SCOPINO TREINAMENTOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SCOPINO TREINAMENTOS"

Transcrição

1 INSTRUTOR:

2 SCOPINO TREINAMENTOS

3 SELO SINDIREPA DE SUSTENTABILIDADE AULA 03 EXCELÊNCIA

4 NESTA ÚLTIMA AULA SOBRE O SSS, VEREMOS OS DETALHES E REQUISITOS PARA COMPROVAR A EXCELÊNCIA DAS EMPRESAS REPARADORAS, E VEREMOS COMO ATINGIR TAIS RESULTADOS NO DIA A DIA. BOA AULA!

5

6 PARA ESTE QUESITO TEMOS VÁRIOS ITENS RELACIONADOS DIRETAMENTE AOS CONTROLES DE RECICLÁVEIS, EMBALAGENS, PANOS, CONTAMINADOS COM ÓLEO OU ISENTOS, SOLVENTES, ILUMINAÇÃO E CONTROLE DA SUSTENTABILIDADE.

7

8 NESTE QUESITO DA SUSTENTABILIDADE SÃO VERIFICADOS 22 ITENS NA EMPRESA DE REPARAÇÃO AUTOMOTIVA, QUE VISAM TRAZER BENEFÍCIOS PARA A PRODUTIVIDADE E QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS.

9

10 LEGALIDADE = EFICIÊNCIA = EXCELÊNCIA =

11

12 O aspecto relativo à Excelência agrega um conjunto de boas práticas ambientais, sociais e econômicas que, embora não objeto de exigências legais, contribuem significativamente para o sucesso do empreendimento, promove maior visibilidade ao mercado uma vez que associa o sucesso a um conjunto de boas práticas ambientais e sociais.

13

14 Após a inscrição no processo a empresa estará condicionada a adequações de conformidades de acordo com os critérios elaborados pelo Sebrae-SP, do qual serão contemplados 60 critérios distribuídos por 3 temas: - Legalidade - Eficiência - Excelência

15 Há práticas e dispositivos de incentivo à coleta seletiva na empresa? A destinação de resíduos Classe II B (Inertes) é formalizada? A destinação de resíduos Classe II A (Não Inertes) é formalizada? Há captação de água de chuva? Há gerenciamento do consumo de água em planilhas? A empresa dispões de Política de Sustentabilidade? Há gestor para a Política de Sustentabilidade?

16

17 HÁ SEMPRE ALGUM TIPO DE COLETA ESPECIAL NA SUA CIDADE, SEJA PELA PRÓPRIA PREFEITURA, OU POR ONG s OU ASSOCIAÇÕES. PESQUISE POIS EM MUITAS DELAS PODE- SE ENTRAR E ATENDER OS REQUISITOS DO SELO COM BAIXO CUSTO.

18

19 A empresa possui Máquina de Lavar Peças com uso de solventes biodegradáveis? A empresa possui Analisador de Gases com aferição pelo INMETRO dentro da validade? A empresa possui Recicladora de Gás de Ar Condicionado? A empresa utiliza veículos fabricados há menos de 10 anos? A empresa utiliza colas, tintas ou solventes à base de água nos seus principais processos de produção?

20

21 Há o uso de toalhas laváveis ao invés de estopas? Iluminação conta majoritariamente com luminárias refletivas? Há gerenciamento do consumo de energia em planilhas? A empresa possui Plano de Manutenção de equipamentos e ferramentas? Há política de subsídio de Plano de Saúde para funcionários?

22

23 Há política de subsídio de Plano de Saúde para familiares de funcionários? Há política de subsídio de Educação para funcionários? Há política de subsídio de Capacitação para funcionários? Os mecânicos utilizam uniformes? A empresa possui Caixa Separadora de Água e Óleo com certificação ABNT?

24

25 Para aquisição do SSS a oficina Associada deverá entrar em contato com o Sindirepa; Sindirepa informará ao Sebrae os dados da empresa que em seguida agendará com a oficina para assinatura do contrato referente a consultoria; Em seguida o consultor indicado pelo Sebrae fará contato com a oficina para agendar a primeira visita técnica e informará o empresá rio a documentaç ão que deverá entregar; Consultor analisa as informaç ões, em seguida apresentará ao empresário a análise da situação de sua empresa, bem como os elementos de planejamento que o empresário deverá cumprir para alcançar uma das três fases do SSS (Fase I, II ou III);

26

27 AVCB - Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros; GFIP do último mês (somente a página onde estão relacionados os funcionários registrados); RAIS do último exercício; Capa do PCMSO do ano vigente (Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional); Capa do PPRA do ano vigente (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais); Inscrição no CTF - Cadastro Técnico Federal do IBAMA (para empresas que realizam manutenção de ar condicionado); Recibos de Destinação de: Baterias Automotivas, Pneus Usados, Óleos Lubrificantes Usados, Resíduos Perigosos e Sucatas Inertes e Não Inertes;

28 Certificados de Conclusão dos cursos realizados pelos sócios da empresa em 2012 / 2013 nas áreas de gestão e/ou técnicas relacionadas à atividade; Certificados de Conclusão de cursos realizados nos anos de 2011 / 2012 / 2013 pelos funcionários da área técnica (mecânicos, funileiros, pintores etc) relacionados à atividade que desenvolvem na empresa; Apólice de Seguro na modalidade Responsabilidade Civil Garagista Ampla ; Última conta de Consumo de Água; Última conta de Consumo de Energia Elétrica.

29

30 A CERTIFICAÇÃO DAS EMPRESAS DE REPARAÇÃO É ALGO NECESSÁRIO E NEM SEMPRE É TÃO CARO. PARCERIAS COMO ESTA DO SEBRAE-SP E DO SINDIREPA- SP PERMITEM UMA BAIXO INVESTIMENTO.

31 ONDE É FEITA A INSCRIÇÃO PARA O SSS?

32 EM SÃO PAULO TEMOS AS OPÇÕES DO SEBRAE E DO SINDIREPA, E EM BREVE PODE- SE ESTENDER PARA O BRASIL.

33 This document was created with Win2PDF available at The unregistered version of Win2PDF is for evaluation or non-commercial use only.

