1 C. Logo, A B = {c} e P(A B) = {Ø, {c}}

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1 C. Logo, A B = {c} e P(A B) = {Ø, {c}}"

Transcrição

1 MATEMÁTICA NOTAÇÕES = {,,,,...} : conjunto dos números reais : conjunto dos números compleos [a, b] = { ; a b} (a, + ) = ]a, + [ = { ; a < < + } A\B = { A; B} A C : complementar do conjunto A i: unidade imaginária; i = z: módulo do número z Re z: parte real do z Im z : parte imaginária do número z M m n (): conjunto das matrizes reais m n A t : transposta da matriz A det A: determinante da matriz A P(A): conjunto de todos os subconjuntos do conjunto A n(a): número de elementos do conjunto finito A AB: segmento de reta unindo os pontos A e B tr A : soma dos elementos da diagonal principal da matriz quadrada A Obs.: Os sistemas de coordenadas considerados são car - tesianos retangulares. C Sejam A e B subconjuntos do conjunto universo U = {a, b, c, d, e, f, g, h}. Sabendo que (B C A) C = = {f, g, h}, B C A = {a,b} e A C \B = {d,e}, então, n(p(a B)) é igual a a). b). c). d) 4. e) 8. ) (B C A) C = {f; g; h} (B C ) C A C = {f; g; h} B A C = {f; g; h} B\A = {f; g; h} ) B C A = {a; b} A\B = {a; b} ) A C \B = {d; e} U\(A B) = {d; e} De (), () e (), temos o diagrama Logo, A B = {c} e P(A B) = {Ø, {c}} ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

2 B Uma empresa possui carros, sendo uma parte com motor a gasolina e o restante com motor fle (que funciona com álcool e com gasolina). Numa determinada época, neste conjunto de carros, 6% dos carros com motor a gasolina e 6% dos carros com motor fle sofrem conversão para também funcionar com gás GNV. Sabendo-se que, após esta conversão, 6 dos carros desta empresa são bicombustíveis, pode-se afirmar que o número de carros tricombustíveis é igual a a) 46. b). c) 6. d) 68. e) 84. Se, entre os carros da empresa, têm motor a gasolina e possuem motor fle, temos: ( 6)%. ( ) + 6% = 6 64, 64 +,6 = 6,8 = 84 = Portanto, o número de carros tricombustíveis é 6 6%. ( ) =. 7 = ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

3 E Seja f : \ {} uma função satisfazendo às con - dições: f( + y) = f()f(y), para todo, y e f(), para todo \ {}. Das afirmações: I. f pode ser ímpar. II. f() =. III. f é injetiva. IV. f não é sobrejetiva, pois f() > para todo. é (são) falsa( s) apenas a) I e III. b) II e III. c) I e IV. d) IV. e) I. Se f: \ {}, f( + y) = f(). f(y) para todo ; y R e f(), para todo \ {}, então: ) f() CD (f) = \ {} f(),. ) f( + ) = f(). f() f() = [f(] f() =, pois f(). ) Para qualquer a, tem-se: f( a + a) = f( a). f(a) = f() = e, portanto f(a) e f( a) tem o mesmo sinal. Assim, f não pode ser ímpar. 4) = + k, com k f( ) = f( + k) = f( ). f(k) f( ), pois f(k). Assim, f é injetiva. ) f() = f + = f. f = = f >, pois f. Desta forma, Im(f) + e Im(f) CD(f), então a função não é sobrejetiva. Assim, apenas a afirmação (I) é falsa. ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

4 4 B π π Se a = cos e b = sen, então, o número com pleo π π cos + i sen 4 é igual a a) a + bi. b) a + bi. c) ( a b ) + ab ( + b )i. d) a bi. e) 4a b + ab( b )i. π π Se a = cos e b = sen então: π π ) cos + i. sen 4 4π 4π = cos + i. sen = 4π 4π = cos π + + i. sen π + = 4π 4π = cos + i. sen = 4π π ) cos = cos = a 4π π ) sen = sen = b Assim sendo: cos π + i. sen π 4 4π 4π cos + i. sen = a + bi = = ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

5 E O polinômio de grau 4 (a + b + c) 4 + (a + b + c) (a b) + + (a b + c) + (a + c), com a, b, c, é uma função par. Então, a soma dos módulos de suas raízes é igual a a) +. b) +. c) +. d) +. e) +. ) P() = (a + b + c). 4 + (a + b + c). (a b) + + (a b + c) + (a + c) é de grau 4 e é uma função par. Asim sendo: a + b + c a + b + c = a + b + c + b a + b + c = a b + c = a b = ) Se b, a + c = b e a = b, então P() = b 4 (b b) + ( b) P() = b 4 b b ) Resolvendo a equação P() =, temos: b 4 b b = 4 = = ou = = i ou = i ou = ou = 4) O conjunto-verdade da equação P() = é V = {i; i; ; } ) A soma dos módulos das raízes é = + 6 C Considere as funções a + c = b b a = b f () = 4 + e g() = +. A multiplicidade das raízes não reais da função composta f o g é igual a a). b). c). d) 4. e). Sendo f() = 4 + = = ( + ). ( ) +. ( ) = = ( ). ( + + ) = = ( ). ( + ) e g() = + = ( ), temos: (fog) () = [( ) 4 ]. [( ) + ] = = [( ) ]. [( ) + ] = = ( ). ( + ), cujas raízes são (raiz simples), (raiz simples), + i (raiz tripla) e i (raiz tripla). Logo, a multiplicidade de cada raiz não-real da função composta fog é igual a. ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

6 7 A Suponha que os coeficientes reais a e b da equação 4 + a + b + a + = são tais que a equação admite solução não real r com r. Das seguintes afirmações: I. A equação admite quatro raízes distintas, sendo todas não reais. II. As raízes podem ser duplas. III. Das quatro raízes, duas podem ser reais. é (são) verdadeira( s ) a) apenas I. b) apenas II. c) apenas III. d) apenas II e III e) nenhuma. ) Seja r = p + qi, com p + q e q, a raiz não real da equação 4 + a + b + a + =, de coeficientes reais. ) Se r for raiz, então também o será, pois r r 4 a b a = r r r + ar + br = + ar + r 4 = = r 4 r 4 p qi ) = = p qi, pois p + q r p + qi p + q 4) Já que a equação tem coeficientes reais, se r = p + qi e = são raízes, então, p qi e r p + qi também serão raízes. p qi ) A equação admite, portanto, quatro raízes dis - tintas, sendo todas não-reais. ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

7 8 B Se as soluções da equação algébrica a + b + 4 =, com coeficientes a, b, b, formam, numa determinada ordem, uma progressão geométrica, então, a b é igual a a). b). c). d). e). Sejam α q, α e α. q as raízes da equação em pro gressão geométrica de razão q (q *). De acordo com as relações de Girard, temos: α 4. α. αq = α = 7 q Logo, a = é uma das raízes e, conseqüentemente,. ( ) a. ( ) + b. ( ) + 4 = 4 9a b + 4 = 9a = b a = b ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

8 9 E Dados A M () e b M (), dizemos que X M () é a melhor aproimação quadrática do sistema AX = b quando (AX b) t (AX b) assume o menor valor possível. Então, dado o sistema y =, a sua melhor aproimação quadrática é a). b). c). d). e). Sendo A =, b = e =, y Temos: I) (A. X b) =. = y = y = II) (A. X b) t = [ y ] III) (A. X b) t. (A. X b)= [ y ]. y = = [( ) + (y ) + ( ) ] = = [. ( + ) + (y ) ]. y Interpretando C (C M ()) como sendo a raiz quadrada do elemento desta matriz, (A X b) t. (A X b) = [.( + ) + (y ) ], que assume o menor valor possível para = e y =, pois e (y ). Logo, a melhor aproimação quadrática do siste - ma ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

9 y = é =. D O sistema a + b y = c a + b y = c, a, a, b, b, c, c, com (c, c ) (, ), a c + a c = b c + b c =, é a) determinado. b) determinado somente quando c e c. c) determinado somente quando c e c = ou c = e c. d) impossível. e) indeterminado. ) Se c = e c, então: a. + a. c = b. + b c = a = b = e a equação. +. y = c não tem solução. ) Se c e c =, então: a. c + a. = b. c + b. = a = b = e a equação. + y = c não tem solução ) Se c e c, então: a + b y = c a + b y = c a c + b c y = c a c + b c y = c (a c + a c ) + (b c + b c )y = c + c. +. y = c + c e, portanto, o sistema é impossível. ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

