Aula 06. Na prática, muitas vezes os operadores do direito se esquecem de computar as penas de cada crime individualmente.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aula 06. Na prática, muitas vezes os operadores do direito se esquecem de computar as penas de cada crime individualmente."

Transcrição

1 Turma e Ano: Direito Penal Matéria / Aula: Prescrição Aula 06 Professor: Marcelo Uzeda Monitor: Flávia Garcia Aula 06 (...) Continuação do tema prescrição PRESCRIÇÃO DA PENA EM CONCRETO Calcula-se o prazo prescricional com base na pena fixada na sentença condenatória (pena concreta), aplicando-se o prazo correspondente definido pelo art. 109 do CP. Prazos prescricionais determinados pelo art. 109 do CP QUANTIDADE DE PENA PRAZO PRESCRIÇÃO Superior a 12 anos 20 anos Superior a 8 anos e até 12 anos 16 anos Superior a 4 anos e até 8 anos 12 anos Superior a 2 anos e até 4 anos 8 anos De 1 a 2 anos 4 anos Inferior a 1 anos 3 anos Prescrição no Crime continuado Súmula 497 do STF - Quando se tratar de crime continuado, a prescrição regula-se pela pena imposta na sentença, não se computando o acréscimo decorrente da continuação. Exemplo: Toma-se o crime de sonegação do art. 1º da Lei 8.137, o qual tem pena abstrata de 2 a 5 anos. Suponha que o réu tenha cometido 5 vezes o referido crime. Se após a dosimetria esse réu for condenado a pena mínima de 2 anos, ele terá um acréscimo relativo ao crime continuado (art. 71, do CP) de 1/3 da pena, ou seja, de mais 8 meses. Portanto, a pena unificada desse réu será 2 anos e 8 meses. Nessas circunstâncias, o que a súmula diz é que a pena usada para calcular a prescrição é a pena individual do crime, sem o acréscimo relativo ao crime continuado. Ou seja, o prazo prescricional é fixado pela pena concreta de 2 anos, o que nos dá o prazo prescricional de 4 anos segundo a tabela acima determinada pelo art. 109 do CP. Na prática, muitas vezes os operadores do direito se esquecem de computar as penas de cada crime individualmente.

2 PRESCRIÇÃO PELA PENA IDEAL; EM PERSPECTIVA A ideia de prescrição pela pena ideal é uma construção da doutrina. Trata-se de um reconhecimento antecipado da prescrição retroativa. Assim sendo, para entender o tema prescrição pela pena ideal, primeiro, precisamos entender bem o que é prescrição retroativa e quando ela é possível. Vamos lembrar do esquema básico de marcos interruptivos da prescrição na linha do tempo: Consumação do Crime Marco Inicial da contagem da Prescrição 1 Recebimento da Denúncia ou Queixa 1ª Interrupção da Prescrição 2 Publicação da Sentença Penal Recorrível 2ª Interrupção da Prescrição Prescrição Retroativa depois do trânsito em julgado para a acusação, com parâmetro na pena em concreto, busca-se o prazo prescricional determinado pelo art. 109, CP. Com esse prazo determinado, olha-se para os intervalos de tempo 1 e 2 (ou seja, olha-se retroativamente com base na pena da sentença olha-se para trás) e constata-se, a prescrição. Antes da Lei /2010 era possível olhar para os intervalos 1 e 2. Contudo, a referida lei proibiu a prescrição com base no intervalo 1, ou seja, proibiu que se considere termo inicial de prescrição em data anterior à da denúncia ou queixa. Nos exatos termos do art. 110, 1º, do CP: A prescrição, depois da sentença condenatória com trânsito em julgado para a acusação ou depois de improvido seu recurso, regulase pela pena aplicada, não podendo, em nenhuma hipótese, ter por termo inicial data anterior à da denúncia ou queixa. Notar que a Lei /2010 não acabou com a prescrição retroativa totalmente, mas apenas limitou sua aplicação ao intervalo 2 - entre o recebimento da denúncia e a publicação da sentença. Atenção: se a data do fato é anterior a Lei /2010 é possível continuar defendendo a prescrição retroativa para o intervalo 1, pois lei gravosa não retroage em Direito Penal. Comparação da prescrição abstrata com prescrição em concreto (retroativa); Crime de Sonegação Pena Máxima de 5 anos o crime prescreve em 12 anos Sentença fixou pena de 2 anos (mínima) para Sonegação o crime prescreve em 4 anos

3 A prescrição pela pena ideal é o reconhecimento antecipado da prescrição retroativa, fixada pela pena em concreto. Vimos que a prescrição retroativa diminui bastante o prazo prescricional aplicável aos crimes, pois é regulada pela pena em concreto. Diante disso, muitas vezes, é possível que o juiz já no recebimento da denúncia, por meio de um exercício hipotético de aplicação da pena, vislumbre uma possível prescrição que ocorrerá na prolação de sua sentença, lá no futuro. O juiz, hoje, olha para sua possível sentença e já conclui que ela será afetada pela prescrição. Como? Ele constata que a provável pena em concreto não determinaria um prazo prescricional capaz de vencer o tempo do intervalo 1 (consumação do fato recebimento da denúncia). Basta pensar em uma denúncia que não narra causas de aumento, qualificadores, agravantes e que certamente terá sua pena fixada no mínimo. Se o juiz, no recebimento da denúncia, verifica que entre o fato e o presente já transcorreu o prazo prescricional determinado pela pena mínima ele poderia reconhecer a prescrição pela pena ideal e rejeitar a inicial, por perda superveniente do interesse de agir (interesse utilidade). Ocorre que, como vimos, não existe mais prescrição retroativa com termo inicial anterior ao recebimento da denúncia. Portanto, hoje não faz mais sentido discutir a prescrição pela pena ideal, pois a própria prescrição retroativa que seria antecipada está proibida. Não se pode mais reconhecer nenhuma prescrição em relação ao intervalo 1 nem prescrição retroativa, muito menos prescrição pela pena ideal. A prescrição pela pena ideal era uma construção doutrinária que nunca foi aceita pelos tribunais superiores. Vide Súmula 438 STJ É inadmissível a extinção da punibilidade pela prescrição da pretensão punitiva com fundamento em pena hipotética, independentemente da existência ou sorte do processo penal. Os argumentos pro prescrição ideal eram: i) Perda superveniente do interesse de agir (interesse utilidade); ii) É dever do juiz zelar pela regularidade do processo. Se falta justa causa em sentido amplo deveria o juiz pôr fim ao processo; iii) Economia processual: evita-se um processo custoso que efetivamente seria inútil; iv) Para o réu, evita-se o dissabor do processo.

