POÉTICAS DO SÉCULO XIX

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "POÉTICAS DO SÉCULO XIX"

Transcrição

1 POÉTICAS DO SÉCULO XIX (3)

2

3 Origens Precursor Edgar Allan Poe ( )

4 Origens Charles Baudelaire ( )

5 B RINDE Nada, esta espuma, virgem verso A não designar mais que a copa; Ao longe se afoga uma tropa De sereias vária ao inverso. Navegamos, ó meus fraternos Amigos, eu já sobre a popa, Vós à proa em pompa que topa A onda de raios e de invernos; Uma embriaguez me faz arauto, Sem medo ao jogo do mar alto, Para erguer, de pé, este brinde. Solitude, recife, estrela A não importa o que há no fim de um branco afã de nossa vela. [Tradução: Augusto de Campos] Stéphane Mallarmé ( )

6 Designações Decadentismo Simbolismo Jean Moréas ( ) autor do manifesto Le Symbolisme (1886)

7 Noções fundamentais Arte: sugestão Palavra: símbolo das coisas Coisas: mistério Poesia: expressão do mistério (dizer o indizível) Senso de efemeridade: ser é não ser

8 Características Anseio de absoluto: espiritualismo Escapismo: sonho, loucura e morte Ilogismo Expressões vagas e insólitas Versos nominais

9 ANTÍFONA Cruz e Sousa ( ) Ó Formas alvas, brancas, Formas claras de luares, de neves, de neblinas!... Ó Formas vagas, fluidas, cristalinas... Incensos dos turíbulos das aras... Formas do Amor, constelarmante puras, de Virgens e de Santas vaporosas... Brilhos errantes, mádidas 1 frescuras e dolências 2 de lírios e de rosas... Indefiníveis músicas supremas, harmonias da Cor e do Perfume... Horas do Ocaso, trêmulas, extremas, Réquiem 3 do Sol que a Dor da Luz resume... [...] 1. úmidas; orvalhadas 2. aflições; sofrimentos 3. prece ou composição musical para missa aos mortos

10 Correntes Impressionismo Simbolismo Pré-Rafaelismo Art Nouveau

11 Ninfeias (As Nuvens) [1903], Claude Monet ( ), coleção particular.

12 A catedral de Ruão, tempo cinza (1892). Claude Monet. Museu d Orsay, Paris A catedral de Ruão, sol pleno (1893). Claude Monet. Museu d Orsay, Paris

13 Ofélia ( ), John Millais ( ), Tate Gallery, Londres.

14 Veronica Veronese (1872), Dante Gabriel Rosseti ( ), Delaware Art Museum, Wilmington.

15 Padrões impressionistas e simbolistas

16 ANATOLE FRANCE ( ) Arte: beleza (relativismo histórico). Estética e teoria: ilusões ( castelos no ar ); tolerância histórica (ecletismo). Único critério de valor: prazer. Crítica: obra de arte, filha da imaginação. Função da crítica: definir e formar o gosto.

17 WALTER PATER ( ) Arte: unidade de forma e conteúdo. Imaginação: poder unificador ou identificador, cuja função é condensar as impressões de coisas naturais em forma humana. Obra de arte: unidade de impressão (perfeição; esteticismo) = expressão sincera da visão interior; transformação da intuição em expressão (subjetividade objetivada). Poesia: criação de um ideal, que contemplamos pela mera alegria de contemplar; refúgio num mundo melhor concebido e melhor acabado que o mundo real; torre de marfim.

18 BAUDELAIRE, Charles ( ) Arte: totalidade autônoma; beleza (arte pura: arte pela arte). Beleza: mistério sobrenatural e humano; algo vago e triste, que pode até ser mau, satânico, grotesco. Ideal de poesia: cálculo e sonho, que eleva em direção à beleza pura e desinteressada ( A inspiração, em suma, não é senão a recompensa do exercício cotidiano ). Imaginação: instrumento da alma que capta as correspondências e analogias de todas as coisas (símbolos), para lançar uma luz mágica e sobrenatural sobre a escuridão natural das coisas.

19 BAUDELAIRE, Charles ( ) A obra de arte elimina o abismo entre o sujeito e o objeto, o homem e a natureza: Criar é uma magia sugestiva contendo ao mesmo tempo o objeto e o sujeito, o mundo exterior ao artista e o próprio artista.

20 MALLARMÉ, Stéphane ( ) Arte: sugestão, evocação vaga da Ideia puramente abstrata e obscura por meio do símbolo: instituir uma exata relação entre as imagens; e então um terceiro aspecto [o simbólico], claro e fusível, delas se desprende e se apresenta à adivinhação. Objetivo da arte: afastar a realidade, excluir a sociedade, a natureza e a pessoa do artista, para alcançar a beleza pura. Poesia: cálculo de efeitos; signo puro. Linguagem da poesia linguagem da comunicação: linguagem real, linguagem como mágica, palavras como coisas ( Dar um sentido mais puro às palavras da tribo ).