10 A Seja A M () uma matriz simétrica e não nula, cujos elementos são tais que a, a e a formam, nesta ordem, uma progressão geométrica de razão q e tr A = a. Sabendo-se que o sistema AX = X admite solução não nula X M (), pode-se afirmar que a + q é igual a 49 a). b). c). d). e). 9 4 Sejam A = e X = a a a a y I) Sendo A uma matriz simétrica e não-nula e (a, a, a ) uma progressão geométrica de razão q, A = a a. q a. q a. q Como tr A =. a a + a. q =. a a. q = 4. a q = 4, pois a II) A. X = X. = a a. q a. q a. q y y = a. + a. q. y a. q. + a. q. y y a. + a. q. y = a. q. + a. q. y = y (a ). + a. q. y = a. q. + (a. q ). y = Para que o sistema linear homogêneo acima admita solução não-nula, devemos ter: a a. q = a. q a. q a a. q = a 4. a = a = Logo, a + q = + 4 = ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

11 B Uma amostra de estrangeiros, em que 8% são profi - cientes em inglês, realizou um eame para classificar a sua proficiência nesta língua. Dos estrangeiros que são proficientes em inglês, 7% foram classificados como proficientes. Entre os não proficientes em inglês, 7% foram classificados como proficientes. Um estrangeiro desta amostra, escolhido ao acaso, foi classificado como proficiente em inglês. A probabilidade deste estrangeiro ser efetivamente proficiente nesta língua é de aproima - damente a) 7%. b) 7%. c) 68%. d) 6%. e) 64%. Dos 8% de estrangeiros proficientes em inglês, 7%, isto é, 7% de 8% =,% foram classificados como proficientes. Dos 8% de estrangeiros não-proficientes em inglês, 7%, isto é, 7% de 8% =,74% foram classificados como proficientes. Se o estrangeiro escolhido ao acaso foi classificado como proficiente em inglês, então a probabilidade de ele ser efetivamente proficiente em inglês é,, p = =,7 = 7%, +,74 9,4 E Considere o triângulo ABC de lados a = BC, b = AC e c = AB e ângulos internos α = C ^AB, β = A^BC e γ = B ^CA. Sabendo-se que a equação b cos α + b a = ad mite c como raiz dupla, pode-se afirmar que a) α = 9. b) β = 6. c) γ = 9. d) O triângulo é retângulo apenas se α = 4. e) O triângulo é retângulo e b é hipotenusa. Se a equação em : bcos α. + b a = ad - mite c como raiz dupla, então tem-se a seguinte identidade de polinômios: bcos α. + (b a ) ( c) bcos α. + (b a ) c + c c bcos α = c cos α = b b a = c b = a + c Pode-se concluir então que o triângulo de lados a, b e c é sempre retângulo e b é a hipotenusa. ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

12 4 D No plano, considere S o lugar geométrico dos pontos cuja soma dos quadrados de suas distâncias à reta t : = e ao ponto A = (, ) é igual a 4. Então, S é a) uma circunferência de raio e centro (, ). b) uma circunferência de raio e centro (, ). c) uma hipérbole. d) uma elipse de eios de comprimento e. e) uma elipse de eios de comprimento e. Se a reta (t) tem equação =, o ponto A = (, ) e sendo P(, y) um ponto genérico do L.G., temos: d P,t + d P, A = 4 ( ) + ( ) + (y ) = y 4y + 4 =. ( ) + (y ) = ( ) (y ) + = A equação representa uma elipse, de centro (; ), tal que: I) a = a = a = é o comprimento do eio maior. II) b = b =. b = é o com primento do eio menor. Os eios da elipse têm comprimentos e. ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

13 D Do triângulo de vértices A, B e C, inscrito em uma circunferência de raio R = cm, sabe-se que o lado BC mede cm e o ângulo interno A ^BC mede. Então, o raio da circunferência inscrita neste triângulo tem o comprimento, em cm, igual a a). b). c) 4 d). e). De acordo com o enunciado, podemos montar as se - guintes figuras: Assim, sendo S a área do triângulo ABC, em centí - metros quadrados, p o semiperímetro desse triân - gulo, em centímetros, e r o raio, em centímetros, da circunferência inscrita nesse triângulo, tem-se: AB.. º) S = = = º) S = p. r Logo: = 4 +. r = ( + ). r r = r = ( ) r = + ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

14 6 E A distância entre o vértice e o foco da parábola de equa - ção 4 4y + = é igual a a). b). c). d). e) y + = 4 + = 4y + = y + + = y + = y ( ) =. y 4 Sendo ( g) = 4. f. (y h) a equação reduzida da parábola, comparando-a com a equação obtida, conclui-se que: º) o vértice da parábola é o ponto ; 4 º) A distância entre o vértice e o foco da parábola é a medida f, tal que 4. f =, e portanto f =. ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

15 7 A A epressão sen + π + cotg tg - + tg é equivalente a a) [cos sen ] cotg. b) [sen + cos ] tg. c) [cos sen ] cotg. d) [l cotg ] sen. e) [ + cotg ] [sen + cos ]. sen + π + cotg. tg + tg π. sen + + cotg. tg = = sec sen. [ cos + cotg ] = = cos =. sen. cos. [cotg cos ] = cos = sen. cos = sen sen. [cos cos. sen ] = = sen cos cos =. [cos sen ] = cotg. [cos sen ] sen = ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

16 8 B Sejam C uma circunferência de raio R > 4 e centro (,) e AB uma corda de C. Sabendo que (,) é ponto médio de AB, então uma equação da reta que contém AB é a) y + 6 =. b) y + =. c) y + 7 =. d) y + 4 =. e) y + 9 =. Sejam t e s, respectivamente, as retas que contêm AB e CP, sendo P(;), ponto médio de AB. O coeficiente angular da reta s é tal que, m s = =. O ponto P(;) pertence à reta t cujo coeficiente angular é m t =, pois t s. Dessa forma, a equação da reta t é y = ( ) y + = ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

17 9 A Uma esfera é colocada no interior de um cone circular reto de 8 cm de altura e de 6 de ângulo de vértice. Os pontos de contato da esfera com a superfície lateral do cone definem uma circunferência e distam cm do vértice do cone. O volume do cone não ocupado pela esfera, em cm, é igual a a) π. b) π. c) π d) π. e) π. 9 9 Sendo R o raio da base do cone e r o raio da esfera, ambos, em centímetros, tem-se: r r º) tg = = r = R R º) tg = = R = Assim, o volume V da região interna ao cone, nãoocupada pela esfera, em centímetros cúbicos, é dado por: V =. π. R π. r = 64 4 =. π.. 8. π. = π π 46π = = 9 9 ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

18 C (com ressalvas) Os pontos A = (,4) e B = (4,) são vértices de um cubo, em que AB é uma das arestas. A área lateral do octaedro cujos vértices são os pontos médios da face do cubo é igual a a) 8. b). c). d) 4 e) 8. º) A medida a da aresta do cubo é dada por a = AB = ( 4) + (4 ) = º) Entendendo que os vértices do octaedro são os centros das faces do cubo, então a medida da aresta do octaedro regular é tal que: = + = assim: = = º) Entendendo que o eaminador queira que seja calculada a área S da superfície total do octaedro, já que este não possui área lateral, então, como tal superfície é composta por oito triângulos eqüilá teros de lado, tem-se: S = 8. a 4 a S = Assim: S =. S = a ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

19 AS QUESTÕES DISSERTATIVAS, NUMERADAS DE A, DEVEM SER RESOLVIDAS E RESPON - DIDAS NO CADERNO DE SOLUÇÕES. Seja S o conjunto solução da inequação ( 9) log +4 ( 6). Determine o conjunto S C. Como o gráfico da função f() = 6 é do tipo temos: ) Eiste o log + 4 ( 6) se, e somente se, 4 < < ou < < ou > 6 ) Dentro das condições de eistência do logaritmo, ( 9). log +4 ( 6) 9 9, para log + 4 ( 6) e = b ou = c (do gráfico acima) para log + 4 ( 6) = ) Como b < 9 e c < 9, S = { 4 < < ou < < ou 6 < 9} e S C = { 4 ou = ou 6 ou > 9} Resposta: S C = { 4 ou = ou 6 ou > 9} ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

20 Sejam, y e w = ( + i) + y (4 i) ( + 6i) + + y( 6 + 4i). Identifique e esboce o conjunto Ω = {(, y) ; Re w e Im w 4}. w = ( + i) + y (4 i) ( + 6i) + y ( 6 + 4i) w = + i + 4y y i 6i 6y + 4yi w = ( + 4y 6y) + ( y 6 + 4y)i Desta forma: ) Re w + 4y 6y ( ) + 4(y ) 4 ( ) (y ) + que é a equação de 4 uma região elíptica de centro (; ), semi-eio maior paralelo ao eio das abscissas e medindo e semi-eio menor medindo. ) Im w 4 y 6 + 4y 4 ( ) (y ) ( ) (y ) que é a equação de uma região determinada por uma hipérbole de centro (; ), eio transverso pa - ralelo ao eio das abscissas e medindo e eio conjugado medindo.. ) A representação no plano compleo dessas regiões é a seguinte: Resposta: O conjunto pedido está representado pelos pontos que formam a figura destacada aci - ma. ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

