POÉTICAS DO SÉCULO XIX

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "POÉTICAS DO SÉCULO XIX"

Transcrição

1 POÉTICAS DO SÉCULO XIX (3)

2

3 Origens Precursor Edgar Allan Poe ( )

4 Origens Charles Baudelaire ( )

5 B RINDE Nada, esta espuma, virgem verso A não designar mais que a copa; Ao longe se afoga uma tropa De sereias vária ao inverso. Navegamos, ó meus fraternos Amigos, eu já sobre a popa, Vós à proa em pompa que topa A onda de raios e de invernos; Uma embriaguez me faz arauto, Sem medo ao jogo do mar alto, Para erguer, de pé, este brinde. Solitude, recife, estrela A não importa o que há no fim de um branco afã de nossa vela. [Tradução: Augusto de Campos] Stéphane Mallarmé ( )

6 Designações Decadentismo Simbolismo Jean Moréas ( ) autor do manifesto Le Symbolisme (1886)

7 Noções fundamentais Arte: sugestão Palavra: símbolo das coisas Coisas: mistério Poesia: expressão do mistério (dizer o indizível) Senso de efemeridade: ser é não ser

8 Características Anseio de absoluto: espiritualismo Escapismo: sonho, loucura e morte Ilogismo Expressões vagas e insólitas Versos nominais

9 ANTÍFONA Cruz e Sousa ( ) Ó Formas alvas, brancas, Formas claras de luares, de neves, de neblinas!... Ó Formas vagas, fluidas, cristalinas... Incensos dos turíbulos das aras... Formas do Amor, constelarmante puras, de Virgens e de Santas vaporosas... Brilhos errantes, mádidas 1 frescuras e dolências 2 de lírios e de rosas... Indefiníveis músicas supremas, harmonias da Cor e do Perfume... Horas do Ocaso, trêmulas, extremas, Réquiem 3 do Sol que a Dor da Luz resume... [...] 1. úmidas; orvalhadas 2. aflições; sofrimentos 3. prece ou composição musical para missa aos mortos

10 Correntes Impressionismo Simbolismo Pré-Rafaelismo Art Nouveau

11 Ninfeias (As Nuvens) [1903], Claude Monet ( ), coleção particular.

12 A catedral de Ruão, tempo cinza (1892). Claude Monet. Museu d Orsay, Paris A catedral de Ruão, sol pleno (1893). Claude Monet. Museu d Orsay, Paris

13 Ofélia ( ), John Millais ( ), Tate Gallery, Londres.

14 Veronica Veronese (1872), Dante Gabriel Rosseti ( ), Delaware Art Museum, Wilmington.

15 Padrões impressionistas e simbolistas

16 ANATOLE FRANCE ( ) Arte: beleza (relativismo histórico). Estética e teoria: ilusões ( castelos no ar ); tolerância histórica (ecletismo). Único critério de valor: prazer. Crítica: obra de arte, filha da imaginação. Função da crítica: definir e formar o gosto.

17 WALTER PATER ( ) Arte: unidade de forma e conteúdo. Imaginação: poder unificador ou identificador, cuja função é condensar as impressões de coisas naturais em forma humana. Obra de arte: unidade de impressão (perfeição; esteticismo) = expressão sincera da visão interior; transformação da intuição em expressão (subjetividade objetivada). Poesia: criação de um ideal, que contemplamos pela mera alegria de contemplar; refúgio num mundo melhor concebido e melhor acabado que o mundo real; torre de marfim.

18 BAUDELAIRE, Charles ( ) Arte: totalidade autônoma; beleza (arte pura: arte pela arte). Beleza: mistério sobrenatural e humano; algo vago e triste, que pode até ser mau, satânico, grotesco. Ideal de poesia: cálculo e sonho, que eleva em direção à beleza pura e desinteressada ( A inspiração, em suma, não é senão a recompensa do exercício cotidiano ). Imaginação: instrumento da alma que capta as correspondências e analogias de todas as coisas (símbolos), para lançar uma luz mágica e sobrenatural sobre a escuridão natural das coisas.

19 BAUDELAIRE, Charles ( ) A obra de arte elimina o abismo entre o sujeito e o objeto, o homem e a natureza: Criar é uma magia sugestiva contendo ao mesmo tempo o objeto e o sujeito, o mundo exterior ao artista e o próprio artista.

20 MALLARMÉ, Stéphane ( ) Arte: sugestão, evocação vaga da Ideia puramente abstrata e obscura por meio do símbolo: instituir uma exata relação entre as imagens; e então um terceiro aspecto [o simbólico], claro e fusível, delas se desprende e se apresenta à adivinhação. Objetivo da arte: afastar a realidade, excluir a sociedade, a natureza e a pessoa do artista, para alcançar a beleza pura. Poesia: cálculo de efeitos; signo puro. Linguagem da poesia linguagem da comunicação: linguagem real, linguagem como mágica, palavras como coisas ( Dar um sentido mais puro às palavras da tribo ).

O PARNASIANISMO. Por Carlos Daniel Santos Vieira

O PARNASIANISMO. Por Carlos Daniel Santos Vieira O PARNASIANISMO Por Carlos Daniel Santos Vieira CONTEXTO HISTÓRICO-CULTURAL Segunda metade do século XIX Progresso, ciência, revolução industrial Desapego à emoção CARACTERÍSTICAS Disciplina do bom gosto

Leia mais

POÉTICAS DO SÉCULO XIX

POÉTICAS DO SÉCULO XIX POÉTICAS DO SÉCULO XIX (2) SITUAÇÃO HISTÓRICA Segunda metade do século XIX Sociedade burguesa Capitalismo industrial Luta de classes Imperialismo IDÉIAS PREDOMINANTES Socialismo utópico: Saint-Simon IDÉIAS

