sousa Ambiente externo e interno 1 Prof. Doutora Maria José Sousa Ambiente Externo e Interno A estratégia global de uma empresa deve ponderar a interacção entre a envolvente externa (macro-ambiente e ambiente

Leia mais

ADM. Professor Douglas Pereira da Silva. DPS Gestão Negócios ADM

ADM. Professor Douglas Pereira da Silva. DPS Gestão Negócios ADM ADM Gestão de Negócios Professor Douglas Pereira da Silva 1 A constituição do talento humano Conhecimento SABER Aprender a aprender Aprender continuadamente Aumentar o conhecimento Habilidade SABER FAZER

Leia mais

ESTRATÉGIAS COMPETITIVAS MICHAEL PORTER. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E EMPRESARIAL AULA 10 Prof. João Maurício G. Boaventura

ESTRATÉGIAS COMPETITIVAS MICHAEL PORTER. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E EMPRESARIAL AULA 10 Prof. João Maurício G. Boaventura ESTRATÉGIAS COMPETITIVAS MICHAEL PORTER PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E EMPRESARIAL AULA 10 Prof. João Maurício G. Boaventura ESTRATÉGIA COMPETITVA É a busca de uma posição competitiva favorável e sustentável

Leia mais

A Biglevel foi criada em 10 de Abril de 2006, completando este ano 11 anos de atividade.

A Biglevel foi criada em 10 de Abril de 2006, completando este ano 11 anos de atividade. Quem Somos? A Biglevel foi criada em 10 de Abril de 2006, completando este ano 11 anos de atividade. O projeto Biglevel nasceu da vontade conjunta de 3 pessoas em querer criar o seu próprio espaço como

Leia mais

Analista em ACREDITAÇÃO EM SAÚDE

Analista em ACREDITAÇÃO EM SAÚDE Analista em ACREDITAÇÃO EM SAÚDE Focada na formação intelectual e no desenvolvimento de pessoas para integrarem e inovarem a nova cultura de negócios do XXI, a FAN oferece cursos para graduação e especialização

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO E CULTURA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JÚLIO MÜLLER

MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO E CULTURA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JÚLIO MÜLLER MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO E CULTURA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JÚLIO MÜLLER REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR CAPÍTULO I DA CATEGORIA

Leia mais

Etapas do processo de Administração Estratégica. DPS aula 3 Negócios

Etapas do processo de Administração Estratégica. DPS aula 3 Negócios Etapas do processo de Administração Estratégica Aula 3 Professor Douglas Pereira da Silva 1 2 As etapas envolvidas na administração estratégica Etapa 1: Análise do ambiente O processo de administração

Leia mais

CADEIA DE VALOR E LOGÍSTICA A LOGISTICA PARA AS EMPRESAS CADEIA DE VALOR 09/02/2016 ESTRATÉGIA COMPETITIVA. (Alves Filho, 99)

CADEIA DE VALOR E LOGÍSTICA A LOGISTICA PARA AS EMPRESAS CADEIA DE VALOR 09/02/2016 ESTRATÉGIA COMPETITIVA. (Alves Filho, 99) CADEIA DE VALOR E LOGÍSTICA Danillo Tourinho Sancho da Silva, MSc A LOGISTICA PARA AS EMPRESAS CADEIA DE VALOR ESTRATÉGIA COMPETITIVA é o conjunto de planos, políticas, programas e ações desenvolvidos

Leia mais

ANÁLISE DO AMBIENTE: METODOLOGIA DE FORMULAÇÃO

ANÁLISE DO AMBIENTE: METODOLOGIA DE FORMULAÇÃO ANÁLISE DO AMBIENTE: METODOLOGIA DE FORMULAÇÃO Nesta ambiente em que mudanças ocorrem com altíssima velocidade, perceber tendências, visualizando as mudanças antes que elas ocorram, passa a ter um valor

Leia mais

Núcleos de Apoio a Gestão Hospitalar NAGEH

Núcleos de Apoio a Gestão Hospitalar NAGEH Núcleos de Apoio a Gestão Hospitalar 2014 Núcleos de Apoio a Gestão Hospitalar Os Grupos de Estudos do Núcleo de Apoio à Gestão Hospitalar () do CQH são formados por profissionais de diferentes hospitais