21 + Seja f: \{ l} definida por f() =. + a) Mostre que f é injetora. b) Determine D = {f(); \ { } } e f : D \{ }. Sendo: f: \ { } definida por + f() = = conclui-se: a), \ { }, temos: f( ) f( ) e, portanto, f é injetora. b) Sendo f a função inversa de f, temos: f(f ()) = + f () + = f () + = f () + = f () = O conjunto D = {f(); \ { }} e f : D \ { } é o conjunto-domínio da função f e, portanto, D = \ {}. Respostas: a) demonstração b) D = \ {} ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

22 4 Suponha que a equação algébrica + a n n + a = n = tenha coeficientes reais a, a,..., a tais que as suas onze raízes sejam todas simples e da forma β + iγ n, em que β, γ n e os γ n, n =,,,, formam uma progressão aritmética de razão real γ. Considere as três afirmações abaio e responda se cada uma delas é, respectivamente, verdadeira ou falsa, justificando sua resposta: I. Se β =, então a =. II. Se a =, então β =. III. Se β =, então a =. A equação + a n n + a = n = + a. + a a a + a = é de grau e tem pelo menos uma raiz real. I) Verdadeira, pois se β = as onze raízes são do tipo iγ n. Esse número somente será real se γ n = para algum valor de n. Desta forma, zero é raiz da equação e + a. + a a. + a = a =. II) Verdadeira, pois as onze raízes são da forma (β + γ i; β + γ i; β + γ i; β + γ 4 i; β + γ i; β; β + γ 7 i; β + γ 8 i; β + γ 9 i; β + γ i; β + γ i) e tais que (γ ; γ ; ; γ ; ; γ 7 ; ; γ ) formam uma progressão artitmética de soma zero. Desta forma, a a soma das onze raízes será β = =, portanto β =. III) Falsa, pois, como visto no item (I) se β = então zero é raiz da equação dada. A equação dada é fatorável em ( + a 9 + a a a + a ) = O produto das outras dez raízes é a e elas podem não ser nulas. Poderiam ser, por eemplo, i; 4i; i; i; i; i; i; i; 4i e i. Observe que, neste caso, ( ; 4; ; ; ; ; ; ) formam uma progressão aritmética, de ra zão não-nula. ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

23 Um determinado concurso é realizado em duas etapas. Ao longo dos últimos anos, % dos candidatos do concurso têm conseguido na primeira etapa nota superior ou igual à nota mínima necessária para poder participar da segunda etapa. Se tomarmos 6 candidatos dentre os muitos inscritos, qual é a probabilidade de no mínimo 4 deles conseguirem nota para participar da segunda etapa? A probabilidade de um candidato conseguir nota pa - ra participar da segunda etapa é % = e a de não 4 conseguir nota é 8% =. Dos 6 candidatos, a probabilidade de pelo menos qua tro deles conseguirem nota para participar da segun da etapa é: C 6, C 6,.. +C 6,6.. = 4 4 = = 6 =. = 6 Resposta: ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

24 6 Sejam A, B M (). Mostre as propriedades abaio: a) Se AX é a matriz coluna nula, para todo X M (), então A é a matriz nula. b) Se A e B são não nulas e tais que AB é a matriz nula, então det A = det B =. Se A M (), então A = a) Se AX é a matriz coluna nula, para todo X M (), então a.) para X =, temos: A. X = a a a. = a = a = a = a = a = a a.) para X =, temos: A. X = a a a. = = a = a = a = a = a.) para X = a a, temos: A. X = a a a. = a a a = a = a = a = a = a a a a a Desta forma, A = a a a a a a a a a a a a = O a a a b) ) Se det A, eiste A e A. B = O A. A. B = A. O I. B = O B = O Contrariando a hipótese de que B é não-nula. a a a a a a ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

25 ) Se det B, eiste B e A. B = O A. B. B = O. B A. I = O A = O Contrariando a hipótese de que A é não-nula. Dos itens () e (), temos det A = det B =. Respostas: a) demonstração b) demonstração ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

26 7 + π Sabendo que tg =, para algum 6, π, determine sen. ) tg π π + = tg + =, pois: 6 6 π π π Assim: π tg + tg tg + 6 = = π tg tg 6. tg 6 tg + = tg 6 tg + = 6 tg (6 + 6 ) tg = tg = tg = π ) Como < <, podemos então montar o seguinte triângulo retângulo: do qual podemos concluir que: sen = sen = Resposta: ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

27 8 Dadas a circunferência C: ( ) + (y ) = e a reta r: y + =, considere a reta t que tangencia C, for - ma um ângulo de 4 com r e cuja distância à origem é. Determine uma equação a reta t. A circunferência C: ( ) + (y ) = tem centro A (; ) e raio igual a. A reta r: y + = tem coeficiente angular m r = Sendo m t, o coeficiente angular da reta t que forma um ângulo de 4 com r, temos m r m m t tg 4 = t = + m r. m t + m t m m t t = ou = + m t + m t m t = ou m t = Dessa forma, sendo h, a equação da reta t é tal que: y = + h ou y = + h y + h = ou + y h = Sabendo que a distância entre a reta t e a origem é, temos: Para y + h =. + h + ( ) = h = ± Para + y h =. + h + ( ) = h = ± Assim, as equações das retas que formam um ân - gulo de 4 com r e distam da origem são: y + =, y =, + y = ou + y + = Dentre estas retas, a única que tangencia a circun - ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

28 ferência C é a de equação (t) + y + =, cuja distância ao centro de C, A(; ), é igual ao raio ( ). Com efeito,. + + d A,t = = = + Resposta: uma equação da reta t é + y + = 9 Considere as n retas r i : y = m i +, i =,,..., n; n, em que os coeficientes m i, em ordem crescente de i, formam uma progressão aritmética de razão q >. Se m l = e a reta r tangencia a circunferência de equação + y =, determine o valor de q. Sendo m i, i =,,, n, n, termos de uma progressão aritmética de razão q > e m =, temos: (m ; m ; m ; m 4 ; m ; ) = (; q; q; p; 4q; ) = Assim, a equação da reta r é da forma y = m + y = 4q + 4q y + = Sabendo que a reta r tangencia a circunferência de equação + y =, com centro C(;) e raio r =, resulta 4q. + (4q) + ( ) = = 6q + 4 = 6q + q =, pois q > 4 Resposta: q = 4 ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

29 A razão entre a área lateral e a área da base octogonal de uma pirâmide regular é igual a. Eprima o volume desta pirâmide em termos da medida a do apótema da base. Sendo, h e g, respectivamente, as medidas da aresta da base, da altura, e do apótema da pirâmide regular octogonal, tem-se: º) + + = a + = a = 4g 4a º) = g = a º) g = h +a = ( ) a Assim: ( a) = h + a h = a 4º) O volume V dessa pirâmide é igual a um terço do produto da área de sua base pela sua altura. Assim: 4 V =. 4. a. h V =. ( )a. a. a V = a + 6 ( )a Resposta: 6 ( )a ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

30 Comentário Com 8 questões de álgebra, de trigonometria, 4 de geometria e de geometria analítica, algumas muito mal enunciadas e outras apresentando alto grau de compleidade, com enunciados rebuscados e notações não muito usuais, a banca eaminadora elaborou uma prova de matemática bastante traba - lhosa, que certamente eigiu um grande empenho por parte dos candidatos mais bem preparados, os quais devem ter ficado etremamente etenuados por conta da prova. ITA (º DIA) - DEZEMBRO/8

P (A) n(a) AB tra. Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são cartesianos retangulares.

P (A) n(a) AB tra. Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são cartesianos retangulares. NOTAÇÕES N = f; ; 3; : : :g i : unidade imaginária: i = R : conjunto dos números reais jzj : módulo do número z C C : conjunto dos números complexos Re z : parte real do número z C [a; b] = fx R; a x bg

Leia mais

Obs.: São cartesianos ortogonais os sistemas de coordenadas

Obs.: São cartesianos ortogonais os sistemas de coordenadas MATEMÁTICA NOTAÇÕES : conjunto dos números complexos : conjunto dos números racionais : conjunto dos números reais : conjunto dos números inteiros = {0,,, 3,...} * = {,, 3,...} Ø: conjunto vazio A\B =

Leia mais

Resolução da Prova da Escola Naval 2009. Matemática Prova Azul

Resolução da Prova da Escola Naval 2009. Matemática Prova Azul Resolução da Prova da Escola Naval 29. Matemática Prova Azul GABARITO D A 2 E 2 E B C 4 D 4 C 5 D 5 A 6 E 6 C 7 B 7 B 8 D 8 E 9 A 9 A C 2 B. Os 6 melhores alunos do Colégio Naval submeteram-se a uma prova

Leia mais

Considere um triângulo eqüilátero T 1

Considere um triângulo eqüilátero T 1 Considere um triângulo eqüilátero T de área 6 cm. Unindo-se os pontos médios dos lados desse triângulo, obtém-se um segundo triângulo eqüilátero T, que tem os pontos médios dos lados de T como vértices.

