Brasil. Série: 2º Turma: F Turno: Matutino Escola Estadual Professor Antônio Marques Conteúdo: Interdisciplinar Ano Letivo: 2012

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Brasil. Série: 2º Turma: F Turno: Matutino Escola Estadual Professor Antônio Marques Conteúdo: Interdisciplinar Ano Letivo: 2012"

Transcrição

1 Brasil Série: 2º Turma: F Turno: Matutino Escola Estadual Professor Antônio Marques Conteúdo: Interdisciplinar Ano Letivo: 2012

2 Brasil Projeto: GDP Bandeirantes do Conhecimento Alunos Curso FIT Isaac Ezequiel Coordenadora: Maria Conceição Felizardo Diretora Escolar: Nara Cafrune SRE Uberlândia SEE /MG

3 América do Sul

4 País do Futebol O único país a ser Pentacampeão

5 1914 Inglaterra Primeira Participação da Seleção Brasileira na Copa do Mundo.

6 1958 Suécia Primeiro Título de Campeão Mundial

7 1962 Chile Segundo Título de Campeão Mundial

8 1970 México Terceiro Título de Campeão Mundial

9 1994 EUA Quarto Título de Campeão Mundial

10 2002 França, Japão e Coreia do Sul Quinto Título de Campeão Mundial

11 Copa do Mundo 2014 Conquista futura para hexa campeonato

12 Localização do Brasil América do Sul

13 Regime Politico democrático representativo

14 Moeda Corrente no Brasil O Real é a moeda oficial do Brasil desde 1994.

15 Moedas anteriores Réis

16 Moedas anteriores Cruzeiro

17 Moedas anteriores Cruzeiro Novo

18 Moedas anteriores Cruzados

19 Moedas anteriores Cruzado Novo

20 Presidente de Estado Dilma Rousseff

21 Crença Religiosa Catolicismo

22 Clima em geral como equatorial, tropical e subtropical.

23 Renda Per capta Hoje, no Brasil, cerca de 49 milhões recebem até meio salário mínimo per capita, cerca de 54 milhões de brasileiros não possuem rendimento, esses são considerados pobres. As disparidades são explícitas entre regiões e estados brasileiros

24 Industrialização: A industrialização no Brasil pode ser dividida em quatro períodos principais: chamado de "Proibição"; o segundo período chamado de "Implantação"; o terceiro período, conhecido como fase da Revolução Industrial Brasileira, e o quarto período, chamado de fase da internacionalização da economia brasileira.

25 economia:a economia do Brasil tem um mercado livre e exportador. Com um PIB nominal de 2,48 trilhões de dólares (4,14 trilhões de reais), foi classificada como a sexta maior economia do mundo em 2011, segundo o FMI

26 Principais Escritores Gonçalves Dias foi um importante poeta brasileiro do século XIX. Principais obras: Os timbiras, Meditação, Canção do Exílio, I Juca Pirama, Seus Olhos

27 Principais Escritores Álvares de Azevedo escritor da Segunda Geração Romântica. Principais obras: Lira dos Vinte Anos, Noite na Taverna.

28 Principais Escritores Castro Alves importante poeta brasileiro da geração condoreira. Principais obras: Espumas Flutuantes, Os escravos, A Cachoeira de Paulo Afonso, Hinos do equador, Tragédia no Mar, O Navio Negreiro.

29 Principais Escritores Joaquim Manuel de Macedo Principais obras: A Moreninha, O Moço Loiro, A luneta mágica.

30 Principais Escritores José de Alencar considerado o principal escritor do romantismo brasileiro. Principais obras: Cinco Minutos, A Viuvinha, O Guarani, Lucíola, Iracema, As Minas de Prata, Senhora, Encarnação.

31 Principais Escritores Manuel Antônio de Almeida. Principais obras: Memórias de um Sargento de Milícias, Dois Amores (peça de teatro)

32 Principais Escritores Bernardo Guimarães romancista e poeta. Principais obras: O seminarista, A escrava Isaura

33 Principais Escritores Franklin Távora iniciou o romantismo regionalista no Nordeste. Principais obras: Trindade maldita, Os índios do Jaguaribe; A casa de palha; Três lágrimas

34 Principais Escritores Machado de Assis é considerado um escritor que pertenceu a duas escolas literárias (Romantismo e Realismo). Principais obras românticas: Ressureição, A mão e a luva, Helena, Iaiá Garcia

35 Principais Poetas Vinícius de Moraes

36 Principais Poetas Paulo Leminski

37 Principais Poetas Olavo Bilac

38 Principais Poetas Mario Quintana

39 Principais Poetas Manuel Bandeira

40 Principais Poetas Manoel de Barros

41 Principais Poetas João Cabral de Melo

42 Principais Poetas Hilda Hilst

43 Principais Poetas Guerra Junqueiro

44 Principais Poetas Gregório de Matos

45 Principais Poetas Ferreira Gullar

46 Principais Poetas Elisa Lucinda

47 Principais Poetas Cruz e Sousa

48 Principais Poetas Cora Coralina

49 Principais Poetas Clarice Lispector

50 Principais Poetas Cecília Meireles

51 Principais Poetas Castro Alves

52 Principais Poetas Carlos Drummond

53 Principais Poetas Caio Fernando Abreu

54 Principais Poetas Augusto dos Anjos

55 Principais Poetas Álvares de Azevedo

56 Principais Poetas Affonso Romano

57

58 Culinaria Brasileira Aculinária do Brasil é fruto de uma mistura de ingredientes europeus,indigenas e africanos.

59 Paçoca de Amendoim

60 Acaraje

61 Quindim

62 Bolo de Rolo

63 Moqueca

64 Vatapá

65 Pão de queijo com café

66 Pastel

67 Feijoada

68 Chimarrão

69 Caipirinha Feita somando se cachaça, açúcar, gelo e limão

70 Cachaça

71 Queijo minas frescal

72 Brasil Colônia De 1530 à 1815

73 Bandeira da Ordem de Cristo (1332 a 1651) A Cruz da Ordem Militar de Cristo estava pintada nas velas das embarcações que chegaram ao Brasil.

74 Bandeira Real (1500 a 1521) Adicionalmente à Bandeira da Ordem Militar de Cristo, usava se outra bandeira.

75 Principado do Brasil ( ) A partir de 1645, todos os herdeiros da coroa portuguesa passaram a usar o título de Príncipe do Brasil.

