NECESSIDADES EM ÁGUA DAS CULTURAS REGIÃO DO ALENTEJO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NECESSIDADES EM ÁGUA DAS CULTURAS REGIÃO DO ALENTEJO"

Transcrição

1 NECESSIDADES EM ÁGUA DAS CULTURAS REGIÃO DO ALENTEJO Campanha de Rega de 2010/11 BEJA 2012 Necessidades em água das culturas Enquadrado na actividade desenvolvida pelo serviço SAGRA - Sistema Agrometeorológico para a Gestão da Rega no Alentejo, com base nos dados meteorológicos, tem sido determinada, desde 2002, a evapotranspiração cultural () recorrendo à metodologia recomendada pela FAO. Os quadros apresentados no presente documento, referente ao ano agrícola de 2010/11, apresentam as culturas e datas de sementeira mais representativas da zona de influência de cada estação meteorológica na região do Alentejo, e mostram o balanço entre a evapotranspiração da cultura e a precipitação efectiva () ocorrida durante o ciclo cultural, possibilitando assim conhecer, de modo aproximado, as necessidades em água de rega, ou seja, a dotação total de rega para satisfazer a parte das necessidades em água das culturas não satisfeitas pela precipitação. Nos quadros não é considerada a água disponível no perfil do solo. Em valores médios, no ano agrícola 2010/11 verificouse que a evapotranspiração da cultura de referencia (ETo) acumulada durante o período foi em média para a região de 1009 mm. A precipitação ocorrida em média foi de 719 mm, resultado de uma primavera chuvosa, o que nos quadros seguintes mostrou uma menor necessidade em água das culturas. Informação agrometeorológica actualizada diariamente, poderá ser consultada através do sitio Web do COTR, em 2

2 Morango* - Evapotranspiração da cultura; - Precipitação Efectiva, considerada 80% da precipitação ocorrida durante o ciclo; - Necessidades em água de rega (mm ou l/m2) desprezando a água armazenada no perfil de solo. A determinação das necessidades em água do olival foram adaptadas às condições da região, considerando que: Olival Intensivo com compasso de 7 x 6 m, diâmetro médio de copa de 4 m, corresponde a uma fracção de cobertura do solo de 30% (aprox.); Olival novo com compasso de 7 x 6 m, diâmetro médio de copa de 1,5 m, corresponde a uma fracção de cobertura do solo de 5% (aprox.). Olival superintensivo com compasso 4 x 1,35 m, diâmetro médio da copa na entrelinha de 2 m, corresponde a uma fracção de cobertura de 50% (aprox.). Olival tradicional com compasso de 10 x 10 m, diâmetro médio de copa de 5 m, corresponde a uma fracção de cobertura do solo de 20% (aprox.) ,7 557, ,8 584,6-240 dias ,0 581, ,5 538,7 026 Citrinos 20 % 504,5 - Citrinos 50 % dias 668,0 578,0 090 Citrinos 70% 722,5 144 Batata Doce Batata Branca Milho Forragem ODEMIRA ,7 182, ,6 180, dias 556,0 181, ,9 080, ,3 061, ,9 155, dias ,5 060, ,4 154, dias ,0 054, ,5 063, dias ,1 028,9 274 * Na produção em túnel deve-se considerar uma redução da em 15% e as a aplicar serão iguais a esse valor. Ervilha BEJA ,6 395, ,9 347, ,3 379, ,1 347, ,8 403, ,3 373, ,7 361, ,6 364, ,7 339, ,3 305, ,1 279, ,3 254, ,0 311, dias 473,2 279, ,7 254,5 292 Citrinos 20 % 591,5 120 Citrinos 50 % dias 784,1 471,7 312 Citrinos 70% 848,3 377 Olival Intensivo 357,1 - Olival Novo 053, dias 411,0 Olival Superintensivo 535,7 125 Olival Tradicional 184,5 - Vinha de Vinho* dias 234,6 219,7 015 Nogueira ,8 219, dias 1093,1 270, ,3 345, ,2 172, ,4 170, dias 747,5 217, ,7 142, ,6 136, ,1 165, dias 583,8 170, ,0 095, ,8 170, ,2 154, ,2 170, dias 699,7 136, ,8 111,

3 FERREIRA DO ALENTEJO ,2 429, ,1 389, ,3 468, ,0 389, ,3 468, ,7 441, ,3 458, ,9 403, ,2 346, ,4 331,6 073 Olival Intensivo 332,6 - Olival Novo 49, dias 363,9 Olival Superintensivo 498,9 135 Olival Tradicional 171,9 - Vinha para Vinho* dias 219,3 191,8 027 reira dias 839,4 191,8 648 Nogueira ,4 191, dias 1009,6 238, ,0 292, ,8 185, ,5 181, dias 689,0 186, ,3 094, ,9 075, ,6 181, dias 549,3 180, ,9 092, ,5 181, ,5 048, ,1 180, dias 590,5 088, ,5 075, ,3 180, dias 641,3 075, ,4 020, ALJUSTREL ,6 394, ,1 368, ,1 387, ,5 368, ,8 419, ,2 384, ,6 461, ,6 355, ,7 240, ,5 349, ,2 315,2 141 Citrinos 20 % 557,3 054 Citrinos 50 % dias 738,8 503,4 235 Citrinos 70% 799,4 296 Olival Intensivo 335,8 - Olival Novo 050, dias 412,3 Olival Superintensivo 503,6 091 Olival Tradicional 173,5 - Vinha para vinho* dias 221,4 218, ,6 198, ,7 208, dias ,5 142, ,2 130, ,7 197, dias 556,6 197, ,4 134, ,4 197, dias ,9 180, ,7 197, dias 604,8 131, ,7 130,0 463