2) Explique o que foi o chamado "Pré-Modernismo). (1 ponto)

2) Explique o que foi o chamado Pré-Modernismo). (1 ponto) 2º EM Literatura Fransergio Av. Mensal 14/05/14 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos. 2. Esta

Leia mais

O PARNASIANISMO. Por Carlos Daniel Santos Vieira

O PARNASIANISMO. Por Carlos Daniel Santos Vieira O PARNASIANISMO Por Carlos Daniel Santos Vieira CONTEXTO HISTÓRICO-CULTURAL Segunda metade do século XIX Progresso, ciência, revolução industrial Desapego à emoção CARACTERÍSTICAS Disciplina do bom gosto

Leia mais

POÉTICAS DO SÉCULO XIX

POÉTICAS DO SÉCULO XIX POÉTICAS DO SÉCULO XIX (2) SITUAÇÃO HISTÓRICA Segunda metade do século XIX Sociedade burguesa Capitalismo industrial Luta de classes Imperialismo IDÉIAS PREDOMINANTES Socialismo utópico: Saint-Simon IDÉIAS

Leia mais

Artes visuais AULA 4 Do Romantismo ao Impressionismo

Artes visuais AULA 4 Do Romantismo ao Impressionismo Artes visuais AULA 4 Do Romantismo ao Impressionismo Prof. André de Freitas Barbosa O século XIX foi agitado por fortes mudanças sociais, políticas e culturais, resultando numa reação ao espírito iluminista,

Leia mais

Língua Portuguesa (Olavo Bilac)

Língua Portuguesa (Olavo Bilac) Língua Portuguesa (Olavo Bilac) Última flor do Lácio, inculta e bela, És, a um tempo, esplendor e sepultura: Ouro nativo, que na ganga impura A bruta mina entre os cascalhos vela... Amo-te assim, desconhecida

Leia mais

simbolismo Realismo Naturalismo Parnasianismo Simbolismo Coexistência Dissidência

simbolismo Realismo Naturalismo Parnasianismo Simbolismo Coexistência Dissidência Simbolismo Coexistência simbolismo Realismo Naturalismo Parnasianismo Simbolismo Dissidência O Simbolismo é, antes de tudo, antipositivista, antinaturalista e anticientificista. Isto significa que, contrariando

Leia mais

O Impressionismo é um movimento artístico surgido na França no século XIX que criou uma nova visão conceitual da natureza utilizando pinceladas

O Impressionismo é um movimento artístico surgido na França no século XIX que criou uma nova visão conceitual da natureza utilizando pinceladas O Impressionismo é um movimento artístico surgido na França no século XIX que criou uma nova visão conceitual da natureza utilizando pinceladas soltas dando ênfase na luz e no movimento. Geralmente as

Leia mais

Filosofia da Arte. Unidade II O Universo das artes

Filosofia da Arte. Unidade II O Universo das artes Filosofia da Arte Unidade II O Universo das artes FILOSOFIA DA ARTE Campo da Filosofia que reflete e permite a compreensão do mundo pelo seu aspecto sensível. Possibilita compreender a apreensão da realidade

Leia mais

IMPRESSIONISMO: (1860/1886) adyart.wordpress.com

IMPRESSIONISMO: (1860/1886) adyart.wordpress.com IMPRESSIONISMO: (1860/1886) DEFINIÇÃO: O Impressionismo é um movimento artístico surgido na França, no século XIX. Esse fenômeno artístico criou uma nova visão conceitual da natureza, utilizando pinceladas

Leia mais

AULA 30.1 Conteúdo: O Parnasianismo e o Simbolismo no Amazonas. INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

AULA 30.1 Conteúdo: O Parnasianismo e o Simbolismo no Amazonas. INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA 30.1 Conteúdo: O Parnasianismo e o Simbolismo no Amazonas. 2 29.2 Habilidade: Reconhecer e valorizar a literatura simbolista produzida no Amazonas. 3 REVISÃO Simbolismo no Brasil: contexto histórico. Simbolismo

Leia mais

FEIJOADA POÉTICA MUSICAL PARA O DIA DA MULHER

FEIJOADA POÉTICA MUSICAL PARA O DIA DA MULHER FEIJOADA POÉTICA MUSICAL PARA O DIA DA MULHER Poema de Homenagem ao Dia da Mulher Mulher estratégia de Deus para um mundo melhor Para um tempo de crise foi chamada para ser ajudadora Para um tempo de ódio

Leia mais

Modernismo nas artes plásticas: Séculos XIX e XX

Modernismo nas artes plásticas: Séculos XIX e XX Modernismo nas artes plásticas: Séculos XIX e XX O que era ser um artista moderno? Vincent Van Gogh- Auto retrato com orelha decepada, (1889) Vincent Van Gogh Autorretrato com orelha decepada (1889) Todo

Leia mais

CAPÍTULO 1: PAIXÃO. Apaixonado. O meu coração Pra você eu guardei Antes mesmo de me conhecer Eu te amei Procurei a lealdade Mas não encontrei

CAPÍTULO 1: PAIXÃO. Apaixonado. O meu coração Pra você eu guardei Antes mesmo de me conhecer Eu te amei Procurei a lealdade Mas não encontrei A POESIA FALANTE 1 CAPÍTULO 1: PAIXÃO Apaixonado O meu coração Pra você eu guardei Antes mesmo de me conhecer Eu te amei Procurei a lealdade Mas não encontrei Durante muito tempo A solidão eu enfrentei

Leia mais

Eis que chega meu grande amigo, Augusto dos Anjos, ele com seu jeitão calado e sempre triste, me fala que não irá existir palavra alguma para

Eis que chega meu grande amigo, Augusto dos Anjos, ele com seu jeitão calado e sempre triste, me fala que não irá existir palavra alguma para Oceano em Chamas Querida, Tentei em vão, fazer um poema a você, não consegui. Me faltavam palavras para descrever-te, então pedi aos poetas do universo para me ajudarem. O primeiro com quem conversei,

Leia mais

Comigo mais poesia. Nelson Martins. Reflexões e Sentimentos

Comigo mais poesia. Nelson Martins. Reflexões e Sentimentos Comigo mais poesia Comigo mais poesia Nelson Martins Reflexões e Sentimentos Apresentação A poesia de Nelson Martins conduz o leitor à territorialidade da existência humana, como memória grifada de cada

Leia mais

Surge em em Paris, na França, tendo em Édouard Manet seu mentor.