76 Bandeira do Reino Unido de Portugal Brasil (1816 a 1821) Em 1815, sete anos após a chegada da família real, o Brasil foi elevado a condição de Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarve.

77 Brasil colonial Economia: A fase do açúcar e as capitanias hereditárias séculos XVI e XVII

78 Brasil Imperio existente entre 1822 e 1889 tendo a monarquia constitucional parlamentarista como seu sistema político

79 Abdicação de Dom Pedro I

80 Economia Possuía uma economia voltada para a exportação de matérias primas

81 Brasil Republica Com o golpe militar de 15 de novembro de 1889, que depôs Dom Pedro II, o Brasil deixa de ser um Império após o baile da despedida

82 Era Vargas Essa época foi um divisor de águas na história brasileira, por causa das inúmeras alterações que Vargas fez no país, tanto sociais quanto econômicas.

83 Regime Militar O regime ou ditadura militar no Brasil foi o regime autoritário que governou o país de 31 de março de 1964 até 15 de março de 1985

84 Fauna e Flora no Brasil O Brasil possui em seu meio ambiente a maior biodiversidade do paneta. Dono das maiores reservas de água doce e de um terço das florestas tropicais que ainda restam no mundo

Romantismo Brasileiro. Prosa

Romantismo Brasileiro. Prosa Romantismo Brasileiro Prosa A Prosa Romântica no Brasil Início em meados do século XIX. Romance: gênero literário de fácil aceitação para o público burguês. Folhetim Mulheres, estudantes, comerciantes

Leia mais

1. Bagagem (Adélia Prado) 2. O Cortiço (Aluísio Azevedo) 3. Lira dos Vinte Anos (Álvares de Azevedo) 4. Noite na Taverna (Álvares de Azevedo) 5.

1. Bagagem (Adélia Prado) 2. O Cortiço (Aluísio Azevedo) 3. Lira dos Vinte Anos (Álvares de Azevedo) 4. Noite na Taverna (Álvares de Azevedo) 5. 1. Bagagem (Adélia Prado) 2. O Cortiço (Aluísio Azevedo) 3. Lira dos Vinte Anos (Álvares de Azevedo) 4. Noite na Taverna (Álvares de Azevedo) 5. Quarup (Antonio Callado) 6. Brás, Bexiga e Barra Funda (Antonio

Leia mais

PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA

PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI URCA CENTRO DE HUMANIDADES DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS E LITERATURAS CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS DISCIPLINA: Literatura Brasileira II Professor: Edson Soares Martins

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 63/2002

RESOLUÇÃO Nº 63/2002 RESOLUÇÃO Nº 63/2002 Estabelece a relação de obras literárias do Processo Seletivo da UFES para ingresso nos cursos de graduação nos anos letivos de 2004, 2005 e 2006. O DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO

Leia mais

LISTA DE MATERIAL ESCOLAR º ano

LISTA DE MATERIAL ESCOLAR º ano 6º ano 1º BIMESTRE Livro: Não se esqueçam da rosa Autora: Giselda Laporta Nicolelis / Ilustrações: Célia Kofuji Editora: Saraiva Livro: Viagem ao centro da Terra Autor: Júlio Verne / Tradução e adaptação:

Leia mais

Lista de Material Escolar 2015

Lista de Material Escolar 2015 Lista de Material Escolar 2015 6º ao 9º ANO e ENSINO MÉDIO Fone: 3565-8865 / 3206-1039 Av. Cristóvão Colombo, 153 - Jardim Novo Mundo, Goiânia ATENÇÃO! Os livros didáticos serão adquiridos na secretaria

Leia mais

Escola: Estadual Professor Antônio Marques Ano Letivo: 2012 Coordenadora: Maria da Conceição Felizardo Sub coordenador: Emerson Borges Diretora: Nara

Escola: Estadual Professor Antônio Marques Ano Letivo: 2012 Coordenadora: Maria da Conceição Felizardo Sub coordenador: Emerson Borges Diretora: Nara PORTUGAL Série: 1 Turma: H Turno: Matutino Projeto: GDP Bandeirante do Conhecimento Alunos Curso FIT: Mateus Felipe e Renato Baliana Escola: Estadual Professor Antônio Marques Ano Letivo: 2012 Coordenadora:

Leia mais

Paradidático DESAFIOS DE CORDEL (ILUSTRAÇÕES FERNANDO VILELA) AUTOR: CÉSAR OBEID / EDITORA: FTD

Paradidático DESAFIOS DE CORDEL (ILUSTRAÇÕES FERNANDO VILELA) AUTOR: CÉSAR OBEID / EDITORA: FTD Segue a lista de livros paradidáticos que serão utilizados pelos alunos do 5º ano no decorrer do Paradidático DESAFIOS DE CORDEL (ILUSTRAÇÕES FERNANDO VILELA) AUTOR: CÉSAR OBEID / Mês MARÇO Realizar a

Leia mais

Literatura. Título: O cortiço. Título: Dois amigos e um chato. Autor: Azevedo, Aluísio. Autor: Preta, Stanislaw Ponte. Classificação: 869.

Literatura. Título: O cortiço. Título: Dois amigos e um chato. Autor: Azevedo, Aluísio. Autor: Preta, Stanislaw Ponte. Classificação: 869. Literatura Título: O cortiço Autor: Azevedo, Aluísio Classificação: 869.93 A994c Título: Dois amigos e um chato Autor: Preta, Stanislaw Ponte Edição: 2 ed. Classificação: 869.93 P942d Título: Dom Casmurro

Leia mais

Escola de Formação Política Miguel Arraes. Módulo I História da Formação Política Brasileira. Aula 3 O Pensamento Político Brasileiro

Escola de Formação Política Miguel Arraes. Módulo I História da Formação Política Brasileira. Aula 3 O Pensamento Político Brasileiro LINHA DO TEMPO Módulo I História da Formação Política Brasileira Aula 3 O Pensamento Político Brasileiro SEC XV SEC XVIII 1492 A chegada dos espanhóis na América Brasil Colônia (1500-1822) 1500 - A chegada

Leia mais

História. Professores Oto & Silney

História. Professores Oto & Silney História Professores Oto & Silney Grécia ANTIGUIDADE OCIDENTAL Atenas Península Ática Jônios Comércio e Cultura Democracia Grécia Península do Peloponeso Dórios Militarismo Aristocracia Roma ANTIGUIDADE

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI Pró-Reitoria de Graduação PROGRAD - Coordenação de Processos Seletivos COPESE www.ufvjm.edu.br - copese@ufvjm.edu.br UNIVERSIDADE

Leia mais

Aula 08 Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real.