SCOPINO TREINAMENTOS

SCOPINO TREINAMENTOS INSTRUTOR: SCOPINO TREINAMENTOS SELO SINDIREPA DE SUSTENTABILIDADE AULA 01 LEGALI DADE NESTA 1ª AULA ÀS QUINTAS VEREMOS OS DETALHES DE UMA NOVA FORMA DE CERTIFICAÇÃO DAS OFICINAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS

Leia mais

Manual de Documentos Exigidos dos Fornecedores

Manual de Documentos Exigidos dos Fornecedores PRIMAX TRANSPORTE PESADOS LTDA. Manual de Documentos Exigidos DG.SUP.004 REV03 Aprovado por Julio Apolinário 5/7/2017 Revisão: 003 Folha: 1 de 13 1 OBJETIVO... 3 2 SUBCONTRATADA OU PRESTADORES DE SERVIÇOS

Leia mais

ANEXO II PARTILHA DO SIMPLES NACIONAL - INDÚSTRIA

ANEXO II PARTILHA DO SIMPLES NACIONAL - INDÚSTRIA ANEXO II PARTILHA DO SIMPLES NACIONAL - INDÚSTRIA Seção I: Receitas decorrentes da venda de mercadorias por elas industrializadas não sujeitas a substituição tributária, exceto as receitas decorrentes

Leia mais

Exigências Básicas em Meio Ambiente. Sustentabilidade Socioeconômica Ambiental

Exigências Básicas em Meio Ambiente. Sustentabilidade Socioeconômica Ambiental Exigências Básicas em Meio Bernardo R. Souto Advogado Engenheiro Ambiental Ambiente Ligia Macedo de Paula Advogada Mestre em Sustentabilidade Socioeconômica Ambiental O QUE UM POSTO PRECISA TER... LICENÇA

Leia mais

Manual de Documentos Exigidos dos Fornecedores

Manual de Documentos Exigidos dos Fornecedores PRIMAX TRANSPORTE PESADOS LTDA. Manual de Documentos Exigidos DG.SUP.004 REV04 Aprovado por Julio Apolinário 8/9/2017 Revisão: 004 Folha: 1 de 13 1 OBJETIVO... 3 2 SUBCONTRATADA OU PRESTADORES DE SERVIÇOS

Leia mais

CADASTRO TÉCNICO FEDERAL CTF - IBAMA

CADASTRO TÉCNICO FEDERAL CTF - IBAMA CADASTRO TÉCNICO FEDERAL CTF - IBAMA Vitória, 11 de Novembro de 2014 SUSTENTABILIDADE A nova ordem ambiental para o Setor Automotivo As concessionárias devem ser: Cenário Atual Pesquisa in loco" com mais

Leia mais

CURSO DE TECN OLOGI A DO VÁCUO

CURSO DE TECN OLOGI A DO VÁCUO FATEC-SP CURSO DE TECN OLOGI A DO VÁCUO Prof. Me. Francisco Tadeu Degasperi Janeiro de 2005 Agradeço a colaboração do Tecnólogo Alexandre Cândido de Paulo Foi Auxiliar de Docente do LTV da Fatec-SP Atualmente

Leia mais

Este é um manual de procedimentos básicos padronizados para os Formulários on-line da Coleta Seletiva.

Este é um manual de procedimentos básicos padronizados para os Formulários on-line da Coleta Seletiva. MANUAL DE PROCEDIMENTOS Formulários on-line SISTEMAS INTEGRADOS MANUAL DE PROCEDI MENTOS PADRÃO Formulários on-line Este é um manual de procedimentos básicos padronizados para os Formulários on-line da

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE CUSTOS Prof. Dr. Constantino de Gaspari Gonçalves Exemplo de Aplicação do ABC

ADMINISTRAÇÃO DE CUSTOS Prof. Dr. Constantino de Gaspari Gonçalves Exemplo de Aplicação do ABC Exemplo de Aplicação do ABC A indústria de Confecções Pano Bom Ltda produz três tipos de produtos: Camisas, Calças, Blusas. O quadro abaixo apresenta as quantidades produzidas e seus respectivos preços.

Leia mais

Instituto Federal do Maranhão PRÓ- REITORIA DE ENSINO

Instituto Federal do Maranhão PRÓ- REITORIA DE ENSINO Instituto Federal do Maranhão PRÓ- REITORIA DE ENSINO QUADRO DE VAGAS PARA OS CURSOS DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO IFMA CAMPUS SÃO LUIS MONTE CASTELO Engenharia Elétrica Industrial Engenharia Civil Engenharia

Leia mais

Acelere o seu negócio: Inove! Criatividade e inovação para Serviços Automotivos

Acelere o seu negócio: Inove! Criatividade e inovação para Serviços Automotivos Acelere o seu negócio: Inove! Criatividade e inovação para Serviços Automotivos INOVAÇÃO E TECNOLOGIA PARA AUMENTAR O CRESCIMENTO DA SUA EMPRESA Criatividade e inovação são essenciais para aumentar a competitividade

Leia mais

Anexo IV --- Modelo do PLANO DE TRABALHO CONTRATO Nº XXXX DO EMPRESÁRIO Nome Completo do Representante Legal RG CPF

Anexo IV --- Modelo do PLANO DE TRABALHO CONTRATO Nº XXXX DO EMPRESÁRIO Nome Completo do Representante Legal RG CPF Anexo IV --- Modelo do PLANO DE TRABALHO CONTRATO Nº XXXX 1. DADOS CADASTRAIS DA PRESTADORA DE SERVIÇO 1.1. DA EMPRESA Razão Social / Nome: 1 Nome Comercial (Fantasia): CNPJ 1.2. DO COORDENADOR RESPONSÁVEL

Leia mais

ANEXO 9 TABELA DE PREÇOS POR SOLUÇÃO SEBRAETEC

ANEXO 9 TABELA DE PREÇOS POR SOLUÇÃO SEBRAETEC ANEXO 9 TABELA DE PREÇOS POR SOLUÇÃO SEBRAETEC TABELA DE PREÇOS DE SERVIÇOS TECNOLÓGICOS SEBRAETEC MODALIDADE ORIENTAÇÃO (valores R$) ÁREA TIPO DE SERVIÇO MEI / Produtor SUBÁREA/SOLUÇÃO Rural ME EPP Análise