Leia mais

a = 6 m + = a + 6 3 3a + m = 18 3 a m 3a 2m = 0 = 2 3 = 18 a = 6 m = 36 3a 2m = 0 a = 24 m = 36

a = 6 m + = a + 6 3 3a + m = 18 3 a m 3a 2m = 0 = 2 3 = 18 a = 6 m = 36 3a 2m = 0 a = 24 m = 36 MATEMÁTICA Se Amélia der R$ 3,00 a Lúcia, então ambas ficarão com a mesma quantia. Se Maria der um terço do que tem a Lúcia, então esta ficará com R$ 6,00 a mais do que Amélia. Se Amélia perder a metade

Leia mais

ITA - 2005 3º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

ITA - 2005 3º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR ITA - 2005 3º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Matemática Questão 01 Considere os conjuntos S = {0,2,4,6}, T = {1,3,5} e U = {0,1} e as afirmações: I. {0} S e S U. II. {2} S\U e S T U={0,1}.

Leia mais

94 (8,97%) 69 (6,58%) 104 (9,92%) 101 (9,64%) 22 (2,10%) 36 (3,44%) 115 (10,97%) 77 (7,35%) 39 (3,72%) 78 (7,44%) 103 (9,83%)

94 (8,97%) 69 (6,58%) 104 (9,92%) 101 (9,64%) 22 (2,10%) 36 (3,44%) 115 (10,97%) 77 (7,35%) 39 (3,72%) 78 (7,44%) 103 (9,83%) Distribuição das 1.048 Questões do I T A 94 (8,97%) 104 (9,92%) 69 (6,58%) Equações Irracionais 09 (0,86%) Equações Exponenciais 23 (2, 101 (9,64%) Geo. Espacial Geo. Analítica Funções Conjuntos 31 (2,96%)

Leia mais

A Matemática no Vestibular do ITA. Material Complementar: Prova 2014. c 2014, Sergio Lima Netto sergioln@smt.ufrj.br

A Matemática no Vestibular do ITA. Material Complementar: Prova 2014. c 2014, Sergio Lima Netto sergioln@smt.ufrj.br A Matemática no Vestibular do ITA Material Complementar: Prova 01 c 01, Sergio Lima Netto sergioln@smtufrjbr 11 Vestibular 01 Questão 01: Das afirmações: I Se x, y R Q, com y x, então x + y R Q; II Se

Leia mais

TIPO DE PROVA: A. Questão 1. Questão 4. Questão 2. Questão 3. alternativa D. alternativa A. alternativa D. alternativa C

TIPO DE PROVA: A. Questão 1. Questão 4. Questão 2. Questão 3. alternativa D. alternativa A. alternativa D. alternativa C Questão TIPO DE PROVA: A Se a circunferência de um círculo tiver o seu comprimento aumentado de 00%, a área do círculo ficará aumentada de: a) 00% d) 00% b) 400% e) 00% c) 50% Aumentando o comprimento

Leia mais

1 B 1 Dado z = ( 1 + 3 i), então z n é igual a

1 B 1 Dado z = ( 1 + 3 i), então z n é igual a MATEMÁTICA NOTAÇÕES : conjunto dos números naturais : conjunto dos números inteiros : conjunto dos números racionais : conjunto dos números reais : conjunto dos números complexos i: unidade imaginária:

Leia mais

94 (8,97%) 69 (6,58%) 104 (9,92%) 101 (9,64%) 22 (2,10%) 36 (3,44%) 115 (10,97%) 77 (7,35%) 39 (3,72%) 78 (7,44%) 103 (9,83%) Probabilidade 10 (0,95%)

94 (8,97%) 69 (6,58%) 104 (9,92%) 101 (9,64%) 22 (2,10%) 36 (3,44%) 115 (10,97%) 77 (7,35%) 39 (3,72%) 78 (7,44%) 103 (9,83%) Probabilidade 10 (0,95%) Distribuição das.08 Questões do I T A 9 (8,97%) 0 (9,9%) 69 (6,58%) Equações Irracionais 09 (0,86%) Equações Exponenciais (, 0 (9,6%) Geo. Analítica Conjuntos (,96%) Geo. Espacial Funções Binômio de Newton

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA DA UEFS VESTIBULAR 2012 2. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia.

PROVA DE MATEMÁTICA DA UEFS VESTIBULAR 2012 2. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia. PROVA DE MATEMÁTICA DA UEFS VESTIBULAR 0 Profa. Maria Antônia Gouveia. Questão Em um grupo de 0 casas, sabe-se que 8 são brancas, 9 possuem jardim e possuem piscina. Considerando-se essa infomação e as

Leia mais

PROVA OBJETIVA DE MATEMÁTICA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia

PROVA OBJETIVA DE MATEMÁTICA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia PROVA OBJETIVA DE MATEMÁTICA VESTIBULAR 0 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Profa. Maria Antônia C. Gouveia. O PIB per capita de um país, em determinado ano, é o PIB daquele ano dividido pelo número de habitantes.

Leia mais

CPV O cursinho que mais aprova na GV

CPV O cursinho que mais aprova na GV O cursinho que mais aprova na GV FGV ADM Objetiva 06/junho/010 MATemática 01. O monitor de um notebook tem formato retangular com a diagonal medindo d. Um lado do retângulo mede 3 do outro. 4 A área do

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA DE CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA DE CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I 1) Considerações gerais sobre os conjuntos numéricos. Ao iniciar o estudo de qualquer tipo de matemática não podemos provar tudo. Cada vez que introduzimos um novo conceito precisamos defini-lo em termos

Leia mais

2) Se z = (2 + i).(1 + i).i, então a) 3 i b) 1 3i c) 3 i d) 3 + i e) 3 + i. ,será dado por: quando x = i é:

2) Se z = (2 + i).(1 + i).i, então a) 3 i b) 1 3i c) 3 i d) 3 + i e) 3 + i. ,será dado por: quando x = i é: Aluno(a) Nº. Ano: º do Ensino Médio Exercícios para a Recuperação de MATEMÁTICA - Professores: Escossi e Luciano NÚMEROS COMPLEXOS 1) Calculando-se corretamente as raízes da função f(x) = x + 4x + 5, encontram-se

Leia mais

Matemática. Subtraindo a primeira equação da terceira obtemos x = 1. Substituindo x = 1 na primeira e na segunda equação obtém-se o sistema

Matemática. Subtraindo a primeira equação da terceira obtemos x = 1. Substituindo x = 1 na primeira e na segunda equação obtém-se o sistema Matemática 01. A ilustração a seguir é de um cubo com aresta medindo 6 cm. A, B, C e D são os vértices indicados do cubo, E é o centro da face contendo C e D, e F é o pé da perpendicular a BD traçada a

Leia mais

ATENÇÃO: Escreva a resolução COMPLETA de cada questão no espaço reservado para a mesma.

ATENÇÃO: Escreva a resolução COMPLETA de cada questão no espaço reservado para a mesma. 2ª Fase Matemática Introdução A prova de matemática da segunda fase é constituída de 12 questões, geralmente apresentadas em ordem crescente de dificuldade. As primeiras questões procuram avaliar habilidades

Leia mais

NOTAÇÕES. +... + a n. , sendo n inteiro não negativo k =1. Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são cartesianos retangulares.

NOTAÇÕES. +... + a n. , sendo n inteiro não negativo k =1. Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são cartesianos retangulares. MATEMÁTICA NOTAÇÕES : conjunto dos números reais : conjunto dos números complexos i: unidade imaginária, i = z: módulo do número z Re(z): parte real do número z Im(z): parte imaginária do número z det

Leia mais

TIPO DE PROVA: A. Questão 4. Questão 1. Questão 2. Questão 5. Questão 3. Questão 6. alternativa D. alternativa C. alternativa D.

TIPO DE PROVA: A. Questão 4. Questão 1. Questão 2. Questão 5. Questão 3. Questão 6. alternativa D. alternativa C. alternativa D. Questão TIPO DE PROVA: A Um pintor pintou 0% de um muro e outro pintou 60% do que sobrou. A porcentagem do muro que falta pintar é: a) 0% b) % c) % d) 8% e) % O primeiro pintou 0% do muro, logo restou

Leia mais

Exercícios de Matemática Geometria Analítica Cônicas

Exercícios de Matemática Geometria Analítica Cônicas Eercícios de Matemática Geometria Analítica Cônicas ) (ITA-004) Considere todos os números z = + i que têm módulo e estão na elipse + 4 = 4. Então, o produto deles é igual a 9 49 8 4 ) (VUNESP-00) A figura

Leia mais

Resolução dos Exercícios sobre Derivadas

Resolução dos Exercícios sobre Derivadas Resolução dos Eercícios sobre Derivadas Eercício Utilizando a idéia do eemplo anterior, encontre a reta tangente à curva nos pontos onde e Vamos determinar a reta tangente à curva nos pontos de abscissas

Leia mais

FUVEST 2008 2 a Fase Matemática RESOLUÇÃO: Professora Maria Antônia Gouveia.