Aula 08 Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. Aula 08 Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. O que foram os movimentos de pré-independência? Séculos XVIII e XIX grandes mudanças afetaram o Brasil... MUNDO... Hegemonia das ideias

Leia mais

Expansão do território brasileiro

Expansão do território brasileiro Expansão do território brasileiro O território brasileiro é resultado de diferentes movimentos expansionistas que ocorreram no Período Colonial, Imperial e Republicano. Esse processo ocorreu através de

Leia mais

REDE EDUCACIONAL ADVENTISTA Ementa de Curso

REDE EDUCACIONAL ADVENTISTA Ementa de Curso REDE EDUCACIONAL ADVENTISTA Ementa de Curso DISCIPLINA: HISTÓRIA SÉRIE/ TURMA: 1º ANO MÉDIO ABC BIMESTRE: 4º NÚMERO 1. Módulo 16 - Política e economia no Antigo Introdução do módulo, com aula em slides

Leia mais

SUMÁRIO. INTRODUÇÃO 1 Maria Yedda Leite Linhares

SUMÁRIO. INTRODUÇÃO 1 Maria Yedda Leite Linhares MARIA YEDDA LINHARES (Organizadora) ORO FLAMARION SANTANA CARDOSO FRANCISCO CARLOS TEIXEIRA DA SILVA HAMILTON DE MATTOS MONTEIRO JOÀO LUÍS FRAGOSO SÔNIA REGINA DE MENDONÇA HISTÓRIA GERAL DO SUMÁRIO INTRODUÇÃO

Leia mais

Língua Portuguesa. 1º ano. Unidade 1

Língua Portuguesa. 1º ano. Unidade 1 Língua Portuguesa 1º ano Unidade 1 Linguagem Linguagem, língua, fala Unidade 4 - capítulo 12 Linguagem verbal e não verbal Unidade 4 - capítulo 12 e 13 Signo linguístico Unidade 4 - capítulo 12 Denotação

Leia mais

'Quem escreve constrói castelos, quem lê passa a habitá-los.' LEITURAS OBRIGATÓRIAS º ano Ensino Fundamental I

'Quem escreve constrói castelos, quem lê passa a habitá-los.' LEITURAS OBRIGATÓRIAS º ano Ensino Fundamental I 'Quem escreve constrói castelos, quem lê passa a habitá-los.' 5º ano Ensino Fundamental I Coleção que engloba todas as disciplinas (leituras direcionadas pela professora), de Samuel Murgel Branco e autores

Leia mais

HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL

HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares Direção de Serviços da Região Centro PROJECTO CURRICULAR DE DISCIPLINA ANO LECTIVO 2015/2016 HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA SÉ GUARDA

Leia mais

Eleições Para o Conselho Geral Corpo Eleitoral - Pessoal Docente. Adalmiro Alvaro Malheiro de Castro Andrade Pereira Professor Adjunto

Eleições Para o Conselho Geral Corpo Eleitoral - Pessoal Docente. Adalmiro Alvaro Malheiro de Castro Andrade Pereira Professor Adjunto Adalmiro Alvaro Malheiro de Castro Andrade Pereira Professor Adjunto 199959200 Adelina Maria Granado Andrês Professor Adjunto 177320451 Alcina Augusta Sena Portugal Dias Professor Adjunto 107390612 Alexandra

Leia mais

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 11 A UNIÃO IBÉRICA (1580)

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 11 A UNIÃO IBÉRICA (1580) HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 11 A UNIÃO IBÉRICA (1580) Como pode cair no enem (FUVEST) Sobre a presença francesa na Baía de Guanabara (1557-60), podemos dizer que foi: a) apoiada por armadores franceses

Leia mais

CONTEÚDOS HISTÓRIA 4º ANO COLEÇÃO INTERAGIR E CRESCER

CONTEÚDOS HISTÓRIA 4º ANO COLEÇÃO INTERAGIR E CRESCER CONTEÚDOS HISTÓRIA 4º ANO COLEÇÃO INTERAGIR E CRESCER UNIDADE 1 O TEMPO E AS ORIGENS DO BRASIL 1. Contando o tempo Instrumentos de medida do tempo Medidas de tempo: década, século, milênio Linha do tempo

Leia mais

C. C. S. Moçambique Tete - Fingoé 1972 a 1974

C. C. S. Moçambique Tete - Fingoé 1972 a 1974 C. C. S. Batalhão de Caçadores 3885 Companhia de Comandos e Serviços Moçambique Tete - Fingoé 1972 a 1974 Lista de Militares à data do regresso a Lisboa Posto Nome Coronel José da Silva Pinto Ferreira

Leia mais

Programação Anual VOLUME VOLUME VOLUME VOLUME

Programação Anual VOLUME VOLUME VOLUME VOLUME Programação Anual 1 ạ Série 1 ọ 3 ọ 1. O que é literatura? Textos literários e não-literários O mundo real e o mundo da literartura Funções da literatura Leitor e textos literários 2. Linguagem literária

Leia mais

Estatística e Probabilidades

Estatística e Probabilidades Estatística e Probabilidades Nesse resumo vamos mostrar como a análise crítica de séries estatísticas podem contribuir para uma compreensão mais precisa da realidade. Todos os dias ouvimos falar sobre

Leia mais

EMENTA ESCOLAR I Trimestre Ano 2016

EMENTA ESCOLAR I Trimestre Ano 2016 Disciplina: EMENTA ESCOLAR I Trimestre Ano 2016 História Professor: Rodrigo Bento Turma: 3º série Ensino Médio Data Conteúdo 11/fevereiro APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA CAPITULO I HG HISTORIOGRAFIA E PRE HISTORIA

Leia mais

De colônia agroexportadora a país industrializado

De colônia agroexportadora a país industrializado De colônia agroexportadora a país industrializado A formação do espaço brasileiro A chegada do colonizador no final do século XV. Inicialmente não são encontradas riquezas minerais. Os indígenas não produziam