Leia mais

Artes visuais AULA 4 Do Romantismo ao Impressionismo

Artes visuais AULA 4 Do Romantismo ao Impressionismo Artes visuais AULA 4 Do Romantismo ao Impressionismo Prof. André de Freitas Barbosa O século XIX foi agitado por fortes mudanças sociais, políticas e culturais, resultando numa reação ao espírito iluminista,

Leia mais

simbolismo Realismo Naturalismo Parnasianismo Simbolismo Coexistência Dissidência

simbolismo Realismo Naturalismo Parnasianismo Simbolismo Coexistência Dissidência Simbolismo Coexistência simbolismo Realismo Naturalismo Parnasianismo Simbolismo Dissidência O Simbolismo é, antes de tudo, antipositivista, antinaturalista e anticientificista. Isto significa que, contrariando

Leia mais

CAPÍTULO 1: PAIXÃO. Apaixonado. O meu coração Pra você eu guardei Antes mesmo de me conhecer Eu te amei Procurei a lealdade Mas não encontrei

CAPÍTULO 1: PAIXÃO. Apaixonado. O meu coração Pra você eu guardei Antes mesmo de me conhecer Eu te amei Procurei a lealdade Mas não encontrei A POESIA FALANTE 1 CAPÍTULO 1: PAIXÃO Apaixonado O meu coração Pra você eu guardei Antes mesmo de me conhecer Eu te amei Procurei a lealdade Mas não encontrei Durante muito tempo A solidão eu enfrentei

Leia mais

O Impressionismo é um movimento artístico surgido na França no século XIX que criou uma nova visão conceitual da natureza utilizando pinceladas

O Impressionismo é um movimento artístico surgido na França no século XIX que criou uma nova visão conceitual da natureza utilizando pinceladas O Impressionismo é um movimento artístico surgido na França no século XIX que criou uma nova visão conceitual da natureza utilizando pinceladas soltas dando ênfase na luz e no movimento. Geralmente as

Leia mais

Filosofia da Arte. Unidade II O Universo das artes

Filosofia da Arte. Unidade II O Universo das artes Filosofia da Arte Unidade II O Universo das artes FILOSOFIA DA ARTE Campo da Filosofia que reflete e permite a compreensão do mundo pelo seu aspecto sensível. Possibilita compreender a apreensão da realidade

Leia mais

AULA 30.1 Conteúdo: O Parnasianismo e o Simbolismo no Amazonas. INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

AULA 30.1 Conteúdo: O Parnasianismo e o Simbolismo no Amazonas. INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA 30.1 Conteúdo: O Parnasianismo e o Simbolismo no Amazonas. 2 29.2 Habilidade: Reconhecer e valorizar a literatura simbolista produzida no Amazonas. 3 REVISÃO Simbolismo no Brasil: contexto histórico. Simbolismo

Leia mais

Eis que chega meu grande amigo, Augusto dos Anjos, ele com seu jeitão calado e sempre triste, me fala que não irá existir palavra alguma para

Eis que chega meu grande amigo, Augusto dos Anjos, ele com seu jeitão calado e sempre triste, me fala que não irá existir palavra alguma para Oceano em Chamas Querida, Tentei em vão, fazer um poema a você, não consegui. Me faltavam palavras para descrever-te, então pedi aos poetas do universo para me ajudarem. O primeiro com quem conversei,

Leia mais

Surge em em Paris, na França, tendo em Édouard Manet seu mentor.

Surge em em Paris, na França, tendo em Édouard Manet seu mentor. Impressionismo Surge em 1.863 em Paris, na França, tendo em Édouard Manet seu mentor. O artista rompeu definitivamente com os valores clássicos da antiguidade; apesar de não se considerar um impressionista

Leia mais

Comigo mais poesia. Nelson Martins. Reflexões e Sentimentos

Comigo mais poesia. Nelson Martins. Reflexões e Sentimentos Comigo mais poesia Comigo mais poesia Nelson Martins Reflexões e Sentimentos Apresentação A poesia de Nelson Martins conduz o leitor à territorialidade da existência humana, como memória grifada de cada

Leia mais

Título original Poemas, Maurício Ribeiro: Espírito e Alma.

Título original Poemas, Maurício Ribeiro: Espírito e Alma. 1 Título original Poemas, Maurício Ribeiro: Espírito e Alma. Todos os direitos reservados: nenhuma parte dessa publicação pode ser reproduzida ou transmitida por meio eletrônico, mecânico, fotocópia ou

Leia mais

Coletânea de poemas para reflexão. - Download experimental de ideias -

Coletânea de poemas para reflexão. - Download experimental de ideias - Coletânea de poemas para reflexão - Download experimental de ideias - por Juliana S. Valis "As boas ideias não têm idade, apenas têm futuro." Robert Mallet "A experiência nunca falha, apenas as nossas

Leia mais

Material Educativo: Disse o Dicionário

Material Educativo: Disse o Dicionário Material Educativo: Disse o Dicionário Atividade que pensa os sentidos literais e simbólicos de palavras utilizadas em dicionários e poemas escolhidos, para que os participantes criem significados particulares

Leia mais

RELIGIOSIDADE E OBSCURIDADE EM STÉPHANE MALLARMÉ: UMA ANÁLISE DO POEMA SANTA.

