Tal como aprendemos um jogo, jogando o, também aprendemos a viver, vivendo. Peter Worsley ( ) Sociólogo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tal como aprendemos um jogo, jogando o, também aprendemos a viver, vivendo. Peter Worsley ( ) Sociólogo"

Transcrição

1 Socialização

2 Tal como aprendemos um jogo, jogando o, também aprendemos a viver, vivendo. Peter Worsley ( ) Sociólogo

3 As pessoas não são mais do que indivíduos socializados Todos os homens nascem nus, em todos os sentidos. Não trazem consigo senão a sua estrutura biológica similar aos outros homens e muito parecida com a de alguns animais. ( ) ( )Oshomensnascemindivíduos (simples seres biológicos) e, devido a essa grande capacidade de aprender, tornam se pessoas, quenãosão mais do que indivíduos socializados. Mesquitela Lima

4 Socialização Socialização é o processo de aprendizagem e de internalização dos valores, crenças e normas do grupo social a que pertencemos, através do qual nos tornamos membros integrados da sociedade: É um processo vitalício. É o canal de transmissão da cultura, através do tempo, entre gerações.

5 Fases da socialização socialização primária Ocorre durante a infância. Ocorre sobretudo no contexto familiar. Tem lugar através da identificação emocional com o outro significativo (pai, mãe, irmãos ) Consiste na aprendizagem da linguagem, regras básicas da vida em sociedade, valores morais e modelos de comportamento do grupo a que se pertence.

6 Fases da socialização socialização secundária Ocorre ao longo de toda a vida; Na escola, grupos de pares, local de trabalho, partidos políticos, sindicatos, meios de comunicação de massa, etc. Formação complexa da personalidade social do indivíduo. Formação profissional, política, religiosa, associativa, etc. Mudança de estatuto social, mudança de local de residência, introdução num novo círculo de amizades, paternidade, matrimónio, etc. A socialização secundária pressupõe a socialização primária e sobrepõe se a esta, o que pode ser gerador de conflitos.

7 Agentes de socialização Agentes de socialização grupos sociais, instituições e indivíduos que proporcionam as situações estruturadas em que a socialização ocorre. Família, vizinhança, escola, pares, religião, local de trabalho, pares, mass media...

8 Agentes de socialização família A família é o agente de socialização mais significativo em todas as sociedades e o que tem provavelmente a influência mais duradoura no indivíduo. É na família que os primeiros laços sociais e emocionais são criados, onde a linguagem é aprendida e onde cedo começamos a internalizar as normas e os valores da nossa sociedade. Na familia recebemos as bases da nossa personalidade, ideias acerca de quem somos e do que queremos da vida. É aqui que nos começamos a pensar como fortes ou fracos, inteligentes ou estúpidos, bonitos ou feios e a definirmo nos como masculinos ou femininos. A localização das famílias, quer geográfica, quer social a sua base étnica, de classe, religiosa, educacional e política afetam os seus membros.

9 Agentes de socialização escola A Escola ajuda as crianças a tornarem se menos dependentes da família, proporcionando uma ponte para outros grupos sociais. A socialização que os alunos recebem dos professores, outros elementos da Escola e outros estudantes ocorre em simultâneo com o que eles aprendem em família e sobrepõe se lhe. Currículo escondido valores ou comportamentos que os estudantes aprendem indiretamente à margem das atividades escolares em consequência da estrutura do sistema educativo e dos métodos de ensino. Pontualidade, asseio, disciplina, aplicação, competição e obediência

10 Agentes de socialização os pares Grupos de pares são grupos de pessoas que têm quase a mesma idade e características sociais semelhantes. Os pares podem ser amigos da escola ou do bairro, membros de uma equipa desportiva, ou colegas de quarto numa residência Com a idade, os pares tornam se mais importantes que os pais, como agentes de socialização. Embora seja a família que tem a influência mais duradoura sobre o indivíduo, são os pares que têm o efeito mais intenso e imediato uns sobre os outros. A participação num grupo de pares proporciona aos jovens uma forma de exercitar a independência.

11 Agentes de socialização os pares A necessidade de enquadramento num grupo de amigos pode ser dolorosa para alguns jovens. Muitos estarão dispostos a tudo para serem aceites pelo grupo, podendo mesmo trair os seus valores. A pressão dos colegas pode desencadear a participação dos adolescentes em comportamentos de risco, como condução perigosa, sexo inseguro, drogas e álcool. Os grupos de pares, podendo proporcionar vínculos sociais agradáveis e fundamentais, podem também ser causadores de auto dúvida dolorosa, ridículo ou rejeição para muitos jovens.

12 Agentes de socialização os massmedia Meios de comunicação de massa: jornais e revistas; rádio e televisão; cinema; internet (redes sociais). Atingem um público numeroso. Não fornecem apenas informação, veiculam valores, oferecemmodelos de papéis eexpõem estilos de vida,influenciamatitudes e opiniões. Através da publicidade, exaltam o valor social de certas qualidades: beleza; juventude; êxito; riqueza

13 Mecanismos de socialização Imitação Cópia de comportamentos observados. Identificação Identificação com outra pessoa que se considera próxima e apropriação dos seus comportamentos. Aprendizagem Interiorização de comportamentos por: Tentativas; Erros; Repetições.