Leia mais

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE II

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE II AULA 16.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE II Segunda Geração: os ultrarromânticos O sentimentalismo, a imaginação e o egocentrismo atingiram seu ponto culminante nesta geração, que experimentou as formas

Leia mais

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS RELAÇÃO DE PÁRA-QUEDISTAS MILITARES 2853 FRANCISCO GONÇALVES BORDEIRA 1 2854 AMÉRICO ARMANDO SILVA 1 2855 ANTÓNIO JOSÉ LIMA PIRES 1 2856 JOAQUIM MARQUES JAIME 1 2857 EDMUNDO JOSÉ GODINHO 1 2858 HERMENEGILDO

Leia mais

ATIVIDADE CURRICULAR: LITERATURA BRASILEIRA MODERNA PROFESSOR: TÂNIA MARIA PEREIRA SARMENTO-PANTOJA

ATIVIDADE CURRICULAR: LITERATURA BRASILEIRA MODERNA PROFESSOR: TÂNIA MARIA PEREIRA SARMENTO-PANTOJA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE CASTANHAL FACULDADE DE LETRAS CURSO LETRAS- HABILITAÇÃO PORTUGUÊS PLANO DE CURSO ATIVIDADE CURRICULAR: LITERATURA BRASILEIRA MODERNA PROFESSOR: TÂNIA

Leia mais

REVISÃO I Prof. Fernando.

REVISÃO I Prof. Fernando. REVISÃO I Prof. Fernando Brasil Colônia 1500: Descobrimento ou Conquista? Comunidades indígenas do Brasil Características: heterogeneidade e subsistência. Contato: a partir da colonização efetiva, ocorreu

Leia mais

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 15 A MINERAÇÃO: ECONOMIA

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 15 A MINERAÇÃO: ECONOMIA HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 15 A MINERAÇÃO: ECONOMIA Fixação 1) (UFRN) No século XVIII, teve início a exploração da região mineradora no Brasil, provocando transformações importantes na economia colonial,

Leia mais

A Expansão Portuguesa. Portugal e o Mundo nos séculos XV e XVI

A Expansão Portuguesa. Portugal e o Mundo nos séculos XV e XVI A Expansão Portuguesa Portugal e o Mundo nos séculos XV e XVI Na Europa, as terras e povos desconhecidos surgiam em mapas, pinturas, gravuras e livros que influenciaram o pensamento europeu. A acção da

Leia mais

Mágicas. fáceis de fazer em Casa

Mágicas. fáceis de fazer em Casa Mágicas fáceis de fazer em Casa ocê pode perguntar para qualquer gringo: O que você lembra quando escuta BRASIL? E logo ele responderá: Carnaval, Futebol e Caaaipiriiiiinhaa. Ele pode até falar enrolado,

Leia mais

Ano Letivo 2016/ Lista de manuais escolares adotados

Ano Letivo 2016/ Lista de manuais escolares adotados 5.º Ano Ciências Naturais Terra à Vista! - Ciências Naturais - 5.º Ano 978-972-0-20679-4 Ilídio André Costa, José Américo Barros, Lucinda Motta, Maria dos Anjos Viana, Rui Polónia Santos Porto, S.A. 19.02

Leia mais

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS RELAÇÃO DE PÁRA-QUEDISTAS MILITARES 2668 JOSÉ AGOSTINHO MELO FERREIRA PINTO 1 2669 JOSÉ HENRIQUE MELO DE CARVALHO 1 2670 CÉSAR DA SILVA ALEXANDRE 1 2671 MANUEL PARRACHO ALFREDO 1 2672 LUÍS MANUEL CARVALHO

Leia mais

SUMÁRIO. Como usar o dicionário? Introdução Circe Bittencourt. Janeiro. Fevereiro

SUMÁRIO. Como usar o dicionário? Introdução Circe Bittencourt. Janeiro. Fevereiro SUMÁRIO Como usar o dicionário?... 10 Introdução... 11 Janeiro Fevereiro CABANAGEM 7 de janeiro de 1835... 17 Magda Ricci MORTE DE FREI CANECA 13 de janeiro de 1825... 21 Denis Bernardes MORTE DE MANOEL

Leia mais

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Material de Apoio / 9º ano Professor: Me. Renato Dering Data: / / 2016. De sonhos e conquistas Aluno(a): José de Alencar (1829-1877) foi romancista, dramaturgo, jornalista,

Leia mais

Confira esta aula em: Professor Danilo Borges

Confira esta aula em:  Professor Danilo Borges Aula anterior... Os Movimentos Sociais Confira esta aula em: http://www.joseferreira.com.br/blogs/sociologia/ Professor Danilo Borges PARTICIPAÇÃO DO JOVENS NOS MOVIMENTOS SOCIAIS BRASILEIROS SÉCULO XIX

Leia mais

EDUCANDÁRIO SANTA RITA DE CÁSSIA

EDUCANDÁRIO SANTA RITA DE CÁSSIA 6º Ano A e B 24/10 Português 27/10 Ciências 25/10 Geografia / Inglês 28/10 Matemática 26/10 História - 21/11 Geografia / Inglês 24/11 Des. Geométrico 22/11 Ciências / Espanhol 25/11 Matemática 23/11 Português

Leia mais

Emília Amaral. Ricardo Silva Leite

Emília Amaral. Ricardo Silva Leite coleção Nov s P l vr s N O V A E D I Ç Ã O Nov s P l vr s Nov e ıç o 2 Ricardo Silva Leite Emília Amaral Mestre em Teoria Literária e doutora em Educação pela Unicamp, professora do Ensino Médio e Superior

Leia mais

Relação geral dos Professores da Faculdade

Relação geral dos Professores da Faculdade Relação geral dos Professores da Faculdade PROFESSORES CATEDRAT1COS AFFONSO TEIXEIRA LAGES Direito Civil Rua Gonçalves Dias, 1915. CAIO MARIO DA SILVA PEREIRA Direito Civil Rua Manoel Couto, 339. CELSO

Leia mais

Regionalização 8º ano PROF. FRANCO AUGUSTO

Regionalização 8º ano PROF. FRANCO AUGUSTO Regionalização 8º ano PROF. FRANCO AUGUSTO Regionalização As regiões podem ser estabelecidas de acordo com critérios naturais, abordando as diferenças de vegetação, clima, relevo, hidrografia, fauna e

Leia mais

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo História baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo 1 PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA Middle e High School 2 6 th Grade A vida na Grécia antiga: sociedade, vida cotidiana, mitos,

Leia mais

Coord. Pedagógica. JULHO. Qualquer dúvida, favor entrar em contato /

Coord. Pedagógica. JULHO. Qualquer dúvida, favor entrar em contato / Circ. Finalização das Aulas 5º ANO 15/06/2016 17/06 Aulas Extras (xadrez, reforços, treinos desportivos, jazz, ENEM prof. Valter) Informamos que as aulas extracurriculares (xadrez, reforços, treinos desportivos,

Leia mais

Em que continente fica o Brasil?