Leia mais

Reparação de Veículos

Reparação de Veículos data 2017-02-01 Gestores das Indústrias de Panificação Realizar capacitação empresarial nas panificadoras de Maringá e Região, a fim de fortalecer o segmento e adequá-lo às exigências do mercado em atendimento,

Leia mais

THOMAZ MENEZES PRESIDENTE EXECUTIVO

THOMAZ MENEZES PRESIDENTE EXECUTIVO SulAmérica Seguros, Previdência e Investimentos 05 09 2012 THOMAZ MENEZES PRESIDENTE EXECUTIVO História 2001 ING compra a participação da Aetna 2008 2010 Primeiro Relatório de Separação dos papéis de Sustentabilidade

Leia mais

Proconve sendo classificadas como ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORA E UTILIZADORA DE RECURSOS AMBIENTAIS Passíveis de inscrição no CTF DEVIDO AO IMPACTO AMBIENTAL FISCALIZAÇÃO CADASTRO TÉCNICO

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Faculdade de Tecnologia SENAI de Desenvolvimento Gerencial NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISA PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 1. Introdução A Iniciação Científica é um instrumento de formação de recursos humanos,

Leia mais

Centro de Treinamento Automotivo. Catálogo de Cursos

Centro de Treinamento Automotivo. Catálogo de Cursos Centro de Treinamento Automotivo Catálogo de Cursos 1 Centro de Treinamento Automotivo Queremos fazer parte do seu negócio. Queremos compartilhar conhecimento. Queremos fazer parte da sua carreira profissional.

Leia mais

Desafios para a gestão integrada em saúde e meio ambiente

Desafios para a gestão integrada em saúde e meio ambiente Desafios para a gestão integrada em saúde e meio ambiente Ambiente diferenciado do meio empresarial Campus Santo Amaro - Centro Universitário rio SENAC 120 mil m2 de terreno 21 cursos de graduação e 7

Leia mais

METODOLOGIA DE PROJETO

METODOLOGIA DE PROJETO METODOLOGIA DE PROJETO DE INTERIORES AULA 10: PLANEJAMENTO E PRINCÍPIOS DO DESIGN Disciplina do Curso Superior em Design de Interiores da UNAES/Anhanguera Educacional Arq. Urb. Octavio F. Loureiro Data:

Leia mais

Compras Sustentáveis

Compras Sustentáveis OBJETIVO ESTRATÉGICO DO SGAC Alcançar o Nível de Maturidade de uma Empresa de Classe Mundial Evento com Fornecedores dos Correios AÇÃO ESTRATÉGICA Implantar o modelo de gestão ambiental da empresa de acordo

Leia mais

MÓDULO XVIII PRÊMIO NACIONAL DA QUALIDADE PNQ

MÓDULO XVIII PRÊMIO NACIONAL DA QUALIDADE PNQ SISTEMA DE QUALIDADE EAD MÓDULO XVIII PRÊMIO NACIONAL DA QUALIDADE PNQ Nesse módulo iremos estudar o Modelo de Excelência Brasileiro, seus fundamentos, características e especificidades, abordando os critérios

Leia mais

Distribuidora s de Gá s Liquefeito de Petróleo. Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo

Distribuidora s de Gá s Liquefeito de Petróleo. Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo Sindicato Nacional das Empresas Distribuidora s de Gá s Liquefeito de Petróleo PROJETO GÁS LEGAL FIM DA CLANDESTINIDADE Não queremos mais nossos produtos expostos de forma equivocada, armazenados de forma

Leia mais

Unidade Gestora: DAAE - DEPTO AUTONOMO AGUA ESGOTO

Unidade Gestora: DAAE - DEPTO AUTONOMO AGUA ESGOTO Estado de São Paulo Balancete da Receita Dezembro/2006 Folha: 1 Unidade Gestora: DAAE - DEPTO AUTONOMO AGUA ESGOTO Receita Previsto Arrecadado no Mes Arrecadado no Ano Diferenca 1000.00.00.00.00 RECEITAS

Leia mais

ROTEIRO DE INSPEÇÃO SANITÁRIA DE AMBIENTES E PROCESSOS DE TRABALHO EM POSTOS DE REVENDA DE COMBUSTÍVEIS A VAREJO PRCV Versão 06 de setembro de 2012

ROTEIRO DE INSPEÇÃO SANITÁRIA DE AMBIENTES E PROCESSOS DE TRABALHO EM POSTOS DE REVENDA DE COMBUSTÍVEIS A VAREJO PRCV Versão 06 de setembro de 2012 ROTEIRO DE INSPEÇÃO SANITÁRIA DE AMBIENTES E PROCESSOS DE TRABALHO EM POSTOS DE REVENDA DE COMBUSTÍVEIS A VAREJO PRCV Versão 06 de setembro de 2012 1. DADOS GERAIS DA EMPRESA Razão Social: Nome Fantasia:

Leia mais

Declaração de Renda de Autônomo, Profissional Liberal ou Atividade Informal

Declaração de Renda de Autônomo, Profissional Liberal ou Atividade Informal Declaração de Renda de Autônomo, Profissional Liberal ou Atividade Informal Eu,...,... (membro do grupo familiar que exerce a atividade autônoma ou de profissional liberal) inscrito no CPF sob o nº....,

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS PS 14 2 Segurança do Trabalho Diretor Técnico 17/04/2017 1 1. OBJETIVO Definir medidas mínimas de controle necessárias para minimizar o impacto ambiental e os riscos provenientes dos resíduos gerados pelas

Leia mais

6º Ciclo de Sustentabilidade. Selo Qualidade Ambiental ABTG Certificadora

6º Ciclo de Sustentabilidade. Selo Qualidade Ambiental ABTG Certificadora Selo Qualidade Ambiental ABTG Certificadora 1 QUEM É A ABTG CERTIFICADORA? 2 Inaugurou suas atividades em 2011 Acreditada com INMETRO para certificações de sistema da qualidade, ambiental e produto/processo

Leia mais

Também são fatores importantes: A globalização da indústria de vestuário e calçados. Coleções e desenhos sempre novos e mais elaborados.