4 ALVALADE DO SADO ,1 432, ,3 385, ,3 404, ,1 385, ,9 430, ,1 398, ,6 410, ,0 358, ,3 370, ,1 326, ,5 288, ,0 253,4 218 Citrinos 20 % 582,7 160 Citrinos 50 % dias 772,3 422,3 350 Citrinos 70% 835,5 413 Olival Intensivo 351,7 031 Olival Novo dias 052,7 320,6 - Olival Superintensivo 527,5 207 Pimento ,9 147, ,2 143, dias 716,6 153, ,6 288, ,6 080, ,2 140, dias 565,0 142, ,2 079, ,1 143, ,3 126, ,5 142, dias 612,8 079, ,4 080, ,8 142, dias 571,9 079, ,9 080, ,5 454, ,8 455, ,3 481, ,3 455, ,1 523, ,2 455, ,9 478, ,1 432, ,2 409, ,3 415, ,7 373, ,5 313,8 144 Olival Intensivo 341,4 - Olival Novo 051, dias 381,4 Olival Superintensivo 512,0 131 Olival Tradicional 176,4 - Vinha para Vinho* dias 224,2 215,4 009 ÉVORA ,5 188, ,9 177, dias 717,3 204, ,4 122, ,5 120, ,6 177, dias 619,5 095, ,1 120,

5 ,7 362, ,3 312, ,6 322, ,7 312, ,4 341, ,7 318, ,4 315, ,1 299, ,1 292, ,8 283, ,8 241, ,5 209,3 224 Olival Intensivo 325,5 040 Olival Novo 048, dias 285,8 Olival Superintensivo 486,8 201 Olival Tradicional 217,0 - MOURA ,3 121, ,6 116, dias 703,8 144, ,0 92, ,2 85, ,5 105, dias 552,5 114, ,1 74, ,3 114, ,9 96,2 493 Luzerna* dias* 744,0 144,2 600 * durante o ciclo da luzerna consideram-se 3 cortes Fava Cebola ,3 387, ,9 349, ,0 375, ,2 144, ,4 233, ,8 393, ,9 381, ,2 353, ,4 361, ,9 342, ,4 279, ,0 386, dias 591,7 353, ,9 279, ,0 098, ,9 070,7 081 Olival Intensivo 337,3 - Olival Novo 050, dias 355,8 Olival Superintensivo 505,9 150 Olival Tradicional 174,2 - Vinha para Vinho* dias 227,3 167,8 059 SERPA ,8 155, ,0 147, dias 724,9 159, ,1 074, ,0 057, ,9 135, dias 555,6 147, ,9 064, ,7 147, ,4 111,0 487

6 REDONDO ,6 371, ,3 344, ,0 383, ,4 344, ,2 406, ,3 375, ,0 357, ,6 301, ,9 331, ,8 274, ,5 258, ,6 221,3 055 Olival Intensivo 384,4 062 Olival Novo 57, dias 322,8 Olival Superintensivo 576,6 254 Olival Tradicional 198,6 - Vinha para Vinho* dias 249,9 144, ,5 130, ,0 127, dias 802,5 141, ,5 068, ,2 065, ,4 120, dias 619,8 127, ,2 054, ,7 127, ,7 068, ,0 127, dias 752,3 065, ,3 024, ,4 127, dias 689,6 054, ,8 065, ,2 420, ,2 368, ,6 416, ,9 368, ,1 434, ,4 407, ,5 405, ,9 401, ,1 363, ,4 344, ,4 361, ,0 290,9 170 Olival Intensivo ,5-270 dias 414,9 Olival Novo ,9 - Milho Forragem VIA ALENTEJO ,0 203, ,4 202, dias 730,6 244, ,1 164, ,2 153, ,7 177, dias 695,3 162, ,6 153, ,7 173, dias ,1 111,2 352

7 VIDIGUEIRA ,0 351, ,1 320, ,0 361, ,2 320, ,8 383, ,8 352, ,9 331, ,0 289, ,7 313, ,3 278, ,0 234, ,3 212,2 053 Citrinos 20 % 577,2 179 Citrinos 50 % dias 765,4 397,7 368 Citrinos 70% 828,1 430 Olival Intensivo 347,8 338, dias Olival Novo 052,2 338,2 - Vinha para Vinho* dias 233,1 338, ,8 120, ,7 116, dias 745,0 160, ,3 087, ,5 083,8 589 Milho Forragem ,9 361, ,7 332, ,9 359, ,8 335, ,1 332, ,9 359, ,4 335, ,9 341, ,6 288, ,1 292, ,2 266, ,9 224, ,9 146, ,3 145, dias 764,2 169, ,6 118, ,4 118, ,5 115, dias ,1 090, ,2 142, dias 656,7 094, ,4 118, ,8 142, ,5 131,0 506 Olival Intensivo 350,4 011 Olival Novo 052, dias 339,3 Olival Superintensivo 525,6 186 Olival Tradicional 181,0 - ELVAS ,9 142, dias 728,2 118, ,1 118,

8 Olival Intensivo 314, dias 384,2 Olival Novo 047,1 - Vinha para Vinho* dias 209,5 220,6 - Nogueiras ESTREMOZ ,1 220, dias 957,4 245, ,8 318, ,6 193, ,5 183, dias 666,6 210, ,5 094, ,9 091,0 517 CONTACTOS: Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio Quinta da Saúde Apartado BEJA Tel..: Fax: CASTRO VERDE ,3 304, ,9 271, ,0 319, ,9 271, ,6 322, ,4 320, ,8 341, ,7 303, ,7 306, ,5 292, ,8 261, ,7 240,6 204 Olival Intensivo ,8-270 dias 355,4 Olival Novo , ,1 139, dias 709,6 109, ,1 070,

Climatologia Agrícola Relatório Anual Ano de 2008

Climatologia Agrícola Relatório Anual Ano de 2008 Climatologia Agrícola Relatório Anual Ano de 28 No âmbito da actividade do Sistema Agrometeorológico para a Gestão da Rega no (SAGRA) e no seguimento de anos anteriores, apresenta-se no presente relatório,

Leia mais

Climatologia Agrícola Ano de 2007

Climatologia Agrícola Ano de 2007 Climatologia Agrícola Ano de 27 Relatório Anual No âmbito da actividade do Sistema Agrometeorológico para a Gestão da Rega no (SAGRA) e no seguimento de anos anteriores, apresenta-se no presente relatório,