14 Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nosdeixamsós.deixamumpoucodesi,levam um pouco de nós. Saint Exupéry ( ) Escritor

Socialização. Estrutura social Família : avô, avó, pai, mãe, filho, filha

Socialização. Estrutura social Família : avô, avó, pai, mãe, filho, filha Socialização Processo de aprendizagem de papéis. Todos os grupos são constituídos por um conjunto de posições sociais estruturadas; todos esperam determinados comportamentos uns dos outros. Estrutura social

Leia mais

O Desenvolvimento da criança. Psicologia Aplicada a Educação Prof. Marcos Romão

O Desenvolvimento da criança. Psicologia Aplicada a Educação Prof. Marcos Romão O Desenvolvimento da criança Psicologia Aplicada a Educação Prof. Marcos Romão O desenvolvimento O Desenvolvimento Humano, é mais uma área de estudos da Psicologia desde o nascimento até a vida adulta,

Leia mais

EAD- 622 FUNDAMENTOS DE CIÊNCIAS SOCIAIS O PROCESSO DE SOCIALIZAÇÃO

EAD- 622 FUNDAMENTOS DE CIÊNCIAS SOCIAIS O PROCESSO DE SOCIALIZAÇÃO EAD- 622 FUNDAMENTOS DE CIÊNCIAS SOCIAIS O PROCESSO DE SOCIALIZAÇÃO Prof. André Fischer Monitora: Veronica PROCESSOS SOCIAIS Ser humano é um ser que interage (influência entre indivíduos) Interação cria

Leia mais

Desenvolvimento Moral na Adolescência. Agentes da Educação de Valores

Desenvolvimento Moral na Adolescência. Agentes da Educação de Valores Desenvolvimento Moral na Adolescência Agentes da Educação de Valores essenciais para saber viver em qualquer sistema que assente na moral da vida humana (ex.: democracia) cada pessoa estabelece a sua própria

Leia mais

As descobertas da primeira infância

As descobertas da primeira infância As descobertas da primeira infância Uma característica natural dos seres humanos é o prazer pela descoberta. Ao nos depararmos com o novo, imediatamente sentimos o desejo de nos apropriarmos da novidade,

Leia mais

Psicologia social. Interacções sociais

Psicologia social. Interacções sociais Psicologia social Interacções sociais Modelo de atracção e de amizade em função do tempo (Rusbult, 1983) Prazer Gratificações e custos Nível de comparação Investimento na relação Níveis de comparação alternativos

Leia mais

A cultura. A importância da cultura no processo de humanização

A cultura. A importância da cultura no processo de humanização A cultura A importância da cultura no processo de humanização A cultura A capacidade do Homem de se adaptar ao meio, transformando-o, distingue-o dos outros animais. Para aprender e desenvolver a capacidade

Leia mais

SOCIALIZAÇÃO E CULTURA

SOCIALIZAÇÃO E CULTURA SOCIALIZAÇÃO E CULTURA CULTURA Sentido comum Sentido sociológico -indivíduo com conhecimentos em vários domínios do saber -quando o indivíduo é portador de cultura, que varia de grupo social -cada grupo

Leia mais

Pretende-se com esta comunicação apresentar o Projecto Ideia/O Nosso Sonho na sua dimensão mais criativa.

Pretende-se com esta comunicação apresentar o Projecto Ideia/O Nosso Sonho na sua dimensão mais criativa. Pretende-se com esta comunicação apresentar o Projecto Ideia/O Nosso Sonho na sua dimensão mais criativa. A Cooperativa de Ensino O Nosso Sonho e a Ideia são duas Instituições associadas, sediadas na Freguesia

Leia mais

- estabelecer um ambiente de relações interpessoais que possibilitem e potencializem

- estabelecer um ambiente de relações interpessoais que possibilitem e potencializem O desenvolvimento social e cognitivo do estudante pressupõe que ele tenha condições, contando com o apoio dos educadores, de criar uma cultura inovadora no colégio, a qual promova o desenvolvimento pessoal

Leia mais

As Infâncias das Minas e das Gerais: o desafio das/dos professoras/os do. complexas infâncias

As Infâncias das Minas e das Gerais: o desafio das/dos professoras/os do. complexas infâncias As Infâncias das Minas e das Gerais: o desafio das/dos professoras/os do século XXI conhecer as múltiplas e complexas infâncias Lisandra Ogg Gomes A Infância [ ] precisamos chegar a um acordo quanto ao

Leia mais

Comportamento do consumidor (Pensamentos, sentimentos e ações). a

Comportamento do consumidor (Pensamentos, sentimentos e ações). a Comportamento do consumidor (Pensamentos, sentimentos e ações). a Antes de 1990- Visão de consumidor Depois de 1990- Visão de cliente indivíduos, com suas necessidades entendidas e atendidas individualmente.

Leia mais

Construir o Futuro (I, II, III e IV) Pinto et al. Colectiva. Crianças e Adolescentes. Variável. Nome da prova: Autor(es): Versão: Portuguesa

Construir o Futuro (I, II, III e IV) Pinto et al. Colectiva. Crianças e Adolescentes. Variável. Nome da prova: Autor(es): Versão: Portuguesa Nome da prova: Autor(es): Versão: Tipo de aplicação: População: Tempo de aplicação: Objectivos: Materiais incluídos no jogo (kit) completo: Construir o Futuro (I, II, III e IV) Pinto et al. Portuguesa

Leia mais

Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil. Centro Sergio Vieira de Mello

Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil. Centro Sergio Vieira de Mello Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil Centro Sergio Vieira de Mello Unidade 4 Parte 3 Respeito pela Diversidade Valores Organizacionais Essenciais da ONU Integridade Profissionalismo Respeito pela

Leia mais

3.1 Problemas de comportamento na criança e no adolescente

3.1 Problemas de comportamento na criança e no adolescente Páginas para pais: Problemas na criança e no adolescente 3.1 Problemas de comportamento na criança e no adolescente Introdução A criança manifesta os sentimentos face ao mundo que a rodeia através do seu

Leia mais

Segmentação de mercado. Bases de segmentação de mercado

Segmentação de mercado. Bases de segmentação de mercado Segmentação de mercado Bases de segmentação de mercado Sistema econômico baseado na oferta e procura de bens e serviços Local onde bens de serviços são comercializados Conjunto de compradores e vendedores

Leia mais

Daniel Sampaio (D. S.) Bom dia, João.