FUVEST 2008 2 a Fase Matemática RESOLUÇÃO: Professora Maria Antônia Gouveia. FUVEST 008 a Fase Matemática Professora Maria Antônia Gouveia Q0 João entrou na lanchonete BOG e pediu hambúrgueres, suco de laranja e cocadas, gastando R$,0 Na mesa ao lado, algumas pessoas pediram 8

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA DA UFBA VESTIBULAR 2009 2 a Fase. RESOLUÇÃO: Professora Maria Antônia Gouveia.

PROVA DE MATEMÁTICA DA UFBA VESTIBULAR 2009 2 a Fase. RESOLUÇÃO: Professora Maria Antônia Gouveia. PROVA DE MATEMÁTICA DA UFBA VESTIBULAR 9 a Fase Professora Maria Antônia Gouveia Questão Na impressão de 8 cópias de uma mesma prova, foram usadas duas impressoras, A e B, sendo que B trabalhou dez minutos

Leia mais

Conjuntos numéricos. Notasdeaula. Fonte: Leithold 1 e Cálculo A - Flemming. Dr. Régis Quadros

Conjuntos numéricos. Notasdeaula. Fonte: Leithold 1 e Cálculo A - Flemming. Dr. Régis Quadros Conjuntos numéricos Notasdeaula Fonte: Leithold 1 e Cálculo A - Flemming Dr. Régis Quadros Conjuntos numéricos Os primeiros conjuntos numéricos conhecidos pela humanidade são os chamados inteiros positivos

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA DA UFPE. VESTIBULAR 2013 2 a Fase. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia.

PROVA DE MATEMÁTICA DA UFPE. VESTIBULAR 2013 2 a Fase. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia. PROVA DE MATEMÁTICA DA UFPE VESTIBULAR 0 a Fase Profa. Maria Antônia Gouveia. 0. A ilustração a seguir é de um cubo com aresta medindo 6cm. A, B, C e D são os vértices indicados do cubo, E é o centro da

Leia mais

ESCOLA DE ESPECIALISTAS DE AERONÁUTICA COLETÂNEA DE PROVAS DE MATEMÁTICA DO EXAME DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO DE SARGENTOS.

ESCOLA DE ESPECIALISTAS DE AERONÁUTICA COLETÂNEA DE PROVAS DE MATEMÁTICA DO EXAME DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO DE SARGENTOS. ESCOLA DE ESPECIALISTAS DE AERONÁUTICA COLETÂNEA DE PROVAS DE MATEMÁTICA DO EXAME DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO DE SARGENTOS ÁLGEBRA I: 003 a 013 Funções: definição de função; funções definidas por

Leia mais

2. Função polinomial do 2 o grau

2. Função polinomial do 2 o grau 2. Função polinomial do 2 o grau Uma função f: IR IR que associa a cada IR o número y=f()=a 2 +b+c com a,b,c IR e a0 é denominada função polinomial do 2 o grau ou função quadrática. Forma fatorada: a(-r

Leia mais

Se ele optar pelo pagamento em duas vezes, pode aplicar o restante à taxa de 25% ao mês (30 dias), então. tem-se

Se ele optar pelo pagamento em duas vezes, pode aplicar o restante à taxa de 25% ao mês (30 dias), então. tem-se "Gigante pela própria natureza, És belo, és forte, impávido colosso, E o teu futuro espelha essa grandeza Terra adorada." 01. Um consumidor necessita comprar um determinado produto. Na loja, o vendedor

Leia mais

Questão 1. Questão 3. Questão 2. alternativa E. alternativa B. alternativa E. A figura exibe um mapa representando 13 países.

Questão 1. Questão 3. Questão 2. alternativa E. alternativa B. alternativa E. A figura exibe um mapa representando 13 países. Questão A figura eibe um mapa representando países. alternativa E Inicialmente, no recipiente encontram-se 40% ( 000) = 400 m de diesel e 60% ( 000) = = 600 m de álcool. Sendo, em mililitros, a quantidade

Leia mais

RESOLUÇÀO DA PROVA DE MATEMÁTICA VESTIBULAR DA FUVEST_2007_ 2A FASE. RESOLUÇÃO PELA PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEIÇÃO GOUVEIA

RESOLUÇÀO DA PROVA DE MATEMÁTICA VESTIBULAR DA FUVEST_2007_ 2A FASE. RESOLUÇÃO PELA PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEIÇÃO GOUVEIA RESOLUÇÀO DA PROVA DE MATEMÁTICA VESTIBULAR DA FUVEST_007_ A FASE RESOLUÇÃO PELA PROFA MARIA ANTÔNIA CONCEIÇÃO GOUVEIA Questão Se Amélia der R$3,00 a Lúcia, então ambas ficarão com a mesma quantia Se Maria

Leia mais

ITA - 2003 3º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

ITA - 2003 3º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR ITA - 2003 3º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Matemática Questão 01 Seja z. Das seguintes afirmações independentes: argumento de ω. é (são) verdadeira(s) A) todas. C) apenas II e III.

Leia mais

TIPO DE PROVA: A. Questão 3. Questão 1. Questão 2. Questão 4. alternativa E. alternativa A. alternativa B

TIPO DE PROVA: A. Questão 3. Questão 1. Questão 2. Questão 4. alternativa E. alternativa A. alternativa B Questão TIPO DE PROVA: A Em uma promoção de final de semana, uma montadora de veículos colocou à venda n unidades, ao preço único unitário de R$ 0.000,00. No sábado foram vendidos 9 dos Questão Na figura,

Leia mais

( ) = = MATEMÁTICA. Prova: 28/07/13. Questão 17. Questão 18

( ) = = MATEMÁTICA. Prova: 28/07/13. Questão 17. Questão 18 Prova: 8/07/13 MATEMÁTICA Questão 17 A equação x 3 4 x + 5x + 3 = 0 possui as raízes m, p e q. O valor da expressão m + p + q é pq mq mp (A). (B) 3. (C). (D) 3. Gabarito: Letra A. A expressão é igual a:

Leia mais

FUVEST VESTIBULAR 2005 FASE II RESOLUÇÃO: PROFA. MARIA ANTÔNIA GOUVEIA.

FUVEST VESTIBULAR 2005 FASE II RESOLUÇÃO: PROFA. MARIA ANTÔNIA GOUVEIA. FUVEST VESTIBULAR 00 FASE II PROFA. MARIA ANTÔNIA GOUVEIA. Q 0. Para a fabricação de bicicletas, uma empresa comprou unidades do produto A, pagando R$9, 00, e unidades do produto B, pagando R$8,00. Sabendo-se

Leia mais

01- Assunto: Matrizes. Dadas as matrizes A = e B =, calcule AB + A t.

01- Assunto: Matrizes. Dadas as matrizes A = e B =, calcule AB + A t. EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES - MATEMÁTICA - ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ============================================================================================== - Assunto: Matrizes 5 Dadas as matrizes A

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DO VESTIBULAR 2013 DA UNICAMP-FASE 2. RESOLUÇÃO: PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DO VESTIBULAR 2013 DA UNICAMP-FASE 2. RESOLUÇÃO: PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA RESOLUÇÃO D PROV DE MTEMÁTIC DO VESTIBULR 0 D UNICMP-FSE. PROF. MRI NTÔNI C. GOUVEI. Em de outubro de 0, Feli Baumgartner uebrou o recorde de velocidade em ueda livre. O salto foi monitorado oficialmente

Leia mais

Exercícios de Números Complexos com Gabarito

Exercícios de Números Complexos com Gabarito Exercícios de Números Complexos com Gabarito ) (UNIFESP-007) Quatro números complexos representam, no plano complexo, vértices de um paralelogramo. Três dos números são z = i, z = e z = + ( 5 )i. O quarto

Leia mais

QUESTÕES de 01 a 08 INSTRUÇÃO: Assinale as proposições verdadeiras, some os números a elas associados e marque o resultado na Folha de Respostas.