Surge em em Paris, na França, tendo em Édouard Manet seu mentor. Impressionismo Surge em 1.863 em Paris, na França, tendo em Édouard Manet seu mentor. O artista rompeu definitivamente com os valores clássicos da antiguidade; apesar de não se considerar um impressionista

Leia mais

PARECERES DA PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

PARECERES DA PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ COORDENADORIA DE CONCURSOS CCV Evento: Processo Seletivo Cursos Semipresenciais 00 Edital Nº 0/00 RECURSO ADMINISTRATIVO CONTRA GABARITO/QUESTÃO PARECERES DA PROVA DE CONHECIMENTOS

Leia mais

Coletânea de poemas para reflexão. - Download experimental de ideias -

Coletânea de poemas para reflexão. - Download experimental de ideias - Coletânea de poemas para reflexão - Download experimental de ideias - por Juliana S. Valis "As boas ideias não têm idade, apenas têm futuro." Robert Mallet "A experiência nunca falha, apenas as nossas

Leia mais

Presente Perfeito A. D. Feldman

Presente Perfeito A. D. Feldman Presente Perfeito A. D. Feldman Encontramo-nos em algum lugar de um pequeno planeta e observamos a beleza fria e ao mesmo tempo arrebatadora do infinito em sua profundeza impenetrável. Lá a morte e a vida

Leia mais

Professor Roberson Calegaro

Professor Roberson Calegaro Elevar? Libertar? O que é arte? Do latim ars, significando técnica e/ou habilidade) pode ser entendida como a atividade humana ligada às manifestações de ordem estética ou comunicativa, realizada por meio

Leia mais

AMOR Grande, Profundo, Indestrutível...

AMOR Grande, Profundo, Indestrutível... AMOR Grande, Profundo, Indestrutível... 1 DEDICATÓRIA Porque Ele me amou primeiro, dedico a Ele esse livro, em letras cadenciadas, com todo o meu amor, louvor e adoração. Em unidade com o Espírito Santo,

Leia mais

Expressionismo EDUARDO CARLETTO JUNIOR EDUARDO FALCHETTI SOVRANI GIAN CARLOS MENCATTO PAULO ROBERTO MASCARELLO VILMAR IBANOR BERTOTTI JUNIOR

Expressionismo EDUARDO CARLETTO JUNIOR EDUARDO FALCHETTI SOVRANI GIAN CARLOS MENCATTO PAULO ROBERTO MASCARELLO VILMAR IBANOR BERTOTTI JUNIOR Expressionismo ALUNOS: EDUARDO CARLETTO JUNIOR EDUARDO FALCHETTI SOVRANI GIAN CARLOS MENCATTO PAULO ROBERTO MASCARELLO VILMAR IBANOR BERTOTTI JUNIOR DEFINIÇÃO E PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS Movimento heterogêneo

Leia mais

Título original Poemas, Maurício Ribeiro: Espírito e Alma.

Título original Poemas, Maurício Ribeiro: Espírito e Alma. 1 Título original Poemas, Maurício Ribeiro: Espírito e Alma. Todos os direitos reservados: nenhuma parte dessa publicação pode ser reproduzida ou transmitida por meio eletrônico, mecânico, fotocópia ou

Leia mais

Estilo de Época e Estilo Individual

Estilo de Época e Estilo Individual Estilo de Época e Estilo Individual Estilo de Época e Estilo Individual Texto 1 Morte (hora de delírio) Pensamento gentil de paz eterna Amiga morte, vem. Tu és o termo De dous fantasmas que a existência

Leia mais

Álvaro Faleiros RESUMO/ RESUMÉ

Álvaro Faleiros RESUMO/ RESUMÉ Álvaro Faleiros RESUMO/ RESUMÉ SALUT : A MODERNIDADE DE MALLARMÉ EM TRADUÇÃO Resumo: A história das traduções da poesia de Mallarmé no Brasil remete, com frequência, ao trabalho dos poetas concretistas.

Leia mais

Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 11/09/2017

Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 11/09/2017 Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 11/09/2017 06h03 07h00 07h29 07h35 08h02 08h07 08h12 08h18 08h24 08h29 08h34 08h40 08h45 08h53 09h01 09h15 09h28 10h00 10h15 SALTO PARA O FUTURO - Educação

Leia mais

- A estética de Plotino é influenciada pela estética de Platão. Assim, Plotino acredita também em uma hierarquia do belo com 3 planos sucessivos:

- A estética de Plotino é influenciada pela estética de Platão. Assim, Plotino acredita também em uma hierarquia do belo com 3 planos sucessivos: - 204 a.c. a 270 a.c. - A estética de é influenciada pela estética de Platão. Assim, acredita também em uma hierarquia do belo com 3 planos sucessivos: - a forma - a alma - a transcendência. - também critica

Leia mais

Minha inspiração. A Poesia harmoniza o seu dia

Minha inspiração. A Poesia harmoniza o seu dia Minha inspiração A Poesia harmoniza o seu dia Meu jeito de amar Meu jeito de amar é alegre e autêntico É sincero puro e verdadeiro Meu jeito de amar é romântico Me doo me dedico por inteiro Meu jeito de

Leia mais

Material Educativo: Disse o Dicionário

Material Educativo: Disse o Dicionário Material Educativo: Disse o Dicionário Atividade que pensa os sentidos literais e simbólicos de palavras utilizadas em dicionários e poemas escolhidos, para que os participantes criem significados particulares

Leia mais

RELIGIOSIDADE E OBSCURIDADE EM STÉPHANE MALLARMÉ: UMA ANÁLISE DO POEMA SANTA.