Daniel Sampaio (D. S.) Bom dia, João. Esfera_Pag1 13/5/08 10:57 Página 11 João Adelino Faria (J. A. F.) Muito bom dia. Questionamo- -nos muitas vezes sobre quando é que se deve falar de sexo com uma criança, qual é a idade limite, como é explicar

Leia mais

Confiança Estereótipos de Género e Papéis Sociais

Confiança Estereótipos de Género e Papéis Sociais Amor Ciúme Confiança Estereótipos de Género e Papéis Sociais Amor é fogo que arde sem se ver; É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer.. Luís Vaz de

Leia mais

o mercado consumidor é o mercado para produtos e serviços que são adquiridos ou alugados por indivíduos e famílias para uso pessoal (não comercial).

o mercado consumidor é o mercado para produtos e serviços que são adquiridos ou alugados por indivíduos e famílias para uso pessoal (não comercial). classificação do consumidor definição o mercado consumidor é o mercado para produtos e serviços que são adquiridos ou alugados por indivíduos e famílias para uso pessoal (não comercial). Philip Kotler

Leia mais

1 CÓDIGO DE CONDUTA PARA JOVENS ATLETAS Os clubes desportivos devem oferecer a possibilidade de experiências positivas aos jovens atletas, caracterizando-se por serem espaços seguros, que fomentam novas

Leia mais

Grupos e Organizações. Daniel Abud Seabra Matos

Grupos e Organizações. Daniel Abud Seabra Matos Grupos e Organizações Daniel Abud Seabra Matos Grupos e organizações O comportamento humano se dá num ambiente social, é decorrência dele, ao mesmo tempo em que o determina. Toda e qualquer sociedade consiste

Leia mais

comportamento escolar dos alunos

comportamento escolar dos alunos Influência da origem sócio-cultural no comportamento escolar dos alunos O nosso carácter é o resultado da nossa conduta. (Aristóteles) enquadramento > Breve alusão à comunidade, à escola, comportamentos,

Leia mais

Os direitos da criança - No contexto internacional. Director do ILPI Njal Hostmaelingen MJDH, workshop interno, Luanda, 27 de Junho 2016

Os direitos da criança - No contexto internacional. Director do ILPI Njal Hostmaelingen MJDH, workshop interno, Luanda, 27 de Junho 2016 Os direitos da criança - No contexto internacional Director do ILPI Njal Hostmaelingen MJDH, workshop interno, Luanda, 27 de Junho 2016 Programa História e enquadramento legal Desenvolvimentos internacionais

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GAVIÃO. Ano letivo Turma: Docente Responsável pelo projeto:

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GAVIÃO. Ano letivo Turma: Docente Responsável pelo projeto: AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GAVIÃO Escola Ano letivo 2013-2014 Turma: Docente Responsável pelo projeto: SEXUALIDADE (...) É um aspeto central do ser humano, que acompanha toda a vida e que envolve o sexo,

Leia mais

A contribuição do movimento humano para a ampliação das linguagens

A contribuição do movimento humano para a ampliação das linguagens A contribuição do movimento humano para a ampliação das linguagens Movimento humano e linguagens A linguagem está envolvida em tudo o que fazemos, ela é peça fundamental para a expressão humana. Na Educação

Leia mais

CARTA DE COMPORTAMENTOS

CARTA DE COMPORTAMENTOS STOP BULLYING! Uma abordagem baseada nos direitos humanos para combater o bullying e a discriminação CARTA DE COMPORTAMENTOS Projeto Co- Projeto Stop Bullying: Uma abordagem baseada nos direitos humanos

Leia mais

CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS º PERÍODO

CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS º PERÍODO CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO Estudo da história geral da Educação e da Pedagogia, enfatizando a educação brasileira. Políticas ao longo da história engendradas

Leia mais

Centro de Ocupação de Tempos Livres de Santo Tirso Ano Letivo 2015/2016

Centro de Ocupação de Tempos Livres de Santo Tirso Ano Letivo 2015/2016 Ano Letivo 2015/2016 SETEMBRO Início do ano letivo Acolhimento das Jogos de interação Visita pelas instalações do ATL Conhecimento dos transportes e das pessoas e regras que os acompanham Proporcionar

Leia mais

UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO INTEGRAL ATRAVÉS DO ESPORTE

UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO INTEGRAL ATRAVÉS DO ESPORTE UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO INTEGRAL ATRAVÉS DO ESPORTE UMA DAS PRIMEIRAS ESCOLAS DE ESPORTES DE SÃO PAULO A MedSport oferece, desde 1981, Iniciação Poliesportiva para crianças e jovens de 4 a 15 anos. Por

Leia mais

FAMÍLIA E EDUCAÇÃO: REFLEXÕES SOBRE A CONTRIBUIÇÃO FAMILIAR NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM. Resumo

FAMÍLIA E EDUCAÇÃO: REFLEXÕES SOBRE A CONTRIBUIÇÃO FAMILIAR NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM. Resumo 1 FAMÍLIA E EDUCAÇÃO: REFLEXÕES SOBRE A CONTRIBUIÇÃO FAMILIAR NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Helissana Curvo IE/UFMT helissana_curvo@hotmail.com Márcia dos Santos Ferreira IE/UFMT msf@ufmt.br GT 10

Leia mais

IGUALDADE NÃO É (SÓ) QUESTÃO DE MULHERES

IGUALDADE NÃO É (SÓ) QUESTÃO DE MULHERES IGUALDADE NÃO É (SÓ) QUESTÃO DE MULHERES TERESA MANECA LIMA SÍLVIA ROQUE DIFERENÇAS ENTRE HOMENS E MULHERES APENAS UMA QUESTÃO DE SEXO? SEXO GÉNERO SEXO: conjunto de características biológicas e reprodutivas

Leia mais

INFLUÊNCIA DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS

INFLUÊNCIA DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS INFLUÊNCIA DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS A IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA Def.: Grupo de pessoas unidas directamente por laços de parentesco, no qual os adultos assumem a responsabilidade de cuidar das crianças.