Leia mais

Gestão Integrada da Rega

Gestão Integrada da Rega Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio Gestão Integrada da Rega Gonçalo Rodrigues SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO EM AGRICULTURA DE REGADIO JORNADAS TÉCNICAS 6 DE DEZEMBRO AUDITÓRIO DA EDIA Gestão Integrada

Leia mais

REMDA Rede para a Monitorização e Divulgação das Melhores Práticas Agro-Ambientais para o Olival

REMDA Rede para a Monitorização e Divulgação das Melhores Práticas Agro-Ambientais para o Olival REMDA Rede para a Monitorização e Divulgação das Melhores Práticas Agro-Ambientais para o Olival Workshop Boas práticas agroambientais na fileira do azeite Uso eficiente da água de rega no olival Rede

Leia mais

informa Ano I - Nº 2 - Trimestral Junho 2003 Jornadas Tecnicas

informa Ano I - Nº 2 - Trimestral Junho 2003 Jornadas Tecnicas Boletim informativo do Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio COTR informa Ano I - Nº 2 - Trimestral Junho 2003 Nesta Edição Jornadas Técnicas COTR na Ovibeja Visitas ao COTR Área da Informação Área

Leia mais

Relatório Agrometeorológico

Relatório Agrometeorológico 2 Relatório Agrometeorológico Associação de Regantes e Beneficiários do Vale do Sorraia Rua de Outubro - Apartado 1 211-91 Coruche Tel: (+31)243613 Telem: (+31)962131 email: arbvs@arbvs.pt url: www.arbvs.pt

Leia mais

Quantidade e Qualidade da Água em Alqueva

Quantidade e Qualidade da Água em Alqueva Quantidade e Qualidade da Água em Alqueva Quantidade Qualidade Gestão da Água Alentejo Temperatura e Precipitação mm 120 30 ⁰ C 100 25 80 20 60 15 40 10 20 5 0 Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out

Leia mais

CARTA AGRÍCOLA DO ANO DE 2007/200 /2008 OBRA DE REGA DA CAMPINA DE IDANHA. Albufeira Marechal Carmona ELEMENTOS ESTATÍSTICOS REFERENTES A 2008

CARTA AGRÍCOLA DO ANO DE 2007/200 /2008 OBRA DE REGA DA CAMPINA DE IDANHA. Albufeira Marechal Carmona ELEMENTOS ESTATÍSTICOS REFERENTES A 2008 OBRA DE REGA DA CAMPINA DE IDANHA Albufeira Marechal Carmona CARTA AGRÍCOLA DO ANO DE 2007/200 /2008 ELEMENTOS ESTATÍSTICOS REFERENTES A 2008 1 - RESUMO TOTAL DE ÁREA BENEFICIADA (a) ÁREA DE REGA NO PERÍMETRO

Leia mais

Comentários ao Documento de Regulamento de Autenticação, funcionamento e supervisão das entidades reconhecedoras de regantes

Comentários ao Documento de Regulamento de Autenticação, funcionamento e supervisão das entidades reconhecedoras de regantes 27 Abril 2015 Comentários ao Documento de Regulamento de Autenticação, funcionamento e supervisão das entidades reconhecedoras de regantes 1 O artº 1º não existe nº 1 nem nº 2 do artº 2º da Portaria, pelo

Leia mais

Relatório Agrometeorológico

Relatório Agrometeorológico 216 Relatório Agrometeorológico Associação de Regantes e Beneficiários do Vale do Sorraia Rua de Outubro - Apartado 1 211-91 Coruche Tel: (+31)243613 Telem: (+31)962131 Relatório Agrometeorológico - Ano

Leia mais

informa Ano I - Nº 3 - Trimestral Outubro 2003

informa Ano I - Nº 3 - Trimestral Outubro 2003 Boletim informativo do Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio COTR informa Ano I - Nº 3 - Trimestral Outubro 2003 Nesta Edição Nota Editorial Área da Experimentação Área Laboratorial SAGRA Área da

Leia mais

CONSELHO DIRETIVO. Seca Linha de Crédito de Apoio à Alimentação Animal e Setor Agrícola Continente

CONSELHO DIRETIVO. Seca Linha de Crédito de Apoio à Alimentação Animal e Setor Agrícola Continente CONSELHO DIRETIVO C ARTA-CIRCULAR CLASSIFICAÇÃO- DATA DE EMISSÃO: 02-10-2012 ENTRADA EM VIGOR: 03-10-2012 Âmbito: Continente O Decreto-Lei n.º 101/2012, de 11 de Maio, criou uma linha de crédito com juros

Leia mais

O SISTEMA AGROMETEOROLÓGICO PARA A GESTÃO DA REGA NO ALENTEJO SAGRA COMO FERRAMENTA DE APOIO AO REGANTE DO ALENTEJO

O SISTEMA AGROMETEOROLÓGICO PARA A GESTÃO DA REGA NO ALENTEJO SAGRA COMO FERRAMENTA DE APOIO AO REGANTE DO ALENTEJO O SISTEMA AGROMETEOROLÓGICO PARA A GESTÃO DA REGA NO ALENTEJO SAGRA COMO FERRAMENTA DE APOIO AO REGANTE DO ALENTEJO Isaurindo Oliveira & Jorge Maia Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio Quinta da

Leia mais

Boletim Climatológico Sazonal Verão 2009

Boletim Climatológico Sazonal Verão 2009 Boletim Climatológico Sazonal Verão 2009 CONTEÚDOS IM 02 Resumo Sazonal 04 Caracterização Climática Sazonal 04 Temperatura do Ar 07 Precipitação 09 Fenómenos Relevantes Figura 1 RESUMO SAZONAL Boletim

Leia mais

Boletim Meteorológico para a Agricultura

Boletim Meteorológico para a Agricultura ISSN 2182-0597 Publicação Mensal DIRECTOR: Dr. Adérito Vicente Serrão Boletim Meteorológico para a Agricultura Nº1, Janeiro 2011 CONTEÚDOS IM,I.P. 01 Resumo 02 Descrição Meteorológica 02 Descrição Agrometeorológica

Leia mais

Tempo muito quente em Portugal continental Junho 2017

Tempo muito quente em Portugal continental Junho 2017 Tempo muito quente em Portugal continental Junho 2017 Os primeiros 20 dias do mês de junho têm sido caracterizados por valores altos da temperatura máxima, muito superiores aos valores normais para este

Leia mais

O Meio Ambiente e a Produção Agrícola

O Meio Ambiente e a Produção Agrícola 1 O Meio Ambiente e a Produção Agrícola Disciplina de Produção Agrícola Licenciatura em Engenharia Alimentar Escola Superior de Biotecnologia Universidade Católica Portuguesa Domingos Almeida Condicionantes

Leia mais

A higiene é um dos fatores mais importantes para o asseio, conforto e qualidade de vida do idoso!