Leia mais

REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS. Programa SOS Emergências. Ministério da Saúde Brasil. Lançamento Nacional em 08/11/2011

REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS. Programa SOS Emergências. Ministério da Saúde Brasil. Lançamento Nacional em 08/11/2011 REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS Programa SOS Emergências Ministério da Saúde Brasil Ação Estratégica do Ministério da Saúde para as Portas de Entrada Hospitalares Prioritárias Lançamento Nacional

Leia mais

GESTÃO DA CLINICA E A INSERÇÃO DAS UPA24H NA REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA

GESTÃO DA CLINICA E A INSERÇÃO DAS UPA24H NA REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA GESTÃO DA CLINICA E A INSERÇÃO DAS UPA24H NA REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA EM SÃO BERNARDO DO CAMPO COSEMS 2014 UBATUBA Secretaria de Saúde de São Bernardo do Campo Departamento de Atenção Hospitalar e

Leia mais

Para o turista chegar e querer voltar, o empresário tem que querer melhorar. MEDE - Turismo: inovação e competitividade com foco em resultados.

Para o turista chegar e querer voltar, o empresário tem que querer melhorar. MEDE - Turismo: inovação e competitividade com foco em resultados. Para o turista chegar e querer voltar, o empresário tem que querer melhorar. MEDE - Turismo: inovação e competitividade com foco em resultados. O MEDE é um plano de atendimento especializado do SEBRAE

Leia mais

Gerência de Projetos de TI

Gerência de Projetos de TI Gerência de de TI Experiência da COPEL SIMPROS 2001 Paulo Henrique Rathunde phr@copel.com Agenda Introdução Gerência de Definição dos Processos Implantação Reflexões 2/33 São Paulo, Brasil 17-20/09/2001

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

Ofício nº 003/2003 DGP Cáceres-MT., 31 de janeiro de Prezada Superintendente

Ofício nº 003/2003 DGP Cáceres-MT., 31 de janeiro de Prezada Superintendente Ofício nº 003/2003 DGP Cáceres-MT., 31 de janeiro de 2003. Prezada Superintendente Em atenção ao ofício circ. N 003/ESP/SAD, datado de 24 de janeiro do presente ano, estamos enviando em anexo, as necessidades

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL UFV/PPO/DAD 1

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL UFV/PPO/DAD 1 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL UFV/PPO/DAD 1 - Pode dizer-me que caminho devo tomar? - Isto depende do lugar para onde você quer ir. (Respondeu com muito propósito o gato) - Não tenho destino certo.

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

BALANCED SCORECARD. Prof. Dr. Adilson de Oliveira Doutor em Engenharia de Computação Poli USP Mestre em Ciência da Informação PUCCAMP

BALANCED SCORECARD. Prof. Dr. Adilson de Oliveira Doutor em Engenharia de Computação Poli USP Mestre em Ciência da Informação PUCCAMP BALANCED SCORECARD Prof. Dr. Adilson de Oliveira Doutor em Engenharia de Computação Poli USP Mestre em Ciência da Informação PUCCAMP Gestão Estratégica e BSC Balanced Scoredcard GESTÃO ESTRATÉGICA GESTÃO

Leia mais

Professor: Sergio Enabe. 2o. Semestre Estratégia

Professor: Sergio Enabe. 2o. Semestre Estratégia INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSO: Administração SÉRIE: 6º/5º semestres TURNO: Diurno/ Noturno DISCIPLINA: Planejamento Operacional: RH e Finanças Professor: Sergio Enabe Estratégia 2o.

Leia mais

ACADEMIA JACAREZINHO Maio/2009 Charles Pantoja Esteves Administrador de Empresas / Analista de Sistemas

ACADEMIA JACAREZINHO Maio/2009 Charles Pantoja Esteves Administrador de Empresas / Analista de Sistemas ACADEMIA JACAREZINHO Maio/2009 Charles Pantoja Esteves Administrador de Empresas / Analista de Sistemas S - Strenghts - Pontos Fortes W - Weaknesses - Pontos Fracos O - Opportunities - Oportunidades T

Leia mais

PROCESSO DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, CAPACITAÇÃO E RETENÇÃO DE TALENTOS

PROCESSO DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, CAPACITAÇÃO E RETENÇÃO DE TALENTOS PROCESSO DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, CAPACITAÇÃO E RETENÇÃO DE TALENTOS UNIMED VITÓRIA DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA Presente em 9 municípios capixabas... - Fonte: Intramed Unimed Vitória - Unimed Vitória / Mar/2015