Leia mais

BERÇARISTA. CURSO 180h: CURSO 260h:

BERÇARISTA. CURSO 180h: CURSO 260h: ARTES ENSINO FUNDAMENTAL Histórico do ensino da arte no brasil. Educação por meio da arte. Histórico do ensino da arte no brasil. Educação por meio da arte. Artes e educação, concepções teóricas. Histórico

Leia mais

RAD 1404 Pesquisa de Marketing Semana 2 Segmentação de Mercado

RAD 1404 Pesquisa de Marketing Semana 2 Segmentação de Mercado RAD 1404 Pesquisa de Marketing Semana 2 Segmentação de Mercado Prof. Dirceu Tornavoi de Carvalho Conceito de Segmentação de Mercado Segmentação Definição: "O processo de dividir vários grandes mercados

Leia mais

PIERRE BOURDIEU PODER SIMBÓLICO

PIERRE BOURDIEU PODER SIMBÓLICO PIERRE BOURDIEU 1930-2002 PODER SIMBÓLICO Construtivismo Estruturalista Superação do pensar por dicotomias mundo social construido no pasado (historicidade) formas sociais (passado) são reproduzidas, apropriadas,

Leia mais

Imagens da infância Crenças e valores das mães com filhos na escola primária

Imagens da infância Crenças e valores das mães com filhos na escola primária Imagens da infância Crenças e valores das mães com filhos na escola primária De Paula Castro e Maria Benedicta Monteiro. Objectivos 1. Conhecer as dimensões representativas a que recorrem as mães para

Leia mais

Programa Cidadania Ativa. Participação das ONG na Conceção e Aplicação de Políticas Públicas, a Nível Nacional, Regional e Local

Programa Cidadania Ativa. Participação das ONG na Conceção e Aplicação de Políticas Públicas, a Nível Nacional, Regional e Local Programa Cidadania Ativa Participação das ONG na Conceção e Aplicação de Políticas Públicas, a Nível Nacional, Regional e Local Carta da Cidadania Infantojuvenil A Carta da Cidadania Infantojuvenil (Carta)

Leia mais

DROGAS E EDUCAÇÃO UMA RELAÇÃO PARA A VIDA

DROGAS E EDUCAÇÃO UMA RELAÇÃO PARA A VIDA DROGAS E EDUCAÇÃO UMA RELAÇÃO PARA A VIDA Robson Rogaciano Fernandes da Silva (Universidade Federal de Campina Grande robsonsfr@hotmail.com) Ailanti de Melo Costa Lima (Universidade Estadual da Paraíba

Leia mais

Caderno de Orientação Curricular - Ensino Religioso/Educação em Valores - 3º Bimestre

Caderno de Orientação Curricular - Ensino Religioso/Educação em Valores - 3º Bimestre EIXOS EXTRUTURANTES Caderno de Orientação Curricular - Ensino Religioso/Educação em Valores - 3º Bimestre OBJETIVOS GERAIS DE APRENDIZAGEM AÇÕES E CONTEÚDOS 1º ANO 2º ANO 3º ANO 4º ANO Ser humano Refletir

Leia mais

Grupos na Adolescência. Família e Grupo de Amigos

Grupos na Adolescência. Família e Grupo de Amigos Grupos na Adolescência Família e Grupo de Amigos Introdução O grupo de colegas, juntamente com a família e a escola, são os principais contextos que contribuem para o desenvolvimento das características

Leia mais

Integrada de Química. Prof. Dr. Carlos Eduardo Bonancêa

Integrada de Química. Prof. Dr. Carlos Eduardo Bonancêa Integrada de Química Prof. Dr. Carlos Eduardo Bonancêa Agora veremos a uma Apresentação sobre Relações CTS no Ensino de Química. Ao seu final, espera-se que você aprenda sobre relações existentes entre

Leia mais

APRENDIZAGEM POR MODELAÇÃO. Albert Bandura

APRENDIZAGEM POR MODELAÇÃO. Albert Bandura APRENDIZAGEM POR MODELAÇÃO Albert Bandura Aprendizagem por observação ou imitação Ocorre quando as respostas de um ser vivo são influenciadas pela observação de outros, que são chamados modelos. Comportamentos

Leia mais

A IMPLANTAÇÃO DO LÚDICO AO ENSINO DA TABELA PERIÓDICA (TP)

A IMPLANTAÇÃO DO LÚDICO AO ENSINO DA TABELA PERIÓDICA (TP) A IMPLANTAÇÃO DO LÚDICO AO ENSINO DA TABELA PERIÓDICA (TP) ALMEIDA, Cristine Nachari Moura 1 - UEPB Subprojeto: Química Resumo Este trabalho tem como objetivo apresentar, detalhar e discutir o projeto

Leia mais

Estrutura FAMILIAR E DINÂMICA SOCIAL Sandra Almeida Área de Integração

Estrutura FAMILIAR E DINÂMICA SOCIAL Sandra Almeida Área de Integração Estrutura FAMILIAR E DINÂMICA SOCIAL Sandra Almeida 21115 Área de Integração 1 CONCEITO DE FAMÍLIA 2 3 RELAÇÕES DE PARENTESCO ESTRUTURAS FAMILIARES/MODELOS DE FAMÍLIA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA 4 5 FUNÇÕES

