Canteiro e Locação de obra. Tecnologia das Construções Engª e Profª Bárbara Silvéria

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Canteiro e Locação de obra. Tecnologia das Construções Engª e Profª Bárbara Silvéria"

Transcrição

1 Canteiro e Locação de obra Tecnologia das Construções Engª e Profª Bárbara Silvéria

2 Canteiro de Obras Canteiro de obras (Definição segundo a NBR 12264) Conjunto de áreas destinadas à execução e apoio dos trabalhos da indústria da construção, dividindo-se em áreas operacionais e áreas de vivência; Deverá ser localizado em áreas onde não atrapalhem a circulação de operários veículos e a locação das obras; No mínimo devemos fazer um barracão de madeira, chapas compensadas, ou ainda containers metálicos que são facilmente transportados para as obras com o auxílio de um caminhão munck.

3

4 Canteiro de obras Ao dimensionar um canteiro de obras, devemos considerar: Volume da obra; O tempo de obra; e Distância de centros urbanos. O canteiro de obra será composto de três setores básicos: O setor administrativo; O setor operacional; e O setor pessoal.

5 Instalações no canteiro de obra Barracões: Devem ser seguros, duráveis, de bom aspecto, ventilados e iluminados. As dimensões devem ser de acordo com o porte da obra e topografia do terreno, quantidade e tipo de produtos a armazenar, n.º de operários a abrigar e processos construtivos a empregar. Deve ter seu piso cimentado. Ex.: Almoxarifado, vestiário, sanitários, escritório, refeitório, alojamentos e depósitos; Carpintaria: Mesas para serras, bancadas para execução de formas, equipamentos e ferramentas de acordo com o volume de serviço e prazos estabelecidos; Central de armação: bancadas para retificação, corte e dobra das armaduras, com chapas e pinos apropriados; Central de concreto / depósito de agregados: A seleção, dimensionamento e localização desses equipamentos e instalações deve considerar o volume de serviços a executar, prazos, área disponível no canteiro capacidade de produção e as distâncias horizontais e verticais de transporte.

6

7 RESOLUÇÃO CONAMA Nº 307 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS Definição Resíduos da construção e demolição são os provenientes da construção, demolição, reformas, reparos e da preparação e escavação de solo; Responsabilidades Municípios - elaborar Plano Integrado de Gerenciamento, que incorpore: a) Programa Municipal de Gerenciamento (para geradores de pequenos volumes); b) Projetos de Gerenciamento em obra (para aprovação dos empreendimentos dos geradores de grandes volumes); Geradores elaborar Projetos de Gerenciamento em obra (caracterizando os resíduos e indicando procedimentos para triagem, acondicionamento, transporte e destinação).

8 RESOLUÇÃO CONAMA Nº 307 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS Classificação e destinação Classe A alvenaria, concreto, argamassas e solos. Destinação: reutilização ou reciclagem com uso na forma de agregados, além da disposição final em aterros licenciados; Classe B madeira, metal, plástico e papel. Destinação: reutilização, reciclagem ou armazenamento temporário; Classe C produtos sem tecnologia disponível para recuperação (gesso, por exemplo). Destinação: conforme norma técnica específica; Classe D resíduos perigosos (tintas, óleos, solventes etc.), conforme NBR 10004:2004 (Resíduos Sólidos Classificação). Destinação: conforme norma técnica específica.

9 Locação da obra O que é locar uma obra? É passar o projeto que está desenhado no papel em escalas reduzidas para o terreno em dimensões reais (1:1); Podemos efetuar a locação da obra, nos casos de obras de pequeno porte, com métodos simples (utilizando o nível de mangueira, régua, fio de prumo e trena), sem o auxílio de aparelhos, que nos garantam certa precisão;

10

11 Locação da Obra É comum ter-se como referência os seguintes pontos: O alinhamento da rua; Um poste no alinhamento do passeio; Um ponto deixado pelo topógrafo quando da realização do controle do movimento de terra; ou Uma lateral do terreno.

12 Locação da obra Processo dos cavaletes: No processo dos cavaletes os alinhamentos são obtidos por pregos cravados em cavaletes. Estes são constituídos de duas estacas cravadas no solo e uma travessa pregada sobre elas. Devemos sempre que possível, evitar esse processo, pois não nos oferece grande segurança devido ao seu fácil deslocamento com batidas de carrinhos de mão, tropeços, etc.

13 Locação da obra Depois de distribuídos os cavaletes, previamente alinhados conforme o projeto, linhas são fixadas e esticadas nos pregos para determinar o alinhamento do alicerce, e em seguida inicia-se a abertura das valas

14 Locação da obra Processo da tábua corrida ou gabarito Este método se executa cravando-se no solo cerca de 50 cm, pontaletes a uma distância entre si de 1,50m a 2,0m e a 1,20m das paredes da futura construção, que posteriormente poderão ser utilizadas para andaimes; Nos pontaletes serão pregadas tábuas na volta toda da construção (geralmente de 15 ou 20 cm), em nível e aproximadamente 1,00m do piso. Pregos fincados nas tábuas com distâncias entre si iguais às interdistâncias entre os eixos da construção, todos identificados com letras e algarismos respectivos pintados na face vertical interna das tábuas, determinam os alinhamentos. Nos pregos são amarrados e esticados linhas ou arames, cada qual de um nome interligado ao de mesmo nome da tábua oposta. Em cada linha ou arame está materializado um eixo da construção.

15

16 Exercício: Defina, com suas palavras, o que é o canteiro de obras. Segundo a resolução do CONAMA, quais as responsabilidades do Município e do Gerador, quando tratamos de resíduos da construção civil? O que é locar uma obra? Quais os dois processos de locação mais utilizados?