RELIGIOSIDADE E OBSCURIDADE EM STÉPHANE MALLARMÉ: UMA ANÁLISE DO POEMA SANTA. RELIGIOSIDADE E OBSCURIDADE EM STÉPHANE MALLARMÉ: UMA ANÁLISE DO POEMA SANTA. Patrick Thomazine 1 RESUMO: Stéphane Mallarmé, conhecido como um dos ditos poetas malditos, juntamente com Rimbaud, Paul Verlaine

Leia mais

Na Terra, a sinfonia e a melodia não são mais que ecos débeis e deformados dos concertos celestes. Nossos instrumentos, mesmo os mais perfeitos,

Na Terra, a sinfonia e a melodia não são mais que ecos débeis e deformados dos concertos celestes. Nossos instrumentos, mesmo os mais perfeitos, Na Terra, a sinfonia e a melodia não são mais que ecos débeis e deformados dos concertos celestes. Nossos instrumentos, mesmo os mais perfeitos, sempre têm qualquer coisa de mecânico e de áspero, enquanto

Leia mais

Expressionismo EDUARDO CARLETTO JUNIOR EDUARDO FALCHETTI SOVRANI GIAN CARLOS MENCATTO PAULO ROBERTO MASCARELLO VILMAR IBANOR BERTOTTI JUNIOR

Expressionismo EDUARDO CARLETTO JUNIOR EDUARDO FALCHETTI SOVRANI GIAN CARLOS MENCATTO PAULO ROBERTO MASCARELLO VILMAR IBANOR BERTOTTI JUNIOR Expressionismo ALUNOS: EDUARDO CARLETTO JUNIOR EDUARDO FALCHETTI SOVRANI GIAN CARLOS MENCATTO PAULO ROBERTO MASCARELLO VILMAR IBANOR BERTOTTI JUNIOR DEFINIÇÃO E PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS Movimento heterogêneo

Leia mais

Material Educativo: Disse o Dicionário

Material Educativo: Disse o Dicionário Material Educativo: Disse o Dicionário Atividade que permite pensar sobre os sentidos denotativos e conotativos de palavras existentes em dicionários e presentes em poemas escolhidos, com o objetivo de

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO ANUAL DE LITERATURA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO ANUAL DE LITERATURA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO ANUAL DE LITERATURA - 2016 Nome: Nº 1ª Série Professores : Danilo / Fernando / Nicolas Nota: I Introdução Caro aluno, Neste ano, você obteve média inferior a 6,0 e, portanto, não

Leia mais

A Ética da Alegria em Baruch Spinoza

A Ética da Alegria em Baruch Spinoza A Ética da Alegria em Baruch Spinoza Contextualizando Fonte: wikipedia.com Spinoza: Polidor de Lentes e Filósofo 1632, Amsterdã Haia, 1677 Cronologia de Suas Obras 1660: Breve Tratado sobre Deus, o Homem

Leia mais

Minha inspiração. A Poesia harmoniza o seu dia

Minha inspiração. A Poesia harmoniza o seu dia Minha inspiração A Poesia harmoniza o seu dia Meu jeito de amar Meu jeito de amar é alegre e autêntico É sincero puro e verdadeiro Meu jeito de amar é romântico Me doo me dedico por inteiro Meu jeito de

Leia mais

Unidade: O Romantismo Inglês Poesia. Revisor Textual: Profª Dra. Magalí Elisabete Sparano

Unidade: O Romantismo Inglês Poesia. Revisor Textual: Profª Dra. Magalí Elisabete Sparano Unidade: O Romantismo Inglês Poesia Revisor Textual: Profª Dra. Magalí Elisabete Sparano Contextualização Histórica O período romântico inglês dura cerca de 40 anos e foi influenciado: Pela Revolução Francesa;

Leia mais

Modernismo em Portugal

Modernismo em Portugal Modernismo em Portugal Caeiro Campos Fernando Pessoa Pessoa e seus Reis Heterônimos Fernando Pessoa (1888-1935) Grande parte da crítica considera Fernando Pessoa o maior poeta moderno da Língua Portuguesa.

Leia mais

AMOR Grande, Profundo, Indestrutível...

AMOR Grande, Profundo, Indestrutível... AMOR Grande, Profundo, Indestrutível... 1 DEDICATÓRIA Porque Ele me amou primeiro, dedico a Ele esse livro, em letras cadenciadas, com todo o meu amor, louvor e adoração. Em unidade com o Espírito Santo,

Leia mais

IMPRESSIONISMO. As figuras não devem ter contornos nítidos, pois a linha é uma abstração do ser humano para representar imagens.

IMPRESSIONISMO. As figuras não devem ter contornos nítidos, pois a linha é uma abstração do ser humano para representar imagens. IMPRESSIONISMO O Impressionismo foi um movimento artístico que revolucionou profundamente a pintura e deu início às grandes tendências da arte do século XX. Havia algumas considerações gerais, muito mais

Leia mais

Amor & Sociologia Cultural - Fernando Pessoa

Amor & Sociologia Cultural - Fernando Pessoa Page 1 of 5 Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia Disciplina: Sociologia Cultural Educador: João Nascimento Borges Filho Amor & Sociologia

Leia mais

HINÁRIO LUZ. Tema 2012: Flora Brasileira Jequitibá-Rosa (Cariniana legalis) PADRINHO ZÉ RICARDO

HINÁRIO LUZ. Tema 2012: Flora Brasileira Jequitibá-Rosa (Cariniana legalis) PADRINHO ZÉ RICARDO HINÁRIO LUZ Tema 2012: Flora Brasileira Jequitibá-Rosa (Cariniana legalis) PADRINHO ZÉ RICARDO 1 www.ceudodedodedeus.org.br www.hinarios.org 2 I LUZ Sônia Dini Valsa Deus, como é bom estar com Vós Navegar

Leia mais

Monte o kit chama amor

Monte o kit chama amor Monte o kit chama amor Junte o pode do cristal com o incenso certo e crie um poderoso Kit Chama amor e paixão. Uma receita mágica e poderosa que cria o clima de amor que você busca na sua vida. Fácil de

Leia mais

1º dia: Ó Consoladora dos Aflitos

1º dia: Ó Consoladora dos Aflitos NOVENA À NOSSA SENHORA DE CARAVAGGIO 1º dia: Ó Consoladora dos Aflitos Vós que consolastes a pobre Joaneta em meio à sua aflição familiar, concedei a graça que tanto necessito, intercedendo junto a Jesus