A higiene é um dos fatores mais importantes para o asseio, conforto e qualidade de vida do idoso! A higiene é um dos fatores mais importantes para o asseio, conforto e qualidade de vida do idoso! Porquê esta Campanha? Não existe nenhum tipo de apoio a este nível Os produtos têm um preço elevado Existe

Leia mais

MONITORIZAMOS CONTRIBUÍMOS O TEMPO O CLIMA A ACTIVIDADE SÍSMICA. PARA UM MUNDO MAIS SEGURO e UM DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. à frente do nosso tempo

MONITORIZAMOS CONTRIBUÍMOS O TEMPO O CLIMA A ACTIVIDADE SÍSMICA. PARA UM MUNDO MAIS SEGURO e UM DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. à frente do nosso tempo MONITORIZAMOS O TEMPO O CLIMA A ACTIVIDADE SÍSMICA CONTRIBUÍMOS PARA UM MUNDO MAIS SEGURO e UM DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 29 de PARA Mai de 2009 UM I CONGRESSO MUNDO INTERNACIONAL MAIS DE RISCOS, SEGURO

Leia mais

Olival é carbono verde?

Olival é carbono verde? Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais Mediterrânicas Grupo de Ecossistemas e Paisagens Mediterrânicas Olival é carbono verde? Margarida Vaz O Sequestro de CARBONO A problemática do Carbono na atmosfera

Leia mais

Rede Temática FITORREGA

Rede Temática FITORREGA Rede Temática FITORREGA (Projeto 14 356) Ação 4.2.2 - Redes Temáticas de Informação e Divulgação ão- Medida 4.2 - Formação e informação especializada do PRODER Miriam Cavaco & Felisbela Mendes Patacão,

Leia mais

Estradas da Rede Rodoviária Nacional no Concelho de Aljustrel

Estradas da Rede Rodoviária Nacional no Concelho de Aljustrel no Concelho de Aljustrel A2 140,148 L.C. Aljustrel / L.C. Ferreira do Alentejo 161,501 L.C. Aljustrel/ L.C. Ourique EN18 377,797 L.C. Aljustrel / L.C. Beja 380,562 Ent. EN18/EN2 (Ervidel) EN2 606,241 Ent.

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Agosto 2008

Boletim Climatológico Mensal Agosto 2008 Boletim Climatológico Mensal Agosto 2008 CONTEÚDOS IM 01 Resumo Mensal 04 Resumo das Condições Meteorológicas 05 Caracterização Climática Mensal 05 Temperatura do Ar 07 Precipitação Total 09 Outros elementos

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO 2007 - COTR - CRIAR CONHECIMENTOS E CAPACIDADES

PLANO DE FORMAÇÃO 2007 - COTR - CRIAR CONHECIMENTOS E CAPACIDADES PLANO DE FORMAÇÃO 2007 - COTR - CRIAR CONHECIMENTOS E CAPACIDADES O que é COTR? O Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio COTR - é uma Associação de direito privado sem fins lucrativos, criada no dia

Leia mais

Evapotranspiração cultural. Coeficiente cultural

Evapotranspiração cultural. Coeficiente cultural Evapotranspiração cultural Coeficiente cultural Metodologia da FAO para a determinação dos consumos hídricos das culturas A resistência aerodinâmica varia com as condições climáticas e a rugosidade da

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura BOLETIM METEOROLÓGICO PARA A AGRICULTURA Boletim meteorológico para a agricultura Nº 64, abril 2016 CONTEÚDOS IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica

Leia mais

Produções a Realizar no Regadio de Alqueva

Produções a Realizar no Regadio de Alqueva Potencialidades Agrícolas do Alqueva Produções a Realizar no Regadio de Alqueva Margarida Teixeira Margarida Teixiera Coordenadora do Grupo Projecto Alqueva Agrícola 1 INTRODUÇÃO O GPAa desenvolve os seus

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DOS SENSORES DE HUMIDADE DO SOLO DE REGISTO CONTÍNUO NA GESTÃO DA REGA E NA DEFINIÇÃO DOS LIMITES DE DÉFICE DE GESTÃO PERMISSÍVEL

A UTILIZAÇÃO DOS SENSORES DE HUMIDADE DO SOLO DE REGISTO CONTÍNUO NA GESTÃO DA REGA E NA DEFINIÇÃO DOS LIMITES DE DÉFICE DE GESTÃO PERMISSÍVEL A UTILIZAÇÃO DOS SENSORES DE HUMIDADE DO SOLO DE REGISTO CONTÍNUO NA GESTÃO DA REGA E NA DEFINIÇÃO DOS LIMITES DE DÉFICE DE GESTÃO PERMISSÍVEL Boteta, L. 1 ;Guerreiro, C. 1 ; Catronga, H. 1 ; Brissos,

Leia mais

Boletim Agrometeorológico

Boletim Agrometeorológico 1 Boletim Agrometeorológico Início da 1 a safra 2016/2017 em Mato Grosso Cornélio Alberto Zolin, Embrapa Agrossilvipastoril, cornelio.zolin@embrapa.br Jorge Lulu, Embrapa Agrossilvipastoril, jorge.lulu@embrapa.br

Leia mais

BIODIVERSIDADE EM EXPLORAÇÕES AGRÍCOLAS

BIODIVERSIDADE EM EXPLORAÇÕES AGRÍCOLAS BIODIVERSIDADE EM EXPLORAÇÕES AGRÍCOLAS PROJETO-PILOTO PARA AVALIAÇÃO DA ADEQUABILIDADE E IMPACTO DA IMPLEMENTAÇÃO DE MEDIDAS DE INCREMENTO DA BIODIVERSIDADE EM EXPLORAÇÕES AGRÍCOLAS DO CONTINENTE A agricultura