Leia mais

SOCIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 11 ALIENAÇÃO, SOCIEDADE DE CONSUMO E INDÚSTRIA CULTURAL

SOCIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 11 ALIENAÇÃO, SOCIEDADE DE CONSUMO E INDÚSTRIA CULTURAL SOCIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 11 ALIENAÇÃO, SOCIEDADE DE CONSUMO E INDÚSTRIA CULTURAL Como pode cair no enem? (UERJ) Geração Coca-Cola Quando nascemos fomos programados A receber o que vocês nos empurraram

Leia mais

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Cursos Científico-Humanísticos Ano Letivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL SOCIOLOGIA (12º ano) Página 1 de 6 Competências Gerais Desenvolver a consciência dos direitos e

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA ASPECTOS HISTÓRICOS

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA ASPECTOS HISTÓRICOS 1ª Geração 2ª Geração 3ª Geração 4ª Geração 5ª Geração Ensino Por correspondência EAD via rádio e TV Novas experiências em EAD Universidades abertas e teleconferência Uso da Internet e das redes de computadores

Leia mais

3.15 As psicoses na criança e no adolescente

3.15 As psicoses na criança e no adolescente Páginas para pais: Problemas na criança e no adolescente 3.15 As psicoses na criança e no adolescente Introdução As psicoses são doenças mentais raras que, geralmente, se iniciam no fim da adolescência

Leia mais

ALICE ROMÃO DA SILVA

ALICE ROMÃO DA SILVA 1 ALICE ROMÃO DA SILVA EDUCAÇÃO NÃO FORMAL Trabalho apresentado como instrumento de avaliação da(s) disciplina(s) "Gestão Escolar" do curso de Pedagogia. PARANAGUÁ 2012 2 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 03 2. EDUCAÇÃO

Leia mais

Indivíduos, sociedade e instituições sociais SOCIOLOGIA PROF. ROBSON VIEIRA 1ª SÉRIE/ UP

Indivíduos, sociedade e instituições sociais SOCIOLOGIA PROF. ROBSON VIEIRA 1ª SÉRIE/ UP Indivíduos, sociedade e instituições sociais SOCIOLOGIA PROF. ROBSON VIEIRA 1ª SÉRIE/ UP INDIVÍDUO E SOCIEDADE Indivíduo e sociedade são diretamente associados. A sociedade é justamente o fruto da relação

Leia mais

As empresas poderiam ajudar com patrocínios e donativos para o desporto

As empresas poderiam ajudar com patrocínios e donativos para o desporto Pensar o olimpismo Com várias revistas e documentos que o Comité Olímpico de Portugal gentilmente nos cedeu realizámos alguns resumos que considerámos importantes. 1. Os desafios do olimpismo em Portugal

Leia mais

Pedagogia Licenciatura S-20 - Educação e Diversidade S-20 - Filosofia Geral

Pedagogia Licenciatura S-20 - Educação e Diversidade S-20 - Filosofia Geral Página 0001 de 0004 1º Período 6387-02S-20 - Educação e Diversidade 0 40-040 0491-02S-20 - Filosofia Geral 0 40-040 PED 0845-02S-20 - História da Educação I 0 40-040 PED 0752-02S-20 - Introdução à 0 40-040

Leia mais

Angra do Heroísmo, 13 de Junho de Com os nossos melhores cumprimentos, (Zuraida Soares)

Angra do Heroísmo, 13 de Junho de Com os nossos melhores cumprimentos, (Zuraida Soares) Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Assunto: Projeto de resolução - Tempo de serviço prestado em creche e ateliers de tempos livres (ATL), para efeitos de

Leia mais

Dra Nadia Bossa PALESTRA DISTÚRBIOS DE ATENÇÃO E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM

Dra Nadia Bossa  PALESTRA DISTÚRBIOS DE ATENÇÃO E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM Dra Nadia Bossa PALESTRA DISTÚRBIOS DE ATENÇÃO E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM Dra Nadia Bossa O cérebro é constituído de vários circuitos neuronais, denominados sistemas funcionais. Esses sistemas são

Leia mais

CRIANDO FILHOS PREPARADOS PARA A VIDA

CRIANDO FILHOS PREPARADOS PARA A VIDA CRIANDO FILHOS PREPARADOS PARA A VIDA CRIANDO FILHOS PREPARADOS PARA A VIDA COMO ENSINAR PRINCÍPIOS MORAIS AOS FILHOS 1 - PAIS PRECISAM CONHECER AS CAPACIDADES DE SEUS FILHOS CAPACIDADE FÍSICA CAPACIDADE

Leia mais

Espaço S 14 ANOS DE HISTÓRIA

Espaço S 14 ANOS DE HISTÓRIA ESPAÇO S 14 ANOS DE HISTÓRIA Espaço, o S é de saúde, sexualidade, sentimentos e saberes a questionar. Pretende-se que seja um espaço para ouvir, aceitar e esclarecer, respeitando e privilegiando o atendimento

Leia mais

Inquérito por Questionário - Professores

Inquérito por Questionário - Professores Inquérito por Questionário - Professores INSTRUÇÕES Este questionário destina-se a recolher informação para um projecto de investigação sobre "Gestão Cooperada do Currículo como mecanismo de desenvolvimento

Leia mais

JANEIRO FEVEREIRO MARÇO

JANEIRO FEVEREIRO MARÇO JANEIRO FEVEREIRO MARÇO Inscrições: Abrimos inscrições de 20 de janeiro a 15 de fevereiro para todos os interessados que se enquadrassem nos pré-requisitos de cada curso, pelo sítio:. Abaixo o quadro-síntese

Leia mais

97% Dos indivíduos com idade entre os 10 e os 15 anos utilizam computador, 93% acedem à Internet e 85% utilizam telemóvel

97% Dos indivíduos com idade entre os 10 e os 15 anos utilizam computador, 93% acedem à Internet e 85% utilizam telemóvel Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias: Indivíduos dos 1 aos 15 anos 3 de Fevereiro 9 97% Dos indivíduos com idade

Leia mais

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS. Educação infantil Creche e pré escolas

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS. Educação infantil Creche e pré escolas PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS Educação infantil Creche e pré escolas O QUE É? Os Parâmetros Curriculares Nacionais - PCN - são referências de qualidade para os Ensinos Fundamental e Médio do país,

Leia mais

Leia com calma as questões e responda com carinho, fazendo pausas até a conclusão, se achar necessário.