Em que continente fica o Brasil? Em que continente fica o Brasil? (América do Sul) Qual a capital política do Brasil? (Brasília) Qual a maior cidade do Brasil? (São Paulo 19 milhões habitantes) Quantos habitantes tem o Brasil? (193 milhões)

Leia mais

A REGIONALIZAÇÃO DO ESPAÇO MUNDIAL Parte III. Referências ( Livros): BibliEx e PNLD

A REGIONALIZAÇÃO DO ESPAÇO MUNDIAL Parte III. Referências ( Livros): BibliEx e PNLD A REGIONALIZAÇÃO DO ESPAÇO MUNDIAL Parte III Referências ( Livros): BibliEx e PNLD DIFERENTES MODOS DE VER O MUNDO Regionalização do Mundo (outro critério) Critério utilizado Econômico A regionalização

Leia mais

Em dia com os Vestibulares Seriados- 8/10/13

Em dia com os Vestibulares Seriados- 8/10/13 Em dia com os Vestibulares Seriados- 8/10/13 s /Programas Federal de Viçosa ES Federal de São João Del Rei Fim gradativo do ES Informações A partir de 2013 a UFV realizará o Programa de Avaliação Seriada

Leia mais

SETORES DA ECONOMIA DE UM PAÍS - SETOR PRIMÁRIO...

SETORES DA ECONOMIA DE UM PAÍS - SETOR PRIMÁRIO... Economia do Brasil INTRODUÇÃO A economia de um país pode ser dividida em setores (primário, secundário e terciário) de acordo com os produtos produzidos, modos de produção e recursos utilizados. Estes

Leia mais

9 Referências bibliográficas

9 Referências bibliográficas 9 Referências bibliográficas ANDRADE, Carlos Drummond de. Poesia Completa, Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2002.. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1982.. Carta a Alphonsus de Guimaraens, em 03

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde. Departamento de Ciências Humanas e Sociais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde. Departamento de Ciências Humanas e Sociais HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL Distribuição dos tempos letivos disponíveis para o 6 º ano de escolaridade 1º Período 2º Período 3º Período *Início: 15 setembro 2014 *Fim: 16 dezembro 2014 *Início: 5

Leia mais

O golpe nada mais foi que a antecipação da maioridade de D. Pedro II, que contava então com um pouco mais de 14 anos.

O golpe nada mais foi que a antecipação da maioridade de D. Pedro II, que contava então com um pouco mais de 14 anos. GOLPE DA MAIORIDADE Desde 1838, estava claro tanto para os LIBERAIS, quanto para os CONSERVADORES que somente a monarquia plena poderia levar o país a superar a sua instabilidade política. O golpe nada

Leia mais

Indicações de Leitura

Indicações de Leitura Indicações de Leitura http://www.profricardomadureira.com.br Livros da literatura moderna, contemporânea A arca dos marechais, Marcos Rey A droga da obediência, Pedro Bandeira Além do ponto e outros contos,

Leia mais

As 120 grandes obras da Literatura Brasileira, segundo o professor Alfredo Bosi Para você usufruir e construir sua cultura literária

As 120 grandes obras da Literatura Brasileira, segundo o professor Alfredo Bosi Para você usufruir e construir sua cultura literária As 120 grandes obras da Literatura Brasileira, segundo o professor Alfredo Bosi Para você usufruir e construir sua cultura literária OU: não morra antes de ler estes livros! Que tal uma lista com as 120

Leia mais

Unidade IV. Aula 22.1 Conteúdo Os quatro tigres. Natureza-sociedade: Questões ambientais FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

Unidade IV. Aula 22.1 Conteúdo Os quatro tigres. Natureza-sociedade: Questões ambientais FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade IV Natureza-sociedade: Questões ambientais Aula 22.1 Conteúdo Os quatro tigres. 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO

Leia mais

PROPOSTA SISTEMA DE INGRESSO À GRADUAÇÃO

PROPOSTA SISTEMA DE INGRESSO À GRADUAÇÃO PROPOSTA SISTEMA DE INGRESSO À GRADUAÇÃO Por iniciativa da nova administração da Universidade Federal de Santa Maria, muitos projetos estão sendo reavaliados, o que também está ocorrendo com os processos

Leia mais

TÉNIS DE MESA 2016/17

TÉNIS DE MESA 2016/17 TÉNIS DE MESA 2016/17 Assunto: CAMPEONATO DISTRITAL INDIVIDUAL DE LISBOA Calendário de Jogos 1.ª Fase Após a conclusão do processo de adesão aos Campeonatos Individuais de Ténis de Mesa, no distrito de

Leia mais

Sumário INTRODUÇÃO. História da história Tempo e celebração do tempo a matriz cristã na Civilização Ocidental... 22

Sumário INTRODUÇÃO. História da história Tempo e celebração do tempo a matriz cristã na Civilização Ocidental... 22 Sumário Prefácio...13 INTRODUÇÃO História da história...19 Tempo e celebração do tempo a matriz cristã na Civilização Ocidental... 22 Memória e comemoração as tentativas de laicização do calendário...

Leia mais

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA NOME DO CURSO: PEDAGOGIA

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA NOME DO CURSO: PEDAGOGIA 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: 3º CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA NOME DO CURSO: PEDAGOGIA 2. EMENTA Retrospectiva Histórica

Leia mais

BRASIL COLÔNIA ( )

BRASIL COLÔNIA ( ) 2 - REVOLTAS EMANCIPACIONISTAS: Século XVIII (final) e XIX (início). Objetivo: separação de Portugal (independência). Nacionalistas. Influenciadas pelo iluminismo, independência dos EUA e Revolução Francesa.