4 Os argumentos contra prescrição ideal pacíficos nos Tribunais Superiores eram: i) Não há previsão legal da prescrição pela pena ideal; ii) Viola o princípio da presunção de inocência e o devido processo legal; iii) Prejudica a análise do mérito da ação que pode ser do interesse do réu Crítica do Professor aos argumentos contrários à prescrição ideal. Afirmar que viola os princípios da presunção de inocência e devido processo legal é usar os princípios garantistas do réu contra ele. Além disso, o STF ocasionalmente tem superado a Súmula 241 do TFR 1 e analisado o mérito de ações penais, quando há interesse político de pronunciamento. 2 Por fim, para o réu é positivo a extinção da punibilidade, pois não restará nenhum efeito penal sobre ele e, de qualquer forma, nem sempre uma sentença de mérito é capaz de impedir futuras discussões na esfera civil. Mas repita-se: toda essa discussão ficou esvaziada porque o legislador fechou a possiblidade de qualquer prescrição com termo inicial anterior à data da denúncia. Uma última questão que era discutida. Pode-se declarar a prescrição retroativa antecipada com base no art. 397, IV do CPP? Não poderia aplicar o art. 397, IV, CPP porque esse dispositivo legal só é aplicável para absolvição e o reconhecimento da prescrição pela pena ideal pressupõe um juízo de condenação incompatível com esse artigo. Se quisesse reconhecer a prescrição pela pena ideal deveria o juiz deveria valer-se do art. 267 do CPC c/c art. 3º do CPP, extinguindo o processo sem julgamento do mérito. PRESCRIÇÃO PARA O FUTURO INTERCORRENTE SUBSEQUENTE CP, Art. 110, 1º A prescrição, depois da sentença condenatória com trânsito em julgado para a acusação ou depois de improvido seu recurso, regula-se pela pena aplicada, não podendo, em nenhuma hipótese, ter por termo inicial data anterior à da denúncia ou queixa. São suas situações em que estará presente a prescrição para o futuro. 1 Súmula 241 TFR. A extinção da punibilidade pela prescrição da pretensão punitiva prejudica o exame do mérito da apelação criminal. 2 No julgamento que reconheceu a inconstitucionalidade do art. 25 da Lei de Contravenções Penais o STF superou a prescrição para entender pela inconstitucionalidade material do citado artigo.

5 Primeira situação: Recurso Exclusivo da Defesa: Sentença Condenatória Transitou em julgado só para acusação Recuso Exclusivo da Defesa 1 Acórdão Independentemente da sorte do recurso da defesa Tribunal tem um prazo para julgar esse recurso Nesse primeiro caso, ocorreu o trânsito em julgado só para acusação, ou seja, houve recurso exclusivo da defesa. O prazo 1 (sentença-acórdão) será determinado pelo prazo prescricional da pena concretamente aplicada. Ex: sentença fixou a pena de 6 meses (prescreve em 3 anos). O tribunal tem 3 anos para julgar o recurso, sob pena de prescrição. Independentemente do resultado do recurso, o tribunal tem que declarar extinta a punibilidade pela prescrição caso ultrapasse esse prazo. Segunda situação: quando há recurso da defesa improvido Sentença Condenatória Recurso da Acusação 1 Acórdão Recurso da Acusação improvido - a pena não se alterou Depois de improvido o recurso e mantida a situação original é possível verificar a prescrição superveniente, sempre com base na pena concreta, que não foi alterada pelo acórdão. Pressuposto para a ocorrência dessa prescrição é não ter ocorrido nenhuma prescrição anterior. Pergunta-se: acórdão que mantém a sentença condenatória interrompe a prescrição? A princípio não. Causa interruptiva da prescrição é o acórdão condenatório recorrível. O acórdão que mantém a sentença original não modifica o prazo prescricional. Contudo, existe construção jurisprudencial que entende que o acórdão que aumenta a pena é marco interruptivo da prescrição. É possível ocorrer a prescrição superveniente nos Tribunais Superiores desde que tenha sido mantida a sentença do julgamento no acórdão

6 Maior de 70 (setenta) anos tem o prazo prescricional reduzido pela metade. Para ter direito a essa redução deve completar 70 anos antes da primeira decisão condenatória, ainda que essa primeira decisão seja um acórdão de tribunal. PRESCRIÇÃO DA PRETENSÃO EXECUTÓRIA A prescrição da pretensão executória leva em conta a pena aplicada in concreto na sentença condenatória após o trânsito em julgado para a acusação e para a defesa. É que, com o trânsito em julgado, a pretensão punitiva se converte em pretensão executória e o Estado possui um prazo para executar a pena esse é o prazo prescricional da pretensão executória. São aplicáveis os prazos do art. 109, CP, aumentados de 1/3 se o condenado é reincidente. Atenção: esse aumento pela reincidência é exclusivo do prazo prescricional da pretensão executória. É isso o que quer dizer a Súmula 220 do STJ, a contrario sensu: A reincidência não influi no prazo da prescrição da pretensão punitiva. A prescrição da pretensão executória limita-se à extinção da pena, permanecendo intactos os demais efeitos penais e extrapenais (por exemplo, a reincidência não é afastada). Termo inicial da prescrição após a sentença condenatória irrecorrível CP, Art No caso do art. 110 deste Código, a prescrição começa a correr: I - do dia em que transita em julgado a sentença condenatória, para a acusação, ou a que revoga a suspensão condicional da pena ou o livramento condicional; II - do dia em que se interrompe a execução, salvo quando o tempo da interrupção deva computarse na pena O art. 112, I, do CP fala em dia do trânsito em julgado para a acusação. Contudo, existe uma tese do MPF que defende que a lei disse menos do que queria/deveria, pois, o termo inicial deve ser a data do trânsito em julgado para acusação E PARA A DEFESA. Outros termos iniciais: 1. Do dia em que transita em julgado a decisão que revoga o sursis (art 77 CP) ou o livramento condicional. 2. Do dia em que se interrompe a execução da pena. Ex: fuga

7 Art. 112, II, parte final Salvo quando o tempo da interrupção deva computar-se na pena Exemplo: preso que ficou surtado é transferido ao hospital para ser submetido a tratamento. Quando ele melhorar ele volta a cumprir pena. A internação interrompe o cumprimento da pena? Sim. Mas o tempo de internação é computado como cumprimento de pena? Sim. Esse é o sentido da ressalva do art. 112, II, parte final. Prescrição no caso de evasão do condenado ou de revogação do livramento condicional Art No caso de evadir-se o condenado ou de revogar-se o livramento condicional, a prescrição é regulada pelo tempo que resta da pena. Exemplo: O réu foi condenado a 4 anos. Desta feita o prazo de prescrição da pretensão executória é de 8 anos ou seja, após o trânsito em julgado o Estado tem 8 anos para dar início a execução dessa pena. Se o réu fugir por mais de 8 anos, essa pena estará prescrita. Se o réu cumprir 2 anos dessa pena e fugir será interrompida a prescrição, mas ela voltará a correr determinada pelo prazo de pena que restava. No exemplo, faltavam 2 anos de pena para o réu, portanto, o prazo de prescrição da pretensão executória para o restante da pena será de 4 anos. Não corre a prescrição se o réu está preso em outro país por outro motivo e o Brasil pediu a extradição. É uma causa impeditiva da prescrição. CP, Art Antes de passar em julgado a sentença final, a prescrição não corre: I - enquanto não resolvida, em outro processo, questão de que dependa o reconhecimento da existência do crime; II - enquanto o agente cumpre pena no estrangeiro. Parágrafo único - Depois de passada em julgado a sentença condenatória, a prescrição não corre durante o tempo em que o condenado está preso por outro motivo. HIPÓTESES ESPECIAIS Crise de instância réu citado por edital que não comparece, nem constitui advogado. Nesse caso, ficará suspenso o processo e o prazo prescricional. É o que diz o art. 366 do CPP, veja: CPP, Art Se o acusado, citado por edital, não comparecer, nem constituir advogado, ficarão suspensos o processo e o curso do prazo prescricional, podendo o juiz determinar a produção

8 antecipada das provas consideradas urgentes e, se for o caso, decretar prisão preventiva, nos termos do disposto no art Quanto tempo dura essa suspensão? Há divergência entre os Tribunais Superiores. STF: não há prazo, porque a lei não estabeleceu prazo. A lei determinou que a suspensão está sujeita a uma condição (evento futuro e incerto), que é o comparecimento, assim, enquanto não implementada essa condição permanece a suspensão; STJ: Súmula 415 do STJ - O período de suspensão do prazo prescricional é regulado pelo máximo da pena cominada. Exemplo de aplicação do entendimento do STJ: Recebimento da Denúncia - Pena Máxima do Crime é de 2 anos Interrupção da Prescrição Tentativas de encontrar o réu para citação - Sem sucesso Réu citado por edital não comparece nem constitui advogado. Aplicação do art. 366 do CPP - Suspensão do processo e da prescrição Interpretação do STJ: o prazo de suspensão regula-se pela pena em abstrato - prazo de suspensão de 4 anos Nesse exemplo, ao final dos 4 anos o juiz revoga a suspensão e nomeia defensor para o réu (dativo ou defensoria pública) e o processo seguirá sem a sua presença; Quando esse processo voltar a tramitar o juiz terá o prazo de 3 anos para julgar. O prazo de 1 ano que o processo já tramitou é descontado. Lembrar que a suspensão do prazo prescricional não zera a contagem. O prazo volta a correr de onde parou. Suspensão Condicional do Processo Não corre a prescrição durante o período de prova Lei 9.099/95, art. 89, 6º Não correrá a prescrição durante o prazo de suspensão do processo.