Leia mais

NOVOS CAMINHOS PARA A ÁGUA

NOVOS CAMINHOS PARA A ÁGUA Uso Eficiente da Água no Regadio O Caso do EFMA José Pedro Salema 6 de março de 2015 REDE PRIMÁRIA» TERCIÁRIA PLANEAMENTO» EXPLORAÇÃO Rio Guadiana Alqueva 2800 hm 3 /ano Blocos de Rega 63 500 ha 11 Perímetros

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura Boletim meteorológico para a agricultura Nº 52, abril 2015 CONTEÚDOS IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 12 Previsão 12 Situação agrícola

Leia mais

AGRUPAMENTOS/ESCOLAS Votantes Sim % Não % Brancos % Nulos % NÃO AGRUPADAS

AGRUPAMENTOS/ESCOLAS Votantes Sim % Não % Brancos % Nulos % NÃO AGRUPADAS DISTRIO DE FARO Agrupamento de Escolas Albufeira Poente Albufeira 102 1 1% 99 97% 2 2% 0 0% Agrupamento de Escolas Ferreiras Albufeira 126 5 4% 121 96% 0 0% 0 0% Agrupamento de Escolas Albufeira Albufeira

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº 66, junho 2016 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 10 Previsão 11 Situação agrícola

Leia mais

HERDADE DA TORRE DAS FIGUEIRAS E ANEXAS

HERDADE DA TORRE DAS FIGUEIRAS E ANEXAS HERDADE DA TORRE DAS FIGUEIRAS E ANEXAS CASE STUDY DE ADAPTAÇÃO DUMA EXPLORAÇÃO AOS CONDICIONALISMOS AGROCLIMÁTICOS AO NÍVEL DO SOLO + ÁGUA + CULTURAS UMA ESTRATÉGIA MULTIGERACIONAL DE ADAPTAÇÃO ÀS IMPONDERÁVEIS

Leia mais

Uso sustentável da água de rega no olival. Anabela A. Fernandes-Silva

Uso sustentável da água de rega no olival. Anabela A. Fernandes-Silva Uso sustentável da água de rega no olival Anabela A. Fernandes-Silva anaaf@utad.pt 259 350387 1 Anabela Silva, DAgro-UTAD Anabela Silva Na altura da planificação de um olival em regadio, como no momento

Leia mais

Figura 1 Distribuição espacial do índice de seca meteorológica em 31 de outubro e em 30 de novembro de 2012.

Figura 1 Distribuição espacial do índice de seca meteorológica em 31 de outubro e em 30 de novembro de 2012. Situação de Seca Meteorológica em de embro Contributo do para o Acompanhamento e Avaliação dos Efeitos da Seca 1. Situação Atual de Seca Meteorológica No final de embro a situação de seca meteorológica

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura ISSN 2182-0597 Publicação Mensal DIRETOR: Jorge Miguel Miranda Boletim meteorológico para a agricultura Nº38, fevereiro 2014 CONTEÚDOS IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Descrição Meteorológica 03 Descrição Agrometeorológica

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº 61, janeiro 2016 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 12 Previsão 13 Situação agrícola

Leia mais

GESTÃO INTEGRADA DA REGA

GESTÃO INTEGRADA DA REGA GESTÃO INTEGRADA DA REGA TECNOLOGIA E SERVIÇOS PARA AGRICULTURA www.terra-pro.net terrapro@terra-pro.net DEZEMBRO 2016 João Noéme A TERRAPRO surge em 2014, pela vontade de reunir a tecnologia adquirida

Leia mais

APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DOS PROJECTOS AGRO / PEDIZA ( ) CULTURAS DE REGADIO

APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DOS PROJECTOS AGRO / PEDIZA ( ) CULTURAS DE REGADIO APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DOS PROJECTOS AGRO / PEDIZA (2001-2004) CULTURAS DE REGADIO Beja 4 de Novembro de 2004 OBJECTIVOS Uma das funções do COTR, tal como consta dos objectivos dos projectos, consiste

Leia mais

ESTADO DE FERTILIDADE DOS SOLOS E DE NUTRIÇÃO DE OLIVAIS DA BEIRA INTERIOR E DO ALENTEJO

ESTADO DE FERTILIDADE DOS SOLOS E DE NUTRIÇÃO DE OLIVAIS DA BEIRA INTERIOR E DO ALENTEJO ESTADO DE FERTILIDADE DOS SOLOS E DE NUTRIÇÃO DE OLIVAIS DA BEIRA INTERIOR E DO ALENTEJO PRODER - Projeto nº 23151525 Mª Encarnação Marcelo & Pedro Jordão encarnacao.marcelo@iniav.pt UEIS - Sistemas Agrários

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura BOLETIM METEOROLÓGICO PARA A AGRICULTURA Boletim meteorológico para a agricultura Nº 53, maio 2015 CONTEÚDOS IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal ISSN 2183-1076 Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental DEZEMBRO de 2014 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Tabela Resumo mensal 1 2 3 5 7 8 Figura 1 Variabilidade

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura ISSN 2182-0597 Publicação Mensal DIRETOR: Jorge Miguel Miranda Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº27, março 2013 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Descrição Meteorológica 03 Descrição Agrometeorológica

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº 58, outubro 2015 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 08 Previsão 09 Situação agrícola

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº 67, julho 2016 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 10 Previsão 11 Situação agrícola

Leia mais

A rede de estações meteorológicas automáticas

A rede de estações meteorológicas automáticas A rede de estações meteorológicas automáticas Paulo Oliveira Engº Mecânico (ramo Termodinâmica) As redes agrometerológicas no mundo e em Portugal Organização Meteorológica Mundial (OMM) - agência especializada

Leia mais

Tempo extremamente quente - 5 e 6 de setembro de de setembro dia mais quente do ano