Leia mais

SUMÁRIO. APRESENTAÇÃO Sobre Fernando Pessoa...11 Fernando Pessoa: ele mesmo, um outro heterônimo?...23

SUMÁRIO. APRESENTAÇÃO Sobre Fernando Pessoa...11 Fernando Pessoa: ele mesmo, um outro heterônimo?...23 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO Sobre Fernando Pessoa...11 Fernando Pessoa: ele mesmo, um outro heterônimo?...23 CANCIONEIRO Quando ela passa...31 Em busca da beleza...33 Mar. Manhã...37 Visão...38 Análise...38 Ó

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 63/2002

RESOLUÇÃO Nº 63/2002 RESOLUÇÃO Nº 63/2002 Estabelece a relação de obras literárias do Processo Seletivo da UFES para ingresso nos cursos de graduação nos anos letivos de 2004, 2005 e 2006. O DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO

Leia mais

PORTUGUÊS - 2 o ANO MÓDULO 38 SIMBOLISMO PARTE 2

PORTUGUÊS - 2 o ANO MÓDULO 38 SIMBOLISMO PARTE 2 PORTUGUÊS - 2 o ANO MÓDULO 38 SIMBOLISMO PARTE 2 Fixação (Alphonsus de Guimaraens) Soneto Hão de chorar por ela os cinamomos, Murchando as flores ao tombar do dia. Dos laranjais hão de cair os pomos,

Leia mais

Análise de discursos textuais: questões

Análise de discursos textuais: questões Análise de discursos textuais: questões Com base no texto a seguir, responda às questões (1) e (2): Os Poemas Os poemas são pássaros que chegam não se sabe de onde e pousam no livro que lês. Quando fechas

Leia mais

Amor & Sociologia Cultural - Oswaldo Montenegro & Raul Seixas

Amor & Sociologia Cultural - Oswaldo Montenegro & Raul Seixas Page 1 of 6 Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia Disciplina: Sociologia Cultural Educador: João Nascimento Borges Filho Amor & Sociologia

Leia mais

Ambição de colocar diante do observador uma semelhança convincente das aparências reais das coisas

Ambição de colocar diante do observador uma semelhança convincente das aparências reais das coisas O naturalismo constitui uma noção fundamental que marcou profundamente grande parte da arte ocidental, da antiga Grécia até o final do século XIX, com uma única interrupção, durante a Idade Média CONCEITO

Leia mais

GUAMARÉ, RETALHOS POÉTICOS

GUAMARÉ, RETALHOS POÉTICOS 1 2 GUAMARÉ, RETALHOS POÉTICOS Gonzaga Filho 2011 3 4 Dedico este livro A todos que me fazem feliz ou infeliz, Pois cada um ao seu modo, Faz-me crescer espiritualmente. Fotografia da capa: Sanderson Miranda

Leia mais

23 de Abril. Dia Mundial do Livro Venha festejá-lo com palavras, na Biblioteca da FLUP.

23 de Abril. Dia Mundial do Livro Venha festejá-lo com palavras, na Biblioteca da FLUP. 23 de Abril. Dia Mundial do Livro Venha festejá-lo com palavras, na Biblioteca da FLUP. No dia 23 de abril de 2013 a Biblioteca Central pediu aos seus leitores que dedicassem algumas palavras de homenagem

Leia mais

A Estética é uma especialidade filosófica que visa investigar a essência da beleza e as bases da arte. Ela procura compreender as emoções, idéias e

A Estética é uma especialidade filosófica que visa investigar a essência da beleza e as bases da arte. Ela procura compreender as emoções, idéias e A Estética A Estética é uma especialidade filosófica que visa investigar a essência da beleza e as bases da arte. Ela procura compreender as emoções, idéias e juízos que são despertados ao observar uma

Leia mais

Alguns autores escrevem de acordo com o novo A. O., outros segundo a antiga ortografia

Alguns autores escrevem de acordo com o novo A. O., outros segundo a antiga ortografia Olhar de Amor - COLECTÂNEA DE POESIA - VÁRIOS AUTORES Título Olhar de Amor Colectânea de Poesia - Edição Tecto de Nuvens, Edições e Artes Gráficas, LDA. Rua Camilo Pessanha, 152, 4435-638 Baguim do Monte

Leia mais

CONHECIMENTO, REALIDADE E VERDADE

CONHECIMENTO, REALIDADE E VERDADE CONHECIMENTO, REALIDADE E VERDADE SERÁ QUE TUDO QUE VEJO É REAL e VERDADEIRO? Realidade Realismo A primeira opção, chamada provisoriamente de realismo : supõe que a realidade é uma dimensão objetiva,

Leia mais

Simbolismo: a linguagem da músicam

Simbolismo: a linguagem da músicam Simbolismo: a linguagem da músicam Insatisfeitos com a onda de cientificismo e materialismo a que esteve submetida a sociedade industrial européia na segunda metade do século XIX, os simbolistas representam

Leia mais

SER POETA IMAGENS DA METAPOESIA EM FLORBELA ESPANCA 16 André Luiz Alves Caldas Amóra (PUC-Rio)

SER POETA IMAGENS DA METAPOESIA EM FLORBELA ESPANCA 16 André Luiz Alves Caldas Amóra (PUC-Rio) SER POETA IMAGENS DA METAPOESIA EM FLORBELA ESPANCA 16 André Luiz Alves Caldas Amóra (PUC-Rio) Florbela Espanca, poetisa pertencente ao Modernismo português, apresenta em sua poesia uma vertente neo-romântica,

Leia mais

SIMBOLISMO LITERATURA BRASILEIRA II. Profª Drª NERY REINER

SIMBOLISMO LITERATURA BRASILEIRA II. Profª Drª NERY REINER SIMBOLISMO LITERATURA BRASILEIRA II Profª Drª NERY REINER CONTEXTO HISTÓRICO EXPANSIONISMO EUROPEU EM DIREÇÃO À ÁFRICA E ÁSIA. INDUSTRIALIZAÇÃO GUIADA PELO LUCRO DESIGUALDADES SOCIAIS REALIDADE CRUEL ORIGEM