9 Não corre prescrição quando há parcelamento do débito nos crimes contra a ordem tributária previstos nos arts. 1º e 2º da Lei nº 8.137, de 27 de dezembro de 1990, e aos crimes contra a Previdência Social, previstos nos arts. 168-A e 337-A do CP Lei 9.439/96, Art. 83, 2º É suspensa a pretensão punitiva do Estado referente aos crimes previstos no caput, durante o período em que a pessoa física ou a pessoa jurídica relacionada com o agente dos aludidos crimes estiver incluída no parcelamento, desde que o pedido de parcelamento tenha sido formalizado antes do recebimento da denúncia criminal. Sempre que suspender a pretensão punitiva também se suspende a prescrição, por uma questão de lógica.

Extinção da punibilidade. Art. 107 do CP... IV - Prescrição, Decadência e Perempção

Extinção da punibilidade. Art. 107 do CP... IV - Prescrição, Decadência e Perempção LEGALE Art. 107 do CP... IV - Prescrição, Decadência e Perempção PRESCRIÇÃO é uma causa de extinção da punibilidade consistente na perda do prazo por parte do Estado para punir o agente (impor uma sentença

Leia mais

Direito Penal. Causas de Extinc a o da Punibilidade. Professor Adriano Kot.

Direito Penal. Causas de Extinc a o da Punibilidade.  Professor Adriano Kot. Direito Penal Causas de Extinc a o da Punibilidade Professor Adriano Kot www.acasadoconcurseiro.com.br www.estudaquepassa.com.br DIREITO PENAL CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE ROL CAUSAS DE EXTINÇÃO

Leia mais

Direito Penal. Dr. Pietro Chidichimo CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE

Direito Penal. Dr. Pietro Chidichimo CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE 1. Artigo 107, do Código Penal: Morte do agente Anistia Graça e Indulto Abolitio Criminis Decadência Perempção Renúncia Perdão Retratação Perdão Judicial ü Atestada por

Leia mais

DIREITO PENAL. Prescrição Penal arts. 109 a 119 do CP

DIREITO PENAL. Prescrição Penal arts. 109 a 119 do CP Prescrição Penal arts. 109 a 119 do CP Prescrição Punitiva Simples Ocorre antes do trânsito em julgado da sentença condenatória (TJSC); Extingue todos os efeitos penais; É a única forma de prescrição que

Leia mais

PRINCIPAIS PRAZOS NO CÓDIGO PENAL (Decreto-Lei nº 2.848, de )

PRINCIPAIS PRAZOS NO CÓDIGO PENAL (Decreto-Lei nº 2.848, de ) PRINCIPAIS PRAZOS NO CÓDIGO PENAL (Decreto-Lei nº 2.848, de 7-12-1940) Contagem Art. 10. O dia do começo inclui-se no cômputo do prazo. Contam-se os dias, os meses e os anos pelo calendário comum. Imposição

Leia mais

PRESCRIÇÃO (ART. 107, IV DO CP) Professor Jorge Luis Fayad Nazário

PRESCRIÇÃO (ART. 107, IV DO CP) Professor Jorge Luis Fayad Nazário PRESCRIÇÃO (ART. 107, IV DO CP) Professor Jorge Luis Fayad Nazário 1 CONTEXTUALIZAÇÃO a) O Estado é o titular exclusivo do direito de punir; b) Este direito tem natureza abstrata; c) É limitado; d) Encontra

Leia mais

Profª. Ms Simone Schroeder

Profª. Ms Simone Schroeder Profª. Ms Simone Schroeder Base legal: Artigos 109 ao 119 do Código Penal Conceito: É a perda do poder de punir ou de executar a sanção imposta pelo Estado, causada pelo decurso de tempo fixado em Lei

Leia mais

Extinção da Punibilidade

Extinção da Punibilidade Extinção da Punibilidade Denison Machado Oliveira Fabricio Nunes da Costa João Carlos Ramos Pinheiro Júnior Jonh Climaco Rodrigues Marques Kaio de Araújo Flexa Luiz Eduardo Monteiro da Silva Luiz Carlos

Leia mais

Execução provisória da pena e a prescrição. César Dario Mariano da Silva. Promotor de Justiça/SP

Execução provisória da pena e a prescrição. César Dario Mariano da Silva. Promotor de Justiça/SP Execução provisória da pena e a prescrição César Dario Mariano da Silva Promotor de Justiça/SP Muitas questões jurídicas surgirão com a recente decisão do Supremo Tribunal Federal de flexibilizar o princípio

Leia mais

QUESTÕES D. PENAL EXAME DE ORDEM TEMA: PRESCRIÇÃO PENAL Prof. Geibson Rezende

QUESTÕES D. PENAL EXAME DE ORDEM TEMA: PRESCRIÇÃO PENAL Prof. Geibson Rezende QUESTÕES D. PENAL EXAME DE ORDEM TEMA: PRESCRIÇÃO PENAL Prof. Geibson Rezende 1- Aplicada em: 2008 Banca: CESPE Órgão: OAB Prova: Exame de Ordem Acerca do instituto da prescrição penal e seus efeitos,

Leia mais

PONTO 1: Prescrição em abstrato PONTO 2: Prescrição Retroativa PONTO 3: Prescrição Intercorrente. 1. Prescrição em abstrato:

PONTO 1: Prescrição em abstrato PONTO 2: Prescrição Retroativa PONTO 3: Prescrição Intercorrente. 1. Prescrição em abstrato: 1 PONTO 1: Prescrição em abstrato PONTO 2: Prescrição Retroativa PONTO 3: Prescrição Intercorrente 1. Prescrição em abstrato: Causas suspensivas da PA art. 116 1, CP: I Questões prejudiciais: previstas

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br O instituto da prescrição criminal Anna Carolina Franco Coelho* I - INTRODUÇÃO A prescrição, objeto de estudo do presente trabalho, se faz necessário para não atribuir ao Estado

Leia mais

PONTO 1: PRESCRIÇÃO 1. PRESCRIÇÃO PRESTAÇÃO JURISDICIONAL IUS PUNIENDI IUS EXECUTIONIS

PONTO 1: PRESCRIÇÃO 1. PRESCRIÇÃO PRESTAÇÃO JURISDICIONAL IUS PUNIENDI IUS EXECUTIONIS 1 DIREITO PENAL PONTO 1: PRESCRIÇÃO 1. PRESCRIÇÃO PRESTAÇÃO JURISDICIONAL IUS PUNIENDI IUS EXECUTIONIS O Estado dispõe do direito de punir (ius puniendi) e o direito de executar (ius executionis). O criminoso

Leia mais

1. Prescrição da Pretensão Executória art. 110, caput 1, CP: - Sentença Penal condenatória transitada em julgado IRRECORÍVEL

1. Prescrição da Pretensão Executória art. 110, caput 1, CP: - Sentença Penal condenatória transitada em julgado IRRECORÍVEL 1 PONTO 1: Prescrição da Pretensão Executória PONTO 2: Prescrição da Pena de Multa PONTO 3: Prescrição na Lei de Falências PONTO 4: Prescrição do ato infracional 1. Prescrição da Pretensão Executória art.