RELIGIOSIDADE E OBSCURIDADE EM STÉPHANE MALLARMÉ: UMA ANÁLISE DO POEMA SANTA. RELIGIOSIDADE E OBSCURIDADE EM STÉPHANE MALLARMÉ: UMA ANÁLISE DO POEMA SANTA. Patrick Thomazine 1 RESUMO: Stéphane Mallarmé, conhecido como um dos ditos poetas malditos, juntamente com Rimbaud, Paul Verlaine

Leia mais

Na Terra, a sinfonia e a melodia não são mais que ecos débeis e deformados dos concertos celestes. Nossos instrumentos, mesmo os mais perfeitos,

Na Terra, a sinfonia e a melodia não são mais que ecos débeis e deformados dos concertos celestes. Nossos instrumentos, mesmo os mais perfeitos, Na Terra, a sinfonia e a melodia não são mais que ecos débeis e deformados dos concertos celestes. Nossos instrumentos, mesmo os mais perfeitos, sempre têm qualquer coisa de mecânico e de áspero, enquanto

Leia mais

Fabiany Monteiro do Nascimento. Amor Perfeito

Fabiany Monteiro do Nascimento. Amor Perfeito Fabiany Monteiro do Nascimento Amor Perfeito Dedico este livro a... Grandes pessoas que fizeram de minha vida uma fábula de sonhos reais. Primeiro agradeço a Deus, que mesmo nós momentos ruins, nunca me

Leia mais

Obras de Arte, uma experiência por meio do Minecraft.

Obras de Arte, uma experiência por meio do Minecraft. Obras de Arte, uma experiência por meio do Minecraft. Professora Sabrina Quarentani A.TEMA : Obras de Arte, uma experiência por meio do Minecraft. B. Professora: Sabrina Quarentani. Disciplina: Artes.

Leia mais

Matéria: Literatura Assunto: simbolismo Prof. Ibirá costa

Matéria: Literatura Assunto: simbolismo Prof. Ibirá costa Matéria: Literatura Assunto: simbolismo Prof. Ibirá costa Literatura Simbolismo (Séc. XIX) Origens A estética simbolista surgiu no final do século XIX, por volta de 1880, na França. Recusando-se aos princípios

Leia mais

EDIÇÕES INCM RECOMENDADAS PELO PLANO NACIONAL DE LEITURA. Leitura Autónoma 5.º ano. Leitura Autónoma 6.º ano

EDIÇÕES INCM RECOMENDADAS PELO PLANO NACIONAL DE LEITURA. Leitura Autónoma 5.º ano. Leitura Autónoma 6.º ano EDIÇÕES INCM RECOMENDADAS PELO PLANO NACIONAL DE LEITURA Leitura Autónoma 5.º ano Fernando Pessoa O Menino Que Era Muitos Poetas Ilustração: João Fazenda /Pato Lógico Edições Leitura Autónoma 6.º ano Almada

Leia mais

Fascículo 6 Linguagens Unidade 17 A linguagem nas tirinhas e nas charges

Fascículo 6 Linguagens Unidade 17 A linguagem nas tirinhas e nas charges Atividade extra Fascículo 6 Linguagens Unidade 17 A linguagem nas tirinhas e nas charges Leia a tirinha para responder às próximas questões Disponível em http://lpressurp.wordpress.com/2011/02/14/lista-de-exercicios/

Leia mais

QUESTÃO 1 A função da linguagem presente no texto é a a) conativa. b) emotiva. c) metalinguística. d) fática. e) referencial.

QUESTÃO 1 A função da linguagem presente no texto é a a) conativa. b) emotiva. c) metalinguística. d) fática. e) referencial. Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA A 2 ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM 2017 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Texto para as questões 1 e 2. Na postura de um idioma

Leia mais

ROMANTISMO. Idealização e arrebatamento. Literatura Brasileira 2ª série EM Prof.: Flávia Guerra

ROMANTISMO. Idealização e arrebatamento. Literatura Brasileira 2ª série EM Prof.: Flávia Guerra ROMANTISMO Idealização e arrebatamento Literatura Brasileira 2ª série EM Prof.: Flávia Guerra CONTEXTO NO BRASIL Em 1822, o Brasil conquista sua independência política, mas não tem definida sua identidade.

Leia mais

IMPRESSIONISMO. As figuras não devem ter contornos nítidos, pois a linha é uma abstração do ser humano para representar imagens.

IMPRESSIONISMO. As figuras não devem ter contornos nítidos, pois a linha é uma abstração do ser humano para representar imagens. IMPRESSIONISMO O Impressionismo foi um movimento artístico que revolucionou profundamente a pintura e deu início às grandes tendências da arte do século XX. Havia algumas considerações gerais, muito mais

Leia mais

Falando de amor e ilusão.

Falando de amor e ilusão. Falando de amor e ilusão. Sérgio Batista 2 Falando de amor e ilusão Primeira Edição Editora do Livre Pensador Recife, Pernambuco 2013 3 Titulo Original Falando de amor e ilusão Primeira Edição Copyright

Leia mais

Material Educativo: Disse o Dicionário

Material Educativo: Disse o Dicionário Material Educativo: Disse o Dicionário Atividade que permite pensar sobre os sentidos denotativos e conotativos de palavras existentes em dicionários e presentes em poemas escolhidos, com o objetivo de

Leia mais

Sou eu quem vivo esta é minha vida Prazer este

Sou eu quem vivo esta é minha vida Prazer este Vivo num sonho que não é realidade Faz parte do meu viver Crescer sonhando esquecendo os planos Sou eu quem vivo esta é minha vida Prazer este EU Hoje deixei pra lá me esqueci de tudo Vivo minha vida sobre

Leia mais

A Ética da Alegria em Baruch Spinoza

A Ética da Alegria em Baruch Spinoza A Ética da Alegria em Baruch Spinoza Contextualizando Fonte: wikipedia.com Spinoza: Polidor de Lentes e Filósofo 1632, Amsterdã Haia, 1677 Cronologia de Suas Obras 1660: Breve Tratado sobre Deus, o Homem

Leia mais

Modernismo em Portugal

Modernismo em Portugal Modernismo em Portugal Caeiro Campos Fernando Pessoa Pessoa e seus Reis Heterônimos Fernando Pessoa (1888-1935) Grande parte da crítica considera Fernando Pessoa o maior poeta moderno da Língua Portuguesa.