Leia mais

Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 06/06/2016

Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 06/06/2016 Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 06/06/2016 06h03 06h52 07h03 07h33 08h01 08h06 08h12 08h17 08h23 08h30 08h39 08h46 08h57 09h15 09h30 10h00 10h15 10h30 11h00 11h26 SALTO PARA O FUTURO -

Leia mais

9 Referências bibliográficas

9 Referências bibliográficas 9 Referências bibliográficas ANDRADE, Carlos Drummond de. Poesia Completa, Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2002.. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1982.. Carta a Alphonsus de Guimaraens, em 03

Leia mais

Uma Boa Prenda. Uma boa prenda a ofertar É a doação do amor É estar pronto a ajudar Quem vive com uma dor.

Uma Boa Prenda. Uma boa prenda a ofertar É a doação do amor É estar pronto a ajudar Quem vive com uma dor. Uma Boa Prenda Uma boa prenda a ofertar É a doação do amor É estar pronto a ajudar Quem vive com uma dor. Prenda essa que pode Ser dada por um qualquer Seja rico ou seja pobre Simples homem ou mulher.

Leia mais

A experiência lúdica que permite o sonho e a fuga da realidade é denominada escapismo, em uma alusão ao Romantismo do século XIX.

A experiência lúdica que permite o sonho e a fuga da realidade é denominada escapismo, em uma alusão ao Romantismo do século XIX. Escapismo A experiência lúdica que permite o sonho e a fuga da realidade é denominada escapismo, em uma alusão ao Romantismo do século XIX. Nesse movimento, predominavam o apelo a fantasia e subjetividade:

Leia mais

O retrato oval. de Edgar Allan Poe. Manual pp

O retrato oval. de Edgar Allan Poe. Manual pp O retrato oval de Edgar Allan Poe Manual pp. 126-129 1. Assinala, em cada alínea, a opção que, segundo o conto, é verdadeira. 1.1. O narrador pernoitou num castelo dos Apeninos devido à iniciativa do seu

Leia mais

CRUZ E SOUSA, J. Poesia completa. Florianópolis: Fundação Catarinense de Cultura / Fundação Banco do Brasil, 1993.

CRUZ E SOUSA, J. Poesia completa. Florianópolis: Fundação Catarinense de Cultura / Fundação Banco do Brasil, 1993. Revisão ENEM 1. (ENEM 2009) Cárcere das almas Ah! Toda a alma num cárcere anda presa, Soluçando nas trevas, entre as grades Do calabouço olhando imensidades, Mares, estrelas, tardes, natureza. Tudo se

Leia mais

Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 15/08/2016

Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 15/08/2016 Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 15/08/2016 06h03 SALTO PARA O FUTURO - Salto 2016 07h00 07h30 08h00 08h05 08h10 08h16 08h24 08h30 08h40 08h49 09h00 09h30 10h00 10h15 10h30 11h00 11h30

Leia mais

Portefólio de português

Portefólio de português Portefólio de português Professora: Rosa Silva Sara Boisseau 8ºC Nº27 Índice 1. O meu perfil de leitor 2. Atividades em que participei 3. O livro da minha vida 4. Sugestões de livros 5. Contrato de leitura

Leia mais

Euclides Pereira Mendonça

Euclides Pereira Mendonça Euclides Pereira Mendonça by Euclides Pereira de Mendonça 2008 M537r Mendonça, Euclides Pereira de Revivências; poemas da juventude / Euclides Pereira Mendonça a. Brasília : Thesaurus, 2008. 94 p. 1. Literatura,

Leia mais

Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 13/02/2017

Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 13/02/2017 Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 13/02/2017 06h03 07h00 07h30 08h00 08h05 08h10 08h15 08h21 08h30 08h35 08h41 08h46 08h51 09h00 09h08 09h15 09h24 09h32 09h40 09h49 SALTO PARA O FUTURO -

Leia mais

MARIONETAS E FORMAS DE ENCANTAR OUTUBRO NO MUSEU

MARIONETAS E FORMAS DE ENCANTAR OUTUBRO NO MUSEU MARIONETAS E FORMAS DE ENCANTAR OUTUBRO NO MUSEU Sozinho, com os amigos, em família ou com a criançada: há quanto tempo não visita o Museu da Marioneta? Exposições, visitas orientadas, visitas guiadas,

Leia mais

Metamorfoses 19 de Novembro de 2006

Metamorfoses 19 de Novembro de 2006 Metamorfoses Farol das Letras 19 de Novembro de 2006 A noite parecia querer aterrar como uma nave cansada da sua viagem pelo espaço, enquanto o sol, num sopro de deslumbramento e êxtase, derramava ainda

Leia mais

OS COMBOIOS QUE VÃO PARA ANTUÉRPIA

OS COMBOIOS QUE VÃO PARA ANTUÉRPIA OS COMBOIOS QUE VÃO PARA ANTUÉRPIA Em janeiro eu estava em Bruxelas, nos subúrbios, numa casa sobre a linha férrea. Os comboios faziam estremecer o meu quarto. Fora-se o natal. Algo desaparecera, uma coisa

Leia mais

ARTE DA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX

ARTE DA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX ARTE DA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX Entre os artistas que se destacaram na segunda metade do século XIX, estavam: Benedito Calixto de Jesus (1853-1927) Pedro Alexandrino( 1856-1942) Belmeiro de Almeida

Leia mais

Nº 11 A Domingo IV do Tempo Comum Sede felizes!