Leia mais

LLM Marketing de serviços jurídicos

LLM Marketing de serviços jurídicos LLM Marketing de serviços jurídicos Planejamento estratégico + Posicionamento de Mercado Aula 02 Wolney Pereira Agenda 1) Projeto de marketing 2) Conceituação de estratégia 3) Processo de planejamento

Leia mais

O impacto da cultura organizacional na eficiência institucional

O impacto da cultura organizacional na eficiência institucional y O impacto da cultura organizacional na eficiência institucional Artefatos e Produtos Realidade Externa Parte Visível Normas e Valores Assunções Básicas Realidade Interna Parte Invisível Imersa SCHEIN,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Curso nº168 aprovado pela portaria Cetec nº 125 de 03/102012 Etec Sylvio de Mattos Carvalho Código: 103 Município: Matão Eixo Tecnológico: Ambiente

Leia mais

MEDIÇÃO DE DESEMPENHO VIA BSC

MEDIÇÃO DE DESEMPENHO VIA BSC MEDIÇÃO DE DESEMPENHO VIA BSC Quais indicadores podem ser utilizados para avaliar um sistema operacional? Alguns Exemplos de Indicadores Qualidade; Eficiência Operacional; Grau de Inovação; Superávit;

Leia mais

Programa de Internacionalização de Empresas Apex-Brasil. Apresentação: Juarez Leal

Programa de Internacionalização de Empresas Apex-Brasil. Apresentação: Juarez Leal Programa de Internacionalização de Empresas Apex-Brasil Apresentação: Juarez Leal A APEX-BRASIL A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos é um Serviço Social Autônomo vinculado ao

Leia mais

Plataforma da Informação. Fundamentos da Excelência

Plataforma da Informação. Fundamentos da Excelência Plataforma da Informação Fundamentos da Excelência Modelo de Excelência em Gestão Fundamentos da Excelência O Modelo de Excelência em Gestão estimula e apoia as organizações no desenvolvimento e na evolução

Leia mais

Gestão por Competências

Gestão por Competências Gestão por Competências 1 2 FUTUROS Capacitar Acompanhar Avaliar Investir Valorizar Reter ÁREA CRÍTICA Remanejar Traçar metas Disponibilizar MANTENEDORES Desenvolver Manter 3 4 Quem são os talentos de

Leia mais

Material para avaliação. Professor Douglas Pereira da Silva

Material para avaliação. Professor Douglas Pereira da Silva Material para avaliação Gestão de Negócios Professor Douglas Pereira da Silva 5 Forças de Porter DPS Gestão Negócios ADM 2016.2 2 Condições de fatores de produção De acordo com Porter, as condições dos

Leia mais

Capítulo 1. Estratégia de Recursos Humanos

Capítulo 1. Estratégia de Recursos Humanos Capítulo 1 Estratégia de Recursos Humanos CAPITAL HUMANO Recruitment Fulfillment Capital humano é intangível Não é possível gerenciar o capital humano da mesma forma que gerenciam trabalhos, produtos e

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO E PLANO DE ATIVIDADES 2016

PLANO ESTRATÉGICO E PLANO DE ATIVIDADES 2016 PLANO ESTRATÉGICO E PLANO DE ATIVIDADES 2016 1. INTRODUÇÃO O Plano Estratégico 2016 visa atender as necessidades do Conselho de Medicina Veterinária do Estado do Pará perante aos Médicos Veterinários,

Leia mais

Avaliação de Desempenho Estratégia de Desenvolvimento. Fernanda Allucci Diretora Assistencial Nov/09

Avaliação de Desempenho Estratégia de Desenvolvimento. Fernanda Allucci Diretora Assistencial Nov/09 Avaliação de Desempenho Estratégia de Desenvolvimento Fernanda Allucci Diretora Assistencial Nov/09 Avaliação de desempenho - Estratégia de desenvolvimento Roteiro de apresentação Breve histórico institucional