Leia mais

ULISSES VIEIRA MOREIRA PEIXOTO

ULISSES VIEIRA MOREIRA PEIXOTO ULISSES VIEIRA MOREIRA PEIXOTO 2015 EDITORA S UMÁRIO Introdução... 13 CAPÍTULO 1 PRESCRIÇÃO E DECADÊNCIA NO CÓDIGO CIVIL 1.1. Da Prescrição... 17 1.2. Do Instituto da prescrição... 18 1.3. Dos Requisitos

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV AULA DIA 02/03 Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA E-mail: tiago_csouza@hotmail.com DIREITO PROCESSUAL PENAL IV dias. i)- Sentença em audiência ou no prazo de 10 - Prazo para encerramento da Primeira Fase do

Leia mais

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA CAMPI RIBEIRÃO PRETO - SP FACULDADE DE CIÊNCIAS DO DIREITO GERALDO DOMINGOS COSSALTER QUESTIONÁRIO DIREITO PENAL

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA CAMPI RIBEIRÃO PRETO - SP FACULDADE DE CIÊNCIAS DO DIREITO GERALDO DOMINGOS COSSALTER QUESTIONÁRIO DIREITO PENAL UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA CAMPI RIBEIRÃO PRETO - SP FACULDADE DE CIÊNCIAS DO DIREITO GERALDO DOMINGOS COSSALTER QUESTIONÁRIO DIREITO PENAL Ribeirão Preto 2015 GERALDO DOMINGOS COSSALTER QUESTIONÁRIO DIREITO

Leia mais

- Procedimento Juizados Especiais (Lei 9.099) Qual o recurso cabível da decisão que não homologa a transação penal?

- Procedimento Juizados Especiais (Lei 9.099) Qual o recurso cabível da decisão que não homologa a transação penal? Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Processo Penal / Aula 16 Professor: Elisa Pittaro Conteúdo: Lei 9.099: Audiência Preliminar; Audiência de Instrução e Julgamento; Recursos; Suspensão Condicional

Leia mais

Prescrição da pretensão punitiva

Prescrição da pretensão punitiva PRESCRIÇÃO PENAL 1 CONCEITO É o instituto jurídico mediante o qual o Estado, por não fazer valer o seu direito de punir em determinado tempo, perde o mesmo, ocasionando a extinção da punibilidade. É um

Leia mais

Pós Penal e Processo Penal. Legale

Pós Penal e Processo Penal. Legale Pós Penal e Processo Penal Legale CITAÇÃO Citação é o ato de comunicar e chamar o réu ao processo Quem é citado é o réu. Quem é citado é o réu. Só em uma hipótese quem é citado não é o réu: no caso de

Leia mais

PONTO 1: Extinção da Punibilidade PONTO 2: Prescrição Penal 1. EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE

PONTO 1: Extinção da Punibilidade PONTO 2: Prescrição Penal 1. EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE 1 DIREITO PENAL PONTO 1: Extinção da Punibilidade PONTO 2: Prescrição Penal 1. EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE Com a prática da infração penal, surge para o Estado o direito de punir o agente, ou seja, a punibilidade,

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Correlação entre acusação e sentença. Gustavo Badaró aula de

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Correlação entre acusação e sentença. Gustavo Badaró aula de Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Correlação entre acusação e sentença Gustavo Badaró aula de 11.08.2015 1. Noções Gerais PLANO DA AULA 2. Distinção entre fato penal e fato processual penal

Leia mais

Citação. Conceito. Espécies.

Citação. Conceito. Espécies. Citação. Conceito. Espécies. O OBJETIVO DESSE AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM SERÁ A APRESENTAÇÃO DO ATO PROCESSUAL DE COMUNICAÇÃO DENOMINADO CITAÇÃO CITAÇÃO CONCEITO DE CITAÇÃO NO PROCESSO PENAL A citação

Leia mais

Extinção da punibilidade

Extinção da punibilidade LEGALE Extinção da punibilidade prescrição Tabela de prescrição Extinção da punibilidade prescrição I - em vinte anos, se o máximo da pena é superior a doze; II - em dezesseis anos, se o máximo da pena

Leia mais

SÚMULAS DE DIREITO PENAL

SÚMULAS DE DIREITO PENAL SÚMULAS DE DIREITO PENAL DIVIDIDAS POR TEMAS STJ E STF Súmula nº 611 APLICAÇÃO DA LEI PENAL Transitada em julgado a sentença condenatória, compete ao Juízo das execuções a aplicação de lei mais benigna.

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Citação e intimações. Gustavo Badaró aula de 08 e

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Citação e intimações. Gustavo Badaró aula de 08 e Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Citação e intimações Gustavo Badaró aula de 08 e 15.03.2017 PLANO DA AULA 1. Questões terminológicas 2. Classificação das citações 3. Citação por mandado

Leia mais

LIVRAMENTO CONDICIONAL

LIVRAMENTO CONDICIONAL LIVRAMENTO CONDICIONAL Arts. 83 a 90 do CP e 131 e s. da LEP. Consagrado no CP de 1890, mas com efetiva aplicação pelo Decreto 16.665 de 1924. É mais uma tentativa de diminuir os efeitos negativos da prisão.

Leia mais

Citação do réu Preso. Art Se o réu estiver preso, será pessoalmente citado.

Citação do réu Preso. Art Se o réu estiver preso, será pessoalmente citado. Citação Art. 351. A citação inicial far-se-á por mandado, quando o réu estiver no território sujeito à jurisdição do juiz que a houver ordenado. Art. 352. O mandado de citação indicará: I - o nome do juiz;

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Lei 9.271/96: Os vícios da citação editalícia e seus reflexos na suspensão da prescrição como efeito da revelia Marcelo Lessa Bastos * Lecionando sobre o novo tratamento da revelia

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Revisão Criminal. Gustavo Badaró aula de

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Revisão Criminal. Gustavo Badaró aula de Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Revisão Criminal Gustavo Badaró aula de 10.11.2015 PLANO DA AULA 1. Noções gerais 2. Condições da ação 3. Pressupostos processuais 4. Procedimento 1. NOÇÕES

Leia mais

Crimes Contra a Ordem Tributária João Daniel Rassi

Crimes Contra a Ordem Tributária João Daniel Rassi Crimes Contra a Ordem Tributária João Daniel Rassi LEI 8.137/90 QUESTÕES PRELIMINARES Disposições constitucionais Dado histórico: PERGUNTA-SE: A EXISTÊNCIA DE CRIMES CONTRA A ORDEM TRIBUTÁRIA NÃO IMPLICA

Leia mais

PRINCÍPIOS PROCESSUAIS PENAIS SISTEMAS PROC PENAIS e LEI PROC PENAL. Profª. Karem Ferreira Facebook: Karem Ferreira OAB

PRINCÍPIOS PROCESSUAIS PENAIS SISTEMAS PROC PENAIS e LEI PROC PENAL. Profª. Karem Ferreira Facebook: Karem Ferreira OAB PRINCÍPIOS PROCESSUAIS PENAIS SISTEMAS PROC PENAIS e LEI PROC PENAL Profª. Karem Ferreira Facebook: Karem Ferreira OAB Twitter: @Prof_KaFerreira 1. PRINCÍPIOS PROCESSUAIS PENAIS 1.1. Devido Processo Legal

Leia mais

CURSO PROFESSOR ANDRESAN! CURSOS PARA CONCURSOS PROFESSORA SIMONE SCHROEDER

CURSO PROFESSOR ANDRESAN! CURSOS PARA CONCURSOS PROFESSORA SIMONE SCHROEDER CURSO PROFESSOR ANDRESAN! CURSOS PARA CONCURSOS PROFESSORA SIMONE SCHROEDER REGIME PENAL 1. Conforme entendimento do STF, a opinião do julgador sobre a gravidade em abstrato do crime não constitui motivação

Leia mais

Extinção da Punibilidade

Extinção da Punibilidade LEGALE Extinção da Punibilidade É a extinção da capacidade de punir pertencente ao Estado. Como se sabe, a ação pode ser pública ou privada, mas quem pune o agente é o Estado, único detentor do jus puniendi.