Leia mais

Unidade: O Romantismo Inglês Poesia. Revisor Textual: Profª Dra. Magalí Elisabete Sparano

Unidade: O Romantismo Inglês Poesia. Revisor Textual: Profª Dra. Magalí Elisabete Sparano Unidade: O Romantismo Inglês Poesia Revisor Textual: Profª Dra. Magalí Elisabete Sparano Contextualização Histórica O período romântico inglês dura cerca de 40 anos e foi influenciado: Pela Revolução Francesa;

Leia mais

Mestra do Anúncio, Profecia do Amor

Mestra do Anúncio, Profecia do Amor Mestra do Anúncio, Profecia do Amor 1. Ouvindo o arauto da Mensagem, Ó terra eleita que o Espírito lavra, Também dizemos: oh! cheia de graça, Sois serva e mensageira da Palavra. Saudada por todas as gerações:

Leia mais

Georges Seurat nasceu em Paris em 2 de dezembro de Em 1878 começou a estudar na Escola de Belas-Artes com Henri Lehmann, discípulo de Ingres

Georges Seurat nasceu em Paris em 2 de dezembro de Em 1878 começou a estudar na Escola de Belas-Artes com Henri Lehmann, discípulo de Ingres Seurat, Georges Um dos grandes precursores da arte do século XX, Seurat foi o criador do pontilhismo, técnica neo-impressionista baseada na fragmentação da cor em pontos que, quando tomados em conjunto,

Leia mais

1º dia: Ó Consoladora dos Aflitos

1º dia: Ó Consoladora dos Aflitos NOVENA À NOSSA SENHORA DE CARAVAGGIO 1º dia: Ó Consoladora dos Aflitos Vós que consolastes a pobre Joaneta em meio à sua aflição familiar, concedei a graça que tanto necessito, intercedendo junto a Jesus

Leia mais

PORTUGUÊS - 2 o ANO MÓDULO 38 SIMBOLISMO PARTE 2

PORTUGUÊS - 2 o ANO MÓDULO 38 SIMBOLISMO PARTE 2 PORTUGUÊS - 2 o ANO MÓDULO 38 SIMBOLISMO PARTE 2 Fixação (Alphonsus de Guimaraens) Soneto Hão de chorar por ela os cinamomos, Murchando as flores ao tombar do dia. Dos laranjais hão de cair os pomos,

Leia mais

Análise de discursos textuais: questões

Análise de discursos textuais: questões Análise de discursos textuais: questões Com base no texto a seguir, responda às questões (1) e (2): Os Poemas Os poemas são pássaros que chegam não se sabe de onde e pousam no livro que lês. Quando fechas

Leia mais

1 O sol cobre de sangue o horizonte e a pálida lua, trêmula, lança seu pungente olhar sobre a terra.

1 O sol cobre de sangue o horizonte e a pálida lua, trêmula, lança seu pungente olhar sobre a terra. HAI KAI Victor Knoll Universidade de São Paulo (USP). 1 O sol cobre de sangue o horizonte e a pálida lua, trêmula, lança seu pungente olhar sobre a terra. 2 O poder do Astro Rei desfalece no horizonte

Leia mais

Ambição de colocar diante do observador uma semelhança convincente das aparências reais das coisas

Ambição de colocar diante do observador uma semelhança convincente das aparências reais das coisas O naturalismo constitui uma noção fundamental que marcou profundamente grande parte da arte ocidental, da antiga Grécia até o final do século XIX, com uma única interrupção, durante a Idade Média CONCEITO

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO ANUAL DE LITERATURA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO ANUAL DE LITERATURA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO ANUAL DE LITERATURA - 2016 Nome: Nº 1ª Série Professores : Danilo / Fernando / Nicolas Nota: I Introdução Caro aluno, Neste ano, você obteve média inferior a 6,0 e, portanto, não

Leia mais

GUAMARÉ, RETALHOS POÉTICOS

GUAMARÉ, RETALHOS POÉTICOS 1 2 GUAMARÉ, RETALHOS POÉTICOS Gonzaga Filho 2011 3 4 Dedico este livro A todos que me fazem feliz ou infeliz, Pois cada um ao seu modo, Faz-me crescer espiritualmente. Fotografia da capa: Sanderson Miranda

Leia mais

DESIGN EDITORIAL AULA 03. Prof. Sergio Xavier

DESIGN EDITORIAL AULA 03. Prof. Sergio Xavier DESIGN EDITORIAL AULA 03 Prof. Sergio Xavier Sumário TIPOGRAFIA Tipografia como conceito visual Seleção das fontes Escolher e variar faces de tipo CORES As Cores Psicologia das Cores Cor no design editorial

Leia mais

Euclides Pereira Mendonça

Euclides Pereira Mendonça Euclides Pereira Mendonça by Euclides Pereira de Mendonça 2008 M537r Mendonça, Euclides Pereira de Revivências; poemas da juventude / Euclides Pereira Mendonça a. Brasília : Thesaurus, 2008. 94 p. 1. Literatura,

Leia mais

ARTE DA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX

ARTE DA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX ARTE DA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX Entre os artistas que se destacaram na segunda metade do século XIX, estavam: Benedito Calixto de Jesus (1853-1927) Pedro Alexandrino( 1856-1942) Belmeiro de Almeida

Leia mais

Metamorfoses 19 de Novembro de 2006

Metamorfoses 19 de Novembro de 2006 Metamorfoses Farol das Letras 19 de Novembro de 2006 A noite parecia querer aterrar como uma nave cansada da sua viagem pelo espaço, enquanto o sol, num sopro de deslumbramento e êxtase, derramava ainda