Leia mais

TECNÓLOGO EM GESTÃO HOSPITALAR

TECNÓLOGO EM GESTÃO HOSPITALAR TECNÓLOGO EM GESTÃO HOSPITALAR A FUNDAÇÃO UNIMED E A FACULDADE UNIMED Conexão entre teoria e prática aliada a um corpo docente de alta competência e experiência no mercado de saúde. É assim, há mais de

Leia mais

Necessidades Gerenciais. Elementos de um Plano Estratégico. Razões (Necessidades) para a Gestão Estratégica

Necessidades Gerenciais. Elementos de um Plano Estratégico. Razões (Necessidades) para a Gestão Estratégica Razões (Necessidades) para a Gestão Estratégica Necessidades Gerenciais Uma identidade própria consensada e divulgada Um sistema de informações sobre o meio ambiente Um sistema responsável por decisões

Leia mais

Seja bem-vindo ao nosso Portfólio Digital. A Blueway Nossos diferenciais Clientes O que fazemos Contato

Seja bem-vindo ao nosso Portfólio Digital. A Blueway Nossos diferenciais Clientes O que fazemos Contato Seja bem-vindo ao nosso Portfólio Digital 1 2 3 4 A Blueway Nossos diferenciais Clientes O que fazemos Contato 1 Blueway Nossa organização Somos a Blueway, uma consultoria que atua na transformação organizacional

Leia mais

Como desenvolver competências profissionais para a produtividade na indústria gráfica

Como desenvolver competências profissionais para a produtividade na indústria gráfica Como desenvolver competências profissionais para a produtividade na indústria gráfica Refletir sobre o impacto da capacitação no aumento da produtividade. Identificar e discutir alternativas e soluções

Leia mais

GERENCIAMENTO DO ENXOVAL

GERENCIAMENTO DO ENXOVAL GERENCIAMENTO DO ENXOVAL Enfª Jaqueline Vieira Dellagustinho LAVANDERIA HOSPITAL UNIMED CAXIAS DO SUL UNIMED NORDESTE-RS HOSPITAL UNIMED CAXIAS DO SUL HOSPITAL UNIMED CAXIAS DO SUL DADOS GERAIS 12.284m²

Leia mais

Excelência na Gestão

Excelência na Gestão Mapa Estratégico 2012-2014 Visão Até 2014, ser referência no atendimento ao público, na fiscalização e na valorização das profissões tecnológicas, reconhecido pelos profissionais, empresas, instituições

Leia mais

Comitê de Avaliação de Tecnologias (ATS) ) do Hospital Israelita Albert Einstein

Comitê de Avaliação de Tecnologias (ATS) ) do Hospital Israelita Albert Einstein Comitê de Avaliação de Tecnologias (ATS) ) do Hospital Israelita Albert Einstein Luiz Vicente Rizzo Diretor Superintendente Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein Avaliação de Tecnologia

Leia mais

Analista de Negócio 3.0

Analista de Negócio 3.0 Balanced Scorecard Introdução Podemos comparar o Planejamento Estratégico como um bussola que orienta e direciona a empresa a chegar ao seu destino (objetivo de longo prazo). AN V 3.0 [60] Rildo F Santos

Leia mais

O TEMPO PODE ATÉ PASSAR, MAS UMA FORMAÇÃO DE QUALIDADE FICA PARA SEMPRE.

O TEMPO PODE ATÉ PASSAR, MAS UMA FORMAÇÃO DE QUALIDADE FICA PARA SEMPRE. PROGRAMAÇÃO DE CURSOS TÉCNICOS 2º semestre de 2017 LONDRINA CENTRO LONDRINA NORTE O TEMPO PODE ATÉ PASSAR, MAS UMA FORMAÇÃO DE QUALIDADE FICA PARA SEMPRE. CURSOS TÉCNICOS SENAC. Recursos Humanos A HORA

Leia mais

SPDM Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina. Gestão do Conhecimento Programa de Atenção Básica e Saúde da Família

SPDM Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina. Gestão do Conhecimento Programa de Atenção Básica e Saúde da Família SPDM Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina Gestão do Conhecimento Programa de Atenção Básica e Saúde da Família MISSÃO Promover ações de saúde na atenção primária, integrada com a gestão

Leia mais

Fórum de Compras e Suprimentos Hospitalares Sustentáveis

Fórum de Compras e Suprimentos Hospitalares Sustentáveis Fórum de Compras e Suprimentos Hospitalares Sustentáveis Como a Área de Suprimentos pode impactar na redução de custos e contribuir na performance do Hospital Leonisa Scholz Obrusnik SAÚDE PRIVADA COMPLEXO