Leia mais

b) as medidas de segurança e as penas são aplicáveis tanto aos inimputáveis como aos semi-imputáveis;

b) as medidas de segurança e as penas são aplicáveis tanto aos inimputáveis como aos semi-imputáveis; DIREITO PENAL II - CCJ0032 Título SEMANA 16 Descrição 1) As medidas de segurança diferem das penas nos seguintes pontos: a) as penas são proporcionais à periculosidade do agente; b) as medidas de segurança

Leia mais

PROCESSO PENAL 1. PENA PRIVATIVA DE LIBERDADE. Reclusão e detenção está reservada para os crimes e a prisão simples para as contravenções.

PROCESSO PENAL 1. PENA PRIVATIVA DE LIBERDADE. Reclusão e detenção está reservada para os crimes e a prisão simples para as contravenções. 1 PROCESSO PENAL PROCESSO PENAL PONTO 1: Pena Privativa de Liberdade PONTO 2: Princípio da Individualização da Pena PONTO 3: Individualização Judicial São três: a) Reclusão b) Detenção c) Prisão Simples

Leia mais

CEM. Magistratura Federal. Direito Penal. Das Penas

CEM. Magistratura Federal. Direito Penal. Das Penas CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER Direito Penal Período 2010 2016 1) CESPE - JF TRF2/TRF 2/2013 A respeito de aspectos diversos relacionados às penas, assinale a opção correta. a) No concurso formal perfeito,

Leia mais

STJ FREDERICO BLASI NETTO PRESCRIÇÃO PENAL MANUAL PRÁTICO PARA ENTENDÊ-LA E CALCULÁ-LA. 4 a edição revista e ampliada

STJ FREDERICO BLASI NETTO PRESCRIÇÃO PENAL MANUAL PRÁTICO PARA ENTENDÊ-LA E CALCULÁ-LA. 4 a edição revista e ampliada STJ00096228 FREDERICO BLASI NETTO PRESCRIÇÃO PENAL MANUAL PRÁTICO PARA ENTENDÊ-LA E CALCULÁ-LA 4 a edição revista e ampliada Belo Horizonte 2013 Copyright 2013 Editora Del Rey LIda. Nenhuma parte deste

Leia mais

As alterações no prazo prescricional da pretensão punitiva trazidas pela Lei nº , de 05 de maio de 2010 e seus reflexos na Justiça Militar 1

As alterações no prazo prescricional da pretensão punitiva trazidas pela Lei nº , de 05 de maio de 2010 e seus reflexos na Justiça Militar 1 As alterações no prazo prescricional da pretensão punitiva trazidas pela Lei nº 12.234, de 05 de maio de 2010 e seus reflexos na Justiça Militar 1 Jorge Cesar de Assis 2 1. A FINALIDADE DA LEI A lei nº

Leia mais

SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA. Profa. Luanna Tomaz

SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA. Profa. Luanna Tomaz SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA Profa. Luanna Tomaz INTRODUÇÃO Origem: Surge na França em 1884. Medida judicial que determina o sobrestamento da pena, preenchidos determinados requisitos. Natureza Jurídica:

Leia mais

Interpretação e integração da lei penal Interpretação...11

Interpretação e integração da lei penal Interpretação...11 Sumário Notas Preliminares Finalidade do Direito Penal...2 Bens que podem ser protegidos pelo Direito Penal...2 Códigos do Brasil...3 Código Penal atual...3 Direito Penal...3 Garantismo...3 Garantias...4

Leia mais

TJ - SP Exercício Processo Penal Exercício I Emerson Castelo Branco Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

TJ - SP Exercício Processo Penal Exercício I Emerson Castelo Branco Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. TJ - SP Exercício Processo Penal Exercício I Emerson Castelo Branco 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 1-Normatiza o art. 274 do Código de Processo Penal: as

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Procedimento comum: ordinário e sumário. Gustavo Badaró aulas 22 e 29 de março de 2017

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Procedimento comum: ordinário e sumário. Gustavo Badaró aulas 22 e 29 de março de 2017 Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Procedimento comum: ordinário e sumário Gustavo Badaró aulas 22 e 29 de março de 2017 PLANO DA AULA 1. Comparação dos procedimentos ordinários 2. Procedimento

Leia mais

CRIMES ECONÔMICOS CRIMES DE SONEGAÇÃO FISCAL A EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE PELO PAGAMENTO DO TRIBUTO

CRIMES ECONÔMICOS CRIMES DE SONEGAÇÃO FISCAL A EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE PELO PAGAMENTO DO TRIBUTO CRIMES ECONÔMICOS CRIMES DE SONEGAÇÃO FISCAL A EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE PELO PAGAMENTO DO TRIBUTO Professor Doutor Gianpaolo Poggio Smanio Professor da Faculdade de Direito - UPM 1 HISTÓRICO - A EXTINÇÃO

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Prescrição Penal Paulo Henrique Moura Lara* Vania Maria Benfica Guimarães Pinto Coelho ** Resumo: O instituto da prescrição penal, previsto nos Artigos 107 e 109 do código penal

Leia mais

SÚMULAS STJ & STF DIREITO PENAL E LEGISLAÇÃO CRIMINAL

SÚMULAS STJ & STF DIREITO PENAL E LEGISLAÇÃO CRIMINAL SÚMULAS STJ & STF DIREITO PENAL E LEGISLAÇÃO CRIMINAL Separadas por assunto Prof. Geibson Rezende SÚMARIO 1. Direito Penal Parte Geral 1.1 Aplicação da Lei Penal 1.2 Do Crime 1.3 Da imputabilidade Penal

Leia mais

HABEAS CORPUS CRIME Nº , DE GUAÍRA - VARA CRIMINAL,

HABEAS CORPUS CRIME Nº , DE GUAÍRA - VARA CRIMINAL, HABEAS CORPUS CRIME Nº 1520334-8, DE GUAÍRA - VARA CRIMINAL, FAMÍLIA E SUCESSÕES, INFÂNCIA E JUVENTUDE E JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL IMPETRANTE : FELIPE FOLTRAN CAMPANHOLI PACIENTE : FELIPE EDUARDO KOTOVICZ

Leia mais

LIVRAMENTO CONDICIONAL LUANNA TOMAZ

LIVRAMENTO CONDICIONAL LUANNA TOMAZ LIVRAMENTO CONDICIONAL LUANNA TOMAZ CONCEITO Incidente na execução da pena privativa de liberdade que possibilita a liberdade antecipada, mediante a existência de pressupostos e condicionada a determinadas

Leia mais

Direito Penal. Extinção da Punibilidade

Direito Penal. Extinção da Punibilidade Direito Penal Extinção da Punibilidade Punibilidade: Introdução Abstrata (lei) X Concreta (sentença condenatória) Nulla culpa sine judicio ( não há culpabilidade ou responsabilidade sem o devido processo