Também são fatores importantes: A globalização da indústria de vestuário e calçados. Coleções e desenhos sempre novos e mais elaborados. info SEWING INFORMAÇÃO TÉCNICA 27 Sewing 5 O suporte completo da Groz-Beckert Grande parte da tecnologia da costura industrial não sofreu alterações ao longo de muitos séculos. As máquinas foram continuamente

Leia mais

CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE

CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE ITEM PONTOS I IMPLANTAÇÃO DO EDIFÍCIO MAX. 10 A) MOVIMENTAÇÃO DO SOLO Implantação do projeto adequada ao perfil natural do terreno, com

Leia mais

ATIVIDADE DE REPRODUÇÃO HUMANA ASSISTIDA - CNAE /07

ATIVIDADE DE REPRODUÇÃO HUMANA ASSISTIDA - CNAE /07 11. ATIVIDADE DE REPRODUÇÃO HUMANA ASSISTIDA - CNAE 8630-5/07 Compreende: Banco de Esperma; Banco de Sêmen Humano; Clínica de Reprodução Assistida; Atividade de Fertilização In Vitro de Seres Humanos;

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A LUMINÁRIAS LED PARA ILUMINAÇÃO PÚBLICA

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A LUMINÁRIAS LED PARA ILUMINAÇÃO PÚBLICA CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A LUMINÁRIAS LED PARA ILUMINAÇÃO PÚBLICA (DOCUMENTO COMPLEMENTAR AO REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA) Revisão

Leia mais

PORTFÓLIO. Alimentos

PORTFÓLIO. Alimentos Alimentos QUEM SOMOS? Entidade privada que promove a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos empreendimentos de micro e pequeno porte aqueles com faturamento bruto anual de até R$ 3,6 milhões.

Leia mais

PRECISA MELHORAR O SEU NEGÓCIO?

PRECISA MELHORAR O SEU NEGÓCIO? PRECISA MELHORAR O SEU NEGÓCIO? PROGRAMAÇÃO 1º Trimestre - e Região PARA MICROEMPREENDEDORES INDIVIDUAIS, MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE Importante! As vagas para cada evento são limitadas A

Leia mais

Anexo I Análise Técnica (POI nº 27) Objetivo: Autorização para o exercício da atividade de Coleta de Óleo Lubrificante Usado ou Contaminado.

Anexo I Análise Técnica (POI nº 27) Objetivo: Autorização para o exercício da atividade de Coleta de Óleo Lubrificante Usado ou Contaminado. Anexo I Análise Técnica (POI nº 7) Legislação: Resolução ANP nº 0, de 9/06/009. Requerente: CNPJ: Processo nº: Objetivo: Autorização para o exercício da atividade de Coleta de Óleo Lubrificante Usado ou

Leia mais

ANEXO 09 TABELA DE PREÇOS POR SOLUÇÃO SEBRAETEC

ANEXO 09 TABELA DE PREÇOS POR SOLUÇÃO SEBRAETEC ANEXO 09 TABELA DE PREÇOS POR SOLUÇÃO SEBRAETEC TABELA DE PREÇOS DE SERVIÇOS TECNOLÓGICOS SEBRAETEC ÁREA QUALIDADE MODALIDADE ORIENTAÇÃO (valores R$) TIPO DE SERVIÇO Análise Laboratorial Ensaios de Calibração

Leia mais

3.2. COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS É a sistemática de segregar os resíduos de acordo com suas classes de risco nas áreas geradoras.

3.2. COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS É a sistemática de segregar os resíduos de acordo com suas classes de risco nas áreas geradoras. 1. OBJETIVO Estabelecer a sistemática para o processo de gerenciamento de resíduos nas áreas da ABCZ, visando a melhoria contínua na performance ambiental, a melhoria na eficiência do gerenciamento de

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE PROCESSAMENTO DE EMBALAGENS VAZIAS

INSTITUTO NACIONAL DE PROCESSAMENTO DE EMBALAGENS VAZIAS SISTEMA CAMPO LIMPO INSTITUTO NACIONAL DE PROCESSAMENTO DE EMBALAGENS VAZIAS LEI 9.974/00 Criada em dezembro de 2001, o inpev é uma entidade sem fins lucrativos com sede em São Paulo Promove a correta

Leia mais

MAIS TRANQUILIDADE PARA SUA EMPRESA

MAIS TRANQUILIDADE PARA SUA EMPRESA MAIS TRANQUILIDADE PARA SUA EMPRESA Foi acreditando nos princípios éticos, morais e técnicos que a AVAM - AVALIAÇÃO AMBIENTAL S/S LTDA., consolidou-se como uma das mais respeitadas empresas de Consultoria

Leia mais

Hsa GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Resíduos Sólidos. PROFa. WANDA R. GÜNTHER Departamento Saúde Ambiental FSP/USP

Hsa GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Resíduos Sólidos. PROFa. WANDA R. GÜNTHER Departamento Saúde Ambiental FSP/USP Hsa 109 - GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Resíduos Sólidos PROFa. WANDA R. GÜNTHER Departamento Saúde Ambiental FSP/USP E-mail: wgunther@usp.br Resíduos Sólidos Interrelação: Ambiente Saúde HOMEM MEIO AMBIENTE

Leia mais

ANEXO 09 TABELA DE PREÇOS POR SOLUÇÃO SEBRAETEC

ANEXO 09 TABELA DE PREÇOS POR SOLUÇÃO SEBRAETEC ANEXO 09 TABELA DE PREÇOS POR SOLUÇÃO SEBRAETEC TABELA DE PREÇOS DE SERVIÇOS TECNOLÓGICOS SEBRAETEC ÁREA QUALIDADE MODALIDADE ORIENTAÇÃO (valores R$) TIPO DE SERVIÇO Análise Laboratorial Ensaios de Calibração

Leia mais

MANUAL DE CADASTRO DE PROJETOS DO ESCOLA DE FÁBRICA

MANUAL DE CADASTRO DE PROJETOS DO ESCOLA DE FÁBRICA MANUAL DE CADASTRO DE PROJETOS DO ESCOLA DE FÁBRICA 2 ÍNDICE 1. Acessando o Sistema...03 2. Cadastrando da Unidade Gestora...05 2.1. Adicionando Curso ao Projeto...07 2.2. Montando a Infra-Estrutura do

Leia mais

ILMO(A). SR.(A) PRESIDENTE DA JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS

ILMO(A). SR.(A) PRESIDENTE DA JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria da Micro e Pequena Empresa da Presidência da República Secretaria de Racionalização e Simplificação Departamento de Registro Empresarial e Integração Secretaria de Estado de Desenvolvimento

Leia mais

SELO DE QUALIDADE SINDRATAR-PE MOSE COMPETENCE QUER MELHORAR OS RESULTADOS DA SUA EMPRESA?