QUESTÕES de 01 a 08 INSTRUÇÃO: Assinale as proposições verdadeiras, some os números a elas associados e marque o resultado na Folha de Respostas. Resolução por Maria Antônia Conceição Gouveia da Prova de Matemática _ Vestibular 5 da Ufba _ 1ª fase QUESTÕES de 1 a 8 INSTRUÇÃO: Assinale as proposições verdadeiras, some os números a elas associados

Leia mais

3ª série EM - Lista de Questões para a RECUPERAÇÃO FINAL - MATEMÁTICA

3ª série EM - Lista de Questões para a RECUPERAÇÃO FINAL - MATEMÁTICA 3ª série EM - Lista de Questões para a RECUPERAÇÃO FINAL - MATEMÁTICA 01. Um topógrafo pretende calcular o comprimento da ponte OD que passa sobre o rio mostrado na figura abaio. Para isto, toma como referência

Leia mais

n! (n r)!r! P(A B) P(A B) = P(A)+P(B) P(A B) P(A/B) = 1 q, 0 < q < 1

n! (n r)!r! P(A B) P(A B) = P(A)+P(B) P(A B) P(A/B) = 1 q, 0 < q < 1 FORMULÁRIO DE MATEMÁTICA Análise Combinatória P n = n! = 1 n A n,r = Probabilidade P(A) = n! (n r)! número de resultados favoráveis a A número de resultados possíveis Progressões aritméticas a n = a 1

Leia mais

Lista 1. Sistema cartesiano ortogonal. 1. Observe a figura e determine os pontos, ou seja, dê suas coordenadas: a) A b) B c) C d) D e) E

Lista 1. Sistema cartesiano ortogonal. 1. Observe a figura e determine os pontos, ou seja, dê suas coordenadas: a) A b) B c) C d) D e) E Sistema cartesiano ortogonal Lista. Observe a figura e determine os pontos, ou seja, dê suas coordenadas: a) A b) B c) C d) D e) E. Marque num sistema de coordenadas cartesianas ortogonais os pontos: a)

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

Prova de Matemática: 13/12/12 PROVA ITA

Prova de Matemática: 13/12/12 PROVA ITA Prova de Matemática: // PROVA ITA matemática Gabarito ITA Prova de Matemática: // matemática : conjunto dos números naturais : conjunto dos números inteiros : conjunto dos números reais M m x n ( ): conjunto

Leia mais

C Curso destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET www.concursosecursos.com.br RACIOCÍNIO LÓGICO AULA 9

C Curso destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET www.concursosecursos.com.br RACIOCÍNIO LÓGICO AULA 9 RACIOCÍNIO LÓGICO AULA 9 TRIGONOMETRIA TRIÂNGULO RETÂNGULO Considere um triângulo ABC, retângulo em  ( = 90 ), onde a é a medida da hipotenusa, b e c, são as medidas dos catetos e a, β são os ângulos

Leia mais

FUNÇÕES E SUAS PROPRIEDADES

FUNÇÕES E SUAS PROPRIEDADES FUNÇÕES E SUAS PROPRIEDADES Í N D I C E Funções Definição... Gráficos (Resumo): Domínio e Imagem... 5 Tipos de Funções... 7 Função Linear... 8 Função Linear Afim... 9 Coeficiente Angular e Linear... Função

Leia mais

A seguir, uma demonstração do livro. Para adquirir a versão completa em papel, acesse: www.pagina10.com.br

A seguir, uma demonstração do livro. Para adquirir a versão completa em papel, acesse: www.pagina10.com.br A seguir, uma demonstração do livro. Para adquirir a versão completa em papel, acesse: www.pagina0.com.br Funções Reais CÁLCULO VOLUME ZERO - Neste capítulo, estudaremos as protagonistas do longa metragem

Leia mais

1) Na figura abaixo, a reta r tem equação x+3y-6=0 e a reta s passa pela origem e tem coeficiente angular 3

1) Na figura abaixo, a reta r tem equação x+3y-6=0 e a reta s passa pela origem e tem coeficiente angular 3 ) Na figura abaixo, a reta r tem equação x+y-6=0 e a reta s passa pela origem e tem coeficiente angular. A área do triângulo OAB, em unidades de área, é igual a: a) b) c) d)4 (correta) e)5 O(0,0) 0 6 0

Leia mais

CÁLCULO DE ZEROS DE FUNÇÕES REAIS

CÁLCULO DE ZEROS DE FUNÇÕES REAIS 15 CÁLCULO DE ZEROS DE FUNÇÕES REAIS Um dos problemas que ocorrem mais frequentemente em trabalhos científicos é calcular as raízes de equações da forma: f() = 0. A função f() pode ser um polinômio em

Leia mais

RESOLUÇÃO Matemática APLICADA FGV Administração - 14.12.14

RESOLUÇÃO Matemática APLICADA FGV Administração - 14.12.14 FGV Administração - 1.1.1 VESTIBULAR FGV 015 1/1/01 RESOLUÇÃO DAS 10 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA TARDE MÓDULO DISCURSIVO QUESTÃO 1 Um mapa de um pequeno parque é uma região em forma de quadrilátero,

Leia mais

MATEMÁTICA TIPO C. 01. A função tem como domínio e contradomínio o conjunto dos números reais e é definida por ( ). Analise a

MATEMÁTICA TIPO C. 01. A função tem como domínio e contradomínio o conjunto dos números reais e é definida por ( ). Analise a 1 MATEMÁTICA TIPO C 01. A função tem como domínio e contradomínio o conjunto dos números reais e é definida por ( ). Analise a veracidade das afirmações seguintes sobre, cujo gráfico está esboçado a seguir.

Leia mais

Prova Final de Matemática

Prova Final de Matemática PROVA FINAL DO 3.º CICLO do Ensino BÁSICO Decreto-Lei n.º 139/01, de 5 de julho Prova Final de Matemática 3.º Ciclo do Ensino Básico Prova 9/1.ª Chamada 8 Páginas Duração da Prova: 90 minutos. Tolerância:

Leia mais

Matemática. Resolução das atividades complementares. M20 Geometria Analítica: Circunferência

Matemática. Resolução das atividades complementares. M20 Geometria Analítica: Circunferência Resolução das atividades complementares Matemática M Geometria Analítica: ircunferência p. (Uneb-A) A condição para que a equação 6 m 9 represente uma circunferência é: a), m, ou, m, c) < m < e), m, ou,

Leia mais

no de Questões A Unicamp comenta suas provas

no de Questões A Unicamp comenta suas provas Cad no de Questões A Unicamp comenta suas provas 99 SEGUNDA FASE 4 de Janeiro de 998 Matemática 0 prova de Matemática do Vestibular Unicamp procura identificar nos candidatos um conhecimento crítico e

Leia mais

PROVAS DE MATEMÁTICA DO VESTIBULARES-2011 DA MACKENZIE RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia. 13 / 12 / 2010

PROVAS DE MATEMÁTICA DO VESTIBULARES-2011 DA MACKENZIE RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia. 13 / 12 / 2010 PROVAS DE MATEMÁTICA DO VESTIBULARES-0 DA MACKENZIE Profa. Maria Antônia Gouveia. / / 00 QUESTÃO N o 9 Dadas as funções reais definidas por f(x) x x e g(x) x x, considere I, II, III e IV abaixo. I) Ambas

Leia mais

UFPR_VESTIBULAR _2004 COMENTÁRIO E RESOLUÇÃO POR PROFA. MARIA ANTONIA GOUVEIA

UFPR_VESTIBULAR _2004 COMENTÁRIO E RESOLUÇÃO POR PROFA. MARIA ANTONIA GOUVEIA UFR_VESTIBULAR _004 COMENTÁRIO E RESOLUÇÃO OR ROFA. MARIA ANTONIA GOUVEIA QUESTÃO Um grupo de estudantes decidiu viajar de ônibus para participar de um encontro nacional. Ao fazerem uma pesquisa de preços,

Leia mais

Vestibular 2ª Fase Resolução das Questões Discursivas

Vestibular 2ª Fase Resolução das Questões Discursivas COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAD CONCURSO VESTIBULAR 010 Prova de Matemática Vestibular ª Fase Resolução das Questões Discursivas São apresentadas abaixo possíveis

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DO VESTIBULAR 2014 DA FUVEST-FASE 1. POR PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DO VESTIBULAR 2014 DA FUVEST-FASE 1. POR PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DO VESTIBULAR 014 DA FUVEST-FASE 1. POR PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA Q ) Um apostador ganhou um premio de R$ 1.000.000,00 na loteria e decidiu investir parte do valor

Leia mais

Teste Intermédio Matemática. 9.º Ano de Escolaridade. Versão 1. Duração do Teste: 30 min (Caderno 1) + 60 min (Caderno 2) 21.03.