Tempo extremamente quente - 5 e 6 de setembro de de setembro dia mais quente do ano Tempo extremamente quente - 5 e 6 de setembro de 2016 6 de setembro dia mais quente do ano A localização de um anticiclone sobre a Península Ibérica e Norte de África, estendendo-se na vertical aos vários

Leia mais

Resumo Climatológico Julho de 2017

Resumo Climatológico Julho de 2017 Resumo Climatológico Julho de 2017 O mês de julho de 2017 em Portugal Continental foi seco e quente. O valor médio da temperatura média do ar foi 0.56 C superior ao valor normal (Figura 1). Valores de

Leia mais

O ano 2015 em Portugal Continental, foi extremamente seco e muito quente (Figura 1). Figura 1 - Temperatura e precipitação anual (período )

O ano 2015 em Portugal Continental, foi extremamente seco e muito quente (Figura 1). Figura 1 - Temperatura e precipitação anual (período ) Resumo Boletim Climatológico Anual 2015 Portugal Continental O ano 2015 em Portugal Continental, foi extremamente seco e muito quente (Figura 1). O valor médio anual da temperatura média do ar no ano de

Leia mais

MANEJO DA IRRIGAÇÃO MANEJO DA

MANEJO DA IRRIGAÇÃO MANEJO DA MANEJO DA IRRIGAÇÃO Prof o Dr. Marcos Vinícius Folegatti LER 1571 Irrigação EVAPOTRANSPIRAÇÃO E O MANEJO DA IRRIGAÇÃO ETP, ETo & ETR Penman Monteith (FAO56) Tanque Classe A Thornthwaite Camargo Hangreves

Leia mais

RELAÇÃO HÍDRICA PARA CULTURAS AGRÍCOLAS EM REGIÕES DE ALAGOAS

RELAÇÃO HÍDRICA PARA CULTURAS AGRÍCOLAS EM REGIÕES DE ALAGOAS RELAÇÃO HÍDRICA PARA CULTURAS AGRÍCOLAS EM REGIÕES DE ALAGOAS Franklin Alves dos Anjos 2, José Leonaldo de Souza 1, Joaquim Louro da Silva Neto 1, Gilson Moura Filho 2 1 Departamento de Meteorologia/CCEN/UFAL

Leia mais

21 de Outubro de

21 de Outubro de 21 de Outubro de 2008 1 Conceito e Finalidade Sistema de articulação de diferentes parceiros públicos e privados que tem por objectivos: Criar um ambiente institucional favorável à expansão de um voluntariado

Leia mais

Amendoeira nas regiões de clima mediterrânico

Amendoeira nas regiões de clima mediterrânico Estratégias de rega deficitária em amendoeira António Castro Ribeiro antrib@ipb.pt Departamento de Produção e Tecnologia e Vegetal Amendoeira nas regiões de clima mediterrânico Exposta a condições desfavoráveis

Leia mais

C ARTA C IRCULAR N.º 01/2004

C ARTA C IRCULAR N.º 01/2004 CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO C ARTA C IRCULAR N.º /2004 DATA DE EMISSÃO: 30-11-2004 : 30-11-2004 Assunto: Âmbito: Linha de Crédito de Curto Prazo - Agricultura, Silvicultura e Pecuária Continente Os agricultores

Leia mais

COTR. informa REGA E DRENAGEM CONCLUSÕES DO I CONGRESSO NACIONAL DE. Boletim informativo do Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio

COTR. informa REGA E DRENAGEM CONCLUSÕES DO I CONGRESSO NACIONAL DE. Boletim informativo do Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio Boletim informativo do Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio COTR informa Ano IV - Nº 8 Janeiro 2006 CONCLUSÕES DO I CONGRESSO NACIONAL DE REGA E DRENAGEM CONCLUSÕES DO I CONGRESSO NACIONAL DE REGA

Leia mais

Situação de Seca Meteorológica 30 Novembro 2015

Situação de Seca Meteorológica 30 Novembro 2015 Situação de Seca Meteorológica 30 Novembro 2015 1. PRECIPITAÇÃO DE NOVEMBRO 2015 O valor médio da quantidade de precipitação em novembro foi de 53.6 mm, valor inferior ao valor normal o que permite classificar

Leia mais

Desafios e Boas Práticas da Atividade Agrícola

Desafios e Boas Práticas da Atividade Agrícola Ria Formosa A Integridade do sistema lagunar e as atividades económicas 6 de março de 2015 João Caço Desafios e Boas da Atividade Agrícola Organização Organização Eixo Tecnológico Eixo Agrícola Grupo 2

Leia mais

Boletim Agrometeorológico

Boletim Agrometeorológico 2 oletim grometeorológico Embrapa grossilvipastoril, Sinop, MT Março, 2017 companhamento da 1 a safra 2016/2017 em Mato Grosso Cornélio lberto Zolin, Embrapa grossilvipastoril, cornelio.zolin@embrapa.br

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Boletim meteorológico para a agricultura Nº 55, julho 2015 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 11 Previsão 11 Situação agrícola

Leia mais

CVRA - COMISSÃO VITIVINÍCOLA REGIONAL ALENTEJANA

CVRA - COMISSÃO VITIVINÍCOLA REGIONAL ALENTEJANA CVRA - COMISSÃO VITIVINÍCOLA REGIONAL ALENTEJANA Horta das Figueiras - Rua A, Nº 14 Apartado 498 7002-506 ÉVORA Telefs. (066) 29422-771053-771054. Fax (066) 700591 e-mail: cvralentejo@mail.telepac.pt A

Leia mais

Balanço Fitossanitário Alentejo 2016

Balanço Fitossanitário Alentejo 2016 Balanço Fitossanitário Alentejo 2016 Do ano vitícola de 2015/2016 destacam-se as condições meteorológicas verificando-se este verão o mais quente desde que existem registos (135 anos). As temperaturas

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº 70, outubro 2016 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 08 Previsão 09 Situação agrícola

Leia mais

Anuário Agrícola de Alqueva 2016

Anuário Agrícola de Alqueva 2016 Anuário Agrícola de Alqueva 2016 Direção de Economia da Água e Promoção do Regadio Departamento de Planeamento e Economia da Água Beja, fevereiro de 2017 Avisos legais Declaração de exoneração de responsabilidade