TRABALHOS PRELIMINARES

TRABALHOS PRELIMINARES 200888 Técnicas das Construções I TRABALHOS PRELIMINARES Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 2 TERRAPLENAGEM Efetuado o levantamento planialtimétrico, temos

Leia mais

Gestão de Resíduos de Construção Civil. Plano de Gerenciamento de RCD. Profa. Ma. Tatiana Vilela Carvalho

Gestão de Resíduos de Construção Civil. Plano de Gerenciamento de RCD. Profa. Ma. Tatiana Vilela Carvalho Gestão de Resíduos de Construção Civil Plano de Gerenciamento de RCD Profa. Ma. Tatiana Vilela Carvalho Construção Civil do ponto de vista ambiental LELA CARVALHO Reflexão: De onde vêm os recursos naturais

Leia mais

Aula2 Tecnologia dos Processos Construtivos Residenciais

Aula2 Tecnologia dos Processos Construtivos Residenciais Aula2 Tecnologia dos Processos Construtivos Residenciais LOCAÇÃO DE OBRAS DE EDIFÍCIO NO INTRODUÇÃO Considerando-se que o movimento de terra necessário para implantação do edifício tenha sido realizado

Leia mais

Tratamento e Descarte de Resíduos de Obras

Tratamento e Descarte de Resíduos de Obras PROCEDIMENTO DO SMS Tratamento e Descarte de de Obras PR-99-992-CPG-003 Revisão: 02 Página: 1/6 1. OBJETIVO Definir padrões para o manuseio e descarte de resíduos produzidos pelas empresas contratadas

Leia mais

Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil.

Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil. Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de 2002. Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil. Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. O CONSELHO

Leia mais

Produção e caracterização de resíduos da construção civil

Produção e caracterização de resíduos da construção civil 1 Produção e caracterização de resíduos da construção civil 2 Geração de resíduos RCC Brasil 230 a 760 kg/hab.ano RCC Europa 600 a 918 kg/hab.ano Resíduos domiciliares Europa 390 kg/hab.ano 3 Geração de

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) 1 - Justificativa: Este Termo de Referência tem como finalidade orientar os Geradores para a elaboração

Leia mais

IMPACTO AMBIENTAL DOS MATERIAIS USADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL. Fundamentos de Materiais e Construções (FMC) Profª Bárbara Silvéria

IMPACTO AMBIENTAL DOS MATERIAIS USADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL. Fundamentos de Materiais e Construções (FMC) Profª Bárbara Silvéria IMPACTO AMBIENTAL DOS MATERIAIS USADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL Fundamentos de Materiais e Construções (FMC) Profª Bárbara Silvéria RESOLUÇÃO CONAMA Nº 307, de 05 de julho de 2002 Objetivo: Estabelecer diretrizes,

Leia mais

TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES AULA 06 LOCAÇÃO DA OBRA

TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES AULA 06 LOCAÇÃO DA OBRA TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES AULA 06 LOCAÇÃO DA OBRA Prof. Msc. Anderson Alencar Edificações - IFPA INTRODUÇÃO A locação da obra é o processo de transferência da planta baixa do projeto da edificação para

Leia mais

TÉCNICAS CONSTRUTIVAS

TÉCNICAS CONSTRUTIVAS TÉCNICAS CONSTRUTIVAS Módulo 2 Técnicas Construtivas Aula 3 Locação de Obras Prof. Cristóvão C. C. Cordeiro TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I Aula 8 Locação de Obras Cristóvão C. C. Cordeiro Objetivo

Leia mais

Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil.

Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. RESOLUÇÃO Nº 307, DE 5 DE JULHO DE 2002 Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. O CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA, no uso das competências

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N. 307, DE 05 DE JULHO DE 2002 Alterações: Resolução CONAMA n. 348, de 16.08.04 Resolução CONAMA n. 431, de 24.05.11 Resolução CONAMA n. 448, de 18.01.12 Resolução

Leia mais

Limpeza do terreno. Locação da obra. Locação da obra. Locação de obras. Locação de obras de edifícios

Limpeza do terreno. Locação da obra. Locação da obra. Locação de obras. Locação de obras de edifícios Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Tecnologia da Construção Civil I Locação de obras Locação de obras de edifícios Profa. Geilma Lima Vieira geilma.vieira@gmail.com

Leia mais

Fórum Pernambucano de Construção Sustentável Recife, 03 de setembro de 2014 SINDUSCON-PE. Rosário Ferreira Engenheira Civil Sócia Proprietária

Fórum Pernambucano de Construção Sustentável Recife, 03 de setembro de 2014 SINDUSCON-PE. Rosário Ferreira Engenheira Civil Sócia Proprietária Fórum Pernambucano de Construção Sustentável Recife, 03 de setembro de 2014 SINDUSCON-PE Rosário Ferreira Engenheira Civil Sócia Proprietária S Fonte: Arquivo pessoal A Empresa S É uma usina de processamento

Leia mais

TECNICAS CONSTRUTIVAS I

TECNICAS CONSTRUTIVAS I Curso Superior de Tecnologia em Construção de Edifícios TECNICAS CONSTRUTIVAS I Prof. Leandro Candido de Lemos Pinheiro leandro.pinheiro@riogrande.ifrs.edu.br O que é canteiro de obras? Área de trabalho

Leia mais

ANEXO I a que se refere o art. 1º do Decreto nº 8.016, de 23 de janeiro de 2015

ANEXO I a que se refere o art. 1º do Decreto nº 8.016, de 23 de janeiro de 2015 ANEXO I a que se refere o art. 1º do Decreto nº 8.016, de 23 de janeiro de 2015 VALORES DAS MULTAS Infração Não apresentação do Plano de Gerenciamento dos Resíduos da Construção Civil - PGRCC Destinação

Leia mais

Faculdade Sudoeste Paulista Curso de Engenharia Civil Técnicas da Construção Civil