Leia mais

PERÍODO COLONIAL

PERÍODO COLONIAL PERÍODO COLONIAL 1530-1808 POLÍTICA ADMINISTRATIVA 1º - SISTEMA DE CAPITANIAS HEREDITÁRIAS 1534-1548 2º SISTEMA DE GOVERNO GERAL 1548-1808 PERÍODO COLONIAL 1530-1808 ATIVIDADES ECONÔMICAS CICLO DO AÇÚCAR

Leia mais

GALARDOADOS 25anos de filiação

GALARDOADOS 25anos de filiação GALARDOADOS 25anos de filiação Número entre 3757 e 3965 3757 ADAO SILVA FREDERICO 3758 BERNARDINO RICARDO C.S.JORDAO 3759 MARIA CONCEICAO VIEIRA OLIVEIRA 3760 JOAQUIM MANUEL F.MIRANDA 3761 RAUL SÉRGIO

Leia mais

EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ANO LETIVO 2011/2012 MATRIZ DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL

EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ANO LETIVO 2011/2012 MATRIZ DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL MATRIZ DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 1. Introdução Os exames de equivalência à frequência incidem sobre a aprendizagem definida para o final do 2.º ciclos do ensino básico, de acordo

Leia mais

PAÇO DE CALHEIROS (Ponte de Lima) Conde de Calheiros. CASA DAS TORRES (Ponte de Lima) - Drª Margarida Maria Palhares Ribeiro Bacelar Correia Malheiro

PAÇO DE CALHEIROS (Ponte de Lima) Conde de Calheiros. CASA DAS TORRES (Ponte de Lima) - Drª Margarida Maria Palhares Ribeiro Bacelar Correia Malheiro PAÇO DE CALHEIROS (Ponte de Lima) Conde de Calheiros CASA DAS TORRES (Ponte de Lima) - Drª Margarida Maria Palhares Ribeiro Bacelar Correia Malheiro CASA DO AMEAL (Viana do Castelo) - D. Maria Elisa da

Leia mais

A Administração Colonial

A Administração Colonial A Administração Colonial HISTÓRIA DO BRASIL Prof. Alan Carlos Ghedini O primeiros 30 anos Até 1530 Desinteresse da Coroa Portuguesa pela nova Colônia Comércio das especiarias ainda era o foco Houve apenas

Leia mais

OBRAS LITERÁRIAS PARA OS PROGRAMAS DE INGRESSO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA PROGRAMA DE INGRESSO SELETIVO MISTO PISM

OBRAS LITERÁRIAS PARA OS PROGRAMAS DE INGRESSO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA PROGRAMA DE INGRESSO SELETIVO MISTO PISM OBRAS LITERÁRIAS PARA OS PROGRAMAS DE INGRESSO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA PROGRAMA DE INGRESSO SELETIVO MISTO PISM Módulo I do triênio 2009-2011 Sonetos líricos e satíricos: Gregório de Matos

Leia mais

ANUALIZAÇÃO 2015/2016

ANUALIZAÇÃO 2015/2016 ESCOLA EB 3,3/S DE VILA FLOR HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 6º ANO ANUALIZAÇÃO 2015/2016 OBJETIVOS CONTEÚDOS AVALIAÇÃO GESTÃO LETIVA (POR PERÍODO) - Conhecer a sociedade portuguesa no século XVIII -

Leia mais

Unidade I SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO. Profa. Lérida Malagueta

Unidade I SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO. Profa. Lérida Malagueta Unidade I SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO Profa. Lérida Malagueta Sistemática de importação e exportação - conteúdo O Comércio Internacional Legislação e a estrutura brasileira Termos internacionais

Leia mais

EJA 5ª FASE PROF. JEFFERSON OLIVEIRA PROF.ª LUDMILA DUTRA

EJA 5ª FASE PROF. JEFFERSON OLIVEIRA PROF.ª LUDMILA DUTRA EJA 5ª FASE PROF. JEFFERSON OLIVEIRA PROF.ª LUDMILA DUTRA Unidade I Os Estados Unidos da América 2 Aula 1.2 Conteúdo Os Estados Unidos da América 3 Habilidade Compreender os fatores que fazem dos Estados

Leia mais

Perspectivas para 2012

Perspectivas para 2012 Abiplast Perspectivas para 2012 Antonio Delfim Netto 2 de Dezembro de 2011 São Paulo, SP 1 I.Mundo: Década de 80 e 2010 (% do PIB) 30% 23% 31% 24% 37% 22% 3,7% 3,3% 8% 7% 4,2% 4,0% 1,5% 1,2% Fonte: FMI,

Leia mais

CAPÍTULO 7 - BRASIL - DINÂMICAS TERRITORIAIS E ECONÔMICAS

CAPÍTULO 7 - BRASIL - DINÂMICAS TERRITORIAIS E ECONÔMICAS Disciplina - Geografia 3 a Série Ensino Médio CAPÍTULO 7 - BRASIL - DINÂMICAS TERRITORIAIS E ECONÔMICAS Professor: Gelson Alves Pereira 1- O QUE É REGIONALIZAÇÃO É a divisão de um espaço ou território

Leia mais

Aprovados e Classificados do Sistema de Seleção Unificada SiSU / MEC

Aprovados e Classificados do Sistema de Seleção Unificada SiSU / MEC ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Bacharelado Integral 8 12534356 120133216218 ANDRE AUGUSTO RAMOS RODRIGUES 9 16286801 120121621228 VICENTE TEIXEIRA BONELLI 10 18935419 120123080704 JOAO PAULO DE PAULA MONNERAT 11

Leia mais

Agrupamento de Escolas N.º 2 de Loures - Escolas Secundária José Afonso, Loures

Agrupamento de Escolas N.º 2 de Loures - Escolas Secundária José Afonso, Loures Agrupamento de Escolas N.º 2 de Loures - Escolas Secundária José Afonso, Loures Seriação dos Candidatos aos Horários de Técnicos Especializados HORÁRIO 3-20H AÇÃO EDUCATIVA Nª Candidatos 3532725827 1202152473

Leia mais

O Sistema de Metas de Inflação No Brasil. - Como funciona o sistema de metas e seus resultados no Brasil ( ).