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura BOLETIM METEOROLÓGICO PARA A AGRICULTURA Boletim meteorológico para a agricultura Nº43, julho 2014 CONTEÚDOS IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Descrição Meteorológica 03 Descrição Agrometeorológica 10 Previsão 10

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO CLIMÁTICA ANO AGRÍCOLA 2005/06

CARACTERIZAÇÃO CLIMÁTICA ANO AGRÍCOLA 2005/06 IM INSTITUTO DE METEOROLOGIA, I. P. PORTUGAL CARACTERIZAÇÃO CLIMÁTICA ANO AGRÍCOLA 2005/06 Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Instituto de Meteorologia, I. P. Rua C Aeroporto de Lisboa

Leia mais

PEDIDO DE PATENTE, MODELO DE UTILIDADE OU DE TOPOGRAFIA DE PRODUTOS SEMICONDUTORES

PEDIDO DE PATENTE, MODELO DE UTILIDADE OU DE TOPOGRAFIA DE PRODUTOS SEMICONDUTORES Campo das Cebolas - 1149-035 Lisboa - Portugal Tel: +351 218818100 / Linha Azul: 808 200689 / Fax: +351 218875308 / Fax: +351 218860066 / E-mail: atm@inpi.pt / www.inpi.pt Nº CÓDIGO DATA E HORA DE RECEPÇÃO

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura ISSN 2182-0597 Publicação Mensal DIRETOR: Jorge Miguel Miranda Boletim meteorológico para a agricultura Nº40, abril 2014 CONTEÚDOS IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Descrição Meteorológica 03 Descrição Agrometeorológica

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO CLIMÁTICA ANO Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Instituto de Meteorologia, I. P.

CARACTERIZAÇÃO CLIMÁTICA ANO Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Instituto de Meteorologia, I. P. CARACTERIZAÇÃO CLIMÁTICA ANO 2007 Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Instituto de Meteorologia, I. P. Rua C Aeroporto de Lisboa Tel.: (+351) 21 844 7000 e-mail:informacoes@meteo.pt 1749-077

Leia mais

Relações da água no Sistema Solo-Planta-Atmosfera LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO

Relações da água no Sistema Solo-Planta-Atmosfera LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AGRONÔMICA IRRIGAÇÃO Relações da água no Sistema Solo-Planta-Atmosfera LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO Antenor de Oliveira de Aguiar Netto Introdução A quantidade

Leia mais

Boletim Agrometeorológico

Boletim Agrometeorológico 3 oletim grometeorológico Embrapa grossilvipastoril, Sinop, MT Julho, 2017 companhamento da 2 a safra 2016/2017 em Mato Grosso Cornélio lberto Zolin, Embrapa grossilvipastoril, cornelio.zolin@embrapa.br

Leia mais

22/2/2012. Universidade Federal de Campina Grande Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar. Introdução. Coeficiente de esgotamento (f)

22/2/2012. Universidade Federal de Campina Grande Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar. Introdução. Coeficiente de esgotamento (f) Universidade Federal de Campina Grande Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar Aula 8: Projeto Agronômico Disciplina: Irrigação e drenagem Prof.: Marcos Eric Barbosa Brito Introdução Necessidade

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura ISSN 2182-0597 Publicação Mensal DIRETOR: Jorge Miguel Miranda Boletim meteorológico para a agricultura Nº37, janeiro 2014 CONTEÚDOS IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Descrição Meteorológica 03 Descrição Agrometeorológica

Leia mais

Zulmira Lopes Divisão de Leite e Lacticínios 2006

Zulmira Lopes Divisão de Leite e Lacticínios 2006 Zulmira Lopes Divisão de Leite e Lacticínios 2006 Cabe a cada estado membro preservar o seu ecossistema, de modo a promover a sua sustentabilidade e o bem-estar da população. Promover a implementação

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº 79, julho 2017 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 10 Previsão 11 Situação agrícola

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura ISSN 2182-0597 Publicação Mensal DIRETOR: Dr. Adérito Vicente Serrão Boletim meteorológico para a agricultura Nº9, setembro 2011 CONTEÚDOS IM,I.P. 01 Resumo 02 Descrição Meteorológica 03 Descrição Agrometeorológica

Leia mais

informação climática/outubro 2005

informação climática/outubro 2005 INFORMAÇÃO CLIMÁTICA OUTUBRO 25 ÍNDICE Resumo 1. Situação Sinóptica... 3 2. Temperatura do ar... 4 3. Precipitação... 7 Precipitação Acumulada desde 1 de embro de 25... 8 4. Índice meteorológico de seca

Leia mais

Agricultura e Alterações Climáticas em Portugal

Agricultura e Alterações Climáticas em Portugal Agricultura e Alterações Climáticas em Portugal IX Congresso Nacional do Milho Hotel ALTIS, Lisboa 30-Jan-2013 José Lima Santos Instituto Superior de Agronomia Universidade Técnica de Lisboa As questões

Leia mais

PROPOSTA PLANO DE ACTIVIDADES E ORÇAMENTO PARA 2007

PROPOSTA PLANO DE ACTIVIDADES E ORÇAMENTO PARA 2007 PROPOSTA PLANO DE ACTIVIDADES E ORÇAMENTO PARA 2007 Beja Dezembro de 2006 INDICE DE TEXTO 1 INTRODUÇÃO 2 2 PLANO DE ACTIVIDADES 3 2.1 - Área da Informação/Formação 3 2.2 - Área da Assistência Técnica aos

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Boletim meteorológico para a agricultura Nº 56, agosto 2015 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 11 Previsão 11 Situação agrícola

Leia mais

GESTÃO DE REGA EM PEQUENOS FRUTOS. Onno Schaap António Ramos

GESTÃO DE REGA EM PEQUENOS FRUTOS. Onno Schaap António Ramos GESTÃO DE REGA EM PEQUENOS FRUTOS Onno Schaap António Ramos Porto, 24.Jan.2013 QUEM SOMOS Desde 1998 a Aquagri ACE é uma empresa especializada em Serviços e Equipamentos para Gestão de Água de Rega; Equipa