Faculdade Sudoeste Paulista Curso de Engenharia Civil Técnicas da Construção Civil AULA 06 - LOCAÇÃO DE OBRAS Introdução: A locação da obra é o processo de transferência da planta baixa do projeto da edificação para o terreno, ou seja, os recuos, os afastamentos, os alicerces, as paredes,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) 1 Justificativa: Este Termo de Referência tem como finalidade orientar os Geradores para a elaboração

Leia mais

CANTEIRO DE OBRAS: elementos de projeto

CANTEIRO DE OBRAS: elementos de projeto outubro/2001 AULA 11 CANTEIRO DE OBRAS: elementos de projeto PCC-2302: Gestão da Produção na Construção Civil II Profs. Silvio Melhado e Mercia Barros Assistentes de Ensino: Rita Medeiros; Janayna Aquino;

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vila Velha Estado do Espírito Santo Secretaria de Desenvolvimento Sustentável

Prefeitura Municipal de Vila Velha Estado do Espírito Santo Secretaria de Desenvolvimento Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) 1 OBJETIVO Este Termo de Referência tem como finalidade orientar os geradores de resíduos sólidos provenientes

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL PROFESSORA: KAREN WROBEL STRAUB

CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL PROFESSORA: KAREN WROBEL STRAUB CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL PROFESSORA: KAREN WROBEL STRAUB INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL A Construção Civil é reconhecida como uma das mais importantes atividades para o desenvolvimento

Leia mais

Destinação adequada de resíduos da construção civil

Destinação adequada de resíduos da construção civil Destinação adequada de resíduos da construção civil Por que existem resíduos na construção civil? Porque existem perdas/desperdícios de materiais!!! As principais perdas detectadas pelas construtoras são:

Leia mais

Relatório Técnico FCTY-RTC-RSO Referência: Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos da Construção Civil. Dezembro/2013.

Relatório Técnico FCTY-RTC-RSO Referência: Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos da Construção Civil. Dezembro/2013. Relatório Técnico FCTY-RTC-RSO-003-01-13 Referência: Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos da Construção Civil. Dezembro/2013. At.: Gerência de Sustentabilidade FCTY Dezembro de 2013 1 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

Federal. RESOLUÇÃO CONAMA N de julho de Disponível na internet no site do Ministério do Meio Ambiente (www.mma.gov.br)

Federal. RESOLUÇÃO CONAMA N de julho de Disponível na internet no site do Ministério do Meio Ambiente (www.mma.gov.br) Mestrado em Engenharia Civil LEGISLAÇÕES REFERENTES AOS RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO Stela Fucale, DSc. (POLI/UPE) Federal RESOLUÇÃO CONAMA N 307 5 de julho de 2002 Disponível na internet no site

Leia mais

Importância. Um projeto de locação de precisão é essencial para a qualidade do produto final, tendo importância nas etapas de:

Importância. Um projeto de locação de precisão é essencial para a qualidade do produto final, tendo importância nas etapas de: LOCAÇÃO DE OBRAS Definição Processo de transladar (ou transferir) para o terrenos principais elementos do projeto de uma edificação. Ou seja: Recuos; Afastamentos; Alicerces; Paredes; Aberturas, etc. Definição

Leia mais

REGULAMENTA O PLANO INTEGRADO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO MUNICÍPIO DE SÃO LEOPOLDO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

REGULAMENTA O PLANO INTEGRADO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO MUNICÍPIO DE SÃO LEOPOLDO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. DECRETO Nº 6277, DE 01º DE DEZEMBRO DE 2009. REGULAMENTA O PLANO INTEGRADO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO MUNICÍPIO DE SÃO LEOPOLDO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE

Leia mais

LOGÍSTICA REVERSA E RECICLAGEM DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO. Hewerton Bartoli Presidente

LOGÍSTICA REVERSA E RECICLAGEM DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO. Hewerton Bartoli Presidente LOGÍSTICA REVERSA E RECICLAGEM DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO Hewerton Bartoli Presidente hewerton@abrecon.org.br Panorama da apresentação O que é RCC Legislação e normas evolução Cenário atual

Leia mais

Em 2010, o Brasil produziu 60,8 milhões de toneladas de lixo sólido. Destes, quase 31 milhões vieram de resíduos de novas construções e de demolições.

Em 2010, o Brasil produziu 60,8 milhões de toneladas de lixo sólido. Destes, quase 31 milhões vieram de resíduos de novas construções e de demolições. Em 2010, o Brasil produziu 60,8 milhões de toneladas de lixo sólido. Destes, quase 31 milhões vieram de resíduos de novas construções e de demolições. (Fonte: Panorama de Resíduos Sólidos no Brasil, 2011/Abrelpe-

Leia mais

LOCAÇÃO DE OBRA. Prof. Marco Pádua

LOCAÇÃO DE OBRA. Prof. Marco Pádua LOCAÇÃO DE OBRA Prof. Marco Pádua Esta fase é tão importante que requer também um projeto, definindo a posição das fundações e os eixos de paredes. As marcações devem ser feitas por duas pessoas e revisadas

Leia mais

Fórum Setorial RCD Plataforma Ituiutaba Lixo Zero. Auditório da OAB Alice Drummond

Fórum Setorial RCD Plataforma Ituiutaba Lixo Zero. Auditório da OAB Alice Drummond Fórum Setorial RCD Plataforma Ituiutaba Lixo Zero Auditório da OAB - 29.05.2014 Alice Drummond RESOLUÇÃO CONAMA Nº 307, DE 5 DE JULHO DE 2002 Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão

Leia mais

Gestão e reciclagem de resíduos de construção civil e demolição ABRECON / Hewerton Bartoli. Belo Horizonte 26 de maio de 2017

Gestão e reciclagem de resíduos de construção civil e demolição ABRECON / Hewerton Bartoli. Belo Horizonte 26 de maio de 2017 Gestão e reciclagem de resíduos de construção civil e demolição ABRECON / Hewerton Bartoli Belo Horizonte 26 de maio de 2017 MG PANORAMA DA APRESENTAÇÃO O que é RCC Legislação e normas Evolução Cenário