Teste Intermédio Matemática. 9.º Ano de Escolaridade. Versão 1. Duração do Teste: 30 min (Caderno 1) + 60 min (Caderno 2) 21.03. Teste Intermédio Matemática Versão 1 Duração do Teste: 30 min (Caderno 1) + 60 min (Caderno 2) 21.03.2014 9.º Ano de Escolaridade Indica de forma legível a versão do teste. O teste é constituído por dois

Leia mais

MÓDULO 29. Trigonometria I. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA. Fórmulas do arco duplo: 1) sen (2a) = 2) cos (2a) =

MÓDULO 29. Trigonometria I. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA. Fórmulas do arco duplo: 1) sen (2a) = 2) cos (2a) = Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA MÓDULO 9 Trigonometria I Resumo das principais fórmulas da trigonometria Arcos Notáveis: Fórmulas do arco duplo: ) sen (a) = ) cos (a) = 3)

Leia mais

Exercícios de Matemática Geometria Analítica - Circunferência

Exercícios de Matemática Geometria Analítica - Circunferência Exercícios de Matemática Geometria Analítica - Circunferência ) (Unicamp-000) Sejam A e B os pontos de intersecção da parábola y = x com a circunferência de centro na origem e raio. a) Quais as coordenadas

Leia mais

Matemática. Introdução. Questão 1. Resposta esperada. Exemplo acima da média

Matemática. Introdução. Questão 1. Resposta esperada. Exemplo acima da média 2ª Fase Introdução A prova de matemática da segunda fase é constituída de 12 questões, geralmente apresentadas em ordem crescente de dificuldade. As primeiras questões procuram avaliar habilidades e conteúdos

Leia mais

A abordagem do assunto será feita inicialmente explorando uma curva bastante conhecida: a circunferência. Escolheremos como y

A abordagem do assunto será feita inicialmente explorando uma curva bastante conhecida: a circunferência. Escolheremos como y 5 Taxa de Variação Neste capítulo faremos uso da derivada para resolver certos tipos de problemas relacionados com algumas aplicações físicas e geométricas. Nessas aplicações nem sempre as funções envolvidas

Leia mais

{ } PROVA DE RACIOCÍNIO MATEMÁTICO. 1)a)Dê o domínio da função f ( x) = + 12. b)resolva a inequação: 2 + 3 x. 4 + x RESOLUÇÃO.

{ } PROVA DE RACIOCÍNIO MATEMÁTICO. 1)a)Dê o domínio da função f ( x) = + 12. b)resolva a inequação: 2 + 3 x. 4 + x RESOLUÇÃO. )a)dê o domínio da função f ( ) = 7 + b)resolva a inequação: + 3 4 a)devemos ter 0 7 + Fazendo N = e D = 7 +, teremos o seguinte quadro de sinais: 3 4 N - + + + D + + - + N/D - + - + Tendo em conta que

Leia mais

2. MÓDULO DE UM NÚMERO REAL

2. MÓDULO DE UM NÚMERO REAL 18 2. MÓDULO DE UM NÚMERO REAL como segue: Dado R, definimos o módulo (ou valor absoluto) de, e indicamos por,, se 0 =, se < 0. Interpretação Geométrica O valor absoluto de um número é, na reta, a distância

Leia mais

Plano Curricular de Matemática 9º ano - 2014 /2015-3º Ciclo

Plano Curricular de Matemática 9º ano - 2014 /2015-3º Ciclo Plano Curricular de Matemática 9º ano - 2014 /2015-3º Ciclo Tema/Subtema Conteúdos Metas Nº de Aulas Previstas Org.Trat.Dados / Planeamento Estatístico Especificação do problema Recolha de dados População

Leia mais

115% x + 120% + (100 + p)% = 93 2 2. 120% y + 120% + (100 + p)% = 106 2 2 x + y + z = 100

115% x + 120% + (100 + p)% = 93 2 2. 120% y + 120% + (100 + p)% = 106 2 2 x + y + z = 100 MATEMÁTICA Carlos, Luís e Sílvio tinham, juntos, 00 mil reais para investir por um ano. Carlos escolheu uma aplicação que rendia 5% ao ano. Luís, uma que rendia 0% ao ano. Sílvio aplicou metade de seu

Leia mais

Colégio Anglo de Sete Lagoas Professor: Luiz Daniel (31) 2106-1750

Colégio Anglo de Sete Lagoas Professor: Luiz Daniel (31) 2106-1750 Lista de exercícios de Geometria Espacial PRISMAS 1) Calcular a medida da diagonal de um paralelepípedo retângulo de dimensões 10 cm, 8 cm e 6 cm 10 2 cm 2) Determine a capacidade em dm 3 de um paralelepípedo

Leia mais

REVISÃO Lista 07 Áreas, Polígonos e Circunferência. h, onde b representa a base e h representa a altura.

REVISÃO Lista 07 Áreas, Polígonos e Circunferência. h, onde b representa a base e h representa a altura. NOME: ANO: º Nº: POFESSO(A): Ana Luiza Ozores DATA: Algumas definições Áreas: Quadrado: EVISÃO Lista 07 Áreas, Polígonos e Circunferência A, onde representa o lado etângulo: A b h, onde b representa a

Leia mais

PROBLEMAS DE OTIMIZAÇÃO

PROBLEMAS DE OTIMIZAÇÃO (Tóp. Teto Complementar) PROBLEMAS DE OTIMIZAÇÃO 1 PROBLEMAS DE OTIMIZAÇÃO Este teto estuda um grupo de problemas, conhecido como problemas de otimização, em tais problemas, quando possuem soluções, é

Leia mais

9. Derivadas de ordem superior

9. Derivadas de ordem superior 9. Derivadas de ordem superior Se uma função f for derivável, então f é chamada a derivada primeira de f (ou de ordem 1). Se a derivada de f eistir, então ela será chamada derivada segunda de f (ou de

Leia mais

www.exatas.clic3.net

www.exatas.clic3.net www.exatas.clic.net 8)5*6±0$7(0È7,&$± (67$59$6(5 87,/,=$'66 6(*8,7(66Ì0%/6(6,*,),&$'6 i: unidade imaginária número complexo : a +bi; a, b números reais log x: logaritmo de x na base 0 cos x: cosseno de

Leia mais

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA Caderno de Provas MATEMÁTICA Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA Use apenas caneta esferográfica azul ou preta. Escreva o seu nome completo e o número do seu

Leia mais

Lista de exercícios Trigonometria Problemas Gerais. Parte 1 : Tangente da soma e da diferença de arcos e tangente do dobro de um arco

Lista de exercícios Trigonometria Problemas Gerais. Parte 1 : Tangente da soma e da diferença de arcos e tangente do dobro de um arco Lista de eercícios Trigonometria Problemas Gerais Prof ºFernandinho Parte 1 : Tangente da soma e da diferença de arcos e tangente do dobro de um arco 01.(Fuvest) Se é um ângulo tal que 0 < < 90 e sen =,

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDO - 2013 VP4 MATEMÁTICA 3 a ETAPA 6 o ao 9º Ano INTEGRAL ENSINO FUNDAMENTAL 1º E 2º ANOS INTEGRAIS ENSINO MÉDIO

ROTEIRO DE ESTUDO - 2013 VP4 MATEMÁTICA 3 a ETAPA 6 o ao 9º Ano INTEGRAL ENSINO FUNDAMENTAL 1º E 2º ANOS INTEGRAIS ENSINO MÉDIO 6 o ANO MATEMÁTICA I Adição e subtração de frações: Frações com denominadores iguais. Frações com denominadores diferentes. Multiplicação de um número natural por uma fração. Divisão entre um número natural

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA DA UFBA. VESTIBULAR 2013 2 a Fase. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia.

PROVA DE MATEMÁTICA DA UFBA. VESTIBULAR 2013 2 a Fase. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia. PROVA DE MATEMÁTICA DA UFBA VETIBULAR 0 a Fase Profa. Maria Antônia Gouveia. Questão 0 Um lote de livros foi impresso nas gráficas A, B, e C, satisfazendo os percentuais de impressão sobre o total de 5%,

Leia mais

M A T E M Á T I C A DIRETRIZES GERAIS

M A T E M Á T I C A DIRETRIZES GERAIS M A T E M Á T I C A DIRETRIZES GERAIS O conteúdo programático de Matemática dos processos seletivos da UFU tem como objetivo identificar a habilidade do estudante em resolver problemas, fazer conexões

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DA UFBA VESTIBULAR 2009 1 a Fase Professora Maria Antônia Gouveia.

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DA UFBA VESTIBULAR 2009 1 a Fase Professora Maria Antônia Gouveia. RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DA UFBA VESTIBULAR 009 1 a Fase Professora Maria Antônia Gouveia. QUESTÕES de 01 a 08 INSTRUÇÃO: Assinale as proposições verdadeiras, some os números a elas associados

Leia mais

Nesta aula iremos continuar com os exemplos de revisão.

Nesta aula iremos continuar com os exemplos de revisão. Capítulo 8 Nesta aula iremos continuar com os exemplos de revisão. 1. Exemplos de revisão Exemplo 1 Ache a equação do círculo C circunscrito ao triângulo de vértices A = (7, 3), B = (1, 9) e C = (5, 7).

Leia mais

FUVEST VESTIBULAR 2006. RESOLUÇÃO DA PROVA DA FASE 1. Por Professora Maria Antônia Conceição Gouveia. MATEMÁTICA

FUVEST VESTIBULAR 2006. RESOLUÇÃO DA PROVA DA FASE 1. Por Professora Maria Antônia Conceição Gouveia. MATEMÁTICA FUVEST VESTIBULAR 006. RESOLUÇÃO DA PROVA DA FASE 1. Por Professora Maria Antônia Conceição Gouveia. MATEMÁTICA 1. A partir de 64 cubos brancos, todos iguais, forma-se um novo cubo. A seguir, este novo

Leia mais

TIPO DE PROVA: A. Questão 1. Questão 2. Questão 4. Questão 5. Questão 3. alternativa C. alternativa E. alternativa C.