Leia mais

Domingos de Leers Guimaraens. Caminhos imaginativos: Do simbolismo ao modernismo e além. Dissertação de Mestrado

Domingos de Leers Guimaraens. Caminhos imaginativos: Do simbolismo ao modernismo e além. Dissertação de Mestrado Domingos de Leers Guimaraens Caminhos imaginativos: Do simbolismo ao modernismo e além Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Letras da PUC-Rio como requisito parcial

Leia mais

Alguns autores escrevem de acordo com o novo A. O., outros segundo a antiga ortografia

Alguns autores escrevem de acordo com o novo A. O., outros segundo a antiga ortografia Olhar de Amor - COLECTÂNEA DE POESIA - VÁRIOS AUTORES Título Olhar de Amor Colectânea de Poesia - Edição Tecto de Nuvens, Edições e Artes Gráficas, LDA. Rua Camilo Pessanha, 152, 4435-638 Baguim do Monte

Leia mais

Ô Ogum! Ô Ogunhê, iê, iê! Ô Ogum! Ogum Xoroquê!

Ô Ogum! Ô Ogunhê, iê, iê! Ô Ogum! Ogum Xoroquê! Ô Ogum! Ô Ogunhê, iê, iê! Ô Ogum! Ogum Xoroquê! Meu senhor das estradas, Ogunhê! Abra meus caminhos, Ogunhê! Meu senhor da porteira, Ogunhê! Ele é meu pai, Ogum Xoroquê! ESTOU OUVINDO O LINDO TOQUE DO

Leia mais

O poeta e o pensador

O poeta e o pensador O poeta e o pensador 2 Luiz Roberto Bodstein O poeta e o pensador Sonetos 3 Título original: O poeta e o pensador Copyright Luiz Roberto Bodstein, 2011 Edição revisada 2015 Publicado pela Editora PerSe

Leia mais

EVANDRO SCHIAVONE no Museu do Louvre em Paris

EVANDRO SCHIAVONE no Museu do Louvre em Paris A RTISTA EVANDRO SCHIAVONE Artista pintor, transforma cores a óleo em sensações e sentimentos estampados em tela. Tem como única atividade profissional desde os 17 anos de idade o desenho e a pintura.

Leia mais

Monte o kit chama amor

Monte o kit chama amor Monte o kit chama amor Junte o pode do cristal com o incenso certo e crie um poderoso Kit Chama amor e paixão. Uma receita mágica e poderosa que cria o clima de amor que você busca na sua vida. Fácil de

Leia mais

9 Referências bibliográficas

9 Referências bibliográficas 9 Referências bibliográficas ANDRADE, Carlos Drummond de. Poesia Completa, Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2002.. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1982.. Carta a Alphonsus de Guimaraens, em 03

Leia mais

SUMÁRIO. APRESENTAÇÃO Sobre Fernando Pessoa...11 Fernando Pessoa: ele mesmo, um outro heterônimo?...23

SUMÁRIO. APRESENTAÇÃO Sobre Fernando Pessoa...11 Fernando Pessoa: ele mesmo, um outro heterônimo?...23 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO Sobre Fernando Pessoa...11 Fernando Pessoa: ele mesmo, um outro heterônimo?...23 CANCIONEIRO Quando ela passa...31 Em busca da beleza...33 Mar. Manhã...37 Visão...38 Análise...38 Ó

Leia mais

Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 06/06/2016

Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 06/06/2016 Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 06/06/2016 06h03 06h52 07h03 07h33 08h01 08h06 08h12 08h17 08h23 08h30 08h39 08h46 08h57 09h15 09h30 10h00 10h15 10h30 11h00 11h26 SALTO PARA O FUTURO -

Leia mais

Edgar Allan Poe A CARTA ROUBADA. Ilustrações Roger Olmos. Adaptação Rosa Moya. Tradução de Luciano Vieira Machado e Elisa Zanetti

Edgar Allan Poe A CARTA ROUBADA. Ilustrações Roger Olmos. Adaptação Rosa Moya. Tradução de Luciano Vieira Machado e Elisa Zanetti Edgar Allan Poe A CARTA ROUBADA Adaptação Rosa Moya Ilustrações Roger Olmos Tradução de Luciano Vieira Machado e Elisa Zanetti 2009 Random House Mondadori S.A. Esta edição foi publicada com a autorização

Leia mais

Simbolismo: a linguagem da músicam

Simbolismo: a linguagem da músicam Simbolismo: a linguagem da músicam Insatisfeitos com a onda de cientificismo e materialismo a que esteve submetida a sociedade industrial européia na segunda metade do século XIX, os simbolistas representam

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 63/2002

RESOLUÇÃO Nº 63/2002 RESOLUÇÃO Nº 63/2002 Estabelece a relação de obras literárias do Processo Seletivo da UFES para ingresso nos cursos de graduação nos anos letivos de 2004, 2005 e 2006. O DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO

Leia mais

Pela beleza que há no amor e na pureza da inspiração que não morre, e que adormece dentro de cada um, despertada no som do silêncio.

Pela beleza que há no amor e na pureza da inspiração que não morre, e que adormece dentro de cada um, despertada no som do silêncio. Pela beleza que há no amor e na pureza da inspiração que não morre, e que adormece dentro de cada um, despertada no som do silêncio. Que esta passagem por aqui seja alicerçada na harmonia da afeição natural

Leia mais

Art Nouveau significa arte nova; Rompimento com as tradições; Surgiu em 1895, mas teve seu apogeu em 1900.

Art Nouveau significa arte nova; Rompimento com as tradições; Surgiu em 1895, mas teve seu apogeu em 1900. Art Nouveau significa arte nova; Rompimento com as tradições; Surgiu em 1895, mas teve seu apogeu em 1900. O nome do movimento artístico deriva do nome da loja parisiense, L'art Nouveau, de artigos mobiliários.