Leia mais

RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL. PROFESSORA: KAREN WROBEL STRAUB SCHNEIDER

RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL. PROFESSORA: KAREN WROBEL STRAUB SCHNEIDER RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL PROFESSORA: KAREN WROBEL STRAUB SCHNEIDER e-mail: karen.straub@unemat.br INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL A Construção Civil é reconhecida como uma das mais importantes atividades

Leia mais

ENG2332 CONSTRUÇÃO CIVIL I

ENG2332 CONSTRUÇÃO CIVIL I ENG2332 CONSTRUÇÃO CIVIL I Prof. Eng Civil Bruno Rocha Cardoso Aula 05 06: Movimentação de Terra, Contenções e Canteiro 24/02/2015 FATORES QUE INFLUENCIAM O PROJETO DO MOVIMENTO DE TERRA Sondagem do terreno:

Leia mais

MÓDULO 2. Prof. Dr. Valdir Schalch

MÓDULO 2. Prof. Dr. Valdir Schalch RESÍDUOS SÓLIDOSS MÓDULO 2 Prof. Dr. Valdir Schalch RESÍDUOS SÓLIDOS S - DEFINIÇÃO... aqueles nos estados sólidos e semi-sólidos, que resultam de atividades da comunidade de origem: industrial, doméstica,

Leia mais

Plano de gerenciamento de resíduos sólidos - PGRS

Plano de gerenciamento de resíduos sólidos - PGRS Plano de gerenciamento de resíduos sólidos - PGRS Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos da Construção Civil Marco mundial: Agenda 21 (ECO-92): busca do desenvolvimento sustentável e é o principal

Leia mais

Canteiro de Obras - Conceito

Canteiro de Obras - Conceito Canteiro de Obras Canteiro de Obras - Conceito Segundo a norma NR-18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção, define-se canteiro de obras como: Área de trabalho fixa e temporária

Leia mais

PGRCC PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL

PGRCC PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL PGRCC PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL EMPREENDEDOR: FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ FUESPI EMPREENDIMENTO: RECONSTRUÇÃO DA ÁREA CENTRAL DA BIBLIOTECA TERESINA - PI 1. INFORMAÇÕES

Leia mais

Sustentabilidade Construção e Resíduos Sólidos da Construção Civil

Sustentabilidade Construção e Resíduos Sólidos da Construção Civil Sustentabilidade Construção e Resíduos Sólidos da Construção Civil CIDADES E CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS Biodiversidade Efeito estufa Emissões de gás Consumo de energia Gerenciamento de Recursos Poluição

Leia mais

Balanço da Gestão de Resíduos Certificação AQUA

Balanço da Gestão de Resíduos Certificação AQUA Balanço da Gestão de Resíduos Certificação AQUA Obra ADEMI Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal. 1. APRESENTAÇÃO O presente relatório tem como objetivo apresentar a as principais

Leia mais

Separação de Resíduos

Separação de Resíduos Separação de Resíduos Tipos de Resíduos Orgânicos Rejeitos Papéis Recicláveis Plásticos Metais Isopor Plástico Existem 7 tipos de resinas plásticas: - PET: polietileno tereftalato: Frascos de refrigerantes

Leia mais

ANEXO X PROJETO SIMPLIFICADO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL - PGRCC

ANEXO X PROJETO SIMPLIFICADO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL - PGRCC ANEXO X PROJETO SIMPLIFICADO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL - PGRCC Tomando como base que o empreendedor tem a obrigação de gerenciar os resíduos gerados durante as obras de implantação

Leia mais

Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão a ambientalmente correta dos resíduos da construção civil.

Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão a ambientalmente correta dos resíduos da construção civil. LEI Nº 5.852, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2.009 Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão a ambientalmente correta dos resíduos da construção civil. O PREFEITO MUNICIPAL DE BAURU, nos termos

Leia mais

EDIFICAÇÕES. Técnicas construtivas Memória de aula 03 MARCAÇÃO DE OBRA

EDIFICAÇÕES. Técnicas construtivas Memória de aula 03 MARCAÇÃO DE OBRA 1. LOCAÇÃO DA OBRA Professora Carolina Barros EDIFICAÇÕES Técnicas construtivas Memória de aula 03 MARCAÇÃO DE OBRA A locação de uma obra consiste em marcar no solo a posição de cada um dos elementos constitutivos

Leia mais

Reciclagem Resíduos da Construção Civil

Reciclagem Resíduos da Construção Civil Reciclagem Resíduos da Construção Civil Reciclagem Resíduos da Construção Civil Objetivos Aumenta a vida útil dos aterros redução de exploração de jazidas diminuição da degradação ambiental economia de

Leia mais

Tecnologia da Construção Civil - I Locação de Obra e Serviços em Terra. Roberto Monteiro

Tecnologia da Construção Civil - I Locação de Obra e Serviços em Terra. Roberto Monteiro Tecnologia da Construção Civil - I Locação de Obra e Serviços em Terra Limpeza do terreno Dependendo do porte da obra e da declividade do terreno serão necessários a utilização de equipamentos de grande

Leia mais

RECEPÇÃO DE CALOUROS COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE

RECEPÇÃO DE CALOUROS COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE RECEPÇÃO DE CALOUROS 2017-1 COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE RECEPÇÃO DE CALOUROS 2017-1 Dr. Anderson Lopes Peçanha Professor da Universidade Federal do Espírito Santo Departamento

Leia mais

Serviços preliminares de construção. Tecnologia das Construções Profª. Bárbara Silvéria

Serviços preliminares de construção. Tecnologia das Construções Profª. Bárbara Silvéria Serviços preliminares de construção Tecnologia das Construções Profª. Bárbara Silvéria Atividades prévias que devem ser realizadas antes da construção de um edifício: Verificação da disponibilidade de

Leia mais

Rua Rui Frazao Soares, 81 - Ala Belize, Sala 204/205 - Barra da Tijuca - RJ Tel.: Pág.