Leia mais

Prof. Magda Hofstaetter SENTENÇA

Prof. Magda Hofstaetter SENTENÇA Prof. Magda Hofstaetter SENTENÇA DESPACHOS, DECISÕES INTERLOCUTÓRIAS E SENTENÇA A) DESPACHOS DE MERO EXPEDIENTE artigo 93, XIV, CF B)DECISÕES INTERLOCUTÓRIAS *SIMPLES: questões controvertidas no processo

Leia mais

CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE

CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE As causas de extinção da punibilidade não fazem parte do conceito analítico de crime. Logo, se não apagam o crime, não impedem, por exemplo, que a vítima ou seu representante

Leia mais

REINALDO ROSSANO LÉO MATOS INFORMÁTICA EXERCÍCIOS QUADRIX LINUX DIREITO PROCESSUAL PENAL

REINALDO ROSSANO LÉO MATOS INFORMÁTICA EXERCÍCIOS QUADRIX LINUX DIREITO PROCESSUAL PENAL REINALDO ROSSANO LÉO MATOS INFORMÁTICA EXERCÍCIOS QUADRIX LINUX DIREITO PROCESSUAL PENAL CARGOS: OFICIAL DE JUSTIÇA E ANALISTA JUDICIÁRIO FUNÇÃO JUDICIÁRIA PROVA OBJETIVA: 9.1.3. A Prova Objetiva será

Leia mais

Direito Processual Penal

Direito Processual Penal Direito Processual Penal Citação e Intimação Professor Joerberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Processual Penal CITAÇÃO E INTIMAÇÃO TÍTULO X Das Citações e Intimações CAPÍTULO I DAS CITAÇÕES

Leia mais

DIREITO PENAL Introdução A punibilidade e sua extinção A Extinção da Punibilidade Noções iniciais: Praticada a ação delituosa, surge o direito

DIREITO PENAL Introdução A punibilidade e sua extinção A Extinção da Punibilidade Noções iniciais: Praticada a ação delituosa, surge o direito Cópia proibida DIREITO PENAL 11 11.1 Introdução A punibilidade e sua extinção A Extinção da Punibilidade Noções iniciais: Praticada a ação delituosa, surge o direito subjetivo do Estado para impor uma

Leia mais

Advogados : Renata Alice Pessôa Ribeiro de Castro Stutz (OAB/RO 1.112) e outros

Advogados : Renata Alice Pessôa Ribeiro de Castro Stutz (OAB/RO 1.112) e outros TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE RONDÔNIA 2ª Câmara Cível Data de distribuição :28/07/2008 Data de julgamento :17/09/2008 100.005.2007.006353-8 Apelação Cível Origem : 00520070063538 Ji-Paraná/RO (2ª Vara Cível)

Leia mais

Material de Apoio Prof. Fernando Tadeu Marques Apontamentos de Direito Penal. Da suspensão condicional da pena - Sursis (arts.

Material de Apoio Prof. Fernando Tadeu Marques Apontamentos de Direito Penal. Da suspensão condicional da pena - Sursis (arts. Da suspensão condicional da pena - Sursis (arts. 77 ao 82, CP) Conceito A suspensão condicional da pena, também conhecida por sursis, pode ser conceituada como a suspensão parcial da execução da pena privativa

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Sentença Penal. Gustavo Badaró aula de

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Sentença Penal. Gustavo Badaró aula de Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Sentença Penal Gustavo Badaró aula de 04.08.2015 1. Conceito PLANO DA AULA 2. Classificação e denominações 3. Elementos da sentença 4. Sentença penal absolutória

Leia mais

Aula 14. EMBARGOS INFRINGENTES E DE NULIDADE (art. 609, parágrafo único, CPP)

Aula 14. EMBARGOS INFRINGENTES E DE NULIDADE (art. 609, parágrafo único, CPP) Turma e Ano: Regular 2015 / Master B Matéria / Aula: Direito Processual Penal / Aula 14 Professor: Elisa Pittaro Monitora: Kelly Soraia Aula 14 EMBARGOS INFRINGENTES E DE NULIDADE (art. 609, parágrafo

Leia mais

SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA (STJ) Súmula n.º 13 A divergência entre julgados do mesmo Tribunal não enseja recurso especial.

SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA (STJ) Súmula n.º 13 A divergência entre julgados do mesmo Tribunal não enseja recurso especial. SÚMULAS PENAIS E PROCESSUAIS PENAIS SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA (STJ) Súmula n.º 7 A pretensão de simples reexame de prova não enseja recurso especial. Súmula n.º 13 A divergência entre julgados do mesmo

Leia mais

STJ Diogo Alexandre Restani PRESCRIÇÃO PENAL. Imprescindibilidade e Utilidade (leitura prática, doutrinária e jurisprudencial) 1a edição

STJ Diogo Alexandre Restani PRESCRIÇÃO PENAL. Imprescindibilidade e Utilidade (leitura prática, doutrinária e jurisprudencial) 1a edição Diogo Alexandre Restani PRESCRIÇÃO PENAL Imprescindibilidade e Utilidade (leitura prática, doutrinária e jurisprudencial) 1a edição ~ São Bernardo do Campo GARCIA edizioni 2014 PRESCRIÇÃO PENAL: IMPRESCINDIBILIDADE

Leia mais

PRESCRIÇÃO DIREITO PENAL. Cléber Masson + Rogério Sanches + Rogério Greco + Informativos STF e STJ (Dizer o Direito)

PRESCRIÇÃO DIREITO PENAL. Cléber Masson + Rogério Sanches + Rogério Greco + Informativos STF e STJ (Dizer o Direito) PRESCRIÇÃO DIREITO PENAL Cléber Masson + Rogério Sanches + Rogério Greco + Informativos STF e STJ (Dizer o Direito) INTRODUÇÃO - Prescrição é a perda, em face do decurso do tempo, do direito de o Estado

Leia mais

PROCESSO PENAL MARATONA OAB XXI PROF. FLÁVIO MILHOMEM

PROCESSO PENAL MARATONA OAB XXI PROF. FLÁVIO MILHOMEM PROCESSO PENAL MARATONA OAB XXI PROF. FLÁVIO MILHOMEM 1ª QUESTÃO José Augusto foi preso em flagrante delito pela suposta prática do crime de receptação (Art. 180 do Código Penal pena: 01 a 04 anos de reclusão

Leia mais

03/05/2017 DEUSDEDY SOLANO DIREITO PROCESSUAL PENAL CÓDIGO DE PROCESSO PENAL

03/05/2017 DEUSDEDY SOLANO DIREITO PROCESSUAL PENAL CÓDIGO DE PROCESSO PENAL DEUSDEDY SOLANO DIREITO PROCESSUAL PENAL CÓDIGO DE PROCESSO PENAL 1 LIVRO I TÍTULO VII CAPÍTULO I e II DO JUIZ, DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ACUSADO E DEFENSOR, DOS ASSISTENTES E AUXILIARES DA JUSTIÇA Arts.

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO Q PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO 126 ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACORDÃO/DF.CISÃO MOMOCRATICA REGISTRADO(A) SOB N '02967531' Vistos, relatados e discutidos estes autos de

Leia mais

Ponto 13 do plano de ensino. Efeitos da condenação: secundários; penais e extrapenais genéricos e específicos. Reabilitação. Reincidência.