Nº 11 A Domingo IV do Tempo Comum Sede felizes! Nº 11 A Domingo IV do Tempo Comum-2.2.2014 Sede felizes! Combatei a miséria e reparti do que é vosso com os outros. Sede pacientes, tolerantes, dialogantes, humildes. Tende esperança no meio da escuridão,

Leia mais

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA ARTES. Aula 4.2 Conteúdo: Romantismo Realismo Impressionismo

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA ARTES. Aula 4.2 Conteúdo: Romantismo Realismo Impressionismo Aula 4.2 Conteúdo: Romantismo Realismo Impressionismo 1 Habilidades: Reconhecer diferentes funções da arte, do trabalho de produção dos artistas em seus meios culturais. 2 Romantismo Designa uma tendência

Leia mais

As cores são ações e paixões da luz.

As cores são ações e paixões da luz. As cores são ações e paixões da luz. Goethe Robert Delunay, Drama políltico, óleo e colagem sobre cartão, 88,7 x 67,3, 1914 Cada olhar envolve uma observação, cada observação uma reflexão, cada reflexão

Leia mais

Memorial Descritivo. Estandarte e Chancela (aprovados em 29 de novembro de2010)

Memorial Descritivo. Estandarte e Chancela (aprovados em 29 de novembro de2010) À Glória do Grande Arquiteto do Universo Grande Loja Maçônica do Estado da Paraíba Loja Maçônica de Estudos e Pesquisa Renascença N 1 Estandarte e Chancela (aprovados em 29 de novembro de2010) Memorial

Leia mais

Plano Anual de Atividades. Mês Atividade/Tarefa Objetivos Intervenientes

Plano Anual de Atividades. Mês Atividade/Tarefa Objetivos Intervenientes Mês Atividade/Tarefa Objetivos Intervenientes Setembro Integração e adaptação das Crianças Reunião de pais - Promover a (re)integração e adaptação das crianças à creche; - Proporcionar um ambiente que

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 2º EM Literatura Fransérgio Av. Trimestral 18/06/14 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos. 2. Esta

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS PLANO DE ENSINO CÓD. DISC. DISCIPLINA ETAPA CH SEM CH TOTAL SEM/ANO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS PLANO DE ENSINO CÓD. DISC. DISCIPLINA ETAPA CH SEM CH TOTAL SEM/ANO CÓDIGO UNIDADE 042 CÓD. CURSO CURSO 42501 COMUNICAÇÃO SOCIAL HAB: JORNALISMO CÓD. DISC. DISCIPLINA ETAPA CH SEM CH TOTAL SEM/ANO 121.3211.1 HISTÓRIA DA ARTE E DA CULTURA PROFESSOR (A) OBJETIVOS 2ª 02 34

Leia mais

AULA 09 LITERATURA ROMANTISMO

AULA 09 LITERATURA ROMANTISMO AULA 09 LITERATURA ROMANTISMO PROFª Edna Prado I - CONTEXTO HISTÓRICO O tema da aula de hoje é a Estética Romântica, é o Romantismo com letra maiúscula. E por que com letra maiúscula? Porque é importante

Leia mais

HENRY, Michel. Ver o invisível: Sobre Kandinsky. São Paulo: Realizações, 2012.

HENRY, Michel. Ver o invisível: Sobre Kandinsky. São Paulo: Realizações, 2012. HENRY, Michel. Ver o invisível: Sobre Kandinsky. São Paulo: Realizações, 2012. Rafaela Belo Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Territorialidades UFES 2014/1 Vietnam, 1922 França, 2002 Michel Henry

Leia mais

Solidão... esse sentimento que pode te jogar no caos da depressão, torná-lo um gênio ou levá-lo à loucura.

Solidão... esse sentimento que pode te jogar no caos da depressão, torná-lo um gênio ou levá-lo à loucura. SOLIDÃO E SOLITUDE Solidão... esse sentimento que pode te jogar no caos da depressão, torná-lo um gênio ou levá-lo à loucura. Muitas vezes você quer a fusão de almas, mas não consegue porque, por uma razão

Leia mais

Canções de Natal. Índice. Conteúdo. Arquivo de música de língua portuguesa 21 de Dezembro de canção de Natal, 2 11.

Canções de Natal. Índice. Conteúdo. Arquivo de música de língua portuguesa 21 de Dezembro de canção de Natal, 2 11. Índice canção de Natal, 2 11 janeiras, 2, 6 popular, 3 5, 8, 10, 11 Trás-os-Montes, 2, 9 Canções de Natal Arquivo de música de língua portuguesa 21 de Dezembro de 2002 reis, 2, 6 Zeca Afonso, 6 Conteúdo

Leia mais

O Livro de Todas as Coisas. Sobre o Tempo

O Livro de Todas as Coisas. Sobre o Tempo O Livro de Todas as Coisas Sobre o Tempo O Livro de Todas as Coisas Sobre o Tempo Douglas Turolli 1ª Edição Editora Perse Copyright 2012 by Douglas Turolli Capa e Contracapa: Talyta Oliveira e Ivan Domingues

Leia mais

Arte da cor. Se no desenho o que mais se utiliza é o traço, na pintura o mais importante é a cor

Arte da cor. Se no desenho o que mais se utiliza é o traço, na pintura o mais importante é a cor O tom da cor Arte da cor. Se no desenho o que mais se utiliza é o traço, na pintura o mais importante é a cor Ao escrever, cada pessoa tem uma maneira própria de fazer as letras. O mesmo acontece com a

Leia mais

estética & filosofia da arte

estética & filosofia da arte estética & filosofia da arte carlos joão correia 2013-2014 2ºSemestre ESTÉTICA E FILOSOFIA DA ARTE http://2014estetica.blogspot.pt carlosjoaocorreia@gmail.com Avaliação: 1. Alunos internos: 1.1. elaboração

Leia mais

FIGURATIVISMO E ABSTRACIONISMO EM LITERATURA E PINTURA

FIGURATIVISMO E ABSTRACIONISMO EM LITERATURA E PINTURA João Adalberto Campato Jr* Autor e Texto Author - Text FIGURATIVISMO E ABSTRACIONISMO EM LITERATURA E PINTURA FIGURATIVE ANALOGY AND ABSTRACTIONISM IN LITERATURE AND PAINTING Resumo No presente artigo,