O Sistema de Metas de Inflação No Brasil. - Como funciona o sistema de metas e seus resultados no Brasil ( ). O Sistema de Metas de Inflação No Brasil - Como funciona o sistema de metas e seus resultados no Brasil (1999-2007). - Desempenho recente: a relação juros-câmbio. - Aceleração do crescimento econômico

Leia mais

O IMPÉRIO ULTRAMARINO PORTUGUÊS PROF. FELIPE KLOVAN COLÉGIO JOÃO PAULO I

O IMPÉRIO ULTRAMARINO PORTUGUÊS PROF. FELIPE KLOVAN COLÉGIO JOÃO PAULO I O IMPÉRIO ULTRAMARINO PORTUGUÊS PROF. FELIPE KLOVAN COLÉGIO JOÃO PAULO I AS CONQUISTAS PORTUGUESAS Prof. Felipe Klovan Maior império colonial europeu entre 1415 1557 Várias formas de relação colonial Relações

Leia mais

Centro Escolar de Gilmonde

Centro Escolar de Gilmonde Turma: A Ano: 1.º 1 Ana Margarida Abreu Carvalho 1.º 2 António Leandro Pereira Mugenge 1.º 3 Bernardo Costa Almeida 1.º 4 Bruno Dias da Silva 1.º 5 Dinis Correia Silva 1.º 6 Filipa Ferreira Portela 1.º

Leia mais

Potências marítimas: Novas (burguesia) Antigas (nobreza) Portugal Espanha Holanda Inglaterra França

Potências marítimas: Novas (burguesia) Antigas (nobreza) Portugal Espanha Holanda Inglaterra França 1. O tempo do grande comércio oceânico Criação/crescimento de grandes companhias de comércio europeias: - Companhia das Índias Ocidentais (1600 Londres) - Companhia Inglesa das Índias Orientais (Londres

Leia mais

Nº Candidato Nome. 4 25, Alexandra Manuela Novais Almeida dos Santos Martins

Nº Candidato Nome. 4 25, Alexandra Manuela Novais Almeida dos Santos Martins Nome da Escola : Agrupamento de Escolas António Sérgio, Vila Nova de Gaia Data final da candidatura : 2016-10-11 Grupo de Recrutamento: 430 - Economia e Contabilidade Ficheiro gerado em : 12/10/2016 16:10:37

Leia mais

DISCIPLINA DE HISTÓRIA

DISCIPLINA DE HISTÓRIA DISCIPLINA DE HISTÓRIA OBJETIVOS: 6º ano Estabelecer relações entre presente e passado permitindo que os estudantes percebam permanências e mudanças nessas temporalidades. Desenvolver o raciocínio crítico

Leia mais

História América Restauração e movimentos nativistas Ilustrações e Reformas Pombalinas Crise do sistema colonial e tentativas de emancipação

História América Restauração e movimentos nativistas Ilustrações e Reformas Pombalinas Crise do sistema colonial e tentativas de emancipação Matemática e suas tecnologias Álgebra Logarítimos Logarítimos Decimais Função Logarítmica (Resumo) Equações e Inequações Logarítmicas Módulo de um Número Real Função Módulo, Propriedades e Gráficos Progressões

Leia mais

ROF.º OTTO TERRA BRASIL: 1º REINADO ( )

ROF.º OTTO TERRA BRASIL: 1º REINADO ( ) ROF.º OTTO TERRA BRASIL: 1º REINADO (1822-1831) Jean Baptiste Debret O RECONHECIMENTO INTERNACIONAL DO BRASIL INDEPENDENTE Estados Unidos da América A Doutrina Monroe (A América para os americanos )

Leia mais

A expansão portuguesa do século XV

A expansão portuguesa do século XV A expansão do século XV O gigante Adamastor Águas ferventes e terra plana Motivações da expansão O Motivações sociais: O Clero: expandir a fé cristã entre outros povos O Nobreza: obter recompensas

Leia mais

2- POR QUE a família real portuguesa se mudou, em 1808, para sua colônia na

2- POR QUE a família real portuguesa se mudou, em 1808, para sua colônia na Atividade de Estudo Geo/História 5º ano Nome: 1- LIGUE os itens abaixo corretamente. 2- POR QUE a família real portuguesa se mudou, em 1808, para sua colônia na América? 3- ASSINALE as afirmativas erradas

Leia mais

A Economia Mineradora (Século XVIII) O Processo de Independência. 1 A Economia Mineradora do Século XVIII. 2 As Reformas Pombalinas

A Economia Mineradora (Século XVIII) O Processo de Independência. 1 A Economia Mineradora do Século XVIII. 2 As Reformas Pombalinas Aula 13 e 14 A Economia Mineradora (Século XVIII) 1 A Economia Mineradora do Século XVIII Setor 1601 2 As Reformas Pombalinas 3 ealvespr@gmail.com Objetivo da aula Analisar a crise do Antigo Sistema Colonial

Leia mais

O ROMANTISMO. O Romantismo é um movimento surgido na Europa e, a partir dela, no Brasil, no fim do

O ROMANTISMO. O Romantismo é um movimento surgido na Europa e, a partir dela, no Brasil, no fim do ROMANTISMO O ROMANTISMO O Romantismo é um movimento surgido na Europa e, a partir dela, no Brasil, no fim do século XVIII. Perdura até meados do século XIX. Opunhase ao classicismo, ao racionalismo e Iluminismo.