SELO DE QUALIDADE SINDRATAR-PE MOSE COMPETENCE QUER MELHORAR OS RESULTADOS DA SUA EMPRESA? SELO DE QUALIDADE SINDRATAR-PE QUER MELHORAR OS MOSE COMPETENCE RESULTADOS DA SUA EMPRESA? O QUE É A MOSE 1º Certificação do mundo com foco em performance e pequenas organizações A certificação MOSE Competence

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PLANO DE TRABALHO INDIVIDUAL ATIVIDADES EM DESENVOLVIMENTO ENSINO ORIENTAÇÃO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PLANO DE TRABALHO INDIVIDUAL ATIVIDADES EM DESENVOLVIMENTO ENSINO ORIENTAÇÃO Amilton Giácomo Tomasi DECF 2007/2 EFETIVO Mestre 40 Estatutário Contabilidade Gerencial ADM/Empresarial (vespertino) 2º 4 ESTÁGIO 02 ADM/Empresarial 7º e 8º 02 Secretário de Comunicação Portaria Reitoria

Leia mais

ILMO(A). SR.(A) PRESIDENTE DA JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS

ILMO(A). SR.(A) PRESIDENTE DA JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria da Micro e Pequena Empresa da Presidência da República Secretaria de Racionalização e Simplificação Departamento de Registro Empresarial e Integração Secretaria de Estado de Desenvolvimento

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A MÁQUINAS DE LAVAR ROUPA

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A MÁQUINAS DE LAVAR ROUPA CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A MÁQUINAS DE LAVAR ROUPA (DOCUMENTO COMPLEMENTAR AO REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA) (Revisão I) 25/08/2010

Leia mais

A Rotulagem Ambiental e as Compras Públicas Sustentáveis

A Rotulagem Ambiental e as Compras Públicas Sustentáveis 06/11/12 A Rotulagem Ambiental e as Compras Públicas Sustentáveis A importância desta certificação para as Compras Públicas Sustentáveis Seminário Internacional A Rotulagem Ambiental e as Compras Públicas

Leia mais

PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA NO BRASIL

PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA NO BRASIL PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA NO BRASIL Reunião do Comitê das Bacias do Alto Iguaçu e Afluentes do Alto Ribeira Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental

Leia mais

Workshop de Contratação Sustentável Módulo Execução: Elaboração do Termo de Referência

Workshop de Contratação Sustentável Módulo Execução: Elaboração do Termo de Referência Workshop de Contratação Sustentável Módulo Execução: Elaboração do Termo de Referência 25 de novembro de 2015 Centro de Formação, Capacitação e Treinamento - CEFOR da Câmara dos Deputados OBJETIVOS Geral:

Leia mais

ILMO(A). SR.(A) PRESIDENTE DA JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS

ILMO(A). SR.(A) PRESIDENTE DA JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria da Micro e Pequena Empresa da Presidência da República Secretaria de Racionalização e Simplificação Departamento de Registro Empresarial e Integração Secretaria de Estado de Desenvolvimento

Leia mais

Reunião nº 04/2017 PMAS. CONSUMO CONSCIENTE DE ENERGIA DISPOSIÇÃO ADEQUADA DE RESÍDUOS (Lâmpadas, pilhas e baterias)

Reunião nº 04/2017 PMAS. CONSUMO CONSCIENTE DE ENERGIA DISPOSIÇÃO ADEQUADA DE RESÍDUOS (Lâmpadas, pilhas e baterias) Reunião nº 04/2017 PMAS CONSUMO CONSCIENTE DE ENERGIA DISPOSIÇÃO ADEQUADA DE RESÍDUOS (Lâmpadas, pilhas e baterias) POLÍTICA INTEGRADA DE SEGURANÇA, SAÚDE E MEIO AMBIENTE PRINCÍPIOS POLÍTICA INTEGRADA

Leia mais

ILMO(A). SR.(A) PRESIDENTE DA JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS

ILMO(A). SR.(A) PRESIDENTE DA JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria da Micro e Pequena Empresa da Presidência da República Secretaria de Racionalização e Simplificação Departamento de Registro Empresarial e Integração Secretaria de Estado de Desenvolvimento

Leia mais

PROGRAMA ESTRUTURANTE NOSSAS CIDADES PREFEITURA PARCEIRA AÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL INTEGRADA PROJETO: EQUIPAMENTAÇÃO DE SALAS VERDES NOS MUNICÍPIOS

PROGRAMA ESTRUTURANTE NOSSAS CIDADES PREFEITURA PARCEIRA AÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL INTEGRADA PROJETO: EQUIPAMENTAÇÃO DE SALAS VERDES NOS MUNICÍPIOS PROGRAMA ESTRUTURANTE NOSSAS CIDADES PREFEITURA PARCEIRA AÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL INTEGRADA PROJETO: EQUIPAMENTAÇÃO DE SALAS VERDES NOS MUNICÍPIOS PROPONENTE Secretaria Estadual do Meio Ambiente INTRODUÇÃO

Leia mais

1. CREDENCIAMENTO DE PESSOAS FÍSICAS PROMOTORES DE SHOWS E EVENTOS

1. CREDENCIAMENTO DE PESSOAS FÍSICAS PROMOTORES DE SHOWS E EVENTOS 1. CREDENCIAMENTO DE PESSOAS FÍSICAS PROMOTORES DE SHOWS E EVENTOS a) requerimento conforme Anexo A, preenchido e protocolado na Diretoria de Atividades f) Documento que comprove a adimplência junto ao

Leia mais

Lista de Eletromagnetismo. 1 Analise as afirmativas seguintes e marque a opção correta.