Rua Rui Frazao Soares, 81 - Ala Belize, Sala 204/205 - Barra da Tijuca - RJ Tel.: Pág. Rio de Janeiro, 04 de Abril de 2016 Segunda Feira Tempo estável Continuidade no trabalho de escavação Sendo executado estruturas de canteiro tais como: banheiro, vestiário e depósito de cimento Arrumação

Leia mais

DESTINO CORRETO PARA OS RESÍDUOS DE OBRAS DA CONSTRUÇÃO CIVIL CORRECT DESTINATION FOR WASTE OF CIVIL CONSTRUCTION WORKS

DESTINO CORRETO PARA OS RESÍDUOS DE OBRAS DA CONSTRUÇÃO CIVIL CORRECT DESTINATION FOR WASTE OF CIVIL CONSTRUCTION WORKS Eixo Temático: Inovação e Sustentabilidade DESTINO CORRETO PARA OS RESÍDUOS DE OBRAS DA CONSTRUÇÃO CIVIL CORRECT DESTINATION FOR WASTE OF CIVIL CONSTRUCTION WORKS RESUMO Samara Simon Christmann e Paulo

Leia mais

GESTÃO DO REUSO E RECICLAGEM DE MATERIAIS DE OBRAS DE CONSTRUÇÃO: CONSIDERAÇÕES GERAIS.

GESTÃO DO REUSO E RECICLAGEM DE MATERIAIS DE OBRAS DE CONSTRUÇÃO: CONSIDERAÇÕES GERAIS. GESTÃO DO REUSO E RECICLAGEM DE MATERIAIS DE OBRAS DE CONSTRUÇÃO: CONSIDERAÇÕES GERAIS. Carlos A.P. Matuck [1], Fabíola A.C. Adami [2], Marcos de Camargo [3] e Maria das G.F. dos Santos [4] Dr. Fábio Giordano

Leia mais

execução Caixote de massa em madeira A madeira absorve a água da argamassa o que diminui a trabalhabilidade da argamassa.

execução Caixote de massa em madeira A madeira absorve a água da argamassa o que diminui a trabalhabilidade da argamassa. execução Caixote de massa em madeira A madeira absorve a água da argamassa o que diminui a trabalhabilidade da argamassa. Para melhorar a fluidez da argamassa o pedreiro adiciona água, o que modifica todas

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE RESÍDUOS

SISTEMA DE GESTÃO DE RESÍDUOS SISTEMA DE GESTÃO DE RESÍDUOS Saint- Gobain Canalização Itaúna Palestrantes: Adriana Oliveira Adriano Corrêa PGR - Plano de Gerenciamento de Resíduos Parte integrante essencial do sistema de gestão de

Leia mais

CAPÍTULO 5 REQUISITOS GERAIS DE DESMONTAGEM E MONTAGEM

CAPÍTULO 5 REQUISITOS GERAIS DE DESMONTAGEM E MONTAGEM CAPÍTULO 5 REQUISITOS GERAIS DE DESMONTAGEM E MONTAGEM CAPÍTULO 5 REQUISITOS GERAIS PARA DESMONTAGEM/DEMOLIÇÃO E MONTAGEM/CONSTR PÁG. 1 6 ÍNDICE 5. REQUISITOS PARA A DESMONTAGEM E MONTAGEM... 3 5.1 REQUISITOS

Leia mais

LOCAÇÃO DE OBRA Elaboração da planta de locação e a montagem do gabarito. Prof. Marco Pádua

LOCAÇÃO DE OBRA Elaboração da planta de locação e a montagem do gabarito. Prof. Marco Pádua LOCAÇÃO DE OBRA Elaboração da planta de locação e a montagem do gabarito Prof. Marco Pádua Esta fase é tão importante que requer também um projeto cujo objetivo é definir as escavações e a posição das

Leia mais

UNIVERSIDADE MOGI DAS CRUZES CAMPUS VILLA LOBOS. Construção Civil

UNIVERSIDADE MOGI DAS CRUZES CAMPUS VILLA LOBOS. Construção Civil UNIVERSIDADE MOGI DAS CRUZES CAMPUS VILLA LOBOS Construção Civil 7 semestre Prof. Me. Jorge S. Lyra 2017 Fundações Introdução Fundações NBR 6122/2010 Esta Norma fixa o procedimento, projeto e execução

Leia mais

LOCAÇÃO DE OBRAS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

LOCAÇÃO DE OBRAS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I LOCAÇÃO DE OBRAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I O QUE É? Implantação de um projeto no terreno, de modo a determinar todos os referenciais

Leia mais

PRÁTICAS DE PEQUENAS OBRAS NO MEIO RURAL

PRÁTICAS DE PEQUENAS OBRAS NO MEIO RURAL PRÁTICAS DE PEQUENAS OBRAS NO MEIO RURAL Construção & Desenvolvimento Sustentável Modelo de produção linear Recursos naturais não renováveis Entulho Ciclo fechado de produção Reciclagem Reutilização Garantia

Leia mais

Profª Drª Stela Fucale POLI/UPE

Profª Drª Stela Fucale POLI/UPE Mestrado em Engenharia Civil GESTÃO DOS RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO Profª Drª Stela Fucale POLI/UPE PROBLEMÁTICA FATORES Crescimento das populações urbanas Forte industrialização Acelerada geração

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL JÚLIO LUIS VANSETTO RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Relatório de Estágio Curricular

Leia mais

&216758d 2&,9,/ 3URID7HUH]D'HQ\VH3GH$UD~MR -DQHLUR

&216758d 2&,9,/ 3URID7HUH]D'HQ\VH3GH$UD~MR -DQHLUR 81,9(56,'$'()('(5$/'&($5È '(3$57$0(17'((1*(1+$5,$(6758785$/( &16758d &,9,/ 17$6'($8/$6 &16758d '((',)Ë&,6, /&$d '$%5$ 3URID7HUH]D'HQ\VH3GH$UD~MR -DQHLUR &RQVWUXomRGH(GLItFLRV, /RFDomRGDEUD -7 /&$d '$%5$,175'8d