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SERGIPE

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SERGIPE CNSP - COLEGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Número 1040 AV PRESIDENTE KENNEDY, S/N CENTRO Lagarto 49000 PRÓXIMO A SECRETARIA DE EDUCAÇÃO de /Seção 10 10 2.889 15 COLÉGIO CENECISTA LAUDELINO FREIRE Número 1015

Leia mais

Ciclo do ouro Material para acompanhamento de aulas, Professor Luiz Marcello de Almeida Pereira

Ciclo do ouro Material para acompanhamento de aulas, Professor Luiz Marcello de Almeida Pereira Ciclo do ouro Material para acompanhamento de aulas, Professor Luiz Marcello de Almeida Pereira Formato ABNT, para citação desta apostila em trabalhos acadêmicos: PEREIRA, L. M. A. Ciclo do ouro. Curso

Leia mais

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 17 REBELIÕES COLONIAIS

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 17 REBELIÕES COLONIAIS HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 17 REBELIÕES COLONIAIS Fixação 1) (FGV) Outra preocupação da Coroa foi a de estabelecer limites à entrada na região das minas. Nos primeiros tempos da atividade mineradora, a

Leia mais

A CRISE DE 1929: COLAPSO NO LIBERALISMO COLÉGIO PEDRO II PROFESSOR: ERIC ASSIS

A CRISE DE 1929: COLAPSO NO LIBERALISMO COLÉGIO PEDRO II PROFESSOR: ERIC ASSIS A CRISE DE 1929: COLAPSO NO LIBERALISMO COLÉGIO PEDRO II PROFESSOR: ERIC ASSIS O LIBERALISMO A teoria do LIBERALISMO ECONÔMICO ficou consagrada a partir de Adam Smith (1723-1790), e tem os seguintes pressupostos

Leia mais

A Historiografia do Brasil Colonial tem início em 22 de abril de 1500 com a chegada dos portugueses.

A Historiografia do Brasil Colonial tem início em 22 de abril de 1500 com a chegada dos portugueses. A Historiografia do Brasil Colonial tem início em 22 de abril de 1500 com a chegada dos portugueses. A Colônia é o período da História do Brasil que engloba os anos de 1500 a 1822. Ele começa com a chegada

Leia mais

Roteiro de avaliações

Roteiro de avaliações Roteiro de avaliações MATUTINO 6º BRASIL 23/11 Quarta-feira Redação Interpretação de textos e artigo de opinião 24/11 Quinta feira Língua Portuguesa Verbo (número/pessoa; modo/tempo); Adverbio; Sentido

Leia mais

COLÉGIO SANTA TERESINHA R. Madre Beatriz 135 centro Tel. (33)

COLÉGIO SANTA TERESINHA R. Madre Beatriz 135 centro Tel. (33) PROFESSOR: Emiliano Glaydson de Oliveira TURMA: 9º Ano DISCIPLINA: História 1- S QUE SERÃO TRABALHADOS DURANTE A ETAPA : Unidade 2 Intervencionismo e autoritarismo no mundo em crise Cap. 4 O mundo no contexto

Leia mais

CONTEÚDOS PARA AS PROVAS FINAIS - 2º ANO EM

CONTEÚDOS PARA AS PROVAS FINAIS - 2º ANO EM CONTEÚDOS PARA AS PROVAS FINAIS - 2º ANO EM - 2016 PORTUGUÊS FÍSICA Interpretação textual/ Análise de produção textual Diferença entre análise morfológica, sintática e semântica Verbos definição, exemplos,

Leia mais

Nome Cidade Nota Média

Nome Cidade Nota Média Curso: 117964 - ADMINISTRAÇÃO ADRIANE SILVA VIDIGAL Caxias - MA 592.48 FRANCINETE CHAVES Caxias MA 593.42 LAYS WHITE DOS SANTOS RIBEIRO Caxias MA 636.74 LEILIANE TRINDADE DE ALMEIDA Caxias MA 606.22 MARIA

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Mosteiro e Cávado Escola E.B.2,3 do Cávado. Relação de Alunos

Agrupamento de Escolas de Mosteiro e Cávado Escola E.B.2,3 do Cávado. Relação de Alunos 34662 - Escola E.B.2,3 do Cávado Turma : A 2002 1 Ana Catarina Loureiro Silva 1761 2 André Eduardo Dias Santos 11 S S 2007 3 Bruno da Silva Gonçalves S 20 4 Catarina Daniela Boaventura Araújo S 1863 Daniela

Leia mais

LITERATURA BRASILEIRA - ALGUNS ELEMENTOS INFLUENCIADORES

LITERATURA BRASILEIRA - ALGUNS ELEMENTOS INFLUENCIADORES 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA DEPARTAMENTO DE LETRAS E ARTES DLA LICENCIATURA EM LETRAS COM A LÍNGUA INGLESA LITERATURA BRASILEIRA I Professor: Manoel Anchieta Nery JOÃO BOSCO DA SILVA (prof.bosco.uefs@gmail.com)

Leia mais

02- Quais fatores favoreceram o cultivo do café no oeste paulista? R.:

02- Quais fatores favoreceram o cultivo do café no oeste paulista? R.: PROFESSOR: EQUIPE DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA BANCO DE QUESTÕES - HISTÓRIA E GEOGRAFIA 5 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Consulte seu material

Leia mais

BRASIL DE PAÍS AGROEXPORTADOR A PAÍS INDUSTRIALIZADO CAPÍTULO 1 PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ CAVALCANTE

BRASIL DE PAÍS AGROEXPORTADOR A PAÍS INDUSTRIALIZADO CAPÍTULO 1 PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ CAVALCANTE BRASIL DE PAÍS AGROEXPORTADOR A PAÍS INDUSTRIALIZADO CAPÍTULO 1 PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ CAVALCANTE FORMAÇÃO DO ESPAÇO GEOGRÁFICO BRASILEIRO exploradores europeus. colônia de Portugal.

Leia mais

PLANO DE CURSO DISCIPLINA:História ÁREA DE ENSINO: Fundamental I SÉRIE/ANO: 5 ANO DESCRITORES CONTEÚDOS SUGESTÕES DE PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS

PLANO DE CURSO DISCIPLINA:História ÁREA DE ENSINO: Fundamental I SÉRIE/ANO: 5 ANO DESCRITORES CONTEÚDOS SUGESTÕES DE PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS UNIDADE 1 COLÔNIA PLANO DE CURSO VIVER NO BRASIL *Identificar os agentes de ocupação das bandeiras *Conhecer e valorizar a história da capoeira *Analisar a exploração da Mata Atlântica *Compreender a administração

Leia mais

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS RELAÇÃO DE PÁRA-QUEDISTAS MILITARES 2057 ANTÓNIO FILIPE DE ALMEIDA 1 2058 MANUEL JOSÉ TORRÃO CORREIA 1 2059 MANUEL BEATO ESTEVES 1 2060 JOSÉ LUÍS MARQUES SEBASTIÃO 1 2061 DOMINGOS MENDES PICADO 1 2062

Leia mais