Lista de Eletromagnetismo. 1 Analise as afirmativas seguintes e marque a opção correta. Lista de Eletromagnetismo 1 Analise as afirmativas seguintes e marque a opção correta. I. Se duas barras de ferro sempre se atraem, podemos concluir que uma das duas não está magnetizada. II. Para conseguirmos

Leia mais

Quebra Cabeça das Ligações Químicas Autora: Karine Nantes da Silva Veronez Introdução. O jogo

Quebra Cabeça das Ligações Químicas Autora: Karine Nantes da Silva Veronez Introdução. O jogo Quebra Cabeça das Ligações Químicas Autora: Karine Nantes da Silva Veronez Introdução A química estuda as substâncias e suas transformações químicas. Essas substâncias são formadas de átomos de elementos

Leia mais

SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 1, DE 19 DE JANEIRO DE 2010

SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 1, DE 19 DE JANEIRO DE 2010 SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 1, DE 19 DE JANEIRO DE 2010 Dispõe sobre os critérios de sustentabilidade ambiental na aquisição de bens, contratação de serviços

Leia mais

Parceria. Visite nossos sites!

Parceria. Visite nossos sites! Parceria http://www.as-solucoes.com.br http://www.allservice.com.br Visite nossos sites! Parceria AS x All Service Visando as alterações de mercado, verificamos a necessidade de muitos clientes que não

Leia mais

Tecnologia e Inteligência em Soluções Integradas

Tecnologia e Inteligência em Soluções Integradas Tecnologia e Inteligência em Soluções Integradas Focada em Qualidade Fundada a pouco mais de sete anos, a Autoenge Solutions já se consolidou no mercado como referência em Qualidade nas áreas onde atua.

Leia mais

PRODUTOS INSERVÍVEIS DO PÓS CONSUMO Encaminhamento para os produtos que no final da vida útil tornam-se resíduos sólidos, devendo retornar a cadeia pr

PRODUTOS INSERVÍVEIS DO PÓS CONSUMO Encaminhamento para os produtos que no final da vida útil tornam-se resíduos sólidos, devendo retornar a cadeia pr POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS: principais avanços e gargalos Eng. Quím. Mário Kolberg Soares Junho/2016 PRODUTOS INSERVÍVEIS DO PÓS CONSUMO Encaminhamento para os produtos que no final da vida

Leia mais

Física Geral e Experimental II Engenharia Ambiental e de Produção. Prof. Dr. Aparecido Edilson Morcelli

Física Geral e Experimental II Engenharia Ambiental e de Produção. Prof. Dr. Aparecido Edilson Morcelli Física Geral e Experimental II Engenharia Ambiental e de Produção Prof. Dr. Aparecido Edilson Morcelli TERMOLOGIA A termologia é uma parte da Física que estuda as diversas manifestações de calor. A parte

Leia mais

DADOS: RODOVIA BR 235

DADOS: RODOVIA BR 235 DADOS: RODOVIA BR 235 CONSTRUTORA CONSÓRCIO EMPA/CCM/CCL SUPERVISÃO ETEL ESTUDOS TÉCNICOS LTDA Rodovia : BR 235/BA Trecho : Div. SE/BA Entr. BR 122/407/423/BA (Div. BA/PE) (Juazeiro/Petrolina Subtrecho

Leia mais

Site: http://www.parcelias.com.br/online/faet. Código da autorizada: Login: master Senha:

Site: http://www.parcelias.com.br/online/faet. Código da autorizada: Login: master Senha: Nosso novo Sistema de Garantia está em funcionamento no endereço abaixo, favor acessar o site e cadastrar as Ordens de Serviços para que possamos encaminhar os seus pedidos de Garantia. Site: http://www.parcelias.com.br/online/faet

Leia mais

RELEASE Belo Horizonte, 1º de setembro de 2014

RELEASE Belo Horizonte, 1º de setembro de 2014 RELEASE Mesmo tendo de um a três cartões de crédito, consumidor da capital mineira prefere pagar em dinheiro Eles privilegiam o pagamento a vista e controlam os impulsos na hora das compras. Mas a maioria

Leia mais

Decisão de Diretoria CETESB nº 120/2016/C, de 01 de junho de 2016

Decisão de Diretoria CETESB nº 120/2016/C, de 01 de junho de 2016 Decisão de Diretoria CETESB nº 120/2016/C, de 01 de junho de 2016 Estabelece os Procedimentos para o licenciamento ambiental de estabelecimentos envolvidos no sistema de logística reversa, para a dispensa

Leia mais

ROTEIRO PARA IMPLANTAÇÃO SGA ISO :2004

ROTEIRO PARA IMPLANTAÇÃO SGA ISO :2004 ROTEIRO PARA IMPLANTAÇÃO SGA ISO 14.001:2004 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL SGA O SGA é parte do Sistema de Gestão da IFSM Campus Inconfidentes-MG, englobando a estrutura organizacional, as atividades de

Leia mais

Plano de Gerenciamento de Resíduos. Jeniffer Guedes

Plano de Gerenciamento de Resíduos. Jeniffer Guedes Jeniffer Guedes PLURAL Indústria Gráfica Ltda Parque gráfico da PLURAL com 33.500m 2. Fundada em 1996. Atualmente a PLURAL emprega 841 profissionais. Composição Acionária 51% 49% 90 anos de história Jornal

Leia mais

A FRONTEIRA ENERGÉTICA DA AMAZÔNIA E OS PRODUTORES INDEPENDENTES DE ENERGIA ELÉTRICA: O CASO MANAUS

A FRONTEIRA ENERGÉTICA DA AMAZÔNIA E OS PRODUTORES INDEPENDENTES DE ENERGIA ELÉTRICA: O CASO MANAUS UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS Centro de Ciências do Ambiente Programa de Pós-Graduação em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia PPG/CASA Mestrado Profissional em Energia e Meio Ambiente