Leia mais

Resíduos da Construção Civil, Volumosos e Inertes

Resíduos da Construção Civil, Volumosos e Inertes PROPOSTAS INICIAIS PARA DIRETRIZES DE LICENCIAMENTO DE ÁREAS DE MANEJO Resíduos da Construção Civil, Volumosos e Inertes INEXISTÊNCIA DE POLÍTICAS PÚBLICAS PRIORIDADE COLETA CORRETIVA Geradores Empresas

Leia mais

1 INFRA-ESTRUTURA Fundações PROFESSORA MSC DAYANA RUTH

1 INFRA-ESTRUTURA Fundações PROFESSORA MSC DAYANA RUTH 1 INFRA-ESTRUTURA Fundações PROFESSORA MSC DAYANA RUTH Fundações São elementos estruturais destinados a suportar toda a carga de pressão proveniente dos carregamentos de esforços oriundos do peso próprio

Leia mais

23º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental

23º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental III-202 - RESOLUÇÃO CONAMA N o 307/2002: ESTUDO DE CASO DA IMPLANTAÇÃO DE PROGRAMA DE SEGREGAÇÃO DOS RESÍDUOS GERADOS EM CANTEIROS DE OBRA DE PEQUENO PORTE Márcio Santos Klauczek (1) Engenheiro Civil pela

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE (PMPA) SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE (SMAM) TERMO DE REFERÊNCIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE (PMPA) SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE (SMAM) TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) 1. DADOS GERAIS 1.1. Identificação do Empreendedor - Identificação - Endereço Completo - Telefone de Contato - Correio

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 0.000, DE 00 DE JUNHO DE 2012.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 0.000, DE 00 DE JUNHO DE 2012. PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 0.000, DE 00 DE JUNHO DE 2012. Institui o Plano de Gestão de Resíduos Sólidos da Construção Civil do Município de Pelotas, estabeleceas diretrizes,

Leia mais

FATEC Tatuapé Victor Civita

FATEC Tatuapé Victor Civita FATEC Tatuapé Victor Civita www.fatectatuape.edu.br/revista Revista InSIET: Revista In Sustentabilidade, Inovação & Empreendedorismo Tecnológico, São Paulo, V2, janeiro/julho de 2015 REFERÊNCIAS SOBRE

Leia mais

ESCORAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2

ESCORAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 MÓDULO ESCORAMENTO 5 MOS ESPECIFICAÇÕES REVISÃO 2 PÁGINA 1/9 SUMÁRIO OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 0501 ESCORAMENTO DE MADEIRA... 2 0502 ESCORAMENTO METÁLICO...

Leia mais

1.1 Indústria da Construção Civil É UMA INDÚSTRIA? 1.1 Indústria da Construção Civil. 1.1 Indústria da Construção Civil

1.1 Indústria da Construção Civil É UMA INDÚSTRIA? 1.1 Indústria da Construção Civil. 1.1 Indústria da Construção Civil 1.1 Indústria da Construção Civil Disciplina: Planejamento e Controle de Obras Aula 01 Introdução ao Planejamento de Obras Professora: Engª Civil Moema Castro, MSc. É UMA INDÚSTRIA? Indústria: toda atividade

Leia mais

- TERMO DE REFERÊNCIA - PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

- TERMO DE REFERÊNCIA - PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - TERMO DE REFERÊNCIA - PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS APRESENTAÇÃO O presente Termo de Referência tem como finalidade orientar os geradores, assim definidos como pessoas físicas ou jurídicas,

Leia mais

Tecnologia das Construções IV aula 3 - Prof. Ederaldo Azevedo

Tecnologia das Construções IV aula 3 - Prof. Ederaldo Azevedo 1-Locação de Obras 1.1 Introdução: A locação da obra é o processo de transferência da planta baixa do projeto da edificação para o terreno, ou seja, os recuos, os afastamentos, os alicerces, as paredes,

Leia mais

GERAÇÃO DE RESÍDUOS. Planejamento e Gestão de Resíduos

GERAÇÃO DE RESÍDUOS. Planejamento e Gestão de Resíduos GERAÇÃO DE RESÍDUOS Planejamento e Gestão de Resíduos FONTES GERADORAS ORIGEM DE ACORDO COM A CLASSIFICAÇÃO Domiciliar Comercial Institucional Serviços Públicos (limpeza pública) Serviços de saúde Indústria

Leia mais

Rua Rui Frazao Soares, 81 - Ala Belize, Sala 204/205 - Barra da Tijuca - RJ Tel.: Pág.

Rua Rui Frazao Soares, 81 - Ala Belize, Sala 204/205 - Barra da Tijuca - RJ Tel.: Pág. Rio de Janeiro, 02 de Maio de 2016 Segunda Feira Tempo estável Rochas encontradas em buraco de sapata Buraco para sapatas escavadas Escavação entre rochas no pavimento garagem Rua Rui Frazao Soares, 81

Leia mais

Os Resíduos Sólidos da Construção Civil em Novo Hamburgo

Os Resíduos Sólidos da Construção Civil em Novo Hamburgo Os Resíduos Sólidos da Construção Civil em Novo Hamburgo Luciane Maria Diretora de Licenciamento Ambiental Secretaria Municipal de Meio Ambiente SEMAM Prefeitura Municipal de Novo Hamburgo Resolução CONAMA

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Rio de Janeiro - Campus Pinheiral Planilha Orçamentária - Projeto Padrão