Leia mais

Maria Luiza Costa

Maria Luiza Costa 45 ESTÉTICA CLÁSSICA E ESTÉTICA CRÍTICA Maria Luiza Costa m_luiza@pop.com.br Brasília-DF 2008 46 ESTÉTICA CLÁSSICA E ESTÉTICA CRÍTICA Resumo Maria Luiza Costa 1 m_luiza@pop.com.br Este trabalho pretende

Leia mais

Agrupamento Vertical de Escolas do Viso. Escola E. B. 2.3 do Viso. A vida é uma folha de papel

Agrupamento Vertical de Escolas do Viso. Escola E. B. 2.3 do Viso. A vida é uma folha de papel 1.º Prémio A vida é uma folha de papel A vida pode ser Escura como a noite, Ou clara como as águas cristalinas Que brilham ao calor do sol. A vida pode ser Doce como o mel Ou amarga como o fel. A vida

Leia mais

Mulher lendo Renoir, c. 1895, óleo sobre tela, 32 x 28 cm. Coleção particular.

Mulher lendo Renoir, c. 1895, óleo sobre tela, 32 x 28 cm. Coleção particular. Mulher lendo Renoir, c. 1895, óleo sobre tela, 32 x 28 cm. Coleção particular. Poesia Miguel Reale Eterna juventude Quando em meus olhos os teus olhos pousas vejo-te jovem como via outrora: luz interior

Leia mais

AGENDA ESPÍRITO DEOUTUBRO JOÃO TORDO

AGENDA ESPÍRITO DEOUTUBRO JOÃO TORDO A minha proposta para o mês de Outubro encontra-se enraizada no significado que este mês tem para um sem-número de culturas em todo o mundo: Outubro como um lugar de abertura, um espaço de mudança e de

Leia mais

Pela beleza que há no amor e na pureza da inspiração que não morre, e que adormece dentro de cada um, despertada no som do silêncio.

Pela beleza que há no amor e na pureza da inspiração que não morre, e que adormece dentro de cada um, despertada no som do silêncio. Pela beleza que há no amor e na pureza da inspiração que não morre, e que adormece dentro de cada um, despertada no som do silêncio. Que esta passagem por aqui seja alicerçada na harmonia da afeição natural

Leia mais

Mensagem do dia 01 de Janeiro: Silêncio por favor

Mensagem do dia 01 de Janeiro: Silêncio por favor Mensagem do dia 01 de Janeiro: Silêncio por favor A mensagem deste primeiro dia do ano fala de uma necessidade do ser humano atual: ouvir a si mesmo! Neste ano que se inicia, já decidi: vou aprender a

Leia mais

1. Considere o poema abaixo:

1. Considere o poema abaixo: 1º EM Literatura Carolina Aval. Subs. / Opt. 19/04/12 1. Considere o poema abaixo: ISTO Dizem que finjo ou minto Tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto Com a imaginação. Não uso o coração. (Fernando

Leia mais

Impressionismo. a) Apenas o item IV está correto. b) Apenas os itens II, III e V são corretos. c) Apenas os itens II, III e V estão incorretos.

Impressionismo. a) Apenas o item IV está correto. b) Apenas os itens II, III e V são corretos. c) Apenas os itens II, III e V estão incorretos. Impressionismo Questão 01 - Como os artistas realistas, que com a ciência haviam aprendido a utilizar determinados conhecimentos, os impressionistas se viram na necessidade de interpretar com maior vivacidade

Leia mais

Janeiro Compartilhe com o mundo! Use a hashtag #ClicandoeAndando365 nas suas fotos.

Janeiro Compartilhe com o mundo! Use a hashtag #ClicandoeAndando365 nas suas fotos. Janeiro 2017 1 Domingo Começo 2 Segunda Resoluções 3 Terça Saudável 4 Quarta Bebidas Geladas 5 Quinta Mágico 6 Sexta Azul 7 Sábado Frio 8 Domingo Nascer do Sol 9 Segunda Botas 10 Terça Escuro 11 Quarta

Leia mais

Português. Eduardo Valladares (Maria Carolina Coelho) 27 e Linguagem Artística

Português. Eduardo Valladares (Maria Carolina Coelho) 27 e Linguagem Artística Linguagem Artística Linguagem Artística 1. A diva Vamos ao teatro, Maria José? Quem me dera, desmanchei em rosca quinze kilos de farinha tou podre. Outro dia a gente vamos Falou meio triste, culpada, e

Leia mais

Licitação. Relação de Itens da Licitação

Licitação. Relação de Itens da Licitação PREFEITURA MICIPAL DE Relação de Itens da CGCICM : INSCR M : 0000 001 1,00 0000 002 1,00 0000 003 1,00 0000 004 1,00 0000 005 1,00 0000 006 1,00 0000 007 1,00 0000 008 1,00 0000 009 1,00 0000 010 1,00

Leia mais

Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós. Coração Imaculado de Maria, sede a nossa salvação.

Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós. Coração Imaculado de Maria, sede a nossa salvação. Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós. Coração Imaculado de Maria, sede a nossa salvação. 5 Introdução A devoção ao Imaculado Coração de Maria é uma das mais belas manifestações

Leia mais

J O H N C A G E O S O N S H U M A N O S D A C I D A D E emanuel dimas de melo pimenta

J O H N C A G E O S O N S H U M A N O S D A C I D A D E emanuel dimas de melo pimenta J O H N C A G E O S O N S H U M A N O S D A C I D A D E 2 0 0 1 também conferência em San Marino National Gallery San Marino, John Cage - Os Sons Humanos da Cidade Emanuel Dimas de Melo Pimenta título:

Leia mais

José Francisco da Rocha

José Francisco da Rocha Saudação a Poesia Biografia José Francisco da Rocha, nasceu no dia 04 de janeiro de 1932 em Cedro de São João SE. Filho de José Francisco da Rocha e Antônia Maria de Santana. Casado com Carmelita Souza

Leia mais

Sonetos da Alma Welt recém-descobertos

Sonetos da Alma Welt recém-descobertos Sonetos da Alma Welt recém-descobertos Guilherme de Faria O Jardim do Amor Constante (de Alma Welt) Hoje vou ao encontro da Alegria. Assim o decidi, vou porque vou. Estou meio cansada da ironia Dela só

Leia mais

Atividade extra. Fascículo 6 Linguagens Unidade 17 Barroco e romantismo Poesia de sentimentos. Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

Atividade extra. Fascículo 6 Linguagens Unidade 17 Barroco e romantismo Poesia de sentimentos. Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Atividade extra Fascículo 6 Linguagens Unidade 17 Barroco e romantismo Poesia de sentimentos Textos para os itens 1 e 2 I. Pálida, à luz da lâmpada sombria Sobre o leito de flores reclinada, como a lua

Leia mais

CEMAS - REVISTA ARCADISMO REVISTA CEMAS 1º ANO A

CEMAS - REVISTA ARCADISMO REVISTA CEMAS 1º ANO A ARCADISMO REVISTA CEMAS 1º ANO A 1 ARCADISMO O Arcadismo, também conhecido como Setecentismo ou Neoclassicismo, é o movimento que compreende a produção literária brasileira na segunda metade do século

Leia mais

A tristeza. A tristeza

A tristeza. A tristeza E a leitura continua..."o Principezinho" - quarta-feira, 6 de Fevereiro de 2013 No capítulo V, o Principezinho demonstra muita tristeza nas suas palavras. Após a leitura, foi proposto aos alunos escreverem

Leia mais

Especulações sobre o amor

Especulações sobre o amor Especulações sobre o amor Janete Luiz Dócolas, Psicanalista O amor é um mistério que há muito tempo, talvez desde que fora percebido, os homens vem tentando compreender, descrever ou ao menos achar um

Leia mais

Da fotografia à pintura A construção do olhar a partir de um imagético processual lírico

Da fotografia à pintura A construção do olhar a partir de um imagético processual lírico Da fotografia à pintura A construção do olhar a partir de um imagético processual lírico Rafael Teixeira de Resende 1 O presente relato visa refletir sobre o processo de criação do Artista capixaba Rafael

Leia mais

LIBER B VEL MAGI Comentado por 666

LIBER B VEL MAGI Comentado por 666 LIBER B VEL MAGI Comentado por 666 1 LIBER B VEL MAGI O Livro do Magus SVB FIGURA I A..A.. Publicação em Classe A. Comentado por 666 Tradução: Frater Ever 2 00. Um é o Magus: duas, suas forças: quatro,

Leia mais

No virar do século a Noruega vivia um dos seus períodos mais conturbados e interessantes. A capital, Cristiânia (mais tarde Oslo), fervilhava com uma

No virar do século a Noruega vivia um dos seus períodos mais conturbados e interessantes. A capital, Cristiânia (mais tarde Oslo), fervilhava com uma No virar do século a Noruega vivia um dos seus períodos mais conturbados e interessantes. A capital, Cristiânia (mais tarde Oslo), fervilhava com uma vasta turba de intelectuais e artistas que partilhavam

Leia mais

I ANTOLOGIA DE POETAS LUSÓFONOS. Fantasias

I ANTOLOGIA DE POETAS LUSÓFONOS. Fantasias Fantasias Acordar dos sonhos, Se é que se chama sonho. Pois, nas noites de insônia tudo é verdadeiro, Na tortura, na incerteza Uma fantasia dentro de um veleiro. Sonhos na madrugada nevando, A loucura

Leia mais

Rosário todos os dias. Este pedido de Nossa Senhora confirma o que disseram grandes Santos sobre os benefícios dessa devoção:

Rosário todos os dias. Este pedido de Nossa Senhora confirma o que disseram grandes Santos sobre os benefícios dessa devoção: O Santo é considerado uma oração completa, porque traz em síntese toda a história da nossa salvação. Desde o inicio das aparições em Medjugorje, Nossa Senhora nos pede com frequência para rezarmos o todos

Leia mais

CONCURSO VESTIBULAR 2008 e PISM III UFJF Prova de Habilidade Específica Curso de Artes

CONCURSO VESTIBULAR 2008 e PISM III UFJF Prova de Habilidade Específica Curso de Artes TEXTO 1 Deus Pai todo poderoso, com fé te rogo, em nome de Cristo teu Filho, Jesus de Nazaré, que me concedas a presença do Espírito Santo na galeria durante minha exposição. Cria para mim um ambiente

Leia mais

Estilos de Representação e Apresentação no Desenho eliane bettocchi

Estilos de Representação e Apresentação no Desenho eliane bettocchi Maneirismo/Barroco/Rococó = apresentação naturalista observação do real representando, de maneira expressionista ou clássica, temas "ideais" em que os valores tonais preponderam e a sensação de "real"

Leia mais

Inês Carolina Rilho SINTONIA

Inês Carolina Rilho SINTONIA Inês Carolina Rilho Nasceu no Recife-PE. Formou-se em Letras e Direito. Escreve desde os 15 anos. Possui poemas, conto e um romance em fase de conclusão. Tem participado de várias antologias. SINTONIA

Leia mais

Práticas de Jogos e Recreação

Práticas de Jogos e Recreação FAAC Faculdade Afonso Cláudio Pólo Tijuca Rio de Janeiro Pós-graduação em Educação Práticas de Jogos e Recreação Rosane Tesch rosanetesch@gmail.com "A brincadeira está na origem de todos os hábitos." Walter

Leia mais