Leia mais

A Tomada de Decisão em Agricultura. Pedro Aguiar Pinto Agricultura I 25 de Setembro de 2014

A Tomada de Decisão em Agricultura. Pedro Aguiar Pinto Agricultura I 25 de Setembro de 2014 A Tomada de Decisão em Agricultura Pedro Aguiar Pinto Agricultura I 25 de Setembro de 2014 Sumário Agricultura. O que é? Decisão Lidar com a incerteza Informação e conhecimento Conhecimento - redução da

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº 60, dezembro 2015 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 11 Previsão 12 Situação agrícola

Leia mais

Anuário Agrícola de Alqueva 2015

Anuário Agrícola de Alqueva 2015 Anuário Agrícola de Alqueva 2015 Direção de Economia da Água e Promoção do Regadio Departamento de Planeamento e Economia da Água Beja, Dezembro 2015 Avisos legais Declaração de exoneração de responsabilidade

Leia mais

Figura 1 Distribuição espacial do índice de seca meteorológica em 31de julho e em 15 de agosto de 2012.

Figura 1 Distribuição espacial do índice de seca meteorológica em 31de julho e em 15 de agosto de 2012. Situação de Seca Meteorológica em 15 agosto Contributo do Instituto de Meteorologia, I.P. para o Acompanhamento e Avaliação dos Efeitos da Seca 1. Situação Atual de Seca Meteorológica A situação de seca

Leia mais

Como proceder para fertilizar racionalmente o olival

Como proceder para fertilizar racionalmente o olival Como proceder para fertilizar racionalmente o olival Pedro Jordão & Encarnação Marcelo UEIS Sistemas Agrários e Florestais e Sanidade Vegetal Laboratório Químico Agrícola Rebelo da Silva (LQARS) Produtividade

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal ISSN 2183-1076 Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental NOVEMBRO de 2014 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Tabela Resumo mensal 1 2 3 4 7 8 Figura 1 Variabilidade

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE PATINAGEM DO ALENTEJO

ASSOCIAÇÃO DE PATINAGEM DO ALENTEJO COMUNICADO N.º 33/2016 Para os devidos efeitos e como único aviso oficial se comunica: INDICE Pág. PATINAGEM ARTÍSTICA 1 TESTES DE INICIAÇÃO - ERRATA 2 2 TESTES DE INICIAÇÃO - RESULTADOS 2 3 TESTES DE

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura BOLETIM METEOROLÓGICO PARA A AGRICULTURA Boletim meteorológico para a agricultura Nº 77, maio 2017 CONTEÚDOS IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica

Leia mais

IT AGRICULTURA IRRIGADA

IT AGRICULTURA IRRIGADA 4 Manejo da irrigação 4.1 Introdução A água é fator limitante para o desenvolvimento agrícola, sendo que tanto a falta ou excesso afetam o crescimento, a sanidade e a produção das plantas. O manejo racional

Leia mais

Climatológico Sazonal. Boletim Climatológico Sazonal Verão de 2016

Climatológico Sazonal. Boletim Climatológico Sazonal Verão de 2016 ISSN 2183-1084 Boletim Climatológico Sazonal Verão 2016 Resumo O verão de 2016 (junho, julho, agosto) em Portugal Continental foi caracterizado por valores da temperatura média do ar muito superiores ao

Leia mais

Lucio Alberto Pereira 1 ; Roseli Freire de Melo 1 ; Luiza Teixeira de Lima Brito 1 ; Magna Soelma Beserra de Moura 1. Abstract

Lucio Alberto Pereira 1 ; Roseli Freire de Melo 1 ; Luiza Teixeira de Lima Brito 1 ; Magna Soelma Beserra de Moura 1. Abstract Influência do Clima no Balanço Hídrico de Dois Açudes de Petrolina, Pernambuco Climate Influence on Water Balance of Two Dams in Petrolina, Brazil Lucio Alberto Pereira 1 ; Roseli Freire de Melo 1 ; Luiza

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº 71, novembro 2016 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 11 Previsão 12 Situação agrícola

Leia mais

Resumo Climatológico - Setembro de 2017 Mensal e Ano Hidrológico

Resumo Climatológico - Setembro de 2017 Mensal e Ano Hidrológico Resumo Climatológico - Setembro de 2017 Mensal e Ano Hidrológico Défice de precipitação O mês de setembro de 2017 em Portugal Continental foi o mais seco dos últimos 87 anos (Figura 1), classificando-se

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura ISSN 2182-0597 Publicação Mensal DIRETOR: Jorge Miguel Miranda Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº28, abril 2013 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Descrição Meteorológica 03 Descrição Agrometeorológica

Leia mais

VALORIZAÇÃO DA QUALIDADE DOP IGP ETG

VALORIZAÇÃO DA QUALIDADE DOP IGP ETG VALORIZAÇÃO DA QUALIDADE DOP IGP ETG 1 PRODUTOS DA REGIÃO ALENTEJO PRODUTOS DENOMINAÇÃO AGRUPAMENTO GESTOR TEL /Mail COORDENADAS Morada FRUTOS FRESCOS Maçã de Portalegre IGP APAFNA - Agrupamentos geral@aadportalegre.pt

Leia mais

AGRO 728 & PEDIZA II PROJECTO. Introdução

AGRO 728 & PEDIZA II PROJECTO. Introdução PROJECTO AGRO 728 & PEDIZA II Instituições Intervenientes UE - Universidade de Évora - Dep. de Eng.Rural. COTR - Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio ESAB - Escola Superior Agrária de Beja. ATOM

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº 68, agosto 2016 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 10 Previsão 11 Situação agrícola

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Janeiro 2011

Boletim Climatológico Mensal Janeiro 2011 Boletim Climatológico Mensal Janeiro 2011 CONTEÚDOS IM, I.P. 01 Resumo Mensal 04 Resumo das Condições Meteorológicas 05 Caracterização Climática Mensal 05 Temperatura do Ar 06 Precipitação Total 08 Outros

Leia mais