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Rio de Janeiro - Campus Pinheiral Planilha Orçamentária - Projeto Padrão 1 SERVIÇOS PRELIMINARES R$ 4.380,62 1.1 74077/001 SINAPI 1.2 85423 SINAPI 1.3 90778 SINAPI LOCACAO CONVENCIONAL DE OBRA, ATRAVÉS DE GABARITO DE TABUAS CORRIDAS PONTALETADAS, SEM REAPROVEITAMENTO ISOLAMENTO

Leia mais

ETAPAS DE UMA OBRA. Professora: Mayara Custódio Fonte:

ETAPAS DE UMA OBRA. Professora: Mayara Custódio Fonte: ETAPAS DE UMA OBRA Professora: Mayara Custódio Fonte: www.obraviva.com.br Site desenvolvido por uma família de Conselheiro Lafaiete (MG), com o intuito de explicar detalhadamente as etapas da construção

Leia mais

Alvenaria de Vedação. Tecnologia das Construções Profª Bárbara Silvéria

Alvenaria de Vedação. Tecnologia das Construções Profª Bárbara Silvéria Alvenaria de Vedação Tecnologia das Construções Profª Bárbara Silvéria Considerações Gerais Alvenaria, pelo dicionário da língua portuguesa, é a arte ou ofício de pedreiro ou alvanel, ou ainda, obra composta

Leia mais

FQ-01. Fechamento para quadra de esportes. Componentes. Código de listagem. Atenção. Revisão Data Página 1/5 7 18/09/09

FQ-01. Fechamento para quadra de esportes. Componentes. Código de listagem. Atenção. Revisão Data Página 1/5 7 18/09/09 1/5 2/5 3/5 4/5 DESCRIÇÃO Constituintes Fundação em baldrame sobre brocas ou sapatas corridas, conforme as condições do terreno e de acordo com especificação de projeto. Impermeabilização rígida, tipo

Leia mais

ExEcução de Estruturas

ExEcução de Estruturas ExEcução de Estruturas ProfEssor Yuri construção civil i EngEnharia civil 2017/I Escoras de eucalipto. Fonte: http://npnegocios.com.br/ Madeirite. Fonte: http://www.grupodemaco.com. br/ Pinho do paraná.

Leia mais

POLITICA DE MEIO AMBIENTE

POLITICA DE MEIO AMBIENTE POLITICA DE MEIO AMBIENTE A política de Meio Ambiente da WH Engenharia Ltda, estabelece diretrizes para a gestão ambiental que visa transforma-la em uma empresa ambientalmente correta contribuindo para

Leia mais

Canteiro de obras: das inovações tecnológicas às relações humanas

Canteiro de obras: das inovações tecnológicas às relações humanas Canteiro de obras: das inovações tecnológicas às relações humanas Profa. Fabiana Lopes de Oliveira SUMÁRIO Normas brasileiras regulamentadora Leiaute do canteiro de obras Classificação dos tipos de canteiro

Leia mais

8º Relatório de Monitoramento Socioambiental UHE Belo Monte

8º Relatório de Monitoramento Socioambiental UHE Belo Monte (VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS) Foto 1: Construção do Presídio (Arteplan) Identificação de funcionários acoplados com seus talabartes em estrutura de madeira sem indicação

Leia mais

INSTRUMENTOS DE TOPOGRAFIA

INSTRUMENTOS DE TOPOGRAFIA FACULDADE SUDOESTE PAULISTA Curso de Engenharia Civil Topografia Aplicada INSTRUMENTOS DE TOPOGRAFIA Prof.ª AMANSLEONE DA S. TEMÓTEO 26/02/13 CONTEÚDO INSTRUMENTOS UTILIZADOS EM MEDIDAS LINEARES DIRETAS

Leia mais

LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO

LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO A NECESSIDADE DE UM LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO O LP deve ser feito a partir da entrevista com o cliente atendendo as condições solicitadas num programa de necessidades.

Leia mais

9.1 Composição de custos. 9.2 Composição de custos unitários. 9.1 Composição de custos

9.1 Composição de custos. 9.2 Composição de custos unitários. 9.1 Composição de custos 9.1 Composição de custos Disciplina: Planejamento e Controle de Obras Aula 09 Composição de custos Professora: Engª Civil Moema Castro, MSc. Dá-se o nome de composição de custos ao processo de estabelecimento

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE UMA QUADRA COBERTA.

CONSTRUÇÃO DE UMA QUADRA COBERTA. CONSTRUÇÃO DE UMA QUADRA COBERTA. MEMORIA DE CÁLCULO DOS QUANTITATIVOS SECRETARIA MUNICIPAL DE INFRAESTRUTURA E SERV. URBANOS. LOCAL: WALFREDO GURGEL - Município de Caicó/RN PROJETO NÚMERO: 0313 1 IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

6.2 ACESSOS - Condições gerais

6.2 ACESSOS - Condições gerais 6.2 ACESSOS - Condições gerais 6.2.1 Nas edificações e equipamentos urbanos todas as entradas devem ser acessíveis, bem como as rotas de interligação às principais funções do edifício. 6.2.2 Na adaptação

Leia mais

22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária

22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária GERAÇÃO E DISPOSIÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE OBRA METROVIÁRIA Katia Harue Kamimura Fabíola Pagliarani Lucas Campaner Alves Flavia Rodrigues 22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária

Leia mais

TÍTULO: METODOLOGIA PARA REUTILIZAÇÃO E DESTINAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO CANTEIRO DE OBRA

TÍTULO: METODOLOGIA PARA REUTILIZAÇÃO E DESTINAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO CANTEIRO DE OBRA 16 TÍTULO: METODOLOGIA PARA REUTILIZAÇÃO E DESTINAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO CANTEIRO DE OBRA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA

Leia mais

MANUAL DE OBRAS DE SANEAMENTO MOS 3ª EDIÇÃO

MANUAL DE OBRAS DE SANEAMENTO MOS 3ª EDIÇÃO 3ª EDIÇÃO ÍNDICE GERAL P/ 1/5 0 DISPOSIÇÕES GERAIS DEFINIÇÃO, ORÇAMENTO... 2/39 CONTRATO, SUBCONTRATAÇÃO... 6/39 PRAZO DE EXECUÇÃO, GARANTIA DE SERVIÇO... 7/39 INST. DA OBRA, PESSOAL DA CONTRATADA... 8/39

Leia mais

Prefeitura Municipal de São Miguel das Missões Construção de Lavanderia na UBS/Bairro Alegria PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

Prefeitura Municipal de São Miguel das Missões Construção de Lavanderia na UBS/Bairro Alegria PLANILHA ORÇAMENTÁRIA 3.3 73942/002 Prefeitura Municipal de São Miguel das Missões 1. SERVIÇOS PRELIMINARES R$ 355,38 1.1 73801/001 DEMOLICAO DE PISO DE ALTA RESISTENCIA M² 8,25 R$ 17,84 R$ 22,30 R$ 183,98 1.2 LOCACAO CONVENCIONAL

Leia mais

Orçamento: RESIDENCIA - ANDRE CONGONHAS

Orçamento: RESIDENCIA - ANDRE CONGONHAS Orçamento: RESIDENCIA - ANDRE CONGONHAS Orçamento parcial nº 1 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 m2 Corte de capoeira fina a foice 900,000 0,19 171,00 1.2 m2 Raspagem e limpeza manual de terreno 900,000 0,63 567,00

Leia mais

Critérios de Medição e Levantamento de Quantitativo

Critérios de Medição e Levantamento de Quantitativo Senai Dendezeiros Área de Construção Civil Critérios de Medição e Levantamento de Quantitativo Unidade Curricular: Orçamento de Obras e Controle de Custos Aula 05 Emanuele Cristian Fer Critério de medição

Leia mais

2 - TRABALHOS PRELIMINARES DE CONSTRUÇÃO

2 - TRABALHOS PRELIMINARES DE CONSTRUÇÃO 2 - TRABALHOS PRELIMINARES DE CONSTRUÇÃO APÓS ESTUDAR ESTE CAPÍTULO; VOCÊ DEVERÁ SER CAPAZ DE: Calcular os volumes de corte e aterro; Realizar as compensações de volume; Analisar e executar um canteiro

Leia mais

"Riscos de Reforma em Prédios de Alvenaria Estrutural" Brasília 26 /11/ 2013 Eng. Civil Iberê Pinheiro de Oliveira

Riscos de Reforma em Prédios de Alvenaria Estrutural Brasília 26 /11/ 2013 Eng. Civil Iberê Pinheiro de Oliveira "Riscos de Reforma em Prédios de Alvenaria Estrutural" Brasília 26 /11/ 2013 Eng. Civil Iberê Pinheiro de Oliveira O que é? Alvenaria Estrutural DEFINIÇÃO: A alvenaria estrutural é o processo de construção

Leia mais

NRs-24 e 25. Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira Curso: Tecnólogo em Gestão Ambiental

NRs-24 e 25. Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira Curso: Tecnólogo em Gestão Ambiental NRs-24 e 25 Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira Curso: Tecnólogo em Gestão Ambiental NR-24 Condições Sanitárias e de Conforto nos Locais de Trabalho NR- 24 Determina as condições de higiene e conforto

Leia mais

CONSTRUÇÃO DO FÓRUM TRABALHISTA DO CARIRI TOPOGRAFIA E MOVIMENTO DE TERRA 14/1/2014

CONSTRUÇÃO DO FÓRUM TRABALHISTA DO CARIRI TOPOGRAFIA E MOVIMENTO DE TERRA 14/1/2014 TOPOGRAFIA E MOVIMENTO DE TERRA 1 - Uso da Topografia para Locação da Obra 2 - Corte terreno natural para terraplenagem 3 - Marcação pontos topográficos terreno 4 - Retirada da camada vegetal 5 - Escavação

Leia mais

Locação de obra. Construção Civil I 2013. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Setor de Tecnologia TC Departamento de Construção Civil - DCC

Locação de obra. Construção Civil I 2013. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Setor de Tecnologia TC Departamento de Construção Civil - DCC UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Setor de Tecnologia TC Departamento de Construção Civil - DCC Locação de obra Construção Civil I 2013 Prof. Nayara S. Klein 2 Definição de transferência da planta baixa do

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. OBRA : GALPÃO DE GRÃOS LOCAL: MONTE ALEGRE RIO NOVO DO SUL ES DATA: 10 de Maio de CONSIDERAÇÕES INICIAIS:

MEMORIAL DESCRITIVO. OBRA : GALPÃO DE GRÃOS LOCAL: MONTE ALEGRE RIO NOVO DO SUL ES DATA: 10 de Maio de CONSIDERAÇÕES INICIAIS: 1 MEMORIAL DESCRITIVO OBRA : GALPÃO DE GRÃOS LOCAL: MONTE ALEGRE RIO NOVO DO SUL ES DATA: 10 de Maio de 2016 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS: Trata-se do projeto de construção do galpão de grãos, no distrito

Leia mais

16/03/2017. Cuiabá/MT Março

16/03/2017. Cuiabá/MT Março Cuiabá/MT Março - 2017 1 Projetos ART Código de Obras Normas Regulamentadoras - NR18 Matrícula Imobiliária Legalização da Obra Anotação de Responsabilidade Técnica, documento do CREA (Conselho Regional

Leia mais

PRIS - PLANO E REGISTRO DE INSPEÇÃO DE SERVIÇOS

PRIS - PLANO E REGISTRO DE INSPEÇÃO DE SERVIÇOS PS - PLANO E REGSTRO DE NSPEÇÃO DE S TENS DE VEFCAÇÃO CTÉOS DE ACETAÇÃO Execução de Radier Alvenaria Marcação Alvenaria Elevação Condição para início aterro compactado Esquadro do Eixo 0 Esquadro do Gabarito

Leia mais