Leia mais

Separação de Resíduos

Separação de Resíduos Separação de Resíduos Tipos de Resíduos Orgânicos Rejeitos Papéis Recicláveis Plásticos Metais Isopor Plástico Existem 7 tipos de resinas plásticas: - PET: polietileno tereftalato: Frascos de refrigerantes

Leia mais

CICLO PDCA. Action AGIR. Plan PLANEJAR. Do FAZER. Check CHECAR. Madeira Tratada Ciclo da Qualidade

CICLO PDCA. Action AGIR. Plan PLANEJAR. Do FAZER. Check CHECAR. Madeira Tratada Ciclo da Qualidade CICLO PDCA Ação Corretiva no insucesso Padronizar e treinar no sucesso Action AGIR Plan PLANEJAR Localizar problemas Estabelecer planos de ação Verificar atingimento de meta Acompanhar indicações Check

Leia mais

Cisco Networking Academy

Cisco Networking Academy Cisco Networking Academy IT ESSENTIALS Hardware e Software for Personal Computer Pré-requisitos Não há pré-requisito. Objetivo de ensino Prover conhecimentos e capacidades básicas para trabalhar com montagem

Leia mais

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE no uso de suas atribuições legais, e,

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE no uso de suas atribuições legais, e, RESOLUÇÃO SMAC 479 DE 02 DE SETEMBRO DE 2010. Dispõe sobre procedimentos administrativos simplificados para o Licenciamento Ambiental Municipal de atividades destinadas à reutilização e reciclagem de materiais

Leia mais

Núcleo de Apoio ao Planejamento e Gestão da Inovação. Junho de 2006

Núcleo de Apoio ao Planejamento e Gestão da Inovação. Junho de 2006 Núcleo de Apoio ao Planejamento e Gestão da Inovação Junho de 2006 NUGIN: Núcleo de Gestão da Inovação Missão Promover a geração de ambientes inovadores, fomentando e apoiando as empresas na gestão da

Leia mais

Questões Ambientais e Aspectos Legais

Questões Ambientais e Aspectos Legais 1 Questões Ambientais e Aspectos Legais 2 Questões Ambientais Constituição Federal Brasileira Art. 225: "Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial

Leia mais

Nota: Este módulo abordará aspectos relacionados à administração do capital intelectual e a relação entre os gestores de linha e o Recursos Humanos.

Nota: Este módulo abordará aspectos relacionados à administração do capital intelectual e a relação entre os gestores de linha e o Recursos Humanos. MÓDULO V Nota: Este módulo abordará aspectos relacionados à administração do capital intelectual e a relação entre os gestores de linha e o Recursos Humanos. A IMPORTÂNCIA DA ADMINISTRAÇÃO DE TALENTOS

Leia mais

Aula 2 Resíduos Sólidos

Aula 2 Resíduos Sólidos RESÍDUOS SÓLIDOS Aula 2 Resíduos Sólidos Coleta seletiva no Brasil Contaminação/ Origem/ Química/ Física/ Biológica Quanto a Contaminação: (NBR 10.004/04 e CONAMA nº23/96) Classe I ou Perigosos: Apresentam

Leia mais

Gestão Ambiental. Cartilha de. OSAKA Venha sentir a diferença. KURUMÁ

Gestão Ambiental. Cartilha de. OSAKA Venha sentir a diferença. KURUMÁ Cartilha de Gestão Ambiental Saiba o que fazer para contribuir com o meio ambiente e com o futuro do planeta. E descubra porque a Kurumá e a Osaka estão entre as organizações mais sustentáveis e respeitadas

Leia mais

FEDERAÇÃO NACIONAL DAS AUTO E MOTOESCOLAS E CFCs DIRETORIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO EDITAL DE CONCURSO II PRÊMIO FENEAUTO DE EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO

FEDERAÇÃO NACIONAL DAS AUTO E MOTOESCOLAS E CFCs DIRETORIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO EDITAL DE CONCURSO II PRÊMIO FENEAUTO DE EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO FEDERAÇÃO NACIONAL DAS AUTO E MOTOESCOLAS E CFCs DIRETORIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO EDITAL DE CONCURSO II PRÊMIO FENEAUTO DE EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO O presidente da Federação Nacional das Auto e Motoescolas

Leia mais

CAPÍTULO 5 REQUISITOS GERAIS DE DESMONTAGEM E MONTAGEM

CAPÍTULO 5 REQUISITOS GERAIS DE DESMONTAGEM E MONTAGEM CAPÍTULO 5 REQUISITOS GERAIS DE DESMONTAGEM E MONTAGEM CAPÍTULO 5 REQUISITOS GERAIS PARA DESMONTAGEM/DEMOLIÇÃO E MONTAGEM/CONSTR PÁG. 1 6 ÍNDICE 5. REQUISITOS PARA A DESMONTAGEM E MONTAGEM... 3 5.1 REQUISITOS

Leia mais

Eng. Ivanor Fantin Júnior Celular: (041)

Eng. Ivanor Fantin Júnior Celular: (041) Eng. Ivanor Fantin Júnior Celular: (041) 9229-9900 engenharia@sindusconpr.com.br Logística Reversa de Resíduos da Construção Civil no Estado do Paraná Situação Atual Estimativa da quantidade coletada de

Leia mais

NOSSA POLÍTICA AMBIENTAL

NOSSA POLÍTICA AMBIENTAL A PUMA TAMBORES, com o objetivo de divulgar a sua política ambiental e conscientizar seus fornecedores e prestadores de serviços quanto aos aspectos ambientais, elaborou este Manual de Requisitos Ambientais

Leia mais

Cardans de Trat ores

Cardans de Trat ores Cardans de Trat ores Com o código da Montadora ou do Fabricante, montamos qualquer tipo de Cardans e fornecemos seus componentes avulsos. N DA MONTADORA TRATORES JONH DEERE PRODUTO OBS. SERIE DQ44685 CARDAN

Leia mais

Caminhando para um Porto Verde

Caminhando para um Porto Verde Caminhando para um Porto Verde Práticas sustentáveis no setor portuário Maria Klien 9 de novembro de 2012 1 Sobre o Grupo 2 Histórico - Multiterminais 1986-1997 Início das operações terrestres Companhia