Leia com calma as questões e responda com carinho, fazendo pausas até a conclusão, se achar necessário. Questionário FIS - Felicidade Interna Sustentável CARACTERIZAÇÃO DA AMOSTRA Idade Sexo ( )M ( )F Grau de Instrução ( )Básico ( )Médio ( )Universitário ( )Especialização ( )Mestrado ( )Doutorado ( )Outros

Leia mais

Empreendedorismo. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 04 - Segmentação de Mercado. Cursos de Computação

Empreendedorismo. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 04 - Segmentação de Mercado. Cursos de Computação Cursos de Computação Empreendedorismo Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira Aula 04 - Segmentação de Mercado Referência: Slides do professor Jose Sergio Resende Casagrande Segmentação de Mercado Segmentação de mercado

Leia mais

SUGESTÕES PARA REALIZAR AS TROCAS DE JOGADORAS DURANTE O JOGO

SUGESTÕES PARA REALIZAR AS TROCAS DE JOGADORAS DURANTE O JOGO SUGESTÕES PARA REALIZAR AS TROCAS DE JOGADORAS DURANTE O JOGO ORNIDES CINTRA KINDELÁN Resumo: o constante aperfeiçoamento das formas, das vias e dos métodos para o desenvolvimento do jogo de basquetebol

Leia mais

AS VIRTUDES: O QUE SÃO E COMO E COMO SE ADQUIREM?

AS VIRTUDES: O QUE SÃO E COMO E COMO SE ADQUIREM? AS VIRTUDES: O QUE SÃO E COMO E COMO SE ADQUIREM? À medida que as crianças crescem, precisam de adquirir e desenvolver algumas qualidades de carácter, a que alguns autores chamam disposições e hábitos,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ COORDENADORIA DE CONCURSOS CCV

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ COORDENADORIA DE CONCURSOS CCV Questão 03 A questão 03 solicita a opção correta, considerando o que dispõe o texto Pergunte ao autor: Relação família-escola na contemporaneidade. O Gabarito dessa questão é a letra D, como se prova na

Leia mais

Quando a sua mente acredita, o seu corpo se prepara! Descobrindo seus poderes

Quando a sua mente acredita, o seu corpo se prepara! Descobrindo seus poderes Quando a sua mente acredita, o seu corpo se prepara! Descobrindo seus poderes Sorte ou Azar? Não são aleatórios Quem cria a realidade é o observador : eu observo a mim mesmo, ou seja, a realidade que

Leia mais

Projeto Jogos. A importância de conhecer a história dos Jogos

Projeto Jogos. A importância de conhecer a história dos Jogos Projeto Jogos A importância de conhecer a história dos Jogos Introdução Este projeto consiste em um desenvolvimento de comunicação entre jogos e computadores voltado para entretenimento e aprendizagem.

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre Pró-Reitoria de Extensão - PROEX

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre Pró-Reitoria de Extensão - PROEX ANEXO 1 FORMULÁRIO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO DE PROJETO DE EXTENSÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DA PROPOSTA DO PROJETO 1.1 Área temática (ver Anexo 1.1) 1.2 Linha de extensão (informar em qual (is) linha(s) se enquadra

Leia mais

16 Anos Masculino Média de Horas Diárias a ver TV

16 Anos Masculino Média de Horas Diárias a ver TV 16 Anos Masculino Média de Horas Diárias a ver TV 1h 2h 3h 4h Neste gráfico notamos que metade dos inquiridos centram-se nas 2h diárias a ver televisão. Tipos de Programas Assistidos 16% 23% 18% 12% Telejornal

Leia mais

Emprego. População Empregada, por Sexo Anos de 2001 e 2011

Emprego. População Empregada, por Sexo Anos de 2001 e 2011 População Empregada, por Sexo Anos de 2001 e 2011 População Empregada, por Sexo Total Masculino Feminino 2001 2011 2001 2011 2001 2011 Portugal 4 650 947 4 361 187 2 599 088 2 275 974 2 051 859 2 085 213

Leia mais

PERFIL DOS ALUNOS INGRESSANTES CARACTERÍSTICAS SÓCIO-ECONÔMICAS Curso : DIREITO

PERFIL DOS ALUNOS INGRESSANTES CARACTERÍSTICAS SÓCIO-ECONÔMICAS Curso : DIREITO CARACTERÍSTICAS SÓCIO-ECONÔMICAS Quadro e Gráfico 01 - Renda familiar mensal Não informado 0 0 0 Até R$ 26 4 2 6 2,49 de R$ 261,00 a R$ 78 12 5 17 7,05 de R$ 781,00 a R$ 1.30 25 17 42 17,43 de R$ 1.301,00

Leia mais

Estudo mostra características que influenciam na hora da contratação de emprego

Estudo mostra características que influenciam na hora da contratação de emprego Estudo mostra características que influenciam na hora da contratação de emprego Qual a preocupação mais comum dos alunos de graduação, principalmente durante o último ano de curso? Sem dúvida é se, ao

Leia mais

Olimpíadas no Rio e Violência

Olimpíadas no Rio e Violência Olimpíadas no Rio e Violência Fabiola Miranda von Rondow Após se candidatar três vezes e não conseguir ganhar a disputa para sediar os Jogos Olímpicos, o Brasil finalmente foi o escolhido. Com isso, o

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA (currículo em implantação progressiva a parir de )

CURSO DE PEDAGOGIA (currículo em implantação progressiva a parir de ) CURSO DE PEDAGOGIA (currículo em implantação progressiva a parir de 2009.1) CRIAÇÃO DO CURSO DECRETO 476/60, DE 19/01/60 PARECER 579/CNE/59, 02/12/59 RECONHECIMENTO DO CURSO DECRETO 75590/75, DE 10/04/75

Leia mais

Administração. Conceitos Básicos de Comportamento Organizacional. Professor Rafael Ravazolo.