Leia mais

CRUZ E SOUSA, J. Poesia completa. Florianópolis: Fundação Catarinense de Cultura / Fundação Banco do Brasil, 1993.

CRUZ E SOUSA, J. Poesia completa. Florianópolis: Fundação Catarinense de Cultura / Fundação Banco do Brasil, 1993. Revisão ENEM 1. (ENEM 2009) Cárcere das almas Ah! Toda a alma num cárcere anda presa, Soluçando nas trevas, entre as grades Do calabouço olhando imensidades, Mares, estrelas, tardes, natureza. Tudo se

Leia mais

SIMBOLISMO LITERATURA BRASILEIRA II. Profª Drª NERY REINER

SIMBOLISMO LITERATURA BRASILEIRA II. Profª Drª NERY REINER SIMBOLISMO LITERATURA BRASILEIRA II Profª Drª NERY REINER CONTEXTO HISTÓRICO EXPANSIONISMO EUROPEU EM DIREÇÃO À ÁFRICA E ÁSIA. INDUSTRIALIZAÇÃO GUIADA PELO LUCRO DESIGUALDADES SOCIAIS REALIDADE CRUEL ORIGEM

Leia mais

O retrato oval. de Edgar Allan Poe. Manual pp

O retrato oval. de Edgar Allan Poe. Manual pp O retrato oval de Edgar Allan Poe Manual pp. 126-129 1. Assinala, em cada alínea, a opção que, segundo o conto, é verdadeira. 1.1. O narrador pernoitou num castelo dos Apeninos devido à iniciativa do seu

Leia mais

Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 15/08/2016

Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 15/08/2016 Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 15/08/2016 06h03 SALTO PARA O FUTURO - Salto 2016 07h00 07h30 08h00 08h05 08h10 08h16 08h24 08h30 08h40 08h49 09h00 09h30 10h00 10h15 10h30 11h00 11h30

Leia mais

Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 13/02/2017

Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 13/02/2017 Grade de programação TV Escola - Segunda-feira - 13/02/2017 06h03 07h00 07h30 08h00 08h05 08h10 08h15 08h21 08h30 08h35 08h41 08h46 08h51 09h00 09h08 09h15 09h24 09h32 09h40 09h49 SALTO PARA O FUTURO -

Leia mais

Memorial Descritivo. Estandarte e Chancela (aprovados em 29 de novembro de2010)

Memorial Descritivo. Estandarte e Chancela (aprovados em 29 de novembro de2010) À Glória do Grande Arquiteto do Universo Grande Loja Maçônica do Estado da Paraíba Loja Maçônica de Estudos e Pesquisa Renascença N 1 Estandarte e Chancela (aprovados em 29 de novembro de2010) Memorial

Leia mais

Amor & Sociologia Cultural - Fernando Pessoa

Amor & Sociologia Cultural - Fernando Pessoa Page 1 of 5 Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia Disciplina: Sociologia Cultural Educador: João Nascimento Borges Filho Amor & Sociologia

Leia mais

Inês Carolina Rilho SINTONIA

Inês Carolina Rilho SINTONIA Inês Carolina Rilho Nasceu no Recife-PE. Formou-se em Letras e Direito. Escreve desde os 15 anos. Possui poemas, conto e um romance em fase de conclusão. Tem participado de várias antologias. SINTONIA

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 2º EM Literatura Fransérgio Av. Trimestral 18/06/14 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos. 2. Esta

Leia mais

MARIONETAS E FORMAS DE ENCANTAR OUTUBRO NO MUSEU

MARIONETAS E FORMAS DE ENCANTAR OUTUBRO NO MUSEU MARIONETAS E FORMAS DE ENCANTAR OUTUBRO NO MUSEU Sozinho, com os amigos, em família ou com a criançada: há quanto tempo não visita o Museu da Marioneta? Exposições, visitas orientadas, visitas guiadas,

Leia mais

Eixos/temas Noções / Conceitos Competências e Habilidades UNIDADE 1 SOU UM SER HUMANO COM NOME E IDENTIDADE UNIDADE 2 EU VIVO UNIDADE 3 MEU CORPO

Eixos/temas Noções / Conceitos Competências e Habilidades UNIDADE 1 SOU UM SER HUMANO COM NOME E IDENTIDADE UNIDADE 2 EU VIVO UNIDADE 3 MEU CORPO AMNT ND 1 O AL F NSINO RLIGIOSO 1 ANO 2 VIVO u vivo u vivo com os outros u cuido do outro 3 u tenho um nome que me identifica. u gosto de... u desejo e sonho com... SO M SR HMANO COM NOM IDNTIDAD M CORPO

Leia mais

APRESENTA. Exercícios para uma adjetivação sugestiva

APRESENTA. Exercícios para uma adjetivação sugestiva APRESENTA Exercícios para uma adjetivação sugestiva 01 Quem sou Desde criança, as palavras me fascinam. De belas histórias ouvidas ao pé da cama, até as grandes aventuras de Monteiro Lobato devoradas no

Leia mais

SER POETA IMAGENS DA METAPOESIA EM FLORBELA ESPANCA 16 André Luiz Alves Caldas Amóra (PUC-Rio)

SER POETA IMAGENS DA METAPOESIA EM FLORBELA ESPANCA 16 André Luiz Alves Caldas Amóra (PUC-Rio) SER POETA IMAGENS DA METAPOESIA EM FLORBELA ESPANCA 16 André Luiz Alves Caldas Amóra (PUC-Rio) Florbela Espanca, poetisa pertencente ao Modernismo português, apresenta em sua poesia uma vertente neo-romântica,

Leia mais

AULA 09 LITERATURA ROMANTISMO

AULA 09 LITERATURA ROMANTISMO AULA 09 LITERATURA ROMANTISMO PROFª Edna Prado I - CONTEXTO HISTÓRICO O tema da aula de hoje é a Estética Romântica, é o Romantismo com letra maiúscula. E por que com letra maiúscula? Porque é importante

Leia mais

PIZZA E POESIA. Em qualquer Esquina, Em qualquer Pizzaria.