Ponto 13 do plano de ensino. Efeitos da condenação: secundários; penais e extrapenais genéricos e específicos. Reabilitação. Reincidência. Ponto 13 do plano de ensino Efeitos da condenação: secundários; penais e extrapenais genéricos e específicos. Reabilitação. Reincidência. Efeitos da Condenação Art. 91/92 Condenação 1 Efeitos da Condenação

Leia mais

SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA CAPÍTULO IV DO CÓDIGO PENAL

SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA CAPÍTULO IV DO CÓDIGO PENAL SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA CAPÍTULO IV DO CÓDIGO PENAL Marlon Ricardo Lima Chaves CONCEITUAÇÃO: penal. Suspensão condicional da pena é mais conhecido como SURSIS O termo sursis é uma palavra francesa

Leia mais

A extinção da punibilidade pelo pagamento nos delitos contra a ordem tributária

A extinção da punibilidade pelo pagamento nos delitos contra a ordem tributária A extinção da punibilidade pelo pagamento nos delitos contra a ordem tributária Sumário: 1. Nota introdutória; 2. O instituto extinção da punibilidade; 3A extinção da punibilidade nos crimes contra a ordem

Leia mais

Prescrição Penal. Mês: início no dia 1º Da consumação do fato quando não for possível precisar a data: Ano: início em Janeiro

Prescrição Penal. Mês: início no dia 1º Da consumação do fato quando não for possível precisar a data: Ano: início em Janeiro PRESCRIÇÃO PENAL PRESCRIÇÃO DA PRETENSÃO PUNITIVA ABSTRATA INÍCIO OU TERMO INICIAL DA CONTAGEM: via de regra, o termo inicial da prescrição da pretensão punitiva ocorre a partir da data do fato. Mês: início

Leia mais

Suspensão Condicional da Pena. Aula 5

Suspensão Condicional da Pena. Aula 5 Suspensão Condicional da Pena Aula 5 SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA Conceito Instituto importado do direito francês consistente na possibilidade de o juiz liberar o condenado do cumprimento da pena privativa

Leia mais

- PARA CRIMES CUJA PENA MÁXIMA SEJA IGUAL OU SUPERIOR A QUATRO ANOS: PROCEDIMENTO ORDINÁRIO;

- PARA CRIMES CUJA PENA MÁXIMA SEJA IGUAL OU SUPERIOR A QUATRO ANOS: PROCEDIMENTO ORDINÁRIO; ESQUEMA DE ESTUDO PROCEDIMENTOS PENAIS PROFESSOR: PIETRO CHIDICHIMO JUNIOR NOVA FORMA DE ESCOLHA DOS PROCEDIMENTOS COMUNS COM O ADVENTO DA LEI N.º 11.719/08. EXCEÇÕES: PROCEDIMENTO DE FUNCIONÁRIO E HONRA

Leia mais

Das partes. O juiz. Outros atos processuais (auxiliares da Justiça e terceiros)

Das partes. O juiz. Outros atos processuais (auxiliares da Justiça e terceiros) Das partes. O juiz. Outros atos processuais (auxiliares da Justiça e terceiros) O OBJETIVO DESSE AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM SERÁ A APRESENTAÇÃO DOS ATOS PROCESSUAIS DAS PARTES, DO JUIZ E DOS DEMAIS

Leia mais

Juizados Especiais Criminais

Juizados Especiais Criminais Direito Processual Penal Juizados Especiais Criminais Constituição Federal Art. 98. A União, no Distrito Federal e nos Territórios, e os Estados criarão: I - juizados especiais, providos por juízes togados,

Leia mais

Direito Penal Dr. Pietro Chidichimo

Direito Penal Dr. Pietro Chidichimo 1 Prescrição 1. Assinale a opção correta com base no que dispõe o CP. a) O funcionário público que, por imprudência, deixar aberta a porta do setor em que trabalha, facilitando, assim, a entrada de terceiros

Leia mais

PRINCIPAIS PEÇAS PENAIS

PRINCIPAIS PEÇAS PENAIS PRINCIPAIS PEÇAS PENAIS QUEIXA CRIME CABIMENTO FUNDAMENTO LEGAL ENDEREÇAMENTO PRAZO PEDIDOS AÇÃO PENAL PRIVADA AÇÃO PENAL PRIVADA SUBSIDIÁRIA DA PÚBLICA ART. 30 E 41, CPP SÓ PODE SER OFERECIDA A UM JUIZ

Leia mais

Prof. Raul de Mello Franco Jr. - UNIARA PODER EXECUTIVO. 3ª aula. Prof. Raul de Mello Franco Jr.

Prof. Raul de Mello Franco Jr. - UNIARA PODER EXECUTIVO. 3ª aula. Prof. Raul de Mello Franco Jr. PODER EXECUTIVO 3ª aula Prof. Raul de Mello Franco Jr. SUBSÍDIOS do PRESIDENTE, do VICE e dos MINISTROS São fixados pelo CN, por decreto-legislativo (art. 49, VIII, CF). Devem ser fixados em parcela única.

Leia mais

ACÓRDÃO. Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete do Des. ARNOBIO ALVES TEODOSIO

ACÓRDÃO. Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete do Des. ARNOBIO ALVES TEODOSIO a 1 Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete do Des. ARNOBIO ALVES TEODOSIO ACÓRDÃO EMBARGOS DE DECLARAÇÃO N 001.2006.01.5197-21001, 3a Vara Criminal da Comarca de Campina Grande PB. RELATOR

Leia mais

RECURSOS CRIMINAIS TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL RECURSOS RECURSOS RECURSOS RECURSOS RECURSOS

RECURSOS CRIMINAIS TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL RECURSOS RECURSOS RECURSOS RECURSOS RECURSOS TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL CRIMINAIS Conceito Vem do latim recursos, é o oposto de processo (procedere caminhar para frente), significa caminho de volta, caminhar para trás. É o mecanismo processual destinado

Leia mais

Ponto 12 do plano de ensino

Ponto 12 do plano de ensino Ponto 12 do plano de ensino Livramento condicional: conceito e natureza jurídica, requisitos (objetivos e subjetivos), concessão, condições, revogação obrigatória e revogação facultativa, prorrogação,

Leia mais

Extinção de Punibilidade - Aula IV - 13/03/2017

Extinção de Punibilidade - Aula IV - 13/03/2017 Extinção de Punibilidade - Aula IV - 13/03/2017 Continuação Sursis Revogação *obrigatória: * nova CTJ por crime doloso * não reparação de dano, salvo... *descumprimento da condição do artigo 78, 1º *facultativo:

Leia mais

4.8 Comunicabilidade das condições, elementares e circunstâncias 4.9 Agravantes no concurso de agentes 4.10 Cabeças 4.11 Casos de impunibilidade

4.8 Comunicabilidade das condições, elementares e circunstâncias 4.9 Agravantes no concurso de agentes 4.10 Cabeças 4.11 Casos de impunibilidade Sumário NDICE SISTEMÁTICO EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS DO CÓDIGO PENAL MILITAR 1. DA APLICAÇÃO DA LEI PENAL MILITAR 1.1 O princípio da legalidade e suas funções de garantia 1.2 Abolitio criminis e novatio legis

Leia mais

Procedimento comum ordinário.