Leia mais

Logística Reversa no Brasil Cenário atual e futuro

Logística Reversa no Brasil Cenário atual e futuro Logística Reversa no Brasil Cenário atual e futuro M.Sc. Elcio Herbst SENAI - IST em Meio Ambiente e Química Política Nacional de Resíduos Sólidos Art. 33º - São obrigados a estruturar e implementar sistemas

Leia mais

Procedimentos que o Grupo Arteseg Oferece com sua Consultoria NR10:

Procedimentos que o Grupo Arteseg Oferece com sua Consultoria NR10: Adequação e Consultoria à norma NR10 A NR10 é uma norma regulamentadora do Ministério do Trabalho e Emprego que estabelece uma série procedimentos e condutas para a realização de atividades que envolvem

Leia mais

nº 09/2017 PMAS - Pense no Meio Ambiente SIRTEC Tema: GESTÃO DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS

nº 09/2017 PMAS - Pense no Meio Ambiente SIRTEC Tema: GESTÃO DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS nº 09/2017 PMAS - Pense no Meio Ambiente SIRTEC Tema: GESTÃO DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS POLÍTICA INTEGRADA DE SEGURANÇA, SAÚDE E MEIO AMBIENTE POLÍTICA INTEGRADA Disponíveis nos murais e no site da empresa

Leia mais

CONSULTORIA EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO

CONSULTORIA EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Documentos legais: PPRA, LTCAT, PPP, PCMSO, E social; Monitoramento de Ruído, vibração, calor e químicos (NR 15) Emissão de laudos técnicos em atendimento a NR 15 e NR 16 Assistência técnica Pericial;

Leia mais

A experiência de um Laboratório Regional de Prótese Dentária administrado sob o contrato de gestão celebrado entre a Casa de Saúde Santa Marcelina e a Prefeitura do Município de São Paulo Adoracion de

Leia mais

CONTROLE DE PRODUTO NÃO CONFORME. Aprovação: Olavo R. Tomasini

CONTROLE DE PRODUTO NÃO CONFORME. Aprovação: Olavo R. Tomasini Aprovação: Olavo R. Tomasini CONTROLE DE PRODUTO NÃO Código: PR 19 Revisão: 03 Página: 1 de 7 Data: 10/10/09 Arquivo: PR 19_03.doc Rubrica: 1 OBJETIVO Estabelecer a sistemática adotada para a identificação,

Leia mais

ENCADEAMENTO PRODUTIVO. Luiz Barretto - Presidente

ENCADEAMENTO PRODUTIVO. Luiz Barretto - Presidente ENCADEAMENTO PRODUTIVO Luiz Barretto - Presidente MISSÃO DO SEBRAE Promover a competividade e o desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a economia

Leia mais

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO AULA TÉCNICA 26 2015 INSTRUTOR: SCOPINO GERENCIAMENTO ELETRÔNICO 307 1.6 16V FLEX BOSCH ME 7.4.9 SCOPINO TREINAMENTOS Já tivemos aula sobre: ONIX - AJUSTES E SCANNER Agora veremos: 307 ME 7.4.9 - AULA

Leia mais

PRESTADORAS DE SERVIÇOS CREDENCIADAS NO EDITAL 001/2016 SEBRAETEC

PRESTADORAS DE SERVIÇOS CREDENCIADAS NO EDITAL 001/2016 SEBRAETEC PRESTADORAS DE SERVIÇOS NO EDITAL 001/2016 SEBRAETEC PST IEL Qualidade Mapeamento e melhoria de processo industrial Mapeamento e melhoria de processo comércio e Implantação de requisitos da norma ISO 9000

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental - PRSA

Política de Responsabilidade Socioambiental - PRSA Política de Responsabilidade Socioambiental - PRSA Versão Consolidada: 2.0 Data da Aprovação: 29/12/2015 Aprovado por: Diretoria Data da última revisão 09/11/2016 ÍNDICE OBJETIVO E ABRANGÊNCIA... 3 VIGÊNCIA...

Leia mais

Incorporadora e Construtora. 38 anos no mercado. 121 empreendimentos lançados

Incorporadora e Construtora. 38 anos no mercado. 121 empreendimentos lançados Incorporadora e Construtora 38 anos no mercado 121 empreendimentos lançados 3,5 milhões de metros quadrados de área construída e em construção (24.475 unidades) EZ TOWERS certificação e diferenciais ambientais

Leia mais

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12 CADERNO DE PROGRAMA AMBIENTAL EDUCACIONAL ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12 PROGRAMA DE REDUÇÃO DO VOLUME E DESTINAÇÃO CORRETA DE RESÍDUOS PERIGOSOS GERADOS Programa Nº 04/2016 Sumário

Leia mais

Colaboração em logística reversa e reciclagem na indústria elétrica e eletrônica Carlos Ohde Country Manager

Colaboração em logística reversa e reciclagem na indústria elétrica e eletrônica Carlos Ohde Country Manager Colaboração em logística reversa e reciclagem na indústria elétrica e eletrônica Carlos Ohde Country Manager The information contained herein is subject to change without notice. Temos as condições de

Leia mais

PROGRAMAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS

PROGRAMAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS PREFEITURA MUNICIPAL DE GUARAPARI SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE PROGRAMAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS Setembro - 2010 OBJETIVOS GERAIS: Criar condições viáveis para a população exercer práticas ambientais corretas.

Leia mais

Aula 7- Desgaste e Vida da Ferramenta

Aula 7- Desgaste e Vida da Ferramenta A vida da ferramenta é o tempo que a mesma trabalha efetivamente ( deduzidos os tempos passivos ), até perder sua capacidade de corte. Considerando um critério de fim-de-vida pré-estabelecido (exemplo

Leia mais

Produção e caracterização de resíduos da construção civil

Produção e caracterização de resíduos da construção civil 1 Produção e caracterização de resíduos da construção civil 2 Geração de resíduos RCC Brasil 230 a 760 kg/hab.ano RCC Europa 600 a 918 kg/hab.ano Resíduos domiciliares Europa 390 kg/hab.ano 3 Geração de

Leia mais