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Institucional

Plano de Desenvolvimento Institucional Plano de Desenvolvimento Institucional Âmbito de atuação Missão Visão Elementos Duráveis Princípios Elementos Mutáveis (periodicamente) Análise Ambiental Objetivos Estratégicos Metas Planos de Ação PDI

Leia mais

Auditoria Interna. Planejamento Estratégico 2015

Auditoria Interna. Planejamento Estratégico 2015 Auditoria Interna Planejamento Estratégico 2015 1 Sumário APRESENTAÇÃO... 3 METODOLOGIA DO PLANEJAMENTO... 4 MISSÃO... 5 VISÃO... 5 VALORES... 5 ANÁLISE AMBIENTAL... 6 OBJETIVOS ESTRATÉGICOS... 6 MACROPROCESSO

Leia mais

O objetivo desse conteúdo é apresentar os principais conceitos relacionados ao planejamento estratégico da produção e à formalização desse

O objetivo desse conteúdo é apresentar os principais conceitos relacionados ao planejamento estratégico da produção e à formalização desse O objetivo desse conteúdo é apresentar os principais conceitos relacionados ao planejamento estratégico da produção e à formalização desse planejamento, através da elaboração do plano de produção; 2 Busca

Leia mais

Introdução. Sucesso organizacional + Ambiente de Mudança. Adotar uma ESTRATÉGIA. Criar vantagem competitiva sustentada

Introdução. Sucesso organizacional + Ambiente de Mudança. Adotar uma ESTRATÉGIA. Criar vantagem competitiva sustentada Introdução Sucesso organizacional + Ambiente de Mudança Adotar uma ESTRATÉGIA Criar vantagem competitiva sustentada Elemento unificador que dá coerência e direcção às decisões individuais da empresa Introdução

Leia mais

Curso de Capacitação de Analistas de Ouvidoria

Curso de Capacitação de Analistas de Ouvidoria Curso de Capacitação de Analistas de Ouvidoria Ênfase Saúde Suplementar Sistema Unimed Processo de Ouvidoria 27.03.2015 Sobre a CNU Central Nacional Unimed A CNU é a operadora nacional dos planos de saúde

Leia mais

Mestrado Profissional em Enfermagem Assistencial

Mestrado Profissional em Enfermagem Assistencial Mestrado Profissional em Enfermagem Assistencial Profª. Drª. Zenith Rosa Silvino Coordenadora do MPEA - 2010/2014 O MPEA Aprovado pelo CUV em 12/03/2003 Reconhecido pela CAPES em dezembro/2003 (31003010055P3)

Leia mais

OBJETIVOS E INDICADORES ESTRATÉGICOS

OBJETIVOS E INDICADORES ESTRATÉGICOS OBJETIVOS E INDICADORES ESTRATÉGICOS PERSPECTIVA: TRE/RN e Sociedade Objetivo 1: Primar pela satisfação do cliente de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) Descritivo: Conhecer e ouvir o cliente

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Fonte: Maximiano (2009) Autor Palavras Chave Mintzberg Ansoff Futuro. Decisão. Resultados. Programação. Negócio Atual. Tendências. Decisão. Concorrência. Produtos e serviços. MAXIMIANO

Leia mais

Planejamento estratégico. de pessoas

Planejamento estratégico. de pessoas Planejamento estratégico de pessoas PLANEJAMENTO ORGANIZACIONAL X PLANEJAMENTO DE RH O QUE É GESTÃO POR RESULTADOS? A cada nível hierárquico, o líder reúne-se com os líderes que lhe são imediatamente subordinados

Leia mais

Boas Práticas de RH UnimedBH. Data: 3 de maio Local: OCEMG Júnia Marçal Rodrigues

Boas Práticas de RH UnimedBH. Data: 3 de maio Local: OCEMG Júnia Marçal Rodrigues Boas Práticas de RH UnimedBH Data: 3 de maio Local: OCEMG Júnia Marçal Rodrigues Unimed-BH em números 5.684 médicos cooperados Atuação 34 municípios na região metropolitana de BH 4.003 colaboradores diretos

Leia mais