Procedimento comum ordinário. Procedimento comum ordinário. O OBJETIVO DESSE AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM SERÁ A APRESENTAÇÃO DO PROCEDIMENTO COMUM ORDINÁRIO Devido processo legal PROCESSO E PROCEDIMENTO Inicialmente, é importante

Leia mais

XVI - RECURSO EM SENTIDO ESTRITO

XVI - RECURSO EM SENTIDO ESTRITO RELATOR : DESEMBARGADORA FEDERAL VICE PRESIDENTE RECORRENTE : MINISTERIO PUBLICO FEDERAL RECORRIDO : EDSON ANTONIO DE OLIVEIRA ADVOGADO : NASCIMENTO ALVES PAULINO E OUTRO ORIGEM : PRIMEIRA VARA FEDERAL

Leia mais

SOBRE A PRESCRIÇÃO RETROATIVA NO DIREITO PENAL BRASILEIRO APÓS A LEI N /2010

SOBRE A PRESCRIÇÃO RETROATIVA NO DIREITO PENAL BRASILEIRO APÓS A LEI N /2010 SOBRE A PRESCRIÇÃO RETROATIVA NO DIREITO PENAL BRASILEIRO APÓS A LEI N. 12.234/2010 Raul Carneiro Nepomuceno 1 447 RESUMO: O presente artigo trata das alterações produzidas no Código Penal brasileiro pela

Leia mais

Pós Penal e Processo Penal. Legale

Pós Penal e Processo Penal. Legale Pós Penal e Processo Penal Legale NULIDADES Existem vários graus de vícios processuais: Irregularidade Nulidade Relativa Nulidade Absoluta Inexistência irregularidade: vício que não traz prejuízo nulidade

Leia mais

CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE

CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE Professor Pietro Chidichimo Júnior As causas de extinção da punibilidade não fazem parte do conceito analítico de crime. Logo, se não apagam o crime, não impedem, por

Leia mais

Sumário PRINCÍPIOS DO DIREITO PENAL NORMA PENAL... 33

Sumário PRINCÍPIOS DO DIREITO PENAL NORMA PENAL... 33 CAPÍTULO 1 PRINCÍPIOS DO DIREITO PENAL... 13 1. Noções preliminares...13 2. Peculiaridades dos princípios do Direito Penal...13 3. Princípio da legalidade ou da reserva legal...14 3.1 Abrangência do princípio

Leia mais

Direito Penal. Livramento Condicional: Conceito e Consequências, Requisitos para a Concessão e Prorrogação do Período de Prova. Professor Adriano Kot

Direito Penal. Livramento Condicional: Conceito e Consequências, Requisitos para a Concessão e Prorrogação do Período de Prova. Professor Adriano Kot Direito Penal Livramento Condicional: Conceito e Consequências, Requisitos para a Concessão e Prorrogação do Período de Prova Professor Adriano Kot www.acasadoconcurseiro.com.br www.estudaquepassa.com.br

Leia mais

Aula 101. Julgamento conforme o estado do processo (Parte II):

Aula 101. Julgamento conforme o estado do processo (Parte II): Turma e Ano: Direito Processual Civil - NCPC (2016) Matéria / Aula: Julgamento conforme o Estado do Processo (Parte II) / 101 Professor: Edward Carlyle Monitora: Laryssa Marques Aula 101 Julgamento conforme

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça HABEAS CORPUS Nº 219.752 - SC (2011/0230278-6) RELATOR : MINISTRO ROGERIO SCHIETTI CRUZ IMPETRANTE : IVAN RICARDO GOMES DA SILVA E OUTRO ADVOGADO : IVAN RICARDO GOMES DA SILVA E OUTRO(S) IMPETRADO : TRIBUNAL

Leia mais

DIREITO PENAL Retroatividade da lei Ultratividade da lei

DIREITO PENAL Retroatividade da lei Ultratividade da lei 1 -Aplicação da Lei Penal no Tempo ART. 1o do CP PRINCÍPIO DA LEGALIDADE PRINCÍPIO DA ANTERIORIDADE PRINCÍPIO DA RESERVA LEGAL 2 - PRINCÍPIO DA LEGALIDADE Funções do Princípio da Legalidade: Proibir a

Leia mais

UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI URCA CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS DEPARTAMENTO DE DIREITO DISCIPLINA: DIREITO PENAL I

UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI URCA CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS DEPARTAMENTO DE DIREITO DISCIPLINA: DIREITO PENAL I UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI URCA CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS DEPARTAMENTO DE DIREITO DISCIPLINA: DIREITO PENAL I EXTINÇÃO DE PUNIBILIDADE Acadêmico: Rafael Mota Reis EXTINÇÃO DE PUNIBILIDADE

Leia mais

EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE. Prof. Ms. Newton Cruz. Punibilidade

EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE. Prof. Ms. Newton Cruz. Punibilidade 1 EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE Punibilidade Prof. Ms. Newton Cruz Punibilidade é a possibilidade jurídica de o Estado impor uma sanção ao responsável (autor, coautor ou partícipe) pela infração (MASSON, op,

Leia mais

6 - Réu Lídio Laurindo: restou absolvido de todas as acusações; 7 - Réu Cildo Ananias: restou absolvido de todas as acusações.

6 - Réu Lídio Laurindo: restou absolvido de todas as acusações; 7 - Réu Cildo Ananias: restou absolvido de todas as acusações. PROCEDIMENTO ESP.DOS CRIMES DE COMPETÊNCIA DO JÚRI Nº 2004.71.04.005970-2/RS AUTOR : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ACUSADO : IRENI FRANCO : ZIGOMAR TEODORO : LEOMAR CORREIA : CILDO ANANIAS : SERGIO ANANIAS

Leia mais

Júri moderno: Inglaterra - Willian o conquistador/ jurados. *Papa Inocente III, 1215, 4º Concílio de Latrão, proibiu o uso das ordálias

Júri moderno: Inglaterra - Willian o conquistador/ jurados. *Papa Inocente III, 1215, 4º Concílio de Latrão, proibiu o uso das ordálias PROCEDIMENTO DO TRIBUNAL DO JÚRI Histórico Tribunal da Heliéia: Grécia antiga Heliastas Júri moderno: Inglaterra - Willian o conquistador/1066-12 jurados *Papa Inocente III, 1215, 4º Concílio de Latrão,

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Súmula 122 do Superior Tribunal de Justiça e competência para o julgamento de contravenções penais: uma análise à luz da jurisprudência dos Tribunais Superiores Alexandre Piccoli

Leia mais

ROTEIRO REVISÃO. Prof. Nidal Ahmad

ROTEIRO REVISÃO. Prof. Nidal Ahmad ROTEIRO REVISÃO Prof. Nidal Ahmad 1) RELAXAMENTO DE PRISÃO I) BASE LEGAL: art. 310, inciso I, CPP e art. 5º, LXV da Constituição Federal/88 II) CONTEÚDO: A) DA ILEGALIDADE MATERIAL Exemplos: * Ausência

Leia mais

S U R S I S SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA

S U R S I S SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA S U R S I S SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA arts. 77 a 82 do CP e 156 e s. da LEP. Deriva do verbo surseoir (suspender). Quer dizer suspensão. Expressão já utilizada pelo CP/1940. Conceitos: É o ato pelo

Leia mais

O instituto da reincidência está conceituado em dois artigos, tanto no art.63 do Código Penal, como no art.7º da Lei de Contravenções Penais.

O instituto da reincidência está conceituado em dois artigos, tanto no art.63 do Código Penal, como no art.7º da Lei de Contravenções Penais. REINCIDÊNCIA O instituto da reincidência está conceituado em dois artigos, tanto no art.63 do Código Penal, como no art.7º da Lei de Contravenções Penais. CP - Art. 63 - Verifica-se a reincidência quando

Leia mais

Em várias situações a legislação consagra da junção das jurisdições civil e criminal.

Em várias situações a legislação consagra da junção das jurisdições civil e criminal. Ação civil ex delicto Objetivo: Propiciar a reparação do dano causado pelo delito. Sentença penal condenatória e reparação do dano Art. 91, I, CP: Obrigação de indenizar o dano Art. 63, CPP e 475-N, II,

Leia mais

TJ - SP Processo Penal NILMAR DE AQUINO

TJ - SP Processo Penal NILMAR DE AQUINO TJ - SP Processo Penal NILMAR DE AQUINO 1)Cabe recurso de apelação das decisões em que a) julgarem procedentes as exceções, salvo a de suspeição b) decretar a prescrição ou julgar, por outro modo, extinta

Leia mais