PIZZA E POESIA. Em qualquer Esquina, Em qualquer Pizzaria. Introdução A poesia está bem próxima de nós, nas letras de música, nas brincadeiras infantis. A poesia está em toda parte. É só olhar em volta: no pulsar das estrelas, no sorriso de uma criança, no perfume

Leia mais

23 de Abril. Dia Mundial do Livro Venha festejá-lo com palavras, na Biblioteca da FLUP.

23 de Abril. Dia Mundial do Livro Venha festejá-lo com palavras, na Biblioteca da FLUP. 23 de Abril. Dia Mundial do Livro Venha festejá-lo com palavras, na Biblioteca da FLUP. No dia 23 de abril de 2013 a Biblioteca Central pediu aos seus leitores que dedicassem algumas palavras de homenagem

Leia mais

Contexto cultural. Prevalência dos Ismos : Por outro lado, o início da queda da verdade científica. Determinismo Positivismo Materialismo Darwinismo

Contexto cultural. Prevalência dos Ismos : Por outro lado, o início da queda da verdade científica. Determinismo Positivismo Materialismo Darwinismo Simbolismo Contexto cultural Prevalência dos Ismos : Determinismo Positivismo Materialismo Darwinismo Por outro lado, o início da queda da verdade científica. Contexto filosófico Henri Bergson: Intuicionismo

Leia mais

O Livro de Todas as Coisas. Sobre o Tempo

O Livro de Todas as Coisas. Sobre o Tempo O Livro de Todas as Coisas Sobre o Tempo O Livro de Todas as Coisas Sobre o Tempo Douglas Turolli 1ª Edição Editora Perse Copyright 2012 by Douglas Turolli Capa e Contracapa: Talyta Oliveira e Ivan Domingues

Leia mais

AGENDA ESPÍRITO DEOUTUBRO JOÃO TORDO

AGENDA ESPÍRITO DEOUTUBRO JOÃO TORDO A minha proposta para o mês de Outubro encontra-se enraizada no significado que este mês tem para um sem-número de culturas em todo o mundo: Outubro como um lugar de abertura, um espaço de mudança e de

Leia mais

Romantismo no Brasil. Segunda geração: idealização, paixão e morte Literatura brasileira 2ª EM Prof.: Flávia Guerra

Romantismo no Brasil. Segunda geração: idealização, paixão e morte Literatura brasileira 2ª EM Prof.: Flávia Guerra Romantismo no Brasil Segunda geração: idealização, paixão e morte Literatura brasileira 2ª EM Prof.: Flávia Guerra A segunda geração romântica: uma poesia arrebatada A segunda geração romântica é marcada

Leia mais

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA ARTES. Aula 4.2 Conteúdo: Romantismo Realismo Impressionismo

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA ARTES. Aula 4.2 Conteúdo: Romantismo Realismo Impressionismo Aula 4.2 Conteúdo: Romantismo Realismo Impressionismo 1 Habilidades: Reconhecer diferentes funções da arte, do trabalho de produção dos artistas em seus meios culturais. 2 Romantismo Designa uma tendência

Leia mais

estética & filosofia da arte

estética & filosofia da arte estética & filosofia da arte carlos joão correia 2013-2014 2ºSemestre ESTÉTICA E FILOSOFIA DA ARTE http://2014estetica.blogspot.pt carlosjoaocorreia@gmail.com Avaliação: 1. Alunos internos: 1.1. elaboração

Leia mais

Madrinha Percília Percília Matos da Silva

Madrinha Percília Percília Matos da Silva Madrinha Percília Percília Matos da Silva Tema 2012: Flora Brasileira Bougainvillea spectabilis 1 www.hinarios.org 2 01 NOSSO MESTRE NOS ENSINA Nosso mestre nos ensina Nós devemos aprender A doutrina do

Leia mais

Madrinha Percília. Percília Matos da Silva. Tema 2012: Flora Brasileira Bougainvillea spectabilis

Madrinha Percília. Percília Matos da Silva. Tema 2012: Flora Brasileira Bougainvillea spectabilis Madrinha Percília Percília Matos da Silva Tema 2012: Flora Brasileira Bougainvillea spectabilis 1 www.hinarios.org 2 01 NOSSO MESTRE NOS ENSINA Nosso mestre nos ensina Nós devemos aprender A doutrina do

Leia mais

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Daniel

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Daniel GOIÂNIA, / / 2017. PROFESSOR: Daniel DISCIPLINA: Literatura SÉRIE: 3 ano ALUNO(a): No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: - É fundamental

Leia mais

Simbolismo - autores e características

Simbolismo - autores e características GOIÂNIA, / / 2016 PROFESSOR: Daniel DISCIPLINA: Literatura SÉRIE: 3 ano ALUNO(a): No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: - É fundamental

Leia mais

As cores são ações e paixões da luz.

As cores são ações e paixões da luz. As cores são ações e paixões da luz. Goethe Robert Delunay, Drama políltico, óleo e colagem sobre cartão, 88,7 x 67,3, 1914 Cada olhar envolve uma observação, cada observação uma reflexão, cada reflexão

Leia mais

Anna Karenina. Cartas Para Uma Desconhecida

Anna Karenina. Cartas Para Uma Desconhecida Cartas Para Uma Desconhecida 1 Cartas Para Uma Desconhecida Homenagens E Agradecimentos Á Jeová o Deus da Eternidade E seu Filho Jesus Cristo. Aos Poetas e Escritores do Site Depressão E Poesia... Escrever

Leia mais