Administração. Conceitos Básicos de Comportamento Organizacional. Professor Rafael Ravazolo. Administração Conceitos Básicos de Comportamento Organizacional Professor Rafael Ravazolo www.acasadoconcurseiro.com.br Administração Aula XX COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL O C.O. é o campo de estudo que

Leia mais

Licenciatura em Serviço Social. Intervenção Social na Infância, Adolescência e Velhice. Ano letivo 2014/2015

Licenciatura em Serviço Social. Intervenção Social na Infância, Adolescência e Velhice. Ano letivo 2014/2015 Licenciatura em Serviço Social Intervenção Social na Infância, Adolescência e Velhice Ano letivo 2014/2015 Risco e crise familiar como base de intervenção social DA ESTABILIDADE TRADICIONAL À INSTABILIDADE

Leia mais

A ARTE DE BRINCAR COMO MODO E PRÁTICA DE EDUCAR

A ARTE DE BRINCAR COMO MODO E PRÁTICA DE EDUCAR A ARTE DE BRINCAR COMO MODO E PRÁTICA DE EDUCAR Luana da Mata (UEPB) luanadesenhodedeus@hotmail.com Patrícia Cristina de Aragão Araújo (UEPB) cristina=aragao21@hotmail.com RESUMO Este artigo tem como objetivo

Leia mais

3.5 Medos e ansiedade na criança e no adolescente

3.5 Medos e ansiedade na criança e no adolescente Páginas para pais: Problemas na criança e no adolescente 3.5 Medos e ansiedade na criança e no adolescente Introdução À medida que cresce e descobre o mundo à sua volta, a criança vai-se apercebendo como

Leia mais

Mix de Marketing (IV) 4P Promoção

Mix de Marketing (IV) 4P Promoção Mix de Marketing (IV) 4P Promoção Mix de Marketing Produto Preço Criação de valor Captação de valor Entrega de valor Comunicação de valor Praça Promoção COMUNICAÇÕES INTEGRADAS DE MARKETING (CIM) Abrange

Leia mais

direito fundamental do cidadão reconhecido na Constituição

direito fundamental do cidadão reconhecido na Constituição Considerando que a participação pública no desporto é um direito fundamental do cidadão reconhecido na Constituição da República Portuguesa (alíneas 1 e 2, do art.º 79º), O projeto Remo na escola surge,

Leia mais

Terra Mãe, Enfrentando Desafios e Conquistando Vitórias!

Terra Mãe, Enfrentando Desafios e Conquistando Vitórias! Terra Mãe, Enfrentando Desafios e Conquistando Vitórias! No decorrer deste ano 2016 muitas maravilhas o Senhor nos agraciou, dando condições de gerar igualdade de oportunidades para nossa juventude carente

Leia mais

Cuidado e desmedicalização na atenção básica

Cuidado e desmedicalização na atenção básica Rio de Janeiro, agosto de 2012 Cuidado e desmedicalização na atenção básica Laura Camargo Macruz Feuerwerker Profa. Associada FSP-USP Medicalização e a disputa pela vida Movimento de compreender todos

Leia mais

Como aprende a criança de 0 a 6 anos?

Como aprende a criança de 0 a 6 anos? Como aprende a criança de 0 a 6 anos? Uma teoria para pensar a prática com autonomia Suely Amaral Mello Retomando a discussão anterior: para que educamos? Ou, qual o papel da escola da infância na formação

Leia mais

Programa Social Bola Bacana Bola Bacana envolvimento nas atividades escolares

Programa Social Bola Bacana Bola Bacana envolvimento nas atividades escolares PROGRAMA A ineficiência dos Governos na resolução dos problemas em nossa sociedade, os olhos fechados, pelo menos para estes assuntos, de uma parcela dos empresários, e as situações de miséria e sofrimento

Leia mais

Nada disto. Sintomas característicos:

Nada disto. Sintomas característicos: Nada disto. Sabemos hoje que a Perturbação de Hiperactividade com Défice da Atenção tem uma base essencialmente neuropsicológica. Assim, compreendemos que o comportamento destas crianças resulta das suas

Leia mais

A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS.

A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS. A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS. Luciana Barros Farias Lima Instituto Benjamin Constant Práticas Pedagógicas Inclusivas

Leia mais

Informações da Organização

Informações da Organização Informações da Organização Nome: Associação Junior Achievement de Santa Catarina CNPJ: 01.852.526/0001-62 Endereço: Rua Camilo Silveira de Souza Endereço Complemento: Numero: 193 Bairro: Capoeiras Cidade:

Leia mais

Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio: Cenário Nacional e Segunda Etapa da Formação de Professores.

Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio: Cenário Nacional e Segunda Etapa da Formação de Professores. Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio: Cenário Nacional e Segunda Etapa da Formação de Professores. Profª Drª Monica Ribeiro da Silva Universidade Federal do Paraná monicars@ufpr.br Cenário

Leia mais

PERFIL DOS CANDIDATOS - VESTIBULAR 2009 PSICOLOGIA I - CARACTERÍSTICAS SÓCIO-CULTURAIS

PERFIL DOS CANDIDATOS - VESTIBULAR 2009 PSICOLOGIA I - CARACTERÍSTICAS SÓCIO-CULTURAIS I - CARACTERÍSTICAS SÓCIO-CULTURAIS 01 - Sexo 17,05 % Masculino 135 17,05 Feminino 657 82,95 792 100 82,95 02 - Faixa etária M F % Menos de 16 anos 2 5 7 De 16 a 18 anos 77 495 572 72,22 De 19 a 21 anos

Leia mais

PERFIL DOS CANDIDATOS - VESTIBULAR 2009 ARQUITETURA E URBANISMO I - CARACTERÍSTICAS SÓCIO-CULTURAIS

PERFIL DOS CANDIDATOS - VESTIBULAR 2009 ARQUITETURA E URBANISMO I - CARACTERÍSTICAS SÓCIO-CULTURAIS I - CARACTERÍSTICAS SÓCIO-CULTURAIS 01 - Sexo % Masculino 166 27,35 Feminino 441 72,65 607 100 72,65 27,35 02 - Faixa etária 0,99 2,14 M F % Menos de 16 anos 4 9 13 2,14 De 16 a 18 anos 116 366 482 79,41

Leia mais

Índice. 1. Introdução Envelhecimento bem sucedido. 10. Bem-estar subjectivo Coping Estilos de vida.. 42

Índice. 1. Introdução Envelhecimento bem sucedido. 10. Bem-estar subjectivo Coping Estilos de vida.. 42 Índice 1. Introdução... 8 2. Enquadramento teórico Envelhecimento bem sucedido. 10 Bem-estar subjectivo.. 20 Coping... 33 Estilos de vida.. 42 3. Objectivos gerais e questões de investigação. 52 4. Método

Leia mais

Capítulo 1: Alguém com os outros

Capítulo 1: Alguém com os outros BAUMAN, Z.; MAY, T., APRENDENDO A PENSAR COM A SOCIOLOGIA, RJ: ZAHAR, 2010. Capítulo 1: Alguém com os outros Introdução à Sociologia Profa. Dra. Valquiria Padilha FEARP/USP Somos livres? Viver em sociedade

Leia mais

Posicionamento: Centro de Referências em Educação Integral

Posicionamento: Centro de Referências em Educação Integral Posicionamento: Centro de Referências em Educação Integral 1. Conceito A Educação Integral (EI) é uma concepção que compreende que a educação deve garantir o desenvolvimento dos sujeitos em todas as suas

Leia mais

FASTRACKIDS. Abrir as portas do enriquecimento

FASTRACKIDS. Abrir as portas do enriquecimento FASTRACKIDS Abrir as portas do enriquecimento FasTracKids é: Um programa de enriquecimento que abrirá mais ou menos 50-70 portas do enriquecimento às crianças. FasTracKids é: Uma aprendizagem acelerada

Leia mais

Vivemos em dias em que um número cada vez maior de pessoas demonstra, das mais variadas maneiras, que nada sabem sobre Deus.

Vivemos em dias em que um número cada vez maior de pessoas demonstra, das mais variadas maneiras, que nada sabem sobre Deus. Vivemos em dias em que um número cada vez maior de pessoas demonstra, das mais variadas maneiras, que nada sabem sobre Deus. Questiona-se muito se as escolas devem ou não ter em sua grade curricular a

Leia mais

Alice Mendonça Universidade da Madeira INTERCULTURALIDADE. O QUE É?

Alice Mendonça Universidade da Madeira INTERCULTURALIDADE. O QUE É? Alice Mendonça Universidade da Madeira INTERCULTURALIDADE. O QUE É? Apartheid sistema de segregação social Até há uma década, cada sul africano era classificado numa destas categorias: Branco, pessoa de

Leia mais

BRINCAR NO HOSPITAL: A CONTRIBUIÇÃO DO LÚDICO NA RECUPERAÇÃO DE CRIANÇAS HOSPITALIZADAS 1

BRINCAR NO HOSPITAL: A CONTRIBUIÇÃO DO LÚDICO NA RECUPERAÇÃO DE CRIANÇAS HOSPITALIZADAS 1 BRINCAR NO HOSPITAL: A CONTRIBUIÇÃO DO LÚDICO NA RECUPERAÇÃO DE CRIANÇAS HOSPITALIZADAS 1 RIZZATTI, Fernanda Lopes 2 ; SILVA, Mariluce Silveira da 3 ; NUNES, Janilse Fernandes 4 1 Trabalho de Pesquisa

Leia mais

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE Concurso Público de Ingresso no Magistério Público Estadual

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE Concurso Público de Ingresso no Magistério Público Estadual Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE Concurso Público de Ingresso no Magistério Público Estadual PARECERES DOS RECURSOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 14) No documento - Progestão : como

Leia mais

Confira a análise feita por Andréia Schmidt, psicóloga do portal, das respostas apresentadas às questões.

Confira a análise feita por Andréia Schmidt, psicóloga do portal, das respostas apresentadas às questões. Entre os meses de maio e julho de 2009, os alunos do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio responderam a um questionário que tinha como objetivo identificar o perfil dos nossos jovens quem são eles,

Leia mais

OPINIÃO SOBRE A QUALIDADE DE VIDA EM MANAUS OPINIÃO SOBRE A QUALIDADE JOB 003 DE VIDA DATA: FEV / 2010 M A N A U S

OPINIÃO SOBRE A QUALIDADE DE VIDA EM MANAUS OPINIÃO SOBRE A QUALIDADE JOB 003 DE VIDA DATA: FEV / 2010 M A N A U S OPINIÃO SOBRE A QUALIDADE JOB 003 DE VIDA M A N A U S DATA: FEV / 2010 ESPECIFICAÇÕES DA PESQUISA OBJETIVO Identificar a satisfação do morador de Manaus em relação a sua qualidade de vida. METODOLOGIA

Leia mais