TIPO DE PROVA: A. Questão 1. Questão 2. Questão 4. Questão 5. Questão 3. alternativa C. alternativa E. alternativa C. Questão TIPO DE PROVA: A José possui dinheiro suficiente para comprar uma televisão de R$ 900,00, e ainda lhe sobrarem da quantia inicial. O valor que so- 5 bra para José é a) R$ 50,00. c) R$ 800,00. e)

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA DA UFBA VESTIBULAR 2010 1 a Fase. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia.

PROVA DE MATEMÁTICA DA UFBA VESTIBULAR 2010 1 a Fase. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia. PROVA DE MATEMÁTICA DA UFBA VESTIBULAR 010 1 a Fase Profa Maria Antônia Gouveia QUESTÃO 01 Sobre números reais, é correto afirmar: (01) Se m é um número inteiro divisível por e n é um número inteiro divisível

Leia mais

UFRGS 2005 - MATEMÁTICA. 01) Considere as desigualdades abaixo. 2 2 3 3. 1 1 3 3. III) 3 2. II) Quais são verdadeiras?

UFRGS 2005 - MATEMÁTICA. 01) Considere as desigualdades abaixo. 2 2 3 3. 1 1 3 3. III) 3 2. II) Quais são verdadeiras? UFRGS 005 - MATEMÁTICA 0) Considere as desigualdades abaixo. I) 000 3000 3. II) 3 3. III) 3 3. Quais são verdadeiras? a) Apenas I. b) Apenas II. Apenas I e II. d) Apenas I e III e) Apenas II e III 0) Observe

Leia mais

Geometria Analítica Plana.

Geometria Analítica Plana. Geometria Analítica Plana. Resumo teórico e eercícios. 3º Colegial / Curso Etensivo. Autor - Lucas Octavio de Souza (Jeca) Estudo de Geometria Analítica Plana. Considerações gerais. Este estudo de Geometria

Leia mais

PARTE 3. 3.1 Funções Reais de Várias Variáveis Reais

PARTE 3. 3.1 Funções Reais de Várias Variáveis Reais PARTE 3 FUNÇÕES REAIS DE VÁRIAS VARIÁVEIS REAIS 3. Funções Reais de Várias Variáveis Reais Vamos agora tratar do segundo caso particular de funções vetoriais de várias variáveis reais, F : Dom(F) R n R

Leia mais

Funções. Funções. Você, ao longo do curso, quando apresentado às disciplinas de Economia, terá oportunidade de fazer aplicações nos cálculos

Funções. Funções. Você, ao longo do curso, quando apresentado às disciplinas de Economia, terá oportunidade de fazer aplicações nos cálculos Funções Funções Um dos conceitos mais importantes da matemática é o conceito de função. Em muitas situações práticas, o valor de uma quantidade pode depender do valor de uma segunda. A procura de carne

Leia mais

Mudança de Coordenadas

Mudança de Coordenadas Mudança de Coordenadas Reginaldo J. Santos Departamento de Matemática-ICE Universidade Federal de Minas Gerais http://www.mat.ufmg.br/~regi regi@mat.ufmg.br 13 de deembro de 2001 1 Rotação e Translação

Leia mais

ESCOLA DR. ALFREDO JOSÉ BALBI UNITAU APOSTILA PROF. CARLINHOS NOME: N O :

ESCOLA DR. ALFREDO JOSÉ BALBI UNITAU APOSTILA PROF. CARLINHOS NOME: N O : ESCOLA DR. ALFREDO JOSÉ BALBI UNITAU APOSTILA FUNÇÃO DO 1º GRAU PROF. CARLINHOS NOME: N O : 1 FUNÇÃO DO 1º GRAU DEFINIÇÃO Chama-se função do 1. grau toda função definida de por f() = a b com a, b e a 0.

Leia mais

CPV O cursinho que mais aprova na fgv

CPV O cursinho que mais aprova na fgv O cursinho que mais aprova na fgv FGV economia a Fase 0/novembro/008 MTEMÁTI 0. umentando a base de um triângulo em 0% e reduzindo a altura relativa a essa base em 0%, a área do triângulo aumenta em %.

Leia mais

x se x = n se x e n< x< n+ 1, n que associa a cada número real x o maior inteiro não superior a x.

x se x = n se x e n< x< n+ 1, n que associa a cada número real x o maior inteiro não superior a x. RELATÓRIO VESTIBULAR UFS/03 MATEMÁTIA (Prova AMARELA). INTRODUÇÃO As questões foram elaboradas visando incluir todos os tópicos do programa, com ênfase nos conceitos e suas conexões entre os diversos campos

Leia mais

Soluções das Questões de Matemática do Processo Seletivo de Admissão ao Colégio Naval PSACN

Soluções das Questões de Matemática do Processo Seletivo de Admissão ao Colégio Naval PSACN Soluções das Questões de Matemática do Processo Seletivo de Admissão ao Colégio Naval PSACN Questão Concurso 00 Seja ABC um triângulo com lados AB 5, AC e BC 8. Seja P um ponto sobre o lado AC, tal que

Leia mais

Matemática. Resolução das atividades complementares. M1 Trigonometria no ciclo. 1 Expresse: p 4 rad. rad em graus. 4 rad 12 p b) 330 em radianos.

Matemática. Resolução das atividades complementares. M1 Trigonometria no ciclo. 1 Expresse: p 4 rad. rad em graus. 4 rad 12 p b) 330 em radianos. Resolução das atividades comlementares Matemática M Trigonometria no ciclo. 7 Eresse: a) em radianos c) em radianos e) rad em graus rad rad b) 0 em radianos d) rad em graus f) rad 0 rad em graus a) 80

Leia mais

ITA º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

ITA º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR ITA - 2006 3º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Matemática Questão 01 Seja E um ponto externo a uma circunferência. Os segmentos e interceptam essa circunferência nos pontos B e A, e, C

Leia mais

12) A círculo = π r 2. 1 13) A lateral cone = π.r.g. 18) A lateral pirâmide = 19) (y y 0 ) = m(x x 0 ) 20) T p+1 = a

12) A círculo = π r 2. 1 13) A lateral cone = π.r.g. 18) A lateral pirâmide = 19) (y y 0 ) = m(x x 0 ) 20) T p+1 = a MATEMÁTICA (Prova AMARELA). INTRODUÇÃO A prova de Matemática do Vestibular 04 foi elaborada com o intuito de contemplar todos os tópicos do programa, associando convenientemente a parte teórica com as

Leia mais

CPV O Cursinho que Mais Aprova na GV

CPV O Cursinho que Mais Aprova na GV CPV O Cursinho que Mais Aprova na GV FGV ADM 31/maio/015 Prova A MATEMÁTICA 01. Fabiana recebeu um empréstimo de R$ 15 000,00 a juros compostos à taxa de 1% ao ano. Um ano depois, pagou uma parcela de

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA HABILIDADES CONTEÚDO METODOLOGIA/ESTRATÉGIA HORA/ AULA ANÁLISE GRÁFICA DE FUNÇÕES

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA HABILIDADES CONTEÚDO METODOLOGIA/ESTRATÉGIA HORA/ AULA ANÁLISE GRÁFICA DE FUNÇÕES CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: CIÊNCIA DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS DISCIPLINA: MATEMÁTICA I SÉRIE 1.ª CH 68 ANO 2012 COMPETÊNCIAS:.

Leia mais

QUESTÕES OBJETIVAS. N ọ DE INSCRIÇÃO:

QUESTÕES OBJETIVAS. N ọ DE INSCRIÇÃO: Prova QUESTÕES OBJETIVAS N ọ DE ORDEM: NOME DO CANDIDATO: N ọ DE INSCRIÇÃO: INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA. Confira os campos N ọ DE ORDEM, N ọ DE INSCRIÇÃO e NOME, que constam na etiqueta fixada

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

Prova Final 2012 1.ª chamada

Prova Final 2012 1.ª chamada Prova Final 01 1.ª chamada 1. Num acampamento de verão, estão jovens de três nacionalidades: jovens portugueses, espanhóis e italianos. Nenhum dos jovens tem dupla nacionalidade. Metade dos jovens do acampamento

Leia mais

Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são cartesianos retangulares.

Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são cartesianos retangulares. NOTAÇÕES N: conjunto dos números naturais C: conjunto dos números complexos Z: conjuntodosnúmerosinteiros i: unidadeimaginária,i 2 = 1 R: conjuntodosnúmerosreais z : módulodonúmeroz C M m n (R): conjuntodasmatrizesreaism

Leia mais